Você está na página 1de 12

Turbo acoplamento

Voith com encimento


constante
Acoplamento Voith –
comprovado um milhão de vezes

Como especialista para tarefas com-


plexas de acionamento, a Voith aten-
de os requisitos cada vez mais exi-
gentes da practica e convence através
de recursos inovadores.

Turbo acoplamentos Voith de enchi-


mento constante são utilizados com
motores eléctricos numa ampla gama
de aplicações, especialmente quando
os acionamentos são severamente
exigidos e quando economia e con-
fiabilidade são requeridas.

O Turbo acoplamento Voith com suas


vantagens hidrodinâmicas inerentes,
foi comprovado milhões de vezes
mundialmente

■ Aceleração suave de grandes inér-


cias.
■ Permite o uso de motores com
rotor em curto circuito de baixo
custo.
■ Partida e aceleração do motor sem
carga.
■ Evita o super dimensionamento do
motor.
■ Limitação do torque na partida.
■ Amortecimento efetivo de choques
e vibrações.
■ Proteção contra sobrecarga para
motor e máquina. Campo de aplicaçõ:
■ Equalização de carga para acio-
namentos multi motores. Movimentação de materiais

- Transportadores de correia
- Rodas de caçambas
- Transportadores de corrente
- Transportadores de canecas
- Carregadores portuários
- Bombas
Processamento de material - Britadores
- Britadores - Moinhos
- Shredders
- Moinhos Indústria Química
- Centrífugas
Mineração a céu aberto e - Bombas
subterrânea - Ventiladores
- Transportadores de corrente - Misturadores
- Perfuradores de túneis
- Escavadeiras de roda de (em algumas ilustrações foram remividas
caçamba as proteções para uma melhor visibilidade.)

2
Conceito de Foettinger
Construção e funcionamento

O Turbo acoplamento é um acopla-


mento hidrodinâmico baseado no
princípio de Foettinger. Seus compo-
nentes principais são dois rotores
com pás, um rotor bomba e um rotor
turbina, bem como uma concha ex-
terna. Ambos os rotores são suporta-
dos porrolamentos relativamente um
ao outro.
Estacionário Partida Operação sob carga normal
A transmissão de torque é obtida
com o mínimo desgaste mecânico e Todo o fluido repousa no O rotor bpmba acelera o Devido a pequena diferença
não há contato mecânico entre as acoplamento. fluido de trabalho conforme de rotação entre rotor
peças que transmitem o torque. aumenta a rotação do motor bomba e turbina obtém-se
O acoplamento contem uma quanti- de acionamento de forma um fluxo constante que
a criar um fluxo circular de circula no acoplamento.
dade constante de fluido de trabalho, fluido na câmara de Somente o torque requerido
usualmente óleo mineral. trabalho. pela máquina é transmitido.
O torque fornecido pelo motor de Toda superfície das pás do
acionamento é convertido em energia rotor turbina são atingidas Através da adequada
e movidas por ação da utilização de câmaras de
cinética do fluido de trabalho no rotor
energia cinética. compensação tais como
bomba que esta conectado ao A evolução do torque câmara de retardamento
mesmo. durante o processo de e câmara retardamento
partida é indicada pela anular exterior, o desem-
No rotor turbina esta energia cinética curva característica do penho de partida do Turbo
acoplamento. acoplamento pode ser
é novamente convertida em energia influenciado (veja curvas
mecânica. Referindo-se a função do características na pág. 4).
acoplamento observam-se três si-
tuações:

3
Para cada acionamento o
aciplamento adequado

Os principais fatores de selecio-


namento de um acoplamento são
potência e rotação do motor de acio- [KW] Silumin solubilizado
namento. 3200
2000
1600
Tendo estabelecidas a potência no- 1200
minal e a rotação de acionamento 800
pode-se detreminar com o auxílio do 600
500
diagrama ao lado o tamanho corre- 400

D
spondente do acoplamento. Dentro
50
250 11
da faixa de potência o acoplamento é
50
200 11
160
adaptado ao acionamento através da 10
00
110
variação da carga de óleo. 86
6
75
0
75
55
As diferentes condições de apli- 0
65
45
2
56
cações exigem diferentes comporta- 30
7
48
mentos de partida (curva característi- 22 42
2
ca) do acoplamento. 15 6
36

D
Potência nominal de acionamento

11 27
4
Os critérios mais importantes são 7,5 4
27

D
5,5 6
20
inércia, limitação de torque, bem 4 6
20

D
como frequência de partida da 3 4
15
instalação. 2,2 15
4
1,5
1,1
0,75
0,55
As curvas abaixo permitem uma comparação das 0,37
características de partida dos diferentes tipos de
acoplamentos. (50 Hz) 300 400 600 800 1000 1500 2000 3000 4000
(60 Hz) 600 750 900 1200 1800 3600
Rotação de
acionamento [min-1]
Tipo T
Tipo TV Exemplo: Rotação de acionamento 1500 min-1
Tipo TVV Potência nominal de acionamento 55 kW
Tipo TVVS Tamanho do acoplamento 422

MM = Torque do motor
Curvas Características: ML = Torque da carga
Aceleração do motor Aceleração da máquina Kroutici moment/ MK = Torque do acoplamento
Doba odezvy
MN = Torque nominal
M/MN M/MN M/MN MM
M = const.
2 2 J = const.
MK
1,6 MK
MM
1,4
Torque do motor

1 1 ML

MK

0
Rotação Rotação Tempo 5 Seg. 40 Seg.

4
O tipo de básico –
Turbo acoplamento tipo T

O Turbo acoplamento tipo T é a exe-


cução básica do acoplamento de en-
chimento constante composto de
rotor bomba, rotor turbina e concha.
Através da adição de outros compo-
nentes, se obtém toda a gama de
execuções.

O Turbo acoplamento é normalmente


montado sobre o eixo da máquina
acionada ou do redutor, acionado
pelo rotor externo. Ele é conectado
através da uma conexão elástica com
o eixo do motor para compensar pe-
quenos desalinhamentos de monta-
gem.

A utilização deste tipo de acoplamen-


to é recomendado quando são reque-
ridas proteção contra sobrecarga e
amortecimento de vibrações torcio-
nais para o motor e máquina aciona-
da, bem como para acionamentos
simples na faixa de baixas potências.
Aplicações:
- Equipamento de rodas de caçam-
bas
- Escavadores
- Misturadores, agitadores, e amas-
sadores

Tamanho Tipo A D L d1 d2 l2 Massa kg1)


max max. max.
154 T 80 190 143 32 28 60 4,5
154 DT 102 190 165 32 28 80 5,8
206 T 97 248 183 42 42 80 11,5
206 DT 137 248 223 42 42 115 14,7
274 T 135 328 291 65 55 90 23
274 DT 175 328 331 65 55 125 30
366 T 198 424 357 75 65 120 56
ød1 I2 ø d2 øD 422 T 218 470 391 90 80 135 79
487 T 246 556 436 100 90 155 122
562 T 269 634 490 120 110 170 189
650 T 317 740 591 140 120 200 297
750 T 366 842 529 140 135 240 431
866 T 421 978 610 160 150 265 644
1000 T 441 1118 651 180 160 280 965
A 1150 T 505 1295 715 180 180 320 1337
1150 DT 830 1295 1040 180 170 550 1677
L 1) Massa com conexão elástica e máx. carga de óleo

5
Partida Suave
Turbo acoplamento tipo TV e TVV

Esta versão incorpora uma câmara de


retardamento flangeada ao rotor ex-
terno do acoplamento (Tipo TV).

Na condição de repouso uma parcela


do fluído de trabalho ocupa a câmara
de retardamento, reduzindo o volume
na câmara de trabalho. Portanto, na
partida é transmitido um torque redu-
zido, permitindo uma aceleração do
motor sem carga. Após o motor ter
atingido sua rotação nominal, o fluido
de trabalho flui da câmara de retarda-
mento para a câmara de trabalho len-
tamente, acelerando a máquina acio-
nada suavemente até sua velocidade
de operação. Após a transferência de
todo o fluido o acoplamento tem
plena capacidade de transmissão.

Para aplicações especiais pode se


utilizar uma câmara de retardamento
ampliada, reduzindo-se ainda mais o
torque de partida transmitido, permi-
tindo uma aceleração mais suave e Aplicações:
mais konga da máquina acionada.
- Correntes
- Transportadores de correia
Em alguns casos pose-se influenciar
- Centrífugas, decantadores
o funcionamento da câmara de re-
- Moinho
tardamento através de válvulas atua-
- Máquinas de grande inércia
das pela força centrífuga (TVF) ou re-
enchimento dinâmico (TVY). Tamanho Tipo A D L d1 max. d2 max. l2 Massa kg1)
274 TV 172 328 328 65 55 90 38
274 TVV 204 328 360 65 55 90 39
274 DTV 244 328 403 65 55 105 45
366 TV 225 424 384 75 65 120 61
366 TVV 295,5 454,5 75 65 120 64
422 TV 257 470 430 90 80 135 88
L 422 TVV 335 508 90 80 135 92
A
487 TV 297 556 487 100 90 155 126
487 TVV 382 572 100 90 155 136
562 TV 333 634 554 120 110 170 198
562 TVV 428 649 120 110 170 206
650 TV 384 740 658 140 120 200 307
650 TVV 494 768 140 120 200 322
ø d1 l2 ø d2 D 750 TV 440 842 603 140 135 240 454
750 TVV 567 730 140 135 240 472
866 TV 493 978 682 160 150 265 668
866 TVV 641 830 160 150 265 696
1000 TV 547 1118 757 180 160 280 943
1000 TVV 686 896 180 160 280 982
1150 TV 670 1295 880 180 180 320 1180
1150 TVV 883 1093 180 180 320 1233
A 1) Massa com conexão elástica e máx. carga de óleo
L

6
A Inovação
Turbo Acoplamento Tipo TVVS

Um desenvolvimento subsequente da
Voith é a câmara de retardamento
anular periférica adicional a câmara
de retardamento central (tipo TVVS).

A câmara de retardamento adicional


permite reduzir ainda mais o torque de
partida. Durante as rotações ini-
ciais no processo de partida, a força
centrífuga faz com que a câmara pe-
riférica do acoplamento seja comple-
tamente preenchido com o fluído de
operação vindo da câmara de traba-
lho com pás.
Em comparação com acoplamentos
sem câmara anular periférica, a câ-
mara de trabalho com pás é consi-
deravelmente esvaziada, o que por
sua vez reduz o torque transmitido
durante a partida do motor.
O aumento de torque segue então
por esvaziamento gradual da câmara
de retardamento central para a câma-
ra de trabalho com pás.
O procedimento de partida pode ser Aplicações:
adaptado aos requisitos de apli-
- Transportadores de Correia
cações através dos bujões de re-
strição reguláveis.
Este novo conceito de acoplamento
foi projetado especialmente para
acionamentos de transportadores de
correia.
Através do aumento gradual do tor-
que, atinge-se uma adaptação au-
tomática à carga das correias.

ø d1 l2 ø d2 D Tamanho Tipo A D L d1 d2 l2 Massa kg1)


max. max.
422 TVVS 335 470 508 90 80 135 94
487 TVVS 382 556 572 100 90 155 145
562 TVVS 428 655 649 120 110 170 217
650 TVVS 494 756 768 140 120 200 512
750 TVVS 567 872 730 140 135 240 436
A 866 TVVS 636 1012 825 160 150 265 772
1) Massa com conexão elástica e máx. carga de óleo
L

7
Para transmissões por polias e correias
Turbo acoplamento Tipo TRI/TVRI

A polia para correia plana ou em V


flangeada na tampa do mancal per-
mite realizar várias relações de trans-
missão em arranjos de eixos parale-
los. Se necessário a polia pode ser
facilmente substituida.

Turbo acoplamentos TRI e TVRI são


normalmente instalados em balanço
sobre o eixo do motor ou da máquina.

A tração da correia é suportada por


um rolamento situado na tampa de
mancal sobre o cubo do acoplamento.

Turbo acoplamentos do tipo TRI


podem ser usados tanto como auxilio
de partida como para proteção con-
tra sobrecarga. O Tipo TVRI com
câmara de retardamento é recomen-
dado se for requerida uma partida
particularmente suave.

Aplicações:
- Centrífugas e decantadores
- Ventiladores
- Mistudadores
- Moinhos

Tamanho Tipo A D B dt d Massa kg1)


max. min. max.
206 TRI 97 248 70 116 42 9,5
A 206 DTRI 137 248 70 116 42 12,5
274 TRI 137 328 100 150 55 25
B 274 TVRI 172 328 100 150 55 28,5
274 DTRI 175 328 135 165 60 33
274 DTVRI 242 328 135 165 60 38
366 TRI 198 424 145 160 65 42
366 TVRI 225 424 145 160 65 49
ø dt ø d D 422 TRI 205 470 160 182 70 65
422 TVRI 257,5 470 160 182 70 71
487 TRI 246 556 201 233 90 99
487 TVRI 297 556 201 233 90 109
562 TRI 269 634 294 265 100 162
562 TVRI 333 634 294 265 100 174
650 TRI 317 740 – 423 105 228
A 650 TVRI 384 740 – 423 105 246
1) Massa com carga de óleo e sem polia.

8
Dispositivos de monitoração
e acessórios

MTS - Dispositivo comutador BTS - Dispositivo comutador Dispositivo de montagem e


térmico mecânico térmico sem contato desmontagem

Como proteção contra super-aqueci- A monitoração da temperatura do Necessários para uma montagem e
mento, utiliza-se como padrão bujões acoplamento ocoore sem contato. desmontagem correta e segura.
fusíveis.
Após atuação do dispositivo não é Além dos dispositivos mecânicos de
Para se evitar a perda do fluído de necessário a substituição do elemen- montagem e desmontagem, está dis-
trabalho pode ser adicionado um co- to térmico. ponível um dispositivo hidráulico.
mutador térmico mecânico MTS.
Após o resfriamento o acoplamento Visor de óleo
Ao atingir a temperatura de reposta, o está pronto para entrar novamente
elemento ativa um pino que opera em operação. Através da instalação de um visor de
uma chave. óleo no rotor externo pode se verifi-
O sinal de comando pode ser usado car o grau de enchimento sem aber-
Dependendo do tipo de circuito, o para alarme ou desligamento do tura do acoplamento.
sinal pode ser usado tanto como alar- motor.
me ou para desligar o motor.
Em alguns casos o BTS pode ser
O elemento térmico necessita ser usado para monitorar a rotação.
substituído após a sua atuação.

9
Aplicações especiais
Tipos adicionais

Para prever soluções numa maior


gama de aplicações nossos engen-
heiros e técnicos desenvolveram for-
mas construtivas adicionais de aco-
plamentos de enchimento constante.

Turbo acoplamento com eixo ma- Turbo acoplamento com flange


ciço e flange de ecoplamento
primária Para uso com sistema frenagem, o
turbo acoplamento pode ser equipa-
O acoplamento é montado rigida- do com um flange para freio adicional
mente ao eixo do motor através de onde é fixado um tambor ou disco de
um flange primário. freio.

O peso de acoplamento é portanto


suportado pelo eixo do motor alivian-
do o eixo do redutor.

Entre o eixo maciço de saída do aco-


plamento e o eixo do redutor deve
ser instalada uma conexão elástica.

Utilizando-se um acoplamento flexível


adequado permite-se uma montagem
e desmontagem radial do acopla-
mento sem movimentar o motor ou o
redutor.

10
Turbo acoplamento com circuito Acoplamento com polia sem tampa Turbo acoplamento com polia em
de óleo duplo tipo DT de mancal tipo TRI balanço tipo TR

Este acoplamento tem dois circuitos Este tipo de acoplamento é adequa- Nesta versão simplificada do acopla-
de trabalho coaciais operando em do para polias de diâmetros particu- mento com polia a mesma é flangea-
paralelo. larmente reduzidos. da em balanço na concha do acopla-
mento.
Através do circuito duplo a capacida- A polia com o rolamento integrado é
de do acoplamento é duplicada para flangeado na carcaça do acoplamen- O Turbo acoplamento TR permite
o mesmo tamanho de acoplamento. to. uma solução econômica na gama in-
ferior de potências.
As características tais como, partida A substituição da polia a posterior é
e proteção contra sobrecarga são consequentemente mais trabalhosa.
comparáveis com aqueles do tipo
básico sem câmara de retardamento.

Para tamanhos disponíveis do Turbo


acoplamento tipo DT veja diagrama de
performance característica na pág. 4.

11
Competência na Voith S.A.
Máquinas e Equipamentos

técnica de acionamento Rua Friedrich von Voith, 825


02995-000 - São Paulo - Brasil

hidrodinâmico Tel. (11) 840 4122


Fax. (11) 840 4800

Voith Turbo GmbH & Co. KG


Start-up Components
P.O. Box 1555
D-74555 Crailsheim
Phone +49 79 51 32-0
Fax +49 79 51 32-650
http://www.voith.com
E-Mail: anfahrkomponenten@voith.com

A técnica de acionamento moderna ESPRIT, EXCELLENCE e EFFIZIENZ


exige tecnologia moderna. Por isto juntos simbolizam os fatores através
Voith está presente onde exigências dos quais surgem conceitos e produ-
extremas requisitem soluções a altura. tos são criados dentro do Grupo
Voith.
Décadas de experiência no campo hi-
drodinâmico, continua pesquisa e ESPRIT – pesquisa e desenvolvimen-
desenvolvimento, tecnologia de pro- to a serviço do cliente.
dução moderna, e o know how dos
nossos funcionários asseguram a alta EXCELLENCE – estar na vanguarda.
qualidade dos nossos produtos e os
mantém na vanguarda do desenvolvi- EFFIZIENZ – transformando a capaci-
mento tecnológico. dade individual em sucesso em-
presarial. Para nossos clientes, para
Nosso sistema de garantia da quali- nossos colaboradores, para nossa
dade é certificada de acordo com empresa.
DIN ISO 9001.

Nossos técnicos e enginheiros espe-


cializados estão à disposição de nos-
sos clientes para determinar uma so-
lução optimizada do acionamento para
cada aplicações.

Empresas de marketing e represen-


tantes em todas os continentes asse-
guram um contato próximo com os
nossos clientes e garantem uma rápi-
da assistência técnica.

Cr 128 p

G R O U P O F C O M PA N I E S