Você está na página 1de 2

INSTRUÇÕES PARA A REDAÇÃO

1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.


2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões
terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.
4. Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:
4.1. tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente”.
4.2. fugir ao tema ou não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.
4.3. apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto.

TEXTOS MOTIVADORES

TEXTO I
O QUE É CONSUMO CONSCIENTE?
O primeiro passo para entender o que é consumo consciente é perceber que o consumo de
toda e qualquer coisa, seja um produto ou serviço, traz consigo consequências positivas e negativas.
O ato de consumir afeta não apenas quem faz a compra, mas também o meio ambiente, a economia
e a sociedade como um todo. Por isso é tão importante refletir sobre os nossos hábitos de consumo,
estar atento à real necessidade do que consumimos e aos possíveis impactos que uma compra pode
causar.
Produzir menos lixo, conhecer a origem e os processos de fabricação dos produtos que
compramos e saber os impactos que eles causam ao longo de toda sua vida útil, da extração da
matéria-prima ao descarte final, são algumas das atitudes que fazem parte do consumo consciente.
Esse olhar atento às externalidades do consumo é também o que permite ao consumidor consciente
cobrar mudanças do poder público.
BUZZO, Bruna. e-cycle. Disponível em: https://www.ecycle.com.br/. Acesso em: 18 setembro 2020 (fragmento)

TEXTO II

CONSUMO, CONSUMISMO E SEUS IMPACTOS NO MEIO AMBIENTE


O ato de consumo em si não é um problema. O consumo é necessário à vida e à sobrevivência
de toda e qualquer espécie. Para respirar precisamos consumir o ar; para nos mantermos hidratados,
temos que consumir água; para crescermos e nos mantermos saudáveis, necessitamos de alimentos.
O mesmo acontece com outras espécies que compartilham este planeta conosco. São atos naturais
que sempre existiram e que precisamos para nos mantermos vivos.
O problema é quando o consumo de bens e serviços acontece de forma exagerada, levando à
exploração excessiva dos recursos naturais e interferindo no equilíbrio estabelecido do planeta.
Relatórios de respeitadas organizações ambientais defendem que nós, seres humanos, já
estamos consumindo mais do que a capacidade do planeta de se regenerar, alterando o equilíbrio da
Terra. Segundo o relatório Planeta Vivo (WWF, 2008), a população mundial já consome 30% a mais
do que o planeta consegue repor.

Consumo influencia lixo e exploração de recursos naturais


Um outro problema, além da exploração do planeta, é a produção de lixo, os restos gerados
diariamente pela sociedade. Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil em 2018 nosso
País produziu cerca de 79 milhões de toneladas de RSU (Resíduos Sólidos Urbanos).
Cerca de 51% deste resíduo é matéria orgânica, isto é comida, alimento. Os outros 49% é
composta por materiais de todo tipo, como plástico, vidro, alumínio, papel, tecidos (como roupas
velhas), borracha etc. Essa quantidade monumental de lixo provoca um grande impacto
socioambiental, especialmente se considerarmos que a maioria das cidades brasileiras não possui um
depósito adequado para o mesmo.
A questão que temos que colocar aqui é: de quem é a responsabilidade pelo descarte desta
quantidade monumental de resíduos, em especial as embalagens?
BERNHARDT, Eduardo. Recicloteca. Disponível em: http://www.recicloteca.org.br/. Acesso em: 18 setembro 2020 (fragmento)

TEXTO III

OS IMPACTOS AMBIENTAIS DECORRENTES DA CADEIA PRODUTIVA TÊXTIL


O mercado da moda dita quase que diariamente novas tendências, modas sazonais e produz
novas coleções que alimentam o consumo desenfreado. A cada dia é maior e desmedido o consumo
do fast fashion. Segundo dados do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), a produção de
roupas, meias e acessórios no Brasil alcançou 6,4 bilhões de peças em 2010. Você já parou para
pensar onde e como foi produzida, quem são as pessoas envolvidas na fabricação e quais são os
impactos de cada peça que compramos?
Os impactos decorrentes da produção percorrem toda a cadeia produtiva têxtil: desde o plantio
do algodão até a confecção da peça, além dos impactos derivados da comercialização. O cultivo do
algodão, em virtude da grande quantidade de pesticidas, inseticidas e fertilizantes empregados para
a obtenção da fibra, causa contaminação da água, do solo e da fauna local. Além de consumir um
volume gigantesco de água nos processos de beneficiamento e acabamento – alvejar e tingir produtos
têxteis. Ao longo da cadeia produtiva têxtil, os impactos ambientais envolvem contaminação do solo,
consumo de água, de energia, emissões atmosféricas de poluentes e resíduos sólidos. No aspecto
social – e também sustentável – que muitas vezes envolve o grave problema da mão de obra
explorada de maneira análoga ao trabalho escravo, infelizmente uma prática muito presente inclusive
na produção de grandes cadeias de lojas e marcas que terceirizam a produção e a responsabilidade
sobre a questão.
Portogente. Disponível em: https://portogente.com.br. Acesso em: 18 setembro 2020 (fragmento)

TEXTO IV
EXISTE CONSUMO COM SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL?
O consumo é um conceito que vai muito além do “consumismo” ou do consumo de produtos
tangíveis, em especial os encontrados no varejo. Consumimos produtos, serviços, informações e
símbolos, diariamente, consciente ou inconscientemente. O próprio conceito de sustentabilidade tem
sido “consumido” exaustivamente nas últimas décadas. Consumir não é necessariamente negativo e
seríamos incapazes de renunciar a essa prática. Porém, o crescimento do número de pessoas e da
capacidade de produção impõe uma responsabilização individual e coletiva sobre o seu impacto.
A sustentabilidade que costumava ser uma bandeira de especialistas e um assunto visto como
importante, mas de certa forma distante das urgências cotidianas, hoje está no centro do debate social
e econômico. E, no World Economic Forum (WEF), que encerrou na semana passada [janeiro de
2020], em Davos, na Suíça, não foi diferente. O evento é um dos mais importantes encontros do
mundo entre líderes de diferentes setores e países e serve de palco para governos e empresas
apresentarem suas propostas no equacionamento dessa problemática.
[...]Dentre as temáticas debatidas, uma economia livre de lixo (waste-free economy) atinge
diretamente as estratégias das empresas. Em geral, convivemos com um desconforto relacionado à
questão, mas não temos a real dimensão das marcas que causamos ao meio ambiente. Quantos
quilos de lixo um indivíduo produz anualmente? Estudos apontam que um brasileiro está perto de
superar a geração de 300 quilos de lixo ao ano. Considerando o peso médio do brasileiro
(aproximadamente 70kg) podemos dizer que cada um de nós despeja quatro vezes o seu peso em
resíduos. Estamos acima da média mundial, mas abaixo dos países de alta renda, mesmo que estes
representem uma fatia pequena da população planetária
E o que gera todo esse lixo? Quanto mais renda, mais consumo. O desperdício de plástico, por
exemplo, está sufocando os oceanos, mas o nosso consumo desta onipresente substância está
apenas aumentando. E, para agravar a situação, cidades crescem rapidamente, sem sistemas
adequados para gerenciar o volume e a composição de resíduos dos seus cidadãos. As empresas
têm responsabilidade direta sobre esse cenário. Algumas delas apresentaram seus projetos em
Davos para reduzir os rastros que seus produtos causam no planeta, seja reduzindo a quantidade de
embalagens plásticas (Unilever e Nestle), seja utilizando matéria prima reciclada (Adidas), por
exemplo.
ANDREUCCI, Cecília. Isto é dinheiro. Disponível em: https://www.istoedinheiro.com.br. Acesso em: 18 setembro 2020
(fragmento adaptado)

PROPOSTA DE REDAÇÃO

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao
longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita
formal da língua portuguesa sobre o tema “Responsabilidade ecológica e consumo
consciente no Brasil”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos
humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos
para defesa de seu ponto de vista.

Você também pode gostar