Você está na página 1de 3

Desafios da educação a

distância no Brasil
ARTIGO

*José Moran
A educação a distância A EAD é ainda pouco reco-
está se transformando, de uma nhecida, apoiada nas instituições
modalidade complementar ou superiores. Só dez por cento atua
especial para situações espe- na modalidade a distância. Em
cíficas (cursos técnicos, edu- muitas, a EAD não tem pouco po-
cação de jovens e adultos), em der, recursos e representatividade
referência para uma mudança organizacional. Muitas áreas de
profunda na educação como um conhecimento, como as da saúde,
todo. É uma opção importante confundem educação a distância
para cursos de curta e longa com cursos só pelo computador
duração, para os vários níveis e se posicionam contra, de uma
de ensino, para a educação forma simplista. É possível ter
formal e informal, a educação qualquer curso, em qualquer área,
continuada, a profissional, a incluso a medicina com modelos
corporativa. parcialmente a distância. Ninguém
Cresce a percepção de que um país do tama- imagina um curso na saúde, sem laboratórios e
nho do Brasil só conseguirá superar sua defa- práticas. Mas isso não justifica um veto frontal
sagem educacional por meio do uso intensivo de à EAD. É contraditória a postura da Ordem dos
tecnologias em rede, da flexibilização dos tempos Advogados do Brasil que veta praticamente a gra-
e espaços de aprendizagem, e da gestão integrada duação a distância num curso que no presencial
de modelos presenciais e digitais. A educação é oferecido oralmente, com poucos recursos. Por
a distância está modificando todas as formas que não pode ser feito a distância, desde que o
de ensino e aprendizagem, inclusive as presen- projeto seja consistente e com bons profissionais?.
ciais, que utilizarão cada vez mais metodologias Há Conselhos Federais de classe que criticam a
semipresenciais, flexibilizando a necessidade EAD de uma forma generalizada e simplista. Eles
de presença física, reorganizando os espaços e têm razão quando criticam cursos a distância
tempos, as mídias, as linguagens e os processos sem qualidade, como se fossem puramente a la
presenciais e digitais. carte, sem nenhum apoio de bons profissionais,
A EAD está associada há décadas no Brasil mas afirmam nas entrelinhas que nenhum curso
ao ensino técnico, à formação rápida de traba- a distância possam equiparar-se aos presenciais.
lhadores, ao ensino supletivo, a uma segunda As últimas avaliações desmentem a alegada
oportunidade de aprender, a ensino para quem diferença entre resultados dos alunos de curso
mora longe (democratização de acesso). O Brasil presencias e a distância. Em média, os alunos
entrou no ensino superior a distância há pouco de EAD se saem dois por cento melhor do que
mais de dez anos, enquanto que a maior parte dos no presencial, no Enade, entre 2007 e 2009.


países já a pratica há mais de cinquenta. Mesmo
assim, mais de um milhão de alunos, vinte por
cento de todos os alunos de ensino superior, es- ...Um país gigantesco como
tudam a distância. Há um mercado inexplorado o Brasil precisa de muitas mais
de milhões de adultos que não puderam estudar,
quando mais jovens, ou que agora podem fazê-lo
instituições que ofereçam todas
ou precisam de um diploma por terem mudado as opções possíveis de cursos
de área profissional ou porque querem melhorar a distância, para poucos e para


suas vidas.
muitos alunos...
RCN
14

RCN_12_janeiro_.indd 14 05/01/2012 12:03:32


Não é um resultado espetacular , mas mostra
que é possível preparar alunos com qualidade. A
divulgação desses dados de forma mais seguida
contribuirá para diminuir o preconceito atual

...Os alunos querem
ser tratados de forma mais
individualizada. Caminhamos
de uma parte da sociedade. Temos problemas de uma EAD mais industrial,
no mestrado e doutorado, onde é muito difícil

ARTIGO
aprovar um programa a distância na Capes, com massiva, de produto pronto, igual
exceção de dois tímidos mestrados profissionais para todos, para modelos bem


em universidades públicas. mais flexíveis...
A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMO OPÇÃO
fácil de conseguir, depende de sinergia de valores
ESTRATÉGICA – Um país gigantesco como o
e capacidade de gerenciar diferenças pessoais e
Brasil precisa de muitas mais instituições que
institucionais. Só parcerias bem sucedidas podem
ofereçam todas as opções possíveis de cursos a
enfrentar, a médio prazo, os grandes grupos que
distância, para poucos e para muitos alunos, com
atuam nacionalmente.
modelos mais ao vivo e outros gravados, com mais
O avanço impressionante de computadores e
ou menos tutoria, dependendo do tipo de curso
tablets está personalizando claramente o proces-
e de aluno.
so de aprendizagem. Não podemos dar o mesmo
A EAD é cada vez mais complexa, porque está
conteúdo e atividades para todos, no mesmo
crescendo em todos os campos, atendendo mais
ritmo. Os alunos querem ser tratados de forma
pessoas, com modelos diferentes, num cenário de
mais individualizada. Caminhamos de uma EAD
dramáticas mudanças tecnológicas, de mobilidade
mais industrial, massiva, de produto pronto, igual
e de processos.
para todos, para modelos bem mais flexíveis, que
Temos modelos de EAD de alta escalabilidade,
combinam o melhor do percurso individual com
com transmissão de aulas por satélite, que se ex-
momentos de aprendizagem em grupo, de colabo-
pandem nacional e internacionalmente e atendem
ração intensa.As tecnologias WEB 2.0, gratuitas
cada vez a mais alunos, em mais cidades, perto de
e colaborativas, facilitam a aprendizagem entre
onde eles estão. Desenvolvem cursos mais atuali-
colegas, próximos e distantes. Tudo caminha para
zados, com forte interação audiovisual, variedade
ser mais aberto, ágil, intuitivo (touchscreen ou
de oferta e custos reduzidos. Este é o caminho
telas sensíveis ao toque, como nos tablets). Falta
escolhido por alguns grandes grupos e marcas,
no Brasil melhorar os preços destes equipamentos
que detêm mais da metade de toda a demanda.
(essa perspectiva é próxima) e melhorar a banda
Temos a Educação a distância mais digital,
larga (ainda falta muito).
na WEB, com mais apoio a distância e alguns
momentos presenciais. Algumas instituições
A INTEGRAÇÃO ENTRE O PRESENCIAL E
atendem a um público de maior poder aquisitivo
A DISTÂNCIA – Para que as instituições grandes
e outras a um público de renda
e pequenas possam continuar no
mais baixa.
ensino superior, é importante que
A temos também para aten-
assumam o mesmo modelo de
dimento de segmentos especí-
currículo e oferta no presencial e
ficos, regionais ou temáticos.
no EAD. Que elaborem um pro-
As instituições atuam em áreas
jeto estratégico único e integra-
com competência comprovada.
do, que permita a sinergia entre
Focam públicos definidos. É a
equipes, metodologias, conteúdo,
opção viável para a maior parte
infraestrutura, marketing.
das instituições.
O caminho é o da convergên-
Um caminho possível e até
cia em todos os campos e áreas:
agora não bem sucedido é o
prédios (EAD também dentro de
de participar de consórcios e
unidades presenciais – pólos);
parcerias. Já foi tentado várias
integração de plataformas digi-
vezes. É importante, mas não

RCN
15

RCN_12_janeiro_.indd 15 05/01/2012 12:03:32


“ ...Os alunos poderão
escolher o modelo que mais lhes
50% a distância. Cada instituição terá de definir
qual é o ponto de equilíbrio entre o presencial e o
virtual, de acordo com cada área do conhecimento.
convier, aprenderão mais e as Isso porque há disciplinas que necessitam mais
ARTIGO

instituições poderão oferecer da presença física, como as que utilizam labora-


tório ou interação corporal (dança, teatro etc.). O
um ensino de qualidade, importante é experimentar várias soluções nos
moderno e dinâmico, a um diversos cursos.


custo competitivo... Sem esse balanceamento, a educação não
conseguirá avançar no ritmo necessário para
tais; produção digital de conteúdo integrada (os acompanhar a progressiva complexificação da
mesmos materiais para as mesmas disciplinas do sociedade e das aceleradas mudanças que todos
mesmo currículo). experimentamos. Em todos os currículos, as dis-
Isso favorece a mobilidade de alunos e profes- ciplinas mais centradas no conteúdo podem ser
sores. Alunos podem migrar de uma modalidade semi-presenciais. Só as de laboratório, de práti-
para outra sem problemas, podem fazer algumas cas podem ser mais presenciais e, mesmo essas,
disciplinas comuns – alunos podem ser pensadas de forma
a distância e presenciais cur- diferente (laboratórios digitais, in-
sando disciplinas comuns. Pro- tegrados, ao menos parcialmente).
fessores podem participar das A conjugação de inovação e
duas modalidades e ter maior redução de custos é poderosa e
carga docente. Isso permite possível. As instituições que im-
maior interoperabilidade de plantam um modelo, que equilibre
processos, pessoas, de produ- economia com inovação, serão
tos e metodologias, com grande vencedoras e avançarão muito
escalabilidade, visibilidade e mais rapidamente do que as que
redução de custos. Os alunos continuem repetindo, ano após
poderão escolher o modelo que ano, o mesmo modelo convencional
mais lhes convier, aprenderão ultrapassado.
mais e as instituições poderão Encontramo-nos no meio de
oferecer um ensino de qualida- muitas mudanças, em uma fase
de, moderno e dinâmico, a um custo competitivo. em que temos que repensar a educação como um
O sistema bi-modal, semi-presencial – parte todo, em todos os níveis e a legislação da educa-
presencial e parte a distância – se mostra o mais ção a distância é bastante detalhista e restritiva.
promissor para o ensino nos diversos níveis. Com- Precisamos ter sensibilidade legal para evitar uma
bina o melhor da presença física com situações asfixia burocrática numa fase de grandes mudan-
em que a distância pode ser mais útil, na relação ças, e ao mesmo tempo sinalizar alguns limites
custo-benefício. Nos cursos presenciais poderí- para cada momento histórico. Estamos numa área
amos flexibilizar a relação presencial-digital de onde conceitos como o de espaço, tempo, presença
forma progressiva. No primeiro ano, as atividades (física/virtual) são muito mais complexos e que
aconteceriam mais na sala de aula. Haveria uma exigem uma atenção redobrada para superar mo-
ênfase maior na aprendizagem do uso das tecno- delos convencionais, que costumam servir como
logias digitais feito no laboratório até o aluno ter parâmetro para avaliar situações novas.1
o domínio do virtual e poder fazê-lo a distância.
Vale a pena rediscutir o limite de 20% de
disciplinas online, imposto pelo MEC. Por que 20 *Diretor de Educação a Distância da Universidade Anhanguera - Uniderp
1
Estes temas são mais aprofundados nos meus livros A educação que dese-
e não 30 ou 50? As instituições poderiam flexi- jamos: novos desafios e como chegar lá da Papirus Editorial (5ª ed, 2011) e
bilizar seus currículos até chegar a uma carga em Educação a Distância: Pontos e Contrapontos (Summus Editorial, 2011).
Tem mais textos sobre o tema nas minhas páginas web: https://sites.google.
horária média de 50% para aulas presenciais e com/a/aesapar.com/moran/ e www.eca.usp.br/prof/moran

RCN
16

RCN_12_janeiro_.indd 16 05/01/2012 12:03:32