Você está na página 1de 14

CIÊNCIAS HUMANAS

E SUAS TECNOLOGIAS
Frente: Sociologia
EAD – MEDICINA
Professor(a): João Saraiva

AULA 06

Assunto: A Produção Sociológica Brasileira

A determinação fundamental da formação tardia da sociologia


brasileira é a formação de um capitalismo retardatário em nosso
Resumo Teórico país. Este capitalismo retardatário pressupõe um desenvolvimento
capitalista avançado em outros países e de relações entre estas duas
formas de capitalismo. Esta relação ocorre sob o signo da subordinação
A formação da sociologia brasileira econômica que se reproduz sob a forma cultural e científica. Sendo
A sociologia no Brasil surge com a herança cultural da Europa, assim, a formação tardia da sociologia brasileira é derivada desta
berço de nascimento da ciência da sociedade. Devido a isto, é necessário situação do capitalismo em nosso país.
ter entendido nas aulas anteriores o contexto de surgimento da sociologia Desta forma, o período pré-científico da sociologia no Brasil
na Europa para compreender o seu processo de constituição em nosso (ou sua fase “pré-sociológica”, como colocada por alguns autores) se
país. A sociologia, assim como qualquer outro produto cultural, é um realiza não por meio das primeiras tentativas de criação desta ciência
fenômeno social e que possui determinações sociais. e sim por meio da importação da produção sociológica europeia e uso
Para compreender a discrepância do desenvolvimento da de termos (tal como o próprio termo “sociologia”) sem uma autêntica
história da sociologia brasileira em relação ao caso europeu é preciso produção sociológica. Esta fase é possível devido ao intercâmbio
compreender o contexto histórico e social que concebeu a sociologia cultural e subordinação científica, o que produz “ideias fora do
em ambos os casos. Por isso devemos, em primeiro lugar, analisar o lugar” e manifestações rudimentares, convivendo com formas mais
contexto histórico em que se desenvolveu a sociologia e depois analisar desenvolvidas em outros países.
o caso brasileiro. No entanto, devemos estar atentos que este não é um caso
As pré-condições para o surgimento da sociologia são a específico do Brasil. Nos Estados Unidos o desenvolvimento da
formação do capitalismo e seu desenvolvimento, proporcionando novas sociologia também foi posterior ao que ocorreu na Europa, mas ele
lutas de classes (burguesia e proletariado), novos problemas sociais, ocorreu de forma mais acelerada devido ao processo de consolidação
e uma ampliação da racionalização e da divisão social do trabalho, e expansão do capitalismo ter ocorrido de forma mais rápida. Assim,
o que faz emergir o que o sociólogo contemporâneo francês Pierre em geral, o surgimento da sociologia fora do continente europeu
Bourdieu (1930-2002) denomina de “campo científico” e outros é posterior, pois é neste que o capitalismo surge inicialmente e
autores chamam de “comunidade científica”, o desenvolvimento se torna hegemônico. Nos países fora do continente europeu em
das ciências naturais e o progresso tecnológico e científico que traz que ocorre um rápido processo de industrialização, também há um
legitimidade e status superior ao novo ramo do saber, a ciência. Assim desenvolvimento da sociologia, embora peculiar e ligado às influências
se desenvolvem as ciências particulares, entre elas a sociologia, isto europeias. No conjunto dos países considerados de desenvolvimento
é, uma subdivisão no interior de um campo mais amplo. Inúmeros capitalista retardatário, que não é o caso apenas do Brasil, mas de
autores que trabalharam a história da sociologia colocam que ela é toda a América Latina, África e diversos países em outras regiões do
“filha da revolução”, ou seja, é produto das revoluções burguesas e mundo, há também um desenvolvimento retardatário da sociologia
da Revolução Industrial, que constituem os fenômenos sociais acima (e das demais ciências humanas).
aludidos, consolidando o modo de produção capitalista. No Brasil o sistema colonial produziu uma sociedade escravista,
O processo de modernização da sociedade brasileira é marcado marcada pela exploração do trabalho, que drenava as riquezas aqui
pela expansão da sociedade capitalista. Este processo de modernização produzidas e as transferiam para a nação colonizadora. Neste sentido,
proporciona inúmeras mudanças em determinada sociedade, tal não havia a menor possibilidade do surgimento da sociologia durante
como a urbanização, a racionalização, o processo de industrialização, o período escravista colonial, pois não havia em nosso país as condições
elemento fundamental por instaurar novas relações de produção, necessárias para o seu surgimento e desenvolvimento.
O p ro c e s s o d e a b o l i ç ã o d a
Wikimedia Foundation

entre outros.
Aqui temos os dois elementos que nos ajudam a compreender o escravatura e a formação do mercado
processo de constituição da sociologia no Brasil: um desenvolvimento de trabalho livre já convivem com os
econômico incipiente ao lado do intercâmbio cultural com países primeiros passos de industrialização no
mais desenvolvidos. Isto permite um desenvolvimento tardio da Brasil. As primeiras indústrias vão surgindo
sociologia no Brasil, pois seu período pré-sociológico (até década no Brasil no final do século XIX. Este
de 1930) se caracteriza pela importação cultural derivada de um processo de industrialização vai seguindo
intercâmbio com outras culturas que produziam uma sociologia mais uma linha evolutiva de acumulação que
sistematizada e institucionalizada. permite um desenvolvimento nacional
Assim, sua formação e institucionalização remontam da em bases capitalistas. Este processo foi
consolidação do capitalismo tardio no Brasil, no qual a urbanização acompanhado por inúmeras mudanças de
e industrialização se tornam predominantes em nosso país. ordem social, política e cultural.

F B O NLINE.COM.BR OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

Em resumo, tivemos um processo de formação do capitalismo Academia Brasileira de Letras e crítico social; este escritor naturalista
extremamente lento no Brasil. O capitalismo brasileiro dá os seus foi autor de diversos livros, entre eles estão: O Mulato, que provocou
primeiros passos com o início da industrialização no final do século XIX, escândalo na época de seu lançamento; Casa de Pensão, que o
vai se consolidando no decorrer do século XX e somente se autonomiza consagrou; e O Cortiço, conhecido com sua obra mais importante.
do setor agrícola a partir de 1955. Este autor não escondeu seu inconformismo com a sociedade brasileira
No Brasil, temos um processo de formação cultural caracterizado e com suas regras.
pela importação de ideias estrangeiras bem como a falta de classes É também neste período que aparecem os primeiros esboços
sociais relativamente independentes e por uma situação de pré-científicos da sociologia. Isto ocorre por meio das obras de Oliveira
concentração da produção capitalista em determinadas regiões (eixo Viana (1883-1951), Silvio Romero (1851-1914), Florentino de
Rio-São Paulo) convivendo com a manutenção de relações agrárias Menezes (1886-1959), Paulo Egydio (1842-1906), entre outros.
na maior parte do território brasileiro. A formação de instituições Data desta época o uso da palavra “sociologia” para qualificar os
de ensino superior no Brasil, bem como de tradições científicas e da estudos publicados, tal como se vê nas obras de Paulo Egydio, Estudos
própria comunidade científica, foi muito posterior à ocorrida na Europa. de Sociologia Criminal; Florentino de Menezes, Estudo de Sociologia;
É a partir da década de 1960 que o capitalismo brasileiro se e Silvio Romero, Ensaios de Literatura e Sociologia. No entanto,
encontra sintonizado com os elementos mais característicos do modo neste período não havia nenhuma elaboração teórica consistente ou
de produção capitalista e sua superestrutura, pelo menos na maior aplicação empírica de forma sistemática. Esta fase vai até 1930.
parte do país, apesar de ainda haver regiões mais voltadas para a
produção agrária e dominadas por relações sociais tradicionais. A geração de 30 ou Fase “B”
No caso brasileiro, temos apenas alguns esboços de influência
cultural. O positivismo enquanto pensamento político se tornou A partir de 1930 temos uma nova fase da sociologia brasileira,
influente nas terras brasileiras desde o período republicano. Mas o que não pode ser comparada ao caso europeu, pois naquele contexto
capitalismo tardio no Brasil começou a se consolidar já no início do a fase formativa foi substituída pela fase de sistematização ou fase
século XX. É neste momento que o positivismo já citado e as ideias clássica. No entanto, como a sociologia já havia sido sistematizada na
anarquistas, entre outras importadas da Europa, começaram a se fazer Europa, a fase seguinte no Brasil que sucede sua fase formativa é a
presentes. No plano científico, havia um completo descompasso entre fase de organização, também chamada de fase “B”, na qual ocorre
a produção europeia (e já também a norte-americana) e a brasileira, sua institucionalização e a produção europeia passa a ser melhor
pois no primeiro caso temos já a consolidação das ciências humanas, assimilada e reproduzida em nosso país. Isto ocorre como produto
nos quais o pensamento clássico das principais ciências humanas já está das mudanças sociais, tal como o avanço da industrialização brasileira,
produzido e os campos de pesquisa e institucionalização estão bastante antes concentrada principalmente em São Paulo e aos interesses pela
avançados. É somente no período posterior à Revolução de 1930 que descoberta do Brasil verdadeiro, em oposição ao Brasil colonizado.
os primeiros sinais de produção sociológica seriam esboçados no Brasil. Também o desenvolvimento do nacionalismo, como sentimento de
Após estas considerações sobre as condições sociais e históricas unir diversas camadas sociais levou os estudiosos dessa área a se
para o surgimento da sociologia no Brasil, passemos para a análise da dedicarem às pesquisas que visavam construir um entendimento acerca
produção sociológica no Brasil. da formação da sociedade brasileira analisando temáticas cruciais para
A fase formativa ou Fase “A” (pré-científica ou pré- essa compreensão. Assim, eles voltaram-se para estudos referentes à
-sociológica) vai do final do século XIX até a década de 1930, que é escravatura e à abolição, estudos sobre índios e negros e o êxodo dessas
o período que inicia a industrialização brasileira. A Proclamação da populações, e, mesmo, análises sobre o processo de colonização.
República marca uma influência crescente das ideologias vindas da A compreensão desses assuntos mostrou-se realmente
Europa, e a hegemonia portuguesa é substituída pela inglesa, no plano importante uma vez que se buscava compreender a formação da
econômico, e pela francesa, no plano cultural. sociedade brasileira. Isso porque a formação da população brasileira,
O positivismo de Auguste Comte é a principal inspiração ideológica das relações de trabalho e da consciência e cidadania, passava
do republicanismo, especialmente sua obra Política Positiva. inevitavelmente pela compreensão destas temáticas.
A bandeira brasileira foi a expressão mais visível desta inspiração, já A Revolução de 1930, a derrubada das oligarquias e a formação
que nela está impressa a máxima comteana: “Ordem e Progresso”. de um novo Estado Nacional, além de diversas outras mudanças
Esta primeira geração da sociologia que ocorreram no período, também favoreceram o desabrochar do
Wikimedia Foundation

brasileira seria composta por aqueles autores que pensamento sociológico brasileiro.
se preocuparam em fazer estudos históricos sobre As mudanças na produção sociológica brasileira são visíveis.
a nossa realidade, com um caráter mais voltado à Ocorria neste período um amplo desenvolvimento institucional
literatura do que para a sociologia. Desta geração
do ensino superior da comunidade científica no Brasil. Em 1932 é
de autores, queremos destacar Euclides da Cunha
fundada a Escola Livre de Sociologia e Política, o primeiro passo de
(1866-1909) e Aluísio de Azevedo (1857-1913).
sua institucionalização. Já em 1934, é fundada a Universidade de
Cunha nasceu no Rio de Janeiro, foi militar engenheiro,
São Paulo (USP) e, a partir desta época, a influência da produção
além de ter estudado Matemática e Ciências Físicas
científica europeia se torna mais intensa nos novos pesquisadores.
e Naturais. Porém, o que gostava de fazer, como
Isto ocorre principalmente por meio do intercâmbio internacional
profissional, era o jornalismo. Em 1895, abandonou
(publicação em revistas estrangeiras, viagens para especialização
o Exército e começou a trabalhar como correspondente do jornal
no exterior). O desenvolvimento de instituições educacionais e
O Estado de São Paulo. Nessa função foi enviado para a Guerra de
empresariais cria novas demandas sociais e incentivam o ensino
Canudos1, no interior da Bahia, de onde surgiu sua maior contribuição
à sociologia brasileira: o livro Os Sertões. Já o romancista maranhense de sociologia, não somente para abordar tais mudanças e fornecer
Aluísio de Azevedo foi o fundador da cadeira número quatro da sua explicação, mas também fazendo parte deste mesmo processo.
1 Guerra de Canudos (1897): Aconteceu em uma abandonada fazenda no interior da Bahia
Este processo de institucionalização da sociologia pelo
que tinha o nome de Canudos. As tropas federais massacraram milhares de pessoas que ensino universitário deu ao sociólogo uma carreira regulamentada
viviam naquele lugar tendo por líder um beato chamado Antônio Conselheiro, o qual, a academicamente e possibilitou a união entre ensino e pesquisa,
partir de 1890, começou a ajuntá-los pregando esperança para os que foram esquecidos criando padrões de trabalho intelectual. Assim, houve um salto de
pelo governo republicano. Conselheiro era visto pelo governo como sendo um líder perigoso
e contrário à consolidação da República. Por isso o objetivo da guerra. quantidade e qualidade.

F B O NLINE.COM.BR 2 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

Ao lado disso ocorreram outras mudanças, tais como a tradução da sociedade brasileira, descrevendo com objetividade a
de obras clássicas, a produção de livros didáticos de Sociologia, a fundação contribuição do negro e o fenômeno da miscigenação na formação
da Sociedade de Sociologia de São Paulo, a vinda de sociólogos europeus social do Brasil.
para lecionarem no Brasil (Roger Bastide, Jacques Lambert, Lévi-Strauss,
Pierre Mombeing, Horace Davis, A. Gross, P. A. Bastide, entre outros). • Caio Prado Júnior (1907-1990)
Estes sociólogos estrangeiros influenciaram a formação dos sociólogos O paulistano Caio Prado Júnior foi historiador, geógrafo, escritor,
brasileiros e incentivaram o desenvolvimento do trabalho de campo, da político e editor. Desde jovem, teve importante participação na
pesquisa empírica. conjuntura política nacional.
A produção sociológica também dá um salto de qualidade, Suas obras apresentam uma historiografia de caráter social, identificada
comparando-se com o período anterior a 1930, com as obras de com o marxismo. Muitas delas têm por finalidade a tentativa de
Gilberto Freyre e Caio Prado Júnior. Alguns dos representantes da compreender o Brasil, investigando-o desde a época em que era colônia
fase pré-sociológica continuavam produzindo suas obras, mas os até o período histórico em que foram elaboradas.
novos sociólogos que estavam sendo formados já sentiam a influência Embora proveniente de família abastada, Caio Prado jamais se
dos estrangeiros e dos novos destaques brasileiros da sociologia, deixou seduzir pela sua classe de origem, a burguesia. Foi um
principalmente os professores universitários da Universidade de São revolucionário lúcido que trouxe inestimável contribuição à vida
Paulo, que integraram a Escola Livre de Sociologia e Política. intelectual brasileira e a diversas áreas da história, sociologia e
As obras de Fernando de Azevedo se incluem neste salto antropologia, entre outras.
de qualidade da produção sociológica. Sua obra Princípios de Filiou-se ao Partido Comunista em 1931 e em pouco tempo
Sociologia (1935) mostra um domínio da teoria sociológica e uma destacou-se como dirigente político.
síntese pessoal, embora não muito original, da ciência sociológica. Em Evolução política do Brasil (1933), interpretava a situação
Outras obras deste autor, entre as quais A Cultura Brasileira e político-colonial brasileira a partir das relações internacionais
Sociologia Educacional, também deram uma forte contribuição capitalistas e seu mecanismo comercial, desde a expansão marítima
para a sociologia deste período. A obra de Tristão de Athayde, europeia.
pseudônimo de Alceu Amoroso Lima (1893-1983), Preparação à Nesta época, passa a atuar principalmente na Aliança Nacional
Sociologia, voltada para discutir questões teóricas da sociologia, Libertadora (ANL), espécie de frente de oposição ao governo
também contribuiu com a formação da sociologia brasileira. de Vargas lançada em 1935. Com a eclosão, neste mesmo ano,
O pequeno ensaio de Arthur Ramos (1903-1949), As Ciências Sociais e da Intentona Comunista (tentativa de revolução liderada pelos
os Problemas de Após-Guerra, de 1944, assume o papel de importante comunistas), Caio Prado Júnior foi preso, ficando na prisão de 1935
reflexão sobre os caminhos da sociologia na sociedade brasileira. a 1937.
Outros sociólogos da época, tal como Delgado de Carvalho (1884- Depois de uma viagem à União Soviética, de onde parte para viver
1980), Carneiro Leão (1887-1966), Djacir Menezes (1907-1996), a Segunda Guerra Mundial na Europa em 1938, ele publicou: URSS:
Nelson Werneck Sodré (1911-1999), Raymundo Faoro (1925- um novo mundo. E já nos anos 40, publica mais duas obras de
2003), também apresentaram ao público obras introdutórias que grande repercussão nacional: Formação do Brasil Contemporâneo
ajudaram na formação de uma nova geração de sociólogos.
(1942), que deveria ser parte de uma coletânea dedicada a pensar
Disponível em: <http://informecrítica.blogspot.com.br/2011/05/formacao-da-
justamente a evolução histórica brasileira desde o período colonial,
sociologia-brasileira.html>
tendo mais uma vez como tema central a formação da sociedade
e do povo brasileiro desde a chegada dos portugueses; e História
Conheçamos um pouco mais dos destaques deste período, a
econômica do Brasil (1945).
chamada Geração de 30:
Com o fim da ditadura de Getúlio Vargas, Caio Prado volta à política
• Gilberto Freire (1900-1987) e é eleito deputado estadual pelo PCB para a Assembleia Legislativa
É sem dúvida reconhecido como um dos maiores nomes da sociologia de São Paulo, em 1946, porém, no ano seguinte, seu mandato é
no Brasil. Portugal, o mundo ibérico e a presença portuguesa nos cassado, em virtude do Partido Comunista ter sido colocado na
trópicos frequentemente são temas de seus escritos, demostrando ilegalidade. Sofreu ainda novas perseguições durante o Regime
o papel desse povo na formação de civilizações modernas nos Militar, após 1964.
trópicos. Mais uma vez percebe-se o anseio da compreensão da Em 1966 foi eleito o Intelectual do Ano, com a conquista do Prêmio
formação da sociedade e do povo brasileiro, principal questão Juca Pato, concedido pela União Brasileira de Escritores, devido à
que move os estudos dos precursores da sociologia em nosso país. publicação, naquele ano, do polêmico A revolução brasileira, uma
Gilberto de Melo Freire nasceu em Recife, em 1900. Sua obra, em análise dos rumos do país após o movimento de 1964. Nessa obra,
geral, representou um divisor de águas na evolução cultural do Caio Prado Júnior procede a uma crítica severa dos desvios de rota da
Brasil e contribuiu para que o país encarasse com mais confiança revolução socialista, programados e impostos como uma deformação
seu papel no mundo moderno. do marxismo; o uso invertido e ditatorial do centralismo democrático;
Fez sua pós-graduação nas universidades norte-americanas de a simplificação grosseira da teoria e das práticas marxistas da luta de
Baylor (Waco, Texas) e Columbia (Nova York) onde esteve sob a classes e da revolução em escala mundial. Os países dependentes,
influência de Frans Boas. Ao término do curso, apresentou em coloniais e neocoloniais tinham sido metidos em um mesmo saco e
1922 a tese: Social life in Brazil in the middle of 19th century em uma mesma camisa de força, que pressupunham que a revolução
(A vida social no Brasil em meados do século XIX), que mais tarde pudesse ser “unívoca”, monolítica, dirigida segundo uma fórmula
se transformaria em seu famoso livro Casa-Grande & Senzala, única, a partir das diretrizes da Terceira Internacional e da União
publicado em 1932, tendo um impacto tão grande quanto Soviética.
Os Sertões de Euclides da Cunha. Nesta obra, Freire revolucionou Desse ângulo, o livro retoma o marxismo como processo, que
a historiografia nacional, dando importância a pequenos nasce e cresce por dentro das classes trabalhadoras e na busca de
fatos da história. Para isso, coletou nos diários dos senhores sua autoemancipação coletiva, por meio da construção de uma
de engenho e também em informações da vida pessoal de sociedade nova.
seus próprios antepassados a história do brasileiro, segundo O núcleo de referência vem a ser o Brasil do momento da ditadura
ele, fruto do cruzamento de índios, africanos e portugueses. militar e do auge da Guerra Fria.
Acaba por imprimir sua visão poderosa e original dos fundamentos Faleceu em novembro de 1990.

OSG.: 120126/17
3 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

• Fernando de Azevedo (1894-1974)


Mineiro de São Gonçalo de Sapucaí, em São Paulo, participou da fundação da Universidade de São Paulo, que na Faculdade de Filosofia,
Ciências e Letras ocupou a cadeira de Sociologia e foi diretor da mesma.
Antes na década de 20 foi responsável pela reforma do ensino no país, a partir de experiências feitas no Rio de Janeiro e no Ceará.
Ao mesmo tempo aristocrata e humanista, unia os anseios liberais e moderadamente socialistas. Em sua principal obra, A cultura brasileira,
retoma a tese de uma unidade nacional baseada em diferenças regionais, culturais e éticas.
• Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982)
Paulistano, nascido em 1902 e falecido em 1982, Sérgio Buarque é considerado um dos mais importantes historiadores brasileiros e um dos
mais eminentes intelectuais do século XX. Foi um dos participantes da Semana de Arte Modernista de 1922.
Sérgio Buarque de Holanda iniciou suas atividades intelectuais mais voltado à crítica literária, dedicando-se mais tarde à historiografia pelo
viés da sociologia, sobretudo pela análise social e histórica de Weber.
Em seu livro de estreia, Raízes do Brasil, Sérgio Buarque faz uma crítica à formação das elites brasileiras. Inspirando-se na tese de Ribeiro Couto, que
identificava o brasileiro como “homem cordial”. Raízes do Brasil traz uma caracterização de como o brasileiro lida com as suas relações pessoais e
institucionais. Para ele, a cordialidade do brasileiro é revestida de uma postura de pessoalidade expressa em um comportamento pouco ético e em
que se verifica a dificuldade de se cumprir normas sociais estabelecidas. Sob um comportamento característico de generosidade, de hospitalidade,
esconde-se um caráter que se aproveita da proximidade para se estabelecer o domínio do privado sob público. Seria então esse comportamento
típico do povo brasileiro de lidar com a coisa pública que contribuía para o atraso do país.
Embora não apresente uma análise marxista da realidade brasileira, Sérgio Buarque de Holanda traz a contribuição para a compreensão da
formação cultural do povo brasileiro, observando que a elite brasileira é empecilho para o desenvolvimento do país, uma vez que apresenta uma
cultura personalista, egocêntrica e privatista que teria dificultado e fortalece o caráter contratualista da sociedade brasileira.
Em sua obra Visão do paraíso (1959), ele consegue pela primeira vez intervir na visão estereotipada que os europeus tinham do Brasil.

QUADRO COMPARATIVO ENTRE OS GRANDES AUTORES DA FASE “B”

Teórico Gilberto Freyre Caio Prado Júnior Sérgio Buarque de Holanda


(1900-1987) (1907-1990) (1902-1982)
Compreender o papel social do negro Introduz a perspectiva marxista Inova ao trazer uma análise
Objetivo de
e mestiço na formação do povo no estudo da formação do Brasil weberiana da formação do Brasil.
estudo
brasileiro. contemporâneo.
Parte da concepção que o estudo da Realiza uma ruptura radical, tanto Em Raízes do Brasil, tem como
casa-grande × senzala possibilitaria com a classe que proveio, quanto objetivo realizar uma interpretação
um entendimento do sistema com o teor de sua teoria, onde se do processo de formação da
Visão do
econômico, político e social do afirmava como comunista, mas sociedade brasileira, com ênfase
sociólogo
nosso país. não se identificava com a corrente na herança cultural da colonização
majoritária que decidia os rumos do portuguesa.
PCB brasileiro.
Minimiza o caráter cruel e horripilante Propõe um modelo a ser seguido Na sua busca pela “essência”
do sistema escravocrata que reinou pelos movimentos operários, busca do brasileiro, postula o termo
no país. Enfatiza a permissibilidade de uma retomada da teoria marxista, “homem cordial”. Secreção de
convívio entre o senhor e o escravo. onde a revolução seria processo toda estrutura política, econômica
Marcas de suas
Constatação essa que justificaria a autônomo da classe trabalhadora, e social completamente instável de
obras
miscigenação brasileira, agora não não de modelos prontos enviados pela famílias patriarcas e escravocratas.
vista mais com caráter depreciativo. URSS. Solução não estava em uma
revolução democrática burguesa, mas
em uma revolução socialista.
Um dos responsáveis pelo projeto Fundamentava sua obra no instante da Tal herança da “frouxidão
político que inclui o ensino de transição entre a economia colonial para organizacional” ibérica trouxe-nos
sociologia nas escolas do Brasil. a economia nacional. Considerando uma dificuldade de distanciar-nos
Complemento
que estas carregavam consigo duas dos laços familiares, sobretudo
formas distintas de organização social. uma dificuldade de separar o
âmbito público do privado.

O integralismo e a intelectualidade de direita


O movimento intelectual da década de 30 não trouxe apenas pensadores de influência marxista ou liberal, mas também os de direitas,
ideólogos do integralismo. Outro movimento cultural conservador foi encabeçado pela Igreja Católica, o chamado Renascimento Católico, que
apresentou como seu porta-voz Alceu Amoroso Lima e Jackson de Figueiredo.
Destaque!
• Plínio Salgado
Destaca-se pelo seu integralismo, como um movimento nacionalista, anticomunista, antiliberal e antissemita. Via com desconfiança não só
o movimento modernizador da sociedade, mas também o liberalismo e o marxismo.
Depois de uma viagem à Itália em 1930 onde conheceu Mussolini, voltou decidido a fundar um movimento fascista no Brasil. Já em 1932,
publica o Manifesto de Outubro e participa da fundação da Ação Integralista Brasileira (AIB), que seria o meio de compatibilizar os aspectos
dicotômicos da sociedade brasileira, que, segundo ele, era estreitamente dualista.

F B O NLINE.COM.BR 4 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

A década de 40 ou Fase “C” Esse período foi de grande importância para o desenvolvimento
das ciências da sociedade, pois temas socioeconômicos eram
A Segunda Guerra Mundial foi à responsável pela emergência explorados por pensadores que tem repercussão até hoje; são eles:
e consagração dos Estados Unidos e da então URSS como potências Florestan Fernandes e Celso Furtado.
mundiais; ao fim da Guerra, selam acordo dividindo áreas de influência
• Florestan Fernandes (1920-1995)
soviéticas e norte-americanas, dividindo o mundo em dois blocos
Florestan Fernandes nasceu em 22 de julho de 1920, em São Paulo
político-econômicos rivais e inconciliáveis. O pensamento sociológico
e era proveniente de uma família extremamente humilde (sua mãe
pós-Estado Novo reflete as questões das novas e antigas nações. era lavadeira). Florestan começou a trabalhar aos 6 anos. Por não
A industrialização transforma radicalmente as relações sociais. O trabalho conseguir conciliar trabalho e estudo, parou de estudar aos 9 anos,
agrícola perdia sua importância em relação ao industrial. retomando os estudos somente aos 17.
Na década de 1940, os países adquiriam consciência de sua Iniciou sua vida acadêmica na Universidade de São Paulo (USP),
complexidade e de sua particularidade. Surgiram também nesta década formando-se no ano de 1943 em Ciências Sociais. Tornou-se mestre
os chamados “cronistas viajantes”, assim descritos por Octavio Ianni em 1947 e doutor em 1951. Foi professor universitário e, durante
(1926-2004), que nada mais eram do que intelectuais estrangeiros que, a ditadura militar, foi cassado e exilado no Canadá. Faleceu aos 75
fugindo da guerra na Europa, procuravam estruturas sociais diferentes, anos, em 1995.
sociedades que por sua diversidade poderiam realizar uma linha de Florestan foi um brilhante intelectual, excepcional professor, escritor
raciocínio diferente daquela já conhecida. Assim surge o interesse pela e político. Foi eleito deputado federal duas vezes pelo Partido dos
realidade brasileira. Trabalhadores. Em seus mandatos, preocupou-se em elaborar leis
Após 1945, a sociologia brasileira entra na sua fase de para melhorar a educação brasileira. Condenava a pedagogia
consolidação, também chamada de Fase “C”. Esta fase é marcada tradicional, pois acreditava que ela estava muito distante da
pela sistematização da aplicação de referenciais teóricos oriundos realidade brasileira e, principalmente, do processo social. Era um
da Europa e Estados Unidos, e esboços de novos conceitos mais entusiasmado defensor da escola pública.
adequados à realidade brasileira são desenvolvidos. Também ocorre Como marxista, acreditava que os trabalhadores deveriam estar
uma expansão do ensino de Sociologia e do uso mais sistemático bem informados, o que só ocorreria por meio da educação.
de técnicas de pesquisa. É neste período que surgem as obras de Sempre esteve engajado na luta por um melhor ensino. Durante
sua luta em defesa da escola pública, Florestan mostrou como um
sociólogos como Josué de Castro (1908-1973), Luiz Aguiar Costa
sociólogo pode sair do mundo acadêmico, do mundo da teoria, e
Pinto (1920-2002), Leôncio Martins Rodrigues (1934-), Juarez
partir para a prática, vinculando-se às lutas sociais. Como sociólogo
Brandão Lopes (1925-2011), Luiz Pereira (1933-1985), Octávio
socialista, demonstrou na teoria e na prática toda a sua preocupação
Guilherme Velho (1942-), entre outros. Alguns representantes da fase
com as classes menos favorecidas e combateu a desigualdade social.
de organização, como Caio Prado Júnior e Gilberto Freyre, continuam É chamado de pai da sociologia crítica no Brasil.
produzindo nesta época. Em tudo o que fez, quer como professor, escritor, político ou
Novos temas passam a ser abordados, tais como o processo sociólogo, sempre refletiu sobre as desigualdades socais e sobre
da revolução brasileira, a industrialização e a classe operária, o qual seria o papel da sociologia em relação a isso. Acreditava
subdesenvolvimento etc. Entre as obras de destaque deste período, que o sociólogo deveria participar ativamente para encontrar as
podemos citar: Campesinato e Capitalismo Autoritário, de Octávio transformações necessárias e a solução dos problemas sociais.
Guilherme Velho; Geografia da fome, de Josué de Castro; A Revolução Com suas ideias inovadoras, Florestan possibilitou aos sociólogos
Brasileira, de Caio Prado Júnior; Industrialização e Atitudes Operárias, um maior reconhecimento dessa profissão dentro da sociedade.
de Leôncio Martins Rodrigues. A partir deste período, a sociologia
VASCONCELOS, Ana. Base do Saber: Sociologia.
brasileira ganha maior autonomia, ultrapassando a mera importação 1ª ed. São Paulo: Rideel, 2009. pp 112-113
de ideias. Esboçou-se, assim, novos conceitos e “tipologias nacionais”.
O desenvolvimento da sociologia brasileira pós-45 pode ser Florestan Fernandes estudou na USP onde teve grande influência
explicado pelo desenvolvimento (intelectual e institucional) acumulativo de Roger Bastide, o qual desenvolveu com parceria de Florestan
da sociologia, pela institucionalização do período anterior, pela vinda um estudo sobre negros e a questão racial no Brasil, que originou
de sociólogos estrangeiros, pela formação de novos sociólogos mais umas de suas mais prestigiadas obras: A integração do negro na
profissionalizados e especializados e, principalmente, pelas mudanças sociedade de classes.
sociais. Dentre estas mudanças, cabe destaque para o chamado Florestan pregava a “sociologia militante”, que visava unir a teoria
“modelo de substituição de importações”, a ascensão do populismo, a com a prática. Essa busca em conciliar a teoria e a ação prática foi
ampliação da urbanização e industrialização, a expansão do sistema de uma grande marca em sua vida.
ensino (institutos de pesquisa, consolidação da comunidade científica), Entendia ele que a sociedade devia ser estudada por fundamentos
de sua organização e suas ocorrências históricas, os dilemas assim
o crescimento da demanda por títulos universitários, o aprofundamento
por ressaltado. Esse era motivo de sua concepção de análise, que por
da racionalização e a nova onda de desenvolvimento da sociologia
muitos foi definida como “histórico-cultural”. Na visão florestaniana
norte-americana e europeia no pós-guerra exerceram uma grande
a sociedade brasileira, por ter uma formação histórica peculiar,
influência no desenvolvimento da sociologia brasileira.
exigia uma abordagem com traços nítidos e definidos no estudo
das relações sociais.
Década de 50 Desenvolveu diversas obras, dentre elas podemos destacar:
A integração do negro na sociedade de classes; A revolução
A Segunda Guerra Mundial trouxe profundas desestruturações
burguesa no Brasil; Fundamentos empíricos da explicação
na sociologia mundial. Diversos intelectuais europeus migraram para
sociológica; e A sociologia numa era de revolução social.
América buscando novos ares para produzirem suas obras. Esses
“cronistas viajantes”, como já falamos, efervesceram o cenário • Celso Furtado (1920-2004)
sociológico, pois acharam aqui um panorama totalmente diferente Um dos grandes nomes do pensamento econômico, não só do Brasil,
da realidade onde eles viviam. mas como em toda a América Latina, sem dúvida foi Celso Furtado.

OSG.: 120126/17
5 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

Desenvolveu diversos trabalhos na área econômica, principalmente Os anos 60 e o golpe de 64


em parceria com a CEPAL (Comissão Econômica para a América
Latina), criando assim a escola “cepaliana”. E considerado o pai Na década de 60 a sociologia se preocupou com o processo de
da Economia Política Brasileira. industrialização do país, nas questões de reforma agrária e movimentos
Antes de Furtado, o pensamento econômico brasileiro era formado sociais na cidade e no campo e, a partir de 1964, o trabalho dos
por esquemas interpretativos, como o estabelecimento dos preços e sociólogos se voltou para os problemas sócio-políticos e econômicos
a lei da oferta e procura, os quais defendiam o interesse das classes originados pela tensão de se viver em um país cuja forma de poder
dominantes. é o regime militar.
Porém, Furtado, vem desmistificar toda essa ideologia, propondo Surgiu nessa época, também, a teologia da libertação, onde
uma interpretação histórica da realidade econômica. Defendia que setores da Igreja Católica passaram a radicalizar com seus pensamentos.
o subdesenvolvimento não correspondia a tinha etapa histórica, Nessa época, no Brasil, em que os militantes católicos se aproximaram
mas sim de formação econômica influenciada com o capitalismo dos movimentos no campo, surge a Comissão Pastoral da Terra (CPT),
internacional. entidade que está na origem do Movimento dos Trabalhadores Rurais
Analisava situações de países onde havia um notável desenvolvimento Sem Terra – MST. Essa mudança delineou-se já na metade da década de
industrial e o estágio agrário não tinha sido superado, como o caso 1950, configurando-se plenamente de 1960 em diante.
da maioria dos países latino-americano. A segunda questão diz respeito à derrogação do estatuto
Durante o governo de Goulart, Celso Furtado exerceu célebre da estabilidade, que até o ano de 1966 regeu a relação social de
trabalho como diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento contrato de compra e venda da força de trabalho e foi substituído
(atual BNDES) e, posteriormente, na SUDENE, este já no governo JK. pela sistemática do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.
Nessa época, Furtado era visto como o principal defensor dos A consideração do caráter despótico do poder imediato do capital
interesses do Brasil perante ao capitalismo internacional. sobre o trabalho levou a problematizar duas tomadas de posições
Suas principais obras são: Desenvolvimento e subdesenvolvimento, na produção de conhecimento existente, particularmente na área
livro que se amplia em volume posterior; Teoria e Política do de sociologia industrial e do trabalho. A primeira é a consideração
Desenvolvimento Econômico; Um projeto para o Brasil; A pré-- de relações de trabalho de dominação/subordinação de cunho
revolução brasileira; O Mito do Desenvolvimento Econômico, no patrimonialista na indústria brasileira. A segunda é sobre o caráter
qual ele levanta duas questões: a primeira delas diz respeito aos integração/ajustamento/adaptação do trabalhador na empresa
impactos do processo econômico no meio físico, na natureza – um industrial presente naquela consideração.
tema completamente alheio ao núcleo do pensamento tradicional Na década de 60, os estudos sobre a formação do moderno
na economia –; e a segunda se refere à constatação do caráter de operariado fabril no Brasil e na América Latina centravam-se em
mito moderno do desenvolvimento econômico. Porém seu clássico alguns binômios representativos: industrialização/urbanização;
é Formação Econômica do Brasil, obra esta que faz um estudo moderno/tradicional; migração rural/urbana; mobilidade social/
amplo e inédito da realidade histórica econômica do Brasil – do acesso aos bens materiais e simbólicos da sociedade moderna; o
tempo da colonização portuguesa aos dias atuais – e claro em meio urbano-industrial/baixa organização sindical dos trabalhadores.
relação à época em que ela foi escrita. As relações sociais no mundo do trabalho passam a ser
analisadas imbricadas com o mundo da vida, onde fatores como
Cabe destaque a obra de Guerreiro Ramos (1915-1982), família e redes de sociabilidade informais demonstram possuir um
A Redução Sociológica, um marco do pensamento sociológico peso antes desconsiderado.
brasileiro, publicada em 1958. O grande mérito desta obra é ter, A multiplicidade de fatores decorrentes dos contatos, conflitos
simultaneamente, criticado o colonialismo cultural existente no e acomodações de povos e culturas diversas; o contraste entre as
Brasil (inclusive Florestan Fernandes, uma de suas figuras mais sociedades em mudança e as culturas de folk remanescentes em
proeminentes) e defendido ideias inovadoras. Guerreiro Ramos toda a vasta extensão territorial; a variedade de paisagens culturais;
defendeu a necessidade de uma “consciência crítica da realidade e a contemporaneidade ou justaposição nas realidades concretas, de
nacional” em contraposição ao que denominou “sociologia séculos ou de “camadas históricas” deveriam certamente sacudir a
enlatada” ou “sociologia consular”. A deficiência da sociologia atenção e despertar o interesse pelo estudo científico dessas realidades
no Brasil, segundo ele, era derivada da dependência da sociedade sociais vivas e atuais.
brasileira. Segundo ele, esta deficiência da sociologia brasileira se
manifestava sob a forma de alienação, já que o sociólogo brasileiro Redemocratização
reproduzia a sociologia estrangeira de forma mecânica, servil e sem Com a abertura política nos anos 80, o país busca retomar
observar os seus pressupostos históricos, abrindo mão do senso sua identidade social. Durante o regime militar, muitos intelectuais
crítico em troca do prestígio de exibir os nomes estrangeiros ao foram aposentados e impedidos de lecionar; outros foram exilados
grande público. ou se exilaram por espontânea vontade, passando a publicar suas
A obra de Guerreiro Ramos teve repercussão inclusive em outros obras no exterior.
países, tal como o México, e além de apresentar uma discussão Tendo o fim do bipartidarismo, agora sendo pluripartidal, um
inovadora sobre a sociologia e problematizar a sociologia grande número de célebres pensadores brasileiros decidem deixar a
brasileira, principalmente seu caráter subsidiário da sociologia cátedra para ingressar na política.
estrangeira, acabou influenciando a produção sociológica brasileira Darcy Ribeiro (1922-1997), por exemplo; filia-se ao PTB
e contribuindo com sua maior independência em relação aos (Partido Trabalhista Brasileiro), este de Getúlio Vargas que reivindicava
cânones estrangeiros. Esta obra marca um processo de maturidade o nacionalismo e o populismo. Posteriormente ajuda Leonel Brizola
da sociologia brasileira, embora ainda permaneça, até os dias de a fundar o PDT (Partido Democrático Trabalhista). Outros nomes da
hoje, sendo uma sociologia enlatada. sociologia ajudaram a fundar o PSDB (Partido da Social Democracia
A fase seguinte da sociologia brasileira é que ocorre a partir Brasileira), como Fernando Henrique Cardoso, este assumindo a
da segunda metade dos anos 1960, mas já enquanto ciência Presidência da República em 1994, sendo o primeiro sociólogo na
consolidada. história assumir tal cargo.
Disponível em:<http://informecritica.blogspot.com.br/2011/05/formacao-da-sociologia- Entretanto o partido que mais se beneficiou com essa nova
brasileira.html> atuação dos cientistas sociais foi o PT (Partido dos Trabalhadores).

F B O NLINE.COM.BR 6 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

Nomes como Florestan Fernandes (1920-1995), Antônio Cândido Meu livro mostra por que caminhos e como nós viemos, criando
de Mello e Souza (1918-) e Francisco Weffort (1937-) foram alguns aquilo que eu chamo de Nova Roma com boa justificação...
que se engajaram na luta política do PT. Roma por quê? A grande presença no futuro da romanidade, dos
Esse engrossamento de intelectuais foi de imensa importância neolatinos é a nossa presença. Isso é o Brasil, uma Roma melhor
para o período histórico que o país vivia; tratava-se de uma integração porque mestiça, lavada em sangue negro, em sangue índio, sofrida
das teorias sociais e práticas políticas, e o resultado dessa parceria e tropical. Com as vantagens imensas de um mundo enorme que
viria em 1988, quando foi promulgada a nova Constituição do Brasil, não tem inverno e onde tudo é verde e lindo, e a vida é muito
a sétima em vigor porém a única com o emblema de “cidadã”, como mais bela... E é uma gente que acompanha esse ambiente com
descrita por Ulysses Guimarães. uma alegria de viver que não se vê em outra parte. Esse país
Percebe-se também nessa época uma grande diversificação das tropical, mestiço, orgulhoso de sua mestiçagem.... Isso é que me
ciências sociais em nosso país. É de se ressaltar que o Brasil sempre foi levou muito tempo. Entender como isso se fez.... Havia muita
um campo fértil para ciências sociais, devido a toda sua história, mas bibliografia sobre aspectos particulares, mas não uma visão de
no período em que referimos à multiplicidade dos campos de estudo, conjunto. Deixa eu contar pra vocês como isso se fez?
em especial na sociologia, surgem diversos estudos e análises sobre [...]
a questão feminina, do menor, das favelas, das artes, da violência No Brasil a mestiçagem sempre se fez com muita alegria, e se fez
urbana e rural, entre outras. desde o primeiro dia.... Eu prometi contar como. Imagina a seguinte
A sociologia se torna cada vez mais interdisciplinar e situação: uns índios colocados na praia e chamando outros:
plural no Brasil. Os sociólogos buscam redefinir seus conceitos de ‘Venham ver, venham ver, tem um trem nunca visto’. E achavam
interdependência em um mundo cada vez mais globalizado. Eis alguns que viam barcas de Deus, aqueles navios enormes com as velas
destaques: enfurnadas... ‘O que é aquilo que vem? Eles olhavam, encantados
com aqueles barcos de Deus, do Deus Maira chagando pelo mar
• Darcy Ribeiro (1922-1997) grosso. Quando chagaram mais perto, se horrorizaram. Deus
Darcy Ribeiro nasceu em 26 de outubro de 1922, em Minas Gerais. mandou pra cá seus demônios, só pode ser. Que gente! Que coisa
Cursou a Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo, formando- feia! Porque nunca tinham visto gente barbada – os portugueses
se em Ciências Sociais no ano de 1946, também especializando-se todos barbados, todos feridentos de escorbuto, fétidos, meses sem
em Antropologia. banho no mar... Mas os portugueses e outros europeus feiosos
Homem de grande cultura, Darcy Ribeiro foi etnólogo, antropólogo,
assim traziam uma coisa encantadora: traziam faquinhas, facões,
professor, educador, político, ensaísta e romancista.
machados, espelhos, miçangas, mas, sobretudo, ferramentas. Para
De 1947 a 1956, foi etnólogo do antigo Serviço de Proteção ao
o índio passou a ser indispensável ter uma ferramenta. Se uma
Índio. Estudou a vida dos índios de Mato Grosso, Amazonas, Paraná
tribo tinha uma ferramenta, a tribo do lado fazia uma guerra pra
e Santa Catarina. Criou o Parque Indígena do Xingú e fundou o
tomá-la.
Museu do Índio. Juntamente com a Organização Internacional do
Ao longo da costa brasileira se defrontaram duas visões de mundo
Trabalho (OIT), elaborou um manual sobre os aborígenes do mundo
completamente opostas: a selvageria e a civilização. Concepções
inteiro.
diferentes de mundo, da vida, da morte, do amor, se chocaram
Darcy lutou pelos povos indígenas e denunciou como a cultura e
cruamente. Aos olhos dos europeus os indígenas pareciam belos
a etnia indígena vinham e vêm sendo exterminadas.
Ele buscou explicar em sua obra, historicamente, como a questão seres inocentes, que não produziam nada que pudesse ter valor
indígena se iniciou, mas não somente explicou como, principalmente comercial. Serviam apenas para ser vendidos como escravos. Coma
buscou formas de resolver a situação dos indígenas. descoberta de que as matas estavam cheias de pau-brasil, o interesse
Criou a Universidade de Brasília (UnB), sendo também o primeiro mudou...
reitor dessa universidade. Foi Ministro da Educação em 1961 e Era preciso mão de obra para retirar a madeira’.”
chefe da Casa Civil durante o Governo de João Goulart.
Nesse livro, Darcy compara nossa história com a de outros países
Foi exilado político no Uruguai, durante o golpe militar de 1964.
da América. O trecho transcrito se inicia falando da mestiçagem
De volta ao Brasil, foi preso, julgado e absolvido, e novamente
brasileira e mostra, de forma bastante irônica e até divertida, como o
exilado, dessa vez na Venezuela. Retornou ao Brasil em 1979
indígena percebeu a chegada dos portugueses e como o português
e passou a lecionar na Universidade Federal do Rio do Janeiro
viu o indígena; foi o choque cultural de dois povos completamente
(UFRJ), tornando-se posteriormente Secretário da Cultura no
diferentes.
Rio de Janeiro, durante o governo de Leonel Brizola, e vice-
-governador em 1982. Em outro trecho, Darcy escreve:
Em 1990, eleito senador, defendeu vários projetos benéficos “Mas foi essa gente nossa, feita da carne de índios, alma de índios, de
ao povo. Foi secretário de Estado da Cultura e coordenador do negros, de mulatos, que fundou esse país. Esse ‘paizão’ formidável.
Programa Especial de Educação do Rio de Janeiro. Em 1992, foi Invejável. A maior faixa de terra fértil do mundo, bombardeada
eleito para ocupar a cadeira de número 11 da Academia Brasileira pelo sol, pela energia do sol. É uma área imensa, preparada para
de Letras. Faleceu em 17 de fevereiro de 1997. lavouras imensas, produtoras de tudo, principalmente de energia.
Darcy nos deixou uma vasta produção de livros e uma enorme A Amazônia devia ser um país, porque é tão diferente. O Nordeste,
contribuição para a educação brasileira. Também contribuiu com até a Bahia... outro país que é diferente. A Paulistânia e as Minas
a cultura em geral por meio de diversos ensaios. Gerais juntas são outra gente... O Sul, outra gente.... Esse povão
Em sua obra O povo brasileiro, ele escreveu: que está por aí pronto pra assumir como um povo em si e como
“Nós brasileiros, somos um povo em ser, impedido de sê-lo. um povo diferente, como um gênero humano novo dentro da Terra.
Um povo mestiço, na carne e no espírito, já que aqui a É claro que eu tinha de fazer um livro sobre o Brasil que refletisse
mestiçagem jamais foi crime ou pecado. Nela fomos feitos e ainda de certa forma isso. E li tudo que se falou do Brasil. Então estava
continuamos nos fazendo. Essa massa de nativos viveu por séculos preparado para fazer esse livro. E gosto dele. Tenho orgulho do
sem consciência de si.... Assim foi até se definir como uma nova fundo do peito de ter dado ao Brasil esse livro. É o melhor que eu
identidade étnico-nacional, a de brasileiros... [...] podia dar. Gosto muito disso.”

OSG.: 120126/17
7 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

Nesse livro, Darcy demonstra toda a sua paixão pelo Brasil, mostra Nas décadas que se seguiriam, no entanto, a sociologia
a construção do país e sua formação étnica, além de fazer uma no Brasil passou a voltar-se para os estudos que abordassem
brilhante análise da estrutura da sociedade. Também mostra a prioritariamente temas relacionados às classes trabalhadoras,
regionalização do Brasil e analisa as classes sociais, acreditando tratando assim de assuntos como salário, jornadas de trabalho,
que o país irá mudar, porém, acreditava que essa mudança viria ambientes de trabalho urbano e rurais, organizações e condições
por meio da democracia sem guerra. dos ambientes de trabalho, relações entre empregados e
No campo da sociologia e da antropologia, Darcy Ribeiro nos deu empregadores etc.
uma contribuição fundamental.
Especialmente a partir da década de 1960 se pode sentir
VASCONCELOS, Ana. Base do Saber: Sociologia. São Paulo: Rideel, 2009.
uma crescente preocupação com o processo de industrialização
• Fernando Henrique Cardoso (1931-) que se instaurava no país. Essa nova preocupação trouxe consigo
Nasceu no Rio de Janeiro em 18 de abril debates sociológicos que abordavam temas da reforma agrária e os

Agência Brasil
de 1931; já em 1949 começou a estudar novos problemas políticos e sociais que esse processo acarretava.
sociologia na USP onde lecionaria quatro Desde os anos de 1960 percebemos também uma instabilidade
anos mais tarde. Com o golpe de 64 se quanto a presença da disciplina de Sociologia em escolas de Ensino
exilou no Chile e Argentina. Trabalhou Básico. Inicialmente foi banida pelo regime militar, passou por um
como professor em diversas instituições pelo longo período (desde os anos de 1980) como disciplina facultativa,
mundo, como a Universidade de Nantere e sendo assim presente em poucas instituições, e voltou a integrar a
a Faculdade de Ciências Sociais de Santiago,
grade obrigatória em escolas do Ensino Médio apenas em 2009. Um
no Chile. Foi também nomeado diretor-
acontecimento que virou marco, uma grande conquista, pois há pouco
-adjunto do Instituto Latino-Americano de
tempo sociólogos eram perseguidos pela ditadura militar; também é
Planificação Econômica Social.
Em seus estudos sociológicos, pesquisou a evolução social um grande salto se levarmos em conta que a sociedade brasileira está
da América Latina e analisou a dependência dos países ainda “engatinhando” em busca de uma real democracia.
subdesenvolvidos no sistema internacional de produção É de se destacar a obra de José Pastore e Nelson do Valle
e comércio, este pensamento é descrito com clareza em Silva: Mobilidade Social no Brasil. Nesta obra os autores vêm trazer
suas obras: Dependência e Desenvolvimento na América os resultados da mobilidade social no Brasil, fazendo uma comparação
Latina (1969), esta escrita em parceria de Enzo Faleto; entre dados adquiridos nas décadas de 1970 e final dos anos 90. Este
e Política e Desenvolvimento em Sociedades Dependentes: trabalho apresenta ascendência de uma nova classe média que vem
ideologias do empresariado industrial argentino e brasileiro. se formando nas bases, afinal o Brasil é um país onde muitos sobem
Nesta fase, FHC, como ficou conhecido por seu acrônimo, se pouco, e poucos sobem muito, o que gera um inchaço na base da
destina à sociologia do desenvolvimento, porém ele também pirâmide social.
aprofundou-se pela sociologia política, pois teve um grande Nesta mesma obra, o prefácio ou à cargo de Fernando Henrique
destaque na política nacional, como já foi citado; foi senador- Cardoso, que diz:
-suplente de Franco Montoro em 1978 e assumiu a cadeira
“[...] a sociedade brasileira e dotada de imensa mobilidade
quando Montoro assumiu o governo de São Paulo; elegeu-
social. Essa mobilidade se deixa captar por vários índices e alguns
se novamente ao senado, agora pelo PSDB, partido esse que
deles merecem especial menção: entre 1973 e 1996, por exemplo,
ajudou a fundar. Em 1994, foi eleito Presidente de República;
reelegendo-se em 1998. os dados mostram que a maioria dos brasileiros melhorou de vida, ou
O ex-presidente do Brasil é um dos mais conhecidos sociólogos da seja, teve uma mobilidade ascendente; nesse período o extrato social
contemporaneidade, principalmente por ter se tornado um dos de renda superior cresceu 40%, passando de 3,5% para 4,9% do
ideólogos da corrente desenvolvimentista. Sua teoria sugere que total. Ao mesmo tempo, houve um estreitamento da base da pirâmide
os países subdesenvolvidos devem se associar entre si, buscando um social graças à redução em cerca de 25% das camadas pobres de
caminho capitalista alternativo para o desenvolvimento, livrando-se 32% para 24%.
da dependência das grandes potências. FHC era contrário à tese de [...] A nova classe média talvez seja apenas o aspecto mais
que os países do Terceiro Mundo só se desenvolveriam se fizessem visível de um processo que, movido por forças profundas como a
uma revolução socialista. reordenação dos espaços econômicos, o deslocamento de populações,
Atualmente é bastante assediado por sua atuação em movimentos e as mudanças nas estruturas produtivas com peso crescente do setor
pró-descriminalização das drogas. de serviços, vem revolucionando nosso entorno social.”
• Cristovam Buarque (1944-) Em outras palavras, a mobilidade social no Brasil começa a ser
Nascido em Recife no ano de 1944, o professor universitário e determinada por elementos de competição no mercado de trabalho, o
político Cristovam Buarque é autor da obra A segunda abolição, que é comum nos países mais desenvolvidos, onde o papel da educação
publicada em 1999, na qual trata do problema da pobreza no Brasil, é essencial no contexto mobi-social.
contribuindo no processo de evolução da sociologia brasileira.
Disponível em: <http://www.brasilcutura.com.br/sociologia/sociologia-no-brasil/>

Sociologia nos dias atuais A sociologia do século XXI torna-se, portanto, cada vez mais
A sociologia é uma ciência muito complexa, e para a realidade interdisciplinar e plural, busca cada vez mais sua posição perante as
brasileira ela tem uma particularidade. Mesmo vindo a aparecer ciências sociais, novos rumos e uma metodologia que se encaixe nos
como método sistemático científico no Brasil somente na década novos temas que aparecem diante de uma grande multiplicação nos
de 1930, o pensamento sociológico sempre existiu, tanto nas ideias objetos de estudos.
abolicionistas como nas republicanas, o losango em nossa bandeira
e símbolo do positivismo europeu trazido por estes idealizadores no
final do século XIX.

F B O NLINE.COM.BR 8 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

03. (UEL) O trecho abaixo, de autoria de Victor Nunes Leal, encontra-se


no clássico Coronelismo, Enxada e Voto, publicado em 1949.
Exercícios
E assim nos parece este aspecto importantíssimo do
“coronelismo”, que é o sistema de reciprocidade: de um
01. (FGV-HISTÓRIA) Se vamos à essência de nossa formação, veremos lado, os chefes municipais e os “coronéis”, que conduzem
que na realidade nos constituímos para fornecer açúcar, tabaco, magotes de eleitores como quem toca tropa de burros; de
alguns outros gêneros, mais tarde, ouro e diamantes; e depois outro, a situação política dominante no Estado, que dispõe
algodão, e em seguida café, para o comércio europeu. Nada mais do erário, dos empregos, dos favores e da força policial, que
que isto. possui, em suma, o cofre das graças e o poder da desgraça.
É claro, portanto, que os dois aspectos – o prestígio próprio dos
Caio Prado Jr. História Econômica do Brasil.
“coronéis” e o prestígio de empréstimo que o poder público
O extrato acima expressa lhes outorga – são mutuamente dependentes e funcionam
I. o caráter agroexportador de nossa formação econômica; ao mesmo tempo como determinantes e determinados.
II. os diferentes ciclos econômicos brasileiros em ordem Sem a licença do “coronel” – firmada na estrutura agrária do
cronológica; país –, o governo não se sentiria obrigado a um tratamento de
reciprocidade, e sem essa reciprocidade a liderança do “coronel”
III. a riqueza natural de nosso país como ponto positivo de sua
ficaria sensivelmente diminuída.
formação;
IV. o caráter economicamente dependente promovido por essa LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto.
formação; São Paulo: Alfa Ômega, 1986, 5ª ed., p. 43.
V. a igualdade nas relações econômicas do Brasil com o comércio Com base no texto e nos conhecimentos sobre a situação social e política
europeu. do país no período em questão, assinale a alternativa correta a respeito
das eleições e do sistema representativo no Brasil.
A) I, II e III estão corretas. B) II, III e IV estão corretas. A) A troca de favores entre chefes locais e poder público é algo
C) III, IV e V estão corretas. D) I, II e IV estão corretas. completamente superado pela democracia que se instaurou
E) II, IV, V estão corretas. no Brasil nos últimos 20 anos.
B) Independentemente da estrutura social e política, a prática da
02. (UFPR-HISTÓRIA) O nosso estilo de jogar futebol me parece troca de favores entre chefes locais e poder público continua
contrastar com o dos europeus por um conjunto de qualidades sendo o mecanismo primordial de relacionamento político no
de surpresa, de manha, de astúcia, de ligeireza e ao mesmo Brasil.
tempo de brilho e de espontaneidade individual em que se C) A troca de favores entre chefes políticos locais e poder público
exprime o mesmo mulatismo (...). Os nossos passes, os nossos ocorria graças aos “votos de cabresto”.
pitus, os nossos despistamentos, os nossos floreios com a bola, D) A troca de favores entre chefes políticos locais e poder público
o alguma coisa de dança e capoeiragem que marcam o estilo só acontecia porque os cidadãos lutavam por seus direitos.
brasileiro de jogar futebol, que arredonda e às vezes adoça o E) A troca de favores entre os chefes políticos e o poder público foi
jogo inventado pelos ingleses e por eles e por outros europeus a maneira encontrada por ambos para defender os interesses
jogado tão angulosamente, tudo isso parece exprimir de modo públicos e republicanos.
interessantíssimo para os psicólogos e os sociólogos o mulatismo
flamboyant e, ao mesmo tempo, malandro que está hoje em tudo 04. (UEL) Em relação ao processo de formação social no Brasil, o
que é afirmação verdadeira do Brasil. sociólogo Florestan Fernandes escreveu:

FREYRE, Gilberto. Sociologia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1945, p. 421-422. Lembremo-nos de que da vinda da Família Real, em 1808,
da abertura dos portos e da Independência, à Abolição em 1888,
Parte significativa da leitura sociológica que existe sobre o futebol à Proclamação da República e à “revolução liberal”, em 1930,
brasileiro é devedora à análise que o sociólogo Gilberto Freyre faz decorrem 122 anos, um processo de longa duração, que atesta
da “essência” do homem brasileiro. A partir do texto acima, é claramente como as coisas se passaram. Esse quadro sugere, desde
correto afirmar: logo, a resposta à pergunta: a quem beneficia a mudança social?
A) Para Freyre, o nosso estilo de jogar resulta da soma da FERNANDES, F. “As Mudanças Sociais no Brasil.”
desobediência às regras do futebol com o individualismo típico In: IANNI, Octavio (org.) Florestan Fernandes:
Coleção grandes cientistas sociais. São Paulo: Ática, 1986, p. 155-156.
do mulato brasileiro.
B) Freyre afirma que o jeito brasileiro de jogar futebol é herdado De acordo com o texto e os conhecimentos sobre o tema, em
da disciplinada cultura europeia; nega, portanto, a herança da relação à indagação feita pelo autor, é correto afirmar que a
espontaneidade dos movimentos deixada pelos escravos. mudança social beneficiou
C) Como o futebol no Brasil foi introduzido por imigrantes A) fundamentalmente os trabalhadores, uma vez que as liberdades
europeus, que vieram para substituir o trabalho do escravo políticas e as novas formas de trabalho aumentaram a renda.
negro entre o final do século XIX e início do XX, Freyre conclui B) os grupos sociais que dispunham de capacidade econômica
que o caráter do homem brasileiro evidencia a negação da e poder político para absorver os efeitos construtivos das
cultura negra e escrava enquanto influência sobre o “nosso alterações ocorridas na estrutura social.
estilo de jogar futebol”. C) a elite monárquica, pois ao monopolizar o poder político impediu
que outros grupos sociais pudessem surgir e ter acesso aos efeitos
D) Para o autor, a forma malandra de nosso mulatismo ao jogar o futebol
construtivos das alterações na estrutura social.
é uma das manifestações da essência do caráter do brasileiro.
D) os grupos sociais marginalizados ou excluídos, pois, em
E) A espontaneidade individual, os excessivos floreios, próprios decorrência deste processo, passaram a fazer parte do processo
de nossa forma malandra de viver e jogar o futebol – todos produtivo.
herdados de nosso passado escravista –, são vistos por Gilberto E) a população negra, uma vez que a alteração na estrutura da
Freyre como indícios do subdesenvolvimento cultural do sociedade criou novas oportunidades de inserção social.
brasileiro.
OSG.: 120126/17
9 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

05. (UEL/2005) A falta de coesão em nossa vida social não o contrário. Falta-lhe a plástica impecável, o desempenho, a
representa, assim, um fenômeno moderno. E é por isso que estrutura corretíssima das organizações atléticas. [...] Entretanto,
erram profundamente aqueles que imaginam na volta à tradição, toda essa aparência de cansaço ilude. Nada é mais surpreendedor
a certa tradição, a única defesa possível contra nossa desordem. do que vê-la desaparecer de improviso. Naquela organização
Os mandamentos e as ordenações que elaboraram esses eruditos combalida, operam-se, em segundos, transmutações completas.
são, em verdade, criações engenhosas de espírito, destacadas do Basta o aparecimento de qualquer incidente exigindo-lhe o
mundo e contrárias a ele. Nossa anarquia, nossa incapacidade desencadear das energias adormecidas. O homem transfigura-
de organização sólida não representam, a seu ver, mais do que se. Empertiga--se, estadeando novos relevos, novas linhas na
uma ausência da única ordem que lhes parece necessária e eficaz. estatura e no gesto; e a cabeça firma-se-lhe, alta, sobre os
Se a considerarmos bem, a hierarquia que exaltam é que precisa ombros possantes aclarada pelo olhar desassombrado e forte;
de tal anarquia para se justificar e ganhar prestígio. e corrigem-se-lhe, prestes, numa descarga nervosa instantânea,
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. todos os efeitos do relaxamento habitual dos órgãos; e da figura
São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 33. vulgar do tabaréu canhestro reponta, inesperadamente, o aspecto
dominador de um titã acobreado e potente, num desdobramento
Caio Prado Júnior, Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda surpreendente de força e agilidade extraordinárias.
são intelectuais da chamada “Geração de 30”, primeiro momento CUNHA, Euclides. Os Sertões: campanha de Canudos. 2. ed.
da sociologia no Brasil como atividade autônoma, voltada para São Paulo: Ateliê Editorial, 2001. Adaptado.
o conhecimento sistemático e metódico da sociedade. Sobre
as preocupações características dessa geração, considere as Sobre a obra da qual foi extraído o fragmento em evidência,
afirmativas a seguir. muito conhecida pela análise histórica que faz sobre a Guerra de
I. Critica o processo de modernização e defende a preservação Canudos (1897), mas que realiza um grande exame sobre a terra
das raízes rurais como o caminho mais desejável para a ordem e o homem do Nordeste, através de uma ótica permeada pelo
e o progresso da sociedade brasileira; positivismo, é correto afirmar:
II. Promove a desmistificação da retórica liberal vigente e a denúncia A) Tratou da relação entre o privado e o público como uma
da visão hierárquica e autoritária das elites brasileiras; peculiaridade do modo de ser brasileiro.
III. Exalta a produção intelectual erudita e escolástica dos bacharéis B) Fez, nesse trecho, uma alusão à obra de Sérgio Buarque de
como instrumento de transformação social; Holanda – Raízes do Brasil.
IV. Faz a defesa do cientificismo como instrumento de compreensão C) Analisou a unidade nacional, baseando-se em diferenças
e explicação da sociedade brasileira. regionais, culturais e éticas.
D) Enfatizou a miscigenação como uma novidade cultural da
Estão corretas apenas as afirmativas colonização portuguesa.
A) I e III B) I e IV E) Construiu um perfil psicológico do brasileiro baseado na força
C) II e IV D) I, II e III dos sertanejos.
E) II, III e IV
08. (UEL/2011) Leia o texto a seguir.
06. (Enem/2009) “Formou-se na América tropical uma sociedade agrária Na verdade, a ideologia impessoal do liberalismo democrático
na estrutura, escravocrata na técnica de exploração econômica, jamais se naturalizou entre nós. Só assimilamos efetivamente esses
híbrida de índio – e mais tarde de negro – na composição. Sociedade princípios até onde coincidiram com a negação pura e simples de
que se desenvolveria defendida menos pela consciência de raça, do uma autoridade incômoda, confirmando nosso instintivo horror às
que pelo exclusivismo religioso desdobrado em sistema de profilaxia hierarquias e permitindo tratar com familiaridade os governantes.
social e política. Menos pela ação oficial do que pelo braço e pela
HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 160.
espada do particular. Mas tudo isso subordinado ao espírito político
e de realismo econômico e jurídico que aqui, como em Portugal, foi O trecho de Raízes do Brasil ilustra a interpretação de Sérgio
desde o primeiro século elemento decisivo de formação nacional; Buarque de Holanda sobre a tradição política brasileira. A esse
sendo que entre nós através das grandes famílias proprietárias e respeito, considere as afirmativas a seguir.
autônomas; senhores de engenho com altar e capelão dentro de I. As mudanças políticas no Brasil ocorreram conservando
casa e índios de arco e flecha ou negros armados de arcabuzes às elementos patrimonialistas e paternalistas que dificultam a
suas ordens”. consolidação democrática;
II. A política brasileira é tradicionalmente voltada para a recusa das
De acordo com a abordagem de Gilberto Freyre sobre a formação
relações hierárquicas, as quais são incompatíveis com regimes
da sociedade brasileira, é correto afirmar que
democráticos;
A) a colonização na América tropical era obra, sobretudo, da
III. As relações pessoais entre governantes e governados
iniciativa particular.
inviabilizaram a instauração do fenômeno democrático no país
B) o caráter da colonização portuguesa no Brasil era exclusivamente
com a mesma solidez verificada nas nações que adotaram o
mercantil.
liberalismo clássico;
C) a constituição da população brasileira esteve isenta de
IV. A cordialidade, princípio da democracia, possibilitou que se
mestiçagem racial e cultural.
enraizassem, no país, práticas sociais opostas aos princípios
D) a Metrópole ditava as regras e governava as terras brasileiras
do clientelismo político.
com punhos de ferro.
E) os engenhos constituíam um sistema econômico e político, Assinale a alternativa correta.
mas sem implicações sociais. A) Somente as afirmativas I e II são corretas.
B) Somente as afirmativas I e III são corretas.
07. (Unicentro/2012) O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não C) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
tem o raquitismo exaustivo dos mestiços neurastênicos do litoral. D) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
A sua aparência, entretanto, ao primeiro lance de vista, revela E) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

F B O NLINE.COM.BR 10 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

09. (Unicentro/2011) No Brasil, o pensamento sociológico se A partir deste texto e do conhecimento da sociologia a respeito
desenvolve a partir da década 30, do século passado, com a da questão racial em nosso país, é possível afirma que
fundação da Universidade de São Paulo e o crescimento da A) autores como Gilberto Freyre, Florestan Fernandes, Fernando
produção científica. Sobre o desenvolvimento dessa ciência no Henrique Cardoso, Darcy Ribeiro, entre outros tantos autores,
Brasil, no século XX, é correto afirmar: são importantes por chamarem a atenção do país para o papel
A) Os sociólogos desse período buscavam descrever o país por dos negros na construção do Brasil e da brasilidade, e as formas
meio de estudos naturalistas. de exclusão explícitas e implícitas que sofreram.
B) Os grandes nomes desse período foram Euclides da Cunha, B) apesar de relevante a luta contra o preconceito racial, o estudo
Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda. da África só diria respeito ao conhecimento do passado,
C) As duas preocupações dos sociólogos eram a aculturação do período do Descobrimento do Brasil até a abolição da
indígena e a modernização do sistema político brasileiro. escravidão entre nós.
D) A orientação das análises sociológicas estava voltada para as C) estudar a África só nos indicaria a captura e a escravidão de
discussões mundiais ditadas por países como França e Inglaterra. diferentes povos africanos, tendo em vista que raça e o racismo
E) O interesse dos intelectuais desse período estava voltado para o são categorias ideológicas as quais servem para encobrir as
conhecimento do Brasil real, do povo, em oposição às análises fortes tensões sociais existentes entre a imensa classe de pobres
etnocêntricas anteriores. e o seu oposto, a dos ricos.
D) a autora quer dizer que devemos hoje operar cada vez mais
10. (Enem/2015) Em sociedade de origens tão nitidamente com categorias, tais como a especificidade da raça negra, da
personalistas como a nossa, é compreensível que os simples raça branca, da raça amarela e outras mais.
vínculos de pessoa a pessoa, independentes e até exclusivos
E) nenhuma das alternativas está correta.
de qualquer tendência para a cooperação autêntica entre
os indivíduos, tenham sido quase sempre os mais decisivos.
As agregações e relações pessoais, embora por vezes precárias, 13. (Unioeste/2010) Tendo por base o texto abaixo, do antropólogo
e, de outro lado, as lutas entre facções, entre famílias, entre brasileiro Darcy Ribeiro, assinale o(s) item(s) que melhor
regionalismos, faziam dela um todo incoerente e amorfo. corresponde(m) às suas ideias.
O peculiar da vida brasileira parece ter sido, por essa época, uma Nessa confluência, que se dá sob a regência dos portugueses,
acentuação singularmente enérgica do afetivo, do irracional, do matrizes raciais díspares, tradições culturais distintas, formações
passional e uma estagnação ou antes uma atrofia correspondente sociais defasadas se enfrentam e se fundem para dar lugar a um
das qualidades ordenadoras, disciplinadoras, racionalizadoras. povo novo (...), num novo modelo de estruturação societária. Novo
porque surge como uma etnia nacional, diferenciada culturalmente
HOLANDA, S.B. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia.das Letras, 1995.
de suas matrizes formadoras, fortemente mestiçada, dinamizada
Um traço formador da vida pública brasileira expressa-se, segundo por uma cultura sincrética e singularizada pela redefinição de traços
a análise do historiador, na culturais dela oriundos. Também novo porque se vê a si mesmo e é
A) rigidez das normas jurídicas. visto como uma gente nova, um novo gênero humano diferente de
B) prevalência dos interesses privados. quantos existem (...)
C) solidez da organização institucional. A confluência de tantas e tão variadas matrizes formadoras
D) legitimidade das ações burocráticas. poderia ter resultado numa sociedade multiétnica, dilacerada pela
E) estabilidade das estruturas políticas. oposição de componentes diferenciados e imiscíveis. Ocorreu
justamente o contrário, uma vez que, apesar de sobreviverem
11. (UEL/2011) Na primeira metade do século XX, o desenvolvimento na fisionomia somática e no espírito dos brasileiros, os signos de
social brasileiro foi marcado por intensos debates a respeito do sua múltipla ancestralidade não se diferenciaram em antagônicas
processo de modernização do país. De acordo com esses debates: minorias raciais, culturais ou regionais, vinculadas a lealdades
I. O país era apresentado, por algumas correntes de pensamento, étnicas próprias e disputantes de autonomia frente à nação.
como sendo de vocação agrícola;
RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro. São Paulo:
II. O desenvolvimento social e econômico do país passaria, Companhia das Letras, 2004, 19-20 [1995].
necessariamente, pela modernização do campo;
III. O atraso brasileiro decorria de sua origem feudal, aqui I. O Brasil é um país fundamentalmente multicultural,
reproduzida mediante a relação entre senhor e escravo; evidenciando-se no cotidiano o antagonismo entre os diferentes
IV. A expansão da economia capitalista no campo seria fundamental
povos que migraram para cá e os povos nativos;
para eliminar os focos de pobreza e os movimentos sociais de
II. O povo brasileiro na realidade é uma ficção, pois sob a
caráter agrário. Assinale a alternativa correta.
aparência de um apaziguamento de etnias e culturas diferentes,
A) Somente as afirmativas I e II são corretas. o que se tem são etnias minoritárias em luta para sobreviverem.
B) Somente as afirmativas I e IV são corretas. III. A teoria da miscigenação, que o autor compõe, expressa que,
C) Somente as afirmativas III e IV são corretas. apesar dos vários e acentuados embates que as diferentes
D) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. etnias experimentaram, surgiu uma nova realidade cultural,
E) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. na qual as culturas e povos foram misturados de forma única
e inseparável, originando os atuais brasileiros;
12. (Unioeste/2011) Na segunda metade do século XX, a tendência IV. Quaisquer das práticas de distinção entre os brasileiros, seja
à superação das ideias racistas permitiu que diferentes povos por “raça”, “regionalismo”, “origem”, bem como práticas
e culturas fossem percebidos a partir de suas especificidades. como ações afirmativas para grupos étnicos minoritários,
Grupos de negros pressionaram pela adoção de medidas legais corresponderiam às características próprias do modo de ser
que garantissem a eles igualdade de condições e combatessem do povo brasileiro;
a segregação racial. Chegamos então ao ponto em que nos V. O povo brasileiro, em seus tipos regionais, expressaria modos
encontramos, tendo que tirar o atraso de décadas de descaso de ser que têm suas raízes no encontro de índios, negros e
por assuntos referentes à África. brancos, e, posteriormente, nas novas etnias migrantes, sem
Marina de Mello e Souza. “A descoberta da África”. RHBN, ano 4, contudo perder a sua unidade e especificidade ou deixar de
n. 38, novembro de 2008, p.72-75. ser uma única gente.

OSG.: 120126/17
11 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

Assinale a alternativa correta. Resoluções


A) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
B) Apenas as afirmativas III e IV estão corretas. 01. O texto de referência faz uma crítica ao nosso país ao mostrar ao
C) Apenas as afirmativas III e V estão corretas. leitor que a riqueza natural de nosso país foi explorada de maneira
D) Apenas a afirmativa IV está correta. exacerbada pelos colonizadores, o que acabou por ocasionar
E) Todas as afirmativas estão corretas. um processo desigual nas relações econômicas do Brasil com o
comércio estrangeiro, sobretudo, o europeu.
14. (Unioeste/2010) Observando o parágrafo abaixo e as afirmações
que se seguem, seria correto dizer que, em Casa-Grande & Resposta: D
Senzala, Gilberto Freyre refuta as teses que atribuem o “atraso”
da sociedade brasileira à miscigenação, o que é por muitos
considerado um ponto de vista inovador. 02. A questão não exige conhecimento específico, mas trata de uma
I. Suas concepções podem assim mesmo ser consideradas interpretação do texto de Freyre que aborda a miscigenação
conservadoras por enfatizar a harmonia das relações entre as cultural brasileira e sua associação à arte de jogar futebol no Brasil.
etnias constitutivas da sociedade brasileira, sobretudo entre
brancos e negros; Resposta: D
II. Freyre faz, no livro citado acima, um elogio à colonização
portuguesa no Brasil. Decorrem desse fato as críticas que recebe
03. Ao adentrar nas raízes da desigualdade social na cultura
por parte daqueles que vêm justamente no tipo de colonização
política brasileira, temos que nos reportar ao âmbito da
que tivemos a origem do atraso nacional;
sociedade escravocrata; os homens livres e pobres, sujeitos ao
III. Adotando pontos de vista e procedimentos muito distintos em
favor dos senhores de terras, amesquinharam-se na sombra
relação aos de Freyre, Florestan Fernandes foi um dos autores que,
de suas dádivas. A cultura política da dádiva sobreviveu ao
na busca de explicações para aspectos da sociedade brasileira,
domínio privado das fazendas e engenhos coloniais, sobreviveu
enfatizou muito mais as mudanças sociais do que equilíbrio;
à abolição da escravatura, expressou-se de uma forma
IV. O principal ponto de convergência entre Freyre e Florestan é
peculiar no compromisso coronelista e chegou até nossos
que com a progressiva industrialização da sociedade brasileira
dias. O coronelismo é a manifestação do poder privado –
os negros não ocupam, necessariamente, um lugar marginal.
dos senhores de terra – que coexiste com um regime político de
A) Todas as afirmativas estão corretas. extensa base representativa. A força dos coronéis provinha dos
B) Apenas as afirmativas I e III estão corretas. serviços que prestavam ao chefe do Executivo, para preparar seu
C) Apenas as afirmativas II e III estão corretas. sucessor nas eleições, e aos membros do Legislativo, fornecendo-lhes
D) Apenas as afirmativas III e IV estão corretas. votos e assim ensejando sua permanência em novos pleitos, o
E) Apenas a afirmativa I está correta. que tornava fictícia a representação popular, em virtude do voto
“manipulado”. ertas atribuições, tais como eleger o governador e
15. (Enem/2015) o prefeito, criar certos impostos, foram retiradas do poder central
Texto I e transferidas para os estados e municípios. Essa descentralização,
Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a história, introduzida pela República, fortaleceu o poder local. Algumas
resistiu até o esgotamento completo. Vencido palmo a palmo, na características do sistema coronelista ainda perduram em nosso
precisão integral do termo, caiu no dia 5, ao entardecer, quando país: o mandonismo, o filhotismo, o nepotismo, o falseamento
caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram do voto e a desorganização dos serviços locais.
quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na
frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados. Resposta: B
CUNHA, E. Os sertões. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.
04. A pergunta feita por Florestan Fernandes é retórica, dado que
Texto II a resposta é percebida nas entrelinhas do texto: o processo de
Na trincheira, no centro do reduto, permaneciam quatro mudança social no Brasil entre 1822 e 1930 deu-se com a queda
fanáticos sobreviventes do extermínio. Era um velho, coxo por do império e da Primeira República, mas com a manutenção de
ferimento e usando uniforme da Guarda Católica, um rapaz de uma estrutura social de desigualdade e com o domínio de uma
16 a 18 anos, um preto alto e magro, e um caboclo. Ao serem classe social sobre as outras. Sendo assim, claro é que os principais
intimados para deporem as armas, investiram com enorme fúria. beneficiados foram aqueles que tiveram capacidade econômica e
Assim estava terminada e de maneira tão trágica a sanguinosa poder político para absorver os efeitos das transformações sociais.
guerra, que o banditismo e o fanatismo traziam acesa por longos
meses, naquele recanto do território nacional. Resposta: B
SOARES, H.M. A Guerra de Canudos. Rio de Janeiro: Altina,1902.
05. Todos os três autores (Caio Prado Júnior, Gilberto Freyre e Sérgio
Os relatos do último ato da Guerra de Canudos fazem uso de Buarque de Holanda) fazem análises do Brasil tendo em conta o
representações que se perpetuariam na memória construída sobre seu processo de modernização. É possível identificar em todos
o conflito. Nesse sentido, cada autor caracterizou a atitude dos uma crítica à retórica liberal e a defesa de instrumentos mais
sertanejos, respectivamente, como fruto da científicos para interpretar a sociedade brasileira. Não é por acaso
A) manipulação e incompetência. que eles são considerados justamente os autores de transição de
B) ignorância e solidariedade. uma sociologia ensaísta para a sociologia científica no Brasil.
C) hesitação e obstinação.
D) esperança e valentia. Resposta: C
E) bravura e loucura.

F B O NLINE.COM.BR 12 OSG.: 120126/17

//////////////////
Módulo de Estudo

06. A discussão sobre a formação social do Brasil se confunde com 09. Os três grandes nomes da sociologia no período foram Gilberto
o próprio surgimento da sociologia brasileira. Quando, ainda na Freyre, Sérgio Buarque de Holanda e Caio Prado Júnior. Tais
década de 30, surgiram entre nós os primeiros sociólogos, todos intelectuais foram particularmente importantes pelas contribuições
eles tinham uma preocupação central em comum: afinal, quem que deram à compreensão da sociedade brasileira, sendo até
somos nós? O que significa ser brasileiro? Qual é a identidade hoje reconhecidos na formação do pensamento brasileiro.
nacional do Brasil? Naturalmente, as respostas formuladas pelos Posteriormente, autores como Antonio Candido e Florestan
pensadores do período foram as mais variadas, no entanto, todos Fernandes também ganharam prestígio com temas correlatos.
eles procuraram encontrar na história brasileira, na formação de
nossa sociedade, as raízes de sua identidade. Assim, é dos anos Resposta: E
30 esse debate sobre a brasilidade.
Dentre todos os sociólogos nacionais, porém, nenhum deles se 10. O célebre Sérgio Buarque de Holanda faz uma análise profunda do
compara a Gilberto Freyre. Defendido ou amaldiçoado, compreendido comportamento social em relação aos processos ordenadores da
ou não, mas nunca ignorado, Freyre é certamente o maior sociedade brasileira. Ele dialetiza o particularismo e o personalismo
pensador de nossas terras. Como seria natural, a sua obra máxima, da origem histórica nacional com o fato de interpretar que qualquer
Casa-Grande & Senzala, versa justamente sobre a formação social mais decisiva alteração tenha ocorrido em face da agregação ou
do Brasil e sobre a identidade de nossa pátria. Aliás, o que tornou vinculação mutualista de interesses. Porém, situa esse fenômeno
o autor tão significativo, foi justamente a maneira inovadora pela como incomum, escasso. O fragmento está inserido no livro Raízes
qual ele interpretou o Brasil. Até então era comum, sobretudo por Brasil, informação importante ao aluno que deve compreender
influência do darwinismo social, considerar-se que a miscigenação, que se trata de uma análise antropológica e sociológica, de
isto é a mistura de etnias, é um mal que enfraquece nações. consequências jurídicas, quanto ao ordenamento da estrutura
Freyre, por sua vez, via na mistura de raças e povos que compõe geral da sociedade em questão. O regionalismo próprio dos
o Brasil a grande riqueza de nossa nação. Para ele, o elemento primeiros tempos coloniais; os demais segmentos; os interesses
fundante da identidade nacional é o fato de que somos diversos, políticos a serviço de determinados grupos demonstram uma
que a brasilidade foi constituída pela síntese entre a cultura forma de ”privatização” do encaminhamento e desenvolvimento
portuguesa dos colonizadores, as matrizes originárias indígenas das políticas sociais como instrumentos ordenadores da vida
e as influências trazidas pelos africanos. Para Freyre, mais do que pública.
uma mera justaposição de elementos culturais diversos, o que o
nosso país realizou foi a construção de uma pátria capaz de lidar Resposta: B
com as diferenças. Diante de tudo isso, é fácil de entender o texto
do enunciado e marcar como correta a alternativa A. Ela ressalta 11. E estes debatem ainda continuam. A partir da década de 1960,
justamente o quanto nossa colonização não se deu de maneira o campo tornou-se objeto de grandes transformações, ao
violenta, mas sim com pouca força do Estado. A alternativa B está mesmo tempo em que o êxodo rural ocorreu, no entanto, vindo
incorreta, pois como o texto mostra, os portugueses trouxeram tardiamente. A vocação agrícola eleva a economia do país e
antes sua fé do que o comércio. A alternativa C é a contradição beneficia inúmeras pessoas que dela dependem, como produtores
e consumidores.
frontal de tudo o que Freyre pensava. A alternativa D erradamente
acentua o papel do Estado, como se a colonização fosse violenta.
Por fim, é evidente que, ao contrário do que diz a E, os engenhos Resposta: D
tinham papel social importante na colonização.
12. O estudo da África passou a fazer sentido quando o racismo e as
ideias de raça deixaram de fazer parte da linguagem científica,
Resposta: A
sendo considerados como mera construção ideológica.

07. A obra de Euclides da Cunha é famosa pela sua análise do Resposta: D


sertanejo, pela originalidade que apresenta seu perfil psicológico
e pela forma como ele enxerga a sociedade brasileira. Ainda 13. Com uma boa leitura do texto é possível ao aluno responder de
que seja uma obra de grande relevância, ela geralmente não maneira correta à questão. Darcy Ribeiro defende o argumento
é considerada como obra sociológica (se comparada às obras de que, apesar de possuir tanto matrizes raciais quanto tradições
de Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, por exemplo) culturais distintas, o Brasil se constituiu em um povo com uma
devido à presença marcante da ideologia racial, determinista e cultura nova, sincrética e singularizada. Somente as afirmativas
evolucionista e, também, ao seu caráter eminentemente literário. III e V estão de acordo com esse argumento.

Resposta: E Resposta: C

08. O modo com o qual a política brasileira se propõe é somente 14. A comparação entre Gilberto Freyre e Florestan Fernandes
um dos obstáculos para a consolidação da democracia no Brasil. exige do aluno um bom conhecimento a respeito da sociologia
Holanda atenta para o problema da igualdade civil, onde os brasileira. Pode-se dizer que todas as afirmativas estão corretas.
direitos fundamentais da pessoa humana e social devem ser Tanto Gilberto Freyre quanto Florestan Fernandes buscaram
pensados em âmbito político, proporcionando a viabilização da compreender a inserção do negro na sociedade brasileira, ainda
igualdade entre as pessoas. que por perspectivas bastante diversas. Vale ressaltar que a análise
de Freyre é bem mais otimista que a de Fernandes.
Resposta: B
Resposta: A

OSG.: 120126/17
13 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

15. Mais uma vez a prova do Enem traz a perspectiva que o mesmo
fato histórico pode ser visto e interpretado de formas diferentes.
A narração de Euclides da Cunha reforça a bravura dos últimos
remanescentes ao mencionar que ”Canudos não se rendeu.
Exemplo único em toda a história”. Já o texto de Soares ao
mencionar que ”permaneciam quatro fanáticos (...) Ao serem
intimados para deporem armas, investiram de enorme fúria” pode
indicar a loucura dos poucos sobreviventes ante ao forte aparato
militar do Estado. Convém lembrar que Canudos foi resultado do
quadro geral de abandono social e concentração fundiária que
marcou a República Velha.

Resposta: E

SUPERVISOR/DIRETOR: Marcelo Pena – AUTOR: João Saraiva


DIG.: Georgenes – 17/10/17 – REV.: Mayara

OSG.: 120126/17
14 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////