Você está na página 1de 94

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E
FINANÇAS
DIRETORIA ADMINISTRATIVA
COORDENAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS

MANUAL DE INSTRUÇÃO
PROCESSUAL PARA AQUISIÇÃO DE
BENS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

2020

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS


COORDENAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS (CRM)
Avenida NS 15, 109 Norte – Plano-Diretor Norte | 77001-090 | Palmas/TO
(63) 3229-4147/4112/4335/4163 | www.uft.edu.br | compras@uft.edu.br
Prof. Dr. Luiz Eduardo Bovolato
Reitor

Profa. Dra. Ana Lúcia de Medeiros


Vice-Reitora

Jaasiel Nascimento Lima


Pró-Reitor de Administração e Finanças

Jacqueline Araujo Rodrigues


Diretora Administrativa

Carlos Alberto Moreira de Araujo Junior


Coordenador de Recursos Materiais

Pregoeiros:
Adson Reis de Sousa
Antônia Shirlene Bandeira Alvarenga
Leandro Augusto Soares Oliveira
Romário Severiano Lima

Equipe contratação direta:


Aline Deanne Santana de Carvalho
Henrique Passos Valente
Victor Soares Nunes

E-mail: compras@uft.edu.br

PALMAS
LISTA DE SIGLAS
ARP – Ata de Registro de Preços
CRM – Coordenação de Recursos Materiais da UFT
DIRAD – Diretoria Administrativa
ETP – Estudos Técnicos Preliminares
ME/EPP – Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
PAC – Plano Anual de Contratações
PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional
PGC – Sistema de Planejamento e Gerenciamento de Contratações
PROAD – Pró-Reitoria de Administração e Finanças da UFT
PROAP – Pró-Reitoria de Avaliação e Planejamento da UFT
PU – Prefeitura Universitária da UFT
SMS – Solicitação de Compras de Materiais ou Serviços
SIE – Sistema de Informação para o Ensino
STI – Superintendencia de Tecnologia da Informação da UFT
TCU – Tribunal de Contas da União
SUMÁRIO

INTRODUÇÃ O..................................................................................................................................................... 8
TÍTULO I............................................................................................................................................................... 9
DO PLANO ANUAL DE CONTRATAÇÕ ES – PAC/UFT.........................................................................9
TÍTULO II........................................................................................................................................................... 10
DAS DEFINIÇÕ ES ADOTADAS PARA FINS DESTE MANUAL.........................................................10
TÍTULO III.......................................................................................................................................................... 11
AQUISIÇÃ O DE BENS E CONTRATAÇÃ O DE SERVIÇOS COMUNS...............................................11
CAPÍTULO I....................................................................................................................................................... 11
FORMALIZAÇÃ O DOS PROCESSOS LICITATÓ RIOS........................................................................... 11
CAPÍTULO II...................................................................................................................................................... 13
PREGÃ O ELETRÔ NICO PARA AQUISIÇÃ O DE BENS........................................................................13
SEÇÃ O I............................................................................................................................................................... 18
DOS PEDIDOS À ATA DE REGISTRO DE PREÇOS..............................................................................18
CAPÍTULO III.................................................................................................................................................... 19
PREGÃ O ELETRÔ NICO PARA CONTRATAÇÃ O DE SERVIÇOS......................................................19
CAPÍTULO IV.................................................................................................................................................... 23
SOLUÇÕ ES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃ O E COMUNICAÇÃ O - TIC................................23
CAPÍTULO V...................................................................................................................................................... 28
OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA.................................................................................................. 28
CAPÍTULO VI.................................................................................................................................................... 29
CONCESSÃ O DE USO DO ESPAÇO FÍSICO............................................................................................. 29
TÍTULO III.......................................................................................................................................................... 33
ROTEIRO PARA CONTRATAÇÃ O DIRETA............................................................................................ 33
CAPÍTULO I....................................................................................................................................................... 33
FORMALIZAÇÃ O DO PROCESSO PARA CONTRATAÇÃ O DIRETA...............................................33
SEÇÃ O I............................................................................................................................................................... 36
ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃ O DE CONTRAÇÕ ES DIRETAS – PEQUENO VALOR ART.
24, INC. I E II DA LEI Nº 8.666/93........................................................................................................... 36
SEÇÃ O II............................................................................................................................................................. 40
ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃ O DE CONTRAÇÕ ES DIRETAS ART. 17, ART. 24, INC. III E
SESGUINTES E ART. 25, DA LEI Nº 8.666/93..................................................................................... 40
SEÇÃ O III............................................................................................................................................................ 42
AQUISIÇÃ O POR ADESÃ O “CARONA”..................................................................................................... 42
SEÇÃ O IV............................................................................................................................................................ 43
ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃ O DE ADESÃ O “CARONA”............................................................43
SEÇÃ O V............................................................................................................................................................. 47
DA ADESÃ O PARATICIPANTE – INTENÇÃ O DE REGISTRO DE PREÇOS.................................47
SEÇÃ O VI............................................................................................................................................................ 48
DO RECEBIMENTO DO OBJETO................................................................................................................ 48
APÊ NDICES....................................................................................................................................................... 49
MODELOS PARA INSTRUÇÃ O PROCESSUAL....................................................................................... 49
APÊ NDICE I....................................................................................................................................................... 50
OFÍCIO MODELO – AUTORIZAÇÃ O ABERTURA DO PROCESSO DE COMPRAS.....................50
APÊ NDICE II..................................................................................................................................................... 51
JUSTIFICATIVA DA CONTRATAÇÃ O....................................................................................................... 51
APÊ NDICE III.................................................................................................................................................... 52
MODELO OFÍCIO – JUSTIFICATIVA DA ESPECIFICAÇÃ O DO OBJETO......................................52
APÊ NDICE IV.................................................................................................................................................... 53
MODELO – PLANILHA DE FORMAÇÃ O DE PREÇOS.........................................................................53
APÊ NDICE V.............................................................................................................................................. 54
MODELO – DECLARAÇÃ O DA PESQUISA DE PREÇOS.....................................................................54
APÊ NDICE VI.................................................................................................................................................... 56
MODELO – APROVAÇÃ O DO TERMO DE REFERÊ NCIA..................................................................56
APÊ NDICE VII.................................................................................................................................................. 57
MODELO – DOCUMENTO DE FORMALIZAÇÃ O DE DEMANDA (CONTRATAÇÃ O DE
SERVIÇOS CONFORME IN 05/20417 ME)............................................................................................ 57
APÊ NDICE VIII......................................................................................................................................... 58
MODELO – MAPA DE RISCOS (contrataçã o de serviços)...............................................................58
APÊ NDICE XIX................................................................................................................................................. 67
MODELO – DESIGNAÇÃ O DE FISCAL DE CONTRATO......................................................................67
APÊ NDICE X...................................................................................................................................................... 68
INFORMAÇÃ O SOBRE O CÓ DIGO CATSERV........................................................................................ 68
APÊ NDICE XI.................................................................................................................................................... 69
INSTRUMENTO DE MEDIÇÃ O DE RESULTADOS (IMR)..................................................................69
APÊ NDICE XII................................................................................................................................................... 70
MODELO – PROJETO BÁ SICO PARA CONTRATAÇÃ O DIRETA DE PEQUENO VALOR........70
APÊ NDICE XIII................................................................................................................................................. 76
MODELO – PROJETO BÁ SICO PARA CONTRATAÇÃ O DIRETA - INEXIGIBILIDADE............76
APÊ NDICE XIV................................................................................................................................................. 90
MODELO – TERMO DE REFERÊ NCIA ADESÃ O TARDIA “CARONA”..........................................90
8

INTRODUÇÃO

Trata-se de importante instrumento para orientar os solicitantes acerca dos


procedimentos a serem adotados nas aquisições de bens e contratações de serviços.
Considerando a complexidade do conjunto normativo das compras governamentais, este
Manual almeja a padronização dos procedimentos administrativos de licitação e contratação
direta, a fim de reduzir o retrabalho e formar uma linguagem comum entre os demandantes
que atuam nas rotinas administrativas de compras.
Não se pretende substituir o necessário aprofundamento a respeito da legislação
administrativa das compras públicas, nem das decisões do Tribunal de Contas da União e
demais Órgãos de Controle; busca-se, com este guia, a formulação de instrumento para
orientação e controle sobre a formalização dos processos de compras.
O Manual receberá atualizações frequentes, de acordo com a experiência e a
necessidade da administração. A periodicidade de atualização se dará a depender da
ocorrência de fatores externos, ligados a avanços na legislação, e internos, quando necessários
ao aperfeiçoamento da gestão dos processos de compras aplicados à Universidade Federal do
Tocantins (UFT).

Coordenação de Recursos Materiais


TÍTULO I

DO PLANO ANUAL DE CONTRATAÇÕES (PAC/UFT)

1 O planejamento é um princípio fundamental da administração pública que deve


nortear as suas atividades. Assim, com a finalidade de aperfeiçoar a articulação do
planejamento das aquisições de bens e contratações de serviços com a proposta orçamentária
contemplando todos os diversos setores da instituição, as aquisições da Universidade Federal
do Tocantins (UFT) serão consolidadas no Plano Anual de Contratações (PAC/UFT) nos
termos da Portaria Normativa nº 01, de 28 de fevereiro de 2019, da Universidade Federal do
Tocantins.
2 O PAC é um dos instrumentos de governança e gestão das aquisições no qual o órgão
ou entidade informa todas as demandas de bens, serviços, obras e soluções de tecnologia da
informação e comunicações que pretende contratar no exercício subsequente a fim de vincular
o planejamento das contratações com a proposta orçamentária. O Plano Anual de
Contratações da Universidade Federal do Tocantins é o instrumento de planejamento
institucional que retrata o exercício de previsão das demandas futuras das Unidades Gestoras
e disponibiliza as informações necessárias que serão usadas para a realização das aquisições
de bens e contratações de serviços.
3 Para inclusão de demanda no Plano Anual de Contratações da Universidade Federal do
Tocantins, as Unidades Gestoras e os Grupos de Compras deverão realizar anualmente o
levantamento das prioridades de compras/contratações, com base nas informações
orçamentárias, e registrar no Sistema de Planejamento e Gerenciamento de Contratações
(PGC) todos os itens que pretendem contratar no ano seguinte.
4 Os requisitantes, por conseguinte, deverão observar os prazos estabelecidos no
cronograma de elaboração do Plano Anual de Contratações, nos termos da Portaria Normativa
divulgada anualmente pelo Ministério da Economia, para envio das suas demandas aos setores
técnicos responsáveis pelo registro dos pedidos de compras no Sistema de Planejamento e
Gerenciamento de Contratações (PGC).
5 Somente as solicitações registradas e aprovadas irão compor o Plano Anual de
Contratações desta Universidade. As demandas constantes do Plano Anual de Contratações
deverão ser encaminhadas ao setor de licitações da Reitoria, acompanhadas da devida
instrução processual, em consonância com o cronograma de encaminhamento de processos,
documento disponível no site da Universidade Federal do Tocantins
(www.uft.edu.br/compras). Com essa medida, busca-se fortalecer o planejamento das
aquisições e a padronização dos procedimentos administrativos, a fim de potencializar as
compras conjuntas entre os câmpus da Universidade Federal do Tocantins, por meio da
divulgação do Plano Anual de Contratações.
6 Os pedidos de compras que não estiverem no PGC só poderão ser atendidos mediante
solicitação formal do demandante ao Ordenador de Despesas (PROAD). Após a autorização
da inclusão extemporânea e abertura do sistema para inclusão da demanda, poderá ser
realizada a contratação.

TÍTULO II

DAS DEFINIÇÕES ADOTADAS PARA FINS DESTE MANUAL

7 COMPRA: Toda aquisição remunerada de bens para fornecimento de uma só vez ou


parceladamente.
8 GRUPO DE COMPRAS: Setor da Universidade (conforme Resolução nº 29, de
31/10/2018/UFT), com responsabilidade pelo levantamento de demandas, instrução de
processos de compras e gerenciamento das Atas de Registro (ARPs), nos termos do Decreto
nº 7.892, de 23 de janeiro de 2013.
9 MODALIDADE DE DEMANDA: Entende-se por modalidade de demanda: a)
contratação direta; b) adesão “carona”; c) pregão para entrega imediata; e d) Sistema de
Registro de Preços (SRP).
10 PARECER TÉCNICO: Manifestação do setor demandante para subsidiar o
pregoeiro na aceitação das propostas.
11 SETOR DE LICITAÇÕES DA REITORIA: Unidade responsável pelo
planejamento, coordenação e acompanhamento das ações destinadas à realização das
licitações e contratações diretas (pregão eletrônico, dispensa, inexigibilidade e adesão
“carona”).
12 SERVIÇO: Toda atividade destinada a obter determinada utilidade de interesse para a
Administração.
13 UNIDADE GESTORA: Gestora de recurso, conforme Resolução nº 29, de
31/10/2018/UFT, responsável por identificar necessidades, definir prioridades, formalizar a
devida instrução dos processos de compras e requerer ao setor de licitações a contratação de
bens, serviços, obras e soluções de tecnologia da informação e comunicações.
TÍTULO III

AQUISIÇÃO DE BENS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS COMUNS

CAPÍTULO I

FORMALIZAÇÃO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS

14 As Unidades Gestoras deverão promover ações de capacitação destinadas aos


servidores encarregados pela instrução dos processos de compras, em conformidade com o
Plano de Capacitação para gestores em aquisição de bens e contratação de serviços da
Universidade Federal do Tocantins.
15 Na fase preparatória do pregão, a unidade gestora solicitante, ou grupo de compras
responsável pela aquisição, deverá realizar a instrução do processo para aquisição de bens
e/ou serviços e informar a modalidade em que se enquadra a demanda. Os pedidos de
compras com itens comuns entre as unidades gestoras solicitantes serão atendidos de forma
conjunta.
16 O processo de compra conjunta será instruído pela Unidade Gestora solicitante com
maior quantitativo de itens para a licitação, com exceção das aquisições geridas pelos grupos
de compras definidos no cronograma de encaminhamento de processos, documento disponível
no site da Universidade Federal do Tocantins (www.uft.edu.br/compras).
17 No pregão para compra com entrega imediata, o solicitante deve possuir a
disponibilidade orçamentária prévia necessária à cobertura da despesa. No pregão para
Registro de Preços, os itens ficam disponíveis para aquisição por 12 meses e não precisa da
prévia disponibilidade orçamentária.
18 O Sistema de Registro de Preços poderá ser adotado quando: a) pelas características
do bem ou serviço, houver necessidade de contratações frequentes; b) for conveniente a
aquisição de bens com previsão de entregas parceladas ou contratação de serviços
remunerados por unidade de medida ou em regime de tarefa; c) for conveniente a aquisição de
bens ou a contratação de serviços para atendimento a mais de um órgão ou entidade, ou a
programas de governo; ou d) pela natureza do objeto, não for possível definir previamente o
quantitativo a ser demandado pela Administração.
19 As unidades demandantes deverão formalizar os processos para encaminhá-los à
Coordenação de Recursos Materiais da Reitoria em conformidade com os prazos
estabelecidos no cronograma de encaminhamento de processos.
20 A tramitação das demandas entre os requisitantes e as unidades gestoras será realizada
pelo Sistema de Informação para o Ensino (SIE).
21 As orientações (Anexos I e II) sobre a abertura de solicitação de compras e processos
de compras no Sistema SIE estão disponíveis na intranet e no site da UFT.

Imagem 1: página inicial intranet/UFT

22 Para dirimir eventuais dúvidas, os usuários podem buscar informações diretamente nos
materiais (PDF e videoaula) disponíveis aos interessados na guia manuais e acessos.

Imagem 2: guia manuais e videoaulas

23 Com a intranet, o solicitante também poderá acompanhar o andamento da solicitação


de compras.

Imagem 3: consulta situação da solicitação de compras


CAPÍTULO II

PREGÃO ELETRÔNICO PARA AQUISIÇÃO DE BENS

24 Para aquisição de bens no âmbito da Universidade Federal do Tocantins, os


solicitantes deverão providenciar a devida instrução dos processos de compras em
conformidade com as orientações deste guia, e observar os seguintes dispositivos:
24.1 Em razão da Instrução Normativa nº 01, de 10 de janeiro de 2019, todas as aquisições
e contratações necessárias deverão ser previstas no sistema PGC. Por isso, o objeto deve estar
aprovado no Plano Anual de Contratações (PAC) da Universidade Federal do Tocantins;
24.2 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar
(ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet SIASG), nos
termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento deve ser
elaborado por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela equipe de
planejamento da contratação;
24.3 No pregão com adoção do sistema de registro de preços, o solicitante deverá abrir a
solicitação de compras no Sistema de Informação para o Ensino e registrar: a) espécie:
registro de preços; e b) tipo de licitação: registro de preços. Com o pregão para entrega
imediata, se não houver contrato, são as seguintes informações: a) espécie: empenho; e b) tipo
de licitação: entrada e saída direta. Com formalização de contrato: a) espécie: contrato; e b)
tipo de licitação: contrato. Na guia justificativa da solicitação, o solicitante deve apresentar a
prévia e adequada caracterização do objeto (Acórdão 254, de 2004, Segunda Câmara do
TCU).
24.4 Antes de encaminhar a demanda à Coordenação de Recursos Materiais, o solicitante
deverá concluir as etapas da solicitação de compras; abrir o processo no Sistema de
Informação para o Ensino; e ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência;
24.5 Autorização da autoridade competente para abertura da licitação (Decreto nº 10.024,
de 2019, art. 8º, inc. V) dirigida ao setor responsável pela montagem do processo de compras,
conforme modelo no Apêndice I;
24.6 Termo de referência elaborado de acordo com o Decreto nº 10.024, de 20 de setembro
de 2019, conforme os modelos disponibilizados pela Advocacia-Geral da União (AGU), no
endereço:<http:www.agu.gov.br>, opção Compras – Pregão Eletrônico. Importante lembrar
que o solicitante deverá informar, no quadro referente à especificação do objeto, o código do
bem a ser utilizado para cadastro da licitação mediante consulta disponível na ferramenta de
busca – catálogo de materiais CATMAT – do Ministério da Economia (disponível
em:<https://siasgnet-consultas.siasgnet.estaleiro.serpro.gov.br/siasgnet-catalogo/#/siasgnet-
catalogo/search>);
24.7 No termo de referência deverá constar a justificativa pela necessidade da contratação,
conforme modelo no Apêndice II, mencionando, obrigatoriamente: a) informações sobre em
que se utilizará o produto solicitado; b) os benefícios trazidos pela aquisição; c) como foram
estimados os quantitativos dos itens solicitados; e d) a justificativa pelo agrupamento de itens
em lotes, se houver;
24.8 No termo de referência também deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia, conforme ilustração no quadro 1.
24.9 Aprovação do termo de referência pela autoridade competente da unidade gestora
solicitante, conforme modelo no Apêndice VI. O termo de referência deve ser datado,
rubricado em todas as folhas e assinado pela autoridade competente;
24.10 Para o Registro de Preços, o solicitante deve justificar a utilização deste Registro e
apresentar, no termo de referência, o enquadramento do objeto com base em alguma das
hipóteses de adoção mencionadas no item 17, conforme instituído no artigo 3º do Decreto nº
7.892, de 2013;
24.11 Pesquisa de preços de mercado, de acordo com a Instrução Normativa nº 73, de 5 de
agosto de 2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-
agosto-de-2020-270711836), realizada mediante a utilização dos seguintes parâmetros,
empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no endereço
eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B.
24.12 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
24.13 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 24.11,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
24.14 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
24.15 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
24.16 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
24.17 Em cumprimento ao art. 8º do Decreto nº 8.538, de 2015, com o pregão para entrega
imediata, o solicitante deve ajustar no termo de referência a destinação de cota de até 25%
para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte para todos os itens com valor total superior
a R$ 80.000,00 (oitenta mil reais), de acordo com os modelos disponibilizados pela
Advocacia-Geral da União (AGU).

Quadro 1: Destinação da cota de até 25% para ME/EPP


Nº Item no
Valor
Item Descrição CATMAT PGC/PAC Und QTDE Valor total R$
unitário R$
aprovado

Item 1 – Cota
1.1 para ME/EPP
XX,XX%

24.18 Com relação às cotas no Registro de Preços, o responsável pela elaboração do termo
de referência deve criar novo item mediante a redução do quantitativo do item original com
valor superior a R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) em até 25%. E, em seguida, criar novo item
com essa diferença, destinado exclusivamente à participação de licitantes enquadrados como
Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Eventual cota reservada deve se limitar ao
valor de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais);

Quadro 2: Destinação da cota de até 25% para ME/EPP no SRP


Nº Item no
Valor
Item Descrição CATMAT PGC/PAC Und QTDE Valor total R$
unitário R$
aprovado

Item 1 – Cota
2 para ME/EPP em
XX,XX%

24.19 A cota poderá não ser aplicada, mediante justificativa fundamentada da unidade
solicitante, comprovando que não há um mínimo de três fornecedores enquadrados como
ME/EPP capazes de cumprir as exigências da contratação ou que haverá prejuízo ao conjunto
do objeto a ser licitado, não representando vantagem para a Administração. No caso do
Registro de Preços, se houver cota reservada no momento da aquisição, a preferência será
pela cota;
24.20 No pregão, para entrega imediata, o solicitante deverá juntar a declaração de
disponibilidade orçamentária, emitida pela Pró-Reitoria de Avaliação e Planejamento
(PROAP);
24.21 Observar as normas sobre a sustentabilidade nas compras públicas; a esse respeito, a
Consultoria-Geral da União tratou do tema e publicou, em 2016, o Guia Nacional de
Licitações Sustentáveis com orientação jurídica e prática sobre os fundamentos das licitações
sustentáveis;
24.22 Por licitação sustentável, o guia entende aquela que integra considerações
socioambientais em todas as suas fases, com o objetivo de reduzir impactos negativos sobre o
meio ambiente e, via de consequência, aos direitos humanos. Uma vez exigido qualquer
requisito ambiental na especificação do objeto, deve ser prevista a forma de comprovação de
seu respectivo cumprimento;
24.23 É o caso, por exemplo, ao adquirir reagentes químicos, o setor demandante
responsável deverá considerar como será feito o descarte desses produtos após o uso. Da
mesma forma, lâmpadas fluorescentes, obra de Engenharia, pilhas e baterias etc.;
24.24 Declaração de não direcionamento da licitação, conforme modelo no Apêndice III,
em observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000. O setor
solicitante deverá atestar que a descrição do objeto não fere os princípios da Lei de Licitações
nem induz especificidades que possam direcionar o certame licitatório, tornando a
participação restrita;
24.25 É que, ao especificar um item para a licitação, o solicitante deverá observar o disposto
no art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, segundo o qual, “a definição do
objeto deverá ser precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas,
irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou realização do
fornecimento, devendo estar refletida no termo de referência”. Por isso, deve-se evitar a cópia
de descrições de produtos específicos, que podem deixar outros itens fora da competição;
24.26 A fim de aumentar a competitividade, a descrição poderá exigir dimensões mínimas a
partir da pesquisa de especificações em consenso com objetos produzidos por diferentes
fornecedores;
24.27 Instruído o processo, com as devidas assinaturas e paginação, os autos serão
encaminhados à Coordenação de Recursos Materiais que efetuará revisão da instrução
processual. As demandas encaminhadas sem a devida formalização, como: ausência de capa
do processo, assinaturas, paginação etc., retornarão aos demandantes para os devidos ajustes.
A documentação para formalização do processo de compras deverá ser anexada ao Sistema de
Informação para o Ensino;
24.28 Quando solicitada pelo pregoeiro, após a realização da fase de lances da sessão pública
da licitação, a unidade solicitante deverá emitir o parecer técnico para subsidiar o pregoeiro na
aceitação das propostas. O parecer técnico tem como objetivo a aprovação das especificações
apresentadas pelo fornecedor em relação à proposta de preços e documentos apresentados
para sua habilitação;
24.29 No parecer técnico, a unidade demandante deverá informar se o item está “aprovado”
ou “reprovado”, justificando, em caso de reprovação, as razões técnicas que embasaram a
decisão. Trata-se da comparação entre o que foi solicitado no termo de referência com a oferta
do licitante.

SEÇÃO I

DOS PEDIDOS À ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

25 O regulamento do Sistema de Registro de Preços, instituído pelo Decreto nº 7892, de


23 de janeiro de 2013, estabelece que a Ata de Registro de Preços implica compromisso de
fornecimento, e que a contratação com o fornecedor registrado será formalizada por
intermédio de emissão de nota de empenho ou outro instrumento hábil.
26 Os itens ficam disponíveis para aquisição por 12 meses permitindo que as unidades
gestoras demandantes possam efetivar as aquisições após o procedimento licitatório na
medida das suas necessidades. As informações sobre os itens do Registro de Preços também
estarão disponíveis na INTRANET, no ícone “LICITAÇÕES”.
27 Antes de demandar uma solicitação de compras ou o pedido de empenho os gestores
deverão proceder da seguinte maneira: a) verificar se existe Ata de Registro de Preços vigente
que contemple o objeto a ser adquirido (informação disponível na INTRANET, no ícone
“LICITAÇÕES”); e b) consultar, junto ao grupo de compras responsável a possibilidade de
aquisição via Ata vigente.
28 A solicitação de empenho será formalizada com o Sistema de Informação para o
Ensino e encaminhada com no mínimo quinze dias do vencimento da ATA SRP. A solicitação
(Anexo II) também deverá, obrigatoriamente, estar acompanhada do processo físico da
licitação que originou a ATA SRP. As unidades gestoras dos recursos têm autonomia para
definir alguns procedimentos internos referentes às suas aquisições, devendo o processo para
empenho observar as Normas de Execução Orçamentária e Financeira da Pró-Reitoria de
Avaliação e Planejamento e da Pró-Reitoria de Administração e Finanças.

CAPÍTULO III

PREGÃO ELETRÔNICO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

29 Nas contratações de serviços as unidades solicitantes deverão providenciar a devida


instrução dos processos de compras em conformidade com as orientações deste guia, e
observará os seguintes dispositivos:
30 Seguir as regras e diretrizes da Instrução Normativa nº 5, de 26 de maio de 2017
(Ministério da Economia) que dispõe sobre as regras e diretrizes do procedimento de
contratação de serviços sob o regime de execução indireta no âmbito da Administração
Pública federal direta, autárquica e fundacional.
30.1 Em razão da Instrução Normativa nº 01, de 10 de janeiro de 2019, todas as aquisições
e contratações necessárias deverão ser previstas no sistema PGC. Por isso, o objeto deve estar
aprovado no Plano Anual de Contratações (PAC) da Universidade Federal do Tocantins;
30.2 Documento para formalização da demanda, conforme modelo no Apêndice VII;
30.3 Designação formal da equipe de planejamento da contratação, composta, no mínimo,
por três integrantes;
30.4 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar
(ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet SIASG), nos
termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento deve ser
elaborado por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela equipe de
planejamento da contratação;
30.5 Autorização da autoridade competente para abertura da licitação (Decreto nº 10.024,
art. 8º, inc. V) dirigido ao setor de responsável pela montagem do processo de compras,
conforme modelo no Apêndice I;
30.6 Mapa de Riscos, elaborado pela Equipe de Planejamento da Contratação, conforme
modelo no Apêndice VIII. O mapa de riscos deverá conter: a) identificação dos riscos, nas
fases de planejamento da contratação e seleção do fornecedor; b) identificação dos riscos, na
fase de execução contratual; c) avaliação dos riscos identificados, a partir da probabilidade de
ocorrência e do impacto da ocorrência de cada risco; d) identificação de alternativas para o
tratamento dos riscos (ações preventivas), com indicação dos responsáveis; e) identificação de
ações de contingência para os riscos que não puderem ser tratados, com indicação dos
responsáveis;
30.7 Abrir a solicitação de compras no Sistema de Informação para o Ensino (SIE) e
registrar: no caso de licitação com formalização de contrato a) espécie: contrato; e b) tipo de
licitação: contrato. Sem formalização de contrato são as seguintes informações: a) espécie:
empenho; e b) tipo de licitação: entrada e saída direta;
30.8 Antes de encaminhar o processo administrativo à Coordenação de Recursos Materiais
o solicitante deverá concluir as etapas da solicitação de compras; abrir o processo no Sistema
de Informação para o Ensino; e ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência;
30.9 Termo de Referência, elaborado em consonância com o art. 8° do Decreto
10.024//2019, de acordo com os modelos disponibilizados pela Advocacia-Geral da União
(AGU), no endereço:<http:www.agu.gov.br>, escolhendo a opção do menu lateral Compras –
Pregão Eletrônico;
30.10 No termo de referência deverá constar a justificativa pela necessidade da contratação,
conforme modelo no Apêndice II, que deverá conter, obrigatoriamente: a) informações sobre
em que se utilizará o produto solicitado; b) os benefícios trazidos pela aquisição; c) como
foram estimados os quantitativos dos itens solicitados; e d) a justificativa pelo agrupamento
de itens em lotes, se houver;
30.11 No termo de referência também deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia, conforme modelos ilustrativos nos
quadros 1 e 2 (p. 16);
30.12 Aprovação do termo de referência pela autoridade competente da unidade gestora
solicitante, conforme modelo no Apêndice VI. O termo de referência deve ser datado,
rubricado em todas as folhas e assinado pela autoridade competente;
30.13 Na pesquisa de preço relativa às contratações de prestação de serviços com dedicação
de mão de obra exclusiva, aplica-se o disposto na Instrução Normativa nº 5, de 26 de maio de
2017, observando, no que couber, o disposto na Instrução Normativa nº 73, de 5 de agosto de
2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-agosto-de-2020-
270711836);
30.14 A pesquisa de preços deve ser realizada mediante a utilização dos seguintes
parâmetros, empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no
endereço eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B;
30.15 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
30.16 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 30.14,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
30.17 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
30.18 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
30.19 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
30.20 Contratações que prevejam alocação de mão de obra com dedicação exclusiva deverão
conter, ainda, a planilha de custos e formação de preços, conforme item 2.9-b.1 do Anexo V
da IN 05/2017-do Ministério da Economia;
30.21 Após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de
formação de preços, conforme Apêndice IV;
30.22 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável pela pesquisa deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a
sustentar a justificativa;
30.23 Declaração de disponibilidade orçamentária, emitida pela Pró-Reitoria de Avaliação e
Planejamento (PROAP);
30.24 O solicitante deve observar as normas sobre a sustentabilidade nas compras públicas, a
esse respeito, a Consultoria-Geral da União tratou do tema e publicou, em 2016, o Guia
Nacional de Licitações Sustentáveis, com orientação jurídica e prática sobre os fundamentos
das licitações sustentáveis;
30.25 Por licitação sustentável, o guia entende aquela que integra considerações
socioambientais em todas as suas fases com o objetivo de reduzir impactos negativos sobre o
meio ambiente e, via de consequência, aos direitos humanos. Uma vez exigido qualquer
requisito ambiental na especificação do objeto, deve ser prevista a forma de comprovação de
seu respectivo cumprimento;
30.26 Indicação de fiscal(is) para o contrato, conforme modelo no Apêndice IX;
30.27 Informação sobre o código do serviço a ser utilizado para cadastro da licitação
mediante consulta disponível na ferramenta de busca – catálogo de materiais CATMAT e
serviços CATSER do Ministério da Economia (disponível em:<https://siasgnet-
consultas.siasgnet.estaleiro.serpro.gov.br/siasgnet-catalogo/#/siasgnet-catalogo/search>),
conforme modelo no Apêndice X.
30.28 Declaração de não direcionamento da licitação, conforme modelo no Apêndice III;
nesse sentido, em observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I do Decreto nº 3.555/2000, o setor
solicitante deve atestar que esta não fere os princípios da Lei de Licitações nem induz
especificidades que possam direcionar o certame licitatório, tornando a participação restrita;
30.29 É que, ao especificar um item para a licitação, o solicitante deverá observar o disposto
no art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, segundo o qual, “a definição do
objeto deverá ser precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas,
irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou realização do
fornecimento, devendo estar refletida no termo de referência”;
30.30 Instruído o processo, com as devidas assinaturas e paginação, os autos serão
encaminhados à Coordenação de Recursos Materiais, que efetuará a revisão da instrução
processual;
30.31 O solicitante deverá formalizar e encaminhar o processo de compras à Coordenação de
Recursos Materiais da Reitoria considerando, no máximo, 180 (cento e oitenta) dias do início
da vigência do novo contrato ou do encerramento do contrato vigente;
30.32 Quando solicitada pelo pregoeiro, após a realização da fase de lances da sessão pública
da licitação, a unidade solicitante deverá emitir o parecer técnico para subsidiar o pregoeiro na
aceitação das propostas. O parecer técnico tem como objetivo a aprovação das especificações
apresentadas pelo fornecedor em relação à proposta de preços e documentos apresentados
para sua habilitação;
30.33 No parecer técnico, a unidade demandante deverá informar se o item está “aprovado”
ou “reprovado”, justificando, em caso de reprovação, as razões técnicas que embasaram a
decisão. Trata-se da comparação entre o que foi solicitado no termo de referência com a oferta
do licitante.

CAPÍTULO IV

SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC)

31 O processo de contratação de Soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação,


entendidas como o conjunto de bens e/ou serviços de Tecnologia da Informação e automação
que se integram para o alcance dos resultados pretendidos com uma contratação, seguirá o
regulamento da Instrução Normativa nº 1, de 4 de abril de 2019, do Ministério da Economia.
32 A referida Instrução Normativa determina que essas contratações observem
consonância com o Plano-Diretor da Instituição para a área (PDTI), atividade atribuída à área
de Tecnologia da Informação da Universidade Federal do Tocantins, a Superintendência de
Tecnologia da Informação (STI).
33 Por isso, a unidade gestora interessada deve se dirigir a essa superintendência para
oficialização de demandas. Os procedimentos para reunião de demandas, formalização dos
processos e a análise do alinhamento das solicitações com o Plano-Diretor da Instituição é
competência daquela unidade em conjunto com as estruturas de Governança de Tecnologia da
Informação da Universidade Federal do Tocantins.
34 A unidade responsável deverá formalizar os processos de compras, independentemente
do tipo de contratação, em conformidade com as orientações da Instrução Normativa nº 1, de
4 de abril de 2019, do Ministério da Economia e, no que couber, observará o seguinte:
34.1 O objeto deve estar: a) aprovado no Plano Anual de Contratações (PAC) da
Universidade Federal do Tocantins; b) em consonância com o Plano Diretor de Tecnologia da
Informação e Comunicação (PDTIC) da Universidade Federal do Tocantins; c) alinhado à
Política de Governança Digital, instituída pelo Decreto nº 8.638, de 15 de janeiro de 2016; e
d) com integração à Plataforma de Cidadania Digital, nos termos do Decreto nº 8.936, de 19
de dezembro de 2016, quando tiverem por objetivo a oferta digital de serviços públicos;
34.2 Instituição da Equipe de Planejamento da Contratação;
34.3 Documento de oficialização de demanda;
34.4 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar,
desenvolvido pela Equipe de Planejamento da Contratação.
34.5 Na adoção do sistema de registro de preços, o solicitante deverá abrir a solicitação de
compras no Sistema de Informação para o Ensino e registrar: a) espécie: registro de preços; e
b) tipo de licitação: registro de preços. Com o pregão para entrega imediata, se não houver
contrato, são as seguintes informações: a) espécie: empenho; e b) tipo de licitação: entrada e
saída direta. Com formalização de contrato: a) espécie: contrato; e b) tipo de licitação:
contrato. Na guia justificativa da solicitação o solicitante deve apresentar a prévia e adequada
caracterização do objeto (Acórdão 254/2004 – Segunda Câmara – TCU).
34.6 Antes de encaminhar a demanda à Coordenação de Recursos Materiais, o solicitante
deverá concluir as etapas da solicitação de compras; abrir o processo no Sistema de
Informação para o Ensino; e ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência;
34.7 Autorização da autoridade competente para abertura da licitação (Decreto nº 10.024,
de 2019, art. 8º, inc. V) dirigida ao setor responsável pela montagem do processo de compras,
conforme modelo no Apêndice I;
34.8 Termo de referência elaborado de acordo com o Decreto nº 10.024, de 20 de setembro
de 2019, e da Instrução Normativa nº 1, de 4 de abril de 2019, do Ministério da Economia,
articulado com os modelos disponibilizados pela Advocacia-Geral da União (AGU), no
endereço:<http:www.agu.gov.br>, opção Compras – Pregão Eletrônico. Importante lembrar
que o solicitante deverá informar no quadro referente à especificação do objeto o código do
bem a ser utilizado para cadastro da licitação, mediante consulta disponível na ferramenta de
busca – catálogo de materiais e serviços CATMAT/CATSERV – do Ministério da Economia
(disponível em:<https://siasgnet-consultas.siasgnet.estaleiro.serpro.gov.br/siasgnet-
catalogo/#/siasgnet-catalogo/search>);
34.9 No termo de referência também deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia, conforme modelos ilustrativos nos
quadros 1 e 2 (p. 16);
34.10 Aprovação do termo de referência pela autoridade competente, conforme modelo no
Apêndice VI. O termo de referência deve ser datado, rubricado em todas as folhas e assinado
pela autoridade competente;
34.11 Para o Registro de Preços, o solicitante deve justificar a utilização do Sistema de
Registro de Preços e apresentar no termo de referência o enquadramento do objeto com base
em algumas das hipóteses de adoção mencionadas no item 16 (artigo 3º do Decreto nº 7.892,
de 2013);
34.12 Pesquisa de preços de mercado, de acordo com a Instrução Normativa nº 73, de 5 de
agosto de 2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-
agosto-de-2020-270711836), realizada mediante a utilização dos seguintes parâmetros,
empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no endereço
eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B;
34.13 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
34.14 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 34.12,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
34.15 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
34.16 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
34.17 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
34.18 Se for o caso, as estimativas de preços de itens constantes nos Catálogos de Soluções
de TIC com Condições Padronizadas, publicados pela Secretaria de Governo Digital da
Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, deverão utilizar como
parâmetro máximo o Preço Máximo de Compra de Item de TIC - PMC-TIC, salvo se a
pesquisa de preços realizada resultar em valor inferior ao PMC-TIC;
34.19 Em cumprimento ao art. 8º do Decreto 8.538, de 2015, com o pregão para entrega
imediata, o solicitante deve ajustar, no termo de referência, a destinação de cota de até 25%
para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte para todos os itens, com valor total
superior a R$ 80.000,00 (oitenta mil reais), conforme modelos ilustrativos nos quadros 1 e 2
(p. 15-16) e nas minutas de termo de referência disponibilizadas pela Advocacia-Geral da
União (AGU);
34.20 Com relação às cotas no Registro de Preços, o responsável pela elaboração do termo
de referência deve criar novo item mediante a redução do quantitativo do item original com
valor superior a R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) em até 25%. E, em seguida, criar novo item
com essa diferença, destinado exclusivamente à participação de licitantes enquadrados como
Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Eventual cota reservada deve se limitar ao
valor de R$ 80.000,00, conforme modelos ilustrativos nos quadros 1 e 2 (p. 15-16) e nas
minutas de termo de referência disponibilizadas pela Advocacia-Geral da União (AGU);
34.21 A cota poderá não ser aplicada, mediante justificativa fundamentada da unidade
solicitante comprovando que não há um mínimo de três fornecedores enquadrados como
ME/EPP capazes de cumprir as exigências da contratação, ou que haverá prejuízo ao conjunto
do objeto a ser licitado, não representando vantagem para a Administração. No caso do
Registro de Preços, se houver cota reservada no momento da aquisição, a preferência será
pela cota;
34.22 No pregão, para entrega imediata, o solicitante deverá juntar a declaração de
disponibilidade orçamentária, emitida pela Pró-Reitoria de Avaliação e Planejamento
(PROAP);
34.23 Observar as normas sobre a sustentabilidade nas compras públicas; a esse respeito, a
Consultoria-Geral da União tratou do tema e publicou, em 2016, o Guia Nacional de
Licitações Sustentáveis, com orientação jurídica e prática sobre os fundamentos das licitações
sustentáveis;
34.24 Por licitação sustentável, o guia entende aquela que integra considerações
socioambientais em todas as suas fases, com o objetivo de reduzir impactos negativos sobre o
meio ambiente e, via de consequência, aos direitos humanos. Uma vez exigido qualquer
requisito ambiental na especificação do objeto, deve ser prevista a forma de comprovação de
seu respectivo cumprimento;
34.25 Declaração de não direcionamento da licitação, conforme modelo no Apêndice III,
em observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000. O setor
solicitante deverá atestar que a descrição do objeto não fere os princípios da Lei de Licitações
nem induz especificidades que possam direcionar o certame licitatório, tornando a
participação restrita;
34.26 É que, ao especificar um item para a licitação, o solicitante deverá observar o disposto
no art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, segundo o qual “a definição do
objeto deverá ser precisa, suficiente e clara, vedadas especificações que, por excessivas,
irrelevantes ou desnecessárias, limitem ou frustrem a competição ou realização do
fornecimento, devendo estar refletida no termo de referência”;
34.27 Instruído o processo, com as devidas assinaturas e paginação, os Autos serão
encaminhados à Coordenação de Recursos Materiais, que efetuará revisão da instrução
processual (forma e mérito). As demandas encaminhadas sem a devida formalização, como:
ausência de capa do processo, assinaturas, paginação etc., retornarão aos demandantes para os
devidos ajustes. A documentação para formalização do processo de compras deverá ser
anexada ao Sistema de Informação para o Ensino;
35 Quando solicitada pelo pregoeiro, após a realização da fase de lances da sessão pública
da licitação, a unidade solicitante deverá emitir o parecer técnico para subsidiar o pregoeiro na
aceitação das propostas. O parecer técnico tem como objetivo a aprovação das especificações
apresentadas pelo fornecedor em relação à proposta de preços e documentos apresentados
para sua habilitação;
36 No parecer técnico, a unidade demandante deverá informar se o item está “aprovado”
ou “reprovado”, justificando, em caso de reprovação, as razões técnicas que embasaram a
decisão. Trata-se da comparação entre o que foi solicitado no termo de referência com a oferta
do licitante.

CAPÍTULO V

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

37 A instrução dos processos para licitação de obras e serviços de Engenharia, por


competência, é realizada pela Prefeitura Universitária da Universidade Federal do Tocantins,
e conduzida nas modalidades convencionais da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, ou pelo
Regime Diferenciado de Contratações (RDC).
38 Em razão da Instrução Normativa nº 01, de 10 de janeiro de 2019, todas as aquisições
e contratações necessárias deverão ser previstas no sistema PGC. Por isso, o objeto deve estar
aprovado no Plano Anual de Contratações (PAC) da Universidade Federal do Tocantins. As
demandas dos setores, ainda que de pouca complexidade, deverão ser submetidas à análise,
manifestação e emissão de documentos técnicos da Prefeitura Universitária (PU).
39 Da mesma forma como os processos para pregão são instruídos com Termo de
Referência na formalização dos processos de Tomada de Preços, Concorrência e Regime
Diferenciado de Contratações, o principal documento de referência é o Projeto Básico. Para
maior detalhamento sobre a execução dos serviços também se exige a inserção de Memorial
Descritivo como anexo do projeto básico.
40 Há uma série de particularidades nesse tipo de aquisições, de acordo com o Tribunal
de Contas da União, Acórdão 714/2014-TCU Plenário, a exigência de visita técnica deve ser
considerada excepcional, sendo adotada quando todos os outros meios possíveis (memorial
descritivo, projetos, fotos e até vídeos, se necessários) forem esgotados. Ela é facultativa antes
da licitação e pode ser obrigatória para o vencedor do certame, sendo realizada antes da
assinatura do Contrato.
41 Em todos os casos, deve haver manifestação expressa do engenheiro ou arquiteto
responsável pela obra ou serviço, com motivação técnica para a exigência da visita. O
licitante fará declaração de que conheceu todas as dificuldades da obra/projeto para formular
sua proposta.

CAPÍTULO VI

CONCESSÃO DE USO DO ESPAÇO FÍSICO

42 Os câmpus da Universidade Federal do Tocantins demandam pela concessão de uso do


espaço físico para execução de serviços, como cantinas, restaurantes e reprografias. Para
demandar o serviço, a unidade gestora deverá formalizar o pedido de acordo com as seguintes
orientações:
42.1 Solicitação de compras no Sistema de Informações para o Ensino (SIE) com as
seguintes informações: a) espécie: contrato; e b) tipo de licitação: contrato;
42.2 Antes de encaminhar o processo à Coordenação de Recursos Materiais, o solicitante
deverá concluir as etapas da solicitação de compras; abrir o processo no Sistema de
Informação para o Ensino e ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência;
42.3 Em razão da Instrução Normativa nº 01, de 10 de janeiro de 2019, todas as aquisições
e contratações necessárias deverão ser previstas no sistema PGC. Por isso, o objeto deve estar
aprovado no Plano Anual de Contratações (PAC) da Universidade Federal do Tocantins;
42.4 Documento para formalização da demanda, conforme modelo no Apêndice VII;
42.5 Designação formal da equipe de planejamento da contratação, composta, no mínimo,
por três integrantes;
42.6 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar
(ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet SIASG), nos
termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento deve ser
elaborado por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela equipe de
planejamento da contratação;
42.7 Ofício de autorização de abertura do processo administrativo, com a justificativa da
demanda, dirigido ao setor de responsável pela montagem do processo de compras a que
estiver vinculado o demandante, conforme modelo no Apêndice I;
42.8 O solicitante deverá instruir e encaminhar o processo de contratação à Coordenação de
Recursos Materiais da Reitoria considerando, no máximo, 180 (cento e oitenta) dias do início
da vigência do novo contrato ou do encerramento do contrato vigente;
42.9 Ofício de justificativa da necessidade, conforme o caso, segundo o modelo no
Apêndice II. Importante lembrar que a justificativa para a contratação também deve constar
no Projeto Básico;
42.10 Projeto básico;
42.11 O projeto básico deve ser aprovado pela autoridade competente da unidade gestora
solicitante, conforme modelo no Apêndice VI. No projeto básico deve constar o número do
item no PGC após aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia, conforme modelos
ilustrativos nos quadros 1 e 2 (p. 16);
42.12 Relação dos equipamentos da Universidade Federal do Tocantins existentes no
restaurante universitário;
42.13 Modelo de proposta de preços dos fornecedores para envio na licitação;
42.14 Laudo técnico de avaliação do imóvel para determinação do valor da locação. Se a
unidade gestora solicitante optar pela concessão a preço inferior ao definido pelo referido
laudo, a unidade deverá juntar a justificativa da decisão;
42.15 Pesquisa de preços de mercado, de acordo com a Instrução Normativa nº 73, de 5 de
agosto de 2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-
agosto-de-2020-270711836), realizada mediante a utilização dos seguintes parâmetros,
empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no endereço
eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B;
42.16 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
42.17 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 42.15,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
42.18 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
42.19 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
42.20 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
42.21 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do art. 3º da Instrução
Normativa nº 73, de 5 de agosto de 2020, do Ministério da Economia;
42.22 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. O valor
médio encontrado na pesquisa de preços será o valor máximo admitido para contratação, no
momento da realização do pregão;
42.23 Na licitação para o restaurante universitário, a unidade solicitante deverá juntar a
Declaração de disponibilidade orçamentária, emitida pela Pró-Reitoria de Avaliação e
Planejamento;
42.24 Mapa de Riscos, elaborado pela Equipe de Planejamento da Contratação, conforme
modelo no Apêndice VIII. O mapa de riscos deverá conter: a) identificação dos riscos, nas
fases de planejamento da contratação e seleção do fornecedor; b) identificação dos riscos, na
fase de execução contratual; c) avaliação dos riscos identificados, a partir da probabilidade de
ocorrência e do impacto da ocorrência de cada risco; d) identificação de alternativas para o
tratamento dos riscos (ações preventivas), com indicação dos responsáveis; e) identificação de
ações de contingência para os riscos que não puderem ser tratados, com indicação dos
responsáveis;
42.25 Indicação de fiscal(is) para o contrato, conforme modelo no Apêndice IX;
42.26 Informação sobre o código do serviço a ser utilizado para cadastro da licitação,
mediante consulta disponível na ferramenta de busca – catálogo de serviços CATSER do
Ministério da Economia (disponível em:<https://siasgnet-
consultas.siasgnet.estaleiro.serpro.gov.br/siasgnet-catalogo/#/siasgnet-catalogo/search>),
conforme modelo no Apêndice X;
42.27 Declaração de não direcionamento da licitação, conforme modelo no Apêndice III;
42.28 Em observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, o setor
solicitante deve atestar que esta não fere os princípios da Lei de Licitações nem induz
especificidades que possam direcionar o certame licitatório tornando a participação restrita;
42.29 A documentação para formalização do processo de compras deve ser anexada ao
Sistema de Informação para o Ensino, devidamente assinada pelo responsável por sua
elaboração;
42.30 Instruído o processo, os Autos serão encaminhados à Coordenação de Recursos
Materiais que efetuará revisão da instrução processual, solicitando, quando necessário, ajustes
aos demandantes para o prosseguimento da licitação;
42.31 A unidade solicitante deverá formalizar e encaminhar o processo à Coordenação de
Recursos Materiais da Reitoria, considerando, no máximo, 180 dias do início da vigência do
novo contrato ou do encerramento do contrato vigente;
42.32 Quando solicitado pelo pregoeiro, após a realização da fase de lances da sessão
pública da licitação, a unidade solicitante deverá emitir o parecer técnico para subsidiar o
pregoeiro na aceitação das propostas. No parecer técnico, a unidade demandante deverá
informar se a proposta encaminhada pelo fornecedor está “aprovada” ou “reprovada”,
justificando, em caso de reprovação, as razões técnicas que embasaram a decisão. Trata-se da
comparação entre o que foi solicitado no Termo de Referência e o que o licitante está
oferecendo na proposta.

TÍTULO III

ROTEIRO PARA CONTRATAÇÃO DIRETA

CAPÍTULO I

FORMALIZAÇÃO DO PROCESSO PARA CONTRATAÇÃO DIRETA

43 Como regra, a Administração Pública tem o dever de licitar, mas existem


determinadas situações previstas em Lei em que são celebrados contratos sem a realização de
licitação. Os casos de dispensa de licitação aparecem no art. 24 da Lei de Licitações. A
dispensa de licitação abrange hipóteses em que, embora haja viabilidade de competição, a
realização de um certame licitatório não seria conveniente ao alcance do interesse público; a
inexigibilidade de licitação, por sua vez, se verifica sempre que houver impossibilidade
jurídica de competição e é normatizada pelo art. 25 da Lei nº 8.666, de 1993.
44 Sobre o tema, em conformidade com o Acórdão nº 2.387, de 2007, Plenário, o
Tribunal de Contas da União (TCU) teceu o seguinte entendimento:

Promova licitação para aquisição de bens ou prestação de serviços, evitando o uso


indiscriminado da dispensa de licitação com base no art. 24, II, da Lei nº
8.666/1993, o que caracteriza fuga ao procedimento licitatório, nos termos do art.
37, XX I, da Constituição Federal c/c art. 2º da Lei nº 8.666/1993.

45 Com relação à inexigibilidade de licitação, de acordo com o Acórdão nº 648, de 2007,


Plenário – Sumário, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que

A regra constitucional que incide sobre todas as aquisições do Poder Público é de


submissão ao procedimento licitatório, sendo exceção a contratação direta, pelo que
o enquadramento do caso concreto nas hipóteses do art. 25 da Lei nº 8.666/1993,
tem de ser plenamente motivado e cabalmente documentado, devendo o respectivo
processo reunir todas as provas que demonstrem a adequação da medida e permitam
reconhecer a inadequação do instrumento como forma de satisfação do interesse
público.

46 Importante salientar que dispensar (ou deixar de exigir) licitação, fora das hipóteses
previstas em lei, é crime, estando sujeito o agente público que o fizer à pena de detenção de
três a cinco anos, conforme art. 89 da Lei nº 8.666, de 1993. Nas dispensas por valor (incisos I
e II do art. 24), é vedado o fracionamento de despesa, ou seja, não se pode fazer uso da
dispensa para adquirir parcelas de uma mesma compra/serviço de maior vulto que possa ser
realizada de uma só vez. Também são consideradas fracionamento de despesa as aquisições
frequentes de mesmos produtos em processos distintos, cujos valores globais excedem o
limite previsto para dispensa. Ou, ainda, as aquisições fracionadas decorrentes do inadequado
planejamento.
47 O controle dos limites para dispensa no inciso II do art. 24 é realizado pela
Coordenação de Recursos Materiais (CRM), e leva em conta as necessidades de toda a
Universidade Federal do Tocantins ao longo de cada exercício financeiro. Como exemplo de
inexigibilidade de licitação, o art. 25 da Lei n.º 8.666, de 1993, estabelece exemplos de casos
de inexigibilidade que não esgotam as possibilidades, desde que caracterizada a inviabilidade
de competição.
48 Nos termos da Lei nº 8.666, de 1993, art. 25, são casos específicos de inexigibilidade
de licitação:

I. Para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser


fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial exclusivo;
II. Para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 da Lei de
Licitações, de natureza singular, com profissionais ou empresa de notória
especialização.
III. III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente
ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica especializada
ou pela opinião pública.
49 Para os casos enquadráveis no inciso II, há necessidade de ocorrência simultânea de
notória especialização do contratado e da natureza singular do serviço técnico. O art. 25 ainda
estabelece que possui notória especialização o profissional ou empresa cujo conceito no
campo de sua especialidade, decorrente de desempenho anterior, estudos, experiências,
publicações, organização, aparelhamento, equipe técnica, ou de outros requisitos relacionados
com suas atividades, permita inferir que o seu trabalho é essencial e indiscutivelmente o mais
adequado à plena satisfação do objeto do contrato.
50 A este respeito, versa a Súmula nº 264 do Tribunal de Contas da União (TCU):

A inexigibilidade de licitação para a contratação de serviços técnicos com pessoas


físicas ou jurídicas de notória especialização somente é cabível quando se tratar de
serviço de natureza singular, capaz de exigir, na seleção do executor de confiança,
grau de subjetividade insuscetível de ser medido pelos critérios objetivos de
qualificação inerentes ao processo de licitação, nos termos do art. 25, inciso II, da
Lei nº 8.666/93.

51 A Súmula nº 252, de 2010, orienta, ainda, que a inviabilidade de competição para a


contratação de serviços técnicos, a que alude o inciso II do art. 25 da Lei nº 8.666, de 1993,
decorre da presença simultânea de três requisitos: serviço técnico especializado, entre os
mencionados no art. 13 da referida lei, natureza singular do serviço e notória especialização
do contratado.
52 A formalização de Dispensas de Licitação, com fundamento no art. 24, I e II, da Lei de
Licitações, observará o controle de limites estabelecido neste Manual. As unidades gestoras
solicitantes da Universidade Federal do Tocantins, anteriormente à formalização das
Dispensas de Licitação de que trata essa Portaria, deverão consultar a Coordenação de
Recursos Materiais da Reitoria, a fim de verificar a existência de saldo para empenho e
realização da despesa, de acordo com o limite estabelecido pelo inciso I do art. 24 da Lei de
Licitações.
53 Para a consulta, o solicitante deverá informar a descrição completa do objeto a ser
contratado e da demanda que será atendida por ele, com indicação da dotação orçamentária
pretendida, detalhada até o subelemento de despesa, e o valor da contratação.
54 Os pedidos devem atender aos limites contidos no artigo 23 da Lei nº 8.666, de 1993,
ou seja, R$ 33.000,00 (trinta e três mil reais) para despesas com fundamento no inciso I do
art. 24 da Lei de Licitações e R$ 17.600,00 (dezessete mil e seiscentos reais) para despesas
com fundamento no inciso II do art. 24 da Lei de Licitações.
SEÇÃO I

ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃO DE CONTRAÇÕES DIRETAS – PEQUENO


VALOR ART. 24, INC. I E II DA LEI Nº 8.666, DE 1993

55 As aquisições de bens de pequeno valor serão realizadas por meio do Sistema de


Cotação Eletrônica de Preços. São considerados bens de pequeno valor, aqueles que se
enquadram na hipótese de dispensa de licitação prevista no inciso II do Art. 24 da Lei no
8.666/1993. No caso de inviabilidade da cotação, a aquisição poderá ser formalizada
diretamente com os fornecedores.
56 As unidades solicitantes devem instruir e encaminhar o processo de compras à
Coordenação de Recursos Materiais da Reitoria, de acordo com as seguintes orientações:
56.1 Abertura da solicitação de compras no Sistema de Informações para o Ensino (SIE)
com as seguintes informações: para aquisição com formalização de contrato a) espécie:
contrato; e b) tipo de licitação: contrato. Sem formalização do contrato são as seguintes
informações: a) espécie: empenho; e b) tipo de licitação: entrada e saída direta. Para
pagamento de taxas e impostos: a) espécie: empenho; e b) tipo de licitação: não se aplica;
56.2 Ofício de autorização de abertura do processo administrativo, com a justificativa da
demanda, dirigido ao setor responsável pela montagem do processo de compras a que estiver
vinculado o demandante, conforme modelo no Apêndice I;
56.3 Ofício de justificativa da necessidade, este documento deverá conter,
obrigatoriamente: a) informações sobre em que se utilizará o produto solicitado; b) os
benefícios trazidos pela aquisição; c) como foram estimados os quantitativos dos itens
solicitados; d) a motivação pela escolha da modalidade de aquisição (dispensa ou
inexigibilidade), conforme o caso, segundo o modelo no Apêndice II. Importante lembrar que
a justificativa para a contratação também deve constar no Projeto Básico/Termo de
Referência;
56.4 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, é facultado à unidade gestora solicitante a elaboração do Estudo Técnico
Preliminar (ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet
SIASG), nos termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento
deve ser elaborado por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela
equipe de planejamento da contratação;
56.5 Projeto básico, elaborado em consonância com o Decreto nº 10.024, de 2019, em
conformidade com os modelos disponibilizados nos Apêndices XII ou XIII, conforme o
caso. O projeto básico deve ser aprovado pela autoridade competente da unidade gestora
solicitante, conforme modelo no Apêndice VI, e deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia;
56.6 Pesquisa de preços de mercado, de acordo com a Instrução Normativa nº 73, de 5 de
agosto de 2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-
agosto-de-2020-270711836), realizada mediante a utilização dos seguintes parâmetros,
empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no endereço
eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B.
56.7 A respeito da pesquisa realizada no painel de preços, o solicitante deverá usar o valor
homologado em cada pregão consultado e observar a data de realização da licitação. Além
disso, para realizar a pesquisa de preços, o solicitante deve observar se a especificação e o
quantitativo estão adequados ao item pretendido na licitação que se está instruindo, bem como
as obrigações acessórias (frete, montagem, eventuais taxas, garantias etc.);
56.8 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
56.9 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 56.6,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
56.10 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
56.11 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
56.12 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
56.13 O Tribunal de Contas da União, no Acórdão nº 1782, de 2010, Plenário, decidiu, de
forma reiterada, que “a consulta de preços junto ao mercado, nos casos de dispensa de
licitação, deve contemplar, ao menos, três propostas válidas”. Ou seja, deve-se decidir pelo
menor preço a partir de uma pesquisa em que qualquer um dos fornecedores pesquisados teria
condições de atender à necessidade, seja pela característica do objeto, seja pelas condições de
habilitação;
56.14 Do fornecedor detentor do menor preço, o solicitante deverá juntar ao processo
administrativo, nos termos do art. 28 da Lei nº 8.666, de 1993, a documentação relativa à
habilitação jurídica: a) cédula de identidade; b) registro comercial, no caso de empresa
individual; c) ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor, devidamente registrado,
em se tratando de sociedades comerciais; no caso de sociedades, por ações, acompanhadas de
documentos de eleição de seus administradores; d) inscrição do ato constitutivo, no caso de
sociedades civis, acompanhada de prova de Diretoria em exercício; e) decreto de autorização,
em se tratando de empresa ou sociedade estrangeira em funcionamento no País, e ato de
registro ou autorização para funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a
atividade assim o exigir;
56.15 Declaração de não direcionamento do objeto, conforme modelo no Apêndice III. Em
observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, o setor solicitante
deve atestar que a especificação não fere os princípios da Lei de Licitações nem induz
especificidades que possam direcionar a contratação, tornando a participação restrita;
56.16 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo médio atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável pela pesquisa deve incluir todos os orçamentos obtidos, de maneira a
sustentar a justificativa e elaborar a planilha de formação de preços, conforme Apêndice IV;
56.17 A documentação para formalização do processo de compras deve ser anexada ao
Sistema de Informação para o Ensino, devidamente assinada pelo responsável por sua
elaboração;
56.18 Sobre a sustentabilidade nas compras públicas, a Consultoria-Geral da União tratou do
tema e publicou, em 2016, o Guia Nacional de Licitações Sustentáveis, com orientação
jurídica e prática sobre os fundamentos das licitações sustentáveis. Por licitação sustentável, o
Guia entende aquela que integra considerações socioambientais em todas as suas fases, com o
objetivo de reduzir impactos negativos sobre o meio ambiente e, via de consequência, aos
direitos humanos;
56.19 É o caso, por exemplo, ao adquirir reagentes químicos, o setor demandante
responsável deverá considerar como será feito o descarte desses produtos após o uso; da
mesma forma lâmpadas fluorescentes, obra de Engenharia, pilhas e baterias;
56.20 Quando solicitada, após a realização da cotação eletrônica, a unidade solicitante
deverá emitir o parecer técnico para subsidiar na aceitação das propostas. No parecer técnico,
a unidade demandante deverá informar se o item está “aprovado” ou “reprovado”,
justificando, em caso de reprovação, as razões técnicas que embasaram a decisão;
56.21 O parecer técnico tem como objetivo a aprovação das especificações apresentadas na
proposta do fornecedor, especialmente ao valor unitário de cada item. Trata-se da comparação
entre o que foi solicitado no Termo de Referência e o que o fornecedor está oferecendo;
56.22 Antes de encaminhar o processo à Coordenação de Recursos Materiais, o solicitante
deverá concluir as etapas da solicitação de compras; criar o processo de compras no Sistema
de Informação para o Ensino; ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência; e autuar o processo com a devida paginação.
SEÇÃO II

ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃO DE CONTRAÇÕES DIRETAS ART. 17, ART.


24, INC. III E SEGUINTES E ART. 25 DA LEI Nº 8.666, DE 1993

57 Caso o estudo técnico aponte para a possibilidade de competição no mercado, o


processo de inexigibilidade estará vedado.
58 As unidades solicitantes devem formalizar e encaminhar o processo de compras à
Coordenação de Recursos Materiais da Reitoria, de acordo com as seguintes orientações:
58.1 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar
(ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet SIASG), nos
termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento deve ser
elaborado por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela equipe de
planejamento da contratação;
58.2 Abertura da solicitação de compras no Sistema de Informações para o Ensino (SIE)
com as seguintes informações: para aquisição com formalização de contrato a) espécie:
contrato; e b) tipo de licitação: contrato. Sem formalização do contrato são as seguintes
informações: a) espécie: empenho; e b) tipo de licitação: entrada e saída direta. Para
pagamento de taxas e impostos: a) espécie: empenho; e b) tipo de licitação: não se aplica;
58.3 Ofício de autorização de abertura do processo administrativo, com a justificativa da
demanda, dirigido ao setor responsável pela montagem do processo de compras a que estiver
vinculado o demandante, conforme modelo no Apêndice I;
58.4 Ofício de justificativa da necessidade, este documento deverá conter,
obrigatoriamente: a) informações sobre em que se utilizará o produto solicitado; b) os
benefícios trazidos pela aquisição; c) como foram estimados os quantitativos dos itens
solicitados; d) a motivação pela escolha da modalidade de aquisição (dispensa ou
inexigibilidade), conforme o caso, segundo o modelo no Apêndice II. Importante lembrar que
a justificativa para a contratação também deve constar no Projeto Básico/Termo de
Referência;
58.5 Projeto básico, elaborado em consonância com o Decreto nº 10.024, de 2019, em
conformidade com os modelos disponibilizados nos Apêndices XII ou XIII, conforme o
caso. O projeto básico deve ser aprovado pela autoridade competente da unidade gestora
solicitante, conforme modelo no Apêndice VI, e deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia;
58.6 Do fornecedor, o solicitante deverá juntar ao processo administrativo, nos termos do
art. 28 da Lei nº 8.666, de 1993, a documentação relativa à habilitação jurídica: a) cédula de
identidade; b) registro comercial, no caso de empresa individual; c) ato constitutivo, estatuto
ou contrato social em vigor, devidamente registrado, em se tratando de sociedades comerciais,
e, no caso de sociedades por ações, acompanhado de documentos de eleição de seus
administradores; d) inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades civis, acompanhada
de prova de diretoria em exercício; e) decreto de autorização, em se tratando de empresa ou
sociedade estrangeira em funcionamento no País, e ato de registro ou autorização para
funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a atividade assim o exigir;
58.7 Na inexigibilidade, em caso de fornecedor exclusivo, conforme o art. 25, I, da Lei nº
8.666, de 1993, a unidade demandante deve apresentar a declaração de exclusividade
expedida pela entidade competente; além disso, a unidade deve atestar a veracidade do
atestado de exclusividade apresentado nos termos do art. 25, I, da Lei nº 8.666, de 1993
(Orientação Normativa AGU n° 16, de 1° de abril de 2009);
58.8 Os processos de inexigibilidade de licitação deverão ser instruídos com a devida
justificativa de que o preço ofertado à administração é condizente com o praticado pelo
mercado, em especial por meio de: I - documentos fiscais ou instrumentos contratuais de
objetos idênticos, comercializados pela futura contratada, emitidos no período de até 1 (um)
ano anterior à data da autorização da inexigibilidade pela autoridade competente; II - tabelas
de preços vigentes divulgadas pela futura contratada em sítios eletrônicos especializados ou
de domínio amplo, contendo data e hora de acesso.
58.9 Excepcionalmente, caso a futura contratada não tenha comercializado o objeto
anteriormente, a justificativa de preço de que trata o caput pode ser realizada com objetos de
mesma natureza;
58.10 Se o pressuposto da inexigibilidade de licitação for a inviabilidade de competição, ou
seja, a inexistência, no mercado, de empresas concorrentes, o fornecedor deve comprovar, por
meio de empenho e/ou outros documentos equivalentes, que os preços praticados com outros
órgãos/instituições públicas, nas quais realizaram contratação similar, são semelhantes aos
preços praticados com a Universidade Federal do Tocantins e que não há superfaturamento;
58.11 Essa prática encontra amparo na Orientação Normativa nº 17/2009-AGU: “É
obrigatória a justificativa de preço na inexigibilidade de licitação, que deverá ser realizada
mediante a comparação da proposta apresentada com preços praticados pela futura contratada
junto a outros órgãos públicos ou pessoas privadas”;
58.12 Declaração de não direcionamento do objeto, conforme modelo no Apêndice III. Em
observância ao art. 8º, inciso I do Anexo I, do Decreto nº 3.555, de 2000, o setor solicitante
deve atestar que a especificação não fere os princípios da Lei de Licitações nem induz
especificidades que possam direcionar a contratação, tornando a participação restrita;
58.13 Declaração de disponibilidade orçamentária, emitida pela Pró-Reitoria de Avaliação e
Planejamento (PROAP);
58.14 A documentação para formalização do processo de compras deve ser anexada ao
Sistema de Informação para o Ensino, devidamente assinada pelo responsável por sua
elaboração;
58.15 Sobre a sustentabilidade nas compras públicas, a Consultoria-Geral da União tratou do
tema e publicou, em 2016, o Guia Nacional de Licitações Sustentáveis, com orientação
jurídica e prática sobre os fundamentos das licitações sustentáveis. Por licitação sustentável, o
Guia entende aquela que integra considerações socioambientais em todas as suas fases, com o
objetivo de reduzir impactos negativos sobre o meio ambiente e, via de consequência, aos
direitos humanos;
58.16 É o caso, por exemplo, ao adquirir reagentes químicos, o setor demandante
responsável deverá considerar como será feito o descarte desses produtos após o uso; da
mesma forma lâmpadas fluorescentes, obra de Engenharia, pilhas e baterias;
58.17 Antes de encaminhar o processo à Coordenação de Recursos Materiais, o solicitante
deverá concluir as etapas da solicitação de compras; criar o processo de compras no Sistema
de Informação para o Ensino; ajustar a sequência dos itens de acordo com as especificações
definidas no termo de referência; e autuar o processo com a devida paginação.

SEÇÃO III

AQUISIÇÃO POR ADESÃO “CARONA”

59 Para utilizar as Atas de Registros de Preços na condição de órgão não participante – a


chamada “carona” –, procedimento regulamentado pelo Decreto nº 7.892, de 2013, a unidade
gestora solicitante deverá comprovar a vantagem para a Administração, além de obedecer a
procedimentos e limites, como a autorização do órgão gerenciador da ata e a concordância do
fornecedor.
60 A Lei prevê que os Registros de Preços realizados por um órgão da Administração
Pública Federal podem ser utilizados por outros órgãos, mesmo que estes não tenham
participado em nenhum momento dos procedimentos da licitação. Este procedimento,
regulamentado pelo art. 22 do Decreto nº 7.892, de 2013, é comumente denominado “carona”.
61 As aquisições ou contratações adicionais a que se refere este item não poderão
exceder, por órgão ou entidade, a 50% dos quantitativos dos itens do instrumento
convocatório, registrados na Ata de Registros de Preços para o órgão gerenciador e órgãos
participantes.
62 As adesões à Ata de Registros de Preços são limitadas, na totalidade, ao dobro do
quantitativo de cada item registrado na ata de registro de preços para o órgão gerenciador e
órgãos participantes, independentemente do número de órgãos não participantes que
eventualmente aderirem.
63 As unidades gestoras e os grupos de compras ficam responsáveis pela análise prévia
aos pedidos para utilização dos registros de preços por outros órgãos (“carona”). Além disso,
deverão emitir os atestados de capacidade técnica, quando requeridos pelos fornecedores.

SEÇÃO IV

ROTEIRO PARA FORMALIZAÇÃO DE ADESÃO “CARONA”

64 Para adesão, o bem ou serviço registrado na Ata será decorrente de licitação realizada
pelo Sistema de Registro de Preços (SRP), promovida no âmbito da Administração Pública
Federal direta, autárquica e fundacional, fundos especiais, empresas públicas, sociedades de
economia mista e demais entidades controladas, direta ou indiretamente pela união (arts. 1º e
22, § 8º, do Decreto nº 7.892, de 2013).
65 As unidades solicitantes devem formalizar e encaminhar o processo de compras à
Coordenação de Recursos Materiais da Reitoria, de acordo com as seguintes orientações:
65.1 A fim de permitir a avaliação da viabilidade técnica, socioeconômica e ambiental da
contratação, a unidade gestora solicitante deve providenciar o Estudo Técnico Preliminar
(ETP) digital, disponível no Portal de Compras do Governo Federal (comprasnet SIASG), nos
termos da Instrução Normativa nº 40, de 22 de maio de 2020. O instrumento deve ser
elaborado conjuntamente por servidores da área técnica e requisitante ou, quando houver, pela
equipe de planejamento da contratação;
65.2 O Edital realizado para o registro de preços deverá admitir a adesão à Ata;
65.3 No edital realizado para o registro de preços deverá constar o quantitativo reservado
para as aquisições pelo órgão gerenciador, órgãos participantes e, também, pelos órgãos não
participantes (art. 9º, II e III, do Decreto nº 7.892, de 2013);
65.4 Solicitação de compras no Sistema de Informações para o Ensino (SIE) com as
seguintes opções: para aquisição com formalização de contrato a) espécie: contrato; e b) tipo
de licitação: contrato. Sem formalização do contrato são as seguintes informações: a) espécie:
empenho; e b) tipo de licitação: entrada e saída direta;
65.5 Para cada adesão de ATA SRP, o demandante deve instruir o processo de compras;
65.6 Cópias da Ata de Registro de Preços, do edital da licitação, do termo de referência (ou
projeto básico) e do termo de contrato (quando este existir) referentes à licitação realizada e
ao objeto a que se pretende aderir para verificação da validade da ata, limites para as
contratações pelos caronas e certificação do objeto registrado e das condições para sua
execução (arts. 9º, III, e 22, §§ 3º e 4º, do Decreto nº 7.892, de 2013);
65.7 Demonstração da existência de dotação orçamentária para cobrir a despesa com a
contratação pretendida (art. 60 da Lei nº 4.320, de 1964);
65.8 Autorização de abertura do processo administrativo para que a aquisição se dê por
meio de adesão à Ata de Registro de Preços, com a justificativa da demanda e informação
sobre o período de vigência da Ata, dirigido ao setor de responsável pela montagem do
processo de compras a que estiver vinculado o demandante, conforme modelo no Apêndice I;
65.9 Ofício de justificativa da necessidade, este documento deverá conter,
obrigatoriamente: a) informações sobre em que se utilizará o produto solicitado; b) os
benefícios trazidos pela aquisição; c) como foram estimados os quantitativos dos itens
solicitados; d) a motivação pela escolha da modalidade de aquisição (adesão); e) a vantagem
da adesão pretendida, conforme modelo no Apêndice II. Importante lembrar que a
justificativa para a adesão também deve constar no Termo de Referência;
65.10 Termo de Referência (ou projeto básico), que respeita as mesmas condições postas no
termo de referência da licitação, em conformidade com o modelo disponibilizado no
Apêndice XIV;
65.11 O termo de referência deve ser aprovado pela autoridade competente da unidade
gestora solicitante (art. 9º, II, § 1º, do Decreto nº 10.024, de 2019, ou art. 7º, § 2º, I, da Lei nº
8.666, de 1993), conforme modelo no Apêndice VI;
65.12 No termo de referência também deve constar o número do item no PGC após
aprovação do PAC e envio ao Ministério da Economia;
65.13 Autorização do órgão gerenciador do Registro de Preço, a que se pretende aderir,
informando os quantitativos pretendidos, para fins de verificação da possibilidade de adesão e
da observância do limite posto no Decreto (art. 22, §§ 1° e §3°, Decreto nº 7.892, de 2013),
por meio do módulo “Gestão de Ata SRP”, no portal www.comprasgovernamentais.gov.br,
acompanhada de cópia da Ata de Registro de Preços do órgão;
65.14 Manifestação formal do fornecedor concordando com o fornecimento ou prestação dos
serviços solicitados, nas mesmas condições registradas;
65.15 Nos casos de aquisição de bens ou serviços que resultem obrigações futuras do
CONTRATADO para com a CONTRATANTE (UFT), desde que o Edital da Licitação tenha
previsto Contrato, o processo será encaminhado para formalização do instrumento contratual;
65.16 Pesquisa de preços de mercado, de acordo com a Instrução Normativa nº 73, de 5 de
agosto de 2020 (https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-n-73-de-5-de-
agosto-de-2020-270711836), realizada mediante a utilização dos seguintes parâmetros,
empregados de forma combinada ou não: A - Painel de Preços, disponível no endereço
eletrônico gov.br/paineldeprecos, desde que as cotações refiram-se a aquisições ou
contratações firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do
instrumento convocatório; B - aquisições e contratações similares de outros entes públicos,
firmadas no período de até 1 (um) ano anterior à data de divulgação do instrumento
convocatório; C - dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo, desde que atualizados no momento da pesquisa e
compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de divulgação do
instrumento convocatório, contendo a data e hora de acesso; ou D - pesquisa direta com
fornecedores, mediante solicitação formal de cotação, desde que os orçamentos considerados
estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório. Serão priorizados os parâmetros A e B.
65.17 Se for o caso da pesquisa de preços for realizada com os fornecedores, nos termos do
parâmetro D, mencionado acima, deverá ser observado: I - prazo de resposta conferido ao
fornecedor compatível com a complexidade do objeto a ser licitado; II - obtenção de
propostas formais, contendo, no mínimo: a) descrição do objeto, valor unitário e total; b)
número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ do proponente; c) endereço e
telefone de contato; d) data de emissão; III - registro, nos autos da contratação
correspondente, da relação de fornecedores que foram consultados e não enviaram propostas
como resposta à solicitação;
65.18 O cálculo do preço de referência deve incidir sobre um conjunto de três ou mais
preços, oriundos de um ou mais dos parâmetros adotados nos termos do subitem 65.16,
desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os excessivamente elevados. Vale
lembrar que para desconsideração dos valores inexequíveis, inconsistentes e os
excessivamente elevados, deverão ser adotados critérios fundamentados e descritos no
processo administrativo;
65.19 Excepcionalmente, se for o caso da pesquisa de preços com menos de três valores, o
responsável deverá justificar a limitação de mercado (por exemplo: juntar ao processo todos
os e-mails e/ou ofícios não respondidos ou telas do Painel de Preços que comprovem a
dificuldade em encontrar orçamentos para o item);
65.20 Importante frisar que a pesquisa de preços é elemento fundamental à instrução do
processo, pois é ela que fornecerá os valores de referência para cada item licitado. Assim,
após a realização da pesquisa de preços o demandante deverá elaborar a planilha de formação
de preços, conforme Apêndice IV;
65.21 Declaração de pesquisa de preços, conforme modelo no Apêndice V, em que o
responsável pela elaboração da planilha de cálculo do custo atesta a veracidade dos
orçamentos e dos cálculos apresentados. Mesmo tendo sido realizada ampla pesquisa de
preços, o responsável por esta deve incluir todos os orçamentos obtidos de maneira a sustentar
a justificativa;
65.22 Do fornecedor detentor do menor preço, o solicitante deverá juntar ao processo
administrativo, nos termos do art. 28 da Lei nº 8.666, de 1993, a documentação relativa à
habilitação jurídica: a) cédula de identidade; b) registro comercial, no caso de empresa
individual; c) ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor, devidamente registrado,
em se tratando de sociedades comerciais, no caso de sociedades por ações, acompanhado de
documentos de eleição de seus administradores; d) inscrição do ato constitutivo, no caso de
sociedades civis, acompanhada de prova de Diretoria em exercício; e) decreto de autorização,
em se tratando de empresa ou sociedade estrangeira em funcionamento no País, e ato de
registro ou autorização para funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a
atividade assim o exigir;
65.23 O fornecedor registrado na Ata de Registro de Preços mantém as mesmas condições
de habilitação exigidas no edital da licitação (art. 55, XIII, da Lei nº 8.666, de 1993). Do
fornecedor detentor do menor preço, vencedor da licitação escolhida para adesão, o solicitante
deverá averiguar se consta algum registro de sanção aplicada ao fornecedor registrado na ata,
cujos efeitos obstem a contratação;
65.24 São sistemas de consulta de registro de penalidades: a) Cadastro Nacional de
Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS), (http://www.portaltransparencia.gov.br); b) Lista de
Inidôneos do Tribunal de Contas da União (http://portal2.tcu.gov.br); c) Sistema de Cadastro
Unificado de Fornecedores (SICAF); e d) Conselho Nacional de Justiça (CNJ)
(http://www.cnj.jus.br);
65.25 A documentação para formalização do processo de compras deve ser anexada ao
Sistema de Informação para o Ensino, devidamente assinada pelo responsável por sua
elaboração;
65.26 O prazo mínimo previsto para conclusão da contratação, após entrada do processo na
Coordenação de Recursos Materiais, apto para elaboração das Cláusulas Necessárias, é de
quinze dias para aquisição sem contrato e de vinte dias para processos com contrato;
65.27 Lista de Verificação de Adesão de Registro de Preços devidamente preenchida e
assinada pelo Gestor de Compras da unidade solicitante, disponível na pasta documentos no
portal da Universidade Federal do Tocantins, www.uft.edu.br/compras;
65.28 Antes de encaminhar o processo à Coordenação de Recursos Materiais da Reitoria, o
solicitante deverá concluir as etapas da solicitação de compras; criar o processo de compras
no Sistema de Informação para o Ensino; ajustar a sequência dos itens de acordo com as
especificações definidas no termo de referência; e autuar o processo com a devida paginação;
65.29 A Coordenação de Recursos Materiais efetuará revisão da instrução processual (forma
e mérito), solicitando, quando necessário, ajustes aos demandantes para prosseguir com a
licitação.

SEÇÃO V

DA ADESÃO PARATICIPANTE – INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS

66 A Intenção de Registro de Preço (IRP) é o momento em que a Administração torna


pública a intenção de realizar uma contratação por meio do Registro de Preços e abre espaço
para que outros órgãos/entidades possam participar da futura licitação. Tal medida permite
aperfeiçoar os procedimentos licitatórios, identificar necessidades compatíveis em mais de um
órgão/entidade que poderiam ser atendidas mediante único procedimento licitatório,
promovendo economia processual e de recursos para os órgãos públicos.
67 Com a Intenção de Registro de Preços, um órgão que irá licitar permite que outros
interessados se juntem em um mesmo certame. Para manifestar interesse em Intenção de
Registro de Preços, a unidade interessada deve acessar o sistema Comprasnet – SIASG NET,
em serviços do Governo, SIASGNet, IRP, conforme roteiro descrito no manual do sistema
disponível em:<
https://www.comprasgovernamentais.gov.br/images/manuais/siasgnet/manual_irp-1.pdf>
(link de acesso).
68 O processo da adesão participante deverá ser autuado e encaminhado para verificação
de conformidade na Coordenação de Recursos Materiais. Se atendidas as instruções,
disponibilizará o Registro de Preços no Sistema de Informação para o Ensino para posterior
solicitação de empenho pelo demandante.

SEÇÃO VI

DO RECEBIMENTO DO OBJETO

69 Antes do atesto de recebimento do material ou bem fornecido, o responsável deverá


observar: a) o cumprimento do prazo de entrega; b) as condições de embalagem e validade;
atendimento às especificações registradas ATA SRP e informadas na nota fiscal; c) o
quantitativo entregue e o correspondente na nota de empenho; d) identificação do objeto,
peças necessárias para montagem, acessórios, manuais e informações sobre assistência
técnica; e) após a montagem, verificar a adequação do produto, desempenho e configuração
técnica exigida no instrumento convocatório.
70 No caso do recebimento provisório, o responsável deverá comunicar o fornecedor
sobre o início do prazo para o recebimento definitivo.
71 Os demandantes são responsáveis pelo acompanhamento e recebimento dos materiais,
bem como, o recebimento e envio das NOTAS de EMPENHOS aos fornecedores.
APÊNDICES

MODELOS PARA INSTRUÇÃO PROCESSUAL

Importante: Os modelos fornecem uma base formal, o usuário não deve se prender ao texto
apresentado, a unidade gestora demandante deverá definir os pontos fundamentais da
contratação, sempre de forma clara e objetiva.
APÊNDICE I

OFÍCIO MODELO – AUTORIZAÇÃO ABERTURA DO PROCESSO DE COMPRAS

OFÍCIO Nº ---/2020/UG/SETOR

Ao

[Setor]

Considerando a necessidade de contratação dos serviços de vigilância físico-


patrimonial e humana, armada e desarmada, nas dependências da Fundação Universidade
Federal do Tocantins, autorizo a abertura do processo licitatório, visando à realização de
licitação para seleção da melhor proposta para a Universidade Federal do Tocantins.

Autoridade Competente

[Cargo]
APÊNDICE II

JUSTIFICATIVA DA CONTRATAÇÃO

A [unidade solicitante], responsável por [atividade afetada pela aquisição], atesta que a
presente aquisição/contratação do [objeto da licitação] permitirá atender à(ao) [finalidade da
aquisição], proporcionando [benefícios trazidos pela aquisição]. A ausência dos materiais
poderá ocasionar prejuízos, no curto prazo [descrever eventuais prejuízos pelo atraso na
entrega dos itens ou pelo atraso na conclusão da licitação] e no longo prazo [descrever
eventuais prejuízos pelo fracasso na licitação ou outras razões que impossibilitem a
aquisição].

A respeito da composição da demanda, os quantitativos previstos foram estimados


com base [citar o método de estimativa dos quantitativos]. Visando à(ao) [razões para o
agrupamento em lotes], optou-se por agrupar os itens em lotes.

No caso do registro de preços, justifica-se a escolha desta modalidade de aquisição que


encontra amparo nos incisos [citar qual(is) inciso(s)] do art. 3° do Decreto nº 7.892, de 2013,
em razão, ainda, pela(o) [copiar os fundamentos associados aos incisos citados]. Esta
modalidade também facilita o trabalho de planejamento orçamentário das unidades,
possibilitando uma melhor aplicabilidade dos recursos ao longo do exercício.

Solicitante

[Cargo]
APÊNDICE III
MODELO OFÍCIO – JUSTIFICATIVA DA ESPECIDIFAÇÃO DO OBJETO

OFÍCIO Nº ---/2020/UG/SETOR

[Unidade Gestora]

Esclarecemos que a especificação dos itens constantes do termo de referência não contém
exigências que comprometam restrinjam ou frustrem o caráter competitivo da licitação,
ferindo os princípios da Lei nº 8.666, de 1993, tampouco induzindo a especificidades que
possam direcionar o certame licitatório, favorecendo a contratação de prestador específico.

Atenciosamente,

Solicitante

[Cargo]
53

APÊNDICE IV
MODELO – PLANILHA DE FORMAÇÃO DE PREÇOS

Folha no Valor Unitário Valor Total (R$)


Item Descrição Unid Qtde Fornecedor CNPJ: Preço R$
processo (R$)

CUSTO TOTAL ESTIMADO

Agente Responsável pela Cotação

[Cargo]
54

APÊNDICE V
MODELO – DECLARAÇÃO DA PESQUISA DE PREÇOS

OFÍCIO Nº ---/2020/UG/SETOR

Ao
[Setor]

Declaro que a pesquisa de preços da pretendida contratação está em conformidade


com o regulamento estabelecido pela na Instrução Normativa n° 73, de 5 de agosto de 2020
(ME), na forma a seguir delineada.

1. Qual foi o parâmetro utilizado para a pesquisa de preços?

 Inciso I – Painel de Preços, disponível no endereço eletrônico gov.br/paineldeprecos;


 Inciso II – aquisições e contratações similares de outros entes públicos;
 Inciso III – dados de pesquisa publicada em mídia especializada, de sítios eletrônicos
especializados ou de domínio amplo;
 Inciso IV – pesquisa direta com fornecedores, mediante solicitação formal de cotação.

2. A IN nº 73/2020-SLTI/ME prevê que devem ser priorizados os parâmetros


previstos nos incisos I e II. Então, se eles não forem utilizados, deverá constar
justificativa para utilização dos outros parâmetros. Portanto, Caso não tenham sido
utilizados os parâmetros previstos nos incisos I e II do art. 2º, qual é a justificativa?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

3. Caso tenha sido utilizado o parâmetro previsto no inciso III, os sítios consultados
especializados ou de domínio amplo no seu âmbito de atuação?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

4. Foi utilizado o parâmetro previsto no inciso IV?


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

5. No caso do item anterior, foi observado que que os orçamentos considerados


estejam compreendidos no intervalo de até 6 (seis) meses de antecedência da data de
divulgação do instrumento convocatório?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

6. Consta envio de solicitação formal ao fornecedor (por e-mail), devidamente


comprovado no processo? Às fls. (...........mencionar...fls. x a x).
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

7. O prazo concedido aos fornecedores para resposta está compatível com a


complexidade do objeto?
55

___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

8. Constam do processo, pelo menos, três preços para cada item?

 SIM
 NÃO

9. Caso tenha adotado o quantitativo menor que três preços para formação do valor
estimado em cada item do termo de referência foi apresentada justificativa para cada
item nessa condição, tendo sido aceita pela autoridade competente?

 SIM.
 NÃO

10. Qual foi o método utilizado para definição do preço de referência:

 Média
 Menor preço

11. Com relação à análise crítica dos preços coletados, os preços resultantes do
método escolhido estão de acordo com os praticados no mercado?

 SIM
 NÃO

12. Foram desconsiderados os valores inexequíveis, inconsistentes e os


excessivamente elevados?

13. No caso do item anterior, foram adotados critérios fundamentados e descritos no


processo administrativo para desconsideração dos valores?

 SIM
 NÃO

Agente Responsável pela Cotação

[Cargo]
56

APÊNDICE VI

MODELO – APROVAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA

OFÍCIO Nº ---/2019/UG/SETOR

Ao

[Setor]

APROVAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA

Aprovo o Termo de Referência, haja vista o objeto descrito atender às necessidades do(a)
demandante, [nome da unidade demandante], devidamente descritas no processo.

Encaminhe-se à Coordenação de Recursos Materiais, para prosseguimento.

Autoridade competente
[Unidade gestora]
57

APÊNDICE VII

MODELO – DOCUMENTO DE FORMALIZAÇÃO DE DEMANDA (Contratação de


serviços conforme IN 05/20417 ME)

1 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE
Setor requisitante: [Setor ou Pró-Reitoria/Unidade]
Responsável pela demanda: [Nome do servidor] Matrícula SIAPE:
E-mail: [informe e-mail para contato] Telefone: [ramal institucional]

2 DA JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DE CONTRATAÇÃO E SERVIÇO


TERCEIRIZADO, CONSIDERANDO O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
A [unidade demandante], dentre outras atribuições, é responsável por [atividade afetada pela
contratação]. A contratação dos serviços [objeto da licitação] permitirá atender a [finalidade
da contratação], proporcionando [benefícios trazidos pelos serviços]. A decisão pela execução
indireta dos serviços se justifica [argumentos para a necessidade da contratação]. A
contratação pretendida está em consonância com o Plano de Desenvolvimento Institucional,
conforme [citar elementos do PDI que sustentam a contratação].

3 QUANTIDADE DE SERVIÇO A SER CONTRATADA


O volume de serviços necessário para atender à necessidade é [XX
postos/m²/calibrações/unidades]. Esse quantitativo foi estimado com base [citar o método de
estimativa dos quantitativos, observando que a IN 05/2017 determina que o critério de
remuneração por postos de trabalho será excepcional e que, em sendo utilizado, deverá estar
documentado o método de cálculo para definição das quantidades e tipos de postos, assim
como a produtividade de referência].

4 PREVISÃO DA DATA EM QUE DEVE SER INICIADA A PRESTAÇÃO DOS


SERVIÇOS
Os serviços contratados deverão estar disponíveis a partir do dia XX/XX/XXXX, em função
do [término da vigência da contratação atual ou outro motivo da unidade demandante].

5 INDICAÇÃO DE MEMBRO PARA A EQUIPE DE PLANEJAMENTO DA


CONTRATAÇÃO
Nome: [Nome do servidor] Matrícula SIAPE: [XXXXXXX]
E-mail: [informe e-mail para contato] Telefone: [ramal institucional]
58

APÊNDICE VIII
MODELO - MAPA DE RISCOS (para contratação de serviços)

Trata-se de modelo de mapa de riscos para auxiliar as equipes de planejamento das


contratações no gerenciamento dos riscos; assim, para uso do referido modelo de mapeamento
de riscos a unidade responsável deverá realizar os seguintes procedimentos: a) identificar os
riscos (possibilidade de ocorrência de eventos) que façam com que o procedimento de
compras descrito não ocorra como deveria e seu(s) impacto(s) sobre a contratação; b) analisar
qual a probabilidade de o evento ocorrer e qual o tamanho do impacto se ele ocorrer; e c)
descrever as ações preventivas (aquelas que podem diminuir a probabilidade de ocorrência do
evento), para cada medida preventiva, deve ser designado um responsável, dentre os diversos
atores do processo e passar às medidas de contingência, se o evento previsto vier a ocorrer
será preciso definir as medidas cabíves (e quem serão os responsáveis) para minimizar os
danos.

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

01 Selecionar equipe inadequada para o planejamento da contratação.

 GRAU DE RISCO

(           ) (     X    ) (           ) (           ) (           )
Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (   X     ) (           ) (           )
Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(      X     ) (           ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

 Id Dano

1. Estudo falho, incompleto ou impreciso.


59

 Id Ação Preventiva Responsável

Designar equipe com conhecimentos técnicos


1. suficientes para os estudos para que não haja Equipa de planejamento
prejuízos durante a fase de planejamento.

 Id Ação de Contingência Responsável

1. Substituir membros da equipe de planejamento Unidade solicitante

Capacitar os servidores escolhidos para o


2. Unidade solicitante
planejamento da licitação.

Designar membros com mais experiência em


3. Unidade solicitante
contratações.

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

02 Estimativa de preço inadequada

 GRAU DE RISCO

(           ) (     X    ) (           ) (           ) (           )
Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (    X    ) (          )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(           ) (     X      ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

                 
Dano
Id
60

Licitação deserta devido à estimativa de preço ser inferior ao preço praticado no mercado e/ou
1.
contratação do serviço com preço superior ao praticado no mercado.

 Id Ação Preventiva Responsável

Utilizar o banco de preços para cotação do item a ser


1. Unidade Solicitante
contratado.

 Id Ação de Contingência Responsável

Revisar os preços encontrados, verificar se trata de Diretoria de Compras e Licitações


1.
objeto similar. (Triagem)

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

03 Adjudicar o objeto a  fornecedor inadequado

 GRAU DE RISCO

(          ) (    X    ) (           ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (    X    ) (          )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(        ) (    X    ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano

Contratação de fornecedor sem capacidade técnica para execução dos serviços conforme
1.
estabelecido no termo de referência.

 Id Ação Preventiva Responsável

1. Especificar no termo de referência quais são as Unidade solicitante


61

exigências para que a empresa contratada tenha


condições de executar o contrato de forma a garantir
uma boa prestação de serviços

 Id Ação de Contingência Responsável

Verificar a comprovação dos requisitos de


1. Pregoeiros
habilitação

Recusar as propostas que não comprovem o


2. atendimento aos quesitos solicitados no termo de Pregoeiros
referência

FASE DE ANÁLISE

(          ) Planejamento da Contratação e Seleção de Fornecedor

(   X    ) Execução do Contrato

 IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

04 Falta de recursos humanos para gestão e fiscalização do contrato.

 GRAU DE RISCO

(          ) (    X    ) (           ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (    X    ) (          )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(        ) (    X    ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano
62

1. Objeto contratado não cumprido conforme exigências do edital, prejudicando a Instituição

 Id Ação Preventiva Responsável

Designar equipe de trabalho suficiente para o


1. Prefeitura Universitária
atendimento da demanda

 Id Ação de Contingência Responsável

Alocar quantidade de servidores suficientes para


1. Prefeitura Universitária
atendimento

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

05 Servidores responsáveis pela gestão e fiscalização do contrato sem qualificação

 GRAU DE RISCO

(          ) (         ) (    X       ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (    X    ) (          )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(           ) (    X     ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano

1. Deixar de executar ou executar de forma ineficiente a gestão e fiscalização do contrato.

 Id Ação Preventiva Responsável

1. Treinamento para gestores e fiscais de contrato PROGEDEP

 Id Ação de Contingência Responsável


63

1. Treinamento In Company PROGEDEP

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

06 Insuficiência de recursos financeiros para cumprimento das obrigações contratuais.

 GRAU DE RISCO

(          ) (    X    ) (           ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (    X    ) (          )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(          ) (    X    ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano

1. Paralização na execução do contrato por falta de pagamento

Id Ação Preventiva Responsável

Aprovisionar recursos suficientes para as obrigações


1. PROAP
contratuais durante o ano de vigência

 Id Ação de Contingência Responsável

Complementar a dotação de recursos para


1. PROAP
cumprimento das obrigações contratuais

 
64

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

07 Descumprimento contratual por parte da empresa.

 GRAU DE RISCO

(          ) (    X    ) (           ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (        ) (   X    )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(          ) (    X    ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano

1. Inexecução do objeto contratado

Id Ação Preventiva Responsável

Fiscalizar pontualmente cada ação da contratada


1. Fiscal
com relação ao contrato

 Id Ação de Contingência Responsável

Advertir e se necessário penalizar a empresa para


1. Gestor do contrato.
que os prejuízos sejam evitados.

IDENTIFICAÇÃO DO RISCO

Número Descrição

                08 Rompimento contratual

  GRAU DE RISCO
65

(          ) (    X    ) (           ) (           ) (           )


Probabilidade:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

(           ) (           ) (          ) (        ) (   X    )


Impacto:
Muito Baixo (1) Baixo (2) Médio (3) Alto (4) Muito Alto (5)

 CLASSIFICAÇÃO DO RISCO

(          ) (    X    ) (           )

Risco Baixo (1 a 6) Risco Elevado (8 a 12) Risco Extremo (15 a 25)

Id Dano

1. O serviço de necessidade continuada deixará de ser prestado.

Id Ação Preventiva Responsável

1. Acompanhar a execução do contrato Fiscal

Comunicar o preposto da empresa sobre problemas


2. Fiscal
na execução do contrato.

Id Ação de Contingência Responsável

Acordar com a contratada a fim de que o contrato


1. seja mantido até uma nova licitação para que não Fiscal
haja interrupção do objeto contratado.
66

APÊNDICE IX

DESIGNAÇÃO DE FISCAL DO CONTRATO (para contratação de serviços)

A fiscalização do contrato originado pelo presente processo será realizada pelos servidores
abaixo indicados, os quais deverão acompanhar sua execução e adotar os procedimentos que
se fizerem necessários para exigir seu fiel cumprimento, de acordo com as cláusulas do
instrumento contratual e disposições legais que regulam a matéria.
67

Solicitante
[Cargo]
68

APÊNDICE X

INFORMAÇÃO SOBRE O CÓDIGO CATSERV

Informamos que os serviços a serem licitados correspondem ao código CATSERV [informar


o código do serviço], conforme informação disponível na página do portal de compras do
Governo Federal.

Solicitante

[Cargo]
69

APÊNDICE XI
MODELO - INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO DE RESULTADOS (IMR)
Indicador 01 – [Título do indicador]  Crítico
Prazo de atendimento de demandas  Secundário
[definir o objetivo de se medir tal aspecto da contratação]
Finalidade Garantir um atendimento célere às demandas urgentes
[indicar o resultado a ser atingido pela
Meta a cumprir Contratada] Atendimento em 24 horas
[indicar a forma como ocorrerá a medição do indicador]
Instrumento de medição Sistema Oráculo – emissão de ordens de serviço (OS)
[indicar como será monitorado o indicador]
Forma de acompanhamento Através de relatório do
sistema
[indicar a frequência de
Periodicidade monitoramento] Mensal
[descrever o método para comparar a forma de acompanhamento
Mecanismo de cálculo com a meta a cumprir]
𝑛º 𝑑𝑒 ℎ𝑜𝑟𝑎𝑠 𝑛𝑜 𝑎𝑡𝑒𝑛𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜
Para cada OS será aplicada a fórmula 24 =𝑥
[indicar a partir de que momento será iniciada a medição]
Início da vigência Primeiro dia da prestação dos serviços
[indicar os descontos pelo não atingimento dos resultados
esperados]
Faixas de ajuste no pagamento X < 1  100% do valor da OS
1 ≤ x < 1,5  90% do valor da
OS 1,5 ≤ x < 2  80% do valor
da OS
[indicar se haverá sanção pelo reiterado não atingimento das metas]
Se no período de avaliação forem verificados que mais de 20% das
Sanções OS tiveram valor maior que 2, a Contratada ficará sujeita à multa
de
1% do valor faturado no mês de verificação da ocorrência.
Observações
70

APÊNDICE XII
MODELO - PROJETO BÁSICO PARA CONTRATAÇÃO DIRETA DE PEQUENO
VALOR

PROJETO BÁSICO

1. OBJETO
1.1 Aquisição de ............................................................., conforme condições, quantidades
e exigências estabelecidas neste instrumento:
Nº item no
Valor Valor
Item Descrição Catmat PGC/PAC Qtde
Unitário Total
aprovado

01 R$ uni R$

2. JUSTIFICATIVA

2.1 A [unidade solicitante], responsável por [atividade afetada pela aquisição], atesta que a
presente aquisição/contratação do [objeto da licitação] permitirá atender a [finalidade da
aquisição], proporcionando [benefícios trazidos pela aquisição]. A ausência dos materiais
poderá ocasionar prejuízos, no curto prazo [descrever eventuais prejuízos pelo atraso na
entrega dos itens ou pelo atraso na conclusão da licitação] e no longo prazo [descrever
eventuais prejuízos pelo fracasso na licitação ou outras razões que impossibilitem a
aquisição].
2.2 A respeito da composição da demanda, os quantitativos previstos foram estimados
com base [citar o método de estimativa dos quantitativos].
2.3 Complementar demais informações sobre a necessidade do
objeto.......................................................................................

3. JUSTIFICATIVA PARA A MODALIDADE ESCOLHIDA

3.1 A modalidade escolhida para a realização do serviço é a dispensa de licitação. O valor


da contratação R$ ................. (.................................................) não compensa os custos da
71

Administração do procedimento licitatório, o que enquadra a aquisição nos moldes do art. 24,
inciso II, da Lei nº 8.666/93.
3.2 A pesquisa de preços para elaboração do orçamento deste processo também levou em
consideração os parâmetros disponíveis no Painel de Preços do Portal de Compras do
Governo Federal.
3.3 Dispensa de licitação: A estimativa do preço, conforme a planilha de formação dos
valores enquadra-se no disposto no art. 23, inciso II, alínea “a” e no art. 24, inciso II, da Lei
nº. 8.666/93, mencionando a dispensa de licitação para contratação de serviços, com pequena
relevância econômica, diante da onerosidade de uma licitação. O art. 24, II, da Lei nº. 8.666,
de 21 de junho de 1993, dispõe que é Dispensável a licitação quando o valor para contratação
de serviços for de até 10% (dez por cento) do valor estipulado no art. 23, II, “a”, R$ 80.000,00
(oitenta mil reais), aletrado para R$ 176.000,00, através do decreto 9.412/2018.
3.4 A estimativa do preço para o serviço descrito está com o valor abaixo do estimado nos
artigos supracitados, sendo inferior aos 10% (dez por cento) do referido valor. Assim sendo
atendido o disposto nos artigos 23, inciso II, alínea “a”, e 24, inciso II, da Lei nº 8.666/93, e
de forma a cumprir o disposto no art. 26 da mesma lei, apresentamos a presente Justificativa
para a contratação direta.

4. LOCAIS DE REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS E FORMAS DE EXECUÇÃO

4.1 Os bens deverão ser entregues na sede do órgão, no seguinte endereço: Universidade
Federal do Tocantins, .............................................................................

5. CLASSIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS COMUNS

5.1 Os serviços a serem adquiridos enquadram-se na classificação de serviços comuns, nos


termos da Lei n° 10.520, de 2002, do Decreto n° 3.555, de 2000, e do Decreto 10.024, de
2019.

6. AVALIAÇÃO DO CUSTO
6.1 O custo estimado total da presente contratação é de R$ .....,..
(.......................................................................).
72

6.2 O custo estimado foi apurado a partir de mapa de preços constante do processo
administrativo, elaborado com base em orçamentos recebidos de empresas especializadas no
fornecimento de material.

7. RECEBIMENTO E CRITÉRIO DE ACEITAÇÃO DO OBJETO

7.1 Os serviços serão recebidos:


7.1.1 Provisoriamente, a partir da execução dos serviços, para efeito de verificação da
conformidade com as especificações constantes do Termo de Referência e da
proposta, como também para a verificação da perfeita realização do serviço.
7.1.2 Definitivamente, após a verificação da conformidade com as especificações constantes
do Termo de Referência e da proposta, bem como da verificação da perfeita realização
do serviço.
7.1.3 A Administração rejeitará, no todo ou em parte, a entrega dos serviços em desacordo
com as especificações exigidas.

8. OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

8.1 A Contratada obriga-se a:


8.1.1 Executar os serviços, no prazo e local indicado pela Administração, em estrita
observância das especificações do Termo de Referência e da proposta;
8.1.2 Atender prontamente a quaisquer exigências da Administração, inerentes ao objeto da
presente licitação;
8.1.3 Comunicar à Administração, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas que
antecede a data da entrega, os motivos que impossibilitem o cumprimento do prazo previsto,
com a devida comprovação;
8.1.4 Manter, durante toda a execução do contrato, em compatibilidade com as obrigações
assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação;
8.1.5 Não transferir a terceiros, por qualquer forma, nem mesmo parcialmente, as
obrigações assumidas, nem subcontratar qualquer das prestações a que está obrigada, exceto
nas condições autorizadas no Termo de Referência ou na minuta de contrato, ser for o caso;
73

8.1.6 Não permitir a utilização de qualquer trabalho do menor de dezesseis anos, exceto na
condição de aprendiz para os maiores de quatorze anos; nem permitir a utilização do trabalho
do menor de dezoito anos em trabalho noturno, perigoso ou insalubre;
8.1.7 Responsabilizar-se pela despesa de tributo, encargos trabalhistas, previdenciários,
fiscais, comerciais, taxas, fretes, seguros, deslocamento de pessoal, prestação de garantia e
quaisquer outras que incidam ou venham a incidir na execução do contrato.

9. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE

9.1 A Contratante obriga-se a:


9.2 Indicar o local onde será executado o serviço, disponibilizando data e horário;
9.3 Verificar minuciosamente, no prazo fixado, a conformidade dos serviços recebidos
provisoriamente com as especificações constantes do Termo de Referência e da proposta, para
fins de aceitação e recebimento definitivos;
9.4 Acompanhar e fiscalizar o cumprimento das obrigações da Contratada, através de
servidor especialmente designado;
9.5 Efetuar o pagamento no prazo previsto.

10. MEDIDAS ACAUTELADORAS

10.1 Consoante o artigo 45 da Lei nº 9.784, de 1999, a Administração Pública poderá, sem
a prévia manifestação do interessado, motivadamente, adotar providências acauteladoras,
inclusive retendo o pagamento, em caso de risco iminente, como forma de prevenir a
ocorrência de dano de difícil ou impossível reparação.

11. DAS INFRAÇÕES E DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

11.1 A disciplina das infrações e sanções administrativas aplicáveis no curso da licitação e


da contratação são aquelas previstas no Contrato, a seguir alinhavadas:
11.2 Os ônus decorrentes do descumprimento de qualquer obrigação contratual serão de
responsabilidade da parte que lhes der causa, respondendo, ainda, o inadimplente, por perdas
e danos perante a outra parte.
74

11.3 No caso de inexecução total ou parcial do objeto desta licitação e ainda na ocorrência
de atraso injustificado na execução do mesmo, sujeitar-se-á a CONTRATADA, garantida
prévia defesa, às seguintes penalidades, notificadas no SICAF, quando for o caso:
11.3.1 Advertência;

11.3.2 Multa;

11.3.3. Suspensão temporária de participação em licitação promovida pela


Administração Pública e impedimento de contratar com esta por prazo de até 05 (cinco) anos;

11.4 Declaração de inidoneidade para licitar e contratar com a Administração Pública,


enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a
reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a pena, que será concedida sempre que a
CONTRATADA ressarcir a UFT pelos prejuízos resultantes e após decorrido o prazo da
sanção aplicada com base na alínea anterior.
11.5 A sanção de advertência de que trata o subitem 10.1.3 poderá ser aplicada nos
seguintes casos:
11.6 Descumprimento das obrigações e responsabilidades assumidas neste Contrato;
11.7 Outras ocorrências que possam acarretar transtornos ao desenvolvimento dos serviços
da UFT, desde que não caiba a aplicação de sanção mais grave.
11.8 A multa de que trata o subitem 11.3.1 será aplicada da seguinte forma:
11.9 Pelo atraso na entrega do serviço em relação ao prazo estipulado: 0,5 (meio por cento)
do valor do serviço não entregue, por dia decorrido, até o limite de 10% (dez por cento) do
valor total do serviço;
11.10 Pela recusa em efetuar o serviço, caracterizada em 10 (dez) dias após o vencimento do
prazo de entrega estipulado: 10% (dez por cento) do valor do serviço;
11.11 Pelo não cumprimento de qualquer condição fixada e não abrangida pelos subitens
anteriores: 1% (um por cento) do valor para cada evento até o limite de 10% (dez por cento)
do valor total do serviço e/ou Nota de Empenho.
11.12 As multas previstas no subitem 11.3.2 são independentes entre si, podendo ser
aplicadas isoladas ou cumulativamente, ficando o seu total limitado a 10% (dez por cento) do
valor total do serviço e/ou Nota de Empenho, sem prejuízo de perdas e danos cabíveis.
11.13 O valor das multas aplicadas deverá ser depositado na conta a ser informada pela UFT,
no prazo de 05 (cinco) dias, a contar da data da notificação, podendo a UFT, para tanto,
cobrá-las judicialmente, se julgar conveniente, ou descontar das notas fiscais e/ou fatura por
75

ocasião do seu pagamento, ainda que inexista relação de causa e efeito entre o valor faturado e
o fato gerador da multa.
11.14 O descumprimento das obrigações relacionadas com confidencialidade e segurança de
dados, de informações e sistemas, mediante ações ou omissões, intencionais ou acidentais,
que impliquem em perda, destruição, inserção, cópia, acesso ou alterações indevidas,
independentemente do meio no qual estejam armazenados, em que trafeguem ou do ambiente
em que estejam sendo processados, determinará a responsabilização, na forma da lei, de seus
dirigentes e funcionários envolvidos.
11.15 Fica definido como foro para dirimir avenças relativas ao pactuado no contrato, o
Juízo Federal da Seção Judiciária de Palmas, Estado do Tocantins.

Palmas, -- de ------ de 20--

Solicitante
Unidade Gestora

Aprovo o presente Termo de Referência.

Autoridade Competente
Unidade Gestora
76

APÊNDICE XIII
MODELO - PROJETO BÁSICO PARA CONTRATAÇÃO DIRETA –
INEXIGIBILIDADE

PROJETO BÁSICO

1 DO OBJETO

1.1 Aquisição .................................................................................., conforme condições,


quantidades e exigências estabelecidas neste instrumento:

Nº item no
Valor Valor
Item Descrição Catmat PGC/PAC Qtde
Unitário Total
aprovado

01 R$ uni R$

1.2 O prazo de vigência da contratação é de 90 dias prorrogável na forma do art. 57, § 1°,
da Lei n° 8.666/93.

2 ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO

2.1 Mencionar a especificação detalhada do objeto.....

3 DA JUSTIFICATIVA DA NECESSIDADE DA CONTRATAÇÃO

3.1 A [unidade solicitante], responsável por [atividade afetada pela aquisição], atesta que a
presente aquisição/contratação do [objeto da licitação] permitirá atender a [finalidade da
aquisição], proporcionando [benefícios trazidos pela aquisição]. A ausência dos materiais
poderá ocasionar prejuízos, no curto prazo [descrever eventuais prejuízos pelo atraso na
entrega dos itens ou pelo atraso na conclusão da licitação] e no longo prazo [descrever
77

eventuais prejuízos pelo fracasso na licitação ou outras razões que impossibilitem a


aquisição].
3.2 A respeito da composição da demanda, os quantitativos previstos foram estimados
com base [citar o método de estimativa dos quantitativos].
3.3 Complementar demais informações sobre a necessidade do
objeto.......................................................................................
3.4 .

4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PARA INEXIGIBILIDADE

4.1 A contratação de serviços pela administração pública, em regra, dá-se mediante a


realização de procedimento licitatório. A própria Constituição Federal assim estabelece:

Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União,
dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao
seguinte:
XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e
alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure
igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam
obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da
lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômicas
indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações.

4.2 Corroborando o entendimento acima, o art. 2º da Lei de Licitações estabelece que as


compras da administração pública devam sempre ser precedidas do competente procedimento
licitatório. Ressalva o mencionado artigo, que exceção deve ser feita aos casos previstos na
própria lei:

Art. 2º As obras, serviços, inclusive de publicidade, compras, alienações,


concessões, permissões e locações da Administração Pública, quando contratadas
com terceiros, serão necessariamente precedidas de licitação, ressalvadas as
hipóteses previstas nesta Lei.

4.3 Assim, as contratações deverão, necessariamente, ser precedidas de licitação, exceto se


ocorrerem exceções previstas em lei. Tais exceções estão previstas nos artigos 24 e 25 da Lei
nº. 8.666/93, que estabelecem os casos de dispensa e inexigibilidade de licitação, os quais se
aplicam aos casos concretos quando estes estiverem enquadrados de forma perfeita ao
disposto na norma.
78

4.4 O mencionado artigo 25 descreve, de forma exemplificativa, as situações de


inexigibilidade de licitação, aqui, de se destacar seu caput e o inciso II:

Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição, em


especial:
II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta Lei, de
natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização, vedada a
inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgação;
Art. 13. Para os fins desta Lei, consideram-se serviços técnicos profissionais
especializados os trabalhos relativos a:
VI - treinamento e aperfeiçoamento de pessoal;

4.5 Reconhecida que seja a dispensa ou declarada a inexigibilidade, deve o ato estar
devidamente fundamentado, segundo se depreende do teor do caput do art. 26. Conforme Art.
26, as dispensas previstas nos §§ 2º e 4º do art. 17 e nos incisos III a XXIV do art. 24, as
situações de inexigibilidade referidas no art. 25, necessariamente justificadas, e o
retardamento previsto no final do parágrafo único do art. 8º, deverão ser comunicados dentro
de três dias a autoridade superior, para ratificação e publicação na imprensa oficial, no prazo
de cinco dias, como condição para eficácia dos atos.
4.6 No inciso I, caso em que a licitação é inexigível pela existência de fornecedor
exclusivo, é necessária a sua comprovação por meio de carta de exclusividade fornecida pela
junta comercial ou registro de propriedade intelectual (INPI) ou pelo Sindicato ou entidade
semelhante que represente as empresas do ramo. Em casos específicos, em que não for
possível a emissão da referida carta, deve o gestor apresentar, documentalmente, todos os
elementos suficientes à caracterização da inviabilidade de competição, sendo a inexigibilidade
fundamentada na regra do caput do artigo.
4.7 Com fulcro no estabelecido no inciso II, do artigo 25, conclui-se que existe a
possibilidade de inexigibilidade de licitação em face de se tratar de serviço técnico
especificado no inciso VI, do artigo 13, da lei em comento.
4.8 Em relação a este tipo de contratação o Tribunal de Contas da União (Decisão nº
439/98 – Plenário) sedimentou o seguinte entendimento:

[...] as contratações de professores, conferencistas ou instrutores para ministrar


cursos de treinamento ou aperfeiçoamento de pessoal, bem como a inscrição de
servidores para participação de cursos abertos a terceiros, enquadram-se na hipótese
de inexigibilidade de licitação prevista no inciso II do art. 25, combinado com o
inciso VI do art. 13 da Lei nº 8.666/93.

4.9 De acordo com este entendimento, a colenda Corte afasta a necessidade de


79

realizar licitação, admitindo a contratação por inexigibilidade, fundada no art.25, II da Lei


8666/93. No que tange a notória especialização, ensina Hely Lopes Meirelles que,

[...] a lei apresenta um rol de serviços técnicos especializados que podem ser
contratados diretamente por profissionais ou empresas de notória especialização,
sem maiores indagações sobre a viabilidade ou não de competição, desde que
comprovada a sua natureza singular, como resulta do confronto dos arts. 13 e 25, II.

4.10 A justificativa para um pedido de contratação por inexigibilidade de licitação


deverá recair, fundamentalmente, sobre as especificações do objeto e sobre a forma única de o
objeto ser obtido no mercado, o que pressupõe uma criteriosa pesquisa acerca das soluções
ofertadas pelo mercado e sua adequabilidade em relação às peculiaridades envolvidas na
demanda.
4.11 A notória especialização diz respeito às qualidades técnicas que o profissional
goza, fruto do acumulado conhecimento da matéria, bem como do seu desempenho em
contratações anteriores.
4.12 Relativamente á singularidade do serviço, convém trazer á colação o
magistério do publicista ANTÔNIO CARLOS CINTRA DO AMARAL, que ao refletir sobre
a contratação de profissional para a realização de treinamento de pessoal, asseverou:

A singularidade reside em que dessa ou dessas pessoas físicas (instrutores ou


docentes) requer-se: a) experiência; b) domínio do assunto, c) didática, d)
experiência e habilidade na condução de grupos, frequentemente heterogêneas
inclusive no que se refere á formação profissional; e e) capacidade de comunicação.

4.13 Ou seja, os requisitos da notória especialização e da singularidade do serviço


são indispensáveis para configurar a hipótese de inexigibilidade de licitação prevista no
dispositivo supracitado.
4.14 A presente contratação refere-se a contratação de fornecedor exclusivo,
conforme carta de exclusividade juntada aos autos.

5 DA RAZÃO DA ESCOLHA DO FORNECEDOR

5.1 A Life Technologies Brasil foi escolhida, pois é a única empresa que está
autorizada a importar e distribuir, com exclusividade em todo o território brasileiro, os
produtos da Life Technologies Corporation, localizada em Van Allen Way, 5791 –
80

Carlsbad, California – EUA, e as suas marcas Applied Biosystems e invitrogen. Assim, como
o equipamento de PCR em Tempo Real do Laboratório de Análises Moleculares da UFT é da
marca Applied Biosystems, não podemos comprar os reagentes especificados no objeto deste
termo de um outro fornecedor e não há objeto similar no mercado que atende às necessidades
de calibração do mencionado equipamento.

6 DA FORMA DE EXECUÇÃO DO OBJETO

6.1 O prazo de entrega dos bens é de 30 dias, contados do(a) recebimento na nota
de empenho, em remessa única, no seguinte : mencionar o endereço completo para entrega, a
identificação do solicitante e fone de contato.
6.2 Os bens serão recebidos provisoriamente no prazo de 30 (tinta) dias, pelo(a)
responsável pelo acompanhamento e fiscalização do contrato, para efeito de posterior
verificação de sua conformidade com as especificações constantes neste Termo de Referência
e na proposta.
6.3 Os bens poderão ser rejeitados, no todo ou em parte, quando em desacordo
com as especificações constantes neste Termo de Referência e na proposta, devendo ser
substituídos no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da notificação da contratada, às suas
custas, sem prejuízo da aplicação das penalidades.
6.4 Os bens serão recebidos definitivamente no prazo de 30 (trinta) dias, contados
do recebimento provisório, após a verificação da qualidade e quantidade do material e
consequente aceitação mediante termo circunstanciado.
6.5 Na hipótese de a verificação a que se refere o subitem anterior não ser
procedida dentro do prazo fixado, reputar-se-á como realizada, consumando-se o recebimento
definitivo no dia do esgotamento do prazo.
6.6 O recebimento provisório ou definitivo do objeto não exclui a responsabilidade
da contratada pelos prejuízos resultantes da incorreta execução do contrato.

7 PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA

7.1 A despesa orçamentária com a execução dos serviços de que trata o objeto deste
Projeto Básico correrá à conta da natureza do PTRES 108686, e FONTE 8100, sendo o
empenho do tipo global.

8 OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA
81

8.1 A Contratada obriga-se a:

8.1.1 Executar os serviços em perfeitas condições, no prazo e local indicado pela


Administração, em estrita observância das especificações deste projeto básico e da proposta,
acompanhado da respectiva nota fiscal;

8.1.2 Responsabilizar-se pelos vícios e danos decorrentes da prestação dos serviços, de


acordo com as disposições do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078, de 1990);

8.1.3 Arcar com a responsabilidade civil por todos e quaisquer danos materiais e morais
causados pela ação ou omissão de seus empregados, trabalhadores, prepostos ou
representantes, dolosa ou culposamente, à União ou a terceiros;

8.1.4 Fornecer materiais didáticos e de apoio por participante (apostila, caneta, bloco de
anotações e pasta);

8.1.5 Efetuar o pagamento de honorários e demais comodidades do instrutor (es) do curso;

8.1.6 Atender prontamente a quaisquer exigências da Administração, inerentes ao objeto da


presente contratação;

8.1.7 Comunicar à Administração, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas que


antecede a data da entrega, os motivos que impossibilitem o cumprimento do prazo previsto,
com a devida comprovação;

8.1.8 Utilizar empregados habilitados e com conhecimentos básicos dos serviços a serem
executados, de conformidade com as normas e determinações em vigor;

8.1.9 Vedar a utilização, na execução dos serviços, de empregado que seja familiar de
agente público ocupante de cargo em comissão ou função de confiança no órgão contratante,
nos termos do artigo 7° do Decreto n° 7.203, de 2010, que dispõe sobre a vedação do
nepotismo no âmbito da administração pública federal;

8.1.10 Fornecer certificados para todos os participantes;

8.1.11 Responsabilizar-se por todas as obrigações trabalhistas, sociais, previdenciárias,


tributárias e as demais previstas na legislação específica, cuja inadimplência não transfere
responsabilidade à Administração;

8.1.12 Instruir seus empregados quanto à necessidade de acatar as orientações da


Administração, inclusive quanto ao cumprimento das Normas Internas, quando for o caso;
82

8.1.13 Relatar à Administração toda e qualquer irregularidade verificada no decorrer da


prestação dos serviços;

8.1.14 Não permitir a utilização de qualquer trabalho do menor de dezesseis anos, exceto na
condição de aprendiz para os maiores de quatorze anos; nem permitir a utilização do trabalho
do menor de dezoito anos em trabalho noturno, perigoso ou insalubre;

8.1.15 Manter durante toda a vigência do contrato, em compatibilidade com as obrigações


assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação;

8.1.16 Não transferir a terceiros, por qualquer forma, nem mesmo parcialmente, as
obrigações assumidas, nem subcontratar qualquer das prestações a que está obrigada, exceto
nas condições autorizadas no Projeto Básico ou na minuta de contrato;

8.1.17 Arcar com o ônus decorrente de eventual equívoco no dimensionamento dos


quantitativos de sua proposta, inclusive quanto aos custos variáveis decorrentes de fatores
futuros e incertos, devendo complementá-los, caso o previsto inicialmente em sua proposta
não seja satisfatório para o atendimento ao objeto da licitação, exceto quando ocorrer algum
dos eventos arrolados nos incisos do § 1º do art. 57 da Lei nº 8.666, de 1993.

9 OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE

9.1 A Contratante obriga-se a:

11.1.1. Proporcionar todas as condições para que a Contratada possa desempenhar seus
serviços de acordo com as determinações do Contrato, do Edital e seus Anexos, especialmente
do Projeto Básico;

11.1.2. Exigir o cumprimento de todas as obrigações assumidas pela Contratada, de acordo


com as cláusulas contratuais e os termos de sua proposta;

11.1.3. Exercer o acompanhamento e a fiscalização dos serviços, por servidor especialmente


designado, anotando em registro próprio as falhas detectadas, indicando dia, mês e ano, bem
como o nome dos empregados eventualmente envolvidos, e encaminhando os apontamentos à
autoridade competente para as providências cabíveis;

11.1.4. Notificar a Contratada por escrito da ocorrência de eventuais imperfeições no curso da


execução dos serviços, fixando prazo para a sua correção;

11.1.5. Pagar à Contratada o valor resultante da prestação do serviço, na forma do contrato;


83

11.1.6. Zelar para que durante toda a vigência do contrato sejam mantidas, em
compatibilidade com as obrigações assumidas pela Contratada, todas as condições de
habilitação e qualificação exigidas na licitação.

10 DO CUSTO

10.1 O custo estimado total da contratação é de R$ ..................... (onze mil e duzentos e


quarenta e um reais).

11 MEDIDAS ACAUTELADORAS

11.1 Consoante o artigo 45 da Lei nº 9.784, de 1999, a Administração Pública poderá, sem
a prévia manifestação do interessado, motivadamente, adotar providências acauteladoras,
inclusive retendo o pagamento, em caso de risco iminente, como forma de prevenir a
ocorrência de dano de difícil ou impossível reparação.

12 CONTROLE DA EXECUÇÃO

12.1 O órgão deve acompanhar e fiscalizar a conformidade da execução do objeto e da


alocação dos recursos necessários, de forma a assegurar o perfeito cumprimento do ajuste, por
meio de um representante especialmente designado.

12.2 O representante da CONTRATANTE deverá ter a experiência necessária para o


acompanhamento e controle da execução dos serviços e do contrato.

12.3 A verificação da adequação da execução do objeto deverá ser realizada com base nos
critérios previstos no Projeto Básico, em especial aqueles relativos aos índices de
produtividade.

12.4 O fiscal ou gestor do contrato, ao verificar que houve subdimensionamento da


produtividade pactuada, sem perda da qualidade na execução do serviço, deverá comunicar à
autoridade responsável para que esta promova a adequação contratual à produtividade
efetivamente realizada.
84

12.5 A conformidade do material a ser utilizado deverá ser verificada juntamente com o
documento da Contratada que contenha a relação detalhada dos mesmos, de acordo com o
estabelecido no Projeto Básico e na proposta, informando as respectivas quantidades e
especificações técnicas, tais como: marca, qualidade e forma de uso.

12.6 O representante da Administração anotará em registro próprio todas as ocorrências


relacionadas com a execução do contrato, indicando dia, mês e ano, bem como o nome dos
empregados eventualmente envolvidos, adotando as providências necessárias ao fiel
cumprimento das cláusulas contratuais e comunicando a autoridade competente, quando for o
caso.

12.7 A fiscalização não exclui nem reduz a responsabilidade da CONTRATADA, inclusive


perante terceiros, por qualquer irregularidade, ainda que resultante de imperfeições técnicas,
vícios redibitórios, ou emprego de material inadequado ou de qualidade inferior e, na
ocorrência desta, não implica em co-responsabilidade da Contratante ou de seus agentes e
prepostos, de conformidade com o art. 70 da Lei nº 8.666, de 1993.

13 DO PAGAMENTO
 

13.1 O pagamento será efetuado pela Contratante no prazo de ..... (....) dias, contados do
recebimento da Nota Fiscal/Fatura.

13.1.1 Os pagamentos decorrentes de despesas cujos valores não ultrapassem o limite de que
trata o inciso II do art. 24 da Lei 8.666, de 1993, deverão ser efetuados no prazo de até 5
(cinco) dias úteis, contados da data da apresentação da Nota Fiscal/Fatura, nos termos do art.
5º, § 3º, da Lei nº 8.666, de 1993.

13.2 A emissão da Nota Fiscal/Fatura será precedida do recebimento definitivo do serviço,


conforme este Termo de Referência

13.3 A Nota Fiscal ou Fatura deverá ser obrigatoriamente acompanhada da comprovação da


regularidade fiscal, constatada por meio de consulta on-line ao SICAF ou, na impossibilidade
de acesso ao referido Sistema, mediante consulta aos sítios eletrônicos oficiais ou à
documentação mencionada no art. 29 da Lei nº 8.666, de 1993.
85

13.3.1 Constatando-se, junto ao SICAF, a situação de irregularidade do fornecedor


contratado, deverão ser tomadas as providências previstas no do art. 31 da Instrução
Normativa nº 3, de 26 de abril de 2018.

13.4 O setor competente para proceder o pagamento deve verificar se a Nota Fiscal ou
Fatura apresentada expressa os elementos necessários e essenciais do documento, tais como:

13.4.1 o prazo de validade;

13.4.2 a data da emissão;

13.4.3 os dados do contrato e do órgão contratante;

13.4.4 o período de prestação dos serviços;

13.4.5 o valor a pagar; e

13.4.6 eventual destaque do valor de retenções tributárias cabíveis.

13.5 Havendo erro na apresentação da Nota Fiscal/Fatura, ou circunstância que impeça a


liquidação da despesa, o pagamento ficará sobrestado até que a Contratada providencie as
medidas saneadoras. Nesta hipótese, o prazo para pagamento iniciar-se-á após a comprovação
da regularização da situação, não acarretando qualquer ônus para a Contratante;

13.6 Nos termos do item 1, do Anexo VIII-A da Instrução Normativa SEGES/MP nº 05, de
2017, será efetuada a retenção ou glosa no pagamento, proporcional à irregularidade
verificada, sem prejuízo das sanções cabíveis, caso se constate que a Contratada:

13.6.1 não produziu os resultados acordados;

13.6.2 deixou de executar as atividades contratadas, ou não as executou com a qualidade


mínima exigida;

13.6.3 deixou de utilizar os materiais e recursos humanos exigidos para a execução do


serviço, ou utilizou-os com qualidade ou quantidade inferior à demandada.

13.7 Será considerada data do pagamento o dia em que constar como emitida a ordem
bancária para pagamento.

13.8 Antes de cada pagamento à contratada, será realizada consulta ao SICAF para verificar
a manutenção das condições de habilitação exigidas no edital.

13.9 Constatando-se, junto ao SICAF, a situação de irregularidade da contratada, será


providenciada sua notificação, por escrito, para que, no prazo de 5 (cinco) dias úteis,
86

regularize sua situação ou, no mesmo prazo, apresente sua defesa. O prazo poderá ser
prorrogado uma vez, por igual período, a critério da contratante.

13.10 Previamente à emissão de nota de empenho e a cada pagamento, a Administração


deverá realizar consulta ao SICAF para identificar possível suspensão temporária de
participação em licitação, no âmbito do órgão ou entidade, proibição de contratar com o Poder
Público, bem como ocorrências impeditivas indiretas, observado o disposto no art. 29, da
Instrução Normativa nº 3, de 26 de abril de 2018.

13.11 Não havendo regularização ou sendo a defesa considerada improcedente, a contratante


deverá comunicar aos órgãos responsáveis pela fiscalização da regularidade fiscal quanto à
inadimplência da contratada, bem como quanto à existência de pagamento a ser efetuado, para
que sejam acionados os meios pertinentes e necessários para garantir o recebimento de seus
créditos.

13.12 Persistindo a irregularidade, a contratante deverá adotar as medidas necessárias à


rescisão contratual nos autos do processo administrativo correspondente, assegurada à
contratada a ampla defesa.

13.13 Havendo a efetiva execução do objeto, os pagamentos serão realizados normalmente,


até que se decida pela rescisão do contrato, caso a contratada não regularize sua situação junto
ao SICAF.

13.13.1 Será rescindido o contrato em execução com a contratada inadimplente no


SICAF, salvo por motivo de economicidade, segurança nacional ou outro de interesse público
de alta relevância, devidamente justificado, em qualquer caso, pela máxima autoridade da
contratante.

13.14 Quando do pagamento, será efetuada a retenção tributária prevista na legislação


aplicável, em especial a prevista no artigo 31 da Lei 8.212, de 1993, nos termos do item 6 do
Anexo XI da IN SEGES/MP n. 5/2017, quando couber.

13.15 É vedado o pagamento, a qualquer título, por serviços prestados, à empresa privada
que tenha em seu quadro societário servidor público da ativa do órgão contratante, com
fundamento na Lei de Diretrizes Orçamentárias vigente.

13.16 Nos casos de eventuais atrasos de pagamento, desde que a Contratada não tenha
concorrido, de alguma forma, para tanto, fica convencionado que a taxa de compensação
87

financeira devida pela Contratante, entre a data do vencimento e o efetivo adimplemento da


parcela é calculada mediante a aplicação da seguinte fórmula:

EM = I x N x VP, sendo:

EM = Encargos moratórios;

N = Número de dias entre a data prevista para o pagamento e a do efetivo


pagamento;

VP = Valor da parcela a ser paga.

I = Índice de compensação financeira = 0,00016438, assim apurado:

( 6 / 100 ) I = 0,00016438
I
I = (TX) TX = Percentual da taxa anual = 6%
=

14 DAS INFRAÇÕES E SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

14.1 Comete infração administrativa nos termos da Lei nº 10.520, de 2002, a Contratada
que:
14.1.1 inexecutar total ou parcialmente qualquer das obrigações assumidas em decorrência da
contratação;
14.1.2 ensejar o retardamento da execução do objeto;
14.1.3 falhar ou fraudar na execução do contrato;
14.1.4 comportar-se de modo inidôneo;
14.1.5 cometer fraude fiscal;
14.2 Pela inexecução total ou parcial do objeto deste contrato, a Administração pode aplicar
à CONTRATADA as seguintes sanções:
14.2.1 Advertência, por faltas leves, assim entendidas aquelas que não acarretem prejuízos
significativos para a Contratante;
14.2.2 multa moratória de 1,5% (um e meio por cento) por dia de atraso injustificado sobre o
valor da parcela inadimplida, até o limite de 30 (trinta) dias;
14.2.3 multa compensatória de 10% (dez por cento) sobre o valor total do contrato, no caso
de inexecução total do objeto;
88

14.2.4 em caso de inexecução parcial, a multa compensatória, no mesmo percentual do


subitem acima, será aplicada de forma proporcional à obrigação inadimplida;
14.2.5 suspensão de licitar e impedimento de contratar com o órgão, entidade ou unidade
administrativa pela qual a Administração Pública opera e atua concretamente, pelo prazo de
até dois anos;
14.2.6 impedimento de licitar e contratar com órgãos e entidades da União com o
consequente descredenciamento no SICAF pelo prazo de até cinco anos;
14.2.6.1 A Sanção de impedimento de licitar e contratar prevista neste subitem também
é aplicável em quaisquer das hipóteses previstas como infração administrativa no subitem
13.1 deste Termo de Referência.
14.2.7 declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública,
enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a
reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, que será concedida sempre
que a Contratada ressarcir a Contratante pelos prejuízos causados;
14.3 As sanções previstas nos subitens 14.2.1, 14.2.5, 14.2.6 e 14.2.7 poderão ser aplicadas
à CONTRATADA juntamente com as de multa, descontando-a dos pagamentos a serem
efetuados.
14.4 Também ficam sujeitas às penalidades do art. 87, III e IV da Lei nº 8.666, de 1993, as
empresas ou profissionais que:
14.5 tenham sofrido condenação definitiva por praticar, por meio dolosos, fraude fiscal no
recolhimento de quaisquer tributos;
14.6 tenham praticado atos ilícitos visando a frustrar os objetivos da licitação;
14.7 demonstrem não possuir idoneidade para contratar com a Administração em virtude de
atos ilícitos praticados.
14.8 A aplicação de qualquer das penalidades previstas realizar-se-á em processo
administrativo que assegurará o contraditório e a ampla defesa à Contratada, observando-se o
procedimento previsto na Lei nº 8.666, de 1993, e subsidiariamente a Lei nº 9.784, de 1999.
14.9 As multas devidas e/ou prejuízos causados à Contratante serão deduzidos dos valores a
serem pagos, ou recolhidos em favor da União, ou deduzidos da garantia, ou ainda, quando
for o caso, serão inscritos na Dívida Ativa da União e cobrados judicialmente.
14.10 Caso a Contratante determine, a multa deverá ser recolhida no prazo máximo de 10
(dez) dias, a contar da data do recebimento da comunicação enviada pela autoridade
competente.
89

14.11 Caso o valor da multa não seja suficiente para cobrir os prejuízos causados pela
conduta do licitante, a União ou Entidade poderá cobrar o valor remanescente judicialmente,
conforme artigo 419 do Código Civil.
14.12 A autoridade competente, na aplicação das sanções, levará em consideração a
gravidade da conduta do infrator, o caráter educativo da pena, bem como o dano causado à
Administração, observado o princípio da proporcionalidade.
14.13 Se, durante o processo de aplicação de penalidade, se houver indícios de prática de
infração administrativa tipificada pela Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013, como ato lesivo
à administração pública nacional ou estrangeira, cópias do processo administrativo
necessárias à apuração da responsabilidade da empresa deverão ser remetidas à autoridade
competente, com despacho fundamentado, para ciência e decisão sobre a eventual instauração
de investigação preliminar ou Processo Administrativo de Responsabilização - PAR.
14.14 A apuração e o julgamento das demais infrações administrativas não consideradas
como ato lesivo à Administração Pública nacional ou estrangeira nos termos da Lei nº 12.846,
de 1º de agosto de 2013, seguirão seu rito normal na unidade administrativa.
14.15 O processamento do PAR não interfere no seguimento regular dos processos
administrativos específicos para apuração da ocorrência de danos e prejuízos à Administração
Pública Federal resultantes de ato lesivo cometido por pessoa jurídica, com ou sem a
participação de agente público.
14.16 As penalidades serão obrigatoriamente registradas no SICAF.

15 DO INSTRUMENTO DE CONTRAÇÃO

15.1 O instrumento que irá formalizar a contratação são as Cláusulas Necessárias, ou,
instrumento de contrato, conforme o caso.

16 DO FORO

16.1   O foro para dirimir os possíveis litígios que decorrerem da execução deste
instrumento será o da Justiça Federal, Seção Judiciária de Palmas/TO.

Palmas/TO, 14 de novembro de 20--

Solicitante
Unidade Solicitante
90

Aprovo o presente Termo de Referência.


Autoridade Competente
Unidade Gestora

APÊNDICE XIV

MODELO - TERMO DE REFERÊNCIA ADESÃO TARDIA “CARONA”

TERMO DE REFERÊNCIA

1. OBJETO

1.1. Aquisição, por Adesão à Ata de Registro de Preços, execução mediante o regime de
preço unitário, para atender às necessidades da Universidade Federal do Tocantins (UFT),
conforme descrição e quantitativo estabelecidos abaixo:

Nº item no
Valor Valor
Item Descrição Catmat PGC/PAC Qtde
aprovado Unitário Total

01 R$ uni R$

2. DESCRIÇÃO DOS BENS

2.1. Aquisição de ......................................................... (especificar de forma detalhada).

2.2. Demais especificações técnicas constam no Edital e/ou Termo de Referência do


pregão do qual resultou a Ata de Registro de Preço, bem como proposta comercial do
fornecedor. (integram o processo)

2.3. Os bens deverão ser entregues em suas embalagens originais acompanhados, quando
for o caso, de componentes acessórios como baterias, cabos, refis, periféricos ou outros.

2.4. Manuais e/ou documentação técnica deverão ser entregues, em base física ou digital,
em idioma português, quando disponibilizado pelo fabricante.

3. JUSTIFICATIVA
91

3.1. A aquisição do (.........................mencionar o objeto) atenderá as necessidades


da ..................................., em ações nos câmpus de Palmas e de Porto Nacional.

3.2. Os equipamentos visam atender


(.....................................................................................................................................................
...................................................................especificar a necessidade).

3.3. A aquisição do(s) produtos/materiais/equipamentos objeto deste Termo se referencia


no Plano de Desenvolvimento Institucional da UFT (UFT 2016-2020) no
(...............................................................................................mencionar o anexo, quadro e
eixo).

3.4. Nota-se que o PDTI 201? e a aquisição estão alinhados com Planejamento
Institucional da UFT, conforme orienta o Tribunal de Contas da União (Acórdãos n.
525/2008–TCU–2° Câmara e n. 2.094/2004–TCU–Plenário).

4. JUSTIFICATIVA PARA A MODALIDADE ESCOLHIDA

4.1. A modalidade escolhida para a aquisição é a adesão à Ata de Registro de Preços por
possibilitar a aquisição de bem fruto de processo licitatório já homologado por ente da
Administração Pública Federal, portanto já passado pelo crivo concorrencial e jurídico
pertinentes à compra pública.

4.2. Compatibilidade dos valores da aquisição com aqueles correntes no mercado


fornecedor, conforme demonstrado em pesquisa no Painel de Preços mantido pelo Ministério
da Economia. (integra o processo)

4.3. Considera-se, adicionalmente, a vantagem da celeridade e economia processual


proporcionadas.

4.4. Mencionar demais vantagens e justificativa pela adesão à ATA SRP


(................................................................................).

5. DA ADESÃO

Órgão gerenciador: .......................................................


UASG: .....................
Pregão eletrônico: .....................
Data de homologação: ........................
92

Vigência da ATA: ../../....


Item da Ata: .......
Descrição: ..................................
Descrição detalhada: ...................
Descrição técnica na UFT/SIE: .....................
Preço: R$.......,.. (............................)

6. DA CLASSIFICAÇÃO DOS BENS

6.1. Os bens a serem adquiridos enquadram-se na classificação de bens comuns, nos


termos da Lei n° 10.520, de 2002, do Decreto n° 3.555, de 2000, e do Decreto 10.024, de
2019.

7. DA GARANTIA DO PRODUTO

7.1. A garantia do produto será aquela definida no Edital e/ou Termo de Referência do
pregão do qual original a Ata de Registro de Preços.

8. ENTREGA DOS BENS E SEU RECEBIMENTO

8.1. A entrega deverá ser feita no seguinte endereço: Universidade Federal do


Tocantins, .....................................................................................................................................
........................................................ mencionar a unidade para entrega).

8.2. As demais condições seguem o estabelecido no Edital e/ou Termo de Referência do


qual originou a Ata de Registro de Preços.

9. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE

9.1. Exigir o cumprimento de todas as obrigações assumidas pela CONTRATADA, de


acordo com o Edital e/ou Termo de Referência do qual originou a Ata de Registro de Preços e
proposta comercial.

10. OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

10.1. As obrigações da contratada são aquelas definidas no Edital e/ou Termo de Referência
do qual originou a Ata de Registro de Preços.
93

11. DA SUBCONTRATAÇÃO

11.1. Não será admitida a subcontratação do objeto.

12. ALTERAÇÃO SUBJETIVA

12.1. É admissível a fusão, cisão ou incorporação da contratada com/em outra pessoa


jurídica, desde que sejam observados pela nova pessoa jurídica todos os requisitos de
habilitação exigidos na licitação original; sejam mantidas as demais cláusulas e condições do
contrato; não haja prejuízo à execução do objeto pactuado e haja a anuência expressa da
Administração à continuidade do contrato.

13. FISCALIZAÇÃO DA EXECUÇÃO

13.1. A fiscalização contratual será responsabilidade servidores oportunamente indicados


pela Diretoria de Tecnologia da Informação da UFT ou pela Prefeitura Universitária.

13.2. A verificação da adequação dos bens deverá ser realizada com base nos critérios
previstos no Edital e/ou Termo de Referência do pregão do qual se originou a Ata de Registro
de Preços.

13.3. A fiscalização de que trata este item não exclui nem reduz a responsabilidade da
CONTRATADA, inclusive perante terceiros, por qualquer irregularidade, ainda que
resultante de imperfeições técnicas ou vícios redibitórios e, na ocorrência desta, não implica
corresponsabilidade da Administração ou de seus agentes e prepostos, conforme art. 70 da Lei
8.666, de 1993.

14. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

14.1. As sanções administrativas aplicáveis à aquisição são aquelas previstas no Edital e/ou
Termo de Referência do qual se originou a Ata de Registro de Preços, observado o art. 22,
§7º, do Decreto Federal nº 7.892/2013.

15. DA RESCISÃO
94

15.1. A contratação poderá ser rescindida nas hipóteses previstas no art. 78 da Lei nº 8.666,
de 1993, com as consequências indicadas no art. 80 da mesma Lei, sem prejuízo das sanções
aplicáveis.

15.2. É inadmissível a fusão, cisão ou incorporação da CONTRATADA com/em outra


pessoa jurídica, desde que sejam observados pela nova pessoa jurídica todos os requisitos de
habilitação exigidos na licitação original; sejam mantidas as demais cláusulas e condições do
contrato; não haja prejuízo à execução do objeto pactuado e haja a anuência expressa da
Administração à continuidade do contrato.

15.3. Os casos de rescisão contratual serão formalmente motivados, assegurando-se à


CONTRATADA o direito à prévia e ampla defesa.

15.4. A CONTRATADA reconhece os direitos da CONTRATANTE em caso de rescisão


administrativa prevista no art. 77 da Lei nº 8.666, de 1993.

15.5. O termo de rescisão será precedido de Relatório indicativo dos seguintes aspectos,
conforme o caso:

15.5.1. Balanço dos eventos contratuais já cumpridos ou parcialmente cumpridos;


15.5.2. Relação dos pagamentos já efetuados e ainda devidos;
15.5.3. Indenizações e multas.

16. DA PREVISÃO DE DESPESA

16.1. Os recursos para custear a despesa inicial, descrita neste Termo de Referência,
ocorrerão à conta do Tesouro Nacional pela seguinte programação:

Fonte: 0112;
16.1.1. Programa de trabalho (PTRES): ...........

16.1.2. Natureza da despesa: -.-.--.--.--.

--------, -- de ------ de 2020

Solicitante
Unidade Gestora
95

Aprovo o presente Termo de Referência.

Autoridade Competente
Unidade Gestora

CONTATOS

Equipe da Coordenação de Recursos Materias - CRM está à disposição para esclarecimentos,


através dos telefones (63) 3229-4112; 3229-4057; 3229-4163; ou através do e-mail:
compras@uft.edu.br.

Você também pode gostar