Você está na página 1de 6

QA Questão de Aula

Escola Data
Nome N.º Turma
Professor Classificação

Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével azul ou preta. Pode utilizar régua, esquadro, transferidor e
máquina de calcular.
Não é permitido o uso de corretor. Em caso de engano, deve riscar, de forma inequívoca, aquilo que pretende que não
seja classificado.
Escreva de forma legível a numeração dos itens, bem como as respetivas respostas. As respostas ilegíveis ou que não
possam ser identificadas são classificadas com zero pontos.
Para cada item, apresente apenas uma resposta. Se escrever mais do que uma resposta a um mesmo item, apenas é
classificada a resposta apresentada em primeiro lugar.
Para responder aos itens de escolha múltipla, escreva, na folha de respostas:
• o número do item;
• a letra identificativa da única opção válida.
Nos itens de resposta aberta de cálculo, apresente todas as etapas de resolução, explicitando todos os cálculos
efetuados e apresentando todas as justificações e/ou conclusões solicitadas.
As cotações dos itens encontram-se no final do enunciado.
A questão de aula termina com a palavra FIM.

GRUPO I


1. Um bloco, com 1,0 kg de massa, desloca-se num pavimento horizontal quando sobre ele atua uma força F
que faz um ângulo  com a horizontal.

O coeficiente de atrito cinético entre o bloco e o pavimento é c  0,50 .

 
1.1. Na situação descrita, a relação entre a normal, N , e o peso, P , do bloco é
 
N  P
(A)
 
N  P
(B)
 
N  P
(C) X
 
N P
(D)

Opção (C).
Na direção vertical não há movimento, pelo que a resultante das forças nessa direção é nula. Assim:
N  F sin  P  0  N  P  F sin   N  P

1.2. Determine para que valor de  é menor a intensidade da força F , de modo que o bloco se desloque
com movimento uniforme.

Na direção horizontal, como o movimento é uniforme, a resultante das forças é nula. Assim:
F cos   Fa  0  Fa  F cos  . Como N  P  F sin e Fa  c N , obtém-se:

c P
F cos   c  P  F sin   F 
cos   c sin
. A força F será mínima quando o denominador for

f     cos  c sin
máximo. Seja . Vamos descobrir para que valor de  esta função é máxima:
f '      sin  c cos f '  1   0   sin1  c cos1  0  cos1   tan 1  c   0
e
cos 1  0   tan1  c  0  tan1  c .

Assim: 1  26,6 .
Pelo método grafico poderíamos chegar ao mesmo resultado.
f  1   cos1  c sin1 

 f  1   cos1  1  c tan1  

1
 f  1    1  c tan1  
1  tan2 1

1 1  c2
 f  1    
1  c2  f  1  
1  c2 1  c2

1  0,502
f  1    f  1   1,12
1  0,502 .

Fmin .
1.3. Calcule, nas condições da alínea anterior, o valor mínimo da força,

Caso não tenha respondido à alínea 1.2, e somente nesse caso, considere   30 .

O valor de F é mínimo quando f () é máximo, portanto para  = 1. Assim:


c P 0,50  1,0  10
Fmin   Fmin   Fmín  4,5 N
f  1  1,12

1.4. Se o bloco fosse substituído por outro de igual massa, mas com metade da área de superfície em
contacto com o pavimento, mantendo as restantes condições iniciais, o valor da força de atrito
(A) seria o mesmo, independentemente do valor de .
(B) diminuiria para metade, para o mesmo valor de .
(C) diminuiria para metade, independentemente do valor de 
(D) seria o mesmo, para o mesmo valor de . X
Opção (D).
A força de atrito não depende da área (aparente) de contacto das superfícies, no entanto, é

diretamente proporcional à intensidade da reação normal, sendo, neste caso: N  P  F sin . Assim, a
única opção correta é a (D).

GRUPO II

1. Um bloco A, com 1,0 kg de massa, abandonado numa calha sem atrito, desce-a e colide horizontalmente
com outro bloco B, com 2,0 kg de massa, que se desloca conforme ilustrado na figura.

1.1. Relativamente ao bloco A, durante a sua descida verifica-se que


(A) há conservação da energia mecânica e do momento linear.
(B) há conservação da energia mecânica, mas não há conservação do momento linear. X
(C) não há conservação da energia mecânica e nem do momento linear.
(D) não há conservação da energia mecânica, mas há conservação do momento linear.

Opção (B).
As únicas forças que atuam durante a descida do bloco A são o peso e a normal. Como a normal não
realiza trabalho, por ser sempre perpendicular ao deslocamento, e o peso é uma força conservativa,
conclui-se que há conservação da energia mecânica. Durante a descida do bloco A, a velocidade vai
aumentando e mudando constantemente de direção até atingir a superfície horizontal, pelo que o
momento linear não se conserva.

1.2. Determine o módulo da velocidade do bloco A, ao atingir a superfície horizontal.

Em  0
1
mA v A2  mA g h  v A  2 g h
2
Substituindo:

v A  2  10  0,50  v A  3,2 m s 1 .

1.3. O bloco A colide frontalmente com o bloco B, na superfície horizontal, ficando imediatamente parados
depois do choque.
1.3.1. Nestas condições, podemos afirmar que
(A) o momento linear de A após a colisão é simétrico do momento linear de B antes da
colisão.
(B) o módulo do momento linear do sistema diminui durante a colisão.
(C) após a colisão, o momento linear de A é igual ao momento linear de B. X
(D) a variação do momento linear de A é igual à variação do momento linear de B, durante a
colisão.
Opção (C).

(A) Falso. Como ficam parados, o momento linear de A após a colisão é nulo.
   
(B) Falso.  Fext  0  psist  0

(C) Verdadeiro. Após a colisão, como ficam parados, o módulo do momento linear dos dois
blocos é nulo.
      
(D) Falso. p sist  0  p A  p B  0  pA  pB

1.3.2. Das expressões seguintes, selecione a que permite calcular o módulo da velocidade do bloco
B imediatamente antes da colisão:

gh
vB 
(A) 2 X

(B) v B  2 g h

(C) v B  g h

(D) v B  4 g h
Opção (A).
          m
psist  0  pA  pB  pA'  pB'  0  pA  pB  0  mAv A  mBv B  0  v B  A v A
mB
.

Atendendo que, pela conservação da energia mecânica, v A  2 g h , obtemos:

1 gh
vB  2 g h  vB 
2 2

GRUPO III

1. Duas esferas, A e B, com a mesma massa mas volumes diferentes, quando colocadas num tanque com
água, ficam em equilíbrio nas posições indicadas.

1.1. Relativamente à situação descrita, selecione a opção correta.


O peso da esfera A é _____________ ao peso da esfera B e a densidade da esfera A é
_____________ à densidade da esfera B.
(A) … inferior … superior (C) … igual … igual
(B) … inferior …. inferior (D) … igual … inferior X
Opção (D).
Como as massas são iguais, os pesos também são iguais. A densidade da esfera B é igual à da água,
porque flutua completamente imersa, enquanto a densidade da esfera A é inferior à da água, porque
flutua parcialmente mergulhada. Logo, a densidade da esfera A é inferior à da esfera B.

  1,0 g cm3
1.2. Sabendo que a esfera A tem massa mA  200 g e que água , determine:
1.2.1. o volume imerso da esfera A;
m
Ι  P  água g Vi  m g  Vi 
água
Como flutua
0,200
Vi   Vi  2,0  104 m3
Substituindo pelos valores, obtém-se 1,0  10 3
.

1.2.2. o módulo da impulsão exercida sobre a esfera A, de densidade relativa 0,50, quando esta é
mantida em equilíbrio completamente mergulhada em água, por ação de uma força exterior
vertical;
Estando completamente mergulhada, será:
mA  água
Ι A  água g VA  Ι A  água g  ΙA  mA g
A A

A água mA g
dr A  ΙA  mA g  Ι A 
água dr A água dr A
Por outro lado, sendo , resulta que
0,200  10
ΙA   Ι A  4,0 N
Substituindo pelos valores, obtém-se 0,50 .

1.2.3. o módulo da força exterior referida na alínea anterior.


    
FR  P  Ι  Fext  0  Fext  Ι  P

Substituindo pelos valores, obtém-se:

Fext  4,0  2,0  Fext  2,0 N

1.3. Se substituíssemos a esfera B por outra com a mesma massa mas menor volume, no mesmo local
dentro do tanque e a abandonássemos, esta
(A) permaneceria no mesmo local.
(B) subiria à superfície ficando a flutuar parcialmente mergulhada.
(C) subiria à superfície ficando a flutuar totalmente mergulhada.
(D) desceria para o fundo do tanque. X

Opção (D).
Ι  água g V
Se o volume diminui, o valor da impulsão também irá diminuir, visto ser . Como a massa

é a mesma o peso será igual. Com o corpo totalmente imerso, P   , resultando assim uma força
vertical de cima para baixo que faz a esfera descer até ao fundo do tanque.

FIM

GRUPO I GRUPO II GRUPO III T


O
T
A
L

(
p
o
n
t
o
s
)

1. 1.2. 1.3. 1.4. 1.1. 1.2. 1.3 1.3 1.1. 1.2 1.2 1.2 1.3.
1. .1. .2 .1. .2. .3.

12 20 16 12 12 20 12 12 12 20 20 20 12 2
0
0