Você está na página 1de 5

PRÉ-UNIVERSITÁRIO OFICINA DO SABER Aluno(a):

DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSORES: André Tinoco e João Vitor Rosa


Data: / / 2020 Coordenação :

MONITORIA 9 – NONA LISTA – NOVA ORDEM MUNDIAL

Questão 1(ENEM-2017)
México, Colômbia, Peru e Chile decidiram seguir um caminho mais curto para a integração
regional. Os quatro países, em meados de 2012, criaram a Aliança do Pacífico e
eliminaram, em 2013, as tarifas aduaneiras de 90% do total de produtos comercializados
entre suas fronteiras.
OLIVEIRA, E. Aliança do Pacífico se fortalece e Mercosul fica à sua sombra. O Globo, 24 fev. 2013 (adaptado).

O acordo descrito no texto teve como objetivo econômico para os países-membros

(A) promover a livre circulação de trabalhadores.

(B) fomentar a competitividade no mercado externo.

(C) restringir investimentos de empresas multinacionais

(D) adotar medidas cambiais para subsidiar o setor agrícola.


(E) reduzir a fiscalização alfandegária para incentivar o consumo.
Questão 2(UERJ)
O comércio externo constitui um dos aspectos mais importantes da economia nacional em
tempos de globalização. Observe, por exemplo, o mapa abaixo, que apresenta as
importações dos E.U.A. provenientes do continente americano em 2005.

A principal explicação para o elevado valor do intercâmbio de mercadorias dos Estados


Unidos com os seus dois principais parceiros no continente americano é a existência de:

(A) acordo comercial


(B) unidade monetária
(C) igualdade tributária
(D) infraestrutura integrada
Questão 3(ENEM)

Dentro das atuais redes produtivas, o referido bloco apresenta composição estratégica por
se tratar de um conjunto de países com

(A) elevado padrão social.


(B) sistema monetário integrado.
(C) alto desenvolvimento tecnológico.
(D) identidades culturais semelhantes.
(E) vantagens locacionais complementares.
Questão 4(UERJ)

A integração da União Europeia começou oficialmente em 1957 e durante décadas houve


um movimento contínuo de ampliação das liberdades de circulação de riquezas. A imagem
abaixo aponta um fato importante desse período: a entrada em vigor do Acordo Schengen.
Nos últimos anos, no entanto, o bloco vem enfrentando dificuldades que sinalizam a
possibilidade de retrocessos.

Considerando os eventos ocorridos nesse continente nos últimos cinco anos, a explicação
para a mudança exposta na notícia é a necessidade de controle dos fluxos de:
(A) capitais
(B) serviços
(C) pessoas
(D) Mercadorias

Questão 5(ENEM-2017)
As recentes crises entre o Brasil e a Argentina mostram o esgotamento do modelo
mercantilista no Mercosul”, afirma o diretor-geral do Instituto Brasileiro de Relações
Internacionais (Ibri). A imposição argentina de cotas para produtos brasileiros, como os de
linha branca, e a ameaça de adoção de salvaguardas comerciais indicam que o Mercosul
foi construído sobre bases equivocadas. Segundo o diretor, a noção de que é possível
exportar “sem limites” para um determinado parceiro comercial representa uma
mentalidade “fenícia”, ou seja, uma visão comercial de curto prazo.
JULIBONI, M. Disponível em: http://exame.abril.com.br. Acesso em: 7 dez. 2012 (adaptado).

Nas últimas décadas foram adotadas várias medidas que objetivavam pôr fim às
desconfianças mútuas existentes entre o Brasil e a Argentina. Os conflitos no interior do
bloco têm se intensificado, como na relação analisada, caracterizada pela

(A) saturação dos produtos industriais brasileiros, que o mercado argentino tem
demonstrado.
(B) adoção de barreiras por parte da Argentina, que intenciona proteger o seu setor
industrial.
(C) tendência de equilíbrio no comércio entre os dois países, que indica estabilidade no
curto prazo.
(D) política de importação da Argentina, que demonstra interesse em buscar outros
parceiros comerciais.
(E) estratégia da indústria brasileira, que buscou acompanhar as demandas do mercado
consumidor argentino.

Questão 6(UERJ-2017)

A consulta popular mencionada configura uma escolha difícil para os cidadãos do Reino
Unido em virtude da variedade e complexidade dos argumentos favoráveis e contrários em
disputa.
Um argumento decisivo para que uma parcela dos britânicos aprove a saída do Reino
Unido do bloco europeu remete à retomada da plena autonomia nacional no seguinte
campo:
(A) sistema militar
(B) ação diplomática
(C) gestão monetária

(D) controle migratório


Questão 7(UNESP-2020)
O advento de chefes de Estado-empresa marca uma transição sistêmica entre o
enfraquecimento do Estado- -nação e o fortalecimento da corporação apoiada em sua
racionalidade técnico-econômica e gerencial. Essa transferência leva, por um lado, ao
esvaziamento do Estado, reduzido à administração e à gestão, e, de outro, à politização da
empresa, que expande sua esfera de poder muito além de sua atividade tradicional de
produção. A corporação tende a se tornar o novo poder político-cultural.
(Pierre Musso. “Na era do Estado-empresa”. http://diplomatique.org.br, 30.04.2019. Adaptado.)

Coerentes com o neoliberalismo, as propostas do Estado- -empresa convergem para


(A) a apropriação das forças produtivas pelo Estado e a defesa da igualdade social.
(B) o pluralismo democrático e a redistribuição de renda por programas de assistência
social.
(C) a regulamentação da força de trabalho e a defesa da produção flexível.
(D) o protecionismo econômico e a implantação de políticas fiscais contra a inflação.
(E) a adoção de privatizações e a mínima intervenção do Estado na economia.