Você está na página 1de 25

1.

Sobre a adoção no Código Civil é correto afirmar: *

a) o adotante há de ser pelo menos dezoito anos mais velho que o adotado.
b) o tutor ou o curador poderá adotar o pupilo ou o curatelado enquanto não der contas de
sua administração e não saldar o débito.
c) a adoção depende de consentimento dos pais ou dos representantes legais, de quem
se deseja adotar, e da concordância deste, se contar mais de dez anos.
d) é possível a adoção por ambos os cônjuges ou companheiros, comprovada a
estabilidade da família.

2. Os alimentos estipulados em escritura pública (Lei n 11.444/07) de separação ou


divórcio: *
a) Não autorizam a prisão civil do devedor dos alimentos se o beneficiário for menor.
b) Autorizam a prisão civil do devedor dos alimentos se o beneficiário for menor.
c) Não autorizam a prisão civil do devedor dos alimentos, procedimento vedado pela
Constituição Federal.
d) Autorizam a prisão civil do devedor de alimentos, em razão da natureza do crédito.
e) Nenhuma resposta correta.

3. Em relação aos alimentos, assinale a alternativa correta: *

a) A obrigação alimentar possui como característica básica ser irrenunciável, não poder
ser restituída ou compensável e ser intransmissível.
b) No atual Código Civil, o cônjuge eventualmente declarado culpado pela separação não
sofre qualquer restrição em seu direito de pedir alimentos ao outro cônjuge.
c) A possibilidade de os filhos maiores pedirem alimentos aos pais continua a existir após
se atingir a maioridade, em razão da continuação do poder familiar que esses exercem
sobre os filhos necessitados.
d) Eles não servem apenas para garantir as necessidades básicas do alimentando, mas
também para preservar a condição social de quem os pleiteia.

4. Marque a opção correta. O direito a alimentos pode ser cobrado pelos: *

a) avós, na falta dos filhos, aos netos e bisnetos, indistintamente.


b) filhos aos pais, ou na falta destes, aos avós, sem reciprocidade.
c) filhos, na falta dos pais, aos avós.
d) filhos, na falta dos pais, diretamente aos tios.

5. A respeito da obrigação alimentar dos avós, assinale a opção correta: *

a) Conforme dispõe o Código Civil brasileiro, frustrada a obrigação alimentar principal de


responsabilidade dos pais e estando a guarda do menor incapaz com a mãe, a
obrigação subsidiária deverá ser diluída somente entre os avós paternos, na medida de
seus recursos, em face de sua divisibilidade e possibilidade de fracionamento.
b) Independentemente da impossibilidade de os genitores prestarem alimentos, poderão
os parentes mais remotos do alimentado ser demandados, estendendo-se a obrigação
alimentar aos ascendentes mais próximos.
c) O inadimplemento da obrigação alimentar do genitor, ainda que não demonstrada sua
impossibilidade de prestá-la, provisória ou definitivamente, possibilita ao alimentado
pleitear alimentos diretamente dos avós.
d) Consoante a jurisprudência consolidada do STJ, a responsabilidade dos avós em
prestar alimentos é sucessiva, mas não complementar à obrigação dos pais.
e) Para o reconhecimento da obrigação alimentar avoenga, é imprescindível o
esgotamento dos meios processuais disponíveis para obrigar o alimentante primário a
cumprir sua obrigação, inclusive com o uso da coação extrema (pena de prisão)
preconizada em artigo do CPC.

6. A Lei nº 11.804/2008 disciplina o direito aos alimentos gravídicos. Um dos aspectos


processuais tratado é o que regula o momento inicial do exercício do direito de defesa.
Assim, a contestação deve ser apresentada *

a) na audiência de instrução e julgamento, que é designada na mesma decisão que fixa


os alimentos provisórios.
b) no prazo de 5 dias, contados a partir da audiência de conciliação designada na mesma
decisão que fixa os alimentos provisórios.
c) no prazo de 5 dias, contados a partir da juntada do mandado.
d) no prazo de 15 dias, contados a partir da juntada do mandado.
e) no prazo de 15 dias, contados a partir da audiência de conciliação, que é designada na
mesma decisão que fixa os alimentos provisórios.

7. Assinale a opção correta acerca da prestação de alimentos: *

a) O direito a alimentos é recíproco entre pais e filhos.


b) Os créditos alimentares prescrevem em cinco anos.
c) Somente os filhos têm o direito de pedir alimentos.
d) Após a separação judicial do casal, mesmo que o cônjuge venha a necessitar de
alimentos, ele não mais poderá pleitear ao outro cônjuge a prestação alimentícia.

8. O direito a alimentos que têm os filhos é *

a) renunciável, quando se tornarem relativamente incapazes, porque a partir dos


dezesseis anos lhes é permitido o exercício de trabalho ou profissão.
b) irrenunciável, mas pode ser objeto de cessão, para atender a obrigações assumidas
com sua educação ou tratamento de saúde.
c) renunciável, se tiverem, comprovadamente, recursos financeiros decorrentes de
sucessão hereditária.
d) irrenunciável, embora possam não exercê-lo, sendo o respectivo crédito insuscetível de
cessão, compensação ou penhora.
e) irrenunciável e o respectivo crédito insuscetível de cessão, embora possa ser
compensado com suas dívidas ao alimentante.

9. No que diz respeito ao Estatuto do Idoso, é certo que os alimentos serão prestados aos
idosos na forma da lei civil, sendo que as transações aos referidos alimentos poderão
ser celebradas perante *

a) o Juiz de Direito ou Promotor de Justiça, que as confirmará, mas sem efeito de título
executivo extrajudicial.
b) as entidades de atendimento, que as referendará com assistência de advogado,
passando a ter efeito de título executivo extrajudicial.
c) o Juiz de Direito, exclusivamente, que as homologará e passarão a ter efeito de título
executivo em conformidade com a lei processual pertinente.
d) o Promotor de Justiça ou Defensor Público, que as avalizará, mas sem qualquer efeito
de título executivo extrajudicial.
e) o Promotor de Justiça ou Defensor Público, que as referendará, e passarão a ter efeito
de título executivo extrajudicial nos termos da lei processual civil.
10. Sendo várias as pessoas obrigadas a prestar alimentos, *

a) todas devem concorrer na proporção dos respectivos recursos, e, intentada ação


contra uma delas, poderão as demais ser chamadas a integrar a lide.
b) todas devem concorrer na proporção dos respectivos recursos e deverão ser
demandadas em litisconsórcio passivo necessário.
c) todas devem concorrer igualmente, e sendo intentada ação contra uma delas, poderão
ser chamadas as demais a integrar a lide.
d) nenhuma delas poderá ser demandada, enquanto o juiz não deliberar quem deverá
prestá-los.
e) todas são devedoras solidárias, podendo o credor de alimentos demandar qualquer
delas para haver o de que necessita para sua sobrevivência.

11. Assinale a alternativa correta:


I) Após homologação judicial, extingue-se o poder familiar pela emancipação derivada
da concessão por ambos os pais ou de um deles na falta do outro, se o menor tiver 16
(dezesseis) anos completos. Se houver discordância entre os pais na concessão ou
não da emancipação é assegurado o direito de um dos genitores ou de o menor
recorrer ao Poder Judiciário.
II) Não basta o adultério da mulher, com quem o marido vivia sob o mesmo teto, para
ilidir a presunção legal da paternidade do filho. No entanto, a confissão materna, a
critério do juiz, pode ser considerada suficiente como meio de prova para a exclusão da
paternidade.
III) A perda do poder familiar é uma sanção imposta por sentença judicial ao pai ou à
mãe que executar atos que a justificam, como por exemplo uso abusivo de álcool ou de
entorpecentes, prática de obscenidades no lar testemunhadas pelo menor ou
submissão da criança ou adolescente a abuso sexual.
IV) O Código Civil prevê que, se o pai ou a mãe que deve alimentos em primeiro lugar
não estiver em condições de suportar totalmente o encargo, os avós podem ser
obrigados a prestar alimentos aos netos. Esta obrigação não tem o caráter de
solidariedade mas o de subsidiariedade e de complementaridade. *

a) Somente as proposições III e IV estão corretas.


b) Somente as proposições II e IV estão corretas.
c) Somente as proposições I, III e IV estão corretas.
d) Todas as proposições estão corretas.
e) Somente as proposições II e III estão corretas.

12. Tiago, Prefeito do Município Delta, recebeu citação para responder a uma ação de
alimentos ajuizada perante o juízo único da Comarca, por seu filho Pedro, constando
do respectivo mandado que o não pagamento das três últimas prestações alimentícias
poderia acarretar a sua prisão. Ao solicitar orientação ao seu assessor mais próximo,
foi informado que a Constituição da República de 1988, em seu Art. 29, X, assegura o
“julgamento do Prefeito perante o Tribunal de Justiça”. Com isso, Tiago concluiu que o
seu advogado deveria suscitar a incompetência do juízo único da Comarca para
processá-lo e julgá-lo. À luz da sistemática constitucional, o juízo único da Comarca é:
*
a) competente para processar e julgar Tiago, desde que a ação de alimentos tenha sido
ajuizada em momento anterior à posse no cargo de Prefeito.
b) incompetente, pois o Tribunal de Justiça é competente para processar e julgar toda e
qualquer ação ajuizada em face de Tiago.
c) parcialmente incompetente, pois embora possa processar e julgar a ação de alimentos,
não pode decretar a prisão de Tiago.
d) competente para processar e julgar Tiago, pois a competência do Tribunal de Justiça
restringe-se às causas de natureza criminal.
e) competente para instruir o processo, sendo o Tribunal de Justiça competente para
julgar ação de alimentos ajuizada em face de Tiago.

13. Acerca de alimentos, assinale a alternativa correta: *

a) O cônjuge declarado culpado na ação de separação judicial perde definitivamente o


direito de pleitear alimentos do outro cônjuge, ainda que não lhe reste qualquer outro
meio de subsistência.
b) A lei permite que a mulher grávida postule alimentos, que compreendem os valores
suficientes para cobrir as despesas adicionais do período de gravidez e que sejam dela
decorrentes, da concepção ao parto.
c) Os alimentos provisórios são aqueles postulados liminarmente, ao passo que os
provisionais são aqueles concedidos definitivamente.
d) A obrigação de prestar alimentos é personalíssima, não se transmitindo aos herdeiros
do devedor.

14. No que se refere à união estável, ao casamento, à filiação e aos alimentos, julgue os
itens a seguir: I) Será admissível o deferimento de alimentos gravídicos mesmo quando
não for verificada hipótese de presunção legal de paternidade. II) Na união estável,
será nulo de pleno direito o contrato firmado entre os companheiros que disponha de
regime patrimonial diverso do regime de comunhão parcial de bens. III) Será vedado ao
juiz impor a guarda compartilhada caso um dos genitores declare que não deseja
exercer a guarda do menor. IV) Optando pelo divórcio extrajudicial, os nubentes
poderão deliberar, na mesma escritura, sobre partilha de bens, guarda de filhos e
alimentos. Estão certos apenas os itens: *

a) III e IV.
b) I e II.
c) II e IV.
d) I e III.
e) II, III e IV.

15. Silvana tem 4 filhos, Rafael, Joaquim, Manoel e Serafim. Em grave situação financeira,
sem saúde para trabalhar e já não possuindo mais ascendentes, pediu que seus filhos
a auxiliassem a se manter. No entanto, seus filhos se negaram, afirmando tratar-se de
pessoa maior de idade e casada em segundas núpcias com Gabriel, que vive em
situação semelhante à dela. Não se conformando, Silvana ajuizou ação contra o filho
mais velho, Rafael, que *

a) não é obrigado a pagar alimentos a Silvana, pois o casamento extingue o dever de


alimentar.
b) é obrigado a pagar alimentos a Silvana, na proporção de seus respectivos recursos,
podendo chamar Joaquim, Manoel e Serafim a integrar a lide.
c) é obrigado a pagar alimentos a Silvana, solidariamente com Joaquim, Manoel e
Serafim, os quais não poderão ser chamados a integrar a lide, mas responderão em
ação de regresso caso Rafael arque com a totalidade da obrigação.
d) somente será obrigado a pagar alimentos a Silvana se Joaquim, Manoel e Serafim
também o fizerem.
e) é obrigado a pagar alimentos a Silvana, mesmo que seja privado do necessário a seu
sustento, podendo postular perdas e danos contra Joaquim, Manoel e Serafim.

16. O direito à prestação de alimentos obedece às seguintes regras: I) É recíproco entre


pais e filhos e extensivo a todos os ascendentes, recaindo a obrigação nos mais
próximos em grau, uns em falta de outros. II) Na falta de ascendentes e de
descendentes, cabe a obrigação aos irmãos germanos, mas não aos unilaterais, salvo
se apenas unilaterais houver. III) Se o parente, que deve alimentos em primeiro lugar,
não estiver em condições de supor totalmente o encargo, serão chamados a concorrer
os de grau imediato. IV) Na falta dos ascendentes, cabe a obrigação aos
descendentes, independentemente da ordem de sucessão. V) Sendo várias as
pessoas obrigadas a prestar alimentos, todas devem concorrer na proporção dos
respectivos recursos, e, intentada ação contra uma delas, poderão as demais ser
chamadas a integrar a lide. Estão corretas apenas *

1 ponto
a) I, IV e V.
b) II, III e IV.
c) I, II e III.
d) III, IV e V.
e) I, III e V.

17. Assinale a alternativa incorreta quanto à obrigação alimentar: *

a) A cessação da obrigação alimentar no procedimento indigno do credor não se limita


unicamente às relações entre cônjuges e companheiros.
b) Considerando as modalidades de alimentos, cabe ser dito que nem todas ensejam a
prisão civil, todavia, somente as três últimas prestações inadimplidas antes da
execução e as que por ventura venham a vencer ensejam a decretação de prisão do
devedor de alimentos.
c) Paulo, com 52 anos de idade e necessitando de alimentos para viver, ingressou em
juízo buscando alimentos de seus irmãos Maria e Sérgio. Não demandou contra seu
outro irmão Marcos. Todavia, a cota de Marcos deve ser distribuída entre os outros
dois irmãos. A cota de Sérgio pode ser superior à de Maria, se este dispuser de
melhores condições econômicas para suportá-la.
d) Julgada procedente a investigação de paternidade, os alimentos são devidos a partir
da citação, isso se os alimentos não forem fixados provisoriamente, por meio de tutela
antecipada ou em cautelar de alimentos provisionais.
e) Se o alimentando for absolutamente incapaz, contra ele não corre a prescrição. Os
alimentos fixados na sentença e vencidos só terão a prescrição iniciada quando o
alimentando se tornar relativamente capaz. Todavia, sendo o pai ou a mãe os
devedores dos alimentos, a prescrição, de dois anos, só se inicia quando o menor se
tornar capaz, salvo se emancipado.
18. Mark e Christina divorciaram-se consensualmente, estabelecendo a guarda unilateral
para a mãe do único filho, Piero, em razão de sua tenra idade (3 anos).
Estabeleceram, ainda, que o pai pagaria R$ 2.000,00 por mês a título de alimentos.
Mark, aproveitando-se da boa situação financeira da ex-cônjuge, jamais pagou os
alimentos ajustados, mas cumpria os demais deveres decorrentes da paternidade.
Quando Piero completou 18 anos, ajuizou execução de alimentos em face de Mark.
Nesse cenário, é correto afirmar que *

a) estão prescritas as prestações alimentares, ressalvada a possibilidade de Piero


pleitear perdas e danos de sua mãe, que detinha sua guarda e manteve-se inerte no
período.
b) Piero poderá executar apenas os últimos 5 anos das prestações alimentares.
c) Piero poderá executar apenas os últimos 2 anos das prestações alimentares.
d) Piero poderá executar as prestações alimentares devidas desde quando tinha 3
anos de idade.
e) a inércia durante o longo período acarretou na exoneração de Mark, ressalvada a
possibilidade de Piero ajuizar ação para constituir nova obrigação alimentar.

19. No tocante à ação de alimentos: *

a) somente quando se tratar de alimentos definitivos é cabível a prisão civil do


alimentante inadimplente.
b) o cancelamento de pensão alimentícia de filho que atingiu a maioridade dá-se pelo
mero implemento da idade.
c) a pena de prisão civil só pode ser aplicada uma vez, ainda que o alimentante volte a
inadimplir a obrigação.
d) o débito alimentar que autoriza a prisão civil do alimentante é o relativo às três
prestações anteriores ao ajuizamento da ação, mais as que se vencerem no curso
do processo.
e) não é mais cabível a prisão civil do inadimplente, em razão do Pacto de San José da
Costa Rica, ratificado pelo Brasil.
20. Considere as seguintes afirmações sobre questões de família: I) qualquer que seja o
regime de bens do casamento, nenhum dos cônjuges pode, sem autorização do
outro, alienar ou gravar de ônus real os bens imóveis. II) o reconhecimento dos filhos
havidos fora do casamento é irrevogável, salvo quando feito em testamento, caso em
que poderá ser revogado por novo testamento. III) a obrigação de prestar alimentos
não se transmite aos herdeiros do devedor. IV) o cônjuge declarado culpado na
separação do casal nunca terá direito de pretender obter alimentos do outro cônjuge.
Pode-se concluir que são incorretas: *

a) I, III e IV, somente.


b) III e IV, somente.
c) I, II, III e IV.
d) I e II, somente.
21. Assinale a alternativa correta: *
1 ponto
a) em conformidade com determinação expressa da Lei n° 11.804/08, os alimentos
gravídicos serão fixados com a mera existência de indícios de paternidade e
vigorarão a partir da citação.
b) a obrigação alimentar é recíproca entre pais e filhos e extensiva a todos os
ascendentes. Na falta de ascendentes, cabe a obrigação aos descendentes e,
faltando estes, aos parentes colaterais de terceiro grau.
c) tanto o dever de sustento (art. 1.634, CC), como a obrigação alimentar (art. 1.694,
CC) são transmissíveis aos herdeiros do alimentante nos limites da herança (art.
1.700, CC) e divisíveis, não havendo solidariedade entre os obrigados ao
cumprimento (art. 1.698, CC). Contudo, com relação ao idoso, a obrigação alimentar
passou a ser solidária, nos termos da Lei n° 10.741/03.
d) o STJ, por meio de Súmula, cristalizou o entendimento segundo o qual a mulher que
renunciou aos alimentos na separação judicial não tem direito à pensão
previdenciária por morte do ex-marido.
22. O direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos. A obrigação de
prestá-los é: *
1 ponto
a) extensiva a todos os ascendentes e, faltando estes, somente haverá
responsabilidade se houver descendentes.
b) extensiva a todos os ascendentes e, faltando estes, cabe aos irmãos germanos e
aos unilaterais.
c) extensiva a todos os ascendentes e, faltando estes e descendentes, cabe aos
irmãos germanos e aos unilaterais.
d) extensiva a todos os ascendentes e, faltando estes e descendentes, recai aos
irmãos germanos, excluídos os unilaterais.
23. Paulo é filho de Maria e Rolando, que foram casados até o ano de 2018, quando se
divorciaram. Rolando sofreu um acidente grave de carro e ficou paraplégico, não
conseguindo mais desenvolver atividade laborativa, impossibilitando-o de prestar
alimentos a seu filho. Maria, por sua vez, passou a trabalhar como garçonete e saiu
do Brasil para destino ignorado com um turista espanhol. Nesse caso, Paulo, que
atualmente está sob a guarda da irmã de Maria, Joana, na impossibilidade de
Rolando suportar o encargo alimentar, devidamente representado por Joana, *
1 ponto
a) deverá ajuizar, necessariamente, ação de alimentos contra os avós paternos, tendo
em vista que a obrigação alimentar que está faltando é do genitor Rolando, vedada
a intervenção de terceiros.
b) poderá ajuizar, dentro de sua livre escolha, ação de alimentos contra qualquer um
dos avós paternos ou maternos, e os demais não poderão ser chamados a integrar a
lide.
c) poderá ajuizar ação de alimentos contra os avós paternos e, no curso do processo,
os avós maternos poderão ser chamados a integrar a lide.
d) deverá ajuizar ação de alimentos contra os avós paternos e maternos, haja vista a
existência de litisconsórcio passivo necessário.
e) poderá optar entre ajuizar ação de alimentos contra os avós paternos ou maternos
ou contra os irmãos de Rolando.
24. Embora jamais lhes tenha faltado com o respeito, Giovana nunca teve bom
relacionamento com os pais. Por esta razão, no dia em que atingiu a maioridade,
seus pais determinaram que deixasse a residência, e, mesmo em boas condições
financeiras, negaram-se a pagar qualquer auxílio à filha, embora Giovana não
possuísse bens nem condições de prover, pelo trabalho, à própria mantença. De
acordo com o Código Civil, e considerada a peculiar situação de Giovana, as ações
dos pais, neste caso, são *
1 ponto
a) parcialmente corretas, porque, embora cessado o poder familiar, deveriam ter
concedido prazo razoável para a filha deixar a residência, além de prestar alimentos
até o seu casamento.
b) inteiramente incorretas, pois o poder familiar perdura até a conclusão dos estudos
dos filhos.
c) inteiramente corretas, porque, com a maioridade, cessou o dever de guarda e
companhia, bem como o de prestar alimentos.
d) inteiramente incorretas, pois o dever de guarda e companhia, bem como o de
prestar alimentos, decorrem não do poder familiar, mas do princípio constitucional
da dignidade.
e) parcialmente corretas, porque deixou de existir o dever de guarda e companhia, mas
não necessariamente o de prestar alimentos.

25. Tiago, menor impúbere, devidamente representado por sua mãe e por intermédio do
defensor público, ajuizou ação de alimentos contra Roberto, pai do autor. A ação foi
julgada procedente e o réu não cumpriu a determinação da sentença. O
representante do Ministério Público estadual propôs a ação de execução da sentença
que fixou os alimentos, em defesa dos direitos do menor que se encontra sob a
guarda e responsabilidade da genitora. Com referência à legitimação de partes e
procuradores na situação hipotética apresentada, assinale a opção correta: *
1 ponto
a) No caso, o juiz deverá nomear um curador especial para o menor, em face da
existência de conflitos de interesses deste e de seu pai, pois, na ação proposta,
figura como réu Roberto, pai de Tiago.
b) A ação de execução deve ser julgada procedente, condenando-se Roberto ao
pagamento dos alimentos devidos a Tiago e a multa por litigância de má-fé,
consistente na negativa de cumprir a determinação constante da sentença que fixou
os alimentos devidos ao filho.
c) Tiago, por ser absolutamente incapaz, pode participar da relação processual, como
autor, mediante seu representante legal. Assim, a representação, na esfera do
processo civil, significa que o absolutamente incapaz, não tendo capacidade
processual, mas exclusivamente capacidade de ser parte, não pode agir, em
nenhuma hipótese, por si, seja como autor ou réu.
d) O Ministério Público tem legitimidade para propor ação de alimentos e execução da
sentença como substituto processual, em favor do menor que se encontra sob
guarda e responsabilidade da genitora.

26. Considere: I) A obrigação de prestar alimentos ao idoso é solidária e abrange todos os


coobrigados previstos na lei civil. II) O cancelamento de pensão alimentícia de filho que
atingiu a maioridade está sujeito à decisão judicial, mediante contraditório, ainda que
nos próprios autos. III) O enteado, por ser parente por afinidade, somente poderá
requerer alimentos do padrasto se nenhum outro parente consanguíneo lhe puder
prestar o auxílio. IV) Fixados judicialmente os alimentos gravídicos, com base na
análise das necessidades da parte autora e das possibilidades da parte ré, estes
perdurarão somente até a data do nascimento da criança, devendo a parte interessada
buscar, após essa data, através de nova ação, o pensionamento alimentar. Somente é
correto o que se afirma em: *

1 ponto
a) I e IV.
b) I e III.
c) II e IV.
d) I e II.
e) II e III.

27. A respeito dos alimentos, é correto afirmar que: *

1 ponto
a) a prova do desemprego do devedor de alimentos é suficiente para afastar possibilidade
de prisão civil.
b) diante do inadimplemento do pai, a obrigação é transmitida imediatamente aos avós.
c) por expressa disposição de lei, somente incidem sobre a gratificação natalina e o terço
de férias se constar expressamente no título que estipulou o direito aos alimentos.
d) cessam automaticamente com a maioridade do alimentando, salvo determinação
judicial expressa em sentido contrário.
e) cessam com o casamento ou a união estável do credor, assim como no caso de o
credor portar-se de maneira indigna contra o alimentante.

28. Em separação judicial consensual, Otávio obrigou-se a pagar 12 salários mínimos de


pensão alimentícia a cada um dos dois filhos, acrescida de 13º salário. Um ano após a
separação, constituiu uma nova união, nascendo desta mais um filho, ocasião em que
também pediu demissão da empresa em que trabalhava como diretor comercial, para
abrir seu próprio negócio. Considerando apenas que o nascimento de mais um filho e a
nova união aumentaram suas despesas, Otávio ingressou com ação para rever o valor
das pensões, pretendendo pagar 4 salários mínimos para cada um. Diante desse fato,
aponte a alternativa correta: *

1 ponto
a) A constituição de nova família e o nascimento de um outro filho importam no
decréscimo da pensão alimentícia prestada a filhos havidos da união anterior, visto que
é motivo suficiente para demonstrar uma inversão da situação econômica do devedor.
b) O simples fato de constituir nova família, resultando ou não em nascimento de filho,
não importa no decréscimo da pensão alimentícia prestada a filhos havidos da união
anterior, notadamente se a situação econômica do devedor permanece inalterada.
c) Os alimentos devem ser fixados de acordo com a possibilidade momentânea do
devedor, sendo possível revê-los a qualquer momento, não se considerando, na sua
fixação, a condição social dos alimentados, mas apenas as necessidades básicas.
d) Para eventual revisão do valor da pensão no caso em tela, não importa verificar a
necessidade dos alimentandos, tampouco a situação econômica da genitora, visto que
esses fatos foram considerados por ocasião da separação judicial.

29. Considere as proposições abaixo, a respeito dos alimentos: I) Cabe em regra ao credor
escolher a forma como a prestação alimentícia será paga, se em dinheiro ou in natura.
II) Os cônjuges divorciados contribuirão sempre em partes iguais para a manutenção
dos filhos. III) Com o casamento do credor, cessa o dever do ex-cônjuge de pagar
alimentos. Está correto o que se afirma em: *

1 ponto
a) II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) III, apenas.
d) I, apenas.
e) I, II e III.
30. Em relação aos alimentos, é correto afirmar que *

1 ponto
a) a obrigação de prestar alimentos não se transmite aos herdeiros.
b) com casamento, união estável ou concubinato do credor, em regra permanece o dever
de prestar alimentos, cabendo-lhe provar sua insuficiência posterior de recursos.
c) a obrigação de prestar alimentos obedece à ordem de vocação hereditária,
estendendo-se até os primos do alimentando.
d) o novo casamento do cônjuge devedor extingue a obrigação constante da sentença de
divórcio.
e) a pessoa obrigada a prestar alimentos poderá pensionar o alimentando, ou dar-lhe
hospedagem e sustento, sem prejuízo do dever de prestar o necessário a sua
educação, quando menor.

31. Considere as seguintes assertivas: I) Transmite-se aos herdeiros do devedor, nos


limites da herança, a obrigação de prestar alimentos à ex-companheira. II) Quem deixa
de pagar débito alimentar decorrente de ato ilícito não está sujeito à prisão civil. III) A
diferença de causa nas dívidas não impede a compensação se uma se originar em
alimentos. IV) Não pode o credor deixar de exercer, porém lhe é vedado renunciar o
direito a alimentos, sendo o respectivo crédito insuscetível de cessão, compensação ou
penhora. Está correto apenas o que se afirma em *

1 ponto
a) I e IV.
b) II e III.
c) III e IV.
d) I e II.

32. Assinale a alternativa correta sobre o direito de alimentos: *

1 ponto
a) Constatado que o suposto genitor não guarda relação de parentesco com aquele que,
de boa-fé, recebeu verbas alimentares, os valores pagos devem ser devolvidos.
b) Havendo incapacidade ou insuficiência financeira do futuro pai, o dever de prestar
alimentos gravídicos não pode se estender aos avós paternos.
c) Durante o exercício do poder familiar não corre o prazo prescricional para exigir o
pagamento de verba de natureza alimentar.
d) A legislação traz a presunção juris tantum de que o valor correspondente a 30% (trinta
por cento) dos rendimentos líquidos do alimentante não traz desfalque ao sustento
deste.
e) Todas as alternativas anteriores são incorretas.

33. Os alimentos gravídicos serão fixados pelo juiz, *

1 ponto
a) se convencido da existência de indícios da paternidade, compreendendo os valores
suficientes para cobrir as despesas adicionais do período da gravidez, perdurando até
o nascimento da criança, e após o nascimento com vida ficam convertidos em pensão
alimentícia em favor do menor, até que uma das partes solicite sua revisão.
b) apenas se houver presunção de paternidade e compreenderão os valores suficientes
para cobrir as despesas adicionais do período da gravidez, perdurando até o
nascimento da criança, e após o nascimento com vida ficam convertidos em pensão
alimentícia em favor do menor, até que uma das partes solicite sua revisão.
c) desde que a mulher grávida firme declaração de que o réu é o pai, e compreenderão
os valores suficientes para cobrir as despesas adicionais do período da gravidez,
perdurando até o nascimento da criança, e após o nascimento com vida ficam
convertidos em pensão alimentícia em favor do menor, até que uma das partes solicite
sua revisão.
d) somente se provado o casamento do réu com a gestante e compreenderão os valores
suficientes para cobrir as despesas adicionais do período da gravidez, inclusive a
alimentação especial, assistência médica e psicológica à gestante, perdurando até o
nascimento da criança, e após o nascimento com vida ficam convertidos em pensão
alimentícia, observando-se as necessidades do alimentando e as possibilidades do
alimentante.
e) só excepcionalmente, se convencido da existência de indícios da paternidade, após
justificação judicial prévia e compreenderão os valores suficientes para cobrir as
despesas alimentícias da gestante, excluída a assistência médica, que deverá ser
oferecida pelo poder público, perdurando até o nascimento da criança, que, nascendo
com vida, deverá propor ação de alimentos, os quais serão estabelecidos na proporção
de suas necessidades e das possibilidades do alimentante.

34. Henrique e Natália, casados sob o regime de comunhão parcial de bens, decidiram se
divorciar após 10 anos de união conjugal. Do relacionamento nasceram Gabriela e
Bruno, hoje, com 8 e 6 anos, respectivamente. Enquanto esteve casada, Natália,
apesar de ter curso superior completo, ser pessoa jovem e capaz para o trabalho, não
exerceu atividade profissional para se dedicar integralmente aos cuidados da casa e
dos filhos. Considerando a hipótese acima e as regras atinentes à prestação de
alimentos, assinale a afirmativa correta: *

1 ponto
a) Henrique poderá opor a impenhorabilidade de sua única casa, por ser bem de família,
na hipótese de ser acionado judicialmente para pagar débito alimentar atual aos seus
filhos Gabriela e Bruno.
b) Caso Natália descubra, após dois meses de separação de fato, que espera um filho de
Henrique, serão devidos alimentos gravídicos até o nascimento da criança, pois após
este fato a obrigação alimentar somente será exigida em ação judicial própria.
c) Natália poderá pleitear alimentos transitórios e por prazo razoável, se demonstrar sua
dificuldade em ingressar no mercado de trabalho em razão do longo período que
permaneceu afastada do desempenho de suas atividades profissionais para se dedicar
integralmente aos cuidados do lar.
d) Uma vez homologado judicialmente o valor da prestação alimentícia devida por
Henrique em favor de seus filhos Gabriela e Bruno, no percentual de um salário mínimo
para cada um, ocorrendo a constituição de nova família por parte de Henrique,
automaticamente será minorado o valor dos alimentos devido aos filhos do primeiro
casamento.

35. Acerca dos alimentos, analise as proposições abaixo e assinale a alternativa correta: I)
O Código Civil não contém vedação à renúncia do direito a alimentos. II) Não há
obrigação alimentar entre parentes colaterais de terceiro grau. III) O crédito alimentar é
insuscetível de compensação. IV) Conforme entendimento sumulado pelo Superior
Tribunal de Justiça, o cancelamento da pensão alimentícia ao filho que atingiu a
maioridade é automático e independe de decisão judicial. *

1 ponto
a) Apenas as proposições I, II e III estão corretas.
b) Apenas a proposição IV está correta.
c) Apenas as proposições II e III estão corretas.
d) Apenas as proposições III e IV estão corretas.

36. Quanto à obrigação de pagar alimentos, assinale a alternativa correta: *


1 ponto
a) Pode o credor renunciar ao direito a alimentos, sendo o respectivo crédito passível de
compensação.
b) O novo casamento do cônjuge devedor acarreta a diminuição da obrigação constante
da sentença de divórcio.
c) Com o casamento, a união estável ou o concubinato do credor cessa o dever de
prestar alimentos.
d) Para a manutenção dos filhos, contribuirá apenas o cônjuge que não estiver com a sua
guarda.
e) O cônjuge considerado culpado em separação litigiosa não terá direito a alimentos,
ainda que o necessitar.

37. Quando João completou 18 anos, Renato, seu pai, parou automaticamente de lhe
pagar pensão alimentícia sob o argumento de que o filho já seria maior de idade, além
de possuir condições para trabalhar. De acordo com Súmula do Superior Tribunal de
Justiça, a postura de Renato é *

1 ponto
a) incorreta, pois a menoridade cessa aos 21 anos completos.
b) incorreta, pois, mesmo no caso de atingimento da maioridade, o cancelamento de
pensão alimentícia demanda prévia decisão judicial.
c) correta, pois a capacidade para o trabalho desobriga o alimentante de pagar pensão
alimentícia, independentemente de prévia decisão judicial.
d) incorreta, pois o dever de alimentar cessa, automaticamente, apenas com a conclusão
dos estudos universitários.
e) correta, pois, com a maioridade, cessa o dever alimentar, independentemente de
decisão judicial.

38. Francisco (68) e Adair Souza (67), pais de Roberto Souza, ingressam em juízo em face
do filho, pleiteando alimentos de R$ 2 mil. Em sua resposta, o filho alega que só
poderia arcar com alimentos de R$ 1 mil e requer que seja chamada à lide sua irmã,
Clarice. A obrigação dos filhos de Francisco e Adair, com relação a prestar alimentos
aos pais, é: *

1 ponto
a) facultativa.
b) subsidiária.
c) solidária.
d) subseqüente.

39. Sobre os alimentos é errado dizer: *

1 ponto
a) na falta de ascendentes e descendentes a obrigação de alimentos cabe aos irmãos,
assim germanos, como unilaterais.
b) o direito aos alimentos é recíproco entre pais e filhos e extensivo a todos os
ascendentes.
c) os filhos maiores e capazes devem assistir e alimentar os pais na velhice se estes, com
carência e enfermidade, não puderem prover o próprio sustento.
d) o credor de alimentos pode compensar seu crédito com eventuais dívidas contraídas
junto ao alimentante.

40. No que concerne à obrigação alimentícia, assinale a opção correta: *

1 ponto
a) Os alimentos pagos deverão ser restituídos se for desconstituído judicialmente o título
que serviu de base para o pagamento.
b) Entre parentes, o dever de prestar alimentos àquele que comprovar a necessidade
pode durar por toda a vida do alimentando.
c) O fato de o ex-cônjuge ter renunciado aos alimentos na separação homologada, por
dispor de meios próprios para o seu sustento, não o impede de pretender receber
alimentos do outro no futuro.
d) Em caso de separação do casal, se o filho menor possuir patrimônio e rendimentos
próprios, os pais ficam desobrigados de contribuir com alimentos necessários ao seu
sustento.
e) Sendo solidária a obrigação alimentar, caso o pai e o avô do alimentando sejam
obrigados à prestação de alimentos, o credor poderá cobrar o valor integral de um só
deles.

41. A respeito do direito das famílias, assinale a opção correta: *

1 ponto
a) Não se admite a alteração do regime de bens no curso do matrimônio.
b) O bem de família pode ser instituído mediante qualquer instrumento que evidencie a
vontade da entidade familiar de destacar parte de seu patrimônio.
c) O ato jurídico da adoção depende da efetiva assistência do poder público e de
sentença constitutiva, ressalvados os casos de maiores de dezoito anos de idade, que
independem de sentença.
d) A obrigação de prestar alimentos não é transmitida aos herdeiros do devedor.
e) O reconhecimento de filhos havidos fora do casamento pode ser feito por manifestação
direta e expressa perante o juiz.

42. De acordo com o Código Civil Brasileiro, com relação aos alimentos, considere as
seguintes assertivas: I) Os alimentos serão apenas os indispensáveis à subsistência,
quando a situação de necessidade resultar de culpa de quem os pleiteia. II) Na falta
dos ascendentes cabe a obrigação aos descendentes, guardada a ordem de sucessão
e, faltando estes, aos irmãos, assim germanos como unilaterais. III) Ao credor de
alimentos é vedado renunciar o direito a alimentos, sendo, porém, o respectivo crédito
suscetível de cessão e de compensação. Está correto o que consta apenas em *

1 ponto
a) I e II.
b) I e III.
c) II.
d) III.
e) II e III.

43. Sobre as pessoas obrigadas a prestar alimentos, é correto afirmar que: *

1 ponto
a) somente pessoas que procedem do mesmo tronco ancestral devem alimentos,
incluindo- se os afins.
b) os tios poderão ser convocados a suprir alimentos em ação proposta pela sobrinha que
deles necessitar.
c) o alimentando poderá escolher livremente o parente que deverá prover o seu sustento.
d) na falta dos ascendentes, a obrigação alimentícia cabe aos descendentes, guardada a
ordem de sucessão e, na falta destes, aos irmãos, assim germanos como unilaterais.
e) os pais consanguíneos do adotado são obrigados a prestar-lhe alimentos, se o
adotante não tiver recursos suficientes para tanto.

44. Acerca do direito de família, assinale a opção correta: *


1 ponto
a) A ação de separação judicial tem caráter pessoal, razão pela qual a legitimidade para
sua propositura e a respectiva defesa são atribuídas aos cônjuges, com exclusividade.
Mas o curador, o ascendente ou o irmão, no caso de incapacidade do cônjuge, têm
legitimidade representativa para propor a ação.
b) O casamento e a união estável foram equiparados pela CF, que, ainda, reconheceu a
união estável como entidade familiar, sem fazer qualquer distinção entre essa e o
concubinato. Por isso, conclui-se que a norma infraconstitucional não poderá fazê-lo e
deixar de reconhecer as conseqüências e atribuir efeitos jurídicos a qualquer união de
fato entre pessoas de sexos diferentes. Assim, nessas uniões de fato, os bens que
compõem o patrimônio de ambos os companheiros, no caso de sucessão por causa da
morte ou por ato entre vivos, serão partilhados e pertencem, em partes iguais, a ambos
os companheiros, independentemente da origem ou do tempo da aquisição desses
bens.
c) O casamento religioso poderá ser inscrito no registro civil a qualquer tempo, bastando
que se faça o requerimento perante a autoridade competente, instruindo com a certidão
ou prova equivalente da realização do ato religioso. Todavia, o efeito jurídico desse
casamento será da data do registro, portanto, não retroagindo à data da celebração do
casamento religioso.
d) A tutela é o encargo deferido por lei a uma determinada pessoa, para administrar os
bens de outra pessoa que, em virtude de sua incapacidade, não possa fazê-lo por si.
Destina-se a suprir a falta de capacidade, tem caráter assistencial e é compatível com
o poder familiar.
e) Compete aos pais a obrigação de prestar alimentos aos filhos menores e incapazes,
mas se os genitores não possuírem capacidade econômica para prestar os alimentos,
esses serão devidos pelos avós. Trata-se de responsabilidade solidária, podendo o
menor propor ação de alimentos contra os pais, os avós ou apenas um deles.

45. O Juiz fixará alimentos gravídicos: *

1 ponto
a) apenas depois de justificação prévia, dispensando a citação do réu para apresentação
de resposta. Após o nascimento com vida, extinguir-se-á a obrigação de seu
pagamento, devendo a pensão alimentícia, ao menor, ser requerida no âmbito de ação
autônoma.
b) quando convencido da existência de indícios de paternidade, determinando a citação
do réu para que apresente resposta em 5 dias. Após o nascimento com vida, converter-
se-ão em pensão alimentícia em favor do menor, até que uma das partes solicite sua
revisão.
c) quando convencido da existência de indícios de paternidade, determinando a citação
do réu para que apresente resposta em 5 dias. Após o nascimento com vida, extinguir-
se-á a obrigação de seu pagamento, devendo a pensão alimentícia, ao menor, ser
requerida no âmbito de ação autônoma.
d) desde que a gestante instrua a inicial com laudo de exame de DNA, determinando a
citação do réu para que apresente resposta em 15 dias. Após o nascimento com vida,
converter-se-ão em pensão alimentícia em favor do menor, até que uma das partes
solicite sua revisão.
e) quando convencido da existência de indícios de paternidade, dispensando a citação do
réu para apresentação de resposta. Após o nascimento com vida, converter-se-ão em
pensão alimentícia em favor do menor, até que uma das partes solicite sua revisão.

46. É correto afirmar que *

1 ponto
a) o credor de alimentos pode não exercer seu direito, todavia não poderá renunciar a ele.
b) o crédito alimentar pode ser cedido, compensado ou penhorado.
c) o credor de alimentos pode renunciar ao seu direito.
d) o credor de alimentos pode negociar seu crédito alimentar com terceiros.
47. Em matéria de alimentos, é correto afirmar: *

1 ponto
a) a fixação de alimentos em favor de mulher gestante depende de prova pré-constituída
da paternidade.
b) após o nascimento da criança com vida, os alimentos gravídicos se extinguem,
independentemente de sentença, devendo ser proposta ação de alimentos pelo recém-
nascido contra o pai.
c) na ação de alimentos gravídicos, é admitida a fixação de alimentos provisórios pelo
juiz.
d) os alimentos gravídicos compreenderão os valores suficientes para cobrir as despesas
com o parto, vedada pelo legislador a cobertura de outras despesas.
e) na ação de alimentos gravídicos, o prazo para o réu apresentar resposta é de 15
(quinze) dias.

48. Relativamente aos alimentos, assinale a alternativa correta: *

1 ponto
a) A obrigação de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor.
b) O parente é obrigado a prestar alimentos ao parente que deles necessite, ainda que
isso implique desfalque do necessário ao seu sustento.
c) O devedor de alimentos terá que prestá-los em forma de pensionamento.
d) Em nenhuma hipótese, os irmãos são responsáveis pela prestação de alimentos ao
irmão que deles necessite.

49. Considerando a obrigação de pagar alimentos, é correto afirmar que *

1 ponto
a) na ausência do pai, os avós não podem ser chamados a complementar os alimentos
dos netos.
b) o menor não pode, sem a anuência da mãe, sua representante legal, considerar
quitada a obrigação do pai.
c) o dever de prestar alimentos entre ex-cônjuges reveste-se de características
indenizatórias.
d) não se transmite, aos herdeiros do alimentante, a obrigação de prestar alimentos ao
alimentando.
e) o espólio não deve prestar alimentos àquele a quem o de cujus devia, mesmo quando
vencidos após a sua morte.

50. O dever alimentar *

1 ponto
a) extingue-se com a maioridade, mesmo que o alimentado seja incapaz.
b) cessa com a união estável ou concubinato do credor.
c) obriga os devedores a concorrerem em partes iguais quando são várias as pessoas
obrigadas a prestar alimentos.
d) não pode ser exercido contra o genitor casado, pelo filho havido fora do casamento.
e) é recíproco entre pais e filhos, mas não extensível aos avós.

51. Assinale a alternativa correta no que tange às prestações de natureza alimentar *

1 ponto
a) A determinação de pagamento de alimentos gravídicos depende da efetiva constatação
da paternidade, em virtude do princípio da irrepetibilidade das prestações alimentícias.
b) O direito de pleitear alimentos prescreve em 2 (dois) anos, a contar da data em que a
nasce a pretensão.
c) A responsabilidade dos avós de prestar alimentos aos netos é subsidiária e
complementar em relação à responsabilidade dos pais.
d) Na falta dos ascendentes, a obrigação de prestar alimentos cabe aos descendentes e
aos irmãos, solidariamente.

52. Abelhudo, cidadão brasileiro, contrai casamento com Abelhudinha, tendo o casal três
filhos. Infelizmente, o casal resolve divorciar-se, e o varão assume o dever de prestar
alimentos à sua ex-esposa e aos seus filhos. Apesar de contar com boa remuneração,
Abelhudo deixa de pagar várias prestações dos alimentos acordados judicialmente,
vindo a sofrer processo de cobrança, tendo sua ex-mulher requerido sua prisão caso
não solvesse a dívida. O varão, apesar de regularmente comunicado do processo, não
pagou a dívida nem justificou o não pagamento, vindo sua prisão a ser declarada pelo
magistrado presidente do processo. A respeito da prisão civil, é correto afirmar que *

1 ponto
a) é constitucionalmente prevista para homens inadimplentes de alimentos.
b) foi extinta após a edição da Constituição Federal de 1988.
c) é admissível quando o devedor contrai dívidas com fornecedores.
d) está preservada somente para militares em tempo de guerra.
e) está restrita à dívida quando ela tem natureza de alimentos.

53. Um adolescente de 15 anos recebe da mãe a notícia de que aquele que como pai o
criara, e assim consta de seu registro de nascimento, falecido no ano anterior, não é
seu pai biológico. O pai biológico, a seu turno, embora reconheça o fato, não tem a
intenção de se aproximar do adolescente, de modo a provê-lo de suporte emocional e
material. Diante do impasse, o adolescente pretende socorrer-se das vias judiciais para
ver comprovada e reconhecida formalmente a paternidade biológica, mas gostaria que
fosse preservada em seu registro de nascimento a indicação de filiação daquele que
como pai o criou. À luz da Constituição Federal e da jurisprudência do Supremo
Tribunal Federal sobre a matéria, a pretensão do adolescente é *

1 ponto
a) legítima, pois, conforme julgamento em sede de repercussão geral, merecem tutela
jurídica concomitante, para todos os fins de direito, os vínculos parentais de origem
afetiva e biológica, a fim de prover a mais completa e adequada tutela aos sujeitos
envolvidos, ante os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e da
paternidade responsável.
b) legítima, pois, em conformidade com súmula vinculante, a paternidade socioafetiva,
declarada ou não em registro público, não impede o reconhecimento do vínculo de
filiação concomitante baseado na origem biológica, com os efeitos jurídicos próprios
desta.
c) ilegítima, pois, em conformidade com o princípio constitucional da paternidade
responsável, a paternidade biológica prevalece sobre a paternidade socioafetiva, para
fins de registro, embora não impeça o reconhecimento do vínculo de filiação baseado
na socioafetividade, com os efeitos jurídicos próprios desta.
d) legítima, pois, em conformidade com o princípio constitucional da dignidade da pessoa
humana, a paternidade socioafetiva prevalece sobre a paternidade biológica, para fins
de registro, embora não impeça o reconhecimento do vínculo de filiação baseado na
origem biológica, com os efeitos jurídicos próprios desta.
e) ilegítima, pois não é consagrada, no ordenamento brasileiro, a pluriparentalidade, não
sendo dado ao Judiciário, ainda que provocado, atuar de modo a permitir que a eleição
individual dos objetivos de vida tenha preferência em relação a formulações legais
definidoras de modelos destinados a produzir resultados eleitos a priori pelo legislador,
em caráter geral.
54. Relativamente a alimentos, assinale a opção correta: *

1 ponto
a) Exercido o credor o direito de cobrar alimentos, pode cedê-los a terceiros, oferecê-los
em penhora ou compensação.
b) Compõem-se os alimentos de comida, moradia, vestuário, assistência médica, além da
educação, se o alimentado for menor.
c) Considera-se recíproca a obrigação alimentar entre ascendentes e descendentes, afins
e consanguíneos e irmãos germanos.
d) São devidos alimentos, decorrentes de atos lícitos, ilícitos, testamentos, legados,
promessa política e contratos.
e) Declarada insolvência do supridor, o alimentando pode exigir o cumprimento da
obrigação ou prisão do devedor incontinenti.

55. É correto afirmar: *

1 ponto
a) São devidos os alimentos quando quem os pretende tem bens suficientes, ou pode
prover, pelo seu trabalho, à própria mantença, mas aquele, de quem se reclamam,
pode fornecê-los, em montante mais adequado.
b) O direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos, porém não é
extensivo a todos os ascendentes.
c) Podem os parentes, os cônjuges ou companheiros pedir uns aos outros os alimentos
de que necessitem para viver de modo compatível com a sua condição social, para
atender apenas as necessidades com educação.
d) Se o parente, que deve alimentos em primeiro lugar, não estiver em condições de
suportar totalmente o encargo, serão chamados a concorrer os de grau imediato;
sendo várias as pessoas obrigadas a prestar alimentos, todas devem concorrer na
proporção dos respectivos recursos, e, intentada ação contra uma delas, poderão as
demais ser chamadas a integrar a lide.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.

56. Em relação aos alimentos, é correto afirmar: *

1 ponto
a) Na falta dos ascendentes cabe a obrigação aos descendentes, guardada a ordem de
sucessão e, faltando estes, aos parentes colaterais até quarto grau, inclusive.
b) Pode o credor não exercer, porém lhe é vedado renunciar o direito a alimentos, sendo
o respectivo crédito insuscetível de cessão, compensação ou penhora, salvo em
relação a crédito de igual natureza.
c) O novo casamento do cônjuge devedor extingue a obrigação alimentar para com o ex-
cônjuge constante da sentença de divórcio.
d) Os alimentos serão prestados sempre em pecúnia, em valor suficiente para suprir as
necessidades de saúde, habitação, vestuário e educação.
e) A obrigação de prestar alimentos não se transmite aos herdeiros do devedor.

57. Em matéria de alimentos, é correto afirmar: *

1 ponto
a) São devidos os alimentos mesmo quando quem os pretende tem bens suficientes.
b) O filho havido fora do casamento não tem direito a alimentos.
c) O direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos, mas não é extensivo
a todos os ascendentes.
d) A obrigação de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor.
58. Tendo em vista que o surgimento de novos tipos de estruturas familiares demanda do
direito civil uma revisão constante do conceito de família, julgue os itens a seguir: I) A
guarda compartilhada implica igualdade de tempo de convívio da criança com cada um
de seus genitores, a fim de evitar ofensa ao princípio da igualdade. II) O direito de
obter, judicialmente, a fixação de pensão alimentícia não prescreve; no entanto, há
prazo prescricional para a execução de valores inadimplidos correspondentes ao
pagamento da pensão. III) O reconhecimento de união estável homoafetiva acarreta
aos seus partícipes os mesmos direitos garantidos aos componentes de união estável
heterossexual. IV) Os avós detêm o direito de pleitear a regulamentação de visita aos
netos, a qual poderá ser viabilizada desde que observados os interesses da criança ou
do adolescente. Assinale a opção correta: *

1 ponto
a) Apenas os itens II, III e IV estão certos.
b) Apenas os itens I e II estão certos.
c) Apenas os itens I, III e IV estão certos.
d) Todos os itens estão certos.

59. A decretação da prisão civil do devedor de alimentos: *

1 ponto
a) Só pode ser decretada uma única vez.
b) Não está autorizada no Pacto de San José da Costa Rica.
c) É permitida pelo art. 5º, LXVII da Constituição Federal sendo meio coercitivo de forma
a obrigá-lo a adimplir a obrigação.
d) É sempre decretada de ofício pelo juiz.
e) Está autorizada pelo Pacto de San José da Costa Rica mas não tem qualquer eficácia
em nosso sistema jurídico na medida em que referido pacto não foi subscrito pelo
Brasil.

60. João Roberto, que completou 18 anos no dia 1° de maio de 2020, comparece à
Defensoria Pública na data de hoje, com uma sentença que condenou o seu pai a
pagar alimentos no valor de um salário mínimo ao mês, desde a citação, ocorrida em
1° de julho de 2003. Os documentos apresentados pelo jovem revelam que o
alimentante nunca pagou qualquer valor a título de alimentos, desde que foram fixados
até a presente data, razão pela qual João Roberto deseja que seu pai pague todas as
prestações, sob pena de prisão. João nunca foi emancipado e também não houve
causa extintiva do poder familiar antes do atingimento da maioridade. Diante deste
pedido do autor e considerando as informações constantes da narrativa acima, o
defensor deverá: *

1 ponto
a) ajuizar uma única ação de execução de alimentos, pedindo que o alimentante pague
todas as prestações desde o mês de julho de 2003, sob pena de prisão civil, diante do
caráter da imprescritibilidade dos alimentos.
b) ajuizar uma ação de execução de alimentos cobrando os últimos dois últimos anos,
únicas parcelas que não foram atingidas pela prescrição bienal, além de ajuizar ação
revisional de alimentos, para comprovar que, apesar de atingida a maioridade, João
ainda tem necessita dos alimentos.
c) informar João Roberto que não mais é possível a cobrança dos alimentos, uma vez
que após atingida a maioridade, ocorre a exoneração do encargo alimentar e, além
disso, embora o direito aos alimentos seja imprescritível, a cobrança das parcelas já
prescreve no prazo de dois anos a partir do momento em que João Roberto atingiu os
16 anos e, portanto, passou a ser relativamente incapaz.
d) ajuizar duas ações de execução de alimentos, cobrando as três últimas parcelas
vencidas e as que se vencerem no curso do processo, sob pena de prisão, e a outra
cobrando as demais parcelas, exceto as que já prescreveram, ou seja, respeitando-se
o prazo prescricional de 02 anos em relação às parcelas vencidas.
e) ajuizar duas ações de execução de alimentos: uma cobrando as três últimas parcelas
vencidas e as que se vencerem no curso do processo, sob pena de prisão, e a outra
cobrando as demais parcelas desde o mês de julho de 2003, requerendo que o
alimentante faça o pagamento das parcelas vencidas, sob pena de penhora.

61. Acerca dos alimentos, é correto afirmar que *

1 ponto
a) considerando que se extingue o poder familiar pela maioridade (art. 1.635 do Código
Civil), cessa desde logo o dever de prestar alimentos, dispensada decisão judicial a
esse respeito.
b) a obrigação alimentar dos ascendentes é subsidiária à obrigação alimentar entre
irmãos, germanos ou unilaterais.
c) o débito alimentar que autoriza a prisão civil do alimentante é o que compreende as
prestações que se vencerem no curso do processo.
d) se o cônjuge declarado culpado pela separação judicial vier a necessitar de alimentos e
não tiver aptidão para o trabalho, o outro cônjuge será obrigado a assegurá-los, desde
que inexistam parentes na condição de prestá-los, limitados ao quantum indispensável
à sobrevivência.

62. Assinale a opção correta acerca dos encargos alimentares: *

1 ponto
a) A transmissão da obrigação alimentícia não ocorre em relação aos herdeiros do
devedor, visto que é obrigação personalíssima.
b) A fixação dos alimentos privilegia a necessidade em detrimento da possibilidade.
c) Admite-se a prestação de alimentos com caráter complementar, desde que reste
comprovado que os alimentos originalmente fixados não atendem integralmente às
necessidades do credor.
d) Alimentos são devidos entre cônjuges, companheiros e parentes, limitando-se, neste
caso, aos colaterais até o terceiro grau.

63. Acerca de alimentos, assinale a opção correta com base nos dispositivos do Código
Civil e na jurisprudência do STJ: *

1 ponto
a) O Código Civil reconhece o direito de os companheiros pedirem uns aos outros
alimentos de que necessitem, estabelecendo, contudo, que a constituição de nova
união pelo companheiro alimentante ou pelo alimentado implica exclusão do dever de
alimentar.
b) A obrigação dos avós de prestar alimentos aos netos é sucessiva e complementar,
podendo o alimentado, diante do mero inadimplemento da prestação alimentícia pelo
genitor, pleitear alimentos diretamente dos avós.
c) De acordo com o Código Civil, é vedado ao credor renunciar o direito de alimentos,
entretanto, considera-se válida e eficaz a renúncia manifestada por um dos cônjuges
por ocasião do divórcio, pois a irrenunciabilidade prevalece apenas enquanto subsista
o vínculo de direito de família.
d) O dever do pai, de prestar alimentos ao filho, extingue-se automaticamente, tão logo
este atinja a maioridade.
e) O décimo terceiro salário e o adicional de férias só integrarão a base de cálculo da
pensão alimentícia se houver prévia pactuação nesse sentido.
64. Considere: I) Os alimentos não serão devidos àqueles cuja situação de necessidade
resultar de sua própria culpa. II) Sendo várias as pessoas obrigadas a prestar
alimentos, a dívida se considera solidária. III) Na falta dos ascendentes cabe a
obrigação alimentícia aos descendentes, guardada a ordem de sucessão e, faltando
estes, aos irmãos, assim germanos como unilaterais. IV) A obrigação de prestar
alimentos não se transmite aos herdeiros do devedor. V) Podem os parentes, os
cônjuges ou companheiros pedir uns aos outros os alimentos de que necessitem para
viver de modo compatível com a sua condição social, inclusive para atender às
necessidades de sua educação. A obrigação de prestar alimentos subordina-se às
regras expressas apenas em: *

1 ponto
a) IV e V.
b) I e II.
c) I e IV.
d) II e III.
e) III e V.

65. Lucas, com dezoito anos de idade, procurou a DP com o objetivo de receber uma
orientação jurídica. Afirmou que, quando possuía quatro anos de idade, seu genitor
fora condenado a pagar alimentos mensais em seu favor, fixados em 30% do salário
mínimo. No entanto, o alimentante nunca efetuou o pagamento de uma prestação
alimentar sequer. Nesses termos, indagou do DP responsável pelo atendimento se
poderia cobrar o montante integral em atraso. À luz das disposições civilísticas a
respeito dos institutos da prescrição e dos alimentos, assinale a opção correta com
referência à situação hipotética acima: *

1 ponto
a) De acordo com o Código Civil, a pretensão de cobrança do crédito alimentar prescreve
em cinco anos, a partir do vencimento de cada prestação. Assim, Lucas somente
poderá cobrar os alimentos que não tenham vencido há mais de cinco anos.
b) Segundo o disposto no Código Civil, prescreve em dois anos a pretensão para haver
prestações alimentares, a partir da data em que se vencerem. Dessa maneira, Lucas
somente poderá cobrar os alimentos que não tenham vencido há mais de dois anos.
c) Diante de sua natureza de direito personalíssimo, a pretensão de cobrança de crédito
alimentar não se sujeita à prescrição. Dessa forma, poderiam ser cobradas todas as
prestações alimentícias devidas pelo genitor de Lucas.
d) Lucas poderá cobrar todas as prestações alimentares que lhe são devidas, pois a
prescrição não corre contra os absolutamente incapazes e nem entre ascendentes e
descendentes durante o poder familiar.
e) Lucas somente poderá cobrar os alimentos inadimplidos referentes aos últimos três
meses, pois as demais prestações, segundo a jurisprudência do STJ, perderam sua
natureza alimentar diante da inércia do credor de alimentos.

66. Fixados os alimentos a favor do filho menor impúbere, com 10 anos de idade, o
alimentante passou a pagar apenas 2/3 do valor da pensão, e essa prática perdurou
por seis anos. A inadimplência veio a motivar a execução de sentença pela
representante da criança. Em fase de embargos, o alimentante aduziu prescrição (Cód.
Civil, art. 206, § 2º) das prestações vencidas há mais dois anos. Em impugnação aos
embargos, deverá ser arguido que *

1 ponto
a) a prestação de alimentos é imprescritível.
b) a prescrição não corre contra menores até 18 anos completos.
c) a prescrição não corre contra menores impúberes.
d) a prescrição é do direito a alimentos em si e não atinge prestações vencidas.

67. Conforme estabelecido no Código Civil (artigo 1.694), podem os parentes, os cônjuges
ou companheiros pedir uns aos outros os alimentos de que necessitem para viver de
modo compatível com sua condição social, inclusive para atender as necessidades de
sua educação. Proporcionais às necessidades do reclamante e dos recursos da
pessoa obrigada, os alimentos serão apenas os indispensáveis à subsistência do
primeiro. De acordo com o artigo 1.696 do Código Civil, o direito à prestação de
alimentos é recíproco entre pais e filhos e extensivo a todos os ascendentes, sendo
que, na falta deles, *

1 ponto
a) deve-se recorrer às políticas públicas.
b) será cessada qualquer responsabilidade.
c) recairá a obrigação nos mais próximos em grau.
d) concorrerão entidades beneficentes.
e) será definido pela livre escolha do juiz.

68. Considerando a disciplina jurídica contida no ordenamento jurídico brasileiro acerca


dos alimentos e da obrigação alimentar, é correto afirmar: *

1 ponto
a) A obrigação dos avós de prestar alimentos é subsidiária e complementar à dos pais, e
não solidária.
b) A pretensão para haver prestações alimentares não pagas prescreve em 03 (três) anos
a partir da data em que se vencerem.
c) A obrigação de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor, estando estes
obrigados a pagá-los, inclusive, com recursos próprios.
d) O direito à prestação de alimentos é recíproco entre pais e filhos, e extensivo aos
ascendentes, apenas até o segundo grau.
e) O direito a alimentos é insuscetível de compensação e penhora, podendo, entretanto,
ser objeto de cessão.

69. Considerada a obrigação alimentar no ordenamento jurídico pátrio, analise as


assertivas abaixo: I) É possível a imposição de obrigação alimentar aos parentes por
afinidade, em linha reta ou transversal, por expressa previsão legal. Doutrina e
jurisprudência avalizam a regra codificada, ratificando a obrigação alimentar em tais
casos. II) Após o nascimento com vida, os alimentos gravídicos ficam convertidos em
pensão alimentícia em favor do menor até que uma das partes solicite a sua revisão.
III) Observadas as suas condições pessoais e sociais, os avós somente serão
obrigados a prestar alimentos aos netos em caráter sucessivo, complementar e não
solidário, quando os pais destes estiverem impossibilitados de fazê-lo. IV) Os alimentos
compensatórios, ou prestação compensatória, não têm por finalidade suprir as
necessidades de subsistência do credor, mas corrigir e atenuar grave desiquilíbrio
econômico financeiro ou abrupta alteração de padrão de vida. V) A pensão alimentícia
fixada em percentual sobre o salário do alimentante incide sobre o décimo terceiro
salário e terço constitucional de férias. Estão corretas as assertivas: *
1 ponto
a) I, II, III e IV, apenas.
b) II, III, IV e V, apenas.
c) I e IV, apenas.
d) IV e V, apenas.
e) II, III e V, apenas.

70. Quanto aos alimentos devidos em razão das relações familiares, assinale a opção
correta: *

1 ponto
a) Uma pessoa, maior e capaz, que seja credora de alimentos, pode ceder a outrem este
direito apenas se a cessão se der em razão da existência de obrigação da mesma
natureza, como seria o caso de o credor ser devedor de pensão alimentícia para um
filho seu.
b) Contrariando o caráter personalíssimo da obrigação alimentar, a lei civil autoriza que o
credor de alimentos os cobre dos herdeiros do devedor, hipótese em que estes
respondem pelo encargo no limite das forças da herança.
c) Os alimentos são imprescritíveis, por se tratar de obrigação que atende a necessidade
do momento, de modo que, uma vez fixados, é possível cobrá-los a qualquer tempo,
independentemente do prazo comum.
d) Por se tratar de prestação de trato sucessivo, é necessário que a pensão alimentícia
seja fixada em percentual do salário do devedor ou em percentual sobre o salário
mínimo, vedando-se modo diverso, ainda que acrescido de previsão de reajuste por
índice oficial.
e) São irrenunciáveis os alimentos devidos ao incapaz, o que, entre outras
conseqüências, impede que seu representante dispense, mesmo ocasionalmente, o
recebimento da pensão, sob pena de nulidade do ato de dispensa.

71. A obrigação de prestar alimentos decorre dos princípios da preservação da dignidade


da pessoa humana e da solidariedade familiar. É correto afirmar, segundo a disciplina
do Código Civil, que *

1 ponto
a) o crédito de alimentos pode ser objeto de cessão.
b) a obrigação de prestar alimentos transmite-se aos herdeiros do devedor, nos limites da
herança.
c) o crédito de alimentos é penhorável.
d) o crédito de alimentos pode ser objeto de compensação.
e) a obrigação de prestar alimentos é indivisível.

72. Ana, casada com Roberto há dez anos, descobre que seu marido mantém
relacionamento extraconjugal com Julia. Depois de muita discussão, Roberto decide
divorciar-se de Ana, deixando seus três filhos menores impúberes residindo em
companhia materna. Diante da ruptura da vida em comum, antes da concretização do
divórcio, Ana decide ajuizar ação de alimentos em face do ex-cônjuge, buscando
fossem concedidos para si e para os filhos. Sobre o tema “Alimentos”, tratado na
questão, é correto afirmar que: *

1 ponto
a) o direito aos alimentos do cônjuge é indiscutível quando lhe couber residir com os filhos
após o rompimento da vida conjugal.
b) o novo casamento do divorciado, advindo filhos da nova união, implica automática
revisão da obrigação alimentar relativa ao primeiro casamento.
c) o dever de prestar alimentos existe sempre para aquele que tem condições econômica
de prestá-los, seja na hipótese de casamento ou união estável, independentemente de
qualquer outro requisito.
d) a obrigação alimentar em relação ao cônjuge existe em havendo necessidade de quem
pede e possibilidade de quem deve pagar.
e) o cônjuge culpado pela dissolução do casamento tem o dever de prestar alimentos ao
cônjuge prejudicado como forma de reparar o dano.

73. Sobre os alimentos, é incorreto afirmar: *

1 ponto
a) Como os alimentos destinam-se à manutenção do alimentando no tempo presente e
futuro, não são exigíveis quanto ao passado.
b) Presentes os requisitos legais ínsitos à espécie, o direito de obter, judicialmente, o
estabelecimento de pensão alimentícia não está sujeito a prazo prescricional.
c) Face a vedação constitucional do uso do salário-mínimo como fator de indexação
obrigacional, a pensão alimentícia não pode ser fixada pelo juiz com base no salário-
mínimo, seguindo a orientação da Súmula Vinculante 4 do STF.
d) Em se tratando de filho menor, ainda sob o poder familiar do genitor alimentante,
fixados judicialmente os alimentos em seu favor, não haverá fluência do prazo
prescricional para execução de parcelas vencidas e não pagas.

74. A respeito do direito de família, assinale a opção correta à luz da jurisprudência do


STJ: *

1 ponto
a) É suficiente para a caracterização da união estável o fato de um casal de namorados
que moram juntos projetar constituir família no futuro.
b) A invalidação da venda de imóvel comum fundada na falta de consentimento do
companheiro dependerá da publicidade conferida à união estável ou da demonstração
de má-fé do adquirente.
c) Em regra, não se mostra cabível a fixação, por tempo determinado, de pensão
alimentícia para ex-cônjuge.
d) É incabível o pedido de alimentos decorrente do rompimento de união estável
homoafetiva.
e) Se a união estável for formalizada por escritura pública, a fiança prestada por um dos
conviventes sem a autorização do outro é inválida.

75. Amália, mãe de Olívia, de oito anos, está desempregada. Sua filha mora com Antero,
pai da menina e ex-marido de Amália. Embora Antero esteja empregado, não tem
condições de prover integralmente o sustento de Olívia. Amália, atualmente, mora com
a mãe, avó de Olívia, que é desembargadora aposentada do TJPI. Verifica-se, quanto
ao episódio narrado: *

1 ponto
a) que Amália perde o dever de alimentos, pois, embora seja a mãe de Olívia, não detém
meios de prover à sua filha o sustento.
b) que o dever de alimentos, por decorrer do exercício do poder familiar, incumbe apenas
a Antero, que detém a guarda de Olívia.
c) que o dever de alimentos, restrito aos pais, obriga Antero a buscar renda
complementar para prover as necessidades essenciais de Olívia.
d) que o dever de alimentos é aferido pela necessidade do alimentado e, portanto, mesmo
sem seu próprio sustento, Amália é obrigada a provê-los a Olívia.
e) que o dever de alimentos devidos pelos pais é extensível aos demais ascendentes,
respeitado o grau de parentesco, e, portanto, pode ser demandado da avó materna.
76. A respeito da prestação de alimentos segundo o Código Civil, assinale a alternativa
correta: *

1 ponto
a) Por ser de caráter personalíssimo, a obrigação de prestar alimentos não pode ser
transmitida aos herdeiros.
b) Admite-se a prestação de alimentos com caráter complementar, desde que reste
comprovado que os alimentos originalmente fixados não atendem integralmente às
necessidades do credor.
c) O crédito decorrente da obrigação alimentar não pode ser objeto de cessão e penhora,
mas admite-se a sua compensação.
d) Após a separação judicial do casal, o cônjuge declarado culpado pela separação não
poderá pleitear ao outro cônjuge a prestação alimentícia.
e) Para a fixação dos alimentos, o julgador deve privilegiar a necessidade em detrimento
da possibilidade.

77. Assinale a alternativa correta: *

1 ponto
a) Tanto a mãe do menor absolutamente incapaz, como ele mesmo, serão partes
legítimas para pleitear alimentos para o menor, contra o pai, já que diante da
incapacidade do menor, ambos precisam figurar no pólo ativo, como parte.
b) Só o Ministério Público tem legitimidade para propor a demanda em nome do menor
absolutamente incapaz, quando pretende pleitear alimentos contra seu pai, tendo em
vista a sua incapacidade plena, ou seja, tanto para a causa como para o processo.
c) O menor absolutamente incapaz, que necessita de alimentos, é parte legítima para
pleitear alimentos contra seu pai, mas precisa que sua capacidade seja integrada.
d) A mãe do menor absolutamente incapaz será a parte legítima para pleitear alimentos
para o menor, contra o pai, já que o menor não tem capacidade plena.

78. Sobre alimentos, nos termos do que dispõe o Código Civil brasileiro, marque a
alternativa correta: *

1 ponto
a) Se o parente, que deve alimentos em primeiro lugar, não estiver em condições de
suportar totalmente o encargo, serão chamados a concorrer os de grau imediato;
sendo várias as pessoas obrigadas a prestar alimentos, todas devem concorrer na
proporção dos respectivos recursos, mas intentada ação contra uma delas, as demais
não serão chamadas a integrar a lide.
b) A obrigação de prestar alimentos não se transmite aos herdeiros do devedor.
c) O concubinato do credor não faz cessar o dever de prestar alimentos.
d) Se o cônjuge declarado culpado vier a necessitar de alimentos, e não tiver parentes em
condições de prestá-los, nem aptidão para o trabalho, o outro cônjuge será obrigado a
assegurá-los, fixando o juiz o valor indispensável à sobrevivência.

79. Em matéria de direito de família, pode-se afirmar que: *

1 ponto
a) o Código Civil prevê, sob pena de anulabilidade, a necessidade de consentimento do
companheiro da compra e venda de bem imóvel.
b) é admitida, como presunção absoluta, a presunção de paternidade dos filhos havidos
na constância do casamento.
c) a incidência de qualquer impedimento matrimonial, nos termos do Código Civil, não
impede a configuração da união estável.
d) são características do direito aos alimentos o caráter personalíssimo, a
irrenunciabilidade e a atualização.
e) o abandono afetivo pelo genitor jamais possibilita a compensação pelos danos morais
sofridos pelo filho.
80. Os alimentos côngruos são: *

1 ponto
a) aqueles que têm como causa a morte do alimentante e são fixados por meio de legado
de alimentos, em cédula testamentária.
b) de natureza indenizatória, decorrentes de ato ilícito.
c) aqueles estritamente necessários à sobrevivência do alimentando.
d) aqueles destinados à manutenção da condição social do credor de alimentos.