Você está na página 1de 27

ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE RESTAURAÇÃO

LEVANTAMENTO FÍSICO E
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS
E SISTEMA CONSTRUTIVO.

Casa do Artesão de Igarassu

Carla Pamplona | Giovana Perez | Rebeca Anny | Yasmin Rodrigues


CASA DO ARTESÃO DE IGARASSU – Contexto histórico da cidade
• As primeiras referências de ocupação portuguesa do território pernambucano datam de 1516.

• Essa ocupação sazonal para extração de pau-brasil formava uma feitoria de pequenos assentamentos
de casas e armazéns pouco estruturados. Originalmente ocupada pelas tribos indígenas Caetés e
Tabajaras.

• Em 1535 ergue-se a Igreja de São Cosme e Damião como marco da batalha vencida dos colonizadores
portugueses sobre os nativos.

• O traçado da vila de Igarassu, ao que tudo indica, parece ser de caráter religioso, haja vista a
quantidade de igrejas num espaço relativamente pequeno. O desenvolvimento urbano se dá a partir
do outeiro da Igreja de São Cosme e Damião, formando o núcleo urbano primitivo.
OCUPAÇÃO E CRESCIMENTO URBANO DE IGARASSU

Séc. XVI - Núcleo Urbano Primitivo Séc. XVI - 2º Núcleo Urbano. Em verde Séc. XVI – 3º Núcleo Urbano Séc. XVIII – 4° Núcleo Urbano
o atual imóvel da Casa do Artesão
1. LEVANTAMENTO FÍSICO.

2. ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS


E SISTEMA CONSTRUTIVO.

LEVANTAMENTO FÍSICO
RESULTADOS:
Compreende as atividades de leitura e
conhecimento da forma da edificação, obtidos por 1- Levantamento cadastral
meio de vistorias e levantamentos, representados • Planta de situação
gráfica e fotograficamente. • Planta de locação
• Plantas baixas
• Fachadas
Esse levantamento tem a finalidade de embasar o • Cortes
• Plantas de coberta
projeto de reforma do edifício em questão. Seu
resultado final retrata as condições apresentadas 2- Topografia do terreno
pelo edifício atualmente, servindo também de
registro e memória para pesquisas ou para 3- Documentação fotográfica
embasamento de futuras intervenções nesse • Fotos externas
edifício de importância histórica e arquitetônica • Fotos internas

4- Elementos artísticos
integrados
1-Levantamento cadastral
Compreende a rigorosa e detalhada representação gráfica das características físicas e
geométricas da edificação, do terreno e dos demais elementos físicos presentes na área a ser
levantada, indicando:
• Planta de Situação - Representa a implantação da edificação e seu terreno na malha urbana
Manual de elaboração de projeto - NBR6492-representação de projeto de
IPHAN arquitetura
escala de 1:500 ou 1:1000, de curvas de nível existentes e projetadas;
esquemática indicando vias de acesso, indicação do norte; vias de acesso ao
orientação, edifícios de interesse conjunto, arruamento e logradouros
histórico ou artístico da área, e outros. adjacentes com os respectivos
equipamentos urbanos; indicação das
áreas a serem edificadas, com o contorno
esquemático da cobertura das edificações;
denominação dos diversos edifícios ou
blocos; construções existentes, demolições
ou remoções futuras, áreas non aedificandi
e restrições governamentais;
escalas;
1-Levantamento cadastral
• Planta de Locação - Representa a implantação da edificação no terreno e vizinhança
Manual de elaboração de projeto - NBR6492-representação de projeto de
IPHAN arquitetura – Projeto executivo
•escala de 1:200 ou 1:100, conforme as dimensões simbologias de representação gráfica conforme as
do monumento, prescritas nesta Norma
• indicação do sistema de drenagem de águas sistema de coordenadas referenciais do terreno, curvas
pluviais existente; de nível existentes e projetadas
• locação de arrimos, muros, cercas, grades e indicação do norte;
portões existentes, com dimensões e indicação das vias de acesso, vias internas,
especificações; estacionamentos, áreas cobertas, platôs e taludes;
• representação de jardins, gramados, arborização perímetro do terreno, marcos topográficos, cotas gerais
com especificação das espécies; e níveis principais;
• indicação dos pontos de referência das indicação dos limites externos das edificações: recuos e
fotografias. afastamentos;
eixos do projeto;
amarração dos eixos do projeto a um ponto de
referência;
denominação das edificações;
escalas;
notas gerais, desenhos de referência e carimbo
1-Levantamento cadastral

• Plantas Baixas - Representam, no plano horizontal, a compartimentação interna da


edificação
Manual de elaboração de projeto - NBR6492-representação de projeto de
IPHAN arquitetura
escala de1:50 ou, excepcionalmente, em 1:100 indicação do norte;
• codificação e especificação de todos os detalhes eixos do projeto;
construtivos, tais como: janelas e vãos, seteiras, sistema estrutural;
gradis, sacadas, óculos, altares, púlpitos, indicação das cotas entre os eixos, cotas parciais e
balaustradas, etc., com legenda na mesma prancha; totais
• indicação, em convenção, do sentido do tabuado caracterização dos elementos do projeto: -
do piso e forro dos cômodos. Em caso de fechamentos externos e internos;- acessos; -
complexidade destes elementos, representar em circulações verticais e horizontais;- áreas de instalações
plantas específicas; técnicas e serviços;-- cobertura/telhado e captação de
• indicação de pontos de luz e força, tomadas e águas pluviais; - acessos e demais elementos
interruptores, fiação ou tubulação aparente e significativos;
outros; marcação de projeção de elementos significativos
• indicação de pontos de água e esgoto, registros, acima ou abaixo do plano de corte;
tubulação aparente, ralos, aparelhos sanitários e indicação dos níveis de piso acabado
outros. denominação dos diversos compartimentos e
respectivas áreas úteis;
marcação de cortes e fachadas;
escalas;
notas gerais, desenhos de referência e carimbo
1-Levantamento cadastral
1-Levantamento cadastral
• Cortes - Representam, no plano vertical, a compartimentação interna da edificação,
em número necessário para o perfeito entendimento da edificação
Manual de elaboração de projeto - NBR6492-representação de projeto de
IPHAN arquitetura
escala de 1:50, simbologias de representação gráfica conforme as
• altura de cimalhas, platibandas, rodapés, barras e prescritas nesta Norma
outros elementos. ; b)eixos do projeto;
• indicação de todos os elementos da instalação c)sistema estrutural;
elétrica cotados em relação ao piso; d)indicação das cotas verticais;
• representação dos elementos da instalação e)indicação de cotas de nível em osso e acabado dos
hidráulica cotados em relação ao piso; diversos pisos;
• indicação do tipo e cor da pintura das alvenarias, f) caracterização dos elementos do projeto: -
esquadrias, entre outros. fechamentos externos e internos; - circulações verticais
e horizontais; - áreas de instalações técnicas e de
serviços; - cobertura/telhado e captação de águas
pluviais; - forros e demais elementos significativos
g) denominação dos diversos compartimentos
seccionados; h)escalas;
i) notas gerais, desenhos de referência e carimbo;
j) marcação dos cortes transversais nos cortes
longitudinais e vice-versa, podendo ainda ser indicadas
as alturas das seções horizontais (planta da edificação).
1-Levantamento cadastral
1-Levantamento cadastral

• Plantas de Cobertura - Representam a forma e o sistema construtivo da cobertura

escalas de 1:100, 1:50 ou 1:20 • Cobertura/telhado e


• diagrama - descrição da cobertura, relacionando-a com o perímetro da edificação, captação de águas
contendo: pluviais
- limite do prédio, em tracejado;
- limite da cobertura, em linha cheia;
- sentido das declividades;
- dimensões dos beirais;
- ângulo de inclinação, porcentagens ou pontos de cada água;
- representação de calhas, condutores, rufos, rincões, chaminés, e outros.
• Engradamento - Representação de todo o sistema estrutural da cobertura, por
meio de:
- identificação e representação em planta de tesouras, terças, caibros, ripas, forros,
cambotas, guarda-pós, cachorros, beirais, caixas-d’água;
- dimensões das peças;
1-Levantamento cadastral
• Fachadas - Representação de todos os planos verticais externos da edificação

escala de 1:50, excepcionalmente 1:100, contendo: • eixos do projeto;


• indicação e representação de todos os elementos: • indicação de cotas de nível acabado;
acessos, estrutura, alvenarias, revestimentos, • escalas;
esquadrias (com sistema de abertura) e, conforme o • notas gerais, desenhos de referência e carimbo;
caso, muros, grades, telhados, marquises, toldos, • marcação dos cortes longitudinais ou transversais.
letreiros e outros componentes arquitetônicos;
• caimento de ruas e/ou terreno;
• especificação do tipo de pintura e cor das
alvenarias e esquadrias, bem como dos demais
materiais de acabamento.
1-Topografia do terreno

- Representação gráfica do levantamento planialtimétrico do terreno, em escala


mínima de 1:100, contendo ângulos, pontos, distâncias, referências de níveis, curvas
de nível e perfis longitudinal e transversal, conforme especificado pelo contratante.
3 – Documentação Fotográfica (externa e Interna)
- Visa complementar a compreensão da edificação e registrar o seu estado anterior à
intervenção. Deverão ser apresentadas em fichas individuais, em formato A4, nas
dimensões 10 x 15 cm, em preto e branco, em cores ou impressões de fotos digitais.
Deverão conter ainda a planta esquemática do pavimento com a indicação do ponto de
tomada e ângulo da foto; número de ordem e número total das fotos, autor, número da
pose e negativo, data, nome e endereço da edificação. O seu conteúdo deve abranger
Fotos Externas
• entorno: vistas do conjunto
em que se insere a edificação,
ruas, praças, jardins, muros;
• grades, portões, quintais;
• fachadas, cobertura, detalhes,
etc.

Fotos Internas
• vista geral do interior;
• cômodos que apresentem
alterações, áreas lesionadas ou
soluções especiais;
• detalhes: elementos
decorativos e outros que
apresentem interesse especial.
4- Elementos Artísticos Integrados
• Elementos artísticos integrados deverão ser objetos de tratamento específico.
• No entanto, deverá ser componente do Projeto, as especificações e os detalhes
necessários à execução das proteções do acervo durante a intervenção.

Projeto de Restauração de Ravena, Sabará


1. LEVANTAMENTO FÍSICO.

2. ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS


E SISTEMA CONSTRUTIVO.

ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.


Esta atividade consolida o conjunto de informações obtidas na pesquisa histórica, levantamento cadastral e
prospecções, analisando de forma pormenorizada a tipologia arquitetônica, os materiais empregados, o sistema
construtivo da edificação e o contexto no qual está inserida.

a) descrição das características arquitetônicas da edificação: partido de composição, proporções


volumétricas, estilo ou influência artística, aparência atual e outras características;

b) avaliação da autenticidade do conjunto e de suas partes, com indicação do grau de integração ou


interferência dos elementos que foram acrescentados ao conjunto original;

c) indicação, em planta e elevações, dos elementos que foram suprimidos ou alterados e suas
características originais básicas;

d) caracterização dos acréscimos meramente utilitários cuja inclusão não tenham obedecido a razões
arquitetônicas;

e) análises e considerações da relação da edificação com seu entorno, qualificando as interferências do


espaço externo: edificações vizinhas, iluminação (luminárias, postes, fiação, etc.), calçamento, mobiliário
urbano, tráfego e comunicação visual.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• Localizada na Rua Barbosa Lima, nº 144, no Centro Histórico de Igarassu.

• Faz parte do casario típico de arquitetura colonial, formado por exemplares do séc. XVII,
composto por uma arquitetura simples, térrea e de poucos elementos decorativos.

• Compõe a Colina Histórica de Igarassu, que contém: o Casario Colonial, o Sobrado do Imperador,
a Igreja e recolhimento do Sagrado coração de Jesus, a igreja dos Santos Cosme e Damião e o
Convento Franciscano.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• Construído nos limites lateral e frontal do


terreno

• O imóvel utiliza cerca da metade da área


total do lote estreito e comprido.

• De pavimento único, divide-se entre salão,


copa, depósito, circulação, sanitários e
oficina.

• Apesar de estar bastante deteriorado, este


imóvel apresenta as características originais
básicas em bom estado de autenticidade. Casa do artesão - Conjunto do casario
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• A edificação é um típico
exemplar das casas coloniais
de “porta e janela” com o
seu telhado em duas águas
com a cumeeira lançada no
sentido transversal ao eixo
longitudinal do terreno,
tendo o seu telhado, na
fachada frontal, o clássico
acabamento de beiral com
beira, sob-beira e bica.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• A fachada conta com uma porta e uma janela em cercaduras de pedras de arenito trabalhadas em
cantaria, de bom acabamento. A porta de entrada é em madeira de ficha, pintada com tinta a base de
óleo, é dividida em duas por corte horizontal, permite resguardar a casa e ao mesmo tempo permite a
ventilação interna da edificação.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• A janela em duas folhas, em madeira também de ficha, pintada com tinta a base de óleo contam na
sua parte interna, abaixo do peitoril, com conversadeiras laterais.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• A edificação deve ter sido, pelas


características apresentadas hoje, uma
residência com vários cômodos internos
que serão descobertos na prospecção
arqueológica e arquitetônica. Neste
grande salão resultante certamente da
demolição das suas alvenarias e que
segundo moradores da área, em algum
ponto da linha do tempo, teria servido
como ponto de comércio, teria
funcionado um bar.

• O piso, na edificação antiga em estudo,


apresenta hoje um revestimento de
pequenos tijolos maciços de 0,20X0,10m
conforme mostrado nas fotos abaixo e
que se apresenta com seus elementos
bastante deteriorados, alguns quebrados,
desgastados e ainda, o piso como um
todo apresentando pontos de
desnivelamento.
ANÁLISE TIPOLÓGICA, IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMA CONSTRUTIVO.

• As alvenarias são todas rebocadas e


pintadas atualmente em tinta PVA Latex.
A Copa e os banheiros apresentam piso
cimentado revestido com pintura acrílica.
As paredes de alvenaria possuem, em
parte, revestimento cerâmico e, em
parte, revestimento com pintura PVA.

• O telhado apresenta madeiramento


estrutural de linhas, caibros roliços, ripas
de imbiriba e cobertura de telhas canal,
com exceção da oficina.

• Na Oficina, situada na área posterior da


Casa do Artesão de Igarassu, encontra-se
piso cimentado sem revestimento. As
paredes são de alvenaria, rebocadas e
revestidas com pintura PVA. Apresenta
madeiramento estrutural simples, com
caibros e ripas, e cobertura de telha
canal.
REFERÊNCIAS:

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO. CASA DO ARTESÃO DE IGARASSU PROJETO EXECUTIVO PARA


REFORMA. Janeiro de 2014. Disponível em:
http://www.setur.pe.gov.br/c/document_library/get_file?p_l_id=22082&folderId=17717237&name=DLF
E-86715.pdf

IPHAN. Manual de Elaboração de Projetos. 2005. Disponível em:


http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/CadTec1_Manual_de_Elaboracao_de_Projetos_m.pdf

IPHAN. Manual de Elaboração de Projetos. 2005. Disponível em:


http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/CadTec1_Manual_de_Elaboracao_de_Projetos_m.pdf

MEMÓRIA ARQUITETURA. Projeto de Restauração em Ravena, Sabará. Disponível em:


http://memoriaarquitetura.com.br/projetos/projeto-de-restauracao-em-ravena-sabara/

TURISMO PERNAMBUCO. Inauguração da Casa do Arttesão. 2017. Disponível em:


https://www.flickr.com/photos/turismopernambuco/28870025198/in/album-72157692104059820/