Você está na página 1de 13

PESQUISAS PARTICIPATIVAS

Pro.ª Ma. Lívia Lima Gurgel


Metodologia de Pesquisa – 2020.2
OBJETIVOS DA AULA

• Compreender o que são Pesquisas Participativas


• Conhecer características de Pesquisa-ação e Pesquisa-
Intervenção
• Exemplos dessas pesquisas no campo da Psicologia
PESQUISAS PARTICIPATIVAS

• Essas pesquisas relativizam a ideia de “verdade”, abandonam a neutralidade, a


objetividade e a totalização dos saberes, pilares das ciências tradicionais.
• Kurt Lewin e o estudo dos grupos: década de 30, primeiras experiências com
pesquisas de campo;
• Pesquisa-ação e a dinâmica de grupo de Lewin: desestabilizava o mito da objetividade
na produção do conhecimento; o pesquisador modifica o objeto estudado;
• Ações ainda permanecem referenciadas a demandas construídas fora das práticas;
essas pesquisas ainda não fugiam do paradigma funcionalista;
• Brasil: década de 70, questionamentos às pesquisas tradicionais;
PESQUISAS PARTICIPATIVAS

• (...) têm como proposta a participação dos grupos sociais na busca de soluções
para as problemáticas vividas;
• Envolve um processo de compreensão e mudança da realidade;
• É necessária uma mudança na postura do pesquisador e dos pesquisados, uma
vez que todos são coautores do processo de diagnóstico da situação-problema
e da construção de vias que possam resolver as questões;
• O conhecimento produzido precisa estar disponível para todos e servir de
instrumento para ampliar a qualidade de vida da população.
PESQUISA-AÇÃO

• Pesquisa-ação é um tipo de Pesquisa participativa. Entretanto, nem toda Pesquisa


participativa é uma Pesquisa-ação.
• Definições mais genéricas:
“identificação de estratégias de ação planejada que são implementadas e, a seguir,
sistematicamente submetidas a observação, reflexão e mudança” (Grundy; Kemmis, 1982),
• Definição mais restrita:
“pesquisa-ação é uma forma de investigação-ação que utiliza técnicas de pesquisa
consagradas para informar a ação que se decide tomar para melhorar a prática”, as técnicas
de pesquisa devem atender aos critérios comuns a outros tipos de pesquisa acadêmica (isto
é, enfrentar a revisão pelos pares quanto a procedimentos, significância, originalidade,
validade etc.).
PESQUISA-AÇÃO

• Muito utilizada no campo do ensino e aprendizagem: como melhorar práticas


de ensino?
• Também são muito utilizadas no campo da sociologia e da psicologia;
• De acordo com essa forma de pesquisar, os conhecimentos científicos são
provisórios e dependentes do contexto histórico;
CARACTERÍSTICAS

• - O processo de pesquisa deve tornar-se um processo de aprendizagem para


todos os participantes e a separação entre sujeito e objeto de pesquisa deve ser
superada.
• A pesquisa-ação é participativa na medida em que inclui todos os que, de um
modo ou outro, estão envolvidos nela e é colaborativa em seu modo de
trabalhar.
• Como a pesquisa-ação ocorre em cenários sociais não manipulados, ela não
segue os cânones de variáveis controladas comuns à pesquisa científica;

• A pesquisa-ação sempre começa a partir de algum tipo de problema;


• Como critério de validade dos resultados da pesquisa-ação sugere-se a utilidade dos dados
para os clientes: as estratégias e produtos serão úteis para os envolvidos se forem capazes
de apreender sua situação e de modificá-la.
• A pesquisa-ação é situacional: procura diagnosticar um problema específico numa situação
também específica, com o fim de atingir uma relevância prática dos resultados.
• É ação baseada na compreensão alcançada por meio da análise de informações de pesquisa.

• A pesquisa-ação é auto avaliativa.

• É cíclica.
FASES DA PESQUISA -AÇÃO

• A maioria dos processos de melhora segue o


mesmo ciclo. A solução de problemas, por
exemplo, começa com a identificação do
problema, o planejamento de uma solução,
sua implementação, seu monitoramento e a
avaliação de sua eficácia.
CRÍTICAS

• - O objetivo da pesquisa-ação é situacional e específico, ao passo que a pesquisa


científica tradicional vai além da solução de problemas práticos e específicos;

• - A amostra da pesquisa-ação geralmente é restrita e não-representativa;

• - A pesquisa-ação tem pouco ou nenhum controle sobre variáveis independentes;

• - Em consequência disso, os resultados da pesquisa-ação não podem ser


generalizados, sendo válidos apenas no ambiente restrito em que é feita a pesquisa
(relevância local).
P E S Q U I S A - A Ç Ã O S OC I A L M E N T E C R Í T I C A

• Relaciona-se a melhorias sociais, como diminuição da desigualdade;


• Projetos emancipatórios e que visam mudanças na realidade concreta;
• Seus resultados estão vinculados à tomada de consciência dos fatores
envolvidos nas situações de vida imediata e na participação coletiva para a
mudança da ordem social.
SOBRE PESQUISA PARTICIPA E
PESQUISA-AÇÃO

• “A PP se preocupou sobretudo com o papel do investigador dentro da situação


investigada e chegou a problematizar a relação pesquisador/pesquisado no
sentido de estabelecer a confiança e outras condições favoráveis a uma
melhor captação de informação. No entanto, os partidários da PP não
concentraram suas preocupações em torno da relação entre investigação e
ação dentro da situação considerada. É justamente esse tipo de relação que é
especificamente destacado em várias concepções da PA. A PA não é apenas PP,
é um tipo de pesquisa centrada na questão do agir” (Thiollent, 1987: 83).
REFERÊNCIAS

• ROCHA, M. L.; AGUIAR, K. F. Pesquisa-intervenção e a produção de


novas análises. Psicologia, ciência e profissão, v. 23, n. 4, p. 64-73,
2003.
• TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e
Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005