Você está na página 1de 15

Habilidades e Competências:

breves reflexões
É muito comum escutarmos: “É preciso planejar a aula, de forma
que o aluno possa desenvolver suas habilidades e competências.”

Mas o que
significam esses
conceitos?
Na prática pedagógica, o termo HABILIDADE está associado ao saber fazer: ação
física ou mental que indica uma capacidade adquirida.

Por exemplo: nos anos iniciais, o aluno precisa


desenvolver a habilidade de leitura, para que
possa desenvolver a competência de ler e
interpretar um texto.
Já, no sexto ano, o aluno deve
estabelecer uma relação de ordem
entre os números naturais de qualquer
grandeza. Essa habilidade
pretende desenvolver várias
competências no aluno, como a
capacidade de construir significados
para os números naturais, inteiros,
racionais e reais.

Conforme observamos, estamos a todo momento praticando nossas habilidades


aprendidas. As habilidades que aprendemos na escola servem para que possamos
solucionar problemas cotidianos. Elas fazem parte do nosso viver. Por isso, é importante
ajudar os nossos alunos a desenvolvê-las.
Na Base Nacional Comum Curricular, COMPETÊNCIA é definida como
“a mobilização de conhecimentos (conceitos e procedimentos),
habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais), atitudes e
valores, para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do
pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho.”
Competências
gerais da
BNCC
O conceito de competência está diretamente
associado à articulação entre as diversas habilidades. Para
saber se o aluno está desenvolvendo determinada
competência, é preciso avaliar de forma contínua e fazer
intervenções pedagógicas ou replanejar, sempre que
necessário.
Relação entre Habilidades e Competências
O aluno precisa desenvolver uma habilidade ou várias habilidades, para se
tornar competente em algo. Ter habilidades, entretanto, não significa ter competência.

Uma aluna de Gastronomia pode ter a habilidade Um aluno do curso de Licenciatura em Matemática
de fazer vários pratos gostosos. Entretanto, pode pode ter a habilidade de fazer cálculos com
não ter adquirido ainda a competência para precisão. Mas, para dar aulas, precisará desenvolver
trabalhar na cozinha de um grande restaurante. a competência para tal.
Como aplicar esses conceitos na prática da sala de aula?
A escola deve contribuir para que o aluno
desenvolva habilidades e competências que lhe
permitam escolher, criticar, comparar e criar
novos conceitos. O fundamental não é o acúmulo
de informações, mas o desenvolvimento de
competências e habilidades que permitam ao
aluno aprender a pensar e associar o
conhecimento ao real. Daí a importância de se
considerar as habilidades e competências como
objetivos em si. Isso não significa desvincular os
conteúdos do processo educativo. Ao contrário; os
conteúdos devem ser o principal instrumento para
o desenvolvimento das habilidades.
Vamos ver na prática: Na aula de Álgebra (Matemática) para o 7º ano,
o professor, ao abordar o conteúdo Variável e Incógnita, elencou
as seguintes habilidades e competências:
• Habilidade: Compreender a ideia de variável, representada
por letra ou símbolo, para expressar a relação entre duas
grandezas.
• Competência geral: pensamento crítico, científico e criativo.
Ao planejar a sua aula, o professor
elencou como OBJETIVO a ser atingido pelos
seus alunos:
• Compreender a ideia de variável,
representada por letra ou símbolo, para
expressar a relação entre duas grandezas,
diferenciando-a da ideia de incógnita, fazendo
conexões claras e adequadas entre ideias
amplas.
Outro exemplo, na prática: Na aula de Geografia para o 6º ano, a
professora, ao abordar o conteúdo “Conexões e escalas:
relações entre os componentes físicos-naturais”, elencou como
habilidade e competência:
• Habilidade: Relacionar padrões climáticos, tipos de solo,
relevo e formações vegetais.
• Competência geral: Conhecimento, pensamento crítico e
criativo e cultura digital.

Ao planejar sua aula, a professora


elencou como OBJETIVOS a serem atingidos pelos
seus alunos:
• Relacionar padrões climáticos, tipos de solo,
relevo e formações vegetais;
• Acessar diferentes fontes de informação;
Realizar buscas para relacionar padrões
climáticos, tipos de solo, relevo e formações
vegetais.
Planejando com base nas habilidades:
Muitos ainda acreditam que o planejamento das aulas
deve se basear apenas no conteúdo. Mas será que é isso o que
queremos de nossos alunos? Queremos que eles aprendam
apenas os conteúdos ou que eles desenvolvam habilidades
através do conhecimento desses conteúdos ?

Será que, através do conteúdo, sem a reflexão da


habilidade, conseguimos atingir determinada
competência? Hoje, os alunos já têm acesso a
informações as mais variadas à revelia da escola.
Portanto, é preciso significar esse conteúdo, para que o
aluno consiga: encarar situações cotidianas, resolver
questões de sua vivência, ser ativo e participativo.
O planejamento deve sempre levar em consideração a
habilidade em questão e o desenvolvimento de competências. Caso
contrário, o conteúdo se torna vazio. Habilidades e conteúdos
devem estar unidos, a fim de que os processos de aprendizagem se
mostrem significativos.

Hoje, não basta apenas informar que a


abolição da escravatura aconteceu em 1888, por
exemplo. É preciso desenvolver junto aos alunos a
habilidade de refletir sobre o significado deste ato
no período e a competência de ter um pensamento
crítico sobre os desdobramentos desse
acontecimento, em nossos dias.
O docente possui as habilidades e competências específicas de sua formação
para criar meios que possibilitem a seus alunos desenvolverem as suas habilidades e
as competências que hão de repercutir em sua vida adulta!
Portanto, é de fundamental importância conhecer as habilidades e as competências
a serem desenvolvidas em sua disciplina, de acordo com segmento/ano para o qual
você está lecionando.

Para aprofundar essa reflexão...


Acesse: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base

Você encontrará todas as informações que


necessita a esse respeito. Clique em “base para
navegação”, localize a etapa que pretende estudar,
escolha a área e a disciplina pretendida. É bem
simples e auto-explicativo.
E
s Fontes:
t • https://www.competenciasnabncc.org.br/combine
a • http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base
m • BRASIL, MEC. Em Aberto (Currículo: referenciais e tendências). INEP,
Entre em contato sempre que precisar: Brasília, N.º 58, abril/jun. 1993
o gedcre02@rioeduca.net • PERRENOUD, Philipe. Construir as competências desde a escola, Porto
s conectados! Alegre, Artes Médicas, 2000

Você também pode gostar