Você está na página 1de 13

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E


TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA

Departamento de Física

Disciplina: Docente: Raimundo Nonato Curso / Turma:


Sala: Bloco: Data: _____ / _____ / ____ Assunto: LISTAS DE EXERCÍCIOS

1a Lista de Exercícios sobre Dilatação Térmica

1 - Como podemos explicar a dilatação dos corpos ao serem aquecidos?

2 - Responda os itens abaixo:


a) Escreva a expressão matemática que nos permite calcular a dilatação linear de um sólido.
Explique o significado de cada um dos símbolos que aparecem nesta expressão.
b) Escreva a expressão matemática que nos permite calcular a dilatação superficial de um corpo.
Explique o significado de cada um dos símbolos que aparecem nesta expressão.
c) Escreva a expressão matemática que nos permite calcular a dilatação volumétrica de um corpo.
Explique o significado de cada um dos símbolos que aparecem nesta expressão.

3 - Que fatores influenciam na dilatação que um corpo irá sofrer?

4 - Conhecendo-se o coeficiente de dilatação linear de um sólido como procedemos para determinar o seu
coeficiente de dilatação superficial e volumétrico?

5 - Duas barras, A e B, de mesmo comprimento inicial, sofrem a mesma elevação de temperatura. As


dilatações destas barras poderão ser diferentes? Explique.

6 - Duas barras, A e B, de mesmo material, sofrem a mesma elevação de temperatura. As dilatações


destas barras poderão ser diferentes? Explique.

7 - O coeficiente de dilatação superficial do ferro é 24 x 10 -6 ºC-1. Calcule o seu coeficiente de dilatação


volumétrica.

8 - Uma lâmina bimetálica é construída soldando-se uma lâmina de cobre de


coeficiente de dilatação linear 17 x 10-6 ºC-1 a uma de zinco, cujo coeficiente de
dilatação linear é 25 x 10-6 ºC-1. Na temperatura ambiente (25ºC) a lâmina está reta
e na horizontal, como mostra a figura ao lado. Explique o que acontece com a
lâmina quando a temperatura aumentar para 60ºC e depois explique o que acontece
quando a temperatura baixar para 8ºC.

9 - Um fio metálico tem comprimento de 100 m, a 0ºC. Sabendo que este fio é constituído por um
material com coeficiente de dilatação térmica linear 17 x 10-6 ºC-1, determine:
a) A variação no comprimento do fio quando este é aquecido até 10ºC.
b) O comprimento final do fio na temperatura de 10ºC.
10 - Uma placa retangular mede 10 cm por 20 cm à temperatura de 0ºC. O coeficiente de dilatação
superficial do material que constitui a placa vale 20 x 10-6 ºC-1. Determine:
a) A área da placa a 0ºC;
b) A variação da área da placa quando a temperatura sobe para 50ºC;
c) A área da chapa à temperatura de 50ºC;
d) A porcentagem de aumento na área da chapa.

11 - Uma esfera de madeira está flutuando na superfície da água, contida em um recipiente, à temperatura
de 2ºC. Se apenas a água for aquecida até sua temperatura atingir 4ºC:
a) O volume da água aumentará, diminuirá ou não sofrerá alteração?
b) A densidade da água aumentará, diminuirá ou não sofrerá alteração?
c) Então, a parte submersa da esfera aumentará, diminuirá ou não sofrerá alteração?

12 – Responda a todos os itens do exercício anterior supondo que a temperatura da água mude agora de
4ªC para 20ºC.

13 - O que ocorre com a densidade de um sólido quando sua temperatura aumenta? Explique.
14 - Um negociante de tecidos possui um "metro" de metal que foi graduado à 20ºC. Suponha que o
negociante esteja usando este "metro" em um dia de verão, no qual a temperatura esteja próxima de 40ºC.
Neste dia:
a) O comprimento do "metro" do negociante é maior ou menor do que 1m?
b) Ao vender uma peça de tecido, medindo o seu comprimento com este metro o comerciante estará
tendo lucro ou prejuízo? Explique. (A dilatação do tecido é desprezível).

15 - O gráfico ao lado nos mostra como varia o comprimento de


uma barra metálica em função da sua temperatura.

a) Qual é o coeficiente de dilatação linear do material que


constitui a barra?
b) Se uma barra constituída por este material tiver 200 m de
comprimento a 10ºC, determine seu comprimento final
quando ela for aquecida a 110ºC.

16 - Um paralelepípedo, a 30ºC, tem dimensões 10 cm x 20 cm x 40 cm e é constituído por um material


cujo coeficiente de dilatação linear vale 5 x 10-6 ºC-1. Determine o acréscimo de volume, em cm3, sofrido
pelo paralelepípedo quando este é aquecido até 130ºC.

17 - Uma chapa de zinco, de forma retangular, tem 60 cm de comprimento e 40 cm de largura à


temperatura de 20ºC. Supondo que a chapa foi aquecida até 120ºC, e que o coeficiente de dilatação linear
do zinco vale 25 x 10-6 ºC-1 calcule:
a) A dilatação no comprimento da chapa.
b) A dilatação na largura da chapa.
c) A área da chapa a 20ºC.
d) A área da chapa a 120ºC.
e) O valor do coeficiente de dilatação superficial da chapa.
f) O aumento na área da chapa usando o valor de  obtido no item anterior.

18 - Você é convidado a projetar uma ponte metálica, cujo comprimento será de 2 km. Considerando os
efeitos de contração de expansão térmica para temperatura no intervalo de -40ºC e 40ºC e o coeficiente de
dilatação linear do metal, que é 12 x 10 -6 ºC-1, qual é a máxima variação esperada no comprimento da
ponte?

19 - À temperatura de 0ºC uma esfera oca de metal passa com certa folga por dentro de um anel metálico
e circular. Ao sofrerem uma variação idêntica de temperatura (esfera e anel) a esfera não mais consegue
passar pelo anel. Explique por que isso aconteceu.
20 - A variação do comprimento de um fio de aço em função da
temperatura é mostrada no gráfico ao lado. Calcule o coeficiente de
dilatação linear do aço.

21 - Um orifício numa panela de ferro, a 0ºC, tem 5cm2 de área. Se o


coeficiente de dilatação linear do ferro é de 1,2 x 10 -5 ºC-1 calcule a área
deste orifício quando a temperatura chegar a 300ºC.

22 - O gráfico ao lado nos mostra como varia o comprimento de uma barra


metálica em função da sua temperatura. Uma panela feita com o mesmo
material da barra tem uma capacidade de 1000 ml, a 0ºC. Calcule a
capacidade desta panela a 100ºC.

23 - Um sólido homogêneo apresenta, a 5ºC, um volume igual a 4 cm 3.


Aquecido até 505ºC, seu volume aumenta de 0,06 cm3. Qual o coeficiente
de dilatação linear do material deste sólido?

24 - O dono de um posto de gasolina consulta uma tabela de coeficientes de dilatação volumétrica,


obtendo para o coeficiente de dilatação volumétrica do álcool o valor de 10 -3 ºC-1. Calcule quantos litros
ele estará ganhando se comprar 14 000 litros do combustível em um dia em que a temperatura é de 20ºC e
revende-lo num dia mais quente, em que esta temperatura seja de 30ºC.

25 - Uma certa massa de água líquida sob pressão normal sofre um aquecimento a partir de uma
determinada temperatura. Nestas condições podemos afirmar que:
a) o volume de água permaneceu constante se o aquecimento foi de 0ºC a 4ºC.
b) o volume de água aumentou se o aquecimento foi de 0ºC a 4ºC.
c) o volume de água tanto pode ter aumentado, como diminuído, devido ao seu comportamento
anômalo.
d) O volume de água diminuiu segundo a lei V  Vo . .T .
e) O volume de água aumentou segundo a lei V  Vo . .T .

26 - A partir da relação L  Lo . .T , determine uma expressão que permita calcular o comprimento
final L da barra.

27 - DESAFIO - Um líquido cujo coeficiente de dilatação é 20 x 10-4 ºC-1, a 0ºC, preenche


completamente um frasco cuja capacidade é 1000 ml. Se o material com que o frasco é fabricado tem
coeficiente de dilatação linear 20 x 10-6 ºC-1, qual é o volume de líquido que transborda quando o
conjunto é aquecido a 50ºC?
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
------
Gabarito
1) O aumento da temperatura faz com que as moléculas do corpo vibrem ou se movam com maior intensidade. Isso
faz com que ocorra um aumento nas distâncias intermoleculares que resulta no aumento do tamanho do corpo como
um todo.
2a) L  Lo . .T 2b) A  Ao . .T 2c) V  Vo . .T
3) Os fatores são três: tamanho inicial, variação da temperatura e material de que é feito o corpo. Estes três fatores
aparecem nas expressões que calcula as dilatações lineares, superficiais e volumétricas.
4)   2. e   3. (O coeficiente de dilatação superficial é duas vezes maior que o coeficiente de
dilatação linear, e o coeficiente de dilatação volumétrico é três vezes maior que o coeficiente de dilatação linear.)
5) Sim, pois a dilatação depende também do material de que é feito a barra. Se a barra A for de um material
diferente da B elas terão dilatações diferentes.
6) Sim, pois a dilatação depende também do tamanho inicial de cada uma. Se a barra A for maior ou menor que a
barra B suas dilatações serão diferentes.
7) 36 x 10-6 ºC-1
8) Na temperatura de 60ºC as lâminas de cobre e zinco irão dilatar-se, só que a lâmina de zinco apresenta uma
dilatação maior pelo fato do seu coeficiente de dilatação ser maior, fazendo com que a lâmina bimetálica curve-se
para cima. Quando a temperatura baixar para 8ºC, as lâminas de zinco e cobre irão se contrair, só que a lâmina de
zinco apresenta uma maior contração, pelo fato do seu coeficiente ser maior. Com isso a lâmina bimetálica curva-
se para baixo.
9 a) 17 x 10-3 m ou 17 mm 9 b) 100,017 m
10 a) 200 cm2 10 b) 0,2 cm2 10 c) 200,2 cm2 10 d) 0,1%
11 a) O volume da água irá diminuir (lembrar do comportamento anômalo da água para esta faixa de temperatura).
11 b) Como o volume diminuiu, a densidade aumentou (mesma massa ocupando um volume menor representa
aumento da densidade).
11 c) A parte submersa irá diminuir com o aumento da densidade da água.
12 a) O volume da água irá aumentar (lembrar do comportamento anômalo da água só ocorre entre 0ºC e 4ºC. Fora
disso a água se comporta como as outras substâncias.)
12 b) Como o volume aumentou, a densidade diminuiu (mesma massa ocupando um volume maior representa uma
diminuição na densidade)
12 c) A parte submersa irá aumentar com a diminuição da densidade da água.
13) . Sua densidade em geral diminui. O aumento da temperatura implica um aumento no volume dos corpos
(lembrando que existem algumas exceções, como o caso da água, de 0ºC a 4ºC). Com o aumento do volume a
densidade tende a diminuir, já que a massa da substância não varia.
14 a) É Maior do que um metro. 14 b) Ele terá prejuízo.
15 a) 10-6 ºC-1 15 b) 200,02 m 16) 12 cm3
2 2 -6 -1
17 a) 0,15 cm 17 b) 0,10 cm 17 c) 2400 cm 17 d) 2412 cm 17 e) 50 x 10 ºC 17 f) 12 cm2
18) 1,92 m
19) O coeficiente de dilatação linear do material da esfera é maior que o coeficiente de dilatação linear do material
do anel. Por isso a esfera dilatou mais que o anel.
20) 1,2 x 10-5 ºC-1 21) 5,036 cm2 22) 1004,5 ml 23) 1 x 10-5 ºC-1
24) 1,4 x 102 litros 25) c 26) L  Lo . .T   Lo 27) 97 ml
2a Lista de Exercícios sobre Dilatação Térmica
DILATAÇÃO TÉRMICA
www.nilsong.com.br
I) RESUMO DE FÓRMULAS DA DILATAÇÃO TÉRMICA DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS
Quando determinado objeto sólido, liquido ou gases são aquecidos eles sofrem dilatações nos seus comprimentos,
superfícies ou volumes. As dilatações decorrentes das variações de temperaturas terão predominância sobre
comprimentos, áreas ou volumes, mas na realidade as dilatações abrangem todas as dimensões.

A) DILATAÇÃO DOS SÓLIDOS


a1) Dilatação Linear (predomina a dilatação de comprimento)
Grandeza Coeficiente Fórmula
Dilatação Linear α ΔL = L - Lo
Dilatação Linear α ΔL = α.Lo.Δθ
Comprimento Final α L = Lo(1 + αΔθ)
.
a2) Dilatação Superficial (predomina a dilatação de superfície)
Grandeza Coeficiente Fórmula
Dilatação Superficial β = 2α ΔA = A - Ao
Dilatação Superficial β = 2α ΔA = β.Ao.Δθ
Área Final β = 2α A = Ao(1 + βΔθ)
.
a3) Dilatação Volumétrica ( ocorre a dilatação espacial)
Grandeza Coeficiente Fórmula
Dilatação Volumétrica Υ = 3α ΔV = V - Vo
Dilatação Volumétrica Υ = 3α ΔV = Υ.Vo.Δθ
Volume Final Υ = 3α V = Vo(1 + Υ.Δθ)
.
B) DILATAÇÃO DOS FLUIDOS
b1) Recipientes Completamente Cheios:
Grandeza Coeficiente(s) Fórmula
Dilatação Volumétrica Real Υ ΔVL = ΥL.Vo.Δθ
Dilatação Volumétrica do
ΥR ΔVR = ΥR.Vo.Δθ
Recipiente
Dilatação Volumétrica ΔVap = Υap.Vo.Δθ
Υap
Aparente
Relação Entre os Volumes **** ΔVL =ΔV + ΔVap
R

Relação Entre os Coeficientes Υ, ΥR e Υap γ = γap + γrec


.
b2) Recipientes não Totalmente Cheios (condição para o líquido não derramar)
Grandeza Coeficiente Fórmula
Volumes Finais Iguais ----- vL = VR
Volume Final do Recipiente ΥR Vrec = VOR(1 + ΥRΔθ)
Volume Final do Líquido ΥL VL = voL(1 + ΥL Δθ)
.
II) EXERCÍCIOS DE REVISÃO E COMPLEMENTO
A) EXERCÍCIOS SOBRE DILATAÇÃO LINEAR
1) À 25ºC o comprimento de uma barra feita de um material cujo coeficiente de dilatação linear é 3.10 -6ºC-1 é 100
cm. Determine:
a) o acréscimo sofrido pela barra na temperatura de 50ºC;
b) o comprimento da barra à 50ºC

2) (PUC-SP) Uma régua de latão foi calibrada para ser utilizada em medições a 20ºC. Em que temperatura uma
leitura de 30 cm feita com essa régua terá um erro de cerca de 1 mm de acréscimo? Dado: coeficiente de dilatação
linear do latão = 19.10-5ºC-1 (resp.: 37,5ºC)

3) Duas barras metálicas A(verde) e B (azul) de mesmo comprimento à 0ºC, são aquecidas juntas até 700ºC e os seus
comprimentos aumentam com a temperatura segundo o gráfico abaixo.

Os coeficientes de dilatação linear das barras A e B são respectivamente:


a) 5 . 10-4ºC - 1 e 1,0 .10-3ºC - 1
b) 2 . 10-4ºC - 1 e 3,0 .10-4ºC - 1
c) 3 . 10-4ºC - 1 e 2,0 .10-3ºC - 1
d) 1,0 .10-3ºC - 1 e 5 .10-4ºC - 1

4) (UMC-SP) O comprimento de uma barra metálica, a temperatura θ o, é igual a Lo. Produzindo-se uma elevação de
50ºC na temperatura da barra, seu comprimento sofre uma variação de 10% em relação ao comprimento inicial L o.
Nessas condições, calcule o coeficiente de dilatação linear térmico do material, suposto constante. (resp.: 2.10 -3 ºC-1)

5) (Fatec-SP) Uma barra de aço de 5,000 m, quando submetida a uma variação de temperatura de 100ºC, sofre uma
variação de comprimento de 6,0 mm. O coeficiente de dilatação linear do alumínio é o dobro do aço (αAl = 2αaço).
Então, calcule a dilatação linear que sofre a barra uma de alumínio de 5,000 m, quando submetida a uma variação de
50ºC. (resp.: 0,003 m)

6) Duas barras, A e B, estão na temperatura de 0ºC e a diferença de comprimento entre elas, em qualquer
temperatura, é 4 mm. Se o coeficiente de dilatação linear da barra A é 3.10-5ºC-1 e o coeficiente de dilatação linear da
barra B 5.10-5ºC-1, determine:
a) os comprimentos das barras A e B à quando elas estiverem na temperatura de 80ºC;
b) as dilatações lineares das barras A e B à quando elas sofrem uma variação de temperatura de 100ºC;

7) Um fio metálico de 200 cm de comprimento sofre um acréscimo de 0,18 cm ao variar a sua temperatura de 30ºC
para 90ºC. Calcule:
a) o aumento de temperatura ao sofrer uma dilatação de 0,6 cm;
b) o comprimento do fio a 500ºC

8) Uma barra horizontal está apoiada sobre duas colunas A e B cujos materiais têm coeficientes de dilatação térmicas
8 . 10-4ºC-1 e 5 . 10-4ºC-1 na temperatura inicial de 2ºC como mostra a figura.

Os comprimentos das colunas A e B a 2ºC para que eles sejam aquecidos em qualquer temperatura e a barra
permaneça na horizontal, são respectivamente:
a) 200 cm e 350 cm;
b) 300 cm e 400 cm;
c) 200 cm e 320 cm;
d) 220 cm e 420 cm;
e) n.d.r

B) EXERCÍCIOS SOBRE DILATAÇÃO SUPERFICIAL


9) (PUC-SP) Um círculo de aço, homogêneo, de raio 10 cm e coeficiente de dilatação linear 1,2.10-5ºC-1, tem sua
temperatura alterada de10oC para 110ºC.Qual a área da coroa circular, correspondente à diferença das áreas dos
círculos a 10ºC e a 110ºC? (resp.; 0,75 cm²)

10) (Fuvest-SP) Considere uma chapa de ferro, circular, com orifício circular concêntrico à temperatura inicial de
30ºC, o orifício tem um diâmetro de 1,0 cm. A chapa é, então aquecida até 330ºC. Qual a variação de diâmetro do
furo, se o coeficiente de dilatação linear do ferro é 12.10 -6ºC-1?

11) (OSEC-SP) Uma chapa metálica sofre um aumento de área de 0,06% ao ser aquecida de 100ºC. Calcule o
coeficiente de dilatação linear desse material, em ºC-1. (resp.: 3.10-6ºC-1)

12) Uma placa retangular de coeficiente de dilatação linear 4.10 -6ºC-1 e dimensões 30 cm de comprimento por 20 cm
de largura é aquecida da temperatura de 20ºC para 70ºC. Determine:
a) o aumento de área sofrido pela placa;
b) a área da placa à 70ºC
13) (MACK-SP) Uma chapa de alumínio (α = 2,2.10 -5ºC-1), inicialmente a 20ºC, é utilizada numa tarefa doméstica no
interior de um forno aquecido a 270ºc. Determine, após o equilíbrio térmico, sua dilatação superficial percentual em
relação a área inicial. (resp.: 1,1%)
14) Uma placa retangular de 30 cm de comprimento e 20 cm de largura a 10ºC ao ter a sua temperatura variando de
10ºC para 60ºC, a sua área aumenta 0,12 cm. Calcule:
a) o acréscimo sofrido pela placa quando a temperatura aumenta 80ºC;
b) a área da placa quando esta sofre um acréscimo de temperatura de 100ºC

C) EXERCÍCIOS SOBRE DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA

15) 2000 litros de combustível de coeficiente de dilatação volumétrica 3 . 10 -3ºC-1 é levado de uma cidade com
temperatura de 20ºC para ser vendido em outra cidade onde a temperatura é de 35ºC. Despreze a dilatação do
recipiente. Se o litro de combustível custa 1,50 real, determine:
a) a variação de volume;
b) o lucro do vendedor

16) O volume de um sólido ´de coeficiente de dilatação linear 2 . 10 -6ºC-1 é 300 cm3 na temperatura de 10ºC. Quando
a temperatura aumenta para 40ºC, calcule:
a) a variação de volume; b) o volume final.

17) Uma esfera feita de material cujo coeficiente de dilatação linear é 5 . 10 -5ºC-1, apresenta diâmetro de 60π cm na
temperatura de 20ºC. Quando é colocada na temperatura de 70ºC, determine:
a) a variação de volume; b) o volume final. Nota: considere π4 =100

18) Um frasco é constituído de material de coeficiente de dilatação volumétrica 8.10 -6ºC-1 e está completamente cheio
com 200 cm3de um líquido na temperatura de 40ºC. O coeficiente de dilatação volumétrica aparente é 3.10-6ºC-1.
Quando o conjunto é aquecido a 70º, calcule:
a) a dilatação real do líquido;
b) a dilatação do frasco;
c) a dilatação aparente.

19) O volume de um sólido de 400 cm3, na temperatura de 20ºC, sofre um acréscimo de 0,05 cm3 ao ter a sua
temperatura aumentada para 70ºC. Calcule:
a) o aumento de volume para aumento de temperatura de 100ºC;
b) o volume na temperatura de 120ºC.

20) Suponha que um corpo feito de material cujo coeficiente de dilatação linear seja 2.10 -4ºC-1 ao ser colocado dentro
outro copo de coeficiente de dilatação linear 3.10 -4º-1 ,após algum tempo, este não pode mais sair. Três pessoas deram
dicas para tentar retirar o copo:
I) a pessoa A aconselhou resfriar os copos;
II) a pessoa B sugeriu que os copos fossem aquecidos;
III) a pessoa C disse que não se podia fazer nada
Está(ão) correta(s) a(s) pessoa(as):
a) I b) II c) I e II d) nenhuma e) todas

21) Considere que entre o período que foi formado e atualmente, por algum meio, o acréscimo de temperatura fez o
raio de um planeta aumentar duas vezes. Sendo o coeficiente de dilatação volumétrica igual a 2 . 10 -3 K-1 determine
esse acréscimo de temperatura. (resp: 3,5 . 10 3 K)
D) EXERCÍCIOS SOBRE DILATAÇÃO VOLUMÉTRICA DOS LÍQUIDOS

22) Um recipiente completamente cheio, apresenta 2000cm3 de um líquido cujo coeficiente de dilatação volumétrica
é 6 . 10-5 ºC-1. Se o coeficiente de dilatação volumétrica aparente é 4 . 10 -5 ºC-1, calcule:
a) a dilatação do recipiente quando a temperatura aumente de 10ºC para 60ºC;
b) a dilatação do líquido quando a temperatura varia de 10ºC para 60ºC.

23) Quando a temperatura do conjunto (um líquido + recipiente) aumenta de 20ºC para 60ºC, o recipiente
completamente cheio do líquido cujo coeficiente de dilatação real é 5 . 10 -6 ºC-1 derrama 0,12 cm3. Sendo o
coeficiente de dilatação volumétrica aparente do líquido igual a 3 . 10 -6 ºC-1, calcule:
a) o volume do recipiente;
b) o coeficiente de dilatação do recipiente;
c) a dilatação do líquido.

24) Um recipiente de volume interno 800 cm3 na temperatura de 20ºC é constituído de metal cujo coeficiente de
dilatação linear é 2/3 . 10-3 ºC-1. Sendo o coeficiente de dilatação real do líquido igual a 4 . 10 -3 ºC-1, o volume
máximo deste líquido que o recipiente deve conter para que ao aumentar a temperatura do conjunto para 70ºC não
derrame volume algum, é:
a) 500,4 cm3
b) 733,3cm3
c) 900,5cm3
d) 1200,8cm3
e) n.d.r

25) Um líquido A de volume 200 cm³, densidade 3 g/cm³ e coeficiente de dilatação volumétrica 2 . 10-3 ºC-1 a 0ºC é
misturado com outro líquido B de volume 100 cm3, densidade 5 g/cm3 e coeficiente de dilatação volumétrica 4 . 10 -
3
ºC-1 também a 0ºC. Desconsiderando a variação do recipiente, determine:
a) a densidade da mistura a 0ºC (resp: 3,66 g/cm³)
b) a densidade da mistura quando a temperatura aumenta 50ºC (resp: 3,23 g/cm³).

26) Um líquido de coeficiente de dilatação volumétrica 12 . 10 -4 ºC - 1 encontra-se dentro de um tubo cilíndrico de


coeficiente de dilatação linear 1 . 10 - 6 ºC - 1. Ao aquecer o conjunto (tubo + líquido) de 100ºC a coluna de líquido
aumenta 2 cm. A altura inicial da coluna do referido líquido era:
a) 20,3 cm c) 30,7 cm e) 16,7 cm
b) 12,4 cm d) 9,3 cm
3a Lista de exercícios
0 0
1 - Um corpo está numa temperatura que, em C, tem a metade do valor medido em F. Determine essa
temperatura na escala Fahrenheit.

2 - (Unifor-CE) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius de acordo
com o gráfico abaixo.

As temperaturas de fusão do gelo e de ebulição da água, sob pressão normal, na escala X valem,
respectivamente:

a) -100 e 50 d) 100 e -100


b) -100 e 0 e) 100 e 50
c) -50 e 50

3 - (Cesgranrio–RJ) Uma caixa de filme fotográfico traz a tabela apresentada abaixo, para o tempo de
revelação do filme, em função da temperatura dessa revelação.

A temperatura em °F corresponde exatamente ao seu valor na escala Celsius, apenas para o tempo de
revelação, em min, de:

a) 10,5 b) 9 c) 8 d) 7 e) 6
4 - (UEPI) Duas escalas termométricas arbitrárias, E e G, foram confeccionadas de tal modo que as suas
respectivas correspondências com a escala Celsius obedecem à tabela abaixo.

A relação de conversão entre as escalas E e G é dada por:

5 - (UFBA) As indicações para o ponto de fusão do gelo e de ebulição da água sob pressão normal de
dois termômetros, um na escala Celsius e outro na escala Fahrenheit, distam 20 cm, conforme a figura.
A 5 cm do ponto de fusão do gelo, os termômetros registram temperaturas iguais a:

6 - (Unifor-CE) Fazendo-se passar vapor d’água por um tubo metálico oco, verifica-se que a sua
temperatura sobe de 25 °C para 98 °C. Verifica-se também que o comprimento do tubo passa de 800
-1
mm para 801 mm. Pode-se concluir daí que o coeficiente de dilatação linear do metal vale, em °C :
7 - (Uniube-MG) No continente europeu uma linha férrea da ordem de 600 km de extensão tem sua
temperatura variando de -10 °C no inverno até 30 °C no verão. O coeficiente de dilatação linear do
material de que é feito o trilho é 10
5
º C 1 . A variação de comprimento que os trilhos sofrem na sua
extensão é, em metros, igual a:

8 - (Unipa-MG) Considere o microssistema abaixo formado por duas pequenas peças metálicas, I e II,
presas em duas paredes laterais. Observamos que, na temperatura de 15 °C, a peça I tem tamanho igual
a 2 cm, enquanto a peça II possui apenas 1 cm de comprimento. Ainda nesta temperatura as peças
3
estavam afastadas apenas por uma pequena distância d igual a 5 x10 cm. Sabendo-se que o
1 e que o da peça II (  II ) é igual a
5 1
coeficiente de dilatação linear da peça I é igual a 3 x10 ºC
5 1
4 x10 º C , qual deve ser a temperatura do sistema, em °C, para que as duas peças entrem em
contato sem empenar?

9 - (UEBA) Uma peça de zinco é construída a partir de uma chapa quadrada de lado 30 cm, da qual foi
2
retirado um pedaço de área de 500 cm . Elevando-se de 50 °C a temperatura da peça restante, sua
área final, em centímetros quadrados, será mais próxima de:
5 1
(Dado: coeficiente de dilatação linear do zinco = 2,5 x10 º C )

2
10 - (MACK-SP) Uma placa de aço sofre uma dilatação de 2,4 cm , quando aquecida de 100 °C. Sabendo
6 1
que o coeficiente de dilatação linear médio do aço, no intervalo considerado, é 1, 2 x10 º C ,
podemos afirmar que a área da placa, antes desse aquecimento, era:
11 - (Unirio-RJ) Um estudante pôs em prática uma experiência na qual pudesse observar alguns
conceitos relacionados à “Dilatação Térmica dos Sólidos”. Ele utilizou dois objetos: um fino fio de cobre
de comprimento 4L, com o qual montou um quadrado, como mostra a figura I, e uma chapa quadrada,
2
também de cobre, de espessura desprezível e área igual a L , como mostra a figura II. Em seguida, o
quadrado montado e a chapa, que se encontravam inicialmente à mesma temperatura, foram colocados
num forno até que alcançassem o equilíbrio térmico com este.

Assim, a razão entre a área da chapa e a área do quadrado formado com o fio de cobre, após o
equilíbrio térmico destes com o forno, é:

12 - (Cesesp-PE) O tanque de gasolina de um carro, com capacidade para 60 litros, é completamente


cheio a 10 °C, e o carro é deixado num estacionamento onde a temperatura é de 30 °C. Sendo o
3 1
coeficiente de dilatação volumétrica da gasolina igual a 1,1x10 º C , e considerando desprezível a
variação de volume do tanque, a quantidade de gasolina derramada é, em litros:

3 3
13 - (Unifor-CE) Um recipiente de vidro de capacidade 500 cm contém 200 cm de mercúrio, a 0 °C.
Verifica-se que, em qualquer temperatura, o volume da parte vazia é sempre o mesmo. Nessas
condições, sendo  o coeficiente de dilatação volumétrica do mercúrio, o coeficiente de dilatação
linear do vidro vale:

14 - (UFMA) Se o vidro de que é feito um termômetro de mercúrio tiver o mesmo coeficiente de


dilatação cúbica do mercúrio, pode-se dizer, corretamente, que esse termômetro:

a) não funciona
b) funciona com precisão abaixo de 0 °C
c) funciona com precisão acima de 0 °C
d) funciona melhor do que os termômetros comuns
e) funciona independente de qualquer valor atribuído

Respostas:
0
1) 320 F ; 2) d ; 3) b ; 4) a ; 5) d ; 6) b ; 7) e ; 8) d ; 9) b ; 10) d ; 11) e ; 12) a ; 13) b ; 14) a