Você está na página 1de 2

FOLHA DE REDAÇÃO – MODELO ENEM

NOME:__________________________________________________ TURNO:_______________ SÉRIE:________


DATA: ____/____/______ TURMA: _______

I IV
01
Segundo Paulo Fre re “ler é tomar consc ênc a” dessa mane ra sabe---se que a prof c ênc a
02
le tora de um nd víduo é de extrema relevânc a para que este se a capaz de real zar reflexões
03

04
crít cas a respe to da real dade . Entretanto no Bras l mu tos obstáculos são enfrentados no que
se refere à formação de le tores que se am não somente hab l tados a decod f car mas também
05
capazes de compreender o que leem . Entre os pr nc pa s desaf os para a mudança desse cenár o
06

07
estão a falta de ncent vo aos estudantes e a não democrat zação do acesso à le tura .
A pr ncíp o é necessár o pontuar que em mu tos casos os pr nc pa s setores responsáve s pelo
08

09
.
estímulo ao háb to de ler não o fazem Em relação à escola segundo dados do Programa Internac onal
de Aval ação de Estudantes ma s da metade dos alunos bras le ros com 15 anos não alcançam
10
prof c ênc a le tora desse modo nfere-- se que apesar de serem aprovados nas sér es escolares mu tos
11

12
estudantes aprendem apenas a decod f car palavras . Nota--se portanto que a ma or parte dos alunos
não consegue ter além de uma compreensão art f c al v sto que mu tos não são ncent vados pelos
13
professores a reflet r cr t camente sobre as le turas que real zam que por vezes não v sam dar àqueles
14

15
oportun dade de conhecer gêneros d st ntos para que se dent f quem com a le tura e debatam-- na .
Ad unto a sso há o desaf o de promover às camadas ma s pobres da população bras le ra
16
o acesso à le tura desde a nfânc a . No l vro “Cap tães da Are a” há a personagem Professor
17

18
que apesar de ser um áv do le tor encontra d f culdades extremas para consegu r l vros . Tal
s tuação é o contexto de d versas famíl as em cond ção de vulnerab l dade soc al á que dev do
19
à d str bu ção des gual do acesso à le tura esta não é sequer uma opção para númeras cr anças
20
do Bras l . Sendo ass m deve---se enfrentar não somente o desaf o de ncent var os bras le ros a ler
21

22
mas também o de tornar essa prát ca uma poss b l dade para todos .
D ante do exposto cabe ao M n stér o da Educação em parcer a com as secretar as de
23
educação loca s desenvolver pro etos que poss b l tem a le tura de gêneros ma s var ados em sala
24
de aula por me o da d str bu ção dessas obras nas escolas e da real zação de clubes de le tura
25
med ados pelos professores os qua s podem fomentar o debate entre os estudantes ass m estes terão
26
acesso a est los l terár os ma s d versos e serão ncent vados a lê--los e a reflet r sobre o que
27

28
lerem . A nda é necessár o que o M n stér o da C dadan a promova a democrat zação do acesso
à le tura por me o da abertura de ma s b bl otecas públ cas nas per fer as e do nvest mento nas
29
b bl otecas comun tár as á ex stentes . Desse modo serão formados cada vez ma s le tores prof c entes
30
e crít cos os qua s rão por me o do ato de ler tomar a consc ênc a de que falava Paulo Fre re .
RESERVADO AO PROFESSOR
SITUAÇÃO: branco insuficiente nulo fuga ao tema

NÍVEL POR COMPETÊNCIA LNE NOTA


N0 = 0 N1 = 40 N2 = 80 N3 = 120 N4 = 160 N5 = 200

COMP. I

COMP. II PROFESSOR
COMP. III

COMP. IV Nome

COMP. V Data: _____/_____/_______


MAPA DOS CRITÉRIOS UTILIZADOS NA CORREÇÃO DE REDAÇÃO
Competências Níveis
N0 – T exto com sérios problemas na articulação dos argumentos, em decorrência do desconhecimento da estrutura sintática, da pontuação, das
convenções ortográficas e do registro adequado ao gênero.
I N1 – Texto com graves problemas de pontuação, de grafia e no emprego do registro adequado ao gênero (acima de 12 desvios) sem que causem
Demonstrar domínio da prejuízo à clareza, à argumentação, à coerência.
norma padrão da língua N2 – Texto com muitos desvios (até 12 desvios).
escrita. N3 – Texto com alguns desvios (até 9 desvios).
N4 – Texto com poucos desvios (até 6 desvios).
N5 – Texto sem desvios ou com raros desvios (até 2 desvios de naturezas distintas).
II N1 – A abordagem tangencial e/ou domínio precário da estrutura do tipo dissertativo-argumentativo, havendo alternância de tipos textuais.
Compreender a proposta N2 – U so de informações semelhantes às já reveladas nos textos motivadores, com argumentação falha ou insuficiente, além de problemas na estru-
de redação e aplicar tura do tipo textual, e/ou ausência de uma de suas partes.
conceitos de várias áreas
N3 – Argumentação superficial e/ou previsível, havendo mais informações do que argumentos; tese implícita.
de conhecimento para
desenvolver o tema, em N4 – Há argumentação consistente e bom domínio do tipo textual, com tese, argumentação e solução, mas o repertório sociocultural não é muito
um texto dissertativo-ar- produtivo.
gumentativo. N5 – Há argumentação consistente e o repertório sociocultural é produtivo. Desenvolve muito bem o tipo textual dissertativo-argumentativo.

N0 –
Apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos não relacionados ao tema (tangenciamento) ou não apresenta ponto de vista.
III N1 –
Apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos pouco relacionados ao tema sem defender ponto de vista.
Selecionar, relacionar, N2 –
Elementos pouco relacionados e/ou contraditórios com o ponto de vista e/ou paráfrase dos textos motivadores da prova de redação.
organizar e interpretar in-
formações, fatos, opiniões N3 –
Argumentos pertinentes ao tema, porém ainda limitados aos textos motivadores e pouco consistentes em defesa do ponto de vista.
e argumentos em defesa N4 –Relação consistente dos elementos com o ponto de vista e com o tema, com indícios de autoria e argumentos não constantes dos textos
de um ponto de vista. motivadores.
N5 – Presença de argumentação consistente e totalmente de acordo com o ponto de vista e com o tema proposto configurando autoria.
N0 – Informações desconexas, que não configuram um texto.
IV
Demonstrar conheci- N1 – Articulação precária, sem os elementos necessários ou adequados à sinalização das relações entre as informações (a partir de 7 desvios).
mento dos mecanismos N2 – Muitas inadequações e uso limitado de recursos coesivos (5 ou 6 desvios).
linguísticos necessários N3 – Algumas inadequações e pouca diversidade na utilização de recursos coesivos (3 ou 4 desvios).
para a construção da N4 – Poucas inadequações e diversificação na utilização de recursos coesivos (de 1 a 2 desvios).
argumentação.
N5 – Sem inadequações e com diversificação na utilização de recursos coesivos (não há desvios).
N0 –
Texto sem proposta de solução ou com proposta não relacionada ao tema.
V N1 –
A proposta se relaciona apenas ao assunto, é vaga ou está subentendida.
Elaborar proposta de N2 –
A proposta é insuficiente (agente implícito) ou não é articulada com a problemática desenvolvida no texto.
solução para o problema N3 –A proposta é mediana (menciona somente 1 agente e uma ação; é vaga) e apresenta pouca articulação com a problemática desenvolvida no
abordado, respeitando os texto.
valores humanos e con- N4 – A proposta é detalhada (menciona, no mínimo, 2 agentes; é clara e viável), além de bem relacionada ao tema e à problemática desenvolvida
siderando a diversidade no texto.
sociocultural.
N5 – A proposta é muito bem detalhada (menciona, no mínimo, 2 agentes; é clara e viável, além de bem relacionada ao tema e à problemática
desenvolvida no texto.

I. Correção Ortográfico-Gramatical
A = Acentuação. FLEXV = Flexão verbal. CN = Concordância Nominal.
P = Pontuação. LEG = Legibilidade. CV = Concordância Verbal.
ORT = Ortografia. MG = Margem Lateral. COL = Colocação Pronominal.
NL = Notações Léxicas. MAI = Maiúscula. ORAL = Oralidade/Coloquialismo/Gíria.
T = Translineação. MIN = Minúscula. RN/RV = Regência Nominal ou Regência Verbal.
RAS = Rasura. RAP = Repetição ou Omissão Acidental de Palavras.
FLEXN = Flexão nominal.

II. Adequação ao Tema e ao Tipo Textual


DFT = Desvio do Foco Temático. ITT = Inadequação ao Tipo Textual.
LSC = Limitação ao Senso Comum. PA = Paráfrase.

III. Seleção e Organização Argumentativa


ADAEAIAINCCORCSE ECCITFTIDVISC PIPSERITAUTRU

IV. Coesão Textual


AMB = Ambiguidade. OST = Ordenação Sintática dos Termos. PG = Paragrafação.
COE = Coesão. PSI = Paralelismo Sintático. TME = Trecho Mal Estruturado.
FS = Falta de Sujeito. RIP = Repetição de Ideias ou Palavras. DIS = Mudança da Voz Discursiva.
FCO = Falta de Complemento. CT = Correlação Temporal (Verbos). FP = Falta de Palavra.

V. Adequação da Proposta de Intervenção


SNA = Solução Não Articulada. SV = Solução Vaga. DDS = Desrespeito à Diversidade Cultural.
SE = Solução Extrema. DVH = Desrespeito aos Valores Humanos. SINC = Solução Incompleta.
SI = Solução Inadequada.

1) Escreva um texto com um mínimo de 20 (vinte) linhas completas;


2) Use caneta esferográfica com tinta preta;
3) Não transcreva, em sua redação, nenhuma citação, nem mesmo dos textos ou fragmentos contidos nas propostas da prova;
4) Não assine sua redação, mesmo que se proponha uma carta ou qualquer outro texto que requeira assinatura;
5) A distribuição de erros por competência pode sofrer variações de acordo com as causas e efeitos dos erros listados;
6) A competência V é válida para textos dissertativos-argumentativos;
7) Cada linha não escrita (LNE) ou não compensada implicará desconto de 50 pontos.

www.portalsas.com.br