Você está na página 1de 5

O que é projeto social?

Um projeto social é uma forma de estruturar e organizar ações com o objetivo de transformar a
realidade de outras pessoas ou de uma causa específica.
Esses projetos são relacionados a uma visão de mundo e existem para propor uma intervenção
social, fazendo uma articulação entre essas causas e as políticas públicas.
Pessoas se unem em prol de outras – que geralmente constituem grupos menos favorecidos pela
sociedade, e buscam meios de transformar essas vidas, tanto a curto quanto a longo prazo,
dependendo do projeto executado. Tudo sem fins lucrativos ou ganhos pessoais diretos.
ONGs e demais projetos que se enquadram como entidades do terceiro setor têm base legal na
Lei 9790/1999, que regulamenta a formação e funcionamento das entidades da sociedade civil de
interesse público.
Mais do que a prestação de serviço assistencial, um projeto social se configura pela afirmação de
direitos e cidadania, com ênfase na justiça social e na transformação coletiva.

Como montar um projeto social?


Muita gente contribui com projetos sociais já existentes. Escolhem uma causa na qual acreditam
e colaboram com dinheiro, doações materiais e, em alguns casos, até mesmo participam de forma
voluntária, sempre que possível.
Mas e que tal montar seu próprio projeto e começar agora mesmo a fazer o bem na sua região?
A construção de um projeto social deve levar em conta o ambiente onde ele será desenvolvido:
Quais são as potencialidades políticas, sociais e materiais existentes? A sua construção é viável?
Investigue os problemas existentes no seu bairro ou na sua cidade, por exemplo, e pense em
maneiras de ajudar a resolver essas demandas.
Articule grupos de pessoas que possam estar altamente engajadas e comprometidas com essa
causa e formule estratégias de ação, bem como maneiras de captar recursos.
E lembre-se do mais importante: a criação e desenvolvimento de um projeto social é muito mais
do que reunir recursos financeiros e materiais. É necessário ter bem delimitados os caminhos que
serão percorridos, reunir pessoas com vocação e boa articulação política e social, e ser
transparente, viável e sustentável.

Como elaborar um projeto social passo a passo


Criar seu próprio projeto social funciona mais ou menos como a fundação de um negócio. Há
passos essenciais a serem seguidos para que ele saia do papel e funcione de maneira efetiva,
gerando os resultados esperados.
1.      Identifique sua missão enquanto projeto
Toda organização precisa definir um objetivo para existir – a sua missão no mundo. Para isso,
pense em alguns aspectos que vão ajudar a estrutura melhor a sua instituição.
Já existem projetos semelhantes ao que eu quero executar? Se sim, de que forma o meu será
diferente em sua contribuição para
a melhoria da sociedade? Esses diferenciais serão suficientes para a captação de recursos?
Ele é realmente impactante? Há público-alvo suficiente que demande a formação desse projeto?
Essas pessoas poderão ser facilmente encontradas e acessadas?

2.      Faça um planejamento detalhado


Antes de iniciar as atividades, a organização deve definir de forma clara todas as necessidades do
projeto e quais demandas serão atendidas.
Defina, também, quais sãos os atores envolvidos – tanto executores quanto os que serão
beneficiados com as ações, quais são os recursos necessários para sua execução, e objetivos
pretendidos.

A estrutura de um planeamento contém, basicamente, as seguintes informações:


Apresentação da organização: dados gerais da entidade, inclusive com histórico de projetos
anteriores – se houver.
Resumo do projeto: ideias principais.
Contextualização: informações de cenário sobre o local onde o projeto será realizado. Qual a
situação econômica e social? Quais são os dados estatísticos da região?
Justificativa: por que esse projeto deve existir e qual sua importância?
Objetivos: gerais e específicos. Devem estar relacionados à justificativa e aos resultados
esperados.
Público-alvo: descrição de quem será atendido pelo projeto.
Quadro de Metas: Ações e resultados que definem o impacto do projeto e que devem ser
acompanhadas periodicamente.
Metodologia: definição de como as ações serão executadas, bem como tecnologias necessárias e
o tipo de monitoramento a ser realizado.
Equipe Executora: descrição da equipe responsável pela ação.
Parceiros: pessoas ou instituições que apoiarão o projeto.
Cronograma: definição de datas e prazos de entrega de cada ação.
Orçamento: valor necessário para a execução das ações planejadas.

3.      Inicie a captação de recursos


Com o planeamento pronto, é hora de começar a captar recursos que vão viabilizar a execução de
cada projeto.
Há várias formas de conseguir dinheiro para financiar essas ações. Conheça as principais:
Doações: Seu projeto pode contar com o apoio de doadores fixos e esporádicos. A captação pode
se dar por meio de campanhas para manutenção ou ações específicas. Na Risü, sempre que fizer
uma compra em uma das lojas parceira, o usuário pode destinar parte do valor da compra como
doacao para uma organização de sua escolha.
Eventos: Investindo um pequeno valor para estruturar e organizar esse evento, é possível captar
recursos de uma forma alegre e divertida. É possível realizar bailes, exposições, bazares, feiras,
apresentações artísticas, e torneios. Com o apoio de voluntários, os custos de montagem podem
ficar ainda menores e garantir ainda mais doações para seu projeto.
Editais: Graças a leis que garantem benefícios fiscais a empresas que contribuem com o
financiamento de projetos, sua organização também pode participar de editais. É necessário estar
atento às publicações e participar daqueles que estejam alinhados aos seus objetivos, gerais e
específicos. Com benefícios para todos os envolvidos, os editais são um excelente meio de obter
recurso para seu projeto social e expandir a execução das ações.
Patrocínio: Muitas empresas também contribuem com os projetos de outra forma – o patrocínio.
Geralmente, esse recurso é destinado a uma ação específica e ajuda a divulgar a marca da
instituição patrocinadora, ligando seu nome a causas sociais e impactando, positivamente, na sua
imagem perante o público.

4.      Coloque a mão na massa


Com planejamento pronto e bem estruturado, objetivos definidos e recursos captados é hora de
começar a trabalhar. Divulgue seu projeto, vá aos locais que precisam de apoio e faça tudo com
muito amor, responsabilidade e carinho.
A solidariedade é um sentimento realmente transformador e, quando se começa a praticar o bem,
todos ficam mais felizes.
Lembre-se de documentar todos os passos e ações para uma organização maior do seu projeto.
Ele deve ser levado a sério e sempre com muito profissionalismo.
MODELO DE PROJETO SOCIAL
Solicitação de Habilitação no “Banco de Projetos” – Entidade/Organização

1 – IDENTIFICAÇÃO
1.1.Dados de Identificação do(s) Proponente(s)
Proponente: (órgão ou entidade gestor do Projeto /
Organização: Nome Endereço: Telefone Fax E-mail da entidade Nome do Responsável: E-mail
do responsável: Função/Cargo

1.2. Identificação do Projeto (Nome/Título):


(O nome do Projeto deve refletir seu objetivo geral, dar significado ao leitor, não ser confundido
com o nome de outro Projeto já desenvolvido ou em desenvolvimento).

1.3. Classificação do Projeto conforme o ECA:


Atendimento direto à criança, adolescentes e suas famílias em programas, Projetos, Serviços e
Atividades protetivas e sócio educativas previstas no ECA:

1.4. Publico Alvo: (


Importante esclarecer sobre a população que será diretamente beneficiada pelo
Projeto:
Quantidade e caracterização das crianças/adolescentes a serem atendidas. Ex:10 crianças
órfãs;ou
abandonadas;20 adolescentes exploradas sexualmente,15 adolescentes em liberdade assistida;20
crianças exploradas no trabalho infantil, etc.

1.5. Área de Abrangência do Projeto (Vila, Bairro,Etc.):

2.2. Breve Diagnóstico da Realidade:( Síntese da proposta)


(possibilidades/recursos que se apresentam na realidade local para a potencializar as ações do
projeto. Ex: Aprovação da Diretriz,Ação e Atividades pela 6ª Conferência Municipal;de
enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes; rede sócio assistencial articulada com
a
rede de saúde e educação no trabalho com famílias; atuação efetiva dos Conselhos Tutelares,dos
Direitos da Criança e do Adolescente e do Ministério Público no combate ao trabalho infantil;
etc. ).

3 – JUSTIFICATIVA:
Apresentar o motivo da proposta em atender o público alvo (Quantidade e caracterização das
crianças/adolescentes a serem atendidas. Ex: 10 crianças órfãs; ou abandonadas; 20 adolescentes
exploradas sexualmente, 15 adolescentes em liberdade assistida; 20 crianças exploradas no
trabalho infantil, etc. e o quê poderão ter de oportunidades através do projeto para transformar a
realidade /inclusão,promoção,etc.).
4 – OBJETIVOS (Geral e Específicos):
(resultados esperados/ o que se pretende alcançar com o projeto; qual o impacto que o projeto
pode
causar na realidade. Ex: diminuição do número de crianças abrigadas no município; redução da
presença de crianças em situação de rua, etc.):

5 – META (o que se quer alcançar com as pessoas envolvidas):

https://docplayer.com.br/8647008-Anexo-i-roteiro-para-apresentacao-de-projetos-fia-2011-cada-
projeto-deve-conter-no-maximo-20-paginas.html

https://www.montarumnegocio.com/mercado-infantil/

http://www.jardiminfanciasantana.pt/estatutos.php