Você está na página 1de 43

FACULDADE DE CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

MANUAL DE HISTÓRIA DE QUIMICA

António Cristos Pinto Madeira


Severino dos Santos Savaio

Chimoio, Março de 2013


Índice
Conteúdos pag.
1 - CARACTERISTICAS DOS PRINCIPAIS PERIODOS HISTÓRICOS DE
EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE ..................................Error! Bookmark not defined.
1.1. CARACTERIZAÇÃO DOS PERÍODO .............Error! Bookmark not defined.
1.1.1. PRÉ-HISTÓRICO (500.000-4000 a.C.) ......Error! Bookmark not defined.
1.1.1.1. O Paleolítico - Idade da pedra lascada (500.000-10.000 a.C.) ............. Error!
Bookmark not defined.
1.1.1.2. O Neolítico – Idade da pedra polida (10.000 – 4.000 a.C.)Error! Bookmark
not defined.
1.1.2. IDADE ANTIGA - ( 400 a.C. – 476 d.C. ) Error! Bookmark not defined.
1.1.2.1. CARACTERISTICAS SÓCIO - ECONÓMICAS. Error! Bookmark not
defined.
1.1.2.1.1. IMPÉRIO GREGO ....................................Error! Bookmark not defined.
1.1.2.1.2. IMPERIO ROMANO ................................Error! Bookmark not defined.
1.1.3. IDADE MÉDIA (476 d.C. -1453 d.C.)........Error! Bookmark not defined.
1.1.3.1. ESTRUTURA SOCIAL ...............................Error! Bookmark not defined.
1.1.4. IDADE MODERNA (Século XV - XVIII ) Error! Bookmark not defined.
1.1.4.1. Acontecimentos Principais............................Error! Bookmark not defined.
1.1.5. IDADE CONTEMPORÂNEA (1789 – Ate aos nossos dias) ............. Error!
Bookmark not defined.
1.1.5.1. Características gerais e Acontecimentos .......Error! Bookmark not defined.
2 -A EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO AO LONGO DOS CINCO
PRIMEIROS PERÍODOS HISTÓRICOS .........................Error! Bookmark not defined.
2.1. PRÉ-HISTÓRICO (500.000 - 4000 a.C.) ...........Error! Bookmark not defined.
2.1.1. CARACTERISTICAS GERAIS......................Error! Bookmark not defined.
2.2. PERÍODO DA IDADE ANTIGA (4000 a.C. 476 d.C.) ... Error! Bookmark not
defined.
2.2.1. METALURGIA ...........................................Error! Bookmark not defined.
2.2.2. OUTROS PROCESSOS QUÍMICAS .........Error! Bookmark not defined.
2.2.3. TEORIAS.....................................................Error! Bookmark not defined.
2.3. IDADE MÉDIA (476 - 1453) .............................Error! Bookmark not defined.
2.3.1. ALGUMAS DAS SUBSTÂNCIAS DESCOBERTAS .... Error! Bookmark
not defined.
2.3.2. ALQUIMISTAS MAIS IMPORTANTES ......Error! Bookmark not defined.
2.4. Idade Moderna (XV – XVIII) .............................Error! Bookmark not defined.
2.4.1. Principais Características .............................Error! Bookmark not defined.
2.4.1.1. Renascimento ...........................................Error! Bookmark not defined.
2.4.1.1.1. Na Astronomia .........................................Error! Bookmark not defined.
2.4.2. Principais Conquistas ...................................Error! Bookmark not defined.
4.2.3. Progressos Na Química ....................................Error! Bookmark not defined.
4.2.4. A Teoria Flogística ..........................................Error! Bookmark not defined.
4.2.5. Iatroquimica .....................................................Error! Bookmark not defined.
4.2.6. Principais Cientistas Deste Período. ................Error! Bookmark not defined.
2.5.Idade Contemporânea (séc. XIX – ate aos nossos dias) ........ Error! Bookmark not
defined.
2.5.2. Características Sócio - económicas, Politicas do Período .... Error! Bookmark
not defined.
2.5.2.1. Guerras e Políticas ........................................Error! Bookmark not defined.
2.5.2.2. Ciência e Tecnologia.....................................Error! Bookmark not defined.
2.5.2.3. Doença e Medicina ......................................Error! Bookmark not defined.
2.5.3. Grandes Acontecimentos Deste Período ..........Error! Bookmark not defined.
2.5.4. Acontecimentos na área Química. ...................Error! Bookmark not defined.
2.5.4.1.- Revolução Industrial ....................................Error! Bookmark not defined.
2.5.4.2. A Química Orgânica .....................................Error! Bookmark not defined.
2.5.4.3. Compostos organometálicos .........................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.4. Classificação Dos Elementos ........................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.5. Estrutura Atómica .........................................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.6. Radioactividade............................................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.6. Ligação Química ...........................................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.8. Estudo das Soluções ......................................Error! Bookmark not defined.
2.4.5.9. Lei dos Gases ................................................Error! Bookmark not defined.
2.4.6. Principais Cientistas, Trabalho Realizado e o Seu impacto Na Química. Error!
Bookmark not defined.
2.4.7. Elementos Descobertos Desde o Século XX aos Nossos Dias ................ Error!
Bookmark not defined.
3. Bibliografia…………………………………………………………………………..41
1 - CARACTERISTICAS DOS PRINCIPAIS PERIODOS
HISTÓRICOS DE EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE

No processo de desenvolvimento da humanidade destacam-se cinco (5) principais


períodos:
A. Pré - Histórico
B. Idade Antiga
C. Idade Média
D. Idade Moderna
E. Idade Contemporânea

1.1. CARACTERIZAÇÃO DOS PERÍODO

1.1.1. PRÉ-HISTÓRICO (500.000-4000 a.C.)

O período Pré-Histórico é um período compreendido entre o aparecimento do Homem e


uso da escrita. Este período foi importante, pois o Homem conseguiu vencer as barreiras
impostas pela natureza e prosseguir com o desenvolvimento da humanidade na terra.
O ser humano foi desenvolvendo aos poucos soluções práticas para os problemas de vida.
Este período divide-se em dois grandes períodos: Paleolítico e o Neolítico.

1.1.1.1. O Paleolítico - Idade da pedra lascada (500.000-10.000 a.C.)


Características
- A subsistência é garantida pela colecta de frutos, raízes, caça e pesca.
- Os grupos humanos viviam como nómadas devido a escassez de alimento ou hostilidade
do ambiente.
- Possuíam uma linguagem pouco desenvolvida, baseavam-se na propagação de som sem
elaboração das palavras. As Pinturas rupestres eram uma das formas de comunicação.
-Instrumentos rudimentares (ossos, madeira ou lasca de pedra).
-Escassez de alimento.
-Evolução tecnológica (invenção de arco e utilização de fogo).
-Elaboração de valores culturais e espirituais. Exemplo: pinturas gravadas nas cavernas.

1.1.1.2. O Neolítico – Idade da pedra polida (10.000 – 4.000 a.C.)

Características
-Desenvolvimento da agricultura e domesticação dos animais.
-Formação de grupos familiares maiores ou tribos que contribuíram com primeiro passo
para a organização do estado.
- Surgimento das primeiras sociedades de classes e primeiras manifestações religiosas.
- Substituição dos instrumentos de pedra polida por metais (Cobre, bronze, ferro, zinco),
actividade esta que deu inicio a exploração do Homem pelo Homem.
-Os Homens deixaram de viver em cavernas e passaram a construir suas habitações fixas.
-Surgimento de trocas sociais entre vilas e pequenas cidades.
-A divisão do trabalho entre as comunidades aumentou dando origem ao trabalho
especializado.

NB: Toda esta herança técnica, social, cultural e económica deste período serviu de base
para entrar no período seguinte - Antiguidade
1.1.2. IDADE ANTIGA - ( 400 a.C. – 476 d.C. )

Este período inicia com a descoberta da escrita e termina com a queda do Império
Romano. Também é chamado de sociedade Esclavagista por ser caracterizado de
relações de produção de servidão dos que não tem poderes materiais.
Da antiguidade a humanidade herdou conhecimentos técnicos e práticos culturais
provenientes de três regiões principais do globo:
-Norte da África - Sobre tudo Egipto e Mesopotâmia
- Médio Oriente e Ásia: Com Índia e China como os mais destacados.
- Europa: Através do Império Grego e Romano

1.1.2.1. CARACTERISTICAS SÓCIO - ECONÓMICAS


Pelas características sócio - económicas da antiguidade é necessário dividi-la em duas
fases distintas:

1ª FASE:
-Eliminação de formas primitivas de produção e da produção colectiva dos meios de
produção.
- Surgimento de propriedade privada e novas relações de produção.
-Surgimento dos primeiros estados com características sócio - económicas, políticas e
culturais.

2ª FASE (Antiguidade Clássica)


-Formação do reinado e declínio do império Grego – Romano.
- A prática da agricultura com instrumentos metálicos, a metalurgia.
- Surgimento das cidades e de excedentes agrícolas que foram as principais heranças do
período Neolítico que influenciaram o progresso sócio - económico da antiguidade.
-A servidão.
A Servidão na antiguidade assume duas (2) formas principais nas regiões políticas sociais
e económicas da antiguidade:
a) Servidão Colectiva - Característica da Ásia, Médio Oriente e o Norte da África.
Nestas comunidades o homem explora a terra como membro da comunidade e serve ao
estado como proprietário absoluto. São os marcos mais característicos destas
comunidades O Egipto e Mesopotâmia.
- A escravidão baseava-se na construção de grandes empreendimentos sociais, como:
morais, pirâmides, construção de obras hidráulicas e canais de irrigação.
b) Sociedade Esclavagista - Sociedades Grego - Romanas, caracterizava-se pela
utilização de mão-de-obra escrava, onde o estado era o principal instrumento de poder de
um grupo privilegiado de pessoas.

1.1.2.1.1. IMPÉRIO GREGO


Caracterização política
-Política expansionista e imperialista liderada por Péricles conduziram Atenas a um
conflito armado com Espanha e seus aliados.
- Guerra entre cidades de Atenas e Espanha.
-Abolição da democracia, uniformização das cidades de modo a impedir a invasão do Rei
Persa por Alexandre Magno.
-A Grécia perde a independência devido a divisão interna entre os gregos e a
superioridade militar do exército de Alexandre.

Caracterização Económica - Crise económica devido a guerra da Peloponeso, morte de


milhares de soldados.

1.1.2.1.2. IMPERIO ROMANO


Caracterização politica Instabilidade política devido a invasão dos bárbaros, violentas
lutas , intrigas do palácio e conflito entre a Nobreza e o Clero.
Caracterização Económica - Crise económica provocada pela diminuição de números
de escravos.
-Decadência de comercio,
-Inflação monetária devido a escassez de metais.

Classes sociais
-Nobreza
-Clero
- Massa do povo

Os Impérios Gregos e Romanos formados neste período tinham como característica


básica a conquista de novos territórios e regiões, escravizando os povos de territórios
vizinhos.

1.1.3. IDADE MÉDIA (476 d.C. -1453 d.C.)


Este período começa com a queda do Império Romano e termina com a tomada de
Constantinopla. O modo de produção dominante foi feudal, podendo assim designar-se
por período Feudal ou Feudalismo.
Ele encontra – se subdivido em duas partes:
a) Alta Idade Média (séc. V - X)
Características:
- Foi caracterizada, em termos de conjuntura política, por movimentos de
fragmentação e unidade,
- A população vive basicamente da agricultura
- Trabalho artesanal é regulamento por corporações.
- Direitos senhorias pesam sobre a terra, isto é o surgimento do Feudalismo,
- Ruralização da sociedade,
- Expansão da igreja cristã,
- Urbanização do poder clerical,
- Aparecimento da burguesia,
- A revitalização do comércio e das cidades.
- O comércio interno esta sujeito à alfandegas internas a uma diversidade de pesos
e medidas.

b) Baixa Idade Média (séc. X – XV)


Características:
- Crise do modo de produção feudal e das relações económicas, sociais e culturais,
- Fim das invasões bárbaras,
- Surgimento do capitalismo.

1.1.3.1. ESTRUTURA SOCIAL


A sociedade feudal era constituída por dois grupos com status fixos:
-Senhores Feudais e Servos.
Os Servos – constituíam a maioria populacional na sua maioria camponeses.
Uma vez no campo a maioria da população depara com grandes propriedades pertenças
de uma camada privilegiadamente composta pelos senhores feudais (Clero) e
descendentes de chefes tribais.

«Durante este período houve poucos progressos económicos, científicos e tecnológicos,


por isso que foi conhecido como “ Idade das Trevas “ .»

1.1.4. IDADE MODERNA (Século XV - XVIII)

Do feudalismo a humanidade evoluiu para uma ordem sócio - económica. Constitui uma
negação do mundo mediaval.
Conhecida como época capitalista devido ao surgimento e prospecção de modo de
produção baseada na acumulação do capital.
As relações de produção são de trabalhador renunciado e proprietário ao invés de servo -
senhor do feudalismo.

1.1.4.1. Acontecimentos Principais


- Surge nova classe social a burguesia que no fim desta idade tornou-se dominante
devido a independência do E.U.A em 1776.
- Revolução Industrial (1760 -1850) e a revolução Francesa. ( 1779 - 1789).
- Inicia a colonização, assim há nova ordem de relacionamento: Metrópole - colónio e
entre Metrópoles.
- Desenvolvimento da marinha por meio de transporte para a descoberta de novas terras.
- Utilização de riquezas provenientes de colónias, para sustentação do poder e economia
da metrópole.
- Consciências comerciais e económicas entre a metrópole permitindo o rápido
crescimento económico dos mesmos.
- Guerra entre metrópoles para disputar áreas de influência nas colónias e na economia
dos países.
- Descoberta de enxofre, fósforo, nitratos, corantes, ácido sulfúrico, etc.

1.1.5. IDADE CONTEMPORÂNEA (1789 – Ate aos nossos dias)


Vai desde do fim do século XVIII até o presente século.
Neste período estão destruídos as estruturas ideológicas da idade mediaval e substituídas
pelos ideias da burguesia.
A revolução burguesa teve como consequência a discriminação dos ideais burgueses
pelos restantes países europeus.
A burguesia passa nos finais do século XVIII a controlar Finanças, comércio, indústria e
todas as actividades centrais do capitalismo.
Economicamente o capitalismo deste período divide-se em duas fases:
a) Capitalismo Industrial – Caracteriza-se pela existência de pequenas e medias
empresas que são propriedades individuais familiares com um ideal de livre
concorrência.
b) Capitalismo Financeiro (Último quarto do século XIX) – Caracteriza-se pela
existência de grandes empresas e grandes financeiros não pessoais, com o ideal de
defesa da rentabilidade.

1.1.5.1. Características gerais e Acontecimentos


- Consolida-se o modo de produção capitalista que se formou na idade média assumindo
características diferentes.
- Maior Investimento virado para a ciência e tecnologia
- Maior produção industrial
- Surgimento do socialismo
- A guerra fria
- Primeira (1ª) e Segunda ( 2ª) Guerra Mundial
- Nova ordem mundial
- Atentado de 11 de Setembro em 2001
- Construção do murro de Berlim 1961
- Invasão do Iraque pelas tropas Norte-Americanas em 2003.
2 -A EVOLUÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO AO
LONGO DOS CINCO PRIMEIROS PERÍODOS
HISTÓRICOS

2.1. PRÉ-HISTÓRICO (500.000 - 4000 a.C.)


Pode-se dizer que a utilização da química data de à milhares de ano tendo surgido pela
primeira vez com a descoberta e utilização do fogo. Neste período os conhecimentos
químicos estão directamente ligados com a utilização do fogo para obtenção de:
- Calor e Luz
- Cozer alimentos
- Fundir metais como: Cobre (Cu), Ferro (Fe), Prata ( Ag), Chumbo (Pb), Ouro ( Au),
Estanho (Sn), etc.
A partir dai, muitas foram as actividades humanas relacionadas com a química.

2.1.1. CARACTERISTICAS GERAIS


- O homem tem contacto com os metais e aprende a trabalhar principalmente com o
Bronze e Cobre.
No período do ferro, houve uma revolução cultural muito grande na humanidade ao
mesmo tempo aparece o espírito belicoso do homem.
- O homem já possuía a habilidade de produção de armas de guerra, punhais, espadas,
serras, couraças, vasos, caldeiras, brincos, colares, anéis, cerâmicas, alfinetes, enxós.
- Tecnologia de fundição do metal.
- Domesticação de animais e pecuária.
- Usavam gorduras de animais como combustível para alimentar suas cavernas.
Pode-se afirmar que a combustão - queima de materiais e a obtenção de metais a partir
dos seus minerais foram as primeiras transformações químicas da história da humanidade
realizadas pelos Homens.
No período da Pré-história os conhecimentos não estavam sistematizados, mas sim era
empírico derivado da sua experiência.

2.2. PERÍODO DA IDADE ANTIGA (4000 a.C. 476 d.C.)

As características da antiguidade são consequências das conquistas humanas na química


no período anterior (Paleolítico e Neolítico).
Os conhecimentos químicos estavam concentrados na prática da metalurgia, produção de
uso doméstico e em pequenas indústrias.

2.2.1. METALURGIA
Na metalurgia eram utilizados processos de oxidação, redução, fusão, e outros processos
físicos químicos na obtenção de metais ou ligas com propriedades desejadas.

- A 4000 a.C. foi obtido o cobre a partir da fundição da maliquita (CuCO3).


- Por volta de 3000 a.n.e foi obtido o bronze - metal mais duro que o cobre, pelo
aquecimento do mineiro de cobre (Cu) e estanho (Sn).
- Na Ásia e no Médio oriente no ano 2000 a.n.e pela primeira vez foi descoberto o ferro
(Fe) pela fusão e redução dos seus mineiros ( Fe2O3 e Fe3O4) à temperatura de 1535˚c e
1000˚c, tendo chegado na Europa em 1500 a.n.e. E neste mesmo período que se obtêm o
aço a partir de uma liga de ferro e carbono.
- Antes do 1º milénio, a partir da fusão de cobre com ZnSeO3 ( Calcemina) tiveram
Latão - liga metálica de cobre (Cu) e zinco (Zn).
- Só por volta de 1500 a.n.e foi isolado o zinco na forma livre.
- 500 a. n .e ficou conhecido o ouro que foi o objecto de desenvolvimento , tratamento
químico devido ao seu carácter nobre.
- Descoberta de técnica de produção de vidro, taças , garrafas, frascos; bordados com
púrpura.

2.2.2. OUTROS PROCESSOS QUÍMICAS


a) Na produção de alimentos e bebidas
- Produção de cerveja da fermentação de cereais.
- Produção de vinho a partir da fermentação alcoólica do sumo de ervas.
- Produção de vinagre a partir de fermentação acética do vinho.
- Utilização de sal gema para conservação dos alimentos.
- Produção de soda.

b) Na produção de produtos de Beleza e Higiene:

- Utilização de pigmentos coloridos, obtidos de animais e de plantas para colorir objectos


e para produzir produtos de beleza como por exemplo: púrpura, alizarina, e outros.
- Banhos de salmoura que eram utilizados por exemplo para mumificação de cadáveres.

Neste período houve um desenvolvimento sistemático da teoria atómica, tendo


sido proposto o termo átomo por Demócrito ( 420 a.C.) - Átomo – partícula de
toda a matéria formadora do universo.

2.2.3. TEORIAS
Teoria dos elementos - procurava encontrar um elemento básico gerador de todas as
coisas. A água era o principal elemento segundo Teles
Anaxímenes - o ar é que constitui todas as coisas.
Anaximandro - a terra é componente principal.
Heraclo - o fogo é o principal constituinte de todas as coisas.
2.3. IDADE MÉDIA (476 - 1453)
Na idade média a prática química usada era a Alquimia.

No séc. II a. n. e., a alquimia formou-se como uma área especifica das ciências naturais,
tendo começado inicialmente na China e decorrido no império romano, em particular no
Egipto para mais tarde se desenvolver ate ao séc. XVI na Europa.
O característico da alquimia é o desenvolvimento de métodos e aparelhos químicos, que
permitissem transformar metais em ouro ou produzir uma medicina capaz de manter o
estado jovem no homem (principio de imortalidade).

Os alquimistas árabes na tentativa na tentativa de sintetizar o Ouro a partir de metais


baratos, desenvolveram técnicas mais avançadas de destilação, identificando muitas
outras substâncias químicas.
Explicou-se a possibilidade dos metais passarem do estado sólido (enxofre) para liquido
(mercúrio).
No século XVI concluiu-se que cada metal possuía características próprias e que não
podia ser transformado.

Na preocupação de obter o ouro a partir de outros metais apoiava-se em diferentes


teorias:
- Teoria dos elementos: baseada no pressuposto de que a matéria é constituída por um
elemento básico segundo Aristóteles.
_ Teoria de princípios: tem como pressuposto a conservação do Mercúrio (Hg) e
Enxofre (S) como dos dois
- Teoria da Matéria e vida - toda a matéria é viva e tem uma alma.

Os alquimistas apesar do seu insucesso trouxeram grandes inovações no mundo da


química:
- Invenção de materiais laboratoriais.
- Descoberta de vários processos químicos como: destilação, calcinação, cristalização,
filtração, etc.
- Escreveram os primeiros manuais sobre o conhecimento prático científico.
Outras investigações baseavam-se na crença de existência de um pó que poderia ser
usado para obter ouro, era a procura de Exil da vida que mais tarde chamou-se de Pedra
– filosofal, produto que alongaria a vida.
Na procura desta substância desenvolveram-se processos como:
- Destilação de ervas
- Preparação de óleo
- Fusão e cristalização de metais

2.3.1. ALGUMAS DAS SUBSTÂNCIAS DESCOBERTAS


NH4Cl (cloreto de amónio) e sua sublimação,
- Potassa ( ClCuC) - Composto por potássio, carbonato ou hidróxidos, ArS e Sulfatos.
- Por volta de século XIV e XVI mencionam-se factos sobre ácido sulfúrico (H2SO4),
amoníaco (NH3); água-régia e sua preparação.
- O álcool é industrialmente destilado na Europa por volta do século XII.
- Fabrica-se a pólvora em 1242, que foi estudado a sua mistura por: Becon, Van
Helmont, Santo Alberto Magno, Paracelço, Libávio e Glauber.
- Foram desenvolvidas varias técnicas da metalurgia e surgiram as primeiras industrias do
ferro ( Fe) século XIV.

2.3.2. ALQUIMISTAS MAIS IMPORTANTES


- Geber ( Sabir Lbn_ Hayan) século VII
- Roger Bacon ( 1212 - 1294)- estruturou a mistura que constituía a pólvora.
- Arnamde Ville Neuve (1240-1311)
NB: Esses alquimistas interessavam-se mais pela química médica.

2.4. Idade Moderna (XV – XVIII)

2.4.1. Principais Características


A humanidade evoluiu, para uma ordem sócio - económica, formando mundo moderno
em aspectos uma negação do mundo mediaval, embora ainda sem uma estrutura
amadurecida e sólida.

O século XV-XVIII é conhecido como período capitalista, devido ao surgimento de


modo de produção buscado na acumulação do capital e que historicamente consegue
fazer uma dissociação clara entre trabalhadores e meios de produção.
Na sociedade capitalista as relações de produção passam a ser trabalhador assalariado e
patrão - proprietário.

Entre os dois séculos há transição do período mediaval e a cidade contemporânea. É neste


período em que se verifica o surgimento de uma nova classe social – Burguesia, que no
princípio não era a classe dominante e só no fim se tornou a classe dominante devido a
independência dos Estados Unidos em 1776; a Revolução Industrial 1760-1850 e
Revolução Francesa 1779-1789.

Um dos marcos característicos deste período foi o inicio da colonização, este facto
contribuiu significativamente para os acontecimentos mais importantes deste período,
sendo o desenvolvimento da marinha como meio de transporte para a descoberta de
novas terras; a utilização de riquezas provenientes das colónias para a sustentação do
poder e economia da metrópole; concorrências comerciais e económicas entre as
metrópoles, o que permitiu um rápido crescimento económico; guerra entre metrópoles
disputando áreas de influências nas colónias e na economia dos países.
A teoria que funcionou como doutrina e condicionou a todos acontecimentos do século
XV-XVIII é o Renascimento.

2.4.1.1. Renascimento
É uma corrente de pensamento que teve como sua origem no século XIV criada por
intelectuais italianos e prolongou-se até o século XV e XVI. Neste período o
renascimento pressupunha ideias de despertar, ressurreição, renegação de passagem das
trevas à luz na literatura, nas artes, nas ciências no exército e na política.

O renascimento é conhecido como período de equilíbrio entre o idealismo e o realismo.


De entre os resultados de produções humanistas o elemento central é o humanismo em
oposição ao divino extra-terreno, como na idade média.
O Homem renascista preocupa - se em estudar o Homem e a natureza, assumindo uma
posição crítica sobre os fenómenos da natureza , e explicações racionais através da
ciência baseada na experimentação e na observação, assim destacam-se
fundamentalmente duas áreas do saber: Astronomia e Medicina.

2.4.1.1.1. Na Astronomia
Ano Cienista Trabalho realizado
1473-1543 Nicolau Copénica -Inicia a formulação da teoria heliocêntrica
1546-1601 Tycho Brache -Fez observações precisas sobre astros
1564-1642 Galileu Galilei - Completou a formulação da teoria
heliocêntrica
1571-1630 John Keepler -Propôs movimentos eléctricos dos astros
1642-1727 Isac Newton -Descobre lei de gravitação universal
2.4.1.2. Na medicina
Ano Cienista Trabalho realizado
1509-1590 Ambroise Paré -Propôs a laqueação em vez de centerização das artérias
para deter hemorragias.
1511-1553 Miguel Servet -Descobriu o mecanismo de circulação sanguínea
1514 - 1564 André Vesálio - Publicou o primeiro livro sobre anatomia humana
1578-1657 William - Descobriu circulação pulmonar pelas artérias e o
Harvey retorno do sangue ao coração pelas veias

Na literatura foram publicados obras de conhecimento teórico e prático do período da


antiguidade, reaparece a escrita livre de preconceitos religiosos traduzidos os escritos
filósofos e naturalistas grego - romanos que foram úteis par algumas ciências.
Os que mais destacaram - se foram: Luís Vaz de Camões, William Shakespeare e Tomás
Mora na Inglaterra; Cervantes, Maquiavel e Leonardo da Vinci na Espanha e Miguel
Ângelo na Itália.

2.4.2. Principais Conquistas


A estrutura sócio - económica deste período é caracterizada pela implementação do modo
de produção capitalista sustentado por uma nova classe social emergente,
economicamente forte e com ambições de controlar o estado e o governo. Determinou
todas esferas da vida social, económica, inclusive nas ciências com efeitos:

A burguesia investe nos meios de trabalho e no trabalhador, o que permite o


desenvolvimento das forças produtivas, com a invenção de maquinas , aparelhos
e instrumentos técnicos para a produção, facto este que contribui para o aumento
da produção e da produtividade e para o progresso das ciências através da
utilização de instrumentos e aparelhos aperfeiçoados.

Com as grandes viagens marítimas, os países europeus descobrem novas regiões


(África, Ásia e América) e fazem trocas comerciais.
Fortificando a burguesia e o sistema capitalista, pela obtenção da mais valia
destrói-se as bases ideológica do mundo mediaval o que cria o desenvolvimento
das ciências fora dos preconceitos religiosos.

A tradução de escritos dos estudiosos sábios e filósofos patrocinados por


burgueses permitiu que os europeus tivessem contacto de conhecimentos, o que
criou bases para o desenvolvimento de uma ciência mais objectiva.

As invenções tecnológicas feitas nas cidades permitiram o desenvolvimento de


várias técnicas de observação e experimentação com instrumentos e aparelhos
aperfeiçoados.

A burguesia financiou a formação de instituições revolucionarias na área das ciências


chamadas sociedades científicas, formadas na sua maioria no século XVII o que deu
novo impulso no desenvolvimento das ciências.

2. 4.3. Progressos Na Química


O progresso da química neste período era directamente relacionado com o impulso do
capitalismo emergente de uma esfera sócio - económica. Hegemonia financeira e
económica.
Os burgueses investiram e financiaram em duas linhas principais:
a) Produção de instrumento aparelhos e dispositivos técnicos para resolver problemas da
indústria emergente para aumentar a produção e a produtividade de materiais.
b) Realização de observação e experiências orientadas para a investigação e preparação
de novos materiais.

São estes aspectos que contribuíram para a formação de conhecimento práticos e teóricos
que fizeram a base para o surgimento da química como ciência e com objecto específico.
2.4.4. A Teoria Flogística

Becher e Stahl foram os fundadores da flogística. Essa teoria tinha como base os
ensinamentos da experiência, principalmente, com o trabalho intensivo nas minas e com a
tinturaria. Esta teoria, baseada no processo da combustão, durou cerca de 75 anos na
Europa.
O novo e importante nela teria sido a identificação do papel do carvão na redução de
óxidos metálicos e produção dos respectivos metais, donde Stahl viria a concluir que o
carvão doava qualquer coisa nova aos óxidos, que os transformava em metais. A essa
qualquer coisa ele denominou flogisto.
Ele via, de um modo lógico, que ao se oxidar o metal, por exemplo, qualquer coisa saía
dele e essa qualquer coisa voltava a combinar-se com o óxido metálico quando reagisse
com o carvão no processo de redução.
Assim, pode ver-se como o processo redox era inversamente interpretado e que este
significava, naquela altura, a separação do flogisto (a componente inflamável).
Apesar de falsidade de tais conclusões, a teoria flogística veio, de certo modo,
influenciar, pela primeira vez, o desenvolvimento da Química sob uma base corpuscular,
passando as reacções químicas a serem observadas como processos decorrentes entre
átomos, em que estes participavam como reagentes e que conduziam à formação de com
calcário, tendo dado ao gás libertado o nome de ar fixo.
O Pristley (1774) descobriu o oxigénio com base na decomposição térmica do óxido de
mercúrio. Independentemente deste, Scheele havia (1772) descoberto o oxigénio, sendo
porém a descoberta do cloro (1774), pela acção do cloreto de hidrogénio sobre o dióxido
de manganês a mais importante descoberta deste cientista.
Cavendish chegou mesmo a pensar (já que o hidrogénio é por si só combustível) que o
flogisto só poderia provir do metal.
Entretanto, pela união desse suposto flogisto com o oxigénio, Cavendish obteve “agua
como produto final, o que o levou a duvidar, em certa medida, se teria descoberto o
flogisto ou não.
As contradições da teoria do flogisto têm como base a tentativa de perceber as variações
das massas ocorrentes nos reagentes, bem como a conclusão de que os somatórios finais
seriam os mesmos.
Com Lomonossov foi diferente, pois este resolveu fazer a experiência de Boyle num
sistema fechado. Deste modo, foi descoberta a lei da conservação da massa por
Lomonossov, que a distendeu para a lei da conservação da força.
Entretanto, a experiência que mais espantou Cavendish foi a do gás fulminante entre o
hidrogénio e o oxigénio com formação da água. Isso levou a que ele concluísse que a
água não podia ser um elemento, pois formava-se a partir do ar inflamável e ar
desflogistisado.
Quem viria mais tarde a pôr termino às teorias do flogisto com base em experiências
sobre os fenómenos da combustão, seria Lavoisier, tendo, deste modo, contribuído para
definir melhor os conceitos elemento, composto, e daí derivarem os conceitos ácidos,
bases e sais, bem como a nomenclatura dos elementos e compostos químicos.

2.4.5. Iatroquimica

A Iatroquímica foi o primeiro sistema a romper abertamente com o galenismo. Ele foi
formulado na segunda metade do século XVII pelo holandês Franz de le Boe (Sylvius) e
pelo inglês Thomas Willis, que se basearam numa interpretação química dos processos
fisiológicos, patológicos e terapêuticos. Embora assente nas interpretações químicas de
Paracelso e dos seus seguidores, os iatroquímicos afastaram-se destes do ponto de vista
filosófico, rejeitando a Filosofia Química e apoiando-se antes nas correntes filosóficas do
seu tempo, como o cartesianismo, o atomismo e o indutivismo de Bacon. Aproveitaram
igualmente todos os avanços mais recentes no campo da Medicina, como a anatomia
baseada na dissecção de cadáveres humanos e a doutrina da circulação do sangue de
William Harvey (1578-1657).

Joan Baptista van Helmont (1579-1644) defendeu a existência de agentes químicos


específicos das doenças (archaei) contra a teoria do desequilíbrio humoral. Estudou a
digestão como processo químico.
Franz de le Boe (Sylvius) (1614-1672) elaborou uma Fisiologia baseada em processos de
fermentação e de reacções de ácidos e bases. Enfermidade como excesso de acidez ou
alcalinidade.

Thomas Willis (1621-1675) expôs teorias semelhantes às de Sylvius. Em Pharmaceutice


rationalis (1674-1675) procurou explicar a acção dos medicamentos.

2.4.6. Principais Cientistas Deste Período.


Ano Cientista Trabalho realizado Seu Impacto na
Química
-Principio de conservação da -Lei de conservação da
massa massa
Antoine -Principio para dar nome as -Nomenclatura racional
1743-1749 Lavoisier substâncias
- Demonstrou as propriedades dos
gases.
-Determinou o O2 e C, nas
substâncias orgânicas
Amadeu -Fez a relação entre volume duma -Lei de Avogadro:
1776-1856 Avogadro substância e a quantidade desta em
moles;
1627-1691 Robert -Experiências relativas a força do Lei de Boyle:
Boyle ar e seus efeitos
-Transmite a ideia sobre
a constituição dos
elementos e compostos
1766-1844 John -Criador da primeira teoria químicos , -Permitiu
Dalton atómica moderna esclarecer e prever
quatitativamente os
processos químicos.
1742-1786 Carl - Obteve o ácido tetraédrico e a -Síntese de substâncias
Wilhelm glicerina a partir do azeite orgânicas
Scheele
1743-1822 -Regra empírica: Entre
duas substâncias
Claude- -Formulou regra empíricas dissolvidas dar-se-á uma
Louis reacção completa (duma
Berthollet substituição ou
decomposição), todas
vezes que dela resultar
um produto solúvel ou
volátil.
1604-1670 Johann -Produz o sulfato de sódio -Descoberta de metais,
Rudolf -Amplia lista de metais e minerais. Ni, Mn,Mo,Te,W,Cr.
Glauber -Descoberta de minerais:
TiO2, ZrO2,Y2O3
1579-1644 Van -descobriu técnicas de -Descobriu seguintes
Helmot manipulação de gases gases: N2, e H2
1733-1804 -Realização de varias experiências -Descobriu os seguintes
Joseph . gases: CO,N2O5, NO2,
Priestly -Estuda gases SO2, Cl2, NH3.
-Estuda solubilidade carbónica na -Um dos fundadores da
água química moderna;
-Descobre a respiração nas plantas. -Obtém água gasosa
-descoberta de O2,N2,
1642- 1727 Isac - Ideia geral sobre a ligação entre -matéria e fenómenos
Newton os corpos na matéria químicos
1490-1541 Paracelso -Pesquisa da natureza dos -Teoria dos três
minerais; elementos: Sal(
-Pesquisas medicinais representado pela
cinza),enxofre, mercúrio
-Produção de
medicamentos
1797-???? Foureroy - Prova-se que forma-se éter por -desenvolve estudos na
desidratação química orgânica
1731-1810 - Determina densidade
Cavendih - Estuda Gases de vários gases
-Isolou o estudo de
hidrogénio que chamou
de ar inflamável;
-Demonstrou que a água
é composta de H2 e O2
em porções constantes;
1701-1744 Celsius - Invenção de termómetro - Nova forma de
centigrado medição de temperatura
1561-1625 Francis - Defende a ideia atomista e - Contribuiu para o
Bacon retomou para o estudo da matéria. estudo do átomo como
matéria
1592-1655 Pierre -Difundiu a teoria atómica da - Difusão da teoria
Gassendi mesma forma como foi elaborada atómica
na antiguidade
2.5.Idade Contemporânea (séc. XIX – ate aos nossos dias)

2.5.1. Visão Geral


Durante o século XIX a química renuncia a busca do absoluto seguindo - se no domínio
das leis de fenómenos naturais. Em meados deste século, a química já era praticada sem
fronteira por centenas de químicos com uma sólida informação desempenhando um
papel pioneiro na organização das ciências passando a exercer - se como uma profissão
remunerada exigindo formação prévia e estudo aprovado através do diploma.

Na formação do químico o trabalho experimental é reconhecido como necessidade, com


isso introduziu-se a escola politécnica com vista a trabalhos práticos obrigatórios mais
tarde Justus Von Liebig (1803-1873) inventa uma forma original “Laboratório -
Escola”. Segundo ele um bom químico é alguém que sabe ver, sentir, pensar em termos
de fenómenos que sabe guardar na memoria as sensações ligadas as experiências e aos
produtos que manipularam o passado”.

Ainda neste século a química já não era considerada como uma ciência auxiliar da
medicina, da farmacologia ou da geologia mas sim como um fim em si.
Essa mudança reivindicada por Venel, realizava-se na primeira metade do século XIX
sob a égide das categorias de pura e aplicada.

A química aplicada pressupõe a química pura, é por isso que a promoção da química
como ciência útil ao serviço da indústria, da agricultura ou da saúde, beneficia tanto a
comunidade de académicos químicos assim como os empresários.
No final do século XIX esboça-se outra profissão cujo objectivo é racionalizar a pesquisa
industrial. Havendo necessidade de criar um certo distanciamento em relação as
categorias puras e aplicadas, que dominam o discurso dos químicos neste século a
separação destas duas categorias permite apresentar a química científica como um
empreendimento original organizado em torno do pólo da formação.
A partir do XX século notabilizou-se pelos inúmeros avanços tecnológicos conquistados
da civilização e reviravoltas em relação ao poder. No entanto esses anos podem ser
descritos como época de “grandes massacres” já que nunca se matou tanto como nos
conflitos ocorridos no período. Em muitos países da Europa e da Ásia, o século XX
também foi largamente apelidado de “século sangrento”.

O respeitador historiador Eric hosbsbawn considera de maneira figurada, o século XX


como período entre a eclosão da primeira guerra mundial em 1914 e o colapso da URSS,
em 1991; Ele chama este período de era dos extremos.

No século XX assistiu - se uma mudança notável na maneira como um vasto número de


pessoas vivia como resultado de inovação tecnológica, medidas sociais ideológicas e
políticas. Termos como ideologia, guerra mundial, genocídios e guerras nucleares
entraram em uso comum e tornaram-se uma influência nas vidas quotidianas das pessoas.
As tendências de mecanização de bens e serviços e redes de comunicação global, que
haviam sido iniciadas no séc XIX, continuaram em crescimento cada vez mais acelerado
no século XX. No que diz respeito ao terror e ao caos, o século XX assistiu muitos
atentados á paz mundial.

Descobertas científicas, como a relatividade e a física quântica, mudaram radicalmente a


visão do mundo dos cientistas, fazendo com que eles percebessem que o universo era
muito mais complexo do que eles haviam acreditado inicialmente, e acelerando as
esperanças de que, ao final do século precedente, os últimos detalhes do conhecimento
estavam por ser preenchidos.
2.5.2. Características Sócio - económicas, Politicas do Período

2.5.2.1. Guerras e Políticas


Nações democráticas começaram a estender privilégios de voto a todos os adultos.
Crescimento do nacionalismo e da percepção nacional estiveram entre as causas
da I Guerra Mundial, a primeira das duas guerras que envolveram todas as
grandes potências mundiais incluindo Alemanha, França, Itália, Japão, EUA e a
Commonwealth. O resultado político e económico desta guerra levou ao
crescimento de Fascismo e do Nazismo na Europa e rapidamente à II Guerra
Mundial.
A queda do comunismo no final dos anos 80 libertou a Europa do leste e central
da supremacia Soviética. Isso também levou a fragmentação da União Soviética e
da Jugoslavia em muitos estados, alguns com grande rivalidade ética e deixou os
Estados Unidos como a superpotência mundial.
O final do colonialismo levou a independência de muitos países africanos e
asiáticos. Durante a Guerra fria muito desses se aliaram com os E.U.A, a URSS
ou China para defender-se.
A criação de Israel, um estado judaico em uma região do mundo da maioria árabe,
gerou muitos conflitos o que foi também influenciado por vastos campos de
petróleo em muitos dos países árabes.

2.5.2.2. Ciência e Tecnologia


A linha de montagem e de produção em massa de veículos motorizados e outros
bens permitiram aos fabricantes produzir mais produtos por custo muito menor.
Isso permitiu ao automóvel tornar - se o meio de transporte mais importante.
Crescimento de tecnologia de mídias de massa como filme, rádio, a televisão, a
internet, o telefone através da electrónica aplicada que permite a comunicação de
mensagens políticas e entretenimento com impacto sem precedentes.
Na agricultura - desenvolvimento de fertilizantes de nitrogénio, pesticidas e
herbicidas, resultando em maior produtividade.
Avanços em física fundamental através da teoria da relatividade e mecânica
quântica levaram ao desenvolvimento de armas nucleares, o reactor nuclear e o
laser.
Estudo extensivo da energia através da fusão, mas permaneceu como um
experimento tecnológico ao final do século.

2.5.2.3. Doença e Medicina


A disponibilidade e qualidade da medicina melhoraram de forma espontânea.
Doenças epidémicas continuaram a se espalhar, aliadas as modernas formas de
transporte. Uma pandemia de influência, a gripe Espanhola, matou 25 milhões
entre 1918 à 1919, enquanto a AIDS que ainda não tem cura, matou e continua a
dizimar pessoas no mundo inteiro e os tratamentos permanecem muito carro para
uso em larga escala nos países em desenvolvimento.
Drogas contracepção/contraceptivas e transplante de órgão foram desenvolvidos.
A descoberta de moléculas de ADN e o advento da biologia molecular permitiu a
clonagem e a engenharia genética.

2.5.3. Grandes Acontecimentos Deste Período


O século XX foi marcado por um período de mudanças, com invenções como a lâmpada,
o automóvel e o telefone no final do século anterior.
A qualidade de vida aumentou para muitos juntamente com tais progressos tecnológicos.
Na Europa o império britânico alcançou o ápice do seu poder.
Alemanha e Itália que passaram a existir como nações unificadas no final do século XIX,
trataram de crescer em poder, económica e influência. Com o nacionalismo a toda força
nesse momento, as potências europeias competiram entre si por terras, força militar e
poder económico.
A Ásia e África para a maioria ainda estavam sob o controlo de seus conquistadores
europeus. Excepções existiram, contudo, como na china e no Japão.
Além disso o Japão e a Rússia estavam em guerra entre si em 1905.
A guerra Russo - Japonesa foi uma das primeiras instâncias de um potencial europeu
caindo perante uma assim chamada “Nação Inferior”.A própria guerra reforçou o
militarismo japonês e desenvolveu o crescimento de status do Japão por poder no cenário
internacional.
Os estados unidos era a potência industrial líder no mundo em termos de produção. Eles
tiveram grandes ganhos políticos económicos por volta de 1900. Agora com crescimento
na imigração e uma resolução de uma questão de unidade nacional através da sangrenta
Guerra Civil americana, os estados unidos estavam surgindo também como uma usina de
força industrial, rivalizando com a Grã-Bretanha, Alemanha e França.

2.5.4. Acontecimentos na área Química.

A química no século XX foi voltada essencialmente para o entendimento da composição


e da estrutura da matéria como meio de entender o porquê das suas propriedades.

Nos primeiros anos, o tema que dominou as ciências básicas foi a compreensão do
átomo.
O desenvolvimento da teoria atómica culminou com a produção de bomba atómica no
inicio dos anos 40. A explosão da bomba atómica foi um experimento decisivo para a
verificação do modelo atómico.

A seguir o interesse central voltou-se para a compressão das ligações entre os átomos
para a formação das moléculas, isto é, de conjuntos de átomos intimamente ligados que
mantêm as características de uma substância.

A partir dos anos 70 a preocupação central passou a ser a síntese de compostos com
propriedades especiais.

As descobertas anteriores permitiram a compressão das propriedades dos materiais e


então, com a necessidade de optimização destas propriedades tornou-se necessárias a
síntese de outros produtos que apresentassem a propriedade desejada em alta intensidade,
consumido pouco energia e gerando o mínimo de subprodutos poluentes.

Segundo o Instituto da Química de São Carlos da Universidade de São Paulo, neste


século observa - se um deslocamento da química em duas direcções importantes.
Uma delas é a química voltada para a síntese de novos materiais, visando o
desenvolvimento tecnológico e industrial. E a outra direcção é voltada para a biologia
para a compreensão dos sistemas vivos, para o desenvolvimento da biotecnologia e que
um leque enorme de possibilidades, relacionadas por exemplos - com a cura de inúmeras
doenças graves.

2.5.4.1.- Revolução Industrial


1855: Bassemer – Cria o conversor para a fundição do aço (metal com melhores
propriedades que o ferro) a ser usado na maquinaria, na Construção civil – edifícios e
pontes, e nos Transportes – caminhos de ferro e barcos

1859: Bissel e Sillimans – Constituem então, uma nova empresa - Seneca Oil Company,
com finalidade de explorar bacias sedimentares na região de Titusville, no noroeste da
Pensilvânia.
O encarregado das actividades era Edwin Drake, conhecido como Coronel Drake, que
em 27 de Agosto de 1859 fura o primeiro poço de petróleo a 21 metros de profundidade,
nas planícies do estreito vale do Córrego Oil. Este feito cria bases para seu uso como
fonte de energia, que mais tarde substitui o carvão até então utilizado.
Além da dinâmica de vida pode se falar também da diminuição da poluição pelo
CO/CO2. Esta data é considerada o marco inicial da indústria moderna de petróleo. (API,
1998; YERGIN, 1990).

1866: Alfred Nobel – Cria industrialmente a dinamite para sua utilização na construção
civil. O uso de dinamite acelerou o processo na construção civil que aumentou a
economia do tempo. Actualmente usa-se também nas minas de extracção de ouro por
exemplo: Na África do Sul.

1869: Grãmme – Cria o primeiro dínamo eléctrico. Este feito marcou um passo
galopante uma vez que o Homem passa a ter , além do petróleo, mais uma fonte de
energia . Cria também bases para o surgimento de uma vasta gama de eventos que
dependem directamente da energia eléctrica . Ora vejamos:

Em 1876 a Sienens – Alemã; Cria a primeira locomotiva eléctrica, a Lâmpada eléctrica


por Edison, depois se desenvolve a industria de material eléctrico pela Philips-Holanda
e Sienens. Estes feitos revolucionaram muito mais a área de transporte, visto que reduziu
o tempo que se gastava para se deslocar. Actualmente é possível viajar dum canto do
globo terrestre ao outro “num abrir e fechar do olho”.

Em 1883 – É construída a primeira linha de transporte de electricidade à distância.


Possibilitou que se distribuísse a corrente eléctrica por vários sítios, condicionando assim
o benefício mútuo.

Em 1886: Aimler – Inventa o primeiro motor de explosão para o funcionamento de


automóveis
Este feito vem a se aliar ao grande êxito da Sienens e Philips (1876).

1897: Otto Diesel- Utiliza o motor a óleos pesados Diesel para o motor de explosão de
Aimler no funcionamento de automóveis.

Em 1900: Invenção de alternador e transformador de electricidade. Depois da descoberta


da corrente eléctrica, o Homem defrontava-se com o problema de controlo, regulamento e
quantificação da corrente necessária para uma determinada máquina. Com este feito
elimina-se por completo esta demanda.
Durante a segunda fase da revolução industrial, a industria química é baseada na
invenção, produção e utilização de muitos produtos alimentares pela descoberta de
enxofre ( S), fosfatos ( PO43-), nitratos ( NO3-), corante sintéticos, etc.

Como se pode notar, a invenção do dínamo eléctrico abriu campo para várias pesquisas
desenvolvimento de actividade que impulsionam o desenvolvimento sócio - económico.

2.5.4.2. A Química Orgânica

1828 Frederic Woher ( 1800 - 1882) -Propôs a primeira síntese de compostos


orgânicos a partir de uma substância inorgânica, convertendo o Cianato de amónio em
ureia.
Sintetizou Al, Be, Y,Ti. Este feito demonstrou a inexistência da força vital. Serviu de
estimulo a pesquisa da química orgânica mostrando que não havia separação total entre
esta e a química mineral.

1858: Kekulé (1829-1896) e Couper – Propuseram a teoria estrutural dos compostos


orgânicos .
Resolveram assim o problema que vinha se arrastado a um tempo atrás, da existência de
composto que possuíam a mesma fórmula molecular, mas que tinha propriedades
diferentes.
Representam como é que os átomos se dispõem estruturalmente entre si. ( ALLINGER et
al. 1972 : 12)

1863 Berthelot: (1827-1907) - Fabricou o acetileno combinando directamente carbono e


hidrogénio no seu “ ovo eléctrico”.
1874 : J. Vant Hoff, Holandês ( 1852-1911)- Propôs que as quatro valências do carbono
estavam dispostas tetraédricamente. Propôs que os compostos orgânicos podiam ter uma
estrutura tridimensional e assimétrica.

2.5.4.3. Compostos organometálicos

1847: Edward Frankland ( 1825 – 1899) – Descobriu os compostos organometálicos.


Estes compostos constituíram um argumento concreto em favor da reunião da química
orgânica e mineral na altura em que a separação era evidente. Constitui também ponto de
partida para a teoria de valência e introduziu este termo em 1852.

2.4.5.4. Classificação Dos Elementos


As primeiras classificações mais gerais dos elementos que serviriam de base para a
formulação dos elementos começaram no século XIX. Os principais cientistas que se
destacaram na formulação da actual classificação dos elementos, são:

1813 – 1814: Berzelius (1779-1848) – Propõe um novo sistema de atribuição de


símbolos aos elementos a partir da primeira letra do nome latino do elemento. Este
sistema ate hoje é usado para dar nome aos elementos e compostos químicos.

1817: John Newlands (1838 - 1898) - Anunciou a lei das tríadas –

1869: Mayer (1830 – 1895) e Mendelev ( 1834- 1907) Expuseram a tabela periódica
dos elementos baseados no peso atómico, deixando espaços vazios para elementos que
ainda não tinham sido descobertos ( BERNADETTE E STENGER; 1996: 198)
A estruturação da tabela periódica ficaria condicionada a descoberta dos gases nobres, o
primeiro foi 1895 (O Argon) e ao estudo da estrutura do átomo, portanto dependente do
estudo de métodos da física.

1871: Mendelev (1834 - 1907) - Ilustra diferença entre elemento e corpo simples. Esta
distinção implicou uma “ reorganização completa no panorama conceptual da química”.
Como o seu trabalho “ Fundamentos da química “ toda a Química Inorgânica foi exposta
a partir do ponto de vista da lei periódica.

2.4.5.5. Estrutura Atómica


Depois da retomada a idade da descontinuidade da matéria o século XVIII é a partir do
século XIX que se utiliza esta ideia para o estudo das partículas que compõem os átomos.

1808: John Dalton (1766-1844) Publicou a sua teoria atómica Segundo Dalton:

Átomos de elementos diferentes possuem propriedades diferentes entre si.


Átomos de um mesmo elemento possuem propriedades iguais e de peso
invariável.
Átomos são partículas maciças, indivisíveis e esféricas formadoras da matéria.
Nas reacções químicas, os átomos permanecem inalterados.
Na formação dos compostos, os átomos entram em proporções numéricas
fixas 1:1, 1:2, 1:3, 2:3, 2:5 etc.
O peso total de um composto é igual à soma dos pesos dos átomos dos
elementos que o constituem.

1897: Joseph John Thomson (1856-1940) - Propôs o seu modelo atómico. Propunha
então que o átomo não fosse maciço (como havia afirmado John Dalton), mas sim um
fluído com carga positiva (homogéneo e quase esférico) no qual estavam dispersos (de
maneira homogénea) os electrões. Esse modelo atómico ficou conhecido como "pudim de
passas" ou "pudim de ameixas", em que a massa do pudim seria positiva e as passa
seriam as partículas negativas.

O progresso no estudo da estrutura do átomo deveu - se a utilização de métodos físicos e


químicos no estudo da estrutura da matéria, pois esta possui propriedades físicas e
químicas.

O estudo da electricidade e da radioactividade é que determinou o conhecimento da


estrutura dos átomos.
2.4.5.6. Radioactividade

1896: H. Becquerel (1852-1908) – Físico francês detectou pela primeira vez o


fenómeno de radioactividade nos compostos de Urânio. Este feito abriu nova área de
pesquisa dos químicos da era.

1898: Maria Curie - (1867-1934) e seu esposo Pierre Curie (1859 -1906) -
Descobriram nos minerais de urânio dois novos elementos radioactivos que foram
chamados (segundo sua proposta) Polónio e Rádio.
Graças aos seus trabalhos, após a morte do esposo, sobre estudos dos elementos
radioactivos M. Curie em 1910 obteve pela primeira vez rádio metálico como prémio.

1807: H. Davy (1778 – 1829) – Sugere a medida de força electromotriz para avaliar a
capacidade de reagir.

2.4.5.6. Ligação Química


As diferentes teorias de modelos de ligação química, a sua formulação dependiam do
acontecimento da estrutura atómica, momento do estudo, pois estes constituem a parte
mais exterior do átomo.
1807: H. Davy (1778 – 1829) – Enunciou a natureza eléctrica da ligação química
partindo do principio que as moléculas se formam pela atracção electrostática de átomos
com cargas opostas.

1812 – 1818: J. Berzelius (1779 - 1848) – Elaborou a teoria da ligação química


segundo a qual todos os átomos possuem pólos positivos ( electropositivos) e negativos
(electronegativos).
Estas teorias de Davy - Berzelius, apesar de todos os seus defeitos introduziram uma
ideia racional sobre a origem eléctrica das forças que constituem a ligação química.

2.4.5.8. Estudo das Soluções

O estudo das soluções permitiu avanço no estudo da estrutura da matéria e no estudo do


fenómeno químico com base em regularidades. Assim:

Em 1874, prova - se que a corrente eléctrica não provoca a dissociação como se pensava
mas sim dirige os electrões para os eléctrodos.

Em 1878 F. M Reroult (1830 - 1901) e W. Pfeffer (1845 – 1920) mostraram que na


solubilidade separam - se as moléculas orgânicas uma das outras.
- Observou - se que não se aplicava aos sons e no estado de pressões osmóticas.

Entre 1884 - 1887: S. Arrhenius (1858 - 1927) -Mostrou como calcular o grau de
ionização a partir da condutibilidade eléctrica de um eléctrodo não totalmente dissociado.
Esta teoria foi divulgada por W. Ostawald.

W. Nerst (1869 – 1941) Desenvolveu-se a teoria de Ostward e em 1889 introduziu a


noção do produto de solubilidade, permitindo calcular as precipitações das soluções.

As principais Conquistas da Química no século XIX


Hipótese de Dalton:
1804: John Dalton (1766 -1884) - Formulou uma hipótese que identifica os corpos
simples com átomos.

Usando a lei de Proust (proporções definidas) como base e de uma nova hipótese
atómica, sugere que as contribuições químicas se fazem por unidade discretas, átomo por
átomo e que os átomos de cada elemento são idênticos.

2.4.5.9. Lei dos Gases


1808: Joseph Gay-Lussac - anuncia que volume de gases que se combinam
quimicamente está em proporções simples.

1811: Amadeo Avogadro (1778 - 1856) Físico: levanta a hipótese de nas mesmas
condições de Temperatura e pressão, volumes iguais de gases diferentes conterem o
mesmo número de moléculas.

1846: Thomas Graham, escocês (1805-1869) Expôs a sua lei dos gases e com base na
qual introduziu o método de diálise para separar por difusão de coloídes dos cristalóides.
Descobriu a solubilidade de H2, no Paládio.
1877- Introduziu a noção de molécula tal como é hoje entendida, aperfeiçoada deste
modo a teoria de Dalton, que não fazia uma distinção clara entre átomo e molécula.

Vladimir Vernadsk (1863 – 1945) Esclareceu os processos de formação dos minerais e


estudou a composição de crosta terrestre. Estes trabalhos serviram de base científica para
o desenvolvimento da industria dos metais raros na URSS.

2.4.6. Principais Cientistas, Trabalho Realizado e o Seu impacto Na Química.

Ano Cientistas Trabalhos realizados Impactos na química


1900 Max -Teoria quanta -Fez com que servisse
Planck pressuposto na idealização de
(1858-1947) certos modelos atómicos.
1900 Irene Joliot- -Descobre o Rádon( derivado - Enriquecimento da tabela
Curie
do rádio) periódica na família dos gases
nobres ( MAGALHÃES.,at
al,s/d, Pg88)
1903 -Descobre o núcleo -Enriqueceu a teoria atómica
1905 - Teoria da relatividade -Esclarecimento do efeito
Ernest
Relação entre massa e energia fotoeléctrico, denominação
Rutherford
( e = m.c2) foton para o quanto da energia
(1858-1937)
1911 -Elaborou o modelo atómico: -Enriqueceu a teoria atómica
átomo formado por núcleo com mais um modelo atómico
muito pequeno, com carga
positiva onde estaria
concentrado toda massa e ao
redor ficariam os electrões,
neutralizando a carga
1912 Henry G. J. -Existência da relação entre o -Relação entre Z e a
Mosiliey número atómico dos constituição do átomo
elementos e a frequência dos
Raios X produzidos
1912 Antonius J. -Apresentou hipótese de que -Criou um interesse no
Van den o número atómico era igual ao reconhecimento das relações
Broek número de cargas positivas do existentes entre o número
núcleo atómico e número de protão no
núcleo
1913 Niels Bohr -Criou a primeira teoria -Distribuição electrónica em
moderna da estrutura do níveis de energia
(1885-1962)
átomo
1916 Sommerfel -Modelo das orbitais elípticas -Introdução dos subníveis de
d para o electrão. energia
(1868-1951)
1919 Ernes - Transmutação de elementos -Estipulou as bases para a
interpretação da estrutura
atómica.
1923 Johannes -Formulou teorias referentes a -Deu uma visão a cerca das
Nicolau ácido e bases 2º a qual, uma soluções
Bronsted solução é ácida quando emite
(1877-1947) o ião H+ e básica o ião OH-.
1923 G. N. Lewis -Um ácido contém um átomo -Deu uma visão acerca das
(1875-1946) receptor de electrões; uma soluções.
base um átomo que pode dar
electrões.
1923 Svante A. -Formulou e desenvolveu a -Interpretar a electrolise e
Arrhenius importantíssima teoria da justificar a aparente excepção
(1859-1927) dissociação electrolítica. que fazem as soluções dos
electrólitos às leis que regem
os fenómenos coligativos
Explicar sobre a cor das
soluções dos sais.
O porquê de muitas reacções
se darem entre substâncias
dissolvidas, formação de iões.
1925 Wolfgang -Enunciar o principio de -Fórmula para o
Pauli( exclusão Preenchimento das orbitais
1900-1958) atómicas
1926 -Publicou o seu modelo de -Modelo atómico actual
Erwin estrutura atómica
1927 Schrodinge -Equação de função de onda -Probabilidade da localização
r para o electrão do electrão Cálculo de energia
(1887-1961) de vários estados e
probabilidades de presença das
partículas
1927 Werner -Enuncia o principio da -Não seria possível determinar
Heisenberg incerteza simultaneamente e com mesma
(1901-1976) elevada precisão a posição e a
velocidade das partículas
1928 Linus -Demonstrou em parte das -Clarificou a natureza das
Pauling ligações químicas através da ligações químicas
(1901-1994) hábil da teoria quântica
1930- Chadwick, -Conduzem uma série de -Permitiu o reconhecimento de
1932 Both (1891- experiências que leva a mais uma partícula subatómica
1974)e descoberta do neutrão
Becker
1897 – Irene e -Descobrem a radioactividade -Permitiu a realização de certas
1956 Frederic artificial experiências confirmativas no
Joliot- ramo da química, como os
Curie raios X.
(1900-1958)
1938 Hahn e -Descobrem a fissão do -Permitiu o desenvolvimento
Strassmann núcleo pesado ( urâneo) sob a da teoria da desintegração
acção do anticorpos
1940 Linus A teoria da estrutura e a
Pauling formação de anticorpos
(1901-1994)
1953 Waston e -Descoberta da Estrutura do
Crick ADM
1963 Murray -Descobre o primeiro dos seis -Mostrou as partículas pelas
Gell- Mann quarks, particulas que quais constituem as partículas
constituem o protão e o subatomicas pesadas
neutrão.
Gilbert -Representação química da -Representação espacial das
Newton, estrutura molecular moléculas.
Lewis

2.4.7. Elementos Descobertos Desde o Século XX aos Nossos Dias

Ano Elemento Cientista


1952 Férmio Ghiorso
1915 Mendelévio Ghiorso, Herven, Choppin, Thompson e Seaborg
1958 Nobelio Ghiorso Sikeland e Waltone Seaborg
1961 Lautrêncio Ghiorso, Keland, Larsh e Latiner.
1911 Háfio Urbain
1964 Kurchatóvio Grupo de cientistas soviéticos.
1967 Háhnio Equipe de de cientistas soviéticos flexov
1907 Lutécio Urbain
1940 Neutino Edwin, Mattinen, philip Alberton
1940 Plutonio Mc Milan, Joseph e Wahl
1944 Américo Seaborg, Leon Morgan e Alberto Ghirson
1944 Cúrio Alberto Ghirson e james
1950 Californio Alberto Ghirson, Seaborg e Thompson
1952 Einsteinio Alberto Ghirson
1913 Protoatinio Kazimir fagans, Sir Frederick Soddy.
3. Bibliografia

a) BENSUADE, B. & STRANGERS, I.História de Química. Lisboa: Instituto


Piaget, 1992.
b) MAAR, Juergen Heirinch, Historia de Química. Florianópolis: conceito editorial,
2008