Você está na página 1de 4

Departamento de Línguas

7º Ano | Português
Ficha de Trabalho| outubro | Ano Letivo 2020/2021

Adjetivite
Estava uma bela manhã de primavera. Um pouco fresca e
ventosa, mas também perfumada e luminosa. Que manhã fabulosa! Era
uma manhã excitante e intrigante, poderosa, aventurosa, uma manhã
maravilhosa. No entanto, a certa altura – tudo o que acontece, acontece
«a certa altura» –, a manhã começou a sentir-se esquisita, estranha,
bizarra. Mandou-se chamar o médico. Que médico?
Um bom médico. Um médico sábio.
Um médico experiente. Um médico famoso. Um médico paciente.
O quê? Cinco médicos? Isso é caro. Isso é muito caro, Isso é caríssimo!
Não! Apenas um médico com cinco atributos! É mais económico!
Um médico bom, sábio, experiente, famoso e paciente.
Que era também um homem cabeçudo, alto e ruivo, com uma barba cor de laranja que lhe
dava pela cintura e que ele prendia com nós de marinheiro no cinto castanho de couro, de onde
também pendia a sua maleta de médico (que era preta, já agora).
Ei-lo que entra no quarto da nossa doentinha, a manhã de primavera. É um quarto
pequeno mas amoroso, lindamente decorado, limpo e alegre, etc. O médico bom, sábio,
experiente, famoso e paciente dirige-se à cama estreita. Palpa o pulso da bela, fresca, ventosa,
perfumada, luminosa, etc. manhã de primavera. Diz, depois de pigarrear (pigarrear é coisa que os
médicos gostam muito de fazer):
– Esta manhã de primavera está doente, ou seja, está enferma.
Ficou tudo estarrecido e horrorizado. E surpreendido e agitado. Percorreu o quarto de lés-
a-lés um sururu. Uma agitação nervosa. Uma certa confusão.
– Que tem ela? Que se passa? – perguntámos em coro, à volta da cama.
– Tem uma doença séria, ou seja, uma doença grave.
– Que doença? Mas que doença? – voltámos a perguntar.
– O que se passa é o seguinte: esta manhã de primavera engoliu uma quantidade excessiva
de adjetivos e, por conseguinte, ou seja, por consequência, o nível de adjetivos no sangue subiu
demais, ou seja, é agora excessivo. Ela está com uma adjetivite, a coitadinha.
– E vai morrer? – perguntámos, dramáticos.
– Qual quê? Isto é só uma adjetivite… se fosse uma adjetivose… E, antes de termos tempo
para perguntar: «Doutor, o que é uma adjecivose?», o médico continuou:
– Uma adjetivose é uma adjetivite agravada por adjetivos pomposos como fragrante,
matizada, resplendente, rósea, olorosa, etc. Isso sim, seria mortal. Mas esta manhã de primavera
sofre de uma adjetivite simples. É uma doença grave, mas basta operá-la aos adjetivos repetitivos e
aos adjetivos que não estão lá a fazer nada e passa a ser uma bela manhã de primavera
completamente normal.
Respirámos de alívio. A adjetivite, afinal, é curável! É só tirar os adjetivos repetitivos e os
adjetivos que estão a mais…
– Doutor – perguntámos – quais são, se faz favor, os adjetivos repetitivos e os que estão a
mais?
Fez-se um minuto de silêncio. O médico parecia pensar. Depois abriu a sua maleta preta,
tirou de lá um bisturi e avançou de repente para a cama, gritando:
– Todos! Todos! Todos estão a mais!
E, erguendo bem alto o bisturi que ainda pingava sangue, aproximou-se da manhã de
primavera que tremia de pavor dentro da cama, lívida, agarrada aos lençóis. Depois de limpar o
sangue do bisturi nas barbas cor de laranja, o médico preparou-se para extirpar os atributos todos
à manhã de primavera! Foi então que percebemos que se tratava de um louco. Um de nós agarrou-
lhe na mão, outro arrancou-lhe o bisturi e correu a atirá-lo pela janela. (Ao bisturi, não ao médico.)
Ouviu-se um grito estridente lá fora, no passeio. Aproximámo-nos da janela, enquanto o médico
escapava pela porta, dando umas gargalhadas sinistras. No passeio, ferido num braço e fazendo
uma grande fita, estava Dom Mínimo, o Anão Enorme.

GOMES, Luísa Costa (2009). Dom Mínimo, o anão enorme e outras histórias, Lisboa, Texto
editores.

Grupo I – Leitura

1 – “Isso é caro. Isso é muito caro. Isso é caríssimo”. Indica o efeito que o narrador obteve ao
flexionar o mesmo adjetivo em diferentes graus.
2 – “Um médico bom, sábio, experiente, famoso e paciente”. Indica o recurso expressivo presente
na frase: e explica a sua expressividade.
3 – “Depois de limpar o sangue do bisturi nas barbas cor de laranja, o médico preparou-se para
extirpar os atributos todos à manhã de primavera!” Imagina que o médico teria conseguido levar
adiante os seus intentos e redige um parágrafo diferente para concluir esta história.

Relembra: Casos particulares de comparativos e superlativos:


NORMAL COMPARATIVO DE SUPERLATIVO ABSOLUTO
SUPERIORIDADE SINTÉTICO
Bom Melhor Ótimo
Mau Pior Péssimo
Grande Maior Máximo
Pequeno Menor Mínimo
Alto Superior Supremo, sumo
Baixo Inferior Ínfimo

Lista alfabética com alguns adjetivos no grau superlativo absoluto sintético


Acre - acérrimo Livre – libérrimo
Ágil - agílimo
Agradável - agradabilíssimo Magnífico - magnificentíssimo
Agudo - acutíssimo Maléfico - maleficentíssimo
Amigo - amicíssimo Magro - macérrimo
Amável - amabilíssimo Manso - mansuetíssimo
Amargo - amaríssimo Mísero - misérrimo
Antigo - antiquíssimo Miúdo- minutíssimo
Áspero - aspérrimo
Atroz - atrocíssimo Negro - nigérrimo
Audaz – audacíssimo Nobre - nobilíssimo
Benéfico ou beneficente - beneficentíssimo
Benévolo ou benevolente - benevolentíssimo Pagão - paganíssimo
Capaz - capacíssimo Parco (pouco) -parcíssimo
Claro - claríssimo Pessoal - personalíssimo
Célebre - celebérrimo ou celérrimo Pródigo - prodigalíssimo
Comum - comuníssimo Próprio - propriíssimo
Cristão - cristianíssimo Pobre - paupérrimo ou pobríssimo
Crível - credibilíssimo Pulcro -pulquérrimo
Cru - cruíssimo
Cruel - cruelíssimo ou crudelíssimo São - saníssimo
Difícil - dificílimo Sábio - sapientíssimo
Doce - dulcíssimo Sagrado - sacratíssimo
Dócil – docílimo Salubre - salubérrimo
Fácil - facilíssimo ou facílimo Semelhante - simílimo
Fiel - fidelíssimo Sério -seriíssimo
Feliz - felicíssimo Simples - simplíssimo ou simplicíssimo
Feroz - ferocíssimo Soberbo - superbíssimo
Frágil - fragilíssimo
Frio - frigidíssimo ou friíssimo Terrível - terribilíssimo
Geral- generalíssimo Tétrico - tetérrimo
Grácil – gracílimo
Vão - vaníssimo
Humilde -humílimo Veloz - velocíssimo
Horrível – horribilíssimo
Inimigo- inimicíssimo
Íntegro - integérrimo
Interior – íntimo
Exercício
Indica o superlativo absoluto sintético dos adjetivos presentes nas frases seguintes.

a. Ele é um indivíduo amável.


b. A atriz representa uma personagem cruel e feroz.
c. Sou amigo do teu avô.
d. Ele desfez-se de uns móveis antigos.
e. Há gente pobre no meu bairro.
f. O João é fiel aos seus ideais.
g. Os geólogos fizeram descobertas notáveis.