Você está na página 1de 9

Ciências Naturais- 6.

º ano

São seres vivos com dimensões tão reduzidas que


apenas podem ser observados utilizando um
microscópio.
Anton van Leeuwwnhoek
A quantidade e diversidade de microrganismos é construiu um microscópio
ótico de uma só lente e
muito grande. Eles existem na água, no ar, no pela primeira vez foi feita
solo e nas rochas. a descrição detalhada de
microrganismos. Chamou-
Associam-se a plantas, animais e outros
lhes “animálculos”.
microrganismos.

Com a descoberta e aperfeiçoamento do microscópio foi possível


descobrir mais sobre os microrganismos.

. 1977 1983
C. Woese L. Montagnier
agrupou as isolou com a
bactérias em sua equipa, o
dois domínios. vírus da SIDA.
1928
A. Fleming descobriu a
penicilina, um 2010
poderoso antibiótico
C. Venter e a sua equipa
conceberam um
1910 microrganismo
P. Ehrlich foi pioneiro no artificial.
estudo das defesas do
corpo humano contra os
microrganismos.

1887
J. Petri inventou a
placa de Petri.

1876
R. Koch demonstrou
que uma bactéria
provocou uma doença

1861
L. Pasteur descobriu
que os alimentos
podem ser
contaminados por 1677
Microrganismos
A. Leeuwwnhoek observa
microrganismos com um
microscópio.
Ciências Naturais- 6.º ano

Que tipo de microrganismos existem?


Os microrganismos podem ser:

Unicelulares Pluricelulares

São constituídos por uma São constituídos por


só célula. mais do que uma célula.

Os vírus, as bactérias, os protozoários e os fungos são exemplos


de microrganismos:

Organismos muito simples e sem


estrutura celular.

Vírus Reproduzem-se nas células de


outros seres vivos e por isso não
são verdadeiros seres vivos.

Seres vivos unicelulares, sem núcleo


organizado e com formas muito
Bactérias variadas.

Podem estar isoladas ou agrupadas


em colónias.

Seres vivos unicelulares, com


núcleo.
Protozoários Podem estar isolados ou agrupados
em colónias.

Seres vivos unicelulares ou


Fungos pluricelulares com núcleo.
Ciências Naturais- 6.º ano

Qual a influ ncia dos microrganismos na sociedade?


Existem dois tipos de microrganismos:

Microrganismos Microrganismos
Patogénicos Úteis

São responsáveis pelo São inofensivos para o ser


aparecimento de doenças humano. Por vezes são de
grande utilidade:
no ser humano, podendo
- Intervêm na regulação e
mesmo levar à morte.
funcionamento do
Podem entrar no corpo organismo.

humano através de -Intervêm na transformação


e conservação dos
feridas na pelo e através
alimentos.
de aberturas naturais
- Permitem a produção de
(boca, nariz, etc.) medicamentos e vacinas.

Exemplos -Intervêm na regulação


ambiental.
Vírus da gripe suína (H1N1)
capaz de se espalhar entre Exemplos
humanos e provocar uma
pandemia.
-Algumas bactérias que vivem
Bactéria Helicobacter pyliri que no solo enriquecem-no em sais
infeta o tubo digestivo humano minerais e ajudam as plantas a
podendo provocar úlceras e crescer.
cancro do estômago. -Algumas bactérias degradam
Fungo Trichophyton poluentes químicos.
mentagrophytes causador de - Bactérias e fungos participam
infeções na pele humana, como na produção da cerveja, queijo,
o pé de atleta. iogurte, pão e enchidos.
-Os microrganismos que
habitam no interior do tubo
digestivo são importantes para
a saúde.
Ciências Naturais- 6.º ano

Qual a influência do meio nos organismos?


Os microrganismos desenvolvem-se de acordo com a presença de
alguns fatores do meio.

Alimento Disponibilidade
Temperatura Humidade
(nutrientes) de oxigénio

Nos
Num meio que seja adequado às suas necessidades microrganismos
os microrganismos desenvolvem-se rapidamente e que realizam
respiração celular.
aumentam o seu tamanho.

Mas…
Há microrganismos a viver em ambientes muito diferentes:
com ou sem oxigénio, na presença ou ausência de luz, com
temperaturas negativas ou muito elevadas.

Se as condições forem adversas muitos microrganismos têm a


capacidade de permanecer inativos até que voltem a ter condições
adequadas ao seu desenvolvimento.

Que doencas causam os microrganismos?


Os microrganismos patogénicos podem causar doenças infeciosas, por
ação de vírus, bactérias, protozoários ou fungos.

SIDA- Causada pelo vírus da imunodeficiência


humana (VIH), é uma doença sexualmente
transmissível e que leva à destruição do

Vírus sistema imunitário.

Varicela- Causada pelo vírus varicela-zoster


(VVZ), provoca febre e erupções na pele.

Tuberculose- Transmite-se de pessoa para pessoa através


da inalação de gotículas contaminadas. Atinge

Bactérias principalmente os pulmões, mas poe afetar outros órgãos.

Salmonelose- Infeção contraída pela ingestão de alimentos


contaminados.
Ciências Naturais- 6.º ano

Malária- Doença infeciosa causada pelos protozoários do


género Plasmodium, transmitidos pela picada de
mosquitos do género Anophedes.

Protozoários Doença do sono- Infeção parasitária existente em África,


caudada pelo protozoário Trypanosoma brucei e
transmitida pela mosca tsé-tsé.

Pé-de-atleta- Doença contagiosa provocada normalmente


pelos fungos da espécie Trichophyton rubrum. As meias e
os sapatos húmidos facilitam o crescimento destes
microrganismos.
Fungos
Candidiase- Causada pela levedura Candida albicans, pode
afetar a pele ou as mucosas d boca ou da vagina. Este
fungo existe no corpo humano, mas desenvolve-se muito
quando o organismo está debilitado.

Para prevenir e tratar uma doença infeciosa é necessário conhecer o agente


patogénico e a como como se transmite de pessoa para pessoa.

Como se defende o organismo dos agentes patog nicos?


Os microrganismos patogénicos causam doenças infeciosas quando
as defesas do corpo humano falham. Essas defesas são:

Barreiras Defesas
Naturais internas

Dificultam a entrada de Atuam caso os


agentes patogénicos. microrganismos patogénicos
consigam transpor as
Exemplos
barreiras naturais e penetrar
Pele no meio interno.
Mucosas Exemplos
Inflamação
Microrganismos
intestinas Febre

Lágrimas, saliva Sistema imunitário


e suco gástrico Fagocitose e
diapedese
Ciências Naturais- 6.º ano

Barreiras Naturais
Pelos Pele

As sobrancelhas, as A pele que reveste o corpo


pestanas e os pelos nas humano evita a invasão de
narinas filtram as muitos microrganismos.
poeiras e os Uma lesão da pele permite a
microrganismos do ar, entrada de microrganismos.
impedindo a sua
entrada no organismo.

Secreções

As mucosas estão geralmente


cobertas de secreções que
impedem a entrada de
microrganismos.

- A boca contém saliva.

-Os olhos estão humedecidos pelas


lágrimas.

- Os ouvidos possuem cera e as Suco gástrico


narinas muco.
O suco produzido no
- Os sistemas digestivo, estômago é muito ácido e
respiratório e urinário produzem destrói os microrganismos
secreções agressivas para os que aí consigam chegar.
microrganismos.

Defesas internas Os leucócitos estão


envolvidos na:

- Inflamação;
-Febre
- Ativação do sistema
imunitário

Diapedese- Os leucócitos abandonam


os capilares sanguíneos passando entre
as células das suas paredes.

Fagocitose-Qualquer agente patogénico


sem distinção é aprisionado e digerido
pelos leucócitos.
Ciências Naturais- 6.º ano

Os anticorpos são proteínas


produzidas pelos leucócitos à
medida de cada microrganismo
patogénico, com o objetivo de
a ele se ligar.

Numa infeção posterior o


leucócito reconhece o
microrganismo e combate-o
mais eficazmente.

Higiene e prevenç o de doenças infeciosas


O melhor combate às doenças infeciosas é a prevenção, ou
seja, a adoção de medidas que impeçam o desenvolvimento de
microrganismos patogénicos:

- Limpeza do corpo, alimentos, objetos e espaços.

- Em certos locais é necessário proceder a desinfeções, com a


aplicação de desinfetantes ou antisséticos, e esterilizações com
recurso ao calor ou às radiações.

Regras de higiene pessoal e


ambiental
- Lavar as mãos com frequência, antes e depois de ir a casa de banho
ou de realizar refeições.

-Evitar a utilização de sistemas de ar quente para a secagem das


mãos, uma vez que o calor fornece a reprodução de microrganismos;

- Cobrir a boca e o nariz, de preferência com um lenço quendo se tosse


ou espirra, para evitar a propagação dos microrganismos.

-Não introduzir dedos ou objetos, como lápis, na boca ou no nariz;

- Proteger feridas e borbulhas;

- Não partilhar objetos pessoais, como escovas de dentes ou lâminas.

-Conservar os alimentos no frigorífico, como ovos e carnes ou peixes


crus e embalagens abertas de leite ou sumos.

- Manter as casas de banho e as cozinhas limpas, pois são os locais da


casa com maior quantidade de microrganismos.

- Levar os animais de estimação ao veterinário com regularidade e


manter as suas vacinas em dia.
Ciências Naturais- 6.º ano

Preparação de microrganismos ou de partes de microrganismos


patogénicos, mortos ou enfraquecidos, ou de toxinas produzidas
por eles.

São as formas mais eficazes de prevenção de doenças infeciosas.

Como funcionam as
vacinas?

O ser humano toma a


vacina

O corpo produz anticorpos específicos do


agente patogénico introduzido através da
vacina

Os anticorpos permanecem no sangue


durante bastante tempo, garantindo a
imunidade ou proteção contra a doença.

Os anticorpos atuam imediatamente


caso o corpo seja infetado com aquele
microrganismo.

A ação rápida dos anticorpos impede o


desenvolvimento de microrganismos patogénicos,
no meio interno, logo, os sintomas da doença não
chegarão a aparecer.
Ciências Naturais- 6.º ano

Medicamento que atua sobre as bactérias, destruindo-as ou


impedindo a sua reprodução.

Pode ser eficaz sobre vários tipos de bactérias ou específico de


uma.

Não são eficazes para curar infeções causadas por vírus, como as
gripes e as constipações.

São medicamentos que para serem adquiridos necessitam de uma


receita médica obrigatória

Regras para a toma


dos antibióticos

- Tomar o antibiótico quando receitado pelo médico.

- Não partilhar nem tomar as sobras de antibióticos.

- Não interromper o tratamento mesmo que os


sintomas desapareçam.

O uso incorreto dos antibióticos está a criar um


problema de saúde grave- a resistência bacteriana.

As bactérias possuem uma grande capacidade de


adaptação ao meio. Quando sujeitas a uma exposição
repetida e incorreta tornam-se resistentes à ação
desses medicamentos.

Já existem muitas bactérias multirresistentes, isto é,


que sobrevivem a vários tipos de antibióticos ou
mesmo a todos.