Você está na página 1de 2

IMPLANTAÇÃO DA CLÍNICA DE INSUFICIÊNCIA CARDÍACA UFRJ

MACAÉ: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Thamyres de Oliveira Lopes¹ (thamylopes35@hotmail.com), Giseli Braga de


Jesus¹, Jéssika Chris da Silva Santos Chagas², Jonatha Gomes Guedes¹,
Rozielma de Abreu Moreira¹, Allan Peixoto de Assis³, Glaucia Cristina Andrade
Vieira4

¹ Discente do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Rio de


Janeiro - Campus Macaé

² Discente do Curso de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro -


Campus Macaé

³ Doutor em Ciências. Docente do Curso de Enfermagem da Universidade


Federal do Rio de Janeiro - Campus Macaé
4
Mestre em Enfermagem. Docente do Curso de Enfermagem da Universidade
Federal do Rio de Janeiro - Campus Macaé

Palavras chave: Insuficiência Cardíaca, Clínica, Universidade.

Introdução: A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome clínica na qual o


coração se torna incapaz de atender as demandas metabólicas e teciduais do
corpo. O atendimento multidisciplinar, através das clínicas de IC, tem sido
considerado padrão-ouro no tratamento destes pacientes, pois favorecem a
adesão terapêutica, reduzem reinternações e a morbimortalidade. Relato de
caso: Fundamentando-se nos princípios propostos pela Diretriz Brasileira de
Insuficiência Cardíaca Crônica e Aguda (SBC, 2018), foi fundada uma Clínica
de IC na cidade de Macaé-RJ, como um projeto de extensão vinculado a
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Macaé, de junho de 2018 até
setembro de 2020. Este serviço, pioneiro na região, é realizado semanalmente
por uma equipe multidisciplinar composta por docentes e discentes da área de
Enfermagem, Farmácia, Medicina e Nutrição em um ambulatório de
especialidades do município. Foram realizadas reuniões versando sobre a
implantação da clínica e elaboração de instrumentos a serem utilizados durante
as consultas, além da aplicação de instrumentos validados para a avaliação
integral do paciente com IC, como o questionário Minnesota Living with Heart
Failure Questionnaire (MMLHFQ) e o Mini Exame do Estado Mental (MEEM).
Com o registro em prontuário foram observados aspectos de deficiência no
conhecimento do paciente acerca da doença e do seu tratamento, além de
sintomas de descompensação. Sendo possível aplicar intervenções que
auxiliaram na prevenção e acompanhamento dos sinais e sintomas de
descompensação, controle hídrico e salino, medição diária de peso e adesão a
terapia farmacológica para uma melhoria nas suas condições de saúde e bem
estar. Discussões: As intervenções realizadas pela equipe multidisciplinar
proporcionam um cuidado diferenciado aos pacientes, contribuindo
positivamente para a adesão ao tratamento e promovendo um sentimento de
acolhimento. Respeitando a autonomia e singularidade do paciente, a
conscientização do autocuidado e educação em saúde foram desenvolvidas de
forma eficaz. Conclusão: A implantação da clínica de IC da UFRJ Macaé
demonstrou-se um mecanismo facilitador para promover uma melhora na
qualidade de vida do paciente, minimizando incômodos provenientes da
doença e estimulando a adesão terapêutica e o autocuidado. Evidencia-se
assim, a relevância da atuação integrada dos profissionais de saúde em prol do
paciente.