Você está na página 1de 7

ARTIGO TÉCNICO

http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA

Promovendo a Educação Ambiental no contexto da sala de


aula da Educação de Jovens e Adultos

Promoting Environmental Education in the context of the


Youth and Adult Education class
Renata Chaves Cardoso¹*; Maria Helena Carvalho Costa2; Olívio Medeiros de Oliveira Netto3;
Vanessa da Costa Santos4; José Ozildo dos Santos5

Resumo: A Educação Ambiental surgiu a partir da constatação de que ela poderia capaz de reorientar as premissas do
agir humano em sua relação com o ambiente. Pois, para se alcançar um futuro sustentável é necessário fomentar, entre a
população, a consciência da importância do meio ambiente através da Educação Ambiental. O objetivo da Educação
Ambiental na Educação de Jovens e Adultos é sensibilizar os alunos da importância da preservação do meio ambiente,
para uma melhor qualidade de vida, que também deverá ser garantida às futuras gerações. Através da educação
ambiental, o ser humano pode mudar a sua forma de ver e de se comprometer com o meio ambiente, aprendendo a viver
em harmonia com o planeta. Com essa pesquisa pode-se concluir que os problemas socioambientais precisam ser
analisados e discutidos por todos os professores das diferentes áreas e/ou disciplinas, uma vez que a escola se constitui
num espaço onde as crianças poderão aprender valores de cidadania em defesa da vida. E, que é papel da Educação
Ambiental preparar as pessoas do presente e do futuro, dispostas e aptas a estabelecerem com o mundo natural novas
formas afetivas e vivenciais de educação, ou seja, pessoas capazes de verem e sentirem o ambiente em que vivem.
Trata-se de um estudo exploratório de abordagem quantitativa, que teve por objetivo geral investigar como o professor
trabalha o tema Educação Ambiental no contexto escolar Educação de Jovens e Adultos.

Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos. Educação Ambiente. Desenvolvimento.

Environmental Education arose from the realization that it could be able to reorient the premises of human action in its
relationship with the environment. For, in order to achieve a sustainable future, it is necessary to foster awareness
among the population of the importance of the environment through Environmental Education. The goal of
Environmental Education in Youth and Adult Education is to sensitize students to the importance of preserving the
environment for a better quality of life, which should also be guaranteed to future generations. Through environmental
education, the human being can change the way he sees and commit to the environment, learning to live in harmony
with the planet. With this research it can be concluded that socio-environmental problems need to be analyzed and
discussed by all teachers in different areas and / or disciplines, since the school is a space where children can learn
values of citizenship in defense of life. And, it is the role of Environmental Education to prepare people of the present
and the future, willing and able to establish with the natural world new affective and experiential forms of education,
that is, people who can see and feel the environment in which they live. This is an exploratory study of a quantitative
approach, whose general objective was to investigate how the teacher works the theme Environmental Education in the
school context of Youth and Adult Education.

Keywords: Youth and Adult Education. Education Environment. Development.

___________________
*Autor para correspondência
Recebido para publicação em 20/10/2017; aprovado em 21/11/2017
1
Aluna do Curso de Gestão Pública (UFCG-CDSA), Sumé-PB. E-mail: renaatachaves97@hotmail.com
2
Aluno do Curso de Gestão Pública (UFCG-CDSA), Sumé-PB. romildoa80@gmail.com
3
Bacharel em Administração. Servidor da UEPB, Campus Patos-PB. E-mail: om-on@hotmail.com
4
Aluna do Curso de Mestrado em Tecnologia Alimentar/UFPB/CCHSA. Bananeiras-PB. E-mail: nessacosta1995@hotmail.com
5
Doutorando em Engenharia de Processos (UFCG). Docente do CDSA/UFCG. Sumé-PB. E-mail: joseozildo2014@outlook.com

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Promovendo a Educação Ambiental no contexto da sala de aula da Educação de Jovens e Adultos

INTRODUÇÃO
Trata-se de um estudo exploratório de abordagem
Quando o assunto é meio ambiente, deve-se quantitativa. Quanto á natureza, este pode ser classificado
destacar que a Educação de Jovens e Adultos (EJA) vem como sendo uma pesquisa aplicada, partindo do princípio
contribuindo para a sua promoção. O currículo dessa de vista gerar conhecimento para aplicação prática no
modalidade de ensino, que é destinada às pessoas que não cenário do estudo. Inicialmente, foi realizada uma
tiveram acesso ou oportunidades de estudar na idade pesquisa bibliográfica, mediante busca eletrônica
adequada, tem contribuindo com as discussões em torno utilizando-se nos principais bancos de dados, bem como
das questões ambientais. Tais questões constituem um do acervo bibliográfico existente em bibliotecas públicas e
grande desafio não só para eles para toda a humanidade. acervo particular. Num segundo momento, foi aplicado
Pois, a crise ambiental na atualidade, é resultado da um questionário junto aos professores que atuam na
estreita relação entre o ambiente natural e o social, que Escola de Ensino Fundamental e Médio José Gomes
provocou o desequilíbrio socioambiental (ABÍLIO, 2011). Alves, localizada na cidade de Patos, Estado da Paraíba.
Assim, são necessárias medidas urgentes quanto a Para o presente estudo, foi considerada como
uma conscientização das pessoas, que as levem a gerar população todos os professores que exercem suas
novos conceitos sobre a importância da preservação do atividades na citada escola, totalizando 32 docentes.
meio ambiente. Por sua vez, a escola como espaço social Deste, retirou-se uma amostra composta por 10 (dez)
responsável por promover um processo contínuo de professores, escolhidos entre aqueles que demonstraram o
socialização dos alunos, deverá oferecer desenvolver interesse de participarem do presente questionário. Para a
meios efetivos para que cada aluno compreenda a recolha/coleta dos dados foi utilizado um questionário
importância da relação homem e natureza, suas causas, previamente estruturado, dividido em duas partes. A
efeitos e consequências (BEZERRA; BURSZTYN, 2000). primeira, voltada para traçar o perfil da amostra
Desta forma, através da Educação Ambiental é entrevistada. E, a segunda, composta por 10 questões
possível desenvolver no aluno uma postura crítica para subjetivas, privilegiando os objetivos do presente trabalho.
repensar suas atitudes, enquanto agente transformador do Após a recolha dos dados, estes receberam tratamento
meio em que vive. Na EJA, a Educação Ambiental pode estatístico e foram apresentados em Gráficos. E, no final,
contribuir para aquisição da consciência ambiental, comentados à luz da literatura especializada.
associação do conteúdo programático das diferentes
disciplinas à realidade social, cultural e ambiental RESULTADOS E DISCUSSÃO
vivenciadas pelo aluno.
O presente trabalho tem por objetivo investigar Através da primeira pergunta procurou-se saber os
como o professor trabalha o tema Educação Ambiental no participantes discutem as questões ambientais nas
contexto escolar da EJA. reuniões pedagógicas que ocorrem em sua escola. Os
dados colhidos foram apresentados no Gráfico 1.
MATERIAIS E MÉTODOS

Gráfico 1. Distribuição dos participantes quanto ao fato se discutem as questões


ambientais nas reuniões pedagógicas que ocorrem em sua escola

80%
70% 70% Periodicamente (n=2)
60%
50%
Informalmente (n=70)
40%
30%
Mensalmente (n=1)
20% 20%
10% 10%
0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Quando se analisa os dados apresentados no Tomando por base os dados colhidos, pode-se
Gráfico 1, verifica-se que 70% dos participantes discutem afirmar que a escola que serviu de campo para a presente
as questões ambientais nas reuniões pedagógicas de forma pesquisa, precisa mudar sua metodologia de ensino e
informal; 20% discutem periodicamente e 10%, observar com melhores detalhes o que preceituam os
mensalmente. Parâmetros Curriculares Nacionais, no que diz respeito ao

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Renata Chaves Cardoso et al.

meio ambiente. Pois, segundo aquelas orientações atuais preocupações sociais. Em síntese, é preciso que o
pedagógicas, o meio ambiente é um tema que deve ser professor aprenda que o melhor professor de Matemática
trabalhado amplamente na escola, seja como conteúdo nem sempre é aquele que somente ensina a ciência
específico ou em forma de tema transversal. matemática. Mas, aquele que ensina o aluno a multiplicar
De acordo Zeppone (2011), utilizando da o conhecimento e ter uma vida melhor, de forma digna e
transversalidade, a escola ganha um novo sentido, responsável. Tal princípio também se aplica a tudo aquilo
passando de um mero espaço de acesso a informações que diz respeito ao meio ambiente.
para um espaço de formação socialmente relevante, no Posteriormente, perguntou-se aos professores que
qual as informações são um meio, mas nunca um fim em participaram desta pesquisa, a qual a contribuição dos
si mesmo. Parâmetros Curriculares Nacionais para o estudo dos
É preciso que o professor entenda que os temas temas transversais, a exemplo do Meio Ambiente. O
transversais devem ser o eixo em torno do qual deve girar Gráfico 2 esboça os dados colhidos através desse
a temática das áreas curriculares. Pois, através de tais questionamento.
instrumentos pode-se inserir dentro do contexto escolar, as

Gráfico 2. Distribuição dos participantes quanto à contribuição dos Parâmetros


Curriculares Nacionais para o estudo dos temas transversais, a exemplo do Meio Ambiente.

70%
Estimulam em sala de
60% 60%
aula a discussão sobre a
50% preservação da natureza
(n=6)
40% 40%
30% Estimulam a
conscientização
20% ecológica entre os jovens
10% (n=4)

0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Os dados esboçados no Gráfico 4 mostram que deixou-se de construir um gráfico representativo para tal
segundo 60% dos professores entrevistados os Parâmetros resultado obtido.
Curriculares Nacionais contribuem para o estudo dos De acordo com Figueiredo (2004, p. 54), “a
temas transversais, a exemplo do Meio Ambiente, educação ambiental é um processo que visa formar uma
estimulando em sala de aula a discussão sobre a população mundial consciente e preocupada com o
preservação da natureza. Contudo, 40% ressaltaram que ambiente e com os problemas que lhe dizem respeito”.
estes estimulam a conscientização ecológica entre os Nesse sentido, a educação ambiental deverá ser
jovens. trabalhada na escola como processo educacional em todas
Destacam Oliveira e Santos (2009), que um dos as instâncias de formação e disciplinas do currículo, pois
objetivos dos Paramentos Curriculares Nacionais, editados ela se integra ao processo educacional como um tema
pelo Ministério da Educação, é disciplinar o processo de transversal que permeia os diferentes conteúdos
ensino, fixando diretrizes e estabelecendo conteúdos para disciplinares e envolve a apropriação de conteúdos,
cada ciclo de ensino. formação de conceitos e a aquisição de competências para
Tal documento trouxe para a discussão pedagógica agir na realidade de forma transformadora.
a necessidade de se trabalhar em sala de aula à No contexto escolar, ela deve proporcionar a
transversalidade, por entender que através da produção da consciência do meio ambiente em geral e a
interdisciplinaridade pode-se melhor o rendimento compreensão crítica das questões ambientais decorrentes
escolar. da sua utilização pelas sociedades humanas no seu
Mediante o quinto questionamento, procurou-se percurso histórico, permitindo desenvolver nos alunos um
saber dos entrevistados se a Educação Ambiental é profundo interesse pelo meio ambiente e a vontade de
importante para a formação do cidadão. A esse participar ativamente na sua proteção.
questionamento todos os entrevistados (100%) Em ato contínuo, procurou-se saber dos
responderam que ‘sim’, ou seja, que a Educação participantes como eles avaliam o nível de conhecimento
Ambiental é importante para a formação do cidadão. dos seus alunos sobre Meio Ambiente. As respostas
Assim, considerando que somente obteve-se uma resposta, colhidas foram transformadas em dados e apresentadas no
Gráfico 3, a seguir.

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Promovendo a Educação Ambiental no contexto da sala de aula da Educação de Jovens e Adultos

Gráfico 3. Distribuição dos participantes quanto ao fato de como eles avaliam o


nível de conhecimento dos seus alunos sobre Meio Ambiente

80%
70% 70%
Insatisfatório (n=1)
60%
50%
Satisfatório (n=2)
40%
30%
Regular (n=7)
20% 20%
10% 10%
0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Os dados apresentados no Gráfico 3 mostram que Orientados por essa proposta é que os professores
70% dos professores entrevistados avaliam como sendo planejam suas aulas.
regular o nível de conhecimento de seus alunos sobre
Meio Ambiente; 10% avaliam como sendo insatisfatório e Partir desse princípio, a escola, em sua proposta
20%, como satisfatório. pedagógica deve priorizar questões atuais, a exemplo da
Destaca o próprio Ministério da Educação problemática do meio ambiente, possibilitando que seus
(BRASIL, 2006, p. 37) que: alunos tenham as melhores informações sobre o referido
tema e adquiriram os conhecimentos necessários para das
Para garantir que todos os alunos aprendam, a discussões em sociedade, que o referido tema requer.
escola precisa ter uma proposta pedagógica com Mediante o sétimo questionamento, indagou-se dos
orientações claras. É na proposta pedagógica que participantes se em sua escola existe algum projeto que
ficam definidos quais os objetivos para cada etapa, trabalhe com a Educação Ambiental. O Gráfico 4
que tipo de atividade precisa ser realizado na sala relaciona-se a esse questionamento.
de aula e na escola, como será a avaliação.

Gráfico 4. Distribuição dos participantes quanto ao fato em sua escola existe algum
projeto que trabalhe com a Educação Ambiental

50% 50%
50%
40% Sim (n=5)

30%

20% Não (n=5)

10%

0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Quando se analisa os dados apresentados no Para trabalhar Educação Ambiental nas escolas,
Gráfico acima, verifica-se que segundo 50% dos existem vários procedimentos metodológicos, entre os
entrevistados, em sua escolha existe projeto que trabalha quais destacam-se: atividades artísticas, experiências
com a Educação Ambiental. Contudo, outros 50% práticas, trabalhos de campo, produção de materiais
afirmaram que não existe. locais, projetos ou qualquer outra atividade que conduza

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Renata Chaves Cardoso et al.

os alunos no processo que norteia a política ambientalista comunidade escolar, relacionando-o a problemas
(PEREIRA, 2007). ambientais atualizados, deve ser uma forma de inclusão de
Na concepção de Sato (2003, p. 31), “o método conteúdos nas diversas disciplinas dos currículos
selecionado pelo professor depende do que ele aceita com escolares.
o objetivo da educação ambiental, seu interesse e sua Àqueles participantes que responderam ‘sim’ à
formação construtiva”. questão anterior, perguntou-se como eles avaliam o
Nessa linha, cabe aos professores, por intermédio envolvimento do aluno no projeto de educação ambiental
de uma prática interdisciplinar, promoverem novas existente em sua escola. Nesse caso, a amostra se limitou
metodologias nas aulas, que favoreçam a implementação a cinco participantes. O Gráfico 5 relaciona-se a esse
da Educação Ambiental; considerar o ambiente da questionamento.

Gráfico 5. Distribuição dos participantes quanto ao fato de como avaliam o envolvimento


do aluno no projeto de educação ambiental existente em sua escola

70%
60% 60%
50% De forma insatisfatória
(n=1)
40%
De forma satisfatória
30% (n=3)
20% 20% 20% De forma regular (n=1)
10%
0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Os dados esboçados no Gráfico 5 mostram que Assim, quanto mais criativo for o professor no
60% dos entrevistados avaliam de forma satisfatória o desenvolvimento de seu projeto ambiental, maior poderá
projeto sobre o meio ambiente existente em sua escola. Os ser o envolvimento do alunado nas ações educativas.
demais, em duas parcelas iguais de 20% avaliam de forma Logo, é necessário trazer uma inquietação para
insatisfatória e de forma regular, respectivamente. educadores e cidadãos, principalmente, aqueles
A pedagogia de projeto vem se apresentando com preocupados em estudar esta temática e buscar alternativas
sendo um dos recursos mais utilizados para se trabalhar a teórico-metodológicas, com potencial para produzir
educação ambiental no contexto escolar. Contudo, destaca aprendizagem entre os educandos.
Roldão (2006, p. 59), que “trabalhar a Educação Através do penúltimo questionamento procurou-se
Ambiental a partir de eixos temáticos, exige do professor saber dos participantes se durante a formação acadêmica
pesquisa, trabalho em equipe, criatividade, entre outros deles, como as questões ambientais foram abordadas. O
atributos”. gráfico a seguir diz respeito a esse questionamento.

Gráfico 6. Distribuição dos participantes quanto ao fato de como as questões ambientais


foram abordadas durante suas formações acadêmicas

80% 70%
70%
De forma insatisfatória (n=1)
60%
50% De forma regular (n=1)
40% De forma satisfatória (n=1)
30%
De forma excelente (n=7)
20% 10% 10% 10%
10%
0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Promovendo a Educação Ambiental no contexto da sala de aula da Educação de Jovens e Adultos

Com base nos dados apresentados no Gráfico 6, complexos, a reconstituição do conhecimento e o diálogo
segundo 70% dos entrevistados, as questões ambientais de saberes”.
foram abordadas de forma excelente durante suas Levando em consideração a relevância das
formações acadêmicas. E, de acordo com os demais questões ambientais, durante a formação do futuro
participantes, divididos em três parcelas iguais de 10%, professor, a educação ambiental é algo que não pode
tais questões foram abordadas de forma insatisfatória, de faltar. Ela, como construção de conhecimento consiste em
forma regular e de forma satisfatória, respectivamente. proporcionar aos educandos uma compreensão crítica
De acordo com Leff (2001, p. 113), “a educação global, sistematizada do ambiente.
ambiental se fundamenta em dois princípios básicos: uma Através do último questionamento indagou-se dos
nova ética que orienta os valores e comportamentos para entrevistados se eles, na condição de docentes, enfrentam
os objetivos de sustentabilidade ecológica e a equidade alguma dificuldade para trabalhar a educação ambiental
social; uma nova concepção do mundo como sistemas em sala de aula. O Gráfico 7 traz um esboço dos dados
colhidos.

Gráfico 7. Distribuição dos participantes quanto ao fato se eles, na condição de docentes,


enfrentam alguma dificuldade para trabalhar a educação ambiental em sala de aula.

40% 40%
35%
30% 30% 30%
25% Sempre (n=3)
20%
Nunca (n=4)
15%
10% Às vezes (n=3)
5%
0%
Fonte: Pesquisa de campo (maio/2017).

Quando se analisa os dados contidos no Gráfico 7, trabalhar as questões ambientais no contexto da sala de
verifica-se que 30% dos entrevistados, na condição de aula. Para que isto não ocorra, é de suma importância que
condição de docentes, sempre enfrentam alguma haja um espaço especial para educação ambiental durante
dificuldade para trabalhar a educação ambiental em sala a formação do futuro docente.
de aula; 40% ressaltaram que nunca enfrentam e outros
30%, que às vezes enfrentam alguma dificuldade. CONCLUSÃO
De acordo com Baeta et al. (2002, p. 132):
A Educação Ambiental deve ser considerada uma
A Educação Ambiental permite desenvolver prática política, sendo essa uma de suas características
valores e atitudes que levam a uma postura mais marcantes, visando proporcionar a organização
consciente e participativa nas questões relacionadas coletiva na busca de soluções para os problemas
à conservação, preservação, utilização de recursos socioambientais. Além da dimensão coletiva, a Educação
naturais, visando sempre à melhoria da qualidade Ambiental apresenta também a dimensão individual e se
de vida, eliminando a fome, a pobreza e o risco de constitui como um processo de grande abrangência, não se
extinção das mais variadas formas de vida. limitando aos princípios e às teorias cientificas.
No contexto escolar, a Educação Ambiental não
Levando em consideração o apresentado acima, a pode se restringir apenas aos conceitos ecológicos da
Educação Ambiental deve ser trabalhada em todas as natureza. Ela deve abordar também as questões dos
modalidades de ensino, bem como em todos os cursos de valores morais, da cidadania, da justiça, da saúde, da
nível superior, para proporcionar ao acadêmico o pobreza, da igualdade e das diferenças de
conhecimento necessário que sobre a temática meio desenvolvimento, dentre muitos outras.
ambiente. Principalmente, nos cursos de licenciatura, que Por isso, a EA implica a triangulação das relações
formam profissionais para atuarem em sala de aula como sociais entre as pessoas, a sociedade e o meio, sendo um
agentes facilitadores da aprendizagem. processo de construção de novos conhecimentos e valores,
Assim, se essa temática é pouco trabalhada na que criam condições para que as pessoas consigam atingir
graduação, o futuro professor poderá ter dificuldades de seu potencial como cidadãos ambientalistas e possam

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017


Renata Chaves Cardoso et al.

intervir na realidade, sendo corresponsáveis pela melhoria BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental.
da triangulação das relações. Indicadores de qualidade do ensino. Brasília:
Uma das contribuições mais importantes da MEC/SEF, 2006.
Educação Ambiental é o fato de que ela deve ser
trabalhada de forma transversal, em todos os currículos FIGUEREDO, S. A. Proposta curricular: educação
escolares, conforme orientação dos PCN, estimulando a ambiental. Brasília: MEC, 2004.
luta pelos direitos humanos e pelos direitos da vida, além
de uma reflexão a respeito das relações da sociedade com LEFF, E. Saber ambiental: Sustentabilidade,
a natureza e com os seres humanos entre si. racionalidade, complexidade, poder. 2 ed. Petrópolis:
Em síntese, é papel da Educação Ambiental Vozes, 2002.
preparar as pessoas do presente e do futuro, dispostas e
aptas a estabelecerem com o mundo natural novas formas OLIVEIRA, V. M.; SANTOS, M. E. P. A prática da
afetivas e vivenciais de educação, ou seja, pessoas capazes educação ambiental no ensino de jovens e adultos (EJA).
de verem e sentirem o ambiente em que vivem. IX Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão, JEPEX, 2009,
Anais.
REFERÊNCIAS
PEREIRA, J. S. Educação ambiental na educação infantil:
ABÍLIO, F. J. P. (org.). Educação ambiental para o um compromisso social. Rev. Bras. Agroecologia, v.2,
semiárido. João Pessoa: EDUFPB, 2011. n.1, fev. 2007.

BAETA, A. M. B. et al. Educação ambiental: ROLDÃO, M. C. A educação básica numa perspectiva de


repensando o espaço. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2002. formação ao longo da vida. In: Revista Inovação, v. 9, p.
205-217. 1996.
BEZERRA, M. C. L.; BURSZTYN, M. (Coord.). Ciência
e tecnologia para o desenvolvimento sustentável. SATO, M. Educação ambiental. 2 ed. São Carlos-SP:
Brasília: Ministério do Meio Ambiente e dos Recursos Rima, 2003.
Naturais Renováveis: Consórcio CDS/ UNB/ Abipti,
2000. ZEPPONE, R. M. O. Educação ambiental: teoria e
práticas escolares. Araraquara-SP: JME, 2011.

INTESA – Informativo Técnico do Semiárido (Pombal-PB), v 11, n 2, p 19-25, jul.-dez., 2017