Você está na página 1de 75

DESVENDANDO AS RIQUEZAS

AGRADECIMENTOS 2

INTRODUÇÃO 3

ONDE COMEÇA A RIQUEZA 5

O PENSAMENTO DA ÁGUIA 15

HERANÇA GENÉTICA FINANCEIRA 27

CRIANDO UMA META INTELIGENTE 34

A INFLUÊNCIA DAS EMOÇÕES 45

GASTAR É MAIS IMPORTANTE QUE GANHAR 53

COMECE PEQUENO, MAS SONHE GRANDE! 59

CONCLUSÃO 69

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


1
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

APRESENTAÇÃO

Olá, eu sou o Pablito Helou e estou muito feliz que você tenha
adquirido meu livro. De fato, eu acredito que as chaves compartilhadas
a partir daqui são capazes de destravar os cadeados que estão te
bloqueando mentalmente e emocionalmente para viver uma vida de
riquezas.

Esse livro é o resultado de mais de duas décadas aconselhando


e mentoreando casais e solteiros adultos sobre como ter uma mente
vencedora e geradora de riquezas. O "Desvendando as Riquezas - as
chaves para destravar sua mente e enriquecer” é o manual que revela o
que está por trás das emoções e pensamentos que te fazem dar voltas
sem chegar a lugar nenhum, quando se trata de finanças.

Dividido em 7 capítulos, o livro une a teoria e a prática. Além de


todo o conteúdo recheado de histórias e exemplos reais, ao final de
cada capítulo há exercícios que te ajudarão a remodelar sua mente e
suas emoções. É muito importante que você faça os exercícios,
dedicando algum tempo antes de partir ao próximo capítulo.

Bem, esse livro não é tudo. Nos últimos anos eu tenho


compartilhado diariamente conteúdos sobre finanças, comportamentos
e mentalidade de riqueza nos meus canais digitais. Vou deixar o links
aqui e te convido a me vistar lá (os links abaixo são clicáveis):

Site: ​http://pablitohelou.com.br

Instagram: ​https://instagram.com/pablitohelou

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


2
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

YouTube: ​https://youtube.com/pablitohelou

Que Deus te abençoe e te dê força nessa caminhada para se


tornar rico de verdade.

Pablito Helou

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


3
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

AGRADECIMENTOS

Esse livro só se tornou realidade porque uma pessoa insistiu


todos os dias, durante dois anos, para que eu o escrevesse: Karla
Helou, minha fiel e presente esposa e parceira em todas as minhas
conquistas.

Não posso deixar de agradecer aos meus filhos, Carlos Paulo,


Paulinha e Jamilie, que gentilmente cederam parte do tempo que lhes
cabia para que eu pudesse me dedicar a esse antigo sonho de escrever
esse livro.

Devo ao mesmo tempo meus sinceros agradecimentos ao Thiago


Treiger, que pacientemente editou o livro.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


4
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

INTRODUÇÃO

Alguma vez você já parou para pensar que a maioria das pessoas
vive de forma diferente da que gostariam de viver? Com um padrão
menor do que acham que merecem, recebendo menos do que
entendem que deveriam? Enquanto outras parecem ter a incrível sorte
de ter dado certo, de prosperar. Em qual destas situações você se
encontra hoje?

Se a sua resposta foi a primeira situação e sabendo que você


está lendo este livro, tenho certeza que já tentou, no mínimo, uma
maneira de mudar o seu jogo, que, provavelmente, não deu certo.
Infelizmente, existem aqueles que se aproveitam de momentos assim,
do desejo de mudança de vida e realidade, para vender falsas
promessas de riqueza. São fáceis de identificar: rendimentos altíssimos,
fortuna em pouco tempo, vida fácil. Isso não existe.

Nenhum milionário, ninguém realmente rico realizou suas


conquistas assim. Se você quer obter algo que ainda não possui,
observe e modele os processos aos quais aqueles que já conquistaram
aquilo que você deseja se submeteram. E sim, existem diversos pontos
em comum na história destas pessoas de sucesso.

Quando alguém me pergunta onde investir os R$ 1.000,00 que


recebeu de forma inesperada, ou que sobrou do décimo terceiro, que
juntou, só existe uma resposta possível: em conhecimento. Se a pessoa

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


5
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

não sabe onde investir é um sinal de que ainda não aprendeu as chaves
que levam à riqueza, que vêm antes do investimento.

A mente do rico é diferente da mente das demais pessoas. A


forma com que eles enxergam, geram e se relacionam com o dinheiro é
diferente. Isto fica muito claro quando escutamos histórias de pessoas
que receberam grandes heranças, que ganharam na loteria, ou mesmo
que se tornaram milionárias através de programas estilo reality show,
contudo voltaram à mesma condição financeira que tinham
anteriormente. Algumas vezes até pior, com dívidas novas. A riqueza
não começa na conta bancária, mas na mente.

O meu propósito com este livro é compartilhar com você as


chaves que te farão conquistar e não apenas manter, mas multiplicar
riquezas. Muitos homens e mulheres bem-sucedidos levaram anos e
precisaram de inúmeros fracassos até absorver essas verdades que
mudaram suas mentes e, consequentemente, vidas. Eu aplico na
minha, e tem dado certo.

Você verá que este livro é dinâmico e além das chaves, teremos
também desafios práticos que farão parte da sua mudança de
mentalidade e hábitos. O primeiro começa agora: terminar aquilo que
começou. Muitas pessoas fracassam por serem inconstantes, não
conseguem prosseguir em nada e suas vidas estão repletas de projetos
abandonados. Se você se identificou, esse padrão será quebrar a partir
deste momento, com o seu compromisso de terminar a leitura que está
iniciando agora. Se prepare, o caminho para a sua riqueza começa
agora!

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


6
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

ONDE COMEÇA A RIQUEZA

Deus criou o mundo usando a palavra, essa é uma verdade já


largamente conhecida e propagada. É comum encontrar pessoas e
livros que discorrem sobre o poder da palavra, daquilo que você declara
sobre si e seu futuro. E sim, isso é, de fato, muito importante. No
entanto, o processo de criação começa antes: na mente. O Criador
imaginou como seriam as coisas, tudo partiu da Sua mente, todas as
coisas que existem na Terra, nos mares, cada pessoa, as galáxias, o
universo, enfim, absolutamente tudo é a expressão daquilo que foi
inicialmente projetado na mente criativa de Deus.

Acontece que nós fomos criados à imagem e feitos semelhança


Dele, conforme revelado na bíblia, logo no começo do seu primeiro livro,
Gênesis. A boa notícia é que herdamos essa capacidade criativa pois
nossa mente tem a divina habilidade, literalmente, de criar e você
recebeu isso. No entanto, junto à capacidade de conceber, veio
acoplada a de destruir. Todas as coisas que existem na Terra, com
exceção da natureza, foram criadas pela mente humana, desde as
coisas mais simples às mais planejadas e complexas, irrestritamente,
cada uma delas passou antes pela imaginação de alguém. É impossível
fazer algo que não esteja primeiro na sua mente.

Mas este livro é sobre finanças, o que isso tem a ver? Tudo, e
você já vai entender. Assim como estruturas físicas são precedidas de
projeção mental, igualmente sua realidade financeira parte da sua
mente. É ela quem determina o que você viverá, o que vai ganhar e

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


7
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

onde chegará. Não existe nenhuma conquista sem que antes seja
mentalmente visualizada, planejada e gravada. Se você não consegue
projetar algo para o seu futuro, tampouco o terá um dia. E isso é muito
sério, pois se na sua mente você não se enxerga rico, próspero, bem
sucedido, com casa e carro próprio, dívidas quitadas, investimentos
ativos, infelizmente isso tem grande chance de não acontecer para
você.

A SUA MENTE TEM CAPACIDADE DE CRIAR E


DE DESTRUIR

A primeira coisa que é preciso fazer, o passo inicial do caminho


para o sucesso é destravar a mente. Sabe, houve um tempo em que o
meu celular estava muito lento, travava demais, demorava, me fazia
perder bastante tempo. Tem coisa pior do que tentar tirar uma foto e
não conseguir virar a câmera de lado? Ou tentar olhar o saldo bancário
na tela e precisar de várias tentativas torcendo pra que dessa vez
carregue? Quando baixava algo e não funcionava, ou quando travava
tudo, me dava a sensação de que eu estava perdendo o meu tempo
com aquele celular e isso me motivou a querer trocá-lo, para um que
fosse mais funcional. Mas, alguém que ouviu meu desabafo me sugeriu
levá-lo à assistência técnica, afinal, deveria se tratar de algum eventual
defeito. E foi o que fiz. Chegando lá, o diagnóstico foi de que o aparelho
estava muito cheio, com diversos aplicativos, arquivos, fotos, estava
sobrecarregado. A solução era uma, apenas: formatar, pois isso o faria

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


8
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

voltar a funcionar como originalmente foi criado para fazer. Dito e feito!
O celular virou um avião, parou de me dar problema, ficou rápido, todos
os aplicativos funcionando sem travar, parecia novo.

A verdade é que a nossa mente não é tão diferente daquele meu


aparelho telefônico. Ela precisa ser formatada para que o programa
original possa ser instalado. Esses programas são a riqueza, a
prosperidade, a abundância, e eles precisam de espaço. Enquanto seus
pensamentos estiverem poluídos com paradigmas, com programas que
te impedem de romper, você não irá avançar. Isso acontece porque a
mesma medida que a mente tem a capacidade de criar, possui também
de destruir e travar.

De fato, não são as circunstâncias, o governo, quem é ministro ou


deixa de ser, pandemia, local onde moro, preço do Dólar, ou qualquer
outra desculpa. As pessoas com verdadeiro sucesso financeiro se
tornaram quem são, não por circunstâncias mais favoráveis, mas
porque formataram suas mentes e baixaram o programa da
prosperidade.

Certa vez vi uma imagem que me ensinou uma expressão,


"QSL". Se tratava de uma águia, daquelas bem grandes, pesadas e
imponentes. Ela estava empoleirada em um galho que chegava a ranger
sob o peso do poderoso animal, estava envergado, parecia que
quebraria a qualquer momento. Não obstante, sabe qual era o
pensamento da ave? "Que se lasque!". Foi isso que ela pensou: "QSL,
se esse graveto quebrar, não importa, eu tenho asas, não dependo
dele, eu posso voar."

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


9
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Assim como a águia entendeu que não era refém das


circunstâncias, você precisa entender que também não é, pelo contrário,
fale para si mesmo: eu só dependo da minha mente. Acredite nisso. O
galho pode quebrar, as situações podem se apresentar desfavoráveis,
as circunstâncias podem parecer assustadoras, não importa: você cria
sua realidade. O seu universo é gerado pela sua mente.

Você está satisfeito com a sua realidade hoje? Olhe agora para
onde você mora, seu carro, pense no local onde passa as férias. A
verdade é que a sua realidade atual foi criada por você, que é o único
responsável por ela. Eu sei que isso pode parecer uma notícia ruim, e
por isso tentamos fugir dela, mas não é, pelo contrário, pois quando
você absorve essa verdade tem direito a fazer uma escolha: lamentar
ou construir. A notícia é a melhor possível, pelo fato de ser também
você, o único responsável pela sua realidade futura.

Os seus resultados são, única e exclusivamente,


responsabilidade sua. Assuma o comando da sua vida. Colocar a culpa
naquilo que me rodeia, no governo, na família, na educação que recebi,
ou mesmo que não recebi, em crises econômicas, no mundo, nos outros
é muito mais fácil, chega a ser confortável, mas não resolve nem muda
nada, apenas justifica o fracasso. Sempre foi a sua mente, você não irá
além de onde ela consegue enxergar. Se você não está satisfeito com o
local onde está, é um sinal de que a sua mente está programada de
maneira errada. É hora de formatar.

A minha esposa tem uma cafeteria, e, há um tempinho, logo no


início da quarentena imposta em decorrência à pandemia do COVID-19,
o computador da loja deu um problema. Nesse exato momento, todo o

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


10
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

comércio se voltava inteiramente para a modalidade delivery e era


inconcebível ficar sem a máquina, de forma que ela me chamou para
dar uma olhada e ver o que poderia ser feito. Eu fui e, realmente, ele
não ligava, então tirei a tampa do desktop, era um daqueles modelos
antigos, apertei um botão pequeno lá dentro, chamado "reset". Pronto o
computador ligou e voltou a fazer o que foi criado para fazer.

Chegou a hora de você resetar a sua mente. Ao longo desse livro


você terá acesso a chaves que irão destravá-la. A realidade que
vivemos hoje foi criada pela nossa mente ontem, precisamos ir na fonte,
do contrário, apenas iremos andar em círculos, sempre voltando para o
mesmo lugar. Não adianta fazer cinquenta faculdades, passar em
inúmeros concursos, ser um ministro do Supremo Tribunal Federal
(STF), cujos os vencimentos servem como teto para o de todos os
funcionários públicos nos três poderes, um jogador de futebol com
salário astronômico ou um ganhador da mega-sena, se a sua mente foi
programada para a pobreza. Você irá, irremediavelmente voltar ao
estado original. Ela fará de tudo para que você retroceda, dando giros.
Eu conheço inúmeras pessoas que vivem eternamente nesse ciclo de
perder tudo e ganhar novamente, mas só pra perder de novo, e assim
sucessivamente. Vivem uma vida frustrada, porque a mente não está
preparada, não está pronta.

Não adianta correr atrás do dinheiro, ganhar dez, quinze, vinte


vezes mais do que hoje, se a mente não estiver programada para
prosperidade. Todos os ganhos serão posteriormente perdidos, cada
um deles. A solução não é o seu emprego, ou uma promoção, não está
em uma outra empresa, em mais um curso, faculdade, pós-graduação,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


11
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

em um novo concurso público, contrair um casamento com um cônjuge


rico, não se trata de nada disso.

Certa vez conheci um homem que ganhou um milhão de reais em


uma causa na justiça, após um ano ele já não tinha mais nada, torrou
tudo. Outro conhecido já ganhou na mega-sena dois milhões e meio de
reais, em seis anos estava zerado, voltou a morar na mesma casa onde
vivia antes do prêmio. Foram roubados pela mente, que estava
programada para a pobreza, para dívida, para a mediocridade, que
significa estar na média. Engana-se quem pensa que a solução está em
novos ou maiores ganhos! A sua mente limita sua caminhada, enquanto
houverem limites nela, você irá respeitá-los. O limite está dentro de
você.

Em contrapartida, tenho certeza que posso, igualmente, citar pelo


menos dez casos de pessoas que já estiveram numa situação muito pior
do que essa na qual você se encontra hoje e deslancharam, romperam.
Pessoas que saíram de favelas para tornarem-se bilionárias. Já ouviu
falar do Flávio Augusto, o dono da Wise Up? Saiu de uma favela, na
boca do morro, hoje é bilionário. Steve Jobs, filho de imigrantes sírios,
nos EUA, abandonado pelos pais, foi adotado. Um homem rejeitado que
tinha todas as desculpas que precisaria para justificar o fracasso, mas
escolheu romper os limites da mente.

CHAVE 1: O MEU BOLSO É DO TAMANHO DA


MINHA MENTE!

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


12
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Se você quer prosperar, precisa destravar a sua mente, baixar


uma nova programação, a da prosperidade. A primeira atitude prática
que precisa ser tomada é abrir mão, desistir de tudo que te foi ensinado
sobre como ficar rico. Entenda: o que você sabe te trouxe para onde
está hoje. Esse lugar é onde você deseja estar? Se deseja mais, se
quer ir além, é necessário um novo conhecimento. Imagine um copo de
350 ml, com água pela metade, se agora eu quero beber nele uma lata
grande de Coca-cola bem gelada, o que é preciso fazer? Esvaziar
daquilo que havia antes, abrir espaço para o novo, para aquilo que eu
quero agora.

É impreterível que se esvazie a mente. Infelizmente te ensinaram


a forma errada de ganhar dinheiro, de guardar, ficar rico, próspero ou às
vezes nunca te ensinaram nada sobre isso. Esqueça tudo o que
aprendeu, pois se permanecer nesse caminho, o máximo que você
alcançará será o lugar onde está hoje. É necessário ter
comprometimento com o próprio crescimento. Ou você se compromete
e mergulha de cabeça na mudança, ou será apenas tempo perdido.

É para estimular esse comprometimento que cada capítulo desse


ebook contará não apenas com uma chave, mas também um desafio
prático, para que você realize. Muitas pessoas não conseguem
expressivas conquistas por terem o hábito de não terminar aquilo que
iniciam. Ao longo dessa leitura isso será quebrado, você irá aprender a
desistir somente daquilo que te puxa pra trás e impede de avançar. É

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


13
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

hora de ser persistente e comprometido com o seu sucesso, essa é uma


característica em comum entre pessoas bem sucedidas.

O primeiro desafio é identificar e escrever três pensamentos seus


que você sabe que te limitam, são "verdades" que te foram ensinadas e
absorvidas, as falas daquela vozinha que sussurra na sua cabeça em
determinados momentos, te impedindo de avançar. Por exemplo:

- Eu não posso ter mais dinheiro que o meu pai;

- Eu estou satisfeito com o pouco que tenho;

-O mundo é muito desigual, eu não quero ser rico, só ter a minha


casinha.

É importante que seja escrito para que você expresse e visualize


isso. Alguns pensamentos podem ser discretos e subjetivos, mas você
precisa identificá-los ainda assim.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


14
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

DESAFIO 1

PENSAMENTO LIMITANTE 1:

____________________________________________________
_________________________________________________________
_____________________________________

PENSAMENTO LIMITANTE 2:

____________________________________________________
_________________________________________________________
_____________________________________

PENSAMENTO LIMITANTE 3:

____________________________________________________
_________________________________________________________
_____________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


15
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

“Eu sempre soube que seria rico. Eu não acho que duvidei por
um único momento”.

Warren Buffet

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


16
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

O PENSAMENTO DA ÁGUIA

Tenho o privilégio de ser pai de três filhos, uma missão árdua e


ao mesmo tempo gratificante. O Carlos Paulo é o mais velho, meu
primogênito que está com dez anos hoje. Em seguida vem a Paulinha,
de oito anos. E recentemente veio a Jamile, que fez um aninho por
agora. Quando pensei que já sabia de tudo, que dominava os segredos
da paternidade, que dessa vez minha experiência deixaria tudo mais
fácil, descobri estar redondamente enganado, minha caçula dá nó em
pingo d'água, dá volta em todo mundo. Entendi, mais uma vez, que
quando penso que já possuo todo o conhecimento, na verdade não sei
de nada, e é hora de resetar.

Assim é também com a nossa mente, se confiamos que já


sabemos muito, não buscamos o aperfeiçoamento, a melhoria. Ninguém
é capaz de acrescentar sequer uma gota em um copo que já está cheio.
Mas, não é nisso que iremos focar agora. A Jamile está em uma fase
muito gostosa, aquela em que o neném aprende a andar, começa a dar
os primeiros curtos e desafiadores passinhos. Eu estava observando a
metodologia dela, a forma como tentava desenvolver essa nova
habilidade: repetição. Ela levantava, ficava em pé por poucos segundos,
porém, na hora de caminhar, caía, invariavelmente rindo. Olhava pra
mim, dava uma gargalhada e tentava de novo, e tinha o mesmo
resultado das cem vezes anteriores, caía rindo. E mais uma e outra vez,
manhã e tarde adentro. Ela não desistia, continuava tentando, isso
durante meses.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


17
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

A minha filha não se importava com o que as pessoas pensavam


dela, se os irmãos mais velhos, eventualmente, riam, se observavam as
infrutíferas investidas, se havia alguém que pudesse achar que ela não
conseguiria, ou que já estava demorando muito. Ela não ligava. Essa é
a postura de quem obtém êxito: se eu quero vencer, eu não posso estar
pensando nos outros! O meu foco não pode ser no que estão achando
de mim, no quanto os demais ganham, fazem ou deixam de fazer. Não
é sobre eles, não é por eles e não é para eles. Se trata de você, se
errou ou acertou, não importa: foi por você mesmo.

Parece ser algo óbvio, até mesmo infantil, entretanto não é.


Infelizmente, a maioria das pessoas se importa mais com a imagem que
tem diante da sociedade, de amigos e familiares do que com suas
conquistas de fato. Tenho certeza que você já escutou que muitos
consideram mais importante "ter" do que "ser". E o crescente avanço da
tecnologia, aliado à mentalidade limitada, tem corroborado com um novo
alvo: o parecer "ter" ou "ser".

Você já parou para pensar no porquê de querer ficar rico? Qual


imagem passeia pela sua cabeça quando se imagina próspero (e se
ainda não se enxerga assim, comece)? Por que você quer ser bem
sucedido, mudar de patamar? É pelos outros ou por si mesmo? E você
precisa ser honesto consigo acerca dessas respostas, lembre-se de que
em um copo cheio nada mais pode ser acrescido. Se pensamentos
como: "no dia que eu for rico meus pais irão ver"; "quando eu tiver o
carro 'x' ou 'y', morar naquele bairro, aí fulano terá que me respeitar",
passam pela sua mente, é sinal que você está vivendo pelos outros, que

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


18
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

quer impressionar. No fundo, sua busca é por aceitação. Quem vive


buscando aceitação quer, na verdade, merecimento, se sentir merecido.

NÃO É POR ELES, MAS POR MIM!

O grande problema disso tudo é que a necessidade de aceitação


e merecimento te impõem uma vida de medo, e este, por sua vez, te
paralisa, trava e bloqueia. Você acaba tomando, repetidamente,
decisões com objetivo de agradar aqueles que estão a sua volta, ainda
que não seja o melhor caminho, o mais rentável e vantajoso para si
próprio.

Entenda: o seu propósito é seu, não deles. E também não é


agradá-los. Enquanto você não assimilar isso, permanecerá em um ciclo
de necessidade de aceitação e merecimento seguidos por um dos
sentimentos mais perigosos e ameaçadores para o seu sucesso, o
sentimento de incapacidade: "eu não consigo fazer nada" . É esse o
momento em que o medo surge. A pessoa fica com medo de tomar uma
decisão, de dar um novo passo, de ser arrojado, tomar riscos, sair fora
da estrada que foi ensinada pelos pais ou amigos, pois agrada a todos.
Mesmo sabendo que ela leva a um destino diferente e distante do
propósito escolhido. Dessa forma não tem como fugir da frustração e
infelicidade.

Quando você não consegue sequer começar novos projetos,


fazer aquilo que sonha, a executar planejamentos, essa situação

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


19
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

denuncia que você está paralisado pelo medo, gerado pelo sentimento
de incapacidade. É isso que te impede de ser diferente dos demais, que
te faz repetir a história dos seus pais.

O medo não pode ser o norte para sua tomada de decisão, esse
é o papel do seu propósito, nortear os seus planos. Enquanto o primeiro
te leva a viver para agradar os outros, ainda que infeliz, o último te guia
para plenitude e autorrealização. Talvez você esteja se perguntando
agora que medo é esse, afinal? Esse é o medo de errar, de falhar e
precisar recomeçar, de fracassar e as pessoas ficarem sabendo, de se
sentir novamente inferior aos outros.

A boa notícia é que existe uma atitude prática para vencê-lo e


acabar com esse ciclo de uma vez por todas: faça, mesmo com medo.
Coragem não é a ausência do medo, mas a ação, apesar dele. Arrisque,
não deixe de tentar. Ou você vence o medo, ou ele te derrotará. Vá e
faça!

Existe uma conquista minha da qual muito me orgulho, pois sei o


preço que paguei por ela: eu sou faixa preta de judô. Comecei a treinar
com oito anos, e até hoje lembro da primeira coisa que é ensinada, o
primeiro "golpe". Não é a kimura, muito menos um ippon, não. A
primeira técnica que um judoca aprende é cair. E isso faz todo sentido,
porque a única certeza que um atleta desse esporte tem é a de que ele
vai cair. No começo a gente torce para um dia conseguir derrubar
também, pois ser derrubado já é certo.

Lembro de um campeonato em que lutei contra um baiano bem


maior que eu, mais robusto. Sempre tive um porte esguio, com 1,68m

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


20
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

de altura, meu adversário parecia um gigante pra mim. Meu primeiro


pensamento, não vou mentir, foi que eu estava lascado, porém, quando
fiz a pegada com as duas mãos no kimono dele percebi que ele era
muito duro, travadão. Notei que meu oponente tinha bastante medo de
cair, isso o tornava vulnerável, não foi difícil fazer a leitura do jogo dele e
montar uma estratégia.

Por ter medo de ser derrubado em um contragolpe, ele evitava


me atacar, apesar de ser maior e mais forte do eu. Isso tornou as coisas
muito fáceis, fiquei cercando, dando voltas, enquanto ele se mantinha
no centro e, quando vi uma brecha na guarda dele, fui pra cima com
tudo. O resultado foi um ippon logo de primeira, seguido por uma grande
vibração na arquibancada. Já reparou que as pessoas têm o hábito de
torcer pro menor, pois o acham mais fraco? Foi ótimo pra mim, jamais
reclamaria. Mas, o que aqueles torcedores não sabiam, é que o medo
daquele lutador grandão o tornava muito mais fraco do que eu, apesar
do potencial e da aparência. Que bom que eles ignoravam isso,
agradeci os aplausos e congratulações.

Na hora da entrega das medalhas, o baiano dividiu o pódio


comigo me olhando, estava fumegante, acho que até hoje não entende
como foi derrotado por um baixinho. A verdade é que o medo dele o
derrotou, eu só me aproveitei disso. Nunca temi ser derrubado ou um
desafio, nessa época eu tinha dezesseis anos e me inscrevia para
competições nas quais enfrentava atletas com mais de vinte anos. Se
eu caísse, levantava, como já havia acontecido antes, naquele tempo
era faixa marrom e, claro, já conhecia o sabor da derrota. Não obstante,
isso nunca me travou, pelo contrário, cada vez que perdia, voltava a

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


21
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

treinar com mais afinco, motivado, focado em estar melhor preparado


para a próxima. E em cada campeonato que disputei, sempre dei o meu
melhor, independente do resultado, posso falar que usei todo o
potencial que possuía no momento. Eu aprendi a cair e levantar. Cada
queda era uma faculdade, cada derrota uma pós-graduação.

Você precisa vencer o medo de errar. Sabe, muitas vezes temos


sonhos, projetos, alvos, mas focamos tanto em como eles podem dar
errado e no que as pessoas pensarão, que deixamos de realizar.
Entenda, não estou abrindo mão de um bom planejamento, é
impreterível que seja feito, aliás. É preciso perder o temor de arriscar,
de tentar. E se não der certo? E se eu cair? Levante. Nada é em vão,
quando se trata de buscar seu propósito, não existe fracasso: ou você
tem sucesso, ou vai adquirir a experiência e expertise que te faltaram
dessa vez, para a próxima investida. Os erros não são para te
desmoralizar, mas para te aprimorar.

Um exemplo prático é a história de uma empresa nos anos


setenta que produzia, dentre outras coisas, fita adesiva, estilo durex.
Pode parecer simples, a produção desse material, porém existe uma
tecnologia complexa por trás dela. E como todo negócio de sucesso,
essa organização buscava inovar, apresentar um produto novo ou
melhor para o mercado. Porém, nessa tentativa de criação, um dos
cientistas, Dr. Spencer Silver, desenvolveu uma substância que parecia
inútil, era um adesivo, mas com uma aderência muito pequena, bem
abaixo das usadas nas confiáveis fitas vendidas, acabou jogada para
escanteio.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


22
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

O interessante, é que um outro cientista da marca teve um olhar


diferente para a substância, Arthur Fry, talvez você já saiba agora do
que estou falando, disse que via naquilo uma solução, agora só faltava
o problema. Acontece que Arthur era fazia parte do coral da igreja que
frequentava. Por ser extenso, o repertório, os membros tinham o hábito
de levar as partituras e letras marcadas em vários papéis e, em uma
das apresentações, nosso cantor derrubou todas as anotações no chão.
Imagino que alguns ali podem ter rido, comentado com o vizinho que ele
pagou um mico, ou algo do tipo. Arthur só conseguiu pensar em como
gostaria de algo para colar aqueles papéis, mas todas as fitas da 3M,
onde ele trabalhava (agora você já percebeu do que estou falando),
eram muito aderentes, de forma que iriam acabar estragando as
partituras. Aí estava o problema para a solução que já existia.

Fry lembrou da tal substância, começou a trabalhar nela, as


primeiras amostras vieram em forma de marca-livros, e a demanda pelo
protótipo aumentou dentro do laboratório, ele notou que tinha algo
grande em mãos. Sim, foi assim que surgiu o post-it, que em diversos
anos figura entre os itens de escritório mais vendidos dos EUA. A
máquina com a tecnologia para fazê-los no modelo que conhecemos,
em blocos, não existia, Arthur conta que a fez no próprio porão. De um
aparente fracasso veio a melhor inovação da 3M.

A partir daí tudo mudou, a empresa tem uma meta, projetada


para 2021 de que 40% das vendas sejam provenientes da
comercialização de produtos criados nos últimos cinco anos. Investem
pesado em inovações, e sabe como fazem isso? Aprenderam a conviver
com o erro, inúmeros projetos da 3M são descontinuados ou nem

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


23
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

chegam ao fim, porém eles entendem que isso faz parte do processo de
aprendizado e desenvolvimento dos projetos certos.

A Natura tem uma meta ainda mais arrojada, espera que 70%
das vendas anuais sejam de produtos com até dois anos de criação. O
setor responsável por inovações conta com duzentos e cinquenta
pesquisadores e com a expectativa de que 15% a 20% do que é
projetado ali não chegue sequer ao fim. Isso mesmo, eles têm meta de
erro. Geram um ambiente que contém o impacto negativo da frustração,
através do entendimento de que quem não erra, provavelmente não
arriscou o suficiente.

São inúmeros os exemplos de empresas que alcançaram um


enorme potencial de inovação porque ressignificaram a palavra "erro".
Você quer ser grande? Aprenda com quem já é.

Esta é a chave número dois: só não erra quem nunca tenta.


Enquanto você tiver medo de errar, continuará no mesmo lugar,
andando em círculos, sem se mover.

SÓ NÃO ERRA QUEM NUNCA TENTA

A maneira mais fácil e rápida de acertar um alvo é dando


inúmeros tiros. Eu nunca atirei, mas, com certeza, se fosse jogar airsoft
escolheria uma arma estilo metralhadora e sem trava, onde pudesse dar
vários tiros, para aumentar a probabilidade de acertar alguma. Você já

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


24
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

jogou, na infância aqueles jogos de fliperama? Existiam dois tipos de


pessoas ali: os que decoravam as complexas sequências de botões que
faziam o personagem executar elaborados golpes e aqueles que
apenas apertavam diversos botões indiscriminadamente na esperança
de sair algo. E era engraçado que este segundo tipo costumava vencer
e ainda faziam golpes que ninguém conhecia.

Nas finanças não é diferente disso, pare de se frustrar com o


erro, perca o medo de errar, arrisque. Não perca tempo imaginando o
que as outros vão pensar. Lembra do QSL? O que as pessoas falarão
se eu errar? QSL! Se falhar, será mais uma pós-graduação no seu
bolso.

Em 1951, Solomom Asch, precursor da psicologia social,


desenvolveu uma série de experimentos muito interessantes, a fim de
denotar um efeito conhecido como "pensamento em grupo", em que a
opinião de uma maioria inibe pensamentos divergentes. Asch chamava
um voluntário que se sentava em meio a grupo de atores, sem a "vítima"
que soubesse, que eram instruídos a responder errado uma pergunta de
solução óbvia. Ele mostrava quadros com três linhas e questionava qual
delas era a maior, ou qual correspondia à uma outra que estava ao lado.
Sim, era nítida e visível, literalmente, a resposta. No entanto, após a
unânime e errada conclusão dos demais, três em cada quatro
experimentados ficavam receosos de divergir e entravam em
consonância com o grupo, erravam. Pasme, mas apenas uma pessoa a
cada cem falhava no mesmo teste, quando estava sozinho. A opinião
dos outros fez a curva variar de 1% para 75%.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


25
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Logo após, ainda com somente um voluntário em meio aos


figurantes contratados, a mesma situação era repetida, com uma
diferença: desta vez, um dos atores escolheria a linha certa, a maior,
enquanto os outros continuariam, um uníssono, na errada. Desta vez, a
maioria acertava, afirmando, quando questionados, que o fato de um do
grupo ter discordado do restante não influenciou em nada na escolha.

Linhas utilizadas por Asch nos experimentos.

Embora todos queiram negar, a maioria das pessoas se importa


demais com a opinião dos outros. Somado ao medo de errar, isso as
impede de arriscar, de fazer algo novo, que ninguém do seu círculo
próximo fez, de dar passos maiores que as levarão ao sucesso.

O segundo desafio vai te ajudar a vencer isso. Você vai fazer algo
que já tentou antes e não conseguiu, que desistiu. Escolha, ainda que
uma atividade simples, por exemplo: talvez você já tentou fazer um bolo

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


26
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

e não deu certo, faça agora. Uma aluna minha se desafiou a acertar o
ponto de uma batata palha caseira feita com batata doce, após algumas
semanas errando, conseguiu, e acreditem, era algo que ela já tinha até
deixado de tentar. Talvez para você seja andar de bicicleta, fazer uma
barra, mas escolha e faça, independente de quantas tentativas forem
necessárias. Lembre que o erro faz parte do sucesso.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


27
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

"É preciso tentar tudo, pois os mais bem sucedidos são


aqueles que acumulam o maior número de fracassos”.

Arthur Fry

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


28
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

HERANÇA GENÉTICA FINANCEIRA

Nos últimos vinte anos, na psicologia, foram desenvolvidos


diversos estudos que assinalam a reprodução de hábitos dos pais, pelos
filhos. Antes disso, uma linha defendia, desde o século XIX, que outros
estímulos, através de condicionamento, eram responsáveis pelo
comportamento animal e humano, excluindo ou desconsiderando a
influência dos pensamentos e emoções. Em suma, de forma bem
básica, a teoria defendida pelo Behaviorismo era como se o indivíduo
nascesse uma folha em branco, sem nenhuma interferência, capaz de
ser condicionada a qualquer tipo de conduta.

Ivan Pavlov foi um médico russo que desenvolveu um


experimento que reforçava essas ideias. Logo antes de alimentar seus
cachorros, o cientista, tocava um sino, a comida vinha e os animais
salivavam ao vê-la, com desejo de comer. Após um tempo, Pavlov
comprovou que o simples tilintar da sineta já deixava os cães com água
na boca, mesmo sem a chegada do alimento. Eles associaram o sonido
à hora do lanche, gerando esse efeito.

Eu tenho certeza que você já assistiu o sucesso da Disney, Rei


Leão. Em um determinado momento, o filhote Simba se afasta da
alcateia e termina sua infância sendo criado por uma improvável dupla
composta por um javali e um suricate. Ele desiste de ser um leão, essa
decisão se torna concreta quando o felino abre mão de comer carne
para se alimentar de insetos, conforme seus novos tutores. O filme é
muito bom, faz grande sucesso entre seu público, meus filhos amam,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


29
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

tem total direito, até pelo gênero, de valer-se dessa narrativa que é
praticamente uma licença poética.

Não obstante, existem traços, características, predileções e


maneiras de agir que são comuns entre animais de mesma espécie,
ainda quando são separados dos pais e criados sozinhos. Um coelho,
tendo conhecido ou não seus progenitores, irá andar saltando, buscará
ter a mesma dieta alimentar, ainda que jamais tenha comido ao lado de
outros iguais a ele. A mesma regra funciona quando falamos de
humanos. Não é raro ver netos repetindo hábitos de avós que não
conheceram, andar parecido, comer igual. Mesmo sem que houvessem
convivido, os comportamentos eram herdados.

Esses conceitos foram apresentados à mim, inicialmente pela


minha tia Fádua Helou, mestre, doutora e professora de psicologia na
Universidade UniCEUB, a qual me indicou livros e materiais que me
deixaram perplexo ao descobrir o quão forte era a influência de avós e
pais sobre a maneira de agir da geração mais nova. A partir daí eu
trouxe esse conhecimento para a minha área, claro, finanças. Comecei
a pesquisar sobre a forma de lidar com o dinheiro entre gerações e
descobri que o mesmo fundamento de repetições também existe no
comportamento financeiro. Na maioria das vezes de forma inconsciente,
o que deixa ainda mais perigoso, pois ninguém é capaz de lutar contra
um inimigo que imagina não existir.

Então eu entendi que o meu limite financeiro era o mesmo que


travava meus pais, pois isso veio escrito dentro de mim, na minha
mente. E vem na de todas as pessoas. Enquanto isso não for quebrado,
os maus hábitos serão repetidos e não haverá avanço. Se alguém

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


30
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

decidir ficar loiro e pintar o cabelo, precisará retocar a tinta depois de


um tempo, ou o verá voltar à cor original, isso acontece porque essa
informação, a coloração dos seus pelos, reside dentro de você. A não
ser que conseguisse quebrar a sua genética e gerar uma nova, isso se
repetirá.

Os seus avós estabeleceram seu limite de riqueza, ainda que


você não saiba ou sequer os conheça. O natural é repetir a história
deles, isso vem escrito dentro de nós. O caminho da prosperidade
passa por quebrar todos os padrões que foram escritos e impostos
dentro de você. Não respeite nenhum deles ( os padrões, que fique
claro). Enquanto a pessoa tem os mesmos comportamentos dos pais,
tem também os mesmos resultados.

O passo inicial para que isso seja quebrado e abra espaço para a
nova formatação é identificar o que tem se repetido. Comece a pensar,
qual sua relação com o dinheiro, olhe para dentro de si e analise como
vivencia essa área da sua vida. Dinheiro para você é benção?
Maldição? Eu lembro que meu pai fala muito que dinheiro era uma
desgraça, fonte de todos os males e isso foi criando raiz na minha
mente, foi gravado dentro de mim. Quem gosta de desgraça, quem a
deseja? Ninguém. Precisei desconstruir a verdade que eu tinha.

Agora, após reconhecer quais são, faça exercícios que


desconstroem todas as mentiras que foram escritas dentro de você
acerca da forma de lidar com finanças. Mentiras como: "todo rico
roubou, herdou ou teve sorte"; "no Brasil, só sendo político ou amigo de
um, para enriquecer". Muita gente pensa assim. Tudo mentira. O que

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


31
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

seus pais falavam sobre dinheiro demonstra o que acreditavam e foi


passado para você. É preciso quebrar.

Vou te contar um exemplo prático contra o qual tive que lutar.


Meu pai dizia: "aproveite o banco enquanto tiver um nome, pegue todo
financiamento que for oferecido, o máximo que puder". Ele era viciado
em se endividar, qualquer valor, independente da instituição, que fosse
disponibilizado, ele aceitava. Às vezes não tinha a menor ideia de como
faria para arcar com as parcelas, pensava: "dou um jeito depois". E,
evidentemente, quebrava. Tinha que vender tudo, refinanciar casa, era
só problema e retrocesso.

Agora adivinhe como foi o começo da minha vida financeira. Eu


resumo te contando o valor da minha fatura de cartão de crédito quando
consegui meu primeiro emprego, 925,00 reais. E o meu salário?
Recebia R$ 952,00. Guardo essa fatura e contracheque até hoje, para
que nunca me esqueça dessa loucura! Bem sobrariam vinte e sete reais
para viver no mês, então coloquei em prática a (péssima) estratégia de
pagar o mínimo possível. Com quem eu aprendi? Exato, com o papai.
Ele pagava o menor valor possível, até que chegasse a bolada, quando
precisava vender até carro para quitar.

A CULPA É DA VOVÓ!

Quando identifiquei esses comportamentos, comecei a quebrar


um por um. Era completamente desorganizado, não tinha uma planilha

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


32
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

sequer. É claro que ele também me ensinou diversas coisas boas, meu
pai é um homem de caráter, honesto, não mente, justo, generoso,
disponível e além de todas essas coisas também me ensinou a
programar. Mas quando o assunto era finanças, uma lástima. Até hoje
identifico, eventualmente, algum hábito errado semelhante aos dele, ou
da minha mãe e, até mesmo, avós. Alguns são tão fortes que eu sei que
vou morrer lutando contra, mas agora tenho consciência deles e isso me
tira do papel de refém para o papel de dono da minha própria história.
Só reclamar do que recebeu não adianta, se torna, no máximo uma
desculpa. O problema é que nenhum banco aceita desculpas como
pagamento. Não resolve, não muda seu jogo. Descubra sua genética
financeira para corrigir, nunca para apontar culpados. Você dirige a sua
história, assuma o volante!!

A chave deste capítulo é: a culpa é da vovó!

Seu desafio será identificar três comportamentos dos seus pais


ou avós que você tem repetido na sua vida financeira e quer deixar de
repetir, pode ser gastar tudo que ganha ou até mais, dívidas, não
conseguir romper, ter que vender tudo, amaldiçoar o dinheiro ou
qualquer outro. Identifique e escreva.

DESAFIO 3

Hábitos que herdei e como mudá-los:

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


33
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

1º Hábito:
_________________________________________________

Ação para mudar :


_________________________________________________________
_________________________________________________________

2º Hábito:
_________________________________________________

Ação para mudar :


_________________________________________________________
_________________________________________________________

3º Hábito:
_________________________________________________

Ação para mudar :


_________________________________________________________
_________________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


34
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

“Nada mais curioso do que os hábitos. Quase ninguém sabe


que os tem.”

Agatha Christie

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


35
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

CRIANDO UMA META INTELIGENTE

Até agora trabalhamos basicamente questões emocionais, o que


faz todo sentido, uma vez que a maneira de encarar suas finanças é
muito mais emotiva do que racional. Inclusive, nas faculdades, o curso
Economia é considerado de humanas, não exatas, justamente por isso.
Definição que não torna obsoleto cada um dos recursos práticos,
conforme iniciaremos agora.

Certa vez conheci o pai de um amigo meu, um senhor que devia


estar com cerca de 65 anos à época. Conversando, ele compartilhou
que comprou uma bicicleta e decidiu começar a pedalar, estabeleceu a
meta de dar cinco voltas no parque da cidade, que fica no coração de
Brasília e conta com pistas de 10km de extensão. Sinceramente achei
puxado demais, afinal, 50km não é para qualquer um. Depois de uns
meses o encontrei e ele disse, para minha total surpresa, que já havia
dado as 5 voltas, que o alvo agora era contornar o Lago Paranoá,
localizado também na capital, com 100 km de perímetro, a maioria de
asfalto, porém com muito ganho de elevação e muitas subidas. Pensei:
"agora o coroa se empolgou de vez com o sucesso anterior".

Dessa vez demorou um pouco mais, não obstante, quando nos


vimos novamente, me disse que já havia dado a volta no lago. Não
titubiei e perguntei imediatamente qual a próxima meta pois sabia que já
tinha uma nova. Não deu outra, ele planejava ir de Brasília à Anápolis,
uma cidade goiana a quase 150 km de distância. Tive certeza que,
desta vez ele tinha enlouquecido. No entanto, junto com um amigo que

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


36
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

topou o mesmo desafio, e escoltado pelo filho, que ia de carro,


preparado para qualquer eventualidade, aquele senhor fez então a
viagem de bicicleta.

Depois de um ano eu o vi novamente e perguntei qual era o


próximo destino, de forma despretensiosa, imaginando que tinham
acabado as grandes metas, porém, mais uma vez a resposta foi
inesperada. Ele me disse que no mês seguinte iria para Caldas Novas-
GO, um percurso de 300 km. Assim, o cara decidiu, se programou, foi e
conseguiu. Questionei quando seria a viagem para São Paulo, ele
retrucou que agora já estava bom, tinha alcançado a meta final.

Durante o processo ele foi evoluindo não somente a capacidade


física, cardíaca, como também o nível dos equipamentos. A bicicleta
evoluiu da inicial de supermercado para uma mais cara, com pneu
especial, capacete, até mesmo com uma daquelas mochilas de
hidratação, com a qual o ciclista pode beber água através de um cano,
sem que seja necessário parar, cheio de recursos. Esse homem me
disse: sabe o que acontece, Pablito? Um homem sem metas é um
homem morto.

Este capítulo é sobre metas. O pai do meu amigo comprou uma


bike simples e começou, deu volta no parque da cidade, Lago Paranoá,
foi à Anápolis, melhorou o equipamento, foi se esticando e se esticando,
porque entendeu que um homem sem metas é um homem morto.
Tenho certeza que nesse momento vários planos já passaram na sua
cabeça, de projetos que já foram alvos seus e hoje estão esquecidos ou
abandonados. Sabe o porquê disso acontecer tanto? As pessoas, em
geral, não conhecem a maneira efetiva de estabelecer metas. Existe

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


37
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

uma ciência por trás do planejamento, que leva ao sucesso. Tem gente
que escreve qualquer meta, de qualquer jeito e isso não funciona. Se
você quiser ter sucesso nas suas finanças, se quiser reprogramar a sua
mente, precisa aprender a ter metas e como fazê-las. Para um barco
sem destino, qualquer vento serve.

Muita gente vive conforme o refrão de uma música conhecida


“Deixa a vida me levar”. Uma hora investe suas energias em uma área,
depois muda pra outra, qualquer coisa que conquistar já está bom,
afinal, sequer existiam expectativas verdadeiras. São essas mesmas
pessoas que tendem a fazer somente o que dá e se não der tudo bem.
Vive com empréstimos e dívidas, vai pagando o que pode.

Existe um ciclo de reflexão em nossa vida e acredito que ele


ocorra a cada 10 anos. Já parou para pensar que sempre que fazemos
aniversário de década ficamos tendenciosos a refletir onde estamos?
Também são nesses momentos que podem surgir possíveis crises. Aos
20 você começa a perceber que está ficando adulto, responsabilidades
surgem. Nos 30 nos perguntamos: quais foram minhas conquistas até
agora? Nos 40, onde estou e onde quero passar os próximos anos da
vida e assim sucessivamente. Para uns é barco sem destino, as
décadas passam sem resultados permanentes, apenas andando em
círculos, sempre retornando ao ponto de partida. Para outros, é hora de
ajustar a rota do seu barco e tomar a direção que levará para a
realização dos seus sonhos.

Reflita sobre sua vida agora: o seu barco está onde você gostaria
que ele estivesse, ou deveria estar muito mais à frente, considerando

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


38
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

todo o potencial que você possui? Seu momento hoje está alinhado com
os seus ideais?

Existe uma ciência por trás das boas metas. Você sabia que o
barco consegue andar, inclusive se o vento estiver contrário ao destino
dele? Parece que não, mas quando isso acontece, o timoneiro gira as
velas na inclinação correta e começa a avançar, lentamente, em
diagonal. Após um tempo, as maneja para o sentido contrário e,
novamente segue em frente na diagonal oposta. Ainda que devagar,
alcança seu destino, sem parar ou retroceder. Uma vida sem metas é
como um barco sem destino, acompanha a direção em que o vento
parece soprar mais forte, mudando, constantemente, sem chegar a
lugar algum, perdido. Se preciso for, eu vou remar, com vento, ou sem.

Qual a diferença de meta para sonho? A meta pode ser um


estágio para o sonho. Este funciona a longo prazo, e por isso pode ser
dividida em estágios. Vou te dar um exemplo simples, mas que gera
esse entendimento com igual simplicidade: o Distrito Federal é, em sua
maioria, composto por prédios baixos e casas. No entanto, existe uma
cidade, Águas Claras, conhecida pelos seus grandes prédios. Imagine
que eu moro no vigésimo andar e, após um dia exaustivo de trabalho,
seguido pelo tradicional trânsito daquela região, descubro que meu
bloco está sem energia. Que situação, sexta-feira, a picanha à tiracolo,
a bebida lutando para se manter resfriada em uma geladeira agora
desligada. Não existe outro sonho possível, que não seja vencer vinte
andares, cada um com dois lances de escada, cujos números de
degraus ninguém se dá ao trabalho de contar. Então eu subo o primeiro.
Depois o segundo, logo após, o terceiro. A cada um que eu deixo para

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


39
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

trás, minha motivação é alimentada e serve de combustível para subir


mais. O sonho de chegar em casa, pode ser dividido em vinte metas,
sendo cada andar uma meta.

Também nas finanças, trabalhamos por “andares”. Existe uma


forma de trabalharmos com metas e sua ciência foi resumida com o
nome de SMART, pois engloba 5 passos para fazer metas inteligentes,
conforme abaixo:

O “S” é de “specific”, a única em inglês, que significa “específica.


Para que sua meta seja SMART precisa ser minuciosa. Por exemplo:
quero comprar um carro, não posso escrever apenas: meu sonho é
comprar um carro. Preciso determinar qual valor posso gastar, e
somente depois disso, decidir qual carro vou comprar, quantas portas,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


40
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

que tipo de roda, se terá ar condicionado ou vidro elétrico etc. A meta


deve estar clara.

Um outro exemplo é uma uma viagem de navio. Imagine que


você está partindo em um Cruzeiro do porto de Santos com destino ao
Caribe, onde se tem as melhores praias do mundo! Porém, você
desconhece o destino final e na primeira parada do navio, que é Recife,
você desce por achar a praia linda e decide ficar por lá mesmo.

Seu amigo, porém, persiste na viagem e vai até o fim - ele se


certificou para onde ia o navio e sabia que ali ainda não era o melhor
lugar para descer. Apesar da viagem ser mais longa e difícil, ele agora
está nadando nas águas quentes e calmas do caribe. E você? Bem,
você acabou de descobrir que as praias de Recife, apesar de belas, são
inapropriadas para banho por causa dos tubarões que tem por lá.

Assim, se o destino não for claro, qualquer lugar em que ancorar


o navio serve, já foi uma viagem. Uma meta é a mesma coisa, é
impreterível que seja específica. Para isso, responda as perguntas a
seguir:

- “o que eu quero alcançar com essa meta?”


- “ela é clara o suficiente para qualquer um ler e entender qual
é o destino, ou qual é a entrega final?”
- “quando eu chegar lá, não terei dúvidas que bati a meta?”
- “ é possível que eu chegue em um lugar diferente e ache por
engano que bati a meta?”

A partir de agora, sempre em português, o “M” significa


“mensurável”, que, por sua vez, é a qualidade daquilo que pode ser

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


41
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

medido. É impossível ter sucesso em uma meta que não seja estimável.
Já conheceu alguém que fala: “quero emagrecer”? Não é uma meta, é
um desejo, porque emagrecer não é mensurável. Se essa pessoa
começar a dizer: “eu quero perder 5 kgs”, agora sim! Um valor
mensurável. Uma meta inteligente precisa disso, exatamente como fazia
o ciclista que sempre sabia quantos quilômetros teria o próximo trajeto.
E lembrem, ele sempre conseguia!!

A terceira letra, "A", é de “atingível”. Não adianta fazer uma meta


inalcançável, que seja impossível porque isso vai te desestimular e logo
você acabará desistindo. Por exemplo, se eu estipular que quero ir de
Brasília até Londres, de carro, sendo ele o único veículo do qual
disporei, é atingível? Não tem como, essa meta já morreu por si só e por
isso então de nada serve. Você precisa de uma meta conseguível.
Imagina se o pai do meu amigo tivesse estabelecido como meta inicial,
pedalar do DF à Caldas Novas? Certamente não teria sequer
contornado o Lago Paranoá, teria desistido antes. Colocar metas quase
impossíveis é um dos grandes motivos que faz pessoas abandonarem
os seus alvos, por isso a importância de se colocar metas SMART.

A penúltima letra, "R", vem de “relevante”. Metas SMART são


sempre relevantes. Quando você estabelecer sua meta financeira, ela
precisa ter um significado. Se não tiver não adianta, se não for
importante, se não mexer com você, de nada vale. Por isso é
fundamental ter um propósito e estar conectado com ele, para que sua
meta sensibilize sua mente e seu coração, trazendo relevância a ela.
Veja esse exemplo: imagine um pescador com meta de pescar 200
peixes. Por quê? Ora, se ele pescar esses peixes conseguirá pagar a

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


42
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

inscrição para o vestibular do filho que estudou para cursar Medicina e o


propósito de vida desse homem é de que todos os seus filhos estudem
e não sejam pescadores como ele. Assim, eu te pergunto, essa meta é
relevante? Sim, muito, a ponto dele não voltar ao porto enquanto não a
alcançar. Ele vai pescar até morrer, se preciso, mas vai voltar com duas
centenas de peixes, afinal, pagar essa inscrição é fundamental para um
dos passos de cumprir o seu propósito.

A última, “T”, é de temporal. Metas precisam de tempo


programado para acabar. Quando não têm, também não são atingidas.
Nosso pescador colocou a meta de pescar 200 peixes, até quando? Até
as 7:00 horas, ou as inscrições se encerrariam. Então, do que adianta
ele voltar com a pesca na próxima semana? Por isso, para sua meta ser
SMART ela precisa ter prazo para ser cumprida.

QUER CRESCER? TENHA METAS SMART!

Além disso, existem três dicas para você sobre meta:

1- Monitore o desempenho das suas ações. É fundamental que


você avalie o seu desempenho. Se sua meta tem seis meses de prazo,
crie uma periodicidade de avaliação, a cada três semanas, por exemplo,
vá ponderando se, a performance atual é suficiente para o período
restante. Lembra-te do barquinho? Em rotas, eventualmente podem ser
necessários ajustes, o vento pode bater o contrário, não tem problema
nenhum, basta ajustar a rota e não perder a meta de vista.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


43
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

2- Mantenha pessoas envolvidas à sua volta, sejam seus


familiares, esposa, marido, filhos, amigos, mas envolva-os pois isso vai
te comprometer. Toda vez que você vai ao nutricionista, escuta dele:
“marque seu peso, projete o que deseja e fale para todo mundo, conte
pra sua família.” A melhor forma de você perder peso é expor sua meta.
"Eu vou perder 10 kgs em seis meses". Essas pessoas vão te cobrar e
você acabou de arrumar aliados. Por exemplo, quando for comer um
doce, eles provavelmente irão fazer o seguinte comentário: “nossa, você
não está de dieta?” ou ainda “ei, tire o doce da boca”. Por isso, envolva
pessoas na sua meta.

3- Uma vez que a meta foi batida, comemore! Você merece


comemorações. A cada etapa cumprida da sua vida, a cada meta
batida, comemore.

Chave desse capítulo: só quem é SMART vence! Seja “Smart” e


tenha metas inteligentes.

Agora, o seu desafio será estabelecer uma meta SMART.


Escolha um objetivo, faça as cinco validações. Então você irá divulgar
essa meta e correr para alcançá-la. Não tenho dúvidas do seu sucesso,
você nasceu para vencer. Ajuste o que é necessário e prospere em
todas as áreas.

DESAFIO 4

META SMART:

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


44
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

_________________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


45
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

“A felicidade é a concretização progressiva de um ideal ou


de uma meta que valha a pena.”

Earl Nightingale

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


46
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

A INFLUÊNCIA DAS EMOÇÕES

A primeira vez que tive contato com Economia foi na faculdade,


pois para o meu curso de Engenharia Mecatrônica era necessário
cursar uma matéria introdutória dela. Comecei a procurar o
departamento no Instituto de Ciências Exatas, e não achei. Até que
descobri, por um aluno veterano que o curso de Economia não era ali,
mas no Instituto de Ciências Sociais!!! O que isso significa? Que
Economia é um curso de humanas e não de exatas!!! Fiquei estagnado
ali, parado na frente daquele aluno, pois sempre enxerguei Economia
como uma ciência absolutamente exata, afinal, envolve gráfico, número,
dinheiro. Mas descobri que estava enganado quanto à natureza do
curso.

Hoje, com muito mais entendimento sobre o assunto, vejo que


não existe nada mais plausível do que essa classificação. Acontece que
Economia não estuda números apenas, mas, principalmente, o
comportamento da produção de riquezas na sociedade. A relação do
ser humano com o dinheiro, com o capital. Isso gera uma indignação
comum nos estudantes desse curso: se não é de exatas, qual a
necessidade de pegar a famigerada cadeira de “Cálculo”? A boa notícia
para mim é que muitos deles tinham dificuldade nessa parte do curso e
com isso eu consegui ganhar bastante dinheiro nesse tempo, dando
aulas particulares de matemática para os economistas.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


47
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Trazendo tudo isso para o nosso caminho da riqueza, é


fundamental quebrar esse falso senso comum, pois ele leva diversas
pessoas a acreditarem que o fracasso na vida financeira se deve ao fato
de não terem como dominantes o lado esquerdo do cérebro, conhecido
como o lado racional, de onde provém a facilidade com as matérias de
exatas. Entenda, economia não são números. E, na verdade, quem te
vendeu isso, apenas te afastou da realidade. Sabendo as quatro
operações básicas, soma, subtração, multiplicação e divisão você já tem
o que precisa, especialmente em tempos de tão fácil acesso a
calculadoras e fórmulas que existem na internet. Não necessita sequer
fazer de cabeça.

Economia diz muito mais a respeito do lado direito do cérebro,


pois envolve emoções. Toda vez que você vai comprar algo, existe um
sentimento envolvido por trás, é um impulso que gera a compra. Por
trás deles existem emoções, que foram geradas a partir de histórias,
das suas histórias, sua vida.

Toda vez que você compra algo, o fez por conta de um impulso,
que foi gerado a partir de um sentimento. Por trás desses sentimentos
existem emoções, originadas de histórias, suas histórias de vida, suas
experiências. Olha só que caminho longo existe nos bastidores da
tomada decisão a respeito de uma compra. Você teve experiências, que
geraram histórias, lembranças, que remetem emoções, levando a
sentimentos que repercutem em impulsos capazes de te fazer decidir
comprar. Todo esse processo pode ser completamente inconsciente,
acontecendo em milésimos de segundos, como pode demorar semanas
ou meses.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


48
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Vou explanar esse processo com um exemplo simples que


ocorreu aqui: minha esposa, certo dia, voltando para casa, passou em
frente a um McDonalds. Ela estava nervosa naquele momento porque
eu havia sido grosso com ela por telefone. Minha esposa é doce, de
gentil tratamento, enquanto eu preciso lutar para ser, também, desta
forma. Então, ela decidiu que iria entrar naquele restaurante, pedir um
trio de sanduíche, batata frita e refrigerante, iria comer e QSL a dieta. A
principal motivação dela, para essa compra, o maior gatilho, não foi a
fome, até porque era perto de casa, poderia esperar chegar sem
problema algum. O que minha mulher buscava era se acalmar. Aquele
restaurante relembrava bons momentos, da infância, adolescência,
momentos com nossos filhos, essas experiências cruzaram todo aquele
caminho até produzir o impulso de entrar ali e gastar dinheiro, além de
comer de forma não saudável.

Talvez você esteja pensando que isso não tem grande impacto
na vida de alguém, afinal, um sanduíche custa de 25 a 30 reais, não
chega a abalar as finanças. De fato, esse valor não. Contudo, assim
como esse foi o processo da compra dela no McDonalds, foi o meu
também ao adquirir um celular, o qual comprei por 4.300,00 reais.
Ambas as decisões foram tomadas pelas emoções e quanto a isso não
existe quantidade de dinheiro. Ora você estará gastando 30 reais ora 3
mil reais, pois as nossas decisões financeiras não têm raiz racional.

DINHEIRO NÃO É RAZÃO!

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


49
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Eu não estou te contando isso para te dar uma possível desculpa,


pelo contrário. Sim, nossas decisões financeiras passam, sem
exceções, pelo viés emocional, no entanto, não quer dizer que sejam
involuntárias, são apenas inconscientes. No primeiro caso, as decisões
seriam inevitáveis, e não dependeriam de você em nada, no segundo,
basta abrir os olhos para entender, como você está fazendo agora, e
assumir as rédeas das suas emoções a ponto de frear seus impulsos,
colocando a razão na frente.

Não é fácil, e nem sempre você irá conseguir. Terminando a


história da minha esposa no McDonalds, ela não chegou a entrar no
restaurante, seguiu adiante, chegou em casa e comeu umas castanhas
e tomou um caldo. Ela conseguiu travar as emoções, que estavam
latentes, naquele dia.

Uma atitude prática e simples que vai ajudar muito é: sempre


antes de comprar algo ou tomar uma decisão que envolva gastar
dinheiro, conte, no mínimo até dez, respire fundo e se questione qual
lado do seu cérebro está sendo responsável por essa decisão, o direito
ou o esquerdo. Deixe os dois extremos debaterem. A sua mente é tão
impressionante, que eu garanto que ela te dará inúmeras razões para
justificar aquele gasto. Minha esposa tinha inúmeros motivos para entrar
no McDonalds, a mente dela falou: “eu preciso descansar, relaxar, estou
no peso ideal, faz tempo que não ganho peso, pelo contrário,
recentemente emagreci um quilo, estou chateada hoje, posso até tirar o
pão e comer só o restante, nem atrapalha tanto a dieta, esse dinheiro é
pouco e não fará falta...” Tudo isso em milésimos de segundo, a seta já
piscava indicando aos demais motoristas que ela entraria no

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


50
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

estacionamento do restaurante, o carro virando. Foi nessa hora que ela


parou, respirou e disse a si mesma: “não, eu não vou me prejudicar para
ter um prazer momentâneo de me sentir bem; vou respirar fundo e fazer
o que é o certo, para que mais na frente eu tenha prazer em ter
conseguido me controlar, controlar as reações consequentes das
emoções” .

Foi uma verdadeira batalha na mente dela, intensa e, ao mesmo


tempo, rápida. Assim também acontece comigo e com você todos os
dias. Você precisa ir fundo para vencer o impulso. Identifique qual
sentimento está envolvido na decisão que irá tomar.

A chave que você precisa absorver deste capítulo é: dinheiro não


é razão!

E, claro, uma chave vem sempre acompanhada por um desafio


para que você cresça e reprograme a sua mente. E esse vai mudar seu
hábito de compra, é o seguinte: da próxima vez que você tiver vontade
de comprar algo, seja o que for, independente de preço ou tipo do
produto, você irá analisar qual o sentimento, qual a emoção que está
por trás do sentimento de compra, percorrendo todo caminho, o ideal é
que consiga chegar até a sua experiência, ainda que tenha sido na
infância.

DESAFIO 5

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


51
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Dia que mudei meu processo de compra: ___/___/___

Produto: _____________________________________________

Contexto do impulso:
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________

Sentimento:
____________________________________________

Emoção:
________________________________________________

História:
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


52
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Experiência:
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


53
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

“Cuidado com as pequenas despesas; um pequeno


vazamento afundará um grande navio.” Benjamin Franklin

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


54
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

GASTAR É MAIS IMPORTANTE QUE


GANHAR

A minha esposa tem um tio, que, após o matrimônio se tornou


meu tio também, afinal quando casamos, não é apenas com o cônjuge,
mas com toda a família dessa pessoa. Enfim, o Tio Paulo é um cara que
anda com as roupas velhas, são roupas mais experientes, se você
preferir o eufemismo e algumas têm furos ou até pequenos rasgos no
ombro. O short é da seleção brasileira, aquele azul, do tempo que
impúnhamos medo e fazíamos 2 gols na Alemanha em final de Copa do
Mundo, aquele short jamais levou um 7x1. O look termina com um par
de chinelos sobre o qual só se pode conjecturar qual foi a cor inicial. Ele
anda assim durante todo o dia pela cidade onde mora.

Certa vez, ele estava caminhando e uma mulher encosta o carro


do outro lado da rua para pedir uma informação, abaixa o vidro, mas o
rapaz a quem ela se dirige passa a uma informação errada. Muito
prestativo, Tio Paulo, imediatamente, exerce sua cidadania, atravessa,
bate no vidro do passageiro, esse ainda fechado, eleva o tom da voz,
que, acompanhada de sinais com as mãos, avisa que o endereço ao
qual ela se dirige é, na verdade, na direção oposta da que lhe foi dita.
Acontece que essa mulher confundiu este nobre cidadão com um
assaltante e, em desespero, empreendeu uma fuga de cantar pneus.
Foi embora.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


55
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Hoje essa história é motivo de risadas, sempre contada pelo


próprio protagonista. Acontece que o Tio Paulo é um comerciante, dono
de uma grande e tradicional loja em sua cidade, com mais de trinta anos
de existência, além de várias outras. Também é dono de diversos
imóveis e automóveis, aplicações e casas espalhadas que doou para os
filhos. Enfim, é um dos homens mais prósperos e influentes de sua
cidade. Porém, as pessoas costumam julgar os outros pela aparência,
pelo exterior. E é por isso que muitas e muitas vezes nós pensamos
mais nos outros que em nós mesmos, nos afundando em dívidas para
sermos aprovados no julgamento dos outros. Mas o tio Paulo é um
exemplo de pessoa bem resolvida, que definitivamente não se importa
com o que os outros pensam dele, pois ele sabe quem é. Não estou
querendo dizer que devemos andar mal vestidos ou descuidados com
nós mesmos, mas o grande ensinamento aqui é não se importar com o
julgamento alheio.

O Tio Paulo tem algo chamado identidade, e não me refiro ao


documento, quero dizer que ele sabe quem é. Pessoas assim não
sentem necessidade de se mascarar, de mostrar ser o que não são.
Isso fala sobre autoestima, a imagem e o sentimento que você tem
sobre si mesmo.

Um dos maiores ensinamentos sobre finanças foi dele, quando


perguntei qual a chave para ficar rico, me respondeu: “Pablito, se eu
ganhasse 20.000,00 reais por mês, mas tivesse gastos de 22.000,00
reais mensais, a cada trinta dias eu ficaria 2.000 reais mais pobre. No
fim do ano seria 24.000,00 mais pobre. Ao passo que, se tivesse um
salário de 5.000,00 reais, mas gasto apenas 3.000,00 fico 2.000,00

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


56
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

reais mais rico por mês e 24.000,00 reais por ano. Nesse caso, em que
situação eu seria mais rico ganhando R$ 20.000,00 ou R$5.000,00?”
Uau, que ensinamento!

As pessoas pensam que a solução para os problemas financeiros


está em aumentar os ganhos. Acham que a saída é uma promoção, o
décimo terceiro, um salário maior. O cara que ganha R$ 20 mil e gasta
R$ 22 mil, sonha em ser promovido e passar a receber R$23 mil, ele
imagina que aí sim os problemas seriam resolvidos e que, finalmente,
ele conseguirá acumular mil reais por mês. Acontece que não se trata
de quanto ele ganha, mas da mentalidade dele. A mente desse cara é a
de quem gera dívidas, que aumenta os gastos, que corre atrás do
dinheiro, e quando a pessoa é assim o dinheiro corre dela.

Torna-se um ciclo: o endividado concentra suas energias em


aumentar os ganhos, de forma que estes superem os gastos atuais,
todavia, quando consegue, imediatamente eleva seus custos,
adquirindo novas prestações, precisando, mais uma vez, engordar seus
vencimentos. E assim vai, andando em círculos, até chegar um ponto
em que o vigor reduzido e a idade se apresentam como empecilho para
aumento da receita. Era o momento de estar vivendo de investimentos,
através dos rendimentos gerados a vida inteira. E agora?

Esse conceito está presente no livro “Pai Rico, Pai Pobre,


chama-se “a corrida dos ratos”. ​Eu já tive um hamster e ele tinha um
entretenimento do qual não se cansava na gaiola, na verdade, era uma
necessidade. Devido ao porte, seus ancestrais acostumaram-se a estar
sempre fugindo de predadores, o que os tornou pequenos roedores
muito inquietos. Lembra que a culpa era da vovó? Meu animalzinho de

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


57
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

estimação não precisava mais fugir, até porque, ali na gaiola estava
seguro, mas, por não entender isso, ele repete hábitos que foram
herdados. E ele não parava, corria o tempo inteiro, sem nunca sair do
lugar. Você já se sentiu assim? Correr sem sair do lugar, essa é a
corrida dos ratos.

Na prática é o cara que decide: agora vou investir em Day Trade,


depois de três dias, perde uns 5.000,00 reais e desiste, fala que não é
isso que dá dinheiro. Daí parte para o mercado de bitcoins, onde
recebeu uma promessa de 1% de rendimento ao dia, começa, mas
perde uns 2.000,00 reais, deixa pra lá. Então ele se lembra do salário,
vê que precisa aumentá-lo, entende que é essa, a grande solução, faz
uns cursos, dedica-se mais no trabalho, é promovido. Porém logo
aumenta os gatos e automaticamente começa a dever. Ele percebe que
sempre volta ao mesmo lugar, por mais que tente algo novo, diversas
estratégias, não consegue romper.

Acontece que existem passos que antecedem o enriquecimento,


e as pessoas querem pular alguns deles, queimando etapas. Todos que
fazem isso irão, invariavelmente, se frustrar. O que mais tem por aí são
pessoas fazendo curso de investimento com 100 reais no bolso, é o
famoso investidor de cem reais. Ele acha que se descobrir o lugar certo,
esse valor irá mudar a vida dele. Isso não existe. Lamento informar, mas
nem se fossem R$ 1.000,00; R$ 3.000,00 ou R$5.000,00 ainda assim
não adiantaria. Existem processos anteriores na formação de riqueza,
quem te falar o contrário está te enganando.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


58
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

NÃO É SOBRE QUANTO EU GANHO!

Para mudar, verdadeiramente, sua vida financeira, é preciso


reprogramar a mente, do contrário, você entrará na corrida dos ratos,
sempre girando sem sair do lugar. Enquanto sua mente, seus hábitos e
sua forma de lidar com o dinheiro não mudarem, não importa o quanto
você ganha, pode passar a receber literalmente dez vezes mais do que
hoje, ainda assim não sairá do lugar. Mentoriei pessoas com média de
salário de 50 mil reais porém com dívidas de 100 mil, onde o dinheiro
caía na conta e imediatamente tinha que pagar débitos anteriores.

A verdade é que para aqueles que não mudaram sua


mentalidade, aumentar ganhos é até perigoso. Imagine um estagiário
que ganha mil reais e gasta o dobro, dois mil. Esse cara começa a
enxergar, como a maioria dos jovens, que o concurso público é a
grande sacada, a solução, afinal, tem estabilidade e ele estará salvo.
Ele estuda muito, passa no concurso e agora ganha R$10 mil,
resolvendo o seu problema. Porém, em pouco tempo, ele estará
gastando o dobro de novo, só que dessa vez serão R$20.000,00. Antes,
ele ficava “apenas” mil reais mais pobre por mês, agora fica R$10 mil
mais pobre, em um ano, ao invés de R$ 12 mil a mais de dívida, serão
R$120 mil. O concurso não o salvou, apenas agravou o problema.

Quem vive melhor: um funcionário público que ganha R$ 9 mil por


mês e tem R$ 7 mil de dívidas e faturas mensais, ou um cara que ganha
R$ 4 mil livre de qualquer parcela de dívida? Sim, a segunda opção.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


59
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

A chave deste capítulo é para você levar para toda a vida: não é
sobre quanto eu ganho!

Receber mais dinheiro, aumentar o salário, não são a solução,


existem passos anteriores, reprograme a sua mente.

O desafio será difícil e importante: você vai identificar um gasto


seu, que acontece todo mês, que não deveria acontecer e que você
pode cortar. Não precisa ser, necessariamente, uma conta como
parcela de celular, ou plano de academia. Pode ser também um gasto
que não possui um compromisso mensal, de fato, mas que acontece
todo mês, como a ida a um restaurante específico, por exemplo. No
mínimo um, e pense nessa chave: “não é sobre quanto eu ganho, é
sobre quanto eu gasto”.

​DESAFIO 6

Gasto cortado:
__________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


60
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

COMECE PEQUENO, MAS SONHE


GRANDE!

Você já ouviu falar de um esportista chamado Novak Djokovic?


Ele nasceu na antiga Iugoslávia, onde fica, hoje, a Sérvia. Mais
especificamente na capital, Belgrado, em 1987. Acompanhou, durante a
infância, todos os conflitos étnicos daquela região, a dissolução do país,
o estado de constante tensão nacional, chegando a passar dias
escondido em abrigos, junto à família, por conta de bombardeios. Até
que, um dia, Djokovic viu, pela televisão, uma partida de tênis, e gostou
muito daquilo, a ponto de pedir o equipamento para o pai, que o
atendeu. Ele ganhou uma raquete e bolinha de plástico e se apaixonou
pelo esporte, mas não tinha condições de fazer aulas.

Até que, aos seis anos, assistindo uma seleção conduzida por
Jelena Gencic, esta, vendo-o apenas assistir o convidou para fazer
parte. Percebeu que tinha um diamante bruto em mãos na mesma hora.
No ano seguinte, o jovem pupilo gravou uma entrevista onde fez um
compromisso consigo mesmo de que um dia seria o tenista número um
do mundo. É possível encontrá-la na internet.

Em 2003, o atleta estreou como profissional, terminou o ano em


679° no ranking mundial. Tempo em que Roger Federer se preparava
para tomar o posto de número um do mundo das mãos de Andy
Roddick, para iniciar uma hegemonia que duraria até 2008, ameaçado
apenas pelo espanhol Rafael Nadal, juntos protagonizaram as mais
disputadas partidas do esporte. Podemos dizer que eram uma espécie
de Cristiano Ronaldo e Messi do tênis. Novak não teve, nem de longe,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


61
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

condições perfeitas ou circunstâncias favoráveis para alcançar seu


sonho, que não era pequeno. Ainda assim, se permitiu sonhar e dar o
seu melhor com aquilo que tinha. A mãe dele demorou a acreditar que
ele conseguiria, e ele mesmo, conforme relata, em alguns momentos
tinha sua convicção abalada, no entanto, puxava as rédeas da mente, e
voltava a focar no que queria realizar e não nos percalços do caminho.

Agora pasmem: em 2007, apenas quatro anos depois da sua


estreia, Djokovic chegou a derrotar os dois melhores e encerrou a
temporada classificado como terceiro maior tenista do planeta. Até que,
em 2011, após vencer três títulos de Grand Slam sobre Rafael Nadal,
aberto da Austrália, dos Estados Unidos e Wimbledon, o atleta
sagrou-se como o melhor do mundo naquela temporada. A promessa
feita aos 7 anos de idade se cumpria. Voltou para Belgrado recebido
como herói nacional e com uma grande festa à sua espera. Djoko atribui
sua escalada de terceiro a primeiro, à melhoria física, claro, mas,
especialmente à mental e psicológica. Ele conta que, quando ocupava o
lugar mais baixo do pódio, sentia medo e nervosismo quando se
deparava com os dois melhores em grandes jogos, apesar de já os
haver derrotado. Quando conseguiu mudar a mentalidade com a qual
entrava nas partidas, começou a ter resultados mais consistentes.

Hoje, o tenista já conquistou quatro prêmios Laureus,


considerado o Oscar do esporte. Sobrepujando, no último, atletas como
LeBron James, Hamilton, Mbappe e Modric, que também competiram.

Talvez antes de conhecer essa história você pensasse que esse


atleta conquistou tanto porque teve sorte, ou muito apoio dos pais, uma
fortuna que o permitiu ter o melhor treinamento que existe. Agora sabe

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


62
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

que as circunstâncias sempre foram contrárias e inimigas dele. Sem


dúvidas, muitas pessoas o desestimularam ao longo desse vitorioso
caminho, a própria mãe tardou a crer nele. Afinal, o que fez a criança e
o adolescente Novak persistir em meio a tantos contratempo? Um
sonho. Na verdade, um sonho grande, enorme. Ser profissional não era
suficiente. Estar no top 10 não era o que ele queria. Ser o melhor tenista
sérvio era pouco. Ele almejava ser o número um do mundo. Sonhou
alto, voou longe. O erro de muitos esportistas é sonhar pequeno e se
contentar com menos ainda.

Não obstante, o hábito de almejar ínfimas conquistas, ou até


mesmo nem almejar se estende a todos, especialmente nas finanças.
Já escutei diversas pessoas falarem: “meu sonho é andar de Hilux”. É a
coisa mais fácil do mundo, é só ir ao banco mais próximo e financiar
uma (não que esta seja a melhor maneira de adquirir um carro, pelo
contrário). “Ah, mas eu falo de ter uma Hilux quitada”. Continua
pequeno. Daqui a alguns anos isso acontecerá a quem financiar, e
agora? E depois? Eu não acredito que o grande sonho de alguém seja
apenas andar em um carro. O problema de ter projetos pequenos é que,
ao se deparar com dificuldades, você irá desistir, porque sonhos baixos
não te fazem voar, não te inspiram, não te impulsionam e são incapazes
de gerar gana, voracidade, determinação.

SE FOR PRA SONHAR, QUE SEJA GRANDE!

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


63
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

O esporte é um exemplo perfeito, pois esses desafios e vitórias


são muito visíveis. Mas agora vamos falar de um conterrâneo nosso, o
melhor piloto brasileiro de todos os tempos, Ayrton Senna, da Fórmula
1. Ele tinha dois grandes sonhos: ser campeão mundial e vencer o
Grand Prix do Brasil, de preferência no seu estado de origem, São
Paulo, a corrida em Interlagos, este era seu sonho, vencer em casa.

Em 1988 o primeiro sonho foi realizado, Senna campeão do


mundo, porém, no Grande Prêmio do Brasil, realizado em
Jacarepaguá-RJ, sua primeira chance, já havia conquistado a pole
position, ou seja, largaria em primeiro lugar, o carro do brasileiro quebra
logo antes da prova. A falha no trambulador do câmbio o obriga, após o
horário limite permitido, trocar de carro. Chegou a largar, mas foi
obrigado a parar pela direção de prova. Em 1989, mais uma vez na
cidade carioca, saindo na dianteira, Ayrton se envolve em um acidente
com Patrese e Berger e perde a segunda oportunidade de ver seu
sonho realizado.

Em 1990 o GP do Brasil volta a ser realizado em Interlagos- SP.


Parecia que o destino havia esperado essa oportunidade para que a
realização fosse completa. Na volta 42 em primeiro lugar, Senna detinha
uma vantagem tão grande que estava ultrapassando o último lugar.
Durante esse movimento, o retardatário Nakajima danifica o aerofólio
dianteiro do nosso atleta, que, obrigado a fazer mais um pit stop, acaba
perdendo a vantagem e duas posições, terminando no pódio, mas em
terceiro. No fim da temporada ele sagrou-se bi-campeão mundial.

Em 1991 Senna chega a Interlagos com esses insucessos


engasgados. Mais uma vez como pole position tenta impor a liderança

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


64
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

do início ao fim, como costumava fazer, mas se vê ameaçado por um


carro mais veloz, pilotado por Mansell, “o Leão”, que na vigésima volta
estava a menos de um segundo atrás do líder, literalmente, eram
apenas sete milésimos de segundo. Felizmente, na volta número vinte
seis, a equipe do piloto felino se atrapalha e leva 14 segundos para
liberá-lo do pit stop, deixando-o em quarto lugar. No entanto, apenas
vinte voltas depois, Mansell já estava, mais uma vez, como vice, a
somente quatro segundos de Ayrton. Parecia impossível segurá-lo por
muito mais tempo. De fato, o motor carro conduzido pelo Leão era
impressionante, mas não os pneus, que furaram na 50° volta,
deixando-o quase 35 segundos atrás do campeão mundial.

Começa a chover levemente no autódromo e a torcida paulista


vai ao delírio, nessa condição climática seu herói era imparável, tudo
caminhava para a realização do sonho. Porém, nesta mesma volta, a
quarta marcha de Senna quebra, obrigando-o a mudar da terceira direto
para a quinta, e vice-versa, o que fazia perder preciosos milésimos,
além de exigir um desgaste físico muito maior. Não obstante, tudo
parece ser contornável quando Mansell, a 10 voltas do fim, roda, devido
a um problema no câmbio semi-automático, abandonado a prova e
deixando Patrese em segundo lugar, a 40 segundos de distância do
primeiro. O problema das marchas de Ayrton se torna mais grave, ele
perde a terceira e a quinta. Neste momento o piloto demonstra frieza e
estratégia, não informando à sua equipe a gravidade do problema, uma
vez que não poderiam ajudar a resolver e apenas demonstrariam
desespero que poderia ser notada pela equipe de Patrese, e isso sim,
seria muito arriscado. Uma tática que deu certo, visto que seu
adversário conta que via a distância diminuir com o passar das voltas,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


65
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

mas jamais imaginou que fosse algo além do que Senna pudesse
controlar, pois imaginou que, caso algo assim acontecesse, seria
imediatamente informado pelo rádio, e isto o desencorajou força até sua
velocidade máxima.

Faltando sete voltas o brasileiro perde mais duas marchas,


ficando somente com a sexta. Na 65° (das 71 totais), a Williams, equipe
de Patrese o informa que o campeão não estava apenas administrando
vantagem, com certeza tinha algum problema grave, embora não
soubessem qual, e que era hora de ir pra cima com tudo e tentar a
ultrapassagem. A distância que antes era de 40s, cai para 5s na volta
68, e para 4s na 69. Com muita garra, Senna consegue fazer excelentes
tempo nas voltas finais, cruzando a bandeira final 2 segundos antes de
seu adversário. A vibração nas arquibancadas deixou claro que não era
meramente o sonho do piloto que se realizava, mas dos torcedores
também.

O esforço fora tão grande que o piloto, com espasmos e dores,


mal conseguia andar para dar seu tradicional desfile erguendo a
bandeira do Brasil, dessa vez a pé, pois o carro quebrara de vez.
Demorou vinte minutos para se juntar ao pódio, devido a atendimento
médico, e erguer, com extrema dificuldade, o tão almejado troféu.

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


66
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

Senna ergue o troféu do GP de Interlagos, 1991.

Que vitória heroica, sem dúvidas. Eu me pergunto se a postura


do corredor teria sido a mesma, caso a corrida fosse em qualquer outro
país. Talvez não e seria totalmente compreensível. Mas havia um sonho
envolvido. Isso foi combustível para fazer tudo que era necessário para
vencer, até mesmo fugir do protocolo e arriscar, ir no limite. Tudo valeria
a pena, pois, mais uma vez, havia um sonho grande envolvido.

Esse é o poder de um grande sonho, ele extrai o que há de


melhor em você, sua força máxima. Nas finanças funciona assim
também, se seu sonho é pequeno ou não está alinhado com o seu
propósito, quando você encontrar barreiras, dificuldades ( e vai), irá
desistir. Todas as pessoas que obtiveram sucesso, que alcançaram
lugares altos, que ficaram muito ricas, estabeleceram verdadeiros

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


67
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

impérios empresariais, o fizeram não porque foi fácil, ou porque tiveram


sorte. Todas elas tinham um sonho, e grande.

Você conhece Sam Walton? Se não, saiba que você é, ou já foi,


pelo menos uma vez, cliente dele. Esse cara foi, nada menos do que o
dono da maior rede varejista do mundo, Walmart, além de proprietário
do Sam’s Club. Ele sempre sonhou em ter uma grande empresa, mas
numa conseguia. Apenas com quase 45 anos, depois de inúmeros
fracassos, conseguiu inaugurar o supermercado que iniciou sua
caminhada para se tornar um bilionário. Ele tinha um sonho, isso o
movia.

O seu sonho precisa brilhar diante de você todos os dias, do


contrário, na primeira dificuldade irá abandonar seus alvos. É isso que
precisa te motivar todos os dias. Você precisa ter um propósito de vida e
um sonho alinhado a ele, as pessoas falham nas finanças por não
tê-los.

Um bom termômetro para um sonho precisa é que a maioria das


pessoas considere impossível quando te ouvirem. A maioria acreditará
quando você contar que quer ter uma Hilux daqui a cinco anos. Agora
experimente contar a elas que pretende abrir uma concessionária de
Hilux. Muitos não acreditarão, isto é um sonho. O sonho beira o
impossível, mas não para você.

Entenda, o preço do fracasso e do sucesso é praticamente o


mesmo. Todos os dias nós tomamos decisões que podem nos
aproximar de nossos sonhos ou do fracasso. Entender essas verdades
é o que te levará à riqueza, muitas pessoas buscam mudar seu jogo

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


68
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

fazendo curso de Day Trade, investindo em Bitcoins. Existem passos


anteriores a isto, ainda que dê certo, se a mente dessas pessoas não
tiver sido programada para reter dinheiro, será como adicionar água a
uma caixa de papel, vai ficar por um tempo, mas logo romperá e ficará
vazia novamente, pois ela não está preparada para reter. Não adianta
colocar riqueza em quem não foi programado para retê-las, é preciso
resetar a mente. Já aconteceu com você, de ter aumento significativo na
sua renda e, logo em seguida, elevar também seus gastos, voltando à
estaca zero? Você precisa ser guiado por um sonho, um sonho grande.

A sétima chave é: se for pra sonhar, que seja grande!

O seu desafio vai exigir reflexão: pense em um sonho para


alcançar daqui a 10 anos ou mais.

DESAFIO 7

_________________________________________________________

_________________________________________________________

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


69
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez.”

Jean Cocteau

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


70
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

CONCLUSÃO

Parabéns! Você terminou algo que começou e esta habilidade,


este hábito são fundamentais para uma vida de sucesso. Dominar sua
mente e reprograma-la, a exemplo da riqueza, não acontece do dia para
a noite, é um processo. Não obstante, o primeiro passo é reconhecer e
identificar a necessidade de que isto seja feito. Ninguém é capaz de
solucionar e resolver um problema que imagina não existir.

Tenho certeza que a sua forma de enxergar o dinheiro, de


planejar, de estabelecer metas (agora elas são SMARTs), mudou. Você
entendeu a importância de poupar, recebeu sete chaves poderosas e
executou sete desafios que têm o poder de mudar sua vida. É o início
do seu caminho.

Ao longo dele, nunca perca seu propósito de vista. O ser humano


tem uma grande capacidade de sentir, temos diversas emoções e
sentimentos, e isto é bom, nos torna especiais. Contudo, nos torna
também volúveis, capazes de mudar ou esquecer facilmente nosso
foco. Existem dias em que acordamos completamente comprometidos
com nossos sonhos, já em outros, parece que nem lembramos que eles
existem.

Este é o momento em que o propósito se torna mais do que


importante, mas impreterível, fundamental. Emoções não podem guiar
suas decisões, ou você não terá a constância necessária para o êxito.
Este papel é do seu propósito. Cada decisão precisa, invariavelmente,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


71
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

passar por um crivo: esse caminho, essa escolha, me aproxima ou me


distancia do meu propósito? A resposta te indicará por onde seguir.

Lembra daquela história da minha luta contra o baiano, que


aconteceu aos meus dezesseis anos, tempo em que eu era faixa
marrom? Continuando ela, logo no ano seguinte comecei minha
graduação para a faixa preta. Não era um simples teste, ou uma prova.
Para alcançar a maior posição do judô o atleta era submetido a um
rigoroso, árduo e longo exame que dura cerca de seis meses, para só
então saber se foi aprovado ou não. Precisa ser faixa marrom já há um
determinado tempo, fazer um curso, enfim, é bem difícil essa promoção.

E aos dezessete anos eu pude me inscrever e começar a ser


avaliado. No meio do curso aconteceu uma situação com um dos meus
colegas, um cara mais velho, conhecido por ser casca grossa, o
Arnaldo. Aconteceu que um dia esse cara se aproximou de mim e disse
algo que me ajudou bastante para o meu processo da faixa preta, pois
me deixou indignado: "poxa, que legal você estar aqui, Pablito, já está
até conseguindo executar um golpe ou outro e isso é muito bacana. Só
de você já estar aqui no curso e poder treinar com a gente já vai ser um
aprendizado, parabéns."

Aquela frase foi um desdém, ainda que voluntário ou não, velado


por um elogio. Deu a entender que já era certa a minha futura
reprovação, mas que, pelo menos, eu receberia alguma experiência.
Ora, eu não estava lá por isso. Meu objetivo quando entrei era sair com
a nova faixa, mesmo que ninguém com a minha idade tivesse alcançado
tal feito. Sabe o que pensei? QSL! Que se lasque quem pensa que não
sou capaz, sempre dei o meu melhor em tudo e, dessa vez, não seria

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


72
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

diferente. Aquilo gerou emoções fortes em mim, mas não me jogaram


para baixo, pelo contrário, me encheram ainda mais de uma incrível
motivação.

Quando o exame finalmente chegou ao fim, colaram duas


páginas nas paredes da academia, a de cima continha os nomes dos
aprovados, enquanto a de baixo, o dos que precisariam tentar
novamente no ano seguinte. Confesso que, preocupado, comecei
olhando a lista da má notícia, vi o nome do Arnaldo, mas não o meu.
Sim, ele reprovou! Parti entusiasmado para a outra, comecei olhando o
último nome e fui subindo. Porém, à medida em que subia o dedo, nome
por nome, o entusiasmo foi perdendo espaço para a inquietação:
continuava sem encontrar o meu. Voltei para a lista anterior, para
confirmar que não tinha passado batido e, realmente não estava lá.
Minha surpresa foi grande quando descobri que essa dificuldade se
devia ao fato de que meu nome estava lá em cima pois eu não só havia
sido aprovado, como também fiquei em primeiro lugar, o melhor
desempenho do curso.

Isso fez de mim o faixa preta mais novo da história do judô no


Distrito Federal à época. Sem sombra de dúvidas, dentre todos os
efeitos que aquela provocação poderia gerar, eu decidi que fosse
motivação. Essa decisão cabia somente a mim, e a mais ninguém. Seus
sentimentos, suas emoções podem jogar contra você ou a seu favor.

E nas finanças é a mesma coisa. Você sempre se depara diante


de situações que podem de desestimular, te desencorajar e te dar
razões para você desistir e parar. A cada uma dessas situações você
pode utilizá-las como uma boa desculpa e simplesmente parar. De fato,

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


73
DESVENDANDO AS RIQUEZAS

se fizer isso, você nunca saberá qual resultado teria se tivesse


desistido, mas terá uma real e boa justificativa.

No entanto, você pode transformar cada um desses dificultadores


como estímulo para ir até o fim e fazer dar certo. Veja, a montanha é
muito difícil de ser escalada, mas lá de cima é muito mais fácil enxergar
tudo. A mesma montanha é um obstáculo e um trampolim. Você escolhe
o que fazer com ela.

Escolha certo, escolha consciente, persista e acerte o alvo!!!

Paulo Helou Netto - @pablitohelou


74

Você também pode gostar