Você está na página 1de 3

MOMENTO DE ADORAÇÃO EUCARÍSTICA

MARIA SANTÍSSIMA NO MISTÉRIO DA SALVAÇÃO

CANTO INCIAL PARA A EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO

GRAÇAS E LOUVORES ... ( 3 VEZES )

INTRODUÇÃO – O Senhor nos reúne nesta noite, em seu infinito amor, e deseja sempre mais que
O amemos e a Ele nos identifiquemos com a nossa vida, em todo tempo e lugar. Ele permanece
conosco na Eucaristia e deseja que nosso coração busque sempre a vontade do Pai, pois foi assim
que Ele viveu entre nós e foi assim também a vida de sua Mãe, Maria Santíssima. Invoquemos o
Espírito Santo

D - Acompanhemos a leitura do texto bíblico que narra a adesão de Maria ao plano da salvação:

Leitor - Lucas 1, 26 – 38

D – Este evangelho traz como tema central o “sim” de Maria, Aprendemos com ela a nos
colocarmos à disposição de Deus, porém, isto nem sempre é fácil. São muitas as dúvidas, os
medos, as inseguranças.

Voz 1 – Maria nos dá aqui um exemplo de profunda confiança em Deus, embora também tivesse
ficado preocupada, perturbada e com medo ao receber a notícia.

Voz 2 – No entanto, o Anjo trata logo de tranquilizá-la, dizendo que Deus estava com ela, e isto
bastou para ela se alegrar.

Voz 3 – Com a certeza de que Deus está conosco, temos motivo suficiente para nos alegrar,
mesmo que as coisas que nos cercam, as notícias que recebemos nos assustem.

D – Pequena pausa – reflexão – canto

D – O encorajamento do Anjo a Maria se resume nas seguintes expressões :

Lado 1 – “Não tenhas medo !” “Você encontrou graça diante de Deus “. “O Espírito Santo virá
sobre você”.

Lado 2 -- “O poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra” . “Para Deus nada é impossível”.

Voz 1 – Diante desses encorajamentos, ela se coloca à disposição de Deus.

D – Aprendemos com Maria a nos colocarmos com fé e confiança diante de Deus, deixando que
Ele guie nossa vida e faça em nós segundo a vontade Dele. Quando fazemos essa entrega
confiante, tudo caminha bem, conforme seus propósitos.

Voz 2 – No entanto, isso não quer dizer que não iremos enfrentar desafios e obstáculos. Haverá
muitos, mas teremos também coragem e força para vencê-los.

D – Rezemos juntas – “Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; Bendita sois entre ...
D – Continuemos acompanhando a vida de Maria, nesse momento histórico de sua vida.

Leitor – Lucas 1, 39 – 45 - breve pausa

D – Esse texto bíblico nos traz alguns dados importantes para a nossa vida de oração e de vivência
da fé, e que precisam ser resgatados. Por que Maria vai com tanta pressa à região montanhosa ?
Quem Isabel e Zacarias representam ? O que representou o gesto de Maria ? Atentos a estas
questões , podemos entender melhor o texto e extrair alguns ensinamentos para a nossa vida.

Voz 3 – A pressa de Maria significa a urgência da situação. Há situações que não podem esperar.
Isabel e Zacarias representam a categoria dos excluídos. Eles tinham idade avançada, e Isabel era
estéril. Naquela época ,quem não gerasse filhos era tido como amaldiçoado por Deus e excluído
da comunidade, tendo que ir morar nas periferias, em lugares afastados. A região montanhosa
representava lugar de exclusão, mas também de manifestação de Deus.

Voz 1 – Temos hoje muitas “regiões montanhosas”. São os locais que sobram para os pobres e
demais excluídos morarem. Assim, a pressa de Maria mostra que é urgente irmos ao encontro de
quem está precisando ; de quem é marginalizado; daqueles cuja vida corre risco.

Voz 2 – Entendemos aqui o motivo da pressa de Maria. Ela nos ensina a urgência da missão , a
urgência em socorrer as pessoas que sofrem; a urgência em solucionar determinadas situações
que não podem esperar.

Voz 3 – Não podemos ficar de braços cruzados quando há tantos irmãos e irmãs passando por
dificuldades. Não podemos nos acomodar dentro dos nossos espaços, quando lá fora há clamores
de Deus nas pessoas que sofrem.

Todas – Quando vamos ao encontro dos necessitados para ajudá-los, somos portadores de Deus e
nosso gesto de solidariedade é epifânico, pois revela Deus.

D – Através de gestos de solidariedade, Deus se manifesta. Quando Maria chega e cumprimenta


Isabel, a criança estremece no seu ventre e ela, cheia do Espírito Santo, reconhece que Maria é
portadora de Deus.

Todas – Deus reconhece Maria como a bem – aventurada, a agraciada, /porque ela acreditou/.
Quem acredita em Deus/ e segue sempre seus caminhos, /ouvindo e colocando em prática sua
Palavra,/ é feliz e faz os outros felizes.

D – Voltemo-nos para o Senhor e rezemos juntas - Todas - Senhor, ajudai-me a perceber as


necessidades de meus irmãos e irmãs,/ e a não ser indiferente a elas. /Que eu possa me colocar ,
sempre à disposição para servir/, indo ao encontro dos que necessitam, /dos distanciados e de
todos aqueles que se desviaram do seu caminho./ Dai-me a força necessária para ser,/a exemplo
de Maria, /verdadeira discípula missionária. Amém. ( Pequena pausa para reflexão/partilha).

D – Certamente, neste momento, nosso coração exulta, está repleto de alegria por tudo o que o
Senhor realizou e continua realizando na vida de Maria, nossa Mãe. Então, em dois coros,
rezemos :
1 – Bem- aventurada és tu Maria, porque o Todo-Poderoso te escolheu , desde sempre para ser a
Mãe de seu Filho Unigênito.

2 – Bendita és porque, graças a ti Deus, na plenitude dos tempos, assumiu nossa natureza.
Bendita és por seres a Mãe de Deus, feito homem.

1 – Bem-aventurada és tu, Maria, porque o Senhor te cobriu com sua sombra , e em ti se fez o
milagre, pelo qual Deus se fez homem.

2 – Bendita és porque graças a ti /a história da humanidade chegou à sua plenitude/ com a vida
do Filho de Deus em ti./ Bendita és porque teu Filho é obra do Espírito Santo.

1 – Bem – aventurada és tu, Maria, porque com teu SIM a Deus/ a história mudou,/ porque Deus
assumiu nossa carne e se fez Homem em ti.

2 – Bendita és porque foste o instrumento de Deus / para nossa salvação./ Bendita és porque a
Palavra se fez carne em ti.

1 – Bem-aventurada és tu Maria,/ a Virgem do Faça-se/ porque tua docilidade e disponibilidade/


possibilitaram a Deus dar-nos a vida na vida de seu Filho

2 – Bendita és porque teu SIM, teu Faça-se, transformou a história de Deus e a história dos
homens./ Bendita és porque és a Mãe da nova criação.

D – Pequena pausa de reflexão e/ou partilha.

Canto final

Você também pode gostar