Você está na página 1de 2

Instituto Gaio

Nome: Rose dos Reis Tavares Quadros


Data: 03/08/2020
Disciplina: introdução e história da psicanálise
Trabalho: Fichamento de artigo A psicanálise como formação do inconsciente:
a dinâmica dos atos na obra de Freud - Roberto de Oliveira Preu, Érico Bruno Viana Campos
e André De Martini

PREU, R. de o.; CAMPOS, E. B. V.; MARTINI, A. D. A PSICANÁLISE COMO


FORMAÇÃO DO INCONSCIENTE:
A DINÂMICA DOS ATOS NA OBRA DE FREUD. DOSSIÊ Grupo de Estudos e
Pesquisa Diferenças e Subjetividades em Educação Grupo de Leitura de Freud, ETD -
Educação Temática Digital, Campinas, v.8, n. esp., p.187 - 202, Dezembro 2006. ISSN:
176-2592

 Jogo de intenção e realização na psicanálise;


 Caracterizado do ato intencional e seu correlato psicanalítico, o ato falho;
 Freud: “herói que venceu por seus fracassos e pela travessia do trágico, bem ao
estilo do que caracteriza, acima de tudo, o sujeito da psicanálise: o sujeito do
inconsciente”. PERU, et. al. (2006)
 Trajetória de heróis, geralmente é composta de objetivos alcançados, permeados
dificuldades enfrentadas e de exemplos do impacto do seu trabalho na sociedade;
 Freud: herói? Conquistou? Enfrentou? Transformou? REVELOU! Houve objetivo
alcançado? Destino bem-sucedido? Pergunta subjetiva com mais de uma resposta;
 Sob a perspectiva filosófica clássica: Objetivo alcançado está relacionado ao efeito
claro e direto do mesmo quando conquistado;
 Perspectiva freudiana: há diversos elementos entre a intenção e a realização;
 O sucesso de Freud no estabelecimento de verdades sobre o psiquismo se dá ao
custo do fracasso de seus projetos iniciais;
 Ato intencional: sujeito intencional + mundo objetivo + intenção colocada em
prática => transformação relacionada à intenção;
 Ato falho: ato intencional reprimido, que de forma descabida em outra situação, não
relacionada ao contexto que o originou;
 “História do movimento psicanalítico” (Freud, 1996b);
 Freud tinha intenção de ser reconhecido pelos seus contemporâneos, trecho de uma
carta para sua então noiva leva à dedução de que ele almejava eternizar sua obra,
quando menciona futuros biógrafos que se interessariam pela vida do herói, como
ele mesmo se chama, lamentando que ele tivesse destruído grande parte de seus
escritos pessoais e científicos;
 Freud: reflexões e sentimentos sobre o mundo no mesmo nível das sobre si;
 Entender o mundo e resolver os seus problemas era como entender a si mesmo e
resolver suas questões;
 Transição - Ruptura – descarga de impulsos destrutivos: ao perceber que suas ideias
iniciais não se comprovaram, Freud se obriga a pensar novamente sobre assuntos já
estudados;
 Projeto para uma Psicologia Científica (1996a) projeto abandonado por Freud;
 Além do Princípio do Prazer (1996a) – especulações não científicas;
 Como uma obra que extrapola os princípios científicos, que teoricamente definem
valores universais, permaneceria com o passar do tempo?;
 Citação de Lacan: um determinado conhecimento, com peculiaridades que lhe são
próprias, como por exemplo a psicanálise, não pode ser compreendido ou explicado
pelo meio acadêmico;
 Intenção x Ruptura (descarga) – Ruptura Foucault (2000) => 1) necessidade de
determinar com exatidão o objeto e suas características, 2) necessidade de reduzir as
características encontradas a leis científicas que estabeleçam dados mensuráveis
entre os fenômenos observados;
 Na psicanálise, quanto mais Freud se aproxima de seu objeto, mais constata nele
propriedades qualitativas cuja análise quantitativa descaracteriza a peculiaridade do
objeto;
 Freud: tentativa de representar de forma integral o aparelho psíquico. Maior
contribuição: constatar que o determinante de nossa vida psíquica advém de uma
dimensão cuja representação até se mostrou impossível. Portanto temos: intenção
inicial => tensão => descarga => verdade inesperada;
 Projeto para uma Psicologia Científica (1996a) Intenção: psicologia como ciência
natural, organizando e representando o psiquismo de maneira objetiva em processos
claros e livres de contradição;
 Postulados: 1) Aparelho, composto por neurônios, cujo funcionamento representa o
psiquismo; 2) Este aparelho é atravessado por uma quantidade de energia Q;
 Modelo explicando o aparecimento da percepção e da memória, estabelecido por
Freud ao encontrar o caminho pelo qual o tecido neuronal é diferenciado através da
passagem da energia Q;
 Rede neuronal com barreira de contato que impediriam a passagem de energia entre
os neurônios. Esta energia seria mais intensa na periferia da rede e perderia a força
na medida que se dirigisse ao interior da rede, devido às barreiras de contato entre
as unidades neuronais;
 φ neurônio de percepção, receptores de energia Q, estariam na periferia; ψ neurônio
de memória, estariam no interior onde se constituem as diferentes representações
constituintes da memória;

Você também pode gostar