Você está na página 1de 106

-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

Elaboração, Apresentação e
Gerenciamento de Documentos
de Projetos de Eletricidade

Procedimento

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.


Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do
texto desta Norma. A Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma é a
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pela
Técnica Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pela Unidade da
PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 06 CONTEC - Subcomissão Autora.

Eletricidade As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S. A. - PETROBRAS, de aplicação interna na PETROBRAS e Subsidiárias,
devendo ser usada pelos seus fornecedores de bens e serviços,
conveniados ou similares conforme as condições estabelecidas em
Licitação, Contrato, Convênio ou similar.
A utilização desta Norma por outras empresas/entidades/órgãos
governamentais e pessoas físicas é de responsabilidade exclusiva dos
próprios usuários”.

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GT (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e de suas Subsidiárias), são
comentadas pelas Unidades da Companhia e por suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SC (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando as
Unidades da Companhia e as Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado pelos
representantes das Unidades da Companhia e das Subsidiárias). Uma Norma Técnica PETROBRAS
está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser reanalisada a
cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas PETROBRAS são
elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para informações completas
sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 79 páginas, 6 formulários, Índice de Revisões e GT


-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

Sumário

1 Escopo ................................................................................................................................................. 6 

2 Referências Normativas ...................................................................................................................... 6 

3 Termos e Definições.......................................................................................................................... 11 

4 Siglas e Abreviaturas......................................................................................................................... 13 

5 Condições Gerais .............................................................................................................................. 14 

5.1 Generalidades ...................................................................................................................... 14 

5.2 Projeto Conceitual de Eletricidade ....................................................................................... 16 

5.2.1 Fases de Apresentação do Projeto Conceitual de Eletricidade .................................. 16 

5.2.2 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto Conceitual de Eletricidade ........... 16 

5.3 Projeto Básico de Eletricidade ............................................................................................. 17 

5.3.1 Fases de Apresentação do Projeto Básico de Eletricidade ......................................... 17 

5.3.2 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto Básico de Eletricidade.................. 17 

5.4 Projeto de Pré-Detalhamento de Eletricidade (FEED)......................................................... 19 

5.5 Projeto de Detalhamento de Eletricidade ............................................................................ 21 

6 Automação, Gerenciamento, Modelamento, Simulação e Apresentação de Desenhos e


Documentos do Projeto de Eletricidade em CAD 2D, CAD 3D ou CAE .......................................... 28 

6.1 Generalidades ...................................................................................................................... 28 

6.2 Sistemas para Indicação e Controle Automático de Revisões ............................................ 30 

6.3 Sistema de Gerenciamento de Documentação de Projeto de Eletricidade ......................... 31 

6.4 Modelamento e Simulação Digital em Tempo Real de Estados Transitórios e Estacionários


dos Sistemas Elétricos de Potência e de Proteção............................................................. 32 

7 Requisitos Específicos para a Elaboração e Apresentação do Projeto e Documentos de


Eletricidade ....................................................................................................................................... 35 

7.1 Projeto Conceitual, Básico e de Pré-Detalhamento de Eletricidade.................................... 35 

7.1.1 Listas de Cargas Elétricas ........................................................................................... 35 

7.1.2 Estudos de Viabilidade Técnico-Econômicos do Sistema Elétrico .............................. 36 

7.1.3 Memoriais de Cálculo de Curto-Circuito ...................................................................... 36 

7.1.4 Estudos de Fluxo de Potência ..................................................................................... 37 

7.1.5 Memoriais Descritivos de Filosofias dos Sistemas Elétricos ....................................... 38 

7.1.6 Memorial Descritivo com as Características Básicas das Instalações Elétricas ......... 38 

2
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.7 Atmosferas Explosivas - Classificação de Áreas, Seleção de Equipamentos e Projeto


de Instalações Elétricas ............................................................................................... 38 

7.1.8 Diagramas Unifilares .................................................................................................... 40 

7.1.9 Diagramas Funcionais Típicos e Diagramas Lógicos para Programação de


Equipamentos Digitais ................................................................................................. 41 

7.1.10 Livros do Projeto (“Data-Book”) Básico de Eletricidade ............................................ 42 

7.2 Projeto de Detalhamento de Eletricidade ............................................................................ 42 

7.2.1 Cronogramas de Projeto .............................................................................................. 43 

7.2.2 Listas de Documentos de Projeto ................................................................................ 43 

7.2.3 Listas de Cargas Elétricas ........................................................................................... 43 

7.2.4 Listas de Cabos e/ou Circuitos .................................................................................... 44 

7.2.5 Listas de Eletrodutos e/ou Sistemas de Bandejamento .............................................. 45 

7.2.6 Lista de Pontos de Entrada e Saída (I/O) de Equipamentos Digitais e de Automação45 

7.2.7 Listas de Materiais (LM) ............................................................................................... 46 

7.2.8 Memoriais Descritivos e/ou Memoriais de Cálculo ...................................................... 47 

7.2.8.1 Dimensionamento de Equipamentos ................................................................... 47 

7.2.8.2 Sistemas de Distribuição de Força Normal, Essencial e de Emergência ........... 47 

7.2.8.3 Puxamento de Cabos .......................................................................................... 48 

7.2.8.4 Sistemas de Aterramento .................................................................................... 48 

7.2.8.5 Sistemas de Iluminação Normal e de Emergência .............................................. 49 

7.2.8.6 Coordenação e Seletividade da Proteção Elétrica .............................................. 49 

7.2.8.7 Sistemas de Intertravamento Elétrico e de Segurança de Processo .................. 50 

7.2.8.8 Sistemas de Sinalização e Alarme ...................................................................... 50 

7.2.8.9 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA) .......................... 50 

7.2.8.10 Estudos de Curto-Circuito .................................................................................. 50 

7.2.8.11 Estudos de Fluxo de Potência ........................................................................... 51 

7.2.8.12 Sistemas de Traceamento e Aquecimento Elétrico Industrial ........................... 51 

7.2.8.13 Sistema de Detecção e Alarme de Fumaça em Sala de Painéis, Sala de Cabos,


Sala de Baterias, Sala de Transformadores e Casas de Controle ................... 51 

7.2.8.14 Estudos de Energia Incidente em Painéis Elétricos .......................................... 51 

7.2.8.15 Serviços de Construção, Montagem, Comissionamento e Testes de Aceitação


de Campo.......................................................................................................... 51 

7.2.9 Desenhos de Projeto de Detalhamento ....................................................................... 52 

3
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.1 Atmosferas Explosivas - Classificação de Áreas, seleção de Equipamentos e


Projeto de Instalações Elétricas .......................................................................... 52 

7.2.9.2 Diagramas Unifilares............................................................................................ 52 

7.2.9.3 Diagramas Multifilares ......................................................................................... 53 

7.2.9.4 Diagramas Funcionais ......................................................................................... 54 

7.2.9.5 Diagramas de Interligações ................................................................................. 55 

7.2.9.6 Diagramas de Blocos de Interligação dos Equipamentos Principais e


Subsistemas do Sistema Elétrico ....................................................................... 56 

7.2.9.7 Arranjos de Equipamentos em Subestações e Casas de Controle - Plantas,


Cortes e Detalhes................................................................................................ 56 

7.2.9.8 Estruturas Aparentes de Equipamentos em Subestações Externas - Plantas,


Corte e Detalhes .................................................................................................. 57 

7.2.9.9 Bases de Equipamentos ...................................................................................... 57 

7.2.9.10 Diagrama de Esforços e Pesos nas Estruturas - Plantas.................................. 58 

7.2.9.11 Rede Elétrica Principal - Planta Geral ou Planta Chave ................................... 58 

7.2.9.12 Redes Elétricas Subterrâneas - Plantas ............................................................ 58 

7.2.9.13 Redes Elétricas Subterrâneas - Perfis............................................................... 59 

7.2.9.14 Redes Elétricas Subterrâneas - Seções ............................................................ 60 

7.2.9.15 Caixas de Enfiação Subterrâneas - Características Construtivas ..................... 60 

7.2.9.16 Caixas de Enfiação Aparentes (“Pull-Points”) para Redes Elétricas


Subterrâneas - Detalhes ................................................................................... 61 

7.2.9.17 Caixas de Enfiação Subterrâneas (“Manholes”) - Disposição dos Cabos ........ 61 

7.2.9.18 Redes Elétricas Aéreas - Plantas ...................................................................... 61 

7.2.9.19 Redes Elétricas Aéreas - Detalhes .................................................................... 62 

7.2.9.20 Instalações Aparentes - Plantas ........................................................................ 62 

7.2.9.21 Distribuição de Circuitos em Canaletas no Piso da Subestação ou da Casa de


Controle ............................................................................................................. 62 

7.2.9.22 Detalhes Típicos de Montagem - Distribuição de Força e Controle, Iluminação,


Aterramento, SPDA, Fixação e Suportes.......................................................... 63 

7.2.9.23 Plantas de Distribuição de Circuitos de Força e de Iluminação ........................ 64 

7.2.9.24 Plantas de SPDA ............................................................................................... 64 

7.2.9.25 Plantas de Aterramento ..................................................................................... 65 

7.2.10 Estimativa de Custos de Materiais, Equipamentos e Serviços de Montagem, Testes


e Comissionamento ................................................................................................... 65 

7.2.11 Especificações Técnicas de Equipamentos e Materiais Elétricos ............................. 66 

4
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.12 Folhas de Dados de Equipamentos Elétricos ............................................................ 67 

7.2.13 Requisições de Materiais ........................................................................................... 67 

7.2.14 Pareceres Técnicos ................................................................................................... 67 

7.2.15 Cronogramas de Projeto e de Fabricação de Equipamentos Elétricos ..................... 68 

7.2.16 Lista de Documentos dos Equipamentos Elétricos ................................................... 68 

7.2.17 Desenhos dos Equipamentos Elétricos ..................................................................... 69 

7.2.18 Relatórios de Testes de Equipamentos Elétricos ...................................................... 69 

7.2.19 Manuais de Instruções para Transporte, Armazenagem, Montagem, Operação e


Manutenção de Equipamentos Elétricos ................................................................... 69 

7.2.20 Verificação de Documentação de Fornecedores (VDF) ............................................ 70 

7.2.21 Laudo Técnico do Projeto de Detalhamento de Eletricidade..................................... 70 

7.2.22 Atualização da Documentação de Projeto de Eletricidade na Condição Conforme


Construído (“As-Built”) ............................................................................................... 71 

7.2.23 Cadastramento e Implantação, pela Projetista, da Documentação de Projeto, de


Fornecedores e Certificados de Conformidade no Sistema Eletrônico de
Documentação Técnica do Usuário.......................................................................... 72 

7.2.24 Livros do Projeto de Detalhamento de Eletricidade (“Data-Books”) .......................... 72 

8 Elaboração da Documentação de Projeto de Automação do Sistema Elétrico ................................ 74 

8.1 Requisitos de Documentação do Projeto de Automação e Proteção do Sistema Elétrico.. 74 

8.2 Documentação a ser Elaborada no Projeto de Automação do Sistema Elétrico ................ 76 

8.3 Especificações Técnicas, Folhas de Dados e Requisições de Materiais a serem


Elaboradas no Projeto de Automação do Sistema Elétrico ................................................ 77 

9 Lista das Subseções Desta Norma com Indicação de Práticas Recomendadas (Anexo A) ............ 78 

10 Lista de Tópicos para Determinação de Escopo e Abrangência dos Projetos de Eletricidade


(Anexo B) ........................................................................................................................................ 78 

11 Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis a Serem Elaborados pela Projetista (Anexo C).. 78 

12 Lista de Cargas Elétricas (Anexo D e Anexo E).............................................................................. 79 

13 Listagem de Documentos Precedentes no Projeto de Eletricidade (Anexo F) ............................... 79 

Figura

Figura 1 - Modelo de Referência para o Fluxo de Informações no Processo de Configuração do


Sistema de Automação e Proteção de Subestações (IEC 61850-6) ................................. 75 

5
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

1 Escopo

1.1 Esta Norma fixa as condições mínimas exigíveis para a elaboração, apresentação e
gerenciamento de documentos de projetos de eletricidade para instalações da PETROBRAS.

1.2 Esta Norma é aplicável para a elaboração e apresentação de projetos e documentos para
instalações novas, a serem construídas bem como para instalações existentes, a serem modificadas
ou ampliadas.

1.3 O usuário do projeto deve definir para a Projetista as definições indicadas nesta Norma que
devem ser consideradas como sendo obrigatórias para cada projeto. (Ver Anexo A)

1.4 Devem ser definidos, entre a Projetista e o usuário do projeto, dependendo do porte ou do nível
de complexidade de cada projeto, a aplicabilidade das diversas etapas do empreendimento previstas
nesta Norma, tais como projeto conceitual, projeto de pré-detalhamento (FEED), projeto de
detalhamento e projeto conforme construído. (Ver Anexo B)

1.5 Esta Norma é abrangente e se baseia em projetos de sistemas elétricos completos ou de grande
porte. Para cada projeto em particular, dependendo do seu porte ou do seu nível de complexidade,
devem ser definidos, pelo usuário do projeto, os documentos de projeto de eletricidade aplicáveis a
serem elaborados e apresentados pela Projetista, com base nos requisitos indicados nesta Norma.
(Ver Anexo C)

1.6 Esta Norma se aplica a projetos de eletricidade iniciados a partir da data de sua edição.

1.7 Esta Norma contém Requisitos Técnicos e Práticas Recomendadas.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para


referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas,
aplicam-se as edições mais recentes dos referidos documentos.

Resolução CONMETRO no 12/88 - Quadro Geral de Unidades de Medida;

Norma Regulamentadora no 10 (NR-10) - Segurança em Instalações e Serviços em


Eletricidade;

Norma Regulamentadora no 13 (NR-13) - Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações;

Norma Regulamentadora no 17 (NR-17) - Ergonomia;

Norma Regulamentadora no 20 (NR-20) - Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis


e Combustíveis;

PETROBRAS N-314 - Painel de Baixa Tensão - Centro de Controle de Motores;

PETROBRAS N-316 - Painel de Baixa Tensão - Centro de Distribuição de Carga;

PETROBRAS N-317 - Painel de Média Tensão - Centro de Distribuição de Carga;

PETROBRAS N-319 - Duto de Barramento;

6
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

PETROBRAS N-329 - Acumuladores para Uso Industrial;

PETROBRAS N-332 - Sistema Ininterrupto de Energia Corrente Contínua para Uso


Industrial (UPS-CC);

PETROBRAS N-381 - Execução de Desenhos e Outros Documentos Técnicos em Geral;

PETROBRAS N-898 - Símbolos Gráficos e Designações para Diagramas Elétricos;

PETROBRAS N-1521 - Identificação de Equipamentos Industriais;

PETROBRAS N-1600 - Construção, Montagem e Condicionamento de Redes Elétricas;

PETROBRAS N-1614 - Construção, Montagem e Condicionamento de Equipamentos


Elétricos;

PETROBRAS N-1674 - Projeto de Arranjo de Instalações Industriais Terrestres de Petróleo,


Derivados, Gás Natural e Álcool;

PETROBRAS N-1710 - Codificação de Documentos Técnicos de Engenharia;

PETROBRAS N-1711 - Detalhes de Caixa de Enfiação (Manholes-EMH) para Uso em Rede


Elétrica Subterrânea;

PETROBRAS N-1857 - Sistema de Aquecimento por Traço Elétrico Resistivo para


Aplicações Industriais - Procedimentos de Projeto, Instalação, Inspeção e Manutenção;

PETROBRAS N-1913 - Preparação de Requisição de Material;

PETROBRAS N-1955 - Gerador Síncrono;

PETROBRAS N-1973 - Requisição de Material para Equipamentos Elétricos;

PETROBRAS N-1996 - Projeto de Redes Elétricas em Envelopes de Concreto e com Cabos


Diretamente no Solo;

PETROBRAS N-1997 - Redes Elétricas em Sistemas de Bandejamento para Cabos -


Projeto, Instalação e Inspeção;

PETROBRAS N-1998 - Projeto de Redes Elétricas Aéreas;

PETROBRAS N-2006 - Projeto de Sistemas de Iluminação;

PETROBRAS N-2039 - Projeto de Subestações em Instalações Terrestres;

PETROBRAS N-2064 - Emissão e Revisão de Documentos de Projeto;

PETROBRAS N-2547 - Conversor de Frequência para Controle de Rotação e Motor Elétrico


até 660 VCA;

PETROBRAS N-2641 - Sistema de Aquecimento por Traço Elétrico Resistivo para


Aplicações Industriais;

PETROBRAS N-2760 - Sistema Ininterrupto de Energia para Uso Industrial;

PETROBRAS N-2779 - Relés Digitais de Proteção;

PETROBRAS N-2817 - Painel de Média Tensão - Centro de Controle de Motores;

PETROBRAS N-2830 - Critérios de Segurança para Ambientes e Serviços em Painéis e


Equipamentos Elétricos com Risco de Arco Elétrico;

7
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

PETROBRAS N-2874 - Chaves Seccionadoras a SF6;

PETROBRAS N-2918 - Atmosferas Explosivas - Classificação de Áreas;

PETROBRAS N-2919 - Motores Elétricos Trifásicos de Indução e Síncronos;

PETROBRAS N-2928 - Transformadores de Potência;

ABNT NBR 5101 - Iluminação Pública - Procedimento;

ABNT NBR 5410 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão;

ABNT NBR 5419-1 - Proteção Contra Descargas Atmosféricas - Parte 1: Princípios Gerais;

ABNT NBR 5419-2 - Proteção Contra Descargas Atmosféricas - Parte 2: Gerenciamento de


Risco;

ABNT NBR 5419-3 - Proteção Contra Descargas Atmosféricas - Parte 3: Danos Físicos a
Estruturas e Perigos à Vida;

ABNT NBR 5419-4 - Proteção Contra Descargas Atmosféricas - Parte 4: Sistemas Elétricos
e Eletrônicos Internos na Estrutura;

ABNT NBR 14039 - Instalações Elétricas de Média Tensão de 1,0 kV a 36,2 kV;

ABNT NBR 15708-4 - Indústrias do Petróleo e Gás Natural - Perfis Pultrudados - Parte 4:
Sistema de Bandejamento;

ABNT NBR 17240 - Sistemas de Detecção e Alarme de Incêndio - Projeto, Instalação,


Comissionamento e Manutenção de Sistemas de Detecção e Alarme de Incêndio -
Requisitos;

ABNT NBR 17505-1 - Armazenamento de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis - Parte 1:


Disposições Gerais;

ABNT NBR IEC 60079-10-1 - Atmosferas Explosivas - Parte 10-1: Classificação de Áreas -
Atmosferas Explosivas de Gás;

ABNT NBR IEC 60079-10-2 - Atmosferas Explosivas - Parte 10-2: Classificação de Áreas -
Atmosferas de Poeiras Combustíveis;

ABNT NBR IEC 60079-13 - Atmosferas Explosivas - Parte 13: Proteção de Equipamentos
por Ambiente Pressurizado “p”;

ABNT NBR IEC 60079-14 - Atmosferas Explosivas - Parte 14: Projeto, Seleção e Montagem
de Instalações Elétricas;

ABNT NBR IEC 60079-16 - Equipamentos Elétricos para Atmosferas Explosivas - Parte 16:
Ventilação Artificial para a Proteção de Casa de Analisadores;

ABNT NBR IEC 60079-17 - Atmosferas Explosivas - Parte 17: Inspeção e Manutenção de
Instalações Elétricas;

ABNT NBR IEC 60079-20-1 - Atmosferas Explosivas - Parte 20-1: Características de


Substâncias para Classificação de Gases e Vapores - Métodos de Ensaios e Dados;

ABNT NBR IEC 60079-25 - Atmosferas Explosivas - Parte 25: Sistemas Elétricos
Intrinsecamente Seguros;

ABNT NBR IEC 61892-1 - Unidades Marítimas Fixas e Móveis - Instalações Elétricas -
Parte 1: Requisitos e Condições Gerais;

8
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

ABNT NBR IEC 61892-2 - Unidades Marítimas Fixas e Móveis - Instalações Elétricas -
Parte 2: Projeto de Sistemas Elétricos;

ABNT NBR IEC 61892-3 - Unidades Marítimas Fixas e Móveis - Instalações Elétricas –
Parte 3: Equipamentos;

ABNT NBR IEC 61892-6 - Unidades Marítimas Fixas e Móveis - Instalações Elétricas -
Parte 6: Instalação;

ABNT NBR IEC 61892-7 - Unidades Marítimas Fixas e Móveis - Instalações Elétricas -
Parte 7: Áreas Classificadas;

ABNT NBR IEC 62271-200 - Conjunto de Manobra e Controle de Alta-Tensão - Parte 200:
Conjunto de Manobra e Controle de Alta-Tensão em Invólucro Metálico para Tensões acima
de 1 kV até e Inclusive 52 kV;

ABNT NBR ISO/CEI 8995-1 - Iluminação de Ambientes de Trabalho - Parte 1: Interior;

API RP 14FZ - Recommended Practice for Design and Installation of Electrical Systems for
Fixed and Floating Offshore Petroleum Facilities for Unclassified and Class I, Zone 0, Zone 1
and Zone 2 locations;

API RP 505 - Recommended Practice for Classification of Locations for Electrical


Installations at Petroleum Facilities Classified as Class I, Zone 0, Zone 1, and Zone 2;

API RP 540 - Electrical Installations in Petroleum Processing Plants;

ASTM F1506 - Standard Performance Specification for Flame Resistant and Arc Rated
Textile Materials for Wearing Apparel for Use by Electrical Workers Exposed to Momentary
Electric Arc and Related Thermal Hazards;

ASTM F1891 - Standard Specification for Arc and Flame Resistant Rainwear;

ASTM F1958/F1958M - Standard Test Method for Determining the Ignitability of Non-flame-
Resistant Materials for Clothing by Electric Arc Exposure Method Using Mannequins;

ASTM F1959/F1959M - Standard Test Method for Determining the Arc Rating of Materials
for Clothing;

ASTM F2178 - Standard Test Method for Determining the Arc Rating and Standard
Specification for Eye or Face Protective Products;

IEC 60092-352 - Electrical Installations in Ships - Part 352: Choice and Installation of
Electrical Cables;

IEC 60092-401 - Electrical Installations in Ships - Part 401: Installation and Test of
Completed Installation;

IEC 60092-502 - Electrical Installations in Ships - Part 502: Tankers - Special Features;

IEC 60255-24 - Measuring Relays and Protection Equipment - Part 24: Common Format for
Transient Data Exchange (COMTRADE) for Power Systems;

IEC 60287-1-1 - Electric Cables - Calculation of the Current Rating - Part 1-1: Current Rating
Equations (100 % Load Factor) and Calculation of Losses;

IEC 60364 (All Parts) - Low Voltage Electrical Installations;

IEC 60617 - Database Snapshot - Graphical Symbols for Diagrams;

9
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

IEC 60909-0 - Short-Circuit Current Calculation in Three-Phase a.c. Systems - Part 0:


Calculation of Currents;

IEC 61131-1 - Programmable Controllers - Part 1: General Information;

IEC 61131-3 - Programmable Controllers - Part 3: Programming Languages;

IEC 61363-1 - Electrical Installations of Ships and Mobile and Fixed Offshore Units - Part 1:
Procedures for Calculating Short-Circuit Currents in Three-Phase a.c.;

IEC 61588 - Precision Clock Synchronization Protocol for Networked Measurement and
Control Systems;

IEC 61850 (all parts) - Communication Networks and Systems for Power Utility Automation;

IEC 61892-4 - Mobile and Fixed Offshore Units - Electrical Installations - Part 4: Cables

IEC 61892-5 - Mobile and Fixed Offshore Units - Electrical Installations - Part 5: Mobile
Units;

IEC 61936-1 - Power installations Exceeding 1 kV a.c. - Part 1: Common Rules;

IEC 62305-1 - Protection against Lightning - Part 1: General Principles;

IEC 62305-2 - Protection against Lightning - Part 2: Risk Management;

IEC 62305-3 - Protection against Lightning - Part 3: Physical Damage to Structures and Life
Hazard;

IEC 62305-4 - Protection against Lightning - Part 4: Electrical and Electronic Systems within
Structures;

IEC 62381 - Automation Systems in the Process Industry - Factory Acceptance Test (FAT),
Site Acceptance Test (SAT), and Site Integration Test (SIT);

IEC 62439 (all parts) - Industrial Communication Networks - High Availability Automation
Networks;

IEC 62708 - Documents Kinds for Electrical and Instrumentation Projects in the Process
Industry;

IEC/TS 60079-32-1 - Explosive Atmospheres - Part 32-1: Electrostatic Hazards, Guidance;

IEC/TS 62351-6 - Power Systems Management and Associated Information Exchange -


Data and Communications Security - Part 6: Security for IEC 61850;

IEEE Std 80 - Guide for Safety in AC Substation Grounding;

IEEE Std 141 - Recommended Practice for Electric Power Distribution for Industrial Plants -
IEEE Red Book (Color Book Series);

IEEE Std 142 - Recommended Practice for Grounding of Industrial and Commercial Power
Systems - IEEE Green Book (Color Book Series);

IEEE Std 242 - Recommended Practice for Protection and Coordination of Industrial and
Commercial Power Systems - IEEE Buff Book (Color Book Series);

IEEE Std 519 - Recommended Practice and Requirement for Harmonic Control in Electric
Power Systems;

10
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

IEEE Std 1100 - Recommended Practice for Powering and Grounding Electronic Equipment
- IEEE Emerald Book (Color Book Series);

IEEE Std 1531 - Guide for Application and Specification of Harmonic Filters;

IEEE Std 1584 - Guide for Performing Arc-Flash Hazard Calculations;

IEEE Std C37.2 - Electrical Power System Device Function Numbers, Acronyms and
Contact Designations;

IEEE Std C37.91 - Guide for Protective Relay Applications to Power Transformers;

IEEE Std C37.96 - Guide for AC Motor Protection;

IEEE Std C37.101 - Guide for Generator Ground Protection;

IEEE Std C37.102 - Guide for AC Generator Protection;

IEEE Std C37.110 - Guide for the Application of Current Transformers Used for Protective
Relaying Purposes;

IMO MODU CODE - Code for the Construction and Equipment of Mobile Offshore Drilling
Unit;

NFPA 20 - Standard for the Installation of Stationary Pumps for Fire Protection;

NFPA 30 - Flammable and Combustible Liquids Code;

NFPA 70 - National Electrical Code;

NFPA 70E - Standard for Electrical Safety in the Workplace;

NFPA 110 - Standard for Emergency and Standby Power Systems;

NFPA 497 - Recommended Practice for the Classification of Flammable Liquids, Gases, or
Vapors and of Hazardous (Classified) Locations for Electrical Installations in Chemical
Process Areas;

NFPA 499 - Recommended Practice for the Classification of Combustible Dusts and of
Hazardous (Classified) Locations for Electrical Installations in Chemical Process Areas;

NFPA 780 - Standard for the Installation of Lightning Protection Systems.

3 Termos e Definições

Para os efeitos deste documento aplicam-se os seguintes termos e definições.

3.1
CAD 2D
termo em inglês para “Computer Aided Design”, designando projeto elaborado em computador em
formato bidimensional (2D)

3.2
CAD 3D
termo em inglês para “Computer Aided Design”, designando projeto elaborado em computador em
formato tridimensional (3D)

11
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

3.3
CAE
termo em inglês para “Computer Aided Engineering”, designando projeto ou estudo de engenharia
elaborado em computador

3.4
DMZ
termo em inglês para “Demilitarized Zone” (Zona Desmilitarizada), designando a região de rede de
comunicação de dados perimetral que se localiza entre a RIC e a RAI. Tem por objetivo executar a
política de segurança quanto a acessos externos à RAI, contra ataques cibernéticos

3.5
Estudo de Viabilidade Técnico-Econômico (EVTE)
processo de obtenção de informações técnicas, econômicas, legais, financeiras e ambientais
organizadas e condensadas em um relatório denominado Estudo de Viabilidade Técnico-Econômico,
cujo principal objetivo consiste em auxiliar a tomada de decisão a respeito de novos investimentos e
subsidiar a escolha de opções de condução de projetos

3.6
Informações Básicas do Empreendimento (IBE) para eletricidade
conjunto de informações básicas e bases de projeto de eletricidade desenvolvido na etapa inicial da
fase de definição do escopo de um empreendimento, elaborado pelo usuário do projeto,
compreendendo dados, diretrizes, requisitos, procedimentos e todas as demais informações
necessárias ao desenvolvimento das etapas do empreendimento, tais como: projeto conceitual,
projeto básico, projeto de pré-detalhamento (FEED), projeto de detalhamento, construção, montagem,
testes de aceitação, comissionamento, pré-operação e partida assistida, entre outros

3.7
projetista
pessoa, equipe ou empresa responsável pela execução dos trabalhos de elaboração do projeto de
eletricidade, nas etapas de projeto conceitual, projeto básico, projeto de pré-detalhamento (FEED),
projeto de detalhamento e atualização de documentação de projeto como construído (as-built)

3.8
projeto básico de eletricidade
conjunto de informações e documentos técnicos necessários e suficientes que define as
características básicas de um sistema elétrico para a elaboração do projeto de detalhamento. O
projeto básico de eletricidade deve ser realizado levando em consideração os critérios de projeto
elaborados para o empreendimento

3.9
projeto conceitual de eletricidade
conjunto de estudos e análises realizados durante o EVTE Conceitual, a fim de subsidiar a geração e
a seleção de alternativas de suprimento elétrico do empreendimento. O projeto conceitual de
eletricidade deve ser realizado levando em consideração as informações básicas de eletricidade para
o empreendimento

3.10
projeto Conforme Construído ou “As-Built”
projeto de detalhamento devidamente revisado incorporando todas as modificações realizadas no
sistema durante as fases de construção, montagem, condicionamento e operação assistida

12
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

3.11
projeto de detalhamento de eletricidade
conjunto de informações e documentos técnicos necessários e suficientes cujo conteúdo fundamenta
as fases de suprimento, construção e montagem, condicionamento, pré-operação, operação,
inspeção e manutenção do sistema elétrico, levando em consideração os critérios de projeto
elaborados para o empreendimento

3.12
projeto de pré-detalhamento de eletricidade (FEED - “Front-End Engineering and Design”)
projeto de pré-detalhamento, elaborado a partir de projeto básico completo e consolidado, que tem
como objetivo principal melhorar a precisão da estimativa de custo

3.13
RAI
Rede de Automação Industrial cujos componentes se destinam a integrar as informações oriundas
dos vários sistemas de automação industrial e estabelecer interface com a RIC. É administrada pela
área de automação

3.14
RIC
Rede Integrada Corporativa cujos componentes e informações se destinam a integrar os vários
sistemas de informação e serviços da Companhia

3.15
TAG
termo em inglês utilizado para designar a identificação alfanumérica equipamentos, componentes,
dispositivos ou circuitos elétricos

3.16
usuário do projeto
unidade operacional, unidade de negócio, gerência ou cliente final, responsável pela especificação
dos requisitos, bases e critérios para a elaboração de cada projeto em particular e pela aprovação
final da documentação a ser elaborada pela Projetista

4 Siglas e Abreviaturas

Para os propósitos desta Norma são aplicáveis as siglas e as abreviaturas relacionadas a seguir:

ART Anotação de Responsabilidade Técnica;


ATPV Termo em inglês para “Arc Thermal Performance Value”;
AVR Termo em inglês para “Automatic Voltage Regulator”;
CBT Caixa de Bornes Terminais;
CCM Centro de Controle de Motores;
CDC Centro de Distribuição de Carga;
CID Termo em inglês para “Configured IED Description” (IEC 61850-6);
COMTRADE Termo em inglês para Common “Format for Transient Data Exchange”
(IEC 60255-24);
CPM Termo em inglês para” Critical Path Method”;
DPS Dispositivos de Proteção contra Surtos;
EDMS Termo em inglês para “Electronic Document Management System”;
EPL Termo em inglês para “Equipment Protection Level”;
ET Especificação Técnica;
ESD Termo em inglês para “Emergency Shut Down”;
FD Folha de Dados;
FMEA Termo em inglês para “Failure Mode and Effect Analysis”;

13
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

GOOSE Termo em inglês para “Generic Object Oriented Substation Event” (IEC 61850);
GPS Termo em inglês para “Global Positioning System”;
HAZOP Termo em inglês para “Hazard and Operability Study”;
IAC Termo em inglês para “Intern Arc Classified”;
ICD Termo em inglês para “IED Capability Description” (IEC 61850-6);
IED Termo em inglês para “Intelligent Electronic Device”;
IHM Interface Homem-Máquina;
IID Termo em inglês para “Instantiated IED Description” (IEC 61850-6);
IPS Termo em inglês para “Intrusion Prevention System” (DMZ);
LD Termo em inglês para “Logical Devices”;
LN Termo em inglês para “Logical Node” (IEC 61850);
MCT Termo em inglês para “Multi Cable Transit”;
MMS Termo em inglês para “Manufacturing Message Specification” (IEC 61850-8-1);
MU Termo em inglês para Merging Unit (IEC 61850-9-2);
OLTC Termo em inglês para “On Load Tap Changer”;
OPC Termo em inglês para “Open Platform Communications”;
QGU Quadro Geral de Unidades;
POL Termo em inglês para “Project On-Line”;
PERT Termo em inglês para “Program Evaluation and Review Technique”;
PLC Termo em inglês para “Programmable Logic Controller”;
PTP Termo em inglês para “Precision Time Protocol” (IEC 61588);
RM Requisição de Materiais;
RTDS Termo em inglês para “Real Time Digital Simulation”;
SA Termo em inglês para “Substation Automation”;
SCL Termo em inglês para “System Configuration Language” (IEC 61850-6);
SCD Termo em inglês para “Substation Configuration Description” (IEC 61850-6);
SCMD Sistema de Controle e Monitoração Distribuído;
SSC Sistema de Supervisão e Controle;
SED Termo em inglês para “System Exchange Description” (IEC 61850-6);
SIGEM Sistema Integrado de Gerenciamento de Empreendimentos;
SIS Sistema Instrumentado de Segurança;
SM Sistema Métrico;
SPDA Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas;
SSD Termo em inglês para “System Specification Description” (IEC 61850-6);
SV Termo em inglês para “Sampled Values” (IEC 61850-9-2);
TAC Testes de Aceitação de Campo (IEC 62381);
TAF Testes de Aceitação de Fábrica (IEC 62381);
TIC Teste de Integração de Campo (IEC 62381);
TRV Termo em inglês para “Transient Recovery Voltage”;
UTR Unidade Terminal Remota;
UPS Termo em inglês para ”Uninterruptible Power System”;
VAC Ventilação e Ar Condicionado;
VLAN Termo em inglês para “Virtual LAN” (IEC 61850);
VDF Verificação de Documentação de Fornecedores.

5 Condições Gerais

5.1 Generalidades

5.1.1 Qualquer item não coberto pelas normas da PETROBRAS indicadas deve atender às normas
da ABNT aplicáveis. Caso o item não seja coberto por norma ABNT, deve atender aos requisitos da
norma internacional IEC ou ISO aplicável.

14
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

5.1.2 As informações básicas de eletricidade constantes do IBE, caso tenham sido apresentadas
pelo usuário do projeto, e o memorial descritivo com as características básicas das instalações
elétricas devem ser utilizados para o desenvolvimento direto de todas as etapas do empreendimento,
incluindo:

a) projeto conceitual de eletricidade;


b) projeto básico de eletricidade;
c) projeto de detalhamento de eletricidade.

5.1.3 Os documentos que constituem o projeto de eletricidade devem ser elaborados segundo as
determinações das normas e documentos aplicáveis indicadas na Seção 2.

5.1.4 As unidades utilizadas nos documentos constituintes do projeto de eletricidade devem ser as
unidades do sistema oficial de medidas, SM, com abreviações, prefixos e sufixos normalizados.
o
Outras unidades são aceitas se constarem do QGU, anexo à resolução CONMETRO n 12/88 que
dispõe sobre a utilização do SM no Brasil. Quando utilizados eletrodutos metálicos (rígidos ou
flexíveis) e seus acessórios, aceita-se a identificação de seus diâmetros nominais em polegadas.

5.1.5 A menos que indicado em contrário e especificado na documentação do contrato do projeto, o


idioma utilizado na elaboração e na apresentação de projetos de eletricidade da PETROBRAS deve
ser o português do Brasil.

5.1.6 Os requisitos apresentados nesta Norma são aplicáveis tanto a novos empreendimentos como
em projetos envolvendo ampliações e reformas de instalações existentes.

5.1.7 Os documentos referentes ao projeto de eletricidade, tanto os elaborados ou revisados pela


Projetista, bem como os elaborados pelos fabricantes e/ou fornecedores devem ser numerados e
identificados de acordo com os requisitos indicados na PETROBRAS N-1710, a menos que indicado
em contrário nos critérios de projeto elaborados pelo usuário do projeto, para cada caso em
particular.

5.1.8 Os equipamentos elétricos devem ser identificados (TAG) de acordo com os requisitos
indicados na PETROBRAS N-1521, a menos que indicado em contrário nos critérios de projeto
elaborados pelo usuário do projeto, para cada caso em particular.

5.1.9 Na elaboração da documentação do projeto de eletricidade devem ser levados em


consideração os requisitos indicados nesta Norma, bem como os requisitos aplicáveis indicados na
IEC 62708.

5.1.10 O projeto de eletricidade deve ser elaborado de forma que os diagramas elétricos, incluindo
os diagramas funcionais e de interligação, contenham "hyperlinks" para referenciar a localização
cruzada dos dispositivos elétricos, tais como relés de proteção, IED, relés multiplicadores de
contatos, contatores, disjuntores e chaves seccionadoras, com a localização dos respectivos contatos
de força ou controle.

15
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

5.1.11 As referências cruzadas devem permitir, em diagramas funcionais de várias páginas, por meio
de facilidade de "navegação" que estes dispositivos elétricos e seus respectivos contatos sejam
localizados automaticamente por meio de “links” atribuídos a estes componentes, por meio de
acionamento por mouse, os quais devem endereçar para as respectivas páginas onde são utilizados,
bem como para a localização dentro da página (coluna e linha). Estes “hyperlinks” devem ser ativos e
permitir navegar entre os dispositivos tanto na documentação no formato editável como na
documentação no formato Acrobat Reader® (PDF) 1). [Prática Recomendada]

5.2 Projeto Conceitual de Eletricidade

5.2.1 Fases de Apresentação do Projeto Conceitual de Eletricidade

5.2.2.1.1 A menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais, os documentos do projeto
conceitual de eletricidade devem ser elaborados e apresentados em fases distintas de acordo com as
finalidades para as quais estão sendo emitidos.

5.2.2.1.2 Devem ser consideradas, no mínimo, as fases de emissão de:

a) documentos preliminares;
b) documentos para comentários;
c) documentos para aprovação;
d) documentos para desenvolvimento de projetos de outras especialidades.

5.2.2 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto Conceitual de Eletricidade

5.2.2.1 O projeto conceitual de eletricidade deve ser constituído pelos seguintes documentos, a
menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais:

a) listas de cargas elétricas normal, essencial e de emergência;


b) estudo de alternativas de conexão do empreendimento ao Sistema Integrado Nacional
(SIN);
c) estudos de viabilidade técnico-econômicos do sistema elétrico;
d) memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade tais como:
distribuição de força, sistemas de alimentação normal, essencial e de emergência,
aterramento, tipos de proteção de equipamentos para instalação em áreas classificadas,
iluminação, traceamento e aquecimento elétrico industrial, sinalização e alarme e
proteção contra descargas atmosféricas;
e) memoriais descritivos e diagramas simplificados dos sistemas de proteção, automação,
medição e intertravamento, com base nos requisitos da Série IEC 61850. Devem ser
indicadas a topologia de redes de dados e IED, bem como as redundâncias de
“switches” industriais, servidores e GPS;
f) memoriais descritivos e diagramas simplificados da integração e das interfaces entre a
automação do sistema elétrico, a automação do sistema de processo e o sistema
supervisório;
g) especificação técnica de critérios técnicos gerais para o projeto básico. A especificação
deve incluir as áreas de força e automação elétrica;
h) memorial descritivo da distribuição interna da planta, níveis de tensão a serem utilizados,
número e localização proposta das subestações;
i) diagrama unifilar geral e típico indicando os sistemas de alta, média e baixa tensão,
considerando a filosofia de configuração do sistema de força, tal como secundário
seletivo ou primário seletivo;

1)
Acrobat Reader é o nome comercial de um software fornecido pela Adobe Systems Incorporated. Esta informação é dada
para facilitar aos usuários desta Norma e não constitui um endosso por parte da PETROBRAS ao produto citado. Podem ser
utilizados produtos equivalentes, desde que conduzam aos mesmos resultados.

16
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

j) plano diretor do projeto de eletricidade, incluindo planta baixa com a disposição física da
instalação com, no mínimo, indicações do norte verdadeiro de projeto, ventos
predominantes no verão e no inverso, pontos de conexão com a rede elétrica local
(quando aplicável), localização das unidades de processo (centros de cargas) e
subestações, troncos principais de cabeamentos elétricos;
k) Memorial descritivo do sistema elétrico com a filosofia de operação normal e em
contingência.

5.2.2.2 Os documentos aplicáveis para cada projeto em particular a serem elaborados ou revisados
pela Projetista devem ser indicados pelo usuário ou responsável do projeto, por meio do
preenchimento do Anexo C.

5.3 Projeto Básico de Eletricidade

5.3.1 Fases de Apresentação do Projeto Básico de Eletricidade

5.3.1.1 A menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais, os documentos do projeto
básico de eletricidade devem ser elaborados e apresentados em fases distintas de acordo com as
finalidades para as quais estão sendo emitidos.

5.3.1.2 Devem ser consideradas, no mínimo, as fases de emissão de:

a) documentos preliminares;
b) documentos para comentários;
c) documentos para aprovação;
d) documentos para desenvolvimento de projetos de outras especialidades.

5.3.2 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto Básico de Eletricidade

5.3.2.1 O projeto básico de eletricidade deve ser constituído pelos seguintes documentos, a menos
que indicado em contrário nas diretrizes contratuais:

a) lista de documentos de projeto;


b) cronograma de projeto e de emissão de documentos;
c) listas de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e de emergência;
d) diagramas unifilares básicos e gerais de alta, média e baixa tensão;
e) diagramas lógicos típicos e diagramas funcionais típicos por níveis de tensão e função
do cubículo (tais como gerador, alimentador de transformador, alimentador de motor,
alimentador de CDC, alimentador de CCM e interligação de barras);
f) lista de equipamentos elétricos, contendo os parâmetros dos principais equipamentos e
circuitos elétricos principais do projeto, tais como: dados de geradores, transformadores,
motores, painéis, conversores de frequência, reatores, baterias de capacitores,
retificadores, baterias de acumuladores, cabos etc. Os parâmetros apresentados na lista
de equipamentos devem ser obtidos, na etapa do projeto básico, a partir de dados
típicos disponíveis em normas e na literatura técnica. As referências técnicas devem ser
indicadas nesta lista de equipamentos;

NOTA A lista de equipamentos deve ser obtida a partir de um banco de dados integrado,
compatível com todos os aplicativos utilizados nos estudos elétricos. A formatação do banco
de dados deve estar de acordo com os requisitos de cada Empreendimento.

g) relatório de estudo de fluxo de potência, contemplando os cenários de maior


carregamento para os equipamentos e maior queda de tensão do sistema para cenários
com geração normal, essencial e de emergência;

17
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

h) relatório de estudo de curto-circuito, contemplando os cenários que levam aos maiores


valores de curtos-circuitos trifásicos e monofásicos a serem utilizados para o
dimensionamento dos principais equipamentos da instalação;
i) relatório de estudo de queda de tensão durante a partida dos motores, considerando
cenários com geração normal, essencial e de emergência. Na etapa de projeto básico, é
permitida a modelagem simplificada do sistema elétrico, sem a necessidade do
modelamento dos controles de tensão e velocidade associados às máquinas elétricas
síncronas. Devem ser consideradas na simulação as impedâncias estimadas para os
cabos dos circuitos de alimentação de força;
j) relatório de estudo de harmônicos introduzidos no sistema elétrico, em instalações que
contenham fontes geradoras de distorções harmônicas, tais como cargas acionadas por
conversores de frequência, UPS, baterias de capacitores. Na etapa de projeto básico,
deve ser feita uma estimativa das prováveis consequências da presença de correntes
harmônicas no sistema elétrico, tais como: sobreaquecimento de equipamentos,
sobretensões advindas de circuitos ressonantes, necessidade de filtros etc. No estudo
de harmônicos, devem ser considerados os requisitos indicados nas IEEE Std 519 e
IEEE Std 1531. Em caso de superação dos limites estipulados nas IEEE Std 519 e
IEEE Std 1531, devem ser propostas soluções para a mitigação de harmônicos, com
foco em minimização de custo;
k) relatório de estudos dos riscos e perigos envolvidos com os sistemas elétricos a serem
projetados. Devem ser analisados nos estudos a possibilidade de modos de falha
comum nos sistemas elétricos de proteção, bem como devem ser indicadas as
respectivas ações mitigadoras. Os estudos de análises de risco dos sistemas elétricos
devem ser realizados com base nas metodologias HAZOP e FMEA.

NOTA Os estudos listados em g) a k) têm como objetivo principal, na etapa de projeto básico,
orientar o planejamento do sistema elétrico da instalação e o dimensionamento dos
parâmetros dos equipamentos e circuitos principais, a serem refinados nas etapas
posteriores. O banco de dados deve ser utilizado para a etapa posterior de projeto de pré-
detalhamento (FEED), quando aplicável.

l) FD e RM dos equipamentos elétricos principais dos sistemas de força, proteção e


automação, nos casos onde seja requerida a aquisição dos equipamentos antes do
projeto de detalhamento, por questões de planejamento do Empreendimento;
m) ET dos principais equipamentos dos sistemas de força, proteção e automação;
n) desenhos de arranjo das instalações físicas preliminares dos sistemas e equipamentos
elétricos, incluindo subestações, salas de painéis, salas de cabos, casas de controle,
motores, sistemas de iluminação, aterramento e encaminhamentos de eletrodutos
aparentes, subterrâneos e de circuitos de força e controle;
o) memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de eletricidade tais como:
distribuição de força, sistemas de alimentação normal, essencial e de emergência,
aterramento, iluminação, traceamento e aquecimento elétrico industrial, sinalização e
alarme, proteção contra descargas atmosféricas e equipamentos para instalação em
atmosferas explosivas;
p) memoriais descritivos e diagramas básicos dos sistemas de proteção, automação,
medição e intertravamento, com base nos requisitos da Série IEC 61850 ou em outros
protocolos. Devem ser indicadas a topologia de redes de dados e IED, bem como as
redundâncias de switches industriais, servidores e GPS, quando aplicáveis;
q) memoriais descritivos e diagramas básicos da integração e interfaces entre a automação
do sistema elétrico, a automação do sistema de processo e o sistema supervisório;
r) estudos preliminares de classificação de áreas contendo atmosferas explosivas de gases
inflamáveis ou poeiras combustíveis, incluindo a elaboração das listas de dados de
processo, definição das extensões das áreas classificadas, os grupos de gases ou
poeiras, classes de temperatura (gases) ou temperatura de ignição (poeiras). Os estudos
devem conter o memorial descritivo sobre as avaliações de risco, os critérios utilizados
para a seleção dos tipos de proteção de equipamentos “Ex” e os níveis de proteção de
equipamentos (EPL) para atmosferas explosivas;
s) diagrama de proteção do sistema de média tensão incluindo sistema de geração e painel
de distribuição principal (“offshore”);
t) critérios de projeto contendo requisitos de projeto de eletricidade para unidades pacotes
(“skids”);

18
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

u) especificação técnica de requisitos de ergonomia de projetos de sistema elétrico,


incluindo os requisitos da NR-17;
v) planta de arranjo do sistema de aterramento (“offshore”);
w) especificação técnica de projeto do sistema elétrico para unidades offshore, com base
nas normas aplicáveis a instalações “offshore”;
x) especificação técnica de equipamentos e materiais para o sistema elétrico de unidades
“offshore”, com base nas normas aplicáveis a instalações “offshore”;
y) especificação técnica do sistema de gerenciamento de energia para unidades “offshore”
(PMS - “Power Management System”);
z) especificação técnica do painel tiristorizado de força do sistema de aquecimento para
unidades “offshore”;
aa) especificação técnica dos limites de bateria e interface de circuitos de força, controle
e automação entre instalações elétricas do “topsides” e do casco para instalações
“offshore”;
bb) lista de classificação das cargas elétricas de “topsides” de acordo com o modo de
controle (local, remoto ou controle por unidades pacotes);
cc) documentação do projeto básico (“Data Books”) de eletricidade contendo toda a
documentação gerada.

5.3.2.2 Os documentos aplicáveis para cada projeto em particular a serem elaborados ou revisados
pela Projetista devem ser indicados pelo usuário ou responsável do projeto, por meio do
preenchimento do Anexo C.

5.4 Projeto de Pré-Detalhamento de Eletricidade (FEED)

5.4.1 Fases de Apresentação do Projeto de Pré-Detalhamento de Eletricidade

5.4.1.1 A menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais, os documentos do projeto de
pré-detalhamento de eletricidade devem ser elaborados e apresentados em fases distintas de acordo
com as finalidades para as quais estão sendo emitidos.

5.4.1.2 Devem ser consideradas, no mínimo, as fases de emissão de:

a) documentos preliminares;
b) documentos para comentários;
c) documentos para aprovação;
d) documentos para desenvolvimento de projetos de outras especialidades.

5.4.2 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto de Pré-Detalhamento de Eletricidade

O projeto de pré-detalhamento de eletricidade deve ser constituído pelos seguintes documentos, a


menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais:

a) lista de documentos de projeto;


b) cronograma de projeto e de emissão de documentos;
c) listas de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e emergência;
d) diagramas unifilares básicos;

19
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

e) lista de equipamentos elétricos contendo os parâmetros dos principais equipamentos e


circuitos elétricos principais da instalação, tais como: dados de geradores,
transformadores, motores, painéis, conversores de frequência, reatores, baterias de
capacitores, retificadores, baterias de acumuladores etc. Os parâmetros apresentados
na lista de equipamentos devem ser obtidos, nesta etapa do projeto de
pré-detalhamento, a partir de consultas prévias a fabricantes. Em casos de falta de
informações de fabricantes devem ser utilizados os dados típicos disponíveis em normas
e na literatura técnica. As referências técnicas, incluindo os documentos recebidos dos
fabricantes, devem ser indicadas na lista de equipamentos elétricos;

NOTA A lista de equipamentos deve ser obtida a partir de bancos de dados integrados,
compatíveis com todos os aplicativos utilizados nos estudos elétricos. A formatação dos
bancos de dados deve estar de acordo com os requisitos de cada Empreendimento.

f) desenhos e documentos das instalações físicas preliminares dos sistemas e


equipamentos elétricos, incluindo subestações, salas de painéis, salas de cabos, casas
de controle, motores, sistemas de iluminação, aterramento e encaminhamentos de
eletrodutos aparentes, subterrâneos e de circuitos de força e controle;
g) pré-detalhamento dos sistemas de proteção, automação, medição e intertravamento,
com base nos requisitos da Série IEC 61850. Devem ser pré-detalhadas a topologia das
redes de dados e IED, utilização de VLAN e as redundâncias de “switches” ópticos
industriais, GPS, servidores de descarte seletivo de cargas, MMS e OPC;
h) folhas de dados dos equipamentos elétricos principais dos sistemas de força, proteção e
automação;
i) especificações técnicas de engenharia de equipamentos e de sistemas de força,
proteção e automação;
j) planilhas de quantitativos no padrão fornecido pela PETROBRAS no início do projeto de
pré-detalhamento.

5.4.3 Documentação Emitida pela Projetista no Projeto de Pré-Detalhamento de Eletricidade

a) lista de documentos de projeto;


b) cronograma de projeto e de emissão de documentos;
c) listas de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e emergência;
d) lista de equipamentos elétricos contendo os parâmetros dos principais equipamentos e
circuitos elétricos principais da instalação, tais como: dados de geradores,
transformadores, motores, painéis, conversores de frequência, reatores, baterias de
capacitores, retificadores, baterias de acumuladores etc. Os parâmetros apresentados
na lista de equipamentos devem ser obtidos, nesta etapa do projeto de
pré-detalhamento, a partir de consultas prévias a fabricantes. Em casos de falta de
informações de fabricantes devem ser utilizados os dados típicos disponíveis em normas
e na literatura técnica. As referências técnicas, incluindo os documentos recebidos dos
fabricantes, devem ser indicadas na lista de equipamentos elétricos;
e) desenhos e documentos das instalações físicas preliminares dos sistemas e
equipamentos elétricos, incluindo subestações, salas de painéis, salas de cabos, casas
de controle, motores, sistemas de iluminação, aterramento e encaminhamentos de
eletrodutos aparentes, subterrâneos e de circuitos de força e controle;
f) pré-detalhamento dos sistemas de proteção, automação, medição e intertravamento;
g) pré-detalhamento do sistema de distribuição de iluminação, HVAC e força das
subestações e demais prédios administrativos com foco em permitir estimativa de custo
da implantação destes sistemas;
h) Planilhas de quantitativos no padrão fornecido pela PETROBRAS no início do projeto de
pré-detalhamento.

20
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

5.4.4 Os documentos aplicáveis para cada projeto em particular a serem elaborados ou revisados
pela Projetista devem ser indicados pelo usuário ou responsável do projeto, por meio do
preenchimento do Anexo C.

5.5 Projeto de Detalhamento de Eletricidade

Deve ser constituído por dois conjuntos de documentos. O primeiro a ser elaborado e emitido pela
Projetista e o segundo pelos fabricantes e fornecedores. Os dois grupos de documentos devem ser
elaborados e apresentados parceladamente e em fases distintas no decorrer do projeto.

Devem ser elaborados e emitidos pela Projetista, na etapa de detalhamento do projeto de


eletricidade, os documentos, desenhos, diagramas, listas e tabelas indicadas em 8 relacionados com
o projeto de automação do sistema elétrico.

5.5.1 Fases de Apresentação do Projeto de Detalhamento de Eletricidade

A menos que indicado em contrário nas diretrizes contratuais, os documentos do projeto de


detalhamento de eletricidade devem ser elaborados e apresentados em fases distintas de acordo
com as finalidades para as quais estão sendo emitidos.

Devem ser consideradas, no mínimo, as fases de elaboração e emissão de:

a) lista de precedência de documentos a serem emitidos no detalhamento do projeto;


b) documentos preliminares;
c) documentos para comentários;
d) documentos para aprovação;
e) documentos para desenvolvimento de projetos de outras especialidades;
f) documentos para aquisição de equipamentos;
g) documentos para construção e montagem;
h) documentos “como comprado” e/ou “como construído”;
i) informações básicas de eletricidade para o empreendimento.

5.5.2 Requisitos de Segurança em Projeto de Eletricidade Indicados na NR-10

Devem ser atendidos pela documentação do projeto de eletricidade os requisitos de segurança


indicados na NR-10.

5.5.3 Documentação Elaborada e Emitida pela Projetista no Projeto de Detalhamento de Eletricidade

A Projetista deve elaborar e apresentar, durante as diversas etapas do desenvolvimento do projeto de


detalhamento de eletricidade, no mínimo, os documentos listados a seguir, considerando a ordem de
precedência, a ser emitida pela Projetista para aprovação, a menos que o porte do projeto não exija a
lista de documentos completa, o que deve ser decidido pela PETROBRAS:

a) cronograma de projeto e de emissão de documentos;


b) lista de equipamentos elétricos contendo os parâmetros dos principais equipamentos e
circuitos elétricos da instalação, tais como: dados de geradores, transformadores,
motores, painéis, conversores de frequência, reatores, baterias de capacitores,
retificadores, baterias de acumuladores etc. Os parâmetros apresentados na lista dados
devem ser obtidos a partir da documentação certificada e aprovada, apresentada pelos
fabricantes. A numeração da documentação deve ser indicada nesta lista de
equipamentos elétricos;

21
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

NOTA A lista de equipamentos deve ser obtida a partir de bancos de dados integrados,
compatíveis com todos os aplicativos utilizados nos estudos elétricos. A formatação dos
bancos de dados deve estar de acordo com os requisitos de cada empreendimento.

c) relatórios dos seguintes estudos elétricos:


— fluxo de potência, contemplando os cenários de carga máxima, média e mínima do
sistema elétrico;
— curto-circuito, contemplando os cenários que levam aos maiores valores de
curtos-circuitos trifásicos e monofásicos a serem utilizados para o dimensionamento
dos principais equipamentos da instalação, bem como aqueles cenários que
conduzam aos menores níveis de corrente de curto-circuito, os quais são utilizados
no estudo de coordenação e seletividade da proteção;
— coordenação e seletividade da proteção, incluindo a verificação da tendência de
saturação dos transformadores de corrente de proteção ferromagnéticos ou a
especificação de transformadores de corrente sem saturação, do tipo bobina de
“Rogowski”, bem como a indicação dos ajustes das diversas funções de proteção em
todos os níveis de tensão do sistema elétrico;

NOTA As informações de parametrização e configuração dos relés de proteção e dos IED contidas
neste estudo de coordenação e seletividade devem ser apresentadas de acordo com a
formatação, parametrização e codificação dos diversos fabricantes dos relés de proteção e
IED, de acordo com os seus respectivos manuais.

— queda de tensão durante a partida de grandes máquinas e motores elétricos,


considerando cenários com geração normal, essencial e de emergência. Devem ser
utilizados, na etapa de projeto de detalhamento, os modelos dos reguladores de
tensão e velocidade associados às máquinas elétricas síncronas, fornecidos pelos
respectivos fabricantes;
— estabilidade eletromecânica, contemplando os cenários determinados na etapa de
projeto de detalhamento e os modelos dos reguladores de tensão e de velocidade
associados às máquinas elétricas síncronas, fornecidos pelos respectivos fabricantes.
Devem ser realizados os estudos de estabilidade angular em regime permanente,
incluindo pequenas perturbações que ocorrem durante a operação normal do sistema
elétrico, tais como: entradas e saídas de blocos de carga, e em regime transitório,
incluindo curtos-circuitos, rejeições de carga, reaceleração de motores, perda de
geração etc.;
— transitórios eletromagnéticos, contemplando os cenários determinados na etapa de
projeto de detalhamento e englobando simulações de energização de
transformadores, interrupção de pequenas correntes indutivas em disjuntores e
contatores de painéis de média tensão, tensões de restabelecimento transitórias TRV
em disjuntores de média tensão etc, de modo que possam ser analisados os
resultados obtidos, normalmente sob o ponto de vista das sobretensões, passíveis de
ocorrerem no sistema elétrico;
— harmônicos introduzidos no sistema elétrico, em instalações que contenham fontes
geradoras de distorções harmônicas, tais como cargas acionadas por conversores de
frequência, UPS e baterias de capacitores. Na etapa de projeto de detalhamento, os
equipamentos elétricos e os filtros necessários devem ser dimensionados de acordo
com os resultados apresentados. No estudo de harmônicos, devem ser considerados
os requisitos indicados nas IEEE Std 519 e IEEE Std 1531;
— energia incidente (“Arc-Flash”), que deve determinar, em função do nível de tensão,
da distância do operador ao ponto de falta, dos níveis de curto-circuito (máximos e
mínimos) e dos tempos de atuação da proteção, a quantidade de calor e as classes
dos EPIs contra arcos elétricos;
— relatório dos estudos de simulação digital em tempo real (RTDS) dos estados
transitórios e estacionários do sistema elétrico de potência;

22
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

NOTA De acordo com o porte do projeto de detalhamento pode ser necessária à execução e
revisão dos estudos mais de uma vez. Em um primeiro momento, devem ser elaborados e
emitidos relatórios de estudos que permitam confirmar os resultados obtidos durante a
etapa anterior de projeto (básico ou pré-detalhamento). Com a evolução do projeto, e
aquisição de dados certificados de equipamentos e dados atualizados de cargas, circuitos,
revisões dos estudos podem ser necessárias. Após a fase de comissionamento, quando
todos os dados necessários estiverem disponíveis, podem ser emitidas as revisões finais
dos estudos. [Prática Recomendada]

d) Listas de:
— documentos de projeto;
— cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e emergência;
— cabos e/ou circuitos;
— eletrodutos e/ou bandejas;
— interligação de bornes e circuitos;
— equipamentos elétricos tagueados;
— materiais;
— dados de processo para estudos de classificação de áreas;
— pontos de entrada/saída e mapas ou tabelas de variáveis lógicas e de mensagens de
comunicação GOOSE, MMS e SV para sistemas digitais de automação elétrica;
— parâmetros de configuração de equipamentos elétricos digitais, tais como: relés
digitais de proteção, IED, MU, conversores de frequência, UTR, PLC, UPS,
“Switches” ópticos, servidores, GPS, conversores de protocolo de comunicação e
sistemas de excitação de geradores e motores síncronos. Os dados de configuração
devem ser apresentados de acordo com a formatação e codificação dos diversos
fabricantes, indicados nos respectivos manuais;
e) memoriais descritivos e/ou memórias de cálculo para:
— dimensionamento de equipamentos elétricos, tais como transformadores, painéis,
conversores de frequência, geradores e motores;
— dimensionamento dos sistemas UPS, incluindo sistemas de corrente contínua,
composto por carregadores de bateria e retificadores, incluindo os níveis de tensão
de 24 Vcc e 125 Vcc e sistemas UPS em corrente alternada e respectivas baterias de
acumuladores;
— sistema de distribuição de circuitos de força normal, essencial e de emergência;
— puxamento de cabos de circuitos de distribuição de força, controle, automação e
iluminação;
— sistema de aterramento;
— SPDA;
— sistema de iluminação;
— sistemas de automação e proteção, incluindo definição da topologia e redundância
das redes de comunicação de dados “Ethernet” e a utilização de VLAN;
— arquitetura de servidores de descarte seletivo de cargas, MMS e OPC;
— arquitetura de “switches” industriais, IED, MU e GPS;
— integração entre automação do sistema elétrico e do sistema de processo, por meio
de redes de comunicação de dados ou por fiação física (“hardwired”);
— sistema de coordenação da proteção e seletividade elétrica;
— sistemas de intertravamento elétrico e de segurança de processo;
— sistema de sinalização e alarme;
— estudo de curto-circuito;
— estudo de fluxo de potência;
— estudo de queda de tensão de partida de grandes máquinas e motores elétricos;
— sistema de detecção e alarme de fumaça ou gases na sala de painéis, sala de cabos,
sala de baterias, sala de transformadores e casas de controle;
— tipos de proteção “Ex” e EPL requerido para equipamentos para instalação em áreas
classificadas;
— estudos de estabilidade;
— estudos de energia incidente em painéis elétricos;
— traceamento e aquecimento elétrico industrial;
— estudos de transitórios eletromagnéticos;
— memorial descritivo dos serviços de construção, montagem, comissionamento e TAC;

23
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

f) apresentação de diagramas e de desenhos de plantas e cortes:


— diagramas unifilares (um por painel);
— diagramas multifilares (um por painel);
— diagramas funcionais típicos do projeto de detalhamento, incorporando as filosofias
de proteção, intertravamento, automação, sinalização e alarmes, para fins de
fabricação de painéis elétricos;
— diagramas lógicos típicos, incorporando as filosofias do sistema de automação
elétrico, para fins de elaboração dos arquivos em linguagem SCL de configuração do
sistema (arquivos *.SSD e *.SED), de cada subestação (arquivos *.SCD) e dos
diversos IEDs (arquivos *.ICD, *.IID e *.CID), de acordo com a IEC 61850-6;
— diagramas de programação de equipamentos digitais;
— interligações ou interconexões de equipamentos elétricos;
— diagramas de fiação de interligação dos dispositivos de painéis elétricos;
— diagramas de blocos de interligação de equipamentos principais e do sistema elétrico;
— arranjo de equipamentos - plantas;
— arranjo de equipamentos - cortes e detalhes;
— estruturas aparentes de equipamentos em subestações externas - plantas, cortes e
detalhes;
— bases de equipamentos elétricos - localizações e dimensões;
— áreas classificadas - plantas;
— áreas classificadas - cortes e detalhes;
— diagrama de esforços e pesos nas estruturas;
— rede elétrica principal - planta geral;
— rede elétrica subterrânea - plantas;
— rede elétrica subterrânea - cortes e detalhes;
— rede elétrica em leito para cabos - plantas;
— rede elétrica em leito para cabos - cortes e detalhes;
— rede elétrica em leito para cabos - identificação e posicionamento de cabos;
— caixas de enfiação subterrâneas (“Manholes”) - características construtivas;
— caixas de enfiação subterrâneas - disposição de cabos;
— caixas de enfiação aparentes (“pull-points”) para rede elétrica subterrânea - plantas;
— caixas de enfiação aparentes (“pull-points”) para rede elétrica subterrânea - cortes e
detalhes;
— rede elétrica aérea isolada ou semi-isolada (“spacer cable”) - plantas;
— rede elétrica aérea isolada ou semi-isolada (“spacer cable”) - cortes e detalhes;
— instalações aparentes - plantas;
— instalações aparentes - cortes e detalhes;
— instalações elétricas prediais - plantas;
— instalações elétricas prediais - cortes e detalhes;
— distribuição de cargas dos circuitos de iluminação;
— distribuição de circuitos de iluminação normal, essencial e de emergência - plantas;
— distribuição de circuitos de iluminação normal, essencial e emergência - cortes e
detalhes;
— distribuição de circuitos de traceamento e aquecimento elétrico industrial - plantas;
— distribuição de circuitos de traceamento e aquecimento elétrico industrial - cortes e
detalhes;
— sistemas de SPDA;
— sistema de aterramento aparente (leitos, motores, tomadas, painéis) - plantas;
— sistema de aterramento subterrâneo - plantas;
— montagem de equipamentos com número de identificação (TAG) - detalhes
específicos;
— livros do projeto de detalhamento de eletricidade (“Data Book”);
— detalhes típicos de montagem elétrica, incluindo força, controle, iluminação,
aterramento, SPDA e suportes;

24
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

NOTA É recomendado que os detalhes típicos de instalações elétricas sejam elaborados, de


preferência, pelo usuário do projeto, de forma a consolidar as suas boas práticas existentes
ou padrões de suas instalações. Nos casos da inexistência dos desenhos de detalhes
típicos, por parte do usuário do projeto, devem ser elaborados pela Projetista. Dentre os
conjuntos de desenhos de detalhes típicos a serem utilizados ou elaborados, incluem-se os
seguintes: detalhes típicos de sistemas de iluminação, detalhes típicos de sistemas de
aterramento, detalhes típicos de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas,
detalhes típicos de distribuição de força e controle, detalhes típicos de suportes e fixações,
diagramas funcionais típicos para cubículos e gavetas de painéis de baixa, média e alta
tensão. [Prática Recomendada]

g) documentos para aquisição de equipamentos e materiais:


— lista de equipamentos tagueados;
— listas de materiais;
— especificações técnicas;
— FD;
— requisições de materiais;
— pareceres técnicos.

NOTA As listas de equipamentos tagueados, tais como transformadores, painéis e motores devem
incluir, no mínimo, as seguintes informações: TAG do equipamento e função.

5.5.4 Os documentos aplicáveis para cada projeto em particular a serem elaborados ou revisados
pela Projetista devem ser indicados pelo usuário ou responsável do projeto, por meio do
preenchimento do Anexo C.

5.5.5 Documentação Elaborada e Emitida pelos Fabricantes no Projeto de Detalhamento de


Eletricidade

5.5.5.1 A documentação elaborada e emitida pelos fabricantes no projeto de detalhamento de


eletricidade deve incluir todos os documentos solicitados nas respectivas normas de especificação
técnica dos diversos equipamentos elétricos, tais como: painéis, IED, “switches” ópticos industriais,
servidores, “gateways”, GPS, motores (de indução e síncronos), geradores, transformadores,
conversores de frequência, carregadores de baterias, UPS e cabos, bem como nas RM dos
respectivos equipamentos e materiais elétricos.

5.5.5.2 A documentação de fabricantes está relacionada com as seguintes fases de fornecimento:

a) documentação na apresentação de propostas;


b) documentação para aprovação;
c) documentação conforme comprado ou conforme fornecido (documentação certificada).

5.5.5.3 Os fabricantes devem apresentar em cada fase de fornecimento, no mínimo, os documentos


relacionados a seguir, a menos que o equipamento, o material ou a fase de fornecimento não exija
todos os documentos, o que deve ser submetido à aprovação da PETROBRAS.

a) cronogramas de fabricação;
b) listas de documentos dos equipamentos;
c) desenhos dimensionais dos equipamentos, incluindo massa e centro de gravidade
aproximado dos equipamentos;
d) FD;
e) listas de materiais e componentes;
f) arquivos de configuração de IED, MU, “switches” ópticos, servidores, “gateways”, GPS,
conversores de frequência, sistemas de excitação de geradores e motores síncronos,
UPS e outros equipamentos digitais;

25
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

g) arquivos em linguagem SCL, de acordo com a IEC 61850-6, para os IED e para o
sistema de automação elétrico, incluindo os arquivos dos tipos *.ICD, *.IID, *.SSD,
*.SCD, *.CID e *.SED;
h) relatórios de testes de rotina, de tipo e especiais;
i) certificados de conformidade;
j) lista de sobressalentes;
k) plano de inspeção e testes;
l) relatórios TAF;
m) relatórios TAC;
n) manuais de montagem dos equipamentos;
o) manuais de comissionamento dos equipamentos;
p) manuais de operação dos equipamentos;
q) manuais de manutenção dos equipamentos;
r) cronograma de treinamentos sobre instalação, montagem, operação e manutenção.

NOTA Na documentação de projeto de eletricidade a identificação de componentes e dispositivos


elétricos, eletrônicos e digitais instalados no interior de painéis elétricos e de automação
devem seguir o padrão original do fabricante.

5.5.6 Entrega do Projeto Modelado em Aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE na Condição Conforme
Construído (“As-Built”)

5.5.6.1 Deve ser elaborada e fornecida periodicamente pela Projetista, durante a execução do
detalhamento do projeto, cópias completas dos modelos eletrônicos elaborados em aplicativos
CAD 2D, CAD 3D ou CAE, incluindo os seus respectivos bancos de dados, de forma a possibilitar a
supervisão e o acompanhamento da evolução do projeto.

5.5.6.2 Devem ser fornecidos, juntamente com os arquivos que compõem o modelamento em
aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE, todas as especificações, manuais, catálogos e certificados de
conformidade utilizados ou necessários na definição de todos os equipamentos e componentes
elétricos (incluindo painéis, geradores, motores, transformadores, conversores de frequência, UPS,
carregadores de bateria e baterias de acumuladores), cabos, eletrodutos, bandejamentos, caixas de
passagem, suportes e sistemas de aquecimento elétrico de tubulações.

5.5.6.3 Em todos os casos necessários de modificações de campo, o projeto elaborado em CAD 2D,
CAD 3D ou CAE deve ser atualizado antes da implantação das modificações de campo. Somente
após a aprovação da revisão dos projetos, nos respectivos aplicativos e bancos de dados, as
modificações de campo devem ser executadas.

5.5.6.4 O projeto modelado em aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE deve ser entregue, na sua
condição final conforme construído (“As-Built”), somente após a conclusão dos serviços de
montagem, testes de aceitação de campo e aprovação dos respectivos relatórios.

5.5.6.5 A entrega final de todo o projeto detalhado, modelado em aplicativo CAD 2D, CAD 3D e CAE,
na condição conforme construído (“As-Built”) deve incluir:

a) todo o modelo elaborado, incluindo todos os respectivos bancos de dados orientados a


objetos;
b) os documentos completos atendendo os requisitos de apresentação de projeto de todas
as disciplinas envolvidas, incluindo eletricidade;
c) todos os documentos e desenhos gerados nas etapas de projeto e fabricação de
equipamentos;
d) todos os arquivos de animações elaborados na fase de detalhamento, incluindo
animações do tipo “Walk-Through” ou “Virtual Reality”.

26
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

5.5.7 Fornecimento de Arquivos de Computador e Base de Dados dos Programas Específicos para
Projetos de Eletricidade e Equipamentos Digitais

5.5.7.1 Devem ser fornecidos pela Projetista todos os arquivos de computador gerados pelos
aplicativos, programas e softwares específicos para a execução dos estudos elétricos aplicáveis ao
projeto, incluindo:

a) estudos de curto circuito;


b) estudos de coordenação e seletividade;
c) configuração e parametrização dos IED, incluindo arquivos de softwares dos fabricantes
dos IED;
d) estudos de fluxo de potência;
e) estudos de transitórios eletromagnéticos;
f) estudos de transitórios eletromecânicos (estabilidade);
g) estudos de distorções harmônicas;
h) estudos de sistemas de aterramento;
i) estudos de energia incidente;
j) estudos de queda de tensão na partida dos grandes motores;
k) configuração e parametrização de equipamentos elétricos digitais diversos, incluindo
conversores de frequência, “soft-starter”, UPS, GPS, “switches ópticos”, UTR, PLC,
“gateways”, servidores, concentradores de dados, monitores de temperatura e
medidores de energia (softwares dos fabricantes dos equipamentos);
l) arquivos em linguagem SCL, de acordo com a IEC 61850-6, para os IED e para o
sistema de automação elétrico, incluindo os arquivos dos tipos *.SSD, *.SCD, *.SED,
*.IID, *.ICD e *.CID;
m) configuração de redes de comunicação de dados para os sistemas de proteção e
automação elétrica (softwares dos fabricantes dos IED, MU, “switches” ópticos
industriais, GPS);
n) configuração das redes de engenharia e de manutenção dos IED (softwares dos
fabricantes dos IED);
o) configuração dos servidores de descarte seletivo de cargas, dos servidores de MMS
(IEC 61850-8-1) e dos servidores OPC;
p) configuração de equipamentos digitais constituintes dos sistemas de excitação de
geradores e de motores síncronos.

5.5.7.2 Os arquivos e bases de dados devem ser fornecidos nas versões mais atualizadas,
considerando a documentação de fornecedores na condição “certificada”.

5.5.7.3 Os arquivos de computador devem conter a base de dados desenvolvida no projeto, incluindo
a configuração do sistema de força e de automação envolvido no projeto.

5.5.7.4 As especificações técnicas a serem elaboradas pela Projetista devem requerer o


fornecimento, por parte dos respectivos fabricantes ou fornecedores de equipamentos digitais
configuráveis, dos softwares, aplicativos e programas de computador, incluindo as respectivas
licenças, que sejam necessários para a configuração, parametrização e monitoração dos
equipamentos. Dentre os equipamentos elétricos, eletrônicos e digitais configuráveis, estão incluídos:

a) IED (programas de configuração em linguagem SCL, tais como ferramentas de sistema


para a elaboração e configuração dos arquivos SSD, SED, SCD, ICD, IID e CID,
ferramentas de parametrização e de configuração dos dispositivos, de redes de
engenharia e de redes de manutenção);
b) conversores de frequência;
c) PLC;
d) UTR;
e) “switches” óticos gerenciáveis;
f) servidores no padrão IEC 61850, Servidores OPC e Servidores de Descarte de Carga;
g) MU;

27
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

h) “Gateways”;
i) UPS em corrente contínua ou em corrente alternada;
j) sistemas de monitoração contínua de temperatura de conexão de barramentos e
cubículos de painéis elétricos;
k) sistemas GPS;
l) medidores de energia para faturamento;
m) sistemas de excitação de geradores e de motores síncronos;
n) Sistemas de monitoração de descargas parciais em motores elétricos ou
transformadores de potência de alta tensão.

5.5.7.5 Caso tenham sido especificados pelo usuário ou responsável pelo projeto, os aplicativos a
serem utilizados pela Projetista devem estar de acordo com os tipos, modelos e versões indicados.

6 Automação, Gerenciamento, Modelamento, Simulação e Apresentação de Desenhos


e Documentos do Projeto de Eletricidade em CAD 2D, CAD 3D ou CAE

6.1 Generalidades

6.1.1 Os desenhos de plantas, cortes, detalhes e outros documentos indicados nesta Norma devem
ser elaborados em aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE.

6.1.2 É recomendado que seja realizada a modelagem dos sistemas elétricos envolvidos no projeto
em aplicativo CAE, baseado em banco de dados. Este aplicativo CAE deve gerar documentos de
projeto de eletricidade, tais como diagramas unifilares, diagramas funcionais, diagramas de
interligação, diagramas de malhas, diagramas de interligação, FD dos equipamentos elétricos, listas
de componentes, materiais e equipamentos, listas de cargas elétricas e lista de cabos. [Prática
Recomendada]

6.1.3 É recomendado que o modelamento e a apresentação dos desenhos e documentos das


instalações físicas dos sistemas e equipamentos elétricos envolvidos no projeto sejam executados
em aplicativos CAD 3D ou CAE, baseados em bancos de dados orientados a objetos.
[Prática Recomendada]

6.1.4 É recomendado que todos os documentos que alimentam com informações os bancos de
dados dos modelos em CAD 2D, CAD 3D ou CAE adotem um procedimento que normalize o sistema
de controle automático de revisões, de forma a assegurar que os bancos de dados estejam sempre
integrados e atualizados. [Prática Recomendada]

6.1.5 Todos os documentos e desenhos certificados recebidos de fabricantes e fornecedores devem


ser analisados e controlados de modo a verificar a consistência e atualizar possíveis modificações de
dados em características e especificações de itens já introduzidos e modelados nos bancos de dados
dos aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE, quando da elaboração do projeto de detalhamento de
eletricidade.

6.1.6 É recomendado que a configuração das informações modeladas nos bancos de dados
integrados do CAD 3D possibilite a exportação de dados, para fins de aquisição por meio de
importação pelo aplicativo CAE nos projetos de eletricidade, e vice-versa. [Prática Recomendada]

28
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

6.1.7 É recomendado que sejam representados e modelados em aplicativo CAD 3D, sempre que
aplicável, todas as instalações físicas integrantes do sistema elétrico, incluindo os equipamentos,
edificações e materiais, tais como: [Prática Recomendada]

a) edificações de subestações;
b) edificações das CCL;
c) edificação da CCI;
d) sala ou porão de cabos;
e) salas de baterias de acumuladores;
f) salas de sistemas de VAC;
g) painéis elétricos instalados no interior das subestações, incluindo os níveis de tensão de
13,8 kV, 4,16 kV, 2,4 kV, 0,48 kV, 0,22 kV, 0,127 kV, 125 Vcc, 24 Vcc;
h) carregadores de bateria, UPS, UTR, CBT e baterias de acumuladores;
i) conversores de frequência para controle de rotação de motores elétricos;
j) gabinetes com bastidores ópticos, “racks” de “switches” ópticos industriais, servidores,
GPS e sistema de automação e proteção elétrica;
k) geradores elétricos;
l) transformadores de força, auxiliares e de iluminação;
m) motores elétricos nos níveis de tensão de 13,2 kV, 4,0 kV, 2,3 kV, 0,44 kV e 0,22 kV;
n) painéis de campo para distribuição de circuitos de força, com tipo proteção para
instalação em atmosferas explosivas (força, iluminação, sistema traceamento e
aquecimento elétrico industrial e tomadas);
o) painéis de campo para distribuição de circuitos de controle, com tipo de proteção para
instalação em atmosferas explosivas;
p) painéis de força e controle para instalação no campo em geral;
q) botoeiras locais de comando de motores no campo;
r) luminárias e sistema de iluminação normal e de emergência;
s) tomadas para alimentação de máquinas de solda e de serviço;
t) equipamentos e componentes para alimentação e monitoração de temperatura de
sistemas de traceamento elétrico resistivo, de acordo com os requisitos das
PETROBRAS N-1857 e N-2641. Para instalações marítimas de produção devem ser
seguidos os requisitos da IEC 61892-5;
u) equipamentos e componentes de sistemas de monitoração de fumaça em sala de cabos,
sala de bateria e sala de painéis elétricos em subestações e casas de controle;
v) sistema de SPDA;
w) sistemas aéreos de bandejamento, inclusive com a indicação dos trechos protegidos
contra fogo (“fire-proofing”);
x) sistemas aparentes de eletrodutos, inclusive com a indicação dos trechos protegidos
contra fogo (“fire-proofing”);
y) sistemas de aterramento subterrâneo, incluindo hastes de terra, malhas de terra e caixas
de inspeção;
z) envelopes subterrâneos de eletrodutos;
aa) caixas de passagem subterrâneas do tipo “Manholes”;
ab) caixas de passagem aparentes do tipo “Pull-Points”.

6.1.8 É recomendado que sejam gerados, a partir de exportação de dados do modelamento


elaborado em aplicativo CAD 3D, os seguintes documentos, em formato CAD 2D, para fins de
impressão e para fins de arquivamento no sistema de gerenciamento de documentação técnica.
[Prática Recomendada]

a) plantas de locação de equipamentos elétricos;


b) plantas de arranjo dos sistemas aparentes e subterrâneos de eletrodutos;
c) plantas de arranjo do sistemas de bandejamento de cabos e eletrodutos para a
distribuição dos circuitos elétricos de força, comando, controle, automação, proteção,
intertravamento, iluminação e redes de comunicação de dados;
d) plantas de locação do sistema de iluminação incluindo luminárias, transformadores e
painéis de distribuição de circuitos de iluminação e tomadas;

29
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

e) plantas de distribuição de circuitos de força nos diversos níveis de tensão aplicáveis ao


projeto;
f) plantas de distribuição de circuitos de comando, controle, intertravamento, proteção,
automação elétrica, iluminação e redes de comunicação de dados tanto no interior das
subestações elétricas, das casas de controle locais, como no interior das unidades e
áreas de processo e utilidades;
g) plantas de sistemas de aterramento subterrâneo e de SPDA;
h) plantas das áreas classificadas;
i) desenhos de cortes das áreas classificadas;
j) plantas de distribuição de circuitos de alimentação e monitoração de temperatura dos
aquecedores elétricos resistivos para aquecimento de tubulações e de equipamentos de
processo (traceamento e aquecimento elétrico industrial);
k) listas de equipamentos tagueados, incluindo listas de cabos (força, controle, comando,
proteção, intertravamento, automação de redes de comunicação de dados e iluminação)
e de materiais elétricos em geral (luminárias, eletrodutos, bandejamento, tomadas,
acessórios de montagem, suportes etc.).

6.1.9 As plantas, diagramas e outros documentos aplicáveis, a serem emitidos em formato 2D,
devem ser gerados por meio da exportação a partir de bancos de dados modelados em aplicativos do
tipo CAE e CAD 3D, caso requerido no projeto, de acordo com o definido ou recomendado nesta
Norma.

6.1.10 É recomendado que os documentos e desenhos gerados a partir de aplicativo CAD 3D ou


CAE sejam inclusive exportados e gerados eletronicamente no formato 2D, para fins de
cadastramento no sistema de gerenciamento de documentação técnica e para maiores facilidades de
impressão e consulta em papel. Os documentos podem conter, na margem abaixo da legenda, uma
das seguintes “NOTAS” aplicáveis de advertência: [Prática Recomendada]

a) legenda para arquivos 2D gerados a partir de aplicativos CAD 3D:


— “ATENÇÃO: documento gerado originariamente em aplicativo CAD 3D. Revisar este
documento somente a partir do modelo eletrônico em CAD 3D. NÃO REVISAR este
documento a partir do formato CAD 2D”;
b) legenda para arquivos 2D gerados a partir de aplicativos CAE:
— “ATENÇÃO: documento gerado originariamente em aplicativo CAE. Revisar este
documento somente a partir do modelo eletrônico CAE. NÃO REVISAR este
documento a partir do formato CAD 2D”.

6.1.11 Todos os equipamentos envolvidos no sistema elétrico modelados em aplicativo CAD 3D,
devem conter, sempre que aplicável, no mínimo, as seguintes informações:

a) identificação do equipamento (nos casos de equipamentos tagueados);


b) tensão de operação, corrente e potência nominal;
c) modelo e fabricante;
d) marcação do tipo de proteção para instalação em áreas classificadas contendo
atmosfera explosiva (Zona, Grupo, Classe de Temperatura, tipos de proteção e nível de
proteção de equipamento (EPL) para atmosfera explosiva).

6.2 Sistemas para Indicação e Controle Automático de Revisões

É recomendado que os aplicativos CAE e CAD utilizados para a elaboração do projeto de


eletricidade, em suas diversas etapas, possuam recursos e sistemas para indicação e controle
automático de revisões implantadas nos bancos de dados e respectivos documentos, incluindo
diagramas, listas e plantas, de acordo com o indicado a seguir: [Prática Recomendada]

30
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

a) os recursos devem possibilitar que as revisões implantadas em uma determinada parte


da documentação ou do banco de dados sejam disseminadas automaticamente para
todos os demais documentos aplicáveis, tais como: diagramas unifilares, diagramas
funcionais, diagramas multifilares, diagramas de fiação, lista de cargas, lista de cabos,
FD, diagramas de interligação, diagramas lógicos e diagramas de blocos;
b) os recursos de controle automático de revisões devem indicar a implantação de cada
revisão, por meio das seguintes informações: descrição e data da revisão, identificação
dos responsáveis pela elaboração, verificação e aprovação da revisão;
c) os recursos de controle automático de revisões devem indicar nos respectivos
documentos, as partes alteradas, por meio de colocação de marcas, tais como:
“amebas”, sombreamento ou outra forma similar adequada para devida identificação das
partes dos documentos que tiverem sido revisadas ou alteradas.

6.3 Sistema de Gerenciamento de Documentação de Projeto de Eletricidade

6.3.1 É recomendado que seja implantado nos projetos de eletricidade um sistema eletrônico de
gerenciamento de documentação técnica, baseado em conceitos de EDMS, com possibilidade de
envio de documentos e desenhos para aprovação e de envio de informações e mensagens através
da Internet ou da Intranet, de acordo com o indicado a seguir: [Prática Recomendada]

a) o sistema deve possibilitar, dentre outros recursos, o cadastramento dos diferentes


empreendimentos, dos fluxos de trabalho necessários e de todos os documentos de
projeto;
b) o sistema deve possibilitar o acompanhamento, a evolução e o fluxo de trabalho
(“workflow”) de cada documento, desde a sua elaboração até a sua aprovação, incluindo
as fases de incorporação de comentários e revisões;
c) o sistema deve possibilitar o cadastramento de pessoas responsáveis pelas diversas
etapas do fluxo de trabalho dos documentos, tais como: comentaristas, consolidadores,
coordenadores e gerentes, com seus respectivos dados de identificação de usuário do
sistema (“User” ID) e senha de acesso (“password”);
d) o sistema deve permitir a geração de mensagens de documentação disponibilizada para
comentários e emissão de relatórios gerenciais. Um exemplo do sistema de
gerenciamento de documentação técnica é o SIGEM.

6.3.2 É recomendado que o sistema eletrônico de gerenciamento de documentação técnica possua a


capacidade de indicação e de diferenciação da situação da documentação cadastrada, em duas
condições básicas: “LIBERADO PARA CONSTRUÇÃO” (documentação implantada no sistema, mas
cujos projetos ainda não foram efetivamente montados no campo) e condição “CONFORME
CONSTRUÍDO”, indicando que a documentação “liberada para construção” foi devidamente revisada
e atualizada, incorporando as eventuais alterações realizadas durante as atividades de montagem de
campo. O sistema eletrônico de gerenciamento de documentação técnica deve possibilitar a revisão
de documentos que já tenham sido previamente emitidos na condição “LIBERADOS PARA
CONSTRUÇÃO” [Prática Recomendada]

6.3.3 Os arquivos de configuração SCL elaborados pelas ferramentas de configuração de sistema


IEC 61850 e pelos programas de configuração de IED, incluindo os arquivos SSD, SCD, ICD, CID, IID
e SED (IEC 61850-6), devem ser cadastrados no sistema eletrônico de gerenciamento de
documentação técnica (EDMS), para fins de utilização em casos de necessidade de substituição ou
reprogramação do IED existentes ou para fins de controle de revisões posteriores, nos casos de
necessidade de revisão do projeto do sistema de automação e proteção elétrica.

31
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

6.4 Modelamento e Simulação Digital em Tempo Real de Estados Transitórios e Estacionários


dos Sistemas Elétricos de Potência e de Proteção

6.4.1 Caso esteja especificado no escopo do projeto, a Projetista deve modelar e simular em um
sistema digital em tempo real (RTD), os sistemas elétricos de potência e de proteção envolvidos no
projeto.

6.4.2 O sistema digital de simulação em tempo real deve simular digitalmente os transitórios
eletromagnéticos do sistema de potência, e deve ser utilizado para realizar testes de malha fechada
de dispositivos físicos, tais como dispositivos de proteção (relés digitais e IED) e dispositivos de
controle (chaves seccionadoras, disjuntores, AVR e pulsos de gatilhamento de SCR), incluindo
dispositivos de acordo com a Série IEC 61850. Os sistemas digitais de simulação em tempo real
devem possibilitar a realização de estudos de sistemas analíticos, representativos dos sistemas
elétricos de potência reais a serem implantados.

6.4.3 Devem ser modelados em sistemas de simulação digital tem tempo real os sistemas elétricos
industriais envolvidos nos projetos em refinarias de petróleo, terminais, dutos, plataformas de
petróleo, plantas petroquímicas e sistemas elétricos de centrais de cogeração de energia elétrica
movidas a gás, diesel ou álcool ou combinação destes ou de outros combustíveis.

6.4.4 O sistema de simulação digital em tempo real deve operar de forma contínua e sustentada em
tempo real, resolvendo as equações do sistema elétrico de potência modelado de forma rápida o
suficiente para continuamente produzir as condições de saída que representem, de forma realista, as
condições reais do sistema elétrico. Em função dos sinais de saída em tempo real, o sistema digital
de simulação deve ser diretamente conectado aos componentes de proteção e controle (IED) de
forma a simular a operação real do sistema elétrico a ser implantado.

6.4.5 Os sistemas de simulação digital em tempo real devem permitir a investigação de efeitos de
distúrbios sobre o sistema elétrico de potência, de forma a evitar interrupções ou faltas parciais ou
completas do sistema elétrico de potência. São exemplos das situações os estados transitórios ou
estacionários, a operação nominal, sobrecargas, conteúdos harmônicos, chaveamentos, manobras
para alterações na topologia dos sistemas de alimentação e de interligação, partidas de motores e as
ocorrências de curtos-circuitos.

6.4.6 O sistema elétrico de potência deve ser modelado a partir de componentes típicos existentes
em uma biblioteca do software do sistema de simulação em tempo real, ou de componentes
específicos a serem customizados. Os parâmetros a serem utilizados nos componentes típicos ou
customizados devem ser aqueles indicados no projeto de eletricidade. Os diagramas e a interface
gráfica do sistema devem ser elaborados para permitir a execução de todos os passos e etapas que
permitam a execução e as simulações necessárias, bem como a análise dos respectivos resultados.

32
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

6.4.7 A simulação digital em tempo real deve incluir os requisitos indicados a seguir:

a) a simulação digital dos sistemas elétricos industriais e respectivos componentes, deve


incluir o modelamento das fontes de geração e dos sistemas elétricos das
concessionárias de energia elétrica, turbogeradores elétricos acionados por turbinas à
vapor e à gás, sistemas de excitação estática, sistemas de AVR, transformadores de
potência, OLTC, TP e TC de alta, média e baixa tensão, barramentos, painéis do tipo
CDC de média e de baixa tensão, painéis do tipo CCM de média e de baixa tensão,
cabos de circuitos de energia em alta, média e baixa tensão, reatores limitadores de
corrente de curto-circuito, baterias de capacitores, conversores de frequência para
controle de rotação de motores elétricos, motores de indução e síncronos, UPS, baterias
de capacitores, equipamentos eletrônicos de potência de sistemas elétricos resistivos ou
indutivos para aquecimento de tubulações e/ou de equipamentos de processo e demais
cargas elétricas relacionadas no detalhamento do projeto, normalmente encontradas em
sistemas elétricos de potência de plataformas, refinarias de petróleo, terminais, centrais
de cogeração de energia e plantas petroquímicas;
b) o modelamento dos sistemas elétricos industriais em tempo real, utilizando simuladores
digitais, deve ser simulado com a realização de análises para verificação das respostas e
do comportamento dos sistemas em casos de distúrbios transitórios, incluindo
desbalanço de corrente e de tensão, curtos-circuitos, influência das distorções
harmônicas e efeitos de saturação de TC (nos casos de utilização de TC
ferromagnéticos);
c) dentre as simulações a serem realizadas, devem ser verificadas e analisadas as
respostas em estado permanente e em estados transitórios, durante ocorrências de
distúrbios originadas por chaveamento de cargas, manobras das fontes de geração
normal, essencial e de emergência, manobras de disjuntores e chaves para
reconfiguração de operação dos sistemas elétricos, partidas de grandes máquinas e
análises de eventos transitórios decorrentes de afundamentos de tensão (“Sags”),
chaveamentos e de curtos-circuitos;
d) os ensaios em tempo real devem incluir a análise de faltas por curto-circuito dos tipos
fase-terra, fase-fase, fase-fase-terra e trifásico. Cada um dos tipos de curtos-circuitos
deve ser analisado, inclusive, para diferentes valores de ângulo da corrente de pré-falta
no momento da ocorrência do curto-circuito, tais como, por exemplo, 0º, 45º, 60º e 90º;
e) as simulações em tempo real devem envolver a análise do comportamento das funções
de proteção das interligações entre o sistema elétrico de geração próprio de refinarias de
petróleo e de plantas petroquímicas com o sistema elétrico das concessionárias;
f) devem ser analisados e simulados o desempenho referente à estabilidade do sistema de
geração própria, incluindo modelamento e simulação dos sistemas de excitação estática
e AVR de turbo geradores acionados por turbinas a vapor, à gás, à diesel ou à álcool ou
combinação destes ou de outros combustíveis;
g) os modelamento e análise em tempo real do sistema de potência devem levar em
consideração as características de desempenho e configurações dos respectivos
sistemas digitais de proteção e automação previstos no projeto. Como exemplos de tais
sistemas digitais de proteção e automação elétrica devem ser citados aqueles baseados
em IED e em redes “Ethernet” com padrão de comunicação de acordo com a Série
IEC 61850;
h) os ensaios e simulações em tempo real envolvendo os sistemas digitais de proteção
devem levar em consideração os efeitos decorrentes de eventuais saturações de TC de
proteção (nos casos de especificação de TC ferromagnéticos que devem saturar), que
devem ocorrer em painéis de média e de baixa tensão. Tais ensaios devem possibilitar a
avaliação do desempenho dos tempos reais de operação de funções de proteção
adaptativas de sobrecorrente instantâneas, incluindo a avaliação dos ajustes e dos
tempos de operação das funções de proteção em conjunto com os ajustes de
seletividade lógica previstas nos estudos de coordenação e seletividade elaborados no
projeto de eletricidade;
i) a realização de ensaios em sistemas digitais em tempo real deve verificar o atendimento
dos requisitos de desempenho em relação a funções de proteção especificadas nos
estudos de coordenação e seletividade. Tais simulações devem incluir a verificação dos
tempos mínimos de seletividade lógica, onde devem ser inclusive consideradas, nos
casos aplicáveis, as funções de proteção de sobrecorrente adaptativa e o tráfego de
mensagens dos tipos GOOSE ou SV em redes “Ethernet” com a Série IEC 61850;

33
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

j) devem ser verificadas, avaliadas, e se necessário mitigadas, as respostas das


simulações em tempo real da estabilidade dos sistemas de geração elétrica, do teor de
harmônicos existente e de eventuais deficiências dos sistemas de aterramento.

6.4.8 Devem ser realizados ensaios de plataforma envolvendo a utilização de relés digitais de
proteção, IED, switches ópticos e contatores que simulem os dispositivos de proteção e os
componentes principais dos sistemas elétricos de potência envolvidos na simulação em tempo real.
Nos ensaios, devem ser aplicados os sinais analógicos de saída de tensão e de corrente gerados
pelo sistema digital de simulação em tempo real, nas entradas de corrente e tensão dos respectivos
relés digitais de proteção ou IED.

6.4.9 Ao sistema digital de simulação em tempo real devem ser interligados os circuitos relativos aos
sinais discretos de entradas digitais para a monitoração dos estados de operação (aberto/fechado)
oriundos de componentes que simulem as chaves seccionadoras e os disjuntores do sistema de
potência e dos contatos de saída para “trip” ou alarme dos IED. Tais circuitos devem permitir a
medição e a análise dos tempos de atuação das funções de proteção de cada IED, decorrentes dos
diversos estados transitórios a serem simulados.

6.4.10 Os sinais de corrente e de tensão de saída do sistema digital de simulação em tempo real
devem ser aplicados aos relés digitais de proteção ou IED através de amplificadores operacionais,
em valores compatíveis com os requisitos dos valores das entradas de corrente e tensão dos IED.

6.4.11 Devem ser analisadas as respostas das simulações em tempo real com o objetivo de
antecipar e solucionar eventuais problemas relacionados com os ajustes das respectivas funções de
proteção. Devem ser avaliadas as respostas dos ajustes das funções de sobrecorrente instantânea e
temporizada (para casos de curtos-circuitos fase-terra, fase-fase-terra e trifásicos), sub e
sobretensão, sobrecorrente direcional, fluxo de potência, potência reversa e subfrequência.

6.4.12 Nos casos em que tais simulações em tempo real apresentem resultados considerados
inadequados, a Projetista deve implantar as respectivas soluções ou ações mitigadoras para a
solução dos eventuais problemas verificados na simulação. Tais ações devem incluir a revisão das
especificações técnicas dos equipamentos e componentes dos sistemas elétricos envolvidos no
projeto, a introdução de novos componentes ao sistema elétrico de potência, a alteração nos
parâmetros de ajuste das funções de proteção ou outras medidas mitigadoras a serem propostas pela
Projetista.

6.4.13 Devem ser apresentados pela Projetista, após a conclusão dos ensaios de simulação do
projeto em tempo real, os respectivos relatórios, contendo toda descrição dos sistemas modelados e
ensaiados, com o detalhamento dos resultados obtidos. Os relatórios devem conter, no mínimo, os
requisitos indicados a seguir:

a) descrição dos sistemas elétricos de potência e de proteção/automação considerados nos


ensaios de simulação em tempo real;
b) dados e parâmetros utilizados para o modelamento de cada equipamento ou
componente considerado no modelamento e simulação, incluindo fontes de alimentação,
transformadores, geradores, motores, capacitores, cabos, barramentos de painéis, TC,
TP, IED, chaves, disjuntores e conversores de frequência;
c) detalhamento dos critérios e premissas consideradas no modelamento e nos ensaios em
tempo real, incluindo os casos transitórios considerados e os pontos de ajuste
parametrizados nos IED;
d) detalhamento, análise e considerações sobre os resultados obtidos nos ensaios de
simulação em tempo real;

34
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

e) detalhamento das ações e medidas mitigadoras implantadas pela projetista, em


eventuais casos de necessidade de alteração dos parâmetros e características dos
equipamentos e componentes do sistema elétrico de potência ou de configuração e
ajustes dos IED a serem considerados no projeto do sistema elétrico;
f) detalhamento, análise e considerações sobre os resultados obtidos após a implantação
das medidas mitigadoras consideradas, incluindo a repetição dos ensaios de simulação
em tempo real, de forma iterativa, até que o projeto de eletricidade tenha alcançado os
requisitos de confiabilidade, estabilidade, coordenação, seletividade, proteção, eficiência
e segurança especificados;
g) devem ser fornecidos, juntamente com os relatórios de ensaios em tempo real, as
respectivas planilhas eletrônicas e arquivos em formato COMTRADE (IEC 60255-24)
contendo os principais dados obtidos dos ensaios. Dentre tais dados devem ser
indicados os tempos de operação das funções de proteção, tempos de recebimento de
mensagens GOOSE e SV, tempos de recebimento das mensagens de bloqueio por
seletividade lógica (provenientes do IED a jusante), valores de corrente e de tensão
obtidos em todos os casos transitórios que foram simulados.

7 Requisitos Específicos para a Elaboração e Apresentação do Projeto e Documentos


de Eletricidade

A elaboração e apresentação da documentação constante de todas as fases aplicáveis ao projeto de


eletricidade (conceitual, básico, pré-detalhamento, executivo e atualização conforme construído),
relacionada no Anexo C, com relação aos documentos aplicáveis a serem elaborados pela Projetista,
em cada projeto específico, devem incluir, no mínimo, as informações específicas indicadas nesta
Seção.

7.1 Projeto Conceitual, Básico e de Pré-Detalhamento de Eletricidade

7.1.1 Listas de Cargas Elétricas

7.1.1.1 As Listas devem ser elaboradas as folhas e formulários padronizados de acordo com os
requisitos indicados no Anexo D (aplicável para o projeto conceitual e básico) e Anexo E (aplicável
para o projeto de pré-detalhamento), emitidas por painel, processo ou subestação, fundamentadas no
projeto do processo.

7.1.1.2 Devem ser discriminadas além das cargas do sistema de alimentação normal, as cargas a
serem alimentadas pelos sistemas de alimentação essencial e de emergência, caso dos sistemas se
façam necessários. São exemplos dos sistemas de alimentação essencial e de emergência: sistemas
de iluminação, sistemas de pressurização de subestações, casas de controle e demais ambientes,
carregadores de baterias de acumuladores, UPS, sistemas de traceamento e aquecimento elétrico
industrial de equipamentos e tubulações, estações de supervisão e controle, sistemas de
telecomunicações, sistemas de processamento de dados.

7.1.1.3 As listas de cargas elétricas devem ser revisadas pela Projetista de detalhamento à medida
que esta desenvolve o seu trabalho, seguindo a PETROBRAS N-2064. De acordo com o porte do
projeto de detalhamento, deve ser necessária a execução e revisão das listas de cargas mais de uma
vez.

7.1.1.4 As listas de cargas elétricas devem incluir as cargas indicadas pelas diversas especialidades,
incluindo processo, automação, instrumentação, telecomunicações, processamento de dados e
segurança industrial.

35
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.1.5 O cabeçalho e o rodapé da lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, devem ser
preenchidos de acordo com a PETROBRAS N-381.

7.1.1.6 A lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, deve ser utilizada de acordo com o indicado
nesta Norma.

7.1.1.7 A Projetista deve revisar a lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, sempre que surgirem
novos dados ou que dados antigos ou existentes forem modificados ou atualizados.

7.1.1.8 As listas de cargas elétricas devem indicar a somatória das potências ativa, reativa e
aparente instaladas e demandas, por painel elétrico;

7.1.1.9 As cargas elétricas canceladas devem ser mantidas na lista de cargas elétrica, Anexo D e
Anexo E, na condição de hachuradas, sendo indicadas na coluna “Observações”, o seguinte texto:
“Cancelada na revisão XXX”.

7.1.2 Estudos de Viabilidade Técnico-Econômicos do Sistema Elétrico

7.1.2.1 Devem incluir os índices ou parâmetros monetários e taxas de retorno justificando a escolha
das filosofias adotadas para os diversos equipamentos e sistemas elétricos.

7.1.2.2 São exemplos dos estudos de viabilidade técnico-econômicos:

a) configuração do sistema elétrico;


b) redundâncias;
c) acionamento de cargas com conversor de frequência;
d) acionamento de cargas com dispositivos de partida suave (“soft-starter”);
e) motores de indução e síncronos;
f) sistemas digitais de proteção e de automação do sistema elétrico;
g) arquiteturas e redundâncias de redes de comunicação de dados determinísticas e
“Ethernet”;
h) sistemas de aquecimento de equipamentos e tubulações por meio de aquecimento
elétrico resistivo ou indutivo ou a vapor.

7.1.2.3 Os estudos devem ser apresentados sempre que requeridos e, quando se tratar de projeto
com filosofia inédita, devem ser aplicados tanto em instalações novas como em projetos de reformas
ou ampliações de instalações existentes.

7.1.3 Memoriais de Cálculo de Curto-Circuito

7.1.3.1 Devem apresentar os parâmetros necessários aos cálculos, o diagrama de impedância para
cada situação operacional do sistema que conduza às condições de curto-circuito máximo e mínimo
nos pontos a serem considerados, o desenvolvimento do cálculo propriamente dito e o resumo dos
resultados.

7.1.3.2 Os estudos devem ser elaborados em um aplicativo específico para esta finalidade e
compatível com o banco de dados integrado com as listas de cargas elétricas.

36
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.3.3 Caso tenham sido especificados pelo usuário ou responsável pelo projeto, os aplicativos a
serem utilizados pela Projetista devem estar de acordo com os tipos, modelos e versões indicados.

7.1.3.4 Os arquivos de computador gerados pelos respectivos aplicativos e softwares para


elaboração dos estudos, devem ser fornecidos em meio eletrônico, de forma a possibilitar ao usuário
do projeto as necessárias revisões posteriores, em casos de modificações ou ampliações dos
sistemas elétricos envolvidos.

7.1.3.5 Para os cálculos das correntes de curto-circuito devem ser levados em consideração os
requisitos aplicáveis indicados na IEC 60909-0. Caso o usuário do projeto tenha definido a utilização
de metodologia ANSI/IEEE para os cálculos de corrente de curto-circuito, devem ser levados em
consideração os requisitos aplicáveis indicados na IEEE Std 141. Adicionalmente, para unidades
marítimas fixas e móveis devem ser levados em consideração os requisitos aplicáveis indicados na
IEC 61363-1.

7.1.3.6 Para os cálculos dos níveis de energia liberados por ocorrência de curto-circuito com arco,
devem ser atendidos os requisitos indicados na PETROBRAS N-2830.

7.1.4 Estudos de Fluxo de Potência

7.1.4.1 Devem apresentar a direção e sentido dos fluxos de potência ativa e reativa, bem como os
valores de tensão em todas as barras, para as diversas configurações que o sistema elétrico possa
apresentar.

7.1.4.2 Devem ser levados em consideração nos estudos de fluxo de potência, os resultados obtidos
dos demais estudos, tais como: curto-circuito e partida e reaceleração de grandes motores.

7.1.4.3 Os estudos devem ser elaborados em um aplicativo específico para esta finalidade e
compatível com o banco de dados integrado com as listas de cargas elétricas.

7.1.4.4 Caso tenham sido especificados pelo usuário ou responsável pelo projeto, os aplicativos a
serem utilizados pela Projetista devem estar de acordo com os tipos, modelos e versões indicados.

7.1.4.5 Os estudos devem levar em consideração as possíveis configurações do sistema elétrico de


potência e devem incluir todos os controles e ajustes, tais como a indicação dos ajustes dos pontos
de derivações (“taps”) dos transformadores de potência e a indicação dos ajustes de tensão dos AVR
dos geradores elétricos.

7.1.4.6 Os estudos devem levar em consideração as possíveis configurações do sistema elétrico de


potência e devem incluir todos os controles e ajustes necessários para o pleno atendimento aos
requisitos operacionais tanto em condições normais quanto em situações de contingência. Dentre tais
controles e ajustes devem ser mencionados os seguintes: ajustes automáticos de pontos de
derivações (“taps”) dos transformadores de potência, controle de tensão em barras locais e/ou
remotas, controle de intercâmbio de potência.

7.1.4.7 Os arquivos de computador gerados pelos respectivos aplicativos e softwares para


elaboração dos estudos, devem ser fornecidos em meio eletrônico, de forma a possibilitar revisões
posteriores, em casos de modificações ou ampliações dos sistemas elétricos envolvidos.

37
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.5 Memoriais Descritivos de Filosofias dos Sistemas Elétricos

7.1.5.1 Descrição contendo as filosofias adotadas para os sistemas de distribuição de força, sistemas
de alimentação normal, essencial e de emergência, aterramento, tipos de proteção de equipamentos
para instalação em regiões classificadas, iluminação, sinalização e alarme, proteção, automação,
medição, intertravamento, traceamento e aquecimento elétrico industrial e proteção contra descargas
atmosféricas.

7.1.5.2 Para as filosofias dos sistemas de proteção, intertravamento, sinalização e alarme, os


memoriais descritivos devem ser acompanhados dos respectivos diagramas lógicos.

7.1.5.3 As informações básicas de eletricidade constantes do IBE e das especificações técnicas,


caso tenham sido apresentadas pelo usuário do projeto, devem ser consideradas na elaboração dos
memoriais descritivos.

7.1.6 Memorial Descritivo com as Características Básicas das Instalações Elétricas

7.1.6.1 Descrição completa das instalações, considerando para cada área, prédio ou parte do prédio
as premissas estabelecidas pelas PETROBRAS N-1996, PETROBRAS N-1997,
PETROBRAS N-1998, PETROBRAS N-2006 e PETROBRAS N-2039.

7.1.6.2 As informações básicas de eletricidade constantes do IBE ou memorial descritivo do projeto,


caso tenham sido apresentadas pelo usuário do projeto, devem ser consideradas na elaboração dos
memoriais descritivos.

7.1.6.3 Em unidades marítimas de produção, o memorial descritivo de projeto de eletricidade deve


considerar os requisitos aplicáveis indicados nas ABNT NBR IEC 61892-1 e ABNT NBR IEC 61892-2.

7.1.7 Atmosferas Explosivas - Classificação de Áreas, Seleção de Equipamentos e Projeto de


Instalações Elétricas

7.1.7.1 A classificação de áreas, incluindo a elaboração da documentação requerida para a


elaboração das listas de dados de processo para classificação de áreas, a documentação sobre as
extensões das regiões classificadas, a seleção e a especificação de equipamentos e de edificações
para serem instalados em áreas classificadas, devem ser realizados de acordo com os requisitos
indicados nas partes aplicáveis das PETROBRAS N-1674, PETROBRAS N-2918,
ABNT NBR 17505-1, ABNT NBR IEC 60079-10-1, ABNT NBR IEC 60079-10-2,
ABNT NBR IEC 60079-13, ABNT NBR IEC 60079-14, ABNT NBR IEC 60079-16,
ABNT NBR IEC 60079-17, ABNT NBR IEC 60079-20-1, ABNT NBR IEC 61892-7, IEC 60092-502,
API RP 505, NFPA 30, NFPA 497, NFPA 499 e API RP 14 FZ.

7.1.7.2 Para casos particulares de projetos, os estudos de classificação de áreas devem requerer a
aplicação e o atendimento a requisitos indicados em outras normas específicas, a serem indicadas
pelo usuário do projeto.

38
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.7.3 Os estudos de áreas classificadas devem incluir a elaboração das listas de dados de
processo, definição das extensões das regiões classificadas, os grupos de gases inflamáveis ou
poeiras combustíveis e classes de temperatura. Os estudos devem conter o memorial descritivo
sobre as avaliações de risco, os critérios utilizados para a seleção dos tipos de proteção de
equipamentos e os EPL requeridos para equipamentos elétricos e eletrônicos para instalação em
atmosferas explosivas.

7.1.7.4 A compilação dos dados necessários para a elaboração do projeto de áreas classificadas,
incluindo o preenchimento das listas de dados de processo, a identificação das substâncias
inflamáveis, a identificação das fontes de risco e a determinação das extensões das regiões
classificadas devem envolver esforços coordenados de equipe multidisciplinar de profissionais. Esta
equipe deve contar com a participação de profissionais de diversas especialidades, tais como:
processo, operação, segurança industrial, tubulação, manutenção, instrumentação e eletricidade.

7.1.7.5 Os estudos de classificação de áreas devem ser realizados e conduzidos sob a coordenação
dos profissionais da especialidade de processo e/ou segurança industrial, de forma a atender, os
requisitos de procedimento para classificação de áreas indicados na ABNT NBR IEC 60079-10-1 e na
ABNT NBR IEC 60079-10-2. As ABNT NBR IEC 60079-10-1 e ABNT NBR IEC 60079-10-2 indicam
que a classificação de áreas deve ser elaborada por aqueles que tenham conhecimento sobre as
propriedades dos materiais inflamáveis, o processo e os equipamentos, com participação, onde
apropriado, dos profissionais de segurança, eletricidade, mecânica, manutenção e outros da área de
engenharia.

NOTA É recomendado que os profissionais envolvidos nas atividades de elaboração ou revisão da


documentação de classificação de áreas, incluindo projetistas, técnicos e engenheiros,
demonstrem suas competências pessoais nesta área de especialidade, por exemplo, por
meio de certificação de acordo com a Unidade de Competência Ex 002 - Execução de
classificação de áreas, indicada no IECEx OD 504 - Especificações para a avaliação dos
resultados das unidades de competência. [Prática Recomendada]

7.1.7.6 Devem ser considerados nos projetos de eletricidade os requisitos indicados na


PETROBRAS N-1674, nos casos de projeto de arranjo de instalações industriais terrestres de
petróleo, derivados, gás natural e álcool:

a) deve ser verificado, sempre que aplicável ou tecnicamente possível, o requisito de


localização das edificações das subestações e casas de controle fora das extensões das
áreas classificadas. Caso as edificações necessitem ser localizadas em áreas
classificadas, as edificações devem ser protegidas por pressurização artificial, de acordo
com os requisitos indicados na ABNT NBR IEC 60079-13;
b) deve ser verificado, sempre que aplicável ou tecnicamente possível, o requisito de
localização, fora das áreas classificadas, de equipamentos de processo contendo a
presença de fontes de ignição ou de chama de origem não elétrica, tais como fornos,
caldeiras e incineradores.

7.1.7.7 A seleção de equipamentos “Ex” e o projeto de instalações elétricas em atmosferas


explosivas de gases inflamáveis ou poeiras combustíveis devem ser executados de acordo com a
ABNT NBR IEC 60079-14.

7.1.7.8 A seleção de equipamentos e o projeto de instalações elétricas em atmosferas explosivas em


unidades marítimas devem ser executados de acordo com a ABNT NBR IEC 61892-7.

39
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.7.9 Para circuitos e sistemas envolvendo equipamentos intrinsecamente seguros (tipo de


proteção Ex “i”) devem ser elaboradas memórias de cálculo para documentar a verificação dos
parâmetros de entidade entre as barreiras de segurança intrínseca (equipamento associado) e o
circuito de campo, incluindo os equipamentos Ex “i” de campo e os cabos dos circuitos de interligação
entre os equipamentos Ex “i” e as barreiras, de acordo com os requisitos da
ABNT NBR IEC 60079-14 e da ABNT NBR IEC 60079-25.

7.1.7.10 Deve ser elaborada uma memória de cálculo para cada circuito intrinsecamente seguro,
incluindo a identificação do número dos respectivos certificados de conformidade “Ex” e dos modelos
e fabricantes dos dispositivos e equipamentos existentes no circuito, tais como sensores,
transmissores e barreira de segurança intrínseca Ex “i”.

7.1.7.11 Devem ser indicadas nas memórias de cálculo as verificações de compatibilidade das
características de proteção do conceito de entidade, incluindo os parâmetros “V”, “I”, “C”, “L”, “L/R” e
“P” dos equipamentos Ex “i” de campo, barreiras de segurança intrínseca e dos cabos do circuito de
interconexão. Os parâmetros devem ser obtidos nos certificados de conformidade dos equipamentos
Ex “i” e nos equipamentos associados dos circuitos considerados.

7.1.7.12 A elaboração da documentação do projeto de eletricidade levar em consideração as


orientações para evitar os riscos de ignição e de choques eletrostáticos devido à formação e ao
acúmulo eletricidade estática em atmosferas explosivas, indicadas na IEC TS 60079-32-1.

7.1.7.13 Os memoriais descritivos de montagem das instalações elétricas, a serem elaborados pela
Projetista, devem incluir o requisito de que seja realizado pelas Montadoras, os serviços de inspeção
inicial das instalações elétricas em atmosferas explosivas. As inspeções iniciais “Ex” devem ser
realizadas imediatamente após a conclusão das montagens das instalações “Ex” e deve ser
executada de acordo com os requisitos de inspeção inicial, com grau detalhado, como indicado na
ABNT NBR IEC 60079-14 e na ABNT NBR IEC 60079-17.

NOTA 1 É recomendado que os profissionais envolvidos nas atividades de elaboração ou revisão de


projetos de instalações elétricas em atmosferas explosivas, incluindo projetistas, técnicos e
engenheiros, demonstrem suas competências pessoais nesta área, por exemplo, por meio
de certificação de acordo com a Unidade de Competência Ex 009 - Projeto de instalações
elétricas em, ou associadas a atmosferas explosivas, indicada no IECEx OD 504 -
Especificações para a avaliação dos resultados das unidades de competência. [Prática
Recomendada]
NOTA 2 É recomendado que as empresas Projetistas envolvidas nas atividades de elaboração ou
revisão de projetos de eletricidade em atmosferas explosivas, demonstrem a adequação do
seu Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) nesta área de especialidade, por exemplo, por
meio de certificação de acordo com o IECEx OD 314-2 - Requisitos do Sistema de Gestão
da Qualidade para Empresas de Serviços que prestam serviços relacionados com seleção
de equipamentos “Ex” e projeto de instalações “Ex”. [Prática Recomendada]

7.1.8 Diagramas Unifilares

7.1.8.1 Devem ser elaborados a partir do banco de dados das listas de cargas elétricas.

7.1.8.2 Devem incluir os requisitos indicados nos memoriais descritivos contendo as filosofias
adotadas para o projeto de eletricidade e no memorial descritivo das características básicas das
instalações elétricas.

40
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.8.3 Os diagramas unifilares devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) representação das fontes de suprimento, incluindo tensão, frequência e número de


fases;
b) indicação do nível de curto-circuito na entrada do sistema e em todos os barramentos,
nos diferentes níveis de tensão;
c) indicação da capacidade dos barramentos em regime contínuo;
d) indicação das posições dos disjuntores e chaves seccionadoras e de aterramento em
condições normais de operação do sistema elétrico;
e) representação e identificação dos circuitos de entradas, de interligações e de saídas;
f) representação de todos os equipamentos e componentes elétricos do sistema;
g) indicação da seção nominal e formação dos cabos dos circuitos de distribuição de força;
h) representação dos TC e TP para alimentação de instrumentos de medição e de relés de
proteção;
i) representação dos códigos das funções de proteção, intertravamento, comando,
controle, medição, sinalização ou alarme por meio dos mnemônicos dos respectivos LN,
de acordo com a IEC 61850-7-4 ou pelo números das funções dos dispositivos indicados
na IEEE Std C37.2;
j) representação dos relés de proteção e IED, com seus respectivos circuitos de atuação e
interfaces com os sistemas digitais de proteção e de automação;
k) representação dos circuitos de intertravamentos elétricos e eletromecânicos entre
equipamentos;
l) representação dos instrumentos de medição, caso as medições necessitem estar
apresentadas fora dos displays dos relés digitais de proteção ou IED;
m) indicação dos sinais destinados a sistemas digitais de supervisão, automação proteção e
controle;
n) representação dos dispositivos de partida suave e dos conversores de frequência para
controle de processo.

7.1.8.4 É recomendado que cada painel elétrico possua o seu próprio diagrama unifilar, o qual deve
representar os circuitos de força, controle, proteção e intertravamentos com outros painéis elétricos
de força, transformadores e sistemas digitais de proteção e automação. [Prática Recomendada]

7.1.8.5 É recomendado que os fabricantes dos painéis elétricos utilizem os diagramas unifilares
elaborados pela Projetista na etapa do projeto de detalhamento, para fins de inclusão de novas
informações e dados de características técnicas dos componentes, na etapa de fabricação dos
painéis. É recomendado que o fabricante ou fornecedores dos painéis não elaborem outros
diagramas unifilares, de forma a evitar a ocorrência de duplicidade de documentos e de informações.
[Prática Recomendada]

7.1.8.6 Deve ser elaborado um Diagrama Unifilar Geral, o qual contenha, de forma simplificada, o
diagrama de todo o sistema elétrico envolvido no projeto. Este Diagrama Unifilar Geral deve conter
somente a representação dos principais barramentos e circuitos de força, bem como a representação
dos barramentos de todos os painéis elétricos (CDC e CCM) da planta ou da subestação, incluindo os
seus circuitos de interligação de força. Deve ser indicado, neste diagrama unifilar geral, o número do
diagrama unifilar específico para cada painel elétrico (CDC e CCM) existente no sistema abrangido
pelo projeto de eletricidade.

7.1.9 Diagramas Funcionais Típicos e Diagramas Lógicos para Programação de Equipamentos


Digitais

7.1.9.1 Os diagramas funcionais devem incorporar as filosofias de proteção, intertravamento,


sinalização, alarmes e automação indicadas nos memoriais descritivos das filosofias do sistema
elétrico.

41
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.1.9.2 Os diagramas funcionais devem indicar a quantidade de pontos de entradas e saídas digitais
e analógicas requeridas pelos IED, medidores, relés de proteção, necessárias para implantar as
funções requeridas.

7.1.9.3 Os diagramas lógicos devem incorporar as filosofias de proteção, intertravamento,


sinalização, alarmes e automação indicados nos memoriais descritivos das filosofias do sistema
elétrico.

7.1.9.4 A simbologia a ser utilizada na elaboração dos diagramas funcionais e lógicos deve estar de
acordo com os requisitos indicados na PETROBRAS N-898 e na IEC 60617.

7.1.9.5 Devem ser elaborados diagramas de blocos lógicos de parametrização e configuração para
os equipamentos digitais, tais como: relés digitais de proteção, IED GPS, PLC, UTR, conversores de
frequência, “soft-starters”, “switches” ópticos industriais etc.

7.1.9.6 Os diagramas de blocos lógicos devem indicar, inclusive, as sinalizações, alarmes e botões
de comandos locais dos relés de proteção, por meio de suas IHM e displays.

7.1.9.7 Os diagramas funcionais a serem elaborados pelos fabricantes dos painéis devem conter os
diagramas lógicos de proteção, intertravamento, automação, controle, sinalização e alarme a serem
implantados por meio do software de configuração e parametrização dos relés digitais de proteção,
IED e demais equipamentos digitais configuráveis, tais como UTR, PLC, GPS, conversores de
frequência, switches ópticos industriais e “soft-starter”.

7.1.10 Livros do Projeto (“Data-Book”) Básico de Eletricidade

7.1.10.1 Devem ser elaborados pela Projetista, livros de projeto (“Data-books”), nesta etapa de
projeto básico, contendo toda a documentação gerada nesta etapa do projeto de eletricidade.

7.1.10.2 Os livros de projeto devem conter a documentação necessária, considerando os


documentos aplicáveis a serem elaborados ou revisados pela Projetista (ver Anexo C), em cada
projeto em particular, atendendo aos requisitos específicos indicados em 7.1.

7.1.10.3 Cópias dos livros de projetos devem ser fornecidas, na quantidade necessária, para
distribuição aos órgãos interessados e participantes do Empreendimento.

7.2 Projeto de Detalhamento de Eletricidade

Na etapa de projeto de detalhamento de eletricidade devem ser detalhados todos os documentos


gerados na etapa do projeto básico.

São aplicáveis também para o detalhamento do projeto elétrico os requisitos relacionados com o
sistema de automação elétrico, indicados na Seção 8.

42
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.1 Cronogramas de Projeto

7.2.1.1 O cronograma de projeto deve conter as seguintes informações:

a) listagem de documentos de projeto a serem emitidos pela projetista, de acordo com a


ordenação cronológica de evolução do projeto;
b) diagrama de barras identificando as datas “início” dos trabalhos para a elaboração de
tais documentos e as datas “fim” dos respectivos trabalhos, quando da aprovação ou
liberação dos mesmos;
c) cronograma PERT/CPM (“Critical Path Method”/“Programme Evaluation Review
Technique”), onde sejam identificados claramente todos os eventos do projeto com suas
datas “início”, “fim”, “mais cedo”, “mais tarde”, dependências entre documentos, etc, e os
caminhos críticos detectados.

7.2.1.2 O cronograma de projeto deve ser elaborado em um aplicativo apropriado para esta
finalidade, que permita a implantação dos recursos e funcionalidades requeridas para o
acompanhamento da evolução físico e financeira do projeto (por exemplo, Curva “S”), bem como
gerenciamento dos atrasos de prazos, nivelamento de recursos e pendências eventualmente
existentes.

7.2.2 Listas de Documentos de Projeto

7.2.2.1 Devem ser elaboradas discriminando totalmente as espécies dos documentos a serem
emitidos para o projeto devendo conter, no mínimo, os seguintes campos:

a) numeração do documento;
b) título do documento;
c) tamanho;
d) escalas;
e) revisão com respectiva data da emissão;
f) fase de apresentação do projeto básico de eletricidade, de acordo com 5.3.1.

7.2.2.2 É recomendado que a Projetista possua um sistema eletrônico de controle e gerenciamento


de documentação técnica que permita a identificação, rastreabilidade e estágio de evolução de cada
documento de projeto, incluindo os seguintes recursos e informações: [Prática Recomendada]

a) fluxo de trabalho da documentação;


b) lista de comentaristas de documentos;
c) listas de consolidadores de comentários;
d) controle de revisões;
e) controle de pendências;
f) prazos para revisões;
g) controle de prazos de documentos em atraso;
h) envio de mensagens eletrônicas para os comentaristas, consolidadores, administradores
e gerentes do sistema de documentação técnica.

7.2.3 Listas de Cargas Elétricas

7.2.3.1 Folhas padronizadas de acordo com os requisitos indicados no Anexo D (aplicável para o
projeto conceitual e básico) e Anexo E (aplicável para o projeto de detalhamento), emitidas por painel,
processo ou subestação, fundamentadas no projeto do processo.

43
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.3.2 Devem ser discriminadas além das cargas do sistema de alimentação normal, as cargas a
serem alimentadas pelos sistemas de alimentação essencial e de emergência, caso os sistemas se
façam necessários. São exemplos dos sistemas de alimentação essencial e de emergência: sistemas
de iluminação, sistemas de pressurização de subestações, casas de controle e demais ambientes,
carregadores de baterias de acumuladores, UPS, sistemas de traceamento e aquecimento elétrico
industrial de equipamentos e tubulações, estações de supervisão e controle, sistemas de
telecomunicações, sistemas de processamento de dados.

7.2.3.3 As listas de cargas elétricas devem ser revisadas pela projetista de detalhamento à medida
que esta desenvolve o seu trabalho, seguindo a PETROBRAS N-2064. De acordo com o porte do
projeto de detalhamento, deve ser necessária a execução e revisão as listas de cargas e demais
documentos, desenhos e diagramas afetados, mais de uma vez, pela projetista.

7.2.3.4 As listas de cargas elétricas devem ser complementadas no sentido de atualização dos
dados relativos às cargas listadas no projeto básico pelas diversas especialidades, incluindo
processo, automação, instrumentação, telecomunicações, processamento de dados e segurança
industrial.

7.2.3.5 O cabeçalho e o rodapé da lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, devem ser
preenchidos de acordo com a PETROBRAS N-381.

7.2.3.6 A lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, deve ser utilizada de acordo o prescrito nesta
Norma.

7.2.3.7 A Projetista deve revisar esta lista de cargas elétricas, Anexo D e Anexo E, sempre que
surgirem novos dados ou que dados antigos ou existentes forem modificados ou atualizados.

7.2.3.8 As cargas elétricas canceladas devem ser mantidas na lista de cargas elétrica, Anexo D e
Anexo E, na condição de hachuradas, sendo indicado na coluna “Observações”, o seguinte texto:
“Cancelada na revisão XXX”.

7.2.4 Listas de Cabos e/ou Circuitos

7.2.4.1 As listas de cabos e/ou circuitos devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) identificação (TAG) dos cabos, dos eletrodutos e/ou dos circuitos;


b) tipo do cabo;
c) comprimento dos lances e comprimento total do circuito;
d) quantidade, formação, seção nominal e comprimento dos cabos por circuito;
e) descrição da origem e destino de cada lance;
f) indicação do percurso de cada lance;
g) identificação da bobina ou código do material a ser utilizado;
h) identificação e descrição do serviço ou função do circuito (tais como: alimentação de
força principal, alimentação de força auxiliar, circuitos de corrente contínua, controle,
comando, sinalização, automação, alarme, aquecimento, sensores de temperatura de
enrolamentos, carcaças e mancais, circuitos digitais, circuitos de sinais analógicos, redes
de comunicação de dados etc.);
i) tensão nominal do circuito;
j) campo de revisão da lista de cabos para cada circuito;
k) campo “Observação” para a inclusão de notas gerais sobre cada circuito.

44
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.4.2 As listas cabos e/ou circuitos devem ser emitidas por unidade de processo alimentadas por
subestação e listas de cabos e circuitos internos à subestação, e quando necessário, uma lista para
as interligações entre diferentes subestações.

7.2.4.3 O projeto de circuitos elétricos em navios, plataformas e demais unidades marítimas fixas ou
móveis deve levar em consideração os requisitos aplicáveis indicados nas IEC 61892-4,
IEC 60092-352, IEC 60092-401 e no IMO MODU CODE.

7.2.4.4 Na lista de cabos, juntamente com o TAG do cabo ou do circuito, deve ser informado o
número da respectiva lista de bandejas ou de eletrodutos, bem como a identificação (TAGs) dos
MCTs por onde passam os cabos ou os circuitos, desde a sua origem (fonte de alimentação) até a
carga elétrica final.

7.2.5 Listas de Eletrodutos e/ou Sistemas de Bandejamento

7.2.5.1 As listas de eletrodutos e/ou sistemas de bandejamento devem conter, no mínimo, as


seguintes informações:

a) identificação (TAG) dos eletrodutos e/ou sistemas de bandejamento;


b) tipo do eletroduto ou bandeja;
c) comprimento dos lances e comprimento total do eletroduto ou sistemas de
bandejamento;
d) descrição da origem e destino do lance do eletroduto ou sistemas de bandejamento;
e) indicação do percurso do lance do eletroduto ou sistemas de bandejamento;
f) diâmetro nominal do eletroduto ou dimensões da bandeja, eletrocalha ou leito.

7.2.5.2 As listas de eletrodutos e/ou sistemas de bandejamento devem ser emitidas por unidade de
processo alimentadas por subestação e listas de cabos e circuitos internos à subestação, e quando
necessário, uma lista para as interligações entre diferentes subestações.

7.2.6 Lista de Pontos de Entrada e Saída (I/O) de Equipamentos Digitais e de Automação

7.2.6.1 Devem ser elaboradas as listas de I/O a serem utilizadas pelos relés digitais de proteção,
IEDs, MUs, conversores de frequência, partida suave (“soft-starter”), PLC, UTR, “switches ópticos”,
GPS, UPS e demais equipamentos elétricos, eletrônicos ou digitais que necessitem de configuração
ou parametrização.

7.2.6.2 As listas de I/O devem relacionar, no mínimo, os seguintes tipos de sinais físicos discretos,
que dimensionam fisicamente os equipamentos digitais:

a) entradas digitais;
b) saídas digitais;
c) entradas analógicas;
d) saídas analógicas.

7.2.6.3 Devem ser quantificados e discriminados os sinais de I/O, tanto digitais como analógicos,
requeridos para atender aos requisitos indicados nos diagramas funcionais, diagramas de blocos
lógicos, memoriais descritivos do sistema de automação e proteção.

45
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.6.4 Devem ser relacionados, por identificação de equipamento (TAG), cubículo, ou painel, os
pontos de I/O a serem interligados por conexão física (“hardwired”) aos IED, UTR, PLC, relés digitais
de proteção, conversores de frequência etc.

7.2.6.5 As listas de sinais de I/O devem relacionar os sinais a serem controlados e monitorados via
redes de comunicação de dados, que não carregam fisicamente os cartões de I/O dos IED, UTR,
PLC, conversores de frequência, etc.

7.2.7 Listas de Materiais (LM)

7.2.7.1 Deve relacionar todos os materiais utilizados, devendo ser indicada a descrição do material, a
quantidade necessária por desenho, às folgas previstas e os respectivos critérios, a quantidade
requisitada e o número das respectivas requisições de materiais inclusive aqueles a serem
providenciados pelo empreendimento.

7.2.7.2 Devem ser relacionados às listas, materiais diversos, outros que não equipamentos (tais
como: motor, transformador, painel, bateria de acumuladores), tais como: eletrodutos, cabos,
sistemas de bandejamento, acessórios de montagem e de suportação, terminações, emendas,
botoeiras, luminárias, materiais de aterramento e de SPDA, tomadas e plugues e caixas de
passagem.

7.2.7.3 Sempre que a elaboração do projeto for realizada em CAD 3D, as listas de materiais elétricos
devem ser geradas a partir dos bancos de dados do próprio sistema CAD 3D. As Listas de Materiais
devem incluir os dados dos atributos, características técnicas e demais dados dos equipamentos e
materiais elétricos que tiverem sido modelados. Dentre os equipamentos devem ser citados: painéis
elétricos, motores elétricos, transformadores, conversores de frequência, UPS, carregadores de
bateria, bateria de acumuladores, luminárias, eletrodutos, sistemas de bandejamento, cabos,
botoeiras, acessórios de fixação e suportes, acessórios de eletrodutos, painéis “Ex” de distribuição de
circuitos de força e iluminação.

7.2.7.4 Nos casos de modelamento e atributos de equipamentos tagueados, as LM devem


referenciar os respectivos documentos de projeto, tais como RM e FD.

7.2.7.5 No caso do modelamento dos equipamentos e materiais elétricos utilizar detalhes típicos de
instalação elétrica (força, controle, iluminação, aterramento, SPDA, suportes/fixações etc.), as LM
devem ser considerar todos os materiais e acessórios indicados no bloco de cada detalhe típico,
incluindo atributos de especificação e de quantidades aplicáveis a cada detalhe típico.

7.2.7.6 Nos casos onde seja solicitado pelos critérios de projeto, os materiais devem ser identificados
por meio dos respectivos Números de Material (NM) indicados no módulo de materiais do sistema
SAP da PETROBRAS.

46
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.8 Memoriais Descritivos e/ou Memoriais de Cálculo

7.2.8.1 Dimensionamento de Equipamentos

7.2.8.1.1 Devem ser elaborados memoriais de cálculo para o dimensionamento dos principais
equipamentos elétricos dos sistemas de potência (tais como transformadores, geradores, painéis,
motores, conversores de frequência, carregadores de bateria, UPS, bateria de acumuladores),
proteção, automação (IED, UTR, PLC), e iluminação, devendo ser observadas as considerações
feitas pelas normas aplicáveis e requisitos particulares estabelecidos pelo projeto básico.

7.2.8.1.2 Os conjuntos de manobra de média tensão devem ser especificados com base nos
requisitos indicados na ABNT NBR IEC 62271-200, incluindo os requisitos de classificação de
resistência a arco interno (IAC).

7.2.8.2 Sistemas de Distribuição de Força Normal, Essencial e de Emergência

7.2.8.2.1 Os cabos dos circuitos dos sistemas de distribuição de força devem ser dimensionados de
acordo com os requisitos indicados nas IEC 60287-1-1, PETROBRAS N-1996, N-1997, N-1998,
ABNT NBR 5410, ABNT NBR 14039, IEC 61936-1 e Série IEC 60364, onde aplicáveis, devendo
prevalecer o critério que conduzir à maior seção nominal.

7.2.8.2.2 Os sistemas de eletrodutos aparentes e subterrâneos para os circuitos de força,


intertravamento, controle, comando e automação devem ser projetados de acordo com os requisitos
indicados nas PETROBRAS N-1600 e N-1996.

7.2.8.2.3 Os sistemas de bandejamento para os circuitos de força, intertravamento, controle,


comando, automação, instrumentação, telecomunicações e redes de comunicação de dados devem
ser projetados de acordo com os requisitos indicados na PETROBRAS N-1997. No caso de utilização
de sistemas de bandejamento em material composto, devem ser atendidos os requisitos indicados na
ABNT NBR 15708-4.

7.2.8.2.4 Devem ser considerados os critérios necessários para a segregação de circuitos


intrinsecamente seguros e não intrinsecamente seguros, de acordo com os requisitos indicados nas
ABNT NBR IEC 60079-14 e na ABNT NBR IEC 60079-25.

7.2.8.2.5 Os cabos dos circuitos dos sistemas de distribuição de força devem ser segregados de
acordo com nível de tensão nominal e dos cabos dos circuitos de controle, comando, proteção e
automação.

7.2.8.2.6 Os cabos dos circuitos dos sistemas de distribuição de força devem ser segregados em
função de suas seções transversais nominais, de acordo com as ABNT NBR 5410,
ABNT NBR 14039, IEC 61936-1 e Série IEC 60364, evitando a presença de cabos seções nominais
muito diferentes, de forma a evitar problemas relacionados à instalação dos cabos em eletrodutos ou
sistemas de bandejamento.

7.2.8.2.7 Devem ser considerados os critérios necessários para a segregação dos circuitos de saída
dos conversores de frequência para o controle de rotação de motores elétricos, bem como
segregação e encaminhamento alternativo de circuitos de alimentação de força normal, essencial e
de emergência.

47
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.8.2.8 É recomendado que os cabos dos circuitos de alimentação e controle dos sistemas de
distribuição de força para cargas “normal”, “essencial” e de “emergência” sejam projetados de forma a
serem segregados por meio de encaminhamento distintos. [Prática Recomendada]

7.2.8.2.9 O projeto dos sistemas de alimentação de emergência deve ser elaborado levando em
consideração os requisitos aplicáveis indicados na NFPA 110 e API RP 540.

7.2.8.2.10 O projeto dos sistemas de alimentação dos motores das bombas de água de combate a
incêndio deve ser elaborado levando em consideração os requisitos aplicáveis indicados na NFPA 20.

7.2.8.2.11 O projeto de alimentação de força para equipamentos eletrônicos deve ser elaborado
levando em consideração os requisitos aplicáveis indicados na IEEE Std 1100.

7.2.8.3 Puxamento de Cabos

7.2.8.3.1 Devem ser elaborados memoriais de cálculo para determinação dos esforços de
puxamento de cabos dos circuitos dos sistemas de distribuição de força, controle, automação e
iluminação.

7.2.8.3.2 Os memoriais de cálculo devem levar em consideração as distâncias entre pontos de


puxamento, tais como: “pull-points” e “manholes”, levando em consideração os dados de esforços
máximos de tração indicados pelos fabricantes dos cabos, visando dimensionar a seção transversal
mínima dos cabos (quando o cabo for previsto para ser puxado pelo condutor) ou a especificação do
cabo (por exemplo, quando o cabo for previsto para ser puxado por uma alma de aço).

7.2.8.4 Sistemas de Aterramento

7.2.8.4.1 Deve ser prevista uma rede geral de aterramento em toda a unidade industrial, em que haja
fornecimento ou previsão de fornecimento de tensão em nível igual ou superior a 69 kV.

7.2.8.4.2 As redes de aterramento das subestações principais, bem como as redes de aterramento
das subestações auxiliares devem constituir parte integrante da rede geral de aterramento.

7.2.8.4.3 Os procedimentos de cálculos a serem utilizados para o dimensionamento do sistema de


aterramento devem estar de acordo com os requisitos indicados nas IEEE Std 142 e IEEE Std 80
(redes de aterramento não superiores a 100 m de lado).

7.2.8.4.4 Para unidades marítimas de produção devem ser atendidos os requisitos aplicáveis
indicados na ABNT NBR IEC 61892-1.

7.2.8.4.5 Os ramais para aterramento de equipamentos devem atender os requisitos indicados na


NFPA 70 - Artigo 250.

7.2.8.4.6 O projeto dos sistemas de aterramento para equipamentos eletrônicos deve ser elaborado
levando em consideração os requisitos aplicáveis indicados na IEEE Std 1100.

7.2.8.4.7 De acordo com os requisitos da NR-13, todos os vasos de pressão devem ser aterrados.

48
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.8.4.8 De acordo com os requisitos da NR-20, todos os vasos, tanques e demais equipamentos de
processo contendo líquidos inflamáveis devem ser aterrados.

7.2.8.4.9 Devem ser apresentadas as memórias de cálculo dos projetos dos sistemas de
aterramento, incluindo análises de tensão de passo e de toque. Dependendo do porte do projeto, os
cálculos devem ser realizados por meio de aplicativos ou softwares específicos.

7.2.8.5 Sistemas de Iluminação Normal e de Emergência

Devem ser seguidos os critérios apresentados nas PETROBRAS N-2006, ABNT NBR 5101,
ABNT NBR ISO/CEI 8995-1, ABNT NBR IEC 61892-1, ABNT NBR IEC 61892-2, IEC 61892-5 e
ABNT NBR IEC 61892-6.

7.2.8.6 Coordenação e Seletividade da Proteção Elétrica

7.2.8.6.1 Os memoriais descritivos ou memórias de cálculo devem ser elaborados pela projetista de
detalhamento, caso não estejam incluídos no escopo de fornecimento dos fabricantes dos painéis
elétricos. Nos casos em que a elaboração dos documentos forem escopo dos fabricantes e
fornecedores, é de escopo da Projetista as atividades de análise, comentário e aprovação dos
documentos.

7.2.8.6.2 Os memoriais descritivos ou memórias de cálculo devem definir a atuação de todos os


sistemas de proteção com base nas filosofias determinadas no projeto básico e justificando as seções
nominais dos cabos, os ajustes e parametrizações dos relés digitais de proteção, o casamento de
impedâncias entre os transformadores para instrumentos, relés e cabos, bem como a coordenação e
a seletividade das funções de proteção entre si.

7.2.8.6.3 Devem ser atendidas as recomendações aplicáveis indicadas nas API RP 540,
IEEE Std 242, IEEE Std C37.91, IEEE Std C37.96, ANSI IEEE Std C37.101, ANSI IEEE Std C37.102
e ANSI IEEE STD C37.110.

7.2.8.6.4 No momento em que a Projetista ou o fabricante do painel disponham das informações dos
fabricantes e modelos dos IED e relés digitais a serem utilizados, o estudo de coordenação e
seletividade deve ser revisado, de forma que os valores dos pontos de ajuste necessários sejam
apresentados conforme as funções de proteção ou mnemônicos dos LN a serem parametrizados para
as funções de proteção, controle e intertravamento dos respectivos IED e relés digitais, de acordo
com os respectivos manuais dos fabricantes.

7.2.8.6.5 Os memoriais descritivos ou memórias de cálculo de proteção e seletividade devem ser


revisados de forma a incluírem os parâmetros específicos dos diversos modelos dos relés digitais de
proteção e IEDs utilizados. Devem ser citados, por exemplo, os seguintes parâmetros: tensão
fase-fase, tensão fase-neutro, sequência de fase, relação de TC, relação de TP, fator de ponderação
de sequência negativa, ângulo de máximo torque, sincronismo, constantes de tempo térmicas de
motores, geradores e transformadores, indicação dos “flags” internos utilizados para funções de
intertravamento, controle e bloqueio e proteção de sobrecorrente adaptativa.

7.2.8.6.6 Os memoriais descritivos ou memórias de cálculo de proteção elétrica, coordenação e


seletividade devem conter as listas de todos os relés de proteção e IED instalados, por painel,
contendo informações do fabricante, modelo, funções de proteção utilizadas e quantidade.

49
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.8.7 Sistemas de Intertravamento Elétrico e de Segurança de Processo

a) deve conter as informações dos memoriais descritivos do sistema elétrico e diagramas


lógicos e funcionais elaborados no projeto básico, descrevendo os intertravamentos
inerentes ao sistema elétrico envolvendo transformadores, motores, geradores e
disjuntores de entradas, saídas e de interligação de barramentos de painéis;
b) deve ser elaborado a partir da tabela de causa e efeito emitida pela projetista do
processo, contendo os circuitos de interface do sistema elétrico com os sistemas digitais
de controle de processo (tais como sistema SSC e PLC) e sistemas digitais de
intertravamento de segurança (tais como sistema SIS e ESD), incluindo a eventual
existência de circuitos intrinsecamente seguros.

7.2.8.8 Sistemas de Sinalização e Alarme

7.2.8.8.1 Deve definir a atuação de todos os dispositivos de sinalização e alarmes, visuais e/ou
sonoros, incluindo os relés digitais de proteção, com base na filosofia determinada no projeto básico e
justificando o dimensionamento dos cabos, capacidade dos dispositivos atuantes e atuados etc.

7.2.8.8.2 O memorial descritivo de sinalização e de alarmes deve conter as definições dos alarmes
com atuação no local da instalação dos equipamentos ou remota, nas telas das IHM do sistema
digital de controle e monitoração.

7.2.8.9 Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas (SPDA)

7.2.8.9.1 Deve definir claramente as regiões que necessitam de proteção indicando os critérios
adotados.

7.2.8.9.2 Os SPDA devem atender os requisitos indicados na ABNT NBR 5419 Partes 1, 2, 3 e 4,
IEC 62305 - Partes 1, 2, 3 e 4, NFPA 780 e NFPA 70 - Artigo 250.

7.2.8.9.3 Nos casos de estruturas de concreto pré-moldado, as conexões a serem realizadas entre
as ferragens e os condutores de aterramento, antes da concretagem devem ser feitas por meio de
conectores apropriados, e não por simples amarração com arames, de acordo os requisitos indicados
nas ABNT NBR 5419 Partes 1, 2, 3 e 4 e na IEC 62305 Partes 1, 2, 3 e 4.

7.2.8.9.4 O Memorial Descritivo de SPDA deve considerar a elaboração de plantas de regiões


seguras de trabalho, sob o ponto de vista de descargas atmosféricas. Considerando que os abrigos
de proteção, em caso de incidência de descargas atmosféricas, possuem nível máximo de proteção
1, de acordo com as ABNT NBR 5419 Partes 1, 2, 3 e 4, é recomendado que o nível de proteção
utilizado no estudo de regiões seguras de trabalho, do ponto de vista de descarga atmosférica, seja
também 1 (esfera de 20 m de raio, de acordo com os requisitos indicados nas ABNT NBR 5419
Partes 1, 2, 3 e 4), de forma a prover o nível de segurança mais elevado especificado em norma.
[Prática Recomendada]

7.2.8.10 Estudos de Curto-Circuito

Devem seguir as orientações indicadas em 7.1.3, utilizando para os cálculos os dados certificados
dos equipamentos elétricos de potência e dos cabos dos circuitos de distribuição de força com
dimensões e seções nominais finais.

50
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.8.11 Estudos de Fluxo de Potência

Devem seguir as orientações indicadas em 7.1.4, utilizando para os cálculos os dados certificados
dos equipamentos elétricos de potência e dos cabos dos circuitos de distribuição de força com
dimensões e seções nominais finais.

7.2.8.12 Sistemas de Traceamento e Aquecimento Elétrico Industrial

Devem ser atendidos os requisitos de procedimentos de projeto e instalação indicados na


PETROBRAS N-1857, bem como atendidos os requisitos de especificação indicados na
PETROBRAS N-2641.

7.2.8.13 Sistema de Detecção e Alarme de Fumaça em Sala de Painéis, Sala de Cabos, Sala de
Baterias, Sala de Transformadores e Casas de Controle

Deve definir a localização, quantidade e tipos de sensores a serem instalados, de acordo com os
requisitos indicados na ABNT NBR 17240.

7.2.8.14 Estudos de Energia Incidente em Painéis Elétricos

Os estudos de energia incidente em painéis elétricos, a determinação das distâncias seguras, e a


especificação dos EPIs contra arcos elétricos para utilização pelos operadores e eletricistas devem
ser realizados de acordo com os requisitos indicados nas PETROBRAS N-2830, IEEE Std 1584,
ASTM F1506, ASTM F1891, ASTM F1958/F1958M, ASTM F1959/F1959M, ASTM F2178 e
NFPA 70E.

7.2.8.15 Serviços de Construção, Montagem, Comissionamento e Testes de Aceitação de


Campo

Os memoriais descritivos dos serviços de construção e montagem, comissionamento e testes de


campo do sistema elétrico, a ser elaborado pela Projetista, durante o detalhamento do projeto, deve
incluir, no mínimo, os seguintes requisitos:

a) lista de documentos de projeto de detalhamento necessários para a realização dos


serviços de construção e montagem;
b) definição detalhada de todas as tarefas e serviços a serem executados sob escopo das
empresas contratadas para a execução de construção, montagem, comissionamento e
testes de campo dos sistemas elétricos envolvidos nos empreendimentos;
c) memoriais descritivos separados discriminando os seguintes serviços:
— construção civil;
— montagem eletromecânica;
— enfiação, emendas, conexões e terminações de cabos;
— preservação de equipamentos;
— testes de aceitação a serem realizados no campo;
d) relação entre cada tarefa e seus respectivos documentos de projeto de detalhamento,
apresentando um levantamento quantitativo dos materiais e equipamentos a serem
instalados;
e) relação de testes de campo a serem executados pelas empresas contratadas durante a
etapa de construção, montagem e comissionamento, incluindo os critérios de aceitação
dos testes e as normas técnicas aplicáveis, juntamente com os relatórios da inspeção
final de campo, de forma a atender aos requisitos da NR-10 e das ABNT NBR 5410,
ABNT NBR 14039, ABNT NBR IEC 60079-14, ABNT NBR IEC 60079-17, PETROBRAS
N-1600 e N-1614;
f) relacionar os testes de campo a serem realizados, contendo, no mínimo, aqueles
recomendados pelo fabricante de cada equipamento.

51
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9 Desenhos de Projeto de Detalhamento

7.2.9.1 Atmosferas Explosivas - Classificação de Áreas, seleção de Equipamentos e Projeto de


Instalações Elétricas

7.2.9.1.1 A documentação de classificação de áreas deve conter, no mínimo, as seguintes


informações:

a) devem ser ratificadas e atualizadas todas as informações utilizadas e documentos


elaborados pela Projetista no projeto básico, de acordo com 7.1.7;
b) as informações utilizadas no projeto básico e de pré-detalhamento devem ser totalmente
revisadas e atualizadas, em todos os casos em que ocorram atualizações, alterações ou
modificações nos dados dos líquidos, vapores ou gases inflamáveis ou das poeiras
combustíveis processadas, nos arranjos preliminares dos equipamentos ou sistemas de
processo e edificações, e sempre que surjam novas fontes de risco durante o
desenvolvimento do projeto de detalhamento.

7.2.9.1.2 É recomendado que os estudos de classificação de áreas fossem modelados e realizados


em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos. As informações dos
bancos de dados devem permitir a importação e exportação de dados para aplicativos do tipo CAE.
Esta troca de informações deve possibilitar o preenchimento automático de informações em Folhas
de Dados de equipamentos elétricos, de instrumentação, de automação e de telecomunicações, bem
como a verificação de consistência entre a especificação dos equipamentos comprados com os
requisitos de classificação de área dos respectivos locais de instalação. [Prática Recomendada]

7.2.9.1.3 Para o projeto de detalhamento de classificação de áreas, de seleção dos equipamentos


"Ex” e das instalações elétricas em atmosferas explosivas, devem ser atendidos os requisitos
indicados em 7.1.7.

7.2.9.2 Diagramas Unifilares

Os diagramas unifilares devem ser elaborados por painel elétrico e devem conter, no mínimo, as
seguintes informações:

a) representação das fontes de suprimento, incluindo tensão, frequência e número de


fases;
b) indicação do nível de curto-circuito na entrada do sistema e em todos os barramentos,
nos diferentes níveis de tensão;
c) indicação da capacidade dos barramentos em regime contínuo;
d) representação das barras de aterramento dos painéis;
e) representação dos dispositivos para aterramento dos alimentadores (chaves de
aterramento);
f) representação dos compartimentos dos painéis incluindo compartimentos reservas e
futuros;
g) indicação das posições dos disjuntores e chaves seccionadoras e de aterramento em
condições normais de operação do sistema elétrico;
h) representação e identificação dos circuitos de entradas, de interligações e de saídas;
i) representação de todos os equipamentos e componentes elétricos do sistema;
j) representação dos transformadores de potência, incluindo potências nominais para
ventilação normal e forçada (quando aplicável), níveis de tensão, impedância, tipos de
conexão;
k) indicação da seção nominal e formação dos cabos dos circuitos de distribuição de força;
l) representação dos TC e TP para alimentação de instrumentos de medição e de relés de
proteção, incluindo relação de transformação;

52
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

m) representação dos códigos das funções de proteção, intertravamento, comando,


controle, medição, sinalização ou alarme por meio dos mnemônicos dos respectivos “LN,
de acordo com a IEC 61850-7-4 ou pelo números das funções dos dispositivos indicados
na IEEE Std C37.2;
n) representação dos relés de proteção e IED, com seus respectivos circuitos de atuação e
interfaces com os sistemas digitais de proteção e de automação;
o) representação dos dispositivos de proteção e seus respectivos pontos de atuação;
p) representação dos intertravamentos elétricos e de processo, inclusive indicando as
interfaces com os sistemas digitais de controle de instrumentação e automação;
q) representação dos circuitos de intertravamentos elétricos e eletromecânicos entre
equipamentos elétricos, tais como entre painéis e transformadores;
r) representação dos dispositivos de medição, sinalização e alarmes locais e remotos;
s) representação dos instrumentos de medição, caso as medições necessitem estar
apresentadas fora dos displays dos relés digitais de proteção ou IED;
t) indicação dos sinais de entradas e/ou saídas, digitais e/ou analógicas, destinados a
sistemas digitais de supervisão, automação proteção e controle elétrico ou de processo;
u) representação dos circuitos de comando, controle e monitoração dos conversores de
frequência para controle de rotação de motores elétricos, oriundos dos sistemas digitais
de controle de instrumentação e automação para controle de processo;
v) representação dos resistores de aquecimento dos painéis e motores bem como suas
fontes de suprimento;
w) identificação dos circuitos;
x) representação das interligações entre os equipamentos referentes aos circuitos de
proteção, alarme, sinalização e intertravamento.

NOTA 1 Os diagramas unifilares devem indicar sob a forma de blocos todos os equipamentos
auxiliares de apoio aos painéis de força bem como aos outros equipamentos principais. São
exemplos de equipamentos auxiliares: caixas de blocos terminais, baterias de
acumuladores, conjuntos retificador/carregador de bateria, UPS, painéis de corrente
contínua, painéis de distribuição de iluminação, painéis para distribuição de circuitos de
traceamento e aquecimento elétrico industrial etc.
NOTA 2 As ampliações previstas a serem implantadas no sistema elétrico devem ser representadas
por linhas tracejadas.

7.2.9.3 Diagramas Multifilares

Os diagramas multifilares devem por painel elétrico e devem conter, no mínimo, as seguintes
informações:

a) representação das fontes de suprimento, incluindo tensão, frequência e identificação das


fases;
b) indicação do nível de curto-circuito na entrada do sistema e em todos os barramentos,
nos diferentes níveis de tensão;
c) indicação da capacidade dos barramentos em regime contínuo;
d) representação das barras de aterramento dos painéis;
e) representação dos dispositivos para aterramento dos alimentadores (chaves de
aterramento);
f) representação dos compartimentos dos painéis incluindo compartimentos reservas e
futuros;
g) indicação das posições dos disjuntores e chaves seccionadoras e de aterramento em
condições normais de operação do sistema elétrico;
h) representação e identificação dos circuitos de entradas, de interligações e de saídas;
i) representação de todos os equipamentos e componentes elétricos do sistema;
j) indicação da seção nominal e formação dos cabos dos circuitos de distribuição de força;
k) representação dos TC e TP para alimentação de instrumentos de medição e de relés de
proteção, incluindo a relação de transformação;
l) representação dos códigos das funções de proteção, intertravamento, comando,
controle, medição, sinalização ou alarme por meio dos mnemônicos dos respectivos LN,
de acordo com a IEC 61850-7-4 ou pelo números das funções dos dispositivos indicados
na IEEE Std C37.2;

53
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

m) representação dos relés de proteção, IED e MU, com seus respectivos circuitos de
atuação e interfaces com os sistemas digitais de proteção e de automação;
n) representação dos dispositivos de proteção, suas características nominais e respectivos
pontos de atuação;
o) representação dos dispositivos de medição, sinalização e alarmes locais;
p) representação dos instrumentos de medição, caso as medições necessitem estar
apresentadas fora dos displays dos relés digitais de proteção ou IED;
q) representação dos resistores de aquecimento dos painéis e motores bem como suas
fontes de suprimento;
r) identificação dos circuitos e cabos (TAG);
s) identificação do tipo do circuito, tais como força, tomada ou iluminação;
t) indicação da potência aparente para os circuitos de iluminação e tomadas;
u) distribuição das cargas nas respectivas fases, em casos de cargas monofásicas ou
bifásicas.

NOTA As ampliações previstas a serem implantadas no sistema elétrico devem ser representadas
por linhas tracejadas.

7.2.9.4 Diagramas Funcionais

7.2.9.4.1 Devem ser elaborados para todos os circuitos de controle, proteção, automação,
intertravamento, medição, alarme de equipamentos elétricos, tais como: disjuntores, contatores e
chaves seccionadoras. Aplicáveis a equipamentos elétricos principais, como por exemplo
transformadores, motores e conversores de frequência e equipamentos elétricos auxiliares, tais
como: UPS, sistemas auxiliares de ventilação forçada de transformadores, sistemas de aquecimento
elétrico, ventilação e ar condicionado etc.

7.2.9.4.2 Os diagramas funcionais devem incluir a representação de circuitos tanto corrente


alternada como em corrente contínua.

7.2.9.4.3 Os diagramas funcionais devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) indicação do tipo (corrente contínua ou alternada) e valor da tensão de suprimento do


circuito de controle e indicação do aterramento do circuito, se houver;
b) representação dos dispositivos de proteção dos circuitos e/ou dos seus ramais;
c) identificação de todos os dispositivos representados, respectivos contatos e/ou suas
partes;
d) representação e indicação da função dos contatos destinados a alarmes, comandos,
sinalizações, desligamentos ou intertravamentos em pontos remotos, bem como
contatos reservas;
e) indicação do local de instalação dos dispositivos remotos que atuam sobre o circuito;
f) indicação de circuitos de monitoração, controle e intertravamento oriundos do sistema de
processo, instalados nas casas de controle, para a subestação elétrica;
g) indicação das interfaces dos circuitos de força, controle, intertravamento e automatismos
de conversores de frequência para controle de processo, incluindo circuitos de sinais
digitais e analógicos oriundos dos sistemas digitais de instrumentação e automação para
controle e intertravamento de processo;
h) indicação das posições dos disjuntores e chaves seccionadoras e de aterramento em
condições normais de operação do sistema elétrico;
i) representação de todos os equipamentos e componentes elétricos do sistema de
comando;
j) representação dos TC e TP para alimentação de instrumentos de medição e de relés de
proteção, incluindo relação de transformação;
k) representação dos códigos das funções dos dispositivos utilizados de proteção,
intertravamento, comando, controle, medição, sinalização ou alarme por meio dos
mnemônicos dos respectivos LN, de acordo com a IEC 61850-7-4 ou pelo números das
funções dos dispositivos indicados na IEEE Std C37.2;

54
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

l) representação dos relés de proteção e IED, com seus respectivos circuitos de atuação e
interfaces com os sistemas digitais de proteção e de automação;
m) representação dos dispositivos de proteção e seus respectivos pontos de atuação;
n) representação dos intertravamentos elétricos e de processo, inclusive indicando as
interfaces com os sistemas digitais de controle de instrumentação e automação;
o) representação dos circuitos de intertravamentos elétricos e eletromecânicos entre
cubículos ou gavetas de painéis;
p) representação dos dispositivos de medição, sinalização e alarmes locais e remotos;
q) representação dos instrumentos de medição, caso as medições necessitem estar
apresentadas fora dos displays dos relés digitais de proteção ou IED ou MU;
r) indicação dos sinais de entradas e/ou saídas digitais e/ou analógicas, destinados a
sistemas digitais de supervisão, automação proteção e controle elétrico ou de processo;
s) representação dos circuitos de comando, controle e monitoração dos conversores de
frequência para controle de rotação de motores elétricos, oriundos dos sistemas digitais
de controle de instrumentação e automação para controle de processo;
t) representação das interligações entre os equipamentos referentes aos circuitos de
proteção, alarme, sinalização e intertravamento;
u) representação de um sistema de coordenadas alfanumérica, identificando linhas e
colunas das páginas, para localização dos dispositivos indicados no diagrama funcional.
Este sistema de identificação deve possibilitar a localização de contatos e continuação
de linhas de circuitos nas diferentes páginas do diagrama. Nos locais de representação
dos contatos deve ser indicada a localização do dispositivo de proteção e controle que
contém este contato;
v) a localização dos dispositivos de proteção e controle e de seus respectivos contatos
deve ser do tipo cruzada, possibilitando a rastreabilidade da localização dos dispositivos
(juntos com os seus contatos) e vice-versa;
w) representação de todos os contatos de dispositivos de controle e proteção, tais como:
relés de proteção, IED, relés auxiliares, contatores, disjuntores etc. Esta representação
deve incluir a indicação da localização dos contatos.

7.2.9.4.4 Sempre que necessário, os diagramas funcionais devem ser complementados por
diagramas lógicos, indicando as lógicas de controle, proteção, comando, intertravamento e
automação implantadas nos equipamentos programáveis e IED. Nestes casos, os números dos
diagramas funcionais devem ser indicados como desenhos de referência dos diagramas lógicos e
vice-versa.

7.2.9.4.5 Devem ser ratificadas e atualizadas, nesta etapa de detalhamento de projeto, as


informações e documentos utilizados pela Projetista no projeto básico, de acordo com 7.1.9.

7.2.9.5 Diagramas de Interligações

7.2.9.5.1 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) identificação dos diversos equipamentos representados no diagrama de interligação, tais


como: caixas de bornes terminais, painéis elétricos e equipamentos dos sistemas digitais
de proteção e automação do sistema elétrico e de processo;
b) identificação das respectivas réguas de bornes terminais de todos os equipamentos
indicados nos diagramas de interligação;
c) identificação da origem e destino dos condutores que chegam ou partem de uma régua
de bornes terminais;
d) identificação dos cabos nas conexões com os blocos de bornes terminais, por meio da
indicação da função dos circuitos e destinos os cabos.

7.2.9.5.2 Os diagramas de interligação devem ser representados na forma de listas de interligação


(listas “de/para”), na forma de simples tabelas de bornes.

55
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.6 Diagramas de Blocos de Interligação dos Equipamentos Principais e Subsistemas do


Sistema Elétrico

Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) as principais interligações de circuitos de força e controle entre os principais


equipamentos elétricos instalados no interior das subestações, tais como: painéis de
força, CBT, UTR, SSC, OLTC, PLC, armários de rearranjo e equipamentos de sistemas
digitais de proteção e automação (IED, MU, “switches” Industriais, servidores e GPS);
b) as interligações devem incluir os principais equipamentos elétricos e sistemas digitais de
automação instalados no interior das casas de controle locais e entre diferentes
subestações;
c) as interligações devem incluir, onde necessário, os subsistemas elétricos e os
equipamentos elétricos instalados no campo, como por exemplo os painéis de controle
locais (tais como motores síncronos, painéis de sistemas auxiliares de lubrificação e
selagem, painéis de controle de compressores e sistemas auxiliares de resfriamento).

7.2.9.7 Arranjos de Equipamentos em Subestações e Casas de Controle - Plantas, Cortes e


Detalhes

7.2.9.7.1 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) indicação da escala utilizada;
c) direção predominante dos ventos diurnos e noturnos;
d) detalhamento das estruturas suportes dos barramentos, de paredes, cercas, portões,
acessos, paredes corta-fogo etc.;
e) localização e identificação dos equipamentos;
f) representação dos espaços destinados a ampliações futuras, por meio de linhas
tracejadas;
g) indicação de vistas e cortes;
h) indicação das cotas necessárias;
i) localização da tomada de ar para o sistema de pressurização ou ar condicionado, onde
aplicável;
j) detalhamento dos barramentos e das linhas dos circuitos de entrada de energia, para
subestações com barramentos ao tempo. Devem ser indicados os espaçamentos entre
fases e entre fase e terra;
k) referência a documentação de fabricantes de todos os painéis e demais equipamentos
instalados no interior das subestações e das casas de controle, incluindo a
documentação dos sistemas de pressurização e/ou VAC;
l) indicação de todos os documentos de referência.

7.2.9.7.2 Nas plantas arranjo de equipamentos em subestações devem ser atendidos os requisitos
indicados na PETROBRAS N-2039.

7.2.9.7.3 Os desenhos de cortes e detalhes devem representar, no plano vertical, todos os cortes e
vistas indicados no desenho de arranjo de equipamentos - plantas, com a identificação completa dos
equipamentos bem como as cotas necessárias.

7.2.9.7.4 Quando a quantidade de informações permitir, as informações contidas nos desenhos de


cortes e detalhes do arranjo de equipamentos em subestações devem ser apresentadas no mesmo
desenho da planta.

56
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.7.5 É recomendado que o projeto de arranjo de equipamentos em subestações elétricas e


casas de controle seja realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a
objetos. Este projeto de arranjo em CAD 3D deve possibilitar a verificação de consistência de projeto
com outras disciplinas, tais como: civil e instrumentação, de forma a equacionar eventuais problemas
de interferências, tanto aparentes (tais como: eletrodutos, bandejamentos e suportes) como
subterrâneas (tais como: sistemas de aterramento, envelopes e caixas de passagem dos tipos MH e
HH). [Prática Recomendada]

7.2.9.8 Estruturas Aparentes de Equipamentos em Subestações Externas - Plantas, Corte e


Detalhes

Documentos aplicáveis ao detalhamento do pátio externo de subestações com barramentos ao


tempo, devendo conter, no mínimo:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) direção predominante dos ventos, diurnos e noturnos, quando aplicável;
c) detalhamento de todas as estruturas suportes de concreto pré-moldado dos
equipamentos elétricos, incluindo pórticos para barramentos, postes, base para TC e TP,
chaves seccionadoras, disjuntores, para-raios e isoladores;
d) localização, por meio de cotas ou coordenadas, de todas as estruturas representadas;
e) detalhamento de todas as estruturas representadas, correlacionadas aos respectivos
itens da lista de material do fornecedor;
f) detalhamento das profundidades de enterramentos das estruturas;
g) indicação de todos os detalhes necessários para complementação das estruturas;
h) detalhamento da localização e dimensões das bases, em concreto armado não
pré-moldado, para suporte dos equipamentos de maior porte, tais como:
— transformadores de força e de aterramento;
— resistores de aterramento;
— suporte dos trilhos para movimentação dos transformadores de força e de
aterramento;
i) dimensões das bacias de contenção e dos tanques para coleta do óleo mineral e
representação do sistema de drenagem dos tanques;
j) localização e detalhamento das canaletas de cabos elétricos;
k) localização dos eletrodutos de interligação entre os equipamentos e das canaletas dos
cabos elétricos;
l) detalhamento da cerca da subestação;
m) detalhamento das bases de acabamento para estruturas suportes pré-moldadas
auto-suportáveis.

7.2.9.9 Bases de Equipamentos

Documentos destinados ao desenvolvimento do projeto de detalhamento de construção civil, de


subestações auxiliares e/ou partes abrigadas das subestações principais, devendo conter:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) direção predominante dos ventos diurnos e noturnos, quando aplicável;
c) identificação dos equipamentos;
d) plantas da subestação indicando a localização destinada das bases dos equipamentos
internos e externos;
e) localização das canaletas ou de aberturas no piso sob os painéis;
f) dimensões das bases, canaletas e aberturas no piso, incluindo previsões futuras;
g) localização de chumbadores;
h) indicação dos esforços provocados pelos equipamentos elétricos sobre as bases.

57
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.10 Diagrama de Esforços e Pesos nas Estruturas - Plantas

Desenhos aplicáveis às estruturas suportes de equipamentos elétricos e barramentos, montados nas


áreas externas de subestações principais, devendo conter, no mínimo, o seguinte:

a) representação em planta baixa e cortes de todas as estruturas suportes;


b) orientação da planta (indicação da direção Norte);
c) indicação de todas as cotas nos planos horizontal e vertical;
d) indicação de todos os esforços horizontais exercidos sobre as estruturas suportes pela
ação do tracionamento dos cabos-guarda bem como dos barramentos condutores e
isoladores;
e) representação do pórtico de entrada da subestação com indicação da distância do
pórtico à primeira estrutura suporte da linha de transmissão;
f) indicação dos esforços sobre o pórtico de entrada proveniente do tracionamento da linha
de transmissão sobre o pórtico;
g) indicação dos esforços sobre as bases dos equipamentos elétricos, tais como: postes,
base para TC e TP, chaves seccionadoras, disjuntores, para-raios e isoladores, devido
ao peso dos equipamentos e aos esforços dos cabos ou barramentos;
h) indicação dos pesos de todos os equipamentos, relacionados as respectivas estruturas
suportes;
i) indicação da ação de esforços sobre a respectiva estrutura suporte, proveniente da
operação de abertura dos disjuntores (força de compressão ou “arrancamento” da base);
j) indicação da direção predominante dos ventos locais bem como do valor da maior
velocidade já registrada.

7.2.9.11 Rede Elétrica Principal - Planta Geral ou Planta Chave

O documento deve ser elaborado nos casos em que a rede principal percorra uma área muito
extensa exigindo a elaboração de várias plantas para a sua representação em detalhes; deve conter,
no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) indicação do encaminhamento das redes aéreas e subterrâneas;
c) identificação das caixas de enfiação aparente (“pull-points”) ou subterrâneas (Manholes);
d) identificação dos postes;
e) delimitação das áreas correspondentes às diversas plantas específicas da rede;
f) indicação da referência da numeração de todas as plantas específicas componentes da
rede elétrica principal na planta geral ou planta chave.

7.2.9.12 Redes Elétricas Subterrâneas - Plantas

7.2.9.12.1 O projeto das redes elétricas em envelopes de concreto e com cabos diretamente
lançados no solo, deve ser realizado de acordo com os requisitos da PETROBRAS N-1996.

a) as plantas das redes elétricas subterrâneas devem conter, no mínimo, as seguintes


informações:
— orientação do desenho (indicação da direção Norte);
— planta geral ou planta-chave, localizando as áreas abrangidas, no caso de haver
diversas áreas;
— localização dos envelopes dos sistemas de força, controle, iluminação, redes de
comunicação de dados e telecomunicações, pontos de afloramento para as bases de
“pull-points”;
— localização dos cabos diretamente lançados no solo e localização dos marcos de
sinalização dos encaminhamentos;
— localização, identificação e detalhamento dos pontos de puxamento dos cabos
lançados em envelopes subterrâneos;

58
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

— indicação da profundidade dos envelopes das redes primárias e secundárias, nos


casos onde não haja a necessidade de elaboração de desenho de detalhamento de
seções;
— notas contendo a indicação da resistência característica do concreto, pigmentação da
superfície superior dos envelopes, tipo de fundação ou preparo do fundo da vala, tipo
de eletroduto, raios mínimos de curvatura para os eletrodutos ou cabos, profundidade
mínima admissível para os envelopes ou cabos diretamente lançados no solo;
— indicação dos meios de proteção mecânica para cabos diretamente lançados no solo
e características físicas do material utilizado para enchimento das valas após o
lançamento dos cabos, bem como os requisitos para a sua compactação;
— indicação das malhas de aterramento e dos ramais para aterramento;
b) as plantas dos prédios de subestações ou casas de controle em que os eletrodutos
aflorem diretamente no interior da sala de cabos ou do porão de cabos dos prédios,
devem conter, além das informações indicadas em a), as seguintes informações
adicionais:
— representação da planta baixa do prédio da subestação ou da casa de controle,
paredes corta-fogo, cercas, portões etc.;
— representação das bases dos equipamentos externos;
— representação, por meio de linhas tracejadas, do contorno dos equipamentos internos
e compartimentos dos painéis da subestação;
— representação dos afloramentos dos eletrodutos no interior da sala de cabos ou do
porão da subestação ou da casa de controle; ao lado de cada eletroduto deve ser
indicada a sua identificação e seção transversal nominal; os afloramentos que
possuam grande quantidade de eletrodutos devem ser representados por meio de
detalhes especiais em plantas, vistas e/ou cortes, devendo ser indicados os
acessórios e demais detalhes construtivos, inclusive de aterramento e selagem
(critério da fronteira para regiões classificadas);
— indicação de cotas: os eletrodutos devem ser cotados, nos pontos de afloramento, a
partir de suas linhas de centro em relação à superfície de paredes, linhas de centro
das bases dos equipamentos externos, canaletas sob os painéis etc.;
c) quando a quantidade de informações permitir, o detalhamento dos perfis, das seções,
caixas de enfiação subterrâneas e caixas de enfiação aparente, devem ser incluídas nos
mesmos desenhos de plantas, devendo seguir as orientações em 7.2.9.13 a 7.2.9.17
respectivamente.

7.2.9.12.2 É recomendado que o projeto de redes elétricas subterrâneas fosse realizado em


aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos. Este projeto de redes
elétricas subterrâneas em CAD 3D deve possibilitar a verificação de consistência de projeto com
outras disciplinas, tais como: civil (canaletas de drenagem, tubulações enterradas, bases de
equipamentos de processo e fundações de edificações), envelopes de instrumentação e
telecomunicações e sistemas subterrâneos de aterramento, de forma a equacionar eventuais
problemas de interferências. [Prática Recomendada]

7.2.9.12.3 É recomendado que em unidades de processo, as plantas de rede elétrica subterrânea,


sejam representadas nos mesmos desenhos utilizados pela especialidade de civil, para o
desenvolvimento do projeto de drenagem e demais estruturas e/ou equipamentos enterrados e
subterrâneos, de forma a facilitar o equacionamento das possíveis interferências. [Prática
Recomendada]

7.2.9.13 Redes Elétricas Subterrâneas - Perfis

7.2.9.13.1 O projeto de redes elétricas subterrâneas deve incluir a elaboração de desenhos de perfis
das redes elétricas subterrâneas principais, de vias de comunicação de dados e telecomunicações,
definida na PETROBRAS N-1996.

59
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.13.2 Para redes elétricas subterrâneas secundárias e de instrumentação, a representação deve


ser feita apenas em casos especiais que justifiquem a sua elaboração, tais como: em pontos sujeitos
a interferências ou que exijam representação em detalhes.

7.2.9.13.3 Os perfis das redes elétricas secundárias e de instrumentação devem ser representados
no mesmo desenho que contenha a planta da rede geral ou planta chave, desde que haja espaço
suficiente para esta representação.

7.2.9.13.4 É recomendado que sejam utilizados, sempre que possível, dois valores de escala,
correspondendo a uma escala horizontal e outra vertical, com valores mínimos de 1:500 e 1:50,
respectivamente, de forma a permitir a representação em detalhes. [Prática Recomendada]

7.2.9.13.5 Os desenhos de perfis devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) representação do perfil do terreno com os principais acidentes, tais como: ruas,


canaletas, tubovias etc.;
b) representação de interferências, tais como: estruturas ou tubulações enterradas;
c) indicação das elevações de nível do terreno, pontos de eventuais interferências, fundo e
parede superior interna da caixa de enfiação, pontos de saída e chegada dos envelopes
na caixa de enfiação, pontos de mudança de inclinação dos envelopes etc.

7.2.9.14 Redes Elétricas Subterrâneas - Seções

As seções das redes elétricas subterrâneas devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) identificação das seções;


b) identificação dos eletrodutos nos envelopes;
c) identificação dos cabos diretamente lançados no solo;
d) indicação das seções transversais nominais dos eletrodutos;
e) distâncias entre eletrodutos e entre os eletrodutos e a parte externa do envelope;
f) indicação das distâncias entre os cabos diretamente lançados no solo e entre os cabos e
as paredes laterais das valas;
g) indicação das profundidades dos envelopes quando se tratar de redes secundárias ou de
instrumentação, caso as informações não constem em planta;
h) indicação da profundidade da proteção mecânica dos cabos diretamente lançados no
solo, caso a informação não conste nos perfis;
i) largura e profundidade da vala para cabos diretamente lançados no solo.

7.2.9.15 Caixas de Enfiação Subterrâneas - Características Construtivas

7.2.9.15.1 As caixas de enfiação, quando utilizadas para redes elétricas contendo circuitos de média
tensão ou alta tensão, devem seguir os requisitos indicados na PETROBRAS N-1711.

7.2.9.15.2 Quando se fizer necessária a utilização de caixas de enfiação de dimensões menores que
aquelas indicadas na PETROBRAS N-1711, para passagem de circuitos de baixa tensão,
instrumentação, via de comunicação de dados e telecomunicações, devem ser elaborados detalhes
específicos, padronizando o menor número possível de tipos.

7.2.9.15.3 Os desenhos apresentando as caixas devem ter o mesmo nível de detalhamento dos
desenhos padronizados indicados na PETROBRAS N-1711.

60
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.16 Caixas de Enfiação Aparentes (“Pull-Points”) para Redes Elétricas Subterrâneas -


Detalhes

7.2.9.16.1 O detalhamento as caixas deve ser representado nos mesmos desenhos que contenham
as plantas das redes elétricas subterrâneas, desde que haja espaço suficiente para esta
representação.

7.2.9.16.2 Os desenhos devem representar os arranjos das caixas contendo, no mínimo, as


seguintes informações:

a) orientação em planta de cada ponto de puxamento dos cabos;


b) identificação dos eletrodutos;
c) identificação e detalhamento das caixas de enfiação utilizadas;
d) indicação das caixas de enfiação reservas, para utilização futura, por meio de sua
representação com linhas tracejadas;
e) indicação dos acessórios para eletrodutos de acordo com a simbologia indicada na
PETROBRAS N-898;
f) representação do aterramento dos pontos de puxamento;
g) representação de vistas laterais típicas, indicando o detalhe de montagem das caixas e
acessórios e o da base dos pontos de puxamento;
h) indicação das cotas em relação as linhas de centro dos “pull-points” e dos eletrodutos.

7.2.9.17 Caixas de Enfiação Subterrâneas (“Manholes”) - Disposição dos Cabos

Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação de desenho (indicação da direção Norte);


b) detalhamento das caixas em plantas, por meio de suas linhas de contorno;
c) as paredes da caixa que possuam “janelas” devem ser rebatidas no plano horizontal
(plano de fundo);
d) as caixas devem ser representadas na sequência em que se apresentam nas redes e
devidamente identificadas;
e) detalhamento dos eletrodutos que chegam a cada “janela” da caixa;
f) identificação dos circuitos, de acordo com a sua função;
g) detalhamento da disposição dos cabos no interior das caixas;
h) indicação da posição e tipos das emendas a serem executadas nos cabos de energia.

7.2.9.18 Redes Elétricas Aéreas - Plantas

7.2.9.18.1 O projeto das redes elétricas aéreas deve ser realizado de acordo com os requisitos
indicados na PETROBRAS N-1998.

7.2.9.18.2 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) indicação das coordenadas para localização de todas as estruturas de suportação dos
cabos;
c) detalhamento do encaminhamento das redes aéreas;
d) identificação das estruturas de suportação dos cabos;
e) planta chave localizando as áreas representadas, no caso de haver diversas áreas;
f) memorial descritivo da instalação, contendo a descrição e os detalhes para a construção
das redes elétricas aéreas;
g) indicação das descidas dos para-raios bem como os ramais de aterramento de qualquer
equipamento ou material.

61
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

NOTA Quando a quantidade de informações permitir, o perfil e os detalhes das redes elétricas
devem ser representados no mesmo desenho da planta e ser de acordo com 7.2.9.19.

7.2.9.19 Redes Elétricas Aéreas - Detalhes

Deve conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) detalhamento de cada tipo de estrutura, com todos os seus componentes (separadores


(“spacer cables”), postes, cruzetas, mãos francesas, isoladores, estais, suportes de
estais, para-raios, muflas, chaves seccionadoras etc.);
b) detalhamento da amarração dos condutores aos isoladores;
c) detalhamento do tipo de cabo (nu, isolado, pré-reunido, protegido etc.);
d) detalhamento de todas as cotas necessárias;
e) detalhamento da fixação das bases das estruturas no terreno;
f) detalhamento das conexões e materiais próprios para o aterramento.

7.2.9.20 Instalações Aparentes - Plantas

7.2.9.20.1 Desenhos contendo o encaminhamento aparente dos sistemas de força, controle,


iluminação, instrumentação e vias de comunicação de dados e telecomunicações.

7.2.9.20.2 Nestes desenhos devem constar o arranjo simplificado da área, incluindo os detalhes
suficientes para a localização, instalação e suportação de equipamentos e materiais elétricos,
incluindo sistemas de eletrodutos aparentes, sistemas de bandejamento, motores, painéis locais de
força, painéis de distribuição de circuitos de aquecimento por traço elétrico, painéis de circuitos de
distribuição de circuitos de iluminação e tomadas de serviço, sistemas de iluminação, botoeiras de
comando de campo.

7.2.9.20.3 O projeto das instalações aparentes deve detalhar todos os eletrodutos com suas
identificações, cotas, elevações, acessórios, seções transversais nominais, mudanças de níveis,
orientação do desenho (indicação da direção Norte), indicação de continuação em outros desenhos.

7.2.9.20.4 As instalações referentes à instrumentação, vias de comunicação de dados e


telecomunicações devem ser representadas em desenhos específicos.

7.2.9.20.5 É recomendado que o projeto de instalações aparentes de equipamentos e materiais


referentes aos sistemas elétricos seja realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados
orientados a objetos. Este projeto de instalações aparentes em CAD 3D deve possibilitar a verificação
de consistência de projeto com outras disciplinas, tais como: civil (estruturas metálicas ou de concreto
e edificações), tubulações aparentes, equipamentos de processo, instrumentação e
telecomunicações (sistemas de eletrodutos e bandejamento) e sistemas aparentes de aterramento
(SPDA), de forma a equacionar eventuais problemas de interferências. [Prática Recomendada]

7.2.9.21 Distribuição de Circuitos em Canaletas no Piso da Subestação ou da Casa de


Controle

7.2.9.21.1 Em casos de subestações ou casas de controle onde excepcionalmente não seja possível
a instalação de pisos elevados ou porão de cabos para distribuição de circuitos, deve ser utilizado o
sistema de canaletas no piso.

62
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.21.2 O projeto de canaletas devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) representação em plantas e cortes, detalhando as canaletas principais e suas


derivações;
b) detalhamento das chegadas dos eletrodutos que interligam as canaletas aos diversos
equipamentos e dispositivos elétricos;
c) indicação de todos os elementos suportes para cabos de força, iluminação, proteção,
automação, controle e vias de redes de comunicação de dados acomodados as
canaletas;
d) detalhamento das conexões de aterramento para os elementos suportes;
e) detalhamento dos circuitos contidos em cada trecho de canaleta;
f) detalhamento das dimensões das canaletas em seus diversos trechos;
g) detalhamento das cotas de fundo nos diversos trechos do sistema de canaletas;
h) detalhamento da ligação do sistema de canaletas ao sistema de drenagem local, onde
aplicável;
i) representação das tampas ou grades de cobertura das canaletas com suas respectivas
dimensões.

7.2.9.22 Detalhes Típicos de Montagem - Distribuição de Força e Controle, Iluminação,


Aterramento, SPDA, Fixação e Suportes

7.2.9.22.1 Para a representação de detalhes típicos, devem ser mencionadas as normas


PETROBRAS, caso existam, que padronizem a instalação desejada; os padrões da Projetista
previamente aprovados pela PETROBRAS; ou desenhos específicos devem ser elaborados; a
simbologia utilizada no desenho deve estar de acordo com os requisitos da PETROBRAS N-898.

7.2.9.22.2 Os detalhes típicos de montagem de equipamentos devem conter, no mínimo, as


seguintes informações:

a) representação em plantas, vistas e cortes de todos os equipamentos elétricos


suportados por suas respectivas estruturas;
b) representação de toda a infraestrutura de encaminhamento por eletrodutos aparentes ou
subterrâneos ou sistemas de bandejamento conectada aos equipamentos elétricos,
indicando os pontos de fixação às estruturas suportes;
c) representação de todas as ligações à terra dos equipamentos elétricos;
d) representação de cotas nos planos horizontais e verticais;
e) indicação da respectiva lista de material a qual deve conter as seguintes informações:
número do item, descrição do material, número do material, quantidade e identificação
dos respectivos desenhos do fabricante. Quando aplicável, a lista deve ser apresentada
no próprio desenho, junto ao detalhe típico;
f) indicação de todos os documentos de referência, tal como manual do fabricante do
equipamento elétrico indicado no detalhe típico.

7.2.9.22.3 É recomendado que os detalhes típicos de instalações elétricas fossem elaborados, de


preferência, pelo usuário do projeto, de forma a consolidar as suas boas práticas existentes ou
padrões de suas instalações. Nos casos da inexistência dos desenhos de detalhes típicos, por parte
do usuário do projeto, os desenhos de detalhes típicos devem ser elaborados pela Projetista. Dentre
os conjuntos de desenhos de detalhes típicos a serem utilizados ou elaborados, incluem-se os
seguintes: detalhes típicos de sistemas de iluminação, detalhes típicos de sistemas de aterramento,
detalhes típicos de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, detalhes típicos de
distribuição de força e controle e detalhes típicos de suportes e fixações. [Prática Recomendada]

7.2.9.22.4 Os números ou códigos dos detalhes típicos devem ser referenciados em todos os
desenhos de plantas e cortes, em cada ponto de aplicação dos respectivos detalhes típicos utilizados.

63
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.23 Plantas de Distribuição de Circuitos de Força e de Iluminação

7.2.9.23.1 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho (indicação da direção Norte);


b) indicação da planta chave, em escala reduzida, com a identificação da posição da planta
considerada que está sendo detalhada;
c) identificação dos circuitos (TAG);
d) indicação do tipo, quantidade e potência das cargas;
e) identificação dos condutores fases, neutro e terra nos circuitos de força e iluminação;
f) indicação das tomadas para utilização geral e de utilização específica, tal como
alimentação de máquinas de solda;
g) indicação do local de instalação das luminárias ligadas ao circuito.

7.2.9.23.2 É recomendado que o projeto das plantas de distribuição de força e de iluminação seja
realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos. Este projeto em
CAD 3D deve possibilitar a verificação de consistência de projeto com outras disciplinas, tais como:
civil (estruturas metálicas ou de concreto e edificações), tubulações aparentes, equipamentos de
processo, instrumentação e telecomunicações (sistemas de eletrodutos e bandejamento) e sistemas
aparentes de aterramento (SPDA), de forma a equacionar eventuais problemas de interferências.
[Prática Recomendada]

7.2.9.24 Plantas de SPDA

7.2.9.24.1 O projeto de proteção de estruturas contra descargas atmosféricas deve atender aos
requisitos indicados nas ABNT NBR 5419 Partes 1, 2, 3 e 4 e na IEC 62305 Partes 1, 2, 3 e 4.

7.2.9.24.2 Para o projeto de unidades marítimas de produção o projeto de proteção das estruturas
contra descargas atmosféricas deve atender os requisitos indicados nas ABNT NBR IEC 61892-6,
IEC 60092-401 e NFPA 780.

7.2.9.24.3 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho de planta (indicação da direção Norte);


b) representação em plantas e cortes, com as respectivas cotas, de todos os prédios,
edificações, estruturas e equipamentos a serem protegidos pelo SPDA, com indicação
de todas as regiões protegidas, definidas a partir da localização dos elementos do
SPDA, tais como: captores, hastes, estruturas e condutores;
c) representação em plantas, vistas e cortes de todos os elementos captores, mostrando
claramente os dispositivos de conexão aos cabos de descida, fixação dos cabos aos
prédios, estruturas e equipamentos bem como suas conexões à respectiva malha de
aterramento;
d) representação da malha de aterramento local destinada a dissipação dos surtos
provocados pelas descargas atmosféricas provenientes dos elementos do SPDA, tais
como: captores, hastes, estruturas e condutores;
e) indicação da localização dos DPS;
f) identificação dos condutores de proteção.

7.2.9.24.4 As plantas de SPDA devem conter informações sobre as extensões das regiões seguras
para trabalho em casos de incidência de descargas atmosféricas. As extensões, apresentadas em
formas de plantas, cortes e detalhes (em CAD 2D) ou maquetes eletrônicas (CAD 3D) devem conter
as informações das alturas seguras de trabalho em cada região da instalação.

64
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.9.24.5 É recomendado que as plantas de SPDA indiquem as regiões seguras para trabalho
considerando, em todas regiões existentes de cada planta, uma distância de segurança de 3 m. Esta
distância de segurança deve ser considerada como sendo 3 m abaixo da altura determinada pela
região protegida pelo SPDA, com nível de proteção tipo 1. [Prática Recomendada]

7.2.9.24.6 Considerando que os abrigos de proteção, em caso de incidência de descargas


atmosféricas, possuem nível máximo de proteção 1, de acordo com nas ABNT NBR 5419
Partes 1, 2, 3 e 4, é recomendado que o nível de proteção utilizado no estudo de regiões seguras de
trabalho, do ponto de vista de descarga atmosférica, seja também 1 (esfera de 20 m de raio de
acordo com os requisitos indicados nas ABNT NBR 5419 Partes 1, 2, 3 e 4), de forma a prover o nível
de segurança mais elevado especificado em Norma. [Prática Recomendada]

7.2.9.24.7 É recomendado que o projeto de SPDA seja realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em
bancos de dados orientados a objetos. Este projeto em CAD 3D deve possibilitar a verificação de
consistência de projeto com outras disciplinas, tais como: civil (estruturas metálicas ou de concreto e
edificações), tubulações aparentes, equipamentos de processo, instrumentação e telecomunicações
(sistemas de eletrodutos e bandejamento), de forma a equacionar eventuais problemas de
interferências. [Prática Recomendada]

7.2.9.25 Plantas de Aterramento

7.2.9.25.1 Devem conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) orientação do desenho de planta (indicação da direção Norte);


b) indicação da planta chave, em escala reduzida, com a identificação da posição da planta
considerada que está sendo detalhada;
c) representação em plantas e cortes, com as respectivas cotas, dos sistemas de
aterramento aparentes e subterrâneos;
d) representação em plantas, vistas e cortes de todos os elementos do sistema de
aterramento, tais como: caixas de inspeção, hastes, cabos de aterramento, conectores,
barras de terra;
e) identificação dos condutores de proteção (TAG).

7.2.9.25.2 É recomendado que o projeto dos sistemas de aterramento fosse realizado em aplicativo
CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos. Este projeto em CAD 3D deve
possibilitar a verificação de consistência de projeto com outras disciplinas, tais como: civil (estruturas
metálicas ou de concreto e edificações), tubulações aparentes, equipamentos de processo,
instrumentação e telecomunicações (sistemas de eletrodutos e bandejamento), de forma a
equacionar eventuais problemas de interferências. [Prática Recomendada]

7.2.10 Estimativa de Custos de Materiais, Equipamentos e Serviços de Montagem, Testes e


Comissionamento

7.2.10.1 A Projetista deve elaborar estimativas de custos de suprimento de materiais, equipamentos


e sobressalentes e de serviços de montagem, configuração de redes de dados de comunicação /
proteção / automação / controle, TAF, TAC, comissionamento, acompanhamento de partida
(“startup”) e atualização “conforme construído” (“As Built”) dos sistemas elétricos projetados.

7.2.10.2 Devem ser realizadas nas etapas de pré-detalhamento (“FEED”) e de detalhamento do


projeto de eletricidade.

65
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.10.3 Devem conter os valores referentes aos equipamentos tagueados, tais como: painéis de
força, proteção, controle e automação, transformadores, OLTC, geradores, motores, retificadores,
conversores de frequência, UPS, “switches” ópticos, carregadores de bateria, baterias de
acumuladores. Devem ser considerados inclusive os custos referentes aos sobressalentes
requeridos.

7.2.10.4 Devem conter os valores referentes aos materiais diversos (miscelâneas) para os sistemas
de força, controle, proteção, aterramento e SPDA, tais como: cabos, terminações, emendas,
eletrodutos e acessórios, suportação, luminárias, bandejamento e sistemas de proteção antichama.

7.2.10.5 Devem conter os preços referentes à construção das edificações e prédios necessários para
o projeto de eletricidade, tais como subestações, salas de painéis, salas de cabos, casas de controle,
salas para transformadores, salas de baterias e salas de VAC.

7.2.10.6 Devem incluir os custos referentes à administração de interfaces e de integração de


serviços de projeto e de montagem de sistemas elétricos de módulos e pacotes de fornecedores
distintos, tais como: geração elétrica, compressão de gás, fornos e integração de protocolos de
comunicação, com as demais partes do projeto de eletricidade.

7.2.10.7 Devem incluir os custos referentes ao treinamento de pessoal.

7.2.11 Especificações Técnicas de Equipamentos e Materiais Elétricos

7.2.11.1 Todas as Especificações Técnicas para aquisição de equipamentos e materiais elétricos


devem atender aos requisitos indicados nas respectivas normas PETROBRAS, de acordo com os
requisitos específicos de cada projeto.

7.2.11.2 Para o caso de aquisição de equipamentos e materiais elétricos que eventualmente não
possuam Especificações Técnicas padronizadas por normas da PETROBRAS, a formatação da
documentação de aquisição deve atender aos requisitos indicados na PETROBRAS N-381. O
conteúdo dos documentos de aquisição deve seguir o padrão adotado pela Projetista e aprovado pela
PETROBRAS.

7.2.11.3 Dentre os principais equipamentos elétricos são destacados os seguintes:

a) os painéis elétricos devem ser especificados de acordo com as PETROBRAS N-314


(CCM BT), PETROBRAS N-316 (CDC BT), PETROBRAS N-317 (CDC MT) e
PETROBRAS N-2817 (CCM MT);
b) os relés digitais de proteção devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS
N-2779;
c) os motores elétricos trifásicos de indução e síncronos (e respectivos sistemas de
excitação) devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS N-2919;
d) os geradores síncronos devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS
N-1955;
e) os conversores de frequência devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS
N-2547;
f) os transformadores de potência devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS
N-2928;
g) os dutos de barramentos devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS
N-319;
h) as UPS em corrente contínua devem ser especificadas de acordo com a PETROBRAS
N-332;
i) as baterias de acumuladores devem ser especificadas de acordo a PETROBRAS N-329;

66
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

j) os sistemas ininterruptos de energia em corrente alternada para utilização industrial


devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS N-2760;
k) as chaves seccionadoras isoladas em SF6 devem ser especificadas de acordo com a
PETROBRAS N-2874;
l) os sistemas de aquecimento por traço elétrico resistivo para aplicações industriais
devem ser especificados de acordo com a PETROBRAS N-2641.

7.2.11.4 Os equipamentos elétricos para projetos de navios, plataformas e unidades marítimas fixas
ou móveis devem atender aos requisitos aplicáveis indicados na ABNT NBR IEC 61892-3.

7.2.12 Folhas de Dados de Equipamentos Elétricos

7.2.12.1 Todas as Folhas de Dados para aquisição de equipamentos elétricos devem atender aos
requisitos indicados nas respectivas normas PETROBRAS, de acordo com os requisitos específicos
de cada projeto.

7.2.12.2 Para o caso de aquisição de equipamentos elétricos que eventualmente não possuam
Folhas de Dados padronizadas por normas da PETROBRAS, a formatação da documentação de
aquisição deve atender aos requisitos indicados na PETROBRAS N-381. O conteúdo dos
documentos de aquisição deve seguir o padrão adotado pela Projetista e aprovado pela
PETROBRAS.

7.2.13 Requisições de Materiais

7.2.13.1 Todas as RM para aquisição de equipamentos e materiais elétricos devem atender aos
requisitos indicados nas PETROBRAS N-1913 e N-1973, de acordo com os requisitos específicos de
cada projeto.

7.2.13.2 Para o caso de RM para aquisição de equipamentos e materiais elétricos que


eventualmente não possuam descrições técnicas padronizadas por normas da PETROBRAS, a
formatação da documentação de aquisição deve atender aos requisitos indicados na PETROBRAS
N-381. O conteúdo dos documentos de aquisição deve seguir o padrão adotado pela Projetista e
aprovado pela PETROBRAS.

7.2.14 Pareceres Técnicos

7.2.14.1 Os pareceres técnicos, a serem elaborados pela Projetista, para a avaliação de propostas
de fornecimento de equipamentos elétricos, devem conter, no mínimo, os seguintes tópicos:

a) objetivo: definição precisa da finalidade do parecer técnico apresentando claramente os


TAG dos equipamentos elétricos envolvidos;
b) condições iniciais: explanação sucinta da documentação da proposta técnica recebida
para emissão de parecer e os critérios técnicos utilizados para a análise e aceitação dos
equipamentos ofertados;
c) análise técnica: resumo dos trabalhos de verificação dos documentos recebidos com a
proposta, bem como da documentação gerada na elaboração do parecer técnico, com a
finalidade de retificação, complementação e equalização técnica das propostas dos
equipamentos ofertados;
d) a análise técnica deve indicar as seguintes informações:
— os números das RM emitidas bem como quaisquer outros documentos básicos
utilizados para a cotação;

67
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

— indicação da numeração, revisão e data da documentação enviada pelos


fornecedores para análise em suas propostas;
— indicação dos prazos de fornecimento para os equipamentos ofertados;
— nos casos de pareceres técnicos “tecnicamente inaceitáveis”, devem ser indicadas as
justificativas para a não aceitação dos equipamentos ofertados, considerando a
documentação das propostas analisadas;
— nos casos de pareceres técnicos “tecnicamente aceitáveis desde que atendidos os
comentários”, devem ser indicadas todas as pendências técnicas que devam ser
atendidas pelos fabricantes para a emissão de um parecer técnico conclusivo;
e) conclusão: emissão do parecer técnico conclusivo, informando se as propostas técnicas
apresentadas são aceitáveis ou não, baseado nas propostas e demais documentos
complementares apresentados pelos fornecedores.

7.2.14.2 A análise técnica e respectivo parecer técnico devem apresentar itens específicos para cada
proponente.

7.2.14.3 Juntamente com o parecer técnico, deve ser apresentado uma tabela resumo de avaliação
técnica das propostas apresentadas devendo conter todos os itens relacionados nas Folhas de
Dados, RM e nos outros documentos integrantes da Requisição de Compra.

7.2.15 Cronogramas de Projeto e de Fabricação de Equipamentos Elétricos

7.2.15.1 Os cronogramas do projeto de eletricidade devem ser elaborados pela Projetista. Devem ser
fornecidos, de forma simplificada, juntamente com as propostas técnicas fornecidas pelos licitantes.
Os cronogramas detalhados de projeto devem ser apresentados periodicamente pela Projetista, de
forma que permita o acompanhamento da evolução do projeto e identificação de eventuais etapas em
atraso, de forma a permitir a tomada de ações técnicas e gerenciais visando a sua correção.

7.2.15.2 Os cronogramas de fabricação de equipamentos elétricos devem ser elaborados pelos


fabricantes e/ou fornecedores dos equipamentos elétricos principais, definidos pelo usuário do
projeto. Devem ser fornecidos, de forma simplificada, juntamente com as propostas técnicas
fornecidas pelos licitantes. Os cronogramas detalhados de fabricação devem ser apresentados pelo
fabricante e/ou fornecedor vencedor da licitação, de forma que permita o acompanhamento da
evolução das diversas etapas aplicáveis ao fornecimento, tais como: aprovisionamento de materiais,
fabricação, testes de aceitação de fábrica, inspeção, embalagem, condicionamento, transporte,
aprovação da documentação, aprovação dos “Data-Books”, treinamento, supervisão de montagem,
supervisão de partida etc. Os cronogramas detalhados devem possibilitar a identificação de eventuais
etapas em atraso, de forma a permitir a tomada de ações técnicas e gerenciais visando a sua
correção.

7.2.15.3 É recomendado que os cronogramas de projeto e de fabricação de equipamentos elétricos


sejam elaborados de acordo com os conceitos de PERT/CPM, em aplicativos apropriados para esta
finalidade, com a identificação clara dos caminhos críticos para a evolução do projeto e da fabricação
dos equipamentos elétricos. [Prática Recomendada]

7.2.16 Lista de Documentos dos Equipamentos Elétricos

7.2.16.1 Devem ser elaboradas pelos fabricantes ou fornecedores dos respectivos equipamentos
elétricas e incorporadas, pela Projetista, à lista geral de documentos de projeto.

68
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.16.2 As listas devem incluir, dentre outros, os seguintes documentos: planos de inspeção, planos
de testes de aceitação de fábrica, cronograma de fabricação, planos de pintura, especificações
técnicas, Folhas de Dados, diagramas, listas de materiais, listas de sobressalentes, planos de
treinamento, desenhos dimensionais e eletromecânicos, certificados de conformidade, relatórios de
testes de aceitação de fábrica e de campo, manuais de transporte, armazenagem, montagem,
operação e manutenção, instruções de configuração de equipamentos digitais.

7.2.16.3 As listas devem identificar todos os documentos a serem elaborados e emitidos pelos
fabricantes e/ou fornecedores e devem indicar as datas previstas para elaboração e emissão para
aprovação, de cada documento relacionado.

7.2.17 Desenhos dos Equipamentos Elétricos

7.2.17.1 A emissão dos desenhos dos equipamentos elétricos deve ser escalonada em grupos.

7.2.17.2 Os desenhos devem ser encaminhados parceladamente de forma a atender as prioridades


de fabricação dos equipamentos.

7.2.17.3 Os documentos devem ser emitidos de forma a atender as necessidades de obtenção de


informações para o desenvolvimento do projeto de eletricidade e/ou de outras áreas de
especialidades, tais como: arquitetura, civil, instrumentação e automação.

7.2.18 Relatórios de Testes de Equipamentos Elétricos

7.2.18.1 Devem ser elaborados pelos fabricantes e/ou fornecedores dos respectivos equipamentos
elétricos e incorporados à listagem geral de documentos do projeto, pela Projetista.

7.2.18.2 Os documentos de compra emitidos pela Projetista, tais como: FD e RM, devem definir os
ensaios de tipo e especiais, necessários para cada equipamento, bem como o envio dos respectivos
relatórios de ensaios realizados em laboratório ou em fábrica ou certificados de conformidade.

7.2.18.3 Os relatórios contendo os resultados dos ensaios de rotina, de tipo e especiais realizados
nos equipamentos devem ser fornecidos pelos fabricantes, logo após a realização dos ensaios.

7.2.19 Manuais de Instruções para Transporte, Armazenagem, Montagem, Operação e


Manutenção de Equipamentos Elétricos

Documentos elaborados pelos fabricantes e/ou fornecedores, contendo, no mínimo, as seguintes


informações:

a) especificações técnicas dos equipamentos, componentes e acessórios, de acordo com


todos os requisitos técnicos indicados na proposta original, bem como as revisões e
complementações que tenham sido realizadas na mesma por ocasião de
esclarecimentos técnicos e/ou parecer técnico;
b) FD devidamente preenchidas “como comprado” e/ou “como construído”;
c) procedimentos para transporte, recebimento, armazenagem, montagem, operação e
manutenção dos equipamentos, componentes, acessórios ou sobressalentes;
d) lista das peças sobressalentes fornecidas de acordo com as indicações da RM ou para
2 anos de operação, incluindo a vida útil de cada peça;
e) procedimentos para manutenção preditiva, preventiva e corretiva dos equipamentos,
componentes e acessórios;

69
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

f) manuais técnicos com todos os dados característicos dos componentes e acessórios


fornecidos com os equipamentos.

7.2.20 Verificação de Documentação de Fornecedores (VDF)

7.2.20.1 A execução da VDF deve ser realizada pela Projetista, nos casos em que esta atividade
faça parte do escopo dos trabalhos, por indicação do usuário ou do responsável pelo projeto, de
acordo com o indicado no Anexo B.

7.2.20.2 A Projetista deve realizar todas as ações e atividades referentes aos desenhos, diagramas,
documentos e certificados enviados pelos diversos fabricantes e/ou fornecedores de equipamentos e
sistemas elétricos envolvidos no projeto.

7.2.20.3 Dentre as atividades a serem realizadas pela Projetista com relação à documentação de
fabricantes e de fornecedores, incluem-se as seguintes:

a) recebimento inicial e numeração de todos os desenhos e documentos enviados pelos


fabricantes e/ou fornecedores aplicáveis ao projeto de detalhamento de eletricidade;
b) inclusão dos documentos e desenhos de fabricantes e/ou fornecedores, após
devidamente numerados, na lista de documentos de projeto, elaborada pela Projetista.
Os documentos e desenhos devem possuir o mesmo nível de controle,
acompanhamento, gerenciamento e rastreabilidade dos demais desenhos e documentos
de projeto elaborados e/ou revisados pela Projetista, no projeto de detalhamento de
eletricidade;
c) análise e elaboração de comentários de tais documentos e desenhos, com base nos
requisitos de projeto indicados na documentação de compra;
d) recebimentos posteriores de tais documentos e desenhos, análise e verificação da
incorporação e atendimento dos comentários efetuados anteriormente;
e) aprovação final de tais documentos e desenhos, em conjunto com o usuário do projeto
ou consolidando os comentários efetuados pelo usuário do projeto, devolvendo tais
documentos e desenhos aos respectivos fabricantes e/ou fornecedores na condição
“liberado para fabricação”;
f) recebimento de tais documentos e desenhos na condição “certificado”, “conforme
construído”, “conforme comprado” ou “conforme fornecido”;
g) comentário e aprovação final dos documentos “certificados”;
h) cadastramento e implantação de tais documentos certificados no sistema de
gerenciamento de documentação técnica do usuário do projeto, incluindo os respectivos
“Data-Books” e certificados de conformidade de equipamentos elétricos e eletrônicos
para atmosferas explosivas.

7.2.20.4 A Projetista deve revisar e atualizar os documentos e desenhos elaborados no projeto de


detalhamento com base nos dados e informações indicadas nos documentos e desenhos certificados
dos fabricantes e/ou fornecedores.

7.2.21 Laudo Técnico do Projeto de Detalhamento de Eletricidade

Após a conclusão de todos os serviços de projeto de detalhamento de eletricidade, a Projetista


elabore e forneça um Laudo Técnico do Projeto de Eletricidade, de acordo com os requisitos
indicados a seguir.

7.2.21.1 Atestar que o projeto envolvendo todas as instalações elétricas está em conformidade com
os requisitos das normas técnicas aplicáveis a cada projeto.

70
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.21.2 Atestar que o projeto envolvendo todas as instalações elétricas está em conformidade com
os requisitos da NR-10.

7.2.21.3 Deve ser emitido e assinado por Engenheiro Eletricista da Projetista, devidamente
qualificado e com emissão da respectiva ART (Anotação de Responsabilidade Técnica).

7.2.21.4 O usuário do projeto é o responsável pelo devido arquivamento do Laudo Técnico no


sistema de documentação técnica ou prontuário do local do projeto, de forma a atestar a
conformidade do projeto com os requisitos legais, em eventos de auditorias ou inspeções.

7.2.21.5 O Laudo Técnico deve conter, no mínimo, as seguintes informações:

a) número da ART recolhida junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e


Agronomia);
b) referência ao memorial descritivo do projeto;
c) relação dos desenhos de projeto e de fabricantes envolvidos no projeto;
d) medidas de proteção adotadas e projetadas contra choques elétricos;
e) medidas de proteção adotadas e projetadas contra efeitos térmicos;
f) critérios para seleção de circuitos elétricos, tais como nível de tensão, número de fases
e tipo de aterramento;
g) critérios para escolha, ajuste e localização dos dispositivos de proteção, seccionamento
e comando;
h) identificação dos componentes;
i) critérios para acessibilidade e adequação de espaço para trabalho seguro.

7.2.22 Atualização da Documentação de Projeto de Eletricidade na Condição Conforme


Construído (“As-Built”)

7.2.22.1 Devem ser realizados pela Projetista nos casos aplicáveis em que esta ação faça parte do
escopo dos seus serviços a revisão de todos os documentos e desenhos de projeto, incluindo
aqueles por fabricantes e/ou fornecedores, na condição conforme construído.

7.2.22.2 É recomendado que os serviços de atualização da documentação técnica do projeto de


eletricidade conforme construído (“As Built”) sejam realizados de acordo com os requisitos mínimos
indicados a seguir: [Prática Recomendada]

a) todos os documentos e desenhos aplicáveis, gerados ou existentes que tenham sido


revisados pela Projetista durante a elaboração do detalhamento do projeto de
eletricidade, devem ser atualizados incorporando as modificações introduzidas durante a
fase de montagem no campo;
b) os desenhos revisados, incorporando as modificações de campo, conforme construído,
devem apresentar claramente as reais condições em que são construídas as obras e
instalações elétricas. Devem ser dados especiais cuidados e atenção para serviços que
envolvem escavações. Devem ser lançadas no desenho todas as interferências
encontradas e não previstas no projeto de detalhamento de eletricidade;
c) devem ser retiradas, durante os serviços de revisão conforme construído (“As-Built”), as
marcações (tais como amebas, por exemplo) existentes nos desenhos emitidos pela
Projetista para a fase de montagem;

71
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

d) devem ser retiradas, durante os serviços de revisão dos desenhos e documentos de


projeto na condição “conforme construído” (“As-Built”), as eventuais notas gerais
temporárias que tiverem sido incluídas pela Projetista nos desenhos liberados para
construção, tais como: “A Montadora deve recompor o piso conforme original”,
“Equipamentos existentes”, “Equipamento a ser instalado”, “Equipamento a ser
removido”, “Equipamento a ser relocado”, “Escopo da Contratada”, “Serviço a executar”,
“Serviços a serem executados pelo campo”, “Eventuais interferências não mapeadas
devem ser equacionadas pelo campo“, “Cotas a serem verificadas no campo”, “Ligação
com a malha de aterramento existente pelo campo” etc.

7.2.22.3 Os arquivos eletrônicos e os bancos de dados dos aplicativos CAD 2D, CAD 3D e CAE
devem ser fornecidos de acordo com os requisitos indicados em 5.5.5.

7.2.23 Cadastramento e Implantação, pela Projetista, da Documentação de Projeto, de


Fornecedores e Certificados de Conformidade no Sistema Eletrônico de Documentação
Técnica do Usuário

7.2.23.1 Devem ser realizados pela Projetista as atividades de cadastramento e implantação de


todos os documentos e desenhos de projeto, no sistema eletrônico de gerenciamento de
documentação técnica do usuário do projeto. Nos casos aplicáveis em que as atividades façam parte
do escopo dos seus serviços.

7.2.23.2 Nestes casos, quando fizer parte do escopo da Projetista a atualização da documentação na
condição conforme construído (“As Built”), o cadastramento no sistema de documentação técnica
deve ser realizado nesta condição de conforme construído.

7.2.23.3 Nestes casos, devem ser realizadas pela Projetista, as seguintes atividades:

a) cadastramento e implantação de todos os documentos e desenhos de eletricidade


envolvidos no projeto, nos casos aplicáveis, incluindo os documentos/desenhos gerados
pela Projetista e os documentos/desenhos existentes nas instalações do usuário do
projeto revisados;
b) cadastramento e implantação de todos os documentos e desenhos de fabricantes e/ou
fornecedores, na condição conforme construído, no sistema de gerenciamento de
documentação técnica do usuário do projeto;
c) cadastramento e implantação de todos os certificados de conformidade dos
equipamentos elétricos e eletrônicos para atmosferas explosivas.

7.2.24 Livros do Projeto de Detalhamento de Eletricidade (“Data-Books”)

7.2.24.1 A Projetista deve elaborar conjuntos de um ou mais livros do projeto de detalhamento de


eletricidade, de acordo com o porte do projeto de eletricidade e a quantidade da documentação
elaborada e/ou revisada.

7.2.24.2 Os livros de projeto devem conter a documentação necessária, considerando os


documentos aplicáveis elaborados pela Projetista (ver Anexo C desta Norma), em cada projeto
específico, atendendo aos requisitos específicos indicados em 7.2.

72
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.24.1 Organização dos manuais da documentação de projeto de detalhamento de eletricidade


(“Data-Books”):

a) os documentos componentes dos manuais de projeto (“Data-Books”) devem ser


apresentados em formato eletrônico e em formato impresso em papel;
b) a menos que solicitado de forma diferente, para o formato impresso em papel, os
manuais de projeto devem ser encadernados em pastas de papelão prensado,
revestido em plástico na cor azul, medindo 340 mm de altura, 240 mm de largura e
70 mm de lombada, com ferragem de fixação para dois furos, contendo porta-etiqueta e
ferragem de fixação;
c) os documentos de formato maior que A3 devem ser acondicionados em envelopes de
plástico transparente;
d) todas as pastas componentes de um mesmo manual devem ter um índice completo de
todas essas pastas, com uma referência cruzada de conteúdo de cada pasta;
e) cada seção de cada pasta deve ter uma relação de documentos que a compõe;
a
f) na 1 pasta componente do respectivo manual devem ser anexados os meios digitais
contendo os documentos e arquivos gerados em meio eletrônico.

7.2.24.2 Quantidade e separação dos manuais de projeto e de fornecedores de equipamentos:

a) os manuais no formato impresso em papel devem ser elaborados, no mínimo, em três


vias;
b) os manuais em formato impresso e eletrônico devem ser separados para cada unidade
de processo, utilidade, “off-site”, subestação, casa de controle etc.

7.2.24.3 Conteúdo dos Manuais de Fabricantes de Equipamentos

7.2.24.3.1 Deve conter todos os documentos relativos aos materiais e equipamentos de eletricidade
aplicados no projeto, inclusive os de fornecimento PETROBRAS.

7.2.24.3.2 Esses documentos incluem desenhos certificados, especificações técnicas, instruções de


operação e manutenção, FD, memórias de cálculo, certificados de testes, certificados de materiais,
catálogos, procedimentos de montagem, listas de sobressalentes etc.

7.2.24.3.3 Para cada TAG de equipamento elétrico deve ser preparado um “Data-Book”, composto
das seguintes seções:

a) Seção I - documentos de projeto:


— lista de desenhos/documentos completa, incluindo a identificação dos volumes onde
estão contidos;
— desenhos / diagramas certificados;
— FD certificadas;
— especificações técnicas;
— curvas de desempenho;
— memórias de cálculo;
— catálogos e manuais.
b) Seção II - fornecedores de equipamentos e materiais:
— procedimentos de fabricação;
— certificados / relatórios aplicáveis de ensaios de tipo ou de rotina realizados em
laboratório;
— certificados / relatórios de Inspeção de Fabricação;
— certificados de materiais;
— certificados de conformidade;
— relatórios de testes de aceitação realizados em fábrica;
— manuais de instalação, operação, configuração, parametrização e manutenção.

73
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

7.2.24.4 Juntamente com os “Data-Books”, devem ser fornecidos os arquivos de computador e as


bases de dados gerados pelos aplicativos utilizados no modelamento, simulação, configuração e
parametrização dos equipamentos e dispositivos do sistema elétrico de potência e de automação, de
acordo com 5.5.6.

8 Elaboração da Documentação de Projeto de Automação do Sistema Elétrico

8.1 Requisitos de Documentação do Projeto de Automação e Proteção do Sistema Elétrico

8.1.1 A documentação do sistema de automação elétrica, com base em redes Ethernet e na Série
IEC 61850 ou outros protocolos, deve apresentar os diagramas de arquitetura e de interligação entre
a RAI e a RIC, incluindo os requisitos de Zona Desmilitarizada (DMZ), em conjunto com área de TIC,
atendendo aos requisitos de segurança de redes de comunicação de dados contra ataques
cibernéticos.

8.1.2 Nos casos aplicáveis, a documentação sobre o sistema de automação elétrica baseados no
padrão IEC 61850 deve incluir diagramas e lógicas de configuração de acordo com os requisitos de
segurança de comunicação de dados indicados na IEC/TS 62351-6.

8.1.3 A documentação do projeto de eletricidade devem incluir o fornecimento dos arquivos de


configuração e parametrização dos equipamentos elétricos digitais e redes de comunicação, de
engenharia e de manutenção, incluindo, mas não se limitando a relés digitais de proteção, IEDs,
“Merging Units”, conversores de frequência, “soft-starter”, UPS em corrente contínua e alternada,
GPS, “switches” ópticos industriais, UTR, PLC, PMS, sistemas de excitação de motores síncronos,
sistema de gerenciamento de transformadores, sistema de monitoração de descargas parciais,
sistema de monitoração de fuga à terra em sistemas de aterramento por alta impedância, “gateways”,
servidores (incluindo servidores de descarte de carga e OPC), concentradores de dados, monitores
de temperatura e medidores de energia (arquivos gerados por softwares dos fabricantes dos
equipamentos).

8.1.4 Para sistemas com base no padrão IEC 61850, a documentação do projeto do sistema de
automação elétrico deve incluir a elaboração e o fornecimento dos arquivos em linguagem SCL, de
acordo com a IEC 61850-6, para as subestações completas e para os IED, incluindo os arquivos
*.SSD, *.SCD, *.SED, *.IID, *.ICD e *.CID.

8.1.5 Para sistemas com base no padrão IEC 61850, a documentação do projeto de eletricidade
deve levar em consideração a configuração dos IEDs com base, sempre que aplicável, na utilização
dos LN padronizados indicados na IEC 61850-7-4. A elaboração da documentação do projeto de
eletricidade com a utilização de LN “genéricos” do tipo GGIO (“Generic process” I/O) deve ser feita
somente a casos particulares, onde os “LN padronizados não devem ser utilizados. A PETROBRAS
deve ser previamente consultada e aprovar a utilização de LN não padronizados, para aplicação em
casos excepcionais.

8.1.6 Devem ser elaborados e fornecidos documentos ou listas relacionando os pontos físicos e
digitais de entrada, saída, valores analógicos ou endereços digitais do sistema automação do sistema
elétrico. Devem ser elaborados também documentos ou lista indicando os pontos físicos ou digitais
do sistema de automação elétrico que são diretamente conectados ou fazem interface com os
sistemas de automação de processo, tais como SIS, SSC ou PLC. Os pontos devem consolidar todas
as interligações indicadas nos diagramas lógicos, diagramas funcionais e diagramas de interligação
dos equipamentos envolvidos no sistema de automação. Os pontos físicos de interface de I/O devem
ser interligados entre o sistema de automação elétrica e o sistema de automação de processo por
meio de uma CBT.

74
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

8.1.7 A documentação do projeto de detalhamento dos sistemas de automação, medição e


intertravamento, com base na Série IEC 61850 ou outros protocolos de comunicação deve indicar a
topologia das redes de dados e IED, a utilização de VLAN, bem como as redundâncias de switches
ópticos industriais e servidores, incluindo servidores de descarte seletivo de cargas, MMS e OPC.

8.1.8 Devem ser indicadas nos documentos de arquitetura de redes de automação ou diagramas de
fiação as interfaces e a integração entre a automação do sistema elétrico e a automação do sistema
de processo, por meio de redes de comunicação de dados ou por meio de fiação física (“hardwired”),
através de uma CBT.

8.1.9 Nos casos de sistemas de automação com base na Série IEC 61850, os diagramas unifilares e
demais documentos aplicáveis de projeto de eletricidade devem referenciar ou representar as
funções de proteção, intertravamento, comando, controle, medição, sinalização ou alarme por meio
dos códigos mnemônicos dos respectivos LN, de acordo com a IEC 61850-7-4, ao invés dos números
das funções dos dispositivos indicados na IEEE C 37.2 [Prática Recomendada]

8.1 10 Nos casos de sistemas de automação com base na Série IEC 61850, a sequência de
elaboração e de utilização dos arquivos SSD, SCD, IID, SED e CID, no padrão SCL na
documentação do projeto e no processo de engenharia de configuração de sistemas de automação e
proteção elétrica devem estar de acordo com a sequência e o fluxo (“top/down”) indicados na
IEC 61850-6 (“Configuration description language for communication in electrical substations related
to IED”), representados na Figura 1.

Especificação do Sistema
Capacidades
dos IED .SSD (Unifilar, LNs, etc.)

IED (LN, DO, etc.) .SED


DB Configurador Configurador
.ICD de Sistema Troca entre Sistemas de Sistema
Associações, relações ao
unifilar, relatórios pré-
.SCD .IID IED tipificado .SCD
configurados, etc.

Configurador Outros projetos IEC 61850


de IED com interfaces entre estes
Ambiente de projetos
Trabalhos de
Engenharia
engenharia
Transferência remota de arquivos

Sistema de .CID Transferência de arquivos e


Automação da Transferência parametrizações com
Subestação Gateway serviços IEC 61850
local de
da S.E.
arquivos

IED IED IED

Figura 1 - Modelo de Referência para o Fluxo de Informações no Processo de


Configuração do Sistema de Automação e Proteção de Subestações
(IEC 61850-6)

75
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

8.1.11 As ferramentas de configuração do sistema IEC 61850 ou de outros protocolos, a serem


utilizadas pela Projetista, deve incluir a possibilidade da elaboração de lógicas de automação,
proteção e de intertravamento por meio de diagramas lógicos, de acordo com a IEC 61131-1 e a
IEC 61131-3. [Prática Recomendada]

8.2 Documentação a ser Elaborada no Projeto de Automação do Sistema Elétrico

Os documentos aplicáveis para cada projeto em particular a serem elaborados ou revisados pela
Projetista devem ser indicados pelo usuário ou responsável do projeto, por meio do preenchimento do
Anexo C.

8.2.1 Devem ser elaborados os seguintes desenhos, diagramas ou documentos para o projeto de
automação do sistema elétrico:

a) especificação técnica dos equipamentos que fazem parte do sistema de automação


elétrico;
b) lista dos equipamentos pertencentes ao sistema de automação elétrica;
c) diagrama geral da arquitetura das redes de dados do sistema automação elétrica,
incluindo IED, MU, “switches” industriais, GPS, servidores, concentradores e gateways;
d) diagramas de arquitetura das redes de dados do sistema IEC 61850, incluindo
sincronismo de tempo, mensagens MMS, mensagens GOOSE e mensagens SV;
e) diagramas de interligações e de interfaces entre o sistema de automação elétrico, o
sistema de automação de processo e o sistema supervisório;
f) diagramas de arquitetura das redes MODUBS TCP ou PROFIBUS DP (interfaces com o
sistema de automação de processo);
g) diagramas de arquitetura das redes de sincronismo tempo através da rede Ethernet ou
de outros tipos de rede;
h) diagramas de arquitetura das redes e servidores do sistema de descarte seletivo de
cargas;
i) diagramas de arquitetura das redes de engenharia e de manutenção do sistema de
automação elétrico;
j) diagramas de arquitetura das redes para treinamento e simulação do sistema elétrico;
k) diagramas de interligações dos racks contendo os equipamentos e dispositivos
relacionados com o sistema de automação elétrico;
l) critérios para a criação de TAG para equipamentos e painéis (ou cubículos ou cargas ou
racks) de forma a padronizar os nomes dos IED, LN, LD e das variáveis de dados do
sistema IEC 61850;
m) listas de entradas e saídas (I/O) relacionadas com as interfaces da automação do
sistema elétrico com a automação do sistema de processo, tais como SSC, PLC ou SIS;
n) listas de entradas e saídas (I/O) ‘ou tabelas de variáveis lógicas e de informações de
comunicação GOOSE, MMS e SV do sistema IEC 61850;
o) listas de entradas e saídas (I/O) relacionadas com os mapas de memória dos servidores
OPC do sistema de automação elétrico;
p) listas de entradas e saídas (I/O) ‘relacionadas com os mapas de memória das redes
MODUBS TCP ou PROFIBUS DP, relacionadas com as interfaces com o sistema de
automação de processo;
q) listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes para o sistema e
servidores do descarte seletivo de cargas;
r) listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes de sincronismo de
tempo em rede Ethernet;
s) listas de I/O das entradas e saídas dos mapas de memória das redes de engenharia e
de manutenção do sistema de automação elétrico;
t) listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes de treinamento e de
simulação do sistema elétrico;
u) listas de gerenciamento de alarmes e eventos remotos do sistema de automação
elétrico;
v) listas de gerenciamento de alarmes e eventos remotos dos servidores OPC da
automação do sistema elétrico;

76
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

w) arquivos em linguagem SCL (IEC 61850-6) de configuração do sistema elétrico,


subestações e IED, incluindo os arquivos dos tipos *.CID, *.IID, *.SSD, *.SCD, *.ICD e
*.SED;
x) listas de gerenciamento de alarmes e eventos remotos das redes MODUBS TCP ou
PROFIBUS DP, relacionadas com a integração e interfaces com o sistema de
automação de processo;
y) listas de gerenciamento de alarmes remotos das redes de descarte seletivo de cargas;
z) lista de IP e VLAN das subestações;
aa) lista de Prioridade de Cargas para Descarte;
aa) diagramas elétricos dos painéis e racks de “switches” óticos;
ab) lista de cabos do sistema de automação elétrico;
ac) diagramas de blocos e de interligação dos equipamentos instalados na DMZ entre a
RAI (do sistema de automação elétrico) e a RIC, incluindo “firewall”, servidores e IPS;
ad) memorial descrito das atividades a serem realizadas durante as atividades de
montagem, testes e comissionamento do sistema de automação elétrica, incluindo a
especificação dos requisitos de TAF, de TAC e de TIC.

8.2.2 O Memorial Descritivo de montagem, testes e comissionamento do sistema de automação


elétrica, a ser elaborado no projeto de detalhamento, deve incluir requisitos sobre os tópicos
indicados a seguir:

a) as atividades de TAF, TAC e de TIC devem ser especificadas para serem realizadas de
acordo com os requisitos indicados na IEC 62381;
b) os TAF, TAC e TIC devem ser especificados para serem realizados, incluindo os IED,
MU, “switches ópticos”, servidores e demais equipamentos relacionados com o sistema
de automação elétrica;
c) nos casos de sistemas de automação com base na Série IEC 61850, requisitos de TAF,
baseados nos diagramas lógicos e arquivos de configuração SCL dos IED e das MU;
d) TAF, baseados nos diagramas lógicos e endereçamento de rede dos dispositivos RI,
baseados em MODBUS TCP ou PROFIBUS DP, relativos às interfaces do sistema de
automação elétrico com o sistema de automação de processo;
e) TAC dos equipamentos relacionados com o sistema IEC 61850 (incluindo IED, MU,
“Switches”, Concentradores, “Gateways” e Servidores), sistema de supervisão elétrica,
redes MODUBS TCP ou PROFIBUS DP, sistema de sincronismo de tempo, sistema de
descarte seletivo de cargas, rede de engenharia e manutenção, treinamento e simulação
do sistema de automação elétrico e integração do sistema de automação elétrico com
outros sistemas de automação de processo;
f) TIC dos equipamentos relacionados com o sistema IEC 61850 (incluindo IED, MU,
“Switches”, Concentradores, “Gateways” e Servidores), sistema de supervisão elétrica,
redes MODUBS TCP ou PROFIBUS DP, sistema de sincronismo de tempo, sistema de
descarte seletivo de cargas, rede de engenharia e manutenção, treinamento e simulação
do sistema de automação elétrico e integração do sistema de automação elétrico com
outros sistemas de automação de processo.

8.3 Especificações Técnicas, Folhas de Dados e Requisições de Materiais a serem Elaboradas


no Projeto de Automação do Sistema Elétrico

8.3.1 Devem ser elaboradas no projeto de detalhamento as ET, FD, caso aplicáveis, e RM para os
seguintes equipamentos e componentes do sistema de automação elétrico:

a) IED;
b) MU;
c) “Switch” gerenciável industrial, adequado para redes com o padrão IEC 61850;
d) GPS (Sincronismo tempo) / Antena;
e) servidor MMS ou OPC;
f) servidor para oscilografia;
g) servidor de descarte seletivo de cargas - mestre / escravo;
h) servidor da rede de engenharia e manutenção;

77
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

i) estação de engenharia e manutenção;


j) roteadores, “firewall” e IPS para o sistema DMZ;
k) servidor do sistema de treinamento e simulação do sistema elétrico;
l) estação de treinamento sistema de treinamento e simulação do sistema elétrico;
m) estação do instrutor sistema de treinamento e simulação do sistema elétrico;
n) RI (Relé digital inteligente) para CCM de BT, com padrão de comunicação IEC 61850,
MODBUS TCP ou PROFIBUS DP;
o) “switch” industrial gerenciável;
p) painel (rack) para “switch” industrial gerenciável;
q) painel (rack) para servidor do sistema de descarte seletivo de cargas;
r) painel (rack) para servidos para a rede engenharia e manutenção;
s) painel (rack) para servidores do MMS e OPC;
t) painel (rack) para sistema GPS;
u) DGO (Distribuidor Geral Óptico) e DIO (Distribuidor Interno Óptico);
v) conectores para cabos de fibra ótica do tipo ST (multimodo) ou SC (monomodo);
w) conectores para cabo metálico;
x) cabo fibra óptica monomodo e multimodo;
y) FD dos equipamentos de automação elétrica, tais como “switches” óticos, GPS/antena,
distribuidor de sinais de tempo, servidores e “gateways”.

9 Lista das Subseções Desta Norma com Indicação de Práticas Recomendadas


(Anexo A)

9.1 São listadas no Anexo A desta Norma as subseções onde são indicadas “Práticas
Recomendadas” sobre requisitos envolvendo atividades relacionadas com a elaboração,
apresentação e gerenciamento de projetos e documentos de eletricidade.

9.2 A apresentação da lista tem por finalidade representar um guia de forma a facilitar a definição,
por parte do usuário do projeto, de escopo de trabalhos a serem executados pela Projetista, com
relação a definição de obrigatoriedade de aplicação ou não, para um determinado projeto ou contrato,
dos itens relacionados como Práticas Recomendadas nesta Norma.

10 Lista de Tópicos para Determinação de Escopo e Abrangência dos Projetos de


Eletricidade (Anexo B)

10.1 São listados no Anexo B os tópicos indicados nesta Norma relacionados com a definição de
escopo e de abrangência envolvendo as atividades relacionadas com a elaboração, apresentação e
gerenciamento de projetos e documentos de eletricidade.

10.2 A apresentação da lista tem por finalidade representar um guia de forma a facilitar a definição,
por parte do usuário do projeto, do escopo dos trabalhos a serem executados pela Projetista, com
relação a definição de obrigatoriedade de execução ou não, para um determinado projeto ou contrato,
dos tópicos abordados nesta Norma.

11 Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis a Serem Elaborados pela


Projetista (Anexo C)

11.1 São listados no Anexo C desta Norma os documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados
pela Projetista, nas possíveis etapas do projeto de um empreendimento, tais como: conceitual,
básico, pré-detalhamento e detalhamento.

78
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

11.2 A apresentação da listagem tem por finalidade representar um guia de forma a facilitar a
definição, por parte do usuário do projeto, dos documentos de projeto aplicáveis, com relação a
definição de obrigatoriedade da elaboração ou não, pela Projetista, para um determinado projeto ou
contrato, dos tópicos abordados nesta Norma.

11.3 Os documentos de projeto que estejam indicados nesta Norma e que não estejam listados no
Anexo C devem ser sempre elaborados ou revisados pela Projetista.

12 Lista de Cargas Elétricas (Anexo D e Anexo E)

12.1 O Anexo D e o Anexo E desta Norma apresentam os formulários padronizados a serem


utilizados para a elaboração do documento sobre a listagem de cargas elétricas do projeto de
eletricidade.

12.2 Esta lista de cargas elétricas deve ser elaborada e atualizada pela Projetista, com base em
informações oriundas da área de processo, nas possíveis etapas do projeto de um empreendimento,
tais como: projeto conceitual e básico (Anexo D), pré-detalhamento e detalhamento (Anexo E).

13 Listagem de Documentos Precedentes no Projeto de Eletricidade (Anexo F)

13.1 São indicados no Anexo F a precedência de documentos e desenhos do projeto de eletricidade,


na fase de detalhamento a serem emitidos pela Projetista.

13.2 A lista de precedências indicadas no Anexo F deve ser utilizada como referência para a
Projetista, na programação de elaboração da documentação técnica.

79

Lista
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:
Lista das Subseções da PETROBRAS N-2040
com Indicação de Práticas Recomendadas

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO A - FOLHA 01/04.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de

TÍTULO:
Lista das Subseções da PETROBRAS N-2040
com indicação de Práticas Recomendadas
Descrição resumida da Prática Recomendada Aplicação
Subseção (Para a descrição detalhada de cada requisito, ver as respectivas subseções obrigatória no
aplicáveis na PETROBRAS N-2040) projeto
Diagramas funcionais elaborados com recursos de navegar entre as páginas de
desenhos de várias folhas, de acordo com o endereçamento cruzado entre os
5.1.10 dispositivos elétricos (tais como relés, contatores e disjuntores) e os respectivos Sim Não
contatos principais de força e contatos auxiliares.
5.5.3 Reemissão, no projeto de detalhamento, de estudos realizados anteriormente nas
etapas de projeto básico ou projeto de pré-detalhamento. Sim Não
Nota 3
5.5.3 Os detalhes típicos de projeto são fornecidos pelo usuário, com base na sua
experiência e boas práticas. Sim Não
Nota 4
Deve ser realizada modelagem do sistema elétrico envolvido no projeto em
6.1.2 aplicativo CAE, baseado em banco de dados. Sim Não
Realização da modelagem das instalações físicas do sistema elétrico envolvido
6.1.3 no projeto em aplicativo CAD 3D ou CAE, baseado em banco de dados. Sim Não
Os documentos que alimentam com informações os bancos de dados do modelo
em aplicativos CAD 2D, CAD 3D ou CAE devem adotar um procedimento que
6.1.4 normalize o sistema de controle automático de revisões, de forma a assegurar Sim Não
que os bancos de dados estejam sempre integrados e atualizados.
A configuração das informações implantadas nos bancos de dados integrados do
6.1.6 CAD 3D deve possibilitar a exportação de dados para fins de aquisição por meio Sim Não
de importação pelo aplicativo CAE nos projetos de eletricidade.

Representação e modelamento em aplicativo CAD 3D, sempre que aplicável, de


6.1.7 todas as instalações físicas integrantes do sistema elétrico, incluindo os Sim Não
equipamentos, edificações e materiais.

Geração de documentos em formato CAD 2D, a partir de exportação de dados do


6.1.8 modelamento elaborado em aplicativo CAD 3D, para fins de impressão e para fins Sim Não
de arquivamento no sistema de gerenciamento de documentação técnica.
Os documentos gerados a partir de aplicativo CAD 3D ou CAE e exportados e
6.1.9 gerados eletronicamente no formato 2D, devem conter, na margem abaixo da Sim Não
legenda, “NOTAS” aplicáveis de advertência.
Os aplicativos CAE e CAD utilizados para a elaboração do projeto de eletricidade,
6.2 em suas diversas etapas, possuem recursos e sistemas para indicação e controle Sim Não
automático de revisões.
Implantação nos projetos de eletricidade, de um sistema eletrônico de
gerenciamento de documentação técnica, baseado em conceitos de EDMS
6.3.1 Sim Não
(“Electronic Document Management System”), com possibilidade de envio de
informações e mensagens via Internet ou Intranet.

Sistema eletrônico de gerenciamento de documentação técnica com capacidade


6.3.2 de diferenciação da situação da documentação cadastrada, em duas condições Sim Não
básicas: “Liberado para construção” e “Conforme Construído”

Os profissionais envolvidos nas atividades de elaboração ou revisão da


documentação de classificação de áreas, incluindo projetistas, técnicos e
7.1.7.5
engenheiros, necessitam demonstrar as suas competências pessoais, por Sim Não
NOTA
exemplo, de acordo com a Unidade de Competência Ex 002, indicada no
IECEx OD 504.
Os profissionais envolvidos nas atividades de elaboração ou revisão de projetos
de instalações elétricas em atmosferas explosivas, incluindo projetistas, técnicos e
7.1.7.13
engenheiros, necessitam demonstrar as suas competências pessoais, por Sim Não
NOTA 1
exemplo, de acordo com a Unidade de Competência Ex 009, indicada no
IECEx OD 504.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO A - FOLHA 02/04.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Lista das Subseções da PETROBRAS N-2040
com indicação de Práticas Recomendadas
Descrição resumida da Prática Recomendada Aplicação
Subseção (Para a descrição detalhada de cada requisito, ver respectivas subseções aplicáveis obrigatória no
na PETROBRAS N-2040) projeto
As empresas Projetistas envolvidas nas atividades de elaboração ou revisão de
7.1.7.13 projetos de instalações elétricas em atmosferas explosivas necessitam
NOTA 2 demonstrar a adequação do seu SGQ nesta área de especialidade, por exemplo, Sim Não
por meio de certificação de acordo com o IECEx OD 314-2.
Cada painel elétrico deve possuir o seu próprio diagrama unifilar, o qual deve
representar os circuitos de força, controle, proteção e intertravamentos com
7.1.8.1 Sim Não
outros painéis elétricos de força, transformadores e sistemas digitais de proteção
e automação.
Os fabricantes dos painéis elétricos devem utilizar os diagramas unifilares
elaborados na etapa do projeto de detalhamento, para fins de inclusão de novas
7.1.8.2 informações e dados de características técnicas dos componentes, na etapa de Sim Não
fabricação dos painéis, não elaborando outros diagramas unifilares, com
duplicidade de documentos e informações.
A Projetista deve possuir um sistema eletrônico de controle e gerenciamento de
7.2.2 documentação técnica que permita a identificação, rastreabilidade e estágio de Sim Não
evolução de cada um dos documentos de projeto.
Os cabos dos circuitos de alimentação e controle dos sistemas de distribuição de
7.2.8.2 força para cargas “normal”, “essencial” e de “emergência” devem projetados de Sim Não
forma a serem segregados através de encaminhamento distintos.
O Memorial Descritivo de SPDA deve considerar a elaboração de plantas de
7.2.8.9 Sim Não
regiões seguras de trabalho, sob o ponto de vista de descargas atmosféricas.
Os estudos de classificação de áreas devem ser modelados e realizados em
aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos. As
7.2.9.1.2 Sim Não
informações destes bancos de dados devem permitir a importação e exportação
de dados para aplicativos do tipo CAE.
O projeto de arranjo de equipamentos em subestações elétricas e casas de
7.2.9.7 controle deve ser realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados Sim Não
orientados a objetos.
O projeto de redes elétricas subterrâneas deve ser realizado em aplicativo
7.2.9.12 Sim Não
CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos.
Em unidades de processo, as plantas de redes elétricas subterrâneas, devem ser
representadas nos mesmos desenhos utilizados pela especialidade de civil, para
7.2.9.12 o desenvolvimento do projeto de drenagem e demais estruturas e/ou Sim Não
equipamentos enterrados e subterrâneos, de forma a facilitar o equacionamento
de possíveis interferências.
Em desenhos de redes elétricas subterrâneas, sempre que possível, devem ser
utilizados dois valores de escala, correspondendo a uma escala horizontal e outra
7.2.9.13 Sim Não
vertical, com valores mínimos de 1:500 e 1:50, respectivamente, de forma a
permitir a representação em detalhes.
O projeto de instalações aparentes de equipamentos e materiais referentes aos
7.2.9.20 sistemas elétricos deve ser realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos Sim Não
de dados orientados a objetos.
Os detalhes típicos de instalações elétricas devem ser elaborados, pelo usuário
7.2.9.22 do projeto, de forma a consolidar as boas práticas existentes ou padrões de suas Sim Não
instalações.
O projeto das plantas de distribuição de força e de iluminação deve ser realizado
7.2.9.23 Sim Não
em aplicativo CAD 3D, baseado em bancos de dados orientados a objetos.
As plantas de SPDA indiquem as regiões seguras para trabalho considerando, em
todas regiões existentes em cada planta, uma distância de segurança de 3 m. Esta
7.2.9.24 Sim Não
distância de segurança deve ser considerada como sendo 3 m abaixo da altura
determinada pela região com nível de proteção tipo 1, protegida pelo SPDA.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO A - FOLHA 03/04.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Lista das Subseções da PETROBRAS N-2040
com indicação de Práticas Recomendadas
Descrição resumida da Prática Recomendada Aplicação
Subseção (Para a descrição detalhada de cada requisito, ver respectivas subseções obrigatória no
aplicáveis na PETROBRAS N-2040) projeto
O nível de proteção utilizado no estudo de regiões seguras de trabalho, do ponto
de vista de descarga atmosférica, deve ser tipo 1 (esfera de 20 m de raio de
7.2.9.24 acordo com os requisitos indicados na Série ABNT NBR 5419), de forma a Sim Não
prover o nível de segurança mais elevado especificado na Série ABNT
NBR 5419.
O projeto de SPDA deve ser realizado em aplicativo CAD 3D, baseado em
7.2.9.24 bancos de dados orientados a objetos. Sim Não

O projeto do sistema de aterramento deve ser realizado em CAD 3D, baseado


7.2.9.25 em bancos de dados orientados a objetos. Sim Não

Os cronogramas de projeto e de fabricação de equipamentos elétricos devem ser


elaborados de acordo com os conceitos de PERT/CPM, em aplicativos
7.2.15.3 apropriados para esta finalidade, com a identificação clara dos caminhos críticos Sim Não
para a evolução do projeto e da fabricação dos equipamentos elétricos.
Devem ser executados os serviços de atualização da documentação técnica do
7.2.22 projeto de eletricidade e de fabricantes e/ou fornecedores conforme construído Sim Não
(“As Built”).
Nos casos de sistemas de automação e proteção com base na Série IEC 61850,
os diagramas unifilares e demais documentos aplicáveis de projeto de
eletricidade devem referenciar ou representar as funções de proteção,
8.1.9 intertravamento, comando, controle, medição, sinalização ou alarme por meio Sim Não
dos códigos mnemônicos dos respectivos Logical Nodes (LN), de acordo com a
IEC 61850-7-4, em vez dos números das funções dos dispositivos indicados na
IEEE C 37.2.
As ferramentas de configuração do sistema IEC 61850 ou de outros protocolos, a
serem utilizadas elaborada pela Projetista, deve incluir a possibilidade da
8.1.11 elaboração de lógicas de automação, proteção e de intertravamento por meio de Sim Não
diagramas lógicos, de acordo com a IEC 61131-1 e a IEC 61131-3.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO A - FOLHA 04/04.

Lista
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:
Lista de Tópicos para Determinação de Escopo e
Abrangência dos Projetos de Eletricidade

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO B - FOLHA 01/02.
Nº REV.
Escopo do Projeto de Eletricidade
FOLHA
de
TÍTULO:
Lista De Tópicos da PETROBRAS N-2040 Para Determinação de Escopo e
Abrangência dos Serviços de Elaboração, Apresentação e Gerenciamento
De Documentos e de Projetos de Eletricidade
Aplicação obrigatória
Atividades incluídas no escopo do projeto de eletricidade
no projeto
1 Projeto conceitual Sim Não

2 Projeto básico Sim Não

3 Projeto de pré-detalhamento (FEED) Sim Não

4 Projeto de detalhamento Sim Não


Levantamento da documentação técnica existente a ser revisada, em casos
5 de ampliações e de modificações de instalações e de sistemas elétricos Sim Não
existentes (ver NOTA 1)
Levantamento de campo das instalações existentes envolvidas com o projeto
6 Sim Não
de eletricidade (ver NOTA 1)
7 Verificação da documentação dos fornecedores (VDF) Sim Não
Modelamento e simulação em tempo real de estados transitórios e
8 Sim Não
estacionários de sistemas elétricos de potência industriais
9 Acompanhamento dos serviços de montagem e apoio de projeto Sim Não
Revisão da documentação de projeto e de fornecedores na condição
10 Sim Não
“conforme construído” (“As Built”)
Cadastramento da documentação técnica do projeto e dos fabricantes ou
11 fornecedores no sistema de gerenciamento de documentação técnica (EDMS) Sim Não
do usuário
Elaboração e emissão de Laudo Técnico, atestando que os projetos
12 realizados estão de acordo e atendem aos requisitos de segurança indicados Sim Não
na NR-10
Elaboração de Data-Books contendo cópia dos documentos de projeto novos Sim Não
13
e revisados e documentação de fabricantes ou fornecedores
Elaboração de Data-Book contendo a documentação aplicável para
evidenciar o atendimento dos requisitos de segurança em projetos de
eletricidade indicado na NR-10. Este Data-Book deve incluir, entre outros, os
diagramas unifilares do projeto, plantas das instalações elétricas de força,
14 aterramento e SPDA, certificados de conformidade dos equipamentos “Ex”, Sim Não
Memorial Descritivo de montagem do projeto de eletricidade (incluindo os
requisitos de inspeções iniciais detalhadas (de acordo com as ABNT
NBR IEC 60079-14 e ABNT NBR IEC 60079-17), ART emitida pelo
Engenheiro responsável da Projetista e Laudo Técnico

NOTA 1 O usuário ou o responsável pelo projeto deve definir se faz parte do escopo da Projetista os
serviços de levantamento de campo da real situação das instalações existentes e a revisão dos
documentos aplicáveis, antes do início do projeto. Este levantamento de campo tem por objetivo
verificar a consistência da documentação de projeto de eletricidade a ser revisada, em relação às
instalações existentes.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO B - FOLHA 02/02.

Lista
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 01/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
1 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto Conceitual
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela Projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis obrigatória no
na PETROBRAS N-2040) projeto
1 Listas de cargas elétricas normal, essencial e de emergência. Sim Não

2 Estudos de alternativas de conexão do empreendimento ao SIN. Sim Não

3 Estudos de viabilidade técnico-econômicos do sistema elétrico. Sim Não

Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não


4 Sim
distribuição de força.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não
5 Sim
sistemas de alimentação normal, essencial e de emergência.

6 Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de aterramento. Sim Não

Memoriais descritivos das filosofias adotadas para a definição dos tipos de proteção
7 dos equipamentos “Ex”, dos métodos de entrada em equipamentos “Ex” e de sistemas Sim Não
de distribuição de circuitos “Ex”.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para a especificação de equipamentos Não
8 Sim
para instalação em áreas classificadas.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não
9 Sim
iluminação.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de lógicas de proteção e Não
10 Sim
de intertravamento.
Memoriais descritivos e diagramas simplificados dos sistemas de proteção e
automação, baseado em requisitos da IEC 61850. Devem ser indicadas a topologia de Não
11 Sim
redes de dados e IED, bem como as redundâncias de “switches” industriais,
servidores e GPS.
Memoriais descritivos e diagramas simplificados da integração e das interfaces entre
12 a automação do sistema elétrico, de automação do sistema de processo e o sistema Sim Não
supervisório.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não
13 Sim
traceamento e aquecimento elétrico industrial.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não
14 Sim
sinalização e alarme.
Memoriais descritivos das filosofias adotadas para o projeto de eletricidade de Não
15 Sim
proteção contra descargas atmosféricas.

16 Diagramas unifilares gerais de alta, média e baixa tensão. Sim Não

17 Plano diretor do projeto de eletricidade Sim Não

Memorial Descritivo do Sistema Elétrico com a filosofia de operação normal e em Não


18 Sim
contingência

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 02/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
2 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto Básico
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
1 Lista de documentos de projeto. Sim Não

2 Cronograma de projeto e de emissão de documentos. Sim Não

3 Listas de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e de emergência. Sim Não

4 Diagramas unifilares básicos e gerais de alta, média e baixa tensão. Sim Não

5 Diagramas lógicos e funcionais típicos. Sim Não

Lista de dados contendo os parâmetros dos principais equipamentos e circuitos Não


6 Sim
elétricos da instalação.

7 Relatório de estudo de fluxo de potência. Sim Não

8 Relatório de estudo de curto-circuito. Sim Não

9 Relatório de estudo de queda de tensão durante a partida dos motores. Sim Não

10 Relatório de estudo de harmônicos introduzidos no sistema elétrico. Sim Não

Relatório de estudos dos riscos e perigos envolvidos com os sistemas elétricos a serem
projetados. Devem ser analisados nestes estudos a possibilidade de modos de falha
11 comum nos sistemas elétricos de proteção, bem como devem ser indicadas as Sim Não
respectivas ações mitigadoras. Os estudos de análises de risco dos sistemas elétricos
devem ser realizados com base nas metodologias HAZOP e FMEA.
FD e RM dos equipamentos elétricos principais dos sistemas de força, proteção e
12 automação, nos casos onde seja requerida a aquisição destes equipamentos antes do Sim Não
projeto de detalhamento, por questões de planejamento do Empreendimento.
13 ET dos principais equipamentos dos sistemas de força, proteção e automação. Sim Não

Desenhos de arranjo das instalações físicas preliminares dos sistemas e equipamentos Não
14 Sim
elétricos.
Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de distribuição de força para Não
15 Sim
alimentação normal, essencial e de emergência.

16 Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de aterramento. Sim Não

17 Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de iluminação. Sim Não

Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento dos sistemas e equipamentos Não


18 Sim
para atmosferas explosivas.
Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento das lógicas de proteção e de Não
19 Sim
intertravamento.
Memoriais descritivos e diagramas básicos dos sistemas de proteção, automação,
medição e intertravamento, com base nos requisitos da Série IEC 61850 ou em outros Não
20 Sim
protocolos. Devem ser indicadas a topologia de redes de dados e IED, bem como as
redundâncias de “switches” industriais, servidores e GPS, quando aplicáveis.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 03/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
2 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto Básico (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
Memoriais descritivos e diagramas básicos da integração e interfaces entre a
21 automação do sistema elétrico, a automação do sistema de processo e o sistema Sim Não
supervisório.
Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de traceamento e aquecimento Não
22 Sim
elétrico industrial.

23 Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de sinalização e alarme. Sim Não

Memoriais descritivos para o projeto de detalhamento de proteção contra descargas Não


24 Sim
atmosféricas.
Estudos preliminares de classificação de áreas contendo gases inflamáveis ou poeiras Não
25 Sim
combustíveis.
Livros do projeto básico (“Data Books”) de eletricidade contendo toda a documentação Não
26 Sim
gerada.
Folhas de Dados dos equipamentos elétricos principais dos sistemas de força, proteção Não
27 Sim
e automação.
Especificações técnicas de engenharia de equipamentos e sistemas de força, proteção Não
28 Sim
e automação.
Critérios de projeto contendo requisitos de projeto de eletricidade para unidades Não
29 Sim
pacotes (“Skids”).

30 Especificação técnica de requisitos de ergonomia de projetos de sistema elétrico. Sim Não

Diagrama de proteção do sistema de média tensão incluindo sistema de geração e Não


31 Sim
painel de distribuição principal (“offshore”).

32 Planta de arranjo do sistema de aterramento (“offshore”). Sim Não

Especificação Técnica de projeto do sistema elétrico para unidades “offshore”, com Não
33 Sim
base nas normas técnicas aplicáveis a este tipo de instalações elétricas.
Especificação Técnica de equipamentos e materiais para o sistema elétrico de unidades Não
34 Sim
“offshore”, com base nas normas aplicáveis a instalações “offshore”.
Especificação técnica do sistema de gerenciamento de energia para unidades Não
35 Sim
“offshore” (PMS).
Especificação Técnica do painel tiristorizado de força do sistema de aquecimento para Não
36 Sim
unidades “offshore”.
Especificação técnica dos limites de bateria e interfaces de circuitos de força, controle e
37 automação entre instalações elétricas do “topside” e do casco para instalações Sim Não
“offshore”.
Lista de classificação das cargas elétricas de “topside” de acordo com o modo de Não
38 Sim
controle (local, remoto ou controle por unidades pacotes).

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 04/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
3 - Documentos a Serem Elaborados no Pré-Detalhamento (FEED)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
1 Lista de documentos de projeto. Sim Não

2 Cronograma de projeto e de emissão de documentos. Sim Não

3 Listas de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e de emergência. Sim Não

4 Diagramas unifilares básicos. Sim Não

Lista de dados contendo os parâmetros dos principais equipamentos e circuitos Não


5 Sim
elétricos da instalação.

6 Desenhos das instalações físicas preliminares dos sistemas e equipamentos elétricos. Sim Não

Pré-detalhamento dos sistemas de proteção, automação, medição e intertravamento,


baseado em requisitos das IEC 61850, incluindo a topologia das redes de dados e IED, Não
7 Sim
a utilização de VLAN e as redundâncias de “switches” ópticos industriais, GPS e
servidores de descarte seletivo de cargas, MMS e OPC.
Folhas de Dados dos equipamentos elétricos principais de força, proteção e Não
8 Sim
automação.
Especificações técnicas de engenharia de equipamentos e sistemas de força, proteção Não
9 Sim
e automação.
Planilhas de quantitativos no padrão fornecido pela PETROBRAS no início do projeto Não
10 Sim
de pré-detalhamento.

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

Sim Não

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 05/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
1 Cronograma de projeto e de emissão de documentos. Sim Não

Lista de dados contendo os parâmetros dos principais equipamentos e circuitos elétricos Não
2 Sim
da instalação.

3 Relatório de estudo de fluxo de potência. Sim Não

4 Relatório de estudo de curto-circuito. Sim Não

5 Coordenação e seletividade da proteção. Sim Não

6 Relatório de estudo de queda de tensão durante a partida dos motores. Sim Não

7 Relatório de avaliação da estabilidade eletromecânica do sistema. Sim Não

8 Relatório de avaliação de transitórios eletromagnéticos. Sim Não

9 Relatório de estudo de harmônicos introduzidos no sistema elétrico. Sim Não

10 Relatório de avaliação de energia incidente (“Arc-Flash”). Sim Não

Modelamento e simulação em tempo real (RTDS) de estados transitórios e Não


11 Sim
estacionários de sistemas elétricos de potência industriais.

12 Lista de documentos de projeto de detalhamento. Sim Não

13 Lista de cargas elétricas, nas categorias normal, essencial e emergência. Sim Não

14 Lista de cabos ou circuitos. Sim Não

15 Lista de eletrodutos ou bandejas. Sim Não

16 Lista de interligação de bornes e circuitos. Sim Não

17 Lista de equipamentos elétricos tagueados. Sim Não

18 Lista de materiais. Sim Não

19 Lista de dados de processo para estudos de classificação de áreas. Sim Não

Lista de pontos de entrada/saída (I/O) de IED ou tabelas de variáveis lógicas e de


20 comunicação de mensagens GOOSE, MMS e SV para sistemas digitais de automação Sim Não
elétrica.
21 Lista de parâmetros de configuração de equipamentos elétricos digitais e IED. Sim Não

Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para dimensionamento de equipamentos Não


22 Sim
elétricos.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para dimensionamento dos sistemas de Não
23 Sim
alimentação ininterrupta (UPS).
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de distribuição de circuitos Não
24 Sim
de força normal, essencial e de emergência.

25 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para puxamento de cabos. Sim Não

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 06/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
26 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de aterramento e SPDA. Sim Não

27 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de iluminação. Sim Não

Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de automação elétrica e Não


28 Sim
interfaces com sistema de automação de processo e com sistemas supervisórios.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de coordenação da Não
29 Sim
proteção e seletividade elétrica.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistemas de intertravamento elétrico Não
30 Sim
e de segurança de processo.

31 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de sinalização e alarme. Sim Não

Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de proteção contra Não


32 Sim
descargas atmosféricas.

33 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudo de curto-circuito. Sim Não

34 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudo de fluxo de potência. Sim Não

Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudo de queda de tensão de Não


35 Sim
partida de grandes máquinas e motores elétricos.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para sistema de detecção e alarme de Não
36 Sim
fumaça ou gases.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para tipos de proteção de equipamentos Não
37 Sim
“Ex” para instalação em áreas classificadas.

38 Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudos de estabilidade. Sim Não

Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudos de energia incidente em Não


39 Sim
painéis elétricos.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para traceamento e aquecimento elétrico Não
40 Sim
industrial.
Memoriais descritivos ou memórias de cálculo para estudos de transitórios Não
41 Sim
eletromagnéticos.

42 Memoriais descritivos dos serviços de construção, montagem, comissionamento e TAC. Sim Não

43 Diagramas unifilares (um diagrama por painel). Sim Não

44 Diagramas multifilares (um diagrama por painel). Sim Não

Diagramas funcionais típicos do projeto de detalhamento (para motores,


45 transformadores, geradores, alimentadores de CDC e de CCM, cubículos de entrada, Sim Não
cubículos de interligação etc.).
Diagramas lógicos típicos do projeto de detalhamento dos IED, para configuração dos Não
46 Sim
arquivos na linguagem SCL (IEC 61850-6).

47 Desenhos e diagramas de interligações ou interconexões de equipamentos elétricos. Sim Não

48 Desenhos e diagramas de fiação de interligação dos dispositivos de painéis elétricos. Sim Não

Desenhos e diagramas de blocos de interligação de equipamentos principais e do Não


49 Sim
sistema elétrico.

50 Desenhos de plantas e cortes de arranjo de equipamentos. Sim Não

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 07/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
Desenhos de plantas e cortes de estruturas aparentes de equipamentos em Não
51 Sim
subestações externas.

52 Desenhos de plantas e cortes de bases de equipamentos elétricos. Sim Não

53 Desenhos de plantas e de cortes de classificação de áreas. Sim Não

54 Desenhos de plantas e cortes de diagrama de esforços e pesos nas estruturas. Sim Não

55 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas da rede elétrica principal. Sim Não

56 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas da rede elétrica subterrânea. Sim Não

57 Desenhos de plantas e cortes da rede elétrica em leito para cabos. Sim Não

Desenhos de plantas e cortes e de disposição de cabos de caixas de enfiação Não


58 Sim
subterrâneas (“Manholes”).
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de caixas de enfiação aparentes Não
59 Sim
(“Pull-Points”).
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de rede elétrica aérea isolada ou Não
60 Sim
semi-isolada (“Spacer cable”).

61 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de instalações aparentes. Sim Não

62 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de instalações elétricas prediais. Sim Não

63 Desenhos de diagramas de distribuição de cargas dos circuitos de iluminação. Sim Não

Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de distribuição de circuitos de iluminação Não


64 Sim
normal, essencial e de emergência.
Desenhos de plantas e cortes e diagramas de distribuição de circuitos de traceamento e Não
65 Sim
aquecimento elétrico industrial.
Desenhos de plantas e cortes de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas Não
66 Sim
(SPDA).

67 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de sistema de aterramento aparente. Sim Não

68 Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de sistema de aterramento subterrâneo. Sim Não

Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes específicos de montagem de Não


69 Sim
equipamentos.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
70 Sim
de força.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
71 Sim
de controle e automação.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
72 Sim
de iluminação.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
73 Sim
de aterramento.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
74 Sim
de SPDA.
Desenhos de plantas e cortes e de diagramas de detalhes típicos de montagem elétrica Não
75 Sim
de suportes.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 08/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
76 ET para aquisição de equipamentos e materiais elétricos. Sim Não

77 FD para aquisição dos equipamentos elétricos. Sim Não

78 RM. Sim Não

79 PT. Sim Não

80 Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: cronogramas de fabricação. Sim Não

Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: listas de documentos dos Não


81 Sim
equipamentos.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: desenhos dimensionais dos Não
82 Sim
equipamentos.

83 Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: FD. Sim Não

Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: listas de materiais e Não


84 Sim
componentes.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: arquivos de configuração de IED Não
85 Sim
na linguagem SCL (IEC 61850-6).
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: arquivos de configuração de
equipamentos digitais configuráveis, tais como “switches”, servidores, “gateways”, Não
86 Sim
conversores de frequência, sistemas de excitação de motores e geradores síncronos e
UPS.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: relatórios de ensaios de rotina, Não
87 Sim
de tipo e especiais.

88 Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: certificados de conformidade. Sim Não

89 Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: lista de sobressalentes. Sim Não

90 Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: plano de inspeção e ensaios. Sim Não

Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: relatórios dos testes de aceitação Não
91 Sim
de fábrica (TAF).
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: relatórios dos testes de aceitação Não
92 Sim
de campo (TAC).
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: manuais de montagem dos Não
93 Sim
equipamentos.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: manuais de comissionamento Não
94 Sim
dos equipamentos.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: manuais de operação dos Não
95 Sim
equipamentos.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: manuais de manutenção dos Não
96 Sim
equipamentos.
Documentação elaborada e emitida pelos fabricantes: cronograma de treinamentos Não
97 Sim
sobre instalação, montagem, operação e manutenção.
Diagramas geral de blocos e de interligações dos equipamentos e lista de dispositivos Não
98 Sim
pertencentes ao sistema de automação elétrica.
Diagrama geral da arquitetura das redes de dados do sistema automação elétrica,
99 incluindo IED, MU, “switches” industriais, GPS, servidores, concentradores e Sim Não
“gateways”.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 09/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
Diagramas de topologia das redes de dados e IED, utilização de VLAN, redundâncias
100 de “switches” ópticos industriais e servidores de descarte seletivo de cargas, MMS e Sim Não
OPC.
Critérios para a criação de TAG para equipamentos e painéis (ou cubículos, cargas ou
101 “racks”) de forma a padronizar os nomes dos IED, LN, LD e variáveis de dados do Sim Não
sistema IEC 61850.
Arquivos de computador e base de dados dos aplicativos e programas específicos Não
102 Sim
para estudos de projetos de eletricidade e equipamentos digitais.
Critérios para a criação de TAG para equipamentos e painéis (ou cubículos ou cargas
103 ou “racks”) de forma a padronizar os nomes dos IED, LN, LD e das variáveis de dados Sim Não
do sistema IEC 61850.
Arquivos em linguagem SCL (IEC 61850-6) de configuração do sistema elétrico,
104 subestações e IED, incluindo os arquivos dos tipos *.CID, *.IID, *.SSD, *.SCD, *.ICD e Sim Não
*.SED.
Arquivos de configuração de redes de comunicação de dados para os sistemas de
proteção e automação elétrica, incluindo arquivos resultantes da utilização de Não
105 Sim
softwares dos fabricantes dos IED, MU, “switches” ópticos industriais, GPS,
servidores, “gateways” e outros equipamentos do sistema de automação elétrica.
Arquivos de configuração das redes de engenharia e de manutenção, por meio dos Não
106 Sim
softwares dos fabricantes dos IED, MU, “switches” e servidores.
Arquivos de configuração dos servidores de descarte seletivo de cargas, dos Não
107 Sim
servidores de MMS (Série IEC 61850) e dos servidores OPC.
Listas de I/O das entradas e saídas ou tabelas de variáveis logicas e de informações Não
108 Sim
de comunicação GOOSE, MMS e SV )Série IEC 61850).
Tabelas de informações de comunicação entre IED e servidores interligados ao Não
109 Sim
sistema IEC 61850.

110 Lista de endereços IP dos IED e das VLAN das subestações. Sim Não

Listas dos pontos físicos e digitais de entrada, saída, valores analógicos ou endereços Não
111 Sim
digitais do sistema automação e proteção do sistema elétrico.
Listas dos pontos físicos ou digitais do sistema de automação elétrico que são
112 diretamente conectados ou fazem interface com os sistemas de automação de Sim Não
processo, tais como SIS, SSC ou PLC.
Diagramas de arquitetura das redes de dados do sistema IEC 61850, incluindo Não
113 Sim
sincronismo de tempo, mensagens MMS, mensagens GOOSE e mensagens SMV.
Diagramas de interligações e interfaces entre o sistema de automação elétrico, o Não
114 Sim
sistema de automação de processo e os sistemas supervisórios.
Diagramas de arquitetura das redes MODUBS TCP ou PROFIBUS DP (interfaces Não
115 Sim
com o sistema de automação de processo).
Diagramas de arquitetura das redes sincronismo tempo através de rede “Ethernet” ou Não
116 Sim
de outras redes de comunicação.
Diagramas de arquitetura das redes e servidores do sistema de descarte seletivo de Não
117 Sim
cargas.
Diagramas de arquitetura das redes de engenharia e de manutenção do sistema de Não
118 Sim
automação.

119 Diagramas de arquitetura das redes para treinamento e simulação do sistema elétrico. Sim Não

Diagramas de interligações dos “racks” contendo os equipamentos e dispositivos Não


120 Sim
relacionados com o sistema de automação elétrica.
Listas de entradas e saídas (I/O) relacionadas com as interfaces da automação do
121 sistema elétrico com a automação do sistema de processo, tais como SSC, PLC ou Sim Não
SIS.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 10/11.
Nº REV.
Lista
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos de Projeto Aplicáveis
a Serem Elaborados pela Projetista
4 - Documentos a Serem Elaborados no Projeto de Detalhamento (continuação)
Documentos de projeto aplicáveis a serem elaborados pela projetista Aplicação
(Para os detalhes de cada documento, ver as respectivas seções aplicáveis na obrigatória no
PETROBRAS N-2040) projeto
Listas de entradas e saídas (I/O) relacionadas com os mapas de memória dos Não
122 Sim
servidores OPC do sistema de automação elétrico.
Listas de I entradas e saídas (I/O) relacionadas com os mapas de memória das redes
123 MODUBS TCP ou PROFIBUS DP, relacionadas com as interfaces com o sistema de Sim Não
automação de processo.
Listas de I entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes e servidores Não
124 Sim
para o sistema de descarte seletivo de cargas.

125 Lista de Prioridade de Cargas para Descarte. Sim Não

Listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes de sincronismo de Não
126 Sim
tempo em rede “Ethernet”.
Listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes de engenharia e Não
127 Sim
de manutenção do sistema de automação elétrico.
Listas de entradas e saídas (I/O) dos mapas de memória das redes de treinamento e Não
128 Sim
de simulação do sistema elétrico.

129 Listas de gerenciamento de alarmes remotos de sistemas no padrão IEC 61850. Sim Não

Listas de gerenciamento de alarmes remotos dos servidores MMS e OPC da Não


130 Sim
automação do sistema elétrico.
Listas de gerenciamento de alarmes remotos das redes MODUBS TCP ou PROFIBUS
131 DP, relacionadas com a integração e interfaces com o sistema de automação de Sim Não
processo.
Listas de gerenciamento de alarmes remotos das redes de descarte seletivo de Não
132 Sim
cargas.

133 Diagramas elétricos dos painéis e “racks” de “switches” óticos. Sim Não

134 Lista de cabos de automação elétrica. Sim Não

Diagramas de blocos e de interligação dos equipamentos instalados na DMZ entre a


135 RAI (do sistema de automação elétrico) e a RIC, incluindo “firewall”, servidores e IPS Sim Não
(“Intrusion Prevention System”).
Memorial descrito das atividades a serem realizadas durante as atividades de
montagem, testes e comissionamento do sistema de automação elétrica, incluindo a Não
136 Sim
especificação dos requisitos de TAF, de TAC e de TIC, atendendo aos requisitos da
IEC 62381.
Especificações Técnicas, Folhas de Dados e Requisições de Materiais para o projeto Não
137 Sim
de automação do sistema elétrico.
Laudo Técnico do Projeto de Detalhamento de Eletricidade, atestando que o projeto Não
138 Sim
atende aos requisitos de segurança indicados na NR-10.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F - ANEXO C - FOLHA 11/11.
POTÊNCIA CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DEMANDA

BARRA
POLOS
FASES
IDENTIFICAÇÃO DO SITUAÇÃO DA
IDENTIFICAÇÃO FUNÇÃO TENSÃO (V) OBS.
REVISÃO

PAINEL CARGA
NOMINAL FORNEC. UNID. ST % η% FP Kw kVAr

PAINEL TENSÃO (V) DESCRIÇÃO FP Kw kVAr kVA CONECTADO AO

TOTAL


(*) E - ESTIMADA F - FINAL C - CERTIFICADA
REV.

FOLHA
de

TÍTULO

Lista de Cargas Elétricas


AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE. FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO D - FOLHA 01/01
Documentos de Referência
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

DEMANDA ELÉTRICA

TEMPERATURA (°C) OU
POTÊNCIA NOMINAL
POTÊNCIA NO EIXO DA

NÚMERO DE FASES
Notas

ROTAÇÃO (R.P.M.)
FATOR DE POTÊNCIA

CLASSE DE ISOL.
TENSÃO (VOLTS)
CARGA (kW) 1 - Esta lista de cargas elétricas deve ser utilizada de acordo com o prescrito na

kW (MOTORES)

ELEVAÇÃO DE
kVA (OUTRAS)
PRINCIPAL (P)

RESERVA (R)

(Kw)
PETROBRAS N-2040.
2 - A projetista deve revisar esta lista de cargas elétricas sempre que surgirem
NÚMERO DO

OU
SERVIÇO novos dados ou que dados antigos forem modificados.
EQUIPAMENTO 3 - As cargas elétricas canceladas devem ser mantidas na lista de cargas elétricas,

4/4 CARGA

3/4 CARGA

2/4 CARGA

EM VAZIO
de forma “hachuradas”, sendo indicada na coluna “OBSERVAÇÕES”, o

PARTIDA
NORMAL

MÁXIMA
seguinte texto: “Cancelada na revisão XXX”.

NA
4 - A demanda elétrica corresponde ao BkW normal da máquina acionada dividida
pelo rendimento a plena carga correspondente do motor.
NOTA 4
Simbologia:
1 - Todos os campos possuem na sua extremidade direita uma faixa vertical
que deve ser preenchida de acordo com a seguinte convenção:

Dado estimado Dado medido

2 - Os campos sombreados indicam sempre a última revisão


Exemplo: Indica dado estimado Última revisão
Indica dado medido
1 2 3 4 5
MB 122001 A Alimentação de diesel 100 F 3 500
Transferência de nafta
MB 122006 A 550 8 1 780
pesada

REV. DESCRIÇÃO DATA EXEC. VERIF. APROV.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO


PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE A PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO E FOLHA 01/01.

CLIENTE:

PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:

Lista de Cargas Elétricas


PROJ. EXEC. VERIF.

APROV.

DATA ESCALA FOLHA


de



Lista de Precedências
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:
Listagem de Documentos Precedentes
no Projeto de Eletricidade

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO F - FOLHA 01/05.
Nº REV.
Lista de Precedências
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos Precedentes
no Projeto de Eletricidade

São indicados a seguir a precedência de documentos e de desenhos do projeto de eletricidade, na fase de


detalhamento a serem emitidos pela Projetista.

Esta lista de precedência deve ser utilizada como referência para a Projetista, na programação de
elaboração e emissão da documentação técnica.

Descrição Tipo Título Pré requisitos


Relatório de análise de - Projeto Básico e documentação
RL
consistências contratual.
LD Lista de documentos
- Processo (Lista de Utilidades Final);
Documentos
- Mecânica (Dimensionamento);
iniciais de LI Lista de cargas elétricas
- Cargas de HVAC (“Heat and Ventilation
projeto de
Ar Conditioning”).
detalhamento
de eletricidade Unifilar Geral da subestação e
DE Unifilares de cada nível de - Lista de Cargas.
tensão
- Lista de Cargas;
DE Arranjo de Equipamentos
- Diagrama unifilar feral da subestação.
MC Balanço de cargas - Lista de Cargas.
- MC balanço de cargas ou lista de
Memória de Cálculo de cargas;
MC
curto-circuito - Diagrama unifilar geral da subestação;
- MC de cabos.
- MC balanço de cargas ou lista de
Memória de Cálculo de fluxo de cargas;
MC
potência - Diagrama unifilar geral das Subestação;
- MC de cabos.
- Unifilar geral da subestação e
diagramas unifilares de cada nível de
Memória de Cálculo de tensão;
MC
Coordenação e Seletividade - MC de curto-circuito aprovada;
Estudos gerais
- Lista de Cabos;
de sistemas
- Dados de equipamentos certificados.
elétricos
- Diagrama unifilar geral da subestação;
- MC balanço de cargas ou lista de
Memória de Cálculo de partida cargas;
MC
de grandes motores - MC de cabos;
- MC de fluxo de potência;
- MC de curto-circuito.
Estudos de Estabilidade e
MC
transitórios eletromecânicos
- Balanço de cargas elétricas;
- Diagramas unifilares;
MC Estudo de Harmônicos - MC de fluxo de potência;
- FDs certificadas de conversores, UPS e
demais cargas não lineares

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO F - FOLHA 02/05.
Ok. Descrição incluída no texto
Nº REV.

FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos Precedentes
no Projeto de Eletricidade

Descrição Tipo Título Pré requisitos


- Curto-circuito na subestação de
entrada;
Memória de Cálculo de
MC - Relatório de resistividade do solo;
Aterramento
- DE de Arranjo e Planta da subestação
e da unidade.
Sistemas de
DE Detalhes típicos
aterramento
- Memória de Cálculo de aterramento;
DE Planta de aterramento
- Detalhes típicos de montagem.
- Memória de Cálculo de aterramento;
DE Aterramento interno/cortes
- Detalhes típicos de montagem.
LI Lista de Materiais
- DE de Arranjo e Planta da subestação
MC Memória de Cálculo do SPDA
e da unidade.
DE Detalhes típicos
SPDA - Memória de cálculo do SPDA;
DE SPDA - Plantas e cortes
- Detalhes típicos de montagem.
LI Lista de Materiais
DE Desenhos de fabricantes
Memória de Cálculo de - DE de Arranjo e Planta da subestação
MC
Iluminação e da unidade.
DE Arranjo de Iluminação / cortes - Memória de cálculo de Iluminação
DE Detalhes típicos
LI Lista de Materiais
Sistemas de
DE Desenhos de fabricantes
iluminação
DE Diagrama unifilar de iluminação - Arranjo do sistema de iluminação.
FD Folha de Dados dos TLs e PLs - Diagrama unifilar de iluminação.
Requisição de Materiais dos
RM - FD dos TLs e PLs.
TLs e PLs
PT Parecer Técnico dos TLs e PLs - Requisição de Materiais dos TLs e PLs.
- Balanço de cargas elétricas;
- Diagrama unifilar geral da subestação;
Memória de Cálculo de
MC - MC de curto-circuito aprovada;
Transformadores
- MC de partida de grandes motores
aprovada.
- Memória de Cálculo de
Transformadores;
Transformadore
FD Folha de Dados - Memória de Cálculo de curto-circuito;
s de força
- Memória de Cálculo de partida de
grandes motores.
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
DE Desenhos de fabricantes
Plano de Inspeção e Testes de - Todos os documentos relacionados
RL
Aceitação de Fábrica (TAF) aprovados.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO F - FOLHA 03/05.
Nº REV.
Lista de Precedências
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos Precedentes
no Projeto de Eletricidade

Descrição Tipo Título Pré requisitos


- Unifilar geral da subestação e
DE Diagrama Funcional diagramas unifilares de cada nível de
tensão.
- Lista de cargas elétricas;
- Unifilar Geral da subestação;
DE Diagrama unifilar de cada painel - Lista de cabos de força e controle;
- MC de dimensionamento de TC ou
sensores de corrente e tensão.
- Diagrama unifilar geral da subestação
DE Diagramas Lógicos
diagramas unifilares de cada painel.
Painéis Memória de Cálculo de Energia
MC - MC de curto-circuito aprovada.
elétricos Incidente
Memória de Cálculo de
MC Dimensionamento de TCs ou de - MC de curto-circuito aprovada.
sensores de corrente e tensão
- Diagramas unifilares e trifilares de cada
FD Folha de Dados
painel.
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
DE Desenhos de fabricantes
- Todos documentos relacionados
RL Plano de Inspeção e Teste (PIT)
aprovados.
- Arranjo de equipamentos;
FD Folha de Dados - Folha de Dados do transformador;
- MC de curto-circuito.
Dutos de RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
Barramento PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
DE Desenhos de fabricantes
- Todos documentos relacionados
RL Plano de Inspeção e Teste
aprovados.
- Balanço de cargas;
Memória de Cálculo para - Desenho de Arranjo de equipamentos
MC Dimensionamento de para a subestação e desenho
alimentadores mostrando a localização dos
equipamentos da Unidade.
- Memória de Cálculo para
Memória de Cálculo de
MC Dimensionamento de alimentadores;
Puxamento
- Encaminhamento dos envelopes.
Cabos DE Encaminhamento dos Envelopes
- Arranjo de equipamentos aprovado;
LI Lista de Cabos - MC dimensionamento de
alimentadores.
DE Diagrama de interligação
DE Desenhos de fabricantes
- Todos documentos relacionados
RL Plano de Inspeção e Teste
aprovados.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO F - FOLHA 04/05.
Nº REV.
Lista de Precedências
FOLHA
de
TÍTULO:
Listagem de Documentos Precedentes
no Projeto de Eletricidade

Descrição Tipo Título Pré requisitos


- Lista de cargas elétricas, de automação
e de instrumentação em corrente
Memória de Cálculo do
contínua;
MC dimensionamento do sistema
- Diagrama unifilar geral;
de corrente contínua
- MC de iluminação (incluindo iluminação
de emergência).
Carregador de baterias e
FD - MC do sistema de corrente contínua.
baterias
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
Sistemas de
Diagrama unifilar do sistema
corrente contínua DE - MC do sistema de corrente contínua.
de corrente contínua
Diagrama unifilar do painel de - Lista de cargas elétricas, de automação
DE corrente contínua e quadros e de instrumentação;
de carga - Diagrama unifilar geral.
Folha de Dados do painel de - Diagrama unifilar do painel de corrente
FD
corrente contínua contínua e dos quadros de carga.
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
- Todos documentos relacionados
RL Plano de Inspeção e Teste
aprovados.
FD Folha de Dados - Diagrama unifilar geral.
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
Resistor de
DE Desenhos de fabricantes
aterramento
- Todos documentos relacionados
RL Plano de Inspeção e Teste
aprovados.

- Lista de cargas;
FD Folha de Dados do motor - Documentação de classificação de
áreas.
RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
Motores elétricos PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada;
Detalhes típicos de - Documentação de classificação de
DE
montagem áreas.
Desenhos e documentos de
DE
fabricantes
Memória de cálculo de
MC dimensionamento de
eletrodutos e bandejamento
Redes aparentes
- Arranjo geral da unidade;
de bandejamento
DE Planta, cortes e detalhes - MC de dimensionamento de
e redes
eletrodutos e bandejamentos.
subterrâneas de
eletrodutos - Planta corte e detalhes;
Memória de cálculo de - Lista de Cabos;
MC
puxamento de cabos - MC de dimensionamento de sistemas
de eletrodutos e bandejamentos.
- Lista de cargas;
FD Folha de Dados
Conversores de - FD do motor elétrico.
frequência RM Requisição de Materiais - Folha de Dados aprovada.
PT Parecer Técnico - Requisição de Materiais aprovada.
Legenda:
Os tipos de documentos referenciados nesta Lista de Precedência (MC, DE, ET, FD, RM, PT. RL, LI) são
indicados na Petrobras N-1710.
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2040 REV. F ANEXO F - FOLHA 05/05.
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A e B
Não existe índice de revisões.

REV. C
Partes Atingidas Descrição da Alteração

2 Revisado

4.1.1 a 4.1.3 Revisados

4.2 Revisado

4.3.2 e 4.3.3 Revisados

5.1.1 Revisado e Renumerado

5.1.1.1 e 5.1.1.2 Incluídos

5.1.2 a 5.1.7 Revisados e Renumerados

5.1.7.1 a 5.1.7.3 Incluídos

5.1.8 a 5.1.10 Revisados e Renumerados

5.1.11 Excluído

5.2.2 e 5.2.3 Revisados

5.2.4.1 e 5.2.4.2 Incluídos

5.2.5 Revisado e Renumerado

5.2.5.1 a 5.1.5.4 Incluídos

5.2.6 e 5.2.7 Revisados

5.2.7.1 a 5.2.7.13 Incluídos

5.2.8 Revisado

5.2.8.1 a 5.2.8.29 Incluídos

5.2.9 a 5.2.12 Revisados

5.2.12.1 a 5.2.12.3 Incluídos

5.2.13 Revisado

5.2.13.1 e 5.2.13.2 Incluídos

5.2.17 Revisado

REV. D
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisadas

IR 1/2
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

REV. E
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas. Revisadas

REV. F
Partes Atingidas Descrição da Alteração

5.2.2.2 Incluído

5.3.2.2 Incluído

5.4.2 Revisado

5.4.3 Revisado

5.5.2 Revisado

5.5.2.1 a 5.5.2.12 Excluídos

5.5.3 Revisado

5.5.6 Revisado

5.5.6.5 Incluído

7 Revisado

7.1.1.8 Incluído

7.1.3.3 Incluído

7.1.4.4 Incluído

7.2.20.1 Revisado

8.1 Revisado

8.2 Revisado

8.3 Revisado

13 Incluído

Anexo A Revisado

Anexo B Revisado

Anexo C Revisado

Anexo F Incluído

IR 2/2
-PÚBLICO-

N-2040 REV. F 03 / 2017

GRUPO DE TRABALHO - GT-06-50

Membros

Nome Lotação Telefone Chave


Alam Silva Menezes TP/DSERV/ENG/SUP/PROJ/PB - T2FL
Alexandre Silva Venito SUP/ESUP/EEI/EBSIA 706-5292 CFK3
Fábio Papa Salles PRGE/ENG/SEAI/SP 706-3162 CSFV
Gustavo Goulart Pereira PRGE/ENG/SEAI/SP 706-6753 U3OG
Jorge Luiz Degle Esposte SUP/ESUP/EEI 712-6265 BXO7
Marcos Leonardo Ramos CENPES/PDDP/TFCM-SEQUI/NCP 855-5985 EOPI
Roberval Bulgarelli RPBC/EN 754-4484 RBBS
Rodrigo de Moraes Pereira
SUP/ESUP/EEI/EBSIA 706-2826 CTLX
da Rosa
Waldir de Melo Mota Junior LMS/OMD/IMAN 704-8989 EPEN
Secretário Técnico
Rodrigo de Castro Ferraz CENPES/GTEC/PIMN 706-3340 UQV6

Você também pode gostar