Você está na página 1de 15

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distância


Rua Correia de Brito, 613, Ponta Gêa
C.P 90 - Beira - Moçambique
Tel: (+258) 23 32 64 05 Fax: (+258) 23 32 64 06
E-mail: ied@ucm.ac.m

Programação Linear e Teoria de Grafos


Guia Tutorial

Licenciatura em Ensino de Matemática


3º ano - 2020

Tutor: _____________________________
e-mail ________________________________________
Cell ________________________________________
1

Índice
1 Introdução ...........................................................................................................................2

2 Objectivos gerais de aprendizagem ......................................................................................2

3 Conteúdos a abordar ...........................................................................................................2

4 Método de ensino – aprendizagem ......................................................................................3

5 Desempenho esperado ........................................................................................................3

6 Formas de Avaliação ............................................................................................................4

7 Actividades a realizar ...........................................................................................................4

7.1 Actividade 1 – (1a Sessão Presencial) ............................................................................4

7.2 Actividade 2 – (2a Sessão Presencial) .............................................................................8

8 Sessões de Aprendizagem ..................................................................................................12

8.1 1a Sessão Presencial: 07 a 08 de Março .......................................................................12

8.2 2a Sessão Presencial: 16 a 17 de Maio .........................................................................13

8.3 Momento interregno ...........................................................................................................13

8.4 Recursos ..............................................................................................................................13

9 Sessão de Exames ..............................................................................................................14

10 Bibliografias Recomendadas ...........................................................................................14


2

1 Introdução

Seja bem-vindo a disciplina de Programação Linear e Teoria de Grafo. Este guia tutorial foi
concebido para servir de texto básico para estudantes do curso de Licenciatura em Ensino de
Matemática do Centro de Ensino á Distância da Universidade Católica de Moçambique, e
também para preconizar um ambiente de aprendizagem e ensaio de técnicas, estratégias e
procedimentos diversos de ensino nas suas várias formas alternativas, capacitando assim o
futuro professor para a realização da nobre tarefa de ensinar.
A disciplina Programação Linear e Teoria de Grafo., tem como objectivo, Proporcionar ao
estudante meios cientificos e didácticos, auxiliares e complementares, para que possa leccionar
ou aprender conteúdos sobre Programação Linear e Teoria de Grafo que serão ferramentas
essenciais para apoio a disciplinas específicas do curso.

O Material de apoio base é o Módulo da Disciplina mas deve ser enriquecido pelas bibliografias
que serão recomendadas e por outras que abordam os conteúdos das unidades relacionadas.

2 Objectivos gerais de aprendizagem

Ao terminar a cadeira de Programação Linear e Teoria de Grafo, o estudante deverá ser capaz
de:

 Modelar problemas de natureza real em problemas de programação linear;


 Resolver PL com duas variáveis usando método gráfico
 Usar o método Simplex - Quadro para resolver problemas de PL;
 Usar o método das duas fases para PPL;
 Fazer a análise de Sensibilidade para PPL;
 Destinguir os diferentes tipos de grafo;
 Usar grafos para encontrar o custo mínimo ou lucro máximo em problemas;

3 Conteúdos a abordar
3

Nesta disciplina iremos abordar os seguintes conteúdos:

 Historial da Programação Linear


 Modelagem de problemas de P
 Resolução de PPL pelo método gráfico
 Método SImplex – Quadro
 Dualidade
 Análise de Sensibilidade
 Teoria de grafo
 Representação alternativa de grafo
 Isomorfismo de grafo
 Caminhos e Ciclos
 O grau de conectividade de um grafo conexo
 Grafos Eulerianos e grafos Hamiltonianos, grafos com pesos
 Problema de caminho mínimo

4 Método de ensino – aprendizagem

O curso adopta métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que
a responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao tutor, ele passa a
ser, sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.

As sessões serão ministradas segundo métodos de exposição aberta do tutor da disciplina e


trabalho independente dos estudantes, durante os intervalos das presenciais seguidas de
partilhas na sala de aula.

5 Desempenho esperado

No fim da disciplina, espera-se que o estudante desenvolva bases científicas sobre as técnicas e
resultados associados à Programação Linear e Teoria de Grafo básicas que estão no módulo.
4

6 Formas de Avaliação

Ao longo da disciplina o estudante deverá realizar todas actividades propostas para auto –
avaliação, pois constitui uma avaliação de carácter formativo. Os trabalhos individuais ou de
campo (teóricos ou práticos) realizados pelo estudante têm sobre a média de frequência o peso
de 40% e são indicados pelos tutores. No final do ano será realizado um exame de Múltipla
escolha que terá o peso de 60% sobre a média final. A nota final será calculada através da
seguinte fórmula: NF = MF x 40% + NE x 60%; onde:

NF -Nota Final; MF - Média de frequência; NE - Nota de Exame.

7 Actividades a realizar

Os exercícios de autoavaliação abaixo descritos, são actividades que visam desenvolver o


estudo individual do estudante e garantir o desenvolvimento formativo. As actividades que
serão classificadas (Somativas), serão indicadas pelo tutor durante as sessões.

7.1 Actividade 1 – (1a Sessão Presencial)

1. A Direcção de Marketing de uma empresa de mobiliário metálico de escritório sugere ao


lançamento de um novo modelo de secretária e de estantes em substituição dos
modelos actuais. Aquela Direcção não vê dificuldade de colocação no mercado as
estantes, enquanto que aconselha que a produção de secretária não ultrapasse 100
unidades. Após estudos levados a cabo pela Direcção de Produção, concluiu-se que: A
disponibilidade mensal do Departamento de Estampagem é de 700 horas-máquinas
(HM); A disponibilidade mensal do Departamento de Montagem e Acabamento é de 800
hora-homens (HH); Cada secretária necessita de 2 HM de Estampagem e 4 HH de
Montagem e Acabamento; Cada estante necessita de 4 HM de Estampagem e 4 HH de
Montagem e Acabamento. Por outro lado, as margens brutas unitárias estimadas são de
5000mt para as secretárias e 2000mt para as estantes. A empresa pretende determinar o
plano de produção mensal para estes novos modelos que maximiza a margem bruta.
Formule e escreva na sua forma padrão os seguintes problemas.
5

2. Um fertilizante usado na agricultura é produzido à custa da junção de matéria orgânica


com três produtos A, B e C. Um quilo do produto A contém 200 gramas de azoto e 300
gramas de fósforo. Um quilo do produto B contém 100 gramas de azoto e 200 gramas de
fósforo. Um quilo do produto C contém 200 gramas de azoto e 100 gramas de fósforo. O
fertilizante deve conter pelo menos 6 quilos de azoto e 10 quilos de fósforo. Um quilo de
cada produto A, B e C custa 350, 200 e 300 unidades monetárias, respectivamente.
Formule um problema de programação linear que possa permitir encontrar um óptimo
para este caso.

3. Uma empresa de artesanato produz dois tipos de chapéus de palha A e B. A produção de


um chapéu do tipo A, leva duas vezes mais tempo que o chapéu do tipo B. sabe-se que a
empresa tem uma capacidade de produção estimada em 400 chapéus, por dia. E os
limites diários do mercado são da ordem de 150 e 180 chapéus dos tipos A e B,
respectivamente. Sabendo que os chapéus do tipo A são vendidos a 80 meticais e do tipo
B a 50 meticais, determine a melhor mistura diária da produção de chapéus na empresa.

4. A companhia TINTAS produz tintas para interiores e exteriores com base em duas
matérias-primas, M1 e M2. A tabela seguinte apresenta os dados básicos do problema:

Matéria Disponibilidade
prima/tonelada máxima

Tinta para exteriores Tinta para interiores Diária (ton)

Matéria-prima, M1 5 3 20
Matéria-prima M2 1 2 5
Lucro/tonelada($1.000) 5 4
6

Uma pesquisa de mercado indica que a demanda diária de tintas para interiores não pode
ultrapassar a de tintas para exteriores por mais de uma tonelada. Além disso, a demanda
máxima diária de tinta para interiores é de 2 toneladas. A TINTAS quer determinar a mistura
óptima de produtos de tintas para interiores e exteriores que maximize o lucro total diário.

5. Um vendedor ambulante sabe preparar pastéis e cachorros quentes. Um cachorro-


quente custa o dobro do preço de um pastel. Ele nunca consegue vender mais do que
três pastéis e mais do que quatro cachorros-quentes em um mesmo dia. Um pastel vem
com uma pitada de mostarda e um cachorro quente com duas pitadas. Ele só tem
disponível nove pitadas de mostarda para gastar em um único dia. Construa um modelo
de programação linear que possa lhe ajudar a determinar a quantidade de pastéis e
cachorros-quentes que ele deve produzir em um único dia para ter o máximo possível de
lucro.
6. A Show & Sell pode anunciar seus produtos na rádio local e na televisão. A verba de
propaganda é limitada a $ 10.000 por mês. Cada minuto de propaganda pelo rádio custa
$ 15 e cada minuto de comerciais na TV custa $ 300. A Show $ Sell gosta de anunciar pelo
rádio no mínimo duas vezes mais do que na TV. Ao mesmo tempo, não é prático usar
mais do que 400 minutos por mês de propaganda pelo rádio. Por experiência anterior, a
empresa estima que anunciar na TV é 25 vezes mais eficiente do que anunciar na rádio.
Determinar alocação óptima da verba de propaganda entre rádio e TV.
7. Uma empresa fabrica mesas e cadeiras. O quadro abaixo mostra os recursos consumidos
por unidade de cada produto e os seus lucros. Quantas mesas e cadeiras podem ser
fabricadas para se maximizar o lucro?

Recurso Mesa Cadeira Quantidade


disponível
Madeira 40 20 500
Metal 6 8 100
Lucro 5 6

8. Resolva o seguinte problema de programação linear através do método gráfico:


7

Max Z= 5x1+8x2

4 x1  3x 2  12
3x  5 x  15
 1 2
Sujeito a 
 3x1  4 x2  6
x , x  0
 1 2

9. Um marceneiro recebe dos seus fornecedores 12 peças de madeira, e dispõe de 36 horas


úteis de trabalho, por semana, para confeccionar biombos ornamentais. Dois dos
modelos que ele produz venderam muito bem no passado e, por isso, ele se limita a
produzir esses dois modelos. O marceneiro estima que a confecção de qualquer um dos
dois modelos requer 2 peças de madeira. Além disso, o modelo I requer 7 horas de
trabalho, enquanto que o modelo II necessita de 5 horas de trabalho. Sabendo que
biombos dos modelos I e II são vendidos a 120 e 80 dólares, respectivamente, quantos
biombos de cada modelo
o marceneiro deve confeccionar, por semana? (Resolver o problema pelo método
gráfico).
10. Uma fábrica produz dois artigos A e B, que devem passar por duas máquinas diferentes
M1 e M2. M1 tem 12 horas de capacidade diária disponível e M2 tem 5 horas. Cada
unidade de produto A requer 2 horas em ambas as máquinas. Cada unidade de produto B
requer 3 horas em M1 e 1 hora em M2. O lucro líquido de A é de 460,00mt por unidade e
o de B, 70,00mt por unidade. Determinar a quantidade a ser produzida de A e B a fim de
se ter um lucro máximo.
11. Resolva os seguintes problemas pelo método Simplex – Quadro
Max Z= 5x1+6x2

4 x1  3x 2  12
3x  5 x  15
 1 2
Sujeito a 
 3x1  4 x2  6
x , x  0
 1 2
12. . Um jovem pretende prestar um concurso público cujo exame envolve duas disciplinas,
D1 e D2. Ele sabe que, para cada hora de estudo, pode obter 2 pontos na nota da
8

disciplina D1 e 3 pontos na D2 e que o rendimento é proporcional ao seu esforço. Ele


dispõe de no máximo 50 horas para os estudos até o dia do exame. Para ser aprovado
deverá obter na disciplina D1 um mínimo de 20 pontos, na D2, no mínimo 30, e o total de
pontos deverá ser de pelo menos 70. Como, além da aprovação, ele gostaria de alcançar
a melhor classificação possível, qual a melhor forma de distribuir as horas disponíveis
para seu estudo?
13. Uma companhia fabrica um produto a partir de dos ingredientes, A e B. Cada quilo de A
contém 50 unidades do produto P1, 4 unidades do produto P2, 2 unidades do produto P3
e custa 100 u.m.. Cada quilo de B contém 3 unidades de produto P1, 5 unidades de
produto P2, 10 unidades de produto P3 e custa 150 u.m.. A mistura deve conter pelo
menos 20 unidades de P1, 18 unidades de P2 e 30 unidades de P3. Resolva este
problema para que o custo do produto seja o menor possível.

14. Considere os seguintes problemas de programação linear, componha os respectivos


duais, resolva-os e a partir da tabela óptima do dual dar as soluções dos problemas
primais:
Min Z= 2x1+3x2

2 x1  3 x 2  6

Sujeito a  x1  4 x 2  4
x , x  0
 1 2

7.2 Actividade 2 – (2a Sessão Presencial)

1. A INFLOMA pretende usar de melhor modo possível os recursos de madeira da sua região
florestal de Manica. Naquela região, a IFLOMA tem uma serralharia e uma fábrica de
compensados. Assim, os toros abatidos podem ser convertidos em madeira beneficiada
ou prensada. A produção de uma mistura comercializável de 1 metro cúbico de madeira
beneficiada requer 1 metro cúbico de chanfuta e 4 metros cúbicos de eucalipto. A
produção de uma chapa de 10 metros quadrados de madeira prensada necessita de 2
9

metros cúbicos de chanfuta e 3 metros cúbicos de eucalipto. E sabe-se que diariamente a


empresa dispõe de 32 metros cúbicos de chanfuta e 73 metros cúbicos de eucalipto.
Contudo, a capacidade de produção de madeira prensada na empresa é limitada em 120
metros quadrados por dia. Sabendo que os preços de venda de 1 metro cúbico de
madeira beneficiada e de uma chapa de 10 metros quadrados de madeira prensada são
de 45 e 60 dólares, respectivamente, determine:

1.1. O óptimo plano de produção diária.

1.2. O intervalo de variação da disponibilidade de chanfuta.

2. Uma empresa usa um certo tipo de matéria-prima para a fabricação de dois tipos de
produtos, A e B, em duas operações fundamentais: o torneamento e a fresagem. As
capacidades de operações dos tornos e das fresadoras são, respectivamente, limitadas em
36 e 20 horas, por semana. E semanalmente a empresa pode receber, dos seus
fornecedores, no máximo, 150kg de matéria-prima. Para a fabricação de uma unidade do
produto A, a empresa necessita de 10kg de matéria-prima, 3 horas para torneamento e 2
horas para a fresagem. Enquanto para a produção de uma unidade do produto B, a empresa
usa 15kg de matéria-prima e necessita de 4 e 2 horas, respectivamente, para os trabalhos de
torneamento e de fresagem. Sabe-se que não há dificuldade quanto a colocação do produto
B no mercado, enquanto que, dada a baixa procura, a empresa não pode produzir mais de 7
unidades do produto A, por semana.

Assumindo que as margens brutas, por unidade produzida, dos produtos A e B, são,
respectivamente, de 4 e 5 milhões de meticais, estabeleça:

2.1. O óptimo plano semanal de produção para a empresa.

2.2. Haverá vantagens para a empresa se os seus fornecedores aumentarem a quota


semanal de fornecimento da matéria-prima? Justifique.

3. Uma pequena fábrica produz 3 produtos, A B e C, que são vendidos a 160, 300 e 500
meticais, respectivamente. E devido a procura, as exigências de produção semanal são de
pelo menos 25 unidades para o produto A. Cada tipo de produto requer um certo tempo
10

para a fabricação das partes componentes, para a montagem e para a embalagem.


Especificamente, uma unidade de A requer 3 homem-horas para a fabricação, 4 homem-
horas para a montagem e 1 homem-hora para a embalagem. Os números correspondentes
para uma unidade de B são 3, 1 e 5 homem-horas, e para uma unidade de C são 5, 5 e 3
homem-horas. E a fábrica trabalha num único turno de 8 horas, por dia, durante 5 dias por
semana. Sabendo que a fábrica emprega 8 operários na secção de fabricação, 8 na secção de
montagem e 6 na secção de embalagem, determine a óptima mistura de produção semanal
para a fábrica através do método Simplex - duas fases.

4. Desenhe grafos com cinco vértices e oito arestas:

4.1 um grafo simples

4.2 um grafo não simples sem laços;

4.3 um grafo não-simples sem arestas múltiplas

5. Determine todos grafos simples não-isomorfos com três vértices

6. Determine todos grafos simples conexos não-isomorfos com três ou quatro vértices. (Uma
maneira é começar com a sequência de graus). (É bom guardar os desenhos).

7. Determine todos grafos simples conexos não-isomorfos com cinco vértices (se começa
com a sequência de graus, seja bem atento: pode haver grafos não-isomorfos com a mesma
sequência de graus). (É bom guardar os desenhos).

8. Num grupo de pessoas, cada pessoa pertence a duas famílias diferentes. Se uma família é
representada no grupo, então existem três representantes daquela família neste grupo. Se
duas famílias são representadas no grupo, então tem exactamente um membro do grupo em
comum. Quantas pessoas estão naquele grupo? A quantas famílias em total pertencem estas
pessoas?

9. Desenha um grafo com 6 vértices que tem a sequência de graus (3, 3, 5, 5, 5, 5). Existe um
grafo simples com esta sequência de graus? Como mudam as suas respostas se a sequência
de graus for (2, 3, 3, 4, 5, 5)?
11

10. Correspondente a um grafo simples G podemos formar o seu grafo linha (grafo dual)
L(G): Os vértices de L(G) devem corresponder biunivocamente às arestas de G, mas
adjacências é mantida: vértices em L(G) são adjacentes se e somente se as arestas
correspondentes em G são adjacentes.

10.1 Mostra que K3 e K1,3 têm o mesmo grafo linha.

10.2 Mostra que o grafo linha do grafo do tetraedro é o grafo do octaedro.

10.3 Mostra: se G é regular de grau k, então L(G) é regular de grau 2k – 2.

10.4 Determina uma fórmula para o número de arestas de L(G) como função da sequência
dos graus de G.

10.5 Mostra que L(K5 ) é o complemento do grafo de Petersen.

11. Determina a sequência de graus de Kn. Determina também o número de arestas de Kn.

12. Desenha K3;5. Determina uma fórmula para o número de arestas de Kn;m

13. No grafo de Petersen, procura (i) um percurso simple de comprimento 5, (ii) uma
sentinela de comprimento 9, (iii) ciclos de comprimento 5, 6, 8 e 9, (iv) cortes com 3, 4 e 5
arestas.

14. Quais dos seguintes grafos são Eulerianos? SemiEulerianos?

(i) o grafo completo Kn,

(ii) o grafo completo bipartido K2,3,

(iii) o grafo do cubo

(iv) o grafo de octaedro,

(v) o grafo de Petersen

15. Quais dos seguintes grafos são Hamiltonianos? Semi Hamiltonianos?

(i) o grafo completo K5


12

(ii) o grafo completo bipartido K2,3

(iii) O grafo do octaedro

(iv) a roda W6

(v) O 4-cubo Q4

16. Considera a seguinte matriz de adjacência de um grafo H:

0 1 0 1
 
1 0 1 2
A= 
0 1 0 1
 
1 2 1 0 

a) Desenha H o grafo correspondente.

b) Elabora a matriz de incidência de H.

c) Mostra que H é Euleriano e desenhe um circuito (ciclo) Euleriano.

8 Sessões de Aprendizagem

8.1 1a Sessão Presencial: 07 a 08 de Março

Nesta sessão inaugural, o tutor faz a apresentação do Guia de Estudo, os objectivos gerais da
disciplina, a metodologia a ser usada, as formas de avaliação, os resultados de aprendizagem
esperados, orienta o debate dos conteúdos das primeiras unidades do módulo, as actividades
de auto-avaliação, trabalhos teóricos ou práticos a serem realizados e define com os estudantes
as estratégias de interacção. O seu papel centra-se na motivação, mediação, orientação e
promoção de um contexto de aprendizagem conducente a formação da comunidade de
aprendizagem.

Em relação aos estudantes, figuras autónomas na sua aprendizagem, apresentam dúvidas


pontuais referentes ao Guia de estudo e ao Conteúdo Básico de Referência (Módulo), criam
13

laços sociais, coordenam estratégias de interacção entre eles, isto é, são responsáveis pela
formação de grupos de estudos, e sugerem estratégias de comunicação entre estes e o tutor.

8.2 2a Sessão Presencial: 16 a 17 de Maio

Nesta sessão, o tutor movido pela orientação de fazer com que o estudante assuma o seu
processo de aprendizagem de forma activa, concentra-se em esclarecer dúvidas, dar feedback
das actividades até então realizadas, monitorar actividades práticas e fornecer as directrizes na
preparação para o exame.

Os estudantes expõem as dúvidas encontradas durante o estudo individual ou em grupo e


interagem com os colegas e tutor, recebem o feedback do tutor, realizam actividades práticas,
debatem em torno das restantes unidades do módulo e partilham recursos.

8.3 Momento interregno

Neste período, o tutor faz o acompanhamento, que consiste em atender pelo telefone, internet
ou fisicamente os estudantes, dar feedback, reforçar o processo de auto aprendizagem. Nesta
fase, o tutor esclarece dúvidas, direciona conteúdos, promove o diálogo problematizador,
modera, acompanha as discussões nos grupos de estudo e actualiza o conteúdo pedagógico.

O estudante realiza actividades de auto-avaliação e trabalhos individualmente ou em grupo, de


forma rigorosa conforme os objectivos preconizados em cada unidade. Interage com o
conteúdo, seus pares, tutor, realiza trabalhos práticos ou teóricos. A colaboração entre os
estudantes é estimulada de modo que juntos construam o conhecimento, pelo debate de ideias
e partilha de informações e recursos.

8.4 Recursos

As disciplinas são ministradas com o emprego de recursos que propiciem ao estudante a devida
autonomia e o desenvolvimento de sua capacidade de iniciativa. Assim sendo, dispõem-se os
seguintes recursos de aprendizagem: Guias de estudo, Conteúdo Básico de Referência (Módulo),
14

Bibliografias básicas e complementares e objectos de aprendizagem (Textos de apoio,


PowerPoint, Prezi, entre outros).

Também são usados suportes tecnológicos como recursos audiovisuais (projector multimídia,
tela interativa, Tablet, data-show e CD).

9 Sessão de Exames

Exame Normal de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º Ano e Específicas do 4º Ano: 01 a 02 de Agosto.

Exame de Recorrência de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º Ano e Específicas do 4º Ano: 05 a 06 de


Setembro.

Exame de Cadeiras Específicas do 1º ao 3º Ano incluindo Estatística: 31.10 a 01.11 de


Novembro.

Exame de Recorrência de Cadeiras Específicas do 1º ao 3º Ano incluindo Estatística: 05 a 06 de


Dezembro.

10 Bibliografias Recomendadas

Andrade E.L. (2004), Introdução à Pesquisa Operacional: Métodos e Modelos Para Análise de
Decisões. 3ª. Edição, LTC Editora.

Goldbarg, M.C. e Luna H.P.L. (2000), Optimização Combinatória e Programação Linear: Modelos
e Algoritmos. Rio de Janeiro – RJ. Editora Campus.

Hill, M. M. & Santos, M. M. Dos, (2002). Investigação Operacional – Exercícios de Programação


Linear. Edições Sílabo, Lda; Lisboa,

Remalhete, M., GUERREIRO, J. & Magalhaes, A. (1984), Programação Linear. Volume I. McGraw-
Hill, de Portugal.

Silva, E. M. et.al. (1998), Pesquisa Operacional Para Cursos de Economia, Administração e


Ciências Contábeis. São Paulo. Editora Atlas S.A.

Taha, (2008), Hamdy A. Pesquisa Operacional. 8a Edição. Pearson Prentice Hall-São Paulo.

Você também pode gostar