Você está na página 1de 25

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

EDUCAÇÃO FÍSICA BACHARELADO


LUCIANE MACIEL DE SENA DA CUNHA

ESTÁGIO CURRICULAR III: ATIVIDADE FISICA NA EMPRESA E LAZER!

PALMAS-TO
2020
LUCIANE MACIEL DE SENA DA CUNHA

ESTÁGIO CURRICULAR III: ATIVIDADE FISICA NA EMPRESA E LAZER!

Trabalho apresentado à Universidade Norte do


Paraná - UNOPAR, como requisito para conclusão
das disciplinas: Estágio Curricular III: Atividade
Fisica na Empresa e Lazer

Professores Orientadores:

PALMAS-TO
2020
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................4
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................................................................14
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..........................................................................20
ANEXOS....................................................................................................................21
4

1 INTRODUÇÃO

A Ginástica Laboral é uma atividade de prática antiga, destinada aos


operários como um momento de pausa onde os mesmos se exercitavam. Surgiu em
1925 na Polônia com o nome de “Ginástica de Pausa” e chegou ao Brasil em 1973.
Seu objetivo é promover a saúde do trabalhador. Atualmente as empresas
utilizam como prevenção do fenômeno LER/DORT que são lesões por esforço
repetitivo do trabalhador.
Através de uma preparação realizada por um profissional para os
trabalhadores, a Ginástica Laboral é realizada de forma coletiva e voluntária,
promovendo saúde física, mental e social. É realizada no próprio local de trabalho
como forma de preparação e prevenção de doenças por esforços repetitivos,
correção de postura. Promove um aumento da disposição para a jornada diária de
trabalho e diminui a fadiga que ocorre pelo trabalho muitas vezes cansativo e
maçante.
Atualmente existem três tipos de Ginástica Laboral que são aceitos:
Preparatória, Compensatória e de Relaxamento. Devem ser focados de acordo com
a necessidade de cada trabalhador, levando em consideração suas atividades
individuais e suas limitações. Pinto (2003) dizia que a Ginástica Laboral pode trazer
resultados positivos para a empresa e para os funcionários.
O presente trabalho tem por objetivo principal mostrar os benefícios da
Ginástica Laboral aplicado em uma empresa através de uma pesquisa de campo por
um período de um mês, levando a esses funcionários exercícios que podem ser
praticados na Ginástica Laboral, descrever as etapas do processo, fazer análise do
perfil dos funcionários da empresa e demonstrar de que maneira a Ginástica Laboral
afeta a vida do funcionário e a produção da empresa.
5

2 ESTÁGIO CURRICULAR III: ATIVIDADE FÍSICA NA EMPRESA E LAZER

Conhecendo a realidade da empresa

É importante entender a diferença entre atividade física no local de trabalho e


fora dele e Ginástica Laboral, pois essas práticas têm diferentes objetivos e diferem
significativamente nos meios e instrumentos que utilizam. Atividade física é uma
prática de esportes ou atividades que buscam um maior gasto de energia e
movimentação da musculatura. É recomendada a prática de atividade física por três
vezes por semana pelo menos, com duração de uma hora por dia. Para a realização
dessa prática podemos usar academias, parques, centros esportivos e etc. Porém
nunca no ambiente de trabalho. A Ginástica Laboral tem por objetivo a prevenção de
doenças do trabalho ou doenças ocupacionais. Sua realização é no local de
trabalho. Recomenda-se a prática de três vezes por semana a diariamente por
períodos que variam de 5 a 15 minutos, durante o dia de trabalho. São utilizadas
várias definições e atribuições diferenciadas à prática da Ginastica Laboral.

Ginastica Laboral pode ser definida como um


programa de recuperação e manutenção da qualidade de vida
e de promoção do lazer, planejada e aplicada no ambiente de
trabalho durante o expediente. Esta é popularmente
denominada como atividade física na empresa, GL
compensatória, ginástica do trabalho ou ginástica de pausa
(MENDES 2004).

A Ginástica Laboral pode ser definida como:

a) Atividades recreativas com exercícios físicos em empresas.

b) Atividades físicas programada no trabalho, de leve a moderada, com


exercícios pré-definidos e instalados nas pausas programadas da jornada de
trabalho. c) Exercícios orientados e supervisionados por profissionais de autogestão,
comandados pelos próprios funcionários, denominados multiplicadores.
6

d) Atividades que mesclam esses dois tipos de abordagem.

Existe ainda uma série de outras formas de interpretação e aplicação de


exercícios como forma de prevenção de saúde do trabalho. Essas atividades têm
sido chamadas de Ginástica Laboral, pois devido à carência de estudos,
fundamentação teórica e científica sobre o método da Ginastica Laboral dificulta a
definição concreta do seu papel.

Leite (1999) define a Ginástica Laboral como atividade física praticada no


local de trabalho de forma voluntária e coletiva pelos funcionários na hora do
expediente.

Guerra (1997) complementa afirmando que é um programa de prevenção e


compensação, cujo objetivo é a promoção da saúde dos trabalhadores através de
uma preparação bio-psico-social.

Elaborando uma aula de Ginastica Laboral

Só quem trabalha em pé, sabe o desconforto e o cansaço causado pelas


muitas horas nessa posição, sem falar nos problemas de saúde como o impacto nas
articulações, apenas para citar um exemplo. Não à toa, existe até uma norma para
aliviar a vida de quem trabalha assim, é a Norma Regulamentadora 17
– Ergonomia que prevê intervalos de 15 minutos para quem tem uma jornada de
6h, e 1h entre intervalo e refeição para quem tem 8h de trabalho. Uma medida que
ajuda, mas não resolve totalmente.
Conheça algumas das principais medidas para reduzir a fadiga de quem
trabalha em pé, aumentando a produtividade, e diminuindo os riscos à saúde, claro!
Analisando esse aspecto segue abaixo o cronograma de atividades laboral proposto
pela empresa.
O modelo de desenvolvimento da GL abordado têm quatro fases: a
estruturação, o planejamento, a execução e a avaliação:
Estruturação: tem o propósito de compor o grupo de trabalho junto às
empresas com a participação e o apoio dos setores de Recursos Humanos,
7

Segurança e Saúde Ocupacional. Com a equipe de trabalho estruturada, o próximo


passo é a obtenção dos dados de cada setor, como o índice de acidentes de
trabalho e horário de maior prevalência; a produção individual e setorial; e os
afastamentos do trabalho, incluindo os motivos mais frequentes e o tempo médio de
afastamento.
Planejamento: engloba a seleção das atividades físicas, a organização dos
horários de pausa ativa e a transmissão de informações sobre a relevância da
implantação da GL em todas as esferas de trabalho. A escolha dos tipos de
exercícios mais adequados varia de acordo com os objetivos da implantação do
programa de GL e da realidade de cada setor, mas deve incluir um estudo
ergonômico. As aulas não devem ser compostas somente de exercícios de
alongamento. A etapa de escolha do exercício é fundamental para evitar que as
atividades sejam sempre as mesmas, independentemente do setor e do trabalhador,
pois a repetição dos exercícios não quebra o ritmo de trabalho, que é um dos
objetivos da GL, além disso, isso é um dos fatores de desistência na participação da
aula. A escolha dos exercícios dará oportunidade à boa interação e à integração dos
participantes durante e fora das aulas de GL. A organização dos horários de pausa
depende de um levantamento das às características e condições do setor e do posto
de trabalho onde será implantada a GL; as características das principais funções
desempenhadas pelos trabalhadores; o ritmo de trabalho; a jornada e o turno de
trabalho mais adequados; as condições do ambiente físico e do ambiente de
trabalho.
Execução: corresponde ao início do programa de GL. Essa fase somente
deverá entrar em prática quando todos os funcionários da empresa, principalmente
os de cargos altos e gerentes, alcançarem um nível suficiente de conscientização,
por meio de acordo verbal e ação efetiva de praticar a GL todos os dias. Engloba a
execução da pausa ativa do grupo-alvo; reuniões informativas regulares, que
auxiliam na divulgação permanente das atividades e na aceitação ou consentimento
do programa por todos e a retroalimentação. Deve haver também uma avaliação
constante da experiência e dos resultados preliminares para que o programa sofra
ajustes contínuos durante sua execução. A implantação do grupo piloto ou do
projeto piloto será coordenada e ministrada pelo profissional de GL, responsável
pelo planejamento das séries de exercícios físicos. Além disso, o profissional deve
não só supervisionar a prática de GL, como também procurar despertar a motivação,
8

o interesse e a participação de todos os praticantes. Geralmente, essa etapa inicial


tem uma duração de três a seis meses.
Avaliação do programa: acontece no final do projeto piloto ou a cada três ou
seis meses do programa. Essa fase engloba a avaliação dos resultados alcançados,
a participação nas atividades propostas e a possibilidade de continuidade do projeto.
A partir de uma avaliação cuidadosa, deverão ser levantados: os resultados
alcançados, as mudanças ocorridas e os ajustes necessários para a continuidade do
programa. A avaliação dos resultados detecta como as pessoas sentiram a GL em si
mesmas e nos colegas durante a fase de execução. A continuidade da GL
apresentará sucesso quando houver repercussão positiva e o desenvolvimento das
atividades for aguardado com grande expectativa.
Custos e Retornos Financeiros com a GL: A empresa quer conhecer a sua
perspectiva de retorno toda vez que realiza um investimento. Contudo, a área de
qualidade de vida e promoção de saúde nas organizações ainda apresenta certa
dificuldade em mensurar os quantos às empresas alcançam de retorno ao realizar
um investimento na qualidade de vida de seus trabalhadores. Apesar disso, cada
vez mais as empresas se preocupam com a saúde de seus empregados, pois ao
melhorar a saúde dos trabalhadores também melhora a saúde financeira da
empresa e, além disso, elas terão benefícios. Como aumento da produtividade,
diminuição do índice de ausências ao trabalho, dos custos médicos e da rotatividade
na mão de obra e melhora da rotatividade institucional. Com todos esses benefícios
alcançados, as empresas teriam um bom retorno mesmo se os valores finais e
iniciais se igualassem. Um programa de promoção de saúde bem desenhado e
adequadamente administrado traduz-se em empregados mais saudáveis.
Consequentemente, a quantidade de licenças-saúde será menor e o resultado final
será um número maior de horas produtivas. Como aumento da produtividade,
diminuição do índice de ausências ao trabalho, dos custos médicos e da rotatividade
na mão de obra e melhora da rotatividade institucional. Com todos esses benefícios
alcançados, as empresas teriam um bom retorno mesmo se os valores finais e
iniciais se igualassem. Um programa de promoção de saúde bem desenhado e
adequadamente administrado traduz-se em empregados mais saudáveis.
Consequentemente, a quantidade de licenças-saúde será menor e o resultado final
será um número maior de horas produtivas.
9

Elaborando uma aula de Ginastica Laboral

A ginástica laboral consiste na realização de exercícios para a


promoção de aquecimento músculoesquelético (preparando o organismo para
o trabalho físico e melhorando o nível de concentração, elevando a
temperatura corporal e o aporte de sanguíneo para os tecidos), alongamentos
(prepara os músculos, tendões, ligamentos e cápsulas articulares, para
maiores amplitudes dos movimentos), resistência muscular localizada
(favorecendo a normalização do tônus muscular decorrente do esforço
repetitivo nas tarefas laborais e atividades diárias, fornecendo a manutenção
do equilíbrio muscular e a prevenção das doenças osteomusculares) e
relaxamento (a finalidade é compensar e relaxar todo e qualquer esforço
repetitivo nos músculos, articulações, tendões e ligamentos, transcorridos no
período de trabalho) (MORAES & DELBIN, 2005). A ginástica laboral consiste
na realização de exercícios para a promoção de aquecimento
músculoesquelético (preparando o organismo para o trabalho físico e
melhorando o nível de concentração, elevando a temperatura corporal e o
aporte de sanguíneo para os tecidos), alongamentos (prepara os músculos,
tendões, ligamentos e cápsulas articulares, para maiores amplitudes dos
movimentos), resistência muscular localizada (favorecendo a normalização do
tônus muscular decorrente do esforço repetitivo nas tarefas laborais e
atividades diárias, fornecendo a manutenção do equilíbrio muscular e a
prevenção das doenças osteomusculares) e relaxamento (a finalidade é
compensar e relaxar todo e qualquer esforço repetitivo nos músculos,
articulações, tendões e ligamentos, transcorridos no período de trabalho)
(MORAES & DELBIN, 2005).

Conjunto de atividades

Ao iniciar os exercícios sempre observar a postura correta, que é manter o


corpo bem alinhado, com ombros e cabeça bem ajustados, joelhos semi flexionados,
e quadril encaixado.

Os exercícios propostos para esses funcionários serão descritos abaixo:


10

Em pé, membros inferiores afastados, realizar os movimentos


de extensão da cabeça e hiperextensão da cervical, utilizando
como apoio as pontas dos dedos das mãos espalmadas no
queixo. Manter a posição por 30 segundos e repetir o
alongamento;

Em pé, braços ao longo do corpo e ombros relaxados,


realizar a rotação da cabeça para o lado direito até o
limite. Manter a posição por 30 segundos e voltar
devagar, repetir o alongamento para o outro lado;

Em pé, aproximar o queixo do tronco com o auxilio da mão


oposta flexionando a cabeça para baixo. Manter a posição por
30 segundos e voltar devagar, repetir o alongamento;

Em pé, aproximar o queixo do tronco com o auxilio da mão


oposta flexionando a cabeça para baixo. Manter a posição por
30 segundos e voltar devagar, repetir o
alongamento;

Em pé, realizar a inclinação lateral da cabeça para o lado com


auxilio do braço do mesmo lado, e o braço oposto realiza uma
extensão em pronaçao. Manter a posição por 30 segundos,
repetir o alongamento para o outro lado;
11

Em pé, realizar a elevação dos membros superiores, com as


mãos entrelaçadas, até um limite confortável. Manter a posição
por 30 segundos e voltar lentamente , repetir o alongamento;

Em pé, posicionar os membros superiores


atrás do tronco cruzando os dedos com a
palma da mão voltada para o corpo, realizar a hiperextensão dos
braços. Manter a posição por 30 segundos e voltar devagar a
posição inicial, repetir o alongamento;

Em pé, realizar a inclinação lateral do tronco, com uma


mão colocada na cintura e o membro superior oposto
elevado e o cotovelo estendido. Manter a posição por
30 segundos, repetir o alongamento para o outro lado;

Em pé, realizar a extensão dos membros superiores à frente


com os dedos entrelaçados. Manter a posição por 30
segundos e voltar devagar a posição inicial, repetir o
alongamento;

Em pé, com um dos membros superiores, realizar o movimento de


adução horizontal de ombro com o cotovelo em extensão apoiado
pelo membro superior contralateral. Manter a posição por 30
segundos, repetir o alongamento com o outro lado.
12

Alongamento de membros inferiores unilateral.

 
De pé, afaste as pernas paralelamente. Deixe o tronco ereto e o
abdômen contraído. Flexione o joelho direito direcionando o pé
para o glúteo. Permaneça de 10 a 15 segundos e depois repita do
outro lado.

De pé, afaste as pernas paralelamente. Deixe o


tronco ereto e o abdômen contraído. Eleve joelho
direito direcionando para o peito. Permaneça de 10
a 15 segundos e depois repita do outro lado.

Contraia o abdômen. Dê um passo a frente com o pé direito,


mantendo o joelho estendido. Com a ponta do pé elevada, semi
flexione o joelho de trás. Flexione o tronco, direcionando as
duas mãos para o pé direito. Permaneça de 10 a 15
segundos e repita do outro lado.

                                      
13

De pé, afaste as pernas paralelamente. Mantenha o tronco ereto e o abdômen


contraído. Entrelace os dedos. Com as palma das mãos voltadas para fora e acima
da cabeça, respire fundo. Solte o ar inclinando o tronco para o lado direito.
Permaneça de 5 a 10 segundos e repita do outro lado.

De pé, afaste as pernas paralelamente. Com o tronco semi flexionado, contraia o


abdômen. Com as mãos no quadril, flexione o joelho direito, deixando o outro joelho
estendido. Permaneça de 10 a 15 segundos e repita do outro lado

Elaborando uma dinâmica para uma empresa

O processo comunicacional é importante em toda e qualquer relação, e dentro


do ambiente corporativo não poderia ser diferente.
Existem inúmeras medidas fundamentais que podem ser aplicadas a fim de construir
uma boa comunicação entre funcionários e promover a interação e satisfação de
seus funcionários.

A clareza e a objetividade são exemplos de como você pode melhorar estes


processos, mas não para por aí, é necessário que se pense em ações que busquem
aprimorar a convivência entre os setores e diminuir possíveis problemas.
Deve-se entender que isso implica não só em estabelecer um bom ambiente de
trabalho, mas sim, que afeta diretamente nos resultados da sua empresa.

1- Campo Minado

O campo minado demonstra a importância de uma boa comunicação, de


saber ouvir aquilo que o outro diz e, principalmente, confiar nos colegas de equipe.
Serão necessárias mesas, cadeiras, caixas e outros objetos que sirvam como
obstáculos, além de vendas para os olhos dos participantes e um espaço bem amplo
e vazio.

Os itens devem ser espalhados pelo local, formando um


“campo minado” de obstáculos. O grupo, por sua vez, será divido
em duplas. Um membro da dupla é vendado e enviado para o
campo minado sem poder falar, somente ouvindo as instruções
14

do seu colega — que estará fora do campo, orientando seus movimentos para
que passe ileso por todos os obstáculos.

A cada vez que o participante esbarrar em um objeto, a dupla receberá uma


punição (voltar dez passos, por exemplo). Quem completar o caminho em menos
tempo vence a brincadeira.

2- O Corpo Fala!

A dinâmica “O corpo fala” demonstra a importância da linguagem corporal


durante uma interação. Isso quase não é mais lembrado nos dias de hoje, pois a
comunicação digital tem se tornado predominante.

O facilitador dará uma série de instruções ao grupo, que deverá reproduzi-las


o mais rápido possível. O detalhe é que, enquanto ele orienta o time a realizar
determinada ação (como tocar o nariz), ele próprio fará outra, como tocar a testa.

É impressionante como a maioria das pessoas copiará o que ele está


fazendo, e não o que está pedindo para ser realizado. Faça o teste!

3- Troca de Segredo

Essa dinâmica objetiva viabilizar a empatia entre os participantes da equipe.


O recomendado é que o grupo possua cerca de 20 pessoas. Os materiais
necessários são papel e lápis ou caneta para os membros. Cada um deve escrever
se possui alguma dificuldade de se relacionar com outro membro da equipe, mas
que não apresenta vontade de se exprimir verbalmente.

Porém, é preciso ter atenção ao escrever! Cada pessoa deve utilizar uma
letra diferente, para que não seja possível reconhecer. Depois, são redistribuídos os
papéis e é preciso que o participante leia o que está escrito, como se o problema
fosse dele, e sugerir uma solução.

Propor atividades para agregar valor ao trabalho em equipe é algo que deve
ser feito regularmente. Isso porque, como você pôde ver nos exemplos de dinâmicas
15

de grupo, tais iniciativas servem para diversos objetivos e trazem resultados


interessantes para a comunicação de uma empresa

Palestra sobre lazer

Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas


as idades, é o terceiro Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da
Organização das Nações Unidades (ONU). O que muita gente não sabe é que
saúde e bem-estar são dois conceitos bem diferentes e que merecem atenção.

A maioria das pessoas acredita que saúde significa apenas a ausência de


doenças, mas esse conceito é mais amplo do que parece. Isso porque, segundo a
Organização Mundial de Saúde (OMS), saúde significa ter o corpo, a mente e a vida
social saudáveis. Já bem-estar é um conceito ainda mais complexo, pois diz respeito
à satisfação de cada indivíduo e pode ser entendido como algo objetivo, quando
relacionado a aspectos sociais e econômicos, e subjetivo, se relacionando com a
experiência de vida. É por isso que o bem-estar subjetivo é dividido em afetos
positivos, afetos negativos e satisfação com a vida.

Assim, podemos dizer que ter bem-estar é a capacidade de uma pessoa


suprir as suas necessidades e se satisfazer com a vida, enquanto ter saúde significa
viver em um estado de mais completo bem-estar físico, mental e social.

E quanto à qualidade de vida? Para a OMS, ela é a “percepção do indivíduo


sobre sua posição na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais
ela vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.
Dessa forma, a qualidade de vida abrange questões físicas e psicológicas, assim
como aspectos de mobilidade, relações pessoais, segurança, recursos financeiros,
opções de lazer, entre outros.

Portanto, há muito que você pode fazer, desde jovem, para


garantir longevidade, saúde, disposição e satisfação de viver, inclusive quando
chegar à velhice. Abaixo, você confere as mais graves iniciativas, ações ou rotinas
que impactam sua qualidade de vida e que precisam ser suprimidas imediatamente.

1. Excesso de trabalho
16

A pressão do mundo corporativo moderno pelo aumento ilimitado de


produtividade, a demonização do erro, a corrida frenética por crescimento
profissional e as jornadas de trabalho extenuantes têm parcela relevante de
responsabilidade sobre o desenvolvimento de enfermidades.Com o aumento voraz
das doenças laborais (inclusive com elevação de casos de depressão e suicídio), a
ciência e o mundo dos negócios começaram a debruçar-se sobre o tema, resultando
no surgimento de termos até então desconhecidos, como burnout.

A Síndrome de Burnout é uma doença catalogada recentemente. Ela é


marcada pelo completo esgotamento físico e mental, com causas ligadas à vida
profissional. Estima-se que nos Estados Unidos, por exemplo, o burnout seja
responsável por prejuízos anuais de US$ 150 bilhões às organizações.

2. Estresse

Carga excessiva de trabalho, má alimentação, sedentarismo, falta de sono,


horas diárias em congestionamentos, escassos momentos de lazer: essa atmosfera
permeia a rotina de muitos habitantes das principais capitais brasileiras. Isso explica
por que o país ocupa a 2ª posição em um ranking de estresse elaborado pela
International Stress Management Association.

O estresse crônico é dos principais fatores de degradação da qualidade de


vida de um indivíduo. Provoca aumento na produção de hormônios, como adrenalina
e cortisol, acarretando desde o aumento da tensão muscular à desregulação da flora
intestinal. Facilita o desenvolvimento de ansiedade, depressão e síndrome do
pânico. Isso sem falar em doenças neurológicas como Alzheimer.Vale lembrar que
acostumar-se a conviver com altos índices de estresse no trabalho aumenta
em 23% o risco de morte por doenças cardíacas.

3. Negligência com a saúde

Mais de 50% dos brasileiros estão acima do peso. Quase 40% dos homens


não fazem exame de próstata. Entre as mulheres, 35% descobrem o câncer de
mama em estágio avançado. A prevenção reduz o risco de AVC, doenças
cardiológicas e oncológicas. Mas, mesmo assim, ainda são poucos os que têm
acesso à rede de saúde privada.
17

E, mais do que isso, poucos os que têm hábito de fazer ao menos um check-
up anual. Por incrível que pareça, 6 em cada 10 brasileiros só vão ao médico
quando estão doentes. E é evidente que isso impacta negativamente a qualidade de
vida nacional.

4. Má alimentação e sedentarismo

O desenvolvimento das funções básicas do organismo depende da ingestão


de nutrientes, em quantidade e qualidade adequadas. Não pensar no valor
energético dos alimentos e em como combiná-los para suprir a carência nutritiva do
corpo é colocar-se em risco de desenvolvimento das mais diversas doenças.

O problema é que, na correria da rotina, a maioria das pessoas ignora a


necessidade de planejar uma alimentação balanceada. Quando essa deficiência se
alia ao sedentarismo, abrem-se as portas para uma série de disfunções que
certamente vão impactar sua qualidade de vida.

5. Falta de sono

Não dormir direito não traz apenas mau humor ao dia seguinte. Como um dos
principais processos fisiológicos da vida, a ausência de sono causa repercussões
metabólicas e cognitivas importantes. Por exemplo:

• produção em excesso de hormônios que afetam o emagrecimento;

• desequilíbrio na atividade das sinapses nervosas (prejudicando a memória


de curto prazo);

• redução do número de leucócitos (derrubando a imunidade);

• diminuição de hormônios considerados “rejuvenescedores” (como a


melatonina).

Isso sem falar na maior resistência insulínica (dificultando o controle do


diabetes) e na desregulação da pressão arterial. Com todo esse pacote de danos ao
organismo, não é de se espantar que estudos revelem que dormir menos de 5 horas
18

por dia aumenta o risco de morte em 65%. A falta de sono tem poder corrosivo
indiscutível na qualidade de vida de uma pessoa.

6. Descompromisso financeiro com o futuro

Não é nenhum absurdo dizer que, de forma geral, o brasileiro não se


preocupa com o amanhã. Na verdade, inúmeras estatísticas apenas confirmam a
cultura de imediatismo que, infelizmente, ainda impera no país.

Um levantamento recente feito pelo Banco Mundial, por exemplo, mostrou


que apenas 4% da população se preocupa com o futuro; outro estudo revelou que
cerca de 34% sabem pouco ou nada sobre seus gastos mensais. Isso sem falar no
ínfimo índice de investidores, quando comparamos com outras nações.

Não se trata apenas de salário baixo ou de compromissos financeiros


diversos. Poupar para o futuro é um compromisso com sua própria vida, com o que
você e sua família serão amanhã. Isso porque o futuro provavelmente chegará, e
quem não plantou nada ao longo da juventude com certeza arcará com essa
indiferença. Lembre-se: não é preciso ser rico para poupar. Um seguro de vida pode
sair por menos de R$ 50 por mês.

Não se preocupar com o futuro impacta terrivelmente a qualidade de vida do


brasileiro. Ignorando os baixos valores da aposentadoria pública, muitos cidadãos
chegam à terceira idade tendo que enfrentar a difícil tarefa de sobreviver com
apenas 1 salário mínimo (caso de 66% dos aposentados no Brasil).

O ideal é separar parte do orçamento para investir. Você pode dividir esse
capital entre uma proteção financeira, como seguro de vida ou previdência privada,
além de aplicações em renda fixa e variável.
19

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após a realização do estudo bibliográfico e da pesquisa do programa de


Ginástica Laboral, podemos concluir que, de fato, esta atinge os objetivos que se
propõe uma vez que promoveu a melhoria da saúde física e mental dos
colaboradores.

A Ginástica Laboral é eficiente na melhoria da qualidade de vida dos


trabalhadores, podendo esta afirmação ser observada através de seus relatos, tanto
na prevenção das doenças ocupacionais como na diminuição da incidência no
ambiente de trabalho.

“O alongamento deve fazer parte da vida diária porque relaxam a


mente e regulam o corpo.” (ANDERSON, 2013, pg 13)

Além dos benefícios para o trabalhador, a implementação do programa de


Ginástica Laboral traz benefícios para a empresa também. O trabalhador quando
tem mais disposição física e mental ele, consequentemente, tem também maior
produtividade no trabalho, pois estará motivado a trabalhar. Ao prevenir doenças o
trabalhador irá apresentar menos atestados médicos que por sua vez acarretará ao
menor número de faltas, assim serão menos dias de trabalho perdidos.
20

De uma maneira geral, os autores concluem que os programas de


intervenção nos locais de trabalho ainda não demonstraram um efeito positivo sobre
o incentivo de prática de atividades físicas e sobre as condições físicas dos
trabalhadores.

Por fim, ressaltamos que a área de Educação Física além de muito agradável
é compensatória. A partir do momento em que os desafios do dia a dia constituem
um trampolim para que o profissional possa aperfeiçoar continuamente sua atuação.

Certamente o trabalho implementado na agência participante do programa de


pesquisa proporcionou momentos agradáveis para os trabalhadores, pois estimulou
a busca por uma melhor qualidade de vida pessoal e profissional. Os benefícios da
Ginástica Laboral despertaram um olhar minucioso para que buscassem cuidar
melhor de sua saúde para benefício próprio e melhor qualidade de vida no ambiente
de trabalho.
21

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, Sérgio: Ginástica Laboral. Saúde em Movimento. janeiro, 2003.

DIAS, M. de F. M. Ginástica laboral. Revista Proteção. 29:124-125, 1994.

FERNANDES, Eda. Qualidade de Vida no Trabalho: como medir para melhorar.


Salvador: Casa da Qualidade Editora Ltda., 1996.

WINTER, Márcia. Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências –


Mestrado UNIJUÍ (2008) – Educação em saúde: Programa de Ginástica Laboral
como atividade educativa.

MENDES, Ricardo Alves; LEITE, Neiva. Ginástica Laboral: Princípios e


Aplicações Práticas. Editora Manole. São Paulo, 2004

ALVES, S.; VALE, A. Ginástica laboral, caminho para uma vida mais saudável
no trabalho. Revista CIPA, [S.l.], n. 232, p.30-44, 1999.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. 2 ed. São Paulo: Boitempo. 2001. 261 p.

DE OLIVEIRA, João Ricardo Gabriel. A importância da ginástica laboral na


prevenção de doenças ocupacionais. Revista de Educação Física, v. 139, p. 40-
49, 2007.

COUTO, P. R. ; PASCHOAL, T . Relação entre ações de qualidade de vida no


trabalho e bem-estar laboral. Psicologia Argumento, v. 30, p. 585, 2012.

GRANDE, A. J. ; et al . Comportamentos relacionados à saúde entre participantes e


não participantes da ginástica laboral.. Revista Brasileira de Cineantropometria &
Desempenho Humano, v. 13, p. 131-137, 2011.

MARTINS, C. O.; FERREIRA, D. K. S.; BRITO, A. F.. Participantes do programa


de ginástica laboral da UFPB: percepções sobre flexibilidade de tronco e itens
relacionados a um estilo de vida fisicamente ativo e saudável. 2011. Trabalho
de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal da
Paraíba
22

ANEXOS

ANEXO A –
Programa de Ginástica Laboral

Questionário I

1) Iniciais do seu nome: _________________________

2) Sexo: F( ) M( )

3) Idade: Até 30( ) 31 a 35 ( ) 36 a 40 ( ) Mais 40 ( )

4) Você pratica alguma atividade física regularmente? S( ) N( )

5) Em relação as dores musculares, quais o locais em que sente desconforto


durante e/ou após o trabalho e com que frequência?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

6) Assinale as alternativas que você acredita que a Ginástica Laboral se objetiva:

( ) Diminuição do estresse de trabalho


( ) Alongamento e fortalecimento muscular
( ) Relaxamento muscular
( ) Relaxamento mental
( )Prevenção das doenças relacionadas ao trabalho
( )Outros

7) Você considera a ginástica laboral efetiva? ( ) S ( ) N


Porque?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

Obrigada!
23
24

ANEXO II –

Programa de Ginástica Laboral

Questionário II

1) Após a realização da Ginástica Laboral o que você sente?

( ) Cansaço Corporal
( ) Diminuição do estresse do trabalho
( ) Diminuição da sensação de sono
( ) Diminuição da sensação de cansaço
( ) Aumento do estresse do trabalho
( ) Mais disposição física
( ) Mais ânimo
( ) Relaxamento mental
( ) Relaxamento corporal
Outros:
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

2) Através de Ginástica Laboral você sente ou sentiu a necessidade ou vontade


de praticar alguma atividade física? ( )S ( )N

Se sim, qual a sensação que levou a sentir esta necessidade?


___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

3) Na sua opinião as sessões de ginástica laboral realizadas duas vezes na


semana são suficientes e eficazes? ( )S ( ) N

Justifique:
_________________________________________________________________
________________________________________________________________

4) Você considera que a Ginástica Laboral auxiliou no alívio das dores


musculares ou desconfortos que sente durante o expediente de trabalho? ( ) S
( )N

4) Espaço para descrição de alguma observação ou comentário que considere


relevante.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
25

Obrigada!