Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL

CRIMINAL DA COMARCA DE NITERÓI/RJ


Enrico, nacionalidade, estado civil, RG..., CPF..., residente e domiciliado no endereço ..., por
meio de seu procurador infra-assinado, mediante procuraçã o com poderes especiais em
anexo, vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, ajuizar a presente QUEIXA-
CRIME, com base nos arts. 41 e 44 do Código de Processo Penal e art. 100, § 2º, do
Código Penal, c/c o art. 30 do Código de Processo Penal, contra HELENA, nacionalidade,
estado civil, profissã o, RG..., do CPF..., residente na Rua..., pelos fatos a seguir expostos.
I- DOS FATOS
No dia 19 de abril de 2014, a querelada Helena, difamou e injuriou o querelante,
imputando-lhe fato ofensivo à sua reputaçã o, ofendendo, ainda, sua dignidade e decoro.
Na ocasiã o, Helena, vizinha e ex-namorada de Enrico, que também possui perfil na referida
rede social e está adicionada nos contatos de seu ex, por meio de seu computador pessoal,
instalado em sua residência, um prédio na praia de Icaraí, em Niteró i, publicou no perfil
pessoal de Enrico o seguinte comentá rio: “nã o sei o motivo da comemoraçã o, já que Enrico
nã o passa de um idiota, bêbado, irresponsá vel e sem vergonha!”, e, com o propó sito de
prejudicar Enrico perante seus colegas de trabalho e denegrir sua reputaçã o acrescentou,
ainda, “ele trabalha todo dia embriagado! No dia 10 do mês passado, ele cambaleava
bêbado pelas ruas do Rio, inclusive, estava tã o bêbado no horá rio do expediente que a
empresa em que trabalha teve que chamar uma ambulâ ncia para socorrê-lo!”.
Imediatamente, o querelante, que estava em seu apartamento e conectado à rede social por
meio de seu tablet, recebeu a mensagem e visualizou a publicaçã o com os comentá rios
ofensivos de Helena em seu perfil pessoal.
Helena, ao utilizar o seu computador pessoal para inserir as expressõ es injuriosas e
difamantes, no perfil do querelante em sua rede social, usou meio que facilitou a divulgaçã o
da difamaçã o e injú ria, incidindo, por isso, a causa de aumento de pena prevista no art. 141,
III, do Có digo Penal.
II- DO DIREITO
Ao afirmar que o querelante nã o passa de um idiota, bêbado, irresponsá vel e sem vergonha,
a querelada praticou o crime de injú ria, previsto no art. 140 do Có digo Penal.
Ao afirmar que o querelante trabalha todo dia embriagado e que no dia 10 do mês passado,
ele cambaleava bêbado pelas ruas do Rio, inclusive, estava tã o bêbado no horá rio do
expediente que a empresa em que trabalha teve que chamar uma ambulâ ncia para socorrê-
lo, a querelada praticou o crime de difamaçã o, previsto no art. 139 do Có digo Penal.
Helena praticou a injú ria e a difamaçã o no mesmo contexto, mediante ú nica publicaçã o,
com desígnios autô nomos, em concurso formal imperfeito de crimes, nos termos do art. 70,
segunda parte, do Có digo Penal.
Sendo assim, percebe-se que houve uma ú nica conduta de Helena, qual seja, uma ú nica
publicaçã o, sendo certo que em tal publicaçã o, com desígnios autô nomos, Helena praticou
dois crimes, a saber: injú ria e difamaçã o.
III- DOS PEDIDOS
Assim agindo, a querelada HELENA praticou os delitos previstos nos arts. 139 e 140, c/c
art. 141, III, n/f do art. 70, todos do Có digo Penal, razã o pela qual requer o querelante:
a) a designaçã o da audiência preliminar ou de conciliaçã o;
b) a citaçã o da querelada;
c) o recebimento da queixa-crime;
d) a oitiva das testemunhas arroladas;
e) a procedência do pedido, com a consequente condenaçã o da querelada nas penas dos
arts. 139 e 140 c/c o art. 141 III, n/f do art. 70, todos do CP;
f) a fixaçã o de valor mínimo de indenizaçã o, nos termos do art. 387, IV, do CPP.
Local..., data...
Advogado. OAB n...
ROL DE TESTEMUNHAS:
1) CARLOS;
2) MIGUEL;
3) RAMIREZ.

Você também pode gostar