Você está na página 1de 2

“PSICOPEDAGOGIA

PSICOPEDAGOGO
& PSICOMOTRICIDADE
R E S ENA H A: DE
NREDE PONTOS DE INTERSECÇÃO”
ENSINO

APRENDERA LER E A ES CREVER:


ESCREVER
UMA PROPOSTA CONSTRUTIVIST
PROPOSTA CONSTRUTIVISTAA
Resenha: Rosa Maria Junqueira Scicchitano

Autoras: Ana Teberosky; Teresa Colomer. Ed. Artmed, 2003

As pesquisas de Ana Teberosky, No primeiro capítulo, sobre "as


realizadas em conjunto com Emília primeiras experiências das crian-
Ferreiro sobre a psicogênese da língua ças com a linguagem escrita", a
escrita, são amplamente conhecidas em alfabetização como prática cultural
nosso meio. é analisada pela perspectiva das
Muitos dos estudos realizados por interações entre o adulto e a crian-
Ana Teberosky, em mais de 20 anos de ça. As aprendizagens que as crian-
pesquisa, têm sido publicados no Brasil. ças constróem, antes e durante a
Uma parte importante de suas escolarização, são influenciadas
publicações refere-se ao trabalho com pelas condições do ambiente -
os professores. familiar e escolar - e desenvolvem-
Ana Teberosky acredita que as formas se melhor se o ambiente alfabe-
tradicionais de trabalho pedagógico tizador for rico em materiais escri-
podem ser renovadas pelo papel do professor e tos e em interações e práticas de leitura e escrita,
de seus conhecimentos sobre as concepções que em que os adultos reconheçam e dêem significado
a criança vai construindo a respeito da escrita, às intenções de escrita e às respostas das crianças
antes mesmo de saber ler e escrever, pelos ainda pequenas.
conhecimentos do professor sobre as concepções A prática de ler histórias em voz alta é, de
que a criança constrói enquanto aprende a ler e modo especial, um meio importante para as crian-
a escrever e pelos conhecimentos que vão "além ças aprenderem as diferenças entre a linguagem
da alfabetização". coloquial e a linguagem mais formal dos textos
Neste livro, escrito com a colaboração de Teresa escritos.
Colomer, Ana Teberosky apresenta a história de A autora assinala que em ambientes informa-
como as crianças pequenas aprendem a ler e a tizados "a participação da criança nas práticas
escrever. Uma história em que os pais, os junto ao computador cria um novo tipo de leitura
professores e o cenário - constituído por ambientes e uma nova escrita que se distancia em alguns
ricos em experiências com a leitura e a escrita - aspectos das mesmas atividades realizadas em
assumem papel fundamental. suportes de papel".
Os títulos dos capítulos são muito sugestivos No final do primeiro capítulo, Ana Teberosky
e dão ao leitor uma visão do modelo de trabalho analisa "o efeito Mateus" - efeito da participação
proposto por Ana Teberosky. das crianças em práticas sociais de leitura e escrita.

Rosa Maria Junqueira Scicchitano – Psicopedagoga, Correspondência


Doutora em Psicologia Escolar pela USP, professora Rua Souza Naves, 2615 – Apto. 301 – Londrina – PR
associada da Universidade Estadual de Londrina, Brasil – 86015-430
professora de cursos de Pós-Graduação em Psicopedagogia. E-mail: spgceca@uel.br / rosamariajs@bol.com.br
Conselheira eleita da ABPp para o triênio 2005-07.

Rev. Psicopedagogia 2004; 21(66): 269-70

269
SCICCHITANO
COSTA AC RMJ

No segundo capítulo, ao tratar da "construção Resultados de pesquisa e exemplos de


do conhecimento sobre a escrita", Teberosky atividades de "produção de escritos e de partici-
retoma resultados do primeiro trabalho de pação em leituras compartilhadas na sala de aula",
investigação desenvolvido com Emília Ferreiro, mostram procedimentos e noções que são elabo-
bem como dados de seus trabalhos posteriores e rados e compartilhados pelas crianças e pelos
de investigações de outros autores. Acrescenta professores. Os exemplos em que uma criança
reflexões sobre as conseqüências pedagógicas dita o texto para o professor e em que uma criança
derivadas do processo de construção de dita o texto para outra criança, evidenciam o
"conhecimentos conceituais" e de "conhecimentos quanto uma atividade aparentemente tão simples
procedimentais" pela criança. envolve conhecimentos sobre a escrita e a leitura
A autora trata também de uma questão que só e como a relação entre a leitura e a escrita vai
muito recentemente tem sido estudada: a sendo construída pela criança.
profunda influência que a aprendizagem da O capítulo V, sobre "livros infantis na sala de
leitura e da escrita tem sobre muitos aspectos da aula", escrito por Teresa Colomer, apresenta
competência lingüística dos falantes. sugestões ricas e valiosas para a formação de uma
No capítulo III, "um modelo de ensino da biblioteca de sala de aula para os leitores
linguagem e da alfabetização" é apresentado. São iniciantes.
discutidas algumas questões que devem ser É um livro envolvente e rico de idéias e
levadas em consideração na organização do propostas. Escrito de forma clara e organizado
ensino da leitura e da escrita na educação infantil. de modo atraente, oferece contribuições muito
Um exemplo de atividade de aprendizagem valiosas para todos aqueles envolvidos com a
fundamentada nos princípios construtivistas é aprendizagem inicial da leitura e da escrita. É
descrito e discutido. A autora procura responder especialmente recomendado para professores e
uma questão que tanta perplexidade e inquie- psicopedagogos que têm nele um suporte teórico
tação traz aos professores: "em que consiste e um modelo para pensar estratégias para o
exatamente a perspectiva construtivista"? trabalho pedagógico em sala de aula e para o
No capítulo IV, sobre "o ambiente material e trabalho de intervenção na clínica psico-
social e o papel do professor na sala de aula", pedagógica.
são apresentadas condições ambientais e sociais
para o desenvolvimento da leitura e da escrita,
assim como, atividades de aprendizagem em sala
de aula, em particular a atividade de "escrever e Artigo recebido: 30/06/2004
reescrever". Aprovado: 30/09/2004

Rev. Psicopedagogia 2004; 21(66): 269-70

270