Você está na página 1de 29

O poder do Desporto

na inclusão

Fernanda Borges
09-09-2020
Cativar os alunos para a prática desportiva
Captar para o Desporto
• Atletismo
• Ginástica • Desportos Coletivos
• Atividades Rítmicas
• Desporto de raquetes
Modalidades • Natação
• Golfe
• Orientação
Desportivas • Luta
• Tiro com Arco
• Hóquei - Unihockey
• Kin – ball
• Frisbee
 Basquetebol – Cesto com os Arco
 Andebol Sentado - Voleibol Sentados
 Campo Minado – Olhos Vendados
Situações aprendizagem  Orientação – Exploração de espaço escolar
Exercícios diversos  Jogos de estafetas – material variado (fácil apreensão)
 Circuito Gímnico / Circuito do Atletismo
 Jogos de cooperação
 Tiro com Arco Sentados
 Jogos de lançamentos de objetos sentados
 Paraquedas – paraquedas aos pares
 Treino Funcional – Ritmo de realização individual
Adaptações Curriculares
• adaptar objetivos
• adaptar conteúdos

• Regras
• Materiais
• Exercícios – Progressões pedagógicas
Modelos Organizativos

 abordar as modalidade uma programação centrada no desenvolvimento continuo do jovem,


com práticas diversificadas e com uma oferta alargada de situações e tarefas de aprendizagem

 modelos de dinamização das modalidades que estejam intimamente relacionados com


um clima motivacional

 uma abordagem diversificada e criativa, é um requisito essencial e fundamental para a


captação de jovens, possibilitando-lhes sucesso e motivando-os para a prática

 uma abordagem que não dissocia o desenvolvimento das habilidades, do convívio e da


festividade
• O ato de planear respeita várias etapas, sendo fundamental para o
processo uma programação.
• Definir quais as metas, nomeadamente após uma avaliação inicial do
grupo e mais concretamente do aluno com limitações motoras
• Esta programação deve ter presente as diferentes fases de
crescimento dos jovens, diversificando a oferta respeitando o
desenvolvimento motor e o desenvolvimento da aprendizagem das
técnicas da modalidade para as diferentes faixas etárias.
Modelo 1 - Base no Modelo de Educação Desportiva
(MED)
• O objetivo central é uma estrutura organizativa que permita que todos os alunos
possam assumir e desenvolver papéis específicos conforme as suas aptidões e
preferências

Tem como base uma aprendizagem centrada numa pedagogia cooperativa


(desportos coletivos e individuais)

Quando se opta por esta dinamização, podemos dizer


que se rompe com os modelos tradicionais de
aprendizagem e podemos falar em 3 fases bem
distintas:
1ª fase - definir os papéis dos alunos, e a organização dos grupos Inclusão

2ª fase – o professor/treinador assume um papel de gestor e de controlo das


atividades e dos papéis, intervindo sempre que necessário e pertinente
Especial atenção ao grupo que integra os jovens com mais limitações motoras

3ª fase – o objetivo é que os alunos/atletas já conseguiam ser autónomos e


capazes de desenvolver cada uma das suas tarefas, num trabalho de equipa efetivo
Propostas para os diferentes papeis:

• Capitão – assume funções de orientação da equipa


• Treinador e Treinador / Adjunto – responsáveis pela dinamização das tarefas
• Juiz – apoia na organização da atividade e é responsável pelo registo dos resultados
quando proposto na tarefa;
• Imagem – gere os equipamentos e a imagem do grupo (logotipo, Slogan, Cor das
equipas)
• Atleta – o aluno/atleta que representa a equipa e treina em estreita cooperação com
os seus colegas para um bom desempenho da equipa
• Repórter - responsável pela entrevistas aos colegas, reportagem fotográfica
• - Elaborar uma caracterização do grupo em função do número
de alunos, idades, géneros;

• - Aferir o Nível de aptidão motora e as motivações;

• - Definir o número de aulas/ treinos e a duração dos mesmos;

• - Elaborar uma lista de material disponível;


O professor / treinador
deve: • - Definir as Estações de trabalho.

• - Estabelecer as transições e rotações entre as Estações;

• - Proceder à escolha dos exercícios das progressões .O


recurso aos cartões das progressões permite, também, optar
por níveis diferentes dentro da equipa; (cartões que se
encontram numerados por níveis)
 Este modelo permite proporcionar uma aprendizagem mais contextualizada

 Para isso é necessário organizar a Época Desportiva – Planificação

 Essa planificação passa pela escolha os exercícios mais apropriados para os jovens

Definir exatamente as metas


Exemplo de quadro de Turma

FUNÇÕES NOME COR GRITO LOGÓTIPO LEMA


Equipas Nomes
EQUIPA 1 Treinador GAIA FC Branco “Juntos Vencemos” “Um por todos e
Capitão todos por um”
(coletes)
Juiz
Jornalista
Jornalista
EQUIPA 2 Treinador INCAPAZES DE (coletes) “Campeões “Incapazes de
Juiz PERDER seremos” perder sempre a
Jornalista vencer”
Capitão
Jornalista
EQUIPA 3 Treinador F.C.STREET (coletes) “Quem é que nós “Unidos para
Capitão somos? Alexandre, Vencer”
Jornalista Inês, Ana, Diogo e
Jornalista Ellem”
Juiz
EXEMPLO - Grelha de Observação/ registo (Professor)

Nome Cooperação
Pontualidade/ Apresentação Desempenho
(Trabalho de Fair-Play
Das Equipas Assiduidade (Equipamento) Motor
equipa)

GAIA F.C.

INCAPAZES DE PERDER

F.C. STREET
EXEMPLO - Grelha de Observação/ registo (Professor)

Data : ___/___/___ Aula nº: Disciplina: LP___ TS ___ CB___ Estafetas___


MED – Turma

Capitão Treinador Juiz Repórter Outro

Nome
dos alunos

Avaliação
Modelo 2 – Quadro de Provas – Competição

Essencialmente a organização das aulas, têm como referência as metas estabelecidas para cada
momento do quadro competitivo. Tendo presente os desafios propostos para cada momento
competitivo, o professor deve organizar as suas aulas / treinos do DE de forma a dar resposta a
esses mesmos desafios.
professor deve:

Proceder à escolha dos


Elaborar uma caracterização
Formar grupos de equipas, exercícios das progressões
do grupo em função do Apresentar a Ficha de de
por nível de aptidão motora para cada equipa, tendo em
número de alunos, idades, tarefa
e motivações vista as provas a realizar
géneros

Deve ser claro, objetivo e


Organizar uma competição
garantir o sucesso individual Elaborar lista de material
com utilização das
e coletivo do grupo disponível
respetivas fichas
Quadro de Progressões - Exemplo Esquema

S1 a) - Saltos com corda com diferentes tarefas


 A dois pés, a um pé, alternando os pés de apoio, com um ou mais saltos por giro da
corda, com rotações, etc
 Minimizar a flexão os joelhos em cada apoio (ser elástico

S1b) Corridas com corda


 Alternando a altura de elevação dos joelhos
 Alternando a amplitude e frequência do passo (ritmo)
 Possibilidade de realizar estafetas com estas tarefas
SALTOS

S1c) Saltitares sem deslocamento


 Realizar series de saltos de 5 a 20 saltos
 Com apoio simultâneo dos pés
 Procurar saltar de forma elástica, reduzindo o grau de flexão dos joelhos
Ação pendular dos braços; movimentos ativos, enérgicos coordenados com a ação de saltar
(ajudar o movimento)

S1d) Saltitares laterais


 Saltos a pés juntos, transpondo lateralmente um obstáculo baixo (10 a 20 cm)
 A altura do obstáculo será adequada ao nível dos alunos
Progressões – Cartões
Quadro de Progressões- Exemplo

Conteúdos Exercícios Descrição Esquema

Duas equipas cada qual com 1 capitão (jogador fixo), colocado dentro do arco na
linha de 6 metros; Os alunos deslocam-se livremente passando a bola entre si,
pontuando quando passar a bola ao seu capitão. Este deve agarrar mantendo os
Ex. 1 – Bola ao capitão dois pés dentro do círculo. Cada vez que uma equipa executa passes consecutivos
sem deixar cair a bola no solo e passa ao seu capitão ganha 1 ponto. Não é
permitido dar mais de 3 passos com a bola na mão, bater e empurrar os
adversários.
Passe/receção

Dois alunos com bola executam passe (picado) / receção entre si em


Ex. 2 deslocamento na direção da baliza. Na zona próxima da linha de 6 metros, um dos
alunos remata.

Alunos dispostos em duas colunas frente a frente; O 1º aluno da coluna A


Ex. 4 (amarelos) executa passe para o 1º aluno da coluna B (Verdes) e desloca-se em
corrida para o fim da coluna B, e assim sucessivamente.

Grupos de 3 alunos colocados em forma de triângulo executam passes entre si,


frontais e na diagonal.
Ex. 5
Variante: 1. Quem não tem bola foge dos colegas; 2. Após passe correm para onde
passaram a bola.
Progressões – Cartões
Passe / Receção P1 Passe / Receção P2
Duas equipas cada qual com 1 capitão (jogador fixo), colocado dentro do arco na linha
de 6 metros; Os alunos deslocam-se livremente passando a bola entre si, pontuando Grupos de 3 alunos colocados em forma de triângulo executam passes
quando passar a bola ao seu capitão. Este deve agarrar mantendo os dois pés dentro entre si, frontais e na diagonal.
do círculo. Cada vez que uma equipa executa passes consecutivos sem deixar cair a
bola no solo e passa ao seu capitão ganha 1 ponto. Não é permitido dar mais de 3 Variante: 1. Quem não tem bola foge dos colegas; 2. Após passe correm
passos com a bola na mão, bater e empurrar os adversários para onde passaram a bola.
QUADRO COMPETITIVO - Exemplo
Escalão/ Més Novembro (Ficha 1) Janeiro (Ficha 2) Fevereiro (Ficha 3) Abril (Ficha 4)
Lançamento frontal de BM a 2 mãos Lançamento de BM a 2 mãos, a partir da posição Lançamento do peso a partir da posição de Lançamento do vortex com balanço
de força força
Penta salto com corrida curta (cones separados a Penta salto com corrida curta (cones separados a Penta salto com corrida curta (sem Penta salto com corrida curta (sem
Infantil A diferentes níveis) diferentes níveis) cones) cones)
Velocidade “vai e vem” 30 m (um percurso em Velocidade “vai e vem” 30 m (ida em Velocidade “vai e vem” 40 m (ida em Velocidade; 40 m
slalom) frequência) frequência)
Velocidade com obstáculos baixos “vai e vem” 30 Velocidade com obstáculos baixos “vai e vem” 40 Velocidade com barreiras 40 m Velocidade com barreiras 40 m
m m
Estafeta “surpresa” Estafeta “surpresa” Estafeta frontal de vai e vem (20 Estafeta de 4 x 40 m
(com velocidade, obstáculos, saltos…) (com velocidade, obstáculos, saltos…) a 30 m)

Lançamento frontal de BM a 2 mãos Lançamento de BM a 2 mãos, a partir da posição Lançamento do peso a partir da posição de Lançamento do vortex com balanço
de força força
Deca salto com corrida curta (cones separados a Penta salto com corrida curta (cones separados a Penta salto com corrida curta (sem Penta salto com corrida curta (sem
Infantil B diferentes níveis) diferentes níveis) cones) cones)
Velocidade “vai e vem” 40 m (um percurso em Velocidade “vai e vem” 40 m (ida em Velocidade; 40 m Velocidade; 50 m
slalom) frequência)
Velocidade com obstáculos baixos “vai e vem” 40 Velocidade com barreiras “vai e vem” 40 m Velocidade com barreiras 40 m Velocidade com barreiras 50 m
m
Estafeta “surpresa” Estafeta frontal de vai e vem (20 a 30 m) Estafeta frontal de vai e vem (20 a 30 m) Estafeta de 4 x 50 m
(com velocidade, obstáculos, saltos…)

Lançamento de BM a 2 mãos, a partir da posição Lançamento do peso a partir da posição de força Lançamento do peso com deslocamento Lançamento do peso com deslocamento
de força
Penta salto com corrida curta (cones separados a Penta salto com corrida curta (sem cones) Quádruplo salto com corrida curta Salto em comprimento ou quádruplo
Iniciado diferentes níveis) (D+D+E+E ou E+E+D+D) salto com corrida curta
Velocidade “vai e vem” 40 m (ida em Velocidade “vai e vem” 40 m (ida em Velocidade; 60 m Velocidade; 60 m
frequência) frequência)
Velocidade com barreiras “vai e vem” 40 m Velocidade com barreiras 50 m Velocidade barreiras 50 m Velocidade com barreiras 60 m
Estafeta “surpresa” Estafeta frontal de vai e vem (20 a 30 m) Estafeta de 4 x 60 m Estafeta de 4 x 60 m
(com velocidade, obstáculos, saltos…)
Ficha - INFANTIL A
Escola: ________________________________________________
Nome________________________________ Género _______

Provas 1º 2º 3º Melhor Resultado Pontuação


Tentativa Tentativa Tentativa
Lançamento de BM a 2 mãos, a partir da posição de força

Penta salto com corrida curta (cones separados a


diferentes níveis)

Velocidade “vai e vem” 30 m (ida em frequência)

Velocidade com obstáculos baixos “vai e vem” 40 m

Estafeta “surpresa”
((com velocidade, obstáculos, saltos…)
Modelo 3
Fichas de Progressão

Fichas com níveis Trabalho autónomo,


Fichas individuais Diferentes no grupo de
Dificuldades trabalho

Inter ajudas Vivenciar a evolução


Nome:

Nº: Turma: Ano:

Solo Plinto
Rolamento à Retaguarda em plano inclinado Salto Entre-Mãos – Salta para o plinto, e realiza saída à
frente tipo eixo.
Roda sem extensão completa dos membros inferiores; Salto de Eixo – Realiza salto de eixo, no solo, com um colega.
(Jogos tradicionais)
Avião com dois apoios no espaldar

Ponte com ajuda e sem a amplitude máxima

A.F.I. subindo os espaldares com os membros inferiores

Mini-Trampolim Trave
Salto de Vela no solo com ajuda Deslocamentos normais em cima da trave

Salto Engrupado no solo com ajuda Saída – Realiza saída salto e sem reajustamento de apoios

1 Pirueta no solo, sem a manutenção dos segmentos Avião – Realiza com dois apoios num colega/espaldar
corporais alinhados
½ Mortal para cima do colchão grosso no solo Volta – ½ volta com os dois pés apoiados

Carpa pernas afastadas, s/ corrida prep. e c/ ajuda no solo


Ficha de Individual – Adaptações
Nomes: __________________________
Data:____/_____/2020 e ____/____/2020 Total de figuras : ____/
Ficha de Acrobática
Nomes: __________________________(nº ) e _________________________(nº ).
Data:____/_____/2020 e ____/____/2020 Total de figuras : ____/
Ficha de Acrobática – Adaptações
Nomes: __________________________(nº ) e _________________________(nº ).
Data:____/_____/2020 e ____/____/2020 Total de figuras : ____/
Obrigada
pela vossa atenção