Você está na página 1de 5

rte III

PROVA DE PORTUGUÊS – FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS


DICAS

Olá, caríssimos, conforme o prometido, vou dar seqüência a algumas dicas


para auxiliar a resolução de questões da FCC, haja vista que no dia 21 próximo
haverá a prova de analista para o TRE-SP.
Em abril de 2006, foi realizada a prova para provimento de cargo de Agente
Fiscal de Rendas –ICMS-SP a qual causou uma certa preocupação por parte dos
candidatos, por ser longa, com textos não tão complexos, mas que exigiram
uma leitura dinâmica dado o tempo exíguo para a resolução das questões. Somente
com muito exercício, o candidato adquirirá uma certa intimidade com esse tipo de
prova, trabalhando o tempo e a concentração.
Nos artigos anteriores de DICAS, passei conteúdos referentes à
interpretação/compreensão de textos, verbos, vozes verbais, pontuação, alguma
questão de concordância, mas há mais assuntos que se repetem nas provas e que
serão tratados neste artigo.

Mais dicas sobre idéias principais (compreensão e textos)

(ICMS-SP/2006)(questão 1 da prova). No primeiro parágrafo o autor:

DICA: Como já citei na parte I, normalmente, o tópico frasal, o tema, a


postura do autor aparecem já nos períodos iniciais. Conforme orientação
de estruturação de período (redação), o autor deve-se posicionar na
entrada no texto, no início ou no período seguinte do 1º parágrafo.

Voltando à questão do ICMS-SP.


a) atribui o caráter, de certa forma tardio, da referência à educação em textos
escritos, ao fato de ser ela uma atividade absolutamente inerente aos grupos
humanos.
b) Evidencia que todo o processo educativo é naturalmente longo, implicando que a
conscientização dos educandos acerca do que lhes é ensinado não seja imediata.
c) .....
d) ....
e) .....

As demais alternativas não foram colocadas, já que poderemos responder a


questão tendo como base as alternativas a) e b). Veja o início do 1º parágrafo.
1º parágrafo: “A educação é uma função tão natural e universal da comunidade
humana que, pela própria evidência, leva muito tempo a atingir a plena consciência
daqueles que a recebem e praticam, sendo, por isso, relativamente tardio o seu
primeiro vestígio na tradição literária.”[...]

Notem, caríssimos, que a postura do autor a respeito do tema está nesse


período inicial, justificando a alternativa A como correta.

2.(ICMS-SP/2006)(questão 13 da prova). No primeiro parágrafo o autor


deixa claro que:
a) o jogo intermitente entre presente e passado obscurece o sentido original dos
eventos, motivo pelo qual deve ser constantemente controlada a imagem que se
tem dos marcos iniciais.
b) há um mecanismo comum na demarcação de datas inaugurais: elas flutuam na
dependência do aspecto particular de si mesmo que o sujeito deseja ressaltar.
c)...
d)...
e)...

DICA: sigam as mesma instruções da questão anterior, prestem atenção ao


período inicial do 1º parágrafo.
1º parágrafo: “Quando começa a modernidade? A escolha de uma data ou de um
evento não é indiferente. O momento que elegemos como originário depende
certamente da idéia de nós mesmos que preferimos, hoje, contemplar. E vice-
versa: a visão de nosso presente decide das origens que confessamos (ou até
inventamos).

Lendo com atenção esse período inicial, verificamos que a resposta correta
só pode ser a B. Daí conclui-se que se o comando da questão é esse ou
similar a esse, há muita chance de a resposta residir nas idéias iniciais do
parágrafo... o problema será entender as idéias das alternativas, o que não
será difícil.

Modelo de questão Regência verbal/nominal // Pronome relativo // Crase

1.(ICMS-SP/2006)(questão 30 da prova). “Nessa compulsória liberdade,


de que fala o filósofo(...)

DICA: 1. para resolver questões que envolvem o emprego dos pronomes


relativos (que=o qual / quem / cujo(a) / onde / quanto ) como relatores,
há que se conhecer um pouco de regência verbal, para verificar se o pron.
relativo deve vir acompanhado de preposição, ou não. Depende da
regência do verbo da oração que emprega o pronome relativo (oração
subordinada adjetiva)
Por exemplo: O filme a que assisti e do qual não gostei, saiu de cartaz .
Justificativa da preposição: assistir(=ver) A e gostar DE.

Voltando à questão do ICMS-SP, vejamos:

Numa nova redação da frase acima, mantêm-se corretamente a


expressão sublinhada (de que) caso substitua fala o filósofo por:
a) investiga o filósofo.
b) aflige o filósofo.
c) disserta o filósofo.
d) se refere o filósofo
e) cuida o filósofo

Para resolver essa questão é necessário conhecer a regência de cada verbo e o seu
sentido para verificar qual deles exige a preposição DE.
*na altern a) investigar é VTD.
*na altern b) afligir pode ser VInt. / VTD / Vpron.TIndireto – prep. Com
(afigir-se com)
*na altern. c) dissertar pode ser VInt. / VTI – prep acerca, sobre
*na altern .d) referir-se –VTI – prep. A

RESPOSTA: altern. E. cuida o filósofo. O verbo cuidar = tratar de , ter


atenção / VTI – prep. DE
2. (TRT-11ª região/2005) É adequado o emprego de ambas as expressões
sublinhadas na frase:

a) Parece que desapareceram as convicções onde a velhice era sinônimo de ser mais
sábio, ou em que ser jovem era uma garantia de felicidade.
b) O esclarecimento em cujo a palavra sexagenário nada tem a ver com sexo é um
lance de ironia com que o autor se valeu para dar leveza ao tema.
c) A adolescência é uma época de onde mais tarde emergirão recordações às quais
nem sempre constituirão lembranças felizes.
d) Pode-se preferir a velhice do que a juventude, mas Bobbio assevera de que, nessa
caso, não se viu a velhice de perto.
e) Os traumas por que tantas vezes passam os jovens são esquecidos, mas não os
momentos em que lograram ser felizes.

Discutindo a questão:

• na altern a) convicções (é a palavra de base) “de que a velhice...” “ou


de que ser jovem era...” Estabeleceu-se paralelismo nas estruturas, pois
ambas tiveram como elemento referencial convicções. (convicção de
algo).
• na altern b) “esclarecimento de que a palavra...” “ ... é um lance de
ironia de que o autor se valeu...”(valer-se DE)
• na altern c) “... é uma época de que/ da qual ... emergirão
recordações...”(recordação de algo) “ as quais nem sempre...”(sem
crase)

O pronome a qual terá crase se a palavra feminina anterior for substituída


por uma pal. masculina e o pronome mude para ao qual.
Ex.: A cidade à qual me referi.... / O município ao qual me referi...
*. na altern. d) “...pode-se preferir a velhice à juventude. (preferir: VTDI –
prep A) “... mas Bobbio assevera que (sem prep. Asseverar; VTD).

RESPOSTA: alternativa E. “Os traumas por que ... passam os jovens...”(passar


por) “... mas não os momentos em que lograram ser felizes. (momentos =
tempo – prep- em que)
3. (TRT-3ª região/ 2005) A expressão com que preenche corretamente a
lacuna da seguinte frase:
a) O impasse ________ Einstein se refere no texto está na inexistência de um poder
supranacional.
b) Os poderes ________ foram conferidos aos países da ONU revelam-se insuficientes
para a criação de um poder supranacional.
c) Os temas _________ Einstein se confrontou em seu livro indicam suas altas
preocupações de natureza ética e política.
d) O espanto __________ muitos leitores desse livro são assaltados deve-se ao fato de
acreditarem que Einstein só cuidava de temas relativos à Física.
e) A questão _________ preocupou o autor da carta prova seu interesse em contribuir
para a reconstrução do mundo no pós-guerra.

Discutindo a questão:
*na altern a) o verbo que serve de base é referir-se (grifado) VTI – prep A,
Ficará “O impasse a que Einstein se refere...”
*na altern. b) o verbo principal é conferir – VTD – sem prep.
Ficará “Os poderes que foram conferidos aos países...”
*na altern d) o verbo principal que serve de base é assaltar – VTD – prep DE / POR.
Ficará “O espanto de que / por que muitos leitores desse livro são
assaltados...”
*na altern e) o verbo que serve de base é preocupar (no texto) VTD – sem prep.
Ficará “ A questão que preocupou o autor...”

RESPOSTA: altern C . O verbo que serve de referência é confrontar VTI – prep


com.
Ficará “Os temas com que Einstein se confrontou em seu livro...”

4.(ICMS-SP/2006)(questão 3 da prova) A expressão “cujo conjunto os


gregos deram o nome de techné” está corretamente reformulada,
mantendo o sentido original, em.

DICA: O pronome relativo CUJO indica posse , concorda com o substantivo


que o segue, mas se refere ao termo anterior.
Por exemplo: A senhora em cuja casa me hospedei... ( casa da senhora)
O livro sobre cujo autor falei.... (autor do livro), portanto pode ser
substituído por DO QUAL e flexões.

a) que, pelo conjunto, os gregos mencionaram por “techné”.


b) pelo conjunto dos quais os gregos nominaram de “techné”.
c) o conjunto dos quais recebeu dos gregos o nome de “techné”.
d) de cujo conjunto se sabe o nome, a que os gregos deram de “techné”.
e) do qual conjunto foi nomeado, pelos gregos, como “techné”.

RESPOSTA: altern C

Além das dicas passadas nos artigos anteriores, há questões que tratam de
ortografia, reescrita de períodos (paráfrase) , flexão verbal,concordância verbal
(cuidado com o sujeito oracional – verbo no singular) e elementos de coesão
(relação de sentido ), por exemplo Causa e Conseqüência.
Lembrem-se de que para encontrar a CAUSA , a pergunta é POR QUE e vem antes
da CONSEQÜÊNCIA(resultado). Para a CONSEQÜÊNCIA se faz a pergunta : O QUE
ACONTECE EM RAZÃO DISSO.

Exemplo: 1“Diminuído, reduzido a funções políticas de subserviência, o


Estado vem negligenciando o seu papel social” (relação causa e
conseqüência)
2.(ICMS-SP) “As regras das artes e ofícios resistiam, naturalmente, em
virtude da sua própria natureza...” (relação de conseqüência e causa).

Aconselho a vocês que forem participar de qualquer concurso,


independente da instituição promotora (ESAF, FCC, CESPE e outras) , que grifem as
palavras-chave do comando da questão; leiam com atenção o que se pede,
concentrem-se e acreditem na sua capacidade. Meu e-mail para consulta é
noelylandarin@yahoo.com.br
Boa prova, Deus os abençoe!