Você está na página 1de 1488

Caderno Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região

DIÁRIO ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO


PODER JUDICIÁRIO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Nº3095/2020 Data da disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020. DEJT Nacional

Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região


PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
Desembargador Lairto José Veloso
Presidente
Fundamentação

RECURSO DE REVISTA
Desembargador José Dantas de Góes
Vice-Presidente Tramitação Preferencial

Lei 13.015/2014
Desembargadora Ruth Barbosa Sampaio Lei 13.467/2017
Corregedora Regional

Telefone(s) : (92) 3621-7200

Email(s) : dejt@trt11.jus.br

Gabinete da Presidência
Recorrente(s): ARUANÃ TRANSPORTES
Decisão Monocrática
Decisão LTDAe outro(s)
Processo Nº ROT-0000740-45.2019.5.11.0006
Relator ELEONORA DE SOUZA SAUNIER
Advogado(a)(s): ÉDERSON LUCAS
RECORRENTE ARUANA TRANSPORTES LTDA
ADVOGADO EDERSON LUCAS GUIMARÃES (exclusividade -
GUIMARAES(OAB: 5727/AM)
ADVOGADO MARIO EURICO AMARAL
PINTO(OAB: 4680/AM) Recorrido(a)(s): FRANCISCO CARLOS
ADVOGADO ERIVELTON FERREIRA
BARRETO(OAB: 5568/AM) MARTINS GREGÓRIO
RECORRENTE MASTER SOLUCAO EM
TRANSPORTES LTDA
Advogado(a)(s): MÁRIO JORGE OLIVEIRA DE
ADVOGADO EDERSON LUCAS
GUIMARAES(OAB: 5727/AM)
PAULA FILHO (AM - 2908)
ADVOGADO MARIO EURICO AMARAL
PINTO(OAB: 4680/AM)
ADVOGADO ERIVELTON FERREIRA PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
BARRETO(OAB: 5568/AM)
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
RECORRIDO FRANCISCO CARLOS MARTINS
GREGORIO publicada em 23/09/2020 - id. 16b6486; recurso apresentado em
ADVOGADO CELIO ALBERTO CRUZ DE
OLIVEIRA(OAB: 2906/AM) 05/10/2020 - id. d5479cc).
ADVOGADO ANELSON BRITO DE SOUZA(OAB: Regular a representação processual (id. 2057d5a, e31ad7b,
5342/AM)
ADVOGADO MARIO JORGE OLIVEIRA DE PAULA eb45987).
FILHO(OAB: 2908/AM)
Satisfeito o preparo (ids. 942b4a6, f87b364, 126cac3, 2e1182a,
PERITO HAMILTON LUIZ AMARAL GONDIM
e97d924, f4b34ef e 6ae6094).
Intimado(s)/Citado(s): PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
- ARUANA TRANSPORTES LTDA
Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
- MASTER SOLUCAO EM TRANSPORTES LTDA
Moral/Acidente de Trabalho.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Órgãos

Judiciários e Auxiliares da Justiça/Dos Auxiliares da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 2
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Justiça/Suspeição. do eixo do veículo, quebrando imediatamente o dedo anular da

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos sua mão direita, culminando em cirurgia posterior e

Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional. incapacidade laboral.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos Proferida sentença de parcial procedência dos pedidos,

Processuais/Nulidade/Cerceamento de Defesa. reconhecendo a existência do dano, do nexo causal e a culpa

Alegação(ões): da reclamada, afastando, ainda, a alegação de culpa exclusiva

- violação do(s) inciso V do artigo 5º;inciso XXXV do artigo da vítima, por não haver a reclamada se desincumbido desse

5º;inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal. encargo probatório.

- violação da (o) inciso IX do artigo 144 do Código de Processo A reclamada e litisconsorte apresentaram recurso alegando

Civil de 2015;inciso II do artigo 148 do Código de Processo que o laudo pericial demonstra o uso dos EPI's adequados pelo

Civil de 2015;inciso III do artigo 313 do Código de Processo autor, o ambiente de trabalho seguro, a existência de programa

Civil de 2015;artigo 278 do Código de Processo Civil de 2015; de prevenção de acidentes, regras de segurança a cumprir, o

§7º do artigo 146 do Código de Processo Civil de 2015. treinamento e a experiência do reclamante e que o acidente

- divergência jurisprudencial. teria sido uma fatalidade, sem culpa da empresa.

- contrariedade ao art. 30, do Código de Ética Profissional Relatam que o recorrido foi reintegrado aos quadros da

eDisciplina do Conselho Nacional dos Peritos Judiciais empresa e exerce a mesma função anterior, com percepção de

doBrasil. salário idêntico e plano de saúde. Reforçam a culpa exclusiva

A recorrente alega, preliminarmente, a nulidade do laudo ou concorrente da vítima, tendo em vista que, conforme

pericial, em razão da suspeição do perito do Juízo. Relata que o treinamento e regras, deveria ter utilizado o equipamento

Perito do Juízo, ao se dar impedido e suspeito nos autos de n° chamado 'preguiça', em conjunto com o 'macaco', para evitar o

0001243-30.2019.5.11.0018, em 10/09/2020, demonstra certeza acidente ocorrido, tendo agido de forma imprudente; a

de que nos outros processos que funcionou como Perito do inexistência de incapacidade permanente do autor; e, por fim,

Juízo, na qual as Recorrentes são partes, também é suspeito e afirmaram que não foram levados em consideração os

impedido, 'o que gera nulidade de todos os seus Laudos princípios da razoabilidade e proporcionalidade quando do

Periciais anteriores em que atuoucontra as Recorrentes. arbitramento dos valores deferidos.

Busca o acolhimento da preliminar de nulidade do laudo Analiso.

pericial, consequentemente, a anulação de todo os atos Em regra, a responsabilidade civil do empregador pelo acidente

jurídicos após a juntada do laudo pericial, que seja de trabalho e doenças ocupacionais acometidas ao empregado

determinado o retorno dos autos a vara de origem para dar decorre não só de mandamento constitucional, por força do art.

seguimento aoprocesso até o encerramento da instrução 7º, XXVIII, da CRFB, como também da legislação civil

processual e que possa ser dada nova decisão sem os vícios subsidiariamente aplicável (art. 8º da CLT), consubstanciada

encontrados por ato de improbidade do perito do juízo. nos arts. 186, 187 e 927 do CC/2002, impondo-lhe o dever de

No mérito, busca a reforma do acórdão, para que sejam reparação quando presentes os requisitos da modalidade

acolhidas as preliminares arguidas e, no mérito, a indenizatória subjetiva, quais sejam, o dano, o nexo de

improcedência dos pleitos formulados na inicial. causalidade e o dolo ou culpa do agente.

Consta no v. acórdão (id. e97d924): Contudo, quando da natureza das atividades advém risco ao

'(...) trabalhador, superior ao comumente existente, fala-se em

FUNDAMENTAÇÃO obrigação de indenizar, independentemente de culpa, atraindo

Conheço do recurso, porque preenchidos os requisitos de a responsabilidade objetiva do empregador, consolidada no

admissibilidade. ordenamento jurídico brasileiro no parágrafo único do art. 927

Acidente de trabalho do Código Civil Brasileiro, que dispõe:

O pleito de indenização por danos morais e materiais teve por 'Parágrafo único. Haverá obrigação de reparar o dano,

fundamento os danos causados em razão de acidente de independentemente de culpa, nos casos especificados em lei,

trabalho ocorrido em 2.11.2017, enquanto o reclamante ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do

realizava embuxamento no eixo dianteiro de um veículo dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de

(ônibus), ocasião em que houve o deslizamento do 'macaco' e outrem.'

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 3
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

No caso, a função do reclamante - mecânico de veículos do mesmo nível de complexidade ou em funções compatíveis

pesados - apresenta contornos nitidamente perigosos, haja com a sua formação profissional (id d7c34a8 - pág. 27).

vista que realizava serviços de manutenção em veículos do tipo Assim, fica constatado de pronto o dano e o nexo de

ônibus, com peso capaz de provocar graves danos ao causalidade.

trabalhador em caso de acidentes, como de fato ocorreu. Nessa A título de esclarecimento, em que pese o laudo pericial tenha

condição, o autor encontrava-se exposto a risco profissional respondido que ao autor era fornecido o equipamento de

elevado e acima da média, no que tange a acidentes do proteção individual adequado (resposta ao quesito 2 do autor -

trabalho. id d7c34a8 - pág. 17), afirmou que correspondia a 'fardamento,

Sob o prisma da responsabilidade objetiva, portanto, é que a botas de segurança, mangote, protetor auricular, luvas, óculos

matéria deve ser apreciada, tornando-se desnecessária de proteção', sendo correto afirmar que nenhum desses

qualquer análise do elemento culpa. equipamentos seria capaz de impedir ou reduzir o impacto do

Cumpre registrar, de pronto, que o acidente de trabalho é acidente sofrido pelo reclamante.

incontroverso, não só em virtude da CAT aberta pelo Com relação à existência de regras de segurança, o perito

empregador (id 1bfea25), como também porque ratificado pela respondeu com um simples 'sim', sem especificar quais seriam

empresa em sede de contestação e razões recursais. Sua e se eram de conhecimento dos empregados, mais

dinâmica foi assim descrita pelo reclamante no laudo pericial especificamente do reclamante (resposta ao quesito 7 da

(id d7c34a8 - pág. 4): reclamada - id d7c34a8 - pág. 21).

'Informa que estava trabalhando no dia 02/11/2017 por volta das Destaca-se que a despeito da afirmação no laudo pericial de

09h30min, fazendo a troca de um eixo dianteiro do ônibus; em que o acidente teria sido uma 'fatalidade' (resposta ao quesito 8

dado momento, o eixo escapuliu e veio cair em cima da sua da reclamada - id d7c34a8 - pág. 21), não compete ao técnico

mão direita, atingindo o 2º quirodáctilo (dedo) direito (referiu promover juízo de valor acerca da eventual culpa da empresa

ser destro), levando à fratura proximal do 2º dedo direito na avaliação do infortúnio.

(Acidente do Trabalho Típico), do mesmo. Foi socorrido pelo Por fim, quando questionado acerca da utilização das

seu encarregado de nome Mário, que o levou para o Pronto ferramentas e equipamentos adequados pelo autor, mais uma

Socorro Dr. João Lúcio, onde recebeu os primeiros socorros, vez o perito limitou-se a responder 'sim', sem ofertar maiores

foi feito Raio X, confirmando o traço de fratura, sutura da ferida explanações.

cortante; como tinha convenio com o Plano de Saúde Portanto, não se pode dizer que o laudo pericial comprova o

HAPVIDA, foi atendido pelo ortopedista que fez a cirurgia, com ambiente laboral seguro ou a inexistência de culpa da empresa

implantação de fios para corrigir a fratura; a Empresa no acidente sofrido pelo reclamante.

Reclamada, emitiu a respectiva CAT Nº 2017.405.210-3/01, os Em contraponto, o documento de análise do acidente,

primeiros 15 dias e o encaminhou para a Perícia da Previdência colacionado aos autos pela reclamada, aponta marcação

Social, ficando afastado pelo Período de 18/11/2017 a negativa para a utilização de EPI's de proteção da área do

26/02/2019, em 'Benefício Previdenciário Espécie B91'; corpo atingida, outra marcação 'N/A'(não aplicável) para o

recorreu, foi negado, entrou judicialmente contra o INSS, está recebimento de treinamento do empregado para a função e

aguardando o resultado. Alega que sente dor na articulação do deixa vazio o campo de marcação para a pergunta 'Recebeu

2º dedo direito, com dificuldades de fazer a flexão completa, instruções ou integração de segurança?' (id 482302d - pág. 1).

pega de objetos, principalmente peças pequenas, falta de força Outrossim, a reclamada não juntou aos autos documentação

e dificuldades de escrever. Sua última consulta na HAPVIDA foi relativa à existência de programas de prevenção a acidentes,

em 26/11/2019, fez exame de imagem Raio X para controle e seu treinamentos ou qualquer outra medida de segurança.

médico assistente prescreveu anti-inflamatório; alega que Nesse passo, o cerne da questão diria respeito à excludente de

nesse período, fez, uma média de 60 sessões de fisioterapias, responsabilidade defendida pela reclamada, que igualmente

ultimamente, seu médico suspendeu. alegou em sede de defesa a culpa exclusiva da vítima, atraindo

Quanto às conseqüências para o autor, o laudo conclui que o para si o ônus da prova do fato impeditivo, consoante dispõe o

reclamante apresenta alteração estética de grau leve, com art. 818, II da CLT c/c art. 373, II, do CPC/2015, do qual não se

cicatriz na qual não se tende a fixar os olhos, e restrição parcial desincumbiu a contento, conforme demonstrado a seguir.

da capacidade laboral, podendo ser reabilitado para atividade A reclamada não fez prova - documental ou testemunhal - de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 4
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

qualquer ato inseguro ou imprudente cometido pelo autor que causalidade, surge o dever de indenizar. Por conseguinte, a

possa ter ocasionado ou contribuído para o acidente de condenação da empresa ao pagamento de indenização é

trabalho sofrido. medida que se impõe, em homenagem ao princípio da

A alegação de que o reclamante não fez uso do seu material de reparação integral, devendo ser mantida a sentença que

trabalho corretamente, pois teria deixado de utilizar a condenou a empregadora ao pagamento de indenização por

ferramenta 'preguiça', em conjunto com o 'macaco', também danos morais, ressaltando ser in reipsa a perturbação moral

carece de comprovação nos autos. Não há sequer menção à infligida, daí por que desnecessária a sua comprovação; bem

necessidade de uso desse equipamento como regra de como os danos materiais decorrentes da redução da

segurança ou que seu emprego evitaria o infortúnio. capacidade laborativa do trabalhador, esta última comprovada

Desta forma, entendo não comprovada a culpa exclusiva da não só pelo afastamento pelo INSS com percepção de auxílio

vítima, tampouco, culpa concorrente, esta inadequada à acidente (id e79a554) como pelo laudo pericial que atestou a

apuração ao mensurar a responsabilidade objetiva. incapacidade laboral reduzida do autor, com limitações.

Mas, ainda que se queira falar em culpa, sabe-se que o Também não há confundir a ausência de percepção de

empregador é responsável por garantir a seus empregados benefício previdenciário com a reparação civil na forma moral e

condições de trabalho saudáveis e seguras, velando pela material, porquanto independentes e de naturezas distintas,

integridade física e psíquica daqueles que lhe prestam vez que enquanto o primeiro decorre do sistema de seguridade

serviços, em observância às normas constitucionais que social, com previsão constitucional (art. 7º, XXVII c/c art. 194 da

consagram a proteção ao valor social do trabalho e a dignidade CRFB e art. 121 da Lei n. 8.213/91), derivado de contribuição

da pessoa humana (art. 1º, III e IV, da CRFB/1988). coletiva generalizada, o segundo advém do dever de indenizar

Desta feita, a ausência de fiscalização das condições de os danos morais e materiais sofridos pela vítima, previstos na

trabalho e da implementação de medidas para neutralizar ou legislação civil (art. 186 e 927 do CC).

eliminar agentes perigosos ou nocivos, caracteriza a culpa in Reparação por dano moral e material - quantum.

vigilando, ou seja, o descuido do dever de velar pelo A reclamada requereu a reforma da sentença, argumentando

cumprimento de medidas preventivas com o escopo de cessar que o quantum indenizatório estabelecido no montante de

os efeitos que o trabalho executado em condições inadequadas R$36.135,00, a título de danos morais e R$73.715,00 pelos

pode acarretar. danos materiais, apresenta-se excessivo, devendo ser

Não há nos autos comprovação documental ou testemunhal de considerado que o reclamante não se encontra totalmente

que a reclamada tenha efetivamente implementado programa incapacitado e foi reintegrado ao trabalho, na mesma função

de prevenção de acidentes, orientado quanto às regras de exercida, possuindo plano de saúde.

segurança ou mesmo fiscalizado o uso correto dos É indubitável que o acidente de trabalhou causou transtornos

equipamentos e ferramentas de trabalho; na verdade sequer ao reclamante, dor íntima, acarretando-lhe inclusive perda

forneceu EPI´s adequados à necessidade do empregado, de parcial de sua capacidade laboral à época, consubstanciando o

modo que não atentou para as normas regulamentadoras, de dano moral in re ipsa, presumível e, por consequência,

sorte que caracterizada a culpa in vigilando, ou seja, o desnecessária sua comprovação.

descuido do dever do empregador de velar pelo cumprimento O dano material é patente, ante a conclusão pericial de

de medidas preventivas. incapacidade funcional parcial e permanente, com limitações

Assim, no tocante à culpa da reclamada no infortúnio, vê-se funcionais. O fato do autor poder ser reabilitado em outra

que está caracterizada pela sua negligência, por não tomar as função ou mesmo ter sido reintegrado ao trabalho na mesma

providências cabíveis para evitar a ocorrência do acidente de função exercida anteriormente não afasta o prejuízo material

trabalho, ferindo o disposto nos arts. 7º, XXII, da Constituição sofrido nem o torna plenamente capacitado.

da República, 19, § 1º, da Lei nº 8.213/1991 e 157 da CLT, A respeito do impacto do acidente, o perito atestou a 'limitação

quanto ao dever do empregador de preservar a higidez de seus de realizar a flexão e diminuição de amplitude em 2º dedo da

empregados. mão direita (referiu ser destro)' em resposta ao quesito 27 da

Ante o exposto, considerando a responsabilidade objetiva do reclamada (id d7c34a8), além de relatar que o reclamante negou

empregador e, sendo incontroversa a ocorrência do acidente a possibilidade de, por exemplo, tirar uma roda do ônibus,

típico de trabalho, com dano ao trabalhador e nexo de manusear os dedos na atividade de mecânico e trabalhar com

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 5
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

embreagem e freio, referindo, no que tange às sequelas, resultaram sequelas comprometedoras; tem-se por

inexistir cura; tão-somente melhoras. caracterizada a ofensa como de natureza grave, razões porque

Ao fixar as indenizações, o julgador considerou a natureza do reduzo o valor da indenização por dano moral para dez vezes o

acidente, a extensão do dano sofrido e o escopo último salário contratual do reclamante (R$2.409,00), no

compensatório e pedagógico. importe de R$24.090,00, ainda que se considere o dano estético

Pertinente esclarecer que o quantum indenizatório, além de leve, em conformidade com o art. 223-G, §1º, inciso III, da CLT,

buscar o ressarcimento do dano e tentar coibir a prática levando em consideração os princípios da proporcionalidade e

reiterada da conduta ofensiva, deve observar os princípios da razoabilidade.

razoabilidade e proporcionalidade, atentando tanto para a Quanto aos danos materiais, nos termos do art. 950 do CCB a

situação econômica do reclamante, quanto do reclamado. indenização destina-se a ressarcir as despesas do tratamento e

O advento da Lei nº 13.467/2017 - Lei da Reforma Trabalhista - lucros cessantes até ao fim da convalescença, a importância

trouxe mudanças normativas objetivando retirar o caráter do trabalho para o qual o lesionado se inabilitou ou a

subjetivo do arbitramento do dano moral. O Art. 223-G da CLT depreciação que ele sofreu, sem especificar critérios ou

fixa critérios a serem observados pelo juiz por ocasião da percentuais, os quais permanecem sob o campo do

quantificação do dano extrapatrimonial, assim dispondo: arbitramento a ser realizado pelo magistrado considerando as

Art. 223-G. Ao apreciar o pedido, o juízo considerará: especificidades do caso concreto.

I - a natureza do bem jurídico tutelado; No caso dos autos, considerando que o autor possui

II - a intensidade do sofrimento ou da humilhação; atualmente 54 anos, sofreu perda parcial e permanente da

III - a possibilidade de superação física ou psicológica; capacidade laboral e ficou afastado do trabalho pelo INSS no

IV - os reflexos pessoais e sociais da ação ou da omissão; código 91, cujo recurso contra o indeferimento da prorrogação

V - a extensão e a duração dos efeitos da ofensa; foi rejeitado, de acordo com o comunicado (id e79a554); que o

VI - as condições em que ocorreu a ofensa ou o prejuízo moral; contracheque e folha de ponto de fevereiro/2020 (id 8bc7fc0 e

VII - o grau de dolo ou culpa; 56f176d) - juntados com o recurso, porém referente a período

VIII - a ocorrência de retratação espontânea; anterior a sentença -, demonstram que o autor retornou ao

IX - o esforço efetivo para minimizar a ofensa; trabalho; e em observância aos princípios da

X - o perdão, tácito ou expresso; proporcionalidade e da razoabilidade; reduzo o valor da

XI - a situação social e econômica das partes envolvidas; indenização por danos materiais, para 15 meses de

XII - o grau de publicidade da ofensa; remuneração do autor, ora fixando-o em R$36.135,00, aí

§ 1o Se julgar procedente o pedido, o juízo fixará a indenização incluídos os lucros cessantes, os danos emergentes e a

a ser paga, a cada um dos ofendidos, em um dos seguintes pensão devida, consoante os arts. 949 e 950 do CC.

parâmetros, vedada a acumulação: DISPOSITIVO

I - ofensa de natureza leve, até três vezes o último salário Em conclusão, conheço do recurso ordinário e dou-lhe

contratual do ofendido; provimento parcial para reduzir o valor da indenização por

II - ofensa de natureza média, até cinco vezes o último salário danos morais para a quantia de R$24.090,00 e os danos

contratual do ofendido; materiais na quantia ora fixada em R$36.135,00, mantendo a

III - ofensa de natureza grave, até vinte vezes o último salário sentença em todos os demais termos, na forma da

contratual do ofendido; fundamentação. Face o provimento parcial do recurso, arbitro

IV - ofensa de natureza gravíssima, até cinquenta vezes o novo valor à condenação em R$60.225,00. Custas processuais

último salário contratual do ofendido; no valor de R$1.204,50, observando-se os valores já recolhidos

Assim, no tocante ao dano moral, considerando tratar-se de em caso de eventual interposição de recurso, nos termos da IN

acidente de trabalho típico, no exercício da função de mecânico n. 3 do TST.

de veículos pesados, com risco elevado inerente às suas (...)'

atividades; tendo o autor sofrido fratura no 2º dedo da mão Quanto ao alegado impedimento e suspeição do perito do

direita, hospitalizado, submetido a procedimento cirúrgico; Juízo, nulidade do laudo pericial, suspensão do processo, não

ocorrida redução da capacidade laboral, motivo pelo qual se vislumbra possível violação aos dispositivos mencionados

permaneceu afastado do trabalho; e ainda que do acidente porque não foi atendida a exigência do prequestionamento. O

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 6
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Colegiado não se pronunciou a respeito da sua aplicação à julgado.O recurso de revista também não se viabiliza por

hipótese dos autos, tampouco foi instada a fazê-lo quando da divergência jurisprudencial, porque não há identidade entre a

interposição dos embargos de declaração de id. a28b02. premissa fática descrita no acórdão e aquelas retratadas nos

Aplicam-se a Orientação Jurisprudencial 118 da Subseção I arestos paradigmas.Aplica-se o item I da Súmula 296 do

Especializada em Dissídios Individuais e a Súmula 297, ambas Tribunal Superior do Trabalho.

do Tribunal Superior do Trabalho. Destarte, considerando as premissas fático-jurídicas

Ademais, não se reconhece violação dos artigos 93, IX, da delineadas no acórdão, não se vislumbra possível violação

Constituição da República, 489 do Código de Processo Civil literal e direta aos dispositivos da Constituição Federal e da

(art. 458 da Lei n. 5.869/73)e 832 da Consolidação das Leis do legislação federal invocados, conforme exige a alínea 'c' do

Trabalho em face de julgado cujas razões de decidir são artigo 896 Consolidado.

fundamentadamente reveladas, abarcando a totalidade dos CONCLUSÃO

temas controvertidos. Havendo, no acórdão, a descrição das DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

razões de decidir do órgão julgador, apreciando devidamente Publique-se e intime-se.

as questões jurídicas em discussão nos autos e indicando, de cdss

forma fundamentada, as razões do seu convencimento, tem-se Assinatura

por atendida a exigência de fundamentação inserta nos MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

referidos dispositivos, ainda que o resultado do julgamento

seja contrário ao interesse da parte, não havendo falar em LAIRTO JOSE VELOSO

nulidade da decisão por negativa de prestação jurisdicional. Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

Portanto, consubstanciada a entrega completa da prestação Decisão


Processo Nº ROT-0000177-42.2019.5.11.0009
jurisdicional, não há como arguir nulidade. Relator ELEONORA DE SOUZA SAUNIER
Ressalto que o conhecimento do recurso de revista por RECORRENTE BERTOLINI CONSTRUCAO NAVAL
DA AMAZONIA LTDA
negativa de prestação jurisdicional possui campo restrito, ADVOGADO SILVANA MARIA IUDICE DA
SILVA(OAB: 452/AM)
consoante os termos da Súmula 459 do TST, restando
ADVOGADO DANIELLE FERNANDES
prejudicada a análise dos demais dispositivos invocados pela CORDEIRO(OAB: 7434/AM)
RECORRIDO ALESSANDRO MARTINS DA SILVA
recorrente no presente tópico.
ADVOGADO ISAEL DE JESUS GONCALVES
Não obstante, para se confirmar a versão apresentada pela AZEVEDO(OAB: 3051/AM)

parte recorrente, sobre a suspeição do perito,seria necessário


Intimado(s)/Citado(s):
reavaliar o contexto fático-probatório da causa, procedimento - BERTOLINI CONSTRUCAO NAVAL DA AMAZONIA LTDA
que não se admite em recurso de natureza extraordinária, como

é o recurso de revista, a teor da Súmula 126 do Tribunal

Superior do Trabalho. Pelo mesmo motivo,a mensão de


PODER JUDICIÁRIO
arestos para configuração do dissídio jurisprudencial sobre
JUSTIÇA DO TRABALHO
essa matéria, na hipótese, não viabiliza o processamento do

recurso. Fundamentação
De igual modo, no mérito,verifica-se que as questões RECURSO DE REVISTA
suscitadas pelas recorrentesinquestionavelmente estão Tramitação Preferencial
atreladas ao exame do conjunto fático-probatório, não se Lei 13.015/2014
tratando de mero enquadramento jurídico ao caso posto. Isso Lei 13.467/2017
porque este E.TRTfoi categórico ao afirmar, após minucioso

exame das provas produzidas nos autos, a existência de nexo

causal e aresponsabilidade objetiva do empregador, eis

queincontroversa a ocorrência do acidente típico de trabalho,

com dano ao trabalhador e nexo de causalidade. Sendo assim,

verificado que a pretensão de reforma esbarra no óbice da

Súmula n.º 126 do TST, não há falar-se em modificação do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 7
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Recorrente(s): Constituição Federal.


BERTOLINI CONSTRUÇÃO
- violação da (o) artigo 794 da Consolidação das Leis do
NAVAL DA AMAZÔNIA LTDA
Trabalho; §4º do artigo 791-A da Consolidação das Leis do

Advogado(a)(s): DANIELLE FERNANDES Trabalho;artigo 832 da Consolidação das Leis do Trabalho; §7º

CORDEIRO (AM - 7434) do artigo 879 da Consolidação das Leis do Trabalho;artigo 818

da Consolidação das Leis do Trabalho;artigo 371 do Código de


Recorrido(a)(s): ALESSANDRO MARTINS DA Processo Civil de 2015;artigo 373 do Código de Processo Civil

SILVA de 2015;artigo 479 do Código de Processo Civil de 2015;inciso

II do artigo 489 do Código de Processo Civil de 2015;inciso IV


Advogado(a)(s): ISAEL DE JESUS do §1º do artigo 489 do Código de Processo Civil de 2015;artigo
GONÇALVES AZEVEDO (AM - 186 do Código Civil;artigo 187 do Código Civil;artigo 927 do

Código Civil;artigo 949 do Código Civil;artigo 950 do Código


DA AÇÃO DECLARATÓRIA DE CONSTITUCIONALIDADE nº 58
Civil; §1º do artigo 20 da Lei nº 8213/1991; §3º do artigo 941 do
do DISTRITO FEDERAL
Código de Processo Civil de 2015.
Considerando teor da liminar concedida pelo Ministro Gilmar
- divergência jurisprudencial.
Mendes, do Supremo Tribunal Federal-STF, na MEDIDA
A recorrente alega que opôs embargos declaratórios, buscando
CAUTELAR NA AÇÃO DECLARATÓRIA DE
subrir obscuridade e omissão no acórdão, como a ausência de
CONSTITUCIONALIDADE nº 58 do DISTRITO FEDERAL,
manifestação acerca dasincongruências do laudo pericial e a
publicada no Diário da Justiça Eletrônico - DJE do STF, em 6 de
necessidade de retorno dos autos à origempara novo
julho de 2020, através da qual determinou a suspensão do
julgamento.
julgamento de todos os processos em curso no âmbito da Justiça do
Aponta ainda nulidade do acórdão, em pela ausência de
Trabalho envolvendo a aplicação dos artigos arts. 879, § 7º, e 899,
juntada do voto vencido..
§ 4º, da CLT, com a redação dada pela Lei nº 13.467/2017, e o art.
No mérito, alega que 'o acolhimento do Laudo Pericial sem a
39, capute § 1º, da Lei 8.177/91, cujas normas legais se reportam a
valoração das provas apresentadas pela Recorrente, em
índices de juros (TR ou IPCA-E), entendo ser devido esclarecer, em
especial o Parecer do Assistente técnico, e total ausência de
nome da segurança jurídica, que referida ordem de suspensão não
manifestação do Regional quanto a dedução das
alcança: a) os feitos em que não haja recurso envolvendo discussão
irregularidades da prova documental Laudo Pericial, assim
de juros; b) os feitos já transitados em julgado, até a data de
como a ausência de indicação de quais evidências foram essas
publicação da liminar em comento, ou seja, 6-7-2020; c) as
que levaram a conclusão de nexo concausal, até porque sequer
questões controvertidas alheias ao debate envolvendo índices de
vistoriou o local de trabalho do reclamante e nem explicou
juros.
como as atividades desempenhadas pelo mesmo poderiam
Ante o exposto, passo à análise dos pressupostos de
gerar impacto na região patelar, de forma a agravarem uma
admissibilidade do recurso de revista.
doença que antes já existia,violam categoricamente oart. 7º,
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
XXVIII, da CF, quanto da legislação civil subsidiariamente
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
aplicável (art. 8º daCLT), consubstanciada nos arts. 186, 187 e
publicada em 23/09/2020 - id. b576a01; recurso apresentado em
927 do CC'
05/10/2020 - id. 2e3fbc7).
Consta no v. acórdão (id. 6410bfc):
Regular a representação processual (id. d095ba6, 2c6f213).
'(...)
Satisfeito o preparo (ids. 1435396, 6b97e22, 6b97e22, 054e17d e
MÉRITO
054e17d).
Recurso da reclamada
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Doença ocupacional. Indenização por danos morais e materiais
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos
e indenização estabilitária.
Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional.
O autor ajuizou reclamatória postulando indenização por danos
Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
morais e materiais, assim como indenização estabilitária, em
Moral/Doença Ocupacional.
razão de patologias em seus joelhos, argumentando tê-las
Alegação(ões):
adquirido em virtude dos serviços prestados à reclamada, os
- violação do(s) inciso LV do artigo 5º;inciso IX do artigo 93 da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 8
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

quais lhe exigiam movimentos repetitivos e risco ergonômico descrevendo as observações feitas e as inspeções e manobras,

acentuado. tendo concluído pela existência de nexo concausal entre as

O magistrado julgou parcialmente procedentes os pedidos. patologias dos joelhos e os trabalhos executados na reclamada

A reclamada, em suas razões recursais, salienta que o laudo (id 15d8026 - pág. 12):

pericial revela-se contraditório e inservível para demonstrar a 'Com base nos documentos acostados nos Autos e as queixas

contribuição efetiva do labor para o agravamento do quadro de da entidade reclamada, concluímos por existir NEXO DE

saúde do reclamante. Argumenta, ainda, que as moléstias CONCAUSALIDADE entre as queixas do Autor com o labor que

possuem origem degenerativa e que o trabalhador não se exerceu.

encontra incapacitado para o labor. Logo, há limitação parcial e permanente para as Atividades que

Analiso. exercia ou outras que solicitem de esforço suplementar em

A responsabilidade civil do empregador pelo acidente de membros inferiores' - negritei.

trabalho e doenças ocupacionais acometidas ao empregado Em relação aos postos de trabalho (id 15d8026 - pág. 4), o

decorre tanto da ordem constitucional, por força do art. 7º, expert fez as constatações abaixo:

XXVIII, da CF, quanto da legislação civil subsidiariamente 'A descrição das Atividades na Reclamada na função de

aplicável (art. 8º da CLT), consubstanciada nos arts. 186, 187 e Soldador sucintamente era:

927 do CC, impondo-lhe o dever de reparação quando Executar serviços de soldagem em peças e embarcações;

presentes os requisitos da modalidade indenizatória subjetiva, Preparar equipamentos, acessórios consumíveis de soldagem

quais sejam, o dano, o nexo de causalidade e o dolo ou culpa e corte de peças a serem soldadas;

do agente, resultando em ato ilícito passível de reparação. Unir e cortar peças de ligas metálicas usando processos de

Infere-se dos autos que o reclamante foi admitido em soldagem e corte tais como eletrodo revestido;

17/11/2008, aos 26 anos de idade, na função de soldador, tendo Auxiliar nos processos de corte de peças das ligas metálicas

sido considerado, no momento de ingresso na ré, apto ao usando processos de soldagem;

trabalho (id a4a1110) e dispensado sem justa causa no dia Atuar na limpeza e organização do seu local de trabalho.

30/5/2018 (id 8d40328 - pág. 2). A descrição das Atividades na Reclamada na função de Líder

Por ocasião da perícia, o autor afirmou que as primeiras de Solda sucintamente era: Coordenador atividades de espaço

queixas de dor nos joelhos surgiram aproximadamente 7 anos confinado no setor de solda;

após a sua admissão, tendo sido afastado pelo INSS (código Consultar desenhos e especificações dos materiais

31) nos períodos de 9/3/2017 a 1°/1/2018 e 29/1/2018 a 3/3/2018 consumíveis a serem usados no processo de soldagem;

(id 15d8026 - pág. 2). Executar serviços de soldagem em peças e embarcações;

Foram juntados aos autos pelo reclamante exames médicos (id Preparar equipamentos, acessórios consumíveis de soldagem

a3624e1), entre os quais, destacam-se: a ressonância e corte de peças a serem soldadas;

magnética do joelho esquerdo, datada de 7/5/2018, com Coordenar equipes na limpeza e organização do estaleiro;

conclusão para condropatia patelar, traço de fissura no corno Realizar manutenção preventiva de máquinas e equipamentos

posterior do menisco medial e focos de utilizados no processo de montagem;

calcificação/ossificação no segmento distal e insercional do Executar atividades administrativas e outras correlatadas' -

ligamento patelar, associado a alterações hipertróficas da negritei.

tuberosidade anterior da tíbia, provavelmente relacionados à Quanto aos riscos ergonômicos das atividades, o perito,em

sequela de doença de Osgood-Schlatter; e a ressonância resposta ao quesito n° 13 formulado pelo reclamante, apontou

magnética do joelho direito, datada de 5/8/2016, com o seguinte (id 15d8026 - pág. 15):

diagnóstico para cartilagem patelar afilada e estiramento/lesão '13. Quais os riscos ergonômicos existentes no posto de

intrassubstancial do ligamento cruzado anterior. trabalho do (a) Reclamante? R: De acordo com o PPRA,

Registra-se que o perito produziu laudo bem elaborado, levantamento manual de peso'.

detalhado e meticuloso, com anamnese total do reclamante e No que concerne à natureza das patologias, bem como à

levando em consideração os exames juntados aos autos e contribuição do labor para o seu agravamento, afirmou o perito

outros evidenciados durante o ato pericial, o histórico (id 15d8026 - págs. 9 e 10):

ocupacional e a sua respectiva atividade laboral, assim como '(...) Na relação da doença e trabalho, o Reclamante tem uma

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 9
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

doença pré-existente, porém, pela função exercida na qual se aplica à situação dos autos dada a equiparação jurídica

Reclamada houve o agravamento da lesão. (...) De acordo com havida entre os institutos acidente do trabalho e doença do

a função do Reclamante na Reclamada, foi verificado por este trabalho, na forma do art. 20, II, da Lei n° 8.213/1991, in verbis:

Perito evidências de riscos que favorecessem o agravamento 'Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do

da doença pré-existente. (...) Na Perícia Médica realizada artigo anterior, as seguintes entidades mórbidas:

encontramos evidências que pudessem confirmar a (...)

concausalidade da doença pelo labor que exercia, além do II - doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou

mais, ao exame semiológico, os resultados foram positivos(...) desencadeada em função de condições especiais em que o

Podemos acrescentar ainda que, segundo a Classificação trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente,

proposta pelo Desembargador Sebastião Geraldo de Oliveira, a constante da relação mencionada no inciso I.

concausa no caso em questão pode ser graduada em GRAU I Art. 21. Equiparam-se também ao acidente do trabalho, para

ou BAIXA - LEVE em relação à contribuição do trabalho para a efeitos desta Lei:

patologia, mesmo sendo a concausa mínima, a contribuição do I - o acidente ligado ao trabalho que, embora não tenha sido a

trabalho foi existente.' causa única, haja contribuído diretamente para a morte do

Por fim, no tocante à incapacidade laborativa do trabalhador, segurado, para redução ou perda da sua capacidade para o

aduziu o expert(id 15d8026 - págs. 10 e 11): trabalho, ou produzido lesão que exija atenção médica para a

'Em relações as limitações para as atividades da vida sua recuperação;'

cotidianas ou para a vida social/habitual, foi evidenciado para Afasta-se, portanto, a alegação patronal de contradição do

este Perito, limitações para as Atividades esportivas ou outras laudo pericial, uma vez que o expert foi categórico em afirmar

atividades que necessitem dos membros inferiores e limitações que, ao menos, via uma contribuição mínima, o trabalho

para as Atividades laborativas que exercia ou outras que repercutiu na situação de saúde do reclamante.

solicitem de esforço suplementar. E por fim, complementamos O laudo pericial apontou corretamente na descrição da função

que o Reclamante possui Limitação parcial e permanente em de líder de solda (id 7c50561 - pág. 2) - posto de trabalho

membros inferiores. (...)' - negritei. ocupado pelo reclamante por um maior lapso contratual (a

Nota-se, por oportuno, que, embora o juiz não esteja adstrito ao contar de 1°/3/11 - id 8d40328 - pág. 4), consta, como agente

laudo pericial, consoante o disposto no art. 479 do CPC, deve ergonômico, levantamento manual de peso, o que, acrescido

firmar seu convencimento, acaso diverso do laudo, com base ao fato de um histórico ocupacional pregresso reduzido

em elementos e provas constantes dos autos, não podendo (apenas um labor anterior à reclamada - 15/2/2007 a 30/4/2008 -

dele se afastar por completo quando inexistentes elementos função de soldador - id 15d8026 - pág. 4), de ter sido admitido

outros imperativos ao convencimento do julgador. apto aos 26 anos (em 17/11/2008) e do longo período exposto

No caso em apreciação, a reclamada não produziu prova às condições ergonômicas desfavoráveis (período de efetiva

suficientemente apta a desafiar conclusão diversa da prestação de serviços superior a 8 anos), o que se revela

apresentada pelo perito, mesmo por que a manifestação da suficiente para demonstrar a contribuição mencionada pelo

perita assistente (id f46d90c) não possui força probante expert.

desqualificadora da perícia oficial. Acrescente-se que o fato de os afastamentos previdenciários

Além disso, assevera-se que o perito, quando da análise da do demandante terem ocorrido pelo código 31 - natureza não

situação dos autos, já levou em consideração para chegar à ocupacional - não afeta o reconhecimento da concausa,

sua conclusão, conforme se extrai dos trechos supra considerando que não se encontra o Poder Judiciário

transcritos, o fato de as moléstias no joelho do autor vinculado à decisão administrativa do INSS, bem como ter sido

possuírem causa preexistente, o que, todavia, não tem o assegurado o devido processo legal para produção da prova

condão de afastar a concausalidade reconhecida, uma vez que, pericial.

conforme já fora transcrito anteriormente, o labor na empresa, Elucida-se, ademais, que a eventual circunstância de ter o

ao menos, diante de tal cenário, contribuiu, ainda que de forma trabalhador se habilitado a nova profissão não prejudica, de

mínima, para o agravamento das enfermidades do reclamante, igual forma, a tese demandante, tendo em vista que, conforme

circunstância que merece a guarida da ordem jurídica pátria. se verifica do laudo pericial, a sua limitação para o labor

Nesse sentido, o disposto no artigo 21, I, da Lei n° 8.213/1991, o mostra-se, tão somente, parcial, ou seja, para atividades que

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 10
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

venham a exigir esforço suplementar em seus membros 19, § 1º, da Lei nº 8.213/1991 e 157 da CLT, quanto ao seu dever

inferiores. de preservar a higidez de seus empregados.

Narra-se, inclusive, que, na qualidade de fato impeditivo da Portanto, caracterizado o dano, o nexo de concausalidade entre

pretensão autoral ao reconhecimento da estabilidade as atividades exercidas pelo autor e as patologias que

provisória ou indenização substitutiva, caberia à empresa fazer acometeram seus joelhos, bem como demonstrada a conduta

prova da assertiva mencionada no parágrafo anterior, a teor omissiva e a culpa da reclamada, deve ser mantida a

dos arts. 818, II, da CLT e 373, II, do CPC, do que não se condenação patronal ao pagamento de indenização por danos

desvencilhou (id 1f750f5 - págs. 21 e 22). morais, ressaltando ser in re ipsa a perturbação moral infligida,

Por último, nada a repercutir na presente situação, outrossim, o daí por que desnecessária a sua comprovação, e danos

fato de o reclamante ter praticado exercício físicos antes do materiais, considerando a limitação parcial e permanente da

aparecimento dos sintomas relativos às suas moléstias (id capacidade laborativa do trabalhador para as atividades que

15d8026 - pág. 3), bem como o fato de pilotar moto (id 3ae4ce5 - exijam esforço suplementar nos membros inferiores, na forma

pág. 3), uma vez que não possuem aptidão para modificar a do art. 950 do CC.

circunstância de ter sido o trabalhador exposto à situação de Na mesma linha de entendimento, devida a indenização

risco ergonômico relativo ao levantamento manual de peso, estabilitária (art. 118 da Lei n° 8.213/1991), concernente a 12

visto em conjunto com os demais elementos fáticos meses de remuneração obreira, com acréscimo dos reflexos

supramencionados. legais (férias + 1/3, 13º salário e FGTS - 8% + 40%), referente ao

Enfim, diante do contexto probatório dos autos, entendo por período de estabilidade, observando-se o exaurimento do

devidamente comprovado o nexo de concausalidade, ainda que citado lapso (súmula n° 396 do TST), uma vez que constatada

em grau mínimo, entre as patologias dos joelhos do autor e as doença, após a dispensa, que guarda correlação com a

atividades laborais exercidas na reclamada, pelo que passo à execução do contrato de trabalho, de forma a atrair a incidência

análise da conduta da empresa. da súmula n° 378, item II, do TST, a saber:

Sabe-se que o empregador é responsável por garantir a seus 'Súmula nº 378 do TST. ESTABILIDADE PROVISÓRIA.

empregados condições de trabalho saudáveis e seguras, ACIDENTE DO TRABALHO. ART. 118 DA LEI Nº 8.213/1991.

velando pela integridade física e psíquica daqueles que lhe (...)

prestam serviços, em observância às normas constitucionais II - São pressupostos para a concessão da estabilidade o

que consagram a proteção ao valor social do trabalho e a afastamento superior a 15 dias e a conseqüente percepção do

dignidade da pessoa humana (art. 1º, III e IV, da CF). auxílio-doença acidentário, salvo se constatada, após a

Dessa feita, a ausência de fiscalização das condições de despedida, doença profissional que guarde relação de

trabalho e da implementação de medidas para neutralizar ou causalidade com a execução do contrato de emprego.' -

eliminar agentes perigosos ou nocivos, caracteriza a culpa in negritei.

vigilando, ou seja, o descuido do dever de velar pelo Esclarece-se, especificamente quanto à indenização

cumprimento de medidas preventivas com o escopo de cessar estabilitária, que doença profissional e doença do trabalho são

os efeitos que o trabalho executado em condições inadequadas espécies do gênero doença ocupacional e, embora a súmula nº

possa acarretar. 378 do TST mencione o termo doença profissional, não faz

In casu, assinala-se que a empresa não desincumbiu-se de distinção entre as duas espécies de doença ocupacional,

demonstrar a adoção, na prática, de medidas eficientes de segundo entendimento do TST, conforme aresto abaixo

proteção da integridade física autoral, uma vez que, conquanto colacionado:

tenha concedido ao trabalhador EPI´s (capacete, óculos de 'RECURSO DE REVISTA. ESTABILIDADE PROVISÓRIA.

proteção para soldador, protetor auricular tipo 'plug', máscara DOENÇA PROFISSIONAL. ART. 118 DA LEI Nº 8.213/91. Esta

de solda, mangote, toga de proteção, luvas de raspa e Corte Superior, interpretando o art. 118 da Lei nº 8.213/91, fixou

perneira), conforme se depreende do laudo pericial (id 15d8026 o entendimento, consubstanciado no item II da Súmula nº 378

- pág. 3), tais equipamentos não se revelaram suficientes para do TST, de que são pressupostos para a concessão da

evitar o agravamento do quadro de saúde do reclamante, estabilidade o afastamento superior a 15 dias e a consequente

motivo pelo qual há de ser reconhecida a sua culpa in percepção do auxílio-doença acidentário, salvo se constatada,

vigilando, assim como o desrespeito aos arts. 7º, XXII, da CF, após a despedida, doença profissional que guarde relação de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 11
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

causalidade com a execução do contrato de emprego. O a teor dos arts. 141 e 492 do CPC.

sentido teleológico da norma é assegurar ao empregado (...)

acometido por doença profissional, desde que comprovado o Montante indenizatório

nexo de causalidade entre a doença e a execução da atividade, Nas razões recursais, enquanto a reclamada almeja, de forma

a estabilidade provisória de 12 meses. Nessa perspectiva, alternativa, a redução das quantias arbitradas a título da

sendo incontroverso que a moléstia acometida ao reclamante indenização por danos morais e materiais, o reclamante pugna

guarda nexo concausal com execução do contrato de emprego, pela majoração dos respectivos valores.

não há como afastar o reconhecimento do direito a estabilidade Analiso.

provisória. Recurso de revista parcialmente conhecido e Insta esclarecer que, no momento de fixação do montante

provido. (TST - RR: 773003720065120012, Relator: Walmir indenizatório, cabe ao magistrado, além de buscar o

Oliveira da Costa, Julgamento: 15/04/2015, 1ª Turma, ressarcimento do dano e tentar coibir a prática reiterada da

Publicação: DEJT 17/04/2015) - negritei. conduta ofensiva, visando desestimular novas lesões, observar

Assegura-se, ainda, que o fato de o item II da súmula em os postulados da razoabilidade e proporcionalidade, assim

comento fazer menção à 'relação de causalidade' não como a situação econômica da empresa e do trabalhador

inviabiliza a aplicação do seu teor quando reconhecido, tão ofendido, de forma a estabelecer valores justos e adequados às

somente, o nexo concausal, conforme hipótese dos autos, nos circunstâncias do caso concreto.

termos do julgado recente do TST a seguir transcrito: Especificamente em relação ao dano extrapatrimonial, hão de

'RECURSO DE REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI ser observadas, ainda, as mudanças normativas trazidas pela

13.015/2014. RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO SOB A Lei nº 13.467/2017 - art. 223-G da CLT, as quais, pretendendo

ÉGIDE DA LEI 13.467/2017. RESPONSABILIDADE CIVIL. retirar o caráter subjetivo do arbitramento do dano moral,

DOENÇA OCUPACIONAL. NEXO CONCAUSAL. ESTABILIDADE estabeleceram critérios a serem ponderados pelo juiz por

ACIDENTÁRIA. (SÚMULA 378, II/TST). DECURSO DO PERÍODO ocasião da quantificação do respectivo dano.

ESTABILITÁRIO. INDENIZAÇÃO. SÚMULA 396, I/TST. Para a Na situação em tela, considerando que se reconheceu o nexo

concessão da estabilidade provisória advinda de acidente de concausal em relação às patologias dos joelhos do autor, em

trabalho ou doença ocupacional a ele equiparada, não é grau leve (contribuição mínima do labor para o agravamento

necessário que tenha havido o afastamento superior a 15 dias e das moléstias obreiras), assim como os princípios da

a percepção do auxílio-doença acidentário, quando razoabilidade e proporcionalidade, além do caráter inibitório da

demonstrado que o acidente ou doença guarda relação de penalidade, tenho por justo e adequado o valor de R$ 5.000,00

causalidade com a execução do pacto laboral, segundo a arbitrado a título de compensação por danos morais pelo juízo

jurisprudência desta Corte (Súmula 378, II/TST). No caso de origem, o que atende, inclusive, ao disposto no art. 223-G,

concreto, foi reconhecido o caráter ocupacional das doenças §1°, I, da CLT, em face do que o mantenho.

que acometem a Reclamante, pois possuem nexo concausal No tocante à quantia fixada em relação à indenização por

com as atividades por ela realizadas na Reclamada. Dessa danos materiais, qual seja, R$ 5.000,00, nada a reformar de

maneira, foi deferido à Obreira indenização por danos morais e igual forma, por entender plenamente compatível com as

materiais. Assim, estando presentes os requisitos que ensejam circunstâncias dos autos, observada, em especial, a extensão

o reconhecimento de que a Autora, à época da sua dispensa, do prejuízo causado à integridade física do reclamante por

preenchia as condições previstas no artigo 118 da Lei n º conduta omissiva da empresa (art. 944 do CC) - incapacidade

8.213/91, deve ser reconhecida a estabilidade provisória parcial e permanente para atividades que exijam esforço

pleiteada. Recurso de revista conhecido e provido. suplementar nos membros inferiores, assim como o grau de

(TST - RR: 15411420175110011, Relator: Mauricio Godinho culpa da empresa (contribuição leve do trabalho para o

Delgado, Data de Julgamento: 24/03/2020, 3ª Turma, Data de agravamento do quadro de saúde do trabalhador) e os

Publicação: DEJT 03/04/2020)' - negritei. princípios da razoabilidade e proporcionalidade.

Todavia, em relação à matéria, não tendo o autor requerido na Nada a reformar.

exordial (id 92a0423 - pág. 17) reflexo da remuneração do DISPOSITIVO

período estabilitário sobre o aviso prévio, dou provimento ao Em conclusão, conheço do recurso ordinário e adesivo e, no

apelo patronal no particular, a fim de excluí-lo da condenação, mérito, nego provimento ao apelo do demandante e dou parcial

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 12
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

provimento ao recurso, para excluir da condenação o reflexo Conheço dos embargos de declaração, eis que interpostos

da remuneração do período estabilitário sobre o aviso prévio, tempestivamente.

mantendo-se a sentença nos seus demais termos, na forma da Analiso.

fundamentação supra, inclusive, no tocante ao valor arbitrado à No tocante à suposta ausência do voto vencido do Exmo. Juiz

condenação. Não há alteração do valor arbitrado à condenação. Convocado ADILSON MACIEL DANTAS, rejeito os embargos,

(...) uma vez que as razões que ensejaram a divergência, no tocante

ISTO POSTO ao recurso patronal, encontram-se consignadas, no corpo do

ACORDAM as Desembargadoras do Trabalho e o Juiz do acórdão, em aceno ao art. 941, §3°, do CPC, inexiste omissão

Trabalho Convocado da SEGUNDA TURMA do Tribunal no julgado a ser reconhecida.

Regional do Trabalho da 11ª Região, por unanimidade de votos, Quanto à alegação de ausência de intimação acerca da sessão

conhecer do recurso ordinário e adesivo e, no mérito, por de julgamento, igualmente sem razão a embargante, uma vez

maioria, negar provimento ao apelo do demandante e dar que, após simples exame dos movimentos processuais, nota-

parcial provimento ao recurso patronal, para excluir da se que a pauta virtual de julgamento, em que o feito em tela

condenação o reflexo da remuneração do período estabilitário fora incluído - 19 a 24/8/2020 -, fora disponibilizada no DEJT no

sobre o aviso prévio, mantendo-se a sentença nos seus demais dia 5/8/2020 e publicada, para os efeitos legais, no dia 6/8/2020,

termos, na forma da fundamentação supra, inclusive, no inexistindo, portanto, qualquer ofensa ao devido processo legal

tocante ao valor arbitrado à condenação. Não há alteração do a ser reconhecida.

valor arbitrado à condenação. Voto parcialmente divergente do Em relação ao acolhimento da conclusão pericial, percebe-se,

Excelentíssimo Juiz do Trabalho Convocado ADILSON MACIEL tão somente, por meio de uma gama de questionamentos, uma

DANTAS, que dava provimento ao recurso patronal, para julgar tentativa da ré de rediscutir os argumentos que se

improcedentes todos os pedidos da inicial. consagraram vencedores na esfera do acórdão recorrido, o que

Sessão virtual realizada no período de 19 a 24 de agosto de extrapola os contornos processuais dos aclaratórios, conforme

2020. se depreende da transcrição de parte do julgado:

ELEONORA DE SOUZA SAUNIER [...]

Relatora O laudo pericial apontou corretamente na descrição da função

VOTOS de líder de solda (id 7c50561 - pág. 2) - posto de trabalho

Voto do(a) Des(a). ADILSON MACIEL DANTAS / Gabinete do ocupado pelo reclamante por um maior lapso contratual (a

Adilson Maciel Dantas contar de 1°/3/11 - id 8d40328 - pág. 4), consta, como agente

Venia para divergir em relação ao nexo de concausalidade ergonômico, levantamento manual de peso, o que, acrescido

vislumbrado pelo Sr. Perito. Este, em sua peçatécnica, limitou- ao fato de um histórico ocupacional pregresso reduzido

se a dizer que 'De acordo com a função do Reclamante na (apenas um labor anterior à reclamada - 15/2/2007 a 30/4/2008 -

Reclamada, foi verificado por este Perito evidências de riscos função de soldador - id 15d8026 - pág. 4), de ter sido admitido

que favorecessem o agravamento da doença pré-existente.' apto aos 26 anos (em 17/11/2008) e do longo período exposto

Todavia, não cuidou, o Sr. Perito, de dizer que evidências foram às condições ergonômicas desfavoráveis (período de efetiva

essas, até porque sequer vistoriou o local de trabalho do prestação de serviços superior a 8 anos), o que se revela

reclamante e nem explicou como as atividades desempenhadas suficiente para demonstrar a contribuição mencionada pelo

pelo mesmo poderiam gerar impacto na região patelar, de expert.[...]

forma a agravarem uma doença que antes já existia. Portanto, Esclarece-se, ainda, que, conquanto as moléstias dos joelhos

julgo improcedentes todos os pedidos da inicial, mantendo a do autor possuam origem degenerativa, tal fato não tem o

justiça gratuita e a suspensão de exigibilidade dos honorários condão de impedir o reconhecimento do nexo concausal em

advocatícios. grau mínimo, conforme laudo pericial, ou seja, de que o labor

(...)' serviu, ao menos, ainda que de forma reduzida, para o

agravamento das enfermidades do autor, fato enfretando no

Consta no v. acórdão de embargos declaratórios (id. a804d31): decisum, como se infere de parte da transcriçao:

'(...) 'O laudo pericial apontou corretamente na descrição da função

Recurso da parte de líder de solda (id 7c50561 - pág. 2) - posto de trabalho

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 13
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ocupado pelo reclamante por um maior lapso contratual (a pela parte para tê-los como prequestionados (OJ n° 118 da

contar de 1°/3/11 - id 8d40328 - pág. 4), consta, como agente SDBI-1 do TST).

ergonômico, levantamento manual de peso, o que, acrescido Logo, ao não ter sido preenchida qualquer hipótese legal a

ao fato de um histórico ocupacional pregresso reduzido justificar a interposição destes embargos de declaração, nos

(apenas um labor anterior à reclamada - 15/2/2007 a 30/4/2008 - moldes dos arts. 897-A da CLT c/c 1.022 do CPC, rejeito-os.

função de soldador - id 15d8026 - pág. 4), de ter sido admitido Dispositivo

apto aos 26 anos (em 17/11/2008) e do longo período exposto Em conclusão, conheço dos embargos e rejeito-os, nos termos

às condições ergonômicas desfavoráveis (período de efetiva da fundamentação.

prestação de serviços superior a 8 anos), o que se revela (...)'

suficiente para demonstrar a contribuição mencionada pelo Não se reconhece violação dos artigos 93, IX, da Constituição

expert' (grifei). da República, 489 do Código de Processo Civil e 832 da

Assevera-se, destarte, que o fato das atividades do autor terem Consolidação das Leis do Trabalho em face de julgado cujas

se revelado acíclicas, conforme laudo pericial (id 15d8026 - razões de decidir são fundamentadamente reveladas,

pág. 20), não inviabilizou o agravamento, ainda que em grau abarcando a totalidade dos temas controvertidos. Havendo, no

reduzido, das suas moléstias em razão das atividades acórdão, a descrição das razões de decidir do órgão julgador,

desenvolvidas na empresa, dada à exposição, por um longo aprecia devidamente as questões jurídicas em discussão nos

período, ao levantamento manual de peso, na qualidade de autos e indicando, de forma fundamentada, as razões do seu

agente ergonômico, conforme consta na descrição da função convencimento,tem-se por atendida a exigência de

de líder de solda, nos termos do mencionado no trecho acima. fundamentação inserta nos referidos dispositivos, não sendo o

Quanto à indenização estabilitária, também já fora devidamente julgador obrigado a rebater cada uma das teses da parte,ainda

consignada a argumentação jurídica que ensejou a sua que o resultado do julgamento seja contrário ao interesse da

manutenção, a qual abrangeu, além do nexo de concausalidade parte, não havendo falar em nulidade da decisão por negativa

reconhecido, o que não tem o condão de inviabilizar a de prestação jurisdicional. Portanto, consubstanciada a

aplicação do item II da Súmula n° 378 do TST ao caso em entrega completa da prestação jurisdicional, não há como

exame, conforme ali exposto, a limitação parcial e permanente arguir nulidade.

do trabalhador para as atividades que exijam esforço Ressalto que o conhecimento do recurso de revista por

suplementar nos membros inferiores, a saber: negativa de prestação jurisdicional possui campo restrito,

' Na mesma linha de entendimento, devida a indenização consoante os termos da Súmula 459 do TST, restando

estabilitária (art. 118 da Lei n° 8.213/1991), concernente a 12 prejudicada a análise dos demais dispositivos invocados pela

meses de remuneração obreira, com acréscimo dos reflexos recorrente no presente tópico.

legais (férias + 1/3, 13º salário e FGTS - 8% + 40%), referente ao No mérito,observa-se que o entendimento manifestado pela

período de estabilidade, observando-se o exaurimento do Turma está assentadono substrato fático-probatório existente

citado lapso (súmula n° 396 do TST), uma vez que constatada nos autos. Para se concluir de forma diversa seria necessário

doença, após a dispensa, que guarda correlação com a revolver fatos e provas, propósito insuscetível de ser

execução do contrato de trabalho, de forma a atrair a incidência alcançado nesta fase processual,à luz da Súmula 126 do

da súmula n° 378, item II, do TST, a saber: Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas recursais,

(...) portanto, não encontram respaldo na moldura fática retratada

Registra-se, assim, que o direito do trabalhador à indenização na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação aos

estabilitária, na forma da Súmula n° 378 do TST, originou-se, in preceitos da legislação federal e de divergência jurisprudencial,

casu, da limitação, ainda que parcial, da sua capacidade bem como nulidade do julgado por cerceamento de defesa.

laborativa (id 15d8026 - pág. 12), mostrando-se irrelevante não Quanto à alegada nulidade pela ausência de juntadado voto

ser hipótese de incapacidade total, ao inverso do que busca vencido,as razões que ensejaram a divergência, no tocante ao

fazer crer a embargante. recurso patronal, encontram-se consignadas, no corpo do

Elucida-se, ainda, que, havendo tese explícita sobre a matéria acórdão, em aceno ao art. 941, §3°, do CPC, motivo pelo

na esfera da decisão recorrida, revela-se desnecessário conter qualnão se vislumbra possível ofensa aos dispositivos da

nela referência expressa dos dispositivos legais apontados Constituição Federal e da legislação federal mencionados no

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 14
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

recurso de revista, de forma direta e literal. TR e do IPCA-E (parcela controvertida) é que deverá aguardar o

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Liquidação / pronunciamento final da Corte quando do julgamento de mérito

Cumprimento / Execução/Valor da Execução / Cálculo / desta ADC. Ressalta-se que, com a prolação de decisão final do

Atualização/Correção Monetária. STF nesta ação, eventuais reflexos da declaração de

Alegação(ões): inconstitucionalidade das normas sujeitam o exercício das

- contrariedade à(ao) : Súmula nº 211 do Tribunal Superior do pretensões à sistemática trazida pelo CPC, acima descrita'.

Trabalho. Deste modo, prezando o princípio da celeridade, mormente

- violação da (o)§4º do artigo 791-A da Consolidação das Leis reconhecendo a natureza alimentar dos créditos sub judice,

do Trabalho. entendo acertada a nova posição da Turma de que a definição

Neste tópico, alega que houve violação ao art. 879, §7º da CLT e do índice de correção deverá se dar no juízo da execução, na

que o acórdão não merece prosperar, em relação à aplicaçãodo fase de liquidação do comando decisório, observando-se o que

índice IPCA. dispõe na Súmula 211 do TST, acima transcrita, tão logo a ADC

Consta no v. acórdão (id. 6410bfc): 58-DF seja apreciada pelo STF.

'(...) Ressalte-se, para evitar tumultos no processo e

Índice de correção monetária questionamentos futuros, que na condenação se insere, como

A reclamada defende a utilização da TR como índice de parcela obrigatória, a correção monetária, sendo certo que o

correção monetária, cujo objetivo precípuo é o de manter o que ora se posterga é apenas definir, oportunamente, o índice

valor da moeda (art. 322, parágrafo 1º, do CPC), podendo ser de atualização aplicável, após proferida decisão pela Corte

aplicado independente de pedido ou condenação e integrando Suprema.

os cálculos de liquidação, conforme Súmula 211 do C. TST: Por todo exposto, acompanho entendimento majoritário da 2ª

JUROS DE MORA E CORREÇÃO MONETÁRIA. Turma do TRT da 11ª Região, firmado na sessão telepresencial

INDEPENDÊNCIA DO PEDIDO INICIAL E DO TÍTULO do dia 03.08.2020, e modifico meu posicionamento quanto ao

EXECUTIVO JUDICIAL. Os juros de mora e a correção sobrestamento da matéria em sede recursal que traga o debate

monetária incluem-se na liquidação, ainda que omisso o pedido quanto à aplicação do índice de correção monetária, na fase de

inicial ou a condenação. conhecimento.

Nessa esteira, conclui-se que a aplicação pode se dar tanto na (...)'

fase de conhecimento, como na execução/liquidação, sem que Em face da liminar concedida pelo Ministro Gilmar Mendes,

haja qualquer violação aos princípios do contraditório e da sobrestada a análise do apelo presente tópico, porque a

ampla defesa, mormente se considerada a existência de pretensão está condicionada ao índice de correção monetária a

recurso apto a impugnar eventual pronunciamento com cunho ser fixado no julgamento das Ações Declaratórias de

decisório, em momento processual próprio. Constitucionalidade nº 58 e 59 - Distrito Federal pelo Supremo

Frise-se, por relevante, que, em decisão lavrada em sede de Tribunal Federal.

embargos declaratórios nos autos da ADC 58-DF, o Ministro DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Partes e

Gilmar Mendes consignou que, a despeito da discussão sobre Procuradores/Sucumbência/Honorários Advocatícios.

qual o índice de correção monetária deve ser aplicado aos Alegação(ões):

débitos trabalhistas, não há necessidade de suspensão das - violação da (o)§3º do artigo 791-A da Consolidação das Leis

ações que em curso que versem sobre o tema, expondo, do Trabalho.

expressamente, que: - divergência jurisprudencial.

'Assim, deve ficar claro que a medida cautelar deferida na Arecorrente alega que a legislação é expressa ao afirmar que

decisão agravada não impede o regular andamento de se o Reclamante obtiver créditos em juízo deverá arcar com os

processos judiciais, tampouco a produção de atos de honorários sucumbenciais.

execução, adjudicação e transferência patrimonial no que diz Assim, requer seja reconhecido eprovido o recurso de revista,

respeito à parcela do valor das condenações que se afigura para que seja reformado o acórdão e seja compensadodo valor

incontroversa pela aplicação de qualquer dos dois índices de da condenação os honorários sucumbenciais devidos pelo

correção. A controvérsia sobre eventuais valores reclamante.

compreendidos no resultado da diferença entre a aplicação da Consta no v. acórdão (id. 6410bfc):

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 15
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

'(...) omissiva e a culpa da reclamada, deve ser mantida a

DISPOSITIVO condenação patronal ao pagamento de indenização por danos

Em conclusão, conheço do recurso ordinário e adesivo e, no morais, ressaltando ser in re ipsa a perturbação moral infligida,

mérito, nego provimento ao apelo do demandante e dou parcial daí por que desnecessária a sua comprovação, e danos

provimento ao recurso, para excluir da condenação o reflexo materiais, considerando a limitação parcial e permanente da

da remuneração do período estabilitário sobre o aviso prévio, capacidade laborativa do trabalhador para as atividades que

mantendo-se a sentença nos seus demais termos, na forma da exijam esforço suplementar nos membros inferiores, na forma

fundamentação supra, inclusive, no tocante ao valor arbitrado à do art. 950 do CC.

condenação. Não há alteração do valor arbitrado à condenação. Na mesma linha de entendimento, devida a indenização

(...)' estabilitária (art. 118 da Lei n° 8.213/1991), concernente a 12

Não se vislumbra possível violação ao dispositivo mencionado meses de remuneração obreira, com acréscimo dos reflexos

porque não foi atendida a exigência do prequestionamento. O legais (férias + 1/3, 13º salário e FGTS - 8% + 40%), referente ao

Colegiado não se pronunciou a respeito da sua aplicação à período de estabilidade, observando-se o exaurimento do

hipótese dos autos, tampouco foi instada a fazê-lo quando da citado lapso (súmula n° 396 do TST), uma vez que constatada

interposição dos embargos de declaração de id. 5278af6. doença, após a dispensa, que guarda correlação com a

Aplicam-se a Orientação Jurisprudencial 118 da Subseção I execução do contrato de trabalho, de forma a atrair a incidência

Especializada em Dissídios Individuais e a Súmula 297, ambas da súmula n° 378, item II, do TST, a saber:

do Tribunal Superior do Trabalho. 'Súmula nº 378 do TST. ESTABILIDADE PROVISÓRIA.

Rescisão do Contrato de Trabalho/Reintegração / Readmissão ACIDENTE DO TRABALHO. ART. 118 DA LEI Nº 8.213/1991.

ou Indenização/Estabilidade Acidentária. (...)

Alegação(ões): II - São pressupostos para a concessão da estabilidade o

- contrariedade à(ao) : item II da Súmula nº 378 do Tribunal afastamento superior a 15 dias e a conseqüente percepção do

Superior do Trabalho. auxílio-doença acidentário, salvo se constatada, após a

- violação da (o) artigo 950 do Código Civil. despedida, doença profissional que guarde relação de

Neste tópico, questiona como se deferir estabilidade em caso causalidade com a execução do contrato de emprego.' -

de ausência de incapacidade. Acrescenta que o órgão negritei.

previdenciário não reconheceu a lesão,tampouco a Esclarece-se, especificamente quanto à indenização

incapacidade. estabilitária, que doença profissional e doença do trabalho são

Consta no v. acórdão (id. 410bfc): espécies do gênero doença ocupacional e, embora a súmula nº

'(...) 378 do TST mencione o termo doença profissional, não faz

In casu, assinala-se que a empresa não desincumbiu-se de distinção entre as duas espécies de doença ocupacional,

demonstrar a adoção, na prática, de medidas eficientes de segundo entendimento do TST, conforme aresto abaixo

proteção da integridade física autoral, uma vez que, conquanto colacionado:

tenha concedido ao trabalhador EPI´s (capacete, óculos de 'RECURSO DE REVISTA. ESTABILIDADE PROVISÓRIA.

proteção para soldador, protetor auricular tipo 'plug', máscara DOENÇA PROFISSIONAL. ART. 118 DA LEI Nº 8.213/91. Esta

de solda, mangote, toga de proteção, luvas de raspa e Corte Superior, interpretando o art. 118 da Lei nº 8.213/91, fixou

perneira), conforme se depreende do laudo pericial (id 15d8026 o entendimento, consubstanciado no item II da Súmula nº 378

- pág. 3), tais equipamentos não se revelaram suficientes para do TST, de que são pressupostos para a concessão da

evitar o agravamento do quadro de saúde do reclamante, estabilidade o afastamento superior a 15 dias e a consequente

motivo pelo qual há de ser reconhecida a sua culpa in percepção do auxílio-doença acidentário, salvo se constatada,

vigilando, assim como o desrespeito aos arts. 7º, XXII, da CF, após a despedida, doença profissional que guarde relação de

19, § 1º, da Lei nº 8.213/1991 e 157 da CLT, quanto ao seu dever causalidade com a execução do contrato de emprego. O

de preservar a higidez de seus empregados. sentido teleológico da norma é assegurar ao empregado

Portanto, caracterizado o dano, o nexo de concausalidade entre acometido por doença profissional, desde que comprovado o

as atividades exercidas pelo autor e as patologias que nexo de causalidade entre a doença e a execução da atividade,

acometeram seus joelhos, bem como demonstrada a conduta a estabilidade provisória de 12 meses. Nessa perspectiva,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 16
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

sendo incontroverso que a moléstia acometida ao reclamante existente nos autos. Para se concluir de forma diversa seria

guarda nexo concausal com execução do contrato de emprego, necessário revolver fatos e provas, propósito insuscetível de

não há como afastar o reconhecimento do direito a estabilidade ser alcançado nesta fase processual,à luz da Súmula 126 do

provisória. Recurso de revista parcialmente conhecido e Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas recursais,

provido. (TST - RR: 773003720065120012, Relator: Walmir portanto, não encontram respaldo na moldura fática retratada

Oliveira da Costa, Julgamento: 15/04/2015, 1ª Turma, na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação aos

Publicação: DEJT 17/04/2015) - negritei. preceitos da legislação federal e de divergência jurisprudencial.

Assegura-se, ainda, que o fato de o item II da súmula em Ademais, adecisão da Turma quanto ao reconhecimento da

comento fazer menção à 'relação de causalidade' não estabilidade acidentária, no caso de nexo de concausalidade,

inviabiliza a aplicação do seu teor quando reconhecido, tão está em consonância com a manifestação reiterada do TST,

somente, o nexo concausal, conforme hipótese dos autos, nos vejamos:

termos do julgado recente do TST a seguir transcrito: 'RECURSO DE REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI

'RECURSO DE REVISTA. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI 13.015/2014 E ANTERIOR À LEI 13.467/2017. DOENÇA

13.015/2014. RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO SOB A OCUPACIONAL. ESTABILIDADE ACIDENTÁRIA. SÚMULA 378,

ÉGIDE DA LEI 13.467/2017. RESPONSABILIDADE CIVIL. II/TST. DECURSO DO PERÍODO ESTABILITÁRIO. INDENIZAÇÃO

DOENÇA OCUPACIONAL. NEXO CONCAUSAL. ESTABILIDADE SUBSTITUTIVA. SÚMULA 396, I/TST . (...) No caso dos autos, o

ACIDENTÁRIA. (SÚMULA 378, II/TST). DECURSO DO PERÍODO Tribunal Regional consignou que o trabalho exercido, apesar

ESTABILITÁRIO. INDENIZAÇÃO. SÚMULA 396, I/TST. Para a de não ser fator único, atuou como concausa para o

concessão da estabilidade provisória advinda de acidente de agravamento da doença degenerativa na coluna lombar da qual

trabalho ou doença ocupacional a ele equiparada, não é o Autor é portador, pois a atividade laboral exercida foi

necessário que tenha havido o afastamento superior a 15 dias e determinante para o agravamento da referida patologia -

a percepção do auxílio-doença acidentário, quando carregamento de botijas com peso médio de 17,33 quilos cada.

demonstrado que o acidente ou doença guarda relação de Registrou que o Reclamante foi acometido de ' lesões na

causalidade com a execução do pacto laboral, segundo a coluna (abaulamentos discais difusos em L2-L3 e L5-S1,

jurisprudência desta Corte (Súmula 378, II/TST). No caso desidratação dos discos intervertebrais de L2-L3 a L5-S1,

concreto, foi reconhecido o caráter ocupacional das doenças osteófitos em L4 e L5 e protusão discal de L2-L3 - CID: M51.9.)',

que acometem a Reclamante, pois possuem nexo concausal ponderando a conclusão da prova pericial no sentido de que

com as atividades por ela realizadas na Reclamada. Dessa 'que mesmo as patologias sendo de natureza crônico-

maneira, foi deferido à Obreira indenização por danos morais e degenerativa e mesmo a reclamada realizando revezamento, o

materiais. Assim, estando presentes os requisitos que ensejam peso das botijas e a quantidade carregada por jornada (1.262

o reconhecimento de que a Autora, à época da sua dispensa, botijas carregadas pelo reclamante, por dia, com peso médio

preenchia as condições previstas no artigo 118 da Lei n º de 17,33 quilos cada) foram determinantes para o

8.213/91, deve ser reconhecida a estabilidade provisória reconhecimento do nexo de concausalidade'. Não obstante tais

pleiteada. Recurso de revista conhecido e provido. premissas constantes no acórdão recorrido, a Corte de Origem

(TST - RR: 15411420175110011, Relator: Mauricio Godinho reformou a sentença para julgar improcedente o pedido de

Delgado, Data de Julgamento: 24/03/2020, 3ª Turma, Data de estabilidade provisória por entender não constatada doença

Publicação: DEJT 03/04/2020)' - negritei. profissional. Ocorre que, como visto, os elementos fáticos

Todavia, em relação à matéria, não tendo o autor requerido na constantes na decisão recorrida revelam que o trabalho

exordial (id 92a0423 - pág. 17) reflexo da remuneração do exercido atuou como concausa para o agravamento da

período estabilitário sobre o aviso prévio, dou provimento ao patologia da qual o Autor é portador. Tal circunstância atrai a

apelo patronal no particular, a fim de excluí-lo da condenação, incidência do item II da Súmula 378/TST, de modo que o

a teor dos arts. 141 e 492 do CPC. Obreiro faz jus à estabilidade de 12 meses prevista no art. 118

(...)' da Lei 8.213/91. No caso, uma vez exaurido o período

estabilitário, é devido apenas o pagamento da indenização, nos

No presente caso, observa-se que o entendimento manifestado moldes da Súmula 396, I/TST. Recurso de revista conhecido e

pela Turma está assentado no substrato fático-probatório provido' (RR-940-17.2017.5.11.0008, 3ª Turma, Relator Ministro

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 17
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Mauricio Godinho Delgado, DEJT 22/11/2019). - destaquei Não é razoável admitir que a manifestação reiterada do Tribunal

'(...) RECURSO DE REVISTA. LEI 13.467/2017. ESTABILIDADE Superior do Trabalho seja contra legem ou em afronta à

ACIDENTÁRIA. INDENIZAÇÃO SUBSTITUTIVA. NÃO Constituição Federal. Assim, por haver convergência entre a

CONCESSÃO DO AUXÍLIO PREVIDENCIÁRIO. tese adotada no acórdão recorrido e a iterativa, notória e atual

TRANSCENDÊNCIA. o eg. Colegiado a quo, ao concluir ser jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, não se

indevida a indenização porque ausente concessão do auxílio vislumbra possível violação aos dispositivos invocados, sendo

doença previdenciário ou acidentário e porque constatada inviável o seguimento do apelo, inclusive por divergência

apenas a concausa, contrariou a jurisprudência pacífica desta jurisprudencial (Súmula 333 do TST).

Corte, de que a estabilidade acidentária dispensa o CONCLUSÃO

afastamento pelo prazo superior a quinze dias bem como a DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

concessão de prévio auxílio-acidente quando comprovado o Publique-se e intime-se.

nexo causal ou concausal entre a doença suportada pelo cdss

trabalhador e a atividade laboral após a despedida. Assinatura

Demonstrado pelo recorrente, por meio de cotejo analítico, que MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

o eg. TRT incorreu em contrariedade à Súmula378, II, do c. TST,

o recurso deve ser conhecido e provido para condenar a ré ao LAIRTO JOSE VELOSO

pagamento de indenização dos salários e demais vantagens do Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

período de estabilidade acidentária de doze meses a contar da Decisão


Processo Nº ROT-0000199-18.2019.5.11.0004
rescisão contratual do autor. Recurso de revista de que se Relator MARIA DE FATIMA NEVES LOPES
conhece e a que se dá provimento' (ARR-2387- RECORRENTE UMANIZZARE GESTAO PRISIONAL E
SERVICOS S.A
98.2017.5.12.0012, 6ª Turma, Relatora Desembargadora ADVOGADO FELIPE SILVEIRA GURGEL DO
AMARAL(OAB: 18476/CE)
Convocada Cilene Ferreira Amaro Santos, DEJT 20/09/2019). -
RECORRIDO JUNIO MORAIS DE OLIVEIRA
destaquei ADVOGADO LUIZ CLAUDIO CRUZ DA SILVA(OAB:
6906/AM)
'(...) 2. ESTABILIDADE ACIDENTÁRIA. SÚMULA Nº 378, II. NÃO

CONHECIMENTO. Consoante o entendimento jurisprudencial Intimado(s)/Citado(s):


desta Corte Superior, há que ficar comprovado o nexo de - UMANIZZARE GESTAO PRISIONAL E SERVICOS S.A

causalidade entre a doença profissional e a execução do

contrato de trabalho, não se exigindo a percepção de auxílio-

doença acidentário e o afastamento por mais de 15 dias para o


PODER JUDICIÁRIO
reconhecimento da estabilidade de que trata o artigo 118 da Lei
JUSTIÇA DO TRABALHO
nº 8.213/91 (Súmula nº 378, II). De tal sorte, a circunstância de o

empregado não obter auxílio-doença acidentário, ou obtê-lo Fundamentação

após a cessação contratual, não lhe retira direito à estabilidade

provisória do artigo 118 da Lei nº 8.213/91. O essencial é que RECURSO DE REVISTA

haja nexo de causalidade ou concausalidade entre a doença e a Tramitação Preferencial

execução do contrato de emprego, situação que se verificou no Lei 13.015/2014

caso em apreço, já que, com fulcro na prova técnica, a Corte Lei 13.467/2017

Regional registrou a existência de concausa entre a patologia

do reclamante e os serviços por ele executados na reclamada.

Diante desse quadro fático, a decisão regional está em

consonância com a Súmula nº 378, II. Incidência dos óbices da

Súmula nº 333 e do artigo 896, § 7º, da CLT. Recurso de revista

de que não se conhece. (...)' (RR-190600-51.2006.5.15.0122, 4ª

Turma, Relator Ministro Guilherme Augusto Caputo Bastos,


Recorrente(s): UMANIZZARE GESTÃO
DEJT 06/09/2019). - destaquei
PRISIONAL E SERVIÇOS S.A

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 18
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Advogado(a)(s): existência de fatores extralaborais que corroboraram diretamente


FELIPE SILVEIRA GURGEL
com o quadro de saúde do autor. Ressalta o histórico familiar do
DO AMARAL
autor, afirmando ser um dos grandes fatos geradores da sobrecarga

Recorrido(a)(s): JUNIO MORAIS DE OLIVEIRA mental sofrida pelo reclamante. Aduz que a parte autora não se

encontra incapacitada para o trabalho. Pondera que os funcionários

da empresa passam por curso profissionalizante, bem como


Advogado(a)(s): LUIZ CLAUDIO CRUZ DA recebem gratificação penitenciária em razão do local de trabalho.

SILVA (AM - 6906) Assevera que não há elo direito entre as doenças apontadas pelo

autor e o labor na reclamada. Pugna pelo reconhecimento do direito

de regresso em face ao Estado do Amazonas. Assim, requer a


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
reforma da sentença para que seja afastada a condenação imposta,
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
julgando totalmente improcedente o pedido do reclamante ou,
publicada em 29/09/2020 - id. 8903f9e; recurso apresentado em
sucessivamente, sejam observados os princípios da
08/10/2020 - id. d7bdb5e).
proporcionalidade e razoabilidade, com a consequente redução do
Regular a representação processual (id. 0ead60c ).
seu valor.
Satisfeito o preparo (ids. 23460e1, 392fe3c; d22ad91, c9fdd16;
Pugna o reclamante, por sua vez, pela reforma da sentença em
45e81d0 e c80c0cd; e49c75f).
relação ao quantum fixado para indenização por danos morais, ao

argumento de que o valor fixado não obedece ao aspecto


PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
pedagógico da condenação, bem como não repara os danos
Responsabilidade Solidária / Subsidiária.
sofridos pelo recorrente.
Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
Analiso.
Moral/Valor Arbitrado.
O conceito de acidente de trabalho está previsto no art. 19 da Lei nº
Alegação(ões):
8.213/91, que, dentre outras providências, dispõe sobre os Planos
- contrariedade à(ao) : Súmula nº 331 do Tribunal Superior do
de Benefícios da Previdência Social. Vejamos:
Trabalho.
Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do
- violação do(s)§6º do artigo 37 da Constituição Federal.
trabalho a serviço de empresa ou de empregador doméstico ou pelo
- violação da (o) artigo 927 do Código Civil; §2º do artigo 223-F da
exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art.
Consolidação das Leis do Trabalho; §1º do artigo 71 da Lei nº
11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional
8666/1993;artigo 10 da Lei nº 6030/1980;incisos IV e V do artigo 11
que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou
da Lei nº 6030/1980.
temporária, da capacidade para o trabalho.
Sustenta que o transtorno psicológico vivenciado pelo reclamante
Por sua vez, os incisos I e II do artigo 20 da Lei nº 8.213/91
não decorre do fato de ser empregado da recorrente, mas sim de
equiparam ao acidente de trabalho as doenças produzidas ou
que o mesmo ter vivenciado uma rebelião ocorrida no interior do
desencadeadas pelo exercício do trabalho peculiar à determinada
estabelecimento prisional,o que ensejaria a responsabilização
atividade, bem como as adquiridas ou desencadeadas em função
direta e objetiva do Estado do Amazonas, considerando quea
de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se
empresarecorrente não foiresponsável pelo evento, poisfoi
relacione diretamente.
igualmente vítima da ausência de segurança que deveria ter sido
Sabe-se que a regra geral da responsabilidade do empregador por
promovida pelo Estado do Amazonas no interior da Unidade
danos acidentários é subjetiva (art. 7º, XXVIII, da CF), fazendo-se
Prisional COMPAJ.
necessária a conjugação do dano, nexo causal e culpa. Será, por
Insurge-se, ainda, contrao valor arbitrado à condenação a título de
exceção, objetiva a responsabilidade em situações de risco
indenização por danos morais, o qual julga desproporcional ao caso
acentuado, devendo a reclamada ser responsabilizada
sob análise.
independentemente da análise da culpa, caso fortuito ou força
Consta no v. acórdão (id. 3ad5637):
maior, bastando que se prove o dano decorrente da referida
'(...)
atividade.
Acidente de Trabalho - Dano moral.
No presente caso, a atividade econômica exercida pela reclamada,
reclamada alega, em síntese, que o laudo pericial encontra-se
qual seja, oferecimento de serviços terceirizados no âmbito prisional
eivados de vícios, no sentido de que não levou em conta a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 19
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

do Estado do Amazonas, enquadra-se notoriamente no conceito de Além disso, os autos noticiam que o reclamante obteve benefício

atividade de risco. previdenciário de espécie B-92 - aposentadoria por invalidez a partir

Desse modo, é possível a aplicação da responsabilidade objetiva ao de 4/9/2018 (Id 4caf206 - pág. 9).

empregador com fundamento no art. 927, parágrafo único, do Neste contexto, não há como prevalecer a alegação da reclamada

Código Civil, desde que comprovados o dano e o nexo de de que a exposição ao evento ocorrido não tem relação com o

causalidade, como ocorreu no presente caso. desenvolvimento das doenças, visto que todos os fatos levam à

Com base no acima exposto, buscando verificar a existência de conclusão contrária e os argumentos trazidos não são capazes de

nexo de causalidade entre as patologias do autor e a atividade afastar o laudo pericial.

laborativa, foi determinada a realização de perícia, pela perita Assim, entendo necessário seguir as conclusões do laudo quanto à

médica Dra. Josepha Gomes Abreu, CRM/AM 2603, que existência de nexo causal entre as patologias do autor (Transtorno

apresentou a seguinte conclusão: do Estresse Pós-Traumático (F43.1) com o acidente de trabalho

'Considerando os fatores de natureza ocupacional relacionados à (rebelião).

Reclamada, os sintomas e aspectos psíquicos desenvolvidos Ora, ainda que a reclamada tenha alegado que ofertou curso

decorrente do transtorno por estresse sofrido pelas ameaças e profissionalizante aos funcionários, é fato que cabe ao empregador

agressão verbal, resultando em incapacidade laborativa seguida de zelar pela segurança de seus funcionários, evitando, assim, que

aposentadoria por invalidez, conclui-se que há nexo de causalidade sejam expostos a situações que ponham em risco a integridade

entre doença e o ambiente laboral.' (Id 4caf206 - pág. 22) física de seus funcionários.

Analisando o laudo, observo que este se mostra suficientemente Por sua vez, o fato de a reclamada pagar gratificação penitenciária

claro e sem contradições, comportando os esclarecimentos aos seus empregados em virtude do ambiente laboral, tal verba não

necessários para a solução da controvérsia, não dando margem impede o recebimento de indenização por danos morais, uma vez

para qualquer interpretação diversa. que as parcelas possuem naturezas diversas.

Nota-se que a perita realizou amplo e detalhado estudo sobre a Por fim, quanto ao argumento da reclamada de que não tem

doença do reclamante em razão do acidente de trabalho, bem como responsabilidade sobre as condutas ilícitas praticadas pelos

fundamentou o laudo pericial com base em outras informações e detentos, devendo, portanto, a responsabilidade em responder

documentos juntados aos autos, o que corrobora sua credibilidade. pelos danos causados ao autor ser exclusivamente do Estado,

Nesse sentido, não se vislumbra qualquer contradição no laudo razão não assiste à reclamada uma vez que a recorrente é a real

pericial. empregadora do autor, logo, parte legítima para figurar no polo

Ademais, a perita ressaltou que o autor não foi submetido à passivo da presente demanda, à qual caberia implementar as

avaliação adequada no exame admissional, sendo considerado apto medidas necessárias para proteção à saúde do trabalhador.

sem restrições para a função. Além disso, acrescentou que a Ademais, na presente ação não cabe analisar a possível

reclamada não propiciou atendimento psicoterápico adequado ao responsabilização do Estado do Amazonas pelos atos praticados

reclamante, contribuindo, assim, para a manutenção de sintomas pelos detentos na rebelião, haja vista que o Estado não fez parte da

intrusivos - reexperiência do acontecimento traumático (memórias lide, bem como o exercício de direito de regresso poderá ser

perturbadoras e intrusivas do acontecimento) (Id 4caf206 - pág. 21). eventualmente exercido pela reclamada em ação própria.

Observa-se, ainda, que a perita concluiu pela existência de nexo de Por todo o exposto, considerando que a reclamada não apresenta

causalidade após estudar detidamente o histórico laboral do provas capazes de afastar as conclusões do laudo e, sobretudo,

reclamante, os fatores de natureza ocupacional, de natureza social, pela coerência das conclusões do perito em relação às demais

bem como os fatores de natureza psíquica, não havendo, porém, provas dos autos, entendo que o juízo a quo acertadamente

nenhuma ressalva quanto à possibilidade de fatores extralaborais concluiu pela existência dos requisitos ensejadores da

terem contribuído para o adoecimento do autor. responsabilidade civil, reconhecendo os danos morais ao

Conforme se verifica no laudo pericial, a perita foi clara ao afirmar reclamante.

que os sintomas e aspectos psíquicos desenvolvidos decorrente do Assim, verificado o nexo de causalidade entre a doença do autor e o

transtorno são devidos ao estresse sofrido pelas ameaças e acidente de trabalho sofrido na reclamada, entende-se

agressão verbal durante o labor na reclamada. Nesse sentido, caracterizada a obrigação de indenizar o dano moral, já que este

restou incontroverso o dano moral sofrido pelo reclamante, o que guarda relação apenas com a ocorrência do próprio dano, que se

enseja, consequentemente, a indenização. verifica pela doença acidentária, a qual, por si só, agride o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 20
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

patrimônio moral do empregado, tratando-se de dano presumido ou conforme conclusão do laudo pericial, transcrito no acórdão

in re ipsa, isto é, provado pela própria força, prescindindo de provas. regional, o autor apresenta 'sinais clínicos de 'episódio depressivo

Quanto ao valor da indenização, o art. 944 do CCB prevê que a grave'', e 'as constantes situações de stress vividos no trabalho

indenização do dano mede-se pela sua extensão, o que foram fundamentais para o desencadeamento da patologia'. Além

evidentemente não afasta o justo e equilibrado arbitramento judicial, disso, o quadro fático delineado revela que o reclamante - que é

pois embora de caráter discricionário não prescinde da análise agente de segurança - trabalhava constantemente submetido a

subjetiva do julgador, atendendo às circunstâncias de cada caso, a situações estressantes e de risco de morte, tendo a testemunha

posse do ofensor e a situação pessoal do ofendido. A primeira ouvida nos autos declarado que no período em que laborou nas

medida é amenizar a dor moral para, em seguida, reparar suas dependências da Fundação Casa 'houve cerca de 30 rebeliões;

perdas. Quanto ao ofensor, impõe-se através do quantum [que] houve uma rebelião na unidade 29 em que o reclamante foi

desestimular a prática de atos moralmente danosos, aí consistindo feito refém juntamente com o depoente; [...] que constantemente

seu caráter exemplar. sofriam ameaças do tipo 'fica de boa senão a gente passa a faca

Ademais, é certo que o juiz tem liberdade para fixar o valor das em vocês''. Assim, independentemente da culpa ou não da ré pelas

indenizações, pautando-se no bom senso e na lógica do razoável, circunstâncias que resultaram em lesão, não cabe ao autor assumir

não devendo ser fixado em valor irrisório, nem em montante que o risco da atividade, considerando-se que a doença ocupacional se

importe no enriquecimento injustificado da vítima. desenvolveu em decorrência da função de risco exercida na

Sendo assim, considerando a duração do pacto laboral, a idade do reclamada. A responsabilidade da reclamada é objetiva, nos termos

autor, o grau de contribuição da atividade laborativa para o quadro do artigo 927, parágrafo único, do Código Civil. Agravo de

de saúde do reclamante (nexo de causalidade), entendo que o valor instrumento a que se nega provimento. (...)' (AIRR-3200-

de R$20.000,00 arbitrado pelo juízo a título de danos morais deve 58.2008.5.02.0291, 7ª Turma, Relator Ministro Claudio

ser mantido, pois não importam enriquecimento ilícito do empregado Mascarenhas Brandao, DEJT 09/12/2016).

e atendem ao caráter pedagógico da indenização, guardando 'AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA.

relação com os princípios da razoabilidade e proporcionalidade. PROCESSO SOB A ÉGIDE DA LEI 13.015/2014.

Nada a reformar nesse ponto. 1.RESPONSABILIDADE CIVIL. DOENÇA OCUPACIONAL. DANOS

(...)' MORAIS. 2. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. VALOR

INDENIZATÓRIO. SÚMULA 126/TST. 3. RESTITUIÇÃO DE

No concernente à responsabilidade objetiva atribuída à recorrente, DESCONTOS REFERENTES AO CUSTEIO PELA AUTORA DE

verifico que adecisão está em consonância com a manifestação SUA COTA PARTE DO PLANO DE SAÚDE. DESPESAS MÉDICAS

reiterada do TST, vejamos: DECORRENTES DE PATOLOGIA DE CARÁTER OCUPACIONAL.

'AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA EM RESSARCIMENTO DEVIDO. (...) No caso dos autos, consta do

FACE DE DECISÃO PUBLICADA ANTES DA VIGÊNCIA DA LEI Nº acórdão recorrido que o perito do Juízo concluiu pela existência de

13.015/2014. RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. nexo concausal entre a patologia mental (depressão e síndrome do

AGENTE DE SEGURANÇA EM UNIDADE DE ATENDIMENTO pânico) apresentada pela Reclamante e as suas condições de

SOCIOEDUCATIVO. REBELIÕES. DOENÇA PSÍQUICA. DANOS trabalho na Reclamada, em que foi vítima de uma rebelião, que

MORAIS. APLICAÇÃO DA TEORIA DA RESPONSABILIDADE resultou no seu afastamento do trabalho para tratamento durante o

OBJETIVA. Perante o Direito do Trabalho, a responsabilidade do período compreendido entre 26/11/2007 e 10/03/2011, bem como

empregador, pela reparação de dano, no seu sentido mais na redução parcial e definitiva da capacidade laboral, com a

abrangente, derivante do acidente do trabalho ou de doença readaptação obreira para função compatível com sua condição

profissional a ele equiparada, sofrido pelo empregado, é subjetiva, física e psíquica. A par da discussão acerca da existência (ou não)

conforme prescreve o artigo 7º, XVIII, da Constituição Federal de de conduta culposa por parte da Reclamada, entende-se ser

1988. No entanto, pode-se considerar algumas situações em que é aplicável à hipótese a responsabilidade objetiva, porquanto a

recomendável a aplicação da responsabilidade objetiva, Obreira desenvolvia atividade de risco no cuidado de adolescentes

especialmente quando a atividade desenvolvida pelo empregador infratores (parágrafo único do art. 927 do CCB). Desse modo, diante

causar ao trabalhador um risco muito mais acentuado do que do quadro fático relatado pelo Tribunal Regional, desponta o dever

aquele imposto aos demais cidadãos, conforme previsto no de indenizar a Autora pela patologia apresentada. Outrossim, para

parágrafo único do artigo 927 do Código Civil Brasileiro. No caso, que se pudesse chegar, se fosse o caso, a conclusão fática diversa,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 21
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

seria necessário o revolvimento do conteúdo fático-probatório, o que pelo dano sofrido.

fica inviabilizado nesta instância recursal (Súmula 126/TST). Assim A alegação de divergência jurisprudencial, na hipótese, não viabiliza

sendo, não há como assegurar o processamento do recurso de o recurso, porque arestos oriundos do Supremo Tribunal Federal,

revista quando o agravo de instrumento interposto não desconstitui do Superior Tribunal de Justiça ou deTurmas do Tribunal Superior

os termos da decisão denegatória, que subsiste por seus próprios do Trabalho não ensejam o conhecimento do recurso de revista,

fundamentos. Agravo de instrumento desprovido ' (AIRR-2110- nos termos do artigo 896, alínea 'a', da Consolidação das Leis do

22.2012.5.15.0094, 3ª Turma, Relator Ministro Mauricio Godinho Trabalho.

Delgado, DEJT 28/10/2016).

'(...) PEDIDO DE INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL. ART. 515, § CONCLUSÃO

3º, DO CPC. RESPONSABILIDADE OBJETIVA. ART. 927, DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

PARÁGRAFO ÚNICO, DO CÓDIGO CIVIL. ATIVIDADE EM Publique-se e intime-se.

PRESÍDIO. REFÉM EM REBELIÃO NO LOCAL DE TRABALHO. dcm

VALOR ARBITRADO. (...) No caso em tela, não há dúvidas em Assinatura

relação à configuração da culpa patronal presumida, pois o MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

reclamante, exercendo suas atividades em penitenciária e junto aos

presidiários, executava tarefa de risco e estava exposto a uma LAIRTO JOSE VELOSO

maior probabilidade de sofrer danos se comparado com a média Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

dos demais trabalhadores. O Regional consignou, ainda, ser Decisão


Processo Nº ROT-0000560-08.2019.5.11.0013
incontroverso ter sido o reclamante mantido refém de presidiários Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA
SILVA
durante uma rebelião no local no qual trabalhava. Assim,
RECORRENTE RONIL DOS SANTOS RAMOS
considerando a função exercida pelo autor e a atividade do seu ADVOGADO LEIRY MARIA PADILHA DE
ARAUJO(OAB: 9157/AM)
empregador (administrador de presídios), que, por sua natureza,
RECORRIDO TECNOLOG TRANSPORTE RODO-
ocasiona risco à integridade física do trabalhador, torna-se AEREO E LOGISTICA LTDA.
ADVOGADO ALINE LAREDO PINTO(OAB:
imprescindível encampar a noção de responsabilidade objetiva, 4187/AM)
consoante interpretação que se extrai do artigo 927, parágrafo ADVOGADO LUAN PUGLIERI MIGUEL(OAB:
336892/SP)
único, do CC/2002; (...) Recurso de revista não conhecido' (RR- ADVOGADO ROGERIO AUGUSTO COSTA
SILVA(OAB: 295741/SP)
157100-03.2006.5.09.0658, 6ª Turma, Relator Ministro Augusto
PERITO MAURICIO ALEXANDRE DE
Cesar Leite de Carvalho, DEJT 20/02/2015). MENESES PEREIRA

Não é razoável admitir que a manifestação reiterada do Tribunal


Intimado(s)/Citado(s):
Superior do Trabalho seja contra legem ou em afronta à - RONIL DOS SANTOS RAMOS
Constituição Federal. Assim, por haver convergência entre a tese

adotada no acórdão recorrido e a iterativa, notória e atual

jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, não se vislumbra


PODER JUDICIÁRIO
possível violação aos dispositivos invocados, sendo inviável o
JUSTIÇA DO TRABALHO
seguimento do apelo, inclusive por divergência jurisprudencial

(Súmula 333 do TST). Fundamentação


No tocante ao quantum indenizatório,pelos fundamentos exarados RECURSO DE REVISTA
no acórdão, verifica-se que o arbitramento do montante Tramitação Preferencial
indenizatório se encontra dentro do poder discricionário do Lei 13.015/2014
magistrado, em observância a critérios de razoabilidade e de Lei 13.467/2017
proporcionalidade, extraídos da análise do conjunto fático e

probatório de cada demanda e dentro dos limites estabelecidos no

artigo 223-G, §1º da CLT, não havendo que sefalar em violação ao

dispositivo mencionado.

Quanto às demais violações apontadas, destaco que seus preceitos

não definem uma tarifação para a proporcionalidade da indenização

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 22
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

XXIX, da CF e 11 da CLT, o juízo de primeiro grau só poderia

acolher os pedidos da reclamação trabalhista até a data


Recorrente(s): RONIL DOS SANTOS RAMOS
retroativa de 17/05/2014.

Assiste-lhe razão.

Advogado(a)(s): Eis os fundamentos da sentença, no aspecto (Id. 159a69a, in


LEIRY MARIA PADILHA DE
fine):
ARAÚJO (exclusividade - id.
A prescrição aplicável à pretensão da indenização por danos

Recorrido(a)(s): TECNOLOG TRANSPORTE morais e/ou materiais é definida em razão do momento em que

RODO-AÉREO E LOGÍSTICA surge o dano ou da data de sua ciência inequívoca, o que

somente será possível com a análise do mérito, pois a partir da


Advogado(a)(s): ALINE LAREDO PINTO (AM - perícia em Juízo que o reclamante terá ciência da completude e

4187) estabilização das sequelas obtidas do acidente. Rejeito,

portanto, a preliminar arguida.


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Carece de reforma a decisão, no particular.
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
Cinge-se a controvérsia em definir o marco inicial da contagem
publicada em 23/09/2020 - id. b6c39f6; recurso apresentado em
de prazo de prescrição em ações cujo objeto refere-se às
05/10/2020 - id. 7a7e294).
indenizações decorrentes de acidente típico de trabalho.
Regular a representação processual (id. 6aab799).
Incontestável nos autos a ocorrência do sinistro, em
Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência
17/01/2014.
judiciária gratuita, conforme sentença (id. 159a69a), nos termos
Com efeito, na hipótese de acidente do trabalho típico, o C. TST
da OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal.
é firme no sentido de que a data inequívoca da ciência da
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
lesão, para a fluência do prazo prescricional, é a data do
Prescrição/Acidente de Trabalho.
próprio infortúnio, como ilustram os seguintes precedentes:
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos
RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº
Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional.
13.015/2014. PRESCRIÇÃO. DANO MORAL E MATERIAL.
Alegação(ões):
INDENIZAÇÃO. ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. TERMO
- violação do(s) inciso IX do artigo 93;inciso XXXV do artigo
INICIAL 1. No caso de acidente de trabalho típico, decorrente
5º;artigo 6º;inciso XXVIII do artigo 7º;inciso XXVIII do artigo 7º
de um evento lesivo caracterizado por um ato isolado, a ciência
da Constituição Federal.
inequívoca da lesão, para efeito de contagem do prazo
- violação da (o) artigo 832 da Consolidação das Leis do
prescricional, dá-se no momento do infortúnio, e não na data
Trabalho;artigo 489 do Código de Processo Civil de 2015.
da posterior cessação do auxílio-doença.2. Recurso de revista
- divergência jurisprudencial.
do Reclamante de que se conhece e a que se nega provimento.
O recorrente alega que houve nulidade do julgado, por negativa
(RR - 2866-60.2013.5.12.0003, Relator Ministro: João Oreste
de prestação jurisdicional, pois, a Turma, mesmo após a
Dalazen, Data de Julgamento: 20/04/2016, 4ª Turma, Data de
interposição de embargos declaratórios, não se manifestou
Publicação: DEJT 29/04/2016 - grifos nossos).
sobre elementos essenciais para odeslinde da controvérsia.
AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA
No mérito, sustenta que não houv prescrição.
LEI 13.015/2014. PRESCRIÇÃO TOTAL. REPARAÇÃO CIVIL
Consta no v. acórdão (id. 474ecd6):
(DANOS MORAIS E MATERIAIS). ACIDENTE TÍPICO. SEQUELA
'(...)
DE FRATURA NO ANTEBRAÇO DIREITO. CIÊNCIA DA LESÃO
MÉRITO
EM MOMENTO ANTERIOR À EC 45/2004. REGRA DE
Recurso da Reclamada
TRANSIÇÃO. ART 206, §3°, V, DO CC/2002. DESPROVIMENTO.
1. Prescrição total.
Diante da ausência de violação aos dispositivos invocados,
A reclamada sustenta que a pretensão do autor encontra-se
não há como admitir o recurso de revista. Agravo de
soterrada pela prescrição, nos moldes do art. 7º, XXIX, da
instrumento desprovido. (AIRR - 621-69.2010.5.15.0077, Relator
CF/88, uma vez que o acidente sofrido pelo obreiro se deu em
Ministro: Aloysio Corrêa da Veiga, Data de Julgamento:
17/01/2014, Todavia, a presente ação foi ajuizada em 17/05/2019
20/04/2016, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 29/04/2016).
e haja vista a prescrição quinquenal, prevista nos artigos 7°,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 23
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

(...) 2. PRESCRIÇÃO. ACIDENTE DO TRABALHO TÍPICO. OCORRIDA NA VIGÊNCIA DO CÓDIGO CIVIL DE 1916.

MARCO INICIAL. CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA LESÃO. ACTIO PRESCRIÇÃO CIVIL TRIENAL. A jurisprudência desta Corte

NATA. OCORRÊNCIA DO EVENTO DANOSO POSTERIOR À pacificou o entendimento de que às ações de indenização por

EMENDA CONSTITUCIONAL 45/2004. APLICAÇÃO DA danos materiais e morais decorrentes de acidente de trabalho

PRESCRIÇÃO PREVISTA NO ARTIGO 7º, XXIX, DA CF. ocorrido antes da vigência do CC/2002 e do advento da EC nº

PRECEDENTES. Esta Corte tem entendimento assente de que, 45/2004, aplica-se a prescrição civil, adotando-se as regras de

em se tratando de acidente do trabalho típico, a data transição do art. 2028 do CC/2002, considerando-se a data da

inequívoca da ciência da lesão, para fins de contagem do prazo lesão e a entrada em vigor do novo Código. Assim, nos casos

prescricional, é a data do próprio acidente.Precedentes. De em que o fato que gerou a suposta lesão tenha ocorrido menos

outro lado, em se tratando de infortúnio ocorrido após a de 10 anos antes da entrada em vigor do CC/2002 (11/1/2003), a

Emenda Constitucional 45/2004, este. Tribunal Superior, em prescrição aplicável é a trienal prevista no art. 206, 3º, V, do

homenagem ao princípio da segurança jurídica, pacificou CC/2002. Nessa esteira, a contagem do prazo prescricional se

entendimento de que a prescrição aplicável é a trabalhista, inicia a partir da entrada em vigor do CC/2002 (11/1/2003) e

regida pelo artigo 7º, XXIX, da Constituição Federal. Nessa termina em 11/1/2006. Verifica-se que a ciência do dano ocorreu

medida, tendo em vista que, no presente caso, o acidente se no momento da ocorrência do acidente de trabalho

consolidou após a vigência da propalada Emenda típico.Assim, considerando que a lesão tenha ocorrido em

Constitucional, assoma-se perfeitamente aplicável à hipótese o 4/6/2001, ou seja, a menos de 10 anos da entrada do CC/2002, a

prazo prescricional insculpido no artigo 7º, XXIX, da Carta de contagem do prazo prescricional de três anos, na hipótese dos

República. Precedentes. Recurso de revista conhecido e autos, inicia-se a partir da entrada em vigor do CC/2002

provido. (RR - 1087-60.2013.5.08.0107, Relatora Ministra: Dora (11/1/2003) e termina em 11/1/2006. No caso, tendo a ação sido

Maria da Costa, Data de Julgamento: 03/02/2016, 8ª Turma, Data ajuizada em 23/6/2010, caracterizada está a prescrição civil

de Publicação: DEJT 12/02/2016 - grifos nossos). trienal, na forma da jurisprudência desta Corte, o que obsta o

(...). 3. PRESCRIÇÃO. ART. 206, § 3º, V DO CÓDICO CIVIL. processamento da revista. Agravo de instrumento desprovido.

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. Consta do acórdão (AIRR - 456-26.2010.5.15.0011, Relator Desembargador

recorrido que o Autor foi vítima de acidente de trabalho, em Convocado: Arnaldo Boson Paes, Data de Julgamento:

15/07/2003, quando perdeu um dos dedos da mão durante o 25/02/2015, 7ª Turma, Data de Publicação: DEJT 06/03/2015 -

labor. Nessa hipótese, a ciência inequívoca deu-se no momento grifos nossos).

em que o ocorreu a lesão, pois trata-se de acidente típico, que Vejam-se ainda, nesse sentido, os seguintes precedentes da

não depende de evento futuro para se consolidar.Tendo SDI-1, nos quais acresço destaque:

ocorrido o acidente já na vigência do Código Civil de 2003, RECURSO DE EMBARGOS SOB A ÉGIDE DA LEI 11.496/07.

todavia antes do advento da EC 45/04, o entendimento assente QUEDA DE ESCADA SOBRE O BRAÇO DIREITO. FRATURA.

nesta Corte é no sentido de que aplica-se a prescrição prevista ACIDENTE DO TRABALHO TÍPICO OCORRIDO EM 26/03/1989

no art. 206, § 3º, V do CC. Assim, ajuizada a presente ação em (NA VIGÊNCIA DO CÓDIGO CIVIL DE 1916). AJUIZAMENTO DA

04/03/2011, há que se conhecer do recurso de revista e, no AÇÃO EM 22/05/2007 (APÓS EC 45/04). DANO MORAL. CIÊNCIA

mérito, dar-lhe provimento para pronunciar a prescrição das INEQUÍVOCA DA LESÃO NA DATA DO ACIDENTE. APLICAÇÃO

pretensões decorrentes do acidente ocorrido em 15/07/2003, DA PRESCRIÇÃO CÍVEL VINTENÁRIA. 1. A natureza da

extinguindo o processo, no particular, com resolução do prescrição incidente, se cível ou trabalhista, é matéria que se

mérito, nos termos do art. 269, IV do CPC, o que importa excluir encontra pacificada nesta Colenda Subseção Especializada I,

da condenação a indenização por danos estéticos e reduzir com o julgamento em sessão plenária de 22/05/2014, do

pela metade a condenação à compensação por danos morais. processo E-RR-2700-23.2006.5.10.0005, da relatoria do Ministro

Recurso de revista conhecido e provido. (RR - 387- Aloysio Corrêa da Veiga (DEJT em 22/08/2014): decidiu-se, por

53.2011.5.15.0077, Relator Desembargador Convocado: Tarcísio expressiva maioria, que o marco prescricional será a data da

Régis Valente, Data de Julgamento: 08/04/2015, 5ª Turma, Data ciência inequívoca da lesão e que a prescrição trabalhista é

de Publicação: DEJT 10/04/2015 - grifos nossos). aplicável para as ações em que se pleiteia o pagamento de

(...). ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. INDENIZAÇÃO POR indenização por danos morais e materiais decorrentes de

DANOS MATERIAIS E MORAIS. CIÊNCIA DA LESÃO acidente do trabalho quando a ciência inequívoca da lesão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 24
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ocorreu após a entrada em vigor da Emenda Constitucional nº Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação:

45/2004. Por outro lado, se a ciência inequívoca da lesão DEJT 14/11/2014).

houver ocorrido antes da vigência da Emenda Constitucional nº Nesse contexto, tendo em vista que o sinistro ocorreu em

45/2004, a prescrição aplicável, nesses casos, será a civil, 17/01/2014 e que a ação fora ajuizada em 17/05/2019, aplicando-

respeitada a regra de transição da prescrição prevista no art. se o prazo quinquenal previsto no art. 7º, inc. XXIX, da

2.028 do Código Civil de 2002. 2. No presente caso, extrai-se do Constituição da República, é forçoso reconhecer que a

acórdão recorrido que o acidente do trabalho típico ocorreu em pretensão do reclamante se mostra irremediavelmente

26/03/1989, sendo esta, portanto, a data da ciência inequívoca fulminada pela prescrição.

do trabalhador.A presente ação reparatória foi ajuizada em Ante o exposto, conheço do recurso ordinário e, no mérito, dou

22/05/2007, já na vigência da Emenda Constitucional nº 45/2004 -lhe provimento para acolher a prescrição total, com base no

e do Código Civil de 2002. Logo, e tendo em vista a regra de artigo 7º, XXIX, da Constituição Federal, extinguindo o feito

transição da prescrição prevista no art. 2.028 do novo Código com resolução de mérito (artigo 269, IV, do CPC).

Civil, a prescrição aplicável é mesmo a cível vintenária prevista 2. Honorários periciais.

no art. 177 do Código Civil de 1916, pois transcorridos mais de A reclamada requer, haja vista a crise mundial em que estamos

dez anos entre o fato lesivo (26/03/1989) e a data do vivendo, a pandemia do COVID 19, que este Tribunal arbitre os

ajuizamento da ação (22/05/2007) - transcorridos 18 anos -, honorários periciais em R$ 500,00.

restando preservada a norma prescricional vigente à época da Sem razão.

ciência da lesão (teoria da actio nata). Recurso de embargos Não podemos transferir os custos da crise do COVID 19 ao

conhecido não provido. (E-RR-393000-76.2007.5.12.0001, perito médico, que realizou seu trabalho a contento e também

Relator Ministro: Hugo Carlos Scheuermann, Data de sofre, como todos, os abalos diante da situação mundial que

Julgamento: 12/03/2015, Subseção I Especializada em Dissídios estamos passando.

Individuais, Data de Publicação: DEJT 20/03/2015). Nesses termos, nego provimento nesse aspecto.

PRESCRIÇÃO. DANO MORAL E MATERIAL. INDENIZAÇÃO. 3. Honorários advocatícios.

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. INFORTÚNIO OCORRIDO Considerando o disposto no art. 791-A da CLT, defiro

ANTES DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004. NORMA DE honorários de sucumbência ao patrono da reclamada, no

REGÊNCIA. CÓDIGO CIVIL 1. No caso de acidente de trabalho percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor dos pedidos

típico, decorrente de um evento lesivo caracterizado por um ato julgados improcedentes para o reclamante.

isolado, a ciência inequívoca da lesão, para efeito de contagem O percentual foi fixado levando-se em conta os critérios

do prazo prescricional, dá-se no momento do infortúnio e não previstos no §2° do art. 791-A da CLT.

na data da posterior concessão de aposentadoria por Ressalto que vencido o beneficiário da justiça gratuita, desde

invalidez.2. Ocorrida a ciência inequívoca da lesão antes da que não tenha obtido em juízo, ainda que em outro processo,

vigência da Emenda Constitucional nº 45/2004, a norma de créditos capazes de suportar a despesa, as obrigações

regência do prazo prescricional é o Código Civil. Decorridos decorrentes de sua sucumbência ficarão sob condição

menos de 10 anos entre o acidente de trabalho e a data da suspensiva de exigibilidade e somente poderão ser executadas

entrada em vigor do Código Civil de 2002 (11/1/2003), incide a se, nos dois anos subsequentes ao trânsito em julgado da

regra de transição insculpida no artigo 2.028 do novo Código. decisão que as certificou, o credor demonstrar que deixou de

Aplica-se, por conseguinte, a prescrição trienal de que trata o existir a situação de insuficiência de recursos que justificou a

artigo 206, § 3º, V, do Código Civil de 2002. Precedentes da concessão de gratuidade, extinguindo-se, passado esse prazo,

SbDI-1 do TST. 3. Assim, aplicável a regra de transição, tais obrigações do beneficiário.

objetivamente dispõe a vítima de três anos, até 11/1/2006, para 4. Impugnação a justiça gratuita.

ajuizar ação de reparação por dano moral e material decorrente Mantida a justiça gratuita ao reclamante, uma vez que se

de acidente de trabalho típico. 4. Embargos de que se conhece, encontra desempregado, não reunindo condições de arcar com

por divergência jurisprudencial, e a que se dá provimento para as custas processuais.

declarar a incidência da prescrição total do direito de ação. (E- 5. Outros.

RR - 145600-73.2007.5.17.0013, Redator Ministro: João Oreste Prejudicada, por conseguinte, a análise do recurso do

Dalazen, Data de Julgamento: 22/05/2014, Subseção I reclamante.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 25
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

DISPOSITIVO INVALIDEZ. 1. A eg. Quarta Turma deu provimento ao recurso

Ante todo o exposto, conheço do recurso ordinário interposto de revista, quanto à prescrição da indenização por danos

pela reclamada e, no mérito, dou-lhe provimento para acolher a material e moral decorrentes de acidente de trabalho, sob o

prescrição total, com base no artigo 7º, XXIX, da Constituição fundamento de que o marco inicial do prazo prescricional foi a

Federal, extinguindo o feito com resolução de mérito (artigo data em que ocorreu o acidente de trabalho, afastando a

269, IV, do CPC), nos termos da fundamentação. Custas, em consideração da aposentadoria por invalidez como data da

reversão, pelo reclamante, calculadas sobre o valor da causa ciência inequívoca da lesão. 2. Todavia, esta SBDI-1 firmou o

de R$ 282.359,63, no importe de R$ 5.647,19, das quais fica entendimento de que, tratando-se de indenização por danos

isento, por ser beneficiário da justiça gratuita. moral e material decorrente de acidente de trabalho ou doença

(...)' ocupacional, o termo inicial do prazo prescricional é a data da

Não se reconhece violação dos artigos 93, IX, da Constituição alta previdenciária ou da aposentadoria por invalidez, momento

da República, 489 do Código de Processo Civil (art. 458 da Lei em que se consolidam a extensão e a gravidade da lesão,

n. 5.869/73) e 832 da Consolidação das Leis do Trabalho em permitindo ao trabalhador ter ciência inequívoca do dano

face de julgado cujas razões de decidir são sofrido.Recurso de embargos conhecido e provido. (E-ED-RR-

fundamentadamente reveladas, abarcando a totalidade dos 17985-25.2009.5.12.0028, Relator Ministro: Walmir Oliveira da

temas controvertidos. Havendo, no acórdão, a descrição das Costa, Data de Julgamento: 08/02/2018, Subseção I

razões de decidir do órgão julgador, apreciando devidamente Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DJ

as questões jurídicas em discussão nos autos e indicando, de 16/02/2018).I

forma fundamentada, as razões do seu convencimento, tem-se NDENIZAÇÕES PORDANOS MATERIAL, MORAL E ESTÉTICO.

por atendida a exigência de fundamentação inserta nos ACIDENTE DO TRABALHO. PRESCRIÇÃO. O marco inicial da

referidos dispositivos, ainda que o resultado do julgamento prescrição, no caso de acidente do trabalho ou doença

seja contrário ao interesse da parte, não havendo falar em ocupacional, é o momento em que o trabalhador tem ciência

nulidade da decisão por negativa de prestação jurisdicional. inequívoca de sua incapacidade laboral, assim entendida a

Portanto, consubstanciada a entrega completa da prestação gravidade de seu estado de saúde e da incapacidade

jurisdicional, não há como arguir nulidade. laborativa, e não a ocorrência do acidente típico ou surgimento

Ressalto que o conhecimento do recurso de revista por da doença, nem tampouco o afastamento ou retorno por força

negativa de prestação jurisdicional possui campo restrito, de benefício previdenciário concedido pelo órgão oficial.

consoante os termos da Súmula 459 do TST, restando Inteligência das Súmulas 230 do STF e 278 do STJ, bem como

prejudicada a análise dos demais dispositivos invocados pela na Súmula 91 deste Regional, em conformidade com a

recorrente no presente tópico. jurisprudência dominante do Tribunal Superior do

Ademais, tendo a Turma acolhido a prescrição total, de fato, Trabalho.ACIDENTE DE TRABALHO. ACIDENTE DE TRÂNSITO

restou prejudicada, por conseguinte, a análise do recurso do OCORRIDO NA CONDUÇÃO DE CAMINHÃO. ATIVIDADE

recorrente. Assim, não se vislumbra possível ofensa aos PERIGOSA. ACIDENTE TÍPICO. PRESENÇA DE NEXO TÉCNICO

dispositivos da Constituição Federal e da legislação federal -EPIDEMIOLÓGICO: NEXO DE CAUSALIDADE PRESUMIDO.

mencionados no recurso de revista, de forma direta e literal. RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA RECONHECIDA.

Todavia, no que se refere ao marco inicial do prazo EXCLUDENTE DE IMPUTAÇÃO NA MODALIDADE DE CULPA

prescricional, no caso de acidente de trabalho,a parte EXCLUSIVA DA VÍTIMA AFASTADA. INDENIZAÇÕES POR

recorrente demonstrou aparente divergência jurisprudencial DANOS MATERIAL MORAL E ESTÉTICO DEVIDAS. 1. O artigo

apta a ensejar o conhecimento do recurso de revista, por meio 16 da Convenção 155 da Organização Internacional do

da ementa proveniente da Subseção I Especializada em Trabalho, ratificada pelo Brasil por meio do Decreto 1254/94,

Dissídios Individuais, bem como TRTs da 6ª, 18ª e 10ª que dispõe sobre segurança e saúde no meio ambiente de

Região,de seguinte teor: trabalho, ao disciplinar a ação em nível de empresa explicita

RECURSO DE EMBARGOS. REGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. que, '1.Deverá ser exigido dos empregadores que, na medida

ACIDENTE DE TRABALHO. INDENIZAÇÃO POR DANOS que for razoável e possível, garantam que os locais de trabalho,

MORAL E MATERIAL. PRESCRIÇÃO. MARCO INICIAL. DATA o maquinário, os equipamentos e as operações e processos

DE CONSOLIDAÇÃO DAS LESÕES. APOSENTADORIA POR que estiverem sob seu controle são seguros e não envolvem

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 26
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

risco algum para a segurançae a saúde dos trabalhadores'. 2. prazos prescricionais previstos nos artigos 7º, inciso XXIX, da

Acidente de trânsito ocorrido durante o desempenho pelo autor CF/88, e 11 da CLT, tendo como marco inicial de contagem a

da atividade de motorista, que culminou com a colisão de dois data da alta previdenciária,quando então o empregado tem

caminhões RSC 287, não tendo sido apurada a culpa do ciência inequívoca de sua incapacidade para o trabalho.

empregado pelo sinistro. 3. O trabalho executado pelo autor na Exegese das Súmulas 278 do STJ e 230 do STF. (TRT18, RO -

empresa ré (CNAE 4930-2/02 -Transporte rodoviário de carga, 0126700-05.2008.5.18.0005, Rel. PLATON TEIXEIRA DE

exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, AZEVEDO FILHO, 2ª TURMA, 26/08/2009)(TRT-18 -RO:

interestadual e internacional) apresenta alto grau de risco para 01267000520085180005 GO 0126700-05.2008.5.18.0005, Relator:

acidentes de trabalho (3), conforme Anexo V (Relação de PLATON TEIXEIRA DE AZEVEDO FILHO, DJ: 26/08/2009, 2ª

Atividades Preponderantes e Correspondentes Graus de Risco TURMA).

conforme a Classificação Nacional de Atividades Econômicas) RECURSO ORDINÁRIO. DIREITO DO TRABALHO. ACIDENTE

do Decreto 6.957/09, atraindo a responsabilização objetiva pelo DE TRABALHO. CONSOLIDAÇÃO DAS LESÕES. PRESCRIÇÃO.

risco da atividade, na forma do art. 927, parágrafo único, do CC, A prescrição aplicável às causas relacionadas a acidente de

c/c AnexoV do Decreto 6.957/09 e Lei 12.009/09, mormente trabalho ocorrido depois da vigência da EC n.º 45/2004, deve

diante da presença de nexo técnico-epidemiológico (NTEP) ser a quinquenal trabalhista, prevista no art. 7º, XXIX, da

com a atividade explorada pela ré, que guarda relação com as CF/1988. Sucede que dito prazo prescricional somente começa

lesões nas pernas do autor decorrentes do acidente noticiado. a fluir a partir da data em que o empregado toma ciência

4. Não há falar em culpa exclusiva da vítima quando a atividade inequívoca da consolidação das lesões por ele sofridas, o que,

por ela envolve o risco de sinistro. Afastada a causa excludente via de regra, corresponde à data da cessação do benefício

de imputação alegada, a responsabilidade da demandada previdenciário, havendo a respectiva alta médica ou a

decorre do elemento objetivo pela aplicação da teoria do risco conversão do auxílio-doença acidentário em aposentadoria por

da atividade e do princípio do poluidor pagador (art. 14, § 1º, da invalidez. In casu, o substrato probatório documental evidencia

Lei 6.938/81, c/c art. 225, § 3º, da CF), diante da previsibilidade que o autor recebeu auxílio-doença acidentário (espécie 91) até

de ocorrência de sinistro na atividade de condução rodoviária o dia 30.12.2014, de modo que, tendo ajuizado a presente

de caminhão, estando inegavelmente presentes os requisitos reclamatória em 22.07.2016, não há se falar em incidência da

caracterizadores da responsabilidade civil: a existência de prescrição extintiva. Recurso ordinário improvido, no

dano (lesão à integridade física do trabalhador) e o nexo de particular. (Processo: RO -0000479-44.2016.5.06.0291, Redator:

causalidade entre o acidente sofrido e o dano, e entre estes e a Mayard de Franca Saboya Albuquerque, Data de julgamento:

atividade da ré. Imputação de responsabilidade à empresa. 31/05/2018, Quarta Turma, Data da assinatura: 31/05/2018).(TRT-

DELITOS AMBIENTAIS TRABALHISTAS. ART. 132 DO CP 6 -RO: 00004794420165060291, Data de Julgamento:

EART. 19, § 2º, DA LEI 8.213/91. EXPEDIÇÃO DE OFÍCIOS. 31/05/2018,Relator(a):Juíza Convocada Mayard de França

Tendo em conta que o descumprimento de normas de saúde, Saboya Albuquerque,Quarta Turma, DJ: 05/06/2018).

segurança, medicina e higiene do trabalho constitui 1. PRESCRIÇÃO. ACIDENTE DE TRABALHO. CIÊNCIA

contravenção penal, em tese, na forma do art. 19, § 2º, da Lei INEQUÍVOCA. Nos termos do Verbete nº 32/2008 deste egrégio

8.213/91, como também a desconsideração de risco na Tribunal Regional do Trabalho e entendimento consolidado

atividade exigida do trabalhador é conduta que constitui, em pelo colendo TST, o marco inicial para a contagem da

tese, o crime do art. 132 do CP, cabível a comunicação ao prescrição, no presente caso, coincide com a data da ciênciado

Ministério Público do Trabalho, em cumprimento ao disposto indeferimento do pedido de reconsideração formulado junto à

no art. 7º da Lei 7.347/85 e arts. 5º, II, e 40 do CPP.(TRT-4 -RO: autarquia previdenciária, após aalta previdenciária. Tomando

00204830320155040030, Relator: MARCELO JOSE FERLIN ciência o trabalhador do indeferimento do pedido de

D'AMBROSO. Data de Julgamento: 07/05/2018, 2ª Turma, DJ: reconsideração em 19/6/2009, e ajuizada a presente demanda

09/05/2018).AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR ACIDENTE DE em 31/7/2014, o reconhecimento da prescrição total é

TRABALHO. PRESCRIÇÃO. TERMO INICIAL. Considerando que consequência que se impõe.(TRT-10 -RO:

o pedido de indenização por danos morais e materiais 00011042320145100102 DF, Data de Julgamento: 17/07/2019,

decorrentes de acidente de trabalho ou doença ocupacional DJ: 26/07/2019).

representa típico direito trabalhista, a este se aplicam os RECURSO ORDINÁRIO. PRESCRIÇÃO. ACIDENTE DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 27
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

TRABALHO. INÍCIO DA CONTAGEM. A ação reparatória de 1. Prescrição total.

danos decorrentes de acidente de trabalho, com a competência A reclamada sustenta que a pretensão do autor encontra-se

dada pela ECnº 45 à Justiça do Trabalho, deve ter a extinção soterrada pela prescrição, nos moldes do art. 7º, XXIX, da

das pretensões respectivas regida pelas normas do processo CF/88, uma vez que o acidente sofrido pelo obreiro se deu em

trabalhista. Prazo prescricional de cinco anos, limitado a dois 17/01/2014, Todavia, a presente ação foi ajuizada em 17/05/2019

anos após a extinção do contrato de trabalho, nos termos do e haja vista a prescrição quinquenal, prevista nos artigos 7°,

art. 7º, XXIX, da CF. Omarco inicial de contagem do prazo XXIX, da CF e 11 da CLT, o juízo de primeiro grau só poderia

prescricionaldas pretensões decorrentes é a ciência inequívoca acolher os pedidos da reclamação trabalhista até a data

da extensão da lesão e de eventual perda de capacidade retroativa de 17/05/2014.

laborativa, o que ocorreu com a alta previdenciária. Nego Assiste-lhe razão.

provimento ao recurso. (TRT-6 -RO: 00003807720165060193, Eis os fundamentos da sentença, no aspecto (Id. 159a69a, in

Data de Julgamento: 04/04/2019, Quarta Turma, Redator: Ana fine):

Claudia Petruccelli de Lima, DJ: 08/04/2019) A prescrição aplicável à pretensão da indenização por danos

Portanto, ante a demonstração de divergência jurisprudencial, morais e/ou materiais é definida em razão do momento em que

determino o processamento do recurso de revista, em surge o dano ou da data de sua ciência inequívoca, o que

atendimento ao artigo 896, alínea 'a' da Consolidação das Leis somente será possível com a análise do mérito, pois a partir da

do Trabalho. perícia em Juízo que o reclamante terá ciência da completude e

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano estabilização das sequelas obtidas do acidente. Rejeito,

Moral/Acidente de Trabalho. portanto, a preliminar arguida.

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano Carece de reforma a decisão, no particular.

Material/Acidente de Trabalho. Cinge-se a controvérsia em definir o marco inicial da contagem

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano de prazo de prescrição em ações cujo objeto refere-se às

Estético. indenizações decorrentes de acidente típico de trabalho.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Partes e Incontestável nos autos a ocorrência do sinistro, em

Procuradores/Sucumbência/Honorários Advocatícios. 17/01/2014.

Alegação(ões): Com efeito, na hipótese de acidente do trabalho típico, o C. TST

- violação do(s) incisos V e X do artigo 5º;inciso IIIIV do artigo é firme no sentido de que a data inequívoca da ciência da

1º;artigo 170 da Constituição Federal. lesão, para a fluência do prazo prescricional, é a data do

- violação da (o) artigo 950 do Código Civil; §1º do artigo 19 da próprio infortúnio, como ilustram os seguintes precedentes:

Lei nº 8213/1991;artigo 186 do Código Civil;artigo 927 do RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº

Código Civil. 13.015/2014. PRESCRIÇÃO. DANO MORAL E MATERIAL.

- divergência jurisprudencial. INDENIZAÇÃO. ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. TERMO

O recorrente busca a reforma do acórdão para que, após INICIAL 1. No caso de acidente de trabalho típico, decorrente

afastada a prescrição total pronunciada pela Turma, sejam-lhes de um evento lesivo caracterizado por um ato isolado, a ciência

deferidas indenizações por danos materiais, morais e estéticos, inequívoca da lesão, para efeito de contagem do prazo

uma vez que sofreu acidente de trabalho típico, quando prescricional, dá-se no momento do infortúnio, e não na data

desenvolvia suas atividades laborais, na empresa Recorrida. da posterior cessação do auxílio-doença.2. Recurso de revista

Requer, uma vez reconhecido o direito do Recorrente à do Reclamante de que se conhece e a que se nega provimento.

indenização pelos danos materiais, pelo E. TRT da 11.ª Região, (RR - 2866-60.2013.5.12.0003, Relator Ministro: João Oreste

a reforma da r. sentença, para retirar da condenação o Dalazen, Data de Julgamento: 20/04/2016, 4ª Turma, Data de

pagamento de honorários de sucumbência ao advogado da Publicação: DEJT 29/04/2016 - grifos nossos).

Reclamada. AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA

Consta no v. acórdão (id. 74ecd6): LEI 13.015/2014. PRESCRIÇÃO TOTAL. REPARAÇÃO CIVIL

'(...) (DANOS MORAIS E MATERIAIS). ACIDENTE TÍPICO. SEQUELA

MÉRITO DE FRATURA NO ANTEBRAÇO DIREITO. CIÊNCIA DA LESÃO

Recurso da Reclamada EM MOMENTO ANTERIOR À EC 45/2004. REGRA DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 28
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

TRANSIÇÃO. ART 206, §3°, V, DO CC/2002. DESPROVIMENTO. Recurso de revista conhecido e provido. (RR - 387-

Diante da ausência de violação aos dispositivos invocados, 53.2011.5.15.0077, Relator Desembargador Convocado: Tarcísio

não há como admitir o recurso de revista. Agravo de Régis Valente, Data de Julgamento: 08/04/2015, 5ª Turma, Data

instrumento desprovido. (AIRR - 621-69.2010.5.15.0077, Relator de Publicação: DEJT 10/04/2015 - grifos nossos).

Ministro: Aloysio Corrêa da Veiga, Data de Julgamento: (...). ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. INDENIZAÇÃO POR

20/04/2016, 6ª Turma, Data de Publicação: DEJT 29/04/2016). DANOS MATERIAIS E MORAIS. CIÊNCIA DA LESÃO

(...) 2. PRESCRIÇÃO. ACIDENTE DO TRABALHO TÍPICO. OCORRIDA NA VIGÊNCIA DO CÓDIGO CIVIL DE 1916.

MARCO INICIAL. CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA LESÃO. ACTIO PRESCRIÇÃO CIVIL TRIENAL. A jurisprudência desta Corte

NATA. OCORRÊNCIA DO EVENTO DANOSO POSTERIOR À pacificou o entendimento de que às ações de indenização por

EMENDA CONSTITUCIONAL 45/2004. APLICAÇÃO DA danos materiais e morais decorrentes de acidente de trabalho

PRESCRIÇÃO PREVISTA NO ARTIGO 7º, XXIX, DA CF. ocorrido antes da vigência do CC/2002 e do advento da EC nº

PRECEDENTES. Esta Corte tem entendimento assente de que, 45/2004, aplica-se a prescrição civil, adotando-se as regras de

em se tratando de acidente do trabalho típico, a data transição do art. 2028 do CC/2002, considerando-se a data da

inequívoca da ciência da lesão, para fins de contagem do prazo lesão e a entrada em vigor do novo Código. Assim, nos casos

prescricional, é a data do próprio acidente.Precedentes. De em que o fato que gerou a suposta lesão tenha ocorrido menos

outro lado, em se tratando de infortúnio ocorrido após a de 10 anos antes da entrada em vigor do CC/2002 (11/1/2003), a

Emenda Constitucional 45/2004, este. Tribunal Superior, em prescrição aplicável é a trienal prevista no art. 206, 3º, V, do

homenagem ao princípio da segurança jurídica, pacificou CC/2002. Nessa esteira, a contagem do prazo prescricional se

entendimento de que a prescrição aplicável é a trabalhista, inicia a partir da entrada em vigor do CC/2002 (11/1/2003) e

regida pelo artigo 7º, XXIX, da Constituição Federal. Nessa termina em 11/1/2006. Verifica-se que a ciência do dano ocorreu

medida, tendo em vista que, no presente caso, o acidente se no momento da ocorrência do acidente de trabalho

consolidou após a vigência da propalada Emenda típico.Assim, considerando que a lesão tenha ocorrido em

Constitucional, assoma-se perfeitamente aplicável à hipótese o 4/6/2001, ou seja, a menos de 10 anos da entrada do CC/2002, a

prazo prescricional insculpido no artigo 7º, XXIX, da Carta de contagem do prazo prescricional de três anos, na hipótese dos

República. Precedentes. Recurso de revista conhecido e autos, inicia-se a partir da entrada em vigor do CC/2002

provido. (RR - 1087-60.2013.5.08.0107, Relatora Ministra: Dora (11/1/2003) e termina em 11/1/2006. No caso, tendo a ação sido

Maria da Costa, Data de Julgamento: 03/02/2016, 8ª Turma, Data ajuizada em 23/6/2010, caracterizada está a prescrição civil

de Publicação: DEJT 12/02/2016 - grifos nossos). trienal, na forma da jurisprudência desta Corte, o que obsta o

(...). 3. PRESCRIÇÃO. ART. 206, § 3º, V DO CÓDICO CIVIL. processamento da revista. Agravo de instrumento desprovido.

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. Consta do acórdão (AIRR - 456-26.2010.5.15.0011, Relator Desembargador

recorrido que o Autor foi vítima de acidente de trabalho, em Convocado: Arnaldo Boson Paes, Data de Julgamento:

15/07/2003, quando perdeu um dos dedos da mão durante o 25/02/2015, 7ª Turma, Data de Publicação: DEJT 06/03/2015 -

labor. Nessa hipótese, a ciência inequívoca deu-se no momento grifos nossos).

em que o ocorreu a lesão, pois trata-se de acidente típico, que Vejam-se ainda, nesse sentido, os seguintes precedentes da

não depende de evento futuro para se consolidar.Tendo SDI-1, nos quais acresço destaque:

ocorrido o acidente já na vigência do Código Civil de 2003, RECURSO DE EMBARGOS SOB A ÉGIDE DA LEI 11.496/07.

todavia antes do advento da EC 45/04, o entendimento assente QUEDA DE ESCADA SOBRE O BRAÇO DIREITO. FRATURA.

nesta Corte é no sentido de que aplica-se a prescrição prevista ACIDENTE DO TRABALHO TÍPICO OCORRIDO EM 26/03/1989

no art. 206, § 3º, V do CC. Assim, ajuizada a presente ação em (NA VIGÊNCIA DO CÓDIGO CIVIL DE 1916). AJUIZAMENTO DA

04/03/2011, há que se conhecer do recurso de revista e, no AÇÃO EM 22/05/2007 (APÓS EC 45/04). DANO MORAL. CIÊNCIA

mérito, dar-lhe provimento para pronunciar a prescrição das INEQUÍVOCA DA LESÃO NA DATA DO ACIDENTE. APLICAÇÃO

pretensões decorrentes do acidente ocorrido em 15/07/2003, DA PRESCRIÇÃO CÍVEL VINTENÁRIA. 1. A natureza da

extinguindo o processo, no particular, com resolução do prescrição incidente, se cível ou trabalhista, é matéria que se

mérito, nos termos do art. 269, IV do CPC, o que importa excluir encontra pacificada nesta Colenda Subseção Especializada I,

da condenação a indenização por danos estéticos e reduzir com o julgamento em sessão plenária de 22/05/2014, do

pela metade a condenação à compensação por danos morais. processo E-RR-2700-23.2006.5.10.0005, da relatoria do Ministro

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 29
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Aloysio Corrêa da Veiga (DEJT em 22/08/2014): decidiu-se, por ajuizar ação de reparação por dano moral e material decorrente

expressiva maioria, que o marco prescricional será a data da de acidente de trabalho típico. 4. Embargos de que se conhece,

ciência inequívoca da lesão e que a prescrição trabalhista é por divergência jurisprudencial, e a que se dá provimento para

aplicável para as ações em que se pleiteia o pagamento de declarar a incidência da prescrição total do direito de ação. (E-

indenização por danos morais e materiais decorrentes de RR - 145600-73.2007.5.17.0013, Redator Ministro: João Oreste

acidente do trabalho quando a ciência inequívoca da lesão Dalazen, Data de Julgamento: 22/05/2014, Subseção I

ocorreu após a entrada em vigor da Emenda Constitucional nº Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação:

45/2004. Por outro lado, se a ciência inequívoca da lesão DEJT 14/11/2014).

houver ocorrido antes da vigência da Emenda Constitucional nº Nesse contexto, tendo em vista que o sinistro ocorreu em

45/2004, a prescrição aplicável, nesses casos, será a civil, 17/01/2014 e que a ação fora ajuizada em 17/05/2019, aplicando-

respeitada a regra de transição da prescrição prevista no art. se o prazo quinquenal previsto no art. 7º, inc. XXIX, da

2.028 do Código Civil de 2002. 2. No presente caso, extrai-se do Constituição da República, é forçoso reconhecer que a

acórdão recorrido que o acidente do trabalho típico ocorreu em pretensão do reclamante se mostra irremediavelmente

26/03/1989, sendo esta, portanto, a data da ciência inequívoca fulminada pela prescrição.

do trabalhador.A presente ação reparatória foi ajuizada em Ante o exposto, conheço do recurso ordinário e, no mérito, dou

22/05/2007, já na vigência da Emenda Constitucional nº 45/2004 -lhe provimento para acolher a prescrição total, com base no

e do Código Civil de 2002. Logo, e tendo em vista a regra de artigo 7º, XXIX, da Constituição Federal, extinguindo o feito

transição da prescrição prevista no art. 2.028 do novo Código com resolução de mérito (artigo 269, IV, do CPC).

Civil, a prescrição aplicável é mesmo a cível vintenária prevista 2. Honorários periciais.

no art. 177 do Código Civil de 1916, pois transcorridos mais de A reclamada requer, haja vista a crise mundial em que estamos

dez anos entre o fato lesivo (26/03/1989) e a data do vivendo, a pandemia do COVID 19, que este Tribunal arbitre os

ajuizamento da ação (22/05/2007) - transcorridos 18 anos -, honorários periciais em R$ 500,00.

restando preservada a norma prescricional vigente à época da Sem razão.

ciência da lesão (teoria da actio nata). Recurso de embargos Não podemos transferir os custos da crise do COVID 19 ao

conhecido não provido. (E-RR-393000-76.2007.5.12.0001, perito médico, que realizou seu trabalho a contento e também

Relator Ministro: Hugo Carlos Scheuermann, Data de sofre, como todos, os abalos diante da situação mundial que

Julgamento: 12/03/2015, Subseção I Especializada em Dissídios estamos passando.

Individuais, Data de Publicação: DEJT 20/03/2015). Nesses termos, nego provimento nesse aspecto.

PRESCRIÇÃO. DANO MORAL E MATERIAL. INDENIZAÇÃO. 3. Honorários advocatícios.

ACIDENTE DE TRABALHO TÍPICO. INFORTÚNIO OCORRIDO Considerando o disposto no art. 791-A da CLT, defiro

ANTES DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004. NORMA DE honorários de sucumbência ao patrono da reclamada, no

REGÊNCIA. CÓDIGO CIVIL 1. No caso de acidente de trabalho percentual de 5% (cinco por cento) sobre o valor dos pedidos

típico, decorrente de um evento lesivo caracterizado por um ato julgados improcedentes para o reclamante.

isolado, a ciência inequívoca da lesão, para efeito de contagem O percentual foi fixado levando-se em conta os critérios

do prazo prescricional, dá-se no momento do infortúnio e não previstos no §2° do art. 791-A da CLT.

na data da posterior concessão de aposentadoria por Ressalto que vencido o beneficiário da justiça gratuita, desde

invalidez.2. Ocorrida a ciência inequívoca da lesão antes da que não tenha obtido em juízo, ainda que em outro processo,

vigência da Emenda Constitucional nº 45/2004, a norma de créditos capazes de suportar a despesa, as obrigações

regência do prazo prescricional é o Código Civil. Decorridos decorrentes de sua sucumbência ficarão sob condição

menos de 10 anos entre o acidente de trabalho e a data da suspensiva de exigibilidade e somente poderão ser executadas

entrada em vigor do Código Civil de 2002 (11/1/2003), incide a se, nos dois anos subsequentes ao trânsito em julgado da

regra de transição insculpida no artigo 2.028 do novo Código. decisão que as certificou, o credor demonstrar que deixou de

Aplica-se, por conseguinte, a prescrição trienal de que trata o existir a situação de insuficiência de recursos que justificou a

artigo 206, § 3º, V, do Código Civil de 2002. Precedentes da concessão de gratuidade, extinguindo-se, passado esse prazo,

SbDI-1 do TST. 3. Assim, aplicável a regra de transição, tais obrigações do beneficiário.

objetivamente dispõe a vítima de três anos, até 11/1/2006, para 4. Impugnação a justiça gratuita.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 30
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Mantida a justiça gratuita ao reclamante, uma vez que se Fundamentação

encontra desempregado, não reunindo condições de arcar com RECURSO DE REVISTA

as custas processuais. Tramitação Preferencial

5. Outros.

Prejudicada, por conseguinte, a análise do recurso do

reclamante.

DISPOSITIVO

Ante todo o exposto, conheço do recurso ordinário interposto

pela reclamada e, no mérito, dou-lhe provimento para acolher a

prescrição total, com base no artigo 7º, XXIX, da Constituição


Recorrente(s): SALCOMP INDUSTRIAL
Federal, extinguindo o feito com resolução de mérito (artigo

269, IV, do CPC), nos termos da fundamentação. Custas, em ELETRÔNICA DA AMAZÔNIA

reversão, pelo reclamante, calculadas sobre o valor da causa


Advogado(a)(s): Priscila Lima Monteiro
de R$ 282.359,63, no importe de R$ 5.647,19, das quais fica
(exclusividade - id. 9968c20)
isento, por ser beneficiário da justiça gratuita.

(...)'
Recorrido(a)(s): SOCORRO DE OLIVEIRA
A análise da admissibilidade do recurso de revista,quanto aos
LALOR
temas acima relacionados, mostra-se desnecessária diante do

recebimento do recurso quanto ao tópico precedente


Advogado(a)(s): MÁRIO JORGE SOUZA DA
CONCLUSÃO
SILVA (AM - 2159)
Recebo parcialmente o recurso.

Dê-se ciências às partes, intimando a parte contrária para, PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS


querendo, apresentar contrarrazões ao recurso. Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
Após, remetam-se os autos ao Colendo TST. publicada em 24/09/2020 - id. ; recurso apresentado em
cdss 06/10/2020 - id. d16b633).
Assinatura Regular a representação processual (id. 51cbedc, fc776ec,
MANAUS, 5 de Novembro de 2020. c08eb4a, c08eb4a).

Satisfeito o preparo (ids. 2fca3d6, 17cee13, 5e5493e, 2433c0d e


LAIRTO JOSE VELOSO b0eb9db, 683979a).
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Decisão Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
Processo Nº ROT-0001298-13.2016.5.11.0009
Relator DAVID ALVES DE MELLO JUNIOR Moral/Doença Ocupacional.
RECORRENTE SALCOMP INDUSTRIAL Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
ELETRONICA DA AMAZONIA LTDA
ADVOGADO Priscila Lima Monteiro(OAB: 5901/AM) Moral/Valor Arbitrado.
ADVOGADO SILVYANE PARENTE DE ARAUJO Alegação(ões):
CASTRO(OAB: 7237/AM)
RECORRIDO SOCORRO DE OLIVEIRA LALOR - violação do(s) artigo 5º;artigo 7º da Constituição Federal.
ADVOGADO MARIO JORGE SOUZA DA - violação da (o)§1º do artigo 223-G da Consolidação das Leis
SILVA(OAB: 2159/AM)
ADVOGADO MAYRA CRISTINA ALMEIDA DA do Trabalho;artigo 944 do Código Civil;artigo 950 do Código
SILVA(OAB: 7552/AM)
Civil;artigo 20 da Lei nº 8213/1991;artigo 118 da Lei nº

Intimado(s)/Citado(s): 8213/1991.
- SALCOMP INDUSTRIAL ELETRONICA DA AMAZONIA LTDA - divergência jurisprudencial.

Alega a recorrente que a decisão da Turma foi equivocada, pelo

fato de a autora não ser portadora de doença ocupacional e

PODER JUDICIÁRIO não se fazem presentes os requisitos ensejadores da

JUSTIÇA DO TRABALHO responsabilidade civil (nexo de concausalidade, culpa e dano à

saúde da trabalhadora) e também não se vislumbra o caráter

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 31
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

permanente da incapacidade inerenteà indenização pleiteada. - Pág. 19).

Assim, sustenta, não há qualquer fundamentação jurídica, E, ainda, registrou a perita que a autora padece de

qualquer embasamento legal para a condenação da recorrente incapacidade laboral parcial e temporária para atividades com

em danos, vez que não houve qualquer fato gerador a ensejar sobrecarga biomecânica para o membro superior direito,

tal reparação. havendo prognóstico de cura sem apresentação de sequelas

Alternativamente, pugna pela redução do 'quantum' (Item 28, Laudo Pericial, ID. 4954495 - Pág. 24).

indenizatório. Sabe-se que o Juízo não está adstrito à conclusão pericial

Consta no v. acórdão (id. 70a5b1b): podendo firmar seu convencimento por outras provas contidas

'(...) nos autos, devendo analisar o acervo probatório como um

É O RELATÓRIO todo, permanecendo o dever de justificação do acatamento ou

VOTO não do parecer técnico, conforme dispõe o art. 479 do

Conheço do Recurso, pois preenchidos os pressupostos de NCPC/2015.

admissibilidade. Todavia, a reclamada manteve-se em impugnação genérica,

Deferida à reclamante a indenização por dano moral, em razão sem descaracterizar o elemento técnico de que a autora

da existência de nexo causal entre as enfermidades e os trabalhou com condições de risco para os membros afetados

trabalhos executados na reclamada. A empresa pretende eximir (punho e cotovelo direitos). Da mesma forma, discorreu

-se da condenação, ou diminuir seus valores. imprecisamente o laudo do assistente técnico designado pela

Doença ocupacional ré.

A reclamante, segundo a inicial (Id e01a5fd), foi admitida em Logo, acolho o laudo pericial para fins de configurar a doença

13/05/2013, na função de Montadora e dispensada em como ocupacional por causa laborativa tão somente em

01/07/2015 (pouco mais de 2 anos). Após 1 ano do início do relação às moléstias nos punho e cotovelo direitos da

contrato de trabalho, começou a sentir dores no punho, reclamante.

cotovelo e ombro direito. Realizou exame em 17/04/2015, sendo ...

diagnosticado ESSPESSAMENTO DO NERVO MEDIANO - Com a comprovação do nexo de causalidade, do lesão à saúde

SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO, no punho direito, obreira e da conduta negligente da ré, faz-se imperioso o

TENOSSINOVITE BICIPITAL no ombro direito e EPICONDILITE deferimento da reparação civil por danos morais.

no cotovelo direito. Para provar seu direito juntou aos autos Isto posto, em relação ao valor da indenização, tenho por

diversos laudos, atestados e exames que denotam a existência razoável e adequado, (i) considerando a gravidade do

das doenças alegadas (Ids 074cda, bb00360, 06a1cf2, 048b1fa, infortúnio que atingiu dois membros componentes da força

77b7926, fd5897e e 3537e10). direita da autora (punho e cotovelo), (ii) a intensidade do abalo

O Juízo de origem, considerando a conclusão do laudo pericial (reversível sem sequelas), (iii) a vedação ao enriquecimento

(Id 4954495 - Pág. 17) deferiu o pagamento de indenização por sem causa e (iv) o porte econômico da empresa (R$

danos morais, com os seguintes fundamentos: 26.631.961,00, Alteração do Contrato Social - ID. def0bce - Pág.

(...) Para enquadramento legal da enfermidade, imperiosa é a 4), o montante de R$ 18.935,00, correspondentes a vinte vezes

realização de perícia técnica para aferição não só do caráter a última remuneração da autora, conforme registro trazido no

laboral da enfermidades, mas também das sequelas advindas Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (R$ 946,75 - ID.

na capacidade laborativa do trabalhador. 5a9284d - Pág. 1).

In casu, após determinação do Juízo, concluiu a especialista O laudo pericial (Id 4954495) foi embasado em exame físico

designada: realizado na reclamante e na interpretação dos Exames e

... laudos juntados aos autos, apresentando a seguinte

Corroboraram, ainda, as respostas da , no expert sentido de conclusão:

que as atividades laborativas da autora representavam fatores CONCLUSÃO

de riscos ambientais como repetitividade de movimentos sem Nas atividades laborais da Autora na Reclamada, existiam

pausas adequadas para recuperação muscular, com exigência fatores de riscos ocupacionais para cotovelo e punho direitos,

de flexão/extensão dos punhos e dedos e pinça digital, como repetitividade de movimentos, sem pausas adequadas

associados à alta repetição (Item 8, Laudo Pericial, ID. 4954495 para recuperação muscular, com exigência de flexão/extensão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 32
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

dos punhos e dedos e pinça digital associado à alta exceção é a rejeição da perícia, que deve ser motivada, com

repetitividade. Em contrapartida, não havia exigência base em outros elementos probatórios mais convincentes em

biomecânica para o ombro direito, como movimentos de sentido contrário.

abdução e flexão dos braços acima da linha do ombro e/ou Embora o Juízo não esteja adstrito ao laudo pericial, podendo

manutenção do antebraço supinado e fletido sobre o braço ou formar a sua convicção em outros elementos de prova, a

do membro superior em abdução associados à carga apelante não apresentou prova capaz de infirmá-lo.

Considerando o histórico laboral da Reclamante, o tempo de As doenças que atingem as articulações e outras partes do

exposição aos riscos ocupacionais na Reclamada, o tempo de corpo, normalmente utilizadas pelo trabalhador em sua

latência (tempo entre o início da exposição e o início dos atividade, também podem se apresentar em qualquer pessoa

sintomas), a história patológica pregressa, os achados independentemente da profissão ou atividade exercida. Isto é

encontrados nos exames subsidiários e no exame físico, uma verdade científica, comprovada pela realidade dos fatos.

concluo pela: Porém, também é verdade científica, igualmente comprovada

EXISTÊNCIA de NEXO CAUSAL entre as doenças do cotovelo e pela realidade do cotidiano, que o trabalho pode possibilitar o

punho direitos da Autora e a atividade laboral desempenhada surgimento da enfermidade ou agravar tal quadro.

na Reclamada. Os exames acostados, segundo o laudo, demonstram síndrome

INEXISTÊNCIA de NEXO CAUSAL ou CONCAUSAL entre a do túnel do carpo, no punho direito, tenossinovite bicipital no

doença do ombro direito da Autora e a atividade laboral ombro direito e epicondilite no cotovelo direito. A reclamante

desempenhada na Reclamada.(Os destaques são do original) não apresentou incapacidade laboral durante a vigência do

Esclarece no laudo complementar (Id 7ddfe16): contrato de trabalho, no exame físico não foram constatadas

A Autora, atualmente com 43 anos, foi admitida na Reclamada atrofias musculares, diminuição de força ou limitação na

em 13/05/2013 como Montadora. Último dia de trabalho: amplitude articular. Todos os testes foram negativos.

29/05/2015. Entretanto, as atividades desempenhadas na empresa,

É destra. conforme observações da expert do Juízo (acima transcritas)

Começou a apresentar dor no membro superior direito (punho, apresentavam fatores de risco para cotovelos e punhos da

cotovelo e ombro) após um ano de trabalho na Reclamada, trabalhadora, com flexões, extensões e abduções dos punhos e

quando trabalhava na mesa do SAME, predominantemente nos dedos associados à carga e repetitividade. Registrada a

Postos da Cola e do Grampo. ausência de esforço biomecânico para os ombros.

Produção: 900 por hora. Ciclos de 4 segundos. As patologias do cotovelo e punho direitos possuem nexo

Não houve afastamento pelo INSS nem durante nem após o causal com o trabalho realizado na empresa, uma vez que,

pacto laboral com a Reclamada. após o afastamento, existiu o quadro de melhora, apresentando

Nas atividades laborais da Autora na Reclamada, existiam os testes resultados negativos para dor, assim como sem

fatores de riscos ocupacionais para cotovelo e punho direitos, incapacidade laboral.

como repetitividade de movimentos, sem pausas adequadas O risco inerente à atividade econômica do empregador dá

para recuperação muscular, com exigência de flexão/extensão origem ao dano suscetível de reparação, desde que a moléstia

dos punhos e dedos e pinça digital associados à alta adquirida no ambiente laboral traga prejuízos ao empregado.

repetitividade. Em contrapartida, não havia exigência Isso independe da caracterização de culpa do empregador, o

biomecânica para o ombro direito, como movimentos de qual era o beneficiário do trabalho prestado pelo demandante.

abdução e flexão dos braços acima da linha do ombro e/ou In casu, aplica-se integralmente o disposto no art. 927, do

manutenção do antebraço supinado e fletido sobre o braço ou Código Civil.

do membro superior em abdução associados à carga. Há Com base nestas constatações e fundado nas demais provas

incapacidade laboral parcial e temporária apenas para atividade do processo, mantenho o entendimento proclamado pela

com sobrecarga biomecânica para o membro superior direito. Instância originária.

As doenças são curáveis com o tratamento adequado e com A demandante trabalhou para a reclamada por 2 anos. Sua

evolução para a cura sem que restem sequelas. (os destaques enfermidade não é exacerbada. Porém, ainda sente incômodo

são nossos) nos movimento do punho e cotovelo, colocando-a em um

Decidir com apoio na perícia é a regra, determinada por Lei. A estado que anteriormente não sentia.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 33
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Impõe-se a manutenção do Decisum. recursais, portanto, não encontram respaldo na moldura fática

Quantum Indenizatório. retratada na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação

A condenação por danos morais e congêneres deve ser aos preceitos da legislação federal e de divergência

suficiente para reparar o dano sofrido, sem levar ao jurisprudencial.

enriquecimento indevido do empregado, nem causar a No tocante ao quantum indenizatório, cumpre registrar que o

inviabilização do negócio do empregador. Na hipótese presente arbitramento do montante se encontra dentro do poder

o empregador pretende eliminá-los ou minorá-los. discricionário do magistrado, em observância a critérios de

A reclamante apesar não ter sido afastada pelo INSS durante o razoabilidade e de proporcionalidade, extraídos da análise do

pacto laboral, percebeu várias licenças de saúde para conjunto fático e probatório de cada demanda, como se verifica

tratamento das doenças incapacitantes aqui delineadas. nos fundamentos exarados no acórdão, pelo que não há se

O Juízo não está adstrito ao laudo pericial, podendo formar falar em violação aos dispositivos mencionados, uma vez que

convicção contrária a conclusão do expert, que o auxilia na seus preceitos não definem uma tarifação para a

apreciação da matéria fática por possuir conhecimentos proporcionalidade da indenização pelo dano sofrido, o que é

técnicos e científicos específicos. A Decisão contrária ao laudo reservado ao prudente arbítrio do julgador.

pericial só é possível se existirem outras provas para tal Ou seja,os valores arbitrados não se revelam excessivos ou

entendimento. irrisórios, razão pela qual não vislumbra-se violação aos

Demonstrados nos autos nexo de causalidade, não há que se princípios da razoabilidade e da proporcionalidade

falar em eliminação das indenizações. A atividade está incluída naindenização fixada. Consequentemente,não há falar em

em grau de risco considerável. violaçãoaos arts. 5º da Constituição Federal e artigos944 , 927

Porém, é preciso fixar este valor seguindo critérios de e 186 do CC e 223-G da CLT.

razoabilidade e proporcionalidade, a fim de evitar a No tocante à divergência jurisprudencial, destaco que a SBDI-1

reincidência por parte da reclamada e o enriquecimento ilícito do TST tem firme jurisprudência no sentido de ser inviável

da reclamante. concluir pela especificidade de aresto quando se busca

In casu, verifica-se ausência de incapacidade laboral, apesar demonstrar o dissenso pretoriano quanto ao valor arbitrado a

das dores e incômodos que passou a trabalhadora por certo título de danos morais e sua revisão, dadas as peculiaridades

período. de cada caso, as circunstâncias e fatos de cada evento danoso,

Tais fatores não autorizam a manutenção dos valores deferidos com seus reflexos singulares na ordem do bem atingido e do

em 1º Grau. Por equidade, mantendo coerência entre casos ofensor, o que impossibilita o processamento da revista

semelhantes, reduzo o quantum indenizatório para o valor de (Súmula nº 296, I, do TST).

R$10.000,00, por danos morais. CONCLUSÃO

Nestes termos concede-se provimento parcial ao Recurso. DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

ISTO POSTO Publique-se e intime-se.

ACORDAM os Desembargadores da Primeira Turma do cdss

Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, por unanimidade Assinatura

de votos, conhecer do Recurso Ordinário; conceder-lhe MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

provimento parcial para, reformando a Decisão apelada, reduzir

a indenização por danos morais para R$10.000,00, mantendo-a LAIRTO JOSE VELOSO

em seus demais termos, conforme fundamentação. Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

(...)' Decisão
Processo Nº ROT-0001073-92.2018.5.11.0018
No presente caso,o entendimento manifestado pela Turma Relator MARIA DE FATIMA NEVES LOPES
sobre a responsabilidade civil da recorrente e o consequente RECORRENTE GK&B INDUSTRIA DE
COMPONENTES DA AMAZONIA
dever de indenizar está assentado no substrato fático- LTDA
ADVOGADO MAURICIO DOS SANTOS PEREIRA
probatório existente nos autos. Para se concluir de forma JUNIOR(OAB: 7768/AM)
diversa seria necessário revolver fatos e provas, propósito RECORRENTE ALCINEIDE OLIVEIRA DE CASTRO
ADVOGADO MARLY GOMES CAPOTE(OAB:
insuscetível de ser alcançado nesta fase processual,à luz da 7067/AM)
Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas RECORRIDO ALCINEIDE OLIVEIRA DE CASTRO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 34
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ADVOGADO MARLY GOMES CAPOTE(OAB:


7067/AM) Procuradores/Sucumbência/Honorários Advocatícios.
RECORRIDO GK&B INDUSTRIA DE Alegação(ões):
COMPONENTES DA AMAZONIA
LTDA - violação da (o) artigo 791-A da Consolidação das Leis do
ADVOGADO MAURICIO DOS SANTOS PEREIRA
JUNIOR(OAB: 7768/AM) Trabalho.

Orecorrente sustenta que o inciso IV, do artigo 791-A, parágrafo


Intimado(s)/Citado(s):
segundo, deixa claro que na fixação dos honorários o juiz deve
- ALCINEIDE OLIVEIRA DE CASTRO
- GK&B INDUSTRIA DE COMPONENTES DA AMAZONIA LTDA observar o trabalho realizado pelo advogado e o tempo exigido

parao seu serviço.

Argumenta que, no presente caso, '(...) para que fosse possível

obter uma decisão de julgasse necessariamente o mérito, a


PODER JUDICIÁRIO
advogada precisou ir atéo Tribunal Regional, para reverter a
JUSTIÇA DO TRABALHO
equivocada decisão primária que havia extinto todo o feito.', razão
Fundamentação por quenão se mostra sequer razoável o entendimento de que o

trabalho ficou dentro do mínimo possível para o deferimento, que se


RECURSO DE REVISTA limitou ao percentual mínimo fixado pelaNorma legal (5%).
Tramitação Preferencial Consta no v. acórdão (id. 6fa639):

'(...)

Dos honorários advocatícios.

A reclamante requer a majoração do percentual dos honorários

advocatícios arbitrados em benefício de sua patrona.

Analiso.

Como se sabe, a reforma trabalhista (Lei nº 13.467/2017) trouxe

uma série de modificações na legislação então vigente, entre elas a


Recorrente(s): ALCINEIDE OLIVEIRA DE inserção do artigo 791-A, de modo que a CLT passou a determinar
CASTRO a fixação de honorários de sucumbência, entre 5% e 15% sobre o

valor que resultar da liquidação da sentença, do proveito econômico


Advogado(a)(s): MARLY GOMES CAPOTE
obtido ou, não sendo possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado
(EXCLUSIVIDADE) (AM -
da causa.

Constato que a ação foi ajuizada em 13/9/2018, ou seja, após a


Recorrido(a)(s): GK&B INDÚSTRIA DE
vigência da Lei 13.467/2017, ocorrida a partir de 11 de novembro de
COMPONENTES DA
2017, a qual inseriu o artigo 791-A na CLT, que prevê a obrigação

da parte vencida em demanda trabalhista a pagar honorários


Advogado(a)(s): MAURÍCIO DOS SANTOS
advocatícios sucumbenciais, destinados ao advogado da parte
PEREIRA JÚNIOR e OUTRO
vencedora.

No caso dos autos, o juiz de origem deferiu à patrona da reclamante

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS honorários advocatícios sucumbenciais no importe de 5% do valor

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão da liquidação da sentença.

publicada em 24/09/2020 - id. 34178a5; recurso apresentado em No entanto, considerando o grau de complexidade da matéria objeto

06/10/2020 - id. 32f499b). do recurso, bem como observando os princípios da razoabilidade e

Regular a representação processual (id. de8285c). da proporcionalidade e atentando às peculiaridades da presente

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência demanda, mantenho o percentual dos honorários advocatícios em

judiciária gratuita, conforme sentença (id. 3a04ca1), nos termos da 5% a favor da patrona da reclamante, nos termos fixado pela

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. sentença.

Ante o exposto, nada a reformar.

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS (...)'

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Partes e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 35
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ADVOGADO LUCIANA ALMEIDA DE SOUSA E


De acordo com o artigo 896, § 1º-A, inciso I, da CLT, incluído pela SILVA(OAB: 1927/AM)
ADVOGADO MARCIO LUIZ SORDI(OAB:
Lei 13.015/2014, a parte que recorre deve 'indicar o trecho da 52670/SP)
decisão recorrida que consubstancia o prequestionamento da ADVOGADO JOSE HIGINO DE SOUSA
NETTO(OAB: 1734/AM)
controvérsia objeto do recurso de revista'. ADVOGADO GIZAH DE CAMPOS LIMA(OAB:
7336/AM)
Assim, não se viabiliza o recurso de revista, pois a parte recorrente

transcreveu o teor quase integral do acórdão dentro do tópico Intimado(s)/Citado(s):


recorrido, o que não atende à exigência do inciso I do § 1º-A do - HERLANY MENDES DA SILVA
artigo 896 da Consolidação das Leis do Trabalho, que consiste em

apontar o prequestionamento, salvo vício nascido na própria

decisão, e comprová-lo com a transcrição textual e destacada da


PODER JUDICIÁRIO
tese adotada pela Turma.
JUSTIÇA DO TRABALHO
No sentido do acima exposto são os seguintes precedentes do

Tribunal Superior do Trabalho: TST - AIRR: 16363720165060005, Fundamentação

Data de Julgamento: 19/09/2018, Data de Publicação: DEJT RECURSO DE REVISTA

21/09/2018; TST - AIRR: 6421720165140092, Relator: Alberto Luiz Tramitação Preferencial

Bresciani de Fontan Pereira, Data de Julgamento: 21/11/2018, 3ª Lei 13.015/2014

Turma, Data de Publicação: DEJT 23/11/2018; TST - AIRR:

109368320135010064, Relator: Emmanoel Pereira, Data de

Julgamento: 21/11/2018, 5ª Turma, Data de Publicação: DEJT

23/11/2018.

Portanto, no presente tópico, inviável o conhecimento do recurso de

revista porque a parte recorrente não atendeu o inciso I do § 1º-A do

artigo 896 da Consolidação das Leis do Trabalho.


Recorrente(s): HERLANY MENDES DA SILVA

CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.


Advogado(a)(s): MÁRIO JORGE OLIVEIRA DE
Publique-se e intime-se.
PAULA FILHO (AM - 2908)
dcm

Assinatura
Recorrido(a)(s): SEMP AMAZONAS S.A.
MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

LAIRTO JOSE VELOSO Advogado(a)(s): MÁRCIO LUIZ SORDI


Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11
(exclusividade - id. a16a1da)
Decisão
Processo Nº ROT-0001579-36.2016.5.11.0019
Relator DAVID ALVES DE MELLO JUNIOR PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
RECORRENTE HERLANY MENDES DA SILVA Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
ADVOGADO JESSICA LOPES DE LIMA(OAB:
10184/AM) publicada em 24/09/2020 - id. 5468a3e; recurso apresentado em
ADVOGADO ANTONIO TAVARES FERREIRA 06/10/2020 - id. 3d81982).
COSTA(OAB: 6941/AM)
ADVOGADO ANELSON BRITO DE SOUZA(OAB: Regular a representação processual (id. eb827c5).
5342/AM)
Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência
ADVOGADO CELIO ALBERTO CRUZ DE
OLIVEIRA(OAB: 2906/AM) judiciária gratuita, conforme sentença (id. 3bb4b4d), nos
ADVOGADO MARIO JORGE OLIVEIRA DE PAULA
FILHO(OAB: 2908/AM) termos da OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo
RECORRIDO SEMP AMAZONAS S.A. recursal.
ADVOGADO EVANDRA D´NICE PALHETA DE
SOUZA(OAB: 3564/AM) PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
ADVOGADO DANIELLA NOVELLINO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos
MESQUITA(OAB: 3559/AM)
Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 36
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano (...)

Moral/Doença Ocupacional. Para que surja o dever de indenizar pelos danos morais e

Alegação(ões): materiais decorrentes de doença ocupacional, a parte autora

- violação do(s) inciso IX do artigo 93;inciso XXXV do artigo deve comprovar de forma robusta e inequívoca o dano

5º;inciso XXII do artigo 7º da Constituição Federal. experimentado e o nexo causal entre a doença e as atividades

- violação da (o) artigo 3º do Código de Processo Civil de desenvolvidas durante o pacto laboral, assim como a culpa, à

2015;artigo 479 do Código de Processo Civil de 2015;artigo 489 luz do disposto no art. 186, combinado com o art. 927, do

do Código de Processo Civil de 2015;artigo 371 do Código de Código Civil.

Processo Civil de 2015;artigo 20 da Lei nº 8213/1991;artigo 21 Considerando a necessidade de apuração da existência de

da Lei nº 8213/1991;artigo 21-A da Lei nº 8213/1991. dano, cotidiano mecânico laboral e a relação entre estes, foi

- divergência jurisprudencial. realizada perícia médica, na qual o especialista concluiu pela

Orecorrente insurge-se contra o acórdão que, mantendo a inexistência de nexo causal ou concausal entre as atividades

sentença de primeiro grau, julgou improcedentes os pleitos desenvolvidas pelo reclamante e a doença que o acometeu

formulados na inicial. Alega que'não consta da r. decisão concluindo ao ID 5fec386:

recorrida qualquer cognição sobre o fato de que a empresa não Com base nos documentos acostados nos autos e na perícia

observou durante o pacto laboralnormas regulamentadoras realizada, o trabalho técnico pericial conclui pela inexistência

que disciplinam a adoção de medidas para minorar o impacto de nexo causal ou concausalentre as patologias nos membros

dosriscos das atividades concernentes às rotinas de trabalho superiores da Autora e o trabalho executado na Reclamada.

da empresa, assim como a adoção de medidas preventivas nas A reclamada manifestou concordância, mas a autora formulou

áreas de segurança, saúde e higiene doambiente de trabalho'. um quesito complementar, questionando se é plausível que o

Alega quea Turma elegeu como único fundamento o resultado trabalho possa ter desencadeado as moléstias e se a falta de

da perícia realizada nainstância original e somente fez mera exame médico à época pode ter atrapalhado a caracterização

referência a algumas normas mas negligenciou a aplicação real do nexo causal.

de todo o vasto acervo legalà matéria posta 'sub judice'.. O perito esclarece com excelência que não pode se ater a

Consta no v. acórdão (id. 1e0727): conjecturas e especulações e ressalta, ainda, que a atividade

'(...) desempenhada não apresentava risco compatível com o

É O RELATÓRIO desencadeamento das doenças.

VOTO Acolho a conclusão do perito, pois alcançada após

Conheço do Recurso, pois preenchidos os pressupostos de levantamento do histórico ocupacional, ponderação das

admissibilidade. atividades desempenhadas, exame físico e esclarecimentos

A recorrente, segundo inicial (Id 979ba07) foi contratada em das peculiaridades das moléstias.

04/02/2010 para trabalhar, na função de Ajustadora, sendo Considerando que o laudo atestou contra a possibilidade de

dispensada em 05/02/2015. Foi diagnosticada com as seguintes que as doenças sejam resultado das condições de trabalho na

enfermidades: TENDINOPATIA DO SUPRA EXPINHAL NO reclamada, afastando a existência de nexo causal ou

OMBRO DIREITO, EPICODILITE LATERAL NOS COTOVELOS, concausal, resta ausente um dos requisitos para a

TENOSSINOVITE DO 6º COMPARTIMENTO DOS EXTENSORES configuração da responsabilidade e, consequentemente,

NO PUNHO DIREITO, OSTEOARTRITE NA CLSVÍCULA DIREITA, indevida qualquer indenização.

TENDINOPATIA CALCÁRIA DO SUPRA EXPINHAL, BURSITE E Isto posto, julgo improcedentes os pedidos de indenização por

ARTROPATIA ACRÔMIO CLAVICULAR NO OMBRO DIREITO E danos morais e de indenização por danos materiais. (os

NEUROPATIA DO NERVO MEDIANO, TENOSSINOVITE DE destaques são do original)

QUERVAIN DO PUNHO DIREITO. Suas atividades exigiam O art. 337, § 3º, do Decreto n. 3.048, de 6 de maio de 1999,

esforço nos ombros, cotovelo e punhos, agravando regulamentou o art. 21-A da Lei n. 8.213, de 24 de julho de 1991,

sensivelmente seu estado de saúde. nos seguintes termos:

O Juízo de origem, considerando a conclusão do expert, Considera-se estabelecido o nexo entre o trabalho e o agravo

indeferiu os pleitos da recorrente, com os seguintes quando se verificar nexo técnico epidemiológico entre a

fundamentos (Id. e4e4b20): atividade da empresa e a entidade mórbida motivadora da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 37
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

incapacidade, elencada na Classificação Internacional de A nova análise do processo, a nível recursal, não identificou

Doenças - CID em conformidade com o disposto na Lista C do qualquer prova suficiente para desconstituir as provas que

Anexo II deste Regulamento. (Redação dada pelo Decreto nº fundamentaram a Decisão recorrida.

6.957, de 2009) Não se evidenciando, portanto, o nexo causal ou concausal

A Lista C do Anexo II do referido Decreto discrimina a patologia entre as patologias da reclamante e o trabalho por ele exercido,

encontrada nos punhos, cotovelo e ombros da reclamante não há que se falar em estabilidade provisória, nem danos

como enquadradas na hipótese de nexo técnico morais e materiais.

epidemiológico com a atividade econômica da reclamada. Nestes termos, nega-se provimento ao Recurso.

Porém, deve ser considerada a ressalva contida no art. 337, § (...)'

6º, do Decreto n. 3.048, de 1999, bem como no art. 21-A, § 1º, da Não se reconhece violação dos artigos 93, IX, da Constituição

Lei n. 8.213, de 1991, segundo a qual se desconsiderará o nexo da República, 489 do Código de Processo Civil (art. 458 da Lei

técnico epidemiológico entre a atividade da empresa e a n. 5.869/73)e 832 da Consolidação das Leis do Trabalho em

moléstia motivadora da incapacidade, quando demonstrada face de julgado cujas razões de decidir são

inexistente o nexo causal entre o trabalho e a doença alegada. fundamentadamente reveladas, abarcando a totalidade dos

In casu, a prova pericial foi pela inexistência de nexo de temas controvertidos. Havendo, no acórdão, a descrição das

causalidade, ou concausalidade, entre a patologia que acomete razões de decidir do órgão julgador, apreciando devidamente

a recorrente e as atividades exercidas na empresa recorrida (Id as questões jurídicas em discussão nos autos e indicando, de

5fec386), conforme conclusão transcrita no corpo da Sentença forma fundamentada, as razões do seu convencimento, tem-se

acima. por atendida a exigência de fundamentação inserta nos

O Juízo não fica adstrito ao laudo pericial, podendo valer-se de referidos dispositivos, ainda que o resultado do julgamento

outras provas do processo. Entretanto, neste caso não há seja contrário ao interesse da parte, não havendo falar em

qualquer prova favorável à trabalhadora. Não basta provar a nulidade da decisão por negativa de prestação jurisdicional.

doença, torna-se necessário vinculá-la à rotina laboral, pelo Portanto, consubstanciada a entrega completa da prestação

menos como concausa. Sem este liame, não se pode condenar jurisdicional, não há como arguir nulidade.

o empregador. Portanto, as alegações recursais não se Ressalto que o conhecimento do recurso de revista por

sustentam diante da prova dos autos e não infirmam a Decisão negativa de prestação jurisdicional possui campo restrito,

recorrida. consoante os termos da Súmula 459 do TST, restando

O laudo, ao contrário do que sugere a recorrente, cumpriu seu prejudicada a análise dos demais dispositivos invocados pela

mister de forma convincente, emitindo suas conclusões com recorrente no presente tópico.

base no histórico clínico e ocupacional, no exame físico e na No mérito, observa-se que o entendimento manifestado pela

análise ergonômica das atividades realizadas pela recorrente. Turma está assentado no substrato fático-probatório existente

Relatou que as atividades da reclamante no ambiente de nos autos. Para se concluir de forma diversa seria necessário

trabalho não eram repetitivas, nem demandavam movimentos revolver fatos e provas, propósito insuscetível de ser

relacionados à elevação dos braços acima da linha dos alcançado nesta fase processual,à luz da Súmula 126 do

ombros, carregamento de peso com os braços elevados, Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas recursais,

pressões localizadas nos ombros, sem exposição a vibração, portanto, não encontram respaldo na moldura fática retratada

movimentos repetitivos de flexoextensão dos punhos, pinça, na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação aos

preensão dos dedos ou pronossupinação repetitiva dos preceitos da Constituição Federal, legislação federal e de

antebraços. Constatou a inexistência de risco ergonômico para divergência jurisprudencial.

os membros superiores nos últimos anos trabalhados. Ainda CONCLUSÃO

que houvesse risco, todas as patologias foram comprovadas DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

após 18 meses do afastamento do trabalho, sem qualquer Publique-se e intime-se.

coerência cronológica entre o tempo efetivamente trabalhado e cdss

o surgimento das doenças. Presente a ocorrência de alterações Assinatura

degenerativas associadas e agravamento progressivo sem MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

qualquer exposição ao ambiente laboral.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 38
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

LAIRTO JOSE VELOSO Advogado(a)(s): 1.MÁRCIO LUIZ SORDI


Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 (exclusividade - id. bbb6d0e) e
Decisão
Processo Nº ROT-0000955-85.2019.5.11.0017
Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA Recorrido(a)(s): 1.WARNER HOLANDA
SILVA
SALGADO
RECORRENTE WARNER HOLANDA SALGADO
ADVOGADO MARCOS LEVI DE OLIVEIRA DE
LIMA(OAB: 14731/AM) Advogado(a)(s): 1.HERMES MAFRA OTTO
ADVOGADO JOSE ARTHUR DE SOUSA
RODRIGUES ALVES(OAB: 7906/AM) (AM - 10542)
ADVOGADO HERMES MAFRA OTTO(OAB:
10542/AM)
RECORRENTE PROCTER & GAMBLE DO BRASIL
S.A. Recurso de:PROCTER & GAMBLE DO BRASIL S.A.
ADVOGADO JOSE HIGINO DE SOUSA
NETTO(OAB: 1734/AM) PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
ADVOGADO DANIELLA NOVELLINO DE Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
MESQUITA(OAB: 3559/AM)
ADVOGADO MARCIO LUIZ SORDI(OAB: publicada em 23/09/2020 - id. aca7dac; recurso apresentado em
52670/SP)
05/10/2020 - id. da771d7).
RECORRIDO WARNER HOLANDA SALGADO
ADVOGADO MARCOS LEVI DE OLIVEIRA DE Ausência de procuração.
LIMA(OAB: 14731/AM)
Não há como viabilizar o apelo por falta de atendimento do
ADVOGADO JOSE ARTHUR DE SOUSA
RODRIGUES ALVES(OAB: 7906/AM) pressuposto extrínseco da legitimidade da representação.
ADVOGADO HERMES MAFRA OTTO(OAB:
10542/AM) Oilustre subscritor do apelo, Dr. Márcio Luiz Sordi, não procedeu à
RECORRIDO PROCTER & GAMBLE DO BRASIL juntada aos autos do indispensável instrumento de mandato, a fim
S.A.
ADVOGADO JOSE HIGINO DE SOUSA de lhe assegurar legitimamente o exercício da representação,
NETTO(OAB: 1734/AM)
conforme dispõe o art. 104 do CPC.
ADVOGADO DANIELLA NOVELLINO DE
MESQUITA(OAB: 3559/AM) Com efeito, por força da Súmula 383 do TST, 'é inadmissível
ADVOGADO MARCIO LUIZ SORDI(OAB:
52670/SP) recurso firmado por advogado sem procuração juntada aos autos
PERITO MAURICIO ALEXANDRE DE até o momento da sua interposição, salvo mandato tácito'. Não há
MENESES PEREIRA
que se falar em concessão de prazo para que seja sanado o vício,
Intimado(s)/Citado(s): pois não caracterizada a hipótese de irregularidade em procuração
- PROCTER & GAMBLE DO BRASIL S.A.
ou substabelecimento já constante dos autos. Nesse sentido já se
- WARNER HOLANDA SALGADO
posicionou o TST:

'AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA DA

SEGUNDA RÉ (PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS).


PODER JUDICIÁRIO
LEI Nº 13.467/2017 . IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO
JUSTIÇA DO TRABALHO
PROCESSUAL. AUSÊNCIA DE INSTRUMENTO DE MANDATO.

Fundamentação RECURSO INEFICAZ. Nos termos da nova redação da Súmula nº

RECURSO DE REVISTA 383 do Tribunal Superior do Trabalho, alterada em virtude do CPC

Tramitação Preferencial de 2015 (Lei nº 13.105/2015), é inadmissível o recurso interposto

por advogado sem instrumento de mandato anexado ao feito.

Não se concede o prazo para sanar o vício, porque não se trata

de irregularidade 'em procuração ou substabelecimento já

constante dos autos'. Ademais, que o artigo 76, § 2º, do CPC

possibilita à parte sanar o vício constatado no referido documento,

mas não alberga a hipótese de ausência de mandato. Precedentes

da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais. Agravo de


Recorrente(s): 1.PROCTER & GAMBLE DO instrumento conhecido e não provido. (...)' (ARR-310-

BRASIL S.A. 92.2016.5.11.0008, 7ª Turma, Relator Ministro Claudio

Mascarenhas Brandao, DEJT 29/05/2020) - negritei

'AGRAVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 39
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

REVISTA. IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO publicada em 23/09/2020 - id. aca7dac; recurso apresentado em

PROCESSUAL. AUSÊNCIA DE PROCURAÇÃO AO SIGNATÁRIO 05/10/2020 - id. dcbee4d).

DA ASSINATURA DIGITAL DO RECURSO. SÚMULA 383/TST. Regular a representação processual (id. 6e1d324).

Denegou-se seguimento ao recurso de revista do autor, ante a Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência

constatação de irregularidade de representação, já que o advogado judiciária gratuita, conforme sentença (id. 6c30b90), nos termos da

que o subscreveu não estava regularmente habilitado nos autos. OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal.

Referida decisão foi mantida por este Relator. In casu, o r. PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

despacho agravado foi proferido em estrita consonância com a Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano

jurisprudência desta Corte. Ressalta-se que o recurso foi interposto Moral/Valor Arbitrado.

já na vigência do Código de Processo Civil de 2015, pelo que se Alegação(ões):

impõe a observância do art. 104 (correspondente ao art. 37 do - violação da (o) artigo 223-G da Consolidação das Leis do

CPC/73), que dispõe que ao advogado não será admitido postular Trabalho;artigo 950 do Código Civil.

em juízo sem procuração, salvo para evitar preclusão, decadência O recorrente busca a reforma do acórdão para queseja

ou prescrição, ou para praticar ato considerado urgente. Assim, majorado o 'quantum' indenizatório do dano moral. Sustenta

aplica-se o óbice da Súmula nº 383, I, do TST, não havendo falar que a decisão deixou de observar disposição literal da lei

na concessão de prazo para sanar o vício ou na possibilidade trabalhista, que versa amplamente sobre os parâmetros

de ratificação do ato, por não se tratar de irregularidade em destinados à mensuração do dano extrapatrimonial.

'procuração ou substabelecimento já constante dos autos', mas Acrescenta que a Turma não observou parâmetros legais e

de recurso subscrito 'por advogado sem procuração juntada objetivos,previstos na CLT.

aos autos até o momento de sua interposição' e sem mandato Busca ainda a majoração da indenização por dano material, ao

tácito. Agravo conhecido e desprovido' (Ag-AIRR-5776- argumento de que a decisão deixou de observar os parâmetros

50.2014.5.01.0482, 3ª Turma, Relator Ministro Alexandre de Souza devidamente estabelecidos no artigo 950 do Código Civil.

Agra Belmonte, DEJT 29/05/2020). - negritei Consta no v. acórdão (id. 271d916):

'EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO DE REVISTA. '(...)

NÃO CONHECIMENTO. IRREGULARIDADE DE MÉRITO

REPRESENTAÇÃO. Ausente procuração ou substabelecimento Recurso da Reclama e do Reclamante

conferindo poderes ao advogado que assina os embargos de 1. Valor das indenizações por danos morais e materiais.A

declaração, e não configurado mandato tácito, não há como deles reclamada pugna pela redução do valor das indenizações por

conhecer. Ressalte-se que, no caso, não há falar em concessão danos morais e materiais. Já o reclamante requer a majoração

de prazo para o saneamento do vício, pois não se trata de das referidas indenizações.

irregularidade em procuração ou substabelecimento já O magistrado de piso deferiu o montante indenizatório de R$

existente nos autos, mas de recurso subscrito por advogado 30.064,95 por danos morais e R$ 408.883,32 por danos

sem procuração nos autos até o momento de sua interposição. materiais.

Incidência da Súmula nº 383, I, do TST. Embargos de declaração a) Dano moral.

não conhecidos ' (ED-RR-88-67.2010.5.10.0007, 8ª Turma, Relatora Sobre o quantum indenizatório, impõe-se esclarecer que,

Ministra Dora Maria da Costa, DEJT 22/05/2020) - negritei quando a indenização visa à reparação de danos de ordem

Registro, por oportuno, que em relaçãoao referido causídico, extrapatrimonial, diferentemente daqueles de ordem

sequer restou configurado o mandato tácito, uma vez que não patrimonial, sua fixação não possui parâmetros objetivos a dar

participou das audiências na fase cognitiva (ids. 142f594 e 9aceffb). suporte ao julgador na mensuração respectiva, porquanto o

Face o exposto, não conheço do Recurso de Revista. prejuízo se situa na esfera da honra, da imagem, da intimidade

CONCLUSÃO. e da dignidade da pessoa humana.

Prejudicado o conhecimento do apelo. Diante desse panorama, para o dano de ordem meramente

Publique-se e intime-se. moral, a doutrina e a jurisprudência têm adotado diferentes

Recurso de:WARNER HOLANDA SALGADO critérios ao mensurar os valores, consoante apreciação

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS equitativa do caso concreto e as regras de experiência comum.

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão Assim, o julgador, fazendo uso da experiência comum e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 40
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

sopesando as circunstâncias do caso concreto, deve, com Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

razoabilidade e proporcionalidade, avaliar os seguintes dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

parâmetros: a extensão do dano, a condição socioeconômica partes e do caso concreto, visto ser este montante apto a

do causador do dano e da vítima; a intensidade real e concreta oferecer o necessário conforto material ao obreiro.

do dano; a repercussão da ofensa no meio social onde vive o Ante o exposto, dou parcial provimento ao recurso da

ofendido; a existência de má-fé por parte do ofensor; a reclamada para reduzir o valor da indenização por danos

possibilidade concreta de o ofensor voltar a praticar o ato morais para R$ 15.000,00 e da indenização por danos materiais

danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo ofensor visando para R$ 35.000,00.

minimizar a dor do ofendido; o tempo transcorrido entre o (...)'

evento danoso e a data do ajuizamento da ação. De acordo com os fundamentos expostos no acórdão, nota-se

No caso em apreço, o arbitramento de montante indenizatório queo Regionalreduziuo valor da condenação, considerando

no valor de R$ 30.064,95 mostra-se irrazoável e como parâmetros para fixação do 'quantum' indenizatório a

desproporcional, razão pela qual merece ser reduzido para R$ extensão do dano configurado, a condição pessoal do

15.000,00. empregado, a capacidade econômica da empregadora e o

Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada, período de exposição ao dano. Potanto,não é possível divisar

dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das violação do art. 223-G , § 1º , da CLT e art. 950 do Código Civil,

partes e do caso concreto, visto ser esse montante apto a de forma direta e literal.

oferecer o necessário conforto moral ao obreiro. CONCLUSÃO

b) Dano material. DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

No que diz respeito ao quantum da indenização por danos Publique-se e intime-se.

materiais, vale desde logo invocar a máxima da restitutio in cdss

integrum, pela qual deve se impor a completa reposição da Assinatura

vítima ao estado anterior. O art. 944, do Código Civil de 2002, MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

adota tal princípio.

Sobre os valores das reparações dos danos sofridos, o LAIRTO JOSE VELOSO

julgador deve observar os princípios da razoabilidade e da Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

proporcionalidade. Decisão
Processo Nº ROT-0000999-07.2019.5.11.0017
O julgador fazendo uso da experiência comum e sopesando as Relator MARIA DE FATIMA NEVES LOPES
circunstâncias do caso concreto, deve, com razoabilidade e RECORRENTE CHIBATAO NAVEGACAO E
COMERCIO LTDA
proporcionalidade, avaliar os seguintes parâmetros: a extensão ADVOGADO MARCIO LUIZ SORDI(OAB:
52670/SP)
do dano, a condição socioeconômica do causador do dano e
ADVOGADO LUCIANA ALMEIDA DE SOUSA E
da vítima; a intensidade real e concreta do dano; a repercussão SILVA(OAB: 1927/AM)
ADVOGADO JOSE HIGINO DE SOUSA
da ofensa no meio social onde vive o ofendido; a existência de NETTO(OAB: 1734/AM)
má fé por parte do ofensor; a possibilidade concreta de o RECORRIDO EDVALDO BEZERRA MONTEIRO
ADVOGADO ADEMARIO DO ROSARIO
ofensor voltar a praticar o ato danoso; as práticas atenuantes AZEVEDO(OAB: 2926/AM)
realizadas pelo ofensor visando minimizar a dor do ofendido; o ADVOGADO WISTON FEITOSA DE SOUSA(OAB:
6596/AM)
tempo transcorrido entre o evento danoso e a data do

ajuizamento da ação. Intimado(s)/Citado(s):


- CHIBATAO NAVEGACAO E COMERCIO LTDA
No caso em apreço, deve-se levar em consideração que o

reclamante teve uma redução parcial de sua capacidade

laborativa (20 a 25%), entretanto não houve invalidez total para

o trabalho. PODER JUDICIÁRIO


Assim, considerando as circunstâncias da espécie, entendo JUSTIÇA DO TRABALHO
que a quantia deferida pelo Juízo singular no importe de R$
Fundamentação
408.883,32 está irrazoável e desproporcional, razão pela qual
RECURSO DE REVISTA
merece ser reduzida para R$ 35.000,00.
Tramitação Preferencial

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 41
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Lei 13.015/2014 indenizações por danos morais e materiais decorrentes de

Lei 13.467/2017 doença ocupacional na coluna, porém, de forma equivocada, o

perito do juízo elaborou toda a conclusão do laudo pericial

voltada para um suposto acidente, narrado pelo Autor

nomomento da perícia.

Assim, houve nítida violação a ampla defesa e ao contraditório,

pois a Recorrente jamais pode contestar qualquer fato inerente

ao acidente, motivo pelo qual requer que seja reconhecida a

nulidade do julgado, e do laudo pericial utilizado pelo juízo de


Recorrente(s): CHIBATÃO NAVEGAÇÃO E origem para consubstanciar as indenizações requeridas, eis
COMÉRCIO LTDA que houve clara inovação a lide, com nova causa de pedir

narrada pelo Autor, o qual descreveu versão de acidente de


Advogado(a)(s): MÁRCIO LUIZ SORDI trabalho, quando em verdade o pedido narrado na petição
(exclusividade - id. 7135249) e inicial se trata de doença ocupacional.

No mérito, reitera que não há qualquer prova que corrobore


Recorrido(a)(s): EDVALDO BEZERRA
com as assertivas de trabalho braçal e com sobrecarga para a
MONTEIRO
coluna e a descrição de cargos carreada aos autos, a qual não

foi impugnada pelo Recorrido, demonstra a inexistência de


Advogado(a)(s): ADEMÁRIO DO ROSARIO
qualquer trabalho braçal.
AZEVEDO (exclusividade - id.
Consta no v. acórdão (id. a58f923):

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS '(...)

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão PRELIMINAR

publicada em 29/09/2020 - id. 84cba78; recurso apresentado em Do cerceamento de defesa.

08/10/2020 - id. 89c4bff). Alega a recorrente cerceamento de defesa, haja vista a

Regular a representação processual (id. 225b6b1). inovação da lide quanto à narrativa de acidente de trabalho

Satisfeito o preparo (ids. 4ffb5ba, 4e3af1b, 4e3af1b, a58f923 e pelo reclamante no momento da perícia médica. Afirma que

b491c07). houve inovação da causa de pedir quanto à versão do acidente

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS de trabalho, uma vez que o pedido constante na petição inicial

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano se trata de doença ocupacional. Acrescenta que há equívocos

Moral/Doença Ocupacional. no laudo pericial, no que tange há ausência de análise

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos ergonômica, tendo em vista a ausência de documentos nos

Processuais/Nulidade/Cerceamento de Defesa. autos, bem como a não visitação do local de trabalho do

Alegação(ões): reclamante.

- violação do(s) inciso LV do artigo 5º;inciso XXVIII do artigo 7º Pugna, portanto, pela nulidade do laudo pericial e da sentença,

da Constituição Federal. com o retorno dos autos à Vara de origem para realização de

- violação da (o) inciso II do artigo 329 do Código de Processo nova perícia nos limites e termos da inicial.

Civil de 2015;alíneas 'a' e 'c' do inciso II do §1º do artigo 20 da Analiso.

Lei nº 8213/1991;inciso III do §1º do artigo 223-G da Estabelece o art. 5º, inciso LV, da CF/88:

Consolidação das Leis do Trabalho;artigos 186, 927 e 944 do 'Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de

Código Civil. qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos

- contrariedade aos artigos 2º, incisos II e VI, e, 10º, inciso estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à

II,ambos da Resolução nº1488/98 do Conselho Federal vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos

deMedicina. termos seguintes:

A recorrente alega, de início, que o acórdão cometeu nítida (...)

violação aos artigos 5º, LV, da Constituição federal e 329, II, do LV- aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e

CPC, haja vista que na petição inicial o Recorrido pleiteia aos acusados em geral são assegurados o contraditório e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 42
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;' reclamada, presente ao ato pericial (Id dae83e4 - Pág. 25)

Por sua vez, ditam os arts. 794 e 795 da CLT: Ademais, compulsando os autos, denota-se que a reclamada

Art. 794. Nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do apresentou impugnação ao laudo pericial afirmando apenas

Trabalho só haverá nulidade quando resultar dos atos que 'é notório e contraditório o equívoco encontrado na

inquinados manifesto prejuízo às partes litigantes. conclusão do laudo pericial quanto a existência de nexo causal

Art. 795 - As nulidades não serão declaradas senão mediante entre o labor e a patologia na coluna lombar do autor e o

provocação das partes, as quais deverão argüi-las à primeira trabalho executado na reclamada', sem apresentar qualquer

vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos. objeção quanto à narrativa do acidente de trabalho mencionada

Assim, inicialmente, para que se verifique a ocorrência de no laudo pericial, bem como sequer apontou a nulidade da

cerceamento de defesa, faz-se necessário realizar um prova técnica ou requereu a realização de nova perícia (Id

apanhado histórico dos fatos ocorridos nos autos. ea555b7 - pág. 1).

Da leitura da inicial, nota-se que o reclamante em nenhum Outrossim, vale ressaltar que na audiência de Id 16d0476, o

momento alegou explicitamente a ocorrência de acidente de juízo a quo reiniciou e encerrou a instrução processual sem

trabalho na reclamada, mas sim, informou que, em razão das qualquer manifestação da reclamada a respeito da inovação da

atividades laborais que exigiam postura inadequada, jornadas causa de pedir quanto à versão do acidente de trabalho

longas, tracionamento de peso, dentre outros fatores de risco, informada no laudo pericial pelo autor.

a partir de fevereiro de 2017, passou a sofrer com dores e Sendo assim, não há que se falar em nulidade do laudo pericial

inchaços na região lombar. Acrescentou que, em maio de 2019, e, por conseguinte, da sentença, por cerceamento de defesa,

seu quadro de saúde se agravou, sendo diagnosticado como uma vez que foi oportunizado, antes do encerramento da

várias patologias na coluna lombar . (Id 75407b8 - págs. 3-4) instrução, que a reclamada se manifestasse a respeito da

Assim, nota-se que na audiência de Id 2b4a2d3, o juiz de inovação da causa de pedir, ocasião na qual a parte ré quedou-

primeiro grau determinou a realização de perícia médica se inerte.

considerando que a lide versa sobre indenização por danos Nesse sentido a jurisprudência trabalhista:

decorrentes de doença profissional. PRELIMINAR. NULIDADE DO LAUDO PERICIAL. PRECLUSÃO.

Por sua vez, analisando o laudo pericial, constata-se que, no A saber, deve a nulidade ser suscitada no primeiro momento

item Anamnese, o autor informou 'que estava exercendo suas que a parte tiver para se manifestar em juízo, conforme dispõe

atividades laborais em meado de 2017 por volta das 09h30 o art. 795 da CLT. no caso em apreço, o Autor nada referiu

minutos, foi atracar o empurradouro com o cabo de aço, teve acerca da inexistência de isenção do D. Perito em sua

que fazer muita força (esforço físico grande, sem objeções dos impugnação ao laudo ou na audiência subsequente, deixando

representantes da Reclamada presentes), levando ao precluir a oportunidade para arguir a nulidade. (...) Recurso

travamento e dor intensa em coluna lombar (lombalgia); fez uso Ordinário do Reclamante Conhecido e Parcialmente Provido.

de analgésico, repouso e quando retornou para Manaus, (TRT-11 - RO: 00000081720175110012, Relator: JOSE DANTAS

procurou o médico ortopedista conveniado com o Plano de DE GOES, Data de Julgamento: 31/01/2019, 3ª Turma, Data de

Saúde HAPVIDA, que solicitou o exame de imagem Tomografia Publicação: 01/02/2019)

Computadorizada da Coluna Lombo-Sacra, que teve como CERCEAMENTO DE DEFESA. PRECLUSÃO. O art. 795 da CLT

diagnóstico protrusão e discopatia discal.(...).' (Id dae83e4 - dispõe que as nulidades não serão declaradas senão mediante

pág. 3) provocação das partes, as quais deverão argui-las à primeira

Nesse contexto, o perito judicial chegou à conclusão de que vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos. Após a

houve o nexo causal, entre as patologias de coluna lombo- juntada do laudo pericial, o reclamante apresentou impugnação

sacra que é portador e o acidente do trabalho típico ocorrido sem invocar a necessidade de vistoria ambiental, não tendo se

durante o exercício das suas atividades laborais (Id dae83e4 - manifestado sequer na audiência realizada em prosseguimento.

pág. 27). O pedido de nulidade efetuado unicamente em razões de

Nesse ponto, cabe ressaltar a resposta ao quesito 14 recurso esbarra na preclusão já consumada. Preliminar

apresentado pela parte autora, na qual o perito informou que o rejeitada. (TRT-2 10016601320185020612 SP, Relator: PATRICIA

agente causador da doença do periciado foi o acidente de THEREZINHA DE TOLEDO, 3ª Turma - Cadeira 4, Data de

trabalho típico, sem qualquer objeção dos representantes da Publicação: 22/10/2019).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 43
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Dessa forma, operada a preclusão, não se pode falar em Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do

nulidade do laudo pericial ou da sentença que nele se trabalho a serviço de empresa ou de empregador doméstico ou

fundamentou. Portanto, rejeito a preliminar. pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso

Por outro lado, é cediço no ordenamento jurídico a liberdade de VII do art. 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou

direção do processo garantida ao magistrado (art. 765 da CLT) perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou

e o princípio da livre apreciação da prova (art. 131 do CPC), que redução, permanente ou temporária, da capacidade para o

permitem ao julgador verificar as provas, fatos e circunstâncias trabalho.

ocorridas nos autos para formar seu convencimento. Por sua vez, os incisos I e II do artigo 20 da Lei nº 8.213/91

Destarte, vale ressaltar que o juiz não está adstrito às equiparam ao acidente de trabalho as doenças produzidas ou

conclusões do laudo pericial, podendo formar suas convicções desencadeadas pelo exercício do trabalho peculiar à

com outros elementos e provas existentes nos autos. determinada atividade, bem como as adquiridas ou

Desse modo, considerando que não se vislumbra na inicial a desencadeadas em função de condições especiais em que o

narrativa quanto a nenhum acidente de trabalho sofrido pelo trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.

autor na reclamada, afasto tão somente a conclusão do laudo Sabe-se que a regra geral da responsabilidade do empregador

pericial que reconheceu a existência de nexo causal entre o por danos acidentários é subjetiva (art. 7º, XXVIII, da CF),

acidente típico e as patologias do autor, para analisar as fazendo-se necessária a conjugação do dano, nexo causal e

provas constantes dos autos no que concerne à existência de culpa. Será, por exceção, objetiva a responsabilidade em

nexo de causalidade entre as doenças ocupacionais alegadas situações de risco acentuado, devendo a reclamada ser

na exordial e a atividade laborativa. responsabilizada independentemente da análise da culpa, caso

Portanto, considerando também a alegação da reclamada de fortuito ou força maior, bastando que se prove o dano

que há equívocos no laudo pericial, no que tange há ausência decorrente da referida atividade.

de análise ergonômica, bem como a não visitação do local de A hipótese em apreço insere-se na regra da responsabilidade

trabalho do reclamante, entendo que tais argumentos se subjetiva, devendo, portanto, ser verificada, além do nexo

confundem com o mérito, razão pela qual passo a analisá-los a causal e do dano, a culpa do empregador para o surgimento ou

seguir. agravamento das doenças que acometem o reclamante, o que,

MÉRITO nos termos do art. 373, I, do CPC/2015 e do art. 818 da CLT,

Da doença ocupacional - danos morais e materiais. incumbe à parte autora.

A reclamada alega que as doenças do reclamante na coluna Com base no acima exposto, buscando verificar a existência de

são de cunho degenerativo e com alterações não relacionadas nexo de causalidade entre as patologias na coluna lombar do

ao trabalho. Ressalta que o autor não executava atividades que autor e a atividade laborativa, foi determinada a realização de

exigiam movimentos forçado e carregamento de peso. Alega perícia, pelo perito médico Dr. Hamilton Luiz Amaral Gondim,

que não há como concordar com a conclusão do laudo pericial, CRM/AM 832, o qual estudou a atividade laborativa do autor,

no que diz respeito ao nexo de causalidade entre a patologia na bem como descreveu de forma minuciosa e detalhada o posto

coluna do autor e o labor, posto que as atividades não de trabalho e os movimentos exigidos para a execução do

apresentam risco ergonômico. Aduz que o autor apresenta labor através de relatos do reclamante, dos representantes

restrição parcial para atividades dinâmicas relacionadas à legais da reclamada e pela descrição das atividades

movimentação de tronco e trabalho físico pesado. Pondera que disponibilizada pela reclamada, bem como procedeu

o último salário recebido foi no valor de R$1.995,19. Dessa identificação de riscos, afirmando de forma clara que,

forma, requer a reforma da sentença para julgar totalmente constatou a existência de ambiente imperioso para a coluna

improcedentes os pedidos de indenização por danos morais e lombar, senão vejamos:

materiais ou, sucessivamente, sejam reduzidos os valores, 'POSTO: EMBARCADO NO EMPURRADOURO (Escala- 75 X 15)

observando os princípios da proporcionalidade e razoabilidade. / FUNÇÃO: CONTRA MESTRE FLUVIAL.

Analiso. -Descrição da Atividade: O colaborador iniciava suas

O conceito de acidente de trabalho está previsto no art. 19 da atividades na posição em pé, com pequenos deslocamentos;

Lei nº 8.213/91, que, dentre outras providências, dispõe sobre fazia a atracação do empurradouro, nos diversos portos,

os Planos de Benefícios da Previdência Social. Vejamos: durante a viagem; através de cabo de aço, fazendo muito

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 44
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

esforço físico, postura inadequada, rotação de tronco vertebral MORAIS E MATERIAIS. O Regional ratificou a r. sentença

e agachamento. Durante suas atividades pilotava o quanto ao indeferimento do pagamento de indenização por

empurradouro, fazia a limpeza, através de lavagem geral. danos morais e materiais, decorrentes de doença ocupacional,

-Metodologia do Desenvolvimento da Atividade: O colaborador ao asseverar que a patologia de membro superior que foi

trabalhava em pé, com pequenos deslocamentos; fazendo acometida a reclamante (lesão no ombro) é decorrente de

esforço físico. doença degenerativa, mas reconhece que as atividades

-Tempo que o Reclamante Trabalhou neste Posto: 16 anos desempenhadas na reclamada (atividades que exigem

-Biomecânica da Atividade: Foram observados alguns elevação, abdução e rotação de membros superiores)

movimentos de grande flexão e extensão de braços, com agravaram os sintomas no ombro da autora e, também, com

grande flexo-extensão da coluna vertebral; esforço físico, base no laudo pericial, a v. decisão regional consignou que a

carregamento manual de peso. autora apresenta incapacidade laboral parcial e temporária. No

-Conclusão do Posto de Trabalho:De acordo com a Análise entanto, a jurisprudência desta Corte Superior consolidou o

Ergonômica o risco de LTC é Moderado para as mãos, braços e entendimento de que, nos casos envolvendo pretensões

ombros devido à atividade realizada; seguido de Alto Risco compensatórias e reparatórias decorrentes de doença

para lombalgia, devido ao esforço físico; método de trabalho ocupacional, os quais envolvam doenças de origem

Razoável; e biomecânica do posto Razoável, de acordo com a degenerativa agravadas em razão do desempenho da atividade

ferramenta REBA.(Id dae83e4 - Págs. 19-20) laboral, o nexo concausal é suficiente para configurar o dever

Assim, não obstante a alegação da reclamada de que o labor de indenizar. Precedentes. Assim, condena-se a reclamada ao

não possuía risco ergonômico, é incontroverso que as pagamento de indenização por danos morais no valor de R$

atividades laborais exercidas na reclamada contribuíram para o 20.000,00 (vinte mil reais) e indenização por danos materiais no

agravamento das patologias do reclamante, pois, conforme se valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), levando-se em

depreende da leitura da transcrição acima, os movimentos consideração para se determinar o quantum indenizatório, que

executados pelo reclamante para a realização da sua função a incapacidade laboral é parcial e temporária, a capacidade

por 16 anos (flexão e extensão de braços, grande flexo- econômica das partes, a gravidade do dano sofrido pela vítima,

extensão da coluna vertebral, esforço físico, carregamento o caráter punitivo e pedagógico da pena. Recurso de revista

manual de peso) são fatores de risco consideráveis para a conhecido e provido. ... Recurso de revista não conhecido.

coluna lombo-sacra. (TST - RR: 3822520115120009, Relator: Maria Helena Mallmann,

Todavia, compulsando os autos, nota-se que os exames Data de Julgamento: 12/03/2019, 2ª Turma, Data de Publicação:

médicos apresentados pelo autor apontam o cunho DEJT 15/03/2019)

degenerativo de suas patologias na coluna lombar (Ids Por fim, quanto à alegação da reclamada de que não há nos

6b6c860, 84d12b), razão pela qual tais provas levam ao autos análise ergonômica, bem como não houve visitação do

entendimento de que as doenças do reclamante foram perito judicial ao local de trabalho, circunstâncias que tornam o

agravadas durante a realização das atividades laborais, bem laudo equivocado, razão não cabe à recorrente, pois conforme

como à conclusão pela existência de nexo de concausalidade. se verifica da leitura do laudo pericial, o perito médico declarou

Ressalta-se que o reconhecimento do nexo de concausalidade que as informações a respeito do posto de trabalho do autor

não afasta a responsabilização da reclamada, uma vez que é foram prestadas por ambas as partes (Id dae83e4 - pág. 19).

dever da empresa tomar os cuidados necessários com a saúde Ademais, conforme já esclarecido no tópico anterior, não se

de seus empregados e, se uma patologia preexistente ou encontra no laudo pericial ou na impugnação à prova técnica,

degenerativa é agravada em razão do trabalho, deve-se nenhuma objeção da reclamada quanto aos dados relatados

reconhecer o dever de indenizar. pelo autor.

Nesse sentido, o seguinte julgado: Sendo assim, considerando que o perito detém o

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO ANTES DA VIGÊNCIA DA conhecimento técnico necessário para, analisando a atividade

LEI Nº 13.015/2014. 1. DOENÇA DO TRABALHO. do reclamante, os documentos que compõem os autos e o

AGRAVAMENTO DE DOENÇA DEGENERATIVA PELAS exame realizado durante a avaliação pericial, concluir pela

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO TRABALHO. NEXO DE existência de risco ergonômico para a coluna lombar do autor,

CONCAUSA RECONHECIDO. INDENIZAÇÃO POR DANOS reconheço as patologias como ocupacionais e concluo pela

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 45
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

existência do nexo concausal. o salário recebido pelo autor, a fim de arbitrar valor suficiente

Quanto à culpa da reclamada, verifico que esta se encontra para reparar o prejuízo sofrido. Os danos emergentes, por sua

igualmente evidenciada, pois, dentre as espécies de culpa, está vez, exigem a comprovação do efetivo prejuízo material sofrido

a 'in vigilando', que se traduz na ausência de fiscalização do pelo autor, não podendo ser presumidos.

patrão em relação aos empregados sob o seu comando. Por todo o exposto, há o preenchimento dos requisitos para a

Ora, cabe ao empregador zelar pela segurança de seus responsabilização da reclamada por danos morais e materiais,

funcionários e fiscalizar o modo de execução das atividades, ressaltando, contudo, que estes se limitam aos lucros

velando para que as atividades sejam executadas de forma cessantes, não havendo falar em danos emergentes.

correta, evitando, assim, que sejam expostos a sinistros, o que Dessa forma, sobretudo pela coerência das conclusões do

não ocorreu no presente caso, uma vez que o trabalho afetou laudo pericial com as demais provas dos autos, entendo que o

diretamente a saúde do autor, agravando a doença na coluna juízo a quo, acertadamente, entendeu preenchidos os

lombar. requisitos para a condenação da reclamada ao pagamento de

Assim, verificada a culpa da reclamada e o nexo de danos morais e materiais ao reclamante.

concausalidade entre a doença e as atividades prestadas pela Quanto ao valor deferido, o art. 944 do CCB prevê que a

parte autora, entende-se caracterizada a obrigação de indenizar indenização do dano se mede pela sua extensão, o que,

o dano moral, já que este guarda relação apenas com a evidentemente, não afasta o justo e equilibrado arbitramento

ocorrência do próprio dano, que se verifica pela doença, a qual, judicial, pois, embora de caráter discricionário, não prescinde

por si só, agride o patrimônio moral do autor, tratando-se de da análise subjetiva do julgador, atendendo às circunstâncias

dano presumido ou in re ipsa, isto é, provado pela própria de cada caso, a posse do ofensor e a situação pessoal do

força, prescindindo de provas. ofendido. A primeira medida é amenizar a dor moral para, em

No tocante aos danos materiais, vejamos os esclarecimentos seguida, reparar suas perdas. Quanto ao ofensor, impõe-se,

prestados pelo perito judicial: por meio do 'quantum', desestimular a prática de atos

'd)As doenças diagnosticadas reduziram parcial ou totalmente moralmente danosos, aí consistindo seu caráter exemplar.

a capacidade laboral do(a) reclamante para a atividade que O juiz tem liberdade para fixar o valor, pautando-se no bom

habitualmente exercia? senso e na lógica do razoável, a fim de se evitar extremos

R: Parcialmente e permanente; num percentual de 30% da sua (ínfimos ou vultosos).

capacidade residual foi atingida.'(quesito do juízo - Id dae83e4 - Nesse ponto, a reclamada afirma que o último salário recebido

pág. 21) pelo autor no mês de julho de 2019 foi no valor de R$1.995,19

Sendo assim, entendo que restou igualmente comprovado o (Id 199b8cf - pág. 16). No entanto, não se constata no

dano patrimonial, caracterizado pela redução da capacidade contracheque informado a descrição do salário base do autor

para o trabalho nas mesmas condições anteriormente com seu respectivo valor. Ademais, analisando os demais

desempenhadas, motivo pelo qual o reclamante também faz jus contracheques juntados aos autos pela reclamada, o provento

à indenização por danos materiais, nos termos dos arts. 949 e do autor de janeiro a maio de 2019 foi de R$3.805,00 e junho foi

950 do CC. de R$6.592,94, tendo em vista o pagamento de férias. Logo,

Nesse ponto, cumpre ressaltar que os danos materiais são entendo que o valor a ser utilizado como parâmetro para

auferidos por critérios objetivos, sendo tudo aquilo que cálculo das indenizações é o montante de R$3.805,00.

efetivamente se perdeu (dano emergente) e aquilo que se Sendo assim, considerando a duração do pacto laboral (16

deixou de ganhar (lucro cessante), como é o caso da redução anos), a idade do autor e o grau de contribuição da atividade

ou perda da capacidade laborativa. Assim, nota-se que o dano laborativa para o quadro de saúde do reclamante (nexo

material engloba tanto os lucros cessantes como os danos concausal), e, ainda, que a indenização não deve se valer como

emergentes, neste se enquadrando as despesas com forma de enriquecimento ilícito, entendo razoável reduzir o

tratamento de saúde, não havendo razão para deferir as verbas valor arbitrado pelo juízo a título de danos morais para

em parcelas separadas. R$15.220,00 equivalente a quatro salários do obreiro,

Ressalta-se que os lucros cessantes prescindem de enquadrando-se como ofensa de natureza média e observa os

comprovação do valor exato do prejuízo material, cabendo ao critérios estabelecidos no art. 223 - G da CLT, além dos

julgador analisar o grau de redução da capacidade laborativa e princípios da razoabilidade e proporcionalidade.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 46
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Em relação aos danos materiais, levando em consideração que nos fundamentos exarados no acórdão, pelo que não há se

devem ser arbitrados com base em critérios objetivos, com falar em violação aos dispositivos mencionados, uma vez que

base no salário do autor, no grau de redução da capacidade seus preceitos não definem uma tarifação para a

laborativa (incapacidade parcial e permanente) e no grau de proporcionalidade da indenização pelo dano sofrido, o que é

contribuição da atividade laborativa para o quadro de saúde da reservado ao prudente arbítrio do julgador.

reclamante, o pagamento em parcela única (art. 950, § único, do No presente caso,os valores arbitrados não se revelam

CC), entendo razoável reduzir o valor da indenização para excessivos ou irrisórios, razão pela qual não vislumbra-se

R$20.090,40. (4% do salário do autor R$3.805,00 - Id 75407b8 - violação aos princípios da razoabilidade e da

pág. 2, multiplicado por 132 meses - idade do autor e proporcionalidade naindenização fixada.

expectativa da média de vida do brasileiro de 76 anos). Consequentemente,não há falar em violaçãoaos arts. 5º da

Ante o exposto, reformo a sentença a fim de reduzir o valor da Constituição Federal e artigos944 , 927 e 186 do CC e 223-G da

indenização por danos morais para R$15.220,00 e danos CLT.

materiais para R$20.090,40. CONCLUSÃO

Em conclusão, conheço do recurso ordinário, rejeito a DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

preliminar suscitada e, no mérito, dou-lhe parcial provimento Publique-se e intime-se.

para, reformando a sentença, reduzir o valor da indenização cdss

por danos morais para R$15.220,00 e danos materiais para Assinatura

R$20.090,40. Por consequência, reduzo o valor das custas para MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

R$706,20, calculadas sobre o novo valor da condenação

(R$35.310,40). Mantida a sentença nos seus demais termos. LAIRTO JOSE VELOSO

Tudo conforme a fundamentação./pdf.cg Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

(...)' Decisão
Processo Nº ROT-0000325-29.2019.5.11.0017
Primeiramente, quanto ao alegado cerceamento de defesa, é Relator MARIA DE FATIMA NEVES LOPES
inviável o seguimento do recurso, diante da conclusão da RECORRENTE YAMAHA MOTOR COMPONENTES
DA AMAZONIA LTDA
Turma, no sentido de que foi oportunizado à recorrente, antes ADVOGADO SÉRGIO ARNALDO CRUZ DE
OLIVEIRA(OAB: 2118/AM)
do encerramento da instrução, que a reclamada se
RECORRIDO DHEMERSON NUNES DA MATA
manifestasse a respeito da inovação da causa de pedir, ocasião ADVOGADO GLAUCIO NUNES DA LUZ(OAB:
6326/AM)
na qual a parte ré quedou-se inerte.
ADVOGADO SUDJANE DA LUZ
No mérito, para se confirmar a versão apresentada pela parte RODRIGUES(OAB: 6718/AM)

recorrente, por exemplo, de que o autor não realizava trabalho


Intimado(s)/Citado(s):
deatração, amarração de cabo de aço, posturas inadequadas - YAMAHA MOTOR COMPONENTES DA AMAZONIA LTDA
ou agachamento, ou de que as patologias em coluna nada tem

a ver com o trabalho, sendo de origem degenerativa e ainda, de

que o recorrido não está incapacitado para o labor,dentre


PODER JUDICIÁRIO
outras, seria necessário reavaliar o contexto fático-probatório
JUSTIÇA DO TRABALHO
da causa, procedimento que não se admite em recurso de

natureza extraordinária, como é o recurso de revista, a teor da Fundamentação


Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho.Pelo mesmo RECURSO DE REVISTA
motivo, amensão de arestos para configuração do dissídio Tramitação Preferencial
jurisprudencial sobre essa matéria, na hipótese, não viabiliza o Lei 13.015/2014
processamento do recurso. Lei 13.467/2017
No tocante ao quantum indenizatório, cumpre registrar que o

arbitramento do montante se encontra dentro do poder

discricionário do magistrado, em observância a critérios de

razoabilidade e de proporcionalidade, extraídos da análise do

conjunto fático e probatório de cada demanda, como se verifica

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 47
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

requisitos mínimos exigidos pelo art. 2º, da Resolução nº

2.183/2018 do CRM quando da elaboração do laudo pericial.


Recorrente(s): YAMAHA MOTOR
Sustenta que não existe qualquer situação fática que justifique
COMPONENTES DA
a origem/causa ou agravamento de qualquer transtorno ao

Advogado(a)(s): autor, em decorrência do contrato de trabalho, da prestação de


SÉRGIO ARNALDO CRUZ DE
serviços ou do ambiente de trabalho na empresa. Aduz que, na
OLIVEIRA (exclusividade - id.
avaliação pericial, o recorrido não apresenta quadro clínico que

Recorrido(a)(s): DHEMERSON NUNES DA preencha os critérios para o diagnóstico das doenças alegadas

MATA na petição inicial. Afirma que o laudo pericial é falho e repleto

de inconsistências técnicas. Defende que no laudo pericial não


Advogado(a)(s): SUDJANE DA LUZ houve descrição de nenhum evento estressor específico que

RODRIGUES e OUTROS (AM tenha, comprovadamente, ocorrido no ambiente de trabalho e

que desencadeou o primeiro episódio de pânico. Alega que não

há comprovação de assédio moral, discriminação por parte dos


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
colegas de trabalho ou por seus superiores, muito menos de
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
que o ambiente de trabalho tenha sido um fator estressante
publicada em 16/09/2020 - id. 66bc237; recurso apresentado em
para o agravamento da suposta doença psicológica. Afirma que
28/09/2020 - id. b1d40a3).
o evento estressor foi a ameaça de perda do emprego em
Regular a representação processual (id. b3b6b26).
virtude da crise financeira instalada no polo industrial. Por
Satisfeito o preparo (ids. fcc7b69, 5cb9f22, 8ec9824, 3fecff9 e
esses motivos, requereu a reforma da sentença a fim de que
656ba02), nos termos do artigo 899, §11 da Consolidação das
sejam julgados totalmente improcedente o pedido de dano
Leis do Trabalho.
moral, ou, sucessivamente, reduzidos os valores arbitrados.

Analiso.
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Inicialmente, o conceito de acidente de trabalho está previsto
Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
no art. 19 da Lei nº 8.213/91, que, dentre outras providências,
Moral.
dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social.
Alegação(ões):
Vejamos:
- violação do(s) inciso XXVIII do artigo 7º da Constituição
Art. 19. Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do
Federal.
trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho
- violação da (o) inciso I do artigo 818 da Consolidação das Leis
dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta Lei,
do Trabalho;inciso I do artigo 373 do Código de Processo Civil
provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause
de 2015;artigo 19 da Lei nº 8213/1991;incisos I e II do artigo 20
a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da
da Lei nº 8213/1991.
capacidade para o trabalho.
- violação ao artigo 2º,da Resolução n. 2.183/18, do Conselho
Por sua vez, os incisos I e II do artigo 20 da Lei nº 8.213/91
Federal deMedicina.
equiparam ao acidente de trabalho as doenças produzidas ou
Sustenta que o recorrido não se desincumbiu de seu ônus
desencadeadas pelo exercício do trabalho peculiar à
probatório, nãotendorestado configurado o nexo causal ou
determinada atividade, bem como as adquiridas ou
concausal. Argumenta que na confecção do laudo pericial não
desencadeadas em função de condições especiais em que o
foram obedecidos os requisitos mínimos exigidospelo
trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.
Conselho Federal de Medicina, que dizem respeito à história
Sabe-se que a regra geral da responsabilidade do empregador
clínica e ocupacional do Autor, o estudo do local e organização
por danos acidentários é subjetiva (art. 7º, XXVIII, da CF),
do trabalho. Requer, portanto, a reforma do acórdão no tocante
fazendo-se necessária a conjugação do dano, nexo causal e
à indenização por danos morais.
culpa. Será, por exceção, objetiva a responsabilidade em
Consta no v. acórdão (id. 3fecff9):
situações de risco acentuado, devendo a reclamada ser
'(...)
responsabilizada independentemente da análise da culpa, caso
Da doença ocupacional - dano moral.
fortuito ou força maior, bastando que se prove o dano
Argumenta a reclamada que não houve observância aos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 48
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

decorrente da referida atividade. Nesse sentido, o seguinte julgado:

A hipótese em apreço insere-se na regra da responsabilidade 'RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO ANTES DA VIGÊNCIA

subjetiva, devendo, portanto, ser verificada, além do nexo DA LEI Nº 13.015/2014. 1. DOENÇA DO TRABALHO.

causal e do dano, a culpa do empregador para surgimento ou AGRAVAMENTO DE DOENÇA DEGENERATIVA PELAS

agravamento das doenças descritas na inicial, o que, de acordo ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO TRABALHO. NEXO DE

com o art. 818, I, da CLT e 373, I, do CPC/15, incumbe à parte CONCAUSA RECONHECIDO. INDENIZAÇÃO POR DANOS

autora. MORAIS E MATERIAIS. O Regional ratificou a r. sentença

Com base no acima exposto, analisando os autos, constato quanto ao indeferimento do pagamento de indenização por

que foi realizada perícia com o objetivo de averiguar a danos morais e materiais, decorrentes de doença ocupacional,

existência de relação entre os transtornos psiquiátricos do ao asseverar que a patologia de membro superior que foi

reclamante e a atividade desempenhada, pela perita médica acometida a reclamante (lesão no ombro) é decorrente de

Dra. Núbia Viana Santoro, CRM/AM 3075, que concluiu o que doença degenerativa, mas reconhece que as atividades

segue: desempenhadas na reclamada (atividades que exigem

'Tendo em vista os dados da história pregressa, os achados do elevação, abdução e rotação de membros superiores)

exame clinico e a evolução, de acordo com a classificação agravaram os sintomas no ombro da autora e, também, com

internacional das doenças, 10° edição (CID-10), o reclamante base no laudo pericial, a v. decisão regional consignou que a

apresenta critérios para transtorno de pânico. Segundo a autora apresenta incapacidade laboral parcial e temporária. No

literatura científica, o curso do transtorno de pânico geralmente entanto, a jurisprudência desta Corte Superior consolidou o

complicado por uma variedade de outros transtornos, em entendimento de que, nos casos envolvendo pretensões

particular outros transtornos de ansiedades, transtornos compensatórias e reparatórias decorrentes de doença

depressivos e transtornos por uso de substancias. ocupacional, os quais envolvam doenças de origem

Considerando o exposto até o momento concluímos que a (sic) degenerativa agravadas em razão do desempenho da atividade

nexo de concausalidade com transtorno psiquiátrico do laboral, o nexo concausal é suficiente para configurar o dever

Reclamante e a atividade laboral. O mesmo apresenta de indenizar. Precedentes. Assim, condena-se a reclamada ao

incapacidade laboral parcial temporária, grau leve '(Id bc9b5d4 pagamento de indenização por danos morais no valor de R$

- pág. 21) 20.000,00 (vinte mil reais) e indenização por danos materiais no

Diante do acima exposto, não vislumbro nenhuma valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), levando-se em

incongruência ou inconsistência no laudo pericial, uma vez que consideração para se determinar o quantum indenizatório, que

este se mostra suficientemente claro, comportando os a incapacidade laboral é parcial e temporária, a capacidade

esclarecimentos necessários para a solução da controvérsia, econômica das partes, a gravidade do dano sofrido pela vítima,

não dando margem para qualquer interpretação diversa. o caráter punitivo e pedagógico da pena. Recurso de revista

Vejamos. conhecido e provido. ... Recurso de revista não conhecido.'

Analisando o laudo complementar, observa-se que a perita (TST - RR: 3822520115120009, Relator: Maria Helena Mallmann,

informou a existência de fatores estressantes relacionados ao Data de Julgamento: 12/03/2019, 2ª Turma, Data de Publicação:

ambiente laboral que foram relevantes para o agravamento da DEJT 15/03/2019)

patologia do reclamante, por isso a conclusão foi pela Por sua vez, a alegação de inobservância do art. 2º da

existência de nexo de concausalidade, e não o nexo causal Resolução CFM nº 2.183/2018, que informa os fatores que

direto. Esclareceu, ainda, que o fator de risco - ameaça de devem ser considerados pelo médico para estabelecer nexo

perda de emprego (Z56.2) - está elencado na lista B do Decreto causal entre transtornos de saúde e a atividade laboral, não

3048/99 (quesitos 5 e 7 - Id 8c41dea - pág. 2). subsiste, pois a perita médica abordou os itens elencados no

Ressalta-se que o reconhecimento do nexo de concausalidade referido artigo.

não afasta a responsabilização da reclamada, uma vez que é Assim, inexistindo nos autos outras provas capazes de afastar

dever da empresa tomar os cuidados necessários com a saúde o laudo pericial, entendo necessário seguir as conclusões nele

de seus empregados e, se uma patologia preexistente é expostas quanto à existência de nexo concausal entre a

agravada em razão do trabalho, deve-se reconhecer o dever de patologia do autor e a atividade laborativa.

indenizar. Cumpre salientar que o laudo pericial é instrumento técnico-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 49
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

científico de constatação e a sua conclusão somente pode ser contribuição do trabalho para o quadro clínico da reclamante

infirmada por prova robusta em sentido contrário. Além disso, (nexo concausal) e, ainda, que a indenização não deve se valer

embora o juiz não esteja adstrito às conclusões do laudo como forma de enriquecimento ilícito, reformo a sentença para

pericial, podendo formar suas convicções com outros reduzir o valor da indenização por danos morais para

elementos e provas existentes nos autos, também é certo que R$11.780,65, equivalente a cinco salários do obreiro, pois

não pode desprezar a prova técnica em razão do simples enquadra-se como ofensa de natureza média e observa os

inconformismo da parte cuja conclusão lhe seja desfavorável. critérios estabelecidos no art. 223 - G da CLT, além dos

Quanto à culpa da reclamada, verifico que esta se encontra princípios da razoabilidade e proporcionalidade.

igualmente evidenciada, pois, dentre as espécies de culpa, está Ante o exposto, reformo a sentença a fim de reduzir a

a in vigilando, que se traduz na ausência de fiscalização do condenação de indenização por danos morais de R$20.000,00

patrão em relação aos empregados sob o seu comando. para R$11.780,65.

Ora, cabe ao empregador zelar pela segurança de seus Quanto ao pedido de reforma da decisão quanto à

funcionários e fiscalizar o modo de execução das atividades, determinação do pagamento da condenação no prazo de 8 dias

velando para que as atividades sejam executadas de forma após o trânsito em julgado, considerando que a execução

correta, assim como o ambiente de trabalho seja saudável, possui regra própria, prevista na CLT, nos artigos 876 e

evitando, assim, que sejam expostos a sinistros e a fatores seguintes, aguarde-se o momento oportuno para apresentar

estressantes, não sendo suficiente a alegação de que sempre impugnação.

cumpriu com as normas de medicina e segurança do trabalho, (...)'.

uma vez que comprovado pela perita que o ambiente laboral

agravou a saúde do autor. O Colegiado decidiu com amparo nos elementos probatórios

Assim, verificada a culpa e o nexo de concausalidade, entende- contidos nos autos, tendo restado consignado no acórdao que

se caracterizada a obrigação de indenizar o dano moral, já que restaram 'preenchidos os requisitos para a condenação da

este guarda relação apenas com a ocorrência do próprio dano, reclamada ao pagamento de danos morais ao reclamante '.

que se verifica pela doença, a qual, por si só, agride o Conclusão diversa da adotada remeteria ao reexame de fatos e

patrimônio moral do empregado, tratando-se de dano provas, procedimento vedado pela Súmula 126 do Tribunal

presumido ou in re ipsa, isto é, provado pela própria força, Superior do Trabalho, pelo que não se vislumbra possível

prescindindo de provas. violação aos dispositivos apontados.

Por todo o exposto, sobretudo pela coerência das conclusões

do laudo pericial com as demais provas dos autos, entendo CONCLUSÃO

que o juízo a quo, acertadamente, entendeu preenchidos os DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

requisitos para a condenação da reclamada ao pagamento de Publique-se e intime-se.

danos morais ao reclamante. phlg

Quanto ao valor deferido, o art. 944 do CCB prevê que a Assinatura

indenização do dano se mede pela sua extensão, o que, MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

evidentemente, não afasta o justo e equilibrado arbitramento

judicial, pois, embora de caráter discricionário, não prescinde LAIRTO JOSE VELOSO

da análise subjetiva do julgador, atendendo às circunstâncias Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

de cada caso, a posse do ofensor e a situação pessoal do Decisão


Processo Nº RORSum-0001424-52.2019.5.11.0011
ofendido. A primeira medida é amenizar a dor moral para, em Relator JOICILENE JERONIMO PORTELA
seguida, reparar suas perdas. Quanto ao ofensor, impõe-se, RECORRENTE MARIA ROSA PINTO ROCHA
ADVOGADO DANIELLE RODRIGUES
por meio do 'quantum', desestimular a prática de atos VILARINS(OAB: 43386/DF)
moralmente danosos, aí consistindo seu caráter exemplar. RECORRIDO EMPRESA BRASILEIRA DE
CORREIOS E TELEGRAFOS
O juiz tem liberdade para fixar o valor, pautando-se no bom

senso e na lógica do razoável, a fim de se evitar extremos Intimado(s)/Citado(s):


- MARIA ROSA PINTO ROCHA
(ínfimos ou vultosos).

Nesse sentido, considerando o tempo de vínculo, o grau de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 50
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

também houve afrontaaonegócio jurídico perfeito.

Alega que a alteração contratual foi lesiva e que não devem '(...)
PODER JUDICIÁRIO
alcançar fatos pretéritos que há muito se acobertaram do negócio
JUSTIÇA DO TRABALHO
jurídico perfeito edo direito adquirido.'.

Fundamentação Consta no v. acórdão (id. ebb0646):

'(...)

RECURSO DE REVISTA Conheço do recurso interposto e, no mérito, nego-lhe provimento,

Tramitação Preferencial mantendo inalterada a sentença, na forma da fundamentação.

Lei 13.015/2014 JUÍZO DE MÉRITO. PLANO DE SAÚDE DOS CORREIOS.

Lei 13.467/2017 ALTERAÇÃO DO MODELO DE CUSTEIO. COBRANÇA DE

MENSALIDADE E COPARTICIPAÇÃO DOS EMPREGADOS

ATIVOS E INATIVOS. CLÁUSULA 28 DO ACT 2017/2018.

MATÉRIA APRECIADA NOS AUTOS DO DISSÍDIO COLETIVO N.

DC-1000295-05.2017.5.00.0000.SDC-TST. Trata-se de reclamação

trabalhista ajuizada por trabalhadora aposentada da Empresa de

Correios e Telégrafos, pretendendo a manutenção da anterior forma


Recorrente(s): MARIA ROSA PINTO ROCHA de custeio da assistência médico-hospitalar oferecida pela empresa

a seus empregados e perante a qual as despesas realizadas por

meio do plano de saúde (intitulado Correios Saúde) seriam


Advogado(a)(s): DANIELLE RODRIGUES
integralmente custeadas pela ECT, sem cobrança de mensalidade e
VILARINS (DF - 43386)
coparticipação dos empregados ativos e inativos. A reclamante

manteve vínculo empregatício com a ECT de 16.7.1987 a


Recorrido(a)(s): EMPRESA BRASILEIRA DE
16.6.2017, tendo se desligado da empresa por meio de Plano de
CORREIOS E TELÉGRAFOS
Demissão Incentivada, encontrando-se atualmente na inatividades.

Segundo a obreira, o Correios Saúde foi implementado no final da

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS década de 70, tendo a recorrente usufruído do benefício por mais

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão de 30 anos sem qualquer cobrança de mensalidade, o que assim se

publicada em 24/09/2020 - id. ca94cb3; recurso apresentado em manteve até abril/2018, ou seja, até quase um ano após a

01/10/2020 - id. 6670191). reclamante ter aderido ao Plano de Demissão Incentivada da

Regular a representação processual (id. 0a3cb26). empresa, em 16.06.2017. Segundo a recorrente, a reclamada, de

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência forma totalmente arbitrária, promoveu a mudança dessa condição,

judiciária gratuita, conforme sentença (id. f6831f9), nos termos da não só aos ativos, como também aos inativos, que nem fizeram

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. parte de qualquer negociação coletiva neste sentido. A cobrança de

mensalidade, além de romper abruptamente uma condição que

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS estava posta há mais de 40 anos, atingiu quem mais precisava do

Contrato Individual de Trabalho/Alteração Contratual ou das benefício e quem estava em condição mais vulnerável - os

Condições de Trabalho. aposentados. Com a alteração da Cláusula 28 do ACT 2017/2018

Alegação(ões): (que prevê a concessão e a forma de custeio do plano de saúde), o

- violação do(s) inciso XXXVI do artigo 5º da Constituição Federal. princípio da proteção ao trabalhador foi completamente afrontado,

- divergência jurisprudencial. uma vez que não considerou a norma mais favorável, mais benéfica

Arecorrentesustenta que o acórdão não se manifestou acerca da e principalmente a inalterabilidade contratual lesiva e a

violação ao art. 5º, XXXVI, da CF, na medida em que o plano de irrenunciabilidade de direitos. A cobrança da mensalidade do

saúde fora expurgado de seu contrato por forçade sentença Correios Saúde, após abril de 2018, alterou substancialmente e de

normativa, mesmo considerando que a concessão do benefício era forma lesiva o contrato de trabalho da recorrente. Após o benefício

feita através de Regulamento Interno da ECT, bem como por ter a de assistência médica ter aderido ao contrato de trabalho, não

manutenção garantida, por intermédio do PDI, razão por que poderia a recorrida ter alterado de forma lesiva as condições outrora

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 51
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

pactuadas, até porque o contrato da reclamante já havia se findado TST nos autos dos dissídios coletivos supracitados. Na sentença

há meses, sendo a sua manutenção, nos exatos termos fixados de mérito, o juízo da 11ª Vara do Trabalho de Manaus julgou

quando de sua rescisão, medida que se impõe, conforme o art. 468 improcedentes os pedidos formulados pela autora por entender

da CLT e a Súmula 51 do TST. Segundo a recorrente, o Acordo que, em 2018, após a instauração do dissídio coletivo perante o

Coletivo de Trabalho somente alcança os trabalhadores que estão TST, a Seção Especializada proferiu sentença normativa, a qual

na ativa e não atinge fato jurídico pretérito (ou seja, os conferiu novas regras referentes à cobrança de mensalidade e

trabalhadores inativos). Assim, não é juridicamente permitido que coparticipação no plano de saúde dos Correios, o que culminou na

um ACT atinja um contrato de trabalho que tenha se encerrado alteração da redação da Cláusula 28ª do ACT 2017/2018.

antes da sua edição ou antes da sua alteração por Dissídio Ponderou, ainda, o magistrado que as provas documentais

Coletivo, sob pena de afronta ao art. 5º, XXXVI, da Constituição. produzidas no processo demonstraram que a instituição do

Requer, assim, o reconhecimento do direito adquirido ao plano de benefício de assistência à saúde fora implementado por força de

assistência médica Correios Saúde, sem cobrança de mensalidade norma coletiva (acordos coletivos de trabalho firmados entre a ECT

para ter acesso ao benefício. Em sua defesa, a reclamada alega e o sindicato obreiro), e não por mera liberalidade no regulamento

que a ECT procedeu à exaustiva tentativa de acordo com as empresarial dos Correios. Considerou, por fim, que as alterações na

entidades sindicais da reclamante tentando viabilizar a melhor forma forma de custeio do plano de saúde não ofendem o ato jurídico

de resolver definitivamente os problemas na oferta do plano de perfeito (art. 5º, XXXVI, da CRFB e art. 6º da LINDB) e a

saúde, desde o ACT 2015/2016, conforme demonstram as diversas inalterabilidade contratual lesiva (468, caput, da CLT).

atas de reuniões anexadas à defesa. Nesse cerne, estabeleceu-se ANALISO.Primeiramente, cumpre-nos destacar que é incontroverso

o impasse no âmbito da autocomposição, notadamente no que nos autos, eis que afirmado por ambas as partes, que a reclamante

se refere ao modelo de custeio do plano de saúde, porquanto a é empregada aposentada da reclamada e beneficiária do Plano de

atual e periclitante situação financeira da ECT (mantenedora da Saúde intitulado Correios Saúde, que outrora fora integralmente

Postal Saúde), assim como a própria situação financeira da Postal patrocinado pela ECT e que, após a alteração da Cláusula 28ª do

Saúde, não mais permitem a oferta de assistência médica/hospitalar Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018 (por meio do DC n.

e odontológica nos moldes pretéritos. Assim, não vislumbrando 1000295-05.2017.5.00.000, julgado pela SDC do TST), passou a

alternativas, e para evitar a ruína do sistema, a ECT ajuizou contar com a coparticipação dos empregados ativos e inativos na

Dissídio Coletivo de natureza revisional (DC nº 1000295- sua forma de custeio, passando, por conseguinte, a cobrar

05.2017.5.00.0000) perante o TST, com a finalidade, mensalidade da reclamante e dos demais empregados ativos e

especificamente, de revisar o modelo de custeio do plano de inativos. Cabe-nos, então, perquirir se a alteração operada na

saúde e a sua abrangência decorrente da Cláusula 28 do ACT Cláusula 28ª do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018, por meio

2017/2018. Assim, foi no âmbito do Dissídio Coletivo n° 1000295- do Dissídio Coletivo n. 1000295-05.2017.5.00.000 interposto

05.2017.5.00.0000 que a ECT obteve decisão favorável para fins de perante o TST, tem ou não aplicabilidade ao contrato de trabalho da

impor um novo modelo de custeio e abrangência do plano de saúde. recorrente. Pois bem. Consta dos autos que a Cláusula 28 do

Segundo a recorrente, o TST reconheceu, de forma expressa e Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018 teve sua redação alterada

inequívoca, que todas as regras referentes ao custeio do plano de pela Seção de Dissídios Coletivos do TST, após inúmeras tentativas

saúde oferecido pela ECT não poderiam ser tidas como cláusulas de autocomposição entre a ECT e o ente sindical obreiro, passando

preexistentes. Em 31.7.2019, sobreveio novamente a data base da a contar, então, com o seguinte teor: CLÁUSULA 28 -

categoria e, após tratativas, não se chegou mais uma vez a um ASSISTÊNCIA MÉDICA/HOSPITALAR E ODONTOLÓGICA - Os

consenso para firmar um acordo coletivo, razão pela qual, Correios, na qualidade de gestor, com vistas a manter a qualidade

considerando a greve deflagrada pela categoria, a ECT ajuizou o da cobertura de atendimento, oferecerá serviço de assistência

Dissídio Coletivo de Greve n° 1000662-58.2019.5.00.0000 perante o médica, hospitalar e odontológica aos(às) empregados(as)

TST, cuja sentença normativa, prolatada em 2.10.2019, manteve a ativos(as), aos(às) aposentados(as) nos Correios que permanecem

revisão da Cláusula 28 do ACT e a extinção do plano de saúde na ativa, aos(às) aposentados (as) desligados (as) sem justa causa

anterior, sendo certo que qualquer decisão que determine a ou a pedido e aos(às) aposentados(as) nos Correios por invalidez,

suspensão dos efeitos da cláusula coletiva em referência e a bem como a seus dependentes que atendam aos critérios

consequente manutenção do plano de saúde nos moldes pretéritos estabelecidos nas normas que regulamentam o Plano de Saúde, os

desrespeitará e afrontará a autoridade da decisão proferida pelo e. quais, na vigência deste Acordo Coletivo de Trabalho, não poderão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 52
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ser modificados para efeito de exclusão de dependentes. Eventual de um prazo para a inclusão da cobrança das mensalidades e

alteração no Plano de Assistência Médica/Hospitalar e implementação do novo modelo de coparticipação dos empregados

Odontológica, vigente na Empresa será precedida de estudos da ECT no custeio do Plano de Saúde, in verbis: 'DISSÍDIO

atuariais por comissão paritária. A participação financeira COLETIVO PARA REVISÃO DE CLÁUSULA CONVENCIONAL.

dos(das) empregados(as) no custeio das despesas, mediante INSTAURAÇÃO PRÉVIA DE DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE.

sistema compartilhado, ocorrerá de acordo com os percentuais CABIMENTO DA REVISIONAL. EXAURIMENTO DAS

a seguir discriminados por faixa salarial, observados os limites TENTATIVAS DE ACORDO. A existência de acordo homologado

máximos para efeito de compartilhamento citados no parágrafo nos autos de dissídio coletivo de greve, em que resguardada

1°, excluída de tais percentuais a internação opcional em cláusula que foi objeto de Pedido de Mediação, viabiliza às

apartamento e a prótese odontológica, que têm partes, que não tiveram êxito na tentativa de conciliação, em

regulamentação própria: I - NM-01 até NM-16 - 10%. II - NM-17até ver examinado em dissídio coletivo revisional a cláusula

NM-48 - 15%. III - NM-49 até NM-90 - 20%. IV - NS-01 até NS-60 - apartada para mediação, acerca da alteração do regime de

20%. §1º O teto máximo para efeito de compartilhamento será de: I custeio do plano de saúde empresarial, quando alegada a

- Para os(as) empregados(as) ativos 2 vezes o valor do salário-base impossibilidade de manutenção por onerosidade excessiva, o

do(da) empregado(a). II - Para os(as) aposentados(as) que impede a empresa de continuar cumprindo o negociado.

desligados(as) 3 vezes o valor da soma do benefício recebido do Nesses termos, cabível o pedido de revisão de cláusula

INSS e suplementação concedida pelo POSTALIS. (...). A norma convencional, nos termos do inciso IV do art. 241 do

coletiva em destaque teve a mesma redação no Acordo Coletivo de Regimento Interno do TST, por se tratar de norma preexistente

Trabalho 2016/2017, o que significa dizer que, ainda quando a que a empresa alega ter se tornado de onerosidade excessiva

reclamante estava na ativa, já havia tratativas entre o representante pela modificação das circunstâncias que a

sindical da categoria da reclamante e a ECT acerca da alteração da ditaram.REVISIONAL DE DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE.

forma de custeio do Plano de Saúde Correios Saúde, bem como da AUSÊNCIA DE COMUM ACORDO. CORREIOSSAUDE.

inclusão, na Cláusula 28, da coparticipação dos empregados ativos ALTERAÇÃO DO MODELO DE CUSTEIO. COPARTICIPAÇÃO.

e inativos nas despesas realizadas no plano de saúde, o que afasta CLAUSULA REBUS SIC STANTIBUS. TEORIA DA IMPREVISÃO E

a alegação de que a alteração contratual ocorreu de forma abrupta, DA ONEROSIDADE EXCESSIVA. CLÁUSULA PREEXISTENTE. O

unilateral e totalmente arbitrária por parte dos Correios. Não art. 114, §2º, da Constituição Federal determina que compete à

bastasse isso, observo, do exame dos instrumentos coletivos Justiça do Trabalho estabelecer normas e condições de trabalho em

juntados aos autos, que o Plano de Saúde dos empregados da ECT dissídio coletivo, respeitadas as disposições convencionais

vem sendo negociado com o ente sindical obreiro há mais de 25 mínimas. Por se tratar de cláusulas preexistentes, ajustadas

anos (fls. 45/231) e que, em razão do ajuizamento do Dissídio pelas partes por meio de acordo coletivo de trabalho, apenas é

Coletivo para revisão de cláusula convencional perante o Tribunal possível o julgamento do dissídio coletivo se demonstrada a

Superior do Trabalho (DC n. 10000295-05.2017.5.00.0000), foi excessiva onerosidade ou inconveniência de sua manutenção.

determinada, por aquela Corte Superior, a revisão da Cláusula 28 As partes foram instadas a acordo para o fim de dirimir o

do ACT 2017/2018, uma vez que, após exauridas todas as conflito em relação à necessidade de alteração do modo de

tentativas de acordo entre as partes, restou demonstrada que a custeio do Plano de Saúde. A onerosidade excessiva viabiliza a

onerosidade excessiva decorrente da manutenção do Plano de revisão pretendida, contudo, o interesse social que permeia a

Saúde nos moldes pretéritos (com o custeio integral do sistema pela manutenção do Plano de Saúde dos Correios, impõe que, na

ECT) acarretaria a ruína do sistema, tendo em vista os cenários e revisão da Cláusula 28 do ACT/2017/2018, se considere o valor

os resultados econômico-financeiros deficitários para a ECT, que social que será atingido pela modificação no custeio do plano

restaram comprovados nos autos do dissídio coletivo. De acordo em relação a classe de empregados que recepcionava o plano

com o TST, o princípio 'pacta sunt servanda' encontra limites de saúde, por décadas, como benefício que era observado

quando da existência de alteração radical das condições quando da negociação para os reajustes salariais da categoria,

econômicas no momento da execução do contrato, a teor da teoria em especial com a dependência econômica de pai e/ou mãe

da imprevisão - 'rebus sic stantibus'. Assim, julgando parcialmente integrantes do plano. O princípio 'pacta sunt servanda'

procedente o dissídio coletivo revisional (DC n. 10000295- encontra limites quando da existência de alteração radical das

05.2017.5.00.0000), aquele Tribunal Superior determinou a fixação condições econômicas no momento da execução do contrato,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 53
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

a teor da teoria da imprevisão - 'rebus sic stantibus'. A ECT é data base da categoria, houve um novo impasse nas negociações

mantenedora do plano de assistência à saúde dos correios - entre a ECT e o sindicato obreiro, o que culminou no ajuizamento

CORREIOS SAÚDE, que é administrada pela Caixa de Assistência de um novo Dissídio Coletivo de Greve (DCG n° 1000662-

e Saúde dos Empregados dos Correios - POSTALSAÚDE, de 58.2019.5.00.0000).Nesse dissídio, o TST manteve a cobrança de

autogestão, em que é garante. O modelo é objeto de acordo mensalidades e a coparticipação dos empregados ativos e inativos

coletivo, e a comunicação da revisão do plano determinou a dos Correios no custeio do Plano de Saúde ante a manutenção das

deflagração de greve pelos postalistas. A comissão paritária condições excepcionais (dificuldades econômico-financeiras da

formada na empresa para buscar uma proposta de consenso, teve a empresa pública) que deram ensejo a tal mudança, ratificando,

rejeição dos empregados em relação a qualquer alteração no assim, a determinação estabelecida, por meio do julgamento do

custeio ou compartilhamento do plano de saúde. A empresa Dissídio Coletivo n. 1000295-05.2017.5.00.000, na Cláusula 28 do

pretende revisar o plano de autogestão, considerando cenários e Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018, conforme item 'B' do

resultados econômico-financeiros deficitários que foram dissídio, in verbis: 'A) DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE

demonstrados. A forma de custeio pretendida pela empresa, modelo INSTAURADO PELA EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E

paritário 50/50, encerra um formato que não pode ser recepcionado TELÉGRAFOS. NÃO ABUSIVIDADE DO MOVIMENTO

da forma como apresentada, sem prejuízo de grande monta, em PAREDISTA. 1. DIREITO FUNDAMENTAL COLETIVO INSCRITO

especial, quando atrelado, ainda, a exclusão de pai e/ou mãe dos NO ART. 9º DA CF. ARTS. 3º E 4º DA LEI 7.783/89. A Constituição

titulares como dependentes do plano de saúde. Contudo, torna-se reconhece a greve como um direito fundamental de caráter coletivo,

possível, diante dos elementos dos autos e das propostas já resultante da autonomia privada coletiva inerente às sociedades

enunciadas durante a tentativa de Mediação nesta c. Corte, a democráticas. Não se considera abusivo o movimento paredista se

apresentação de um modelo a ser implementado, em prazo observados os requisitos estabelecidos pela ordem jurídica para sua

razoável, que viabilize economicamente aos Correios a sua validade: tentativa de negociação; aprovação pela respectiva

manutenção, sendo a modulação necessária para garantia de assembleia de trabalhadores; aviso prévio à parte adversa. No caso

um prazo para a inclusão da cobrança das mensalidades e dos autos , é incontroverso o cumprimento de tais requisitos. Há de

implementação do novo modelo de coparticipação. Deste se atentar, ainda, que a Constituição apresenta limitações ao direito

modo, o pedido deve ser parcialmente procedente para o fim de de exercício de greve, como a que diz respeito à noção de serviços

estabelecer a revisão da Cláusula 28 do ACT 2017/2018, com a ou atividades essenciais. Nesse segmento destacado, cujo rol

alteração do plano de custeio dos Correios, modulada a compete à lei definir, caberá a esta também dispor sobre o

cláusula para que a empresa mantenha os pais e/ou mães no atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade (art. 9º, §

Plano de Saúde, no período de um ano, resguardado o prazo 1º da CF). Saliente-se que a Lei de Greve (Lei 7.783/89) não prevê

até a alta médica daqueles que se encontram em tratamento de expressamente um determinado percentual de trabalhadores que

doenças graves. As partes deverão negociar a mudança desses deve se manter em atividade durante a greve para a preservação '

dependentes especial para 'plano família', ao final do prazo dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades

estabelecido, com o fim de recepcionar os referidos dependentes inadiáveis da comunidade' (art. 11), deixando claro que a obrigação

especiais. A implementação com prazo diferido tem por fim que as dos grevistas é, efetivamente, manter os serviços mínimos. Na

partes se organizem e negociem nova condição a ser adotada para situação em exame , este Relator, em sede de cognição sumária,

que os referidos dependentes tenham garantido um plano de saúde concedeu parcialmente a liminar requerida pela Empresa e

substituto, ainda que fora do sistema atual, mas que conduza à determinou a manutenção de 70% (setenta por cento) dos

efetividade do direito à saúde e à dignidade do idoso, que vem trabalhadores e dos serviços prestados pela Empresa Suscitante

sendo observado pela empresa ao longo dos anos. O novo modelo durante a greve. Analisando a matéria em sede de cognição

de gestão deverá ser implementado a partir de um ano da exauriente, e pelas informações que constam nestes autos, a

vigência do ACT 2017/2018, garantida a manutenção de todas conclusão que se extrai é o cumprimento da ordem judicial pela

as cláusulas anteriormente ao período indicado. Dissídio categoria profissional. Com efeito, muito embora o índice de

Coletivo Revisional conhecido e julgado procedente em parte' ausência ao serviço, segundo documentação produzida pela

(DC-1000295-05.2017.5.00.0000, Seção Especializada em Empresa, tenha sido um pouco superior ao limite fixado na decisão

Dissídios Coletivos, Relator Ministro Aloysio Silva Correa da liminar, no final de semana da greve, que transcorreu por sete dias,

Veiga, DEJT 15/03/2018).Em 31.7.2019, quando transcorreu a nova ficou bastante claro que as entidades sindicais conduziram o

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 54
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

movimento de maneira ordeira, razoável e leal, sem provocar em três parcelas mensais sucessivas e iguais. B) DISSÍDIO

qualquer prejuízo à comunidade, mantendo o funcionamento COLETIVO DE NATUREZA ECONÔMICA. RECONVENÇÕES

satisfatório dos serviços prestados pela Empresa e atingindo a APRESENTADAS PELAS ENTIDADES SINDICAIS

finalidade legal - manter os serviços mínimos necessários ao REPRESENTATIVAS DA CATEGORIA PROFISSIONAL. 1.

atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade . Assim, CLÁUSULA 28ª - ASSISTÊNCIA MÉDICA/HOSPITALAR E

não se há falar em abusividade da greve, tampouco em ODONTOLÓGICA. PLANO DE SAÚDE DOS EMPREGADOS E EX

descumprimento da decisão liminar. Registre-se, de todo modo, que -EMPREGADOS. O objeto da principal reivindicação do dissídio

também não se considera abusiva a atuação da Empresa na coletivo, o Plano de Saúde, tem natureza absolutamente

evolução da negociação coletiva do trabalho, inclusive no contexto singular, porquanto seu pressuposto direto é cláusula coletiva

da negociação judicial (PMPP nº 100000-49.2019.5.00.0000 e com origem parte autônoma (preexistente), parte heterônoma

PMPP nº 1000948-70.2018.5.00.0000). É que a maior ou menor (sentença normativa). Sobre este último aspecto (a

flexibilidade da Parte empresarial no atendimento das reivindicação tangenciar a alteração de uma sentença

reivindicações da categoria profissional não consiste, do ponto de normativa), é muito importante registrar que esta SDC/TST, no

vista jurídico, abuso do direito, ficando desse modo, também, julgamento do DC-1000295-05.2017.5.00.0000, inaugurou uma

rejeitada a pretensão obreira de apenação da Entidade Empresarial. linha decisória totalmente nova e específica para o caso dos

Pretensões de abusividade julgadas improcedentes . 2. Correios, que, através do poder normativo e com base em juízo

DESCONTO DOS DIAS NÃO TRABALHADOS EM FACE DA de equidade, modificou substancialmente o modelo do Plano

GREVE . A regra geral no Direito brasileiro, segundo a de Saúde utilizado por vários anos como benefício trabalhista.

jurisprudência dominante, é tratar a duração do movimento A partir de então, é inevitável que este Tribunal lance mão do

paredista como suspensão do contrato de trabalho (art. 7º, Lei mesmo critério (juízo de equidade) para decidir os conflitos

7.783/89). Isso significa que os dias parados, em princípio, não são coletivos correlatos da ECT. No presente dissídio coletivo, são

pagos, não se computando para fins contratuais o mesmo período. deferidas algumas reivindicações que têm respaldo em

Entretanto, caso se trate de greve em função do não cumprimento cláusula preexistente, e outras reivindicações que modificam

de cláusulas contratuais relevantes e regras legais pela empresa as condições fixadas para o Plano de Saúde dos empregados e

(não pagamento ou atrasos reiterados de salários, más condições ex-empregados no DC-1000295-05.2017.00.0000, com produção

ambientais, com risco à higidez dos obreiros, etc.), em que se pode de financeiro ínfimo (plenamente sustentável), mas importante

falar na aplicação da regra contida na exceção do contrato não aperfeiçoamento das relações entre as Partes nesse

cumprido , a greve deixa de produzir o efeito da mera suspensão. âmbito.Não foram acolhidas as condições mais gravosas

Do mesmo modo, quando o direito constitucional de greve é propostas pela Empresa, uma vez que, no julgamento daquele

exercido para tentar regulamentar a dispensa massiva. Nesses dois citado dissídio coletivo, esta SDC/TST exerceu juízo de

grandes casos, seria cabível enquadrar-se como mera interrupção o equidade em que, em uma situação excepcionalíssima, e após

período de duração do movimento paredista, descabendo o avaliar e refletir sobre todas as consequências de ordem

desconto salarial. O caso dos autos não se amolda à hipótese de financeira e social que aquela decisão traria às Partes,

interrupção do contrato de trabalho, mas de suspensão contratual, modificou uma conquista histórica da categoria profissional,

não sendo devido, a princípio, o pagamento dos dias não que resultou em significativo benefício econômico para a

trabalhados. De outro lado, conforme visto alhures, a conduta Empresa, legítimo naquela oportunidade. Neste novo juízo de

empresarial em relação ao não atendimento das reivindicações da equidade, as circunstâncias não justificam um rebaixamento

categoria, durante o processo de negociação coletiva, também não ainda maior das condições de trabalho do que a aquelas

pode ser considerada como abuso de direito, desservindo para fixadas no dissídio coletivo anterior. Defere-se, em parte, as

justificar o pagamento dos dias não trabalhados em virtude da reivindicações da categoria profissional, e não se acolhe a

greve. Entende-se, porém, que o desconto salarial relativo aos dias contraproposta apresentada pela Empresa. 3. CLÁUSULA 28ª -

não trabalhados deve ser dividido em três parcelas mensais ASSISTÊNCIA MÉDICA/HOSPITALAR E ODONTOLÓGICA.

sucessivas e iguais, de modo a não impactar tão profundamente a PLANO DE SAÚDE DOS PAIS E MÃES. Sobre o Plano de Saúde

remuneração mensal dos trabalhadores. Julga-se procedente a para Pais e Mães, prevaleceu o entendimento da Douta Maioria dos

pretensão da Empresa para autorizar o desconto dos salários membros desta Seção Especializada em Dissídios Coletivos, de

referentes aos dias não trabalhados em virtude da greve, dividido que a criação desse Plano de Saúde específico não pode ser

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 55
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

determinada pela Justiça do Trabalho através do poder normativo, para reduzir ou descaracterizar disposições mínimas legais de

mas apenas por meio de negociação autônoma entre as Partes proteção ao trabalho, bem como para reduzir ou descaracterizar

interessadas, nos termos do que foi definido no julgamento DC- disposições normativas convencionadas anteriormente em ACTs ou

1000295-05.2017.5.00.0000. Assim, muito embora o texto do CCTs. Tal pretensão é absolutamente incompatível com o art. 114,

parágrafo 9º da Cláusula 28 fixado na sentença normativa que § 2º, da CF. Registre-se que, na interpretação do Direito,

vigorou no período anterior (DC-1000295-05.2017.5.00.0000) tenha prepondera a fórmula da coerência, por meio da qual o conteúdo e

determinado a inclusão dos pais e mães em ' plano família a ser a extensão da norma enfocada são alcançados através da pesquisa

negociado entre as partes interessadas ', e não ter havido solução da coerência racional e lógica ao conjunto normativo específico que

autônoma para a questão, esse plano de saúde distinto apenas a caracteriza e a cerca. Não há, na Constituição da República,

pode ser definido em negociação autônoma entre a Empregadora e qualquer respaldo para a interpretação puramente econômica do

o(s) Sindicato(s). A Maioria dos membros da SDC considerou, Direito, inclusive do Direito do Trabalho e dos seus institutos (como

também, que a fixação de regra para criação do plano de saúde o dissídio coletivo e a sentença normativa). Note-se, a propósito,

escapa ao poder normativo da Justiça do Trabalho porque impõe que, nesse ramo jurídico especializado, preponderam princípios

um ônus financeiro extraordinário à Empresa, especialmente porque constitucionais que induzem ao aperfeiçoamento e à melhoria das

o benefício foi fixado em sentença normativa que já havia previsto a condições de pactuação da força de trabalho humano, e não à sua

sua extinção, nos moldes então praticados, para o dia 31/7/2019. degradação (princípios da dignidade da pessoa humana; da

Nada obstante o indeferimento da pretensão da categoria valorização do trabalho; do bem-estar individual e social, da justiça

profissional, que culmina na possível extinção do Plano 'Correios social; da proporcionalidade e razoabilidade; da vedação ao

Saúde 1' - no qual estavam inseridos os pais e mães - fica garantida retrocesso social; etc.). Desse modo, não logra êxito a tentativa da

a permanência dos tratamentos em andamento e não finalizados, Empresa de atribuir uma interpretação do art. 114, § 2º, da CF que

na forma exposta no corpo do voto. Ficaram vencidos este Ministro possibilite a redução de direitos convencionais preexistentes da

Relator e a Ministra Kátia Magalhães Arruda, que fixavam regra categoria profissional por meio do poder normativo, através da

para criação de novo Plano de Saúde para Pais e Mães, em que os exacerbação de aspectos de ordem essencialmente econômico-

trabalhadores seriam responsáveis por 30% das despesas, financeira e de argumentos metajurídicos. Tal resultado

enquanto que a Empregadora ficaria com a responsabilidade de interpretativo é nitidamente dissociado do conjunto normativo lógico

70% , mantendo-se a proporção da coparticipação dos empregados e sistemático que caracteriza e envolve a Constituição da República

nos mesmos moldes do Plano 'Correios Saúde 2' (Plano de Saúde e as normas jurídicas pertinentes ao dissídio coletivo, ao poder

dos empregados e ex-empregados) . INDEFERE-SE o pedido de normativo da Justiça do Trabalho e à sentença normativa,

fixação de regra para criação de Plano de Saúde para Pais e Mães. traduzindo disfunção interpretativa censurável. Assim, no caso

3. DEMAIS CLÁUSULAS REIVINDICADAS. BENEFÍCIOS QUE concreto, considerando que as reivindicações da categoria

ENCONTRAM RESPALDO EM NORMA COLETIVA profissional encontram amparo em norma coletiva preexistente

PREEXISTENTE (ACORDO COLETIVO DE TRABALHO). (normas discutidas e fixadas por livre negociação entre as partes

FIXAÇÃO DESSAS VANTAGENS NA PRESENTE SENTENÇA em Acordo Coletivo do Trabalho no período imediatamente

NORMATIVA. INVIABILIDADE DE REDUÇÃO DAS VANTAGENS anterior), devem ser fixadas na presente sentença normativa, com a

PRECEDENTES POR MEIO DO PODER NORMATIVO. Compete à atualização dos valores dos benefícios no mesmo índice deferido ao

Justiça do Trabalho o poder normativo para estabelecer normas reajuste salarial. DEFEREM-SE as reivindicações da categoria

coletivas, respeitadas as disposições mínimas legais de proteção ao profissional que encontram amparo em normas coletivas

trabalho, bem como as convencionadas anteriormente, com base no preexistentes (art. 114, § 2º, da CF), com as adaptações pertinentes

art. 114, § 2º, da CF. Observe-se que a Constituição Federal ' (DCG-1000662-58.2019.5.00.0000, Seção Especializada em

determina a observância, nas sentenças normativas, do critério de Dissídios Coletivos, Relator Ministro Mauricio Godinho

incorporação das condições benéficas e vantagens precedentes (' Delgado, DEJT 22/10/2019). Concluo, portanto, que a

respeitadas as disposições mínimas legais de proteção ao trabalho, determinação de cobrança de mensalidade e de coparticipação no

bem como as convencionadas anteriormente '), e não a manutenção custeio do Plano de Saúde dos empregados ativos e inativos da

das condições mais gravosas eventualmente estabelecidas nos ECT tem esteio em decisão normativa do C. TST, que, após várias

instrumentos antecedentes . Nesse contexto, é inviável a utilização tentativas de acordo frustradas e com base em juízo de equidade,

do dissídio coletivo com o objetivo de provocar o poder normativo deu nova redação à Cláusula 28 do Acordo Coletivo de Trabalho,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 56
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ADVOGADO JOSE HIGINO DE SOUSA


como forma de garantir o necessário equilíbrio econômico-financeiro NETTO(OAB: 1734/AM)
ADVOGADO MARCIO LUIZ SORDI(OAB:
da empresa reclamada e, ao mesmo, o imperioso valor social de um 52670/SP)
benefício que foi garantido, por décadas, por meio de negociação ADVOGADO LUCIANA ALMEIDA DE SOUSA E
SILVA(OAB: 1927/AM)
coletiva. Não se está aqui a concordar com a alteração contratual RECORRIDO EDSON PIRO DOS SANTOS
lesiva dos contratos de trabalho dos empregados (ativos e inativos) ADVOGADO KELMA SOUZA LIMA(OAB: 5470/AM)

da ECT, muito menos com qualquer renunciabilidade de direitos


Intimado(s)/Citado(s):
conquistados ao longo de décadas pelos trabalhadores, mas
- AMAZONGAS DISTRIB DE GAS LIQUEF DE PETROLEO
apenas a ponderar que, diante das circunstâncias minudenciadas LTDA
- EDSON PIRO DOS SANTOS
nos autos dos dissídios coletivos acima destacados, a modificação

no custeio do plano de saúde teve como fundamento elementar

uma situação excepcionalíssima (a dificuldade econômico-financeira

da empresa pública), avaliada e refletida, com base em juízo de PODER JUDICIÁRIO

equidade, pela Corte Superior, que resultou, de forma legítima, em JUSTIÇA DO TRABALHO

significativo benefício econômico para a ECT e em produção de


Fundamentação
efeito financeiro mínimo para os trabalhadores, como destacado

pelo Ministro relator do DCG-1000662-58.2019.5.00.0000. Diante de


RECURSO DE REVISTA
tais considerações, mantenho a sentença e nego provimento ao
Tramitação Preferencial
recurso.
Lei 13.015/2014
(...)'
Lei 13.467/2017

Prejudicada a análise da divergência jurisprudencial e da legislação

infraconstitucional apontada como violada, por força do art. 896, §

9º da CLT, que define as hipóteses em que a interposição do

Recurso de Revista é admitida em se tratando de feito que tramita

segundo o procedimento sumaríssimo, quais sejam: contrariedade à

norma constitucional, à súmula do Tribunal Superior do Trabalho ou

súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal. Recorrente(s): AMAZONGÁS DISTRIB DE


Por vislumbrar possível afrontaà literalidade do (a) inciso XXXVI do GAS LIQUEF DE PETRÓLEO
artigo 5º da Constituição Federal, determino o processamento do

recurso de revista, em atendimento ao artigo 896, alínea 'c', da Advogado(a)(s): LUCIANA ALMEIDA DE
Consolidação das Leis do Trabalho. SOUSA E SILVA
CONCLUSÃO

RECEBO o recurso de revista. Recorrido(a)(s): EDSON PIRO DOS SANTOS

Intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

contrarrazões ao recurso.
Advogado(a)(s): KELMA SOUZA LIMA (AM -
Após, remetam-se os autos ao Colendo TST.

dcm 5470)

Assinatura

MANAUS, 5 de Novembro de 2020.


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão


LAIRTO JOSE VELOSO
publicada em 09/10/2020 - id. 1e974eb; recurso apresentado em
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11
22/10/2020 - id. 1e1d374).
Decisão
Processo Nº ROT-0000529-03.2019.5.11.0008 Regular a representação processual (id. 5f2a3ca).
Relator ORMY DA CONCEICAO DIAS
BENTES Satisfeito o preparo (ids. 9975ddf, f161e76, 7d396b9 e a73a5e4;
RECORRENTE AMAZONGAS DISTRIB DE GAS f4d3379).
LIQUEF DE PETROLEO LTDA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 57
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS '(...)

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos OMISSÃO. ALEGAÇÃO DE JULGAMENTO ULTRA PETITA.

Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional. Ao ser mantido o valor de R$ 37.493,76, a título de danos materiais,

Alegação(ões): conglobando os pleitos de lucros cessantes, no valor de 18.210,40m

- violação do(s) incisos XXVIII e XXIX do artigo 7º;inciso IX do artigo com pensionamento, R$9.105,20, teria sido mantida sentença no

93 da Constituição Federal. aspecto impugnado, à conta de julgamento ultra petita, por deferido

- violação da (o) alíneas 'a' e 'c' do inciso II do §1º do artigo 20 da maior valor do que perquirido e utilizado com base da cálculo

Lei nº 8213/1991;inciso II do §1º do artigo 223-G da Consolidação remuneração em lugar do salário que determinaria resultante em

das Leis do Trabalho;artigo 832 da Consolidação das Leis do valor menor da condenação.

Trabalho;artigos 186 e 927 do Código Civil; parágrafo único do Efetivamente, incorreu em omissão em não observar

artigo 944 do Código Civil;artigos 141 e 492 do Código de Processo questionamento sobre a sentença extrapolar o pedido. Sanando a

Civil de 2015. omissão, resta prestar esclarecimento, de que embora cita-se

- divergência jurisprudencial. somente lucros cessantes e pensionamento, conglobados, a

Arecorrente sustenta que o acórdão não se manifestou acerca da sentença deixou claro que a incapacidade se fez total e permanente

tese de que é necessária a comprovação da realização de na razão de 20%, entendendo que isso se reflete na quantificação

tratamento médico para o deferimento de pagamento de despesas dos pleitos por danos materiais que não se ativeram em lucros

médicas (danos emergentes), mesmo quando opostos embargos cessantes, pensionamento, mas decorrentes também de danos

declaratórios para tanto, razão pela qual pugna pela nulidade do emergentes. Tendo assim se posicionado conforme feito constar na

julgado, ante a negativade prestação jurisdicional. sentença de Id 9975ddf:

Consta no v. acórdão (id. d803137): 'Neste diapasão, evidente o abalo patrimonial, haja vista a

'(...) diminuição da capacidade laborativa da reclamante, situação que

Quanto aos danos de cunho material ou patrimonial também deve ser compensada com o ressarcimento fulcrado na

necessário que se verifique em relação aos valores deferidos, responsabilidade civil postulada, surgindo o dever de reparar o dano

nominados de danos de cunho material, considerando que a doença em sua integralidade.

laboral reduziu sua capacidade laboral na proporção citada, O cálculo do dano material, na forma de pensão, deve levar em

obstando alcançar o mesmo patamar de remuneração, bem como conta a expectativa de sobrevida da autora e considerar o valor da

objetivou a compensação de lucros cessantes e danos emergentes. remuneração mensal nos casos de incapacidade total e permanente

A sentença condenou a reclamada ao pagamento, com termo inicial para o trabalho que se inabilitou. No caso dos autos a incapacidade,

em 15/11/2019 (data da juntada do laudo pericial aos autos), até parcial e permanente, é estimada pelo perito em 20% para a coluna

que o autor complete 73 anos, idade estipulada pelo IBGE em 2019 dorsal.'

para definir a expectativa de vida do homem no Brasil. A Considerando que o pleito se fez quantificado em R$109.262,40, no

indenização deverá ser paga em parcela única, com base mensal qual se resumiu em uma única rubrica, denominada de danos

na quantia de R$1.952,80. materiais, o arbitramento da quantia no valor R$37.493,76, não

Calculando-se que em 2019, o autor contaria com 65 anos extrapolou o pleito formulado, na medida em que a sentença

completos, uma previsão não exata, lhe restaria a expectativa de apenas deixara de citar um de seus aspectos, tanto que ao arbitrar

vida de ainda 8 anos, portanto 96 meses que multiplicado por 20% honorários de sucumbência, deixou de aplicar em desfavor do autor

sobre o valor de R$1.952,80 (R$390,56). Resultaria num patrimônio da demanda. Textualmente:

em torno de R$35.000,00, o que não se caracteriza como 'Devidos honorários de sucumbência, como prevê o art. 791-A, , da

excessiva, mesmo considerando que o pensionamento perquirido CLT, caput em favor do advogado do reclamante, no percentual de

limitou-se à quantia bem menor, mas que os danos, indicados como 10% (dez por cento), sobre o valor resultante da liquidação da

materiais, forma englobados em uma única condenação. Nada a sentença.'

reparar no que tange à indenização para tratamento. A utilização da remuneração com base para quantificação dos

(...)' danos não tem restrição legal, cabendo ao julgador, tratando-se de

caso de arbitramento, utilizar-se dos paramentos quantificatórios

Consta, ainda, no acórdão de embargos declaratórios de id. que entenda cabível à situação vertente, sendo que a remuneração

8962fcb: se demonstra mais adequada à quantificação.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 58
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Portanto dou provimento, para sanar a omissão no que se refere ao artigo 93 da Constituição Federal, determino o processamento do

questionamento quanto à laborar a sentença em julgamento ultra recurso de revista, em atendimento ao artigo 896, alínea 'c', da

petita, o que se rejeita, analisando-se no aspecto e mantendo Consolidação das Leis do Trabalho.

incólume o V. Acórdão. Prescrição/Acidente de Trabalho.

Dou provimento parcial. Alegação(ões):

PREQUESTIONAMENTO. CITAÇÃO DOS REGISTROS - contrariedade à(ao) : Súmula nº 268 do Tribunal Superior do

PERICIAIS. Trabalho.

Pretende, também que a sentença faça registrar as manifestações - violação do(s) inciso XXIX do artigo 7º da Constituição Federal.

periciais em que se faz registra impossibilidade de cura, - contrariedade à Súmula 230 do Supremo TribunalFederal.

considerando que se trata de doença degenerativa resultante de Arecorrente sustenta que '(...) não há o que se falar em aplicação

patologia registrada no ano de 2009, diante do fato do autor não da Sumula 230 do STF ao caso em comento, eis que no sentido

estar realizando tratamento médico inverso do que preconiza a Sumula, restou comprovado a partir do

Atendendo ao pleito formulado, a prova pericial na complementação laudo pericial que desde meados de 2009, conforme exposto pelo

ao laudo assim se manifestou nos termos do Id c908d1c, atendendo próprio Autor no ato pericial, este tinha conhecimento de que era

ao questionamento para fins de esclarecimento: portador de patologia lombar, a qual o perito classificou como de

'(D) Quais as limitações ângulo articulares aferidas no autor assim origem degenerativa.'. Persegue sejam declarados prescritas as

como o grau de força muscular que sustente a incapacidade a ferida verbas anteriores a 15.5.2014, nos termos do art. 7º, XXIX, da CF e

pelo douto perito? Apresenta dificuldades de fazer esforço físico; Súmula 368 do TST, uma vez que a presente ação foiajuizada em

transporte e levantamento manual de peso; agachar; realizar a 15.5.2019.

rotação de tronco vertebral; ficar muito tempo em pé ou sentado; Consta no v. acórdão (id. d803137):

etc. Há incapacidade parcial e permanente em coluna dorsal, com '(...)

uma limitação de aproximadamente 20% da sua capacidade normal. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. AUSÊNCIA DE DIREITO.

Através das manobras funcionais, no exame físico realizado por Prefacialmente, insiste na aplicação da prescrição quinquenal,

este Perito do Juízo ,durante o Ato Pericial.' porque a doença teve início em 2009 e, desse então conhecida pelo

Cabe, no momento presente, também assentar que a conclusão reclamante e a presente ação se fez ajuizar em 2019, pretendendo

judicial por deferir indenização por danos materiais se assenta na que tenha sido sepultada porque passados mais de cinco anos do

prova técnica, em que o expert deixa claro que haver concausa para que entende ser o marco inicial da contagem que possibilitaria a

a moléstia, embora faça por força degenerativa, não importando se condenação.

eclodiu em determinado ano ou não, visto que se faz amparada a Analiso.

decisão por prova conclusiva pericial nos termos do laudo de Id Necessário se faz estabelecer o marco da contagem inicial da

e8fea83: prescrição, uma vez que o objeto da presente ação é determinar se

'Após Anamnese bem conduzida; Exame Físico Apurado; a lesão teve um início e fim em determinado lapso temporal ou se

Interpretação dos Exames por Imagem (Tomografia delongou no transcorrer do pacto laboral, uma vez que alegada a

Computadorizada de Coluna Dorsal e vários Laudos Médicos existência de lesão por ocasião do ajuizamento da ação.

Especializados, anexado aos Autos); Ambiente Imperioso para Diante de tais circunstâncias, a jurisprudência, na visão da Corte

Coluna. Maior, o pacificou o tema, conforme os ditames da sua Súmula 230:

Chego a CONCLUSÃO QUE: HOUVE NEXO CONCAUSAL 'A prescrição da ação de acidente do trabalho conta-se do exame

(AGRAVAMENTO DO QUADRO CLÍNICO DAS PATOLOGIAS QUE pericial que comprovar a enfermidade ou verificar a natureza da

É PORTADOR EM COLUNA DORSAL), DURANTE O EXERCÍCIO incapacidade.'

DAS SUAS ATIVIDADES LABORAIS NA RECLAMADA, NO O exame pericial, como consta da instrução processual comprovou

PACTO LABORAL.' a enfermidade como de moléstia ocupacional, bem como

Entendendo caber a presente manifestação, tenho por atendido o determinou a natureza da incapacidade, quantificando seu

questionamento pra fins de prequestionamento. percentual . Diante disso, não tendo decorrido a quantidade de

(...)' tempo pretendida pela defesa para determinar existência da

prescrição, não merece reprimenda a sentença que assim o

Por vislumbrar possível afrontaà literalidade do (a) inciso IX do declarou.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 59
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Nego provimento. PROMULGAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004.

(...)' PRESCRIÇÃO TRABALHISTA. ARTIGO 7º, INCISO XXIX, DA

CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Quanto ao marco inicial da prescrição,

Adecisão da Turma está em consonância com a manifestação tem-se que, de acordo com o artigo 189 do Código Civil, 'violado o

reiterada do TST, vejamos: direito, nasce para o titular a pretensão, a qual se extingue, pela

(...) prescrição, nos prazos a que aludem os arts. 205 e 206' . A

RECURSO DE REVISTA - RECURSO INTERPOSTO NA prescrição é regida, principalmente, pelo princípio da actio nata,

VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014 E DO CPC/73 - PRESCRIÇÃO - consagrado no citado artigo, segundo o qual é a violação do direito

DOENÇA OCUPACIONAL - PERDA AUDITIVA - INDENIZAÇÃO subjetivo que faz nascer, para o seu titular, a pretensão de repará-

POR DANOS MORAIS E MATERIAIS - MARCO INICIAL - LAUDO lo, com o que se deflagra a fluência da prescrição extintiva do direito

PERICIAL - CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA LESÃO. Embora de ação correspondente. Vale destacar que, no caso da pretensão

tormentosa a questão relativa à data a ser considerada para se de indenização por danos morais e materiais decorrentes de

definir o início da fluência do prazo prescricional, em se tratando de acidente de trabalho, a jurisprudência trabalhista tem adotado como

acidente de trabalho, o Supremo Tribunal Federal e o Superior parâmetro para fixação do marco inicial da prescrição o critério

Tribunal de Justiça consagraram entendimentos consubstanciados consagrado pela Súmula nº 278 do Superior Tribunal de Justiça,

nas respectivas Súmulas nºs 230 e 278 de que o termo inicial do que dispõe, in verbis: 'O termo inicial do prazo prescricional, na

prazo é a data em que o empregado teve ciência inequívoca da ação de indenização, é a data em que o segurado teve ciência

incapacidade laboral pela elaboração de laudo pericial. No caso, o inequívoca da incapacidade laboral' . Extrai-se desse verbete

autor apenas teve ciência inequívoca da consolidação dos efeitos sumular que o direito de pleitear essa indenização, em todos os

gerados pelo acidente de trabalho quando realizada a perícia seus contornos, somente surge para o segurado na data em que ele

médica judicial na qual restou determinada a perda auditiva com tiver ciência inequívoca da sua incapacidade laboral, em toda sua

consequência na atuação laboral do empregado . Revele-se, ainda, extensão. A interpretação a ser dada à expressão 'ciência

que o exame audiométrico periódico, tido como marco inicial da inequívoca da incapacidade laboral' , registrada na Súmula nº 278

contagem do prazo prescricional pelo julgador regional, não tem o do STJ, deve ser ampla, com vistas a observar o princípio protetivo,

condão de estabelecer o alcance e comprometimento da lesão basilar do Direito do Trabalho. A deflagração do prazo prescricional

quanto ao exercício da função pelo empregado, aspectos que da pretensão de indenização por danos morais e materiais

alcançam patamar prioritário quando da elaboração de laudo decorrentes de doença ocupacional deverá, em regra, coincidir com

pericial com finalidade específica, qual seja a apuração das causas a data em que o empregado tenha tido ciência inequívoca dos

e da possível incapacidade laborativa gerada pela doença efeitos danosos da lesão sofrida, pois é nesse momento que o

ocupacional. Portanto, nos casos de doença profissional equiparada direito à reparação civil torna-se exigível. No caso, com base no

a acidente do trabalho, como é a hipótese dos autos - perda contexto fático delineado, segundo o Regional, o reclamante teve

auditiva, a prescrição deverá tomar como marco o princípio da actio ciência inequívoca da lesão em 25/2/2015. A SbDI-1 do TST, ao

nata. Na espécie, somente com a conclusão do laudo pericial, em julgar o Processo no E-RR-2700-23.2006.5.10.0005, em 22/5/2014,

15/5/2015, é que efetivamente restou constatada a incapacidade de relatoria do Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, publicado no DEJT

parcial do autor, sendo este, pois, o marco inicial para a contagem em 22/8/2014, em sua composição completa, após amplo debate,

da prescrição. Ajuizada a reclamatória trabalhista em 11/6/2014, decidiu, por expressiva maioria, que o marco prescricional será a

não há prescrição a ser pronunciada relativamente à pretensão de data da ciência inequívoca da lesão e que a prescrição trabalhista é

reparação dos danos morais e patrimoniais decorrentes do acidente aplicável para as ações em que se pleiteia o pagamento de

de trabalho. Recurso de revista conhecido e provido . indenização por danos morais e materiais decorrentes de acidente

(TST - RR: 4964420145120013, Relator: Luiz Philippe Vieira de do trabalho quando a lesão ocorreu após a entrada em vigor da

Mello Filho, Data de Julgamento: 20/09/2017, 7ª Turma, Data de Emenda Constitucional nº 45/2004. Na hipótese dos autos, a ciência

Publicação: DEJT 22/09/2017) inequívoca da lesão ocorreu após, portanto, o deslocamento da

AGRAVO DE INSTRUMENTO INTERPOSTO EM RECURSO DE competência para a Justiça do Trabalho apreciar e julgar as

REVISTA. PRESCRIÇÃO. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E questões de natureza indenizatória promovido pela Emenda

MATERIAIS DECORRENTES DE DOENÇA OCUPACIONAL. Constitucional nº 45. Incide, pois, o prazo prescricional trabalhista

ACTIO NATA. CIÊNCIA INEQUÍVOCA DA LESÃO APÓS A previsto no artigo 7º, inciso XXIX, da Constituição Federal. Assim,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 60
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

não há falar em prescrição quinquenal, tampouco bienal, da Moral/Doença Ocupacional.

pretensão do reclamante à indenização por danos morais Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano

decorrentes de doença ocupacional, uma vez que a ciência Material/Doença Ocupacional.

inequívoca da lesão ocorreu em 25/2/2015, quando foi realizada Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano

perícia judicial, e a ação foi ajuizada em 28/4/2014, quando ainda Moral/Valor Arbitrado.

estava em vigor o contrato de trabalho, conforme reconhecido no DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos

acórdão regional. Agravo de instrumento desprovido. DANOS Processuais/Nulidade/Julgamento Extra / Ultra / Citra Petita.

MORAIS E MATERIAIS. DOENÇA OCUPACIONAL. OPERADOR Alegação(ões):

DE ALMOXARIFE. SÍNDROME DO MANGUITO ROTADOR. NEXO - contrariedade à(ao) : Súmula nº 126 do Tribunal Superior do

DE CONCAUSALIDADE COM A ATIVIDADE LABORAL. Trabalho.

REDUÇÃO PARCIAL E PERMANENTE DA CAPACIDADE - violação da (o) inciso IV do artigo 896 da Consolidação das Leis

LABORATIVA. Trata-se de pedido de indenização por danos morais do Trabalho.

e materiais, uma vez que o autor foi diagnosticado com síndrome do - divergência jurisprudencial.

manguito rotador, à época do exercício da atividade de operador de Aduz que o reclamante padece de doença degenerativa na coluna,

almoxarife. Importante ressaltar que a responsabilização razão por que '(...) ao concluir a v. decisão que a patologia é de

indenizatória do empregador, em face de acidente de trabalho ou do cunho ocupacional, incorreu em violação ao artigo 20, II, § 1º, letras

desenvolvimento de doença pelo empregado, depende da 'a', e, 'c' daLei nº 8.213/91.'.

comprovação não apenas do dano, mas também do nexo de Ressalta que o autor '(...) está afastado do trabalho há mais de dois

causalidade com a atividade laboral e da conduta culposa por parte anos, sem apresentar qualquer melhora, não há o que se falar em

do empregador. No caso, o dano suportado pelo reclamante é nexo concausal.'.

evidenciado a partir da conclusão pericial, segundo a qual se Alega, também, que o acórdão condenou a empresa em

constatou a redução permanente de 25% da capacidade laborativa, indenização por danos materiais (pensão) em valor superior ao

com nexo de concausalidade com a atividade laboral. A conduta pedido na inicial, razão por que entende que o julgamento foi ultra

culposa da reclamada é decorrente da omissão em zelar por um petita.

ambiente de trabalho adequado, conforme asseverou o Regional. Aponta, ainda, que '(...) os valores indenizatórios deferidos violam

Desse modo, a em razão das premissas expressamente os Art. 223-G, §1º, II, e, artigo 832, ambos da CLT; Artigos 186, 927

consignadas no acórdão regional, a respeito da redução de 25% da e 944, parágrafo único, todos do Código Civil, eis que restou

capacidade laborativa do reclamante, do nexo concausal com a comprovado que a atividade desempenhada pelo Autor na

atividade laboral e da conduta negligente da reclamada quanto à Recorrente apenas agravou sua patologia degenerativa na coluna,

adoção de medidas preventivas contra acidentes de trabalho, impõe bem como que o grau de extensão de incapacidade é de 20%, logo,

-se o dever de indenizar, o que afasta as alegações de ofensa aos os valores deferidos estão em dissonância com os princípios da

artigos 5º, inciso V, e 7º, inciso XXVIII, da Constituição da República proporcionalidade e da razoabilidade.'.

e 186, 927 e 950 do Código Civil. Agravo de instrumento Assevera que o quantum indenizatório deve observar o salário

desprovido. contratual, e não a remuneração, além de que, por tratar-se de

(TST - AIRR: 107434320145150032, Relator: José Roberto Freire ofensa de natureza média, o patamar máximo indenizatório é de até

Pimenta, Data de Julgamento: 20/11/2018, 2ª Turma, Data de cinco vezes o último salário do ofendido, e não dez vezes, razão por

Publicação: DEJT 23/11/2018) que entende violado o comando do§ 1º, inciso II, do artigo 223-G

Não é razoável admitir que a manifestação reiterada do Tribunal da CLT.

Superior do Trabalho seja contra legem ou em afronta à Ainda nesse ponto, argui que não há falar em indenização por

Constituição Federal. Assim, por haver convergência entre a tese despesas médicas, pois o próprio autor informou ao perito que não

adotada no acórdão recorrido e a iterativa, notória e atual realiza qualquer tipo de tratamento médico.

jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, não se vislumbra

possível violação aos dispositivos invocados, sendo inviável o Consta no v. acórdão (id. d803137):

seguimento do apelo, inclusive por divergência jurisprudencial '(...)

(Súmula 333 do TST). DOENÇA LABORAL. INEXISTÊNCIA. NÃO CABIMENTO DE

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano CONDENAÇÃO.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 61
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Em suas razões recursais assenta a reclamada-recorrente que apresentou várias situações dos quais sua conclusão se fez

alegações, nas quais impugna o laudo pericial, aduzindo se fazer assentar o que faz desnecessária a quantificação do peso da

contraditório porque não citou o peso da mangueira, cujo manuseio mangueira, bem como que, como assentou-se no laudo, a causa da

se mostra de baixo risco, demonstrando que a moléstia não teria doença não fora sua origem, que inegável de cunho degenerativo,

como origem no labor, porque a execução das tarefas não se faz mas que se fez concausa no agravamento e durante o tempo

por meio de movimentos forçados ou dispêndio de maior energia ou resultou na perda de capacidade, como declinou o perito.

movimentos desmesurados. Complementa que o expert reconheceu Também sem suporte lógico alegação de que a existência de dor na

a origem degenerativa das doenças. ocasião da perícia faria entender da inexistência de nexo causal

Complementa que o fato de apresentar dores no tempo da perícia com o labor. Ao contrário, a manifestação na oportunidade da

afastaria a conclusão de que resultaria do trabalho, discordando da perícia, enseja que a doença existe, como comprovada por exames

conclusão de existência de nexo concausal, bem como que a lei e laudos apresentados na oportunidade da perícia e respectivos ao

previdenciária número 1913/91, exclui a doença degenerativa como tempo do pacto, determinando que como efeito há, além da

acidentária, aduzindo que não há incapacidade para o trabalho. capacidade laboral outros efeitos danosos à vida do obreiro.

Arrazoa que não se faz com base nos fatos narrados a manutenção Resta assentar que a doença degenerativa, para fins

do diagnóstico pericial, isentando a reclamada do pagamento. previdenciários, não caracteriza acidente do trabalho, mas o

Analiso. Para tanto entendo necessário trazer um resumo do levantamento pericial, com base nos apontamentos acima

levantamento pericial, podendo assim determinar se a sentença de registrados dão conta de que a atividade contribuiu para o

origem teve por base elementos suficientes ao entendimento, de agravamento, tendo o resultado a perda da capacidade laboral.

que a atividade propiciaria o acometimento da moléstia ou não. Registre-se, como aponta a própria recorrente que desde 2009 o

Primeiramente que as observações se fez levantamento da forma autor veio apresentando os efeitos, sem que a empresa adotasse

em que se dava a prestação por parte do autor, sobre a qual fez medidas para, se não impedir o avanço da doença, mas minimizá-la

assentar o expert, que o autor da demanda executava suas para que não houvesse a redução acima quantificada.

atividades com movimentos bruscos, agachamentos frequentes, Diante de tal quadro apresentado, se demonstram requisitos que

rotação de tronco vertebral, esforço físico e postura inadequada. ensejam a reparação com suporte na responsabilidade civil, quais

Diante de tal observação no transcorrer da realização pericial, sejam, o nexo causal, o dano e a culpabilidade, conforme de forma

respondeu à questão de nº 05 da reclamada: claro e sob o mesmo argumento se fez assentar na sentença

'5 - A causa da enfermidade do Autor está relacionada às funções impugnada. Destarte, as razões recursais não fizeram elidir os

laborais à época do contrato de trabalho com a reclamada?' elementos probatórios decorrentes do levantamento pericial, bem

Cuja resposta, assim delimitou: como demonstrada a responsabilidade da empresa, o que ensejou

'R: Não; são de causas multifatoriais, que independem do labor; o reconhecimento da moléstia como de cunho laboral, dando

mas, houve o agravamento do quadro clínico, durante a realização suporte à condenação por danos, deve ser mantida a sentença no

das suas atividades laborais em ambiente imperioso para coluna aspecto.

vertebral, principalmente dorsal, no pacto laboral.' Nego provimento, mantendo o reconhecimento da doença como de

Em resposta à indagação do autor, assim colocou, (pergunta e cunho laboral.

resposta sequenciais): QUANTIFICAÇÃO DA INDENIZAÇÃO POR DANOS. REDUÇÃO.

'a) A doença ocupacional gerou incapacidade laboral ao Ultrapassada a pretensão de elidir a existência de doença

reclamante? Se positivo, em qual percentual? R: Sim. Em ocupacional, também mostra sua inconformidade com os valores

aproximadamente 20% da sua capacidade laboral foi atingida; indenizatórios, tanto em danos morais porque calculados com base

incapacidade parcial e permanente em coluna dorsal.' salarial diversa da percebida pelo autor e excesso no

Diante disso, sua conclusão se fez assentar com tais observações: reconhecimento do montante do dano como de grande monta. Bem

'Chego à CONCLUSÃO QUE: HOUVE NEXO CONCAUSAL como porque a sentença extrapolou o próprio pedido do autor que

(AGRAVAMENTO DO QUADRO CLÍNICO DAS PATOLOGIAS QUE foram em muito inferiores. Quanto à indenização por conta de

É PORTADOR EM COLUNA DORSAL), DURANTE O EXERCÍCIO custeio de tratamento pede exclusão por que o autor não se

DAS SUAS ATIVIDADES LABORAIS NA RECLAMADA, NO encontrava em tratamento. Quanto aos honorários sucumbenciais,

PACTO LABORAL. ' pede pela redução a 5% do valor da condenação.

Entendo que o laudo não se demonstra contraditório, na medida em Analiso.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 62
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

A sentença quantificou a condenação de indenização por danos de Consta, ainda, do acórdão de embargos declaratórios de id.

cunho moral em R$29.292,00, na razão de 15 vezes o salário do 8962fcb:

autor no mês anterior à rescisão, baseando na conclusão haver '(...)

nexo de concausalidade alto. OMISSÃO. ALEGAÇÃO DE JULGAMENTO ULTRA PETITA.

Entendo que a quantificação do dano moral deve se ater no grau de Ao ser mantido o valor de R$ 37.493,76, a título de danos materiais,

ofensa, ou seja, o efeito causado na vida e condições do conglobando os pleitos de lucros cessantes, no valor de 18.210,40m

trabalhador, principalmente no que tange ao percentual e com pensionamento, R$9.105,20, teria sido mantida sentença no

incapacidade. Analisando-se que o autor teve sua capacidade aspecto impugnado, à conta de julgamento ultra petita, por deferido

reduzida em 20%, entendo a quantificação da indenização não se maior valor do que perquirido e utilizado com base da cálculo

dá pela quantificação máxima, porque não resultou em total, por remuneração em lugar do salário que determinaria resultante em

isso quantifico na proporção média, valor menor da condenação.

Diante disso, reduzindo o valor deferido na sentença, arbitro na Efetivamente, incorreu em omissão em não observar

quantia equivalente a dez (10) vezes a remuneração do autor no questionamento sobre a sentença extrapolar o pedido. Sanando a

mês anterior à sua despedida, resultando na quantia de omissão, resta prestar esclarecimento, de que embora cita-se

R$19.528,00. somente lucros cessantes e pensionamento, conglobados, a

Quanto aos danos de cunho material ou patrimonial também sentença deixou claro que a incapacidade se fez total e permanente

necessário que se verifique em relação aos valores deferidos, na razão de 20%, entendendo que isso se reflete na quantificação

nominados de danos de cunho material, considerando que a doença dos pleitos por danos materiais que não se ativeram em lucros

laboral reduziu sua capacidade laboral na proporção citada, cessantes, pensionamento, mas decorrentes também de danos

obstando alcançar o mesmo patamar de remuneração, bem como emergentes. Tendo assim se posicionado conforme feito constar na

objetivou a compensação de lucros cessantes e danos emergentes. sentença de Id 9975ddf:

A sentença condenou a reclamada ao pagamento, com termo inicial 'Neste diapasão, evidente o abalo patrimonial, haja vista a

em 15/11/2019 (data da juntada do laudo pericial aos autos), até diminuição da capacidade laborativa da reclamante, situação que

que o autor complete 73 anos, idade estipulada pelo IBGE em 2019 deve ser compensada com o ressarcimento fulcrado na

para definir a expectativa de vida do homem no Brasil. A responsabilidade civil postulada, surgindo o dever de reparar o dano

indenização deverá ser paga em parcela única, com base mensal em sua integralidade.

na quantia de R$1.952,80. O cálculo do dano material, na forma de pensão, deve levar em

Calculando-se que em 2019, o autor contaria com 65 anos conta a expectativa de sobrevida da autora e considerar o valor da

completos, uma previsão não exata, lhe restaria a expectativa de remuneração mensal nos casos de incapacidade total e permanente

vida de ainda 8 anos, portanto 96 meses que multiplicado por 20% para o trabalho que se inabilitou. No caso dos autos a incapacidade,

sobre o valor de R$1.952,80 (R$390,56). Resultaria num patrimônio parcial e permanente, é estimada pelo perito em 20% para a coluna

em torno de R$35.000,00, o que não se caracteriza como dorsal.'

excessiva, mesmo considerando que o pensionamento perquirido Considerando que o pleito se fez quantificado em R$109.262,40, no

limitou-se à quantia bem menor, mas que os danos, indicados como qual se resumiu em uma única rubrica, denominada de danos

materiais, forma englobados em uma única condenação. Nada a materiais, o arbitramento da quantia no valor R$37.493,76, não

reparar no que tange à indenização para tratamento. extrapolou o pleito formulado, na medida em que a sentença

Por fim, cabe também redução no que se refere aos honorários apenas deixara de citar um de seus aspectos, tanto que ao arbitrar

advocatícios de sucumbência, que se demonstram em proporção honorários de sucumbência, deixou de aplicar em desfavor do autor

exagerada. Arbitro a condenação na proporção de 5% sobre o valor da demanda. Textualmente:

do crédito apurado em favor do autor. 'Devidos honorários de sucumbência, como prevê o art. 791-A, , da

Portanto, dou parcial provimento ao recurso no aspecto, para CLT, caput em favor do advogado do reclamante, no percentual de

reduzir a indenização por danos morais à quantia de R$19.528,00 10% (dez por cento), sobre o valor resultante da liquidação da

(dezenove mil, quinhentos e vinte e oito reais) e os honorários sentença.'

advocatícios de sucumbência a serem calculados no percentual de A utilização da remuneração com base para quantificação dos

5% sobre o valor da condenação. danos não tem restrição legal, cabendo ao julgador, tratando-se de

(...)' caso de arbitramento, utilizar-se dos paramentos quantificatórios

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 63
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

que entenda cabível à situação vertente, sendo que a remuneração

se demonstra mais adequada à quantificação. Observa-se que o entendimento manifestado pela Turma está

Portanto dou provimento, para sanar a omissão no que se refere ao assentado no substrato fático-probatório existente nos autos. Para

questionamento quanto à laborar a sentença em julgamento ultra se concluir de forma diversa seria necessário revolver fatos e

petita, o que se rejeita, analisando-se no aspecto e mantendo provas, propósito insuscetível de ser alcançado nesta fase

incólume o V. Acórdão. processual,à luz da Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho.

Dou provimento parcial. As assertivas recursais de queinexiste nexo de causalidade ou

PREQUESTIONAMENTO. CITAÇÃO DOS REGISTROS concausalidade entre as doenças do autor e as atividades por ele

PERICIAIS. praticadas na reclamada, notadamente diante do caráter

Pretende, também que a sentença faça registrar as manifestações degenerativo da doença, assim como o de que o pedido de

periciais em que se faz registra impossibilidade de cura, indenização por danos materiais foi menor do que o valor

considerando que se trata de doença degenerativa resultante de efetivamente deferido, não encontram respaldo na moldura fática

patologia registrada no ano de 2009, diante do fato do autor não retratada na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação aos

estar realizando tratamento médico preceitos da legislação federal e de divergência jurisprudencial.

Atendendo ao pleito formulado, a prova pericial na complementação Quanto ao caráter ultra petita da condenação, ainda, ressalto que o

ao laudo assim se manifestou nos termos do Id c908d1c, atendendo acórdão de embargos declaratórios esclareceu o ponto, como

ao questionamento para fins de esclarecimento: transcrevo:

'(D) Quais as limitações ângulo articulares aferidas no autor assim Considerando que o pleito se fez quantificado em R$109.262,40, no

como o grau de força muscular que sustente a incapacidade a ferida qual se resumiu em uma única rubrica, denominada de danos

pelo douto perito? Apresenta dificuldades de fazer esforço físico; materiais, o arbitramento da quantia no valor R$37.493,76, não

transporte e levantamento manual de peso; agachar; realizar a extrapolou o pleito formulado, na medida em que a sentença

rotação de tronco vertebral; ficar muito tempo em pé ou sentado; apenas deixara de citar um de seus aspectos, tanto que ao arbitrar

etc. Há incapacidade parcial e permanente em coluna dorsal, com honorários de sucumbência, deixou de aplicar em desfavor do autor

uma limitação de aproximadamente 20% da sua capacidade normal. da demanda.

Através das manobras funcionais, no exame físico realizado por Assim, tendo esclarecido apenas o erro material na hora de incluir

este Perito do Juízo ,durante o Ato Pericial.' as modalidades de dano material que foram albergadas pela

Cabe, no momento presente, também assentar que a conclusão condenação, a discussão acerca passa a incorrer em revolvimento

judicial por deferir indenização por danos materiais se assenta na de fatos e provas, razão por que inviável seu prosseguimento.

prova técnica, em que o expert deixa claro que haver concausa para No tocante ao quantum indenizatório, cumpre registrar que o

a moléstia, embora faça por força degenerativa, não importando se arbitramento do montante se encontra dentro do poder discricionário

eclodiu em determinado ano ou não, visto que se faz amparada a do magistrado, em observância a critérios de razoabilidade e de

decisão por prova conclusiva pericial nos termos do laudo de Id proporcionalidade, extraídos da análise do conjunto fático e

e8fea83: probatório de cada demanda, como se verifica nos fundamentos

'Após Anamnese bem conduzida; Exame Físico Apurado; exarados no acórdão, pelo que não há se falar em violação aos

Interpretação dos Exames por Imagem (Tomografia dispositivos mencionados, uma vez que seus preceitos não definem

Computadorizada de Coluna Dorsal e vários Laudos Médicos uma tarifação para a proporcionalidade da indenização pelo dano

Especializados, anexado aos Autos); Ambiente Imperioso para sofrido, o que é reservado ao prudente arbítrio do julgador.

Coluna. No presente caso,os valores arbitrados não se revelam excessivos

Chego a CONCLUSÃO QUE: HOUVE NEXO CONCAUSAL ou irrisórios, razão pela qual não vislumbra-se violação aos

(AGRAVAMENTO DO QUADRO CLÍNICO DAS PATOLOGIAS QUE princípios da razoabilidade e da proporcionalidade naindenização

É PORTADOR EM COLUNA DORSAL), DURANTE O EXERCÍCIO fixada. Consequentemente,não há falar em violaçãoaos arts. 5º da

DAS SUAS ATIVIDADES LABORAIS NA RECLAMADA, NO Constituição Federal e artigos944 , 927 e 186 do CC e 223-G da

PACTO LABORAL.' CLT.

Entendendo caber a presente manifestação, tenho por atendido o No tocante à divergência jurisprudencial, destaco que a SBDI-1 do

questionamento pra fins de prequestionamento. TST tem firme jurisprudência no sentido de ser inviável concluir pela

(...)' especificidade de aresto quando se busca demonstrar o dissenso

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 64
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

pretoriano quanto ao valor arbitrado a título de danos morais e sua dados os requisitos eminentemente fáticos, envolvendo a questão.

revisão, dadas as peculiaridades de cada caso, as circunstâncias e No caso incide o óbice da Súmula 296, I, do TST. Recurso de

fatos de cada evento danoso, com seus reflexos singulares na revista de que não se conhece.

ordem do bem atingido e do ofensor, o que impossibilita o (TST - ARR: 21726820155090015, Data de Julgamento:

processamento da revista (Súmula nº 296, I, do TST). 03/10/2018, Data de Publicação: DEJT 05/10/2018)

Quanto a base de cálculo das indenizações por danos morais e I - AGRAVO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE

materiais,adecisão da Turma está em consonância com a REVISTA INTERPOSTO PELO RECLAMANTE. ACIDENTE DE

manifestação reiterada do TST, vejamos: TRABALHO QUE RESULTOU NO ESMAGAMENTO DA MÃO

(...) DIREITA DO EMPREGADO. INDENIZAÇÃO POR DANOS

AGRAVO DE INSTRUMENTO DO RECLAMANTE. IN Nº 40 DO MATERIAIS. PENSÃO MENSAL . INCAPACIDADE TOTAL PARA O

TST. PAGAMENTO DA INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL. EXERCÍCIO DAS FUNÇÕES ANTERIORMENTE EXERCIDAS.

PENSÃO MENSAL. PARCELA ÚNICA. Quanto ao tema, a decisão FIXAÇÃO DO VALOR DA INDENIZAÇÃO EM 100% DA ÚLTIMA

regional encontra-se em consonância com a jurisprudência pacífica REMUNERAÇÃO. Constatado o equívoco na decisão que negou

desta Corte, a incidir o disposto no art. 896, § 7º, da CLT e na seguimento ao agravo de instrumento, é de se prover o agravo.

Súmula 333 do c. TST. Agravo de instrumento de que se conhece e Agravo provido. II - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO

a que se nega provimento. AGRAVO DE INSTRUMENTO DO DE REVISTA INTERPOSTO PELO RECLAMANTE. ACIDENTE DE

RECLAMANTE. IN Nº 40 DO TST. INDENIZAÇÃO POR DANO TRABALHO QUE RESULTOU NO ESMAGAMENTO DA MÃO

MATERIAL. PENSÃO MENSAL. BASE DE CÁLCULO. DIREITA DO EMPREGADO. INDENIZAÇÃO POR DANOS

REMUNERAÇÃO. Demonstrada possível ofensa ao artigo 950, MATERIAIS. PENSÃO MENSAL. INCAPACIDADE TOTAL PARA O

caput, do CC, deve ser provido o agravo de instrumento. Agravo de EXERCÍCIO DAS FUNÇÕES ANTERIORMENTE EXERCIDAS.

instrumento de que se conhece e a que se dá provimento para FIXAÇÃO DO VALOR DA INDENIZAÇÃO EM 100% DA ÚLTIMA

determinar o processamento do recurso de revista. RECURSO DE REMUNERAÇÃO. Demonstrada possível violação do art. 950 do

REVISTA DO RECLAMANTE. INDENIZAÇÃO POR DANO Código Civil, impõe-se o provimento do agravo de instrumento para

MATERIAL. PENSÃO MENSAL. BASE DE CÁLCULO. determinar o processamento do recurso de revista . Agravo de

REMUNERAÇÃO. Os arts. 402 e 950, caput, do Código Civil instrumento provido. III - RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO

estabelecem o princípio da restituição integral, que determina a PELO RECLAMANTE 1 - ACIDENTE DE TRABALHO QUE

reparação integral dos danos causados à vítima. Dessa forma, a RESULTOU NO ESMAGAMENTO DA MÃO DIREITA DO

indenização por danos materiais deve corresponder ao valor da EMPREGADO. INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS.

perda patrimonial sofrida, devendo a pensão mensal ser calculada PENSÃO MENSAL . INCAPACIDADE TOTAL PARA O EXERCÍCIO

com base na remuneração que o Reclamante receberia, caso DAS FUNÇÕES ANTERIORMENTE EXERCIDAS. FIXAÇÃO DO

estivesse em atividade, e não sobre o piso salarial da categoria, VALOR DA INDENIZAÇÃO EM 100% DA ÚLTIMA

como entendeu o eg. Tribunal Regional. Recurso de revista de que REMUNERAÇÃO. Nos termos do art. 950 do Código Civil, a fixação

se conhece e a que se dá parcial provimento. INDENIZAÇÃO POR da pensão devida à vítima do dano deve levar em conta o trabalho

DANO MORAL. VALOR ARBITRADO. DOENÇA OCUPACIONAL. para o qual se inabilitou, ou seja, o ofício desempenhado ao tempo

NEXO CAUSAL. PEDIDO DE MAJORAÇÃO. No presente caso, não da lesão, ou a depreciação que ele sofreu, não refletindo na

se evidencia violação dos arts. 5º, V, da CF e 944 do CC, tendo em quantificação da indenização o fato de o obreiro poder exercer outra

vista que o Tribunal Regional, ao manter o valor da indenização atividade. A pensão prevista no indigitado dispositivo de lei tem

pelo dano moral configurado, levou em consideração as como objetivo ressarcir o empregado pela depreciação da sua força

circunstâncias do caso, especialmente a compensação ao abalo de trabalho. Dessa forma, evidenciada no acórdão recorrido a

moral sofrido, o caráter pedagógico da indenização, sem incapacidade total do reclamante para o exercício da mesma função

proporcionar o enriquecimento ilícito do empregado. Não se viabiliza anteriormente exercida na reclamada, merece reforma a decisão do

a pretensão recursal de demonstrar conflito de teses em relação à Tribunal Regional para majorar o valor da pensão mensal vitalícia

revisão do quantum indenizatório, pois a jurisprudência atual desta em 100% da última remuneração percebida. Precedentes. Recurso

Corte é no sentido de que não é possível se caracterizar de revista conhecido e provido. 2 - BASE DE CÁLCULO DA

divergência jurisprudencial quando a controvérsia versar sobre PENSÃO MENSAL. ÚLTIMA REMUNERAÇÃO COMO

quantificação do valor arbitrado à indenização por dano moral, PARÂMETRO. A decisão recorrida, no sentido de que a reparação

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 65
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

material deverá ser calculada sobre o valor da última remuneração possível violação aos dispositivos invocados, sendo inviável o

percebida pelo autor, está de acordo com a jurisprudência desta seguimento do apelo, inclusive por divergência jurisprudencial

Corte, de que a base de cálculo é o último salário recebido pelo (Súmula 333 do TST).

reclamante. Recurso de revista não conhecido. 3 - MAJORAÇÃO Quanto à reparação de despesas médicas,a análise da

DA INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS E DANOS ESTÉTICOS. admissibilidade do recurso de revista,quanto aos temas acima

DOENÇA OCUPACIONAL. Seguindo os critérios da razoabilidade e relacionados, mostra-se desnecessária diante do recebimento do

da proporcionalidade, entendo proporcional o valor arbitrado a título recurso quanto ao tópico precedente (negativa de prestação

de indenização por dano moral (R$ 50.000,00) e a título de jurisdicional).

indenização por dano estético (R$ 50.000,00), levando-se em CONCLUSÃO

consideração a extensão do dano (incapacidade laborativa total e Recebo parcialmente o recurso.

permanente para a função anteriormente exercida) e o caráter Dê-se ciências às partes, intimando a parte contrária para,

pedagógico da indenização . Recurso de revista não conhecido. 4 - querendo, apresentar contrarrazões ao recurso.

CONSTITUIÇÃO DE CAPITAL. A matéria não foi apreciada pela Após, remetam-se os autos ao Colendo TST.

Corte de origem, o que faz incidir o óbice da Súmula 297 do TST, dcm

por ausência de prequestionamento. Recurso de revista não Assinatura

conhecido. 5 - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. A Súmula 219 MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

desta Corte, à qual me curvo em nome da uniformização da

jurisprudência, exige a observância dos requisitos específicos LAIRTO JOSE VELOSO

previstos na Lei 5.584/70, sendo inaplicáveis o princípio da Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

restituição integral e artigos correlatos na seara processual Decisão


Processo Nº RORSum-0000523-75.2019.5.11.0014
trabalhista, ante a existência de regramento próprio. No caso, está Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA
SILVA
ausente um dos requisitos, consistente na assistência sindical, não
RECORRENTE ARLEN BARROSO DE OLIVEIRA
sendo possível, pois, nos termos do entendimento sumulado, a ADVOGADO GUILHERME MARTINS SIMOES DA
SILVA(OAB: 14560/AM)
condenação do reclamado ao pagamento dos honorários
ADVOGADO MARCO ANTONIO PORTELLA DE
advocatícios. Recurso de revista não conhecido. 6 - JUROS DE MACEDO(OAB: 2039/AM)
RECORRENTE DISTRIBUIDORA LOPES LTDA
MORA. MARCO INICIAL. DANOS MORAIS E MATERIAIS. A
ADVOGADO Priscila Lima Monteiro(OAB: 5901/AM)
decisão do Tribunal Regional está em sintonia com o entendimento ADVOGADO SILVYANE PARENTE DE ARAUJO
CASTRO(OAB: 7237/AM)
perfilhado por esta Corte, nos termos da Súmula 439 do TST .
ADVOGADO TALVANI FRANCO LEITE
Recurso de revista não conhecido. IV - AGRAVO EM AGRAVO DE BRITO(OAB: 680/AM)
ADVOGADO ANA PAULA IVO FERNANDES(OAB:
INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELA 4288/AM)
RECLAMADA. NULIDADE POR NEGATIVA DA PRESTAÇÃO ADVOGADO DANIELE SILVA MOURA(OAB:
5899/AM)
JURISDICIONAL (NÃO CONFIGURADA VIOLAÇÃO DOS ARTS. RECORRIDO ARLEN BARROSO DE OLIVEIRA
93, IX, DA CF E 832 DA CLT). INDENIZAÇÃO POR DANOS ADVOGADO GUILHERME MARTINS SIMOES DA
SILVA(OAB: 14560/AM)
MORAIS, ESTÉTICOS E MATERIAIS DECORRENTES DE ADVOGADO MARCO ANTONIO PORTELLA DE
MACEDO(OAB: 2039/AM)
ACIDENTE DE TRABALHO (SÚMULA 126 DO TST). QUANTUM
RECORRIDO DISTRIBUIDORA LOPES LTDA
INDENIZATÓRIO (NÃO CONFIGURADA VIOLAÇÃO LEGAL OU ADVOGADO ANA PAULA IVO FERNANDES(OAB:
4288/AM)
CONSTITUCIONAL). As razões recursais não desconstituem os
ADVOGADO DANIELE SILVA MOURA(OAB:
fundamentos da decisão agravada . Agravo não provido. 5899/AM)
ADVOGADO Priscila Lima Monteiro(OAB: 5901/AM)
(TST - ARR: 9461220125010482, Relator: Delaíde Miranda Arantes,
ADVOGADO SILVYANE PARENTE DE ARAUJO
Data de Julgamento: 04/12/2019, 2ª Turma, Data de Publicação: CASTRO(OAB: 7237/AM)
ADVOGADO TALVANI FRANCO LEITE
DEJT 13/12/2019) BRITO(OAB: 680/AM)
Não é razoável admitir que a manifestação reiterada do Tribunal
Intimado(s)/Citado(s):
Superior do Trabalho seja contra legem ou em afronta à
- ARLEN BARROSO DE OLIVEIRA
Constituição Federal. Assim, por haver convergência entre a tese - DISTRIBUIDORA LOPES LTDA
adotada no acórdão recorrido e a iterativa, notória e atual

jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, não se vislumbra

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 66
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

- divergência jurisprudencial.
PODER JUDICIÁRIO
O recorrente se insurge contra o acórdão, na parte em que não
JUSTIÇA DO TRABALHO
reconheceu parcialmente indenização à título de danos morais,
Fundamentação e passou a reduzir o quantumreferente aos danos morais para
RECURSO DE REVISTA R$5.000,00(cinco mil reais).
Tramitação Preferencial Consta no v. acórdão (id.1c3a561):
Lei 13.015/2014 '(...)
Lei 13.467/2017 VOTO

Presentes os pressupostos processuais de admissibilidade,

conheço do recurso ordinário interposto pela reclamada e, no

mérito, DOU-LHE PARCIAL PROVIMENTO, apenas para reduzir

o quantum referente aos danos morais para R$ 5.000,00,

conforme os seguintes FUNDAMENTOS: 1. Danos morais. O

reclamante requereu o pagamento de indenização por danos

morais. Para tanto alegou que trabalhava na reclamada como


Recorrente(s): 1.ARLEN BARROSO DE vendedor e, para visitar os clientes, se locomovia de
OLIVEIRA motocicleta. Em 01.08.2016 se envolveu em um acidente e

quebrou a clavícula. Ficou de auxílio-doença (91) até a data


Advogado(a)(s): 1.CLÁUDIA SULZBOCH
15/10/2016. Após o fim do auxílio retornou ao trabalho,
PORTELLA DE MACEDO
entretanto passava todo período laboral externo, fazendo

visitas aos seus clientes, movimentando-se demasiadamente, o


Recorrido(a)(s): 1.DISTRIBUIDORA LOPES
que gera muita dor à área lesionada, não conseguindo
LTDA
trabalhar de forma plena e segura. A empresa reclamada

sequer se importou com a situação fática do reclamante, vindo


Advogado(a)(s): 1.SILVYANE PARENTE DE
rescindir o seu contrato de trabalho no dia 13/10/2017. A
ARAÚJO CASTRO(AM - 7237)
reclamada contestou impugnando as alegações do reclamante

de que desenvolvia as atividades em ambiente de risco

Recurso de:ARLEN BARROSO DE OLIVEIRA ergonômico que colocava sua saúde em risco. Alegou ausência

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS de nexo e de culpa. Pugnou pela improcedência dos pedidos. O

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão laudo pericial concluiu pela existência de nexo causal entre o

publicada em 29/05/2020 - id. b296dbf; recurso apresentado em Acidente Típico (acidente com veículo de duas rodas -

10/06/2020 - id. 2c33664). motocicleta) e as queixas do Autor. Logo, há limitação parcial e

Regular a representação processual (id. e924831). permanente para as Atividades que exercia ou outras que

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência solicitem de esforço suplementar em membro superior

judiciária gratuita, conforme sentença (id. 2584c67), nos termos da esquerdo (ombro). O magistrado julgou parcialmente

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. procedente os pedidos para condenar a reclamada no importe

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS de R$20.000,00 por danos morais. Em seu recurso a reclamada

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano alegou culpa exclusiva da vítima no acidente, inexistência de

Moral/Acidente de Trabalho. incapacidade e improcedência do dano moral ou redução do

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano quantum indenizatório. Analiso. Passando à análise das

Moral/Valor Arbitrado. questões suscitadas, mas antes de adentrar propriamente no

Alegação(ões): mérito da demanda, deve-se ter em conta o conceito de

- violação do(s) inciso X do artigo 5º da Constituição Federal. acidente de trabalho, o que nos é dado pelas antigas lições de

- violação da (o) artigo 186 do Código Civil;artigo 187 do Humberto Piragibe Magalhães e Christovão Piragibe Tostes

Código Civil;artigo 927 do Código Civil;artigo 944 do Código Malta, in verbis: ACIDENTE DE TRABALHO. Todo acidente que

Civil. ocorre pelo exercício do trabalho, a serviço da empresa,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 67
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

provocando lesão corporal ou perturbação funcional, entendimento está em perfeita sintonia com a atual

resultando a morte, a perda ou a redução, permanente ou jurisprudência do TST, conforme os recentíssimos arestos que

temporária, da capacidade para o trabalho. Por extensão a lei seguem transcritos: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO

prevê outras hipóteses, tais como a do acidente que atinge o DE REVISTA. DOENÇA OCUPACIONAL. DANO MORAL E/OU

empregado em seu caminho de casa para o trabalho ou vice- PATRIMONIAL. CONCAUSA. INDENIZAÇÃO. DECISÃO

versa (acidente do trabalho in itinere), etc. Quanto à doença do DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO. Desde a edição do Decreto

trabalho, é equiparada ao acidente do trabalho. A 7.036/44, o ordenamento jurídico pátrio admite a teoria da

responsabilização por acidente de trabalho tem assento concausa prevista, expressamente, na atual legislação, art. 21,

Constitucional, como se verifica a seguir: Art. 7º. (...)XXVIII - I, da Lei 8.213/91. Assim, se as condições de trabalho a que se

seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, submetia o trabalhador, embora não tenham sido a causa

sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando única, contribuíram diretamente para a redução ou perda da

incorrer em dolo ou culpa. Em matéria de acidente de trabalho, sua capacidade laborativa, deve-lhe ser assegurada a

a doutrina e a jurisprudência dominantes preconizam que a indenização pelos danos sofridos. Tanto a higidez física como

responsabilidade é subjetiva, em regra, exigindo-se a a mental, inclusive emocional, do ser humano são bens

concorrência dos três elementos autorizadores da indenização, fundamentais de sua vida, privada e pública, de sua intimidade,

quais sejam o dano, a culpa e o nexo causal, exceto nos casos de sua autoestima e afirmação social e, nesta medida, também

especificados em lei, quando se dispensa a comprovação da de sua honra. São bens, portanto, inquestionavelmente

culpa (responsabilidade objetiva), ou quando a atividade tutelados, regra geral, pela Constituição (art. 5º, V e X).

normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por Agredidos em face de circunstâncias laborativas, passam a

sua natureza, risco para direitos de outrem, conforme merecer tutela ainda mais forte e específica da Constituição

inteligência do art. 927, parágrafo único, do Código Civil. Dito Federal, que se agrega à genérica anterior (art. 7º, XXVIII,

isto, entendo que, no caso sub judice, restou verificada a CF/88). O pleito de indenização por dano moral resultante de

presença dos três elementos autorizadores da acidente do trabalho e/ou doença profissional ou ocupacional

responsabilidade civil por dano. O dano moral propriamente supõe a presença de três requisitos: a) ocorrência do dano,

dito consiste nos abalos à integridade física e à dignidade do que se constata pelo fato da doença ou do acidente, os quais,

obreiro decorrentes das presumíveis agruras sofridas em razão por si só, agridem o patrimônio moral e emocional da pessoa

da disfunção causada pelo trabalho; a existência da doença, trabalhadora (nesse sentido, o dano moral, em tais casos,

por si só, agride o patrimônio moral e emocional da pessoa verifica-se in re ipsa); b) nexo causal, que se evidencia pela

trabalhadora, verificando-se o dano in re ipsa, cuja prova se circunstância de o malefício ter ocorrido em face das

dispensa dada a impossibilidade de sua concreção, bastando, circunstâncias laborativas; c) culpa empresarial, a qual se

para tanto, a comprovação do ato ilícito (art. 186 c/c art. 189, presume em face das circunstâncias ambientais adversas que

ambos do CC/02). O nexo causal está estabelecido em razão da deram origem ao malefício. Embora não se possa presumir a

relação de causa e efeito entre as atividades funcionais do culpa em diversos casos de dano moral - em que a culpa tem

obreiro e as patologias sofridas, conforme assentado pelo de ser provada pelo autor da ação -, tratando-se de doença

expert no laudo pericial. Em que pese o Juízo não estar adstrito ocupacional, profissional ou de acidente do trabalho, essa

às conclusões do laudo pericial a reclamada foi incapaz de culpa é presumida em virtude de o empregador ter o controle e

articular argumentos suficientes para afastá-las. A culpa está a direção sobre a estrutura, a dinâmica, a gestão e a operação

também configurada na modalidade in vigilando, decorrente do estabelecimento em que ocorreu o malefício. Na presente

adoção insuficiente de medidas protetivas à saúde do hipótese, tendo o TRT consignado que -comprovado o nexo

trabalhador pela reclamada, pois é dever do empregador concausal da doença com o trabalho, o dano à saúde de que foi

cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do vítima o reclamante e a responsabilidade objetiva do

trabalho, bem como instruir e garantir a integridade física dos empregador, não resta dúvida a pertinência da indenização

empregados. Não fosse o bastante, ainda que não houvesse reivindicada-, não há como assegurar o processamento do

elementos nos autos suficientes para caracterizar a culpa da recurso de revista, ante a necessidade de se revolver fatos e

empresa, seria o caso de presumi-la ante a presença provas para se acolher as alegações recursais. Incide, na

inequívoca do nexo de causalidade - ou concausalidade. Tal espécie, o entendimento disposto na Súmula 126/TST. Acresça-

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 68
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

se que a concausa laborativa é suficiente para fazer incidir o os seguintes parâmetros: a extensão do dano, a condição

efeito legal indenizatório, embora, evidentemente, possa socioeconômica do causador do dano e da vítima; a

atenuar o montante estimado para a indenização. Sendo assim, intensidade real e concreta do dano; a repercussão da ofensa

não há como assegurar o processamento do recurso de revista no meio social onde vive o ofendido; a existência de má-fé por

quando o agravo de instrumento interposto não desconstitui os parte do ofensor; a possibilidade concreta de o ofensor voltar a

termos da decisão denegatória, que ora subsiste por seus praticar o ato danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo

próprios fundamentos. Agravo de instrumento desprovido. ofensor visando minimizar a dor do ofendido; o tempo

(AIRR - 156-22.2012.5.11.0006 , Relator Ministro: Mauricio transcorrido entre o evento danoso e a data do ajuizamento da

Godinho Delgado, Data de Julgamento: 23/05/2012, 3ª Turma, ação. No caso em apreço, o arbitramento de montante

Data de Publicação: 25/05/2012) Grifos não constantes no indenizatório no valor de R$ 20.000,00 mostra-se irrazoável e

original (...) INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL E MORAL. desproporcional, razão pela qual reduzo para R$ 5.000,00. Tal

DOENÇA OCUPACIONAL. LER/DORT. ÔNUS DA PROVA. quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

RESPONSABILIDADE DA EMPREGADORA. CULPA dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

PRESUMIDA. Restou incontroversa a culpa da reclamada, pois, partes e do caso concreto, visto ser esse montante apto a

ao colocar em funcionamento uma atividade, tem a obrigação oferecer o necessário conforto moral ao obreiro.

de responder pelos danos que essa atividade é capaz de gerar (...)'

aos seus empregados, sendo corolário da diminuição da A Lei 13.015/2014 acrescentou o§1º-A ao artigo 896 da

capacidade do empregado, a dor moral, consequência da Consolidação das Leis do Trabalho:

saúde abalada do empregado. Ocorrendo a doença §1º-A. Sob pena de não conhecimento, é ônus da parte:

ocupacional, incumbe o dever de indenizar, em face da I - indicar o trecho da decisão recorrida que consubstancia o

responsabilidade presumida pelos eventos danosos que, no prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de

caso dos autos, decorre da atividade da empregadora, que revista;

colocou em risco a saúde da empregada, ocasionando-lhe II - indicar, de forma explícita e fundamentada, contrariedade a

inaptidão para o desempenho das suas funções habituais. dispositivo de lei, súmula ou orientação jurisprudencial do

Recurso de revista não conhecido.(...) (RR - 53900- Tribunal Superior do Trabalho que conflite com a decisão

56.2002.5.01.0071 , Relator Ministro: Aloysio Corrêa da Veiga, regional;

Data de Julgamento: 23/05/2012, 6ª Turma, Data de Publicação: III - expor as razões do pedido de reforma, impugnando todos

01/06/2012). Dessa forma, estão presentes o três elementos os fundamentos jurídicos da decisão recorrida, inclusive

autorizadores da indenização, quais sejam o dano, a culpa e o mediante demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da

nexo causal, razão pela qual se rejeitam as pretensões Constituição Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial

recursais da reclamada neste particular. Ante o exposto, cuja contrariedade aponte.

mantenho a decisão a quo que deferiu a indenização por danos IV - transcrever na peça recursal, no caso de suscitar

morais. Nada a reformar. 2. Dosimetria. Sobre o quantum preliminar de nulidade de julgado por negativa de prestação

indenizatório, impõe-se esclarecer que, quando a indenização jurisdicional, o trecho dos embargos declaratórios em que foi

visa à reparação de danos de ordem extrapatrimonial, pedido o pronunciamento do tribunal sobre questão veiculada

diferentemente daqueles de ordem patrimonial, sua fixação não no recurso ordinário e o trecho da decisão regional que rejeitou

possui parâmetros objetivos a dar suporte ao julgador na os embargos quanto ao pedido, para cotejo e verificação, de

mensuração respectiva, porquanto o prejuízo se situa na esfera plano, da ocorrência da omissão. (Incluído pela Lei nº 13.467,

da honra, da imagem, da intimidade e da dignidade da pessoa de 2017)

humana. Diante desse panorama, para o dano de ordem Não se viabiliza o recurso de revista, pois a parte recorrente

meramente moral, a doutrina e a jurisprudência têm adotado não transcreveu o trecho do acórdão que demonstraria o

diferentes critérios ao mensurar os valores, consoante prequestionamento da controvérsia que pretende ver

apreciação equitativa do caso concreto e as regras de transferida à cognição do Tribunal Superior do Trabalho, nos

experiência comum.Assim, o julgador, fazendo uso da termos doinciso I do § 1º-A do artigo 896 da Consolidação das

experiência comum e sopesando as circunstâncias do caso Leis do Trabalho.

concreto, deve, com razoabilidade e proporcionalidade, avaliar CONCLUSÃO

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 69
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. de Julgamento: 23/09/2015, 2ª Turma, Data de Publicação: DEJT

Publique-se e intime-se. 02/10/2015)

Assim, em observância aos princípios da razoabilidade e da

Recurso de:DISTRIBUIDORA LOPES LTDA instrumentalidade das formas, entende-se perfeitamente

Inviável o conhecimento da petição (id. ff44b5f),protocolada às sanável o vício, razão pela qual passo a análise do apelo.

18h do dia 5/10/2020, pois trata-se de renovação da proposição PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

do recurso de revista ajuizado às 17h47h da mesma data (id. Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão

ef27653), procedimento vetado tanto pelo princípio da publicada em 23/09/2020 - id. 113b3dc; recurso apresentado em

unirrecorribilidade como pela ocorrência da preclusão 05/10/2020 - id. ef27653).

consumativa. Regular a representação processual (id. 098ed7f).

Destaco que o nome da recorrente é DISTRIBUIDORA LOPES Satisfeito o preparo (ids. 2584c67, c97cf7a, a0cb9ec e 7538786,

LTDA, porém, na peça do recurso de revista foi informado o a0cb9ec).

nome SALCOMP INDUSTRIAL ELETRÔNICA DA PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

AMAZÔNIALTDA,o qualnão corresponde aos autos em Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano

análise. Contudo, ainda que incorretoo nome da parte Moral/Acidente de Trabalho.

recorrente,verificam-se outros elementos aptos a identificar o Alegação(ões):

feito, como o nome das partes, bem como a pertinência do - violação do(s) inciso XXVIII do artigo 7º;inciso II do artigo

mérito do apelo com as questões tratadas no acórdão 5º;inciso IX do artigo 93 da Constituição Federal.

recorrido, o que demonstra a ocorrência de erro material, o Arecorrente alega que não teve culpa no infortúnio ocorrido

qual se entende sanável. com o recorrido, buscando assim, a reforma do acórdão que

Nesse sentido cito precedente da c. Corte superior: reconheceu a sua responsabilidade e o dever de indenizar a

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELO RECLAMANTE parte contrária.

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM RECURSO ORDINÁRIO Consta no v. acórdão (id. 1c3a561):

NÃO CONHECIDO. EQUÍVOCO NA INDICAÇÃO DO NOME DO '(...)

EMBARGANTE E NÚMERO DO PROCESSO. ERRO MATERIAL VOTO

SANÁVEL. POSSIBILIDADE DE IDENTIFICAÇÃO DO Presentes os pressupostos processuais de admissibilidade,

PROCESSO. ILEGITIMIDADE NÃO CONFIGURADA. Na petição conheço do recurso ordinário interposto pela reclamada e, no

dos embargos de declaração dirigidos ao Tribunal Regional do mérito, DOU-LHE PARCIAL PROVIMENTO, apenas para reduzir

Trabalho da 4ª Região há equívoco no nome do embargante e o quantum referente aos danos morais para R$ 5.000,00,

no número do processo. Não obstante, além de ser possível a conforme os seguintes FUNDAMENTOS: 1. Danos morais. O

identificação da parte embargada, observa-se que na certidão reclamante requereu o pagamento de indenização por danos

de recebimento de petição eletrônica consta o número correto morais. Para tanto alegou que trabalhava na reclamada como

do processo, bem como se pode afirmar que o conteúdo dos vendedor e, para visitar os clientes, se locomovia de

embargos de declaração é compatível com a decisão motocicleta. Em 01.08.2016 se envolveu em um acidente e

embargada. Desse modo, é imperioso concluir que se trata de quebrou a clavícula. Ficou de auxílio-doença (91) até a data

mero erro material do subscritor dos embargos de declaração, 15/10/2016. Após o fim do auxílio retornou ao trabalho,

que não tem o condão de inviabilizar o processamento do entretanto passava todo período laboral externo, fazendo

apelo. Por essa razão, não há falar em irregularidade de visitas aos seus clientes, movimentando-se demasiadamente, o

representação processual ou ilegitimidade de parte. Recurso que gera muita dor à área lesionada, não conseguindo

de revista conhecido e provido. AGRAVO DE INSTRUMENTO trabalhar de forma plena e segura. A empresa reclamada

EM RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELA RECLAMADA sequer se importou com a situação fática do reclamante, vindo

SOBRESTADO o agravo de instrumento interposto pela rescindir o seu contrato de trabalho no dia 13/10/2017. A

reclamada em face do provimento do recurso de revista reclamada contestou impugnando as alegações do reclamante

interposto pelo reclamante e diante do retorno dos autos ao de que desenvolvia as atividades em ambiente de risco

Tribunal Regional do Trabalho de origem. (TST - ARR: ergonômico que colocava sua saúde em risco. Alegou ausência

5168320125040512, Relator: José Roberto Freire Pimenta, Data de nexo e de culpa. Pugnou pela improcedência dos pedidos. O

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 70
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

laudo pericial concluiu pela existência de nexo causal entre o dispensa dada a impossibilidade de sua concreção, bastando,

Acidente Típico (acidente com veículo de duas rodas - para tanto, a comprovação do ato ilícito (art. 186 c/c art. 189,

motocicleta) e as queixas do Autor. Logo, há limitação parcial e ambos do CC/02). O nexo causal está estabelecido em razão da

permanente para as Atividades que exercia ou outras que relação de causa e efeito entre as atividades funcionais do

solicitem de esforço suplementar em membro superior obreiro e as patologias sofridas, conforme assentado pelo

esquerdo (ombro). O magistrado julgou parcialmente expert no laudo pericial. Em que pese o Juízo não estar adstrito

procedente os pedidos para condenar a reclamada no importe às conclusões do laudo pericial a reclamada foi incapaz de

de R$20.000,00 por danos morais. Em seu recurso a reclamada articular argumentos suficientes para afastá-las. A culpa está

alegou culpa exclusiva da vítima no acidente, inexistência de também configurada na modalidade in vigilando, decorrente

incapacidade e improcedência do dano moral ou redução do adoção insuficiente de medidas protetivas à saúde do

quantum indenizatório. Analiso. Passando à análise das trabalhador pela reclamada, pois é dever do empregador

questões suscitadas, mas antes de adentrar propriamente no cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do

mérito da demanda, deve-se ter em conta o conceito de trabalho, bem como instruir e garantir a integridade física dos

acidente de trabalho, o que nos é dado pelas antigas lições de empregados. Não fosse o bastante, ainda que não houvesse

Humberto Piragibe Magalhães e Christovão Piragibe Tostes elementos nos autos suficientes para caracterizar a culpa da

Malta, in verbis: ACIDENTE DE TRABALHO. Todo acidente que empresa, seria o caso de presumi-la ante a presença

ocorre pelo exercício do trabalho, a serviço da empresa, inequívoca do nexo de causalidade - ou concausalidade. Tal

provocando lesão corporal ou perturbação funcional, entendimento está em perfeita sintonia com a atual

resultando a morte, a perda ou a redução, permanente ou jurisprudência do TST, conforme os recentíssimos arestos que

temporária, da capacidade para o trabalho. Por extensão a lei seguem transcritos: AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO

prevê outras hipóteses, tais como a do acidente que atinge o DE REVISTA. DOENÇA OCUPACIONAL. DANO MORAL E/OU

empregado em seu caminho de casa para o trabalho ou vice- PATRIMONIAL. CONCAUSA. INDENIZAÇÃO. DECISÃO

versa (acidente do trabalho in itinere), etc. Quanto à doença do DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO. Desde a edição do Decreto

trabalho, é equiparada ao acidente do trabalho. A 7.036/44, o ordenamento jurídico pátrio admite a teoria da

responsabilização por acidente de trabalho tem assento concausa prevista, expressamente, na atual legislação, art. 21,

Constitucional, como se verifica a seguir: Art. 7º. (...)XXVIII - I, da Lei 8.213/91. Assim, se as condições de trabalho a que se

seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, submetia o trabalhador, embora não tenham sido a causa

sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando única, contribuíram diretamente para a redução ou perda da

incorrer em dolo ou culpa. Em matéria de acidente de trabalho, sua capacidade laborativa, deve-lhe ser assegurada a

a doutrina e a jurisprudência dominantes preconizam que a indenização pelos danos sofridos. Tanto a higidez física como

responsabilidade é subjetiva, em regra, exigindo-se a a mental, inclusive emocional, do ser humano são bens

concorrência dos três elementos autorizadores da indenização, fundamentais de sua vida, privada e pública, de sua intimidade,

quais sejam o dano, a culpa e o nexo causal, exceto nos casos de sua autoestima e afirmação social e, nesta medida, também

especificados em lei, quando se dispensa a comprovação da de sua honra. São bens, portanto, inquestionavelmente

culpa (responsabilidade objetiva), ou quando a atividade tutelados, regra geral, pela Constituição (art. 5º, V e X).

normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por Agredidos em face de circunstâncias laborativas, passam a

sua natureza, risco para direitos de outrem, conforme merecer tutela ainda mais forte e específica da Constituição

inteligência do art. 927, parágrafo único, do Código Civil. Dito Federal, que se agrega à genérica anterior (art. 7º, XXVIII,

isto, entendo que, no caso sub judice, restou verificada a CF/88). O pleito de indenização por dano moral resultante de

presença dos três elementos autorizadores da acidente do trabalho e/ou doença profissional ou ocupacional

responsabilidade civil por dano. O dano moral propriamente supõe a presença de três requisitos: a) ocorrência do dano,

dito consiste nos abalos à integridade física e à dignidade do que se constata pelo fato da doença ou do acidente, os quais,

obreiro decorrentes das presumíveis agruras sofridas em razão por si só, agridem o patrimônio moral e emocional da pessoa

da disfunção causada pelo trabalho; a existência da doença, trabalhadora (nesse sentido, o dano moral, em tais casos,

por si só, agride o patrimônio moral e emocional da pessoa verifica-se in re ipsa); b) nexo causal, que se evidencia pela

trabalhadora, verificando-se o dano in re ipsa, cuja prova se circunstância de o malefício ter ocorrido em face das

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 71
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

circunstâncias laborativas; c) culpa empresarial, a qual se nexo causal, razão pela qual se rejeitam as pretensões

presume em face das circunstâncias ambientais adversas que recursais da reclamada neste particular. Ante o exposto,

deram origem ao malefício. Embora não se possa presumir a mantenho a decisão a quo que deferiu a indenização por danos

culpa em diversos casos de dano moral - em que a culpa tem morais. Nada a reformar. 2. Dosimetria. Sobre o quantum

de ser provada pelo autor da ação -, tratando-se de doença indenizatório, impõe-se esclarecer que, quando a indenização

ocupacional, profissional ou de acidente do trabalho, essa visa à reparação de danos de ordem extrapatrimonial,

culpa é presumida em virtude de o empregador ter o controle e diferentemente daqueles de ordem patrimonial, sua fixação não

a direção sobre a estrutura, a dinâmica, a gestão e a operação possui parâmetros objetivos a dar suporte ao julgador na

do estabelecimento em que ocorreu o malefício. Na presente mensuração respectiva, porquanto o prejuízo se situa na esfera

hipótese, tendo o TRT consignado que -comprovado o nexo da honra, da imagem, da intimidade e da dignidade da pessoa

concausal da doença com o trabalho, o dano à saúde de que foi humana. Diante desse panorama, para o dano de ordem

vítima o reclamante e a responsabilidade objetiva do meramente moral, a doutrina e a jurisprudência têm adotado

empregador, não resta dúvida a pertinência da indenização diferentes critérios ao mensurar os valores, consoante

reivindicada-, não há como assegurar o processamento do apreciação equitativa do caso concreto e as regras de

recurso de revista, ante a necessidade de se revolver fatos e experiência comum.Assim, o julgador, fazendo uso da

provas para se acolher as alegações recursais. Incide, na experiência comum e sopesando as circunstâncias do caso

espécie, o entendimento disposto na Súmula 126/TST. Acresça- concreto, deve, com razoabilidade e proporcionalidade, avaliar

se que a concausa laborativa é suficiente para fazer incidir o os seguintes parâmetros: a extensão do dano, a condição

efeito legal indenizatório, embora, evidentemente, possa socioeconômica do causador do dano e da vítima; a

atenuar o montante estimado para a indenização. Sendo assim, intensidade real e concreta do dano; a repercussão da ofensa

não há como assegurar o processamento do recurso de revista no meio social onde vive o ofendido; a existência de má-fé por

quando o agravo de instrumento interposto não desconstitui os parte do ofensor; a possibilidade concreta de o ofensor voltar a

termos da decisão denegatória, que ora subsiste por seus praticar o ato danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo

próprios fundamentos. Agravo de instrumento desprovido. ofensor visando minimizar a dor do ofendido; o tempo

(AIRR - 156-22.2012.5.11.0006 , Relator Ministro: Mauricio transcorrido entre o evento danoso e a data do ajuizamento da

Godinho Delgado, Data de Julgamento: 23/05/2012, 3ª Turma, ação. No caso em apreço, o arbitramento de montante

Data de Publicação: 25/05/2012) Grifos não constantes no indenizatório no valor de R$ 20.000,00 mostra-se irrazoável e

original (...) INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL E MORAL. desproporcional, razão pela qual reduzo para R$ 5.000,00. Tal

DOENÇA OCUPACIONAL. LER/DORT. ÔNUS DA PROVA. quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

RESPONSABILIDADE DA EMPREGADORA. CULPA dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

PRESUMIDA. Restou incontroversa a culpa da reclamada, pois, partes e do caso concreto, visto ser esse montante apto a

ao colocar em funcionamento uma atividade, tem a obrigação oferecer o necessário conforto moral ao obreiro.

de responder pelos danos que essa atividade é capaz de gerar (...)'

aos seus empregados, sendo corolário da diminuição da Oserva-se que o entendimento manifestado pela Turma está

capacidade do empregado, a dor moral, consequência da assentado no substrato fático-probatório existente nos autos.

saúde abalada do empregado. Ocorrendo a doença Para se concluir de forma diversa seria necessário revolver

ocupacional, incumbe o dever de indenizar, em face da fatos e provas, propósito insuscetível de ser alcançado nesta

responsabilidade presumida pelos eventos danosos que, no fase processual,à luz da Súmula 126 do Tribunal Superior do

caso dos autos, decorre da atividade da empregadora, que Trabalho. As assertivas recursais, portanto, não encontram

colocou em risco a saúde da empregada, ocasionando-lhe respaldo na moldura fática retratada na decisão recorrida, o

inaptidão para o desempenho das suas funções habituais. que afasta a tese de violação aos preceitos da legislação

Recurso de revista não conhecido.(...) (RR - 53900- federal e de divergência jurisprudencial.

56.2002.5.01.0071 , Relator Ministro: Aloysio Corrêa da Veiga,

Data de Julgamento: 23/05/2012, 6ª Turma, Data de Publicação: CONCLUSÃO

01/06/2012). Dessa forma, estão presentes o três elementos DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

autorizadores da indenização, quais sejam o dano, a culpa e o Publique-se e intime-se.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 72
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

cdss Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão

Assinatura publicada em 29/09/2020 - id. e4b4ba7; recurso apresentado em

MANAUS, 5 de Novembro de 2020. 09/10/2020 - id. cc5a000).

Regular a representação processual (id. d9d5133).

LAIRTO JOSE VELOSO Satisfeito o preparo (ids. 3016b40, 99d32b1, 99d32b1, 7c94d4f e

Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 559d737, 72b1908).


Decisão PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Processo Nº ROT-0001335-72.2018.5.11.0008
Relator MARIA DE FATIMA NEVES LOPES Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
RECORRENTE FLEX IMP.EXPORT.IND.E COMER Moral/Doença Ocupacional.
DE MAQUIN.E MOTORES LTDA
ADVOGADO HUMBERTO ROSSETTI Alegação(ões):
PORTELA(OAB: 91263/MG)
- violação do(s) inciso XXVIII do artigo 7º;inciso XXII do artigo
RECORRIDO IZABELA DA SILVA CORDEIRO
ADVOGADO LUÍS FERNANDO DE ALMEIDA 7º da Constituição Federal.
LORENZONI(OAB: 8948/AM)
Arecorrente insurge-se contra o deferimento de indenizações
ADVOGADO SUZANA PINTO LORENZONI(OAB:
9155/AM) por danos morais e materiais ao recorrido. Argumenta que a

decisão diverge da realidade e que envidou todos os esforços


Intimado(s)/Citado(s):
para propiciar um bom ambiente de trabalho para seus
- FLEX IMP.EXPORT.IND.E COMER DE MAQUIN.E MOTORES
LTDA empregados, pois disponibiliza de médicos do trabalho, planos

de saúde, dispõe do setor SESMET, contrata profissionais para

a prática entre os empregados da ginástica laboral diariamente,

PODER JUDICIÁRIO os empregados além de tudo isso possuem diversas pausa

JUSTIÇA DO TRABALHO durante a jornada de trabalho, e isso é justamente para evitar a

fadiga muscular,dentre outros argumentos.


Fundamentação

RECURSO DE REVISTA
Consta no v. acórdão (id. 7c94d4f):
Tramitação Preferencial
'(...)
Lei 13.015/2014
MÉRITO
Lei 13.467/2017
Da doença ocupacional - dano moral e dano material.

A reclamada argumenta, em síntese, que sempre cumpriu as

normas de segurança do trabalho à medida que disponibilizou

os equipamentos de Proteção Individual (EPI's) necessários

para execução dos serviços desempenhados. Afirma que as

patologias da autora são de cunho degenerativo. Ressalta que

não ficou comprovada sua culpa para o quadro de saúde da

reclamante, tampouco provado o dano moral, uma vez que a


Recorrente(s): FLEX IMPORTAÇÃO,
recorrida já possuía as doenças. Alega que a autora não
EXPORTAÇÃO, INDÚSTRIA E
afastou do trabalho em razão de suas doenças, circunstância

Advogado(a)(s): que contribui para afastar sua responsabilidade. Sustenta que


HUMBERTO ROSSETTI
não há provas nos autos de que a reclamante tenha sofrido
PORTELA (exclusividade - id.
redução de sua capacidade laboral a ensejar o deferimento das

Recorrido(a)(s): IZABELA DA SILVA indenizações. Requer, portanto, a reforma da sentença para

CORDEIRO julgar totalmente improcedentes os pedidos de indenização por

danos morais e materiais ou, sucessivamente, a redução dos


Advogado(a)(s): SUZANA PINTO LORENZONI valores arbitrados.

(AM - 9155) Analiso.

Inicialmente, o conceito de acidente de trabalho está previsto


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
no art. 19 da Lei nº 8.213/91, que, dentre outras providências,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 73
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social. caso em questão pode ser graduada em GRAU II ou MÉDIA -

Vejamos: MODERADA em relação à contribuição do trabalho para a

'Art. 19. Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do patologia.' (Id 09e4c88 - pág. 27)

trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho Percebe-se, portanto, que o perito concluiu pela existência de

dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta Lei, nexo de concausalidade entre a atividade desempenhada, mas,

provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause apenas em relação às doenças nos punhos da autora.

a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da Analisando o laudo pericial, observa-se que o perito estudou a

capacidade para o trabalho'. atividade laboral da autora, descrevendo de forma minuciosa e

Por sua vez, os incisos I e II do artigo 20 da Lei nº 8.213/91 detalhada os postos de trabalho e os movimentos exigidos

equiparam ao acidente de trabalho as doenças produzidas ou para a execução do labor, bem como procedeu identificação de

desencadeadas pelo exercício do trabalho peculiar à riscos, afirmando de forma clara que, diferentemente do que

determinada atividade, bem como as adquiridas ou afirma a reclamada, em cada posto trabalhado pela autora,

desencadeadas em função de condições especiais em que o ficou claro que houve exposição a risco ergonômico para os

trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente. punhos, senão vejamos:

Sabe-se que a regra geral da responsabilidade do empregador 'O trabalho desempenhado pela Autora em todos os postos

por danos acidentários é subjetiva (art. 7º, XXVIII, da CF), descritos em perícia (desmembramento da fonte, corte dos

fazendo-se necessária a conjugação do dano, nexo causal e terminais da fonte, teste do controle remoto, teste do wi-fi,

culpa. Por outro lado, será, por exceção, objetiva a teste da fonte e teste da placa do DVD) mantinham ciclos muito

responsabilidade em situações de risco acentuado, devendo a abaixo de 30 segundos com exigências ergonômicas

reclamada responder pelos danos, sem necessidade de análise relacionadas a movimentos repetitivos de flexoextensão dos

da culpa, caso fortuito ou força maior, bastando que se prove o punhos, movimentos de pinça, preensão dos dedos, montagem

dano decorrente da referida atividade. sob encaixe e uso de alicate, ou seja, fatores ergonômicos de

A hipótese em apreço insere-se na regra da responsabilidade risco para os punhos e mãos inquestionáveis em decorrência

subjetiva, devendo, portanto, ser verificada, além do nexo da repetitividade.(...).' (Id 09e4c88 - Pág. 25)

causal e do dano, a culpa do empregador para surgimento ou Por sua vez, o perito ressaltou que em nenhum dos postos

agravamento das doenças descritas na inicial, o que, de acordo houve exposição a fatores de sobrecarga para os ombros ou

com o art. 818, I da CLT e 373, I, do CPC/15, incumbe à parte coluna da reclamante, vejamos:

autora. 'Entretanto, em nenhuma das atividades se comprovou

Com base no acima exposto, analisando os autos, constato demandas relacionadas a movimentos repetitivos de elevação

que foi determinada a realização de perícia médica a fim de dos braços acima da linha dos ombros, carregamento de peso

verificar a existência do nexo causal entre as doenças nos com os braços elevados, utilização de ferramentas com

punhos, ombros e coluna da parte autora e a atividade exposição à vibração, pressões localizadas, esforço estático ou

laborativa, pelo perito médico Dr. Mauricio Alexandre De outras formas de risco para os ombros. Da mesma forma não

Meneses Pereira, CRM/AM 3855, que apresentou a seguinte identificamos trabalho com carregamento de peso acima dos

conclusão: limites preconizados pelo NIOSH, transporte de cargas,

'Com base nos documentos acostados nos autos e na perícia posturas forçadas ou estáticas, movimentos repetitvos do

realizada o trabalho técnico pericial conclui pela existência de tronco, exposição à vibração de corpo inteiro, carregamento de

nexo concausal entre as patologias dos punhos da Autora e o peso sobre a cabeça, movimentos repetitivos do pescoço ou

trabalho executado na Reclamada. Não há relação entre as outras formas de sobrecarga vertebral.(...)'. (Id 09e4c88 - Pág.

demais patologias da coluna cervical, coluna lombar ou 25)

ombros com a mesma atividade laboral. O laudo médico Vale destacar, ainda, que o perito judicial, ao analisar os

pericial está concluído e finalizado com o estabelecimento do exames médicos, observou que as patologias dos punhos da

nexo concausal. Entretanto, apenas com a intensão de auxiliar autora se agravaram mesmo durante o afastamento do

o MM Julgador quando à relação de concausalidade podemos trabalho, concluindo, assim, pela existência de fatores

acrescentar que, segundo a classificação proposta pelo extralaborais relevantes. Logo, exatamente por isso a

Desembargador Sebastião Geraldo de Oliveira, a concausa no conclusão foi pela existência de nexo de concausalidade, e não

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 74
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

o nexo causal direto. às conclusões do laudo pericial, podendo formar suas

Ressalta-se que o reconhecimento do nexo de concausalidade convicções com outros elementos e provas existentes nos

não afasta a responsabilização da reclamada, uma vez que é autos, também é certo que não pode desprezar a prova técnica

dever da empresa tomar os cuidados necessários com a saúde em razão do simples inconformismo da parte cuja conclusão

de seus empregados e, se uma patologia preexistente ou lhe seja desfavorável.

degenerativa é agravada em razão do trabalho, deve-se Dessa forma, não vislumbro nenhuma incongruência ou

reconhecer o dever de indenizar. inconsistência, uma vez que se mostra suficientemente claro e

Nesse sentido, o seguinte julgado: comporta os esclarecimentos necessários para a solução da

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO ANTES DA VIGÊNCIA DA controvérsia, não dando margem para qualquer interpretação

LEI Nº 13.015/2014. 1. DOENÇA DO TRABALHO. diversa.

AGRAVAMENTO DE DOENÇA DEGENERATIVA PELAS Destaco, ainda, que os autos noticiam que a reclamante teve

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO TRABALHO. NEXO DE deferidos benefícios previdenciários, ficando afastada das

CONCAUSA RECONHECIDO. INDENIZAÇÃO POR DANOS atividades laborativas nos períodos de janeiro/2016 a

MORAIS E MATERIAIS. O Regional ratificou a r. sentença setembro/2016, agosto/2017 a setembro/2017 e de agosto/2018

quanto ao indeferimento do pagamento de indenização por a setembro/2018, todos auxílio-doença - espécie 31 (Id 09e4c88

danos morais e materiais, decorrentes de doença ocupacional, - Pág. 3), em razão das patologias alegadas (tendinite), o que

ao asseverar que a patologia de membro superior que foi corrobora com a conclusão de que o trabalho desempenhado

acometida a reclamante (lesão no ombro) é decorrente de na empresa contribuiu para o quadro de saúde da autora.

doença degenerativa, mas reconhece que as atividades Por sua vez, não obstante a ré afirmar que forneceu todos os

desempenhadas na reclamada (atividades que exigem EPIs e adotou todas as medidas de saúde e segurança do

elevação, abdução e rotação de membros superiores) trabalho, é incontroverso que as atividades laborais na

agravaram os sintomas no ombro da autora e, também, com reclamada contribuíram para o agravamento das patologias da

base no laudo pericial, a v. decisão regional consignou que a reclamante, pois, conforme as provas constantes dos autos, a

autora apresenta incapacidade laboral parcial e temporária. No autora trabalhou em atividades com risco ergonômico para os

entanto, a jurisprudência desta Corte Superior consolidou o punhos.

entendimento de que, nos casos envolvendo pretensões Cabe mencionar, ainda, ao contrário dos argumentos da

compensatórias e reparatórias decorrentes de doença reclamada, consta no ASO admissional da reclamante a

ocupacional, os quais envolvam doenças de origem informação de que foi admitida sem doenças ocupacionais

degenerativa agravadas em razão do desempenho da atividade prévias, sendo considerada apta para o labor na reclamada (Id

laboral, o nexo concausal é suficiente para configurar o dever aedb54f).

de indenizar. Precedentes. Assim, condena-se a reclamada ao Sendo assim, considerando que o perito detém o

pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ conhecimento técnico necessário para, analisando a atividade

20.000,00 (vinte mil reais) e indenização por danos materiais no da reclamante, os documentos que compõem os autos e o

valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), levando-se em exame realizado durante a avaliação pericial, concluir que a

consideração para se determinar o quantum indenizatório, que patologia diagnosticada nos punhos da autora guardam

a incapacidade laboral é parcial e temporária, a capacidade relação com o trabalho, acolho a conclusão do laudo pericial,

econômica das partes, a gravidade do dano sofrido pela vítima, reconhecendo a existência do nexo concausal.

o caráter punitivo e pedagógico da pena. Recurso de revista No que se refere à culpa da reclamada, encontra-se

conhecido e provido. ... Recurso de revista não conhecido. evidenciada no caso vertente, pois dentre as espécies de culpa

(TST - RR: 3822520115120009, Relator: Maria Helena Mallmann, está a 'in vigilando', que se traduz na ausência de fiscalização

Data de Julgamento: 12/03/2019, 2ª Turma, Data de Publicação: do patrão em relação aos empregados sob o seu comando.

DEJT 15/03/2019) Ora, cabe ao empregador zelar pela segurança de seus

Cumpre salientar, nesse aspecto, que o laudo pericial é funcionários e fiscalizar o modo de execução das atividades,

instrumento técnico-científico de constatação e a sua velando para que estas sejam executadas de forma correta,

conclusão somente pode ser infirmada por prova robusta em evitando, assim, que sejam expostos a sinistros, fato que não

sentido contrário. Além disso, embora o juiz não esteja adstrito ocorreu no presente caso.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 75
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Assim, verificada a culpa e o nexo de causalidade entre a cessantes, não havendo falar em danos emergentes.

patologia dos punhos e o trabalho, entende-se caracterizada a Dessa forma, sobretudo pela coerência das conclusões do

obrigação de indenizar o dano moral, já que este guarda laudo pericial com as demais provas dos autos, entendo que o

relação apenas com a ocorrência do próprio dano, que se juízo a quo, acertadamente, entendeu preenchidos os

verifica pela doença, a qual, por si só, agride o patrimônio requisitos para a condenação da reclamada ao pagamento de

moral do empregado, tratando-se de dano presumido ou in re danos morais e materiais à reclamante.

ipsa, isto é, provado pela própria força, prescindindo de No tocante ao valor, observa-se que o art. 944 do CCB prevê

provas. que a indenização do dano se mede por sua extensão, o que,

Quanto à capacidade laboral, o perito afirmou que: evidentemente, não afasta o justo e equilibrado arbitramento

'...Houve incapacidade laborativa durante os períodos de judicial, pois, embora de caráter discricionário, não prescinde

afastamento pelo INSS. Levando em consideração a da análise subjetiva do julgador, atendendo às circunstâncias

cronicidade das doenças comprovadas nos autos com mais de de cada caso, a posse do ofensor e a situação pessoal do

4 anos de evolução, a ausência de resposta satisfatória com ofendido. A primeira medida é amenizar a dor moral para, em

todos os tipos de tratamento já empregados, as alterações seguida, reparar suas perdas. Quanto ao ofensor, impõe-se,

degenerativas associadas, a progressão mesmo fora do por meio do quantum, desestimular a prática de atos

ambiente laboral e os achados do exame físico é possível moralmente danosos, aí consistindo seu caráter exemplar.

afirmar se tratar de uma perda parcial e permanente da O juiz tem liberdade para fixar o valor, pautando-se no bom

capacidade laboral para atividades consideradas de risco ou senso e na lógica do razoável, a fim de se evitar extremos

sobrecarga para a coluna vertebral e membros superiores sob (ínfimos ou vultosos).

pena de dor e agravamento.'(n.n) (quesito 11 da reclamada - Id Sendo assim, considerando a duração do pacto laboral, a idade

09e4c88 - Pág. 34). da autora e o grau de contribuição da atividade laborativa para

Portanto, entendo que restou comprovado, também, o dano o quadro de saúde da reclamante (nexo concausal - Grau II -

patrimonial indireto, caracterizado pela redução da capacidade MODERADA), bem como os parâmetros fixados no art. 223-G

para o trabalho nas mesmas condições anteriormente da CLT, entendo que o valor arbitrado pelo juízo de primeiro,

desempenhadas, motivo pelo qual a reclamante também faz jus montante de R$5.000,00, se apresenta razoável e proporcional

à indenização por danos materiais, nos termos dos arts. 949 e como forma de indenizar o abalo moral sofrido pela autora.

950 do CC. Em relação aos danos materiais, considerando que estes

Nesse ponto, cumpre ressaltar que os danos materiais são devem ser arbitrados com base em critérios objetivos, com

auferidos por critérios objetivos, sendo tudo aquilo que base no salário da autora, no grau de redução da capacidade

efetivamente se perdeu (dano emergente) e aquilo que se laborativa (incapacidade parcial e permanente), o pagamento

deixou de ganhar (lucro cessante), como é o caso da redução em parcela única (art. 950, § único, do CC), reduzo para

ou perda da capacidade laborativa. Assim, nota-se que o dano R$11.808,00 o valor da indenização (2% do salário do autor

material engloba tanto os lucros cessantes como os danos R$1.200,00 - 7f728e9 - Pág. 1, multiplicado por 492 meses -

emergentes, neste se enquadrando as despesas com idade da autora e expectativa da média de vida do brasileiro de

tratamento de saúde, não havendo razão para deferir as verbas 76 anos).

em parcelas separadas. Ante o exposto, reformo a sentença a fim de reduzir o valor da

Ressalta-se que os lucros cessantes prescindem de indenização por danos materiais para R$11.808,00.

comprovação do valor exato do prejuízo material, cabendo ao Em conclusão, conheço do recurso ordinário, rejeito a

julgador analisar o grau de redução da capacidade laborativa e preliminar suscitada e, no mérito, dou-lhe parcial provimento

o salário recebido pelo autor, a fim de arbitrar valor suficiente para, reformando a sentença, reduzir o valor da indenização

para reparar o prejuízo sofrido. Os danos emergentes, por sua por danos materiais para R$11.808,00. Em consequência,

vez, exigem a comprovação do efetivo prejuízo material sofrido reduzo o valor das custas para R$336,16, calculadas sobre o

pelo autor, não podendo ser presumidos. novo valor da condenação, R$16.808,00. Mantida a sentença

Por todo o exposto, há o preenchimento dos requisitos para a nos seus demais termos. Tudo conforme a

responsabilização da reclamada por danos morais e materiais, fundamentação./pdf.moa

ressaltando, contudo, que estes se limitam aos lucros (...)'

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 76
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

De acordo com o artigo 896, §1º-A, inciso III, da CLT, incluído

pela Lei 13.015/2014, a parte que recorre deve 'expor as razões

do pedido de reforma, impugnando todos os fundamentos

jurídicos da decisão recorrida, inclusive mediante


Recorrente(s): LANAPLAST INDÚSTRIA E
demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da
COMÉRCIO DE PRODUTOS
Constituição Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial

cuja contrariedade aponte' .


Advogado(a)(s): MARIA GLADES RIBEIRO
Na hipótese, a parte recorrente não observou o referido inciso,
DOS SANTOS e OUTROS (AM
uma vez que, ao expor as razões do pedido de reforma, não

impugnou todos os fundamentos jurídicos da decisão Recorrido(a)(s): AGAMENON BEZERRA SILVA


recorrida, a exemplodos incisos I e II do artigo 20 da Lei nº

8.213/91, art. 818, I da CLT e 373, I, do CPC/15,sendo inviável o

processamento do recurso de revista. Advogado(a)(s): ADEMÁRIO DO ROSÁRIO


CONCLUSÃO AZEVEDO (exclusividade - id.
DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

Publique-se e intime-se.

cdss PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

Assinatura Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão

MANAUS, 5 de Novembro de 2020. publicada em 23/09/2020 - id. 4692ca0; recurso apresentado em

05/10/2020 - id. 10ff4a3).

LAIRTO JOSE VELOSO Regular a representação processual (id. 4d70949).

Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 Satisfeito o preparo (ids. fa9c46c, 86bbff6, 0ee9725 e f77f0ac e

Decisão 9fc66d0 e 8d46128).


Processo Nº ROT-0000010-29.2018.5.11.0019
Relator JOSE DANTAS DE GOES
RECORRENTE LANAPLAST INDUSTRIA E PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
COMERCIO DE PRODUTOS
PLASTICOS LTDA Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano
ADVOGADO MARIA GLADES RIBEIRO DOS Material/Acidente de Trabalho.
SANTOS(OAB: 2144/AM)
RECORRIDO AGAMENON BEZERRA SILVA Alegação(ões):
ADVOGADO ADEMARIO DO ROSARIO - violação da (o) artigo 950 do Código Civil.
AZEVEDO(OAB: 2926/AM)
Arecorrente sustenta que o reclamante não sofreu nenhuma lesão
Intimado(s)/Citado(s): que gerasse incapacidade total e permanente, razão pela qual deve
- LANAPLAST INDUSTRIA E COMERCIO DE PRODUTOS
PLASTICOS LTDA -se afastar a condenação ao pagamento de dano material na

modalidade lucros cessantes.

Ademais, o recorrido encontra-se apto para exercer suas funções

laborais e o período em que esteve afastado pelo INSS não gera


PODER JUDICIÁRIO
indenização, conforme se extrai do próprio acórdão.
JUSTIÇA DO TRABALHO
Consta no v. acórdão (id. 86bbff6):
Fundamentação '(...) RECURSO DO RECLAMANTE

a)INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS.


RECURSO DE REVISTA O Reclamante postula o pagamento de indenizações por danos
Tramitação Preferencial materiais na modalidade de lucros cessantes, pelo período que
Lei 13.015/2014 ficou afastado do emprego recebendo auxílio previdenciário (7
Lei 13.467/2017 meses) e na forma de pensão, em virtude da restrição de sua

capacidade laboral.

Analisa-se.

De plano, denota-se que, atualmente, o Reclamante encontra-se

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 77
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

apto para o desempenho de suas funções laborais, conforme laudo No aspecto, saliente-se que a percepção de benefício previdenciário

pericial (ID. d9d1a5c), possuindo apenas uma restrição parcial para não prejudica o deferimento da verba indenizatória, pois, a

a função desempenhada na Reclamada, necessitando de esforços Constituição da República estabelece claramente que o pagamento

suplementares para a realização da mesma atividade. O perito das parcelas decorrentes do seguro acidentário não exclui a

declarou ainda que o Reclamante não necessita de reabilitação, indenização devida pelo empregador (CR/88, art. 7º, XXVIII).

pois, pode exercer a mesma atividade, porém, com mais Nesse sentido, a Súmula 229 do STF:

esforços. A indenização acidentária não exclui a do direito comum, em caso

Ressalta-se que, com relação aos danos emergentes, o autor não de dolo ou culpa grave do empregador

comprovou nenhum gasto com a lesão sofrida no acidente do Relativamente ao quantum, deve ser ponderado, no caso, que a

trabalho, sendo assim, não há o que se falar em indenização por lesão, embora tenha ocasionado restrição total e temporária da

danos emergentes. capacidade laboral do Autor, este voltou a trabalhar na mesma

Com efeito, tampouco há que se falar em pagamento de pensão, função na Reclamada.

porquanto, a lesão na mão e punho, não acarretou restrição laboral Deveria ser utilizado, para fins de cálculo do valor da indenização

ao obreiro, inclusive, com o seu retorno ao trabalho, para realizar relativa aos 07 meses de afastamento, o valor do salário percebido

as mesmas atividades. pelo obreiro quando do afastamento, qual seja, o de fevereiro/2015,

Por outro lado, há de destacar que, apesar de, atualmente, não no importe de R$ 1.607,49 (ID. 890016e). Todavia, considerando

existir incapacidade laboral, após o evento, o Reclamante fora que o Reclamante limitou o pedido ao valor do salário de R$

afastada do serviço, tendo, inclusive, auferido benefício 1.234,32 (ID. cbc6f10 - Pág. 8), este deve ser considerado como

previdenciário sob o código 91. base de cálculo da indenização.

A par disso, revela-se inegável que o Autor experimentou restrição 5.4.3 - Nesse diapasão é perfeitamente razoável se presumir que

total da sua capacidade laborativa, ainda que de modo temporário. neste ínterim, pelo menos o salário que percebia lhe seria pago e,

Logo, tem-se que os danos sofridos não se limitaram ao abalo sopesando que o recebido dos cofres do INSS, neste período, tem

moral, mas, repercutiram, também, na esfera material, na forma de caráter meramente reparatório, não se confundindo com o que é

lucros cessantes, no período em que ficou afastado percebendo pago pelo empregador, que tem natureza de contra

benefício acidentário. prestação/indenização, sendo estas premissas o embasamento

Neste sentido, o Código Civil, de aplicação subsidiária ao Direito do para requer o pagamento de R$1.234,32X 7 meses, a titulo de

Trabalho, prescreve: lucros cessantes, com reflexo em férias, 13º salário e FGTS, de

Art. 950. Se da ofensa resultar defeito pelo qual o ofendido não acordo com o Art. 949 do CCB, verbis.

possa exercer o seu ofício ou profissão, ou se lhe diminua a (...)

capacidade de trabalho, a indenização, além das despesas do 1) LUCROS CESSANTES 7 meses X R$1.234,32 - R$ 8.640,24

tratamento e lucros cessantes até ao fim da convalescença, incluirá 1.1) 7/12 FERIAS +1/3 - R$ 960,00

pensão correspondente à importância do trabalho para que se 1.2) 7/12 13 SALARIO - R$ 720,00

inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu. 1.3) FGTS + 40% - R$ 1.155,86

Parágrafo único. O prejudicado, se preferir, poderá exigir que a (...)

indenização seja arbitrada e paga de uma só vez. (grifou-se) Assevere-se que o valor acima indicado pelo obreiro não foi

Há que se ressaltar também que, em caso de acidente de trabalho impugnado pela Reclamada em sua contestação, que se ateve,

ou doença equiparada, os danos materiais devidos pelo apenas, a alegar não ser cabível lucros cessantes em razão do

empregador incluem os lucros cessantes até o fim da recebimento do auxilio previdenciário pelo Reclamante durante seu

convalescença do empregado, ou seja, os salários devidos desde a afastamento, bem como, que este não teria comprovado prejuízo

data de afastamento (26/03/2015 - ID. 416f83e - Pág. 1) até o termo sofrido.

final de percepção do benefício previdenciário (31/10/2015 - ID. Ante o exposto, dá-se parcial provimento ao Recurso Ordinário do

71c6345 - Pág.1), período no qual o empregado ficou privado de Reclamante para condenar a Reclamada ao pagamento de R$

desenvolver atividade laborativa remunerada em face do infortúnio, 11.476,10 (onze mil e quatrocentos e setenta e seis reais e dez

conforme se extrai do art. 949 do Código Civil. centavos) a título de danos materiais, em observância ao período de

Indene de dúvidas, portanto, que o Autor sofreu danos materiais 07 meses em que o Reclamante ficou afastado pela Previdência.

aptos a ensejar sua reparação. (...)'.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 78
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Recorrente(s): JEAN FERREIRA DE


De acordo com o artigo 896, §1º-A, inciso III, da CLT, incluído pela OLIVEIRA
Lei 13.015/2014, a parte que recorre deve 'expor as razões do

pedido de reforma, impugnando todos os fundamentos jurídicos da Advogado(a)(s): ALBERTO DA SILVA


decisão recorrida, inclusive mediante demonstração analítica de OLIVEIRA (AM - 3974)
cada dispositivo de lei, da Constituição Federal, de súmula ou

orientação jurisprudencial cuja contrariedade aponte' . Recorrido(a)(s): AMAZONAS GERAÇÃO E

Na hipótese, a parte recorrente não observou o referido inciso, uma TRANSMISSÃO DE ENERGIA

vez que, ao expor as razões do pedido de reforma, não impugnou


Advogado(a)(s): AUDREY MARTINS
todos os fundamentos jurídicos da decisão recorrida, a exemplo do

art. 949 do Código Civil, art. 7º, XXVIII, da CRFB, e da Súmula 229 MAGALHÃES FORTES

do STF, sendo inviável o processamento do recurso de revista.

CONCLUSÃO
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
Publique-se e intime-se.
publicada em 01/06/2020 - id. c0e13cf; recurso apresentado em
jbas
15/06/2020 - id. 56e042b).
Assinatura
Regular a representação processual (id. eb402da).
MANAUS, 5 de Novembro de 2020.
Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência

judiciária gratuita, conforme sentença (id. 144df4c), nos termos da


LAIRTO JOSE VELOSO
OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal.
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11
Decisão
Processo Nº ROT-0001579-50.2017.5.11.0003 PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
Relator LAIRTO JOSE VELOSO
Remuneração, Verbas Indenizatórias e Benefícios/Salário /
RECORRENTE JEAN FERREIRA DE OLIVEIRA
ADVOGADO ALBERTO DA SILVA OLIVEIRA(OAB: Diferença Salarial/Salário por Equiparação / Isonomia.
3974/AM)
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Processo e
RECORRIDO AMAZONAS GERACAO E
TRANSMISSAO DE ENERGIA S.A Procedimento/Provas/Ônus da Prova.
ADVOGADO AUDREY MARTINS MAGALHAES
FORTES(OAB: 1231/AM) Alegação(ões):

- contrariedade à(ao) : itens II, V, VI e VIII da Súmula nº 6 do


Intimado(s)/Citado(s):
Tribunal Superior do Trabalho.
- JEAN FERREIRA DE OLIVEIRA
- violação do(s) incisos LIV e LV do artigo 5º da Constituição

Federal.

- violação da (o) artigos 461 e 818 da Consolidação das Leis do


PODER JUDICIÁRIO Trabalho;artigo 373 do Código de Processo Civil de 2015.
JUSTIÇA DO TRABALHO - divergência jurisprudencial.

- contrariedadeà Súmula202 do Supremo TribunalFederal.


Fundamentação
O recorrente busca a reforma do v. acórdão, para que seja julgado

procedente o pedido de equiparação salarial.


RECURSO DE REVISTA
Argumenta que preencheu todos os requisitos exigidos na lei, bem
Lei 13.015/2014
como, na Súmula nº 6 do TST, não havendo qualquer motivo

impeditivo, modificativo ou extintivo ao direito postulado, ressaltando

que '(...) é irrelevante o fato do desnível salarial ter origem em

decisão judicial que beneficiou o paradigma, desde que presente os

pressupostos do artigo 461 da CLT, inclusive em razão de sua

reformulação em junho de 2015.'.

Acrescenta que este Regional não se ateve aos fatos existentes nos

autos, não tendo levado em consideração a prova testemunhal

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 79
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

produzida pelo autor, tampouco a ausência de provas robustas pela Mauá. Alega que atualmente percebe salário base de R$3.469,19

reclamada. mais vantagens fixas como gratificação por tempo de serviço, horas

Consta no v. acórdão (id. 42d8e5a): extras, adicional de periculosidade, todas elas parcelas pagas com

'(...) habitualidade pela reclamada. Aduz que executa atividades de

Da Equiparação Salarial manutenções corretivas, preditivas e preventivas nos seguintes

O reclamante, inicialmente, sustenta a inaplicabilidade da Lei equipamentos da reclamada. Indica como paradigma o Sr.

13467/2017, sob alegação de direito intertemporal. Sustenta ainda ADRIANO BARROSO DA VITÓRIA, que foi admitido em

que o depoimento do preposto confirmou que o autor exerce 01.03.2007, como técnico de manutenção mecânica, logo, o

idêntica função do paradigma, não havendo nenhuma justificativa paradigma não é mais antigo ou experiente na função em relação

para que a empresa pague salário mais elevado para o modelo, ao reclamante mais que dois anos. Aduz que Reclamante e

desrespeitando e afrontando o princípio da isonomia salarial. paradigma realizam as mesmas atividades, com a mesma

Menciona ainda a ausência de juntada de qualquer documento pela produtividade e perfeição técnica, no mesmo Departamento de

reclamada de que o paradigma remoto possua vantagens pessoais. trabalho, exercendo a mesma função nas mesmas condições, locais

Alega a inexistência de Plano de Cargos e Salários regularmente e jornada de trabalho, não havendo motivo para que a empresa

aprovado por órgão competente. Pugna pela equiparação salarial, pague mais para um empregado e menos para o outro, contudo, a

tendo em vista as identidades de funções e preenchimento partir de abril de 2017 a reclamada passou a pagar salário mais alto

estabelecido no art. 461 da CLT e Súmula 06 do TST, com a em favor do paradigma, conforme comprovam as fichas financeiras

consequente reforma da sentença e provimento do recurso em anexo, por força de decisão judicial que beneficiou o paradigma,

ordinário. no processo n. R-0000294-53.2016.5.11.0004, tendo como

Para melhor compreensão, eis os fundamentos da sentença paradigma remoto o empregado ANTONIO SOUZA DA CUNHA.

recorrida, Id. 144df4c: Assim, entende que tem direito de receber as mesmas bases

'DAS PRELIMINARES: salariais que o paradigma, porque satisfeitos os requisitos legais da

DA PRESCRIÇÃO QÜINQÜENAL equiparação salarial.

Acato a preliminar argüida, decretando a prescrição dos pleitos Em sua defesa, a reclamada aduz que a demanda não merece

anteriores a 20.09.2012, nos termos do disposto no art. 7°, XXIX da procedência, seja pela inexistência de similitudes das funções com

CF/88. o paradigma imediato, com o paradigma remoto, ou pelo fato

COISA JULGADA impeditivo da existência de Plano de Carreira da reclamada.

Rejeita-se a preliminar argüida, tendo em vista que nos autos do Destaca que o paradigma indicado pelo autor obteve majoração

processo n° 0001290-70.2015.5.11.0009 o autor indicou paradigma salarial em razão do deferimento de equiparação salarial em

diverso do indicado na presente ação, conforme reconhecido pela reclamatória trabalhista própria. Acrescenta que o reclamante não

própria reclamada, nada havendo, portanto, que se falar em coisa possui a mesma autonomia e realiza atividades de menor

julgada, posto que os fundamentos que levaram a propositura da complexidade que o paradigma não podendo, pois, ser equiparado

ação citada pela demandada são diferentes dos fundamentos que ao mesmo, pois o paradigma é empregado mais qualificado e

ensejaram a propositura da presente ação. exerce funções mais específicas e abrangentes que aquelas

AUSÊNCIA DE INTERESSE PROCESSUAL exercidas pelo reclamante. Assim, considera que o reclamante não

Rejeita-se a preliminar argüida, tendo em vista que os pleitos são comprovou, portanto, o requisito essencial da identidade de função

verbas de natureza trabalhista, oriundo da relação de emprego e capacidade técnica. Aduz, ainda, que, inobstante a ausência dos

mantida entre o reclamante e a reclamada, tendo o autor ingressado requisitos indicados para a concessão da Equiparação, tem ainda

com a presente ação perante esta Justiça, buscando o como condição impeditiva a existência de Plano de Carreira na

reconhecimento dos direitos que entende lhe serem devidos, não empresa, circunstância que por si só impossibilita a condenação da

carecendo, portanto, o reclamante, de interesse processual. reclamada na equiparação salarial perseguida na presente ação,

DO MÉRITO: principalmente porque o Reclamante encontra-se vinculado ao

Pretende o reclamante o recebimento dos pleitos que elencou na Plano de Carreira da empresa, conforme termo de adesão e demais

inicial, sob o argumento de que foi admitido nos quadros da documentos constantes nos autos virtuais, fato este confirmado pelo

reclamada em 02.01.2008, exerce a função de técnico de reclamante, o que desconfigura seu pleito. Requer, portanto, que o

manutenção mecânica e trabalha na Usina Termelétrica II - UTE pedido de equiparação salarial seja julgado totalmente

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 80
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

improcedente. no art. 7º, XXVI, da CF, pelo que não há falar em afronta ao item I

DA EQUIPARAÇÃO SALARIAL da Súmula 6 do TST.

Com a instrução do feito, restou esclarecido que o paradigma É cediço que a organização de pessoal em quadro de carreira pelo

indicado pelo autor foi equiparado por força de decisão judicial a empregador constitui óbice ao reconhecimento de equiparação

outro empregado chamado ANTONIO SOUZA DA CUNHA, fato salarial, na forma do §2º do art. 461 da CLT.

este que o reclamante omitiu em sua inicial. A jurisprudência da Colenda Corte tem reconhecido a validade do

Assim sendo, analisada a questão, firma convencimento o Juízo Plano de Cargos e Salários chancelado pelo sindicato e instituído

que não restou comprovado nos autos que o autor exerce as por norma coletiva, independentemente da homologação do

mesmas atividades do paradigma remoto ANTONIO SOUZA DA Ministério do Trabalho, desde que presentes os critérios de

CUNHA. promoção por antiguidade e merecimento, como no caso.

Ressalte-se, por oportuno, que a reforma trabalhista (Lei Nesse contexto, a decisão recorrida deve ser mantida, embora

13.467/2017) incluiu o §5º no art. 461 da CLT, dispondo que 'a considerando os motivos ora postos.

equiparação salarial só será possível entre empregados Cito os seguintes julgados a propósito da questão:

contemporâneos no cargo ou na função, ficando vedada a indicação EQUIPARAÇÃO SALARIAL. PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

de paradigmas remotos, ainda que o paradigma contemporâneo PACTUADO POR MEIO DE NORMA COLETIVA. ANUÊNCIA DA

tenha obtido a vantagem em ação judicial própria'. ENTIDADE SINDICAL. AUSÊNCIA DE HOMOLOGAÇÃO PELO

Portanto, a equiparação salarial só será possível se ficar MINISTÉRIO DO TRABALHO. NÃO CONFIGURADA A AUSÊNCIA

comprovado, entre o empregado reclamante e o paradigma direto, a DE PREVISÃO NORMATIVA DE PROMOÇÃO ALTERNADA NA

identidade de funções, a mesma perfeição técnica, se a diferença CARREIRA CONFORME OS CRITÉRIOS DE ANTIGUIDADE E

de tempo de serviço para o mesmo empregador não seja superior a MERECIMENTO. VALIDADE. A controvérsia cinge-se em saber se

quatro anos e se a diferença de tempo na função não seja superior é válido o plano de cargos e salários, previsto em norma coletiva

a dois anos, ficando vedada a indicação de paradigma remoto. com a anuência da respectiva entidade sindical, mesmo quando

Desse modo, tendo ficado claramente caracterizado que o autor ausentes a homologação pelo Ministério do Trabalho e Emprego e a

busca reconhecimento de equiparação salarial como o paradigma previsão alternada de promoção a carreira conforme os critérios de

ADRIANO BARROSO DA VITÓRIA, o qual foi equiparado, por força merecimento e antiguidade. De acordo com a jurisprudência

de decisão judicial, ao empregado ANTONIO SOUZA DA CUNHA, prevalecente nesta Corte, em razão do disposto no artigo 7º, inciso

sendo que este fato, por si só, veda a equiparação salarial XXVI, da Constituição da República, considera-se válido o plano de

pretendida, outra não pode ser a decisão, senão a cargos e salários, pactuado por meio de negociação coletiva, com a

IMPROCEDÊNCIA TOTAL da ação, com o indeferimento de todos chancela do respectivo sindicato da categoria profissional, mesmo

os pleitos constantes da inicial. quando ausente a homologação pelo Ministério do Trabalho e

Concedo ao autor os benefícios da justiça gratuita, nos termos do Emprego. No caso, conforme expressamente consignado no

art. 4º da Lei nº. 1.060/50, com redação dada pela Lei nº. 7.510/86.' acórdão regional, o Plano de Cargos e Salários implementado pela

Analiso. reclamada foi pactuado por meio de acordo coletivo decorrente de

Depreende-se dos autos que a questão central em discussão julgamento de Dissídio Coletivo de Greve, sem a homologação pelo

envolve as parcelas de diferenças salariais decorrentes da Ministério do Trabalho e Emprego, porém com a chancela do

equiparação salarial, tratadas no art. 461 da CLT e Súmula 6/TST. sindicato da respectiva categoria profissional. Por outro lado, consta

Pois bem. da fundamentação do acórdão recorrido que no plano de cargos e

É de conhecimento deste Relator, por conta de inúmeros processos salários da reclamada havia previsão expressa de observância dos

da mesma natureza, já analisados anteriormente, que a reclamada critérios tanto de antiguidade quanto de merecimento. Desse modo,

possui Plano de Cargos e Remuneração, chancelado pelo Sindicato o Regional, ao considerar válido o plano de cargos e salários

Obreiro, com critérios de promoção por antiguidade e merecimento, invocado pela reclamada, decidiu em conformidade com a

o que deve ser levado em consideração no caso concreto, ainda Jurisprudência desta Corte Superior e em expressa concordância

que não homologado pelo Ministério do Trabalho, como afirmado com o disposto no artigo 461, § 2º, da CLT. Agravo de instrumento

pelo reclamante, pois entendo que a participação da entidade desprovido. (ED-AIRR - 2191-18.2013.5.02.0087, Relator Ministro:

sindical é suficiente a participação sindical para considerá-lo válido, José Roberto Freire Pimenta, 2ª Turma, DEJT 03/06/2016)

em atenção ao princípio da autonomia negocial coletiva, garantido EQUIPARAÇÃO SALARIAL. PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 81
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

PACTUADO POR MEIO DE NORMA COLETIVA. ANUÊNCIA DA 418 da SBDI-1 do TST. 3. Agravo de Instrumento a que se nega

ENTIDADE SINDICAL. AUSÊNCIA DE HOMOLOGAÇÃO PELO provimento. (AIRR - 2864-84.2014.5.02.0019, Relator: Ministro Lelio

MINISTÉRIO DO TRABALHO. PREVISÃO NORMATIVA DE Bentes Corrêa, 1.ª Turma, DEJT 27/10/2017.)

PROMOÇÃO ALTERNADA NA CARREIRA CONFORME OS [[...]. RECURSO DE REVISTA. EQUIPARAÇÃO SALARIAL. PLANO

CRITÉRIOS DE ANTIGUIDADE E MERECIMENTO. VALIDADE. De DE CARGOS E SALÁRIOS VALIDADO POR NEGOCIAÇÃO

acordo com a jurisprudência prevalecente nesta Corte, em razão do COLETIVA. AUSÊNCIA DE HOMOLOGAÇÃO DO MINISTÉRIO DO

disposto no artigo 7.º, inciso XXVI, da Constituição da República, TRABALHO. DESNECESSIDADE. Prevalece, no âmbito do TST, o

considera-se válido o plano de cargos e salários pactuado por meio entendimento de que é válido o Plano de Cargos e Salários

de negociação coletiva, com a chancela do respectivo sindicato da instituído por norma coletiva, ainda que ausente a homologação

categoria profissional, mesmo quando ausente a homologação pelo pelo MTE, desde que haja previsão de alternância de promoções

Ministério do Trabalho, se presentes os critérios de promoção por por antiguidade e merecimento, conforme o disposto no art. 461, §§

merecimento e antiguidade. No caso, conforme expressamente 2.º e 3.º, da CLT e na OJ n.º 418 da SBDI-1 do TST. Decisão em

consignado no acórdão regional, o plano de cargos e salários, sentido contrário deve ser reformada a fim de se adequar à

implementado pela Reclamada, prevê critérios de promoções jurisprudência dominante desta Corte. Recurso de Revista

alternadas por antiguidade e merecimento e foi pactuado por meio conhecido e provido. (RR - 1002581-10.2015.5.02.0601 Relatora

de acordo coletivo, sem a homologação pelo Ministério do Trabalho Ministra: Maria de Assis Calsing, 4ª Turma, DEJT 20/04/2018)

e Emprego. Desse modo, o Regional, ao considerar válido o plano Assim, diante do quadro apresentado no processo, insuscetível de

de cargos e salários invocado pela Reclamada, decidiu em modificação a sentença de origem, o que ora mantenho, pois não

consonância com a jurisprudência desta Corte superior, não há como deferir a equiparação salarial pretendida, porquanto as

havendo falar em ofensa ao artigo 461, §§ 2.º e 3.º, da CLT. Agravo premissas registradas nestes autos revelam a validade do Plano de

de instrumento desprovido. (AIRR - 1960-08.2015.5.11.0010, Cargos e Salários, o que obsta a pretensão inicial de diferenças

Relator: Ministro José Roberto Freire Pimenta, 2.ª Turma, DEJT salariais.

18/8/2017.) Diante do exposto, nada a alterar.

AGRAVO DE INSTRUMENTO. EQUIPARAÇÃO SALARIAL (...)'

INDEVIDA. PLANO DE CARREIRA. AUSÊNCIA DE

HOMOLOGAÇÃO PELO MINISTÉRIO DO TRABALHO. A Lei 13.015/2014 acrescentou o§1º-A ao artigo 896 da

INSTITUIÇÃO POR SENTENÇA NORMATIVA COM A CHANCELA Consolidação das Leis do Trabalho:

DA ENTIDADE SINDICAL. PROMOÇÃO ALTERNADA NA §1º-A. Sob pena de não conhecimento, é ônus da parte:

CARREIRA CONFORME OS CRITÉRIOS DE ANTIGUIDADE E I - indicar o trecho da decisão recorrida que consubstancia o

MERECIMENTO. VALIDADE. 1. Não obstante a ausência de prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de revista;

homologação pelo Ministério do Trabalho, a chancela sindical e II - indicar, de forma explícita e fundamentada, contrariedade a

judicial ao plano de cargos e salários, que fora instituído por meio dispositivo de lei, súmula ou orientação jurisprudencial do Tribunal

de dissídio coletivo, importa na sua validação sob o abrigo do Superior do Trabalho que conflite com a decisão regional;

disposto no artigo 7.º, XXVI, da Constituição da República. Assim, III - expor as razões do pedido de reforma, impugnando todos os

em prestígio à liberdade negocial de que dispõem as partes, a fundamentos jurídicos da decisão recorrida, inclusive mediante

homologação ministerial não constitui pressuposto imprescindível, demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da Constituição

nem insubstituível, à validade do plano de carreira. 2. Observado o Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial cuja contrariedade

contexto fático delineado no acórdão prolatado pelo Tribunal aponte.

Regional, insuscetível de reexame por força da vedação contida na IV - transcrever na peça recursal, no caso de suscitar preliminar de

Súmula n.º 126 desta Corte superior, de que havia no PCS nulidade de julgado por negativa de prestação jurisdicional, o trecho

elaborado pela empresa a observância dos critérios de antiguidade dos embargos declaratórios em que foi pedido o pronunciamento do

e de merecimento para a promoção dos trabalhadores, não é tribunal sobre questão veiculada no recurso ordinário e o trecho da

demasiado concluir que a Corte de origem, ao considerar válido o decisão regional que rejeitou os embargos quanto ao pedido, para

plano de cargos e salários invocado pela Reclamada, decidiu em cotejo e verificação, de plano, da ocorrência da omissão. (Incluído

conformidade com o disposto no artigo 461, § 2.º, da CLT, não se pela Lei nº 13.467, de 2017)

evidenciando, ainda, contrariedade à Orientação Jurisprudencial n.º Não se viabiliza o recurso de revista, quantoao tópico DA

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 82
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

VIOLAÇÃO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL MATERIALIZADO 102115620135010206, Relator: Maria de Assis Calsing, Data de

NOS ARTIGOS 818 DA CLT E 373 DO CPC E ARTIGO 5°, INCISO Julgamento: 13/06/2018, 4ª Turma, Data de Publicação: DEJT

LIV E LV DA CF/88 - VIOLAÇÃO DA SÚMULA VI, 15/06/2018)

ESPECIALMENTE OS INCISOS II, V, VI E VIII - CONTRARIEDADE RECURSO DE REVISTA DO RECLAMANTE. APELO

À SÚMULA 202 DO STF ,pois a parte recorrente não transcreveu o INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DO NOVO CPC. EQUIPARAÇÃO

trecho do acórdão que demonstraria o prequestionamento da SALARIAL. PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. APROVAÇÃO

controvérsia que pretende ver transferida à cognição do Tribunal POR INSTRUMENTO COLETIVO. ALTERNÂNCIA DAS

Superior do Trabalho, nos termos doinciso I do § 1º-A do artigo 896 PROMOÇÕES PELOS CRITÉRIOS DE ANTIGUIDADE E

da Consolidação das Leis do Trabalho. MERECIMENTO. Esta Corte, com lastro no art. 7.º, XXVI, da

Assim, o recurso de revista não comporta seguimento por possível Constituição Federal, que reconhece a validade dos acordos e

violação aos dispositivos mencionados,tampouco por divergência convenções coletivas, tem mitigado o entendimento firmado na

jurisprudencial (Súmula 333 do TST). parte inicial do item I da Súmula n.º 6 desta Corte, de forma a

Quanto às alegações do tópico DA PRESENÇA DE IDENTIDADE conferir a validade ao Plano de Cargos e Salários autorizado pela

DE FUNÇÕES - CONTRARIEDADE À SÚMULA 06 DO TST E AO própria entidade sindical profissional. Ademais, o Regional

ARTIGO 461 DA CLT - DA NECESSIDADE DE EQUIPARAÇÃO asseverou que a previsão de alternância de critérios de promoção

SALARIAL , diante do quadro fático retratado no julgado, não por antiguidade e merecimento foi devidamente cumprida, estando

suscetível de ser reexaminado nesta fase processual (Súmula 126 a decisão de acordo com o entendimento da OJ n.º 418, da SBDI-1,

do TST), infere-se que o entendimento está em consonância ao sendo certo que qualquer outra consideração a respeito demandaria

itens I e VI da Súmula nº 6 do Tribunal Superior do Trabalho. Assim, o revolvimento de fatos e provas. Precedentes. Recurso de Revista

o recurso de revista não comporta seguimento por possível violação não conhecido. (TST - RR: 15915420145090026, Relator: Maria de

ao dispositivos mencionados, tampouco por divergência Assis Calsing, Data de Julgamento: 04/10/2017, 4ª Turma, Data de

jurisprudencial (Súmula 333 do TST). Publicação: DEJT 06/10/2017)

No que se refere à validade do plano de cargos e Não é razoável admitir que a manifestação reiterada do Tribunal

salários,adecisão da Turma está em consonância com a Superior do Trabalho seja contra legem ou em afronta à

manifestação reiterada do TST, vejamos: Constituição Federal. Assim, por haver convergência entre a tese

AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. adotada no acórdão recorrido e a iterativa, notória e atual

EQUIPARAÇÃO SALARIAL. PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, não se vislumbra

APROVAÇÃO POR INSTRUMENTO COLETIVO. ALTERNÂNCIA possível violação aos dispositivos invocados, sendo inviável o

DAS PROMOÇÕES PELOS CRITÉRIOS DE ANTIGUIDADE E seguimento do apelo, inclusive por divergência jurisprudencial

MERECIMENTO. Esta Corte, com lastro no art. 7.º, XXVI, da (Súmula 333 do TST).

Constituição Federal, que reconhece a validade dos acordos e CONCLUSÃO

convenções coletivas, tem mitigado o entendimento firmado na DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

parte inicial do item I da Súmula n.º 6, de forma a conferir validade Publique-se e intime-se.

ao Plano de Cargos e Salários autorizado pela própria entidade

sindical profissional. No entanto , na hipótese dos autos, o Regional Manaus, 10 de setembro de 2020.

asseverou que o Plano de Cargos e Salários ratificado pelo JOSÉ DANTAS DE GÓES

Sindicato não contém previsão de alternância de critérios de Desembargador do Trabalho, Vice-Presidente do TRT 11ª Região

promoção por antiguidade e merecimento, o que atrai a aplicação dcm

do entendimento da OJ n.º 418 da SBDI-1. Ademais, a análise das Assinatura

alegações da Reclamada de que 'o histórico funcional e as MANAUS, 4 de Novembro de 2020.

conquistas profissionais dos cotejados servem como fato impeditivo

do direito à equiparação salarial, quando são traduzidos em efetiva JOSE DANTAS DE GOES

comprovação da diversidade de produtividade e perfeição técnica', Desembargador(a) do Trabalho

demanda o reexame do contexto fático-probatório dos autos, o que Decisão


Processo Nº AP-0000514-07.2019.5.11.0017
é vedado a esta instância recursal por óbice da Súmula n.º 126 do Relator JORGE ALVARO MARQUES
GUEDES
TST. Agravo de Instrumento conhecido e não provido. (TST - AIRR:

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 83
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

AGRAVANTE L. PAULO PINHEIRO FIRMO EIRELI -


ME Procuradores/Sucumbência/Honorários Advocatícios.
ADVOGADO DANIELLE KOHASHI DA Alegação(ões):
COSTA(OAB: 10059/AM)
ADVOGADO SUELLEN AKIKO KOHASHI DA - violação do(s) inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal.
COSTA(OAB: 9879/AM)
- violação da (o) parágrafos 3º e 4º do artigo 791-A da Consolidação
AGRAVADO GERSON BULCAO JUNIOR
ADVOGADO KELMA SOUZA LIMA(OAB: 5470/AM) das Leis do Trabalho; parágrafo único do artigo 86 do Código de

Processo Civil de 2015.


Intimado(s)/Citado(s):
-contrariedade à Súmula 306 do Superior Tribunal de Justiça.
- L. PAULO PINHEIRO FIRMO EIRELI - ME
Arecorrente sustenta que 'o acórdão atacado merece reforma,

tendo em vista que da simples leitura da sentença observa-se que o

juízo a quo desconsiderou o que a reforma trabalhista (Lei


PODER JUDICIÁRIO
13.467/2017) introduziu quanto a condenação em honorários de
JUSTIÇA DO TRABALHO
sucumbência, uma vez que mesmo que a parte perdedora seja

Fundamentação beneficiária da justiça gratuita, os honorários de sucumbência

devem ser descontados dos créditos trabalhistas que venham a ser

RECURSO DE REVISTA obtidos, inclusive dos de natureza alimentícia, conforme art.794-

Tramitação Preferencial A,§4º/CLT, tendo o recorrido, portanto, créditos suficientes para

Lei 13.015/2014 satisfazer o débito com a recorrente, conforme comprovante de

Lei 13.467/2017 depósito judicial de Id- 1d34df5, sendo desnecessária a

comprovação de mudança da situação econômica do recorrido '.

Consta no v. acórdão (id. 091b822):

'(...) A agravante pleiteia a reforma da sentença de Embargos à

Execução de ID. 935dd7c. Nas razões recursais aduz que é devida

a retenção de honorários advocatícios em benefício da sua

advogada, uma vez que o exequente/agravado possui na presente


Recorrente(s): L. PAULO PINHEIRO FIRMO demanda créditos capazes de suportar o pagamento dos honorários

EIRELI - ME de sucumbência. Expõe que, a sentença de mérito julgou

parcialmente procedente a reclamação trabalhista, afastando a sua


Advogado(a)(s): DANIELLE KOHASHI DA responsabilidade quanto aos pedidos de indenização estabilitária e
COSTA (exclusividade - id. danos materiais, todavia, não obstante o afastamento desses

pedidos e consequente condenação do autor ao pagamento de


Recorrido(a)(s): GERSON BULCÃO JUNIOR honorários advocatícios sucumbenciais, o Juízo suspendeu a

exigibilidade da verba em questão, sob o argumento de que o autor

seria beneficiário da justiça gratuita. Reporta que a sentença


Advogado(a)(s): KELMA SOUZA LIMA (AM -
desconsiderou o que a reforma trabalhista (Lei 13.467/2017)
5470)
introduziu, uma vez que, mesmo que a parte perdedora seja

beneficiária da justiça gratuita, os honorários de sucumbência

devem ser descontados dos créditos trabalhistas que venham a ser


PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
obtidos, inclusive dos de natureza alimentícia, conforme art.794-
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
A,§4º, da Consolidação das Leis do Trabalho.
publicada em 29/09/2020 - id. 5aa3ac0; recurso apresentado em
Vejamos.
07/10/2020 - id. 75fe7a7).
Da análise dos autos verifico que o título executivo (sentença de ID.
Regular a representação processual (id. 96a3041).
152314a), a qual foi integramente mantida pelo acórdão de ID.
O juízo está garantido (id. c16c0a1, 311162c, 1d34df5 e b81a746).
ac672a7, assim consta a respeito da matéria em questão, verbis:

'Tendo sido o reclamante sucumbente no pedido de indenização


PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
estabilitária e danos materiais e a reclamada nos demais, com base
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Partes e

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 84
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

no zelo profissional e na atuação dos causídicos, condeno: A) O pagamento dos honorários, salvo comprovada no prazo de dois

reclamante a pagar honorários advocatícios ao patrono da anos a mudança na situação de insuficiência que justificou a

reclamada no percentual de 5% (R$3.046,94) sobre o valor do concessão de gratuidade.

pedido perdido (R$60.938,86). Ora, a agravante não apresentou provas de que houve alteração da

Contudo, beneficiário da justiça gratuita e não tendo obtido em situação de insuficiência econômica do reclamante, condição

juízo, ainda que em outro processo, créditos capazes de definida no título executivo para possibilitar a exigibilidade da verba

suportar a despesa, entendo que o reclamante se enquadra no honorária sucumbencial. Nesse aspecto, entrevejo como escorreita

§4º do art. 791-B, da CLT, ficando suspensa a exigibilidade do a decisão agravada, porquanto, diante da concessão ao reclamante

pagamento dos honorários, salvo comprovada no prazo de dos benefícios da justiça gratuita, ele está imune ao pagamento da

dois anos a mudança na situação de insuficiência que verba honorária, enquanto se mantiver a condição suspensiva do

justificou a concessão de gratuidade.' - grifei. cumprimento da respectiva obrigação, ou seja, a condição de

E, na decisão agravada o Juízo a quo indeferiu o pedido de insuficiência econômica.

retenção de honorários advocatícios, com base nos seguintes Além disso, verifico que a executada em suas razões recursais

fundamentos, verbis: inova na sua defesa, haja vista que, na presente demanda, sequer

'(...) Embora a reforma trabalhista tenha trazido a obrigatoriedade de houve na fase cognitiva, discussão acerca da regularidade da

pagamento de honorários de sucumbência, inclusive ao beneficiário suspensão da exigibilidade da verba honorária, daí porque não há

de gratuidade da justiça, trouxe também a possibilidade de como se discutir essa matéria no momento processual atual.

suspensão de exigibilidade desse pagamento, a ser analisado em Destarte, o que se verifica, é que nas razões deste Agravo de

cada caso concreto. Petição, a executada pretendeu, por intermédio de novos

Não se pode olvidar ainda que na maioria dos casos os processos argumentos, modificar o título executivo já acobertado pela

trabalhistas não decorrem do descumprimento da norma trabalhista autoridade da coisa julgada.

por parte do empregado e sim por parte do empregador. Todavia, é defeso, no curso da execução, mudar o comando

Diante disso, não vejo compatibilidade com os objetivos do direito sentencial ou discutir matéria pertinente à causa principal,

do trabalho de utilizar valores recebidos na demanda, valores estes considerando a imutabilidade advinda do caso julgado, ex vi do

que deveriam já ter sido pagos em momento pretérito, para pagar artigo 879, § 1º, da Consolidação das Leis do Trabalho. A decisão

despesas advindas da sucumbência. exequenda deve observar os termos e limites da res judicata.

A partir do momento em que a Justiça do Trabalho reconhece DISPOSITIVO

que o reclamante faz jus ao benefício da justiça gratuita, Pelo exposto, conheço do agravo de petição e lhe nego provimento,

concomitantemente, reconhece que o beneficiário não dispõe para manter íntegra a decisão de 1º Grau. Tudo nos termos da

de recursos para pagar custas e nem despesas processuais fundamentação.

sem prejuízo de seu sustento e de sua família. No caso em (...)'.

questão, o reclamante continua desempregado e os valores a

serem recebidos nesta reclamatória podem ser a única garantia A Lei 13.015/2014 acrescentou o§1º-A ao artigo 896 da

de sua subsistência e de sua família, em um momento tão Consolidação das Leis do Trabalho:

delicado de pandemia. §1º-A. Sob pena de não conhecimento, é ônus da parte:

Dessa forma, indefiro o pedido do patrono de retenção de I - indicar o trecho da decisão recorrida que consubstancia o

honorários sucumbenciais. Mantenho o que decidido em prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de revista;

sentença de mérito, reconhecimento do benefício da justiça II - indicar, de forma explícita e fundamentada, contrariedade a

gratuita e suspensão da exigibilidade do pagamento de dispositivo de lei, súmula ou orientação jurisprudencial do Tribunal

honorários de sucumbência.(...)' - grifei. Superior do Trabalho que conflite com a decisão regional;

À vista disso, razão não assiste à agravante. III - expor as razões do pedido de reforma, impugnando todos os

Isso porque a decisão transitada em julgado, de maneira bem clara, fundamentos jurídicos da decisão recorrida, inclusive mediante

definiu que, em razão do autor ser beneficiário da justiça gratuita e demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da Constituição

não tendo obtido em juízo, ainda que em outro processo, créditos Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial cuja contrariedade

capazes de suportar a despesa, o reclamante se enquadra no §4º aponte.

do art. 791-B, da CLT, ficando suspensa a exigibilidade do IV - transcrever na peça recursal, no caso de suscitar preliminar de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 85
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

nulidade de julgado por negativa de prestação jurisdicional, o trecho


PODER JUDICIÁRIO
dos embargos declaratórios em que foi pedido o pronunciamento do
JUSTIÇA DO TRABALHO
tribunal sobre questão veiculada no recurso ordinário e o trecho da

decisão regional que rejeitou os embargos quanto ao pedido, para Fundamentação

cotejo e verificação, de plano, da ocorrência da omissão. (Incluído RECURSO DE REVISTA

pela Lei nº 13.467, de 2017) Tramitação Preferencial

Não se viabiliza o recurso de revista, pois a parte recorrente não Lei 13.015/2014

transcreveu o trecho do acórdão que demonstraria o Lei 13.467/2017

prequestionamento da controvérsia que pretende ver transferida à

cognição do Tribunal Superior do Trabalho. A exigência consiste em

apontar o prequestionamento, salvo vício nascido na própria

decisão, e comprová-lo com a transcrição textual e destacada da

tese adotada pela Turma. A jurisprudência predominante no

Tribunal Superior do Trabalho tem definido que o pressuposto legal

não se atende com a mera transcrição da ementa do acórdão


Recorrente(s): GK&B INDÚSTRIA DE
recorrido. Nestesentido são os seguintes precedentes do Tribunal
COMPONENTES DA
Superior do Trabalho: TST - AIRR: 14732220165110004, Relator:

Alexandre de Souza Agra Belmonte, Data de Julgamento:


Advogado(a)(s): MAURÍCIO DOS SANTOS
03/10/2018, 3ª Turma, Data de Publicação: DEJT 05/10/2018; TST -
PEREIRA JÚNIOR (AM - 7768)
Ag-AIRR: 111369420145010019, Relator: Emmanoel Pereira, Data

de Julgamento: 28/11/2018, 5ª Turma, Data de Publicação: DEJT


Recorrido(a)(s): FABIANA DE OLIVEIRA
30/11/2018; TST - AIRR: 121564220155010551, Relator: Emmanoel
MARANHÃO
Pereira, Data de Julgamento: 12/12/2018, 5ª Turma, Data de

Publicação: DEJT 14/12/2018. Portanto, inviável o conhecimento do Advogado(a)(s): OZIEL PINTO DA SILVA (AM -
recurso de revista porque a parte recorrente não atendeu o inciso I
5455)
do § 1º-A do artigo 896 da Consolidação das Leis do Trabalho.

CONCLUSÃO PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão

Publique-se e intime-se. publicada em 29/09/2020 - id. 9b3f6d2; recurso apresentado em

jbas 09/10/2020 - id. e757e36).

Assinatura Regular a representação processual (id. d9e7bd9).

MANAUS, 5 de Novembro de 2020. Satisfeito o preparo (ids. fb087d5, 336a2eb, 8825eca, f18a21a,

77754fa e e2ebf59).

LAIRTO JOSE VELOSO PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS

Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano


Decisão Moral/Doença Ocupacional.
Processo Nº ROT-0000546-88.2018.5.11.0003
Relator DAVID ALVES DE MELLO JUNIOR Alegação(ões):
RECORRENTE GK&B INDUSTRIA DE - violação do(s) inciso III do artigo 1º;inciso XXII do artigo
COMPONENTES DA AMAZONIA
LTDA 7º;inciso XXVIII do artigo 7º;inciso XXVII do artigo 7º;artigo
ADVOGADO MAURICIO DOS SANTOS PEREIRA
JUNIOR(OAB: 7768/AM) 200;incisos V e X do artigo 5º da Constituição Federal.
RECORRIDO FABIANA DE OLIVEIRA MARANHAO - violação da (o) artigos 371 e 479 do Código de Processo Civil
ADVOGADO OZIEL PINTO DA SILVA(OAB:
5455/AM) de 2015;inciso II do artigo 20 da Lei nº 8213/1991;inciso I do

artigo 21 da Lei nº 8213/1991;artigo 186 do Código Civil;artigo


Intimado(s)/Citado(s):
187 do Código Civil;artigo 189 do Código Civil;artigo 927 do
- GK&B INDUSTRIA DE COMPONENTES DA AMAZONIA LTDA
Código Civil; parágrafo único do artigo 944 do Código

Civil;incisos I e II do artigo 157 da Consolidação das Leis do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 86
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Trabalho;artigo 402 do Código Civil;artigo 403 do Código joelho direito. Esteve afastada pelo INSS em três

Civil;artigo 944 do Código Civil;artigo 949 do Código oportunidades, todas de caráter não acidentário. Em razão do

Civil;artigo 950 do Código Civil. labor, foi acometida de tendinopatia do supraespinhal, do cabo

- divergência jurisprudencial. longo do bíceps e bursite bilateral em ombros, tenossinovite de

A recorrente se insurge contra o acórdão que, mantendo o Quervain e outras doenças em punhos, osteófitos dorsais na

entendimento do juízo de primeiro grau,firmou convencimento coluna e tendinopatia da pata de ganso em joelho direito.

no sentido reconhecer a responsabilidade Civil da Reclamada O laudo pericial baseou-se em exame físico realizado na

na ocorrênciada suposta doença. empregada, nos documentos trazidos pela reclamada e na

Alega que o presente caso deve ser analisado sob a ótica da interpretação dos Exames juntados, com esta conclusão (Id

Responsabilidade Subjetiva, tendo o recorrido, portanto, que 02896f6 - Pág. 23):

comprovar o fato constitutivo de seu direito, isto é, deve Diante do exposto acima, posto a posto, restou claro que no

demonstrar oevento danoso, o nexo causal entre o dano e ação primeiro posto onde trabalhou por 6 meses entre junho/11 a

e omissão da reclamadae que esta ação ou omissão seja dezembro/11 e novamente no último posto da crimpagem onde

realizada com culpa ou dolo, o que não ocorreu no caso em trabalhou entre fevereiro/13 até a demissão em setembro/17

tela. houve exposição a fator de risco ergonômico para os punhos e

Em relação às indenizaçoes por dano moral e material, mãos. Em nenhum dos postos ocupados pela Autora houve

sustenta que não possui qualquer culpa quanto a ocorrência exposição a fator de risco para os ombros, coluna vertebral ou

do acidente de trabalho; que o acórdão guerreado não membros inferiores. É necessário ponderar ainda que mesmo

demonstrou a comprovação da incapacidade laboral da após a demissão a Autora continua apresentando agravamento

reclamante ou qualquer lucro cessante; não se atentou para o independentemente do ambiente laboral, o que lhe

fato da Reclamante encontrar-se apta para realizar suas proporcionou o recebimento de benefício pelo INSS em 2018,

atividades laborais, sendo exclusivamente limitado a conclusão que o exame de radiografia da coluna dorsal mostra alterações

do laudo pericial; o acórdão formou convencimento pela de cunho degenerativo, que os exames dos punhos realizados

aplicação da inteligência do art. 949, do Código Civil, contido, após a demissão em abril/18 mostram agravamento em

não fora apresentado qualquer gasto com tratamento comparação ao exame realizado no período de vínculo ativo e

médico,pelo que se requer a retirada desta parcela. que após o desligamento outras patologias surgiram atingindo

Reitera o cunprimento das normas de segurança do trabalho e outras articulações como é o caso do quadril esquerdo. Dessa

a ausência de responsabilidade civil. forma também fica clara a relevante participação de fatores

Asssevera que o 'quantum' indenizatório deve ser proporcional extralaborais associados.

o dano sofrido, buscando a sua redução. O exame físico constatou que ainda há queixas de dor nos

Consta no v. acórdão (id. 77754fa): ombros, punhos e joelho direito aos esforços. Nunca houve

'(...) incapacidade laboral ou afastamento pelo INSS durante o

É O RELATÓRIO vínculo com a Reclamada em decorrência das patologias

VOTO reclamadas, o que ocorreu apenas após a demissão. Segundo

Conheço dos Recursos, pois preenchidos os pressupostos de as alterações descritas nos exames acostados nos autos a

admissibilidade. patologia degenerativa da coluna dorsal representa uma leve

Doença ocupacional perda parcial e permanente da capacidade laboral para

Este é ponto comum entre os Recursos, pretendendo a atividades consideradas de risco ou sobrecarga para esse

reclamada eliminar ou reduzir a condenação sofrida e a segmento sob pena de dor e agravamento, mas não há cura

reclamante a majorá-la. Os Apelos serão analisados em integral para doença degenerativa. Já as patologias

conjunto, fazendo-se as ressalvas necessárias. inflamatórias dos ombros, punhos, quadril esquerdo e joelho

A reclamante trabalhou para a reclamada de 01/06/2011 a direito são passíveis de reversão com tratamento adequado

04/09/2017 (6 anos e 3 meses de vínculo) nas funções de representando uma perda parcial e temporária da capacidade

montadora e operadora de máquina. As queixas de dor laboral para atividades igualmente de risco ou sobrecarga para

surgiram no final de 2013, com diagnósticos, em outubro/2016, essas articulações. Não há limitações para atividades da vida

para ombros e punhos e, em agosto/2017, para coluna dorsal e cotidiana ou para sua vida social habitual.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 87
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

CONCLUSÃO suas potencialidades, produzindo o desenvolvimento. Assim,

Com base nos documentos acostados nos autos e na perícia obtém o lucro, que é sua remuneração. Em contrapartida há de

realizada, o trabalho técnico pericial conclui pela existência de suportar os riscos da atividade econômica. Dentro deste risco

nexo concausal entre as patologias dos punhos da Autora com está a própria natureza de seu empreendimento, ou os efeitos

o trabalho executado na Reclamada. Não há relação entre a que dele decorrem.

patologia da coluna dorsal, ombros ou membros inferiores com Pede a empregada a majoração dos danos morais e materiais;

a mesma atividade laboral... o empregador pede a exclusão da indenização, ou,

Decidir com apoio na perícia é a regra, determinada por Lei. A alternativamente, a redução das quantias deferidas, além da

exceção é a rejeição da perícia, que deve ser motivada, com exclusão da indenização estabilitária.

base em outros elementos probatórios mais convincentes em A condenação por danos morais e congêneres deve ser

sentido contrário. suficiente para reparar o dano sofrido, sem levar ao

O laudo pericial concluiu pela inexistência de nexo com relação enriquecimento sem causa do empregado, nem causar a

às enfermidades na coluna dorsal, ombro e joelho, inviabilização do negócio do empregador. Na hipótese

diagnosticando nexo concausal entre as patologias dos presente, o valor posto na Instância Primeira é adequado, pelo

punhos com a atividade desenvolvida na reclamada e o fez de que deve ser mantido.

forma descritiva, minuciosa e detalhada. As doenças não foram originadas no trabalho, mas este

O expert afirmou a concorrência entre fatores laborais e contribuiu para o seu agravamento. Houve afastamento

extralaborais, pois a enfermidade no punho se agrava mesmo previdenciário posterior ao contrato de trabalho, e há redução

após o afastamento do trabalho. Porém, a análise dos postos de capacidade funcional para os punhos, evidenciada no

de trabalho identificou atividades repetitivas, em ciclos curtos, momento do exame pericial. Não se pode levar em conta

com risco ergonômico para punhos e mãos, durante todo o apenas o porte econômico da reclamada. A indenização deve

vínculo contratual. evitar também o enriquecimento ilícito da reclamante.

Concausalidade, na conceituação de Sebastião Geraldo de Os danos materiais classificam-se em danos emergentes

Oliveira (in, Indenizações por Acidente do Trabalho ou Doença (prejuízo efetivamente suportado) e lucros cessantes (prejuízo

Ocupacional, fl.5ª. Ed. SP, LTr, 2009) é: estimado que a vítima razoavelmente venha a sofrer).

Os acidentes ou as doenças ocupacionais podem decorrer de Havendo nexo de concausalidade entre a enfermidade e o

mais de uma causa (concausa), ligadas ou não ao trabalho labor, não há que se falar em exclusão da indenização. Deve o

desenvolvido pela vítima. Estaremos diante do nexo concausal valor ser fixado conforme critérios de razoabilidade e

quando, apesar da presença de fatores causais extralaborais, proporcionalidade, para evitar a reincidência da reclamada e o

haja pelo menos uma causa relacionada à execução do enriquecimento ilícito da reclamante.

contrato de trabalho que tenha contribuído diretamente para o In casu, a enfermidade causou perda parcial da capacidade

acidente ou adoecimento. para atividades de risco ergonômico para os punhos, sendo

Assevera Cavalieri Filho que 'a concausa é outra causa que, reversível com o tratamento adequado de baixo custo. O

juntando-se à principal, concorre para o resultado. Ela não trabalho em mesma função em outras empresas se torna

inicia, nem interrompe o processo causal, apenas o reforça, tal inviável diante do risco de agravamento das enfermidades. A

como um rio menor que deságua em outro maior, aumentando- atividade laboral trouxe, pois, prejuízo material ao demandante,

lhe o caudal.' especialmente pela inércia da demandada e pela exposição

A concausalidade está prevista no art.21, I, da Lei 8.213/91. prolongada da reclamante ao risco ergonômico. O Juízo a quo

Decorre de fatos preexistentes, supervenientes ou considerou os valores de sessões de fisioterapia para deferir

concomitantes àqueles que desencadearam a identificada esta indenização, valores devidamente demonstrados no

moléstia laboral. processo. Tais razões autorizam, ainda aqui a manutenção dos

A responsabilidade do empregador não se limita às hipóteses valores impostos na Intância inicial.

de acidente do trabalho ou doença ocupacional, mas alcança (...)'

as lesões que o trabalho em condições adversas acentue.

O empresário, como gerador de riquezas, recebe da sociedade No presente caso, observa-se que o entendimento manifestado

as condições de desenvolver seu trabalho e assim desenvolver pela Turma, sobre o nexo de causlidade e a culpa da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 88
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

RECORRENTE SALCOMP INDUSTRIAL


recorrente,está assentado no substrato fático-probatório ELETRONICA DA AMAZONIA LTDA
ADVOGADO RAFAEL PANTOJA DE
existente nosautos, inclusive ao arbitrar a indenização por OLIVEIRA(OAB: 10063/AM)
dano material, levando em consideração que a doença causou ADVOGADO SILVYANE PARENTE DE ARAUJO
CASTRO(OAB: 7237/AM)
perda parcial da capacidade para atividades de risco ADVOGADO LAIS MENEZES GARCIA(OAB:
12938/AM)
ergonômico para os punhos, sendo reversível com o
ADVOGADO DANIELE SILVA MOURA(OAB:
tratamento adequado de baixo custo; a inércia da demandada e 5899/AM)
RECORRIDO TANIA MARIA DE ALBUQUERQUE
pela exposição prolongada da reclamante ao risco ergonômico DE SOUZA
e os valores de sessões de fisioterapia para deferir esta ADVOGADO JOCILIA TEMIS DA SILVA
MORAES(OAB: 10644/AM)
indenização, valores devidamente demonstrados no processo, ADVOGADO JOCIL DA SILVA MORAES(OAB:
1298/AM)
o que levou à manutenção dos valores impostos na Intância
PERITO FATIMA SILVA BARBOSA
inicial.

Para se concluir de forma diversa seria necessário revolver Intimado(s)/Citado(s):

fatos e provas, propósito insuscetível de ser alcançado nesta - SALCOMP INDUSTRIAL ELETRONICA DA AMAZONIA LTDA

fase processual,à luz da Súmula 126 do Tribunal Superior do

Trabalho. As assertivas recursais, portanto, não encontram

respaldo na moldura fática retratada na decisão recorrida, o PODER JUDICIÁRIO


que afasta a tese de violação aos preceitos da legislação JUSTIÇA DO TRABALHO
federal e de divergência jurisprudencial.
Fundamentação
No tocante ao quantum indenizatório, cumpre registrar que o

arbitramento do montante se encontra dentro do poder


RECURSO DE REVISTA
discricionário do magistrado, em observância a critérios de
Tramitação Preferencial
razoabilidade e de proporcionalidade, extraídos da análise do
Lei 13.015/2014
conjunto fático e probatório de cada demanda, como se verifica
Lei 13.467/2017
nos fundamentos exarados no acórdão, pelo que não há se

falar em violação aos dispositivos mencionados, uma vez que

seus preceitos não definem uma tarifação para a

proporcionalidade da indenização pelo dano sofrido, o que é

reservado ao prudente arbítrio do julgador.

No presente caso,os valores arbitrados não se revelam

excessivos ou irrisórios, razão pela qual não vislumbra-se

violação aos princípios da razoabilidade e da


Recorrente(s): 1.TÂNIA MARIA DE
proporcionalidade naindenização fixada.
ALBUQUERQUE DE SOUZA
Consequentemente,não há falar em violaçãoaos dispositivos

legais apontados. Advogado(a)(s): 1.JOCIL DA SILVA MORAES


CONCLUSÃO
(AM - 1298)
DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

Publique-se e intime-se. Recorrido(a)(s): 1.SALCOMP INDUSTRIAL


cdss ELETRÔNICA DA AMAZÔNIA
Assinatura

MANAUS, 5 de Novembro de 2020. Advogado(a)(s): 1.DANIELE SILVA MOURA

(AM - 5899)
LAIRTO JOSE VELOSO

Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11


Decisão PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Processo Nº ROT-0001079-83.2019.5.11.0012 Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA
SILVA publicada em 01/10/2020 - id. 04525cf; recurso apresentado em

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 89
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

14/10/2020 - id. bcbfc94). do trabalho, é equiparada ao acidente do trabalho.

Regular a representação processual (id. 409f047). A responsabilização por acidente de trabalho tem assento

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência Constitucional, como se verifica a seguir:

judiciária gratuita, conforme sentença (id. a795cf8), nos termos da Art. 7º. (...)

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do

empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado,

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS quando incorrer em dolo ou culpa.

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano Em matéria de acidente de trabalho, a doutrina e a jurisprudência

Moral/Valor Arbitrado. dominantes preconizam que a responsabilidade é subjetiva, em

Rescisão do Contrato de Trabalho/Reintegração / Readmissão ou regra, exigindo-se a concorrência dos três elementos autorizadores

Indenização/Estabilidade Acidentária. da indenização, quais sejam o dano, a culpa e o nexo causal,

Alegação(ões): exceto nos casos especificados em lei, quando se dispensa a

- contrariedade à(ao) : Súmula nº 378 do Tribunal Superior do comprovação da culpa (responsabilidade objetiva), ou quando a

Trabalho. atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar,

- violação do(s) parágrafos caput e 2º do artigo 5º;incisos V e X do por sua natureza, risco para direitos de outrem, conforme

artigo 5º da Constituição Federal. inteligência do art. 927, parágrafo único, do Código Civil.

- violação da (o) artigos 186, 927 e 944 do Código Civil;artigo 118 Dito isto, entendo que, no caso sub judice, restou verificada a

da Lei nº 8213/1991. presença dos três elementos autorizadores da responsabilidade civil

- divergência jurisprudencial. por dano.

Arecorrente sustenta que o valor arbitrado a título de indenização O dano moral propriamente dito consiste nos abalos à integridade

por danos morais é insuficiente para reparar o dano sofrido, razão física e à dignidade do obreiro decorrentes das presumíveis agruras

por que persegue a sua majoração, em atenção aos princípios sofridas em razão da disfunção causada pelo trabalho; a existência

darazoabilidade e proporcionalidade. da doença, por si só, agride o patrimônio moral e emocional da

Aduz, ainda, que não há falar em quitação da estabilidade pessoa trabalhadora, verificando-se o dano in re ipsa, cuja prova se

acidentária, pelo que pugna pelo seu deferimento. dispensa dada a impossibilidade de sua concreção, bastando, para

Consta no v. acórdão (id. 9f3a961): tanto, a comprovação do ato ilícito (art. 186 c/c art. 189, ambos do

'(...) CC/02).

1.Elementos autorizadores da reparação civil por danos morais O nexo causal está estabelecido em razão da relação de causa e

decorrentes da doença ocupacional. efeito entre as atividades funcionais da obreira e as patologias

A reclamada, por meio de recurso ordinário pugna pela reforma do sofridas, conforme assentado pelo expert no laudo pericial (Id.

decisum que a condenou ao pagamento de indenização por danos f48a19c):

morais. Para tanto alegou que a autora não é portadora de doença Ficou comprovado que as atividades laborais exercidas pela

ocupacional. Reclamante proporcionaram eclosão de patologias em membros

Sem razão. superiores, envolvendo principalmente os punhos, inclusive com

Passando à análise das questões suscitadas, mas antes de necessidade de afastamento laboral de forma total e temporária.

adentrar propriamente no mérito da demanda, deve-se ter em conta Fica, portanto, estabelecido o nexo de causalidade entre as

o conceito de acidente de trabalho, o que nos é dado pelas antigas atividades exercidas pela Reclamante na Reclamada,

lições de Humberto Piragibe Magalhães e Christovão Piragibe principalmente envolvendo punhos.

Tostes Malta, in verbis: Em que pese o Juízo não estar adstrito às conclusões do laudo

ACIDENTE DE TRABALHO. Todo acidente que ocorre pelo pericial a reclamada foi incapaz de articular argumentos suficientes

exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão para afastá-las.

corporal ou perturbação funcional, resultando a morte, a perda ou a A culpa está também configurada na modalidade in vigilando,

redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. decorrente adoção insuficiente de medidas protetivas à saúde do

Por extensão a lei prevê outras hipóteses, tais como a do acidente trabalhador pela reclamada, pois é dever do empregador cumprir e

que atinge o empregado em seu caminho de casa para o trabalho fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho, bem

ou vice-versa (acidente do trabalho in itinere), etc. Quanto à doença como instruir e garantir a integridade física dos empregados.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 90
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Não fosse o bastante, ainda que não houvesse elementos nos autos disposto na Súmula 126/TST. Acresça-se que a concausa laborativa

suficientes para caracterizar a culpa da empresa, seria o caso de é suficiente para fazer incidir o efeito legal indenizatório, embora,

presumi-la ante a presença inequívoca do nexo de causalidade - ou evidentemente, possa atenuar o montante estimado para a

concausalidade. Tal entendimento está em perfeita sintonia com a indenização. Sendo assim, não há como assegurar o

atual jurisprudência do TST, conforme os recentíssimos arestos que processamento do recurso de revista quando o agravo de

seguem transcritos: instrumento interposto não desconstitui os termos da decisão

AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. DOENÇA denegatória, que ora subsiste por seus próprios fundamentos.

OCUPACIONAL. DANO MORAL E/OU PATRIMONIAL. Agravo de instrumento desprovido. (AIRR - 156-22.2012.5.11.0006 ,

CONCAUSA. INDENIZAÇÃO. DECISÃO DENEGATÓRIA. Relator Ministro: Mauricio Godinho Delgado, Data de Julgamento:

MANUTENÇÃO. Desde a edição do Decreto 7.036/44, o 23/05/2012, 3ª Turma, Data de Publicação: 25/05/2012) Grifos não

ordenamento jurídico pátrio admite a teoria da concausa prevista, constantes no original

expressamente, na atual legislação, art. 21, I, da Lei 8.213/91. (...) INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL E MORAL. DOENÇA

Assim, se as condições de trabalho a que se submetia o OCUPACIONAL. LER/DORT. ÔNUS DA PROVA.

trabalhador, embora não tenham sido a causa única, contribuíram RESPONSABILIDADE DA EMPREGADORA. CULPA PRESUMIDA.

diretamente para a redução ou perda da sua capacidade laborativa, Restou incontroversa a culpa da reclamada, pois, ao colocar em

deve-lhe ser assegurada a indenização pelos danos sofridos. Tanto funcionamento uma atividade, tem a obrigação de responder pelos

a higidez física como a mental, inclusive emocional, do ser humano danos que essa atividade é capaz de gerar aos seus empregados,

são bens fundamentais de sua vida, privada e pública, de sua sendo corolário da diminuição da capacidade do empregado, a dor

intimidade, de sua autoestima e afirmação social e, nesta medida, moral, consequência da saúde abalada do empregado. Ocorrendo a

também de sua honra. São bens, portanto, inquestionavelmente doença ocupacional, incumbe o dever de indenizar, em face da

tutelados, regra geral, pela Constituição (art. 5º, V e X). Agredidos responsabilidade presumida pelos eventos danosos que, no caso

em face de circunstâncias laborativas, passam a merecer tutela dos autos, decorre da atividade da empregadora, que colocou em

ainda mais forte e específica da Constituição Federal, que se risco a saúde da empregada, ocasionando-lhe inaptidão para o

agrega à genérica anterior (art. 7º, XXVIII, CF/88). O pleito de desempenho das suas funções habituais. Recurso de revista não

indenização por dano moral resultante de acidente do trabalho e/ou conhecido.(...) (RR - 53900-56.2002.5.01.0071 , Relator Ministro:

doença profissional ou ocupacional supõe a presença de três Aloysio Corrêa da Veiga, Data de Julgamento: 23/05/2012, 6ª

requisitos: a) ocorrência do dano, que se constata pelo fato da Turma, Data de Publicação: 01/06/2012)

doença ou do acidente, os quais, por si só, agridem o patrimônio Dessa forma, estão presentes o três elementos autorizadores da

moral e emocional da pessoa trabalhadora (nesse sentido, o dano indenização, quais sejam o dano, a culpa e o nexo causal, razão

moral, em tais casos, verifica-se in re ipsa); b) nexo causal, que se pela qual se rejeitam as pretensões recursais da reclamada neste

evidencia pela circunstância de o malefício ter ocorrido em face das particular.

circunstâncias laborativas; c) culpa empresarial, a qual se presume Ante o exposto, mantenho a decisão a quo que deferiu a

em face das circunstâncias ambientais adversas que deram origem indenização por danos morais.

ao malefício. Embora não se possa presumir a culpa em diversos Nada a reformar.

casos de dano moral - em que a culpa tem de ser provada pelo 2. Danos morais e materiais - quantum indenizatório.

autor da ação -, tratando-se de doença ocupacional, profissional ou A reclamada pugna pela redução do valor da indenização por danos

de acidente do trabalho, essa culpa é presumida em virtude de o morais.

empregador ter o controle e a direção sobre a estrutura, a dinâmica, Sobre o quantum indenizatório, impõe-se esclarecer que, quando a

a gestão e a operação do estabelecimento em que ocorreu o indenização visa à reparação de danos de ordem extrapatrimonial,

malefício. Na presente hipótese, tendo o TRT consignado que - diferentemente daqueles de ordem patrimonial, sua fixação não

comprovado o nexo concausal da doença com o trabalho, o dano à possui parâmetros objetivos a dar suporte ao julgador na

saúde de que foi vítima o reclamante e a responsabilidade objetiva mensuração respectiva, porquanto o prejuízo se situa na esfera da

do empregador, não resta dúvida a pertinência da indenização honra, da imagem, da intimidade e da dignidade da pessoa

reivindicada-, não há como assegurar o processamento do recurso humana.

de revista, ante a necessidade de se revolver fatos e provas para se Diante desse panorama, para o dano de ordem meramente moral, a

acolher as alegações recursais. Incide, na espécie, o entendimento doutrina e a jurisprudência têm adotado diferentes critérios ao

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 91
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

mensurar os valores, consoante apreciação equitativa do caso Em que pese os argumentos do Juízo primário, divirjo de seu

concreto e as regras de experiência comum. entendimento.

Assim, o julgador, fazendo uso da experiência comum e sopesando Verificamos que foi juntado aos autos TRCT (Id. 519ba1e e

as circunstâncias do caso concreto, deve, com razoabilidade e 102adb8) devidamente assinado pelas partes, onde consta o

proporcionalidade, avaliar os seguintes parâmetros: a extensão do pagamento de R$ 14.628,00, referente à indenização de

dano, a condição socioeconômica do causador do dano e da vítima; estabilidade.

a intensidade real e concreta do dano; a repercussão da ofensa no A reclamante não pleiteou judicialmente as demais verbas

meio social onde vive o ofendido; a existência de má-fé por parte do trabalhistas descritas no TRCT (saldo de salários, 13º salário, férias,

ofensor; a possibilidade concreta de o ofensor voltar a praticar o ato aviso prévio, salário família) o que indica que recebeu os valores do

danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo ofensor visando TRCT.

minimizar a dor do ofendido; o tempo transcorrido entre o evento A reclamada, em sua contestação e em seu recurso ordinário,

danoso e a data do ajuizamento da ação. alegou que o referido valor foi pago para a reclamante e que tal

No caso em apreço, o arbitramento de montante indenizatório no valor (R$ 14.628,00) é referente ao pagamento de indenização

valor de R$ 20.000,00 mostra-se irrazoável e desproporcional, estabilitária.

razão pelo qual merece ser reduzido para R$ 15.000,00. A reclamante em duas oportunidades de defesa (contestação à

Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada, dentro reconvenção e contrarrazões ao recurso ordinário) não contestou a

da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das partes e do alegação da reclamada de que o valor foi pago. Limitou-se a alegar

caso concreto, visto ser esse montante apto a oferecer o necessário que tem direito a indenização estabilitária e que a multa do art. 940

conforto moral ao obreiro. do CC não se alinha com os preceitos protetivos do direito do

3. Indenização substitutiva decorrente de estabilidade trabalho e por isso é inaplicável.

acidentária. Ante o exposto, dou provimento ao recurso da reclamada para

A recorrente requer a reforma da decisão para julgar improcedente julgar improcedente o pleito de pagamento de indenização

o pleito de pagamento de indenização estabilitária, haja vista que a estabilitária, haja vista que a referida indenização já foi paga por

referida indenização já foi paga por ocasião da rescisão do contrato ocasião da rescisão do contrato de trabalho da autora, conforme

de trabalho da autora. TRCT devidamente assinado.

Também requer a reformar a decisão para reconhecer o direito da Quanto à multa do art. 940 do CC, coaduno com o entendimento do

recorrente de receber em dobro o que já foi pago (art. 940 do CC). Juízo de primeiro grau, de que não se aplica ao processo do

Por fim, requer a condenação da reclamante ao pagamento de trabalho, porquanto somente é possível a utilização do direito

multa por litigância de má-fé. comum como fonte subsidiária do Direito do Trabalho quando não

Analiso. se revele incompatível com os princípios fundamentais deste (CLT,

O Juízo de primeiro grau entendeu que o TRCT, por si só, não art. 8º). Nego provimento nesse tema.

serve para a comprovação do pagamento das verbas discriminadas: De igual modo julgo improcedente o pedido de pagamento de multa

No mérito, a reconvenção não merece acatamento. É que a norma por litigância de má-fé por não se enquadrar nas hipóteses do art. O

suscitada pela reconvinte como causa de pedir imediata não tem artigo 793-B da CLT:

aplicação no processo do trabalho, conforme entendimento Art. 793-B. Considera-se litigante de má-fé aquele que:

jurisprudencial predominante no C. TST, em decorrência de ser I - deduzir pretensão ou defesa contra texto expresso de lei ou fato

incompatível com a natureza protetiva do Direito do Trabalho. incontroverso; II - alterar a verdade dos fatos; III - usar do processo

Suficiente não fosse, ainda há de se registrar que houve a para conseguir objetivo ilegal;

condenação da Reclamada ao pagamento de indenização Nada a reformar nesse tema.

substitutiva da estabilidade provisória no emprego levando-se em (...)'

consideração também a circunstância de o TRCT colacionado aos

autos, embora assinalado pela Autora, não se prestar, por si só, à No tocante ao quantum indenizatório, cumpre registrar que o

comprovação do pagamento das verbas discriminadas, visto que arbitramento do montante se encontra dentro do poder discricionário

registrado e homologado com ressalvas e que não acompanhado do magistrado, em observância a critérios de razoabilidade e de

de comprovante de pagamento hábil, tal como recibo ou proporcionalidade, extraídos da análise do conjunto fático e

comprovante de depósito bancário. probatório de cada demanda, como se verifica nos fundamentos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 92
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

exarados no acórdão, pelo que não há se falar em violação aos Intimado(s)/Citado(s):


dispositivos mencionados, uma vez que seus preceitos não definem - ALBERTO SIMONETTI DE MELO
uma tarifação para a proporcionalidade da indenização pelo dano - MELO DISTRIBUIDORA DE PECAS LTDA
- SERGIO DA SILVA SANTOS
sofrido, o que é reservado ao prudente arbítrio do julgador.

No presente caso,os valores arbitrados não se revelam excessivos

ou irrisórios, razão pela qual não vislumbra-se violação aos

princípios da razoabilidade e da proporcionalidade naindenização PODER JUDICIÁRIO

fixada. Consequentemente,não há falar em violaçãoaos arts. 5º da JUSTIÇA DO TRABALHO

Constituição Federal e artigos944 , 927 e 186 do CC e 223-G da


Fundamentação
CLT.

No tocante à divergência jurisprudencial, destaco que a SBDI-1 do


RECURSO DE REVISTA
TST tem firme jurisprudência no sentido de ser inviável concluir pela
Tramitação Preferencial
especificidade de aresto quando se busca demonstrar o dissenso
Lei 13.015/2014
pretoriano quanto ao valor arbitrado a título de danos morais e sua

revisão, dadas as peculiaridades de cada caso, as circunstâncias e

fatos de cada evento danoso, com seus reflexos singulares na

ordem do bem atingido e do ofensor, o que impossibilita o

processamento da revista (Súmula nº 296, I, do TST).

Relativamente a estabilidade acidentária, observa-se que o

entendimento manifestado pela Turma está assentado no substrato

fático-probatório existente nos autos. Para se concluir de forma Recorrente(s): 1.MELO DISTRIBUIDORA DE
diversa seria necessário revolver fatos e provas, propósito PEÇAS LTDA
insuscetível de ser alcançado nesta fase processual,à luz da

Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho. A assertiva recursal Advogado(a)(s): 1.LUCIANO DE ALMEIDA
de que não houve quitação da estabilidade acidentária não encontra SOUZA COELHO
respaldo na moldura fática retratada na decisão recorrida, o que

afasta a tese de violação aos preceitos da legislação federal e de Recorrido(a)(s): 1.SERGIO DA SILVA

divergência jurisprudencial. SANTOS

CONCLUSÃO
Advogado(a)(s): 1.RICARDO DE JESUS
DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

Publique-se e intime-se. COLARES DE OLIVEIRA (AM -

dcm

Assinatura
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
MANAUS, 5 de Novembro de 2020.
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão

publicada em 15/09/2020 - id. f90d826; recurso apresentado em


LAIRTO JOSE VELOSO
25/09/2020 - id. bbc2428).
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11
Regular a representação processual (id. f85f269 e c10e0a3).
Decisão
Processo Nº ROT-0001086-89.2016.5.11.0009 Satisfeito o preparo (ids. f9275fa, 7614d72, 2570359 e 86e7399,
Relator FRANCISCA RITA ALENCAR
ALBUQUERQUE 76fd55d e 7614d72).
RECORRENTE MELO DISTRIBUIDORA DE PECAS
LTDA
ADVOGADO LUCIANO DE ALMEIDA SOUZA PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS
COELHO(OAB: 9919/AM)
Rescisão do Contrato de Trabalho/Quitação/Acordo - Comissão de
RECORRIDO SERGIO DA SILVA SANTOS
ADVOGADO RICARDO DE JESUS COLARES DE Conciliação Prévia.
OLIVEIRA(OAB: 10985/AM)
Alegação(ões):
RECORRIDO ALBERTO SIMONETTI DE MELO
ADVOGADO ANDRE RODRIGUES DE - violação da (o) artigo 625-E da Consolidação das Leis do
ALMEIDA(OAB: 5016/AM)
Trabalho.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 93
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

- divergência jurisprudencial. TURMA, do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, por

Alega a recorrente que 'em 10.12.2015, foi formalizado um acordo unanimidade de votos, conhecer do recurso; rejeitar a preliminar de

entre o Recorrido e a MELO, na presença do conciliador laboral, inépcia da inicial e nulidade da sentença; no mérito, dar-lhe

não se verificando nos autos a mínima prova de que o acordo provimento em parte para limitar a diferença da comissão para 'por

celebrado junto à Comissão de Conciliação Prévia foi obtido fora' nos depósitos do FGTS ao período de 1.6.2009 a 31.3.2013 e

mediante vício de consentimento, tanto que não foi formulado excluir a multa diária pelo descumprimento do registro do valor do

pedido de anulação do mesmo, conforme reconhecido por essa C. salário na CTPS, conforme fundamentação, mantendo a sentença

Turma '. nos demais termos. Custas de atualização pela reclamada, sobre o

Deste modo, 'deve o termo de conciliação firmado entre as Partes valor arbitrado de R$25.000,00, na quantia de R$500,00, já

gerar plenamente os seus efeitos legais, especificamente quanto à recolhida'.

eficácia liberatória geral (art. 625-E, da CLT), considerando que não Consta ainda no v. acórdão de embargos de declaração (id.

foi feita qualquer ressalva pelo Embargado na oportunidade do d6a46f9):

acordo'. '(...) MÉRITO

Pretende, destarte, que se dê provimento ao presente recurso de Os embargos de declaração são oponíveis sempre que houver na

revista para determinar a extinção do processo, com resolução do sentença ou no acórdão omissão, obscuridade, contradição,

mérito, nos termos do art. 487, III, 'b', do NCPC, aplicado manifesto equívoco no exame dos pressupostos extrínsecos do

subsidiariamente nesta Especializada. recurso ou para corrigir erro material (arts. 897-A da CLT e 1.022 do

Consta no v. acórdão (id. 76fd55d): CPC).

'(...) MÉRITO In casu, nenhum deles ocorreu.

Alega a recorrente que o autor só passou a receber comissão O acórdão de maneira clara destacou que a Lei nº 9.958/2000

quando no exercício da função de vendedor (2009 a 2013), devendo conferiu ao termo de conciliação firmado perante as comissões de

as diferenças do valor pago 'por fora' a este título no FGTS limitar- conciliação prévia o caráter de título executivo extrajudicial com

se ao referido período. E quanto às demais parcelas, requer a eficácia liberatória geral, exceto quanto às parcelas expressamente

improcedência com base no efeito liberatório do acordo celebrado ressalvadas. No caso em tela, as partes celebraram acordo perante

na CCP. a Comissão de Conciliação Prévia de Asseio e Conservação -

No que pertine ao FGTS, tendo em vista que o próprio reclamante C.C.P.A.C (ID 9ae62e4) sem qualquer ressalva. Porém, foi

reconheceu que só ganhou comissões enquanto trabalhou com constatado que entre as parcelas abrangidas pelo ajuste não havia

vendas, tem-se que os recolhimentos fundiários ficarão restritos ao as decorrentes da integração das comissões pagas 'por fora', férias

período de 1.6.2009, conforme ficha de registro de empregado, a de todo o período trabalhado e multas dos arts. 467 e 477 da CLT,

31.3.2013, totalizando 46 meses, permanecendo a condenação requeridas nestes autos. Logo, não há que se falar em efeito

sobre os demais meses em que não houve depósito. Assim, liberatório relativamente a direitos que não compuseram a

reforma-se a sentença nesta parte. conciliação extrajudicial, sendo aplicáveis por analogia a Súmula nº

Relativamente à conciliação na CCP e o efeito liberatório que não 330, parte I, do TST e OJ nº 270 da SDI-1/TST.

alcança o objeto destes autos, já foi analisado e concluído em Registre-se que a embargante é muito diligente quanto a fazer

desfavor da tese da empresa. Portanto, mantém-se o decisum prevalecer o efeito liberatório, mas sequer quitou integralmente o

quanto aos pleitos de diferença salarial da comissão, aviso prévio acordo que firmara. Logo, inexistiu afronta ao art. 625-E da CLT,

indenizado, férias 2014/2015 + 1/3, projeção das comissões pagas mas interpretação consentânea com a situação discutida de

'por fora' em 13º salário de 2011 a 2015, com a compensação do resguardo ao direito do empregado quando infringido.

valor pago no acordo junto à CCP (R$12.162,50). Como visto, o acórdão analisou a questão posta de forma clara e

Impõe-se por fim excluir a multa diária pelo descumprimento da objetiva sem qualquer obscuridade. Em verdade, o propósito da

retificação do salário na CTPS, uma vez que tal providência pode embargante é rediscutir as razões do julgado por via processual que

ser efetivada pela secretaria da vara, na forma do art. 39, § 2º, da não se presta a tal finalidade.

CLT. Ademais, não cabe ao juiz decidir de forma a atender ao

(...) prequestionamento no interesse da embargante, pois sua função

ISTO POSTO está na efetiva prestação jurisdicional, devendo fazê-la de acordo

ACORDAM os Excelentíssimos Desembargadores da PRIMEIRA com a lei e não com a vontade da parte.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 94
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

RECORRENTE DIEGO FRANCISCO MARQUES


A Súmula nº 297 do TST dispõe que se tem por prequestionada a SAUNIER
ADVOGADO REGINA CELIA SANTOS TERRA
matéria ou questão quando na decisão impugnada haja sido CRUZ(OAB: 1100/RO)
adotada, explicitamente, tese a respeito, como ocorre neste caso. ADVOGADO TULIO CIRIOLI ALENCAR(OAB:
4050/RO)
(...)'. RECORRENTE HERMASA NAVEGACAO DA
AMAZONIA LTDA
A parte recorrente demonstrou aparente divergência jurisprudencial
ADVOGADO FERNANDA FAVETTI(OAB:
apta a ensejar o conhecimento do recurso de revista, por meio da 13331/MT)
ADVOGADO LUCIANO PORTEL MARTINS(OAB:
ementa proveniente do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, 7497/MT)
de seguinte teor: ADVOGADO GISELLE PRIMA GALVAO(OAB:
21478/MT)
PROCESSO: RO 0010362-64.2016.5.03.0043 ADVOGADO CASSIA CAROLINA VOLLET
CUNHA(OAB: 9233-B/MT)
RELATOR(a): Convocado Jesse Claudio Franco de Alencar
RECORRIDO DIEGO FRANCISCO MARQUES
ÓRGÃO JULGADOR: Quinta Turma SAUNIER
ADVOGADO REGINA CELIA SANTOS TERRA
PUBLICAÇÃO: 10/07/2018 (DEJT/TRT3/Cad.Jud, Página 707) CRUZ(OAB: 1100/RO)
RECORRENTE: DEIVID PEREIRA DA COSTA ADVOGADO TULIO CIRIOLI ALENCAR(OAB:
4050/RO)
RECORRIDA: COCAL CEREAIS LTDA. RECORRIDO HERMASA NAVEGACAO DA
AMAZONIA LTDA
D I S P O N Í V E L E M :
ADVOGADO CASSIA CAROLINA VOLLET
https://juris.trt3.jus.br/juris/detalhe.htm?conversationId=2256 CUNHA(OAB: 9233-B/MT)
ADVOGADO FERNANDA FAVETTI(OAB:
'ACORDO CELEBRADO PERANTE COMISSÃO DE 13331/MT)
CONCILIAÇÃO PRÉVIA - EFICÁCIA LIBERATÓRIA. Cediço que o ADVOGADO GISELLE PRIMA GALVAO(OAB:
21478/MT)
termo de conciliação formalizado perante a Comissão de ADVOGADO LUCIANO PORTEL MARTINS(OAB:
7497/MT)
Conciliação Prévia, com previsão no art. 625-A e seguintes da CLT,

tem eficácia liberatória geral, valendo como título executivo Intimado(s)/Citado(s):


extrajudicial, exceto apenas quanto às parcelas expressamente - DIEGO FRANCISCO MARQUES SAUNIER
ressalvadas (parágrafo único, art. 625-E). Representa transação - HERMASA NAVEGACAO DA AMAZONIA LTDA

entre as partes e somente será considerado nulo se houver

comprovação inequívoca de vício de consentimento ou fraude. Se

assim não demonstrado, a transação extrajudicial firmada PODER JUDICIÁRIO


confere eficácia liberatória geral, principalmente quanto às JUSTIÇA DO TRABALHO
parcelas que motivaram a provocação da CCP'. - destaques no
Fundamentação
apelo
RECURSO DE REVISTA
Portanto, ante a demonstração de divergência jurisprudencial,
Tramitação Preferencial
determino o processamento do recurso de revista, em atendimento
Lei 13.015/2014
ao artigo 896, alínea 'a' da Consolidação das Leis do Trabalho.

CONCLUSÃO

RECEBO o recurso de revista.

Intime-se a parte contrária para, querendo, apresentar

contrarrazões ao recurso.

Após, remetam-se os autos ao Colendo TST.

jbas

Assinatura
Recorrente(s): 1.HERMASA NAVEGAÇÃO
MANAUS, 5 de Novembro de 2020.
DA AMAZÔNIA LTDA

LAIRTO JOSE VELOSO Advogado(a)(s): 1.FERNANDA FAVETTI E


Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11
OUTROS(MT - 13331-O)
Decisão
Processo Nº ROT-0000156-96.2017.5.11.0151
Relator ORMY DA CONCEICAO DIAS
BENTES

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 95
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Recorrido(a)(s): Consta no v. acórdão (id. df5b297):


1.DIEGO FRANCISCO
'(...)
MARQUES SAUNIER
MÉRITO

Advogado(a)(s): 1.TULIO CIRIOLI ALENCAR Recursos das partes

(RO - 4050) De início cumpre registrar que as ações ajuizadas

anteriormente a data de 11 de novembro de 2017, época em que

passou a vigorar a Lei nº. 13.467/2017, não sofrerão os efeitos


Recurso de:HERMASA NAVEGAÇÃO DA AMAZÔNIA LTDA decorrentes da alteração da nova lei, eis que a relação jurídica
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS material já se findou e produziu todos os seus efeitos sob a
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão vigência da norma anterior. Por consequência, nenhumas das
publicada em 01/10/2020 - id. 0cbb061; recurso apresentado em alterações processuais (a exemplo de honorários advocatícios
13/10/2020 - id. 1b207a6). sucumbenciais, restrição da gratuidade da justiça, etc) ou
Regular a representação processual (id. 708efc8, b32cc67, mesmo aquelas de natureza material com incidência
c035102). processual (a exemplo do novel capítulo de dano
Satisfeito o preparo (ids. ae51bdf, fa10b66, fa10b66 e 5ecae0c), extrapatrimonial) são aplicáveis neste feito, em atenção as
nos termos do artigo 899, §11 da Consolidação das Leis do regras citadas acima, em observância às garantias
Trabalho. constitucionais e ao valor jurídico da estabilidade e segurança.
PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Recurso da Reclamada
DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos Acidente típico e suas repercussões jurídicas
Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional. Inconformada com o deferimento parcial dos pedidos de danos
Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano morais e materiais, a reclamada interpôs recurso ordinário (ID.
Moral/Acidente de Trabalho. 180049f) ao argumento de que 'o recorrido em momento algum
Alegação(ões): conseguiu provar os fatos alegados na inicial, alegando ainda,
- violação do(s) inciso IX do artigo 93;inciso XXVIII do artigo que tomou todas as medidas cabíveis em relação à saúde e
7º;inciso V do artigo 5º da Constituição Federal. segurança do trabalho, bem como restou comprovado o ato
- violação da (o) artigo 832 da Consolidação das Leis do inseguro praticado pelo recorrido, ensejando a sua culpa
Trabalho;inciso II do artigo 489 do Código de Processo Civil de exclusiva na ocorrência do acidente'.
2015; §1º do artigo 489 do Código de Processo Civil de Analiso.
2015;artigo 157 da Consolidação das Leis do Trabalho;artigo É cediço que a responsabilidade civil funda-se no risco ou na
158 da Consolidação das Leis do Trabalho;artigo 186 da Lei nº culpa como causas determinantes do ressarcimento dos
10306/2002;artigo 927 do Código Civil;artigo 944 do Código danos. Ela aparece, portanto, de duas formas: no campo da
Civil;artigo 949 do Código Civil. responsabilidade objetiva, baseada no risco, e da
- divergência jurisprudencial. responsabilidade subjetiva, apoiada no dolo ou na culpa.
A recorrente alega, inicialmente, que o acórdão recorrido Possui caráter sociológico, na medida em que visa à proteção
'incorreu em evidente ausência de prestação jurisdicional, da dignidade da pessoa.
restando evidente que os autos não foram apreciados de A indenização a cargo do empregador, oriunda de acidente do
maneira a elucidar os pontos levantados no Recurso Ordinário trabalho, decorrente de dolo ou culpa, foi incluída no rol dos
e, posteriormente, nos Embargos de Declaração direitos dos trabalhadores, no inc. XXVIII do art. 7º da CR/88:
(Id.5df6834),merecendo o v. acórdão ser declarado nulo pela 'São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de
negativa de prestação jurisdicional'. outros que visem à melhoria de sua condição social: (...) XXVIII
No mérito, refuta a condenação ao pagamento de indenização - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador,
por danos morais e materiais, ao argumento de que há clara sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando
excludente de responsabilidade pela culpa exclusiva da vítima. incorrer em dolo ou culpa.'
Ou seja, sustenta que não teve qualquer responsabilidade Esse mesmo texto constitucional inseriu o ressarcimento dos
quanto ao acidente discutido nestes autos, sendo a culpa danos decorrentes de acidente do trabalho nos seus dois
exclusiva do recorrido. campos: na responsabilidade infortunística (objetiva) e na de

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 96
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

direito comum (subjetiva), permitindo que a prestação re ipsa.

previdenciária e a reparação civil sejam perfeitamente No presente caso, restou incontroverso o acidente típico de

acumuláveis. Hoje já não mais se exige a culpa grave do trabalho, ocorrido no ambiente laboral conforme relatado na

empregador, bastando a culpa simples, nas formas de inicial e comprovado com a emissão da CAT (Id. ab3f13e), bem

imprudência, negligência e imperícia. como, o fato de que o autor esteve afastado de suas atividades

A responsabilidade civil do empregador pelo infortúnio laboral recebendo auxílio-doença acidentário (Id. dbdf928).

são aplicadas às regras do direito civil, conforme disposto no Consoante se observa do laudo Técnico, o expert foi taxativo

art. 186 do Código Civil. Ao passo que o dever indenizatório em concluir pela existência de nexo causal, na seguinte forma:

por perdas e danos está previsto no art. 927, também do 'CONCLUSÃO

Código Civil de 2002 e a indenização está disciplinada nos arts. Com base nos elementos e fatos expostos e analisados, tendo

944 e seguintes do CC. Ela se mede pela extensão do dano (art. como fundamentos as análises minuciosas da história do

944) e é possível reduzi-la se houver excessiva desproporção acidente típico de trabalho, conclui-se:

entre a gravidade da culpa e o dano (parágrafo único do art. Nexo técnico de causalidade caracterizado.

944). No momento pericial, o Periciado, mesmo apresentando-se

Com efeito, para a caracterização da responsabilidade com perda da visão, ou seja, cegueira total do olho direito

subjetiva é imperiosa a existência do dano (prejuízo a bens declara-se capacitado para as atividades que desenvolvia, e se

morais e/ou materiais), do dolo ou da culpa do agente, que convidado para reintegração, aceitaria'

pode ter caráter omissivo ou comissivo, e do nexo de Têm-se ainda que, o perito historiando o laudo pericial

causalidade entre os dois primeiros. enfatizou que 'Dos procedimentos médicos a que fora

Neste diapasão, regra geral, para a caracterização da submetido, concluiu-se por traumatismo crânio encefálico, com

responsabilidade civil do empregador, em caso de dano fratura de crânio, que evoluiu para traumatismo do nervo

causado a empregado, é necessária a ocorrência de nexo de óptico, perda da visão do olho direito, com cegueira total do

causalidade entre a execução do serviço, o dano sofrido e a mesmo. Visão monocular. Mencionando também que o

conduta do empregador violadora do direito do empregado. reclamante ficou 'Afastado do trabalho por benefício

Demais disso, ressalta-se por oportuno, que o risco de previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a

acidente de trabalho muitas vezes é inevitável; entretanto, ele reclamada por mais 02 anos, quando fora demitido.' Por fim,

deverá ser prevenido. Aí é que reside a responsabilidade do restou consignado, por fim no Laudo Pericial que o acidente

empregador: proteger o empregado a fim de prevenir situações sofrido pelo reclamante 'configura-se assim um acidente típico

de perigo. É seu dever legal observar as normas de segurança, de trabalho, com redução permanente da capacidade de

higiene e saúde no trabalho, instruindo seus empregados trabalho' (Id. b09d193), considerando que a perda da visão do

quanto aos cuidados a serem observados no desempenho das olho direito, pelo autor impede que o mesmo exerça outras

suas tarefas. A inobservância de norma de conduta, com funções, que exijam a visão bilateral.

resultado danoso ao empregado, cujo empregador tem o dever A reclamada alegou na contestação e renovou no recurso

de conhecer e observar, com consequências no âmbito da ordinário, que o acidente ocorreu por culpa exclusiva do autor,

responsabilidade civil. por ter comprovadamente praticado o ato inseguro praticado

Registra-se que, geralmente, o acidente do trabalho acarreta que resultou no evento danoso.

para a vítima várias perdas, abrangendo o dano moral, material Ora ao alegar que o acidente foi resultado de ato inseguro

e físico. Os danos materiais e físicos estão relacionados com a praticado pelo reclamante e por culpa exclusiva deste, a

perda da capacidade de trabalho: total, parcial, temporária ou reclamada atraiu pra si o ônus da prova, do qual não se

permanente. O dano material está relacionado à perda do desincumbiu, senão vejamos, o depoimento da única

direito ao trabalho, enquanto o físico se baseia na perda das testemunha da reclamada, Sr. JOSÉ CLODUALDO DE

funções físicas. OLIVEIRA, que ao ser inquirida perante o juízo, respondeu:

Já o dano moral, este se revela na forma de violação a um ou 'que trabalha para a reclamada desde 14/04/2008 exercendo,

alguns direitos da personalidade (honra, imagem, vida privada, inicialmente, a função de técnico de segurança e há três anos

intimidade, etc), bastando a prova do evento danoso para que como coordenador; que o depoente, durante o período

se infira a repercussão no âmago da vítima, pois é um dano in trabalhado para a reclamada, embarcou aproximadamente seis

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 97
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

vezes como técnico do trabalho, para ministrar treinamento e suas atividades laborais.

as avaliações ambientais; que o depoente pode informar que Dano moral - Quantum indenizatório

para atracar e desatracar as embarcações atualmente a A reclamada recorre ainda, buscando a redução do valor

reclamada apenas utiliza de guincho hidráulico há dois anos, deferido a título dano moral, sob o argumento de que 'na

porém pode informar que anteriormente utilizava a catraca realização dos exames periódicos, o reclamante restou

manual, que também é um instrumento correto utilizado para avaliado como APTO ao trabalho e não foi constatado qualquer

atracar e desatracar embarcações; que o depoente informa que incapacidade laboral'.

não estava presente no momento do acidente com o Seguindo o magistério do eminente Ministro Maurício Godinho

reclamante e o mesmo foi atendido primeiramente pela Delgado, na obra Curso de Direito do Trabalho, editora LTr, 2ª

tripulação (...); que a desatracação do empurrador estava edição, página 618:

sendo realizada no momento do acidente do reclamante, 'O montante indenizatório, com respeito ao dano moral

ocorria no porto da cidade e lá não há técnico de segurança da (inclusive estético), é fixado pelo órgão judicante por meio de

reclamada, porém o depoente estava no estaleiro, quando foi um juízo de equidade. É claro que a sensatez (equilíbrio),

acionado; que as funções de marinheiros fluviais de máquinas equanimidade, isenção, imparcialidade devem operar sempre

são: monitoramento dos equipamentos MCP e MCA, no exercício desse juízo de equidade. A partir dos critérios

monitoramento dos painéis elétricos na praça de máquinas, orientadores, aferidos e cotejados com sensatez,

conservação da praça de máquinas e auxílio à tripulação em equanimidade, isenção e imparcialidade, estima-se (a operação

operação nos demais equipamentos, guincho hidráulico, é de arbitramento) o valor compensatório pelo dano moral,

catraca e os guinchos de bordos; que não há cursos para estético ou à imagem produzido'. (grifamos)

manusear catracas, porque não é equipamento complexo.' Esse juízo de equidade ensinado pelo preclaro jurista laboral é

Observa-se que o reclamante não recebera o devido princípio informador do juiz para o arbitramento do valor

treinamento (instrução) para o manuseio de catracas no compensatório por dano moral porque o Código Civil, no seu

procedimento de atracar e desatracas as embarcações, art. 944, dispõe que 'a indenização mede-se pela extensão do

conforme vê no depoimento acima transcrito, que a própria dano', sendo estritamente subjetiva a análise em situações

testemunha da reclamada. Ora, não dúvida de que a falta de inerentes ao dano moral.

treinamento do autor contribuiu de forma decisiva para a Nesse enfoque, o arbitramento do valor é orientado pelos

ocorrência do evento danoso. Note-se ainda, que pós o referido seguintes critérios enumerados pelo doutrinador citado: o

acidente, a reclamada passou utilizar a apenas guincho tocante ao ato ofensivo em si; à relação do ato com a

hidráulico atracar e desatracar as embarcações. comunidade; à pessoa do ofendido; à pessoa do ofensor e a

Enfim, o que se constata nos autos é que o reclamante sofreu o existência ou não de retratação espontânea e cabal pelo

acidente durante o exercício de suas atividades laborais, ofensor e a extensão da reparação alcançada por esse meio

contudo, diferente do que alega a reclamada, não há nos autos pelo ofendido.

qualquer comprovação de que o sinistro se deu por culpa do Nesta ordem, considerando todas as diretrizes no tocante a

empregado, o que por óbvio não foi aceito pelo juízo de origem, incapacidade laborativa permanente do reclamante para o

e muito, menos por este Juízo ad quem. Caindo por terra, deste trabalho em determinadas funções que exijam a uso da visão

modo, a tese da reclamada. bilateral, a extensão da lesão sofrida (perda irreversível e

O nexo causal, devidamente reconhecido pelo senhor perito, permanente da visão do olho direito), entendo como razoável

também restou configurado nos autos, sendo óbvio que a lesão pagamento da quantia a R$50.000,00 (cinquenta mil reais), a

indicada adveio do acidente de trabalho sofrido pelo autor no título de danos morais e estéticos, reparando, com justiça, os

desempenho de suas funções. danos sofridos pelo autor e atendendo, ainda, ao caráter

Ainda nesse contexto, tem-se que o empregador, o qual, punitivo e pedagógico da sanção, aí considerados fatores

inclusive, assume os riscos da atividade econômica, deve como: o grau de culpabilidade da empresa, a gravidade e

prever e tomar todas as cautelas necessárias para a eliminação extensão do dano e o desestímulo da prática de ato ilícito.

dos riscos ocupacionais, o que, todavia, in casu não ocorreu. Assim, neste tópico, reforma-se parcialmente a sentença para

Deste modo, deve ser mantida a culpabilidade da reclamada reduzir o valor indenizatório de R$100.000,00, para R$50.000,00

pelo acidente de trabalho ocorrido quando o autor desenvolvia (cinquenta mil reais), guardando proporcionalidade com o dano

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 98
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

sofrido pelo reclamante, cujo quadro não é passível de rendimento de 0,5% ao mês, render-lhe-ia R$ 605,00

reversão. (seiscentos e cinco reais), o que se aproxima do valor mensal a

Tema comum às partes - Dano material - pensionamento. que faria jus, equivalente a 30% do salário contratual

Com relação ao dano material o juízo de origem condenou a (R$2.814,64; 30%=R$604,39).

reclamada ao pagamento da quantia equivalente a 50 vezes o Nesse mesmo sentido é o entendimento da Excelsa Corte

último salário percebido pelo autor, ou seja, R$2.814,64 x 50, Trabalhista, ou seja, que o pagamento da pensão em parcela

perfazendo o montante de R$140.732,00 (cem e quarenta mil, única implica a redução equitativa do valor com o objetivo de

setecentos e quarenta e dois reais). se impedir o enriquecimento sem causa.

A reclamada insurge-se contra o julgado, requerendo a redução Eis os seguintes precedentes:

desse valor, enquanto a parte autora também recorreu RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELA SEGUNDA

adesivamente buscando a majoração. RECLAMADA. ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA MALHA SUL

É evidente que a perda da visão, ainda que parcial e que não S.A. (...) 4. PAGAMENTO ANTECIPADO DA PENSÃO MENSAL.

resulte em incapacidade para o trabalho, traz experiência de DESÁGIO. ART. 950 DO CC. Nos moldes elencados pelo art.

sofrimento ao trabalhador, tanto no momento do acidente 950 do CC, 'se da ofensa resultar defeito pelo qual o ofendido

como após este, pois que terá que despender sempre maiores não possa exercer o seu ofício ou profissão, ou se lhe diminua

esforços em comparação aos demais empregados que laborem a capacidade de trabalho, a indenização, além das despesas do

na mesma função e que possuem a visão bilateral. tratamento e lucros cessantes até ao fim da convalescença,

Por outro lado, em relação à expectativa de vida, pretendida incluirá pensão correspondente à importância do trabalho para

pelo reclamante, esta mostra-se desarrazoada, vez que que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu'. Dentro

consoante a Tábua de Mortalidade do IBGE, essa expectativa deste contexto, tem-se que a pensão para a hipótese de

resta estabelecida em 75 anos de idade: incapacidade para o trabalho é vitalícia, sendo que o

Assim, considerando que na data do evento ocorrrido em arbitramento em cota única fica circunscrito a certa idade e

24/10/2014, o autor contava 26 anos e 2 meses de idade (d.n. com a necessária avaliação da situação financeira da empresa,

06/08/1988 - identidade às fls. 15), deve ser deferido o mas a antecipação do pagamento da pensão mensal em cota

pensionamento até a idade de 75 anos, no valor única, a qual seria paga mensalmente ao longo dos anos, deve

correspondente a 30% do salário, tendo em vista que não ficou importar na adequação do somatório global, de modo a impedir

inválido para o labor, tanto é que, após o evento danoso voltou o enriquecimento sem causa diante da imediata percepção de

a trabalhar na reclamada na mesma função, conforme relatado elevado montante, o qual possibilita ao empregado administrar

no laudo pericial - fls. 724: 'Afastado do trabalho por benefício como melhor lhe aprouver a importância recebida, constituindo

previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a benesse ao trabalhador. Assim, ocorrendo o pagamento em

reclamada por mais 02 anos quando fora demitido'. cota única, com a antecipação daquilo que o trabalhador iria

Desse modo, tem-se os cálculos: (R$2.814,64; 30%=R$604,39), receber gradualmente, ou seja, com antecipação das parcelas

multiplicado por 635 meses (com a inclusão do 13º salário), que seriam diluídas ao longo do tempo, aplica-se um deságio

arbitrado em parcela única (art. 950 do CC) no valor de sobre o valor fixado com observância da redução da

R$384.996,43 (trezentos e oitenta e quatro mil e quarenta e três capacidade laboral, da remuneração e da idade do trabalhador,

centavos). bem como da sua expectativa de vida, sendo certo que a

Todavia, no que tange ao valor do pensionamento, merece aplicação de um redutor, na hipótese, 10%, não resulta em

ainda mais um reparo o decisum pois, no caso de pagamento diferença entre o dano e a indenização, mas, sim, em

em parcela única (artigo 950, parágrafo único, do Código Civil), adequação do quantum devido, diante do pagamento

cabe ao juiz o arbitramento, não se aplicando mero cálculo antecipado. Recurso de revista conhecido e provido, no

matemático, o que deve, contudo, servir de suporte para evitar particular. (...) (RR-1047-48.2012.5.04.0811, Relatora Ministra

enriquecimento ilícito. Dora Maria da Costa, Data de Julgamento: 27/04/2016, 8ª Turma,

Nesse contexto, ao meu sentir, entendo como razoável arbitrar DEJT 29/4/2016). (Grifei)

os danos materiais em R$101.000,00(cento e um mil reais), (...) 6. PRELIMINAR DE NULIDADE POR NEGATIVA DE

valor este que o reclamante teria direito de receber ao longo de PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. 7. NULIDADE POR

49 anos e que, se fosse aplicado na poupança, com um CERCEAMENTO DE DEFESA. SÚMULA 297/TST. 8. ACIDENTE

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 99
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

DE TRABALHO. RESPONSABILIDADE CIVIL. DANOS MORAIS, pensão deve observar limite de idade, a ser considerado a

ESTÉTICOS E MATERIAIS. DIVERGÊNCIA JURISPRUDENCIAL partir da expectativa de vida média prevista para a idade do

NÃO COMPROVADA. ARESTOS INESPECÍFICOS. SÚMULA trabalhador no momento do arbitramento, bem como deve

296/I/TST. 9. PENSÃO MENSAL VITALÍCIA. PAGAMENTO EM sofrer a aplicação de redutor que compense as vantagens

PARCELA ÚNICA. DECISÃO DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO. A decorrentes da antecipação do pagamento, como medida de

jurisprudência desta Corte tem entendido que o juiz pode atuar equidade e vedação do enriquecimento ilícito. Recurso de

com relativa discricionariedade para escolher o critério da revista conhecido e desprovido. (RR-2888100-

condenação relativas aos danos materiais, de modo que sua 54.2009.5.09.0006, Relator Ministro Luiz Philippe Vieira de Mello

decisão corresponda ao equilíbrio entre a efetividade da Filho, 7ª Turma, DEJT 15/4/2016)

jurisdição e a equidade entre as partes, a teor dos precedentes RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº

desta Corte. Noutro norte, a opção do Reclamante, no tocante 13.015/2014. REDUÇÃO DA CAPACIDADE LABORAL. PENSÃO

ao pedido de pagamento da indenização de pensão em cota MENSAL. PAGAMENTO EM PARCELA ÚNICA. REDUTOR

única (parágrafo único do art. 950 do CCB), conforme APLICÁVEL. ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA NÃO

autorizado pelo novo Código Civil, tem como efeito a redução CONFIGURADO. Determinado pelo eg. Tribunal Regional a

do valor a que teria direito em relação à percepção da pensão aplicação de redutor no cálculo da parcela única

paga mensalmente. Isso porque a pensão prevista no caput do correspondente à pensão mensal devida em razão da redução

art. 950 CCB, no caso de incapacidade para o trabalho, é da capacidade laboral do reclamante, não há falar em

vitalícia, e o cálculo em cota única, obviamente, fica delimitado enriquecimento sem causa, na medida em que foi considerado

a determinada idade, além de ser necessária a ponderação em o fato de a parte estar recebendo o montante de uma só vez.

relação à condição financeira do empregador, sob pena de Daí porque a incidência de redutor. Incólume o artigo 884 do

inviabilizar inclusive sua atividade econômica em algumas CC. Recurso de revista não conhecido. (RR-1008-

situações. De todo modo, antecipação temporal da parcela 35.2013.5.04.0611, Relator Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, 6ª

devida em dezenas ou centenas de meses em um montante Turma, DEJT 18/12/2015)

único imediato importa, sem dúvida, na adequação do (...) ACIDENTE DO TRABALHO. REDUÇÃO DA CAPACIDADE

somatório global, para evitar enriquecimento sem causa. Na LABORATIVA. DANOS MATERIAIS. INDENIZAÇÃO PAGA DE

hipótese, no cálculo da indenização, foram sopesados a UMA SÓ VEZ. 1. A indenização prevista no artigo 950 do

redução da capacidade laboral definitiva para o trabalho que Código Civil destina-se a reparar a lesão sofrida pela parte

exercia (amarrador de carretas), o percentual de 20% sobre a quanto aos valores que deixaram de ser percebidos em virtude

última remuneração do Obreiro, bem como a expectativa de do evento danoso. O referido dispositivo legal, em seu

vida do Reclamante (74,6 - segundo dados do IBGE) e a idade parágrafo único, prevê, a seu turno, a possibilidade da parte

deste quando da consolidação das lesões (19 anos), e sobre o prejudicada exigir que tal indenização seja arbitrada e paga de

valor obtido foi aplicado um redutor de 30%, a ser pago em uma só vez. 2. Nos termos do quadro fático delineado pelo

parcela única. Estabelecidas tais premissas, tem-se que o valor Tribunal Regional, constata-se que a incapacidade do

da indenização está em sintonia com os critérios legais para a reclamante para o desempenho de sua profissão foi de 100%,

sua fixação. Agravo de instrumento desprovido. (AIRR-11824- razão pela a pensão a ser paga de uma só vez deve ser

55.2013.5.03.0142, Rel. Min. Maurício Godinho Delgado, 3ª calculada sobre a totalidade da remuneração percebida pelo

Turma, DEJT de 26/2/2016) autor à época do acidente do trabalho, aplicando-se o redutor

RECURSO DE REVISTA DA RECLAMANTE - DOENÇA pelo recebimento antecipado e observando-se os limites do

OCUPACIONAL - INCAPACIDADE PARCIAL PARA O pedido formulado na petição inicial e no Recurso de Revista. 3.

TRABALHO - PENSÃO VITALÍCIA - PAGAMENTO EM PARCELA Recurso de Revista conhecido e provido. (...) (RR-119700-

ÚNICA - APLICAÇÃO DE REDUTOR. O exercício da opção 49.2007.5.18.0211, Relator Desembargador Convocado Marcelo

prevista no parágrafo único do art. 950 do CCB, quanto ao Lamego Pertence, 1ª Turma, DEJT 4/12/2015)

recebimento, em cota única, da pensão vitalícia prevista no Assim, considerando as disposições contidas nos artigos 944 e

caput do referido artigo, no caso de incapacidade parcial ou 950 do CCB/2002, bem como que a jurisprudência do TST é

total para o trabalho, delimita o cálculo da referida parcela. Isto assente no sentido de que é possível a aplicação de um redutor

é, no cálculo, o cômputo das parcelas devidas a título de no caso de antecipação dos valores devidos a título de pensão

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 100
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

mensal em uma única parcela, entendo que a decisão de não tem a função de viabilizar a revisão ou a anulação das

origem, deve ser reformada para reduzir a indenização por decisões judiciais, como acontece com os demais recursos.

danos materiais ao valor de R$101.000,00(cento e um mil reais), Sua finalidade é corrigir defeitos - omissão, contradição e

a ser pago em parcela única (parágrafo único do artigo 950 do obscuridade - do ato judicial, os quais podem comprometer sua

Código Civil),apurado na sentença de liquidação. utilidade' (Manual do Processo de Conhecimento, 3ª ed., p.

DISPOSITIVO 583).

Pelo exposto, conheço dos recursos das partes. Nego Embargos Declaratórios opostos pelo reclamante

provimento ao adesivo do reclamante e, provejo parcialmente, Pretende o embargante dar efeito modificativo ao v. Acórdão,

para o efeito de reformando a decisão guerreada, reduzir ao sob o argumento de ter havido apontando a existência de erro

valor de R$50.000,00 (cinquenta mil reais) a indenização por material na decisão objurgada.

dano moral, bem como, para R$101.000,00(cento e um mil Assiste-lhe parcial razão.

reais) a indenização por danos materiais a ser pago em parcela Com efeito, verifico que de fato houve equívoco no v. Acórdão

única, mantendo a sentença nos demais termos por seus quanto ao cálculo do pensionamento ao constar que:

próprios fundamentos. 'Assim, considerando que na data do evento ocorrrido em

(...)' 24/10/2014, o autor contava 26 anos e 2 meses de idade (d.n.

Consta no v. acórdão de embargos declaratórios (id. 7b7e711): 06/08/1988 - identidade às fls. 15), deve ser deferido o

'(...) pensionamento até a idade de 75 anos, no valor

EMBARGOS DECLARATÓRIOS DAS PARTES correspondente a 30% do salário, tendo em vista que não ficou

Consoante entendimento firmado nas disposições constantes inválido para o labor, tanto é que, após o evento danoso voltou

da legislação processual civil, têm cabimento os embargos de a trabalhar na reclamada na mesma função, conforme relatado

declaração quando houver na decisão obscuridade, no laudo pericial - fls. 724: 'Afastado do trabalho por benefício

contradição, ou, ainda, quando o órgão julgador for omisso em previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a

ponto sobre o qual deveria ter se pronunciado. reclamada por mais 02 anos quando fora demitido'.

Assim, sendo, tal recurso tem cunho integrativo, no sentido de Desse modo, tem-se os cálculos: (R$2.814,64; 30%=R$604,39),

aclarar, esclarecer ou complementar o texto da decisão, não multiplicado por 635 meses (com a inclusão do 13º salário),

podendo, em regra, ser utilizado com o fito de realizar arbitrado em parcela única (art. 950 do CC) no valor de

modificação no julgado. R$384.996,43 (trezentos e oitenta e quatro mil e quarenta e três

É o que se depreende do art. 1.022 do Código de Processo Civil centavos).'

que prescreve in verbis : Assim sendo, deve ser corrigido o erro material apontado nos

Art. 1.022. Cabem embargos de declaração contra qualquer embargos declaratório o que se faz nos termos a seguir.

decisão judicial para: Consoante, analisado pela e. Turma, na data do evento

I - esclarecer obscuridade ou eliminar contradição; ocorrrido em 24/10/2014, o autor contava 26 anos e 2 meses de

II - suprir omissão de ponto ou questão sobre o qual devia se idade (d.n. 06/08/1988 - identidade às fls. 15), deve ser deferido

pronunciar o juiz de ofício ou a requerimento; o pensionamento até a idade de 75 anos, no valor

III - corrigir erro material. correspondente a 30% do salário, tendo em vista que não ficou

Parágrafo único. Considera-se omissa a decisão que: inválido para o labor, tanto é que, após o evento danoso voltou

I - deixe de se manifestar sobre tese firmada em julgamento de a trabalhar na reclamada na mesma função, conforme relatado

casos repetitivos ou em incidente de assunção de competência no laudo pericial - fls. 724: 'Afastado do trabalho por benefício

aplicável ao caso sob julgamento; previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a

II - incorra em qualquer das condutas descritas no art. 489, § 1º reclamada por mais 02 anos quando fora demitido'.

Discorrendo sobre tal medida recursal, Luiz Guilherme Logo, corrigi-se o seguinte cálculo relativo à pretensa pensão

Marinoni e Sergio Cruz Arenhart prelecionam que 'É necessário vitalícia: (R$2.814,64; 30%=R$844,39), multiplicado por 635

que a tutela jurisdicional seja prestada de forma completa e meses, arbitrado em parcela única (art. 950 do CC) no valor de

clara. Exatamente por isso, ou melhor, com o objetivo de R$536.187,65 (quinhentos e trinta e seis, cento e oitenta e sete

esclarecer, complementar e perfectibilizar as decisões reais e sessenta e cinco centavos).

judiciais, existem os embargos de declaração. Esse recurso Acrescente-se, ainda que tratando-se de pensão a ser paga em

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 101
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

parcela única (artigo 950, parágrafo único, do Código Civil), declara-se capacitado para as atividades que desenvolvia, e se

cabe ao juiz no arbitramento, não aplicar simples cálculo convidado para reintegração, aceitaria'

matemático, o que deve, contudo, servir de suporte para evitar Têm-se ainda que, o perito historiando o laudo pericial

enriquecimento ilícito. enfatizou que 'Dos procedimentos médicos a que fora

Nesse contexto, ao meu sentir, entendi, como razoável o submetido, concluiu-se por traumatismo crânio encefálico, com

arbitramento de R$101.000,00 (cento e um mil reais), título de fratura de crânio, que evoluiu para traumatismo do nervo

danos materiais, tendo em vista esta quantia, se aplicado na óptico, perda da visão do olho direito, com cegueira total do

poupança, com um rendimento de 0,5% ao mês, daria ao mesmo. Visão monocular. Mencionando também que o

reclamante uma renda mensal, que também ora se corrige, no reclamante ficou 'Afastado do trabalho por benefício

valor de R$5.050,00 (cinco mil e cinquenta reais), quantia essa previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a

bem superior, ao equivalente a 30% do salário do autor reclamada por mais 02 anos, quando fora demitido.' Por fim,

(R$2.814,64; 30%=R$844,39). restou consignado, por fim no Laudo Pericial que o acidente

Assim sendo, sana-se o erro material com efeito modificativo, sofrido pelo reclamante 'configura-se assim um acidente típico

nos embargos declaratórios do reclamante, para arbitrar o de trabalho, com redução permanente da capacidade de

valor de R$168.878,00 (cento e sessenta e oito mil reais, trabalho' (Id. b09d193), considerando que a perda da visão do

oitocentos e setenta e oito reais), a título de danos materiais. olho direito, pelo autor impede que o mesmo exerça outras

Embargos de Declaração opostos pela reclamada - omissão funções, que exijam a visão bilateral.

A reclamada aduziu a necessidade dos embargos apontando A reclamada alegou na contestação e renovou no recurso

'OMISSÃO na condenação da Embargante ao pagamento de ordinário, que o acidente ocorreu por culpa exclusiva do autor,

danos morais, a fim de que a r. decisão seja aprimorada neste por ter comprovadamente praticado o ato inseguro praticado

particular'. Acrescentou que v. Acórdão 'foi omisso em não que resultou no evento danoso.

considerar as alegaçoes lançadas no Recurso Ordiário pela ora Ora ao alegar que o acidente foi resultado de ato inseguro

Embargante, no sentido de que o Embargado participou de praticado pelo reclamante e por culpa exclusiva deste, a

todos os treinamentos necessários para o exercício seguro da reclamada atraiu pra si o ônus da prova, do qual não se

função que lhe era incumbida'. desincumbiu, senão vejamos, o depoimento da única

Sem razão. testemunha da reclamada, Sr. JOSÉ CLODUALDO DE

A decisão colegiada, após análise perfunctória dos elementos OLIVEIRA, que ao ser inquirida perante o juízo, respondeu:

que resultam na responsabilidade civil do empregador 'que trabalha para a reclamada desde 14/04/2008 exercendo,

determinantes do ressarcimento dos danos morais e materiais, inicialmente, a função de técnico de segurança e há três anos

explanou, de forma satisfatória e objetiva, os fundamentos que como coordenador; que o depoente, durante o período

conduziram à formação do convencimento de seus membros, trabalhado para a reclamada, embarcou aproximadamente seis

pontuando que: vezes como técnico do trabalho, para ministrar treinamento e

'No presente caso, restou incontroverso o acidente típico de as avaliações ambientais; que o depoente pode informar que

trabalho, ocorrido no ambiente laboral conforme relatado na para atracar e desatracar as embarcações atualmente a

inicial e comprovado com a emissão da CAT (Id. ab3f13e), bem reclamada apenas utiliza de guincho hidráulico há dois anos,

como, o fato de que o autor esteve afastado de suas atividades porém pode informar que anteriormente utilizava a catraca

recebendo auxílio-doença acidentário (Id. dbdf928). manual, que também é um instrumento correto utilizado para

Consoante se observa do laudo Técnico, o expert foi taxativo atracar e desatracar embarcações; que o depoente informa que

em concluir pela existência de nexo causal, na seguinte forma: não estava presente no momento do acidente com o

'CONCLUSÃO reclamante e o mesmo foi atendido primeiramente pela

Com base nos elementos e fatos expostos e analisados, tendo tripulação (...); que a desatracação do empurrador estava

como fundamentos as análises minuciosas da história do sendo realizada no momento do acidente do reclamante,

acidente típico de trabalho, conclui-se: ocorria no porto da cidade e lá não há técnico de segurança da

Nexo técnico de causalidade caracterizado. reclamada, porém o depoente estava no estaleiro, quando foi

No momento pericial, o Periciado, mesmo apresentando-se acionado; que as funções de marinheiros fluviais de máquinas

com perda da visão, ou seja, cegueira total do olho direito são: monitoramento dos equipamentos MCP e MCA,

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 102
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

monitoramento dos painéis elétricos na praça de máquinas, análise, a reforma do julgado, pela via imprópria dos embargos

conservação da praça de máquinas e auxílio à tripulação em e que esta Turma julgadora abrace a sua tese, vez que a

operação nos demais equipamentos, guincho hidráulico, decisão se encontra devidamente fundamentada, não se

catraca e os guinchos de bordos; que não há cursos para prestando esse recurso para discutir má aplicação de

manusear catracas, porque não é equipamento complexo.' entendimento sumular ou de interpretação da lei.

Observa-se que o reclamante não recebera o devido Ressalte-se que, nos embargos declaratórios com a finalidade

treinamento (instrução) para o manuseio de catracas no de prequestionamento a que se refere à Súmula nº. 297 do C.

procedimento de atracar e desatracas as embarcações, TST, basta haver tese explícita sobre a matéria, o que

conforme vê no depoimento acima transcrito, que a própria efetivamente ocorreu na hipótese sob exame.

testemunha da reclamada. Ora, não dúvida de que a falta de Dispositivo

treinamento do autor contribuiu de forma decisiva para a Em conclusão, conheço dos Embargos de Declaração das

ocorrência do evento danoso. Note-se ainda, que pós o referido partes. Nego acolhimento aos embargos declaratórios da

acidente, a reclamada passou utilizar a apenas guincho reclamada, e acolho com efeito modificativo os do reclamante,

hidráulico atracar e desatracar as embarcações. para sanando o erro material arbitrar o valor de R$168.878,00

Enfim, o que se constata nos autos é que o reclamante sofreu o (cento e sessenta e oito mil reais, oitocentos e setenta e oito

acidente durante o exercício de suas atividades laborais, reais), a título de danos materiais, mantendo inalterado o

contudo, diferente do que alega a reclamada, não há nos autos acórdão nos demais termos.

qualquer comprovação de que o sinistro se deu por culpa do (...)'

empregado, o que por óbvio não foi aceito pelo juízo de origem, A Lei 13.015/2014 acrescentou o §1º-A ao artigo 896 da

e muito, menos por este Juízo ad quem. Caindo por terra, deste Consolidação das Leis do Trabalho:

modo, a tese da reclamada. §1º-A. Sob pena de não conhecimento, é ônus da parte:

O nexo causal, devidamente reconhecido pelo senhor perito, I - indicar o trecho da decisão recorrida que consubstancia o

também restou configurado nos autos, sendo óbvio que a lesão prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de

indicada adveio do acidente de trabalho sofrido pelo autor no revista;

desempenho de suas funções. II - indicar, de forma explícita e fundamentada, contrariedade a

Ainda nesse contexto, tem-se que o empregador, o qual, dispositivo de lei, súmula ou orientação jurisprudencial do

inclusive, assume os riscos da atividade econômica, deve Tribunal Superior do Trabalho que conflite com a decisão

prever e tomar todas as cautelas necessárias para a eliminação regional;

dos riscos ocupacionais, o que, todavia, in casu não ocorreu. III - expor as razões do pedido de reforma, impugnando todos

Deste modo, deve ser mantida a culpabilidade da reclamada os fundamentos jurídicos da decisão recorrida, inclusive

pelo acidente de trabalho ocorrido quando o autor desenvolvia mediante demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da

suas atividades laborais.' Constituição Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial

É de sabença comezinha que o juiz não se encontra obrigado a cuja contrariedade aponte.

manifestar-se sobre todos os pormenores alegados pelas IV - transcrever na peça recursal, no caso de suscitar

partes, ainda que se trate de dispositivos normativos, em face preliminar de nulidade de julgado por negativa de prestação

do livre convencimento motivado. jurisdicional, o trecho dos embargos declaratórios em que foi

Sendo assim, o magistrado tem apenas o dever de fundamentar pedido o pronunciamento do tribunal sobre questão veiculada

o seu entendimento da forma que melhor lhe aprouver, no recurso ordinário e o trecho da decisão regional que rejeitou

manifestando-se sobre os pontos que julgar relevantes para a os embargos quanto ao pedido, para cotejo e verificação, de

solução da causa. plano, da ocorrência da omissão. (Incluído pela Lei nº 13.467,

Verifico portanto que a parte tenta, equivocadamente, revolver de 2017)

matérias de prova já valoradas no Acórdão impugnado, onde No tocante à nulidade do julgado por negativa de prestação

tanto o Juízo a quo como o ad quem,expuseram de forma clara, jurisdicional, não restou atendido o inciso IV do § 1º-A do artigo

todos os motivos de seus convencimentos, não havendo, 896 da Consolidação das Leis do Trabalho.

portanto, que falar na existência de vícios a serem sanados. Isso porque aparte não transcreveu o trecho dos embargos

Dessa forma, pretende a reclamada/embargante, em última declaratórios em que foi pedido o pronunciamento do tribunal

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 103
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

sobre a questão veiculada no recurso ordinário, para cotejo e 30% (trinta por cento) da perda dacapacidade laborativa, a

verificação, de plano, da ocorrência da omissão. Turma aplicou um redutor no equivalente a68,5% (sessenta e

No mérito, não se viabiliza o recurso de revista, pois a parte oito e meio por cento) do valor ao qual o Reclamante faria jus.

recorrente não transcreveu o trecho do acórdão que Acrescenta que, mesmo com a majoração do valor relativo aos

demonstraria o prequestionamento da controvérsia que Danos Materiais, o r. acórdão proferido contraria a

pretende ver transferida à cognição do Tribunal Superior do jurisprudência uniformede todos os demais Tribunais do

Trabalho. A exigência consiste em apontar o Trabalho,bem como das Colendas Turmas do TribunalSuperior

prequestionamento, salvo vício nascido na própria decisão, e do Trabalho.

comprová-lo com a transcrição textual e destacada da tese Assevera que 'o v. Acórdão, com fulcro no art. 944 do Código

adotada pela Turma. A jurisprudência predominante no Civil,aplicou um redutor que não condiz com o entendimento

Tribunal Superior do Trabalho tem definido que o pressuposto pátrio, que na prática foi muito superior ao que é razoável,

legal não se atende com a mera transcrição do inteiro teor do sendo desproporcionalmente favorável à empresa'.

acórdão, bem como de trechos de depoimentos das partes Consta no v. acórdão (id. df5b297):

naaudiência de instrução, como se observa no presente apelo. '(...)

Nestesentido são os seguintes precedentes do Tribunal Dano moral - Quantum indenizatório

Superior do Trabalho: TST - AIRR: 106956620155180129, A reclamada recorre ainda, buscando a redução do valor

Relator: Emmanoel Pereira, Data de Julgamento: 13/02/2019, 5ª deferido a título dano moral, sob o argumento de que 'na

Turma, Data de Publicação: DEJT 15/02/2019; TST - AIRR: realização dos exames periódicos, o reclamante restou

110606620175030033, Relator: Alberto Luiz Bresciani de Fontan avaliado como APTO ao trabalho e não foi constatado qualquer

Pereira, Data de Julgamento: 18/12/2018, 3ª Turma, Data de incapacidade laboral'.

Publicação: DEJT 07/01/2019; TST - AIRR: Seguindo o magistério do eminente Ministro Maurício Godinho

101957120155030111, Data de Julgamento: 07/11/2018, Data de Delgado, na obra Curso de Direito do Trabalho, editora LTr, 2ª

Publicação: DEJT 09/11/2018. Portanto, inviável o edição, página 618:

conhecimento do recurso de revista porque a parte recorrente 'O montante indenizatório, com respeito ao dano moral

não atendeu o inciso I do § 1º-A do artigo 896 da Consolidação (inclusive estético), é fixado pelo órgão judicante por meio de

das Leis do Trabalho. um juízo de equidade. É claro que a sensatez (equilíbrio),

CONCLUSÃO equanimidade, isenção, imparcialidade devem operar sempre

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. no exercício desse juízo de equidade. A partir dos critérios

Publique-se e intime-se. orientadores, aferidos e cotejados com sensatez,

equanimidade, isenção e imparcialidade, estima-se (a operação

Recurso de:DIEGO FRANCISCO MARQUES SAUNIER é de arbitramento) o valor compensatório pelo dano moral,

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS estético ou à imagem produzido'. (grifamos)

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão Esse juízo de equidade ensinado pelo preclaro jurista laboral é

publicada em 01/10/2020 - id. 0cbb061; recurso apresentado em princípio informador do juiz para o arbitramento do valor

14/10/2020 - id. c795ac4). compensatório por dano moral porque o Código Civil, no seu

Regular a representação processual (id. 88dc15c). art. 944, dispõe que 'a indenização mede-se pela extensão do

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência dano', sendo estritamente subjetiva a análise em situações

judiciária gratuita, conforme sentença (id. ae51bdf), nos termos inerentes ao dano moral.

da OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. Nesse enfoque, o arbitramento do valor é orientado pelos

seguintes critérios enumerados pelo doutrinador citado: o

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS tocante ao ato ofensivo em si; à relação do ato com a

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano comunidade; à pessoa do ofendido; à pessoa do ofensor e a

Moral/Valor Arbitrado. existência ou não de retratação espontânea e cabal pelo

Alegação(ões): ofensor e a extensão da reparação alcançada por esse meio

- violação da (o) artigo 944 do Código Civil. pelo ofendido.

O recorrente alega que, embora tenhaconsiderado que houve Nesta ordem, considerando todas as diretrizes no tocante a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 104
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

incapacidade laborativa permanente do reclamante para o arbitrado em parcela única (art. 950 do CC) no valor de

trabalho em determinadas funções que exijam a uso da visão R$384.996,43 (trezentos e oitenta e quatro mil e quarenta e três

bilateral, a extensão da lesão sofrida (perda irreversível e centavos).

permanente da visão do olho direito), entendo como razoável Todavia, no que tange ao valor do pensionamento, merece

pagamento da quantia a R$50.000,00 (cinquenta mil reais), a ainda mais um reparo o decisum pois, no caso de pagamento

título de danos morais e estéticos, reparando, com justiça, os em parcela única (artigo 950, parágrafo único, do Código Civil),

danos sofridos pelo autor e atendendo, ainda, ao caráter cabe ao juiz o arbitramento, não se aplicando mero cálculo

punitivo e pedagógico da sanção, aí considerados fatores matemático, o que deve, contudo, servir de suporte para evitar

como: o grau de culpabilidade da empresa, a gravidade e enriquecimento ilícito.

extensão do dano e o desestímulo da prática de ato ilícito. Nesse contexto, ao meu sentir, entendo como razoável arbitrar

Assim, neste tópico, reforma-se parcialmente a sentença para os danos materiais em R$101.000,00(cento e um mil reais),

reduzir o valor indenizatório de R$100.000,00, para R$50.000,00 valor este que o reclamante teria direito de receber ao longo de

(cinquenta mil reais), guardando proporcionalidade com o dano 49 anos e que, se fosse aplicado na poupança, com um

sofrido pelo reclamante, cujo quadro não é passível de rendimento de 0,5% ao mês, render-lhe-ia R$ 605,00

reversão. (seiscentos e cinco reais), o que se aproxima do valor mensal a

Tema comum às partes - Dano material - pensionamento. que faria jus, equivalente a 30% do salário contratual

Com relação ao dano material o juízo de origem condenou a (R$2.814,64; 30%=R$604,39).

reclamada ao pagamento da quantia equivalente a 50 vezes o Nesse mesmo sentido é o entendimento da Excelsa Corte

último salário percebido pelo autor, ou seja, R$2.814,64 x 50, Trabalhista, ou seja, que o pagamento da pensão em parcela

perfazendo o montante de R$140.732,00 (cem e quarenta mil, única implica a redução equitativa do valor com o objetivo de

setecentos e quarenta e dois reais). se impedir o enriquecimento sem causa.

A reclamada insurge-se contra o julgado, requerendo a redução Eis os seguintes precedentes:

desse valor, enquanto a parte autora também recorreu RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELA SEGUNDA

adesivamente buscando a majoração. RECLAMADA. ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA MALHA SUL

É evidente que a perda da visão, ainda que parcial e que não S.A. (...) 4. PAGAMENTO ANTECIPADO DA PENSÃO MENSAL.

resulte em incapacidade para o trabalho, traz experiência de DESÁGIO. ART. 950 DO CC. Nos moldes elencados pelo art.

sofrimento ao trabalhador, tanto no momento do acidente 950 do CC, 'se da ofensa resultar defeito pelo qual o ofendido

como após este, pois que terá que despender sempre maiores não possa exercer o seu ofício ou profissão, ou se lhe diminua

esforços em comparação aos demais empregados que laborem a capacidade de trabalho, a indenização, além das despesas do

na mesma função e que possuem a visão bilateral. tratamento e lucros cessantes até ao fim da convalescença,

Por outro lado, em relação à expectativa de vida, pretendida incluirá pensão correspondente à importância do trabalho para

pelo reclamante, esta mostra-se desarrazoada, vez que que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu'. Dentro

consoante a Tábua de Mortalidade do IBGE, essa expectativa deste contexto, tem-se que a pensão para a hipótese de

resta estabelecida em 75 anos de idade: incapacidade para o trabalho é vitalícia, sendo que o

Assim, considerando que na data do evento ocorrrido em arbitramento em cota única fica circunscrito a certa idade e

24/10/2014, o autor contava 26 anos e 2 meses de idade (d.n. com a necessária avaliação da situação financeira da empresa,

06/08/1988 - identidade às fls. 15), deve ser deferido o mas a antecipação do pagamento da pensão mensal em cota

pensionamento até a idade de 75 anos, no valor única, a qual seria paga mensalmente ao longo dos anos, deve

correspondente a 30% do salário, tendo em vista que não ficou importar na adequação do somatório global, de modo a impedir

inválido para o labor, tanto é que, após o evento danoso voltou o enriquecimento sem causa diante da imediata percepção de

a trabalhar na reclamada na mesma função, conforme relatado elevado montante, o qual possibilita ao empregado administrar

no laudo pericial - fls. 724: 'Afastado do trabalho por benefício como melhor lhe aprouver a importância recebida, constituindo

previdenciário por 06 meses, voltou a trabalhar para a benesse ao trabalhador. Assim, ocorrendo o pagamento em

reclamada por mais 02 anos quando fora demitido'. cota única, com a antecipação daquilo que o trabalhador iria

Desse modo, tem-se os cálculos: (R$2.814,64; 30%=R$604,39), receber gradualmente, ou seja, com antecipação das parcelas

multiplicado por 635 meses (com a inclusão do 13º salário), que seriam diluídas ao longo do tempo, aplica-se um deságio

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 105
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

sobre o valor fixado com observância da redução da da indenização está em sintonia com os critérios legais para a

capacidade laboral, da remuneração e da idade do trabalhador, sua fixação. Agravo de instrumento desprovido. (AIRR-11824-

bem como da sua expectativa de vida, sendo certo que a 55.2013.5.03.0142, Rel. Min. Maurício Godinho Delgado, 3ª

aplicação de um redutor, na hipótese, 10%, não resulta em Turma, DEJT de 26/2/2016)

diferença entre o dano e a indenização, mas, sim, em RECURSO DE REVISTA DA RECLAMANTE - DOENÇA

adequação do quantum devido, diante do pagamento OCUPACIONAL - INCAPACIDADE PARCIAL PARA O

antecipado. Recurso de revista conhecido e provido, no TRABALHO - PENSÃO VITALÍCIA - PAGAMENTO EM PARCELA

particular. (...) (RR-1047-48.2012.5.04.0811, Relatora Ministra ÚNICA - APLICAÇÃO DE REDUTOR. O exercício da opção

Dora Maria da Costa, Data de Julgamento: 27/04/2016, 8ª Turma, prevista no parágrafo único do art. 950 do CCB, quanto ao

DEJT 29/4/2016). (Grifei) recebimento, em cota única, da pensão vitalícia prevista no

(...) 6. PRELIMINAR DE NULIDADE POR NEGATIVA DE caput do referido artigo, no caso de incapacidade parcial ou

PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. 7. NULIDADE POR total para o trabalho, delimita o cálculo da referida parcela. Isto

CERCEAMENTO DE DEFESA. SÚMULA 297/TST. 8. ACIDENTE é, no cálculo, o cômputo das parcelas devidas a título de

DE TRABALHO. RESPONSABILIDADE CIVIL. DANOS MORAIS, pensão deve observar limite de idade, a ser considerado a

ESTÉTICOS E MATERIAIS. DIVERGÊNCIA JURISPRUDENCIAL partir da expectativa de vida média prevista para a idade do

NÃO COMPROVADA. ARESTOS INESPECÍFICOS. SÚMULA trabalhador no momento do arbitramento, bem como deve

296/I/TST. 9. PENSÃO MENSAL VITALÍCIA. PAGAMENTO EM sofrer a aplicação de redutor que compense as vantagens

PARCELA ÚNICA. DECISÃO DENEGATÓRIA. MANUTENÇÃO. A decorrentes da antecipação do pagamento, como medida de

jurisprudência desta Corte tem entendido que o juiz pode atuar equidade e vedação do enriquecimento ilícito. Recurso de

com relativa discricionariedade para escolher o critério da revista conhecido e desprovido. (RR-2888100-

condenação relativas aos danos materiais, de modo que sua 54.2009.5.09.0006, Relator Ministro Luiz Philippe Vieira de Mello

decisão corresponda ao equilíbrio entre a efetividade da Filho, 7ª Turma, DEJT 15/4/2016)

jurisdição e a equidade entre as partes, a teor dos precedentes RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO NA VIGÊNCIA DA LEI Nº

desta Corte. Noutro norte, a opção do Reclamante, no tocante 13.015/2014. REDUÇÃO DA CAPACIDADE LABORAL. PENSÃO

ao pedido de pagamento da indenização de pensão em cota MENSAL. PAGAMENTO EM PARCELA ÚNICA. REDUTOR

única (parágrafo único do art. 950 do CCB), conforme APLICÁVEL. ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA NÃO

autorizado pelo novo Código Civil, tem como efeito a redução CONFIGURADO. Determinado pelo eg. Tribunal Regional a

do valor a que teria direito em relação à percepção da pensão aplicação de redutor no cálculo da parcela única

paga mensalmente. Isso porque a pensão prevista no caput do correspondente à pensão mensal devida em razão da redução

art. 950 CCB, no caso de incapacidade para o trabalho, é da capacidade laboral do reclamante, não há falar em

vitalícia, e o cálculo em cota única, obviamente, fica delimitado enriquecimento sem causa, na medida em que foi considerado

a determinada idade, além de ser necessária a ponderação em o fato de a parte estar recebendo o montante de uma só vez.

relação à condição financeira do empregador, sob pena de Daí porque a incidência de redutor. Incólume o artigo 884 do

inviabilizar inclusive sua atividade econômica em algumas CC. Recurso de revista não conhecido. (RR-1008-

situações. De todo modo, antecipação temporal da parcela 35.2013.5.04.0611, Relator Ministro Aloysio Corrêa da Veiga, 6ª

devida em dezenas ou centenas de meses em um montante Turma, DEJT 18/12/2015)

único imediato importa, sem dúvida, na adequação do (...) ACIDENTE DO TRABALHO. REDUÇÃO DA CAPACIDADE

somatório global, para evitar enriquecimento sem causa. Na LABORATIVA. DANOS MATERIAIS. INDENIZAÇÃO PAGA DE

hipótese, no cálculo da indenização, foram sopesados a UMA SÓ VEZ. 1. A indenização prevista no artigo 950 do

redução da capacidade laboral definitiva para o trabalho que Código Civil destina-se a reparar a lesão sofrida pela parte

exercia (amarrador de carretas), o percentual de 20% sobre a quanto aos valores que deixaram de ser percebidos em virtude

última remuneração do Obreiro, bem como a expectativa de do evento danoso. O referido dispositivo legal, em seu

vida do Reclamante (74,6 - segundo dados do IBGE) e a idade parágrafo único, prevê, a seu turno, a possibilidade da parte

deste quando da consolidação das lesões (19 anos), e sobre o prejudicada exigir que tal indenização seja arbitrada e paga de

valor obtido foi aplicado um redutor de 30%, a ser pago em uma só vez. 2. Nos termos do quadro fático delineado pelo

parcela única. Estabelecidas tais premissas, tem-se que o valor Tribunal Regional, constata-se que a incapacidade do

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 106
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

reclamante para o desempenho de sua profissão foi de 100%, Decisão


Processo Nº ROT-0000326-41.2019.5.11.0008
razão pela a pensão a ser paga de uma só vez deve ser Relator JOSE DANTAS DE GOES
calculada sobre a totalidade da remuneração percebida pelo RECORRENTE DEBORA RODRIGUES DE SOUZA
ADVOGADO JOCILIA TEMIS DA SILVA
autor à época do acidente do trabalho, aplicando-se o redutor MORAES(OAB: 10644/AM)
pelo recebimento antecipado e observando-se os limites do ADVOGADO JOCIL DA SILVA MORAES(OAB:
1298/AM)
pedido formulado na petição inicial e no Recurso de Revista. 3. RECORRIDO DIGITRON DA AMAZONIA
INDUSTRIA E COMERCIO S. A.
Recurso de Revista conhecido e provido. (...) (RR-119700-
ADVOGADO NATASJA
49.2007.5.18.0211, Relator Desembargador Convocado Marcelo DESCHOOLMEESTER(OAB:
2140/AM)
Lamego Pertence, 1ª Turma, DEJT 4/12/2015)

Assim, considerando as disposições contidas nos artigos 944 e Intimado(s)/Citado(s):


- DEBORA RODRIGUES DE SOUZA
950 do CCB/2002, bem como que a jurisprudência do TST é

assente no sentido de que é possível a aplicação de um redutor

no caso de antecipação dos valores devidos a título de pensão

mensal em uma única parcela, entendo que a decisão de PODER JUDICIÁRIO


origem, deve ser reformada para reduzir a indenização por JUSTIÇA DO TRABALHO
danos materiais ao valor de R$101.000,00(cento e um mil reais),
Fundamentação
a ser pago em parcela única (parágrafo único do artigo 950 do

Código Civil),apurado na sentença de liquidação.


RECURSO DE REVISTA
DISPOSITIVO
Tramitação Preferencial
Pelo exposto, conheço dos recursos das partes. Nego
Lei 13.015/2014
provimento ao adesivo do reclamante e, provejo parcialmente,
Lei 13.467/2017
para o efeito de reformando a decisão guerreada, reduzir ao

valor de R$50.000,00 (cinquenta mil reais) a indenização por

dano moral, bem como, para R$101.000,00(cento e um mil

reais) a indenização por danos materiais a ser pago em parcela

única, mantendo a sentença nos demais termos por seus

próprios fundamentos.

(...)'

No presente caso, observa-se que o entendimento manifestado


Recorrente(s): DEBORA RODRIGUES DE
pela Turma está assentado no substrato fático-probatório
SOUZA
existente nos autos. Para se concluir de forma diversa seria

necessário revolver fatos e provas, propósito insuscetível de Advogado(a)(s): JOCÍLIA TEMIS DA SILVA
ser alcançado nesta fase processual,à luz da Súmula 126 do
MORAES e OUTROS (AM -
Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas recursais,

portanto, não encontram respaldo na moldura fática retratada Recorrido(a)(s): DIGITRON DA AMAZÔNIA
na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação aos INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.
preceitos da legislação federal e de divergência jurisprudencial.

CONCLUSÃO Advogado(a)(s): NATASJA


DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. DESCHOOLMEESTER(AM -
Publique-se e intime-se.

cdss
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
Assinatura
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
MANAUS, 5 de Novembro de 2020.
publicada em 23/09/2020 - id. bf8baa5; recurso apresentado em

05/10/2020 - id. 4f0d60a).


LAIRTO JOSE VELOSO
Regular a representação processual (id. facf96a).
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 107
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência como de natureza grave, razão pela qual defiro indenização

judiciária gratuita, conforme sentença (id. 94ea13c), nos termos da equivalente a vinte vezes o último salário contratual da autora, ou

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. seja, R$24.000,00.

Examina-se.

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Antes de adentrar no mérito da questão, ressalta-se que o

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano pedido de danos morais foi fundamentado na dispensa

Moral/Atos Discriminatórios. arbitrária e discriminatória e não na doença ocupacional.

Alegação(ões): Acerca da legalidade da dispensa, é certo que, consoante o

- contrariedade à(ao) : Súmula nº 443 do Tribunal Superior do ordenamento jurídico pátrio, a ruptura imotivada do vínculo de

Trabalho. emprego constitui direito potestativo do empregador, porém,

- violação do(s) incisos V e X do caput do artigo 5º; §2º do artigo 5º apesar de se reconhecer a natureza potestativa de tal direito, não

da Constituição Federal. se trata de faculdade de caráter absoluto, uma vez que a lei

- violação da (o) artigos 186 e 944 do Código Civil. prevê diversas limitações ao seu exercício, como é o caso, por

Arecorrente sustenta que faz jus à indenização por danos morais, exemplo, do aviso prévio e das garantias provisórias de emprego,

haja vista ter sido afastada por auxílio-doença simples, o que a assim como a Constituição Federal, em seus arts. 3º e 7º, que

impediu de usufruir da estabilidade acidentária. vedam expressamente qualquer forma de discriminação e proíbem

Consta no v. acórdão (id. f3daa9f): tratamento diferenciado, inclusive no que se refere aos critérios de

'(...) 2.MATÉRIA COMUM AOS RECURSOS admissão ou demissão do empregado.

INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. DISPENSA ARBITRÁRIA. Art. 3º, CF/88. Constituem objetivos fundamentais da República

QUANTUM. Federativa do Brasil:

Requer a Reclamada o indeferimento do pedido de danos morais I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;

por dispensa arbitrária e discriminatória. Alternativamente, pleiteou (...)

a redução do valor da indenização. IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça,

Por outro lado, a Reclamante, em sede de recurso adesivo, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

argumentou que o valor deferido a título de danos morais não Art. 7º, CF/88. São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais,

observou a extensão da lesão, pugnando pela sua majoração. além de outros que visem à melhoria de sua condição social:

Em sua sentença de primeiro grau, assim fundamentou o (...)

Magistrado de piso, ao deferir os danos morais e fixar o valor da XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e

indenização: critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência;

DANOS MORAIS Nesse contexto, convém, também, lembrar que o art. 129 do Código

A reclamante postula indenização por danos morais pelo fato de ter Civil, aplicável aos contratos de trabalho por força do disposto no

sido dispensada no curso do período da estabilidade acidentária, art. 8º da CLT, fulmina de nulidade os atos obstativos ao exercício

sustentando ser a dispensa discriminatória e arbitrária. de direito a respeito do qual se estabeleça condição cujo

Embora não se possa presumir, no caso concreto, que a dispensa implemento seja, intencionalmente, obstaculizado por aquele a

no curso do período da estabilidade acidentária seja discriminatória, quem tal condição desfavoreça. Tal previsão ostenta, portanto, o

configurou-se, indiscutivelmente, numa infração grave praticada evidente objetivo de repudiar a má-fé na execução de negócios

pelo empregador. jurídicos.

Isto porque tal ato atingiu diretamente a dignidade da reclamante, Art. 129, CC/02. Reputa-se verificada, quanto aos efeitos jurídicos,

que se viu desamparada em momento de fragilidade. a condição cujo implemento for maliciosamente obstado pela parte

Friso que a dispensa ocorreu de forma deliberada, revelando o a quem desfavorecer, considerando-se, ao contrário, não verificada

descaso da reclamada com a saúde do trabalhador. a condição maliciosamente levada a efeito por aquele a quem

Assim, entendo cabível a indenização postulada. Por conseguinte, aproveita o seu implemento.

tendo por base os parâmetros do art. 223-G da CLT, em especial, a Deste modo, também o ato jurídico consistente na dispensa de

natureza do bem jurídico tutelado e a situação econômica das empregado deve obediência às restrições impostas por tal

partes, sendo a reclamada empresa de grande porte e a autora dispositivo legal, razão pela qual, se o rompimento do ajuste laboral

pessoa de poucos recursos, entendo que a ofensa se enquadra se der com a finalidade de frustrar o adimplemento de condição

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 108
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

para exercício de um direito, deve ser considerado nulo.

Ainda, o art. 9º, CLT c/c o art. 166, IV e VI, CC/02, prevê a nulidade Observa-se que o entendimento manifestado pela Turma está

dos atos praticados com o objetivo de fraudar a lei. assentado no substrato fático-probatório existente nos autos, tendo

A própria consolidação das leis trabalhistas impõe a obrigatoriedade restado consignado no acórdão recorrido que 'não há qualquer

de realização dos exames admissional e demissional (art. 168, prova no sentido de que a dispensa da Autora tenha ocorrido por

CLT), objetivando, tanto resguardar o empregador quanto à discriminação, em virtude das alegadas patologias'. Para se concluir

contratação de empregado doente, quanto proteger o empregado de forma diversa seria necessário revolver fatos e provas, propósito

de ser demitido encontrando-se inapto para o labor. insuscetível de ser alcançado nesta fase processual, à luz da

Na hipótese em apreço, não há como atribuir à Reclamada qualquer Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho. As assertivas

conduta discriminatória em face da doença que acometeu a Autora, recursais, portanto, não encontram respaldo na moldura fática

uma vez que as patologias alegadas pela autora não trazem retratada na decisão recorrida, o que afasta a tese de violação ao

estigma, como, por exemplo, câncer, aids ou alguma doença preceito da legislação federal invocado.

transmissível. Não se vislumbra possível violação aos dispositivos constitucionais

Além disso, não há qualquer prova no sentido de que a dispensa da mencionados porque não foi atendida a exigência do

Autora tenha ocorrido por discriminação, em virtude das alegadas prequestionamento. O Colegiado não se pronunciou a respeito da

patologias. sua aplicaçãoà hipótese dos autos, tampouco solucionou a

Nessa medida, esses fatos revelam que a Reclamada não controvérsia à luz dessas normas. Aplicam-se a Orientação

direcionou à Autora qualquer conduta discriminatória em razão das Jurisprudencial 118 da Subseção I Especializada em Dissídios

patologias nos punhos, cotovelos ou ombros. Individuais e a Súmula 297, ambas do Tribunal Superior do

Diante desse cenário, não há como se reconhecer que a dispensa Trabalho

da Autora deu-se em virtude das doenças alegadas por ela, as CONCLUSÃO

quais sequer podem ser tidas como grave, como exige a Súmula nº DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

443 do TST, porquanto, os fatos relatados demonstram a ausência Publique-se e intime-se.

de qualquer conduta discriminatória da Reclamada em relação ao jbas

estado de saúde da Reclamante. Assinatura

Ressalte-se que, a despeito de a dispensa da autora ter sido MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

reputada inválida, pois, como já exposto alhures, encontrava-se em

gozo de estabilidade acidentária, este fato, por si só, não é capaz LAIRTO JOSE VELOSO

de gerar danos à honra ou à imagem da trabalhadora. Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

Assim, dá-se provimento ao apelo da Reclamada no ponto, para Decisão


Processo Nº RORSum-0000403-26.2019.5.11.0016
excluir, da condenação, a indenização por danos morais, e, por via Relator DAVID ALVES DE MELLO JUNIOR
de consequência, nega-se provimento ao apelo adesivo da RECORRENTE AMAZON SECURITY LTDA
ADVOGADO ALYSSON SILVA FALCAO(OAB:
Reclamada. 6158/AM)
(...) RECORRIDO MARCIO JOSE BENARROS DA
SILVA
ISTO POSTO, ADVOGADO GILMAR CESAR DA SILVA
SANTOS(OAB: 10770/AM)
ACORDAM os Desembargadores do Trabalho da TERCEIRA

TURMA do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, por Intimado(s)/Citado(s):


unanimidade de votos, CONHECER dos recursos interpostos pelas - AMAZON SECURITY LTDA

partes e, no mérito, NEGAR PROVIMENTO ao Recurso Adesivo da

Reclamante e DAR PARCIAL PROVIMENTO ao Recurso Ordinário

interposto pela Reclamada para, excluir da condenação a


PODER JUDICIÁRIO
indenização por danos morais decorrentes de dispensa arbitrária.
JUSTIÇA DO TRABALHO
Mantidos os demais termos estabelecidos na sentença de primeiro

grau. Tudo na forma da Fundamentação. Custas pela Reclamada Fundamentação

no importe de R$ 460,68 calculadas sobre o novo valor ora RECURSO DE REVISTA

arbitrado à condenação de R$ 23.034,17'. Tramitação Preferencial

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 109
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

empregado nos referidos danos.

5. A empresa recorrente argumenta que os descontos foram

previstos no contrato de trabalho e o reclamante tomou

conhecimento e de sua ocorrência, concordando com eles,

conforme documentos nos autos (ID. 7cf0495, ID. 9469f19 e ID.

8175341).

6. Nos termos do art. 462 da CLT, ao empregador é vedado


Recorrente(s): AMAZON SECURITY LTDA efetuar qualquer desconto nos salários do empregado, salvo

quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de Lei

ou de contrato coletivo. O § 1º do dispositivo ressalva: Em caso


Advogado(a)(s): ALYSSON SILVA FALCÃO de dano causado pelo empregado, o desconto será lícito,
(AM - 6158) desde de que esta possibilidade tenha sido acordada ou na

ocorrência de dolo do empregado.


Recorrido(a)(s): MÁRCIO JOSÉ BENARROS
7. O ônus da prova da licitude dos descontos salariais recai
DA SILVA
sobre a reclamada. Transcrição dos depoimentos (ata de

audiência, ID. 40ed5af):


Advogado(a)(s): GILMAR CÉSAR DA SILVA
Reclamante: que foi admitido na empresa em 14/04/2017 até
SANTOS (AM - 10770)
10/08/2018, na função de supervisor de segurança; que foi dada

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS baixa na CTPS; que apenas recebeu FGTS e multa de 40% a

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão título de verbas rescisórias; que realizava serviço externo, em

publicada em 29/09/2020 - id. d4d3773; recurso apresentado em veículo da empresa, visitando os clientes para verificar se o

08/10/2020 - id. efaeadc). serviço estava sendo corretamente prestado; que foram

Regular a representação processual (id. c6c733c). efetuados descontos no salário em razão de um pneu e de

Satisfeito o preparo (ids. c62fbe0, 3a8d864, b5e7a86), nos acidente com veículo; que a empresa justificava os descontos

termos do artigo 899, §11 da Consolidação das Leis do em razão da necessidade de ressarcimento do veículo locado

Trabalho. (...)

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Preposta da reclamada: que trabalha para a reclamada desde

Rescisão do Contrato de Trabalho/Verbas Rescisórias. 23/12/2012, na função de psicóloga da empresa; que a empresa

Alegação(ões): efetua descontos na remuneração dos empregados, por avaria

- violação do(s) inciso III do artigo 5º;inciso LIV do artigo aos veículos, quando é verificada ausência de

5º;inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal. responsabilidade no exercício da atividade; que não tem

- violação da (o) inciso I do artigo 818 da Consolidação das Leis conhecimento se houve sindicância para verificar a

do Trabalho; §2º do artigo 462 da Consolidação das Leis do responsabilidade do reclamante nas situações em que foram

Trabalho;artigo 373 do Código de Processo Civil de 2015. efetuados os descontos no seu salário; que as verbas

- divergência jurisprudencial. rescisórias foram regularmente pagas; que o reclamante

A recorrente alega que as verbas foram devidamente pagas e assinou o documento no ato de contratação autorizando

que sempre foi deconhecimento do autor desde a admissão descontos em caso de responsabilidade por avarias no veículo

que qualquer dano causado à empresa seriaapós evidenciada utilizado (...)

culpa, de ônus dequem deu causa. ARMINDO BARBOSA GUIMARÃES FILHO, primeira testemunha

Consta no v. acórdão (id. 7280891): arrolada pelo reclamante: que trabalhou para a reclamada de

'(...) novembro de 2016 a fevereiro de 2019, na função de gerente

Recurso da reclamada operacional, sendo superior hierárquico do reclamante; que o

4. O Juízo de 1º Grau deferiu a devolução dos descontos (R$ contrato do reclamante foi extinto sem justa causa; que era

3.142,32) efetuados no salário do reclamante, a título de política da empresa efetuar descontos na remuneração dos

reparação a danos causados no veículo com o qual trabalhava, empregados por avaria nos veículos; que não havia sindicância

por entender que a empresa não comprovou o dolo ou culpa do para apurar responsabilidade; que foram efetuados descontos

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 110
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

na remuneração do reclamante, em razão do acidente com indenização por dano moral, exige-se comprovação efetiva de

veículo e em razão de um pneu furado. (...) que não havia algum fato objetivo a partir do qual se possa deduzir o abalo

possibilidade de negociar cláusulas contratuais no ato da moral sofrido. Precedentes. 3. Acórdão regional que defere ao

contratação; que não tem conhecimento de como é efetuado o autor indenização em virtude do atraso no pagamento de

pagamento das verbas rescisórias; que nunca participou de verbas rescisórias, presumindo a existência de danos morais,

sindicância (...) que o reclamante comentou com o depoente contraria o entendimento desta Corte sobre o tema e viola, em

sobre os descontos efetuados em sua remuneração; que o decorrência, o art. 186 do CCB. 4. Agravo de instrumento de

documento de ID.d 9d8615 é o documento padrão utilizado pela que se conhece e a que se dá provimento. RECURSO DE

empresa; que o documento não se refere a resultado de REVISTA. DANO MORAL. ATRASO NO PAGAMENTO DAS

sindicância, sendo apenas um documento informativo; que VERBAS RESCISÓRIAS. NÃO CARACTERIZAÇÃO.1. Dano

ocorrências de qualquer natureza são registradas através do moral trabalhista é o agravo ou o constrangimento moral

referido documento... infligido quer ao empregado, quer ao empregador, mediante a

FÁBIO DE OLIVEIRA MAUÉS, segunda testemunha arrolada violação a direitos ínsitos à personalidade, como consequência

pelo reclamante:que trabalhou para a empresa reclamada de da relação de emprego. Não se identifica, pois,

2016 a 2019, na função de supervisor operacional; que o necessariamente, com qualquer infração da legislação

reclamante falou para o depoente sobre os descontos em sua trabalhista, eis que tal implicaria banalizar e retirar seriedade

remuneração; que o depoente também sofreu descontos na ao instituto. 2. O mero atraso no pagamento de verbas

sua remuneração, em razão de multas de trânsito; que a rescisórias, a exemplo do eventual retardamento no pagamento

empresa nunca informou quais as infrações de trânsito de salários, não afronta os direitos de personalidade do

cometidas pelo depoente (...) empregado, de modo a caracterizar dano moral. 3. Acórdão

8. A prova oral confirma a inexistência de qualquer apuração de regional que defere ao autor indenização em virtude do atraso

dolo ou culpa do reclamante em relação aos danos causados no pagamento de verbas rescisórias, sem a comprovação de

ao veículo, sendo mesmo devida a devolução dos valores efetivo prejuízo advindo desse atraso, contraria o entendimento

descontados a esse título. Mantida a Sentença nesse item. dessa Corte sobre o tema e viola o art. 186 do CCB. 4. Recurso

9. Contudo, não se presume a ocorrência do dano moral pelo de revista de que se conhece e a que se dá provimento para

simples descumprimento das Leis trabalhistas, no presente excluir da condenação o pagamento de indenização por dano

caso o desconto salarial referente a danos causados à empresa moral. (TST - RR: 117008320135130016Data de Julgamento:

sem a respectiva apuração do dolo ou culpa do empregado. O 04/03/2015, Data de Publicação: DEJT 06/03/2015)

dano moral atinge os direitos da personalidade, não estando o 12. Reforma-se, pois, a Sentença, para excluir da condenação a

mero descumprimento de obrigações legais e contratuais apto indenização por danos morais, concedendo-se parcial

a caracterizá-lo, de acordo com a doutrina e jurisprudência. provimento ao Recurso da reclamada.

10. O dever do Poder Judiciário é reconhecer os casos em que 13. Observados os critérios e demais disposições do art. 791-A,

realmente há o dano e atribuir indenização de valor da CLT, mantida a condenação de ambas as partes ao

proporcional à ofensa. O enriquecimento fácil deve ser pagamento de honorários sucumbenciais recíprocos a 5%

combatido, para não fortalecer a vulgarização do instituto, sobre o valor apurado da condenação, em favor da

conhecida como 'indústria do dano moral'. representação do reclamante, e sobre o valor dos pleitos

11. O entendimento da máxima Corte Trabalhista caminha no integralmente indeferidos, em favor da representação da

sentido de que o descumprimento de obrigações decorrentes reclamada, observada a suspensão da exigibilidade, nos

do contrato de trabalho não enseja, por si só, o pagamento da termos do art. 791-A, §4º da CLT, por ser o demandante

indenização por danos morais, haja vista que a legislação beneficiário de justiça gratuita.

trabalhista já prevê as consequências cabíveis. ISTO POSTO

AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. DANO ACORDAM os Desembargadores da 1ª Turma do Tribunal

MORAL. ATRASO NO PAGAMENTO DAS VERBAS Regional do Trabalho da 11ª Região, por unanimidade de votos;

RESCISÓRIAS. 1. O mero inadimplemento das verbas conhecer dos Recursos Ordinários; negar provimentoao do

rescisórias não induz, por si só, afronta aos direitos de reclamante; e conceder parcial provimento ao da reclamada

personalidade do empregado. 2. Para o deferimento de para, reformando a Decisão apelada, excluir da condenação a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 111
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

indenização por danos morais, mantendo-a em seus demais MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

termos, conforme argumentos acima expostos. Honorários

sucumbenciais recíprocos a 5%. Mantidas as custas LAIRTO JOSE VELOSO

estipuladas em 1º. Grau. Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11

(...)' Decisão
Processo Nº RORSum-0002480-47.2015.5.11.0016
Relator ADILSON MACIEL DANTAS
De início, declaro prejudicada a análise da divergência RECORRENTE MANPOWER STAFFING LTDA.
ADVOGADO BENEDICTO CELSO BENICIO
jurisprudencial e da legislação infraconstitucional apontada JUNIOR(OAB: 131896/SP)
como violada, por força do art. 896, § 9º da CLT, que define as RECORRIDO PALOMA GOMES DE OLIVEIRA
ADVOGADO LUIZ CARLOS SANTOS
hipóteses em que a interposição do Recurso de Revista é JUNIOR(OAB: 9749/AM)
admitida em se tratando de feito que tramita segundo o
Intimado(s)/Citado(s):
procedimento sumaríssimo, quais sejam: contrariedade à
- MANPOWER STAFFING LTDA.
norma constitucional, à súmula do Tribunal Superior do - PALOMA GOMES DE OLIVEIRA
Trabalho ou súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal.

Ademais, não se vislumbra possível violação aos dispositivos

constitucionaismencionados, porque não foi atendida a


PODER JUDICIÁRIO
exigência do prequestionamento. O Colegiado não se
JUSTIÇA DO TRABALHO
pronunciou a respeito da sua aplicação à hipótese dos autos,

tampoucofoi instada a fazê-lo mediante oposição de embargos Fundamentação


de declaração. Aplicam-se a Orientação Jurisprudencial 118 da RECURSO DE REVISTA
Subseção I Especializada em Dissídios Individuais e a Súmula Tramitação Preferencial
297, ambas do Tribunal Superior do Trabalho. Lei 13.015/2014
Ainda que se adotasse entendimento mais favorável, a violação Incidente de Assunção de Competência
constitucional apontada pela recorrente, se houvesse, seria

meramente reflexa, o que é insuficiente para autorizar o

seguimento do recurso de revista, de acordo com as reiteradas

decisões da Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais

do Tribunal Superior do Trabalho (AIRR - 1000615-

14.2015.5.02.0471 , Relatora Ministra: Maria Helena Mallmann,

Data de Julgamento: 25/10/2017, 2; Turma, Data de Publicação:

DEJT 27/10/2017, AIRR - 55641-78.2004.5.09.0091, julgado em Recorrente(s): MANPOWER STAFFING

24.2.2010, Relatora Ministra Maria de Assis Calsing, 4; Turma, LTDA

DEJT de 5.3.2010; RR - 17800-25.2006.5.02.0301, julgado em


Advogado(a)(s): BENEDICTO CELSO BENÍCIO
14.10.2009, Relatora Ministra Rosa Maria Weber, 3; Turma,

DEJT de 13.11.2009). JÚNIOR (exclusividade - id.

Neste aspecto,a alegada ofensa ao artigo 5º, inciso II, da


Recorrido(a)(s): PALOMA GOMES DE
Constituição Federal, que consagra o princípio da legalidade,
OLIVEIRA
não se caracteriza diretamente, como exige o artigo 896 da

Consolidação das Leis do Trabalho. Eventual afronta ao


Advogado(a)(s): LUIZ CARLOS SANTOS
dispositivo constitucional tambémseria apenas reflexa, o que
JÚNIOR (AM - 9749)
não enseja a admissibilidade do recurso de revista.

CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. REVOGAÇÃO DO SOBRESTAMENTO


Publique-se e intime-se. Em face da Certidão de id. e9c32c9, revogo o sobrestamento do
cdss presente processo, passando à análise dos pressupostos de
Assinatura admissibilidade do recurso de revista.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 112
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

ADVOGADO CASSIA CAROLINA VOLLET


CUNHA(OAB: 9233-B/MT)
ADVOGADO LUCIANO PORTEL MARTINS(OAB:
PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS 7497/MT)
Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão RECORRIDO ANTONIO AGNALDO DA CUNHA
MAFRA
publicada em 05/06/2018 - id. 11800f8; recurso apresentado em ADVOGADO TULIO CIRIOLI ALENCAR(OAB:
4050/RO)
15/06/2018 - id. ).
ADVOGADO CAROLINE FRANCA FERREIRA
Regular a representação processual (id. 063a8d4). BATISTA(OAB: 2713/RO)
ADVOGADO REGINA CELIA SANTOS TERRA
Satisfeito o preparo (ids. 9e9d1e1, 7bbe363., 6d9ec20 e CRUZ(OAB: 1100/RO)
35c76bd, 3b6982f). ADVOGADO NAYLIN NICOLLE PAIXAO
NUNES(OAB: 9228/RO)

INCIDENTE DE ASSUNÇÃO DE COMPETÊNCIA Intimado(s)/Citado(s):

Satisfeitos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade do - ANTONIO AGNALDO DA CUNHA MAFRA


- HERMASA NAVEGACAO DA AMAZONIA LTDA
presente recurso, verifico haver a divergência entre a tese

firmada no julgamento do Incidente de Assunção de

Competência nº 5639-31.2013.5.12.0051 (id. f2e7814) com o

acórdão recorrido (id. 48d8a15), pelo que resta prejudicada a PODER JUDICIÁRIO

análise dos pressupostos intrínsecos do apelo quanto à JUSTIÇA DO TRABALHO

matéria objeto da uniformização.


Fundamentação

RECURSO DE REVISTA
CONCLUSÃO.
Tramitação Preferencial
Prejudicado o conhecimento do apelo.
Lei 13.015/2014
Retornem os autos à Secretaria da Segunda Turma, por força
Lei 13.467/2017
do art. 298, §1º do Regimento Interno do TST c/c art. 896-C, §11,

II da CLT.

Dê-se ciências às partes.

Assinatura

MANAUS, 5 de Novembro de 2020.

JOSE DANTAS DE GOES

Desembargador(a) do Trabalho Recorrente(s): 1.ANTÔNIO AGNALDO DA


Decisão CUNHA MAFRA
Processo Nº ROT-0000374-90.2018.5.11.0151
Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA
SILVA
Advogado(a)(s): 1.CAROLINE FRANÇA
RECORRENTE ANTONIO AGNALDO DA CUNHA
MAFRA FERREIRA BATISTA (RO -
ADVOGADO TULIO CIRIOLI ALENCAR(OAB:
4050/RO)
ADVOGADO CAROLINE FRANCA FERREIRA Recorrido(a)(s): 1.HERMASA NAVEGAÇÃO
BATISTA(OAB: 2713/RO)
ADVOGADO REGINA CELIA SANTOS TERRA DA AMAZÔNIA LTDA
CRUZ(OAB: 1100/RO)
ADVOGADO NAYLIN NICOLLE PAIXAO
NUNES(OAB: 9228/RO) Advogado(a)(s): 1.FERNANDA FAVETTI (MT -
RECORRENTE HERMASA NAVEGACAO DA 13331-O)
AMAZONIA LTDA
ADVOGADO FERNANDA FAVETTI(OAB:
13331/MT)
ADVOGADO CASSIA CAROLINA VOLLET
CUNHA(OAB: 9233-B/MT) Recurso de:ANTÔNIO AGNALDO DA CUNHA MAFRA
ADVOGADO LUCIANO PORTEL MARTINS(OAB: PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS
7497/MT)
RECORRIDO HERMASA NAVEGACAO DA Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
AMAZONIA LTDA
publicada em 01/10/2020 - id. 213dd69; recurso apresentado em
ADVOGADO FERNANDA FAVETTI(OAB:
13331/MT) 13/10/2020 - id. 0b0e7ae).

Regular a representação processual (id. 055e2aa).

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 113
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência danos materiais e morais. Já o reclamante requer a majoração

judiciária gratuita, conforme sentença (id. e48c783), nos termos da das referidas indenizações.

OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal. Sobre o quantum indenizatório, impõe-se esclarecer que,

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS quando a indenização visa à reparação de danos de ordem

DIREITO PROCESSUAL CIVIL E DO TRABALHO/Atos extrapatrimonial, diferentemente daqueles de ordem

Processuais/Nulidade/Negativa de Prestação Jurisdicional. patrimonial, sua fixação não possui parâmetros objetivos a dar

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano suporte ao julgador na mensuração respectiva, porquanto o

Material. prejuízo se situa na esfera da honra, da imagem, da intimidade

Alegação(ões): e da dignidade da pessoa humana.

- violação do(s) inciso IV do artigo 93;inciso V do artigo 5º da Diante desse panorama, para o dano de ordem meramente

Constituição Federal. moral, a doutrina e a jurisprudência têm adotado diferentes

- violação da (o) artigo 832 da Consolidação das Leis do critérios ao mensurar os valores, consoante apreciação

Trabalho;artigo 926 do Código de Processo Civil de 2015;artigo equitativa do caso concreto e as regras de experiência comum.

371 do Código de Processo Civil de 2015;artigo 489 do Código Assim, o julgador, fazendo uso da experiência comum e

de Processo Civil de 2015;artigo 950 do Código Civil;artigo 944 sopesando as circunstâncias do caso concreto, deve, com

do Código Civil;artigo 402 do Código Civil. razoabilidade e proporcionalidade, avaliar os seguintes

- divergência jurisprudencial. parâmetros: a extensão do dano, a condição socioeconômica

O recorrente alegam inicialmente, que não houve a do causador do dano e da vítima; a intensidade real e concreta

apresentação de qualquer fundamento ou explicação dos do dano; a repercussão da ofensa no meio social onde vive o

parâmetros utilizados para referida e considerável redução do ofendido; a existência de má-fé por parte do ofensor; a

valor arbitrado, em especial, o acórdão proferido não indica os possibilidade concreta de o ofensor voltar a praticar o ato

fundamentos que levaram ao afastamento dos cálculos danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo ofensor visando

apresentados em sentença, já que este demonstra,de forma minimizar a dor do ofendido; o tempo transcorrido entre o

detalhada, os valores arbitrados a título de pensão, dano evento danoso e a data do ajuizamento da ação.

materiale tratamento médico. No caso em apreço, o arbitramento de montante indenizatório

Acrescenta que apresentou embargos de declaração, no valor de R$ 24.636,55 mostra-se irrazoável e

solicitando que fosse aclarado os fundamentos que ensejaram desproporcional, razão pelo qual merece ser reduzido para R$

a redução em mais de 70% do valor arbitrado em sentença, 10.000,00.

bem como os parâmetros utilizados, todavia este foi negado Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

sem qualquer esclarecimento. dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

Assim, sustenta, os acórdãos são totalmente omissos quanto partes e do caso concreto, visto ser esse montante apto a

ao valor mensal atribuído a título de pensão, o critério adotado oferecer o necessário conforto moral ao obreiro.

para cálculo e as bases utilizadas para o computo do valor No que diz respeito ao quantum da indenização por danos

indicado, sendo referidas informações primordiais no presente materiais, vale desde logo invocar a máxima da restitutio in

feito já que o pedido se referea indenização por danos integrum, pela qual deve se impor a completa reposição da

materiais correspondentes a pensão em razão da vítima ao estado anterior. O art. 944, do Código Civil de 2002,

descapacidade laboral. adota tal princípio.

No mérito, alega que o valor deferido a título de indenização O dano material propriamente dito é incontestável haja vista

por dano material é ínfimo, em especial se considerada a que restou comprovada pelo laudo médico doença

expectativa de vida do obreiro. ocupacional. Entretanto o reclamante apresenta incapacidade

Busca ainda a majoração da indenização por dano moral. laborativa parcial de grau moderado.

Consta no v. acórdão (id. 75145c0): Não constam nos autos comprovantes de despesas médicas

'(...) do reclamante a serem ressarcidas pela reclamada.

Recurso da Reclamada e do Reclamante Assim, considerando as circunstâncias da espécie, entendo

1. Danos morais e materiais - quantum indenizatório. que a quantia fixada pelo órgão de origem, de R$ 435.574,20

A reclamada pugna pela redução do valor das indenizações por está irrazoável e desproporcional, razão pela qual merece ser

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 114
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

reduzida para R$ 30.000,00. Isso porque aparte não transcreveu o trecho dos embargos

Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada, declaratórios em que foi pedido o pronunciamento do tribunal

dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das sobre a questão veiculada no recurso ordinário , para cotejo e

partes e do caso concreto, visto ser este montante apto a verificação, de plano, da ocorrência da omissão.

oferecer o necessário conforto material ao obreiro. No mérito,apesar da insatisfação recursal manifestada pelo

Ante o exposto, dou parcial provimento ao recurso da Autor quanto ao valor indenizatório, seu recurso de revista não

reclamada e reformo a sentença para reduzir a indenização por merece processamento.

danos morais para R$ 10.000,00 e a indenização por danos Mormente porque, com relação ao quantum indenizatório,

materiais para R$ 30.000,00. cumpre registrar que o seu arbitramento encontra-se inserido

DISPOSITIVO no âmago do poder discricionário do magistrado, à luz da

Ante o exposto, conheço do recurso ordinário do reclamante, e, observância dos critérios da razoabilidade e da

no mérito, nego-lhe provimento. Conheço do recurso ordinário proporcionalidade, extraídos da análise do conjunto fático e

da reclamada, e, no mérito, dou-lhe parcial provimento para probatório de cada demanda, como se verifica nos

reduzir a indenização por danos morais para R$ 10.000,00 e a fundamentos exarados no acórdão recorrido, motivo pelo qual

indenização por danos materiais para R$ 30.000,00. não há que se cogitar em violação aos dispositivos

Custas pela reclamada no importe de R$ 2.000,00. Fica mantida mencionados, tendo em vista que seus preceitos não definem

a sentença a quo em seus demais termos, conforme uma tarifação para a proporcionalidade da indenização pelo

fundamentação. dano sofrido, cuja apuração resta reservada ao prudente

(...)' arbítrio do julgador.

De igual modo, no tocante à alegação de divergência

A Lei 13.015/2014 acrescentou o §1º-A ao artigo 896 da jurisprudencial ventilada pelo Autor, não há como acolhê-la.

Consolidação das Leis do Trabalho: Mormente considerando que a SBDI-1 do TST tem firme

§1º-A. Sob pena de não conhecimento, é ônus da parte: jurisprudência no sentido de ser inviável concluir pela

I - indicar o trecho da decisão recorrida que consubstancia o especificidade de aresto, quando se busca demonstrar o

prequestionamento da controvérsia objeto do recurso de dissenso pretoriano quanto ao valor arbitrado a título de danos

revista; morais e sua revisão, dadas as peculiaridades de cada caso, as

II - indicar, de forma explícita e fundamentada, contrariedade a circunstâncias e fatos de cada evento danoso, com seus

dispositivo de lei, súmula ou orientação jurisprudencial do reflexos singulares na ordem do bem atingido e do ofensor,

Tribunal Superior do Trabalho que conflite com a decisão fatores esses que impossibilitam o processamento da revista

regional; (Súmula nº 296, I, do TST).

III - expor as razões do pedido de reforma, impugnando todos Por fim, quanto ao valor da indenização por dano material, o

os fundamentos jurídicos da decisão recorrida, inclusive Colegiado decidiu com amparo nos elementos probatórios

mediante demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da contidos nos autos, quais sejam, a incapacidade laborativa

Constituição Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial parcial de grau moderado e o fato de nãoconstar, nos autos,

cuja contrariedade aponte. comprovantes de despesas médicas do reclamante a serem

IV - transcrever na peça recursal, no caso de suscitar ressarcidas pela reclamada. Conclusão diversa da adotada

preliminar de nulidade de julgado por negativa de prestação remeteria ao reexame de fatos e provas, procedimento vedado

jurisdicional, o trecho dos embargos declaratórios em que foi pela Súmula 126 do Tribunal Superior do Trabalho.

pedido o pronunciamento do tribunal sobre questão veiculada O recurso de revista também não se viabiliza por divergência

no recurso ordinário e o trecho da decisão regional que rejeitou jurisprudencial, porque não há identidade entre a premissa

os embargos quanto ao pedido, para cotejo e verificação, de fática descrita no acórdão e aquelas retratadas nos arestos

plano, da ocorrência da omissão. (Incluído pela Lei nº 13.467, paradigmas. Aplica-se o item I da Súmula 296 do Tribunal

de 2017) Superior do Trabalho.

No tocante à nulidade do julgado por negativa de prestação CONCLUSÃO

jurisdicional, não restou atendido o inciso IV do § 1º-A do artigo DENEGO seguimento ao Recurso de Revista.

896 da Consolidação das Leis do Trabalho. Publique-se e intime-se.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 115
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão

Recurso de:HERMASA NAVEGAÇÃO DA AMAZÔNIA LTDA corporal ou perturbação funcional, resultando a morte, a perda

PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS ou a redução, permanente ou temporária, da capacidade para o

Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão trabalho. Por extensão a lei prevê outras hipóteses, tais como a

publicada em 01/10/2020 - id. 213dd69; recurso apresentado em do acidente que atinge o empregado em seu caminho de casa

14/10/2020 - id. 4b542cb). para o trabalho ou vice-versa (acidente do trabalho in itinere),

Regular a representação processual (id. 69fb119, 5605c4c). etc. Quanto à doença do trabalho, é equiparada ao acidente do

Satisfeito o preparo (ids. e48c783, 6191906, 6a9b36a, 09fe329, trabalho.

6a9b36a e 9906563), nos termos do artigo 899, §11 da A responsabilização por acidente de trabalho tem assento

Consolidação das Leis do Trabalho. Constitucional, como se verifica a seguir:

Art. 7º. (...)

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano empregador, sem excluir a indenização a que este está

Moral/Acidente de Trabalho. obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa.

Rescisão do Contrato de Trabalho/Reintegração / Readmissão Em matéria de acidente de trabalho, a doutrina e a

ou Indenização/Estabilidade Acidentária. jurisprudência dominantes preconizam que a responsabilidade

Alegação(ões): é subjetiva, em regra, exigindo-se a concorrência dos três

- contrariedade à(ao) : Súmula nº 278 do Tribunal Superior do elementos autorizadores da indenização, quais sejam o dano, a

Trabalho. culpa e o nexo causal, exceto nos casos especificados em lei,

- violação do(s) inciso IX do artigo 93;inciso XXVIII do artigo quando se dispensa a comprovação da culpa (responsabilidade

7º;inciso V do artigo 5º da Constituição Federal. objetiva), ou quando a atividade normalmente desenvolvida

- violação da (o) artigo 157 da Consolidação das Leis do pelo autor do dano implicar, por sua natureza, risco para

Trabalho;artigo 158 da Consolidação das Leis do direitos de outrem, conforme inteligência do art. 927, parágrafo

Trabalho;artigo 186 do Código Civil;inciso I do artigo 20 da Lei único, do Código Civil.

nº 8213/1991;artigo 2º da Consolidação das Leis do Trabalho. Dito isto, entendo que, no caso sub judice, restou verificada a

- divergência jurisprudencial. presença dos três elementos autorizadores da

A recorrentebusca a reforma do acórdão, par que seja responsabilidade civil por dano.

absolvida da condenação em danos morais e materiais, bem O dano material propriamente dito é incontestável haja vista

como indenização decorrente de estabilidade acidentária. que restou comprovada pelo laudo médico doença

Consta no v. acórdão (id. 75145c0): ocupacional, bem como o reclamante apresenta incapacidade

'(...) laborativa parcial de grau moderado.

MÉRITO O dano moral propriamente dito consiste nos abalos à

Recurso da Reclamada integridade física e à dignidade do obreiro decorrentes das

1.Elementos autorizadores da reparação civil por danos morais presumíveis agruras sofridas em razão da disfunção causada

e materiais decorrentes da doença ocupacional. pelo trabalho; a existência da doença, por si só, agride o

A reclamada, por meio de recurso ordinário pugna pela reforma patrimônio moral e emocional da pessoa trabalhadora,

do decisum que a condenou ao pagamento de indenização por verificando-se o dano in re ipsa, cuja prova se dispensa dada a

danos morais e materiais. Para tanto alegou a inexistência de impossibilidade de sua concreção, bastando, para tanto, a

dolo ou culpa, nexo causal e doença ocupacional. comprovação do ato ilícito (art. 186 c/c art. 189, ambos do

Sem razão. CC/02).

Passando à análise das questões suscitadas, mas antes de O nexo causal está estabelecido em razão da relação de causa

adentrar propriamente no mérito da demanda, deve-se ter em e efeito entre as atividades funcionais do obreiro e as

conta o conceito de acidente de trabalho, o que nos é dado patologias sofridas, conforme assentado pelo expert no laudo

pelas antigas lições de Humberto Piragibe Magalhães e pericial (Id. d2c424f) indica a ocorrência de nexo concausal

Christovão Piragibe Tostes Malta, in verbis: entre a patologia do autor e o seu labor na Reclamada.

ACIDENTE DE TRABALHO. Todo acidente que ocorre pelo Observando o quadro clinico e evolutivo do Reclamante, exame

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 116
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

físico, antecedentes ocupacionais, exames de imagem com de circunstâncias laborativas, passam a merecer tutela ainda

aspectos degenerativos, estudo do ambiente laboral com mais forte e específica da Constituição Federal, que se agrega

exposição a risco moderado por esforço estático no uso de à genérica anterior (art. 7º, XXVIII, CF/88). O pleito de

tifor com peso de 45Kg, conclui-se que há relação de indenização por dano moral resultante de acidente do trabalho

concausalidade entre a doença da coluna lombar e o ambiente e/ou doença profissional ou ocupacional supõe a presença de

laboral. três requisitos: a) ocorrência do dano, que se constata pelo

Em relação á coluna cervical, os achados no exame de imagem fato da doença ou do acidente, os quais, por si só, agridem o

evidenciam doença degenerativa, mas na atividade não há patrimônio moral e emocional da pessoa trabalhadora (nesse

carregamento de peso sobre a cabeça, portanto a doença da sentido, o dano moral, em tais casos, verifica-se in re ipsa); b)

coluna cervical não guarda relação com o ambiente laboral. nexo causal, que se evidencia pela circunstância de o malefício

Quanto a PAIR, comparando o exame de 2004 e o recente de ter ocorrido em face das circunstâncias laborativas; c) culpa

2018 (BERA) os traçados de audiometria se mantém sem empresarial, a qual se presume em face das circunstâncias

agravamento, além disso, os resultados dos exames realizados ambientais adversas que deram origem ao malefício. Embora

durante o vínculo com a Reclamada não tem característica de não se possa presumir a culpa em diversos casos de dano

PAIRO de acordo com a Portaria No 19 de 09 de Abril de 1998. moral - em que a culpa tem de ser provada pelo autor da ação -,

Em que pese o Juízo não estar adstrito às conclusões do laudo tratando-se de doença ocupacional, profissional ou de acidente

pericial a reclamada foi incapaz de articular argumentos do trabalho, essa culpa é presumida em virtude de o

suficientes para afastá-las. empregador ter o controle e a direção sobre a estrutura, a

A culpa está também configurada na modalidade in vigilando, dinâmica, a gestão e a operação do estabelecimento em que

decorrente adoção insuficiente de medidas protetivas à saúde ocorreu o malefício. Na presente hipótese, tendo o TRT

do trabalhador pela reclamada, pois é dever do empregador consignado que -comprovado o nexo concausal da doença

cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do com o trabalho, o dano à saúde de que foi vítima o reclamante

trabalho, bem como instruir e garantir a integridade física dos e a responsabilidade objetiva do empregador, não resta dúvida

empregados. a pertinência da indenização reivindicada-, não há como

Não fosse o bastante, ainda que não houvesse elementos nos assegurar o processamento do recurso de revista, ante a

autos suficientes para caracterizar a culpa da empresa, seria o necessidade de se revolver fatos e provas para se acolher as

caso de presumi-la ante a presença inequívoca do nexo de alegações recursais. Incide, na espécie, o entendimento

causalidade - ou concausalidade. Tal entendimento está em disposto na Súmula 126/TST. Acresça-se que a concausa

perfeita sintonia com a atual jurisprudência do TST, conforme laborativa é suficiente para fazer incidir o efeito legal

os recentíssimos arestos que seguem transcritos: indenizatório, embora, evidentemente, possa atenuar o

AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. DOENÇA montante estimado para a indenização. Sendo assim, não há

OCUPACIONAL. DANO MORAL E/OU PATRIMONIAL. como assegurar o processamento do recurso de revista

CONCAUSA. INDENIZAÇÃO. DECISÃO DENEGATÓRIA. quando o agravo de instrumento interposto não desconstitui os

MANUTENÇÃO. Desde a edição do Decreto 7.036/44, o termos da decisão denegatória, que ora subsiste por seus

ordenamento jurídico pátrio admite a teoria da concausa próprios fundamentos. Agravo de instrumento desprovido.

prevista, expressamente, na atual legislação, art. 21, I, da Lei (AIRR - 156-22.2012.5.11.0006 , Relator Ministro: Mauricio

8.213/91. Assim, se as condições de trabalho a que se submetia Godinho Delgado, Data de Julgamento: 23/05/2012, 3ª Turma,

o trabalhador, embora não tenham sido a causa única, Data de Publicação: 25/05/2012) Grifos não constantes no

contribuíram diretamente para a redução ou perda da sua original

capacidade laborativa, deve-lhe ser assegurada a indenização (...) INDENIZAÇÃO POR DANO MATERIAL E MORAL. DOENÇA

pelos danos sofridos. Tanto a higidez física como a mental, OCUPACIONAL. LER/DORT. ÔNUS DA PROVA.

inclusive emocional, do ser humano são bens fundamentais de RESPONSABILIDADE DA EMPREGADORA. CULPA

sua vida, privada e pública, de sua intimidade, de sua PRESUMIDA. Restou incontroversa a culpa da reclamada, pois,

autoestima e afirmação social e, nesta medida, também de sua ao colocar em funcionamento uma atividade, tem a obrigação

honra. São bens, portanto, inquestionavelmente tutelados, de responder pelos danos que essa atividade é capaz de gerar

regra geral, pela Constituição (art. 5º, V e X). Agredidos em face aos seus empregados, sendo corolário da diminuição da

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 117
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

capacidade do empregado, a dor moral, consequência da pelo exercício do trabalho peculiar a de terminada atividade e

saúde abalada do empregado. Ocorrendo a doença constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do

ocupacional, incumbe o dever de indenizar, em face da Trabalho e da Previdência Social; II - doença do trabalho, assim

responsabilidade presumida pelos eventos danosos que, no entendida a adquirida ou desencadeada em função de

caso dos autos, decorre da atividade da empregadora, que condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se

colocou em risco a saúde da empregada, ocasionando-lhe relacione diretamente, constante da relação mencionada no

inaptidão para o desempenho das suas funções habituais. inciso I. § 1º Não são consideradas como doença do trabalho:

Recurso de revista não conhecido.(...) (RR - 53900- a) a doença degenerativa; b) a inerente a grupo etário; c) a que

56.2002.5.01.0071 , Relator Ministro: Aloysio Corrêa da Veiga, não produza incapacidade laborativa; d) a doença endêmica

Data de Julgamento: 23/05/2012, 6ª Turma, Data de Publicação: adquirida por segurado habitante de região em que ela se

01/06/2012) desenvolva, salvo comprovação de que é resultante de

Dessa forma, estão presentes o três elementos autorizadores exposição ou contato direto determinado pela natureza do

da indenização, quais sejam o dano, a culpa e o nexo causal, trabalho. § 2º Em caso excepcional, constatando-se que a

razão pela qual se rejeitam as pretensões recursais da doença não incluída na relação prevista nos incisos I e II deste

reclamada neste particular. artigo resultou das condições especiais em que o trabalho é

Ante o exposto, mantenho a decisão a quo que deferiu a executado e com ele se relaciona diretamente, a Previdência

indenização por danos morais e danos materiais. Social deve considerá-la acidente do trabalho'

Nada a reformar. Com relação ao mesmo tema, o E. TST fixou o entendimento

2. Indenização substitutiva decorrente de estabilidade através da edição da Súmula nº 378: 378. Estabilidade

acidentária. provisória. Acidente do trabalho. Art. 118da Lei nº 8.213/19 91.

Pugna a reclamada pelo afastamento da condenação ao Constitucionalidade. Pressupostos. I - E constitucional o artigo

pagamento de indenização substitutiva decorrente de 118 da Lei no 8.213/1991 que assegura o direito à estabilidade

estabilidade acidentária. provisória por período de 12 meses após a cessação do auxílio-

Sem razão. doença ao empregado acidentado. II - São pressupostos para a

Sobre a estabilidade acidentária, o Juízo a quo deduziu os concessão da estabilidade o afastamento superior a 15 dias e a

seguintes argumentos na sentença: consequente percepção do auxílio doença acidentário, salvo se

(...) constatada, após a despedida, doença profissional que guarde

O art. 118 da Lei 8.213/91 estabelece que o segurado que sofreu relação de causalidade com a execução do contrato de

acidente do trabalho tem garantia de manutenção de seu emprego.

contrato de trabalho na empresa por 12 meses após o fim da No caso dos autos, o reclamante apesar de não ter sido

concessão do auxílio-doença acidentário, independentemente afastado da empresa por um período superior a 15 dias nem ter

de percepção de auxílio-acidente. Sendo assim, o texto é claro, gozado o benefício do auxílio-doença acidentário durante o

ao prever a garantia provisória do emprego, conforme pacto laboral, após a rescisão de seu contrato de trabalho

transcrição abaixo: constatou a doença ocupacional que se equipara ao acidente

'Art. 118. O segurado que sofreu acidente do trabalho tem de trabalho, devidamente confirmada na perícia médica

garantida, pelo prazo mínimo de doze meses, a manutenção do determinada pelo juízo (Id. d2c424f), cuja conclusão foi a

seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do seguinte:

auxílio-doença acidentário, independentemente de percepção 'Observando o quadro clinico e evolutivo do Reclamante,

de auxílio-acidente.' exame físico, antecedentes ocupacionais, exames de imagem

Verifica-se portanto a estabilidade provisória assegurada pelo com aspectos degenerativos, estudo do ambiente laboral com

mencionado artigo decorre de trabalhador que sofre acidente exposição a risco moderado por esforço estático no uso de

de trabalho ou em decorrência de doença profissional de que tifor com peso de 45Kg, conclui-se que há relação de

trata o art. 20, também da Lei nº 8.213/1991: concausalidade entre a doença da coluna lombar e o ambiente

'Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do laboral.

artigo anterior, as seguintes entidades mórbidas: I - doença Em relação à coluna cervical, os achados no exame de imagem

profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada evidenciam doença degenerativa, mas na atividade não há

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 118
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

carregamento de peso sobre a cabeça, portanto a doença da capacete, cinta lombar, oculos, protetor auricular, luva e bota..'

coluna cervical não guarda relação com o ambiente laboral. 'que depoente e reclamante faziam atracação e desatracação

Quanto a PAIR, comparando o exame de 2004 e o recente de das balsas; que no mínimo, doze balsas são atracadas em

2018 (BERA) os traçados de audiometria se mantém sem comboio e no máximo 25; que nessas atracações os

agravamento, além disso, os resultados dos exames realizados empregados envolvidos tinham que carregar equipamentos

durante o vínculo com a Reclamada não tem característica de pesados: tifor (entre 30 a 42 kg), cabo de aço (variava entre o

PAIRO de acordo com a Portaria No 19 de 09 de Abril de 1998. cumprimento chegando a pesar 15 kg) e esticador naval

(página 26)' (aproximadamente 15kg ou mais); que o tifor era carregado no

Importante salientar ainda que durante a instrução processual, ombro; que o depoente acredita que a reclamada começou a

restou clara a conduta omissiva da empresa em face da fornecer a cinta lombar para os empregados desde 2010; que

ausência de medidas fundamentais para a segurança e saúde no verão era comum - 50% das viagens -, a balsa encalhar e por

dos trabalhadores que laboram embarcados, haja vista que não consequência a quebra do comboio; que no inverno era muito

há pessoal especializado capaz de fiscalizar o uso adequado raro - 1% - de acontecer encalhe de balsa; que quando havia

dos EPI´s ou o correto cumprimento das normas de quebra de comboio a média para organizar era de 2 a 3 ou 4

seguranças nas viagens feitas pelos empregados a bordo, dias; que para fazer a junção do comboio (quando da quebra)

como se depreende do depoimento do preposto da ré, a seguir se exigiu muita força; que este presente junto com o

transcrito: reclamante em várias ocasiões em que houve quebra de

'que não há ambulatórios ou enfermarias nas embarcações; comboio; que na função de contra mestre e mestre também

que não há técnico em segurança embarcado, mas com participavam da junção dos comboios, ressaltando que nesses

frequência eles viajam e dão suporte nos portos; que o momentos redobrava a responsável.'

depoente não tinha conhecimento das dores nas costas antes 'que existia uma equipe destinada apenas para executar o

de apresentar os exames.' comboio parado e não em viagem; que o reclamante e todo a

Diferentemente do declarado pelo preposto em audiência, nos tripulação faziam parte da equipe de execução do comboio'

autos, a partir das provas documentais, é possível verificar que Ressalto que a tese patronal quanto à existência de outros

era do conhecimento da reclamada a condição de que o fatores que pudessem desencadear a doença não pode

reclamante constantemente sofria com dores na coluna, prosperar, visto que a concausa não afasta o nexo de

notadamente os documentos (Id. 1cd896f e 626abcb - página 3), causalidade, uma vez comprovado - por meio de provas

que evidenciam que o reclamante precisou inclusive documentais e testemunhal - que as condições de trabalho

desembarcar do navio em que traballhava a fim de ser concorreram para que o reclamante piorasse de sua

socorrido em terra, fato ocorrido em 21/11/2017, antes da enfermidade.

dispensa sem justa causa do autor. A culpa ré da resta plenamente caracterizada pela não adoção

Ademais, a prova testemunhal produzida pelo autor corroborou de medidas preventivas de fiscalização em saúde e segurança

com diversas informações importantes para o deslinde da do trabalho para minimizar o risco ergonômico nos

questão, como o fato de ter presenciado o reclamante sofrer empregados embarcados - conforme confissão do preposto -

dores na coluna, inclusive o fato de ter sido necessário o seu bem como ante a sua inércia, mesmo diante de queixas de

desembarque para atendimento médico, como se depreende do dores sofridas pelo autor ao longo do pacto laboral.

trecho a seguir: Além disso, a pericia judicial constatou que 'Em relação à

'que trabalhou para a reclamada de 2009 a outubro/2018, coluna lombar, o Reclamante apresenta incapacidade

iniciando exercendo as funções de marinheiro por 6 anos e nos laborativa parcial de grau moderado, mas podendo ser

últimos 3 anos exercendo a função contramestre; que o reabilitado para função compatível.' (Id. d2c424f - Pág. 35),

depoente trabalhou muitas vezes embarcado com o situação corroborada pela concessão, pelo Órgão

reclamante; que o depoente presenciou o reclamante várias Previdenciário (INSS), de benefício previdenciário no código

vezes reclamando de dores de coluna, inclusive uma das vezes B91 (Id. 12d1024), no qual se verifica ter sido constatada a

foi desembarcado junto com o depoente também com dores de incapacidade para o trabalho poucos meses após o

coluna; que todos os empregados da reclamada embarcados desligamento da reclamada, onde o reclamante laborou por

trabalhavam com equipamentos de proteção individual: quase 16 anos.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 119
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Esclareço que é cabível a aplicação do enunciado da Súmula devendo ser reconhecida também quando verificado o nexo de

378 do C. TST, nos casos em que há constatação do nexo de concausalidade. (TRT-11 00000933920175110000, Relator:

concausalidade, conforme jurisprudência do C. TST: ELEONORA SAUNIER GONCALVES, Gabinete da

RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO ANTERIORMENTE A Desembargadora Eleonora Saunier Gonçalves)

VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. DOENÇA OCUPACIONAL Diante do exposto, configurada a concausalidade entre as

RECONHECIDA APÓS A EXTINÇÃO DO CONTRATO DE atividades desenvolvidas pelo autor na reclamada e a doença

TRABALHO. NEXO DE CONCAUSALIDADE COM AS na coluna lombar por ele apresentada, torna-se o mesmo

ATIVIDADES LABORAIS. ESTABILIDADE PROVISÓRIA. detentor de estabilidade provisória no emprego, cabendo ao

SÚMULA Nº 378, II, DO TST. Esta Corte Superior, interpretando empregador o ônus de suportar a limitação ao seu poder

o art. 118 da Lei nº 8.213/91, fixou o entendimento, potestativo no que diz respeito à dispensa, motivo pelo qual,

consubstanciado no item II da Súmula nº 378, de que são julgo procedente o pedido, para o fim de reconhecer a

pressupostos para a concessão da estabilidade o afastamento estabilidade acidentária e condenar a reclamada a pagar ao

superior a 15 dias e a consequente percepção do auxílio- reclamante a quantia referente aos 12 meses de remuneração -

doença acidentário, salvo se constatada, após a despedida, composta por salário base mais verbas de natureza salarial

doença profissional que guarde relação de causalidade com a habitualmente pagas nos contracheques - no importe de

execução do contrato de emprego. Na hipótese, a Corte R$4.927,31, conforme último valor percebido (Id. 763fb52),

Regional considerou que 'ainda que a atividade laboral possa desde a data da demissão até o fim da estabilidade,

ter funcionado como coadjuvante no agravamento da lesão considerando a projeção do aviso prévio (de 09/03/2018 a

(concausa), o fato é que restou comprovado que a autora é 07/05/2019), assim como reflexos em todas as verbas de

portadora de moléstia de ordem degenerativa', circunstância natureza trabalhistas: aviso prévio, férias vencidas e férias

que não gera o direito à estabilidade acidentária. Todavia, a proporcionais acrescidas do adicional 1/3, 13º salário e FGTS +

jurisprudência desta Corte Superior é firme no sentido de que a multa de 40%. Julgo procedente, ainda, o pedido de retificação

constatação do nexo de concausalidade entre as atividades da data de admissão na CTPS do autor, a fim de constar como

laborais e a doença adquirida autoriza a aplicação da parte final data da demissão em 07/05/2018, em face a projeção, pelo que

do item II da Súmula nº 378 do TST. Recurso de revista determino à Secretaria da Vara, no prazo de 5 dias após o

conhecido e provido, no particular. (TST - RR: trânsito em julgado desta decisão, que proceda à notificação

193009820095150127, Relator: Walmir Oliveira da Costa, Data do autor para depositar sua CTPS na Secretaria da Vara,

de Julgamento: 29/08/2018, 1ª Turma, Data de Publicação: DEJT devendo em igual prazo a reclamada ser notificada para

31/08/2018) proceder à retificação, sob pena de multa diária de R$100,00,

No mesmo sentido é o entendimento do E. TRT 11ª Região, nos até o limite de R$1.000,00, sem prejuízo de anotação ser

autos do julgamento do Incidente de Uniformização de procedida pela Secretaria da Vara.

Jurisprudência (IUJ), autuado sob o número 0000093- (...)

39.2017.5.11.0000, cuja ementa é a seguir transcrita: Sem reformas nesse tópico.

INCIDENTE DE UNIFORMIZAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA. Para o deslinde da controvérsia faz-se necessária a

CONSTATAÇÃO DE NEXO CONCAUSAL. RECONHECIMENTO observância da Súmula n. 378, do Tribunal Superior do

DE ESTABILIDADE PROVISÓRIA. POSSIBILIDADE. A Trabalho, que possui a seguinte redação:

expressão 'guardar relação de causalidade durante a execução Súmula n. 378/TST. ESTABILIDADE PROVISÓRIA. ACIDENTE

do contrato de emprego', contida na parte final do inciso II, da DO TRABALHO. ART. 118 DA LEI Nº 8.213/1991.

Súmula 378, do c. TST, compreende não somente as patologias CONSTITUCIONALIDADE. PRESSUPOSTOS

originadas, como também as agravadas pelas atividades I - É constitucional o artigo 118 da Lei nº 8.213/1991 que

laborais exercidas, vez que o objetivo da norma é assegurar ao assegura o direito à estabilidade provisória por período de 12

empregado acometido por doença decorrente da execução do meses após a cessação do auxílio-doença ao empregado

contrato de trabalho (doença ocupacional), a estabilidade acidentado. (ex-OJ nº 105 da SBDI-1 - inserida em 01.10.1997)

provisória disposta no artigo 118, da Lei nº 8.213/91. Assim, II - São pressupostos para a concessão da estabilidade o

não se pode restringir o reconhecimento da estabilidade afastamento superior a 15 dias e a conseqüente percepção do

provisória apenas nos casos de constatação do nexo causal, auxílio-doença acidentário, salvo se constatada, após a

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 120
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

despedida, doença profissional que guarde relação de Assim, o julgador, fazendo uso da experiência comum e

causalidade com a execução do contrato de sopesando as circunstâncias do caso concreto, deve, com

emprego.'(sublinhei) razoabilidade e proporcionalidade, avaliar os seguintes

A presença do nexo causal entre as disfunções do autor e sua parâmetros: a extensão do dano, a condição socioeconômica

rotina laboral foi sobejamente comprovada nos autos por meio do causador do dano e da vítima; a intensidade real e concreta

do laudo pericial confeccionado pelo auxiliar do Juízo. do dano; a repercussão da ofensa no meio social onde vive o

Outrossim, nas hipóteses em que resta constatado, ainda que ofendido; a existência de má-fé por parte do ofensor; a

após a despedida, doença profissional que guarde relação de possibilidade concreta de o ofensor voltar a praticar o ato

causalidade com a execução do contrato de emprego, é danoso; as práticas atenuantes realizadas pelo ofensor visando

garantida ao trabalhador a estabilidade, nos termos do item II minimizar a dor do ofendido; o tempo transcorrido entre o

da Súmula 378 do TST. evento danoso e a data do ajuizamento da ação.

Há de se ressaltar, todavia, que a garantia de emprego No caso em apreço, o arbitramento de montante indenizatório

referente à estabilidade acidentária tão somente autoriza a no valor de R$ 24.636,55 mostra-se irrazoável e

reintegração quando esta é levada a efeito durante o período desproporcional, razão pelo qual merece ser reduzido para R$

estabilitário. Do contrário, tal garantia limita-se, 10.000,00.

inevitavelmente, aos salários correspondentes ao referido Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

lapso, nos termos do item I da Súmula/TST nº 396, hipótese dos dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

autos. partes e do caso concreto, visto ser esse montante apto a

Esclareço, por oportuno, que não há no comando legal oferecer o necessário conforto moral ao obreiro.

definição de parâmetros mínimos para constatar a existência No que diz respeito ao quantum da indenização por danos

do acidente de trabalho, ou seja, não se faz a exigência de que materiais, vale desde logo invocar a máxima da restitutio in

a incapacidade seja grave e permanente. A relevância quanto à integrum, pela qual deve se impor a completa reposição da

existência ou não de sequelas no acidentado interessa ao vítima ao estado anterior. O art. 944, do Código Civil de 2002,

Direito Previdenciário, para fins de pagamento de auxílio- adota tal princípio.

acidente, não repercutindo, portanto, no direito à garantia no O dano material propriamente dito é incontestável haja vista

emprego que restou comprovada pelo laudo médico doença

Nessa esteira, mantenho a condenação da indenização ocupacional. Entretanto o reclamante apresenta incapacidade

substitutiva da estabilidade acidentária e reflexos legais laborativa parcial de grau moderado.

determinada pela sentença. Não constam nos autos comprovantes de despesas médicas

Nego provimento. Nada a reformar. do reclamante a serem ressarcidas pela reclamada.

Recurso da Reclamada e do Reclamante Assim, considerando as circunstâncias da espécie, entendo

1. Danos morais e materiais - quantum indenizatório. que a quantia fixada pelo órgão de origem, de R$ 435.574,20

A reclamada pugna pela redução do valor das indenizações por está irrazoável e desproporcional, razão pela qual merece ser

danos materiais e morais. Já o reclamante requer a majoração reduzida para R$ 30.000,00.

das referidas indenizações. Tal quantia é adequada e proporcional à violação perpetrada,

Sobre o quantum indenizatório, impõe-se esclarecer que, dentro da razoabilidade e apropriada às peculiaridades das

quando a indenização visa à reparação de danos de ordem partes e do caso concreto, visto ser este montante apto a

extrapatrimonial, diferentemente daqueles de ordem oferecer o necessário conforto material ao obreiro.

patrimonial, sua fixação não possui parâmetros objetivos a dar Ante o exposto, dou parcial provimento ao recurso da

suporte ao julgador na mensuração respectiva, porquanto o reclamada e reformo a sentença para reduzir a indenização por

prejuízo se situa na esfera da honra, da imagem, da intimidade danos morais para R$ 10.000,00 e a indenização por danos

e da dignidade da pessoa humana. materiais para R$ 30.000,00.

Diante desse panorama, para o dano de ordem meramente DISPOSITIVO

moral, a doutrina e a jurisprudência têm adotado diferentes Ante o exposto, conheço do recurso ordinário do reclamante, e,

critérios ao mensurar os valores, consoante apreciação no mérito, nego-lhe provimento. Conheço do recurso ordinário

equitativa do caso concreto e as regras de experiência comum. da reclamada, e, no mérito, dou-lhe parcial provimento para

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 121
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

reduzir a indenização por danos morais para R$ 10.000,00 e a Decisão


Processo Nº ROT-0001044-50.2019.5.11.0004
indenização por danos materiais para R$ 30.000,00. Relator AUDALIPHAL HILDEBRANDO DA
SILVA
(...)'
RECORRENTE RAFAEL DE LUNA ABRANTES
No mérito, não se viabiliza o recurso de revista, pois, ao tecer ADVOGADO ADEMARIO DO ROSARIO
AZEVEDO(OAB: 2926/AM)
seus argumentos sobre a ausência de responsabilidadecivil,
RECORRIDO ENVISION INDUSTRIA DE
indenização por dano moral e por danomaterial,a parte PRODUTOS ELETRONICOS LTDA
ADVOGADO FELIPE LENHARD(OAB: 7762/AM)
recorrente não transcreveu o trecho do acórdão que
PERITO MAURICIO ALEXANDRE DE
demonstraria o prequestionamento da controvérsia que MENESES PEREIRA

pretende ver transferida à cognição do Tribunal Superior do


Intimado(s)/Citado(s):
Trabalho. A exigência consiste em apontar o - RAFAEL DE LUNA ABRANTES
prequestionamento, salvo vício nascido na própria decisão, e

comprová-lo com a transcrição textual e destacada da tese

adotada pela Turma. A jurisprudência predominante no


PODER JUDICIÁRIO
Tribunal Superior do Trabalho tem definido que o pressuposto
JUSTIÇA DO TRABALHO
legal não se atende com a mera transcrição do inteiro teor do

acórdão, como se observa no presente apelo. Nestesentido Fundamentação


são os seguintes precedentes do Tribunal Superior do RECURSO DE REVISTA
Trabalho: TST - AIRR: 106956620155180129, Relator: Emmanoel Tramitação Preferencial
Pereira, Data de Julgamento: 13/02/2019, 5ª Turma, Data de Lei 13.015/2014
Publicação: DEJT 15/02/2019; TST - AIRR: Lei 13.467/2017
110606620175030033, Relator: Alberto Luiz Bresciani de Fontan

Pereira, Data de Julgamento: 18/12/2018, 3ª Turma, Data de

Publicação: DEJT 07/01/2019; TST - AIRR:

101957120155030111, Data de Julgamento: 07/11/2018, Data de

Publicação: DEJT 09/11/2018. Portanto, inviável o

conhecimento do recurso de revista porque a parte recorrente

não atendeu o inciso I do § 1º-A do artigo 896 da Consolidação

das Leis do Trabalho. Recorrente(s): RAFAEL DE LUNA ABRANTES

Por fim diante do quadro fático retratado no julgado para

deferir a indenização decorrente da estabilidade


Advogado(a)(s): ADEMÁRIO DO ROSÁRIO
acidentária,não suscetível de ser reexaminado nesta fase

processual (Súmula 126 do TST), infere-se que o entendimento AZEVEDO (exclusividade - id.

está em consonância coma (ao) item II da Súmula nº 378 do


Recorrido(a)(s): ENVISION INDÚSTRIA DE
Tribunal Superior do Trabalho.
PRODUTOS ELETRÔNICOS
Assim, o recurso de revista não comporta seguimento por

possível violação aos dispositivos mencionados,tampouco por


Advogado(a)(s): JOSÉ ALBERTO MACIEL
divergência jurisprudencial (Súmula 333 do TST).
DANTAS (exclusividade - id.
CONCLUSÃO

DENEGO seguimento ao Recurso de Revista. PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS


Publique-se e intime-se. Tempestivo o recurso,por força do artigo 775 da CLT(decisão
cdss publicada em 01/10/2020 - id. 450eb52; recurso apresentado em
Assinatura 14/10/2020 - id. e6f21af).
MANAUS, 5 de Novembro de 2020. Regular a representação processual (id. a7d91f2).

Concedidos à parte recorrente os benefícios da assistência


LAIRTO JOSE VELOSO judiciária gratuita, conforme sentença (id. 642e7fc), nos termos
Desembargador(a) do Trabalho - Presidente do TRT11 da OJ 269 da SDI-I do TST, dispensando-a do preparo recursal.

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 122
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

PRESSUPOSTOS INTRÍNSECOS Destarte, nego provimento ao apelo da reclamada e dou parcial

Responsabilidade Civil do Empregador/Indenização por Dano provimento ao recurso do reclamante, para majorar o valor da

Moral/Valor Arbitrado. indenização por danos morais, na forma do parágrafo anterior.

Alegação(ões): Indenização por dano material (matéria comum aos recursos)

- violação do(s) incisos V e X do artigo 5º da Constituição Em seu recurso, busca a recorrente reclamada a reforma da

Federal. sentença originária, pugnando pela improcedência da

- violação da (o) artigo 186 do Código Civil;artigo 927 do indenização por danos materiais, alegando que não restou

Código Civil;artigo 950 do Código Civil. comprovado qualquer prejuízo de ordem patrimonial ao

Alega o recorrente que o valor arbitrado, a título de indenização obreiro, estando este apto para o labor. Pleiteia, ainda, a

por dano moral, não 'prestigia osprincípios da razoabilidade e redução do quantum fixado pelo julgador singular.

proporcionalidade, atraindo a necessidade de que essa Corte, O reclamante apresentou apelo pugnando pela majoração do

justamente com supedâneo no princípio da razoabilidade, de valor da indenização por dano material, como forma de reparar

quem é corolário lógico a teoria do desestimulo, conheça do as sequelas advindas das mazelas contraídas, uma vez que

recurso de revista, por afronta a esse princípio geral do direito'. houve incapacidade laborativa.

Acrescenta que 'que o arbitramento da indenização se deu com O juízo a quo teceu as seguintes considerações ao decidir

base na culpa e não combase no prejuízo'. sobre o tema:

Busca, ainda, a majoração da indenização por danos materiais. 2.3 DA INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS

Consta no v. acórdão (id. cfcf366): Pede o reclamante que lhe seja deferida indenização por danos

'(...) materiais decorrente do acidente de trabalho equiparado já

Quanto ao valor fixado a título de indenização por dano moral, reconhecido por esse Juízo. Alega que a doença adquirida lhe

este deve ser arbitrado em valor justo e razoável, levando-se reduziu a capacidade laborativa, a ponto de não mais poder

em consideração o dano causado ao empregado, as condições exercer seu ofício com o mesmo desempenho e produtividade

pessoais e econômicas dos envolvidos e a gravidade da lesão de antes, argumentando que terá grande dificuldade para

aos direitos fundamentais da pessoa humana, da honra e da permanecer ativo no mercado de trabalho, emergindo daí o

integridade psicológica e íntima. direito e a necessidade dever reparado o dano material que

Devem, também, ser observados os princípios da sofreu.

razoabilidade, da equidade e da proporcionalidade, de modo Pois bem.

que o ato ofensivo não fique impune e que, ao mesmo tempo, Ao contrário do dano moral puro, cuja reparação decorre do

sirva de desestímulo à reiteração pelo ofensor (aspecto simples fato da violação a dever legal, os danos materiais,

punitivo e preventivo). Outrossim, a indenização fixada não embora presumíveis, dependem de prova do prejuízo em

deve ser irrisória, tampouco representar enriquecimento sem concreto.

causa da vítima. Como se sabe, o dano material abrange o dano emergente,

Analisando as especificidades do caso estabelecidas na caracterizado pelo prejuízo imediato que surge em razão do

instância de origem - doença ocupacional, culpa da empresa, acidente de trabalho, bem como o lucro cessante,

nexo concausal, capacidade econômica das partes, redução da correspondente aos ganhos futuros a serem percebidos pela

capacidade laborativa, duração do vínculo empregatício -, bem vítima.

como considerando a perda parcial e permanente da Estabelece, ainda, o art. 950 do Novo Código Civil de 2002:

capacidade laboral do obreiro (para atividades consideradas de 'Se da ofensa resultar defeito pelo qual o ofendido não possa

risco e sobrecarga para o punho direito), considerando, ainda, exercer o seu ofício ou profissão, ou se lhe diminua a

que o laudo técnico avaliou o grau da concausa como capacidade de trabalho, a indenização, além das despesas do

baixa/leve, reformo a sentença, neste ponto, para fixar o valor tratamento e lucros cessantes até o fim da convalescença,

da indenização por danos morais em R$ 4.478,85, nos termos incluirá pensão correspondente à importância do trabalho para

do art. 223-G, § 1º, I da CLT, equivalente a três vezes o último que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu. Parágrafo

salário do reclamante, conforme TRCT, visto que esse único: O prejudicado, se preferir, poderá exigir que a

montante é apto a oferecer o necessário conforto moral ao indenização seja arbitrada e paga de uma só vez.'

obreiro. Assim, de acordo com o artigo supracitado, o lucro cessante é

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 123
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

devido quando houver redução ou perda da capacidade laboral redução da capacidade da vítima de exercer sua profissão.

do trabalhador. No caso dos autos, cabe destacar as seguintes A rigor, a indenização por danos materiais serve para restituir

conclusões periciais (fl. 298): integralmente a renda da vítima ao patamar anterior à perda de

Entretanto, é necessário ponderar que o membro superior sua capacidade para executar as funções objeto do contrato de

esquerdo não utilizava parafusadeira e que a síndrome do túnel emprego, restituindo-lhe todas as perdas salariais

do carpo é grau III bilateralmente, ou seja, praticamente igual consequentes, de todo o período da incapacitação, na forma do

em ambos os punhos sem que o lado esquerdo estivesse art. 950 do Código Civil Brasileiro (CCB).

exposto ao mesmo fator de risco. A diferença a mais para o O dano material propriamente dito é incontroverso; o

punho direito foi o agravamento da lesão com necessidade de reclamante foi acometido de lesões no punho direito, tendo

tratamento cirúrgico (lado esquerdo não necessitou cirurgia) e sido atestado pelo perito uma perda parcial e permanente da

a tenossinovite dos extensores descrita no exame de ultrassom capacidade laboral para atividades consideradas de risco ou

apenas do lado direito. sobrecarga para os cotovelos e punhos, sob pena de dor e

Ora, tendo o perito concluído que a cirurgia fora necessária em agravamento.

decorrência do esforço maior desempenhado pelo punho No tocante ao quantum fixado na decisão, penso que na

direito ao longo do labor, resultando em agravamento das hipótese, em razão de o trabalhador não se encontrar

lesões existentes, claro estão os prejuízos materiais do totalmente incapacitado para o trabalho, podendo laborar em

reclamante, que certamente teve que investir em remédios e atividades compatíveis com suas restrições, entendo indevida

sessões, ficou afastado e impossibilitado de realizar suas a majoração da pensão como requerido.

atividades, entre outros prejuízos presumíveis. No mesmo sentido, considerando a perda financeira pelo valor

Quanto à incapacidade laboral, reconheceu o perito do juízo que deixou de auferir com seu trabalho durante o período em

como sendo parcial e permanente. que se encontrou totalmente incapacitado (menos de três

Portando, defiro ao reclamante a quantia ora arbitrada de R$ meses), mostra-se razoável o valor da indenização fixado pelo

3.000,00 (três mil reais) a título de indenização por danos julgador singular de R$ 3.000,00, quantia apta a reparar a perda

materiais, nestes incluídos pensão vitalícia e lucros cessantes. patrimonial na modalidade lucros cessantes.

Analiso. Dessa forma, nego provimento aos recursos da reclamada e do

Da detida análise dos autos, mormente da prova pericial, reclamante, mantendo-se a condenação ao pagamento de

verifico que o laudo técnico foi bastante consistente, na indenização por danos materiais na forma delineada pelo juízo

medida em que analisou detalhadamente os critérios de origem.

estabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina para perícias Nada a reformar.

médicas (Res. 2.056/2013), constatando, no caso, o nexo Por fim, mantenho os honorários de sucumbência conforme

concausal entre a patologia do punho direito do obreiro e o arbitrados na sentença de piso.

labor exercido, ressaltando sua restrição funcional parcial e DISPOSITIVO

permanente. Ante o exposto, conheço dos recursos ordinários aviados e, no

Embora a reclamada insista com a tese de inexistência de mérito, nego provimento ao recurso da reclamada e dou parcial

culpa e nexo entre a doença e as atividades funcionais do provimento ao recurso do reclamante, para majorar o valor da

reclamante, o laudo técnico pericial foi claro ao concluir que indenização por danos morais para R$ 4.478,85, mantendo-se a

'com base nos documentos acostados nos autos e na perícia sentença nos seus demais termos. Tudo na forma da

realizada o trabalho técnico pericial conclui pela existência de fundamentação.

nexo concausal entre a patologia do punho direito do Autor e o (...)'

trabalho executado na Reclamada'. De acordo com o artigo 896, §1º-A, inciso III, da CLT, incluído

Desse modo, não há como negar que as atividades laborais do pela Lei 13.015/2014, a parte que recorre deve 'expor as razões

reclamante contribuíram para o agravamento de suas lesões. do pedido de reforma, impugnando todos os fundamentos

Ademais, o laudo pericial concluiu que a perda da capacidade jurídicos da decisão recorrida, inclusive mediante

laboral do trabalhador é parcial e permanente, o que significa demonstração analítica de cada dispositivo de lei, da

dizer que eventual reparação por lesão à saúde do trabalhador Constituição Federal, de súmula ou orientação jurisprudencial

deve ter o condão de ressarcir os danos materiais advindos da cuja contrariedade aponte' .

Código para aferir autenticidade deste caderno: 158803


3095/2020 Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região 124
Data da Disponibilização: Sexta-feira, 06 de Novembro de 2020

Na hipótese, a parte recorrente não observou o referido inciso,


PODER JUDICIÁRIO
ao expor seus argumentos para a majoração do dano moral,
JUSTIÇA DO TRABALHO
uma vez que, ao expor as razões do pedido de reforma, não

impugnou todos os fundamentos jurídicos da decisão Fundamentação

recorrida, a exemplo do artigo art. 223-G, da CLT, sendo

inviável o processamento do recurso de revista. RECURSO DE REVISTA

No tocante à indenização por dano material, observa-se que o Lei 13.015/2014

entendimento manifestado pela Turma está assentado no Lei 13.467/2017

substrato fático-probatório existente nos autos, como o fato de

otrabalhador não se encontrar totalmente incapacitado para o

trabalho, podendo laborar em atividades compatíveis com suas

restrições e aperda financeira pelo valor que deixou de auferir

com seu trabalho durante o período em que se encontrou

totalmente incapacitado (menos de três meses). Para se

concluir de forma diversa seria necessário revolver fatos e