Você está na página 1de 11

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distância


Rua Correia de Brito, 613, Ponta Gêa
C.P 90 - Beira - Moçambique
Tel: (+258) 23 32 64 05 Fax: (+258) 23 32 64 06
E-mail: ied@ucm.ac.m

PEDOGEOGRAFIA
Guia Tutorial

Licenciatura em Gestão Ambiental


1º ano - 2020

Tutor: _____________________________
e-mail ________________________________________
Contacto________________________________________
1

ÍNDICE
1 Introdução ................................................................................................................................ 2

2 Objectivos gerais de aprendizagem ......................................................................................... 2

3 Conteúdos a abordar ................................................................................................................ 2

4 Método de ensino – aprendizagem ....................................................................................... 3

5 Desempenho esperado ........................................................................................................... 4

7 Atividades a realizar .................................................................................................................. 4

7.1 Atividade 1 - De unidade I a XII (1a Sessão Presencial) ................................................. 4

7.2 Actividade 2 – De unidade XIII a XXIV (2a Sessão Presencial) ....................................... 6

8 Sessões Presenciais/Síncronas ........................................................................................... 7

8.1 Primeira sessão presencial: 07 a 08 de Março .................................................................... 7

8.2 Segunda sessão presencial: 16 a 17 de Maio ...................................................................... 8

8.3 Momento interregno ................................................................................................................ 8

8.4 Recursos .................................................................................................................................... 9

9. Sessões de Exames: ................................................................................................................. 9

10 Bibliografias Recomendadas ........................................................................................... 10


2

1 Introdução

Seja bem-vindo a disciplina de Pedogeografia. Esta disciplina faz parte do curso de Gestão
Ambiental, é das que fornecem ao estudante os meios necessários que o possibilitam a interpretar
as diferentes camadas que constituem o solo, sua composição e estrutura dos minerais que fazem
parte ou integram os componentes do solo. Do mesmo modo o estudante terá a noção da grande
utilidade que o solo tem para o homem e a grande necessidade de o preservar como parte do
benefício humano.

O Material de apoio base é o Módulo da Disciplina mas deve ser enriquecido pelas bibliografias
que serão recomendadas e por outras que abordam os conteúdos das unidades relacionadas.

2 Objectivos gerais de aprendizagem

Ao terminar a cadeira de Pedogeografia, o estudante deverá ser capaz de:

 Definir os principais conceitos da Pedogeografia.

 Caracterizar os principais componentes da Pedogeografia.

3 Conteúdos a abordar

Nesta disciplina iremos abordar os seguintes conteúdos:

 Introdução a Pedogeografia;

 Formação do Solo: Pedogênese;

 Os horizontes do solo;

 Composição geral do solo;

 Constituintes orgânicos do solo;

 Composição do húmus no solo;

 Componentes líquidos e gasosos do solo;

 Importância do solo na natureza e no desenvolvimento da produção agrícola;


3

 Propriedades físicas do solo;

 A Estrutura do solo;

 Propriedades químicas do solo;

 Factores de formação do solo;

 Regimes Pedogenéticos;

 Processo de formação dos solos;

 Características morfológicas e físicas do solo;

 Densidade aparente do solo;

 Alterações dos solos depois da sua formação;

 Os solos como objectos de trabalho e meios de produção;

 A Fertilidade dos Solos;

 Distribuição geográfica dos solos;

 Degradação e protecção dos solos;

 Solos de Moçambique;

 A legislação da terra em Moçambique;

 Inventário do solo e avaliação da terra.

4 Método de ensino – aprendizagem

O curso adota métodos inovadores centrados na aprendizagem do estudante. Isto significa que a
responsabilidade pelo processo de aprendizagem é do estudante. Quanto ao tutor, ele passa a ser,
sobretudo, um gestor/mediador/facilitador de situações de aprendizagem.

As sessões serão ministradas segundo métodos de exposição aberta do tutor da disciplina e trabalho
independente dos estudantes, durante os intervalos das presenciais seguidas de partilhas na sala de
aula.
4

5 Desempenho esperado

No fim da disciplina, espera-se que o estudante adquira bases científicas em saúde pública e
possam aplicar este conhecimento para o bem social como: ter noções gerais de saúde pública
eambiente; epidemiologia ambiental; toxicologia ambiental; planeamento em saúde pública no
contexto Moçambicano; Modelo dos Modos de saúde pública; Noções em Métodos
epidemiológicos; entre outros.

6 Formas de Avaliação
Ao longo da disciplina o estudante deverá realizar todas actividades propostas para auto –
avaliação, pois constitui uma avaliação de carácter formativo. Os trabalhos individuais ou de
campo (teóricos ou práticos) realizados pelo estudante têm sobre a média de frequência o peso de
40% e são indicados pelos tutores. No final do ano será realizado um exame de Múltipla escolha
que terá o peso de 60% sobre a média final. A nota final será calculada através da seguinte fórmula:
NF = MF x 40% + NE x 60%; onde:

NF -Nota Final; MF - Média de frequência; NE - Nota de Exame.

7 Atividades a realizar

Os exercícios de autoavaliação abaixo descritos, são actividades que visam desenvolver o estudo
individual do estudante e garantir o desenvolvimento formativo. As actividades que serão
classificadas (Somativas), serão indicadas pelo tutor durante as sessões.

7.1 Atividade 1 - De unidade I a XII (1a Sessão Presencial)

1. Pedogeografia é a ciência que estuda a descrição especial ou territorial dos solos. Sendo assim
ela tem seu objecto, tarefas e posiciona-se no contexto das ciências geográficas. Comente.

2. Para se compreender o processo de formação dos solos é saber qual é a origem dos solos e de
que depende a alteração da rocha mãe. Argumente.

3. As rochas expostas aos factores ambientais sofrem com os efeitos da meteorização. Fale dos
tipos de meteorização.
5

4. Assim como o nosso corpo, o solo também tem uma organização. Para podermos entender esta
organização, primeiro vamos imaginar um bolo de aniversário que tem várias camadas, uma em
cima da outra, como: uma camada de chocolate, uma de morango e uma de baunilha. Comente.

5. Mencione os processos de formação dos horizontes do solo e estabeleça a diferença entre as


diferentes colorações dos solos.

6. O solo, também chamado terra, tem grande importância na vida de todos os seres vivos do nosso
planeta, assim como o ar, a água, o fogo e o vento. Comente a frase.

7. Estabeleça a diferença entre os minerais primários e secundários.

8. A matéria orgânica é representada pelos restos animais e vegetais em todos seus estágios de
decomposição. Comente a frase.

9. Explique o papel da matéria orgânica no solo e diga quando é um solo pode ser considerado
agrícola.

10. Define húmus segundo dois autores e encontre pontos em comum e divergentes em ambos
conceitos.

11. A presente húmus de um solo depende de vários factores como o clima, relevo, a natureza da
rocha mãe, a vegetação e humidade. Argumente a frase tendo em conta os vários tipos de húmus
que existem.

12. Estabeleça a distinção entre a componente liquida e solida do solo e explique a ocorrência de
cada uma das componentes.

13. Estabeleça a distinção entre balanco hídrico e humidade do solo.

14. O solo é um recurso finito, limitado e não renovável, face às suas taxas de degradação
potencialmente rápidas, que têm vindo a aumentar nas últimas décadas. Comente a frase referindo-
se da sua importância e funções do solo.

15. Fale da principal ameaça ambiental para a sustentabilidade e capacidade produtiva do solo e
da agricultura convencional no mundo.

16. Indique as propriedade físicas dos solos e digas quais os factores que fazem com que tais
propriedades existam.
6

17. Estabeleça a distinção entre a propriedade textura e cor do solo.

18. Unidades estruturais são agregados que apresentam formas e tamanhos definidos,
comportando-se como partes individualizadas que podem ser classificadas quanto ao tipo, grau de
desenvolvimento e classe de tamanho da estrutura. Comente indicando a subdivisão de cada tipo
de estrutura.

19. Indique e comente sobre as propriedades físicas do solo.

20. Indique e descreva as principais propriedades químicas dos solos.

7.2 Actividade 2 – De unidade XIII a XXIV (2a Sessão Presencial)

1. Segundo Dokuchaev os solos são formados a partir da interação complexa do clima, de


organismos vivos, do relevo, da rocha mãe e sua idade. Argumente a frase.

2. O que percebes por idade do solo ou factor tempo de formação do solo.

3. A maior ou menor velocidade com que o solo se forma depende outro sim da rocha mãe uma
vez que subcondições idênticas do clima, organismos e topográficas, certos solos se desenvolvem
mais rapidamente que os outros. Comente a frase.

4. Fale da Pedogénese e explique a actuação dos factores de formação dos solos.

5. Identifique e explique a essência de cada processo de formação do solo.

6. Estabeleça a diferença na forma de actuação dos processos de formação transporte e


transformação.

7. Distinga e descreva as principais características físicas e químicas do solo.

8. Refira-se da importância do estudo das características químicas do solo.

9. Conceitue a densidade do solo e estabeleça a relação entre a densidade aparente de um solo e a


porosidade.

Unidade XVII

11. As alterações dos solos podem ocorrer independentemente da actividade do homem enquanto
outras são consequências da própria construção. Comente.
7

12. Mencione os factores que influenciam o comportamento dos depósitos já formados.

13. Os solos influem na composição da paisagem ou seja na composição da envoltura geográfica


em geral e na litosfera em particular, ao mesmo tempo podemos juntar que os solos são
componentes vivos da Biosfera pois não é possível imaginar a biosfera sem solo. Comente a frase.

14. Os processos de degradação do solo constituem um grave problema a nível mundial, com
consequências ambientais, sociais e económicas significativas. Comente a frase.

15. De que depende a fertilidade dos solos e quais as principais funções dos solos.

16. Indique e caracterize os diferentes tipos de classificação dos solos.

17. Estabeleça a distinção entre a classificação quanto a movimentação dos sedimentos e a


granulométrica dos solos.

18. Explique as diferentes formas de degradação dos solos e suas consequências.

Unidade XXII

19. Segundo a FAO em Moçambique existem vários tipos de solos. Estabeleça a classificação
segundo a FAO e apresente características predominantes de alguns solos Moçambicanos.

Unidade XXIII

20. Defina propriedade de terras e mencione os objectivos e princípios fundamentais da PNT e lei
de terra.

21. Define inventário e distinga os vários sistemas de avaliação de terra.

8 Sessões Presenciais/Síncronas

8.1 Primeira sessão presencial: 07 a 08 de Março

Nesta sessão inaugural, o tutor faz a apresentação do Guia de Estudo, os objectivos gerais da
disciplina, a metodologia a ser usada, as formas de avaliação, os resultados de aprendizagem
esperados, orienta o debate dos conteúdos das primeiras unidades do módulo, as actividades de
8

auto-avaliação, trabalhos teóricos ou práticos a serem realizados e define com os estudantes as


estratégias de interacção. O seu papel centra-se na motivação, mediação, orientação e promoção
de um contexto de aprendizagem conducente a formação da comunidade de aprendizagem.

Em relação aos estudantes, figuras autónomas na sua aprendizagem, apresentam dúvidas


pontuais referentes ao Guia de estudo e ao Conteúdo Básico de Referência (Módulo), criam laços
sociais, coordenam estratégias de interação entre eles, isto é, são responsáveis pela formação de
grupos de estudos, e sugerem estratégias de comunicação entre estes e o tutor.

8.2 Segunda sessão presencial: 16 a 17 de Maio

Nesta sessão, o tutor movido pela orientação de fazer com que o estudante assuma o seu
processo de aprendizagem de forma activa, concentra-se em esclarecer dúvidas, dar feedback
das actividades até então realizadas, monitorar actividades práticas e fornecer as directrizes na
preparação para o exame.

Os estudantes expõem as dúvidas encontradas durante o estudo individual ou em grupo e


interagem com os colegas e tutor, recebem o feedback do tutor, realizam actividades práticas,
debatem em torno das restantes unidades do módulo e partilham recursos.

8.3 Momento interregno

Neste período, o tutor faz o acompanhamento, que consiste em atender pelo telefone, internet
ou fisicamente os estudantes, dar feedback, reforçar o processo de auto aprendizagem. Nesta
fase, o tutor esclarece dúvidas, direciona conteúdos, promove o diálogo problematizador,
modera, acompanha as discussões nos grupos de estudo e actualiza o conteúdo pedagógico.

O estudante realiza actividades de auto-avaliação e trabalhos individualmente ou em grupo, de


forma rigorosa conforme os objectivos preconizados em cada unidade. Interage com o conteúdo,
9

seus pares, tutor, realiza trabalhos práticos ou teóricos. A colaboração entre os estudantes é
estimulada de modo que juntos construam o conhecimento, pelo debate de ideias e partilha de
informações e recursos.

8.4 Recursos

As disciplinas são ministradas com o emprego de recursos que propiciem ao estudante a devida
autonomia e o desenvolvimento de sua capacidade de iniciativa. Assim sendo, dispõem-se os
seguintes recursos de aprendizagem: Guias de estudo, Conteúdo Básico de Referência (Módulo),
Bibliografias básicas e complementares e objectos de aprendizagem (Textos de apoio,
PowerPoint, Prezi, entre outros).

Também são usados suportes tecnológicos como recursos audiovisuais (projector multimídia,
tela interativa, Tablet, data-show e CD).

Com relação as aulas práticas desenvolvidas no decorrer do curso, cumpre salientar que as
mesmas são concebidas de acordo com as especificidades de cada disciplina, principalmente
aquelas que carecem de laboratórios de informática, com acesso a internet, laboratórios de
química, física, Biologia, Educação Física e Desporto, receptor GPS, Software SIG, aula-excursão,
dentre outros, com vista a dinamizar o aprendizado e incentivar a busca pelo conhecimento.

9. Sessões de Exames:
Exame Normal de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º Ano e Específicas do 4º Ano: 01 a 02 de Agosto.

Exame de Recorrência de Cadeiras Gerais do 1º ao 3º Ano e Específicas do 4º Ano: 05 a 06 de


Setembro.

Exame de Cadeiras Específicas do 1º ao 3º Ano incluindo Estatística: 31.10 a 01.11 de Novembro.

Exame de Recorrência de Cadeiras Específicas do 1º ao 3º Ano incluindo Estatística: 05 a 06 de


Dezembro.
10

10 Bibliografias Recomendadas

1. Chiziane, E. (2007). Implicações jurídicas do debate sobre a implementação da legislação


de terras. UEM, Maputo.
2. DA COSTA, J. (1991). Caracterização e constituição do solo. Lisboa, Fundação Calouste
Gulbenkian.
3. Galeti, A. (1973). Conservação do solo – reflorestamento - clima, 2a ed. S. Paulo,
4. Geografia Física, Geografia Humana e Geografia Económica. (1978). S. Paulo, Editora
Moderna,
5. LEI DE TERRAS, Lei nº 19/97 de 1 de Outubro.
6. Milar, C. (1971). Fundamentos de la Ciência del Suelo. México, CECSSA.
7. Muchangos, A. (1999). Paisagens e regiões naturais de Moçambique. Editora Escolar,
Maputo.
8. Nakata, H. e Coelho, M. A. (s/d). Geografia Geral: série sinopse.
9. Ombe, Z., MANDALA, S. & Malauene, A. (2007). Geografia dos solos: Dicionário dos
principais conceitos. Maputo, Universidade Pedagógica.
10. Pereira, D.; Santos D. & Carvalho. (1999). Marcos de. Geografia -Ciência do espaço. 4.
ed. rev.e actual,
11. Silva, A. D. e Gramaxo, F. et. al. (1995). Terra, Universo de Vida. Porto Editora.
12. Verennes, A. de. (2003). Produtividade dos solos e ambiente. Lisboa. Escolar Editora,
13. Wild, A. (1999). Soils and the environment.