Você está na página 1de 27

Olá, seja bem-vind@ ao Guia dos Primeiros Shibari/Bondage

Eu me chamo Maycon Raposo, sou Shibari educador,


estudante e praticante da arte há 3 anos.
Neste guia, quero lhe ensinar a dar os primeiros passos para
entrar nesse mundo incrível que é o do Shibari, onde você
poderá explorar essa arte para finalidades recreativas,
puramente artísticas ou sensuais, para usar com você ou seu
parceiro/parceira.
Eu vou ensinar os dois principais nós utilizados para a prática
do Shibari e dar algumas ideias também das formas como
eles podem ser aplicados.
Espero que você goste do conteúdo que produzimos aqui e
que isso possa te ajudar a entender mais sobre o Shibari e
como aplica-lo na prática BDSM.
Vamos lá?
O Shibari é a arte de se expressar e brincar através das
cordas.

Sua história teve início na era do Shogunato Tokugawa, no


Japão, e séculos depois teve sua utilização revertida para a
arte e atividades sexuais, começando durante a
modernização dos tempos no Japão e pegando carona na
virada de século aqui no ocidente, com o nascimento da
cultura BDSM e suas vertentes.
Um dos mais conhecidos contos sobre o surgimento do
Shibari é um que diz que na época do Período Edo, no Japão,
tinha-se poucos recursos de minerais para fabricação de
algemas e, por isso, criaram se vários dojos para ensinar a
arte marcial que se chama hojo-jutsu, que basicamente
consiste na utilização de amarras para imobilizar ou até
mesmo torturar o oponente.

Diz-se que nós utilizados no Shibari eram aplicados de


acordo com o status social do prisioneiro, os crimes que ele
teria cometido e a jurisdição ao qual o guerreiro em posse do
prisioneiro pertencia.
Após o fim da Segunda Guerra Mundial, diversas revistas
começaram a postar fotos sensuais em que modelos eram
amarradas com nós do Shibari, o que chamou a atenção de
adeptos do Bondage e os levou à pratica dessa nova arte.
Então, sem mais delongas; para este guia vamos de uma
corda preferencialmente de 6 mm de espessura e 6 metros
(o material tanto faz: pode ser algodão, juta ou nylon).
Memorize os termos abaixo para facilitar a compreensão das
instruções nas próximas páginas.

Cabeça da corda = extremidade da corda em que as pontas


não estão separadas
Cauda da corda = extremidade onde as pontas estão
separadas
Fundo da corda = local onde a corda ea pele se tocam
Limpar corda = manter a corda do mesmo segmento
alinhada sem se embolar, torcer ou entrelaçar.
Mão dominante = mão em que você tem mais habilidade,
geralmente a que utiliza para escrever.
Bottom = pessoa que está sendo aplicada a amarra
Nó quadrado = nó feito enrolando a cabeça da corda
envolvendo por círculo a cauda, basicamente o inicio de um
amarra de cadarço.
Aqui, uma instrução
básica: sempre, ao
amarrar, utilizamos a
corda dobrada ao meio
para formar a cabeça da
corda e a cauda da corda,
como na imagem ao
lado.
Desse modo as amarras
ficam vistosas, bem
alinhadas e firmes.
Sempre passe um pano
úmido antes de utilizar e
após utilização da corda
para amarras, para
remover poeira e
também para manter a
corda limpa e livre de
resíduos de suor após a
utilização.
Tome cuidado também com as partes do corpo onde você
vai fazer as amarras.
Não faça as amarras rentes aos pulsos ou articulações, para
evitar prender a sua circulação ou a circulação do/da bottom
e provocar acidentes.

Se for necessário, meça uma distância de 4 dedos entre o


pulso e o braço para fazer a amarra, como você verá no
próximo passo.

Seja alguém aplicando uma amarra em você ou você


aplicando uma amarra em um/uma bottom, lembre-se
sempre de que tudo deve ser consentido.
Não faça amarras com as quais você ou o/a bottom fique
desconfortável ou sentido insegurança, pois assim você
garante uma prática saudável e divertida para ambos.
Vamos começar com o Nó de coluna única.

Primeiro, use a seção da cabeça da


corda para atravessar a parte do
corpo a ser amarrada.
Enrole uma vez,
dando uma volta
com a corda no
seu braço.
Puxe a extremidade da cabeça da corda de volta à sua
própria direção, puxando cerca de 20 cm. Os quatro fios da
corda precisam formar um plano limpo e arrumado, sem
cruzar. Use dois dedos da mão não dominante para manter
um espaço.
Use a seção da cabeça da corda para atravessar, por cima, os
quatro fios.

Com o dedo indicador da mão dominante, prenda e puxe a


cabeça da corda. Note que a cabeça da corda precisa passar
por todos os quatro fios da corda e por baixo dela.
Puxe a seção da cabeça da corda. Puxe simultaneamente a
extremidade da cabeça da corda e as seções da cauda da
corda para apertar levemente.
Isso evita que a lacuna entre em colapso e os quatro fios da
corda no corpo da coluna ainda formam um plano limpo e
arrumado.
Passe a seção da cabeça da corda sob a seção da cauda da
corda.
Enrole a cabeça da corda de volta para onde ela veio e passe
pelo espaço formado na Etapa 7.
Puxe a cabeça e a cauda da corda com força. Puxe a cauda
da corda na direção oposta à que estava nas Etapas 6 e 7.
Puxe ou empurre a corda até que ela fique firme.
Com este nó podemos fazer várias amarras criativas
utilizando ele para prender braços, pernas, cinturas.
Podemos também utilizar para ancorar em objetos mais
pesados como cama, mesa ou em outras pessoas ou outros
membros que sua imaginação permitir.
Agora vamos aprender o nó de coluna dupla.
Como o próprio nome sugere, esse nó pode ser usado para
amarrar dois objetos do tipo coluna dispostos em paralelo;
Mãos, coxas, panturrilhas ou qualquer combinação de
colunas. Existem muitas técnicas de nó em coluna dupla,
mas aqui
Mostro um método simples que é semelhante ao nó de
coluna única.
Use a cabeça da corda para atravessar as partes do corpo a
serem amarradas, de cima para baixo
Enrole uma vez.
Puxe a cabeça da corda de volta em sua direção. Organize os
quatro fios da corda para formar um plano limpo e
arrumado.
A cabeça da corda deve ser puxada para fora 30-35 cm (12-14
polegadas). Ao mesmo tempo, deve-se manter um espaço
de 5 a 8 cm
Entre as duas "colunas" que estão sendo amarradas. Esse
espaço pode parecer muito grande, mas será apertado nos
próximos passos.
Use a seção da cabeça da corda para atravessar os quatro
fios que estão enrolando ao redor do objeto que está sendo
amarrado.
Enrole a seção da cabeça da corda em torno do ponto mais
baixo

Amarre um nó quadrado.
Com a mão não dominante, forme a ponta da corda em um
loop.

Passe a cabeça da corda pelo laço e puxe.


Usando a mão não dominante para segurar a cauda da
corda, use a mão dominante para empurrar com segurança
o nó contra os objetos que estão sendo amarrados,
certificando-se de que o nó não escorregue.

O nó de coluna dupla pode ser utilizado de formas diversas e


criar composições incríveis e bem picantes. Um bom
exemplo é amarrando a cintura e as coxas colocando o/a
bottom totalmente a sua mercê ou até colocando os braços
e os pés para trás e aplicando o nó.

Esses dois são os principais nós utilizados na prática do


Shibari e são inúmeras as maneiras de explorá-los conforme
sua imaginação permitir.
Espero que o conteúdo tenha te ajudado a compreender
mais sobre o Shibari. Se quiser, sinta-se à vontade para
compartilhar conosco sua criação através do Instagram.
É só postar e marcar @shibaribase.
Vamos adorar saber que está funcionando.

Aproveite e de uma conferida lá para saber das novidades e


tutoriais.
Se quiser aprender mais sobre a arte do Shibari, matricule-se
em nossa lista VIP em https://shibaribase.com.br/lista-vip,
para receber novidades e saber quando abriremos vaga para
nosso curso.