Você está na página 1de 5

Modulação AM

A Modulação de Amplitude (AM) é, por razões de simplicidade e de ter sido a primeira técnica de
modulação, de extrema importância num primeiro estudo dos sistemas de radiocomunciações.
O esquema de modulação é representado na figura 1. O Modulador AM tem como entradas o
sinal modulante, m(t), e a portadora, c(t). Na sua saída coloca o sinal AM.

m(t) s(t)
Modulador
AM

c(t)

Fig. 1: Modulador AM.


A modulação AM, s(t), consiste em modificar a amplitude de uma portadora, c(t) de acordo com
o sinal modulante, m(t), da forma
s( t) ? c( t )(1 ? k a m(t ))

Dado que a portadora é um sinal sinusoidal a expressão geral de um sinal AM, é dada por
s( t ) ? AC (1 ? ka m( t )) cos( 2? f C t )
sendo Ac e fc a amplitude e frequência da portadora, respectivamente.
Considerando agora que o sinal modulante é sinusoidal, do tipo m(t) = Am cos(2? fmt), a
expressão do sinal AM vem
s( t) ? AC (1 ? ka Am cos( 2? f mt )) cos(2? f C t )

designando por índice de modulação a quantidade ? =kaAm, a expressão toma o aspecto


s( t ) ? AC (1 ? ? cos( 2? f mt )) cos( 2? f C t)

As formas de onda presentes na modulação AM estão descrita na figura 2. Observa-se que na


ausência de sinal modulante (m(t)=0), continua a haver portadora em linha o que revela um desperdício
de potência, conforme será discutido aquando da análise espectral.
Quando existe sinal modulante, a envolvente do sinal AM (linha a tracejado) acompanha o sinal
modulante, desde que a sua frequência seja muito maior que a deste e que o índice de modulação seja
inferior a 100%. Nessa situação, consegue-se recuperar o sinal modulante com um circuito detector de
envolvente, que será descrito mais à frente.
No caso de o índice de modulação ser superior a 100%, a envolvente deixa de seguir o sinal
modulante, passando a haver um efeito de rectificação. Existe, inclusivé, uma inversão na fase da
portadora, quando a envolvente passa por zero.
m(t) c(t)

Am Ac

t t

-Am -Ac

inversão de
fase
s(t) s(t)
AC(1+? )
AC
AC(1–? )

t t

Fig. 2: Formas de onda na modulação AM.


Relativamente ao espectro, este determina-se a partir da transformada de Fourier do sinal S(t).
s( t ) ? c (t ) ? k a m( t ) c( t )
A transformada deste sinal resulta na própria portadora c(t) sobreposta com a convolução do
sinal modulante com a portadora, afectada da constante k a. A figura mostra o espectro do sinal AM,
considerando sinal modulante sinusoidal, com amplitude Am e frequência f m, e sinal modulante com
espectro arbitrário. A portadora tem amplitude AC e frequência f C.

portadora

AC
Banda Banda
lateral lateral
inferior superior
Am kaAmAC/2 = ? AC/2 ka AmAC/2 = ? AC/2

f
fm fC–fm fC fC+fm

sinal
modulante sinal
AM
Fig. 3: Espectro de um sinal AM, com modulante sinusoidal.
A portadora é representada como sendo uma risca com amplitude AC e frequência f C, tendo a
seu lado as componentes associadas ao sinal modulante, designadas por bandas laterais. A largura de
banda é o dobro do sinal modulante. Note-se que a amplitude destas bandas laterais são dependentes
da amplitude do sinal modulante, Am, da portadora, AC, e da constante do modulador, k a. O factor 1/2
surge da separação do sinal modulante em duas bandas laterais.
A potência associada ao espectro do sinal AM é determinada pela soma da potência da
portadora com a das bandas laterais. Assumindo que o sinal descrito por este espectro alimenta uma
carga R, vem para a portadora

1 AC2
PC ?
2 R
e para as bandas laterais, no caso de sinal modulante sinusoidal

1 (? AC / 2) 2 1 ? 2 AC2
PBLS ? PBLI ? ?
2 R 8 R
A potência total vem dada por

AC2 2 ? ? 2
PT ? PC ? PBLS ? PBLI ?
4 R
A percentagem de potência atribuída à portadora vale
2
PC ?
2? ? 2

enquanto que a percentagem de potência atribuída às bandas laterais vale

?2
% PBLS , PBLI ?
2(2 ? ? 2 )

A figura mostra a evolução da percentagem de potência atribuída à portadora e cada uma das
bandas laterais, em função do índice de modulação. Observa-se que na situação mais favorável para as
bandas laterais (? =1), cada uma apenas contém 1/6 (16.67%) da potência total (note-se que índice de
modulação não pode ser superior a 100%). a portadora contém pelo menos 2/3 (66.67%) da potência
total. Para índices menores, ainda se tem menos potência nas bandas laterais. Por exemplo para
modulação a 40%, a potência em cada banda lateral é inferior a 4% da total; a portadora tem mais de
92% da potência total.
1.0

percentagem de potência
0.8 porta
dora

0.6

0.4

0.2 teral
banda la
0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0
índice de modulação

Fig. 4: Distribuição de potência pela portadora e


bandas laterais num sinal AM.
Uma vez que o sinal AM desperdiça potência na portadora (esta não contém informação),
deve.se eliminá-se para aumentar a eficiência do sistema. Nesse caso, só se transmitem as duas
bandas laterais do sinal, passando o método a chamar-se DSB (Double Sided Band).

Modulação DSB

Na modulação DSB, só se transmitem as bandas laterais do sinal. Este sinal obtém-se multiplicando o
sinal modulante pela portadorta, sendo descrito pela expressão
s( t) ? m(t ) c( t ) ? AC m( t ) cos(2? f C t )

ou seja, é feita uma convolução entre o sinal modulante e a portadora, com um factor AC. A figura
mostra o espectro de um sinal DSB, onde se mostra a ausência de portadora.

Banda Banda
lateral lateral
inferior superior
Am AmAC/2 AmAC /2

f
fm fC–fm fC fC+fm

sinal sinal
modulante DSB

Fig. 5: Espectro de um sinal DSB, com modulante sinusoidal.


A figura 6 mostra a forma de onda no tempo do sinal DSB, onde se nota a ausência de qualquer sinal,
quando o sinal modulante é nulo, demonstrando uma maior eficiência na transmissão. A forma de onda
também mostra que a recepção, utilizando o detector de envolvente, não funciona, pois o sinal na sua
saída ficaria distorcido.
m(t) s(t) inversão de
fase

Am AmAC

t t

-Am -AmAC

Fig. 6: Espectro de um sinal DSB, com modulante sinusoidal.