Você está na página 1de 10

REPÚBLICA DE ANGOLA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

ESFOLA DE FORMAÇÃO DE TÉCNICOS DE SAÚDE DE LUANDA

(EFTSL)

TRABALHO INDIVIDUAL DE GESTÃO FARMACÊUTICA

RELAÇÃO COMERCIAL ENTRE A FARMÁCIA E O PÚBLICO

NOME: IBRAHIM DIAS DOS SANTOS ISAAC

CLASSE: 13ª

CURSO: FARMÁCIA

Nº 72

O DOCENTE

__________________

AGUSTO AMARAL

LUANDA, OUTUBRO DE 2020


SUMÁRIO
INTRODUÇÃO.................................................................................................................3

OBJECTIVOS...................................................................................................................4

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA....................................................................................5

Conceito.............................................................................................................................5

Assistência Farmacêutica e Atenção Farmacêutica...........................................................5

Farmacêutico e o
Público...................................................................................................6

Habilidades de Comunicação com o Público....................................................................6

Conceito de Gestão............................................................................................................7

O farmacêutico na gestão da assistência farmacêutica......................................................7

CONCLUSÃO...................................................................................................................8

REFERÊNCIA...................................................................................................................9
INTRODUÇÃO

Este trabalgo dá ênfase a importância da comunicação na relação farmacêutico e


o público no processo de Atenção Farmacêutica, no âmbito de atuação desse
profissional em farmácias comerciais e privativas da rede pública e privada. Também
identifica os fatores que interferem no processo de comunicação e discute a importância
da atitude dos profissionais da saúde como aliados na valorização da comunicação com
o paciente, favorecendo a terapêutica a ser empregada. O objetivo é discutir a
importância da comunicação na relação farmacêutico e paciente como um recurso
pedagógico profissional, no desenvolvimento do processo de Atenção Farmacêutica. A
relação entre ambos é constituída por um processo de aprendizagem, sendo o
farmacêutico um facilitador da mesma.

É essencial desenvolver habilidades de comunicação com os pacientes em


Atenção Farmacêutica para alcançar melhores resultados com as intervenções propostas.
Além disso, a prática da Atenção Farmacêutica está baseada na interação com
considerável heterogeneidade de indivíduos, incluindo, pacientes, familiares,
profissionais de saúde e outros farmacêuticos. Esta interação social tem sido destacada
como a maior indutora da satisfação do paciente em relação aos serviços de saúde(1) .
Segundo Lyra Júnior(2) , “a comunicação é um instrumento essencial no trabalho do
farmacêutico e na promoção da saúde”. A escuta ativa é condição essencial para a boa
comunicação do farmacêutico, pois lhe permite entender a realidade do paciente.

3
OBJECTIVOS

 Explicar os conceitos de Farmácia e Farmacêutico para uma melhor enquadração


no âmbito deste trabalho;

 Conhecer qual é a importância da relação entre o público e a famácia;

 Diferenciar paciente e cliente sobre o âmbito da atenção farmacêutica;

 Considerar a atuação do farmacêutico e os limites que há na relação com a


pessoa que procura um serviço;
 E por fim garantir que haja uma melhor qualidade na interção Farmacêutico e o
público.

4
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Conceito

Farmácia (estabelecimento) é o local onde se podem adquirir drogas,


medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos (outros materiais necessários para
cuidar da saúde) e também podem ser manipuladas fórmulas magistrais e oficinais,
mediante prescrição médica ou constantes na farmacopeia.

Farmacêutico Os farmacêuticos são profissionais da saúde de tradição milenar,


sucessores dos boticários e apotecários. São o responsáveis por toda a cadeia produtiva
do medicamento, desde a produção industrial até o paciente consumidor final,
assegurando assim o uso seguro, racional e efetivo dos medicamentos.

Assistência Farmacêutica e Atenção Farmacêutica

A assistência farmacêutica engloba todo o ciclo do medicamento antes do uso


pelo paciente, trazendo a preocupação com a saúde do usuário final para as etapas de
pesquisa, desenvolvimento, produção, formulação, qualidade, conservação, transporte,
distribuição e seleção, difusão de informações e educação continuada para profissionais
da saúde e pacientes.

Já Atenção Farmacêutica caracteriza-se pelo relacionamento direto entre


farmacêutico e paciente visando o acompanhamento e uso racional da farmacoterapia,
incluindo: atendimento farmacêutico (interação farmacêuticopaciente), fornecimento de
medicamentos (dispensação), acompanhamento da farmacoterapia e intervenção
farmacoterapêutica.

Apesar do foco da profissão ser o medicamento, houve também expansão de


atuações, sempre com foco na saúde do usuário final, para atividades relacionadas a
laboratórios de análises clínicas, a indústria de cosméticos e a indústria alimentícia entre
outros, totalizando 135 especialidades diferentes.

5
Farmacêutico e o Público

Partindo do significado do dicionário para abordar o termo Paciente e Cliente


relacionado com a Assistência Farmacêutica.

Paciente: “adj. Que tem paciência. / Filosofia. Que recebe a impressão de um


agente físico. / &151; s.m. e s.f. Pessoa que sofreu uma operação cirúrgica, e, p. ext.,
pessoa que está doente (em relação ao médico).” FERREIRA, Aurélio

Cliente: “s.m. e f. Em Roma, plebeu que se colocava sob o patrocínio de um


patrício. / Pessoa que compra de um comerciante, que recorre a um homem de negócios,
a um banco, a um advogado, a um médico etc.” FERREIRA, Aurélio

A palavra Cliente traduz na força da comunicação o significado de negócio, com


troca de mercadoria entre os envolvidos.

A função mercadológica dos negócios é gerar lucros e satisfação para os dois


lados que negociam. No sentido da saúde, é importante que o profissional que se dedica
a esta área, não veja o paciente quando o procura, como um número para o seu negócio.
A ligação do profissional com o seu paciente é diferente.

O paciente busca alguém para ouvi-lo sobre o que o incomoda. Quando se trata
de saúde, é necessário aprenderem juntos sobre a paciência, pois é ela que traz o eco
naquele que sofre.

Habilidades de Comunicação com o Público

Em Atenção Farmacêutica, é essencial desenvolver habilidades de comunicação


com os pacientes para alcançar melhores resultados com as intervenções propostas. Essa
prática é fundamental, pois a relação farmacêutico-paciente implica principalmente em
confiança contribuindo para o sucesso do Seguimento Farmacoterapêutico.

Benefícios para o público:

 Melhora na saúde do paciente;


 Redução dos problemas relacionados ao uso de medicamentos;
 Facilidade em se comunicar com o profissional farmacêutico;
 Esclarecimento de dúvidas;
 Maior confiança na exposição de problemas;
 Maior segurança e eficácia no tratamento.

Benefícios para o farmacêutico:

 Farmácia vista como um estabelecimento de saúde;


 Aumentar o nível de confiança do paciente, em relação a farmácia e ao
farmacêutico;

6
 Obter informações maiores e melhores sobre o cliente;
 Associação de vendas;
 Maior fidelização dos clientes

Conceito de Gestão

Desde os primórdios da Administração Clássica que Taylor e Fayol,


considerados pais da “gerência científica”, conceituam gerência como o ato de planejar,
coordenar, controlar, avaliar e organizar. Essas são, até os dias atuais, as ações
lembradas com mais frequência quando se pensa em sinônimos de gestão, de gerência.

Na contemporaneidade, com a consolidação da democracia na grande maioria


dos países, as experiências concretas com o gerenciamento de organizações modernas
estão gerando a incorporação de novos verbos como sinônimos de gerenciar, a exemplo
de “liderar”, “conduzir”, “ouvir”, e, mais do que isso, esses verbos estão substituindo a
ideia de “controle”, antes muito presa à concepção de gerência

O farmacêutico na gestão da assistência farmacêutica

O farmacêutico é um profissional que desenvolve as atividades de seleção,


programação, aquisição, armazenamento, distribuição e dispensação, conforme prevê o
ciclo da assistência farmacêutica (MARIN et al., 2003). Um profissional envolvido com
tantas atividades corre o risco de ficar isolado em um ciclo fechado, com pouco
envolvimento com outros profissionais e setores nos serviços de atenção à saúde. Além
disso, as atividades são realizadas de forma tão automatizada que o profissional pode
acabar não refletindo sobre o que está fazendo e perder o foco do objetivo final.

A ênfase nos aspectos logísticos relativos à disponibilização de medicamentos


tendeu a restringir as discussões da área à descrição técnica das partes do modelo
proposto pelo “ciclo da assistência farmacêutica” (SANTOS, 2011).

As características da administração clássica e científica de Taylor e Fayol, como:


previsão, organização, comando, coordenação e controle, objetivam o aumento da
produção.

7
CONCLUSÃO

Após minhas pesquisas e estudos, cheguei a conclusão que é essencial


desenvolver habilidades de comunicação com os pacientes em Atenção Farmacêutica
para alcançar melhores resultados com as intervenções propostas.

Esta interação social tem sido destacada como a maior indutora da satisfação do
paciente em relação aos serviços de saúde.

A escuta ativa é condição essencial para a boa comunicação do farmacêutico,


pois lhe permite entender a realidade do paciente. A partir daí, o farmacêutico.

A função mercadológica dos negócios é gerar lucros e satisfação para os dois


lados que negociam. No sentido da saúde, é importante que o profissional que se dedica
a esta área, não veja o paciente quando o procura, como um número para o seu negócio.
A ligação do profissional com o seu paciente é diferente.

O paciente busca alguém para ouvi-lo sobre o que o incomoda. Quando se trata
de saúde, é necessário aprenderem juntos sobre a paciência, pois é ela que traz o eco
naquele que sofre.

Na contemporaneidade, com a consolidação da democracia na grande maioria


dos países, as experiências concretas com o gerenciamento de organizações modernas
estão gerando a incorporação de novos verbos como sinônimos de gerenciar, a exemplo
de “liderar”, “conduzir”, “ouvir”, e, mais do que isso, esses verbos estão substituindo a
ideia de “controle”, antes muito presa à concepção de gerência.

Um profissional envolvido com tantas atividades corre o risco de ficar isolado


em um ciclo fechado, com pouco envolvimento com outros profissionais e setores nos
serviços de atenção à saúde.

8
REFERÊCIAS

1. Lyra júnior DP, Amaral RT, Abriata JP, Pelá IR. A satisfação como resultado de
um programa de atenção farmacêutica para pacientes idosos, em Ribeirão Preto
(SP)- Brasil. Seguimiento Farmacoterapéutico. 2004; 3(1): 30-42.

2. Lyra júnior DP. Comunicação paciente/ farmacêutico: um instrumento libertário


e essencial no trabalho do profissional e na promoção da saúde. Pharmacia
Brasileira. 2005;1(6):10.

3. Rantucci MJ. Guia de consejo del farmacéutico al paciente. Barcelona


MassonWilliams & Wilkins.1998.

4. Caelles N, Ibáñez J, Machuca M, Martínez-romero F, Faus MJ. Entrevista


farmacéutico-paciente en el Programa Dáder de seguimiento farmacoterapéutico.
Pharmaceutical Care España. 2002; 4: 55-59.

5. Silva LC. Relação Farmacêutico-Paciente. In: Marques LAM, editors. Atenção


Farmacêutica em distúrbios maiores.1ed. Medfarma; 2009.p 67-116.

6. Duque DCC, Lourenço, EB. Curso de Especialização em Atenção Farmacêutica


da UNIFAL-MG [monography]. 2006.

Você também pode gostar