Você está na página 1de 2

AULA 8: Carta a Tiatira (Ap. 2.

18-29)

Introdução
Contexto da cidade: posto militar, cujo militares participavam de guildas comerciais, estas por sua vez organizavam
quarteirões e festas religiosas dedicadas aos deuses, o que envolveria imoralidade sexual e comidas consagradas
aos ídolos. Isso levou os cristãos a perda de simpatia e negócios além de ameaças econômicas e sociais. O principal
deus era Apolo que aparecia nas moedas de César com a inscrição, “filho de deus” e as principais guildas produziam
cobre e bronze além do comércio.

Ordem para escrever (v.18a): escreve a autoridade espiritual representante da igreja


Atributo de Cristo (v.18b, 1.14b-15a)
1. “Filho de Deus”: lembrem que Eu, Jesus, sou divino e rei, e não Apolo, o filho de César ou qualquer outro
deus. Ele sou o único Senhor merecedor de adoração
2. “Olhos como chama de fogo”: Seu juízo é sempre verdadeiro (nada pode ser escondido dEle); portanto só
pode se irar contra o mal. Pode queimar só com o olhar.
3. “Pés como latão reluzente”: Suas ações são sempre sábias (boas/justas, belas e verdadeiras), portanto só
condena o mal. Ele marchará contra o mal.
Os pés de latão (liga de cobre e zinco, mais puro e refinado produzido pelos metalúrgicos locais de
Tiatira). É uma afirmação contra o deus Apolo, visto como deus guerreiro montado sobre um cavalo e
empunhando um machado de guerra de lâmina dupla.

Quem fala com vocês neste momento é o único Senhor digno de adoração, que avalia e condena corretamente
o pecado com poder. Eu sou o verdadeiro guerreiro divino e agirei com poder em minha ira.
Aspecto positivo/elogio a virtude (v. 19) - “conheço tuas obras” - Grande elogio
1. Amor: um povo amoroso, que tinha compromisso uns com outros e com certeza ajudava outros em
dificuldade
2. Serviço: isto só prova que eles eram amorosos e serviam aos necessitados e qualquer um que precisasse.
3. Fé: eles confiavam e eram fieis a Deus apesar das dificuldades
4. Paciência (perseverança): diante da perseguição (morte ou exclusão) eles continuaram na fé em Cristo
5. Últimas obras mais que primeiras: e por fim, eles estavam melhorando em tudo que foi falado!

Aspecto negativo/crítica ao pecado (vv.20-21) - “tenho contra ti”


Toleras Jezabel. O erro foi permitir, tolerar e consentir com o erro, a mentira
Quem foi Jezabel no A.T. (1 Rs. 9; 16-22)? Esposa do rei Acabe, que tentou substituir a adoração ao Senhor, em
Israel, pelo culto a Baal (prostituição cultual e sacrifício infantil, Baal da Síria?). Esta Jezabel, que se diz profetisa,
colocava suas palavras e ensinamentos acima dos de Cristo e dos apóstolos.

Características de Jezabel
1. Autodenominada profetisa (falsa profetisa- “que se diz...”);
2. Ensinos enganosos (para fazer os servos de Deus idolatrarem - imoralidade sexual, alimentos consagrados e
rituais a outros deuses);
3. Rebelde (não quis se arrepender, rejeitou o tempo do perdão de Deus). Provavelmente os que estavam com
ela também não se arrependeram.

Juízo/desobediência e arrependimento aos que seguem Jezabel (vv.22-23)


1. Doença (“Cama”);
2. Grande Tribulação (os que adulteram c/ ela), se não se arrependerem! (nova oportunidade)
3. Morte (seus filhos)
Através do meu juízo todas as igrejas não terão dúvidas de que Eu conheço o íntimo de cada pessoa e puno
corretamente o que cada um faz.
Ordem aos outros p/ perseverarem (encorajamento) (vv.24-25) – “Mas eu vos digo a vós, e aos restantes que
estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conheceram”
“Profundezas de Satanás” e não coisas profundas de Deus: ensino esotérico ou libertino, não era considerado
pecado por causa de seu conhecimento.
Todos os que não se envolvem ou se envolveram nestas práticas demoníacas, que dizem serem segredos
divinos, eu não colocarei outra carga, além desta experiência de perseverar na minha palavra em meio a
perseguição. Guardem, se agarrem a minha palavra e minhas obras até a minha volta.
“tão somente conservem o que vocês têm, até que eu venha”. O que devemos conservar/manter firme até
Jesus voltar? A palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo.

Recompensa/obediência (desafio p/ vencer) (vv.26-28)


A única forma de ser vencedor é perseverar nas verdades tradicionais da fé (ensino e obras de Cristo) contra/em
oposição aos falsos ensinamentos e obras de Jezabel e dos nicolaítas até que Cristo venha”.. Não desistem de seus
compromissos eternos por problemas locais e passageiros. Esta é a vitória cristã! O próprio Cristo nos coroará
como vencedores, não César! O que vencer e guardar até o fim as obras de Deus, receberá de Deus:
1. (v. 26a-27) Poder sobre as nações
Regerá c/ vara de ferro as regerá; serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai.
2. (v.28) – A estrela da manhã.

Vencedor: Sl. 2,7,9,12  participação na identidade de Cristo (autoridade e glória messiânica). O testemunho
cristão deve ser um sinal do amanhecer do dia, o dia em que amor, fé, serviço e paciência terão sua realização, em
que idolatria e imoralidade serão vistas como as armadilhas e ilusões que realmente são, e em que Jesus, o Messias,
estabelecerá seu glorioso reinado sobre o mundo inteiro.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (v.29): advertência profética p/ ouvir/obedecer a Deus

Conclusão (Aplicação) – Da identidade de Cristo a Igreja extrai sua prática, a verdadeira adoração
1. Deus conhece tudo e julgará tudo de modo bom e justo. Quantos escândalos vem à tona hoje nas igrejas? Se
você acha que nunca será descoberto está muito enganado, todos saberão dos seus pecados caso não se
arrependa e Deus punirá nesta vida ou na próxima tudo que fizermos (a questão da hipocrisia!). Diante de
uma ou mais pessoas: vários comportamentos diferentes, diante do único Deus uma única moral.
2. Deus se agrada de quem cresce em amor e fidelidade (ame mais, se envolvendo e servindo mais em boas
obras, não regrida! Cresça em serviço na obra e aos necessitados); Devemos nos preocupar mais com que
Deus pensa de nós do que os outros pensam (Coram Deo). Por que ficamos ansiosos/raiva/frustrados quando
não recebemos recompensa por nossas boas obras? Porque desejamos reconhecimento das pessoas e não de
Deus.
3. Devemos oferecer perdão, mas não tolerar falsos mestres e seus ensinos (idolatria: imoralidade sexual e
ritual, alimentar), para não sermos condenados por Deus. O problema da nova tolerância. Os limites morais
de nossas vidas devem ser os limites de Deus. A liberdade é aquela definida por Deus, não a que mundo
define. Para o mundo ser livre é pecar, mas para os servos de Deus é ser livre do pecado para adorar a Deus
fazendo o bem.
Sexo: estamos tolerando isso na cultura pop, não a denunciando. Devemos nos recusar a participar destas coisas e elogiá-las
para não sermos condenados por Deus. Será que nós não estamos nos comportando como Jezabel, querendo colocar outros
limites, achando que nossos valores são melhores que os de Deus? Consideramos o pecado como lixo como um valor de
liberdade.

4. Devemos perseverar na doutrina bíblica, em palavras e obras, mesmo que isto nos pese, com algum tipo de
exclusão ou perseguição, porque assim seremos considerados vencedores por Deus quando Ele voltar!
5. Manter em mente as recompensas e os castigos nos dará forças para vencer a guerra espiritual: participar da
autoridade e glória de Jesus Cristo (mecanismo de recompensa do nosso cérebro, recompensas verdadeiras,
portanto mecanismo que nos leva a verdade). Recompensas a desejar e castigos a rejeitar (relação entre
doenças, castigo de Deus e seu significado).

Você também pode gostar