Você está na página 1de 13

Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

FISIOTERAPIA NO PÓS OPERATÓRIO DE MASTECTOMIA:


REVISÃO DE LITERATURA

Juliana Cafezeiro
Sinara Melo
Lorena Arruda
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

Salvador-Bahia
Brasil
2010
ESCOLA BAHIANA DE MEDICINA E SAÚDE PÚBLICA
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA HOSPITALAR

Juliana Cafezeiro, Sinara Melo e Lorena Arruda

FISIOTERAPIA NO PÓS-OPERATÓRIO DE MASTECTOMIA

Trabalho final apresentado ao Curso de Especialização em


Fisioterapia Hospitalar, para obtenção do título de Especialista.

Autor:
JULIANA CAFEZEIRO
SINARA MELO

Orientador:
LORENA ARRUDA

Salvador-Bahia
Brasil
2010
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

FISIOTERAPIA NO PÓS OPERATÓRIO DE MASTECTOMIA: REVISÃO DE LITERATURA***

PHYSICAL THERAPY IN POSTOPERATIVE MASTECTOMY: LITERATURE REVIEW***

JULIANA CAFEZEIRO*, SINARA MELO*, LORENA ARRUDA**


*Fisioterapeuta, graduada pela UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR;
**Fisioterapeuta, mestranda em Medicina e Saúde Humana pela FUNDAÇÃO BAHIANA PARA
DESENVOLVIMENTO DAS CIÊNCIAS (FBDC);
*** Trabalho de Conclusão da Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar - EBMSP

RESUMO
O câncer de mama é uma doença crônica-degenerativa com evolução prolongada e progressiva que acomete
principalmente as mulheres, sendo o segundo tipo de câncer mais freqüente no mundo; porém se detectado
precocemente, tem grandes chances de cura. A mastectomia é o procedimento mais usado como forma de
tratamento, podendo culminar em complicações funcionais pós-operatórias que são tratadas pela fisioterapia. O
objetivo deste estudo foi revisar na literatura a atuação da Fisioterapia no pós operatório de mastectomia, bem
como as complicações cirúrgicas e o impacto na capacidade funcional das mulheres submetidas à cirurgia. A
pesquisa foi efetuada através de busca nas bases de dados LILACS, PubMed e SciELO, sendo selecionadas 19
publicações entre período de 2000 a 2010, sendo ainda pesquisados quatro livros textos, uma monografia e
estatísticas do Ministério da Saúde. Dentre os recursos fisioterapêuticos utilizados como tratamento estão a
cinesioterapia, a estimulação elétrica, a terapia física complexa (TFC), a drenagem linfática manual (DLM), os
cuidados com a pele e a compressão pneumática. Os trabalhos analisados mostraram a importância da
Fisioterapia no tratamento e no cuidado precoce de mulheres mastectomizadas, através da amenização das
seqüelas e oferecimento de qualidade de vida para as pacientes.

PALAVRAS-CHAVE: Mastectomia, Fisioterapia, Câncer de mama.

ABSTRACT
Breast cancer is a chronic degenerative and progressive with a prolonged course that affects mainly women,
being the second most common type of cancer worldwide; but when detected early, there is a high chance of
cure. The mastectomy is the procedure most commonly used as treatment, and may lead to functional
postoperative complications should be treated by early physiotherapy. The aim of this study was to review
literature on the role of physiotherapy in the postoperative period after mastectomy, as well as complications and
impact on functional capacity of women undergoing this surgery. The research was conducted by searching the
databases LILACS, SciELO and PubMed, and selected 19 articles from the period 2000 to 2010 and is still
studied four textbooks, one monograph and statistic of the health´s ministry. Among the resources used as
physical therapy treatment is exercise, electrical stimulation, physical therapy complex (TFC), manual lymphatic
drainage (MLD), the Skin Care and pneumatic compression. Several studies have shown the importance of
physiotherapy in the treatment and care early in women who had mastectomies through the softening of sequels
and offering life quality for patients.

KEYWORDS: Mastectomy, Physiotherapy, Breast cancer.

_________________________________________________________________________________
caracterizada pela sobreposição celular, com
INTRODUÇÃO células anormais originadas de células
normais1. A doença apresenta- se como um
O câncer de mama é uma doença crônico- grave problema de saúde pública em todo o
degenerativa de evolução prolongada e mundo, e, no Brasil, é a neoplasia maligna
progressiva, de alto poder de propagação, mais incidente na população feminina,
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

estimando que ao final de 2010 haja 49.240 mastectomia, a remoção do músculo peitoral
casos novos2 . maior resulta em queda da força e função do
membro superior envolvido, além de um
Segundo o Instituto Nacional do Câncer possível trauma do nervo torácico longo,
(INCA), o câncer de mama é o segundo mais fraqueza do músculo serrátil anterior, com
freqüente no mundo, e o mais comum entre as conseqüentes alterações na estabilização e
mulheres, sendo que a cada ano, representam rotação da escápula para cima, limitando a
cerca de 22% dos casos novos na população abdução ativa do braço4.
feminina2. A Organização Mundial da Saúde
estima que, por ano, haja mais de 1.050.000 A atuação fisioterapêutica utiliza-se de
novas ocorrências da patologia em todo o recursos capazes de intervir na recuperação
mundo. funcional da cintura escapular, do membro
superior envolvido e da profilaxia de seqüelas
No Brasil, informações processadas pelos como retração, aderência cicatricial e de
Registros de Câncer de Base Populacional, complicações como fibrose e linfedema5,6,7. O
disponíveis para 16 cidades brasileiras, tratamento fisioterapêutico deve-se iniciar o
mostram que as taxas de mortalidade por mais precocemente possível a fim de prevenir
câncer de mama são elevadas, provavelmente complicações tais como as dores e espasmos
porque a doença ainda é diagnosticada em musculares cervicais resultantes da reação de
estágios avançados2. Na população mundial, a defesa muscular pós-cirurgia, e a restrição da
sobrevida média após cinco anos é de 61%, movimentação ativa de ombro4.
sendo que para países desenvolvidos essa
sobrevida aumenta para 73%, ao passo que A intervenção precoce da fisioterapia, aplicada
nos países em desenvolvimento fica em 57%2. ainda no ambiente hospitalar, não só ajuda a
prevenir as complicações pós-cirúrgicas, como
Os tumores pequenos, detectados e também reabilita as pacientes mais cedo para
localizados precocemente, podem ser as atividades da vida diária (AVD), e ainda,
tratados com sucesso com cirurgia, permite a elas que possam se valer da
radioterapia, quimioterapia e terapia hormonal. colaboração e do incentivo da equipe médica
Embora o uso crescente da radioterapia no para o tratamento8
tratamento primário tenha permitido maior
emprego de cirurgia que conservem as O objetivo deste trabalho foi revisar na
mamas, a mastectomia é o procedimento literatura a atuação da Fisioterapia no pós-
cirúrgico mais usado para o tratamento da operatório de mastectomia, bem como as
doença3. complicações e o impacto na capacidade
funcional das mulheres submetidas à cirurgia.
A fisioterapia deve ser incluída no
planejamento da assistência para a ASPECTOS METODOLÓGICOS
reabilitação física no período pós- operatório
do câncer de mama, uma vez que, na O presente estudo tratou-se de uma revisão
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

descritiva da literatura, através do uso de nos Registros de Câncer de Base


publicações científicas entre os anos de 2000 Populacional de diversos continentes2.
e 2010, selecionadas a partir de buscas nas
Impacto dos Procedimentos Terapêuticos
bases de dados eletrônicas da BVS (Biblioteca
A mastectomia é o procedimento cirúrgico
Virtual em Saúde) e Pubmed, através da
mais utilizado para o tratamento do câncer na
utilização das palavras-chaves:
mama, consistindo na retirada parcial ou total
Mastectomia/Mastectomy,
da mesma. Assim, têm-se como tipos de
Fisioterapia/Physiotherapy e Câncer de
cirurgia: radical, simples, segmentar ou
mama/Breast neoplasms. Foram encontrados
quadrantectomia e lumpectomia3.
289 artigos, sendo escolhidos 19 que
abordavam as condutas fisioterapeuticas
propriamente ditas. Houve ainda pesquisas Na mastectomia radical, há retirada da mama,
em quatro livros textos e uma monografia, dos músculos peitorais, da fáscia torácica e
além das bases estatísticas do Ministério da dos linfonodos axilares, seguida por
Saúde. Incluíram-se trabalhos que abordavam quimioterapia e radioterapia da área envolvida,
o câncer de mama e a Fisioterapia no pós- ao passo que, na mastectomia simples, há
operatório de mastectomia, sendo excluídos apenas a remoção da mama com utilização da
aqueles que citavam programas de radiação para diminuir a ocorrência regional
reabilitação fisioterapêutica apenas a nível da doença. Já na mastectomia segmentar ou
ambulatorial. quadrantectomia, retira-se apenas o quadrante
da mama afetada3.
O CÂNCER DE MAMA: ABORDAGENS
TERAPÊUTICAS E COMPLICAÇÕES. Há ainda a lumpectomia, que consiste na
excisão da massa e parte do tecido mamário
ao redor. Os procedimentos conservadores
O câncer de mama é temido pelas mulheres
que preservam uma parte da mama são
devido à alta freqüência e aos efeitos
utilizados para pacientes com câncer nos
psicológicos, que afetam a percepção da
estágios iniciais3.
sexualidade e a própria imagem pessoal. É
relativamente raro antes dos 35 anos de
Complicações das Terapêuticas
idade, mas acima desta faixa etária a
incidência cresce progressivamente2.
A mastectomia, sobretudo acompanhada da
A doença representa nos países ocidentais
radioterapia, pode determinar complicações
uma das principais causas de morte em físicas, imediatas ou tardiamente à cirurgia,
mulheres2. As estatísticas indicam o aumento tais como limitação e diminuição de
de sua freqüência tantos nos países
movimentos de ombro e braço, linfedema
desenvolvidos quanto nos países em
associado à sensação dolorosa no ombro,
desenvolvimento. Segundo a Organização variados graus de fibrose da articulação
Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 80
escapuloumeral, parestesias e limitações da
e 90 registrou-se um aumento de 10 vezes
expansibilidade torácica, as quais a
nas taxas de incidência ajustadas por idade
Fisioterapia deve atuar precocemente10.
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

mesmo estudo, percebeu-se que algumas


Batiston & Santiago11, 2005, relataram como pacientes também desenvolveram alterações
complicações funcionais em 160 mulheres na cabeça, membros superiores, tronco, pelve,
mastectomizadas a limitação do movimento do membros inferiores e na coluna vertebral,
ombro (61,9%), dor (32,5%), linfedema modificações estas que podem ocorrer devido
(29,4%), aderência cicatricial (3,1%) e a comprometimentos anátomo-fisiológicos,
alterações sensitivas (2,5%); cerca de 20% como encurtamentos, retrações e fraqueza
das mulheres não apresentavam muscular.
complicações. No mesmo estudo, os autores
perceberam que a perda da amplitude de Outra complicação observada foi o linfedema,
movimento ocorre por causa da dor e do medo que consiste em um acúmulo excessivo de
durante a cinesioterapia no período do pós- linfa, fluido, proteínas extravasculares e
operatório imediato. extracelulares nos espaços intersticiais
causado pela alteração no sistema linfático3.
A limitação do movimento do ombro foi uma Erickson et al 13, 2001, em estudo de revisão
das complicações funcionais mais relatadas sobre edema de membros superiores em
pelas mulheres nos estudos selecionados. mulheres portadoras de câncer de mama,
Silva et al9, 2004, realizaram pesquisa que observaram uma alta incidência de linfedema
comparou um grupo de sujeitos que após procedimentos cirúrgicos e terapias
realizaram exercício livre e outro realizando adjuvantes, relatando ainda que uma entre
exercício limitado a 90° nos primeiros 15 dias quatro mulheres desenvolvem a complicação
de pós-operatório de mastectomia com funcional do membro superior após
linfadenectomia axilar; após 42 dias as médias tratamento. Batiston & Santiago11, 2005,
de flexão e abdução do ombro foram observaram que o linfedema estava presente
semelhantes nos dois grupos, porém houve em 29,4% das 160 pacientes estudadas.
maior déficit de flexão e abdução no grupo
limitado a 90º. Baraúna et al4, 2004, em A postura corporal da mulher portadora de
estudo com 29 pacientes, também puderam câncer de mama que se submete à
observar, através do método de avaliação da intervenção cirúrgica também sofre com
biofotogrametria, uma diminuição de amplitude freqüência muitas alterações12. As pacientes,
de movimento para flexão, extensão e na tentativa de esconder ou disfarçar a
abdução do ombro homolateral à cirurgia, ausência da mama, aliada a sensação de
quando comparado ao segmento contralateral. mutilação e modificação da imagem corporal,
tendem a apresentar alterações posturais,
Bulgarelli et al11, 2005, observaram em devido à dor e fraqueza muscular, que se não
estudo, que na goniometria de ombro das tratadas podem culminar em deformidades
pacientes mastectomizadas, tanto nos irreversíveis12.
movimentos ativos como passivos, houve
uma significativa diminuição na amplitude de Abordagem Fisioterapêutica
movimento de flexão e abdução de ombro. No
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

O tratamento fisioterapêutico tem como Cinesioterapia


objetivos controlar a dor no pós- operatório,
prevenir ou tratar linfedema e alterações A atuação fisioterapêutica deve começar o
posturais, promover o relaxamento muscular, mais precoce possível, sendo que a
manter a amplitude de movimento do membro introdução da cinesioterapia nos primeiros
superior envolvido no mais próximo de 180º de dias após a cirurgia pode trazer inúmeras
flexão e abdução da articulação glenoumeral e vantagens para a paciente, como prevenção
melhorar o aspecto e maleabilidade da do linfedema, de retrações miotendíneas,
cicatriz, prevenindo ou tratando as alívio da dor e melhora funcional do ombro,
aderências8. além do encorajamento ao retorno precoce às
atividades de vida diária11. Silva et al9, 2004,
Importância do tratamento supervisionado mostraram que em mulheres operadas por
câncer da mama, a realização dos exercícios
É de suma importância que a realização de ativos e de alongamento, com amplitude livre
tratamento através de exercícios seja feita desde o primeiro dia de pós-operatório,
com acompanhamento do Fisioterapeuta. permitiu boa recuperação da capacidade
Cinar et al14, 2008, em estudo investigativo funcional do ombro.
sobre os efeitos do programa de inicio precoce
de reabilitação da mobilidade do ombro e Pereira et al8, 2004, após a aplicação de um
capacidade funcional, linfedema e protocolo de tratamento fisioterapêutico em
complicações no pós-operatório de 119 pacientes mastectomizadas, observaram
mastectomia radical, observaram que nas 27 ausência ou pequena restrição de ADM e,
mulheres submetidas a um programa de apenas três evoluções para linfedema; o
reabilitação individual houve melhora na protocolo constava de alongamento passivo
mobilidade e da capacidade funcional quando de membro superior, mobilização escapular,
comparadas às 30 pacientes que seguiram um exercícios passivos, progredindo para ativo-
formulário com exercícios para serem assistidos e ativo-livres de flexão e de
executados em casa. Já Rezende15, 2006, ao abdução de ombro, pompage de trapézio,
dividir dois grupos, sendo que um realizava peitoral maior e menor, posicionamento do
exercícios livres seguindo a biomecânica membro superior homolateral à cirurgia,
fisiológica do ombro e o outro, exercícios acrescentando posterior mobilização da
acompanhados por um profissional, observou cicatriz e auto-massagem. Petito & Gutierrez16,
que aqueles que eram supervisionados 2008, em revisão bibliográfica sobre
obtiveram melhor recuperação nas médias de protocolos de reabilitação pós mastectomia,
flexão, abdução e rotação externa dos definiram em consenso exercícios de
movimentos do ombro em relação ao grupo alongamento, relaxamento da região cervical e
livre. da cintura escapular, flexão, extensão, adução
e abdução dos ombros como condutas
Condutas Fisioterapêuticas: adequadas para a reabilitação.
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

Estimulação elétrica abcessos, 87 receberam TENS de alta


freqüência, baixa intensidade e pulso de 200
A estimulação elétrica vem sendo utilizada na μs por uma hora, havendo, ao final de cinco
prática clínica como uma das alternativas para dias, menor incidência de necrose e equimose
a redução do edema em pacientes no pós- da pele quando comparados ao grupo que não
operatório de mastectomia, além de visar o recebeu a intervenção.
fortalecimento muscular, analgesia e
cicatrização de feridas17. A corrente de alta Terapia Fisica complexa
voltagem, através de uma forma de onda
monofásica de pico duplo, com uma duração A forma de tratamento que se mostra mais
de até 200 μs,e uma tensão superior a 100 eficaz para pacientes com linfedema é a
volts, afeta a formação de edema por reduzir a Terapia Física Complexa (TFC) desenvolvida
permeabilidade na microcirculação, evitando a por Foldi Leduc, que consiste de drenagem
migração de proteínas para o espaço linfática manual (DLM), cuidados com a pele,
intersticial, havendo efeitos também sobre o compressão e exercícios miolinfocinéticos,
sistema vascular, pois a contração rítmica e o que visam a ativação da atividade muscular e
relaxamento muscular decorrentes da a recuperação da amplitude de movimento
estimulação têm um efeito de bombeamento, articular, tendo como princípio a drenagem do
aumentando o fluxo sangüíneo no músculo e líquido intersticial acumulado no membro
tecidos vizinhos, auxiliando a redução do afetado19. A forma de aplicação sofre
edema17. modificações a depender do quadro clínico do
paciente20.
Garcia et al17, 2007, em estudo realizado com
uma mulher submetida à mastectomia bilateral A TFC consiste de duas fases; a intensiva,
seguida de terapia adjuvante, obtiveram cuja freqüência do tratamento é maior, sendo
resultados que apontaram para diminuição do o líquido do espaço intersticial drenado, e as
linfedema; a estimulação elétrica foi aplicada alterações teciduais fibroescleróticas
duas vezes por semana, no decorrer de sete regredidos, e a de manutenção onde após a
semanas em sessões de 20 minutos cada, inexistência de edema mobilizável, obtém-se a
utilizando-se corrente pulsada com alta regressão do tecido cicatricial 21,22.
voltagem, monopolar (negativa), 50 Hz, modo
de estimulação sincronizado, relação on/off de Drenagem linfática manual
3:9 segundos, rise/decay 2:1 segundos, e
voltagem necessária para contração muscular, A drenagem linfática manual (DLM) consiste
aumentada gradualmente. Atalay & Yilmaz18, na movimentação de fluidos através de canais
2009, investigaram o efeito da estimulação linfáticos, para reduzir o edema e melhorar o
elétrica nervosa transcutânea (TENS) como uso funcional dos membros envolvidos em
prevenção e tratamento de possíveis áreas de mulheres mastectomizadas3. É necessária
necrose; das 173 mastectomizadas que uma pressão exercida no sentido do fluxo e
apresentavam infecção de ferida operatória e dos linfonodos proximais, de modo que o
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

deslocamento de fluido ocorre pela diferença abrasivos e produtos químicos, prevenindo


pressórica aplicada nos vasos linfáticos e no lesões e infecções.
interstício, provocando o retorno da linfa aos
vasos linfáticos e sangüíneos19, sendo que, Compressão pneumática
nos tecidos já fibrosados, deve-se aplicar
movimentos com maior pressão 20,22. Camargo Compressão pneumática é uma terapia de
e Marx et al 5, 2000, relataram que a DLM pressão com bombas de ar comprimido, que
deverá ser iniciada no pós-operatório imediato, objetiva pressionar o membro edemaciado,
a fim de diminuir a quantidade de líquido sendo composta por luvas ou botas21. Existem
drenado e melhorar a reabsorção linfática dois tipos de compressão pneumática; a
pelas vias colaterais naturais. estática ou não segmentar, onde é exercida
uma pressão contínua, porém não sendo
Kligman et al23, 2004, em revisão sistemática usada com grande freqüência, uma vez que
sobre tratamento de mulheres submetidas à promove o colapso dos vasos linfáticos e
mastectomia, relataram haver apenas prejudica o sistema venoso e a dinâmica ou
pequenos indícios sobre o efeito da DLM no segmentar, que possui uma drenagem mais
linfedema. Já Willians et al24, 2002, ao eficaz através de três compartimentos que
realizarem estudo controlado randomizado insuflam no sentido distal para proximal,
com 31 mulheres mastectomizadas produzindo assim o influxo da linfa21.
submetidas à tratamento com DLM,
observaram uma redução significativa do A compressão pneumática é indicada como
edema, além de melhora em vários parte do programa de tratamento, porém,
parâmetros de qualidade de vida e sintomas devido à inexistência de consenso em relação
associados, tais como dispnéia, distúrbios do aos parâmetros e indicações clínicas para seu
sono, irritação e depressão. uso, sugere-se cautela para não provocar
lesões nas estruturas linfáticas, não existindo
Cuidados com a pele regras claras da utilização quanto ao número,
freqüência de sessões, pressão empregada e
É de fundamental importância que haja indicações clínicas19. Alguns autores20,21
cuidados com a pele do membro homolateral consideraram o uso do equipamento como
de pacientes mastectomizadas com retirada sendo ineficaz e perigoso, pois tratam-se de
de linfonodos, a fim de prevenir infecções capilares linfáticos pequenos e frágeis, com
bacterianas e micóticas20. possíveis lesões à aplicações indiscriminadas
e com altas pressões.
Leal et al21, 2009, recomendaram que além de
manter a pele limpa, hidratada e elástica, Há também a utilização de mangas elásticas
deve-se ter cautela na realização de compressivas com pressões que variam entre
atividades de vida diária tais como cozinhar, os 30 e 60 mmHg. Veiros et al25, 2007,
costurar, na jardinagem, no corte de unhas e recomendam a utilização da manga elástica
na depilação, além de evitar contato com durante as 24 horas do dia, porém, Harris et
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

al, 2001, apud Veiros et al25, 2007,


aconselham a utilização apenas durante a
posição ortostática ou durante a prática de AGRADECIMENTOS
exercício.
Agradeço em primeiro lugar a Deus que
CONSIDERAÇÕES FINAIS iluminou o nosso caminho durante esta
caminhada. Aos nossos pais por sempre
O câncer de mama é a maior causa de morte acreditar em nosso potencial, nos dando força
feminina no Brasil e no mundo. Sua forma de e coragem. Aos colegas e amigos que embora
tratamento cirúrgico, a mastectomia, é uma não tivessem conhecimento, iluminaram de
abordagem que causa grande impacto não só maneira especial os nossos pensamentos me
funcional, como também físico, psicológico, levando a buscar cada vez mais
social e profissional, sendo necessária a conhecimentos. A nossa orientadora Lorena
atuação de uma equipe multidisciplinar na Arruda pelos conselhos sempre bem
assistência das pacientes. aproveitados.

A atuação da Fisioterapia é de fundamental REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


importância, pois através de um conjunto de
abordagens terapêuticas é capaz de melhorar
a qualidade de vida, amenizando seqüelas das
1. Guirro EC, Guirro RR. Fisioterapia
dermato-funcional: fundametos,
complicações e facilitando a recuperação recursos, patologia. 3.ed. São Paulo:
funcional da mulher mastectomizada, com Manole, 2004;
conseqüente retorno às Movimento do 2. Brasil. Ministério da Saúde. Instituto
Nacional de Câncer. Estimativa 2010:
ombro após cirurgia por carcinoma incidência de câncer no Brasil /
invasor da mama: estudo randomizado Instituto Nacional de Câncer. – Rio de
Janeiro: INCA, 2009. [online] [citado
prospectivo controlado de exercícios livres 19 de maio de 2010]. Disponível em:
versus limitados a 90° no pós-operatório http://www1.inca.gov.br/estimativa/20
10;
atividades de vida diária e re-inserção à vida 3. Kisner C; Colby LA. Exercícios
social. terapêuticos: fundamentos e técnicas. 4
ed. Barueri, São Paulo: Manole, 2005;
No entanto, é cada vez mais necessário que
4. Baraúna MA, Canto RS, Schulz E et al.
Avaliação da amplitude de movimento
não só os fisioterapeutas, mas toda a equipe do ombro em mulheres
multidisciplinar de saúde atue no sentido de mastectomizadas pela biofotogrametria
incentivar as mulheres a detectar a doença o computadorizada. Revista Brasileira de
mais precocemente possível, uma vez que
Cancerologia 2004; 50(1): 27-31;
5. Camargo MC, Marx AG. Reabilitação
quanto mais cedo o câncer de mama é física no câncer de mama. São Paulo:
descoberto e mais cedo o tratamento é Editora Roca; 2000;
iniciado, maiores são as chances de cura. 6. Chang JH, Vinis E, Bertsch H et al.
The impact of a multidisciplinary
breast cancer center on
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

recommendations for patient Tumori, 92: 55-61, 2006;


management. Cancer. 2001; 16. Petito EL, Gutiérrez MG. Elaboração e
91(7):1231-7; validação de um programa de
7. Herd-Smith A, Russo A, Muraca MG exercícios para mulheres submetidas à
et al. Prognostic factors for cirurgia oncológica de mama. Revista
lymphedema after primary treatment of Brasileira de Cancerologia 2008; 54(3):
breast carcinoma. Cancer. 2001 Oct 275-287;
1;92(7):1783-7; 17. Garcia LB, Guirro EC, Montebello MI.
8. Pereira CM, Vieira E, Alcântara PS. Efeitos da estimulação elétrica de alta
Avaliação de protocolo de fisioterapia voltagem no linfedema pós-
aplicado a pacientes mastectomizadas mastectomia bilateral: estudo de caso.
a Madden. Rev Bras de Cancerologia Fisioter. pesqui 2007;14(1):67-71;
2005; 51(2): 143-48; 18. Atalay C, Yilmaz KB. The effect of
9. Silva MP, Derchain SF, Rezende L et transcutaneous electrical nerve
al.. Rev Bras Ginecol Obstet. 2004; stimulation on postmastectomy skin
26(2): 125-30; flap necrosis. Breast Cancer Res
10. Prado MA, Mamede MV, Almeida AM Treat. 2009 Oct;117(3):611;
et al. A prática da atividade física em 19. Squarcino IM, Borrelli M, Sato MA.
mulheres submetidas à cirurgia por Fisioterapia no linfedema secundario a
câncer de mama: percepção de mastectomia. Arq Med ABC 2007;
barreiras e benefícios. Revista latina 32(Supl. 2): 64-7;
americana de enfermagem 2004; mai- 20. Andrade MFC. Linfedema. In: Pitta
jun 12: 494-502; GBB, Castro AA, Burihan E, editores.
11. Batiston AP, Santiago SM. Angiologia e cirurgia vascular: guia
Fisioterapia e complicações físico- ilustrado. Maceió: UNCISAL/ECMAL
funcionais após tratamento cirúrgico & LAVA; 2003. Disponível em:
do câncer de mama. Fisioterapia e http://www.lava.med.br/livro;
Pesquisa 2005; 12 (3): 30-35; 21. Leal NF, Carrara HH, Vieira KF et al.
12. Bulgarelli F, Brongholi K, Braz MM. Physiotherapy treatments for breast
Avaliação das alterações posturais em cancer-related lymphedema: a
pacientes submetidas à mastectomia literature review. Rev. Latino-Am
radical modificada. [trabalho de Enfermagem 2009; 17(5) 730-736;
conclusão de curso] Tubarão: 22. Cohen SR, Payne DK,Tunkel RS.
Universidade do Sul de Santa Catarina, Lymphedema Strategies for
Curso de Fisioterapia, Departamento Management. Cancer Supplement
de Fisioterapia; 2003; 2001; 92(4): 980-7;
13. Erickson VS, Pearson ML, Ganz PA et 23. Kligman L, Wong RK, Johnston M et
al. Arm edema in breast cancer al. The treatment of lymphedema
patients. J Natl Cancer Inst 2001 93: related to breast cancer: a systematic
96-111; review and evidence summary. Support
14. Cinar N, Seckin U, Keskin D et al. The Care Cancer 2004 Jun;12(6):421-31;
effectiveness of early rehabilitation in 24. Willians AF, Vadgama A, Franks PJ et
patients with modified radical al. A randomized controlled crossover
mastectomy. Cancer Nurs 2008 Mar- study of manual lymphatic drainage
Apr;31(2):160-5; therapy in women with breast cancer
15. Rezende LF, Franco LR, Rezende MF related lymphoedema. Eur J Cancer
et al. Two exercise schemes in Care 2002; 11(4): 254-61;
postoperative breast cancer: 25. Veiros I, Nunes R, Martins F.
comparison of effects on shoulder Complicações da mastectomia:
movement and lymphatic disturbance. Linfedema do membro superior. Acta
Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

Méd Port 2007; 20: 335-40.


Pós Graduação em Fisioterapia Hospitalar, 2010

Tipo de publicação: revisão de literatura


Fundação Bahiana de desenvolvimento das Ciências (FBDC)

Fundação Bahiana Para o Desenvolvimento das Ciências, Curso de Fisioterapia.


Av. D. João VI, sn - Campus Brotas
Brotas
40000-000 - Salvador, BA - Brasil
Telefone: (71) 32768200
URL da Homepage: http://www.fbdc.edu.br

Contato dos autores:


jcafezeiro.fisio@yahoo.com.br
sinara.melo@hotmail.com
lorenaarruda_fisio@yahoo.com.br

Você também pode gostar