Você está na página 1de 6

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

Teste de Avaliação Técnico/a Ação Educativa


Modalidade de Formação NS-PRO
UFCD 3283- Evolução e Desenvolvimento Infantil

Formando(a): Data:
Formadora: Avaliação:

1. Faça corresponder cada caraterística da evolução e desenvolvimento infantil à sua faixa etária,
relativamente aos aspetos fisiológicos.

1 – 0/6 meses 2 – 6/12 meses 3 – 1/2anos 4 – 2/3 anos 5- 4/5 anos


6- 5/6 anos 7- 6 /11 anos

Desenvolvimento da motricidade: os músculos, o equilíbrio e o controlo motor estão mais


desenvolvidos, sendo capaz de se sentar direito sem apoio e de fazer as primeiras tentativas de se pôr
de pé, agarrando-se a superfícies de apoio.
É capaz de levantar a cabeça sozinho durante poucos segundos, deitado de barriga para baixo.
Começa a andar, sobe e desce escadas, trepa os móveis, etc. - o equilíbrio é inicialmente bastante
instável, uma vez que os músculos das pernas não estão ainda bem fortalecidos.
Consegue escovar os dentes, pentear-se e vestir-se com pouca ajuda.
Grande atividade motora: corre, salta, começa a trepar escadas, pode começar a andar de triciclo;
grande desejo de experimentar tudo.
É capaz de se vestir e despir sozinha.
Fase de grande energia. A criança retira muito prazer do fato de experimentar o corpo e aprender novas
competências, estando constantemente em movimento e a testar os seus limites.
2. Das afirmações que se seguem identifique a(s) verdadeira(s) (V) e a(s) Falsa(s) (F).
2.1 Relativamente aos aspetos afetivos no desenvolvimento da criança.

Na prestação de cuidados ao bebé, o amor esta a par com a sensitividade do pai/ mãe/ cuidador
primário.
O pai/ mãe não supera o seu egocentrismo, não necessitando particularmente de estarem disponíveis e
atentos ao bebé procurando compreende-lo e responder às suas necessidades.
A vinculação tem um valor adaptativo para o bebé, assegurando as suas necessidades fisiológicas e
psicossociais não satisfeitas.
A vinculação é um tipo particular de ligação afetiva da qual faz parte integrante o sentimento de
insegurança.
As crianças e os pais não estabelecem ligações afetivas.
As ligações entre crianças e os pais permitem assegurar a sobrevivência da criança e do seu bem-estar
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

2.2 Relativamente aos aspetos intelectuais no desenvolvimento da criança .


Os recém-nascidos começam por avaliar aquilo que os seus sentidos lhes transmitem.
O ser humano nasce com capacidade de aprender a partir de experiências, daquilo que vê, ouve,
saboreia, cheira e toca.
A criança tem tendência a repetir um comportamento que foi reforçado ou a extinguir um
comportamento que foi punido.
A criança nasce sem reflexos espontâneos e vai evoluindo devido ao confronto com o mundo
envolvente.
Os primeiros esquemas de ação das cianças não são esquemas reflexos inatos, como a sucção e a
preensão.
Cerca dos 6 meses, o bebé já identifica objetos, percebe várias formas e distingue as pessoas estranhas
das familiares.

3. Faça corresponder cada caraterística às principais etapas do desenvolvimento cognitivo.

1 – 0/6 meses 2 – 6/12 meses 3 – 1/2anos 4 – 2/3 anos 5- 3/4 anos

6- 4/5 anos 7- 5 /6 anos 8- 6 /7 anos 9-7/8 anos 10- 8/9 anos 11- 8/10 anos

12- 10/11 anos

Gosta de ler, escrever e de utilizar livros e referências.

Desenvolvimento da noção de permanência do objeto, ou seja, a noção de que uma coisa continua a
existir mesmo que não a consiga ver.
Compreende ordens simples, inicialmente acompanhadas de gestos e, a partir dos 15 meses, sem
necessidade de recorrer aos gestos.

É capaz de produzir regularmente frases de 3 e 4 palavras.

A aprendizagem faz-se sobretudo através dos sentidos.

O seu pensamento está mais organizado e lógico.

Sabe o nome, o sexo e a idade.

Capacidade para memorizar histórias e repeti-las.

Compreende as diferenças entre a fantasia e a realidade.


A maioria das crianças aprende a ler e a escrever nesta idade.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

Baseia-se mais na realidade.


Desenvolvimento Social.

4. Tendo em conta as principais etapas de desenvolvimento sociomoral, escreva a letra que corresponde
à resposta correta entre os elementos da coluna A e da coluna B.

Coluna A Coluna B
Aprecia a interação com adultos que lhe sejam familiares, imitando e
DOS 0 AOS 6
A copiando os comportamentos que observa. É bastante sensível à
MESES
aprovação/desaprovação dos adultos.
DOS 06 AOS 12 Tem dificuldade em cooperar e partilhar. Pode manifestar medo de
B
MESES estranhos, de animais ou do escuro.
O bebé está mais sociável, procurando ativamente a interação com
DE 01 AOS 02
C quem o rodeia (através das vocalizações, dos gestos e das expressões
ANOS
faciais).A partir dos 8 meses, maior consciência de si próprio.
Copia os adultos. Envergonha-se facilmente. Devido à sua grande
DOS 02 AOS 03
D preocupação em fazer as coisas bem e em agradar, poderá por vezes
ANOS
mentir ou culpar os outros de comportamentos reprováveis.
Imita os movimentos, fixa os rostos e sorri (aparecimento do 1º
DOS 03 AOS 04 sorriso social por volta das 6 semanas). O choro é a sua principal
E
ANOS forma de comunicação. É capaz de se separar da mãe durante curtos
períodos de tempo.
DOS 04 AOS 05 Gosta de imitar as atividades dos adultos. Os pesadelos são comuns
F
ANOS nesta fase.
É capaz de participar em atividades com outras crianças, como por
DOS 05 AOS 06
G exemplo ouvir histórias. Inicialmente o leque de emoções é vasto,
ANOS
desde o puro prazer até à raiva frustrada.
Participa em atividades organizadas em grupo. É mais responsável e
DOS 06 AOS 07
H independente, preocupando-se em fazer bem as coisas. Pode
ANOS
vivenciar sentimentos de culpa e vergonha.
As relações com os pares são instáveis. é por vezes agressiva com
DOS 07 AOS 08 outras crianças. Tem dificuldade em aceitar críticas, culpa ou
I
ANOS castigos. É mais responsável e independente, preocupando-se em
fazer bem as coisas.
DOS 08 AOS 09 Maior interesse nas relações afetivas e atividades sociais. É
J
ANOS altamente competitiva. Grande perceção do certo e errado.
DOS 09 AOS 10 Gosta da escola. Pode vivenciar sentimentos de culpa e vergonha.
K
ANOS Aprecia recompensas imediatas pelo seu comportamento.
DOS 10 AOS 11 Preocupa-se com o estilo (roupa, cabelo, etc.). Maior preocupação
L
ANOS com o que está errado, do que com o que está certo.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

Selecione a opções corretas nas perguntas que se seguem:


5. Tendo em conta que a construção da identidade é um conceito que encerra a ideia de distinção, de
marca de diferença entre as pessoas, a começar pelo nome, seguido de todas as caraterísticas físicas,
emocionais, de modo de agir e de pensar, da personalidade e da história pessoal

 A formação da identidade da criança é um processo permeado por perguntas como: "Quem sou
eu?". "Como sou?".
 Na imitação, a criança desenvolve a capacidade de observar, aprender com os outros e
identificarse com eles, ser aceite e diferenciar-se.
 Durante o primeiro ano de vida, aproximadamente por volta dos seis aos oito meses, a criança
percebe que é um ser separado da mãe, iniciando o processo de construção da própria
identidade.
 Bebé explora o mundo a sua volta, vivencia sensações, perceções, e por volta dos sete meses,
fica fascinado com a experiência de ver sua imagem refletida no espelho.
 A construção da identidade e da autonomia é para a criança o grande salto para a
independência.
 Brincar é uma das atividades de fundamental importância de desenvolvimento da identidade da
autonomia.

Nenhuma afirmação está correta.


Todas as afirmações estão corretas.

6. O desenvolvimento psicossocial tem como base as emoções, o temperamento e as experiências


com os pais nos 1ºs anos de vida.

 Logo após o nascimento, os bebés são capazes de revelar sinais de repugnância, perturbação e
interesse.
 Até aos 3 meses, os bebés são recetivos à estimulação, começam a demonstrar interesse e
curiosidade, sorrindo prontamente para as pessoas. É a época do despertar social e das 1ªs
trocas reciprocas entre o bebé e quem cuida dele.
 Por volta dos 6 anos de idade, as crianças começam a internalizar regras morais de
comportamento e assim, adquirem uma consciência.
 A ação é o que possibilita a aprendizagem da criança, pois ela faz o exercício das suas
possibilidades.

Nenhuma afirmação está correta.


Todas as afirmações estão corretas.
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

7. Podemos referir que a identidade sexual “sou uma menina”, “sou um menino” é diferente da
identidade de género, que é o conhecimento das funções que a sociedade atribui a cada um dos
sexos.

 O desenvolvimento da sexualidade entre os 2 e os 4 anos coincide, de um modo geral, com o


controlo esfincteriano e o desfralde.
 Terminado o processo de controlo dos esfíncteres, a criança tem concluída fase de
conhecimento do seu corpo e, também da descoberta dos prazeres por eles proporcionados.
 Esta etapa do desenvolvimento da sexualidade vai até aos 3 ou4 anos, idades em que a criança
tem já um controlo bastante eficaz sobre o seu corpo quer do ponto de vista motor, que da
linguagem.
 Pelos 3 /4 anos a criança já sabe a que género pertence.
 Entre os 5/6 anos e os 8/9 anos, os rapazes e as raparigas tornam-se fortemente estereotipados
e sexistas.

Nenhuma afirmação está correta.


 Todas as afirmações estão corretas.

8. Comente a seguinte afirmação:


“A evolução e desenvolvimento infantil é um processo de crescimento e mudanças complexas”.

________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto

________________________________________________________________________________________