Você está na página 1de 5

MESTRADO INTEGRADO MEDICINA DENTÁRIA UCP

Iniciação à Clínica

Instrumental de observação Espelho + Sonda + Pinça

Anestesia
- Tópica;
- Anestubo;
- Seringa carpule;
- Agulhas

Instrumental básico de CIRURGIA ORAL


Instrumental para exodontia
 Sindesmotomo ruptura das fibras gengivais ao redor dos dentes
 Alavancas luxação
 Boticões/Forceps avulsão do dente (remoção do dente do alvéolo)
Podem ser retos (maxilares) ou angulados (mandibulares).
 Curetas eliminam tecido de granulação
Apresentam-se em forma de “colher”, com ou sem bordos cortantes.

 Bisturis
o Cabos de bisturis
o Lâminas
Nº11 -> incisões em sectores anteriores
Nº12 -> incisões em sectores posteriores
Nº15 -> incisões da mucosa e fibromucosa

 Afastadores
o Separadores metálicos de comissuras
o Afastador de Weider para a língua
o Afastador de Minnesota para bochecha e retalhos

Instrumental para corte de osso


 Peça de mão
 Pinça goiva regularização do rebordo ósseo (eliminação de espículas ósseas)
 Escopros e martelo osteotomia
 Lima de osso regularização do rebordo ósseo (eliminação de espículas ósseas)
 Brocas de osso osteotomia em exodontias complicadas
Podem ser de peça de mão ou de contra-angulo.
 Descoladores afastamento do muco periósteo do osso alveolar

Ana Sofia Belchior Ano letivo 2015/2016


MESTRADO INTEGRADO MEDICINA DENTÁRIA UCP
Iniciação à Clínica

Instrumentos de sutura
 Agulhas podem ter diferentes curvaturas
 Porta-agulhas capacidade de fixar e imobilizar agulhas
Adequados à profundidade de atuação na cavidade oral.
 Fios de sutura Quanto maior for o número de zeros mais fina é a linha
Em cirurgia oral são usadas 3-0 e 4-0.
O material utilizado pode ser:
o Reabsorvível ác poliglicólico
o Não reabsorvível seda, nylon, poliésteres e polipropileno

Instrumental básico de ENDODONTIA


Tratamento endodôntico
1. Diagnóstico clínico
2. Preparação para o tratamento endodôntico
3. Abertura do dente para o acesso aos canais
4. Preparo dos canis radiculares
5. Obturação canalar

 Limas
Comprimento varia entre 21, 25 e 31 mm, em que a parte ativa tem 16 mm e o
comprimento varia na haste flexível.
O índice de conicidade é de 0,02, ou seja, por cada milímetro da ponta do instrumento,
o diâmetro aumenta 0,02 mm.
Ex. Diâmetro lima 30: na ponta -> 0,30 mm ; a 1mm da ponta -> 0,32 mm ; a 2 mm da
ponta -> 0,34 mm
A sequência de cores está normalizada de acordo com o diâmetro da parte ativa da
lima.
o Lima K exploração dos canis e preparo inicial
São feitas de aço inoxidável e a ponta ativa tem a forma de uma secção transversal
quadrangular
o Lima H (Hedstroen)
São feitas de aço inoxidável e a ponta ativa tem a forma de uma secção transversal
circular (cones sobrepostos), pelo que não se pode rodar a lima no canal
 Tira nervos instrumento “farpado”, que tem como objetivo a remoção do
conteúdo pulpar.
 Régua endodôntica
ODM (odontometrias) -> Distancia entre um ponto preciso da coroa ou bordo livre de
um dente e o limite
 Suporte para limas
 Dispensador de Stop’s

Ana Sofia Belchior Ano letivo 2015/2016


MESTRADO INTEGRADO MEDICINA DENTÁRIA UCP
Iniciação à Clínica

A irrigação é feita com hipoclorito de sódio (NaClO).

A secagem dos canais é feita com cones de papel normalizados.

A obturação canalar consiste no encerramento hermético dos canais, de forma a evitar


contaminação.
 Cones de Gutta – Percha
 Cimento obturador
 Hidróxido de cálcio
 Espaçadores ou “spreaders” condensação horizontal (ou lateral) da Gutta. Permite
colocar mais cones de Gutta.
 Condensador vertical ou “Pluggers” condensação vertical da Gutta. Apresentam a
ponta romba.

Sistemas Mecanizados
- O níquel-titânio aumenta a flexibilidade;
- Limas com comprimentos e conicidades diferentes;
- Realizam preparos cónicos dos canis radiculares com a mínima alteração de forma
na zona apical.

Instrumental básico de PERIODONTOLOGIA


 Sonda periodontal está milimetrada (marcas de mm a mm ou de 3 a 3), serve para
diagnóstico.
 Meios mecânicos
o Curetas de Gracey apresentam partes ativas que se adaptam aos dentes
posteriores ou anteriores e às diferentes faces.
 Instrumental ultrassónico permite a remoção de tártaro
 Instrumental para polimento é usada uma escova acoplada ao contra ângulo

Instrumental básico de DENTISTERIA


 Turbina
 Contra ângulo
 Brocas de turbina e contra ângulo

 Escavador de dentina
 Espátula de inserção
 Brunidor
 Calcador
 Carver

Ana Sofia Belchior Ano letivo 2015/2016


MESTRADO INTEGRADO MEDICINA DENTÁRIA UCP
Iniciação à Clínica

 Materiais de restauração
o Compósito Ácido + Adesivo + Compósito
o Amálgama
- Vibrador de amálgama
- Porta amálgada
- Godé
 Matriz e porta-matriz
 Cunhas
 Materiais de restauração provisória
o Óxido de Zinco Eugenol
o Óxido de Zinco

Instrumental básico de PRÓTESE REMOVÍVEL


 Moldeiras
 Alginato

Instrumental básico de PRÓTESE FIXA


 Material de impressão Silicone (putty, light ou regular)
 Pistola de silicone

Organização do consultório de medicina dentária


O que é necessário para abrir uma clínica de medicina dentária?
As clinicas e os consultórios são tecnicamente dirigidos por um diretor clínico que pode ser o
médico estomatologista ou médico dentista. Este é o responsável por todos os atos que são
praticados no estabelecimento.
Devem dispor também de pessoal de atendimento e de assistência dentária.

Instalações
- Meios físicos salubres;
- Fácil acesso (não só para pessoas com dificuldades motoras, mas em termos de maior
visibilidade);
- Infra-estruturas de abastecimento de água, sistema de recolha de águas residuais e de
resíduos e energia eléctrica e de telecomunicações.

As clínicas e os consultórios devem dispor, no mínimo:


- Área clinica composta por gabinete clínico (deverá estar numa zona isolada do resto da clínica
para permitir uma maior privacidade);
- Sala de esterilização (separada mas próxima da área clínica para que o transporte dos
instrumentos seja o mais curto possível);
- Área não clinica que compreenda um sector de receção e atendimento de utentes;
- Sala de espera com instalações sanitárias.
Existem também uma sala das máquinas, que deve estar o mais distante possível dos
gabinetes, devido ao ruido dos compressores e dos aspiradores.

Ana Sofia Belchior Ano letivo 2015/2016


MESTRADO INTEGRADO MEDICINA DENTÁRIA UCP
Iniciação à Clínica
No entanto, desta forma, mais esforço é exigido aos equipamentos para continuarem a ser
eficazes.

É também necessário:
- Regulamento interno definido pelo diretor técnico;
- Identificação das clínicas e consultórios em tabuleta exterior, com indicação do nome e
habilitação profissional do diretor clínico;
- Livro de reclamações de modelo normalizado.

O Mercado
Os pacientes podem ser:
- Privados -> são os mais rentáveis, não tem qualquer seguro de saúde, pagam o valor definido
pelo diretor clínico;
- Provenientes de Acordos e Convenções -> mais segurança na entrada de novos pacientes,
pagam uma percentagem tabulada pela entidade e a clínica é depois reembolsada.

Recursos humanos
Um consultório necessita de apenas uma assistente, que deverá ser de confiança. O primeiro
impacto do paciente ao entrar na clínica, é com a assistente.
Uma clinica dentária com 2 ou mais gabinetes dentários com 2 ou mais médicos dentistas com
várias especialidades poderá necessitar de mais assistentes (um assistente por dentista).

Segurança, higiene e saúde no trabalho


Tem de ser feito um acordo com empresa de higiene e segurança no trabalho para a realização
de exames médicos anuais e a verificação se as instalações cumprem os requisitos legais.

Seguro profissional e de atividade


A responsabilidade civil e profissional bem como a responsabilidade pela atividade das clinicas
e consultórios dentários devem ser transferidas para empresas de seguros.

Gestão documental
É obrigatório registar e guardar todos os tratamentos efetuados, datas de consultas e faltas e
comparências.

Registo, conservação e arquivo


As clínicas ou consultórios devem conservar durante os períodos constantes da lei vigente, os
seguintes documentos;
- Registo nominativo dos cuidados de saúde efetuados;
- Resultados das vistorias realizadas pela ARS ou outras entidades;
- Contratos celebrados com terceiros.

Relacionamento com os restantes membros da equipa de saúde oral


- Outros médicos dentistas;
- Assistentes dentárias;
- Protésico;
- Médico de família;
- Contabilista.

Ana Sofia Belchior Ano letivo 2015/2016