Você está na página 1de 11

17

Ca p í t ulo

Relações Oclusais para Próteses


Parciais Removíveis
Sumário Do Capítulo A quarta fase* no tratamento de pacientes com próteses parciais
removíveis é o estabelecimento de uma oclusão funcional e
Relação de Contato Oclusal Desejável para Próteses harmônica. A harmonia oclusal entre uma prótese parcial
Parciais Removíveis removível e os dentes naturais remanescentes é o principal fator
Métodos para Estabelecimento das Relações Oclusais na preservação da saúde das estruturas circundantes. No trata-
Aposição direta dos modelos mento de pacientes com próteses totais, a inclinação da trajetó-
Registros interoclusais de dentes remanescentes ria condilar é o único fator que não está ao alcance do controle
posteriores do dentista. Todos os outros fatores podem ser alterados para a
Relações oclusais com o uso de planos de orientação obtenção de equilíbrio oclusal e harmonia nas posições excên-
sobre placa-base de registro tricas de forma que sejam obedecidos o conceito particular e a
Registros da relação maxilomandibular realizados filosofia da oclusão.
completamente sobre bases de prova A oclusão equilibrada é desejável em próteses totais porque
Oclusão estabelecida pelo registro da trajetória as tensões de uma oclusão não balanceada podem causar ins-
oclusal tabilidade da prótese e o trauma das estruturas de suporte. Essas
Materiais para Dentes Artificiais Posteriores tensões podem chegar ao ponto de causar movimentos da base
Montagem dos dentes no gabarito oclusal da prótese. Na prótese parcial removível, entretanto, devido ao
Estabelecimento das Relações Maxilomandibulares para encaixe da prótese parcial removível ser no dente suporte, as
uma Prótese Parcial Removível Inferior Antagônica a tensões oclusais podem ser transmitidas diretamente para esse
uma Prótese Total Superior dente de suporte e para as outras estruturas de suporte, resul-
tando numa força de sustentação que pode ser mais prejudicial
que as tensões transitórias encontradas nas próteses totais. A
falha de criação e manutenção da oclusão adequada na prótese
parcial removível é resultado principalmente de (1) falta de
suporte da base da prótese, (2) ilusão de se estabelecer a oclusão
com um único registro estático da relação maxilomandibular, e
(3) um plano oclusal inaceitável.
Ao estabelecer a oclusão em prótese parcial removível, a
influência dos dentes naturais remanescentes é tal que geral-
mente a forma oclusal dos dentes na prótese parcial removível
deve ser confeccionada para obedecer a um padrão oclusal já
estabelecido. Os ajustes oclusais ou confecção de restaurações
podem alterar esse padrão. Entretanto, o padrão presente no
momento em que a prótese parcial removível é feita dita a
oclusão na mesma. As únicas exceções são aquelas na qual uma
prótese total antagônica pode ser confeccionada para funcionar

*Capítulo 2, na discussão sobre as seis fases de tratamento com prótese


parcial removível.

242
Capítulo 17  Relações Oclusais para Próteses Parciais Removíveis 243

harmoniosamente com a prótese parcial removível, ou na qual


há somente dentes anteriores remanescentes em ambos os arcos
e o relacionamento incisal pode ser feito de forma que os con-
tatos dentários não prejudiquem a estabilidade e a retenção da
prótese. Nessas situações, os registros da relação maxilomandi-
bular e a montagem dos dentes devem proceder da mesma
maneira que os realizados para as próteses totais, e com a apli-
cação dos mesmos princípios gerais.
Os dentes remanescentes ditam a oclusão em todos os outros
tipos de próteses parciais removíveis. O dentista deve empe-
nhar-se para conseguir contatos planejados na oclusão cêntrica
e ausência de interferência na excursão lateral. Embora o rela-
Figura 17-1    Oclusão posterior de uma prótese total superior
cionamento funcional da prótese parcial removível com a den-
antagônica a uma prótese parcial removível inferior Classe I. A
tição natural algumas vezes possa ser ajustado satisfatoriamente estabilidade da prótese total superior pode ser promovida pelo
na boca, o ajuste extraoral é geralmente mais fácil tanto para o desenvolvimento da oclusão balanceada, como mostrado.
dentista quanto para o paciente, é mais preciso e pode ser rea-
lizado de uma maneira mais abrangente.
O estabelecimento de uma oclusão satisfatória para pacientes
com prótese parcial removível deve incluir o seguinte: (1) análise
da oclusão existente; (2) correção de desarmonia oclusal exis-
tente; (3) registro da relação cêntrica ou de uma oclusão cêntrica
ajustada; (4) harmonização dos movimentos mandibulares
excêntricos para uma oclusal funcional excêntrica; e (5) correção
das discrepâncias oclusais criadas pelo ajuste da estrutura metá-
lica e pelo processamento da prótese parcial removível.

Relação De Contato Oclusal Desejável


Para Próteses Parciais Removíveis
Os esquemas oclusais seguintes são recomendados para o desen-
volvimento de uma relação oclusal harmônica entre próteses
parciais removíveis e para melhorar a estabilidade das mesmas:
1. Contatos simultâneos bilaterais dos dentes posteriores anta- Figura 17-2    Prótese parcial removível inferior de extremi-
gonistas devem ocorrer na oclusão cêntrica. dade livre bilateral antagônica aos dentes naturais da arcada
2. A oclusão da prótese parcial removível dentossuportada deve superior. Os contatos de trabalho são alcançados, os contatos
ser planejada semelhante à oclusão observada na dentição de balanceio são intencionalmente evitados por completo,
natural harmônica, devido à estabilidade da prótese parcial porque eles não melhoram a estabilidade da prótese, e, ainda, o
removível ser resultado dos efeitos dos retentores diretos equilíbrio protrusivo é evitado, em favor da aparência aceitável
finais em ambos os lados da base da prótese. e do plano oclusal favorável.
3. A oclusão bilateral balanceada na posição excêntrica deve ser
formulada quando a prótese total superior (Figura 17-1) é ajustada quando os dentes anteriores do paciente têm um
antagonista da prótese parcial removível. Isto é realizado trespasse vertical excessivamente inclinado com pouco ou
primeiramente para promover a estabilidade da prótese nenhum trespasse horizontal. Mesmo nessas situações, con-
total. Entretanto, contatos simultâneos na relação protrusi- tatos no lado de trabalho podem ser obtidos sem a utilização
voa não são prioritários sobre a aparência, a fonética, e/ou de inclinações excessivamente acentuadas das cúspides.
um plano oclusal favorável. 6. Somente os contatos de trabalho precisam ser estabelecidos
4. Contatos no lado de trabalho devem ser obtidos para próte- para a prótese parcial removível com extremidade livre uni-
ses inferiores de extremidade livre distal (Figura 17-2). Esses lateral superior ou inferior (Figura 17-4). Os contatos no
contatos devem ocorrer simultaneamente com os contatos lado de balanceio não melhorariam a estabilidade da prótese
no lado de trabalho dos dentes naturais para distribuir as porque ela é totalmente suportada pela armação no lado de
tensões sobre a maior área possível. A função mastigatória balanceio.
da prótese é melhorada por tal disposição. 7. Na configuração da prótese parcial removível Classe IV de
5. Os contatos simultâneos de trabalho e balanceio devem ser Kennedy, os contatos com dentes anteriores antagonistas na
reformulados para uma prótese parcial removível superior de posição de intercuspidação planejada são desejados para
extremidade livre bilateral, sempre que possível (Figura 17-3). prevenir a extrusão contínua dos incisivos naturais antago-
Tal arranjo irá compensar, em parte, a posição desfavorável nistas, salvo se forem impedidos de extrusão por meios como
que os dentes artificiais superiores devem ocupar em relação placa lingual ou barra auxiliar, ou por contenção. Os conta-
ao rebordo, que é geralmente lateral à crista do rebordo. tos para dentes posteriores antagonistas nas posições excên-
Entretanto, essa relação desejável frequentemente deve ser tricas podem ser desenvolvidos para melhorar a função
244 Parte II  Clínica e Laboratório 

Figura 17-4    Quando a oclusão é desenvolvida para uma


prótese parcial removível (superior ou inferior) Classe II, somente
os contatos laterais de trabalho são necessários, visto que a esta-
bilidade adquirida da armação contralateral com o encaixe dentá-
rio oferece resistência à movimentação da prótese. Os contatos
no lado de balanceio não vão melhorar a estabilidade mais do que
a que já foi proporcionada pelos dentes contralaterais.

Figura 17-3    Arcos antagônicos parcialmente edêntulos


Classe I, planejados para possibilitar contatos no lado de traba-
lho dos dentes posteriores antagônicos e com a presença de
contatos de balanceio para minimizar o deslocamento da prótese
parcial removível superior e para distribuir amplamente as forças
provenientes para as estruturas de apoio (pilares e rebordos).

incisiva, mas devem ser preparados para possibilitar a oclusão


balanceada sem interferências excursivas.
8. Os dentes posteriores artificiais não devem ser montados Figura 17-5    Os dentes posteriores mandibulares não devem
mais distalmente que o início da acentuada inclinação ascen- ser montados na distal da inclinação ascendente do rebordo
dente do rebordo residual da mandíbula ou além da papila residual (ramo ascendente). O dente molar foi colocado imedia-
retromolar (Figura 17-5), pois isto levaria ao deslocamento tamente anterior à marca sobre o modelo na área saliente que
anterior da prótese. designa o início da inclinação.
Somente uma relação harmônica isolada das superfícies
oclusais e incisais antagonistas não é adequada para garantir a
estabilidade das próteses parciais removíveis de extremidade proporcionar contatos de trabalho e de balanceio simultâneos
livre distal. Além disso, a relação dos dentes com os rebordos nessas situações.
residuais deve ser considerada. Os contatos bilaterais excêntri-
cos da prótese parcial removível inferior de extremidade livre
Métodos Para Estabelecimento
distal não necessitam ser realizados para estabilizar a prótese.
Das Relações Oclusais
As cúspides vestibulares, entretanto, devem ser posicionadas
favoravelmente para direcionar a carga em direção à vertente Os cinco métodos para estabelecer as relações oclusais para
óssea vestibular, que é a área primária de suporte no arco man- próteses parciais removíveis serão descritos sucintamente. Antes
dibular. Nessas posições, a prótese não é submetida a força de de qualquer deles sere descrito, é necessário que o emprego da
inclinação excessiva (Figura 17-6). Por outro lado, os dentes montagem do arco facial do modelo superior e os fatores per-
artificiais da prótese parcial removível superior de extremidade tinentes na oclusão de prótese parcial removível sejam conside-
livre bilateral frequentemente devem ser montados lateralmente rados. A técnica para o uso do arco facial foi descrita sucintamente
à crista do rebordo residual (Figura 17-7). Tal posição desfavo- no Capítulo 12.
rável pode causar o deslocamento da prótese, que é contida Apesar de a montagem do eixo de rotação ser desejável para
somente pela ação do retentor direto no lado de balanceio. Para procedimentos de reabilitações bucais completas, nenhum dos
aumentar a estabilidade da prótese, parece lógico, se possível, arcos faciais de tipo comum facilitarão a montagem do modelo
Capítulo 17  Relações Oclusais para Próteses Parciais Removíveis 245

maxilar em relação ao eixo condilar no articulador com precisão Os articuladores semiajustáveis podem simular o movi-
razoável e aceitável para a prótese parcial removível. Como foi mento mandibular, mas não os copia. A compreensão das limi-
sugerido no Capítulo 12, é muito melhor o planejamento da tações de um instrumento específico e o conhecimento dos
oclusão relacionada com plano eixo orbital. Já que na oclusão procedimentos que podem superar essas limitações são neces-
da prótese parcial removível o fator dominante é o dente natural sários para que uma oclusão adequada seja criada.
remanescente e sua influência proprioceptiva na oclusão, um O registro das relações oclusais para arcos edêntulos parciais
raio comparável no plano oclusal orientado com instrumentos pode variar desde uma aposição simples dos modelos antagô-
aceitáveis permitirá a reprodução razoável dos movimentos da nicos (pela oclusão suficiente dos dentes naturais remanescen-
mandíbula. tes) até um registro das relações maxilomandibulares, da mesma
forma que é realizado para pacientes completamente edêntulos.
Por mais que alguns dentes naturais permaneçam em contato,
de qualquer maneira será a influência cuspídea daqueles dentes,
que tem função no movimento maxilar, que vai ditar a locali-
zação dos dentes artificiais e o planejamento oclusal.
A relação horizontal da mandíbula (máxima intercuspidação
habitual ou relação cêntrica) na qual a prótese é confeccionada
deve ter sido determinada durante o diagnóstico e o plano de
tratamento. Os preparos de boca devem ser realizados de acordo
com essa determinação, incluindo o ajuste oclusal da dentição
natural, se isto for indicado. Por isso, uma dessas condições deve
existir: (1) relação cêntrica e máxima intercuspidação habitual
coincidentes com ausência de evidências de condições patológicas
oclusais, portanto a decisão deve ser de confeccionar a prótese na
relação cêntrica; (2) relação cêntrica e máxima intercuspidação
Figura 17-6    O dente posterior na extremidade livre distal foi habitual não coincidentes, mas a máxima intercuspidação habitual
selecionado com largura vestibulolingual mais estreita que do é claramente definida, então opta-se pela confecção da prótese em
dente original, e eles foram montados respeitando o suporte máxima intercuspidação habitual; (3) relação cêntrica e máxima
primário (plataforma óssea vestibular) para distribuir a força intercuspidação habitual não coincidentes e a máxima intercuspi-
funcional para o local mais anatomicamente favorável, de dação habitual não é claramente definida, então opta-se pela con-
maneira que os efeitos de alavanca sejam diminuídos. fecção da prótese na relação cêntrica; e (4) dentes posteriores

Figura 17-7    A, O molar superior oclui em relação horizontal normal com o molar antagonista. B, A posição resultante é lateral à
crista de suporte do rebordo residual. Essa posição é funcionalmente desfavorável devido aos efeitos de alavanca potencialmente
instáveis; entretanto, a estabilidade pode ser melhorada pelo ajuste de contatos de trabalho e balanceio simultâneos no plano
oclusal.
246 Parte II  Clínica e Laboratório 

ausentes em um ou ambos os arcos, e a prótese deve ser realizada • Todos os excessos de cera devem ser removidos neste momento
em relação cêntrica. com um bisturi afiado. O mais importante neste momento é
As relações oclusais devem ser estabelecidas pelo uso de um que toda a cera que toca nas superfícies mucosas esteja recor-
dos métodos mais apropriados, que serão demonstrados a seguir, tada de forma que fique livre de contato. O registro de cera,
adaptados para a situação particular do edêntulo parcial. novamente resfriada, deve ser reinserido para que se tenha
certeza de que não há nenhum contato com os tecidos
Aposição Direta dos Modelos moles.
O primeiro método é utilizado quando existem remanescentes Um registro de cera pode também ser corrigido posterior-
dentários antagonistas em contato suficiente para reproduzirem mente com material para registro oclusal de livre escoamento,
uma relação maxilomandibular óbvia, ou quando poucos dentes como uma pasta de óxido metálico, que é usada como meio de
precisam ser repostos em bases protéticas pequenas e não é registro final. Ao fazer tal registro corrigido de cera, o dente
encontrada nenhuma anormalidade oclusal. Com esse método, antagonista (e também o lábio do paciente e a luva do dentista)
modelos antagonistas podem ser ocluídos na mão. Os modelos deve ser levemente revestido com vaselina ou um preparado de
ocluídos devem ser mantidos em aposição com suportes rígidos silicone. Depois, o material de registro oclusal é manipulado e
unidos com cera pegajosa nas bases do modelo até que eles aplicado em ambos os lados do registro da cera reforçada por
sejam montados em segurança em um articulador. metal. Este conjunto é rapidamente inserido na boca, e o
Na melhor das hipóteses, esse método pode somente perpe- paciente é auxiliado para o fechamento na trajetória ensaiada,
tuar a dimensão vertical de oclusão existente e qualquer desar- a qual será guiada pelo registro de cera anterior. Após o material
monia oclusal existente entre a dentição natural. A análise oclusal de registro oclusal endurecer, o registro de cera corrigido é
e a correção de qualquer desarmonia oclusal existente devem removido e sua precisão é verificada. Qualquer excesso proje-
preceder a aprovação deste registro da relação maxilomandibu- tado além do molde de cera deve ser removido com um bisturi
lar. As limitações de tal método são óbvias. Ainda, qualquer regis- afiado até que permaneçam somente os registros das pontas das
tro de relação maxilomandibular é melhor do que o registro cúspides. Tal registro deve ser assentado nos modelos precisa-
interoclusal impreciso entre os dentes naturais remanescentes. A mente, sem discrepâncias ou interferências, e devem resultar
menos que o registro seja realizado de forma que não influencie num registro interoclusal preciso. Quando um arco antagonista
na trajetória de fechamento da mandíbula devido ao tamanho intacto está presente, o uso do modelo antagonista pode não ser
e/ou a consistência do meio de registro, a aposição direta dos necessário. Em vez disso, um gesso rígido pode ser derramado
modelos antagonistas pelo menos eliminaria a possibilidade de diretamente no interior do material de registro oclusal para
o paciente ter uma relação maxilomandibular deficiente. funcionar como um modelo antagonista. Entretanto, embora
isso possa ser um procedimento aceitável na confecção de pró-
Registros Interoclusais de Dentes teses parciais unilaterais fixas, as vantagens de se ter modelos
Remanescentes Posteriores devidamente orientados num articulador adequado contrain-
O segundo método, que é uma modificação do primeiro, é utili- dica esta prática. A única exceção para isto é quando o modelo
zado quando há dentes naturais remanescentes suficientes para superior, no qual a prótese parcial removível será confeccionada,
sustentar a prótese parcial removível (Classe III ou IV de Kennedy), for montado anteriormente com o auxílio do arco facial. Em
mas a relação dos dentes naturais antagonistas não possibilita a tais casos, um arco mandibular intacto pode ser reproduzido
oclusão dos modelos na mão. Em tais situações, as relações maxi- em gesso, já que o modelo é vertido diretamente no interior do
lomandibulares devem ser estabelecidas como se fossem para as registro intraoclusal.
próteses fixas, com algum tipo de registro interoclusal.
O menos preciso desses métodos é o registro interoclusal
com cera. O volume, a consistência e a fidelidade da cera vão
influenciar no sucesso do registro da relação cêntrica depois do
resfriamento da mesma. A cera em excesso que toca nas super-
fícies mucosas pode deformar os tecidos moles, o que evita o
assentamento preciso do registro de cera sobre os modelos de
gesso. A distorção da cera durante ou após a sua remoção da
boca pode também interferir no assentamento preciso. Por-
tanto, um procedimento claro para confecção de registros inte-
roclusais em cera será apresentado logo em seguida:
• Uma lâmina de cera, reforçada por metal, uniformemente
amolecida é colocada entre os dentes, e o paciente é guiado
para o fechamento em relação cêntrica (Figura 17-8). O
fechamento correto deve ser treinado antes da inserção da Figura 17-8    Uma película de cera amolecida em banho
cera para que o paciente não hesite ou desvie durante o fecha- d’água é usada para o registro da posição interoclusal. Uma vez
mento da boca. Depois, a cera é removida e imediatamente removida e resfriada, esse registro é corrigido com um material
resfriada dentro d’água em temperatura ambiente. A cera para registro mais rígido e preciso. Antes de este material ser
deve ser reinserida uma segunda vez para a correção da dis- utilizado na montagem, o registro deve ser recortado para pos-
torção resultante do resfriamento e depois novamente res- sibilitar o assentamento completo do modelo sem a distorção
friada após sua remoção da boca. do material.
Capítulo 17  Relações Oclusais para Próteses Parciais Removíveis 247

Algumas das vantagens do uso de pasta de óxido metálico as retenções indesejáveis devem ser aliviadas. Entretanto, não se
sobre a cera como um meio para registros oclusais incluem deve adicionar qualquer cera neste espaço. Pincela-se uma
(1)  consistência uniforme; (2) facilidade de deslocamento no camada fina de agente isolante sobre o modelo e também cera
fechamento; (3) fidelidade de reprodução da superfície oclusal; de alívio, para ajudar na remoção da base sobre o modelo depois
(4) estabilidade dimensional; (5) possibilidade de algumas do tempo de polimerização recomendado pelo fabricante. Cui-
modificações na relação oclusal após o fechamento, se isto for dadosamente, adapta-se o material de base de FLV ao modelo.
feito antes do material endurecer; e (6) reduzida possibilidade O material não deve ser afinado e nem deve ser adaptado sobre
de distorção durante os procedimentos de montagem. os dentes remanescentes. A base é polimerizada, e em seguida a
Os três detalhes importantes que devem ser observados base de registro é separada do modelo e toda cera de alívio
quando utilizamos esse material são os seguintes: remanescente é removida. A base deve ser limpa e um revesti-
1. Ter certeza de que a oclusão é satisfatória antes de se realizar mento que bloqueie o ar é aplicado sobre toda a base de registro,
o registro interoclusal. de acordo com as instruções (região externa).
2. Ter certeza de que os modelos são reproduções precisas dos As bases de registro podem também ser totalmente confec-
dentes que foram registrados. cionadas de resina acrílica autopolimerizável. Esses materiais
3. Recortar o registro com um bisturi afiado onde existam áreas utilizados em forma de massa não têm precisão suficiente para
retentivas, contato com tecidos moles ou sulcos profundos. esse propósito, a menos que sejam corrigidos pelo reembasa-
mento. Uma base de resina acrílica pode ser confeccionada pela
Relações Oclusais com o Uso de Planos de aspersão de monômero e polímero numa matriz rasa de cera
Orientação sobre Placa-base de Registro ou massa depois que as retenções forem aliviadas. Se a matriz
Um terceiro método é utilizado quando uma ou mais áreas de e o alívio foram feitos com cuidado, não ocorrerão interferên-
extremidade livre distal estão presentes, quando há um grande cias na remoção, e será necessário pouco recorte. Quando o
espaço edêntulo dentossuportado, ou quando dentes antagonis- método de aspersão é utilizado e é respeitado o tempo suficiente
tas não se encontram entre si. Nesses casos, planos de orientação para que a polimerização progressiva ocorra, tem-se como
sobre placa-base devem ser utilizados como suporte para o resultado bases estáveis e precisas. Outras bases de registro
registro da relação maxilomandibular. Os registros simples com incluem o uso de metal fundido ou base de resina acrílica
cera nunca são aceitáveis nas áreas edêntulas. Qualquer cera, formada sob compressão e processada para o registro das rela-
embora macia, é capaz de deslocar os tecidos moles. É impos- ções maxilomandibulares.
sível assentar precisamente tal registro de cera no modelo de Em relação ao terceiro método, devemos fazer referência ao
gesso do arco. rebordo em que a base de registro será realizada. Se a prótese
Com esse método, os procedimentos de registro são os for dentossuportada ou se uma base de extremidade livre distal
mesmos do segundo método, exceto pela substituição dos é feita na forma anatômica do rebordo, as bases serão confec-
dentes perdidos por roletes de cera (Figura 17-9). É essencial a cionadas para que se ajustem na forma do rebordo residual. Mas
utilização de bases precisas para suportar a relação oclusal. As se uma base de extremidade livre distal é suportada pela forma
bases fotopolimerizadas por luz visível (FLV) podem ser adap- funcional do rebordo residual, é necessário que o registro das
tadas aos modelos por meio da técnica para confecção de mol- relações maxilomandibulares seja protelado até que o modelo
deira descrita no Capítulo 15. Utilizando o modelo de trabalho, de trabalho esteja corrigido para a forma funcional.

Figura 17-9    Relacionamento e distribuição dos dentes remanescentes para aqueles pacientes que necessitam que as bases de
registro e os planos de orientação sejam utilizados para a montagem precisa dos modelos. A, Base de registro de resina acrílica e
plano de orientação de cera de placa-base sólida para maxila edêntula e Classe I de Kennedy no arco mandibular. Essas bases
de registro são estáveis e formadas pela aspersão de resina acrílica autopolimerizável. B, Os planos de orientação são substitutos de
dentes posteriores perdidos e fornecem uma oportunidade de suporte posterior na realização de registros interoclusais; a grande
extensão edêntula na mandíbula direita é mais crítica.
248 Parte II  Clínica e Laboratório 

A base de registro deve ser o mais semelhante possível à escolha do método para registro das relações maxilomandibu-
base final da prótese. As bases de registro das relações maxilo- lares é a mesma que para as próteses totais. Pode ser utilizado
mandibulares são inúteis, a menos que elas sejam feitas no tanto um método interoclusal direto quanto um registro com
mesmo modelo ou num modelo de duplicação no qual a prótese traçador de agulha, como os pantográficos. O uso do arco facial,
será confeccionada, ou quando serão elas mesmas as bases finais a escolha do articulador, a escolha do método para registro das
das próteses. Para que sejam as bases finais da prótese, devem relações maxilomandibulares e o uso do registro das posições
ser confeccionadas com uma liga fundida ou com uma base de excêntricas são considerados opcionais, assim como na confec-
resina acrílica processada. ção das próteses totais, de acordo com a experiência, a habili-
Os registros da relação maxilomandibular realizados por dade e a vontade de cada dentista.
este método completa essencialmente o mesmo propósito dos
dois métodos anteriormente descritos. O fato de as bases de
registro serem utilizadas para dar suporte a áreas edêntulas Oclusão Estabelecida pelo Registro da
não altera seu resultado. Em qualquer método, a habilidade e Trajetória Oclusal
o cuidado empregados pelo dentista para confecção dos ajustes O quinto método de estabelecimento da oclusão da prótese
oclusais na prótese final vão determinar a fidelidade da oclusão parcial removível é o registro da trajetória oclusal e o uso de
resultante. um gabarito de oclusão em vez de um modelo do arco anta-
gonista. Quando um registro da relação maxilomandibular
Métodos para Registrar a Relação Cêntrica nas estática é utilizado, com ou sem movimentos articulares
Bases de Registro excêntricos, os dentes artificiais são montados para ocluir de
A relação cêntrica deve ser registrada de várias maneiras quando acordo com um conceito específico de oclusão. Por outro
as bases de registro forem utilizadas. A menos precisa é o uso lado, quando um registro oclusal funcional é utilizado, o
de planos de orientação com cera macia. Os planos de orienta- dente é alterado para aceitar todo movimento mandibular
ção de godiva, por outro lado, podem ser amolecidos por flam- excêntrico registrado.
bagem e tratamento térmico, resultando geralmente em um Esses movimentos são realizados de forma mais com-
registro oclusal aceitável. Esse método é consagrado pelo tempo, plicada pela influência dos dentes naturais remanescentes.
e quando é realizado de forma competente tem precisão igual à A harmonia oclusal nas próteses totais e nas reabilitações
de qualquer outro método. orais completas deve ser obtida pelo uso de diferentes ins-
Quando são utilizados planos de orientação de cera, eles trumentos e técnicas. Schuyler enfatizou a importância de
devem ser reduzidos em altura até que fiquem apenas fora do se estabelecer primeiro a relação dentária anterior e a guia
contato oclusal na dimensão vertical de oclusão desejada. Uma incisal, para depois continuar qualquer processo de reabili-
parada única é adicionada posteriormente para a manutenção tação oral completa. Outros autores demonstraram as van-
de sua posição terminal enquanto o registro da relação maxilo- tagens do estabelecimento da guia canina como chave da
mandibular é realizado em algum material uniforme macio, que oclusão funcional antes de se continuar com qualquer regis-
se torne rígido. O gesso para moldagem de presa rápida, a pasta tro funcional contra um arco antagonista proteticamente
para registro de mordida e a resina acrílica autopolimerizável recuperado. Isto é realizado com base na teoria de que o
podem ser utilizados. Com a utilização de qualquer um desses dente canino serve para guiar a mandíbula durante os
materiais, o dente antagonista deve ser lubrificado para facilitar movimentos excêntricos quando os dentes antagonistas
a separação. Qualquer que seja o meio de registro, ele deve
possibilitar o fechamento normal sem resistência em posição
cêntrica e deve ser transferido com fidelidade para os modelos
com o propósito de se realizar a montagem.

Registros da Relação Maxilomandibular Realizados


Completamente sobre Bases de Prova
O quarto método é utilizado quando não existe a presença de
nenhum contato oclusal entre os dentes naturais remanescentes,
como quando uma prótese total superior antagonista vá ser
realizada concomitantemente com uma prótese parcial removí-
vel inferior. Este método deve ser utilizado também nas situa-
ções raras que os poucos dentes remanescentes não se ocluem
e não terão influência nos movimentos mandibulares excên-
tricos. Os registros da relação maxilomandibular serão realiza-
dos totalmente nos planos de orientação onde ambos os arcos
possuam apenas dentes anteriores presentes (Figura 17-10).
Em qualquer dessas situações, os registros da relação maxi- Figura 17-10    Arcos dentários antagonistas Classe I de Kennedy
lomandibular são realizados totalmente nos planos de orienta- somente com dentes anteriores remanescentes. Os registros das
ção. Os planos de orientação devem ser apoiados em bases relações maxilomandibulares são realizados com a utilização de
precisas de registro da relação maxilomandibular. Aqui, a bases de registro e planos de orientação estáveis.
Capítulo 17  Relações Oclusais para Próteses Parciais Removíveis 249

entram em contato ­funcional. Também tem sido destacado meios protéticos. O dentista deve considerar no momento do
que o dente canino transmite os impulsos periodontais pro- planejamento do tratamento as possíveis ­vantagens de se esta-
prioceptivos para os músculos da mastigação e deste modo belecer a oclusão final em um arco intacto.
tem uma influência nos ­movimentos mandibulares mesmo
sem guia de contato efetiva. Entretanto, quanto mais as Passo a Passo dos Procedimentos Utilizados
superfícies oclusais dos dentes naturais remanescentes não
para o Registro da Trajetória Oclusal
restaurados permanecem em contato, como em muitas
Depois de ajustada a armação para que se encaixe na boca,
bocas parcialmente dêntulas, mais esses dentes proporcio-
a técnica utilizada para o registro da trajetória é a seguinte:
narão influência primária no movimento mandibular. O
1. Confeccione os planos de cera sobre a base da prótese que
grau de harmonia oclusal que pode ser obtido em próteses
tenha o mesmo grau de precisão e estabilidade da base
fixas ou removíveis dependerá da harmonia oclusal que
final da prótese. Idealmente, esta seria a base final da
existe entre esses dentes.
prótese, que é uma das vantagens de se fazer uma prótese
Sobre a oclusão, Thompson escreveu: “Observar a oclusão
com base metálica. Outra maneira é confeccionar uma
com os dentes nas relações estáticas e depois no movimento
base temporária de resina FLV ou de aspersão de resina
mandibular em várias posições excêntricas não é suficiente.
acrílica autopolimerizável (Figuras 18-34 até 18-38), qual-
O conceito dinâmico é necessário para se produzir uma
quer delas essencialmente idênticas à base final de resina
oclusão que está em harmonia funcional com o esqueleto
acrílica. Para qualquer prótese parcial removível de extre-
facial, com a musculatura e com a articulação temporoman-
midade livre distal, confeccione essa base em um modelo
dibular.”* Pela adição de “e com os dentes naturais remanes-
que já tenha sido corrigido para a forma funcional dese-
centes”, as exigências para prótese parcial removível estão
jada ou para a forma de suporte no rebordo edêntulo.
completamente definidas.
Coloque uma película rígida de cera pegajosa na base
Alguns dos métodos descritos anteriormente podem ser
antes de prender os planos de cera na base. A cera utilizada
aplicados para a confecção de próteses parciais removíveis
para os planos de cera deve ser rígida o bastante para
em ambos os arcos simultaneamente, enquanto que o regis-
aguentar a força de mordida e deve ter resistência o bas-
tro da trajetória oclusal necessita que o arco antagonista
tante para resistir a fratura. As ceras rígidas de incrustações
esteja intacto ou restaurado para a dimensão do tratamento
se mostraram adequadas para a maioria dos pacientes.
planejado. Um enceramento diagnóstico dos arcos maxilar e
Entretanto, alguns indivíduos com musculatura fraca ou
mandibular facilitará a visualização do preparo de boca
bocas frágeis têm dificuldade de morder este tipo de cera.
proposto e os procedimentos restauradores necessários para
Em tais situações, use uma cera um pouco menos rígida.
adaptar o esquema oclusal planejado, a orientação correta
Faça o plano de cera largo o bastante para registrar todos
do plano oclusal, a forma correta do arco, e as modificações
os extremos dos movimentos mandibulares.
dentárias completas, para que se adaptem ao desenho da
2. Comunique ao paciente que o plano de cera deverá ser
prótese parcial removível — todos na dimensão vertical de
usado por 24 horas ou mais. Ele deverá ser usado cons-
oclusão. Se o planejamento de próteses parciais removíveis é
tantemente, inclusive durante a noite, e só será removido
feito para ambos os arcos, é necessária a decisão de qual
durante as refeições. Com o uso e a mordida no plano de
prótese será confeccionada primeiro e qual suportará a
cera rígida, será realizado um registro de todos os extre-
relação oclusal funcional com o arco antagonista. Geralmente
mos dos movimentos da mandíbula. O rolete oclusal de
o arco mandibular é reabilitado antes e a prótese parcial
cera deve manter um contato positivo com a dentição
removível superior é ocluída naquele arco reabilitado. Se a
antagonista em todas as excursões e deve ter altura bas-
reabilitação do arco superior for com uma prótese total ou
tante para garantir que o registro da trajetória funcional
prótese parcial fixa ou coroas, deve ser realizado um encera-
de cada cúspide foi esculpido na cera. Esse registro deve
mento diagnóstico completo antes do estabelecimento da
incluir não só os movimentos voluntários, mas também
oclusão com a prótese parcial removível antagonista. Se
os movimentos involuntários e as mudanças nos movi-
forem confeccionadas próteses parciais fixas antagonistas ou
mentos mandibulares causadas por alterações de postura.
coroas que ocluam nos antagonistas, poderá ser vantajoso o
As posições mandibulares extremas e os movimentos
desenvolvimento da oclusão e a confecção de ambas simul-
habituais durante o sono também devem ser registrados.
taneamente para garantir o posicionamento ideal, a relação
A trajetória oclusal que é registrada por este meio repre-
intercuspídea e a integridade funcional.
sentará cada dente em seu aspecto tridimensional. Embora
Independente do método utilizado para o registro das rela-
o modelo vertido a partir disto se assemelhe com os dentes
ções maxilomandibulares, quando um arco é reabilitado com-
antagonistas, eles serão maiores que os dentes que foram
pletamente primeiro, esse arco é considerado um arco intacto,
esculpidos desta maneira porque eles representam os dentes
mesmo se ele foi restaurado parcialmente ou totalmente por
em todos os seus movimentos extremos. O registro da traje-
tória oclusal desta maneira elimina totalmente a necessidade
de reprodução dos movimentos mandibulares em algum
*De Thompson JR: Temporomandibular disorders: diagnosis and instrumento.
dental treatment in the temporomandibular joint. In Sarnat B, editor: Instrua o paciente sobre a remoção e a colocação da
The temporomandibular joint, ed 2, Springfield, Ill, 1964, Bernard G. prótese parcial removível que serve de apoio para o plano de
Sarnat e Charles C. Thomas, pp 146-184.
250 Parte II  Clínica e Laboratório 

cera e explique que, por meio da mastigação em todas as paciente deve usar novamente o plano de cera por um
direções, a cera será esculpida pelos dentes antagonistas. Os período de tempo.
dentes antagonistas devem ser limpos ocasionalmente 4. Depois do segundo período de utilização de 24 a 48 horas,
quando houver o acúmulo de partículas de cera. É necessário o registro deve estar completo e aceitável. Os dentes
que o paciente compreenda o que esta sendo realizado e remanescentes que foram considerados pontos de parada
entenda que tanto os movimentos voluntários quanto os devem estar em contato, e o plano de cera deve mostrar
involuntários devem ser registrados na cera. uma superfície de brilho intacta que represente cada
Antes de dispensar o paciente, adicione ou remova cera cúspide em todos os movimentos extremos.
onde indicado para possibilitar os contatos completos e Os dentes naturais anteriormente em contato não preci-
contínuos por toda faixa mastigatória. Para fazer isto, aqueça sam necessariamente estar em contato no término do regis-
repetidamente a cera com uma espátula quente e faça o tro oclusal. Os dentes que sofreram extrusão por um período
paciente fechar e mastigar com a dentição antagonista o de anos e aqueles que sofreram movimentação para acomo-
plano de cera aquecido, e cada vez adicione mais cera em dação da sobreoclusão ou da rotação mandibular não devem
qualquer área que esteja deficiente. Qualquer área deixada estar em contato quando o equilíbrio mandibular tiver sido
sem suporte devido ao escoamento pelas forças oclusais restabelecido. Tais dentes podem possivelmente voltar a ter
devem ser reforçados com cera adicional. É importante que contato oclusal no futuro ou ter seu contato oclusal restabe-
o plano de cera esteja absolutamente limpo e livre de saliva lecido após a instalação inicial da prótese. Como a posição
antes da aplicação de uma nova camada de cera. Cada adição mandibular pode ter mudado durante o processo de registro
de cera deve ser realizada de forma homogênea no rolete oclusal, a relação intercuspídea de alguns dentes naturais
para evitar a fratura ou disjunção do plano de cera durante pode ser diferente de antes. Esse fato deve ser reconhecido
o tempo em que ele será usado. Deixe o plano de cera com na determinação do correto restabelecimento da dimensão
1 a 3 mm de altura, dependendo da necessidade de aumento vertical de oclusão.
da dimensão vertical de oclusão. A oclusão assim estabelecida na prótese parcial removí-
3. Depois de 24 horas, a superfície oclusal do plano de cera vel terá uma harmonia mais completa com os dentes anta-
deve exibir um brilho contínuo, que indica o contato gonistas naturais ou artificiais do que aquela que foi obtida
funcional com os dentes antagonistas em todas os movi- pelo ajustes somente na boca, porque os ajustes oclusais
mentos extremos. Algumas áreas com contatos deficien- para o acomodamento dos movimentos voluntários não
tes devem ter cera adicionada neste momento. As razões previne necessariamente a desarmonia oclusal em todas as
positivas para a manutenção de contatos oclusais por posições posturais ou durante os períodos de tensões.
todo tempo de utilização do plano de cera são: (a) todos Além disso, os ajustes oclusais feitos na boca sem a análise
os dentes antagonistas devem ser colocados em função; oclusal são limitados pela habilidade do dentista em inter-
(b) uma prótese antagonista, se presente, se tornará pretar corretamente as marcas oclusais realizadas intrao-
completamente assentada; e (c) a dimensão vertical de ralmente, quer por uma tira de articulação quer por outros
oclusão na região de molares será aumentada, enquanto métodos.
a cabeça do côndilo mandibular estará sendo reposicio- O registro da trajetória oclusal tem vantagens adicionais.
nada e o tecido temporomandibular poderá retornar a Ele faz com que a obtenção das relações maxilomandibulares
sua relação normal. seja possível nas condições atuais de trabalho, com a estru-
Se durante esse período o plano de cera não for reduzido tura da prótese em sua posição final, os dentes antagonistas
até o contato natural dentário, aqueça-o pela aplicação de ar em função, e a prótese antagonista, se presente, totalmente
direto da seringa tríplice através de uma chama sobre a assentada. Em alguns momentos, isto também torna possível
superfície da cera. Se o rolete de cera for mantido entre os a recuperação da dimensão vertical de oclusão perdida, uni-
dedos durante o aquecimento, resultará em um processo lateralmente ou bilateralmente, devido a ocorrência de uma
gradual de amolecimento, em vez de causar um derretimento sobreoclusão ou uma rotação mandibular.
da superfície. Aqueça o rolete de cera repetidamente e repo- O registro completo está pronto agora para ser convertido
sicione-o na boca até que a altura oclusal seja reduzida e as em uma guia oclusal. Isto é geralmente realizado pelo encaixe
excursões laterais sejam registradas. Neste momento, utilize do registro oclusal com massa de modelar após ela ser reas-
cera adicional para suportar aquelas áreas que ficaram sem sentada e fixada no modelo processado ou no modelo de
suporte pelo escoamento de cera para as superfícies vestibu- trabalho. Somente o registro em cera e as áreas de paradas
lares ou linguais. Remova as áreas de cera que não têm verticais podem ser deixados expostos. Depois, estas áreas
envolvimento óbvio, até limitar o plano de cera o máximo são preenchidas com gesso resistente de confecção de tro-
possível. Remova também aquelas áreas projetadas além da quéis para formar um gabarito de oclusão (Capítulo 18).
superfície oclusal, as quais, se presentes, podem limitar o É necessário que as paradas em gesso sejam utilizadas
movimento funcional. para manter a relação vertical, em vez de somente confiar em
Quando a prótese é assentada e as mudanças na posição alguma parte ajustável do articulador, o qual pode ser
da mandíbula são realizadas após o período de uso anterior, mudado acidentalmente. Além disso, se as paradas em gesso
é possível completar o registro oclusal no consultório. Entre- e da montagem do modelo da prótese e do gabarito simul-
tanto, se todos os movimentos involuntários e aqueles cau- taneamente permite que se use um articulador charneira
sados por mudanças posturais não forem registrados, o simples.
Capítulo 17  Relações Oclusais para Próteses Parciais Removíveis 251

Materiais Para Dentes Artificiais Os dentes são geralmente montados para intercuspidar
Posteriores com os dentes antagonistas na relação de intercuspidação
Atualmente, os dentes de resina acrílica são geralmente preferí- normal. Sempre que possível, a cúspide mesiovestibular dos
veis aos os dentes de porcelana, porque os dentes de resina são primeiros molares superiores deve ser posicionada em relação
facilmente ajustados e se considera que são os que mais se ao sulco vestibular do primeiro molar inferior, e todos os
assemelham ao esmalte no potencial abrasivo de dentes antago- outros dentes consequentemente montados de acordo com
nistas. Dentes de resina acrílica com superfícies oclusais em isto. Com uma oclusão funcionalmente confeccionada,
ouro são preferencialmente utilizados em antagonistas de dentes entretanto, não é absolutamente necessário que as relações
naturais restaurados com superfície oclusal em ouro, enquanto normais dos dentes antagonistas sejam restabelecidas. Em
os dentes de porcelana são utilizados geralmente quando são primeiro lugar, os dentes antagonistas no arco dentário que
antagonistas de outros dentes de porcelana. não são contíguos podem não estar alinhados na forma
As superfícies dos dentes de resina acrílica, entretanto, normal, e a intercuspidação pode ser difícil de ser alcançada.
podem com tempo se tornar impregnadas de partículas abrasi- Em segundo lugar, as superfícies oclusais precisarão ser
vas, e desta forma se tornam uma substância abrasiva por si modificadas para então terem um funcionamento favorável
próprios. Isto pode explicar por que os dentes de resina acrílica independente do seu posicionamento anteroposterior. Já que
são às vezes capazes de desgastar superfícies antagonistas de as modificações nas cúspides para se encaixarem no gabarito
ouro. Uma avaliação da presença ou ausência de contatos oclu- oclusal estarão em harmonia com a dentição antagonista,
sais, entretanto, deve ser meticulosamente realizada a cada 6 não é necessário que os próprios dentes sejam montados
meses em consultas de manutenção, independente da escolha para serem adaptados ao conceito usual do que constitui
do material para confecção de dentes posteriores. uma relação anteroposterior normal.
Embora existam algumas controvérsias sobre o uso de dentes
artificiais de resina acrílica ou porcelana, há uma concordância
clara de que o estreitamento (redução da extensão vestibulolin-
gual) das superfícies oclusais é desejável. Os dentes posteriores
que preenchem esse requisito devem ser selecionados, e o uso
Estabelecimento Das Relações
de formas dentárias com excessiva extensão vestibulolingual
Maxilomandibulares Para Uma Prótese
deve ser evitado. Parcial Removível Inferior Antagônica
Os dentes de resina acrílica são facilmente ajustados e pro- A Uma Prótese Total Superior
porcionam rapidamente a construção de superfícies em ouro A confecção de próteses parciais removíveis inferiores que irão
fundido nas suas porções oclusais. Um procedimento simples ocluir com uma prótese total superior é comum. A prótese
para fabricação de superfícies oclusais de ouro e sua união com superior pode já estar presente, ou poderá ser confeccionada
dentes de resina acrílica é descrito no Capítulo 18 sobre as simultaneamente à confecção da prótese parcial removível infe-
formas dos dentes posteriores. rior antagonista. Em qualquer caso, o estabelecimento da relação
maxilomandibular nesta situação pode ser realizado por meio
de um dos métodos delineados anteriormente.
Montagem dos Dentes no Gabarito Oclusal Se uma prótese total superior existente está satisfatória e o
A superfície oclusal dos dentes artificiais, de porcelana ou plano oclusal é orientado em posição aceitável de formato ana-
resina, deve ser modificada para ocluir no gabarito. Neste tômica, funcional e estético (o que raramente ocorre), então a
método, na verdade, a porcelana ou a resina atuaram somente prótese total não necessita ser trocada e este arco antagonista é
como um material bruto no qual a superfície oclusal será considerado um arco intacto, como se os dentes naturais esti-
confeccionada de forma que esteja em harmonia com o vessem presentes. A transferência do arco facial é feita neste arco,
padrão de oclusão existente. Por isso, os dentes devem ser e o modelo é montado no articulador. Para fazer isto, o registro
montados mais altos, para depois serem modificados e se do arco facial é realizado com a prótese total posicionada. Após
encaixarem no gabarito na dimensão vertical de oclusão. o arco facial ser removido do paciente, a prótese total também
Os dentes montados em um gabarito oclusal geralmente será removida para ser moldada com hidrocoloide irreversível.
devem ser colocados no centro do alcance funcional. Sempre Quando o material de moldagem tomar presa, remove-se a
que possível, o dente deve ser montado de forma que fique prótese, faz-se a sua limpeza, e ela pode ser devolvida ao paciente.
posicionado no centro vestibulolingual do gabarito. Quando Um modelo é vertido sobre a moldagem, e depois esse modelo
os dentes naturais têm sua oclusal funcional registrada, esta será montado em articulador com o auxílio do registro feito
deve ser considerada a posição fisiológica normal da denti- com o arco facial. O registro das relações maxilomandibulares
ção artificial, independente da relação com o rebordo resi- deve ser feito com precisão nas bases de registros anexadas à
dual. Por outro lado, se algumas oclusões artificiais no arco estrutura da prótese parcial removível inferior com a utilização
antagonista são registradas, como a de uma prótese total do meio de registro apropriado. A relação cêntrica é registrada
antagonista, os dentes devem ser montados em uma relação e transferida para o articulador. Os registros excêntricos podem
favorável a sua base, mesmo se isso significar uma montagem ser realizados para a individualização do articulador.
ligeiramente vestibularizada ou lingualizada do centro do Em ocasiões raras, quando a prótese parcial removível infe-
gabarito. rior irá reabilitar todos os dentes posteriores e os dentes ante-
riores não estão interferindo, um traçador de ponto de apoio
252 Parte II  Clínica e Laboratório 

central deve ser inserido no palato da prótese superior, e a Se a prótese parcial removível inferior é dentossuportada
relação cêntrica registrada por meio de um traçado intraoral (um arco Classe III de Kennedy com prótese removível bilate-
contra a base mandibular estável. Se o método de registro com ral), o arco mandibular é reabilitado primeiro. O mesmo se
traçador de agulha for utilizado, o instrumento traçador deverá aplica a um arco mandibular que será reabilitado com próteses
ser cuidadosamente removido da prótese e unido no mesmo parciais fixas. Em ambas as situações, o arco mandibular é com-
local do palato do modelo de gesso para ser transferido para o pletamente reabilitado primeiro, e o relacionamento maxilo-
articulador por meio do arco facial. O modelo inferior pode ser mandibular é estabelecido como se o arco inferior fosse uma
orientado pelo modo de registro da relação maxilomandibular prótese completa antagonista. Então, a prótese total superior é
horizontal e unido ao articulador. confeccionada baseada neste arco considerado intacto.
Quando uma prótese total está antagônica ao arco no qual a Por outro lado, é mais comum que a prótese parcial remo-
prótese parcial removível será confeccionada, o modelo da prótese vível possa ter uma ou mais bases de extremidade livre distal.
total pode ser utilizado durante os procedimentos de confecção. Essa situação então necessita que a oclusão seja estabelecida em
Entretanto, quando a oclusão é corrigida após a confecção e a ambas as próteses concomitantemente.
prótese parcial removível é finalizada durante sua prova inicial, Todos os preparos de boca e procedimentos restauradores
a prótese total deve ser recolhida e montada no articulador no necessários para orientação correta do plano oclusal, correção
registro de relação cêntrica na dimensão vertical de oclusão dese- da forma do arco, acomodação do plano oclusal desejado e
jável. Este procedimento levará a uma relação intercuspídea mais acomodação do desenho da prótese parcial removível devem ser
precisa e prevenirá a abrasão dos contatos das cúspides que efetuados nos dentes naturais remanescentes. Além disso, todos
poderão ocorrer se for usado o modelo de gesso da dentadura. os tecidos de suporte devem estar num estado de saúde aceitável
Este procedimento ocorre quando o paciente estiver no consul- antes de realizada a moldagem final. Após serem feitas as mol-
tório, para não impedir o uso da prótese total existente. dagens finais, o que inclui a moldagem alterada do modelo ou
Se a relação dos dentes posteriores da prótese superior com a moldagem de correção do modelo, o plano de orientação
o rebordo inferior for favorável e a prótese total estiver estável, superior é modelado, a relação vertical de oclusal com os dentes
o registro da trajetória oclusal no arco mandibular, assim como remanescentes inferiores é restabelecida e é realizada a trans-
de qualquer arco intacto oposto, estabelecerá o relacionamento ferência do arco superior para o arco facial. As relações maxilo-
maxilomandibular. O sucesso deste método depende da estabi- mandibulares podem ser registradas por quaisquer métodos
lidade da base protética, da qualidade dos tecidos de suporte, da anteriormente descritos e a montagem completa em articulador
relação com os dentes antagonistas com o rebordo mandibular, é completada. A oclusão pode ser estabelecida como para as
e da inter-relação entre os dentes naturais e artificiais. próteses totais, com o cuidado de se estabelecer uma relação
Mais frequentemente, a prótese total superior existente não dente/rebordo favorável em ambos os arcos, um ótimo plano
será aceitável para uso devido ao mau posicionamento dos oclusal e harmonia oclusal entre todos os dentes articulados.
dentes. A prótese pode ter sido confeccionada para ocluir com Após a prova, vários métodos podem ser utilizados para
os dentes mandibulares mal posicionados, os quais podem ter terminar a reabilitação. Ambas as próteses podem ser processa-
sido perdidos, ou os dentes foram montados sem atenção para das simultaneamente e remontadas para correção oclusal, ou a
a relação oclusal futura com prótese parcial removível inferior. prótese parcial removível pode ser confeccionada antes. Após as
Muitas vezes são vistas próteses superiores com dentes poste- próteses estarem prontas e remontadas, os dentes — ainda em
riores montados próximos ao rebordo residual sem a preocu- cera na prótese total — são ajustados para a correção de qual-
pação com a relação entre os arcos e com um plano oclusal quer discrepância.
muito baixo. Usualmente, entretanto, a nova prótese superior As discrepâncias oclusais criadas durante o processamento
deve ser realizada simultaneamente com a prótese parcial remo- devem ser corrigidas antes de se possibilitar o uso da(s) prótese(s)
vível inferior, e as relações maxilomandibulares devem ser res- pelo paciente. Os métodos segundo os quais essas discrepâncias
tabelecidas em uma das duas maneiras. podem ser corrigidas são discutidos no Capítulo 18.

Você também pode gostar