Você está na página 1de 44

A CURA NOS

NOTEBOOKS DE PAUL
BRUNTON

Parágrafos sobre o corpo, doença, cura,

transformação do sofrimento, curadores,

vegetarianismo e

práticas espirituais para cura


Notebooks Cura Trechos -p. 2

Todas as experiências que a vida nos traz têm um sentido. Vamos usar nossa
inteligência e aprender esses significados, pois a vida está tentando desenvolver
aquela inteligência em nós até que possa nos tornar conscientes do mais alto
significado de todos – a Alma.

As experiências que lhe chegam e as circunstâncias nas quais ele se encontra não
são destituídasde significado. Elas geralmente têm uma lição cármica pessoal para
ele e deveriam ser estudadas muito mais que livros. Ele deve tentar entender
impessoalmente o sentido interno por trás desses acontecimentos. Seu significado
pode ser averiguado pela tentativa de vê-los imparcialmente, pela avaliação das
forças envolvidas neles, pela reflexão profunda e pela oração. Cada homem recebe
seu conjunto especial de experiências, que ninguém mais recebe. Cada vida é
individual e adquire da lei da recompensa aquelas de que realmente precisa, não
aquelas de que outros precisam. A maneira como ele reage às variadas situações
agradáveis ou desagradáveis que se desenvolvem na vida cotidiana será melhor
indicação da compreensão que adquiriu do que quaisquer visões místicas pintadas
pela imaginação.
Notebooks Cura Trechos -p. 3

Introducao
Paul Brunton (1898-1981) é um dos autores espirituais mais bem
conhecidos do século 20. Seus dez primeiros livros, baseados em sua experiência
pessoal e em pesquisa conduzida em cinco continentes, despertaram milhões
para a realidade e as práticas de uma vida espiritual e lhe valeram seguidores em
todo o mundo. Na década de 50 ele abandonou suas viagens e trabalhou em
solitude, compilando extenss extensas anotacoes” sobre temas ligados à vida
espiritual.
Brunton, que passou boa parte de sua vida buscando e pesquisando a
Verdade, não se ocupou com essa busca apenas para si mesmo. Sempre presente
em sua mente e coração estava a motivação em ajudar todos os buscadores
espirituais, especialmente aqueles que necessitavam de uma espiritualidade
contemporânea. Em seus livros ofereceu uma síntese de filosofia oriental e
ocidental, destilando a essência dos ensinamentos sagrados numa forma
acessível que é uma expressão tanto profunda quanto poética daquele ser interior
que ele chama de “Eu Superior”.
Sua vida foi cheia de entrega e dedicação, paciência e práticas, estudos,
viagem e pesquisa. Na maior parte do tempo trilhava um caminho totalmente
solitário. Ao redor do mundo o silêncio de seu coração estava ouvindo em
benefício daqueles que buscavam o sentido mais profundo da vida e que
estavam sem a guiança pessoal na qual ele próprio teve o privilégio de receber.
Apenas poucos de seus leitores tiveram a bênção de encontrá-lo
pessoalmente. No entanto, todos que estavam abertos tiveram a oportunidade de
conhecê-lo profundamente através da comunicação do coração, e telepaticamente
Notebooks Cura Trechos -p. 4

através da comunicação da mente. Lendo seus livros a pessoa pode perceber sua
presença silenciosa e o poder das ideias para as quais ele era um canal.
A cura era um tópico de muito interesse para Brunton. Sempre curioso
sobre as abordagens alternativas à saúde e sobre a base espiritual da cura, ele
abordou este assunto com uma mente crítica e com a capacidade de separar a
verdade da ilusão e da falsa esperança. As seleções nesse livro demonstram o
valor de uma análise atenciosa e espiritualmente informada do tópico de saúde,
cura e curadores.
A maioria do material contido nesse livro é tirado dos volumes sobre
“Cura do Eu” e “O Corpo” nos Notebooks de Paul Brunton (Volumes 7 e 4I,
respectivamente), que estão publicados no inglês original pela Larson Press
(www.larsonpress.org) para a Paul Brunton Philosophic Foundation
(www.paulbrunton.org). O leitor é convidado a contatar esses websites para
informações adicionais sobre Paul Brunton, sua vida e seus escritos, inclusive
sobre os “Notebooks” publicados postumamente.
Em nome de seu imenso amor pela humanidade, e em nome de nosso
eterno amor à verdade, dedicamos esta seleção de pensamentos vivos,
inspirados, a você, para que ela possa lhe ajudar a encontrar uma ponte entre seu
coração, mente e Eu Superior, e que ao ler estas seleções você possa encontrar um
caminho para mais saúde e bem-estar do corpo, da mente e do coração.

para mais informações: editorial@shasti.org


Shasti Association: setembro 2015
Notebooks Cura Trechos -p. 5

Tópicos

O CORPO 7

ATITUDE PARA COM O SOFRIMENTO 10

CAUSAS DA DOENÇA 13

CURA E CURADORES 17

A FORÇA DE VIDA UNIVERSAL 20

CURA MENTAL E ESPIRITUAL 23

O PODER DE CURA DO EU SUPERIOR 26

MEDITAÇÕES E EXERCÍCIOS 31

Exercícios respiratórios

Luz curadora

Relaxamento

Harmonia

O CORPO DO FILÓSOFO 41

VEGETARIANISMO 43
Notebooks Cura Trechos -p. 6

Sobre a informação nesse livrete

Essas seleções são tiradas dos Notebooks de Paul Brunton, publicados em

dezesseis volumes pela Larson Publications para a Paul Brunton Philosophic

Foundation. Cada parágrafo selecionado é marcado com o número da categoria e

depois com a seção e o número do parágrafo dos Notebooks publicados. Por

exemplo: a notação 10-2-2 indica uma citação da Categoria 10, Cura (publicada

como Volume 7) e 2-2 indica que o parágrafo é o segundo no Capítulo 2, do

Volume 7. Se o parágrafo também foi publicado no Volume 1, Ideias em

Perspectiva, a anotação é seguida por um “P”.

Para obter cópias adicionais

Por favor contatar Shasti Association em editorial@shasti.org


Notebooks Cura Trechos -p. 7

O CORPO
Um curso de desenvolvimento espiritual que corrige os maus hábitos da mente e
purifica os sentimentos do coração, mas que não mostra nenhum interesse nos
hábitos e condições do corpo físico é baseado numa concepção unilateral do
homem. É desequilibrado. Como é que isso pode produzir algo além de um
resultado incompleto e desequilibrado? Quer o corpo seja ignorado ou levado
em consideração, a vida ainda tem que ser vivida em sua totalidade por todos os
seres humanos. Isto inclui os seres humanos em busca espiritual, e seus corpos
ainda estão com eles o que quer que façam ou falhem ao fazer.

Neste plano, o corpo é realmente o único meio de nossa existência e não deve
estar desconectado de nossas aspirações superiores. Uma instrução espiritual
completa e competente não deve ser tão tola a ponto de negligenciar ou
menosprezar o quadro físico do discípulo sob instrução, mas deveria vê-lo com
seus vários órgãos e sentidos superiores como realmente é: ou seja, como uma
expressão de Inteligência Infinita através do qual a pessoa pode adquirir a
experiência necessária para se tornar plenamente consciente de sua relação com
aquela Inteligência. Há um outro ponto de vista geralmente muito menos
considerado nesse assunto: o corpo possui incontáveis microvidas que nos olham
como seu protetor e líder e guia, que necessitam e deveriam receber de nós gentil
atenção. (5-Prefacio,p.8)

O ascetismo filosófico pratica disciplinas porque valoriza adequadamente o


corpo, não porque odeia o corpo. A encarnação é uma oportunidade para a
salvação. O corpo é um templo sagrado. A carne é uma revelação da Mente-do-
Mundo trabalhando. (5-2-34)

O místico que reconhece a incessante maravilha e o valor divino de seu corpo,


que o aceita como o estágio no qual e através do qual ele tem que se realizar e
perceber seu ideal, não está degradando aquele ideal ou regredindo à escravidão,
mas na verdade está cumprindo o alto propósito reservado ao homem no
esquema cósmico. (5-2-31)
Notebooks Cura Trechos -p. 8

O corpo (como a alma) lhe dá mensagens de conselho, aviso ou aprovação, mas muito
frequentemente ele não as escuta, não as entende, ou não quer sua complacência
(formada por tendências, hábitos e pelo ambiente) perturbada. (5-2-45)

A limpeza do corpo, das emoções e da mente é um estágio preparatório


indispensável da Busca. Para as técnicas avançadas, é um meio necessário para
limpar o caminho para o influxo de forças espirituais durante a meditação. A
meditação que não é acompanhada de purificação leva facilmente às pseudo-
intuições. O aspirante pode seguir ao mesmo tempo os caminhos da purificação e
da meditação, ou pode colocá-los em sua ordem lógica e trilhá-los
consecutivamente. Há muito que ser dito sobre ambas as escolhas, embora a
tradição normalmente diga que a purificação deve preceder a meditação. (5-
Prefacio, p.10)

O corpo é nossa casa física. Através de seus cinco sentidos podemos sofrer dor e
miseria ou desfrutar de satisfação e prazer. Em função disso, ele deveria ser bem
tratado e bem cuidado, ser mantido saudável o máximo que pudermos. Isso não
é apenas uma necessidade pessoal, mas também um dever espiritual, pois sua
condição pode obstruir ou facilitar o trabalho interior. (5-2-39)

Quando a saúde de um homem colapsou, nada lhe parece mais importante do


que sua restauração. Só então é que ele realmente percebe o valor da boa saúde.
Isso foi declarado do ponto de vista meramente convencional e mundano. Mas, e
quanto ao ponto de vista espiritual? O aspirante cuja saúde colapsou se torna
continuamente preocupado com a condição de seu corpo, de forma que os
pensamentos e o tempo que ele lhe dá são tirados dos pensamentos e do tempo
que ele poderia ter dado à sua aspiração espiritual. E quando chega a seus
períodos de meditação, ele pode achar difícil elevar-se acima de seus estados
corporais, de modo que mesmo sua concentração e poder de meditação podem
ser perturbados por ele. Pois, apesar de tudo, o corpo é o instrumento com o qual
ele tem que trabalhar, e através do qual ele deve atingir seu alto propósito
durante a encarnação nesta terra. Por tal razão é que sistemas foram criados para
dar uma base de saúde e força para as tentativas espirituais do aspirante. Além
do mais, se ele busca ser útil a seus semelhantes, sua capacidade de servir será
limitada pela condição de sua saúde, e pode até ser completamente inibida no
plano físico. Com boa saúde ele se torna mais valioso aos outros, mas com má
saúde um pouco menos. (10-1-1)
Notebooks Cura Trechos -p. 9

O corpo humano é uma parte da consciência, de fato uma grande parte, mas a
própria consciência é apenas uma parte de uma consciência maior e mais
profunda da qual normalmente não somos conscientes. No entanto, é nessa
misteriosa região que jaz a origem criativa da ideia-do-corpo. Se o “eu” comum
não pode fazer o corpo se manter bem meramente sustentando o pensamento, é
porque o poder criativo jaz num “eu” que o transcende. O ego que se identifica
com o corpo acaba por tornar inúteis seus poderes latentes. Porém, tão logo ele
passa a se identificar com a Mente pura, certos poderes podem começar a se
revelar. Muitos casos de fenômenos místicos, como os estigmas dos santos
católicos, confirmam isso.(21-5-55. P)
Notebooks Cura Trechos -p. 10

ATITUDE PARA COM O SOFRIMENTO

O ego natural e compreensivelmente se revolta amargamente contra as


calamidades postas sobre si pelo acaso, pelo destino, ou por qualquer outra causa
aparente fora de si mesmo. O buscador não deve aceitar essa emoção e tem que
se separar dela. Assim, ele avança como um jato em sua busca. (13-1-5)

Se ele puder chegar ao ponto de considerar os acontecimentos que lhe chegam


como sendo destinados a extrair suas qualidades e exercitar seus poderes, e
assim lhe dar a chance de cultivá-los, aprenderá a ser grato e a aceitar a
responsabilidade de escolher se aquelas qualidades são positivas ou negativas, se
aqueles poderes são bons ou maus. (13-1-9)

A vida na terra não deve ser para nós uma meta em si, mas um meio para
alcançar a meta. Todas as suas experiências devem ser usadas para moldar nosso
caráter e aumentar nosso conhecimento e, acima de tudo, para nos trazer mais
perto da descoberta do, e da identificação com, nosso Eu Superior. (13-1-21)

Se aceitarmos a existência de um poder superior por trás da vida e do universo e


se, em seguida, acreditarmos que a sabedoria infinita é um atributo desse poder,
então, finalmente, temos que aceitar a vida como a encontramos e como nós
humanamente a experenciamos. (13-1-24)

Não há problema algum que não carregue em si um sentido oculto, nenhuma


pessoa em contato conosco que não traga dentro de si mesma uma mensagem
oculta. Assim que nos elevarmos além do nível das aparências, e enquanto
ficarmos naquele nível, o problema nos mostra o modo de resolvê-lo e a pessoa
toca sua verdadeira nota na harmonia de nossas vidas. (13-1-25)

Uma fé forte é necessária para se acreditar que mesmo no meio da mais perigosa
aflição, da mais triste dificuldade, o que acontece está sancionado por, e sob a
regência de, leis divinamente ordenadas e que possui um significado racional e
superior que deveríamos buscar extrair e levar em conta. Aqueles que carecem
dessa fé sustentam um semblante carregado de tensão que denuncia ausência de
calma interior. No entanto, basta um único passo para dar uma reviravolta e
começar a jornada da miséria interior para a radiância interior. (13-1-26)
Notebooks Cura Trechos -p. 11

Os problemas e inconveniências da vida não nos chegam sem o conhecimento e a


sanção do poder superior. Portanto, não nos chegam sem alguma razão. (13-1-31)

Quais sejam as dificuldades que encontramos no curso de uma vida , devemos


nos lembrar que alguma razão as colocou ali: não são sem sentido. Mas quer
tenham sido postas ali por nossa própria falta ou pela falta dos outros, ou por um
destino implacável, normalmente é possível extrair lucro delas, no mínimo, ou
passar por elas com sucesso, no máximo. Através da capacidade que elas
estimulam, do poder que desenvolvem, ou da disciplina e da correção que
impõem, podem ser usadas para gerar vantagem pessoal. (13-1-275)

Se ele trabalhar fielmente na busca, toda experiência que for essencial a seu
crescimento interior gravitará até ele, toda coisa ou pessoa necessária ao seu
desenvolvimento será atraída a ele, sujeita a uma sincronização com seu carma
pessoal. Ele, por sua vez, deve dar boas vindas a estas situações que podem ser
usadas para fortalecer sua vida interior. (13-1-42)

Toda experiência exterior tem seus benefícios interiores, se apenas os


procuramos com olhos livres do ego. E isto é verdadeiro até mesmo quando a
experiência envolve sofrimento. Por trás do sofrimento podemos aprender a
encontrar alguma lição com a qual lucrar, alguma disciplina purificatória pela
qual passar, algum fato ignorado que deva ser encarado, ou alguma sabedoria
para ser colhida. (13-1-283)

De seu sofrimento físico ele deveria ter aprendido as lições de uma sabedoria
profunda: primeiro, que esta terra não é seu lar, mas apenas um acampamento;
segundo, que seu corpo não é seu ser real mas apenas uma vestimenta; terceiro, que
sofrimento, decepção ou descontentamento são inseparáveis da vida terrena, a
felicidade real deve ser encontrada somente na vida supraterrestre; quarto, que a plena
força da mente deve ser desenvolvida pela renúncia, sacrifício, concentração e
aspiração para que, mesmo aqui, possa criar numa grande medida uma vida interior
que prossiga pacificamente em qualquer estado em que o corpo possa se encontrar.

Se o sofrimento traz um estado de abandono, está apenas cumprindo seu


propósito. Isso é parte de seu papel no esquema das coisas, conduzindo à
percepção de que por trás dos doces prazeres da vida há sempre dor. Mas o
pensamento apresentaria apenas uma meia verdade se parasse aqui. A outra
Notebooks Cura Trechos -p. 12

metade é muito mais difícil de encontrar: é que por trás dos sofrimentos
superficiais dos quais ninguém escapa, bem mais ao fundo que sua contraparte,
está uma vasta harmonia, um imenso amor, uma incrível paz e um apoio
universal. (24-1-102)
Notebooks Cura Trechos -p. 13

CAUSAS DA DOENÇA

O universo é perfeito porque Deus é perfeito. Mas cabe a cada homem encontrar
e ver essa perfeição por si mesmo , do contrário os problemas e tragédias da vida
podem obstruir sua visão e obscurecer seu caminho. (26-1-37)

O pensamento incorreto acaba se expressando no mau funcionamento de algum


órgão do corpo. A natureza dos pensamentos e a natureza da doença se
correspondem mutuamente. (10-3-29)

Há uma ordem universal, um modo que a Natureza (Deus) tem de organizar as


coisas. É por isso que aquilo que vemos ao nosso redor como o mundo expressa
sentido, inteligência e propósito que a tudo penetram. Mas só percebemos uma
pequena parte dessas qualidades veladas – o mistério que delas se recua é
imensuravelmente maior. (26-1-82)

Numa ampla divisão geral, a filosofia encontra três causas de doenças. São elas o
pensar incorreto, o modo de vida incorreto e o mau carma. Mas como o carma
simplesmente nos traz de volta os resultados dos outros dois, podemos então
limitar as causas da enfermidade a eles. E, novamente, como a conduta é no fim
das contas a expressão do pensamento, podemos finalmente limitar a causa da
enfermidade a uma única: o pensamento incorreto. Mas isto é lidar com o
assunto de um modo metafísico, abstrato e definitivo. É melhor, ao se lidar com a
doenca de forma prática, manter a análise tríplice das possíveis causas. No
entanto, a questão não deve ver simplificada em demasia, como certas escolas de
cura não ortodoxa fizeram, pois o pensamento que produziu a doença pode
pertencer ao passado distante, a alguma encarnação passada, e não
necessariamente à atual, ou pode pertencer aos primeiros anos da encarnação
presente. Nesses casos, há o fruto de uma semeadura prévia desconhecida, e não
necessariamente o de uma semeadura atual conhecida. Portanto, pode não ser o
bastante simplesmente alterar o atual modo de pensar de uma pessoa para
garantir a remoção imediata da doença. Se disparamos uma bala na direção
errada, não podemos controlar seu curso uma vez que tenha saído da arma, mas
podemos mudar a direção do próximo disparo se percebemos nosso erro.
Podemos continuar nossos esforços, apesar disso, para mudar nosso primeiro
pensamento, para nos livrarmos de sentimentos e pensamentos negativos
prejudiciais e assim melhorar nosso caráter. Pois se assim fizermos, o tipo de
Notebooks Cura Trechos -p. 14

carma físico que se manifesta como a doença que eles criam pelo menos não nos
atingirá no futuro, mesmo se não pudermos no presente evitar de herdá-lo de
nossas vidas passadas. O estudo desse quadro revelaria o que a doença como
carma de se pensar erroneamente realmente significa e porque ela com
frequência não pode ser curada apenas pela mera mudança do pensamento atual.
A prova dessa assertiva está no fato de algumas pessoas nascerem com certas
enfermidades ou com predisposição a certas doenças, ou então as adquirem
como bebês ou crianças antes mesmo de terem a mínima oportunidade de pensar
erroneamente e enquanto ainda estão num estado de inocência juvenil e pureza
de pensamento. Portanto, não são os pensamentos errados dessa atual
encarnação que devem ter causado tal doença nesses casos. Também não é
correto sugerir que herdaram essas enfermidades, pois os pais podem ser
pessoas de pensamento reto e de elevada conduta. Ao se privarem da fé na
crença de sucessivas vidas na terra, essas escolas se privam de uma explicação do
problema da doença mais satisfatória do que aquela que possuem. Dizem que ela
foi causada pelo pensamento incorreto, e no entanto não podem explicar como é
que um bebê ou uma criança pensou erroneamente para nascer com, ou adquirir
em tenra idade, uma doença pela qual não é responsável e pela qual seus pais
não são responsáveis. (10-3-7, P)

Sua pergunta sobre a inevitabilidade da má saúde neste caminho necessita de


uma página para si. Falando no geral, não há tal inevitabilidade. De fato, a
limpeza da mente subconsciente, a disciplina dos sentidos do corpo e o
aquietamento da natureza emocional promovem boa saúde. No entanto, onde o
estudante, através da ignorância ou de fatores externos, falha em fazer certas
mudanças necessárias no pensamento, no sentimento, na atitude ou na vida –
necessárias num certo período para o avanço de sua evolução – então seu Eu
Superior lhe força essas mudanças através de transtornos ou distúrbios em seu
ambiente ou em seu corpo. Isto é feito ao expelir algum carma. No último caso
isso significa, é claro, doença ou enfermidade – às vezes “acidente”. Isso cobre
certos casos individuais, mas há muitos outros nos quais a má saúde é somente o
resultado cármico comum de antigas transgressões das leis da saúde física,
emocional, moral ou mental, e não a consequência de uma intervenção especial
do Eu Superior. Finalmente, há o terceiro grupo, no qual ela é o resultado da
imperfeição natural da vida nesta terra onde tudo, como Buda disse, está
condenado a deteriorar e perecer. Ninguém escapa dessa lei geral... nem o
próprio Buda pôde fugir dela, como explicou uma vez em que adoeceu com
Notebooks Cura Trechos -p. 15

febre. Tal imperfeição é, no entanto, uma das causas que levam a humanidade a
buscar uma vida superior, uma existência melhor mais divina; portanto, ela não é
inútil. Esta terra não é nosso lar verdadeiro. Pertencemos a um outro lugar, mais
próximo da perfeição, beleza e harmonia de Deus. (10-1-8)

Embora possamos com frequência encontrar as causas físicas dos males físicos,
por trás dessas causas físicas há quase sempre doenças da alma. Cure a alma e a
cura do corpo poderá vir. Obviamente há muitos casos em que nenhum sucesso
resultaria. (10-1-12)

Se a mente de um curador espiritual pode ajudar a remover a doença, é


igualmente verdade que a mente de um outro pode contribuir para causá-la. Se o
próprio pensar errôneo de uma pessoa pode ser parcial ou totalmente
responsável por suas doenças, outros que estejam pensando constante ou
poderosamente em alguém podem ser parcial ou mesmo totalmente
responsáveis por elas também. Essa é a base da feitiçaria no Oriente e da bruxaria
no Ocidente medieval. (10-3-59)

Chega-se a isto - que boa parte da doença e enfermidade humanas é rastreável


ao funcionamento falho do eu humano. Aprenda a usar o eu corretamente em
seus aspectos físico, emocional, intelectual e espiritual e você aprenderá a
prevenir ou curar uma parte, a maior parte ou mesmo toda sua má saúde.
(Volume 7, p.2)

As condições enfermas do corpo humano são com frequência rastreáveis, por


uma análise sutil e penetrante, às condições enfermas da alma humana. A ciência
médica lida principalmente com o organismo físico, e enquanto persistir em
considerar apenas esta parte do ser da pessoa,continuará a ter suas teorias
falsificadas, seus experimentos cuidadosamente preparados transformados em
palpites cegos, e seu alto percentual de falhas mantido. Devo esclarecer melhor
minha assertiva, talvez, ao dizer que o corpo é, no fim das contas, apenas uma
máquina sensível, e que se o pensar e o sentir do homem que usa aquela
máquina para autoexpressão é distorcido, desequilibrado ou de alguma forma
dissonante, então essas qualidades indesejáveis se reproduzirão no organismo
físico como enfermidade apropriada ou desajuste funcional. (10-1-9)
Notebooks Cura Trechos -p. 16

Se a mudança começa no comportamento do corpo ela pode influenciar a mente


até uma extensão bem limitada, mas se ela começa no pensar da mente,
influenciará o corpo até uma extensão bem maior. Esta é a diferença. (10-1-20)

As pessoas não entendem como seus humores, emoções e pensamentos


destrutivos afetam o sistema cérebro-espinal e através dele chegam aos órgãos
intestinais ao ponto de criarem venenos dentro desses órgãos. Não basta cuidar
da dieta e eliminar alimentos que sejam nocivos à saúde física. É igualmente
necessário cuidar dos pensamentos e sentimentos, e eliminar todos aqueles que
sejam nocivos tanto à saúde espiritual quanto à física. (10-3-67)

Há um propósito corretivo na existência da doença. Qualquer cura que remove os


sintomas, mas falha em corrigir a causa interior mental ou física delas é meramente um
expediente temporário, não uma cura real. Serve à atual conveniência do ego. Mas o
futuro deve necessariamente ser ameaçado pela reaparição da mesma moléstia, ou de
uma diferente que também expressará a causa. E isso pode acontecer tanto na mesma
encarnação quanto na próxima. (10-3-71)
Notebooks Cura Trechos -p. 17

CURA E CURADORES

O papel dos tratamentos físicos de qualquer tipo é prover as condições favoráveis para
a ação da força de vida universal que faz o verdadeiro trabalho de cura, assim como os
alimentos, a água e o ar fornecem os materiais para essa mesma força reparar os
tecidos e regeneracao das células. (10-2-3)

Um sistema de cura sábio coordenaria tratamentos físicos e psicológicos,


artificiais e naturais, dietéticos e espirituais, usando alguns ou todos eles como
um meio para o fim: a cura. Mas como o espiritual é o agente terapêutico
supremo – se puder ser tocado -, ele sempre será o derradeiro recurso para os
desesperados e os sofredores crônicos, quando todos os outros agentes tiveram
que aceitar a derrota. (10-4-1)

O primeiro princípio da cura é parar a resistência obstrutiva do pequeno ego, tão


excitada pela crença de que ele pode com sucesso gerenciar sua própria vida. O
método para se fazer isso é expulsar todos os pensamentos negativos, todos os
sentimentos destrutivos e todos os egoísmos excessivos. O segundo princípio é
sintonizar o indivíduo com a força de vida universal. O método para se fazer isso
é aprender a arte de relaxar o corpo e a mente.

Quão poucos aprenderam que não é a quantidade de remédio que engolem, mas
o grau de contato que estabelecem com a força vital da Natureza que cura suas
doenças.

Por que não unirmos o trabalho sobre o corpo por meios físicos com o trabalho sobre
ele por meio do poder de cura do eu superior? Por que não dar ao último a chance de
reparar seu próprio trabalho, já que o ego físico-mental é sua própria projeção? (10-4-3)

Orar pela cura do corpo e nada mais é um procedimento limitado e limitante.


Ore também para ser iluminado quanto o porque dessa doença atacar você.
Pergunte também o que você pode fazer para remover sua causa. E, acima de
tudo, peça a Água da Vida, como Jesus sugeriu que a mulher no poço pedisse.
(10-5-98, P)
Notebooks Cura Trechos -p. 18

Sabemos que uma pessoa pode se preocupar ao ponto de ficar fisicamente doente, mas
parece haver menos aceitação da ideia oposta de que as emoções e os pensamentos
também podem produzir cura e não ferimento. (10-3-43)

A cura não vem do curador em si; ela vem através dele. O que ele faz é preparar as
condições que tornam possível que isto aconteça. Mas isto não garante que o Eu
Superior vá necessariamente fazer uso delas a toda hora. (10-5-116)

Aqueles que nascem com habilidades de cura, provavelmente trazidas de vidas


passadas, funcionam em níveis diferentes. O mais comum é aquele que irradia
força vital e energiza as células da pessoa doente. Esse tipo de curador deve
inicialmente se colocar num estado de espírito passivo e então, quando sentir a
força vibratória da força vital ativa em seu interior, deixa-a passar ao paciente,
tocando-o ou não. As vibrações da força vital são universais; não são
propriedade pessoal do curador. Ele simplesmente possui a habilidade de se
deixar usar como um canal, que normalmente se concentra em suas mãos. Um
curador como Saswitha, que diz estar simplesmente extraindo o poder
terapêutico de seu paciente e o redirecionando ou o devolvendo a ele, se esquece
de que, se é assim, o próprio paciente obtém esse poder das forças cósmicas. Não
é sua propriedade pessoal. (10-5-68, P)

Aqueles que se aproximam dele com desejos de serem curados e com fé em seu
poder de realizar isso ainda não se aproximaram dele corretamente. Eles também
devem querer que sua própria contribuição à existência da doença lhes seja
apontada. Devem igualmente concordar em retificar hábitos incorretos de vida e
de pensamento. Se eles vierem apenas para palavras agradáveis e uma cura bem
sucedida, se não estão preparados para se negarem ou se disciplinarem, ele não
pode curá-los. (10-5-95)

Um curador honesto só pode dizer que sua cura depende da satisfação de duas
condições: a fé do paciente e a permissão dos poderes superiores. (10-5-106)

Todos os curadores perdem seu poder depois de um tempo. Isso é para levá-los a
um nível mais elevado. (10-5-90)
É bobagem acreditar que haja algum método de cura particular que basta ser
aplicado para que seja universal e igualmente bem sucedido, ou que haja algum
curador humano específico que basta visitar para que a pessoa se cure. (10-4-14)
Notebooks Cura Trechos -p. 19

Assim como a filosofia busca um pleno e integral desenvolvimento da psique em


sua aproximação à autorrealização espiritual, também busca um tratamento
adequado completo em sua abordagem ao problema da cura das doenças. Ela
reconhece que mesmo se a doença começou com maus pensamentos ou
sentimentos incorretos ou linhas de ação desarmônicas, estes já se infiltraram no
corpo físico e o afetaram, causando-lhe mudanças prejudiciais, fazendo seus
órgãos funcionarem mal ou introduzindo venenos no sistema circulatório, ou
mesmo criando tumores malignos em seus tecidos. Portanto, os meios físicos
também devem ser utilizados para tratar dessas condições físicas, assim como os
meios espirituais para se livrar dos pensamentos incorretos e dos sentimentos
discordantes. Ambos os métodos deveriam ser aplicados em conjunto para
realizar um tratamento adequado. Consequentemente, a filosofia não nega, como
faz a Ciência Cristã, a utilidade ou necessidade do tratamento médico comum.
Pelo contrário, ela dá as boas vindas a esse tratamento, desde que não seja
tacanho, materialista, ou egoisticamente preocupado mais com pagamentos do
que com a cura. (10-4-2)
Notebooks Cura Trechos -p. 20

A FORÇA DE VIDA UNIVERSAL

Há uma ordem universal, um modo que a Natureza (Deus) tem de organizar as


coisas. É por isso que aquilo que vemos ao nosso redor como o mundo expressa
sentido, inteligência e propósito que a tudo penetram. Mas só percebemos uma
pequena parte dessas qualidades veladas – o mistério que delas se recua é
imensuravelmente maior. (26-1-82)

Apesar de tudo e no fim das contas, foi a Natureza que nos fez nascer neste
planeta. Não podemos, portanto, creditá-la com o poder de restaurar a saúde
necessária para manter as vidas que ela se deu ao trabalho de criar? (10-2-12)

No momento em que sentir que o contato verdadeiro com a Única Força de Vida
Infinita foi feito, atraia-a para seu corpo e deixe-a permear cada parte, cada órgão
e cada átomo. Ela tenderá a dissolver a doença e a afastar a enfermidade.
(10-2-60)

Esta força de vida, esta energia invisível, está por trás e dentro, ao redor e acima
do corpo físico. Sob certas circunstâncias sua área pode ser vista e delineada e
seu poder de cura recuperador atraído. Ela forma uma aura, o corpo de luz
etérico ou vital, mas não o ainda mais rarefeito e sutil divino corpo de Luz nem a
aura de várias cores, o corpo astral. (10-2-20)

Aquele Poder que originariamente trouxe o corpo físico à existência mantém


suas funções autônomas, cura suas doenças, e sana suas chagas. Está dentro do
próprio corpo; é o aspecto força vital da Alma, o Eu Superior. Sua virtude
curativa pode se expressar por vários meios – como ervas e alimentos, banhos
quentes, frios ou de lama, respirações profundas, exercício e osteopatia – ou pode
se expressar pela completa ausência deles como no jejum, frequentemente o meio
mais rápido e efetivo. Ou, desdenhando completamente os métodos físicos, ele
pode agir direta e quase miraculosamente como cura espiritual. (10-2-2, P)

Não há milagres na Natureza, mas há eventos para os quais a ciência não possui
chave alguma. A consciência humana, por exemplo, é capaz de manifestar
poderes que contradizem o conhecimento psicológico, assim como o corpo
humano é capaz de manifestar fenômenos que contradizem o conhecimento
médico. Tanto os poderes quanto os fenômenos podem parecer miraculosos, mas
Notebooks Cura Trechos -p. 21

na verdade se manifestam a partir das leis ocultas do próprio ser do homem. Os


processos acontecem na obscuridade apenas para nós. (10-2-19, P)

Após sentir o poder e a presença divinos dentro de si mesmo como a recompensa


por sua busca meditativa, ele pode direcioná-los para a cura das moléstias de seu
corpo. Isto seria impossível se ele não estivesse relaxado, pacífico, seguro, se o
medo ou o desejo introduzissem sua presença negativa e assim obstruíssem sua
receptividade à penetração do poder de cura. Quando o contato for realizado
com sucesso, ele deve levar o poder para cada átomo de seu corpo e deixá-lo ser
permeado. A cura poderia ser obtida num único tratamento, se ele pudesse se
sentar aquietado e deixar o trabalho continuar até o fim. Mas ainda que o poder
seja ilimitado, a paciência dele não o é. E assim ele deve se tratar dia após dia até
que o resultado físico externo se equipare à conquista espiritual e interna.
(10-2-49, P)

Que são os “corpos superiores”? Assim como o homem tem um corpo físico com
o qual opera no plano físico, também tem um corpo vital um corpo emocional e
um corpo mental através dos quais expressa essas outras partes de sua natureza.
Este é o ensinamento dos Teosofistas, dos Hindus e dos ocultistas. Esses corpos
sobrevivem à morte do corpo físico, mas são reduzidos a átomos semente
quando, entre as encarnações, a pessoa passa para o estado de feliz sono sem
sonhos. Mas do ponto de vista filosófico, os “corpos superiores” são
simplesmente corpos pensamento, ou, mais corretamente, estados de
consciência. (10-2-22)

Por trás, dentro e ao redor do corpo físico há um outro corpo, invisível, que
podemos chamar de corpo vital. É um tipo de arquétipo ou modelo para o corpo
físico. Coincidem em diversos pontos, mas não em todos. Este corpo etérico mais
sutil vem à existência antes do nascimento e permanece por um período após a
morte. Durante a encarnação ele está intimamente conectado ao corpo físico e
especialmente à sua vitalidade, saúde e doença. A parte dele que rodeia o corpo
físico e à qual podemos chamar de aura vital não deve ser confundida com a
outra aura, maior, na qual as emoções e os pensamentos são refletidos. Durante
os experimentos que fiz com um grupo de médicos de Londres antes da guerra,
foi descoberto que essa aura vital se estendia por cerca de quarenta e cinco
centímetros além do corpo físico. Quando a aura vital estava numa condição de
desvitalização e fadiga, havia menos resistência às doenças; mas quando estava
Notebooks Cura Trechos -p. 22

energizada a resistência aumentava. A energia vital que extraímos da força de


vida universal entra no corpo vital. A resistência pode ser aumentada pela
respiração profunda, pelo exercício e pelo ato de imaginar a energia vital como
uma luz branca entrando pela cabeça e penetrando de cima para baixo todas as
células do corpo físico. Isso também ajuda no processo de cura das enfermidades.
As células não são apenas permeadas por esses métodos, mas também
purificadas. (10-2-27, P)

Os poderes de cura da Natureza realmente existem, bem à parte dos poderes


medicinais invocados pelos médicos, mas eles existem como a eletricidade. Para
nos beneficiarmos com eles, devemos atraí-los, focá-los e concentrá-los em nós
mesmos. Isto se consegue com nossa fé forte e suficiente, com nossa própria
concentração da atenção e com o relaxamento e quietude de todo nosso ser.
(10-2-29)
Notebooks Cura Trechos -p. 23

CURA MENTAL E ESPIRITUAL

A cura espiritual deve ser separada da cura mental, já que a primeira funciona pela
descida da graça divina e a última pelo poder de concentração da mente. A cura no
primeiro caso não apenas será permanente mas também afetará o caráter do paciente,
enquanto que no segundo caso uma cura pode ser e frequentemente é (especialmente
quando métodos hipnóticos são usados) temporária, sendo que o caráter permanece
intocado. Em relação a isso há algumas declarações sobre isso mo capítulos “Erros do
buscador espiritual” em meu livro A Realidade Interna. (10-5-3)

O que ocorre durante esses estados de relaxamento? O foco da mente consciente


é retirado da carne e dos centros vitais, deixando a mente inconsciente em
soberania exclusiva sobre eles. O que resulta disso? A destruição dos tecidos do
corpo é reparada, a fadiga de seus sistemas nervoso e muscular é removida.
Quanto mais completo for o relaxamento, e a atividade interior da alma, mais
completa é a recuperação. (3-3-67)

A prática constante de se identificar com a mente ao invés de com a ideia-corpo


inerente a ela conduz, com o tempo, a um certo liberar-se de si mesmo. (21-5-26)

Pense em si mesmo como o individual e você certamente vai morrer; pense em si


mesmo como o universal e você entra na imortalidade, pois o universal está
sempre e eternamente aí. Não conhecemos princípio ou fim no processo cósmico.
Seu ser É: nada mais podemos dizer. Seja aquilo ao invés disso – aquilo que é tão
infinito e sem morada quanto o espaço, aquilo que é atemporal e incólume.
Assuma o todo da vida como seu próprio ser. Não se divorcie, não se separe
dela. É a mais difícil das tarefas, pois exige que vejamos nossa própria
insignificância relativa em meio a esse processo infinito e vasto. A mudança
necessária é totalmente mental. Mude sua perspectiva e com ela “o céu vos será
acrescentado”. (P, 21-5-95)

A cura espiritual não necessariamente segue automaticamente à oferta de fé


completa. Nem segue necessariamente após a voluntária limpeza na natureza
emocional. Há outros fatores envolvidos nela. O papel do sofrimento e da doença
na Ideia-do-Mundo é um deles. Para aqueles aspirantes que não se darão por
satisfeitos com nada inferior à conquista do Mais Elevado, a necessidade de
Notebooks Cura Trechos -p. 24

transcender o ego tem precedência sobre tudo mais, mesmo sobre a cura do
corpo. (10-5-141)

A cura espiritual não pode ser praticada com sucesso por alguém que meramente
assimilou seu jargão e intelectualmente se familiarizou com sua ideologia. Pode
ser praticada com sucesso somente por quem entrou na consciência do, e rendeu
seu ego ao, espírito divino dentro de si mesmo. (10-5-122)

Não é verdadeira cura espiritual se ela deixa o caráter e a perspectiva intocados,


não melhorados. Há outros tipos de cura que podem aliviar ou curar um tipo de
doença enquanto deixam a pessoa ainda aberta para fazer o carma que
posteriormente faz aparecer outro tipo de doença. (10-5-7)

Uma cura espiritual autêntica do corpo físico sempre produzirá resultados


espirituais, ou seja, produzirá uma mudança interior no caráter da pessoa
curada. Mas quando isso acontece, significa que alguma tipo de pensamento ou
sentimento errados é a causa real da sua doença física. Por exemplo,
pensamentos de amargura, ressentimento, crítica e condenação fortemente
mantidos e sustentados por muito tempo contra outras pessoas podem e com
frequência facilmente produzem problemas no fígado. Enquanto aquele tipo de
pensamento e sentimento continuar, o problema do fígado continuará. A forma
adequada de curá-lo, portanto, é chegar à raiz psicológica do problema – ou seja
efetuar uma mudança interior. Quando o tratamento de cura espiritual influencia
a pessoa a abandonar o pensamento incorreto, de forma que este o deixe
completamente, os efeitos físicos da mudança podem se mostrar repentina e
miraculosamente ou lenta e gradualmente. Embora se mostrem como uma cura
de uma doença física,note que ela primeiro começou como uma doença mental
ou como uma doença emocional. E se a mudança interior for duradoura, a cura
resultante será duradoura também. Este é o único tipo de cura que
verdadeiramente pode ser chamada de espiritual. Todos os outros tipos da assim
chamada cura espiritual são meramente cura mental ou cura hipnótica, e tal cura
jamais pode se igualar em qualidade ou durabilidade. Muito frequentemente,
eles têm apenas resultados temporários e a doença reaparece porque o homem
interior foi deixado com todas as suas neuroses psicológicas incuradas. A cura
mental e a hipnótica, estritamente falando, não são cura absolutamente. São
supressão de sintomas, ao custo da retenção das causas internas ocultas desses
sintomas. (10-5-4)
Notebooks Cura Trechos -p. 25

No caso da cura mental não há necessariamente absolutamente nenhuma


mudança no caráter do paciente. Suas raivas, suas hostilidades ou seus
ressentimentos podem continuar tão ativos quanto antes. Sua cura ilustra
simplesmente o poder da mente sobre o corpo – sua própria mente ou a de
alguém mais. Ela é atingida pela fé, concentração ou sugestão. Mas no caso da
cura espiritual há uma mudança interior juntamente com a cura do corpo.
(10-5-5)
Notebooks Cura Trechos -p. 26

O PODER DE CURA DO EU SUPERIOR

Os que não entendem os trabalhos do Eu Superior esperam que ele sempre se


manifeste – se é que ele se manifesta – em toda sua pureza original. Se eles
desejam a cura, pensam que o auxílio do Eu Superior pode se mostrar apenas
numa cura espiritual direta, por exemplo. A verdade é que podem obter a cura
por um meio puramente físico, como um jejum, uma dieta ou um remédio; e
ainda assim aquilo que os levou a buscar esse meio em particular ou lhe
proporcionou seu resultado bem sucedido foi o Eu Superior. (10-5-114, P)

O Eu Superior tem o poder de curar as doenças do corpo por sua Graça, mas se
essa Graça vai ser assim exercida ou não é imprevisível. Ela fará o que for melhor
para o indivíduo no sentido final, não o que o ego deseja, pois a Sabedoria Divina
está por trás de tudo o tempo todo. (10-5-140)

O poder do Eu Superior de alterar circunstâncias, criar oportunidades e elevar as


pessoas está disponível para quem quer preencha as condições necessárias. Estas
incluem uma quantia de preparação mental e purificação moral, alguma
percepção clara do fato de que o Eu Superior está presente aqui e agora, uma
lembrança instantânea e constante desse fato, e finalmente uma disposição de
confiar completamente em seu auxílio, suprimento e apoio providenciais não
importa quão indesejável ou intolerável uma situação pareça ser. (22-3-61)

Pôr de lado a ansiedade, o que ocorre naturalmente quando nosso apego pessoal
aos resultados e o desejo ansioso de fins são postos de lado, é ter a mais plena fé
que o poder superior tomará conta de nossas verdadeiras necessidades.
(24-3-235)

No fundo do coração há um silêncio que é curador, uma confiança nas leis


universais que é inabalável, e uma força que é como a rocha. Mas por ser tão
profundo, precisamos de paciência e perseverança ao escavar à sua procura.
(10-5-97, P)

O sofredor deveria usar quaisquer meios médicos físicos que estejam disponíveis
– tanto os ortodoxos quanto os não ortodoxos. Ao mesmo tempo ele deveria
praticar oração diária, mas não deveria pedir diretamente a cura física para seu
próprio bem. Deveria pedir primeiro qualidades espirituais e somente então a
Notebooks Cura Trechos -p. 27

cura física com a intenção expressa de utilizar sua oportunidade de encarnação


corpórea para se aprimorar espiritualmente. (10-5-135)

Qualquer que seja o problema que aflija alguém – seja físico ou mental, pessoal
ou público, mundano ou espiritual – há um refúgio seguro ao qual se pode
sempre voltar e retornar. Se ele aprendeu a arte de se aquietar, pode levar seu
problema ao limiar exterior da mente e deixá-lo lá, passando para o recesso
interior dela, completo de serenidade e tranquilidade sem preocupação. Isso não
é um escapismo covarde ou um tolo autoengano, embora com o místico não
filosófico possa ser e frequentemente o seja. Pois quando ele emerge do silêncio
interior e retoma seu problema, ele obterá também a força para suportá-lo
corajosamente e a sabedoria para lidar com ele corretamente. Este sempre será o
caso se sua abordagem é através do misticismo filosófico, que tem como meta a
ação inspirada e não o sonho inspirado. Além do mais, seu contato com a Mente
interior fará com que forças misteriosas trabalhem em seu benefício para resolver
o problema independentemente de seu esforço e conhecimento conscientes.
(24-3-278, P)

... é essencial notar que o curador pode pronunciar essas fórmulas de cura,
pensar nessas verdades sobre a cura, ou a partir de seu intelecto ou a partir de
sua intuição. No primeiro caso suas palavras e pensamentos são meramente
como o mapa de um país. No segundo caso são como uma visita real ao país. O
primeiro curador faz uma reclamação sem garantia, não vê que suas declarações
só poderiam ser feitas verdadeiramente se ele atingisse a estatura e a pureza de
Jesus. Não basta que o paciente deva ter fé; o próprio curador deve ter a
consciência superior necessária, pois o poder divino que realmente efetua a cura
não virá de seu eu comum mas deste eu superior. (10-5-39)

A sintonia da mente de uma pessoa com a Mente Universal, de seu coração com o
amor fundamental por trás das coisas, é capaz de produzir vários efeitos. Um deles
pode ser a cura de enfermidades do corpo. (10-5-131, P)

Se você quer curar uma pessoa não se concentre na natureza de sua doença, ou
você pode fortalecê-la. Concentre-se ao invés disso na natureza de seu Eu
Superior, para que sua graça poderosa possa ser liberada para elas. Nem sequer
ore para que sejam curadas. Ore ao invés disso para que o poder da graça do Eu
Superior possa trabalhar dentro delas e fazer o que lhe aprouver. (10-2-46)
Notebooks Cura Trechos -p. 28

Consternado pelo fracasso do último recurso de meus médicos, estava sentado


na cama lendo uma passagem de uma revista velha de John Wesley sobre cura
espiritual. Ela citava um amigo que dizia: “Não podia me deslocar de um lugar a
outro a não ser com muletas. Continuei nesse estado por cerca de seis anos. Em
Bath requisitei um médico, mas antes que ele viesse, como me sentei lendo a
Bíblia, pensei ‘Asa buscou aos médicos, e não a Deus; mas Deus pode fazer mais
por mim do que qualquer médico’; logo após me levantar, percebi que conseguia
ficar em pé. Desde então tenho estado perfeitamente bem.”

Assim que terminei esta passagem pensei que ela deveria se aplicar a meu
próprio caso, e deixei o livro de lado. Uma grande quietude mental e uma
interiorização me visitaram ao mesmo tempo. Vi que todos os métodos usados
até então para eliminar a doença foram inúteis justamente por serem os métodos
do próprio ego, quer fossem físicos, mágicos, mentais ou mecânicos. Eu tinha
exaurido a todos. Então o ego teve que confessar seu fracasso total e se lançar à
misericórdia do poder superior em humilhação e oração. Percebi que ao invés de
pensar que eu ou meus médicos éramos capazes de curar a doença, a forma
correta era desacreditar nisso e voltar apenas ao Eu Superior para a cura.Vi que
o silêncio era sua graça, que esta quietude era seu poder. Ele poderia me curar
melhor, se eu simplesmente relaxasse e o deixasse entrar. Então me rendi a ele e
dentro de poucas semanas estava curado. (10-5-153)

A menos que uma base genuinamente científica e metafísica seja encontrada, será
descoberto, como um culto de cura famoso já descobriu, que embora sejam efetuadas
curas das quais não se pode duvidar, muitas dessas curas não são permanentes. O
princípio que é a chave para tal cura – se é que é a cura real e não uma supressão de
sintomas temporária – e que prevalece sobre todos os outros, foi apontado num livro
anterior (A Realidade Interior). É a entrega da vontade consciente, da vontade pessoal,
a um poder superior. É o abandono do ego através da oferta de seu problema
corporal ao poder por trás de todos os corpos. A cura não é efetuada e não pode ser
efetuada pelo próprio paciente ou por qualquer curador profissional que possa estar
empregado. Ela é feita apenas pelo próprio Eu Superior, o que significa que ela é
essencialmente uma graça outorgada. Agora a graça é uma força ativa, não um mero
pensamento intelectual ou atitude emocional. É o poder de vontade cósmico, ou o
que os hindus chamam de kundalini. Essa outorga, por sua vez, requer que não
meramente o corpo apenas seja tocado, mas a mente também. Portanto uma cura que
Notebooks Cura Trechos -p. 29

é genuína e permanente sempre envolverá em algum grau um reajuste mental, uma


correção da perspectiva, e mesmo uma conversão ética. (10-5-113)

A partir do momento em que o homem começa a esperar menos de suas posses


externas mutáveis e mais de suas posses internas controláveis, ele começa a ter
chance de obter felicidade verdadeira. Quando essa verdade irrompe na
inteligência, ele aprende a guardar suas reservas finais ocultas em seu coração.
Então, o que quer que aconteça, qualquer que seja o curso que a fortuna tome,
ninguém e nada podem tirar isso dele. Enquanto puder carregar o conhecimento
da verdade em sua cabeça e a paz de Deus em seu coração, ele pode carregar o
melhor de todos o seus bens consigo onde quer que vá. Não os tendo alojado –
sejam eles coisas materiais ou afeições humanas, riqueza acumulada ou honras
sociais – em seu coração, mas fora dele, onde devem estar, ele pode permanecer
calmo e impassível quando o capricho da Fortuna os perturba ou mesmo os
destrói. Ele aprendeu a manter em seu coração apenas os bens inalienáveis, como
a sabedoria e a virtude, somente o que o torna serenamente independente das
revoluções da Fortuna. Aquele que depende das coisas externas joga dados com
sua felicidade. Aquele que depende de seu próprio Eu Superior obtém
serenidade infalível. (24-3-279, P

Lembre-se de que nenhuma iniciativa ou movimento deveria depender dos


limitados recursos do ego. A humilde invocação do Eu Superior expande esses
recursos e tem um valor protetor. No começo de cada dia, de cada
empreendimento, de cada jornada, e de cada etapa de trabalho importante,
lembre-se do Eu Superior e, lembrando-se, seja obediente às suas leis. Busque
Sua inspiração, Seu poder. Torná-lo seu parceiro silencioso é duplicar a própria
eficiência. (18-1-54, P)

É um erro, entretanto, transformar o Eu Superior numa mera conveniência a ser


usada principalmente para obter cura ou guiança, para curar as doenças do
corpo físico, ou guiar as atividades do ego físico. Ele deveria ser buscado por seu
próprio bem, e essas outras coisas deveriam ser buscadas apenas ocasional ou
incidentalmente, como e quando necessárias. Elas não deveriam se tornar
habituais. Em suas meditações periódicas, por exemplo, o aspirante deveria
buscar a fonte divina de seu ser porque é correto, necessário, e bom para ele fazer
isso e ele deveria esquecer qualquer outro desejo. Somente após fazer isso e
encontrado a fonte, e somente em sua jornada de volta às atividades do dia, é
Notebooks Cura Trechos -p. 30

que ele pode se lembrar desses desejos menores e utilizar a serenidade e o poder
assim obtidos para cuidar delas. (10-5-133)

Quem quer que possa compreender que a substância é inseparável da vida e que
a vida é inseparável da mente, quem quer que perceba intelectualmente que o
universo inteiro é, em si, nada menos que a Mente em suas diferentes fases,
encontrou a base teórica para uma apreciação das maravilhosas possibilidades
que jazem por trás da experiência humana. Os poderes da mente podem de fato
ser estendidos para bem além de seu insignificante ponto evolutivo atual. Aquele
que reflete constantemente sobre a verdadeira e imaterial natureza da Mente e
sobre seus poderes magicamente criativos tende a desenvolver esses poderes.
Quando ele se torna capaz de concentração bem sucedida e livre do ego, esses
poderes da mente e da vontade lhe vêm espontaneamente. Quando sua vontade
se torna autoabnegada, sua emoção purificada, seu pensamento concentrado, e
seu conhecimento aperfeiçoado, é natural que os poderes mentais superiores ou
os assim chamados poderes ocultos surjam por si mesmos. É igualmente natural
que ele deva permanecer silencioso com relação a eles, mesmo porque eles
realmente não pertencem à personalidade nomeada que os outros veem. Eles
pertencem ao Eu Superior. (21-5-53, P)
Notebooks Cura Trechos -p. 31

MEDITAÇÕES E EXERCÍCIOS

Qual a finalidade prática de perguntar “A quem esta experiência está


acontecendo? Para quem esta dor, esta alegria, este sofrimento, ou esta boa
sorte?”. Primeiro, ela o faz se lembrar da busca na qual está engajado ao lembrar-
lhe que é o ego quem está sentindo essas mudanças e que a pessoa não deve se
identificar com ele e assim limitar suas possibilidades se realmente busca o eu
superior por trás do ego. Segundo, ela sugere que ele procure a raiz de seu ego e
com ele seu “Eu” oculto ao invés de meramente ser varrido pelo que está
acontecendo dentro do ego em si. (23-6-108)

Não se ocupe com coisas ou pensamentos, nem mesmo com a busca de


experiências interiores, mas fique em silêncio e sem desejos. (24-3-204)

Uma prática valiosa do Caminho Breve é ver-se já desfrutando a realização de seu


objetivo, já participando de suas recompensas gloriosas. Este é um exercício de
visualização em que seu próprio rosto o confronta, um rosto sorridente e
triunfante, um rosto calmo e pacífico. Deve ser feito tantas vezes todo dia quanto
ele conseguir se lembrar de fazê-lo. (23-6-50)

A base para o trabalho de cura superior é a percepção da pessoa como Mente. Mas
a última é uma entidade sem dimensão, não individualizada e não condicionada.
Não é a minha mente individual. O campo da Mente é um campo comum
enquanto que o da consciência está dividido em compartimentos individuais e
separados. Esta é uma diferença com vastas implicações, pois quem quer que
possa passar do segundo campo ao primeiro, passa ao mesmo tempo de um
mundo absurdamente limitado para um extremamente vital. Consequentemente,
a cura genuína e permanente é conduzida sem a associação consciente da pessoa
e pode ser efetuada ao se soltar a mente egoica e com ela todos os desejos
egoístas. Por isso o primeiro esforço deveria ser ignorar a doença e atingir a
percepção. Somente após a última ter sido conquistada é que os pensamentos
poderiam descer novamente para a doença, com a serena confiança de que a
condição do corpo pode ser seguramente deixada nas mãos da Mente-do-Mundo
para disposição final como Ela decidir. Não deveria haver a menor tentativa de
ditar uma cura ao poder superior nem a menor tentativa de introduzir vontade
pessoal no tratamento. Tais tentativas apenas derrotarão seu propósito. Os
assuntos serão parcialmente decididos na balança dos fatores cármicos e
Notebooks Cura Trechos -p. 32

evolucionários envolvidos no caso individual. E ainda assim há cultos que não


veem incongruência alguma em sugerir à Mente Infinita o que deveria ser
prodigalizado a alguém, ou em ditar ao carma o que exatamente ele deveria
fazer! Assim que a entrega for realmente feita, os desejos do ego vão com ele e a
paz reina na vida interior quer a doença ainda reine na vida exterior ou não.
Assim, há uma falsa entrega fácil da vontade que não engana nenhum poder
superior a não ser o eu pessoal, e há uma cessão honesta que pode realmente
invocar a graça divina. (10-5-132, P)

Estamos influenciando os anos vindouros através de nossos pensamentos. A


importância do pensamento na formação de nosso ambiente externo, o valor da
imaginação em, no final das contas, criar as circunstâncias e o hábito de
visualizar o tipo de vida que aspiramos ter, devem ser impressos e reimpressos
numa geração que tem que escapar da perspectiva materialista. Por esse processo
duplo de nos elevarmos à nossa origem divina e de controlarmos nossas ideias
intelectuais, podemos começar a controlar nossa vida externa de uma maneira
extraordinária. (21-5-84)

No que diz respeito aos erros passados, esqueça-os e comece novamente, como
se fosse seu primeiro dia nesse corpo; mas no que diz respeito a seus contatos
presentes, seja gentil com eles, como se fosse seu último dia nesse corpo.
(24-3-226)

Mesmo seus movimentos corporais devem entrar em conformidade com sua


atitude mental. Seu próprio jeito de andar deve ser trazido frequentemente à
atenção consciente e harmonizado com as deliberações, a paciência, o equilíbrio e
a integridade que, idealmente, existem lá. (5-5-55)

É tão necessário fazer um ritual diário desses hábitos de higiene e exercício físico
quanto o é dos exercícios religiosos e místicos. Eles deveriam ser combinados, o
ritual físico sendo praticado antes do espiritual como uma preparação para ele e
para as atividades do dia. (5-5-65)

Exercícios respiratórios
Notebooks Cura Trechos -p. 33

Exercício Respiratório Revitalizante: (1) Fique de pé diante de uma janela aberta,


coluna ereta, corpo reto, mãos apertando firmemente os quadris. (2) Expire todo
o ar impuro pela boca. (3) Faça três inspirações rápidas e curtas e expire tudo
numa longa exalação. Faça uma pausa e respire normalmente. Repita três vezes.
(4) Inspire profundamente pelo nariz, começando a encher os pulmões pela parte
mais baixa possível do abdômen e fazendo o ar subir pelos pulmões até que a
parte superior esteja preenchida. (5) A mente deve se concentrar no plexo solar
atrás do umbigo. Imagine um fluxo de energia branco-dourada sendo atraído
para lá e irradiado por todo o corpo. (6) Contraia os lábios e deixe todo o ar sair o
mais vigorosamente possível. Contraia o músculo do diafragma ao fazer isso, e o
mova para cima. Faça uma pausa e respire normalmente. Repita três vezes.
(5-6-5, P)

Exercício Respiratório: Um exercício útil que mencionei num dos primeiros livros é
expirar lentamente e então deixar a inspiração vir por si mesma, naturalmente.
Enquanto expirando, mantenha o pensamento de jogar fora todos os
pensamentos negativos e sentimentos indesejáveis. Devo acrescentar agora à
descrição daquele exercício que esta exalação deveria durar o máximo possível
sem desconforto excessivo e que deveria se originar na região do diafragma - o
abdômen ou abaixo do umbigo. Mantenha a coluna ereta, com a cabeça e o
pescoço alinhados com ela. Isso te habilita a receber melhor as correntes cósmicas
de força vital. Também fortalece o poder do autocontrole, de disciplinar o corpo.
(5-6-6)

A importância da respiração diafragmática não é apenas física, porque a


respiração plena nos habilita a obter a plena manifestação da força de vida no
corpo, mas também porque ela permite uma manifestação da mente mais
completa e mais livre. (5-6-14)

Ao se observar a respiração que entra e a que sai, seu ritmo naturalmente


diminui, acalmando assim a ação violenta do coração, dos pulmões e do
diafragma. O coração bombeia cerca de dezessete toneladas de sangue por dia, e
não tem descanso à noite, sendo portanto o órgão mais sobrecarregado do corpo.
Os antigos conheciam esse método de descansar o coração, aumentando assim a
expectativa de vida e também liberando uma tremenda quantia de força vital,
que revitaliza as células do corpo. (5-6-28)
Notebooks Cura Trechos -p. 34

LUZ CURADORA

possível direcionar o poder curador da luz branca, em imaginação e com


respiração profunda, para qualquer parte do corpo que sinta dor ou para
qualquer órgão que não esteja funcionando adequadamente. Isso não remove o
problema instantaneamente, mas de fato contribui com o processo de cura.
(10-2-44)

Exercício de Cura: Mantenha o pensamento de que todas essas células incontáveis


que compõem sua anatomia receberão esta energia transmutada. Junto com a
concentração inale profundamente, segure o fôlego, e exale por um período de
tempo igual. (10.2.52)

O exercício de atrair a Força de Vida como uma luz branca deveria ser
acompanhado de profunda respiração rítmica. Ele será efetivo apenas depois que
a inspiração for buscada na meditação, e parcialmente encontrada. Portanto, é
melhor realizar o exercício logo antes, ou logo após, a quietude ser atingida.
(23-6-59)

Exercício de cura: Inale profundamente, mas devagar e sem pressa. Com cada
respiração fixe a mente na essência-vida se derramando e permeando cada parte
do corpo até que ele todo seja banhado e mantido pelo fluxo. (10-2-51)

QUATRO EXERCÍCIOS (de 10.2.72 and 23.6.67)

Exercício I: Para aliviar a tensão e cultivar o relaxamento

(a) Sente-se de forma reta numa cadeira de altura confortável, com os joelhos e
pernas juntos, se confortável, ou, do contrário, levemente afastados. Incline-se
levemente para a frente, mantendo a coluna reta, e permita que ambos os braços
pendam esticados e sem vida, como pesos pesados, a partir dos ombros
completamente relaxados.

(b) Ambas as mãos são levantadas muito lentamente à altura dos cotovelos,
quase à altura dos ombros, e então deixe-as cair abruptamente, palmas para
Notebooks Cura Trechos -p. 35

cima, sobre as coxas. Mantenha a sensação de abandono e de peso nos braços,


com a parte inferior do corpo totalmente relaxada.

(c) Visualize uma aura etérea de Luz pura, branca e eletrificante ao seu redor. Então,
imagine que essa Luz magnificente está te pondo em pé pelo topo da sua cabeça. Sua
força propulsora deveria, como resultado, automaticamente endireitar a coluna e
formar uma linha perfeitamente ereta entre a paste de trás do tronco, o pescoço e a
cabeça. Finalmente, imagine que a Luz está permeando internamento todo seu corpo.

Este exercício deveria dar uma sensação de refrescamento físico e relaxamento


físico completo. Também é útil quando se tem que escutar longas conversas,
palestras e assim por diante, ou quando se está relutantemente tentando praticar
meditação depois de um dia fatigante.

Exercício II: Para promover a Harmonia Repita o exercício I, então acrescente:

(a) Tente ver e sentir que a aura de Luz tem uma substância real e que Ela
está se tornando parte de você, que você está se fundindo n’Ela, tornando-se uno
com Ela. Em seguida, pense nela como sendo a pura essência do Amor,
especialmente na região do coração.

(b) Quando esse Amor for experimentado como uma sensação de felicidade que
amolece o coração, deixe-o então se estender ao exterior e envolver todo o
mundo. Esse exercício deve dar uma sensação de se estar em harmonia com a
Natureza, com o universo, com todos os seres viventes e com a humanidade
como uma parte da Natureza.

Exercício III: Para curar a doença Repita os Exercícios I e II e então acrescente:

(a) Pensa na Luz branca como sendo a Força Vital inteligente e


regeneradora da Natureza.
Notebooks Cura Trechos -p. 36

(b) Deixe-a se derramar em você, pelo topo de sua cabeça, passando diretamente
para o centro do plexo solar, que é a região que primeiro deve ser trabalhada e
afetada para que a força curadora se torne eficaz. A partir daí, envie-a a qualquer
área afligida, permanecendo lá. Sinta Sua presença benéfica, restauradora e
curadora trabalhando sobre essa área.

(c) Para ser plenamente eficiente esse exercício deve ser acompanhado por intensa fé nos
poderes regeneradores dessa Luz.

Prova estarrecedora da eficácia desse exercício em aliviar um órgão perturbado


ou em curar uma parte enferma do corpo, quando nele se persevera por um
período suficiente de semanas ou meses, foi claramente mostrada pelos
resultados. Em alguns casos, paralíticos recuperaram o uso pleno de seus
membros incapacitados ao seguirem as diretrizes dadas aqui.

Exercício IV: Para estabelecer harmonia ou ajuda telepáticas

Repita os exercícios I, II e III (a), então acrescente:

(a) Deixe a Luz Branca entrar na região do coração, permanecendo lá.

(b) Forme uma imagem mental do rosto da pessoa que você quer contatar e
a reduza em tamanho até que seja pequena o bastante para caber na palma de
sua mão.

(c) Coloque essa imagem diminuta no centro da Luz branca permeando seu
coração.

(d) Empenhe-se em realmente ver o indivíduo lá em seu coração. Este exercício


deveria ser usado para promover o auxílio físico ou mental a um amigo distante,
para causar boa vontade em alguém que expressou inimizade, ou para
estabelecer um relacionamento espiritual mais profundo. É também útil no
relacionamento aluno-instrutor, porque promove simpatia e afinidade melhores,
e também fortalece o vínculo telepático.
Notebooks Cura Trechos -p. 37

Nota: Onde a imaginação estiver bem desenvolvida a tentativa de visualizar a luz


pode ser usada, mas onde o intelecto ou o instinto preponderam sobre ela, a
tentativa não precisa ser feita – apenas o poder invisível invocado e dirigido.

Exercício de cura e Meditação: (de10-2-50, P)

(1) Deite-se de costas numa superfície plana (um tapete no chão, por exemplo).

(2) Deixe o corpo completamente solto.

(3) Relaxe respirando com os olhos fechados, ou seja, reduza a respiração para
abaixo do normal. Lentamente exale, depois inale; prenda a respiração por dois
segundos, então exale lentamente outra vez. Repita por três a cinco minutos.
Enquanto inspira, pense que você está atraindo força curadora da Natureza.
Enquanto expira, pense que a condição enferma está sendo retirada de seu corpo.
(Note que, na inspiração, você – o ego – é compreendido como o agente ativo,
enquanto que na expiração não é assim e essa mudança está sendo efetuada
espontaneamente.)

(4) Libere todos os problemas pessoais.

(5) Reflita sobre a existência da alma que é você, e sobre a força vital infinita ao
seu redor e na qual você reside e vive.

(6) Deite-se com os braços estendidos e as palmas abertas, de forma a atrair a


força vital tanto pelas palmas como pela cabeça. (Isso estabelece contato com o
poder superior através da meditação silenciosa, e aproxima a reconstrutiva e
curadora força vital, que é atributo desse poder.) Absorva-a. Deixe-a distribuir-se
por todo seu corpo. Deixe a oniinteligência dela dirigi-la para onde for mais
necessário, quer seja na parte afetada ou em alguma outra que seja a causa
primeira da doença.

(7) Coloque as mãos na parte afetada do corpo e deliberadamente dirija a força


através das mãos para o corpo. Uma sensação de calor deve ser percebida nas
palmas das mãos.
Notebooks Cura Trechos -p. 38

(8) Relembre com a imaginação a sensação onipenetrante de Deus e sua infinita


bondade.

Técnica de Relaxamento autocuradora: (de 10-2-70)

Reserve pelo menos de vinte a trinta minutos para esta prática todos os dias, mas
você deveria continuar por um período muito mais longo se o desejo ou a
capacidade para isso surgir. Escolha uma hora do dia em que você possa estar
sozinho, livre de perturbações e quando estiver livre de reações emocionais a
qualquer assunto pessoal que não seja essa necessidade de ser curado. Seria
inútil tratar essas instruções de forma meramente superficial e externa, pois
então elas poderiam ser seguidas e terminar em cerca de sessenta segundos. Há
dois pré-requisitos que devem ser satisfeitos para que essas instruções sejam
eficientes. Primeiro, o todo da mente o do sentimento da pessoa deveria ser
concentrado em cada uma de suas partes separadas como exposto em cada
sentença. Segundo, é essencial que você não deixe nenhuma parte e passe para a
seguinte sem que esteja completamente imerso nela e entregue a ela. Não deve
haver precipitação alguma.

(1) Postura: Assuma uma postura passiva, deite-se de costas num divã,
completamente solto, sem tensão no corpo, inteiramente confortável, quieto, e
relaxe todos os músculos da cabeça aos pés. Estar meramente deitado não é o
bastante; afrouxe também os músculos em seus lábios, olhos e mãos. Feche os
olhos.

(2) Respiração: Concentre-se no ritmo da respiração por alguns minutos. Dê-lhe


toda sua atenção durante esse período até que você esteja tão imerso a ponto de
se unificar com ela. Enquanto se concentra, faça a inspiração e a expiração
durarem o mesmo tempo. Elas deveriam ser longas profundas lentas e suaves,
sem solavancos e sem tensão. Esse desacelerar da respiração deveria resultar
num diminuir da tensão.
(3) Fazendo contato no nível físico: Comece a pensar sobre e a habitar no Poder Vital
Único e Infinito, preenchendo todo o espaço e permeando o universo inteiro,
existindo em todos os lugares, contendo e permeando todas as criaturas, toda a
humanidade, incluindo você mesmo. Aceite e enfatize sua existência. Em
seguida, peça sua ajuda e então se concentre na ideia de seu poder recuperador,
Notebooks Cura Trechos -p. 39

que desenvolve e sustenta todas as células do corpo desde o nascimento, cura


suas chagas e junta seus ossos fraturados, para seu próprio caso.

(4) Tratando o corpo: Imagine que esse Poder está fluindo para você como uma
Luz Branca. Atraia mentalmente essa corrente para seu corpo, através da testa,
das palmas e do plexo solar. Finalmente, traga-a à parte doente do corpo
precisando de cura e a concentre lá. Coloque uma mão levemente sobre esta
parte e banhe tanto as mãos quanto a parte afetada com a Luz Branca, tentando
sentir isso intensamente, por cerca de dois minutos. Esqueça o resto do corpo, e
mantenha atenção total e intensa ali. Então, com os olhos da mente, esqueça a
parte doente. Relaxe novamente, deixando a Luz imersa no corpo e se
distribuindo por ele todo.

(5) Atingindo a alma: Pense no corpo todo como sendo uma manifestação da
Inteligência Criativa e como uma projeção do eu superior. Em seguida considere-
o como um pensamento perfeito na Mente-do-Mundo. Finalmente, esqueça-o por
completo. Eleve a consciência para além do plano do mundo físico. Faça o
pensamento imergir no conceito do eu superior apenas, esquecendo seu eu
pessoal projetado. Em seguida, esvazie a mente o máximo possível de todos os
pensamentos e busque a sagrada quietude interior.

(6) Trabalho suplementar:

(a) Em horas fixas ou aleatórias durante o dia ele para a pressão da vida e das
pessoas sobre si e aprende pela lembrança repetida a permanecer
conscientemente relaxado ao longo do dia, mesmo se for apenas por um ou dpis
minutos.

(b) Sempre que possível, reserve cinco minutos por hora para a prática de
relaxamentos em horários fixos.
Notebooks Cura Trechos -p. 40

O CORPO DO FILÓSOFO

Não há doença que possa afetar a alma divina de uma pessoa, nenhuma
enfermidade que possa pô-la abaixo. Ela é seu elemento incorruptível. Portanto,
é certamente correto dizer que a pessoa perfeita não sofre dessas coisas. Porém, o
que é normalmente ignorado ou geralmente desconhecido é que “a pessoa
perfeita” não existe na terra, apenas “no céu”; nunca na carne, apenas no espírito.
Esta terra e este corpo foram dados destinados às alternâncias entre deterioração
e crescimento, entre morte e nascimento – resumindo, a processos de mudança
envolvendo corruptibilidade. Há apenas uma forma segura, permanente e
impecável de se conquistar a doença ou a enfermidade, que é viver
conscientemente no Eu Superior tanto quanto no corpo. Quem quer que entenda
tudo isso achará fácil entender que as mesmas causas evitam a possibilidade de
se viver para sempre no mesmo corpo identicamente, e assim atingir a
imortalidade física. As leis que influenciam a construção do corpo são
precisamente as leis que também influenciam sue futuro colapso. Não há na
história nenhum registro fidedigno de que algum ser humano tenha até agora
escapado da operação dessas leis e sobrevivido aos vastos ciclos evolucionários
do planeta. Que o homem possa descobrir como prolongar sua vida além da
expectativa média atual ou como manter seu corpo em bom funcionamento e em
saúde orgânica e, entretanto, uma possibilidade que não precisa de forma
alguma ser negada por essas declarações. (10-1-48)

As dores e mal-estares que acompanham e interrompem a existência física não


são retiradas da pessoa espiritualmente desperta. Sua presença continua a agir
como um lembrete – tanto para ela quanto para as outras pessoas – de que
simplesmente porque elas acompanham a vida do corpo, esta vida é imperfeita e
insatisfatória. Seus cinco sentidos estão trabalhando como os de todas as outras
pessoas e portanto dever relatar as sensações dolorosas tanto quanto as
agradáveis. Mas o que ela ganha de fato é uma paz mais profunda que as
sensações do corpo, e inquebrável pela natureza dolorosa delas. Uma parte de si
– a menor – pode sofrer; mas a outra parte – a maior – permanece imperturbada.
Em sua natureza superior e espiritual ela está fortificada contra essas aflições,
sustentada por forças celestes negadas às outras pessoas. (10-1-55)

Também precisamos nos lembrar de que a atitude da alma avançada com relação
ao sofrimento pessoal não é a mesma que a de uma alma comum. Seu ponto de
Notebooks Cura Trechos -p. 41

vista é diferente. Até onde sabemos da história humana nesse globo, todos os
fatos mostram que doença, dor, enfermidade e morte são partes das condições
que regem a experiência do corpo físico porque são partes inescapáveis e
inevitáveis de toda experiência do plano físico para as formas altamente
organizadas, sejam elas humanas ou outra coisa. Isto é, são parte do plano divino
para o homem. Nós humanos nos ressentimos com tais experiências, mas pode
ser que elas sejam necessárias ao nosso desenvolvimento completo e que os
Iluminados que se aproximaram mais da sabedoria infinita percebam isso e
abandonem seu ressentimento. Aqui podemos relembrar a atitude de Sri
Ramakrishna com relação ao câncer na garganta que o vitimou, a atitude de
Santa Bernadette de Lurdes para com sua tuberculose fatal, dolorosa e
prolongada, o fatalismo de Ramana Maharshi com suas dores e desajustes
corporais, e a resposta de Sri Aurobindo ao médico que o atendeu por causa de
um joelho quebrado após uma queda: “Como é que o senhor, um Mahatma, não
pôde prever e evitar esse acidente?” “Ainda tenho que carregar esse corpo
humano comigo e ele está sujeito às limitações humanas comuns e às leis físicas.”
(10-1-58, P)

Dor e sofrimento, pecado e mal, doença e morte existem apenas no mundo dos
pensamentos, não no mundo do puro Pensamento em si. Entretanto, eles não são
ilusões, mas são transitórios. Quem quer que atinja o puro Pensamento também
atingirá em consciência uma vida sem dor, livre de sofrimento, sem pecado,
incorruptível e imortal. Estando acima de desejos e medos, ela está
necessariamente acima das angústias causadas por desejos não satisfeitos e
medos realizados. Mas ao mesmo tempo a pessoa também terá uma consciência
que acompanha a vida no corpo, que deve obedecer às leis de seu próprio ser, leis
naturais que põem limitações e imperfeições sobre ele. Isso tudo pode ser
considerado o elemento de verdade contido em algumas doutrinas teóricas da
Vedanta Advaíta e da Ciência Cristã. (10-1-78, P)
Notebooks Cura Trechos -p. 42

VEGETARIANISMO

É necessário ingerir coisas vivas como alimento para nos mantermos vivos. Essa
não é uma questão de escolha nossa, mas uma necessidade a nós imposta pela
Natureza ou Deus. Não temos liberdade na escolha, mas somos livres para
reduzir a área de nossa destrutividade e para diminuir a quantidade de dor que
infligimos. É menos destrutivo desenterrar um vegetal ou colher uma fruta do
que assassinar um animal – e há menos sofrimento também. Esta é uma resposta
ao argumento de que ainda destruímos a vida quando nos tornamos
vegetarianos. (5-3-64)

O aspirante que falha na prática de não causar dano estabelece um mal


relacionamento que terá que ser resolvido depois, um relacionamento que
bloqueará sua entrada no estado de iluminação perpétua até que seja resolvido.
A desnecessária retirada de vida animal para ser seu alimento é uma forma,
embora comum, de violar essa ética. (5-3-91)

Se ele realmente acredita nesse ensinamento, buscará trazê-lo para todas as áreas
de sua vida. Não há área da qual ele possa ser corretamente deixado de fora, nem
mesmo do tipo de comida que ele ingere. (5-3-84)

O hábito que prevaleceu tão amplamente na desaparecida Atlântida de oferecer


animais e prisioneiros abatidos durante os rituais religiosos periódicos, e que
persistiu com os sobreviventes nas civilizações Africana, Americana e Asiática
dos tempos históricos, morreu à medida que conceitos mais puros e racionais de
religião surgiram. Mas o hábito de oferecer animais para agradar não a um ser
divino, mas a um humano, é simplesmente tão prevalecente hoje como a
estúpida barbárie atlante foi outrora. As pessoas ainda criam infelizes
quadrúpedes aos milhões apenas para assassiná-las ao final e servi-las nas
refeições. Tal destruição é executada sem sentimento, sem consciência, e sem
necessidade real. E que direito tem qualquer um desses seres humanos de
destruir a existência dessa multiplicidade de criaturas que têm seu próprio lugar,
função e propósito na divina Ideia-do-Mundo? Ao reclama a si tal direito, o
homem arrogantemente se proclama mais sábio que seu Criador e ao perturbar a
própria criação com seus hábitos alimentares sangrentos, ele viola leis sagradas
pelas quais é adequadamente punido. Sua saúde sofre, suas paixões nunca são
reduzidas, e sua violência na guerra nunca acaba. (5-3-101)
Notebooks Cura Trechos -p. 43

O vegetariano que se recusa a transformar seu corpo num cemitério de animais


abatidos está obedecendo não apenas uma lei moral mas também uma lei
higiênica e estética. (5-3-130)

Somente é digno de pedir ajuda ou misericórdia – que é uma forma de ajuda –


aquele que mostra piedade, que poupa a vida, que evita a crueldade, e confere
misericórdia aos indefesos e oprimidos, aquele que, nos dizeres de Plutarco, “não
permite que seus lábios toquem a carne de um ser assassinado.” (5-3-106)

Deve a pessoa pacífica reduzir ou parar com a agressão violenta contra seus
companheiros, mas continuá-a contra criaturas semelhantes? E sobre os animais?
Não temos o direito de destruir a vida animal sem um propósito adequadamente
necessário e moralmente justificável. Portanto, é bom perguntar aos sábios e bons
sobre o caráter de tais propósitos, e ser guiado pela deliberação deles ao invés de
pelos costumes do meio, pois o último nos conduziu, através de sua completa
ignorância e total inconsciência das leis superiores a uma situação na qual golpe
após golpe caem pesadamente sobre a raça humana. Por que deveríamos nos
estarrecer tanto pela paz ser tão difícil de obter, de, com frequência, a violência
flamejante da guerra e da morte e da mutilação ser carregada através da terra
apesar de nossas orações a Deus e de nossos planos em contrário? Enquanto
milhões de animais inocentes forem criados apenas para serem enviados aos
matadouros para nosso alimento desnecessário, então a Vida nos pagará na
mesma moeda. As características inferiores são levadas ao corpo, ao sangue, aos
nervos e ao cérebro. Elas se tornam parte de nós. A resposta da mente a ideais
elevados é entorpecida. As paixões que causam discussão e então guerra
encontram menos resistência da consciência e da razão. A fobia, a suspeita, o
medo e o desejo de autoproteção que contribuem para a guerra, sendo
impregnados no sangue de nossa carne durante os momentos que precedem o
abate, são aos poucos trazidos para dentro de nós através das glândulas, do
sistema nervoso e do cérebro, enquanto nosso próprio sangue as alimenta por
sua vez. Seria desejável, embora admissivelmente difícil, adotarmos
gradualmente uma dieta sem carne como uma ajuda para se garantir tanto o
desenvolvimento do indivíduo quando a paz do mundo. (5-3-160)

A comida não fornece energia diretamente, mas sua presença no corpo durante o
processo do metabolismo atua como um canal para a energia ser liberada no
Notebooks Cura Trechos -p. 44

corpo. É por isso que aqueles que passam pelos processos purificadores da Busca
e assim regeneram seu corpo não apenas precisam de menos alimento que os
demais, mas subsistem de formas mais finas de alimento. (5-3-104)

A maior de todas as reformas na dieta é a mudança da dieta carnívora para a


vegetariana. Este é também o primeiro passo no caminho espiritual, o primeiro
gesto de que a retidão, a justiça, a compaixão e a pureza estão se estabelecendo
como necessárias para um viver humano e humanitário, em contraste ao viver
animal. (5-3-5)

Se há alguma causa pela qual eu iria para cima e para baixo na terra numa
cruzada do século XX, é a da dieta sem carne. Talvez seja uma cruzada solitária,
mas assim mesmo, seria uma de aquecer o coração. (5-3-6)

Uma dieta sem carne tem vantagens práticas a oferecer a praticamente todo
mundo. Mas para os idealistas que estão ocupados com propósitos superiores ela
tem ainda mais a oferecer. No âmbito moral apenas ela tende a diminuir a
indiferença pelos sofrimentos dos outros, homens ou animais, e a aumentar o
que Schweitzer chamou de “reverência pela vida”. (5-3-8)

Por que deveríamos nos abster de comer carne? (a) A terra cultivada, se for
cultivada com vegetais, frutas e nozes produziria muito mais comida para um
mundo superpopuloso do que produziria se fosse deixada como pastagem para
o gado e as ovelhas. (b) O trabalho horrível de abater essas inofensivas criaturas
inocentes só pode ser feito por pessoas endurecidas, cujas qualidades de
compaixão e simpatia devem inevitavelmente se tornar mais e mais frágeis.
Quantas donas de casa poderiam fazer o trabalho de abate? (c) Em termos de
igual valor alimentício, a dieta sem carne custa menos. (d) Animais que sofrem
de doenças contagiosas transmitem os germes dessas doenças àqueles que
comem sua carne ou parasitas. (e) A carne contém substâncias excretadas,
purinas, que podem causas outras doenças não comunicáveis. (5-3-11)

Você também pode gostar