Você está na página 1de 10

)

Loz 'ffiru*ry
#w ffi%#ffi&ãmrymffiw rot*fumH, ffi

11.O ANO DE ESCOLARIDADE

Nas respostas aos itens de escolha múltipla, selecione a opção correta.

@ET§
lnativação do cromossoma X e os gatos tricolores
As fêmeas de mamíferos, incluindo seres humanos, herdam dois cromossomas X. Produ-
zirão estas fêmeas o dobro das proteÍnas codiflcadas peios genes ligados ao cromossoma :

X, comparativamente a um macho?

Nas fêmeas, um cromossoma X torna-se inativo durante o desenvolvimento embrionário.


Por isso, as células das fêmeas e dos machos têm a mesma quantidade da maioria dos
genes ligados a este cromossoma. o cromossoma X inativo em cada célula das fêmeas
condensa na forma de um corpúsculo (designado por corpúsculo de Barr) e a maioria dos
seus genes não é expressa.
Durante a gametogénese, os cromossomas dos corpúsculos de Barr são reativados nas cé-
lulas que originam os oócitos (gâmetas femininos).
A geneticista britânica Mary Lyon demonstrou que a seleção do cromossoma X que for-
mará um corpúsculo de Barr ocorre de forma aleatória e independente em cada célula
embrionária presente no momento da inativação do X.

Cromossomas X
A[e[o para
a petagem
Embrião cor de laranja
jovem: A[e[o para a
peLagem Pretô

Divisão celu[ar e
inativação do
cromossoma X
Duas populações
de células no
gato adu[to:
X inativo
X ôtivo

Pelagem preta Petagem


cor de laranja

Pelagem tricotor das gatas.

Como consequência, as fêmeas apresentam um mosaico de dois tipos de células: umas


com o X paterno ativo e outras com o X materno ativo. Assim, se uma fêmea possui dois
alelos diferentes para a cor do pelo no cromossoma X, cerca de metade das suas céluias
expressarão esse alelo, enquanto as outras expressarão o alelo alternativo. Na
pode observar-se uma fêmea tricolor resultante da formação destes mosaicos. Refi'ra-se
que gatos malhados ou cálicos apresentam também áreas brancas determinadas ainda
por ouÚo gene'
Baseado em K. Mason et ar.,Biorogy,McGraw-Hill, 20L7
I

103

As cétulas totipotentes são capazes e podem ser encontradas .

(A) de gerar a maioria dos tecidos do animal ... no zigoto


(B) de gerar a maioria dos tecidos do animal ... no zigoto e no recém-nascido
(C) de originar todos os tipos de cétulas e tecidos do anima[ adutto ... no zigoto
(D) de oríginar todos os tipos de celutas e tecidos do anima[ adulto ... no zigoto e no recém-nascido

O gato doméstico apresenta 38 cromossomas nas suas cétulas somáticas. No núcteo de um oócito
normal de uma gata serão esperados
(A) 19 cromossomas simptes e 19 motécutas de DNA.
(B) 19 cromossomas dupticados e 38 motécutas de DNA.
(C) 38 cromossomas simples e 38 molécutas de DNA.
(D) 19 cromossomas duplicados e 19 mo[éculas de DNA.

Ordene as expressões identificadas petas [etras de A a E, de modo a reconstituir a sequência


crono[ógica de acontecimentos que permitem o desenvotvimento do mosaicismo na pelagem dos
gatos, iniciando a sequência peta formação de gâmetas. Note que uma das afirmações está errada,
peto que deve excluí-ta da sua resposta.

A. Citocinese centrífuga por meio de fusão de vesículas do complexo de Gotgi.


B. Ocorrência de fecundação entre gâmetas com atelos diferentes para a cor do pelo.
C. Ativação dos corpúsculos de Barr.
D. lnativação de um dos cromossomas X e expressão genética.

E. Citocinese centrípeta por estrangulação do citoplasma.


F. Formação de gâmetas com o cromossoma X ativo.
i No cicto de vida dos gatos, a meiose é , tratando-se de um cicto de vida .

(A) pós-zigótica ... haptonte


(B) pre-espórica ... haplodiptonte
(C) pré-qamética ... diptonte
(D) pré-gamética ... haplonte

Nas cétutas somáticas das gatas, os cromossomas X estão e nos gâmetas formados estão

(A) inativos ... inativos


(B) um ativo e outro inativo... ativos
(C) inativos... nuns casos ativos, noutros inativos
(D) ativos... ativos

A expressão genética que resutta na produção de pelo de diversas cores decorre da

t o G) tradução da informação contida nos intrões.


tralcleal dainformação contida nos intrões.
I E
9 1:l
(C) tradução da informação contida nos exões.
* tOl transcrição da informação contida nos exões.
LO4 Srots'tre iffi

A cor da pe[agem depende da presença de feomelanina (pigmentos amaretos a vermelhos) e de


eumelanina (pigmentos castanhos a pretos). A produção desses pigmentos requer a presença de
aminoácidos de tirosina e fenilatanina. A síntese de proteínas que conferem a cor ao pelo
(A) depende da repticação semiconservativa do DNA.
(B) imptica a presenÇa de ribossomas e de IRNA.
(C) imptica a transcrição seguida imediatamente da tradução do mRNA.
(D) só ocorre após a síntese de aminoácidos.

Faça corresponder a cada uma das afirmações da cotuna A, retativas à síntese de proteínas do pelo,
o respetivo termo ou expressão da coluna B que a identifica. Utitize cada [etra e cada número
apenas uma vez.

(a) Sequência de três nucteótidos comptementar dos transcritos de (1) mRNA


DNA. (2) DNA
(b) Cadeia potinucLeotídica simptes resultante do processo de (3) Codão
transcrição que contem informação para a síntese proteica.
(4) Anticodão
(c) Pol.imerização dos aminoácidos ao nível dos ribossomas associad..-
(5) Tradução
ao retícuto endoptasmático.
(6) TranscriÇão
(d) potímero de ribonucl.eótidos com um tocal específico de tigação de i
aminoácido. (7) IRNA
um
(e) Vários codões podem codificar o mesmo aminoácido. i (8) Degenerescência
I ll1l
lt- tcl
arllouidade
il ttol esPecificidade
I 11
(10) Especificidade
-_)
Uma das motéculas que contém a informação para a síntese das proteínas do peto dos gatos
apresentava a sequência nucteotídica 3' UCA GGA UCC 5'. A motécula a partir da qual ocorreu a sua
síntese apresentava a sequência de nucleótidos
(A) 3'A6TCCTAGG5' (C) 5'AGTCCTAGG3'
(B) 3'AGU CCU AGG 5' (D) 5'AGU CCU AGG 3'

Por vezes ocorrem erros na meiose durante a formação de gâmetas. A probabitidade de surgirem
gatos machos com pelagem tricolor é muito rara (L/3OOO).
Explique, do ponto de vista cromossómico, o que deverá ocorrer para o surgimento de um gato
macho cático, caso surjam erros na primeira ou na segunda divisões da meiose.

PlosmodÍum: organismo causador da malária

A malária é uma doença grave, comum e difícil de controlar, sobretudo em países tropicais
e subtropicais. Existem quatro espécies de Plasmodium capazes de infetar o ser humano.
Embora cada espécie produza um quadro clÍnico específlco, todas apresentam ciclos de
vida similares nos seus hospedeiros.
Teste 2 105

O parasita é injetado no ser humano através de uma picada por mosquitos do género Ano-
pheles. O mosquito injeta uma secreção salivar anticoagulante, veículo para os esporozoí-
tos atingirem a corrente sanguínea. Pela circulação, atingem o fígado, instalando-se nas
células hepáticas. Nelas, o núcleo dos esporozoítos divide-se várias vezes, originando de-
zenas de miihares de merozoítos, Iibertados para o meio extracelular quando ocorre a ru-
tura do hepatócito. Os merozoítos libertados entram nas hemácias, onde experimentam
uma série de ciclos reprodutivos. Quando penetram nas hemácias, tornam-se trofozoítos,
alimentando-se da hemogiobina. Os trofozoítos multipiicam-se dentro da hemácia, pro-
duzindo 6 a 36 merozoítos, que, dependendo da espécie, rompem a hemácia para depois
infetar novas células vermelhas.
Quando os glóbulos vermelhos rompem, libertam-se produtos do metabolismo do para-
sita para a circulação do paciente, o que resulta em calafrios e febre, característicos da
malária.
Após alguns ciclos nas hemácias, a infeção de novas células por alguns dos merozoítos resulta
na produção de micro e macrogametócitos, em vez de uma nova geração de merozoítos.
Ao picar um indivíduo doente, o inseto ingere sangue contendo gametócitos, que, no estô-
mago do mosquito, originam gâmetas masculinos e femininos, ocorrendo a fecundação
com a formação de vários zigotos.
Na parede do estômago, e por divisões múItiplas, produzem-se centenas de esporozoitos
que migram para as glândulas salivares, de onde poderão ser transmitidos a indivÍduos
saudáveis.

Zigoto
Microgametócito
Picada por uma
fêmea de mosquito,
que ingere gametócitos.

I
=
: Cicto de vida do Plosmodium vivox, um dos protozoários causadores da malária nos seres humanos.

Baseado em lntegrated Principles oJ Zoology, McGraw-Hill, 2007;


Amabis & Martho, Biologia d,os Organísmos, Editora Moderna,2002
106

No ciclo de vida do protozoário causador da malária, X representa o cic[o eY representa


o ciclo a
:

i
(A) sexuado ... sexuado (C) sexuado... assexuado i
(B) assexuado... assexuado (D) assexuado ... sexuado I

No ciclo X, a meiose é , tratando-se de um ciclo de vida


(A) pós-zigótica ... haplonte (C) pré-gametica ... diptonte
(B) pre-espórica ... haplodiplonte (D) pré-gamética ... haplonte

Re[ativamente ao cic[o de vida do parasita representado,


(A) a fase diptoide ocorre no ser humano.
(B) os merozoítos que ocorem no fígado resultantes dos esporozoítos são geneticamente diferentes.
(C) meiose e fecundação são responsáveis pela alternância de gerações.
(D) o processo de divisão dos merozoítos envolve fenómenos de recombinação génica.

Faça corresponder a cada uma das afirmações da co[una A, retativas ao cicto de vida do
Plosmodium, o respetivo termo ou expressão da coluna B que a identifica. Utitize cada letra e cada
número apenas uma vez.

(a) Processo de reprodução assexuada do Plosmodium no interior (1) Mosquito Anopheles


do fígado. (2) Mitose
(b) Ocorrem fenómenos de recombinação génica, responsáveis pela (3) Esporutação
variabitidade genética do parasita.
(4) Meiose
(c) Hospedeiro onde o parasita existe apenas no estado haptolde.
(5) Diptonte
(d) Cicto de vida do Plosmodium.
(6) Esquizogonia
(e) Processo de reprodução assexuada do parasita no ser humano.
(7) Haptonte
(8) Haptodiptonte
(9) Muttipticação vegetativa
(10) Ser humano

Os mosquitos do género Anopheles, tais como outros insetos, apresentam um eficiente mecanismo
de transporte de oxigénio, porque e o fluido circulante transporta
(A) as superfícies respiratórias são finas, húmidas e intensamente vascu[arizadas ... gases e nutrientes
(B) as superfícies respiratórias são finas, húmidas e intensamente vascularizadas ... apenas nutrientes
(C) as cétulas contactam diretamente com as superfícies respiratórias ... apenas nutrientes
(D) a sua difusão através da hemolinfa assegura o metabotismo cetu[ar... apenas nutrientes

A hemotinfa do mosquito, no seu trajeto pelo corpo, circula


(A) parciatmente dentro de vasos e os esporozoítos que aí circulam são formas haploides.
(B) permanentemente dentro de vasos e os esporozoítos que aícirculam são formas haptoides.
(C) parciatmente dentro de vasos e os esporozoítos que aí circulam são formas diptoides.
(D) permanentemente dentro de vasos e os esporozoítos que aícircutam são formas diptoides.
L07

As células da parede do estômago infetadas pelos oocistos são


(A) indiferenciadas, sendo expresso todo o seu genoma.
(B) indiferenciadas, sendo expressa apenas uma parte do seu genoma.
(C) diferenciadas, sendo expresso todo o seu genoma.
(D) diferenciadas, sendo expressa apenôs uma parte do seu genoma.

Os mosquitos do género Anopheles pertencem ao reino e o parasíta do género Plosmodium


pertence ao reino
(A) Protista ... Animatia
(B) Animatia ... Protista
(C) Animatia ... Animalia
(D) Monera ... Animatia

Referindo-se ao tipo de reprodução que ocorre na formação de esporozoítos, merozoítos e


gametócitos, as diferenças morfológicas são causadas por genomas diferentes ou por diferenças
na expressão génica?

Incêndios trazem outros riscos


Após extensas áreas ardidas recentemente em Portugal, o melhor agora é estar quieto.
Cortem-se as árvores que estão em perigo de cair, usem-se troncos parafazer de minibar-
reiras nas encostas para conter as enxurradas e espere-se pela primavera. Nessa altura, a
vida rebentará.
O eucalipto irá recuperar e os pinheiros, se estiverem em idade adulta, terão armazenado
sementes que depois germinarão. As nativas estão também habituadas ao fogo - que sem-
pre fez parte dos ecossistemas mediterrânicos. Mas há um perigo imenso à espreita: as
espécies exóticas, isto é, as acácias (mimosas) e as háqueas. Adoram fogo, competem com
as espécies nativas, ganham sempre e são difíceis de erradicar.

lncêndio em Pedrógão Grande.

"Com alguns troncos vão-se fazendo sucessivas barreiras pelas encostas abaixo para evitar
0
a perda de solo e criar mini-habitats.", alerta Francisco Moreira, o investigador do Instituto
Superior de Agronomia e do CIBIO do Porto.
1OB ãmsf,c ffi

Joaquim Sande Silva, da Escola Superior Agrária de Coimbra, também sublinha a impor-
tância de a primeira prioridade ser o controlo da erosão, evitando os escoamentos superfr-
ciais que contaminam as águas e geram enxurradas.
Em termos geológicos, a área de Pedrógão Grande incorpora, principalmente, o complexo
xisto-grauváquico, mas surgem também alguns afloramentos graníticos que quebram a
hegemonia do xisto. O Município de Pedrógão Grande pertence exclusivamente à bacia
hidrográfrca do Zêzere, que na superfície capta cursos de água de menor dimensão.
Baseado em Público,24 de outubro de2017

A colocação de troncos para fazer de minibarreiras nas encostas, para conter as enxurradas, pode
evitar os movimentos em massa que
(A) ocorrem quando a força de gravidade supera as forças de resístência dos materiais que se
encontram nas vertentes.
(B) têm como agente único as águas da chuvas.
(C) surgem apenas em estratos de origem sedimentar, facilmente desagregados.
(D) resultam da ação da água nas diáclases.

Os incêndios provocam a desftorestação, aumentando os movimentos em massa,


(A) porque, devido às enxurradas do inverno, os materiais de um solo húmido passam a ter um ângulo
de repouso inferior aos solos secos.
(B) porque, devído às enxurradas, a porosidade dos sotos aumenta e este flui, deslizando mais
facitmente.
(C) que têm como único agente o efeito da gravidade.
(D) porque a desagregação e erosão do solo é maior, tornando as vertentes mais suscetíveis aos
deslizamentos.

Após os incêndios há a necessidade de evitar os escoamentos superficiais que contaminam as


águas dos aquíferos, que, se estiverem [imitados por duas camadas impermeáveis, denominam-se
(A) aquíferos livres.
(B) aquíferos confi nados.
(C) aquictusos.
(D) aquíferos impermeáveis.

Considerando que o solo da zona ardida é de origem granítica, podemos referir que a rocha-mãe
que o originou é
(A) magmática plutónica, sendo a equivalente vu[cânica o riótito.
(B) magmática vutcânica, sendo a equivalente ptutónica o gabro.
(C) metamórfica regiona[, resultante de alterações do xisto.
(D) sedimentar, resu[tante da diagénese do xisto-grauvaque.

O granito é considerado uma rocha


(A) máfica de alta densidade.
(B) fétsica de alta densidade.
(C) fétsica de baixa densidade.
(D) máfica de alta densidade.
t:,:-: 109
,-'

Pedrógão Grande pertence, exc[usivamente, à bacia hidrográfica doZêzere, que corresponde


(A) à matha definida pe[o Zêzere e pelos rios tributários.
(B) ao percurso doZêzere, da nascente ate à foz.
(C) a uma área drenada que pode individualizar-se em sub-bacias correspondentes a rios afluentes.
(D) a canais de grande largura que drenam água até à tinha de água.

Os batastros correspondem a sedimentos transportados pelo rio e


(A) são sedimentos com dimensões superiores a 2 mm que formam cascalheiras.
(B) são partículas que sofrem saltação da nascente até à foz.
(C) são pouco rolados devido, essencialmente, ao transporte por arrastamento.
(D) resultam de processos de saltação após transporte por suspensão.

As afirmações seguintes dizem respeito à ocupação antrópica e problemas nos ecossistemas.


Selecione a opção que as avalia corretamente.
l. Os impactes antrópicos revetam-se ao nível dos incêndios, que causam a desflorestação e
aumentam o efeito de estufê.
!1. As alteraçóes ctimáticas são o resultado, também, da ocupação antrópica.
lll. As acácias e as háqueas são espécies exóticas invasoras que pro[iferam sem controlo e são uma
ameaça para as espécies nativas.

G) I é verdadeira; ll e lll são falsas.


(B) ll é fatsa; I e lll são verdadeiras.
(C) ll e lll são verdadeiras; I é fatsa.
(D) l, ll e lll são verdadeiras.

Faça corresponder as letras da coluna A a um número da coluna B. Use os números apenas uma vez.

(a) Rocha metamórfica resultante de recristatização docaLcário. (1) gabro


(b) Rocha sedimentar formada peta címentação de grãos de areia. (2) xisto
(c) Equivalente ptutónico do basatto. (3) mármore
(d) Rocha ptutónica de composição semethante ao andesito. (4) arenito
(5) sienito

- lndique quatro consequências nos ecossistemas resu[tantes dos incêndios, sintetizando cada
uma detas.
lLO Teste 3

Os aquíferos são formações rochosas que


permitem a circulação de água em quanti-
dade. Os aquíferos podem ser classificados
de acordo com a permeabilidade das cama-
das rochosas que os limitam. Este fator tam-
bém condiciona a resiliência dos aquíferos
para a contaminação e a respetiva recupera-
ção. Observe a flgnra 4 e retire as informa-
ções necessárias para responder às ques-
tões, sabendo que em B existe um aquífero
iltça-:ru €. Aquíferos.
conflnado.

As camadas rochosas A e C são impermeáveis se


(A) A for granito não fissurado e C for arcnito.
(B) B for uma zona saturada de água e D um aquÍfero livre.
(C) B for um aquÍfero livre.
(D) forem ambas formações cársticas com díáclases.

Se a formação C for argilosa, então em D encontramos

(A) um aquifero suspenso.


(B) uma zona sôturada de água.
(C) uma zona de aeração.
(D) a franja capilar.

Se realizarmos a abertura de um poço em F, este será


(A) um poço seco, em que a pressão hidrostática é superior à atmosférica.
(B) um furo artesiano, cuja saída de água é contro[ada pela diferença entre o nível hidrostático e o nível
topográfico.
(C) um poÇo seco. em que a pressão hidrostática é inferior à atmosférica.
(D) um furo artesiano, em que a pressão hidrostática é iguat à pressão atmosférica.

Em H encontramos
(A) o nível hidrostático.
(B) a franja capitar.
(C) o timite inferior da zona de saturação.
(D) o timite superior da zona de aeração.

São zonas de recarga, a(s) zona(s)


(A) EeG.
(B) DeG.
(c) c.
(D) E.
Teste 2 1L1

Quat dos aquíferos, B ou D, se for contaminado, terá maior dificutdade em recuperar?


(A) O D, por estar mais perto da superfície e ser atvo de maior potuição.
(B) O B, mais profundo com contaminação mais lenta e, consequentemente, também maior dificutdade
em recuperar.
(C) O B, por ter uma zona de recarga maior.
(D) O D, por ter uma zona de recarga com área maior.

O aquÍfero D é um aquífero

(A) tivre.
(B) confinado.
(C) com o nívetfreático constônte.
(D) depositado em terreno argiloso.

Faça corresponder a cada uma das expressões da coluna A, referentes a aquíferos, a respetiva
designação da coluna B. Utitize cada [etra e cada número apenas uma vez.

(a) Granito não poroso.


(b) Zona subterrânea saturada de água.
--il (1) Nascente
(2) Camada aquífera
(c) Poço com saída de água sem bombeamento. (3) Substrato impermeável
(d) Parâmetro de potuição física de um aquífero. (4) Furo artesiano repuxante
(e) Zona de contacto do nível freático com o exterior. (5) Variações de temperatura
(0 Arenito

Se na zona 6 da se realizasse o cultivo de carácter intensivo de produtos vegetais, seria


provável que o aquÍfero B fosse contaminado.
§
I
Refira-se à origem da potuição referida e indique duas substâncias que geram essa potuição com
I frequência. lndique, ainda, três substâncias tóxicas que são, geralmente, lançadas na água com
esses produtos.