Você está na página 1de 16

Serviço Público Federal

Ministério da Educação
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia
do Pará
Campus Bragança

CONCRETO PERMEÁVEL

BRAGANÇA - PA
2018

1
CONCRETO PERMEÁVEL

Trabalho apresentado ao Instituto Federal


do Pará, como requisito parcial para
obtenção da nota de 2º avaliação da
disciplina Estrutura de Concreto II, e para
formação no curso Técnico em
Edificações.

Professor: M.Sc. Odilson Paiva

BRAGANÇA-PA
2018

2
SUMÁRIO

1 INTROUÇÃO ........................................................................................................................4
2 CONCRETO PERMEÁVEL................................................................................................4
2.1 HISTÓRICO ......................................................................................................................4
2.2 PROCEDIMENTO ............................................................................................................6
2.3 APLICAÇÕES DO CONCRETO PERMEÁVEL ...........................................................9
2.4 VANTAGENS E DESVANTAGENS .............................................................................11
2.5 DIFERENÇAS ENTRE CONCRETO PERMEÁVEL E CONVENCIONAL ................14
3 CONCLUSÃO .....................................................................................................................15
4 REFERÊNCIAS ..................................................................................................................16

3
1 INTRODUÇÃO

Os avanços tecnológicos em saúde, educação e saneamento básico contribuíram para o


rápido crescimento da população mundial, especialmente no século XX, período no qual
houve o maior crescimento populacional, esse crescimento rápido e desordenado das cidades
tem como consequência a falta de planejamento racional do uso do solo e de sua ocupação.
A medida que aconteceu o processo de urbanização nos grandes centros urbanos,
existiu dentre muitos outros aspectos, a necessidade de gestão das águas pluviais. Esse fato
levou à construção de grandes galerias e dutos de drenagem. O que se observa é que, em vista
do aumento descontrolado das grandes cidades, da impermeabilização do solo e da constante
modificação do ambiente natural, esses sistemas não mais comportam as vazões que se
formam. O processo de impermeabilização do solo faz com que este perca a sua capacidade
natural de infiltração. Onde antes as águas percolavam naturalmente no solo, são instalados
elementos impermeáveis, tais como lajotas de basalto, concreto asfáltico ou cimento Portland.
Isso aumenta o volume de escoamento superficial e favorece o rápido transporte das águas
para as áreas mais baixas, favorecendo a ocorrência de enchentes.
A construção civil é reconhecida como uma das mais importantes atividades para o
desenvolvimento econômico e social de uma cidade. Em contrapartida é um dos segmentos
das indústrias que causa maior impacto no meio ambiente. Na sua grande maioria, os
planejamentos de construções nas grandes cidades levam mais em consideração o
sombreamento dos edifícios e o trafego de veículos. Não se dá muita atenção à gestão das
águas pluviais e do esgoto cloacal, disposto diretamente nos corpos hídricos sem qualquer
tratamento. Neste contexto, o concreto permeável é uma tecnologia que possibilita o
equilíbrio entre desenvolvimento e sustentabilidade, além de ser uma solução para um dos
grandes problemas da urbanização: a impermeabilização do solo. Apesar de ter surgido no
século XIX, o uso dessa tecnologia é incipiente, e são escassos os estudos sobre sua
aplicabilidade, o que justifica o interesse pessoal por um aprendizado mais aprofundado sobre
a questão. A escassez de conhecimento sobre o tema garante uma vasta possibilidade de
estudos futuros, sendo um tema com grande potencial dentro da Engenharia Civil.

2 CONCRETO PERMEÁVEL
2.1 HISTÓRICO
O concreto permeável, também conhecido como concreto poroso, tem como função o
aumento da permeabilidade de pavimentos submetidos a cargas reduzidas. O material é

4
praticamente similar ao concreto convencional. Enquanto o concreto convencional possui uma
granulometria com boa distribuição, o concreto poroso tem essencialmente a mesma
granulometria. A partir da limitação do teor dos finos no traço do concreto, são criados poros
interconectados que possibilitam que praticamente toda a água seja infiltrada na estrutura,
funcionando, assim, como um sistema de drenagem.
O concreto permeável foi usado pela primeira vez na Europa, em 1852. Ainda que não
seja uma tecnologia nova, o interesse pelo tema é atual, especialmente por causa das
legislações de controle da qualidade da água proveniente do escoamento superficial e do
interesse cada vez maior da população em tecnologias que tenham como premissa a
preservação do meio ambiente e a redução dos impactos ambientais. A técnica da utilização
do concreto permeável como material estrutural, na época denominado concreto sem finos
(no-fines concrete), teve origem na Alemanha e foi usada pela primeira vez na década de 20.
Passou a ser usado no Reino Unido a partir da década de 30, mas só foi amplamente
disseminado na década de 40 por meio do sistema Wimpey no-fines house.
O crescimento populacional no período pós-guerra e o aumento crescente das
superfícies impermeáveis nas cidades fizeram com que, ao final da década de 70, alguns
países como Estados Unidos, a França, a Suécia e o Japão voltassem a se interessar pelo
concreto poroso, o material significava, ainda, uma opção mais segura e confortável para os
tempos chuvosos. Em 1978, foi lançado na França pelo “Ministère de l’Equipement” um
projeto de pesquisa com o objetivo de desenvolver novas soluções para o problema das
inundações. O pavimento permeável em concreto destacou-se dentre as soluções estudadas,
devido à facilidade de integração ao ambiente das cidades. Nos últimos anos o concreto
permeável, considerado uma solução ecologicamente correta e sustentável, tem ganhado
destaque e relevância na indústria da construção civil.
A utilização do concreto permeável como solução para a pavimentação é recente no
Brasil, mas sua utilização vem crescendo ano a ano, já que contribui para que sejam atendidas
as legislações municipais relacionadas à infiltração e à permeabilidade dos terrenos. As
experiências com misturas drenantes no Brasil foram iniciadas na década de 1980. As
primeiras utilizações do concreto permeável no país foram em aeroportos. Inicialmente no
aeroporto de Confins em Belo Horizonte – MG, em 1983 utilizando-se o revestimento
asfáltico comum para pavimentação. Em 1987, foi realizado o recapeamento da pista do
aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro com revestimento asfáltico drenante.

5
Em abril de 2006, em Belo Horizonte (MG), começou a ser construído o Parque
Tecnológico de Belo Horizonte ( BH-Tec), o projeto foi concebido para ser executado de
forma ecologicamente correta e tem caráter inédito na America Latina. A pavimentação do
espaço é de concreto permeável, o que diminui os riscos de inundações e alimenta as
nascentes do Parque.
No ano de 2009, foi desenvolvido pela Universidade de São Paulo um projeto de
pesquisa no qual um estacionamento de aproximadamente 1600 m² foi pavimentado de um
lado com asfalto permeável, de outro com blocos intertravados de concreto poroso,
demonstrando a capacidade de absorção destes com relação ao primeiro, e contribuindo para o
desenvolvimento da tecnologia de concreto poroso. Após a analise dos primeiros dados
coletados, houve um consenso entre os engenheiros de que esses materiais deveriam ser
usados conjuntamente, para obter melhores resultados.
Em agosto de 2015, com a publicação da NBR 16416 – Pavimentos permeáveis de
concreto – Requisitos e Procedimentos, que estabelece os requisitos mínimos para projeto,
especificação, execução e manutenção dos diferentes tipos de pavimentos permeáveis o
concreto permeável deu mais um passo a frente como sistema construtivo no país. A
publicação da norma técnica contribui para que seja assegurada a qualidade deste tipo de
pavimentação, incentivando o uso desta tecnologia.

2.2 PROCEDIMENTO
Com o aumento da densidade populacional, a redução das áreas permeáveis também é
impactada. Áreas com cobertura vegetal contribuem em até 95% para a infiltração da água no
solo, enquanto nas aéreas urbanas este percentual pode cair para apenas 5%. Assim, a redução
da permeabilidade influencia diretamente na drenagem do solo, pois contribui para o aumento
do escoamento superficial de água, gerando maiores volumes de pico, aumentando da
velocidade da água, saturando o sistema de drenagem existente. Logo, a percentagem de água
da chuva que infiltra no solo em relação à quantidade que escoa vai depender principalmente
do relevo do terreno e da permeabilidade do solo. Sendo assim, a principal função dos
pavimentos permeáveis é promover a infiltração parcial ou total da água, com ou sem o seu
reaproveitamento. Como toda obra, antes da execução, o correto é ter um projeto executivo. O
mesmo procedimento deve ser adotado, ao se pensar em projetar um pavimento permeável. 
Porém, alguns parâmetros devem ser avaliados, tais como: capacidade e infiltração do solo,
nível do lençol freático, risco de contaminação de aquíferos, fragilidade do solo, declividade

6
do terreno, que deve ser menor que 18%, presença de instalações subterrâneas, afluência de
sedimentos, solicitação de esforços.
Enquanto nos concretos convencionais busca-se a menor porosidade possível,
nos concretos permeáveis busca-se justamente o contrário, Dessa forma, este
concreto apresenta algumas particularidades nas suas propriedades, as quais são dependentes
da relação água/cimento, do teor de cimento, da forma e da distribuição granulométrica dos
agregados, da forma de lançamento e adensamento durante a aplicação do concreto.
Quando se trabalha com este tipo de concreto, a relação a/c aplicada deve ser na faixa de 0,26
a 0,45. Da mesma forma que deverá apresentar uma capacidade de percolação das águas
pluviais de 120 l/min./m2 a 320 l/min./m2, com uma média de 200l/min./m2 e picos de até
700 l/min./m2. Com índice de vazios de 15 a 25%. Cimento: 270 a 415 kg/m³. Agregado:
1200 a 1500 kg/m³. Agregado graúdo/cimento: 4 a 4,5:1. Agregado miúdo/graúdo: 0 a 1:1.
Podendo ter adições de aditivos redutor de água, para melhor trabalhabilidade e maior
resistência; controle de hidratação, para o aumento do tempo de pega; modificador de
viscosidade, para melhor trabalhabilidade e menos segregação.

 SUBLEITO, SUB-BASES E BASES


A primeira etapa é a retirada do solo existente conforme as cotas de projeto até o subleito.
Este deve ter um CBR mínimo de 2% e estar isento de vegetais, raízes e entulhos. Caso
contrário, todo o material deverá ser retirado e substituído. É fundamental garantir o
nivelamento e a compactação do subleito. Caso o projeto preveja a captação de água, poderá
ser colocada uma manta plástica (geomembranas) sobre o subleito e laterais, para garantir a
melhor captação. Normalmente utiliza-se uma sub-base de 20 cm de espessura com material
granular uniforme com 19 mm, compactado e nivelado. A base normalmente é executa com
espessuras de 5 cm, com material granular de 6,3 mm uniforme e sem finos e nivelada.  Caso
o projeto preveja a utilização de placas pré-fabricas ou pavimento intertravado, a compactação
da base deverá ser feite em conjunto com as peças de concreto. Para melhor capacidade de
absorção do reservatório o índice de vazios da base e sub-base devem ser superiores a 32%.

 APLICAÇÃO E ADENSAMENTO
Da mesma forma que funciona a aplicação de concreto convencional, as técnicas de
lançamento são desenvolvidas para atender as condições específicas do produto.
Diferentemente do lançamento concreto fresco convencional, que pode ser bombeado e
adensado com vibrador, para o concreto usinado permeável não se recomenda o

7
bombeamento e o adensamento com vibrador após o lançamento. O transporte do local da
produção do concreto permeável até o local da pavimentação não deve exceder em uma hora.
Isto se dá pelo fato de que este concreto reage muito mais depressa do que o convencional
pela pouca quantidade de água na sua mistura.
O espalhamento deve ser manual e com ajuda de soquetes, régua manual ou vibratória
(vibroacabadora) para permitir uma melhor acomodação dos agregados, esse processo deve
ser concluído em, no máximo, 15 minutos. Para o adensamento final, utilizar um rolo de 
metal apropriado para esta finalidade. As bordas do pavimento permeável próximas às formas
devem ser cuidadosamente compactadas, para evitar a formação de desníveis e dentes. Para
que a vibração excessiva não ocasione esse tipo de patologia, muitos construtores optam por
usar o “socador” manual com base em aço ou alumínio no lugar do compactador elétrico.
Em decorrência da ineficiência da compactação e da cura ou pequenas imperfeições na
camada superficial, pode ocorrer a desagregação de agregados da superfície do concreto logo
após a abertura do pavimento ao tráfego, mesmo em concretos que foram dosados
corretamente. Em geral, este fenômeno aparece após algumas semanas de uso; depois, a taxa
de perda de material na superfície se reduz até a superfície se tornar estável.

 CORTE DE JUNTAS
Embora o pavimento de concreto permeável tenha uma retração menos intensa que a do
concreto convencional, o Boletim Técnico recomenda o corte de juntas com profundidade de
pelo menos, 25% da espessura do pavimento a cada 5 metros, para prevenir o aparecimento de
fissuras. É importante notar que a retração no pavimento de concreto permeável ocorre mais
rapidamente que no concreto convencional. Logo, para evitar fissuração é necessário que o
corte de juntas seja realizado logo após consolidação do concreto, com rolo de corte.

 CURA
Para que o concreto atinja o máximo desempenho é imprescindível que ele seja curado, já
que isso minimiza a perda de água da superfície para o meio ambiente por evaporação.
Devido à sua estrutura mais aberta e à sua maior área superficial, a evaporação da água no
concreto permeável ocorre com maior intensidade, tornando a cura nesse tipo de concreto
ainda mais essencial.
Na prática, o procedimento de cura deve ser iniciado, no máximo, 20 minutos após o
lançamento do concreto. Em alguns casos específicos, é possível prever, durante a dosagem

8
do concreto permeável, o uso de aditivo estabilizador de hidratação na tentativa de se
aumentar o tempo em aberto do concreto fresco, retardando a perda d’agua por evaporação.
De acordo com o relatório, a National Ready Mixed Concrete Association (NRMCA)
recomenda que a cura do concreto permeável seja feita por meio de nebulização de água ou
com o uso de agentes de cura química. Após a cura do concreto é fundamental proteger o
pavimento com lona plástica por um período de pelo menos 7 dias. Para atingir uma
resistência de 3,5 a 28Mpa.

 LIBERAÇÃO AO USO
É recomendado que o pavimento permeável seja liberado ao trafego após 28 dias da
concretagem. No mais, em casos especiais, pode-se optar pela liberação imediatamente após o
período de cura.

 MANUTENÇÃO
Ao realizar a filtragem da água da chuva, o pavimento de concreto permeável vai, aos
poucos, perdendo sua capacidade de infiltração. Estudos estimam que as manutenções para
limpeza dos vazios colmatados devem acorrer no máximo a cada 10 anos, porém a
colmatação é diretamente proporcional a quantidade de sujeira que o pavimento recebe,
devendo ser feita limpeza anual a cada ano com aspiração.
O cimento dos pavimentos dura entre 20 e 40 anos, proveniente o ataque de sulfatos
devido à baixa relação a/c e poros.

2.3 APLICAÇÕES DO CONCRETO PERMEÁVEL


Esta tecnologia pode ser aplicada para reduzir riscos de enchentes e melhorar a
infiltração de água no solo, principalmente, em centros urbanos após o aumento da
densidade populacional (ex: em pavimentação asfáltica, em barragens, concretagem de ruas
e etc).

Drenagem urbana em
Esquema de concretagem permeável. concreto permeável
(Parque em Belo Horizonte)
De acordo com estudiosos, áreas com vegetais contribuem em até 95% para a
infiltração da água no solo, enquanto nas áreas urbanas este percentual pode cair para
9
apenas 5%. Contudo , surgi o concreto permeável, que tem como a principal função dos
pavimentos permeáveis é promover a infiltração parcial ou total da água, com ou sem o seu
reaproveitamento.
Da mesma forma que funciona a aplicação de concreto convencional, as técnicas de
lançamento são desenvolvidas para atender as condições específicas produto.
Diferentemente do lançamento concreto fresco convencional, que pode ser bombeado e
adensado com vibrador, para o concreto usinado permeável não se recomenda o
bombeamento e o adensamento com vibrador após o lançamento. O espalhamento deve ser
manualmente e com ajuda de soquetes, régua manual ou vibratória. Para o adensamento
final, utilizar um rolo de  metal apropriado para esta finalidade.
As bordas do pavimento permeável próximas às formas devem ser cuidadosamente
compactadas, para evitar a formação de desníveis e dentes. Para que a vibração excessiva
não ocasione esse tipo de patologia, muitos construtores optam por usar o “socador”
manual com base em aço ou alumínio no lugar do compactador elétrico . Em decorrência da
ineficiência da compactação e da cura ou pequenas imperfeições na camada superficial,
pode ocorrer a desagregação de agregados da superfície do concreto (“raveling”) logo após a
abertura do pavimento ao tráfego, mesmo em concretos que foram dosados corretamente.
Em geral, este fenômeno aparece após algumas semanas de uso; depois, a taxa de perda de
material na superfície se reduz até a superfície se tornar estável.

OBS: A função permeabilizante do


concreto permeável não funciona
se ele não estiver associado à base
e sub-base granular.

10
 LIBERAÇÃO AO USO
É recomendado que o pavimento permeável seja liberado ao trafego após 28 dias da
concretagem. No mais, em casos especiais, pode-se optar pela liberação imediatamente
após o período de cura.

2.4 VANTAGENS E DESVANTAGENS


 VANTAGENS
Dadas as exigências das legislações municipais relativas à permeabilidade dos
terrenos, o concreto permeável é uma excelente solução para um melhor aproveitamento da
área construída, permitindo que esta seja pavimentada, e, ainda assim, permeável. A área
construída com o concreto permeável pode assumir diversos usos, e apresenta maior conforto
e segurança para os usuários, reduzindo a formação de poças de água e possibilitando maior
aderência.
 BENEFÍCIOS AMBIENTAIS
O uso do concreto permeável elimina os problemas ambientais e urbanos decorrentes da
impermeabilização do solo, possibilitando a infiltração direta de água para os aquíferos
subterrâneos.
Outro grande benefício ao meio ambiente é a redução ou eliminação do escoamento
superficial, permitindo a filtragem da poluição difusa ocasionada por óleos, fluídos
automobilísticos e demais substâncias encontradas na pavimentação urbana. Essa poluição
difusa tende a ser levada para os lagos, rios e oceanos.
E os benefícios ambientais não param por aí. A cor clara do material absorve menos
radiação solar e a estrutura pouco densa armazena menos calor, auxiliando na redução do
aquecimento das áreas urbanas. Além disso, esse concreto ainda facilita a sobrevivência da
arborização localizada em áreas pavimentadas, por permitir a chegada de ar e água até as
raízes das plantas.

 REDUÇÃO DE ENCHENTES
Essa questão é uma das mais discutidas em nosso país, ano após ano. Reduzir as
enxurradas e enchentes é um problema que se arrasta há décadas.
Os alagamentos ocorrem na proporção atual porque os pavimentos convencionais recebem
alto volume de água em um curto período de tempo, e não é possível escoar todo esse volume
através das drenagens existentes.

11
Com o concreto permeável, a água passa a ser absorvida pelo solo, já que o material
permite a infiltração a partir da superfície. Assim, os demais sistemas urbanos de drenagem
recebem uma quantidade menor de água da chuva.
A Lafarge Tarmac, empresa britânica do ramo de construção, desenvolveu há alguns anos
um concreto permeável capaz de absorver mais de quatro mil litros de água em menos de um
minuto. O projeto foi nomeado TOPMIX e serviu para mostrar ao mundo como a questão de
enchentes pode, de fato, se beneficiar com o concreto permeável.

Teste realizado pela Lafarge Tarmac, na Inglaterra, que mostrou a eficiência do concreto permeável para a absorção
rápida de água.

 BENEFÍCIOS FINANCEIROS
Vários gastos podem ser reduzidos por conta do uso de um concreto permeável. Além do
exemplo da calçada citado acima, o sistema de instalação com o piso intertravado permite que
seja dispensado o uso de cimento e argamassa de assentamento. Outra vantagem é que o
material é reaproveitável. Sendo assim, pode ser reutilizado em caso de remoções e
manutenções.

 MELHOR APROVEITAMENTO DE TERRENOS


O maior aproveitamento das áreas edificadas é um dos benefícios do uso do concreto
poroso. Isso porque é permitido utilizar uma parcela das extensões dos pavimentos que devem
permanecer porosas.
Vale ressaltar ainda que a área construída com o concreto permeável apresenta maior
conforto e segurança para os usuários. Como foi citado há pouco, há redução na formação de
poças de água e também maior aderência.

 VIAS PARA PEDESTRES


12
O concreto poroso também oferece excelentes benefícios ao ser usado em vias e calçadas
voltadas para pedestres. Um deles é evitar as poças de água que normalmente se formam em
dias de chuva.
Com o concreto convencional, muitas calçadas sofrem com os danos ao longo do tempo,
devido ao desgaste decorrente do excesso de água. Isso pode causar acidentes aos pedestres
por conta de buracos, sem contar a necessidade de gastos públicos para o reparo.

Calçadas com placas pré-


fabricadas de concreto permeável
 OUTROS BENEFÍCIOS um importante bairro da zona
oeste
Além desses atrativos, o uso do concreto permeável traz outras da capitalTais
vantagens. paulista.
como:
 Possibilidade de reutilização da água da chuva;
 Redução ou eliminação da necessidade de tanques de retenção;
 Minimiza ou dispensa obras de microdrenagem local;
 A rugosidade aumenta a tração dos veículos, prevenindo acidentes causados por
deslizamentos;
 Pode ser usado como zona de transição em barragens, junto aos maciços rochosos;
 Pode ser produzido com qualquer tipo de agregado, o que permite a utilização de
agregados locais;
 Permite o desenvolvimento de terras mais produtivas;
 Custo de ciclo de vida menor que outros concretos e asfalto;
 Por ser feito com cimento, possibilita o acréscimo de pigmentos para se ter uma
variedade de cores.

 DESVANTAGENS
A utilização de pavimentos permeáveis demanda, como qualquer outro pavimento,
cuidados de especificação, instalação e manutenção. A recomendação é fazer o cálculo para o
projeto baseado na resistência do concreto e na quantidade de chuva. No geral considera-se o
custo com manutenção baixo ou quase inexistente. Por outro lado, é preciso tomar cuidado
com o local onde o projeto será instalado, deve-se verificar se não é uma área com risco de
contaminação, já que a água infiltra para o solo.

13
Desvantagens:
 Menor resistência;
 Custo inicial levemente maior;
 Risco de entupimento.
Em casos de escoamento altamente contaminado, gerado por algumas utilizações do
solo onde as concentrações de poluentes excedem os índices normais, como em viveiros,
instalações de reciclagem, armazenagem industrial, marinas, entre outros, o pavimento
permeável não é indicado, uma vez que existe o risco de contaminação das águas
subterrâneas. Além disso, em um evento de grande tempestade, o lençol freático pode subir e
limitar a absorção pelo solo.

2.5 DIFERENÇAS ENTRE CONCRETO PERMEÁVEL E CONVENCIONAL

A principal diferença entre o concreto convencional e o poroso é o índice de vazios


deste último. Enquanto o concreto convencional é compacto e tem propriedades que o fazem
enrijecer ao longo do tempo, tornando-o mais resistente, a característica do permeável é outra.
Ele é feito a partir de material granular quase todo do mesmo tamanho, com a mesma
granulometria. "O uso do mesmo tamanho de agregado cria vazios, porque eles não
conseguem ser preenchidos". Um pouco de areia grossa, nada de fina, também permite que
haja um bom volume de vazios.
A quantidade de pedra, areia, cimento e água vão variar de acordo com a resistência
que se busca ter no concreto. Quanto maior a resistência que se procura, menor será a
permeabilidade. Para se ter mais permeabilidade, é preciso um maior volume de vazios e,
portanto, haverá menos resistência. O concreto convencional, por sua vez, é mais resistente
que o permeável, isso por que um maior volume de vazios não traz resistência ao concreto..
Por isso, há limitações na aplicação do sistema de drenagem com concreto permeável. Ele é
mais indicado para locais de menor solicitação de carga, onde a resistência é menos exigida,
como ciclovias, quadras poliesportivas e estacionamentos - a restrição de carga é para tráfego
leve.
Como podemos ver, o concreto permeável é um material que tem propriedades e
funcionalidades bastante especificas. Ele não substitui o concreto convencional em qualquer
tipo de obra, pois cada um tem seus benefícios e utilidades. Saber suas vantagens e
aplicabilidades é fundamental para melhor aproveitá-los.

14
3 CONCLUSÃO
Em vista de todo esse processo de urbanização e expansão dos grandes centros
urbanos é preciso observar a questão da gestão das águas pluviais. Nos dias atuais, em função
de uma má gestão das mesmas, inúmeros transtornos são causados à população, tanto em
relação aos danos estruturais quanto à proliferação de doenças, tais como a leptospirose.
Deve-se levar em conta o impacto causado no meio ambiente pela poluição carreada nos
centros urbanos para os corpos hídricos, a modificação do ambiente pela construção de
tubulações de drenagem e os custos necessários para estes empreendimentos. Nesse cenário se
insere o concreto permeável, como uma alternativa ecologicamente correta e viável,
aproximando o ambiente urbano das condições de urbanização.
O concreto permeável é um concreto com características únicas, que precisa de uma
instalação mais adequada, ele não é esteticamente atraente como o convencional, mas os seus
pontos positivos são muitos. Além de permitir a drenagem das aguas pluviais no local, ele
alivia as ilhas de calor, combate o aquecimento global, permite a arborização dos centros
urbanos e absorve ruído.
Assim, ainda há muito a ser feito para que esse concreto possa ser sado em exemplos
reais, auxiliando na denagem urbana, beneficiando não só a sociedade, mas o meio ambiente,
promovendo uma aproximação das condições pré-urbanização. E, levando em conta no
quanto esse continuo processo de expansão e impermeabilização das cidades tem impactado o
meio ambiente, a adoção deste tipo de concreto torna-se imperativa.

15
4 REFERÊNCIAS
 CAROLINE MAZZONETTO. Infraestrutura urbana, 2011. Disponível em:
<http://infraestruturaurbana17.pini.com.br/solucoes-tecnicas/13/concreto-permeavel-
alternativa-para-aumentar-a-permeabilidade-de-pavimentos-254488-1.aspx>. Acesso
em: 24 de nov. de 2018.
 Tecnosil, 2015. Disponível em: <https://www.tecnosilbr.com.br/concreto-permeavel-
o-que-e-e-quais-seus-grandes-atrativos/>. Acesso em: 24 de nov. de 2018.
 HOLTZ, Fabiano. et al. Aplicação de concreto permeável na drenagem de zonas
urbanas. ResearchGate ,novembro de 2011. Disponível em:
<https://www.researchgate.net/publication/283733927>. Acesso em: 25 de nov. de
2018.
 Cimento Mauá, 2017. Disponível em: <https://cimentomaua.com.br/blog/concreto-
permeavel-qual-funcao-vantagens-desvantagens/>. Acesso em: 26 de nov. de 2018.
 HOLTZ, Fabiano. Uso de concreto permeável na drenagem urbana: análise da
viabilidade técnica e do impacto ambiental. Dissertação (Dissertação em
Engenharia Civil) - UFRGS. Porto Alegre, 2011.

16

Você também pode gostar