Você está na página 1de 48

A

ARTE
DA
Liderança

2ª edição

Reino
editorial
A
ARTE
Liderança
DA

Robson Rodovalho
A Arte da Liderança
Copyright © 2005 by Robson Rodovalho

Publicado por Reino Editorial, sob licença de Sara Brasil Edições

Editor: Cássio E. M. Barbosa


Produção editorial: Gisela Carnicelli
Capa: Gregor Osipoff
Diagramação: CD.G

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Rodovalho Robson
A Arte da liderança / Robson Rodovalho
São Paulo: Reino Editorial, 2007. 2ª edição.

ISBN 978-85-87646-50-7

1. Liderança – 303
2. Administração: capacitação – 658.4
3. Sucesso: aspectos psicológicos – 158.1

Reino
editorial

Produzido por Editora Maná Ltda. uma empresa do Grupo Reino


www.gruporeino.com.br
comercial@gruporeino.com.br

Rua Jardim Ivone, 11 – CEP 04105-020 – São Paulo – SP – Brasil


Telefone (11) 5575-8870

Printed in Brazil
Índice

Capítulo 1
Sucesso, felicidade, propósito e domínio ... 9

Capítulo 2
A formação de um líder ............................ 19

Capítulo 3
Sabedoria, conhecimento e habilidade ..... 33

Capítulo 4
Liderança de sucesso ................................ 39
Capítulo 1

SUCESSO, FELICIDADE,
PROPÓSITO E DOMÍNIO
SUCESSO, FELICIDADE, PROPÓSITO E
DOMÍNIO

SUCESSO
Como você define sucesso? O que é sucesso para você?

Sucesso é mais do que tirar seu diploma universitário, em-


bora seja um passo para ele. Sucesso é mais do que ter uma grande
e próspera empresa. Sucesso é mais do que ter uma linda casa de
praia ou de campo, que você tanto sonha.

Sucesso – Propósito

Sucesso é cumprir o propósito para o qual nós nascemos,


para o qual fomos desenhados. É cumprir a missão para a qual

9
somos criados. Sucesso é quando a pessoa atinge a plenitude de
vida. É o caso de Beethoven que, mesmo surdo, foi um dos maio-
res compositores da história.

Sucesso é quando encontramos a missão para a qual a vida


nos criou. É quando chegamos ao propósito de nossa missão neste
mundo.

Sucesso é descobrir seu propósito de vida.

FELICIDADE
E felicidade, o que é felicidade?
Qual sua definição para “felicidade”?

Felicidade é a grande vertigem da nossa civilização. O ho-


mem ocidental dá a vida, o dinheiro e o tempo para ser feliz.

Felicidade é o projeto de vida de toda uma geração. É a bus-


ca dela que motiva a luta e o trabalho de cada pessoa hoje.

O marketing empresarial explora a felicidade para vender


produtos, associando-os à sua imagem. O homem de hoje busca a
felicidade e está disposto a pagar, e pagar caro, para obtê-la.

Sucesso – Felicidade – Propósito

Sabe qual o maior problema da nossa geração? É que as


pessoas buscam o sucesso e a felicidade. E quem busca o sucesso
e a felicidade nunca os encontra. Por que ? Porque o sucesso
e a felicidade vêm atrás do propósito. Quando focamos nossas
vidas no propósito e o alcançamos, encontramos o sucesso e
consequentemente a felicidade. Você já viu uma pessoa vazia sendo
feliz? Ela pode ter tudo, mas vai ser infeliz porque a felicidade se
tornou o objetivo final. A felicidade não deve ser o objetivo final
da existência humana, mas sim o meio. O objetivo da existência

10
humana é cumprir a sua missão de vida. Fomos criados para ter
uma missão e aí vamos ter sucesso, e conseqüentemente chegar à
felicidade.

Felicidade segue o sucesso, que segue o propósito, que


segue a missão de vida. Primeiro vem o propósito, depois vem
o sucesso e com ele a felicidade e, finalmente, os recursos. Não
devemos nos preocupar se o nosso rendimento será grande,
pois quanto mais perto do propósito estivermos, o sucesso e a
felicidade estarão conosco e conseqüentemente o nosso rendi-
mento será maior.

Felicidade é o prazer do sucesso.

Um homem feliz é aquele que acorda com uma missão,


sabendo para que nasceu. Para uma pessoa dessas não existe
“trabalho”, mas realização. Para quem vive assim, o trabalho não
estressa, é uma bênção, uma terapia.

Sucesso - Propósito - Domínio

Sucesso é cumprir seu propósito de vida. E o propósito é


ter domínio. Dominar sobre a raiva, vícios, compulsões, sobre
as coisas que querem nos dominar. Como dominaremos as coi-
sas externas quando ainda não nos dominamos interiormente?
Hoje as plantas dominam os homens, por exemplo a maconha,
o cigarro e o álcool. O ser que foi criado para dominar, passa
a ser dominado pelos impulsos interiores e pelas criações ex-
teriores.

Deus nos criou para dominar e por isso não aceitamos ser-
mos subjugados. As dívidas são perdas do domínio. Dívida fi-
nanceira é quando a pessoa perde o controle dos gastos. Então a
pessoa não dorme e adoece, porque deixou de dominar para ser
dominada.

Nos séculos anteriores, domínio era subjugar pessoas pela

11
força, pelo totalitarismo. Hoje, domínio chama-se liderança, ou
seja, o homem que domina é aquele que lidera. Pois é o domínio
da inteligência e da sabedoria. É encontrar respostas onde os ou-
tros não encontraram.

Liderar é encontrar respostas onde os outros têm pergun-


tas!!!

Por que votamos no atual presidente? Porque acreditamos


que ele tinha respostas a questões onde os outros tinham pergun-
tas. Nós não vivemos sem liderança, pois nascemos para liderar
e para sermos liderados. Domínio hoje se chama “liderança”, e
liderança é influência. Temos que influenciar o lugar onde esta-
mos vivendo, no trabalho, na escola, nas associações de classe.
Nascemos para liderar, e isto é o poder de influência que convive
conosco.

Sucesso - Propósito - Domínio - Liderança

A pior posição é a omissão. O pior voto é o silêncio, porque


é o voto da cumplicidade. Muitas vezes nos calamos, não queren-
do nos comprometer, e isso são votos de silêncio e de omissão.

Sucesso - Propósito - Domínio - Liderança - Influência

O PREÇO DA LIBERDADE
Um dos grandes argumentos que tem sido usado em nossa
geração, para se renunciar à liderança, é a perda da liberdade.

Para ser líder, terei que perder minha liberdade?

Será que estou disposto a pagar o preço para exercer a lide-


rança? Gostaria de avaliar o que é liberdade antes de aprofundar-
mos no assunto liderança.

12
Liberdade e Limite

O que é Liberdade?

O melhor conceito de liberdade é “sem limites”. Ser livre é


não ter nenhuma restrição. Qualquer tipo de restrição que possa
haver é um tipo de cerceamento da liberdade. Quando a sociedade
prende alguém, ela simplesmente cerceia seu limite, ou seja, ela
restringe seu espaço; ela limita e condiciona seus horários, suas
atividades e seu destino por tantos anos quanto forem as penas.
Aliás, a condenação é pagar o crime com a perda da liberdade.

O maior patrimônio de um ser humano ainda é sua liberdade


e cerceá-lo é em si uma grande pena.

Existe Liberdade sem Limite?

Se restrição não significasse prisão, ela não seria usada


como pena.

Por outro lado é impossível viver uma liberdade ilimitada.


A própria natureza tratou de limitar o homem ao dá-lo 24 horas ao
dia, 7 dias por semana, 12 meses ao ano, e um limite para seus dias
neste mundo. Portanto, quando dizemos liberdade sem limites, já
pressupomos os limites naturais da existência humana.

Ser livre é não ter nenhuma restrição? A resposta é não.


Podemos ser totalmente livres, sem que essas limitações nos res-
trinjam. Mas, como isto é possível? Existe uma forma em que
limites não se tomem restrição? Sim, existe, quando estes limites
são postos por nós mesmos, e não pelos outros. Quando o próprio
homem se impõe a tais restrições, então elas se tornam proteção
e não cerceamento. Percebemos intuitivamente que ultrapassar
aquele limite nos levará a uma invasão dentro do território do pró-
ximo. E isto se tomaria em delito, trazendo consigo uma possível
reação com conseqüências.

13
Para se proteger destes possíveis danos, o próprio indiví
duo se limita e se restringe, sem perder contudo sua liberdade.
Na verdade ele troca sua liberdade futura por aqueles limites. E
assim ele se convence que a liberdade de amanhã vale o preço
do limite de hoje. A este processo chamamos “maturidade”, que
é quando a própria pessoa descobriu o conceito de liberdade
como o caminho do limite, sem se sentir cerceada. Descobrimos
que os limites do indivíduo geram a liberdade coletiva. Quando
restringimos o indivíduo todo mundo ganha, inclusive ele.

O Bem e o Mal

O mal é o bem sem limites

Percebemos, portanto, que o “mal” é o “bem sem limites”.


Quando o indivíduo na busca de sua liberdade não respeita li-
mites semeia-se o mal para outro, invadindo seu espaço. Quem
rouba, não “faz o mal”, pelo contrário, faz o “bem a si mesmo”.
Na busca de conseguir dinheiro fácil, ela não se impõe ganhá-lo
pelo trabalho, e invade o outro, roubando-o. Portanto, o bem para
ele é o mal do outro e conseqüentemente da sociedade. Da mesma
forma o estupro, o calote de dívidas. Portanto, chegamos a uma
regra máxima do universo: o “mal é o bem sem limites”.

A linha de separação entre o bem e o mal é apenas o limi-


te. Sexo, com a pessoa estuprada, não seria uma transgressão se
fosse voluntariamente com amor e compromisso. Mas, uma vez
que não respeitam sua vontade e a invadem, torna-se um deli-
to plausível de ser punido. Da mesma forma o dinheiro roubado,
se fosse doado ou ganhado em alguma transação lícita, não seria
considerado roubo. Mas a quebra daquele limite fez dele um deli-
to, com conseqüências sérias. Em todo o universo, o mal é apenas
“egocentrismo sem limite”.

14
Quando a satisfação a mim mesmo a qualquer preço é im-
petrada, então o mal aparece. E a busca desta linha tão fina é que
faz de nossa existência um desafio. Fazer a si mesmo todo o bem
que você busca e anseia, sem invadir o outro, é alcançar a matu-
ridade pessoal.

O mal existe?

Muitos filósofos disseram que o mal não existe, que ele é


relativo. É apenas questão de óptica, ou referencial. Mas o mal
existe sim. E o pior, ele existe em limites tão tênues. Quando
nunca esperamos, ele aparece manifestando-se pela violação de
espaços, pessoas ou da sociedade como um todo.

As chamadas doenças malignas são geradas por células que


se aglutinam e se organizam, querendo crescer de forma desorde-
nada do sistema. Elas não respeitam mais o comando central e,
na busca do seu crescimento, e de fazer o bem a si mesmas, elas
se “descolam” da organização do sistema como um todo, gerando
assim a enfermidade. Parece que a origem do mal no universo
veio pela busca que um anjo teve de fazer o bem a si mesmo, e
não respeitou os limites estabelecidos por seu próprio Criador,
querendo ultrapassá-lo. A semente do mal, portanto, foi a busca
do seu próprio bem sem respeitar os limites. Foi assim que o mal
foi gerado, e é assim que ele se propaga até hoje no universo. É
uma questão de “liberdade”. Esta é a fonte do mal, e é por isto que
ele se torna tão difícil de ser combatido. Ele pode ter a contraface
da moeda. De um lado é o bem, do outro lado é o mal. Somente
quando temos a possibilidade de ver o “outro lado”, de entender
a dor do outro, é que poderemos nos precaver agindo em busca
do nosso bem sem sermos portadores e disseminadores do mal.
O universo é assim. Temos que buscar a liberdade, porém com
limites impostos por nós mesmos para entendermos que nela está
a felicidade. É neste sentido que Jesus Cristo ensinou aos homens
a “amar aos outros como a si próprio”.

15
Liberdade, o fundamento da efetividade.

Quem não é livre nunca se tornará produtivo. No máximo


chega-se a ser eficiente. Escuridão interior é trevas, e isso mina
toda energia de um homem. A primeira conquista de um homem
é a sua liberdade interior, pois sem ela nunca se construirá nada,
nem visão, nem propósito e muito menos seu destino. Persiga sua
liberdade interior, conquiste-a e depois organize sua vida para
construir seu destino.

Vida é time, é tempo. Se você perder o time, você está per-


dendo sua vida. Propósito é a conquista no time. Se temos a con-
quista, fora do time perdemos o propósito.

Quando você chega fora do tempo certo, você apenas che-


gou, você não venceu. O vencedor é aquele que chega no tempo
pré-estabelecido. Perder o time é perder a vida. Somente Deus
vive na eternidade. O homem não possui este privilégio. Por en-
quanto nós temos um limite para realizar todo o propósito nesta
vida. Há um limite na ampulheta. Temos que aprender a viver e a
meditar dentro dele.

16
Capítulo 2

A FORMAÇÃO DE UM LÍDER
A FORMAÇÃO DE UM LÍDER

O verdadeiro líder não anda com a cabeça baixa, pois tem


uma capacidade especial de projetar. Precisamos aprender a fazer
um exercício frio e honesto de repensar nossas vidas para que
tenhamos a chance de contribuir para a formação de nossa socie-
dade.

Um líder deve saber que uma hora a areia da ampulheta vai


acabar. E o que você vai deixar aqui quando a areia da ampulheta
acabar? Qual será seu legado?

Deus perdeu a vida para podermos viver nosso destino no


tempo. É a manifestação visível de um propósito invisível.

Qual é o seu projeto de vida? O que você quer deixar neste


mundo? Você vai construir a sua vida sobre qual projeto? Qual é a
melhor maneira de você viver a sua vida? Talvez você pense: “Eu
só quero ser feliz”. A felicidade faz parte do pacote, mas é só isso

19
que importa para você? Você consegue ser uma ilha onde existe
felicidade enquanto o resto do mundo está se dissolvendo?

CARACTERÍSTICAS DA LIDERANÇA EFICIENTE


Ser líder é um desafio para nós. Ninguém nasce líder. Apren-
de-se, aperfeiçoa-se na liderança. É uma busca constante. Por isso
vamos analisar quatro características de um líder eficiente.

1) Um líder eficaz é um líder que tem poder de


motivação.

A dificuldade em acreditar em nós mesmos é um ponto que


nos leva a desistirmos da liderança. É uma luta travada entre a
missão de vida e o conceito errado que temos de nós. A função do
líder aqui é incentivar, é fazer com que a pessoa passe a acreditar
que seguindo orientações, traçando metas, ela tem uma grande
possibilidade de vencer.

Conheço muitos que não são motivadores, mas são bons ad-
ministradores. Todavia, se o seu discípulo estiver motivado, será
mais facilmente direcionado. Mas, se estiver desanimado, será
muito mais difícil conduzi-lo.

Eis algumas características que considero essenciais para


que um líder tenha o poder de motivação:

- Um líder motivador precisa ter argumentos. Para isso ele


tem que conhecer a estratégia. Por isso é importante você ter tido
suas experiências próprias. Você conseguirá levá-los a uma dire-
ção.

- Um líder motivador tem que saber ouvir e ter olho clínico.


Olho clínico é a capacidade de diagnosticar os problemas. Um
líder precisa saber escutar. Sem escutar, ele não conseguirá enxer-
gar qual é o problema da pessoa e ficará impedido de motivá-lo.

20
– Para ser um líder motivador, você tem que ter argumentos
e saber ouvir e detectar o problema. Mas saiba que nem sempre
você vai ter isso no momento que mais precisar.

Às vezes você é pego de surpresa. O seu melhor funcionário


quer desistir de tudo. E, como lhe faltam argumentos, você acaba
aceitando. Por isso, nunca responda imediatamente, mas busque
uma palavra especial. É necessário, como líder, você incentivar a
sua equipe a lutar. É importante você mostrar a esse funcionário
que ele não está só e que você está ao seu lado lutando, pois a sua
vitória será importante.

Alguns princípios da motivação:

• Você só motivará os outros se você mesmo estiver moti-


vado. Você não recebe o que deseja ou pede. Você recebe
o que você dá. “Motivação chama motivação”.
• A motivação depende de uma atitude positiva em relação
à vida.
• A chave da motivação é saber dar ânimo às pessoas.
• Preocupe-se mais em fazer as outras pessoas se senti-
rem bem em relação a elas mesmas do que em relação a
você.
John Maxwell relata em um dos seus livros sobre a capaci-
dade descrita acima:

Tarefa: “A primeira impressão é a que fica”.

Portanto, o contato é tudo, pois é aqui que se forma o vín-


culo.

A pessoa aceita primeiro o líder, depois seus planos. O lí-


der acha o sonho e depois as pessoas. As pessoas acham o líder e
depois o sonho.

As pessoas de início não seguem causas dignas. Seguem

21
líderes dignos que promovam causas dignas. Como líder você
precisa tocar o coração das pessoas antes de pedir ajuda. Foque
primeiro o coração, depois a cabeça das pessoas.

2) Um líder eficaz é um líder que tem poder de


correção.

Muitos pensam que todos os líderes têm esse poder, mas não
é verdade. Às vezes, o discípulo não deu para ele a permissão de
corrigir. Isso precisa ser conquistado. É resultado de investimento,
de trabalho e de confiança pessoal. É necessário desenvolver um
verdadeiro relacionamento.

É resultado da autoridade que você conquistou pelo seu su-


cesso; pelos resultados de seus números.

Corrigir é trazer de volta ao prumo. Consertar os desvios. É


a capacidade de trazer de volta para a trajetória proposta.

Correção é: dar forma correta, endireitar, suprimir o erro, reparar.

Você sabe qual a maior vantagem que uma rã tem em rela-


ção ao ser humano? Elas podem comer tudo que lhes aborrece.
Não seria ótimo se pudéssemos consumir os nossos problemas em
lugar de deixar que eles nos consumam?

Para você refletir:

* O que o aborrece mais nas pessoas? É a inconstância? Inflexi-


bilidade? Dificuldade em dar e receber? Língua grande? Atitudes
negativas?

* Como você enfrenta dificuldades nos relacionamentos? Você re-


solve ou você se afasta ressentido? Lembre-se que é impossível
que todos gostem de você. Em algum momento ou alguma situa-

22
ção é normal e saudável que alguém não goste e até discorde de
seus pensamentos.

Vamos lembrar da regra de ouro:

Regras + Regulamentos (conjunto de regras) +


Relacionamento = Maturidade.

Regras + Regulamentos - Relacionamentos = Rebeldia.

Para que essa regra funcione você terá que estabelecer prin-
cípios e, quando esses princípios forem quebrados, você deverá
intervir. Chame a pessoa e mostre onde ela quebrou o princípio,
ou o contrato pré-estabelecido.

Por que corrigir é tão importante (segundo John Maxwell):

a) As atitudes têm o poder de levantar a sua equipe ou der-


rubá-la.

b) As atitudes contagiam os demais. Infelizmente talento, ca-


risma, disposição não são tão contagiosos, mas a atitude é.

c) As más atitudes têm o poder de contaminação.

d) A ausência de correção poderá gerar desânimo nos outros


discípulos que cumprem as regras, que são fiéis.

A chave para uma ação efetiva, que vai redirecionar a vida


de seus discípulos está em corrigir o problema, e não em atacar a
pessoa.

Infelizmente nos seus relacionamentos com seus discípulos


é inevitável que, em algum momento, um confronto aconteça. É
um momento de crise e são as crises que nos levam ao crescimento.
Se você conduzir adequadamente um confronto ele poderá, na
verdade, fortalecer a relação.

23
3) Um líder eficaz é um líder que tem poder de
supervisão.

O que significa isso? Relatórios. Como líderes precisamos es-


tabelecer nossos relatórios, as nossas metas para serem cumpridas
a curto ou longo prazo. Precisamos ter em mãos um “espelho” da
nossa liderança. Uma liderança eficiente tem o poder de supervisão.
Checar as metas com o tempo. Como está o seu cronograma? Para
você não falhar deve estar supervisionando constantemente. Essa
supervisão traz credibilidade àqueles que estão sob a sua liderança.

“Líder é aquele que sobe na árvore mais alta, investiga lá de


cima a situação e grita: floresta errada!” (Stephen Covey).

l. Em primeiro lugar conheça as fraquezas e as forças dos


seus discípulos. Se possível enumere-as.
2. Conheça os tipos de líderes que você tem em sua equipe:

Nível 1: O líder compromissado - é dedicado à visão, concentrado


no cumprimento de suas metas. Tem atitude: “aconteça o que
acontecer, não desistirei”.

Nível 2: O líder realizador tem automotivação e é produtivo, mas


ainda tem o coração dividido.

Nível 3: O futuro líder – tem paixão e entusiasmo. Chega cedo e


sai tarde. Ainda não mostrou ser um líder pronto.

Nível 4: Membro de equipe – discípulo em formação, tem poten-


cial, mas só trabalha se levar um empurrão.

Nível 5: Seguidor ocasional – só anda atrás de situações esporádi-


cas. É um provável desertor.

Nível 6: Seguidor perigoso – trabalha, mas dificulta a vida da


equipe. É um franco-atirador, vai atirar nos membros da equipe
assim que tiver uma chance.

24
Desenvolvendo sua visão clínica

O que faz diferença para alcançar metas é o olhar clínico.

A grande diferença entre um líder medíocre e um líder ex-


cepcional é o olho clínico. O líder excepcional não vê apenas os
resultados, mas faz um diagnóstico deles.

Nós vivemos num mundo de competição que se encarrega


de selecionar os melhores. Seremos os melhores, só que, para
isso, precisamos ter olho clínico. Ele te capacita. Não é sufi
ciente simplesmente ver que o alvo não foi alcançado, mas
detectar as razões. Faça as perguntas para você mesmo, de-
pois para seus liderados e, a seguir, discuta com o seu gestor.
Quando conseguir encontrar as causas, encontrará a chave do
sucesso.

No Brasil, isso tem que ser formado no nosso DNA. As


pessoas aqui trabalham enquanto sentem que têm conforto. No
momento em que elas sentem que perdem algo, se desmotivam.
Nós vamos ter que criar isso para as próximas gerações.

Um dos nossos problemas como líderes é que deixamos as


coisas seguirem os seus cursos de qualquer forma. Não fazemos
diagnósticos objetivos. E o que faz seus discípulos crescerem é
quando você diagnostica o que está faltando neles para que pos-
sam se aperfeiçoar. Quando ele reconhece que precisa crescer é
uma expressão externa de uma demanda interior. E quando existe
essa demanda, o liderado está pronto para ser ajudado.

Normalmente nós diagnosticamos o resultado do fracasso,


mas não sabemos onde está o problema.

Como criar uma cultura de vitória

Criar uma cultura é criar uma onda. Toda cultura de êxito é


uma onda. O líder tem que perceber se está ou não criando uma

25
onda. O ser humano vive sempre dentro de atmosferas ou am-
bientes, e tudo o que nós somos é produto dessa atmosfera. Se
você está dentro de uma atmosfera derrotista, ou dentro de uma
atmosfera em que as coisas não acontecem, ou de uma atmosfera
violenta, você se toma parte dela. A questão é: ou você muda seu
ambiente ou ele muda você.

Sendo assim, para você criar uma cultura de êxito, tem que
criar uma onda de êxito.

De que é feita essa onda? A onda é feita da vitória do líder.


O líder precisa possuir nele mesmo a semente de vitória.

É como o “gene” da vitória, expresso em seu DNA. Após ele


entrar no líder ele passa para os outros.

4) Um líder eficaz tem que ter poder de


arregimentação.

Poder de arregimentação é uma autoridade conquistada.


Você já deve ter descoberto que nós não temos como impor
a nossa autoridade na vida. Liderança não é imposição, mas
uma autoridade conquistada no amor e no próprio espaço que a
pessoa dá. Se você não ganhar este espaço não tem como exercer
autoridade. Você pode brigar, mas não vai adiantar nada. Vai bater
no vazio porque a pessoa não deu esse espaço a você.

Existe um teste para medir o seu poder de arregimentação:

• Você precisa ter por escrito os nomes de cada um de seus


liderados. Inclua todos que estão debaixo da sua lideran-
ça.

• A segunda parte do teste é a seguinte: em uma convo-


cação de líderes, verifique quantos desses líderes esta-
rão presentes. Calcule a porcentagem. Esse resultado vai

26
mostrar a sua eficiência na arregimentação. Se você tiver
cem liderados e conseguir levar vinte, então sua liderança
estará sendo vinte por cento eficiente. Esse teste simples
mostra o potencial da sua liderança.
Todos nós estamos aprendendo a arregimentar. Arregimen-
tar é quando você liga e diz “eu preciso de todos na reunião” e o
pessoal se apresenta voluntariamente. “Estou aqui meu líder, você
precisa de mim?” Se o seu poder de arregimentação está fraco,
veja onde está a falha. Talvez você não esteja comunicando bem
o convite e eles não estejam entendendo o quão importante é para
você (e para eles!) a sua presença naquela reunião. Mas, se isso
estiver acontecendo, não entre em pânico, não é o fim do mundo.
Saiba que você está crescendo e, como todos nós, aprendendo.

A capacidade ou o poder de arregimentação exige credibili-


dade do líder em relação aos seus liderados.

“Se o meu povo me entender, eu conseguirei a atenção de-


les. Mas se o meu povo confiar em mim, eu adquirirei ação deles”.
(Cavett Roberts, grande orador).

“Poder de arregimentação é uma autoridade conquistada”.

Arregimentação é a habilidade para transmitir esperan-


ça. As pessoas tendem a sentir-se mais positivas quando elas
estão seguindo líderes carismáticos. Alguns líderes que oferecem
esperança:

Os líderes dinâmicos constantemente falavam de esperança


diante de seu povo.

Você transmite esperança (que gera ânimo) ou desespero


(que gera desânimo) aos que estão ao seu redor?

Arregimentação - é a habilidade de reunir e adquirir ação


das pessoas que estão perto de você. O poder de arregimentação
envolve carisma.

27
COEFICIENTE DE PRODUTIVIDADE DE LIDERANÇA

Podemos nos tornar líderes, e líderes de sucesso. Podemos


medir a produtividade e a eficiência de nossa liderança. Existem
mecanismos para isto.

Não basta convencermos a nós mesmos que somos líderes e


acharmos que o mundo todo está contra nós. E quem não nos se-
gue é incompetente ou nos persegue. Mania de perseguição anda
junto com o sentimento de messianismo. E para que nossa lideran-
ça seja objetiva ela precisa ser mensurada.

Abordaremos agora aspectos específicos de liderança. O


primeiro passo é encontrar o “Coeficiente de Produtividade de
Liderança” através da formula:

CPL = 1M + 2C + 3S + 4A =R
10

CPL: Coeficiente de Produtividade de Liderança


M: Motivação (Peso 1)
C: Correção (Peso 2)
S: Supervisão (Peso 3)
A: Arregimentação (Peso 4)
10: O resultado da soma dividido por dez
R: Resultado da minha avaliação.

RESULTADOS:

Abaixo de 5,0: Sua liderança é regular. Pode estar estagnada ou


em crescimento.

- Se você está tendo algum crescimento, seu nível de liderança não


é suficiente para alcançar suas metas anuais.

28
- Você necessita, como líder, de muita dedicação e treinamento.

- Você sabe que não sabe e é humilde, portanto tem potencial para
crescer, precisa ser ensinado.

Entre 5,0 e 7,0: Parabéns, você atingiu um bom coeficiente. Po-


rém seu coeficiente alcançado é verdadeiro:

- Se você já possui um rendimento mensal acima de 20 mil reais.

- Se você é líder conceituado em sua empresa.

- Todavia, se você atingiu esse coeficiente, e não tem os resultados


acima, você é alguém que não sabe, e acha que sabe.

- Refaça o seu coeficiente, tente encontrar o que deve estar “in-


chando”.

Acima de 7,0: Além de todos os resultados anteriores, seu coefi-


ciente é verdadeiro se:

- Você tiver influência sobre as 10 pessoas principais de sua ci-


dade;

- Você deverá ter uma expressão nacional na área em que está


trabalhando;

- Você deverá lançar um livro novo a cada ano;

- Com esse coeficiente e esses resultados você sabe, e sabe que


sabe, e é um líder verdadeiro e de sucesso. Parabéns.

29
Capítulo 3

SABEDORIA, CONHECIMENTO E HABILIDADE


SABEDORIA, CONHECIMENTO E HABILIDADE
Nós falamos muito sobre construir uma liderança de êxito.
Uma liderança de êxito vem como resultado das três coisas que
são bases para a vida. Três fatores que fazem diferença na vida de
um líder de êxito:

• Sabedoria
• Conhecimento
• Habilidade

Se você quer ser um líder de êxito precisa descobrir o que é


sabedoria, o que é conhecimento e o que é habilidade.

• Conhecimento
É a seqüência de informação. É o acúmulo da informação já
obtida até hoje .

É algo que estava oculto e foi trazido à luz, portanto conhe-

33
cimento significa o entendimento trazido para fora, descoberto.
Esta geração é a geração que possui o maior volume de conheci-
mento da história. Nós chegamos a um acúmulo de conhecimento
de tecnologia como nunca houve na história. Hoje temos chips
que recebem e acumulam milhões de informações, vivemos uma
nova revolução tecnológica a cada dois anos.

Hoje já é possível se transmitir, em um segundo, por fibra


ótica, de Nova York para Londres, toda a informação com a qual
antes se gastava uma semana. Você pode entrar na Internet e des-
cobrir um mundo novo de conhecimento.

• Sabedoria

O conhecimento vem do homem, mas sabedoria não. En-


quanto o conhecimento vem do homem, a sabedoria é espiritual.
Eu não posso transmitir sabedoria. Sabedoria é a humildade que
abre você para crescer, para obter conhecimento. Sabedoria é a
humildade que prepara seu caminho para ir atrás das grandes per-
guntas da vida.

Segundo John Maxwell, existem quatro tipos de pessoas que


o líder precisa conhecer para investir de maneira certa:
1° Temos aquelas pessoas que não sabem, mas acham que
sabem. Evite essas pessoas, pois elas não têm humildade
para aprender.
2° O segundo tipo são aquelas que não sabem e sabem que
não sabem. Esse é o discípulo verdadeiro que está aberto
para aprender. Invista, gaste tempo com ele.
3° O terceiro é aquele que sabe, mas não sabe que sabe.
Este está dormindo e não sabe o potencial que ele tem.
Desperte-o!
4° O último é aquele que sabe e sabe que sabe. Esse é um
líder, siga-o! Se ele sabe que sabe e isso o leva a dizer: o

34
que eu sei é que cada dia eu preciso saber mais, porque tudo
que eu sei é nada, esse é um líder e você deve segui-lo.
Sabedoria é o dom de um coração humilde, enquanto conhe-
cimento é o acúmulo de informações.

• Habilidade
Se você tiver sabedoria e conhecimento, mas não tiver habi-
lidade, você não vai traduzi-los em resultados.

Habilidade é a capacidade de usar a sabedoria e o conhe-


cimento. Habilidade é a inteligência, a capacidade de colocar as
coisas no foco. Você pode ter sabedoria, ter conhecimento, mas
se não tiver habilidade de focar, de colocar no ponto para acertar
o alvo, você será incompleto. Eles não te trarão ao sucesso. Você
poderá ter conhecimento e sabedoria, mas não terá alcançado seu
propósito neste mundo e conseqüentemente sua missão de vida.

O LÍDER CONHECE A HABILIDADE DA PALAVRA

Habilidade da palavra nasce da compreensão do propósito


da palavra. Você pode pensar que a palavra é o veículo da comu-
nicação entre as pessoas, mas esse pensamento não é real, porque
a palavra não se comunica sozinha. Na verdade, ela não é o me-
lhor veículo de comunicação e sim as expressões e os gestos. Por
exemplo, eu conheci italianos que falavam somente com as mãos,
sem nem precisar abrir a boca. A palavra não foi criada apenas
para ser veículo de comunicação.

Para você compreender o propósito das palavras, você tem


que entender o que é o silêncio. Não existe nada tão sagrado no
universo quanto o silêncio. Deus ficou em silêncio uma eternida-
de inteira e, quando falou, tudo se fez! Você só deve falar quando
existe algo que compense quebrar o sagrado do silêncio. O uni-
verso tem um silêncio sagrado, um silêncio de adoração e, para

35
você compreender a força da palavra, você tem que compreender
a força do silêncio. Você tem que compreender o propósito do
silêncio. A “ausência” é muito mais forte do que a “presença” em
tudo na vida. Você só dá valor à presença quando vive a ausência.
Quando você perde um pai, uma mãe, um esposo, quando você
perde liberdade ou algo que você tinha, então você começa a dar
um valor que você não dava antes.

Habilidade é saber onde e como colocar as suas palavras. A


palavra é a fonte de esperança e de vida.

Em 1998, um dos ganhadores do prêmio Nobel da Física


foi um italiano chamado Gianini, o pianista. Ele desenvolveu uma
teoria pós-quântica que diz que o universo não está pronto, mas
está sendo formado. O universo está sendo formado por ondas que
saem das nossas vozes, ou seja, a nossa palavra está construindo
ou destruindo o universo. Nossas palavras formam ondas e
essas ondas não se acabam nunca mais. Elas ficam ressoando no
universo. Cada palavra que você solta cada frase que você emite
está, de alguma maneira, formando o universo através da energia
que sai da sua voz.

Os homens brincam com a palavra. É necessário ficar em


silêncio para aprender a valorizar a palavra. Você só conhece o
valor da palavra quando conhece o poder do silêncio. O silêncio
fala, mais do que a própria palavra. A humanidade brinca com a
palavra. A Palavra, para Deus, é instrumento de criação; para o
homem, de comunicação. Por ser a palavra esse instrumento de
criação cada vez que você põe a sua vida dentro desse projeto,
você se torna um participante desse processo criativo.

36
Capítulo 4

LIDERANÇA DE SUCESSO
LIDERANÇA DE SUCESSO

Cinco passos de uma liderança de sucesso:

Dizer-lhes: o que
Dizer-lhes: por quê
Demonstrar-lhes: como
Ajudá-los: a começar
Ajudá-los: a continuar

O modelo eficaz em quatro passos:

Eu faço - Você observa


Eu faço - Você ajuda
Você faz - Eu ajudo
Você faz - Eu observo

39
Uma liderança de sucesso é predominada pelas seguintes
características:

a) Por sua visão: o líder deve desafiar os seus liderados a


terem suas vidas mais significativas.

b) Por sua disponibilidade: Quando os seus liderados pre-


cisarem de apoio e orientação o líder deve está disponível.

c) Pelo comprometimento: Os liderados devem ver o seu


líder comprometido em ajudá-los a crescer e se desenvol-
ver como pessoas.

Essas características acrescentam vida a uma liderança.


Os liderados se mantêm firmes e comprometidos com suas
metas. A motivação nasce da segurança que o líder passa de que
o liderado não é usado mas, pelo contrário, é ajudado e nutrido
e está se tomando uma pessoa melhor a cada dia. O líder deve
ser comprometido sem reservas com os seus liderados. Deve ser
comprometido com o bem-estar e com o crescimento de cada um
e não apenas com sua conquista pessoal.

Desenvolvendo as seguintes características:

1. Amor à vida - as pessoas gostam de líderes que têm


prazer na vida. Pense nas pessoas com as quais você gosta
de passar o seu tempo. Como as descreveria? Rabugentas?
Amargas? Deprimidas? Certamente que não. São festeiros e
não ficam se queixando. São apaixonadas pela vida.

2. Espere sempre o melhor de todas as pessoas - uma


das coisas que atraem as pessoas a você é esperar o melhor
delas. Tal atitude ajuda as pessoas a pensarem mais posi-
tivamente sobre elas mesmas. Se você valoriza os outros,
encoraja-os e ajuda-os a alcançar o potencial que eles têm,
eles o amarão por isso.

40
3. Dê esperança às pessoas (motivação é transmitir espe-
rança) - O general francês Napoleão Bonaparte caracteriza-
va os líderes como “mercadores de esperança”. A esperança
é a maior dádiva que você pode conceder aos outros, e por
ela eles serão atraídos a você.

BLOQUEADORES DE CARISMA:

ORGULHO: ninguém deseja seguir um líder que pensa ser me-


lhor do que os outros.
INSEGURANÇA: se você não se sente bem como você é, outros
também não se sentirão.
INSTABILIDADE: se as pessoas nunca sabem o que esperar de
você, desistem de esperar alguma coisa.
PERFECCIONISMO: as pessoas respeitam o desejo pela exce-
lência, mas temem expectativas totalmente irreais.
MAU HUMOR: as pessoas com essa característica são incons-
tantes, líderes rabugentos.
NEGATIVISMO: uma pessoa com uma atitude negativa é depri-
mente, ninguém quer tê-la por perto.
HIPERSENSIBILIDADE: as pessoas hipersensíveis são intro-
vertidas, estão sempre lambendo suas feridas. Não conseguem es-
tar atentas às necessidades dos outros.
BAIXA AUTO-ESTIMA: necessidades que impedem meu cres-
cimento como pessoa.
- Necessidade que adivinhem o que eu quero e me dêem sem que
eu precise pedir;
- Necessidade de exclusividade, de posse, de atrair a atenção sobre
mim;
- Necessidade que me dêem um “lugar”;
- Necessidade de aprovação para confiar em minhas decisões;

41
- Necessidade de que me felicitem muito, e me encorajem cons-
tantemente;
- Necessidade de ter razão;
- Necessidade de controlar os outros: “onde estão, que estão fa-
zendo, por que o fazem”;
- Necessidade de superproteger;
- Necessidade de agradar sempre;
- Necessidade de provar que tenho valor;
- Necessidade de diminuir os outros, estar sempre comentando os
seus defeitos.

FORMANDO NOBRES

“Um líder de hoje é um nobre de ontem”.

A nossa geração de hoje tem a seguinte formação:


• 90% são passivas.
• 8% são reativas. (São os que “re-agem” - para o bem ou para o
mal; elas aprendem e agem). São pessoas que trabalham os proje-
tos estabelecidos por alguém.
• 2% são pró-ativas, são os que desenham o mundo. São líderes
que mudam o quadro do mundo.

Para ser um líder, você precisa:

1 - Construir seu destino

Pois líderes são os que constroem seus destinos, não os que


herdam.
“No passado o destino de uma pessoa era uma sentença,
hoje é uma opção”.
Nos séculos anteriores, o destino era resultado de sua he-
rança. Você o herdava da sua família, hoje você o constrói.

Você escolhe que destino irá construir

42
O “nobre” de hoje, é alguém que cava onde ninguém pensa
em cavar. Ele abre as portas que nunca foram abertas antes, ele
acredita onde ninguém acreditou.

2 - Alcançar os seus alvos


• Confiança;
• Auto-estima (construída por conquistas);
• Sabe os segredos dos detalhes. “Um pequeno detalhe faz
muita diferença”;
• Certeza da vitória.

3 - Ter a segurança e a autoridade para fazer “intervenções”


nas pessoas, famílias, sociedades e países.
Habilidade para exercer liderança vem da certeza de que
você pode e deve fazer intervenções, para corrigir a causa das
“coisas”.

4 - Possuir forças intrínsecas e extrínsecas.


As forças intrínsecas são conseqüências de motivações in-
ternas, movidas pela paixão por sua missão e por compaixão pelo
ser humano.

As forças extrínsecas são conseqüências de motivações ex-


ternas, movidas por cargos e funções de responsabilidade.

5 - Ter visão do projeto original e conseqüentemente das


deformações.
São líderes os que perseveram em busca da missão original.

“Força + Capacidade + Propósito”

São líderes os que quebram limites debaixo dos desafios.


São líderes os que quebram limites e seguem sempre para
frente.
43
Biografia
Robson Rodovalho

- Casado com Maria Lúcia Rodovalho, pai de Priscila, Samuel e Ana Lia
- Professor de Física, especializado em Ressonância Magnética Nuclear;
especializou-se em Naturologia e Ciência em Saúde Natural, pela Faculda-
de The Clayton School OfNatural Healing (The American Holitisc College
OfNutrition) e pelo Instituto Vida Natural
- Deputado Federal
- Membro da Academia Internacional da Cultura (AIC)
- Condecorado com a medalha de Honra ao Mérito comemorativa aos 500
anos do Descobrimento do Brasil, pelo Instituto Internacional das Ciências
e da Cultura
- Cidadão Honorário de Brasília
- Condecorado com a Medalha dos Pioneiros de Brasília
- Condecorado com a Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes
- Bacharel em Teologia
- Escritor, sendo autor de dezenas de livros
- Presidente de várias Organizações Sociais e Eclesiásticas como:

• Ministério Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, onde é bispo e


pastor presidente
• Fundação Sara Nossa Terra
• TV Gênesis
• Sara Brasil FM
• Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política
Outras obras publicadas pelo autor

• Menos trabalho, mais resultados


• Sonhos e destinos
• Senhor, ajuda-me a crer
• Conhecendo a glória de Deus
• Você nasceu para reinar
• Vencendo a obesidade
• Regendo a história da nossa geração
• A beleza de Cristo e o caráter do cristão
• O milagre aconteceu
• Ensina-nos a andar em seus caminhos
• Por trás das bênçãos e maldições
• Quebrando as maldições hereditárias
• Avivamento hoje
• Do princípio ao fim
• Sociedade, política e a Igreja
• A oração de um intercessor
• Construindo sistemas que vencem (Para onde estamos indo?)
• Destruindo gigantes (Quando os seus problemas irão acabar?)
• O caminho do sucesso
• Anatomia do milagre
• Deus ou Darwin?
• Meditações
• Formando líderes irrepreensíveis
• Bíblia: verdade ou ficção?
• O elo perdido
• Vencendo conflitos
• Gotas de sabedoria
• O bom samaritano
• Formando líderes vencedores
• A nova ordem mundial
• Edificando a casa de Deus
• Igreja vencedora
• O propósito de Deus e a família cristã
• Por que será que você está sofrendo?
• Liderança de sucesso (co-autor com Maria Lucia Rodovalho)
• Construindo uma nação de vencedores (co-autor com Maria Lucia Rodovalho)
Conheça também estes outros livros

Conhecendo a Glória de Deus Sonhos e destinos


Robson Rodovalho Robson Rodovalho

Estar na presença de Deus é o propósito Estamos neste planeta para realizar


maior da vida de qualquer pessoa. Em história, para construir destinos. Não
Conhecendo a Glória de Deus, Robson estamos aqui por acidente. Em meio
Rodovalho nos mostra que os detalhes a uma geração resignada, fomos cha-
dados por Deus para a construção do mados para dizer que nascemos para
Tabernáculo estavam impregnados de ser príncipes em vez de escravos. Fo-
significados e simbologias que reme- mos chamados sonhar com projetos
tiam à Nova Aliança, realizada em Je- diferentes para nossas famílias, para a
sus Cristo. sociedade, para o nosso país. O sonho
Ao desvendar os significados dos uten- plantado em nós nos desafia porque
sílios e das partes que compunham o nascemos para cumprilo, transforman-
Tabernáculo, bem como os detalhes do-o em destino. Para isso precisamos
dos materiais de que eram constituí- ter coragem de falar dos nossos so-
dos, suas dimensões e os rituais que os nhos, de expressá-los.
rodeavam, passamos a entender mais A sociedade vê o destino como acaso,
profundamente as verdades reveladas onde sucesso, riqueza e felicidade são
por Deus no Antigo Testamento, como frutos da sorte. Mas o sucesso não cai
figura das verdades que podemos usu- em nosso colo por acaso, vindo por
fruir hoje, ao vivenciarmos a realidade meio de sonhos que nos guiam ao nos-
de um relacionamento com Deus. so destino. Esse destino é o propósito
Ao ler Conhecendo a Glória de Deus que Deus nos deu para viver.
você entenderá o processo de santifi- Qual é o seu sonho? Para que você está
cação, de sacrifício e de adoração que vivendo? Se você vive angustiado é por-
existiram no Tabernáculo, e que refle- que está longe daquilo para que Deus te
tem as etapas para adentrarmos no criou. Se você sofre é porque está longe
Santo dos Santos e contemplarmos a do sonho que Deus pôs em seu coração.
Glória do Senhor. O que é que foi escrito no seu coração?
O que é que pulsa na sua vida?
Quando você foí formado, sonhos fo-
ram colocados em você.
Seu amanhã é determinado pela semen-
te dos sonhos que estão em seu cora-
ção. Acredite e viva-os.
Vencendo a obesidade Você nasceu para reinar
Robson Rodovalho Robson Rodovalho

A obesidade é resultado de desequilí- Este livro mostra de maneira clara e


brios que, corrigidos, resultarão em objetiva que Deus deu ao homem o
saúde, no sentido amplo da palavra. Isso governo sobre a terra, e o capacitou
poderá ser sentido em mais disposição, a manifestar aqui, neste planeta, o go-
criatividade e, principalmente, uma verno dos céus; porém o homem per-
vida mais longa. Neste livro você encon- deu esse governo após o pecado.
trará orientações práticas, princípios Em Jesus Cristo, Deus restaura seu
e dicas muito importantes sobre projeto original e anuncia a chegada do
como construir sua saúde, através do reino de Deus sobre a terra, onde o ser
equilíbrio entre alimentação, descanso humano volta a ocupar seu lugar, com
e exercícios físicos. o propósito de dominar a terra, fazen-
A saúde e a doença nem sempre são do a diferença sobre toda a criação, e
resultado do acaso, mas de princípios trazendo novamente o padrão dos céus
corretos, que se aplicados, trarão suas para reger a sociedade e a natureza. A
conseqüências, positivas ou negativas obra mostra ainda que a aceitação da
mensagem de Jesus - a chegada do rei-
em nossas vidas.
no de Deus - implica em uma nova pos-
Este livro irá tirá-lo de uma cultura de
tura diante da realidade de um mundo
erros alimentares ou da herança deixa-
corrompido e desalinhado com o proje-
da por nossos pais sobre alimentação
to de Deus, e mostra como esse domí-
e saúde, e colocá-lo sobre bases sóli-
nio deve se dar, em nossos dias, através
das e científicas a esse respeito. Inclui da liderança verdadeira, no exercício
dicas de alimentação, com receitas, da influência transformadora que leva
e programa de exercícios, para uma as pessoas a alcançar o verdadeiro su-
vida feliz, ativa e saudável. Vencendo cesso e felicidade. Você nasceu para
a Obesidade é a prova de que uma vida reinar estimula o leitor a participar
saudável é possível com bom-senso, da edificação de uma sociedade mais
sem que seja necessário recorrer a fór- justa e mais condizente com o projeto
mulas mágicas e torturantes para se original de Deus, onde cada indivíduo
obter boa aparência e vitalidade. reproduz os princípios do Reino e não
mais abre mão de exercer a autoridade
e governo que lhe foram confiados pelo
Criador e restituídos por seu Filho: a
chegada do reino de Deus.
Reino
editorial

Os céus são do Senhor e a Terra foi dada


para o reinado do homem
Salmos 115:16
www.gruporeino.com.br