Você está na página 1de 20

Envolvimento

comunitário

Módulo B5

A tradução deste documento foi feita por “Translators Without Borders”, único
responsável pela qualidade e fidelidade ao original desta versão em português.

1|
Objetivo do módulo
No final deste módulo será capaz de:

●Descrever porque o envolvimento da comunidade é


fundamental para uma comunicação de risco de
emergência eficaz

●Descrever as relações entre promoção da saúde,


mobilização social e envolvimento comunitário, e

●Enumerar ações para o envolvimento comunitário

Fotografia:
OMS/A.Bhatiasevi

2|
As comunidades TÊM DE ESTAR no centro de qualquer intervenção de
saúde pública, especialmente em caso de emergências

O engajamento comunitário é
fundamental em qualquer
intervenção de saúde pública.

A sua importância é ainda mais


significativa em situações de
emergência.

O envolvimento da comunidade
consiste na compreensão, pelos
afetados, dos riscos que
enfrentam e no seu
envolvimento em ações e
respostas que sejam aceitáveis

Fotografia: OMS/A Bhatiasevi

3|
Abordagens e táticas relacionadas com o
envolvimento comunitário
● Mobilização social ● Envolvimento da
comunidade
● Comunicação para o
desenvolvimento (C4D) ● Comunicação para
epidemias
● Comunicação para a
mudança de ● Comunicação para crises
comportamentos
● Comunicação dos riscos
● Educação para a
● Comunicação para
saúde
impacto
● Promoção da saúde comportamental (ou
Comunicação
Persuasiva)
Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi

4|
Promoção da saúde – educação para a saúde
Um conjunto de princípios que envolve equidade e empoderamento, e práticas
que englobam comunicação, desenvolvimento de competências e atividades
politicamente orientadas, com o objetivo de permitir que outros tenham um
maior controlo sobre suas vidas e que possam melhorar suas condições de
saúde

●A educação para a saúde visa fornecer informação que influencie a tomada de


decisões futuras sobre a saúde.

●A promoção da saúde pretende trabalhar as ações sociais e políticas


necessárias (por ex. legislação, movimentos, etc.)

- (Laverack, 2014)

Fotografia: OMS/A Bhatiasevi

5|
Mobilização social
A mobilização social é um processo que
envolve e motiva uma vasta gama de
parceiros e aliados ao nível nacional e local
para sensibilizar e buscar um objetivo de
desenvolvimento particular através do
diálogo

Fotografia: http://unicef.in/CkEditor/ck_Uploaded_Images/img_1174.jpg

Os membros de instituições, redes comunitárias, grupos religiosos e cívicos e


outros trabalham de forma coordenada para sensibilizar grupos específicos de
pessoas através do diálogo com mensagens planificadas
A mobilização social procura facilitar a mudança através de uma série de
atores envolvidos de modo correlacionado e complementar
- Unicef

6|
Envolvimento da comunidade
● O envolvimento comunitário é o processo através do qual os
indivíduose organizações de beneficiência criam uma relação a
longo prazo com uma visão coletiva a favor da comunidade
● Trata-se primordialmente de uma prática que incentiva as
comunidades para melhores mudanças através do seu
empoderamento

Esta apresentação irá centrar-se no


envolvimento da comunidade na
comunicação dos riscos

Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi

7|
O que normalmente fazemos em promoção da
saúde, mobilização social inclui…
Mensagens
Folhetos
Cartazes
T-shirts
Anúncios (Spots) de rádio
Anúncios (Spots) de televisão
Altifalantes, Bandas sonoras,
carripanas

Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi

MAS o envolvimento comunitário


requer muito mais do que isso

8|
Por que envolver a comunidade?
• Todos têm o direito de conhecer
os riscos para a sua própria
saúde e bem-estar

• Informação culturalmente
apropriada pode ajudar a tomar
decisões informadas para reduzir
riscos para a saúde

• As ações tomadas por


indivíduos, famílias e
comunidades afetadas são
fundamentais para o controlo da
ameaça/problema de saúde
pública

Imagem: http://www.dse.vic.gov.au/effective-engagement/introduction-to-engagement/what-is-community-engagement

9|
Ações para o envolvimento comunitário
O envolvimento da comunidade abrange uma vasta gama de atividades. Algumas atividades
tomadas por funcionários governamentais incluem:
● Alcançar/informar a comunidade sobre as orientações de política do Governo
● Consultar a comunidade como parte de um processo para desenvolver políticas
governamentais ou criar uma maior consciência e compreensão pela comunidade
● Envolver a comunidade através de uma série de mecanismos para assegurar que
questões e preocupações são compreendidas e consideradas como parte do processo de
tomada de decisões
● Colaborar com a comunidade, desenvolvendo parcerias para formular opções e fornecer
recomendações.
● Partilha de liderança/empoderamento permitem à comunidade tomar decisões,
implementar e realizar mudanças.
Source: Victoria Government, Australia

10 |
Envolvimento da comunidade
Modificado do Departamento dos EUA para a Saúde e Serviços Humanos e o Governo de Vitória, Austrália

INFORMAR CONSULTAR ENVOLVER COLABORAR LIDERANÇA


PARTILHADA
Algum Mais envolvimento Melhor Envolvimento da Relação forte
envolvimento da da comunidade envolvimento da comunidade
comunidade comunidade
Fornece Obtém informação Envolve uma maior Cria parcerias com Forma-se uma
informação à ou opiniões da participação da a comunidade em estrutura forte de
comunidade comunidade comunidade em cada aspeto do parceria
relação a questões projeto – do
pertinentes desenvolvimento à
solução
Estabelecem-se Desenvolve Visibilidade da Criação de Melhores
canais ideais de conexões parceria parcerias, criação resultados em
comunicação para estabelecida com de confiança matéria de saúde
divulgação uma maior abrangem grande
cooperação parte da
comunidade. Forte
criação de
http://www.dse.vic.gov.au/effective-engagement/introduction-to-engagement/what-is-community-engagement
http://www.atsdr.cdc.gov/communityengagement/pdf/PCE_Report_508_FINAL.pdf
confiança bilateral

11 |
Princípios do envolvimento da comunidade
Fase de planificação
● Clarificar a meta/objetivo

● Compreender a cultura da comunidade,


percepção, condição económica, redes sociais,
estruturas políticas e de poder, normas, valores,
tendências demográficas, história, experiência
passada

● Estabelecer relações, criar confiança, trabalhar


com líderes formais e informais, buscar o
envolvimento dos mesmos na mobilização da
comunidade

● Mapear e utilizar os mecanismos existentes de


envolvimento da comunidade, por ex. para
campanhas de pólio, imunização, trabalho com
VIH, voluntários da Cruz Vermelha, etc. Fotografia: http://www.unicef.org/cbsc/images/UNI102880-
620x350.jpg

12 |
Princípios do envolvimento da comunidade
Fase de implementação
● Estabelecer parcerias com a comunidade para
estabelecer mudanças e melhorar a saúde
● Reconhecer e respeitar a diversidade; e assegurar que
os mais vulneráveis sejam contemplados e envolvidos
● Identificar, mobilizar ativos e pontos fortes no
desenvolvimento da capacidade e dos recursos
da comunidade para tomar decisões e
implementar ações
● Estar preparado para implementar ações de
controlo e intervenções junto à comunidade.
Ser flexível para responder a mudanças de Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi
necessidades

13 |
Desafios
● Manter o envolvimento da comunidade ao longo do
tempo

● Ultrapassar as diferenças entre as unidades de resposta e


a comunidade; e os diferentes influenciadores

● Trabalhar com comunidades únicas, especialmente


vulneráveis ou de alcance difícil

● As comunidades e as unidades de resposta podem não


perceber o risco da mesma forma Imagem: http://2.bp.blogspot.com/-
5yzqrvItN9g/UyX79bJ5xJI/AAAAAAAAAGk/KAkiTxTLIw8/s1600/desafio.png

● As comunidades têm uma dinâmica social complexa e


relações de poder em constante mudança que
influenciam a forma como as envolvemos

O envolvimento da comunidade é complexo, o trabalho duro requer qualificações e recursos


dedicados

14 |
Conhecer a comunidade
● Estrutura da comunidade
– Formal e informal
– Líderes e fazedores de opinião

● Dinâmicas da comunidade
● Relações de poder
● Fontes de informação
● Crenças e práticas
● Recursos disponíveis
● Outros
Fotografia: OMS/A
Bhatiasevi

15 |
A armadilha da perceção - O Ébola em 2014
na África Ocidental
Armadilha 1- Medo: Ébola = Armadilha 2- Descrença devido a
morte desconfiança
● Todos que têm Ébola morrerão ● As autoridades não conseguem lidar com a
situação
● O Ébola é uma maldição
● Os estrangeiros estão aqui para extrair órgãos
para experiências científicas
Armadilha 3- Negação
● Não quero saber
● Não quero acreditar
● Não quero aceitar

Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi

16 |
O envolvimento da comunidade chegou tarde no surto de Ébola na Libéria
Análise retrospectiva da resposta ao Ebola

Fase de resposta 1 Fase 2 Fase 3


Estratégia de Comunicações de crise Sensibilização, mobilização social Envolvimento da comunidade
comunicação de risco
predominante
Fundamentação Experiências anteriores com O Ébola propaga-se em grandes Comunidade como parte da solução
surtos de Ébola com 90% de cidades. Maiores taxas de Recuperar a confiança
mortes ocorre em locais remotos sobrevivência, mas persistem os
sepultamentos inseguros e outras
práticas perigosas
Principal mensagem O Ébola mata. Não existe cura. O O Ébola é real. Sinais e sintomas. Evitar o contacto com cadáveres. O
consumo de carne de animais Linha de ajuda tratamento precoce aumenta as taxas
selvagens propaga a doença de sobrevivência. Contrariar a
estigmatização dos sobreviventes

Intervenção Meios de comunicação, cartazes, Modo de campanha. Linha de ajuda. Comunicações interpessoais. Reuniões
rádio Meios de comunicação – materiais com a comunidade, etc. Sensibilização e
impressôs, transmissão, cartazes, formação da comunidade.
rádios, alto-falantes em caminhões e Envolvimento de influenciadores,
motos, voluntários para mobilização incluindo líderes religiosos e tribais
social

Resultados Negação. Perceção de que o A procura ultrapassa a capacidade Os influenciadores da comunidade são
Ébola se propaga em áreas de resposta. Ausência de confiança parte da resposta. Comunicações mais
remotas, ausência de carne de na resposta, ausência de confiança descentralizadas, localizadas.
17 | animais selvagens = ausência de nas estruturas existentes Campanhas locais em locais
risco de Ébola. Sem cura = sem estratégicos
Aplicação de abordagens sociológicas ao
envolvimento da comunidade
● Inúmeras provas documentais do Ébola na África
Ocidental (2014-2015), nas quais a antropologia e outras
ciências sociais aplicadas desempenharam um papel
fundamental na compreensão das comunidades

● Perspectivas sobre os contextos socioculturais e políticos


das comunidades afetadas para criar intervenções
localmente aceitáveis. Alguns exemplos incluem:
– Compreensão de mitos, crenças
– Gestão de rumores, informação errónea
– Descodificação de “medo”, “resistência”, “práticas
de risco para a saúde”, etc.
– Trabalho em intervenções baseadas na comunidade
– Adoção de rituais fúnebres seguros e dignos para
muçulmanos e cristãos Fotografia: OMS/A.Bhatiasevi

18 |
Ferramentas para a criação de discussão na
comunidade*
Mapa da comunidade Grupos de Entrevistas individuais
discussão
Observações dos Calendário Visita e observação da
ambientes familiares sazonal/cronogram comunidade
e instalações a de eventos

Contagem de Causas e efeitos Cenário de


histórias emergência
Classificação por Círculos de Visões para a ação
pontos comunicação
* Fonte: Bringing the community together to plan for Disease Outbreaks and other Emergencies.
http://www.globalhealthcommunication.org

19 |
Lembre-se
● As comunidades têm de estar no centro de qualquer intervenção em
matéria de saúde pública, especialmente durante uma emergência
● É fundamental conhecer e compreender as comunidades para trabalhar
eficazmente com elas em todas as fases – prontidão-resposta-recuperação
de uma emergência de saúde
● Deve-se utilizar várias estratégias e táticas para envolver as comunidades

Fotografia: OMS/A.
Zouiten

20 |

Você também pode gostar