Você está na página 1de 7

ÍNDICE

1.Introdução ...................................................................................................................... 2

1.1.Objectivos do trabalho ............................................................................................ 3

1.1.1.Objectivo geral ................................................................................................. 3

2.Contextualização ........................................................................................................... 4

2.1.Monografia.............................................................................................................. 4

2.1.1.Algumas recomendações .................................................................................. 4

2.2.Estudo de caso ........................................................................................................ 5

2.2.1.Características do Estudo de caso .................................................................... 5

2.2.2.Objectivos do Estudo de Caso .......................................................................... 6

2.2.3.Vantagens e Desvantagens ............................................................................... 6

2.2.3.1.Projectos de casos múltiplos ......................................................................... 6

2.2.4.Propósitos do Estudo de Caso .......................................................................... 6

Conclusão ......................................................................................................................... 7

Bibliografias ..................................................................................................................... 8

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


1.Introdução

O presente trabalho fala sobre a Monografia e Estudo de caso. Na verdade,


monografia é uma dissertação ou tese científica que se destina a estudar um assunto em
específico, normalmente apresentada como um trabalho de conclusão de curso de
graduação e pós-graduação. E etimologicamente, a monografia tem como principal
objectivo reunir informações, análises e interpretações científicas que agreguem valor
relevante e original à ciência, dentro de um determinado ramo, assunto, abordagem ou
problemática. E ela pode ser dividida ou classificada em duas partes: lato e estrito. O
sentido estrito da monografia refere-se a uma tese em si, ou seja, um trabalho científico
voltado para a contribuição e crescimento do estudo de determinada área de pesquisa ou
ciência. Já o significado do lato refere-se a produção de material científico de primeira
mão, mas que não precisa ser necessariamente caracterizado como uma tese.

Enquanto o estudo de caso é um método de pesquisa que utiliza, geralmente, dados


qualitativos, colectados a partir de eventos reais, com o objectivo de explicar, explorar
ou descrever fenómenos actuais inseridos em seu próprio contexto. Caracteriza-se por
ser um estudo detalhado e exaustivo de poucos, ou mesmo de um único objecto,
fornecendo conhecimentos profundos.

1.1.Objectivos do trabalho

1.1.1.Objectivo geral

 Fazer um estudo sobre a Monografia e Estudo de caso, descrevendo suas normas


para a sua elaboração ate o trabalho final.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


2.Contextualização

2.1.Monografia

O termo monografia designa um tipo especial de trabalho científico. Considera-se


monografia aquele trabalho que concentra sua abordagem em um assunto específico, em
um determinado problema, tendo este, um tratamento pormenorizado e analítico.

Por esse motivo, a utilização do termo na caracterização de uma série de trabalhos


escolares, ainda que resultantes de investigação científica, testemunha a incorrecta
generalização do conceito.

Os trabalhos científicos serão monográficos na medida em que satisfizerem à exigência


da especificação, ou seja, na razão directa de um tratamento estruturado de um único
tema, devidamente delimitado. O trabalho monográfico caracteriza-se mais pela
unicidade e delimitação do tema, pela profundidade do tratamento, do que por sua
eventual extensão, generalidade ou valor didáctico.

Normalmente, a monografia consiste na forma de trabalho científico exigida do aluno


no momento da obtenção de sua titulação académica, ou seja, no instante imediatamente
precedente à conclusão de seu curso. Por esse motivo, é possível verificar a notoriedade,
a importância, o âmbito do trabalho monográfico enquanto última instância para a
formação de um profissional, que em breve estará disposto no mercado de trabalho
como mais um elemento constituinte da força motriz em termos profissionais no País.

2.1.1.Algumas recomendações

Ao redigir o texto é recomendado não utilizar a primeira pessoa, a linguagem deve ser
clara e expositiva, inclusive no desenvolvimento do texto, onde se apresenta o
pensamento do autor sobre o assunto, a opinião emitida deve ter sempre um carácter
geral.

Escrever de maneira impessoal, preferindo palavras simples, usando frases curtas, sendo
simples e directo é de grande importância numa monografia. É também importante
escrever em português correcto, nas dúvidas consultar o dicionário, e, quando possível
solicitar a uma outra pessoa para fazer as revisões necessárias e comentar. Ler o que foi
escrito e quando necessário, reescrever.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


Uma monografia ou tese deve ser apresentada, seguindo alguns critérios:

È importante, antes de iniciar a digitação da monografia ou da tese, fazer o seu


planeamento no Programa Word, ou similar, estabelecendo os padrões principais, tais
como: tipo de fonte, tamanho do corpo da letra, margens, entrada de parágrafos e
espaços entre parágrafos, etc.

A monografia deve ser digitada e encadernada. A encadernação pode ser feita com uma
capa simples, utilizando-se de garras em espiral. Em geral quando se faz teses usa-se
encadernar com capa dura.

A tinta deve ser preferencialmente de cor preta, mas admite-se colocar cores como
cinza, amarela, verde, azul, em especial quando se faz uso de tabelas, quadros, molduras
de gráficos, etc.

2.2.Estudo de caso

A escolha do método adequado para desenvolvimento de uma pesquisa depende do


objectivo e, consequentemente, das questões que o pesquisador quer responder. Gil
(1994) classifica a pesquisa, quanto ao objectivo, em três categorias básicas:
exploratória, explicativa e descritiva. Pesquisas exploratórias visam compreender um
fenómeno ainda pouco estudado ou aspectos específicos de uma teoria ampla. Pesquisas
explicativas, identificar os factores que determinam ou contribuem para a ocorrência
dos fenómenos, explicando suas causas. E, finalmente, a descritiva, descrever
determinada população ou fenómeno.

Embora estudos de casos sejam aplicados, de forma geral, em pesquisas exploratórias e


explicativas, também podem ser usados em pesquisas descritivas. Ellram (1996)
acrescenta, ainda, a possibilidade de utilizar estudos de casos para, analisando
ocorrências passadas em casos similares, realizar previsões.

2.2.1.Características do Estudo de caso

 O fenómeno é observado em seu ambiente natural;


 Os dados são colectados por diversos meios;
 Um ou mais entes (pessoas, grupos, organizações) são examinados;
 A complexidade do caso é estudada intensamente;
 Não são utilizados controlos experimentais;

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


 O pesquisador precisa especificar previamente o conjunto de variáveis;
 A pesquisa envolve as questões como e por que não considera prevalências ou
incidências.

2.2.2.Objectivos do Estudo de Caso

 Visa compreender o evento em estudo e ao mesmo tempo desenvolver teorias


mais genéricas a respeito do fenómeno observado.
 Vai além de descrever os fatos ou situações, senão que busca proporcionar
conhecimento acerca do fenómeno estudado e comprovar ou contrastar relações
evidenciadas no caso.
 O objectivo do estudo de caso é explorar, descrever, explicar, avaliar e/ou
transformar.

2.2.3.Vantagens e Desvantagens

2.2.3.1.Projectos de casos múltiplos

Vantagens: as provas resultantes de casos múltiplos são consideradas mais


convincentes, e o estudo global é visto como sendo mais robusto.

Desvantagem: o fundamento lógico para projectos de caso único, não pode ser
satisfeito por casos múltiplos. É provável que o caso raro ou incomum, o caso crítico e o
caso revelador impliquem apenas em casos únicos, por definição. Importante: projectos
de casos múltiplos devem seguir uma lógica de replicação, e não de amostragem.

Os casos devem funcionar de uma maneira semelhante aos experimentos múltiplos, com
resultados similares (replicação literal) ou contraditórios (replicação teórica)

2.2.4.Propósitos do Estudo de Caso

 Exploratório: contribui para esclarecer uma situação na qual as informações são


escassas. O nível de investigação é menos rigoroso do que num estudo de caso
descritivo.
 Descritivo: descreve um ou alguns exemplos. Ajuda à compreensão de
acontecimentos, centra-se nas questões "Como" e "Porquê".

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


Conclusão

Ao chegar o fim deste trabalho, percebemos que, a monografia é um trabalho de


investigação científica e crítico sobre os conhecimentos existentes sejam eles já
publicados ou não. E é formada por um conjunto de actividades integradas, com uma
unidade metodológica, visando alcançar determinados objectivos claramente definidos.

A origem da palavra monografia vem de mónos que significa um só e de graphein que


significa escrever, ou seja, dissertação sobre um único assunto ou tema. Monografia
sugere especificação, isto é, abordar um determinado assunto, ou abordagem de um
problema específico.

Enquanto o estudo de caso, o objectivo é de apresentar um roteiro de como desenvolver


estudo de caso e, como exemplo, um estudo de múltiplos casos na área de logística. O
roteiro indica uma maneira de desenvolver pesquisa com esta metodologia. Outros
roteiros, com outros caminhos, podem ser construídos, desde que estejam assegurados
todos os elementos que garantem a qualidade e confiabilidade da pesquisa.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz


Bibliografias

Flyvbjerg, B. (2006). Five misunderstandings about case-study research. Qualitative


Inquiry, v.12, p. 219-245.

Gerring, J; McDermott, R. (2010). An experimental template for case study research.


American Journal of Political Scince, v.51, n. 3, p. 688 – 701.

Gil, A. C. (1994) Como elaborar projectos de pesquisas. São Paulo: Editora Atlas.

Trivinos, A. N. S. (1992) Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa


qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1992.

Autor: Sergio Alfredo Macore Sergio.macore@gmail.com / +258846458829 Pemba - Moz