Você está na página 1de 2

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIRIM

Ano letivo 2020/2021

CURSO PROFISSIONAL: TÉCNICO DE MULTIMÉDIA


DISCIPLINA: PROJETO E PRODUÇÃO MULTIMÉDIA
UFCD 9955 PROJETO DE DESIGN | 2ºANO Ficha nº5
NOME: ____________________________

Conteúdos: Tipologia: Importância da tipologia; História da tipologia

Tipografia é o processo de organizar letras, palavras e textos para, praticamente, qualquer


contexto imaginável, além de ser uma das ferramentas mais importantes que o designer deve
dominar. Os designers gráficos aprendem as nuances da tipografia para usá-la com
criatividade e senso de exploração, mantendo o respeito pelas suas regras e tradições.

Em design, a tipografia é a manifestação visual da linguagem, usando as suas


qualidades expressivas e práticas, e ocupam um lugar único em que arte, ciência e
comunicação se conectam. Basta olhar para as obras de poetas concretos ou pra diversos
movimentos artísticos como futurismo e dadaísmo para ver a relevância da tipografia como
meio estático. A tipografia envolve o design e a seleção de tipos, primando pela
legibilidade e pela comunicação de informações; em alguns casos, a experimentação
estética é colocada em segundo plano em nome de preocupações pragmáticas.

A tipografia expressiva e as letras desenhadas à mão são, por si sós, uma forma de arte
caligráfica. Com tantas opções de interpretação tipográfica, a experimentação com layouts
ajuda-nos a aprender como avaliar a visibilidade e as nuances da mensagem antes de
trabalhar na tela. Essas etapas iniciais serão essenciais para nos ajudar a aprender mais
sobre as subtilezas da tipografia.

TIPOGRAFIA E SENTIDO
Por definição uma mensagem tipográfica deve transmitir sentido, para além da sua
beleza intrínseca. O sentido e a sua expressão estão no cerne da atividade
tipográfica, tanto no nível das palavras individuais como no nível de passagens
inteiras de texto. Chamamos a isso de significado linguístico, uma vez que o sentido
reside na linguagem.

Letras e palavras possuem uma beleza abstrata, que é vista e apreciada por meio de
experimentos com a anatomia dos tipos, isolando as formas e separando os elementos de
letras individuais, muitas vezes revelando as letras como formas e não como objetos
linguísticos carregados de sentido. Mas, no instante em que as palavras se materializam
sobre a página ou na tela, elas começam a expressar ideias e passam a ser dotadas dessa
qualidade fugaz à qual chamamos sentido. O significado linguístico, um elemento essencial da
tipografia, pode ser expresso, controlado e amplificado por meio de variáveis tipográficas
como corpo, peso, família (ou fonte), posicionamento sobre a página e espaçamento entre
letras. Às vezes, como no caso das páginas de um livro, os aspetos visuais da tipografia
devem ficar em segundo plano, priorizando o processo de compreensão. Mas os designers
usam essas técnicas visuais o tempo todo, para comunicar as mensagens de modo eficaz. É
importante adquirir segurança para trabalhar com textos dessa maneira, para que o processo
de liga a forma tipográfica ao significado linguístico torne-se algo natural.

SENTIDO

Mas o que é “sentido”? um termo alternativo é “semântica”, um subtópico importante dentro


de todos os aspetos do design, que merece ser explorado mais detalhadamente. Semântica é
o estudo do sentido e isso se aplica tanto a imagens como á linguagem. “Sintaxe” (ou
gramática) refere-se às regras que governam a organização dos elementos de uma frase ou
GLOSSÁRIO
parágrafo para que o sentido seja transmitido. Se a
sintaxe estiver errada, a linguagem torna-se disparatada FAMÍLIA TIPOGRÁFICA: o
e perde o sentido. De modo geral, dizer que algo tem conjunto de atributos visuais (design
ou estilo) de um conjunto de letras
sentido (valor semântico) depende da sua capacidade de
específico: Garamond é uma família.
apresentar a sua ideia de forma a que possa ser
comunicada ou compartilhada. No significado linguístico FONTE: corpo, peso e largura de
(o sentido baseado na linguagem, no qual a tipografia uma família tipográfica. Garamond
está envolvida), essa comunicabilidade baseia-se em Roman 12 pt é uma fonte.
conjuntos de símbolos da língua em questão, que inclui LINGUÍSTICO: aquilo que está
letras e palavras, além do espaço entre palavras, relacionado à linguagem.
pontuação e posicionamento de caracteres.
SEMÂNTICA: estudo do sentido na
Tipográficos como Wofgang Weingart, Willem Sandberg e linguagem e em outros campos.
H. N. Werkmann levaram a expressão de sentido na
SINTAXE: estudo das regras que
tipografia até seus limites e, assim, expandiram seu
permitem a formação de frases
vocabulário visual e potencial expressivo, trabalhando na gramaticalmente corretas.
fronteira entre linguagem e sentido.

Artistas dadaístas e futuristas como Kurt Schwitters e Tristan Tzara, Marinetti e Wyndham
Lewis experimentaram com a relação entre linguagem e sentido. Vale a pena estudar mais de
perto esses nomes históricos, assim como seus experimentos tipográficos. Estude também as
obras dos poetas concretos E. E. Cummings e Apollinaire, bem como o trabalho de designers
contemporâneos como Robert Massin, Johanna Drucker e Erik Spiekermann. Além disso,
procure conhecer a obra de David Carson, que usou tipos como textura na revista Ray Gun, e
as soluções gráficas de tipografia que Paula Scher aplicou ao design de cartazes e gráficos
ambientais.

INVENÇÃO DA TIPOGRAFIA
Na maioria dos casos, uma composição tipográfica deve ser especialmente legível e
visualmente envolvente, sem desconsiderar o contexto em que é lido e os objetivos da sua
publicação. Em trabalhos de design gráfico experimental (ou de vanguarda) os objetivos
formais extrapolam a funcionalidade do texto, portanto questões como legibilidade, nesses
casos, podem acabar sendo relativas.

Por muito tempo o trabalho com a tipografia, como atividade projetual e indústria gráfica, era
limitado aos tipógrafos (técnicos ou designers especializados). O design de tipos, no entanto,
atividade altamente especializada que requeria o conhecimento das técnicas de gravar
punções para fazer as matrizes usadas para fabricar tipos, foi desenvolvida desde o ínicio por
especialistas, os gravadores de tipo ou puncionistas, verdadeiros designers de tipo antes que
a denominação entrasse no vocabulário profissional. Foram designers de tipo e puncionistas
Claude Garamond e Giambattista Bodoni, criando fontes clássicas que até hoje são
apreciadas.

HISTÓRIA DA TIPOGRAFIA
A história da tipografia começa na China durante a dinastia Tang e evoluiu até à dinastia
Song, onde foram produzidos os primeiros tipos móveis em argila pelo alquimista Bi Sheng.
Séculos depois na Alemanha o método da tipografia evoluiu nas mãos de Johannes Gutenberg
que inventou a prensa que utiliza os tipos móveis para realizar a impressão.

TAREFA: Crie uma linha de tempo, na qual faz a evolução e referência aos principais marcos
da história da tipografia.