Você está na página 1de 56

Resultado da análise

Resultado da análise
Estatísticas

Suspeitas na Internet: 14,35%


Percentual do texto com expressões localizadas na internet

Suspeitas confirmadas: 14,53%


Confirmada existência dos trechos suspeitos nos endereços encontrados

Texto analisado: 82,43%


Percentual do texto efetivamente analisado (frases curtas, caracteres especiais, texto quebrado não são analisados).

Sucesso da análise: 100%


Percentual das pesquisas com sucesso, indica a qualidade da análise, quanto maior, melhor.

Endereços mais relevantes encontrados:

Endereço (URL) Ocorrências Semelhança


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf 53 13,71 %
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf 26 12,81 %
https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/viewFile/480/302 25 6,94 %
https://administradores.com.br/artigos/relogio-de-ponto-o-encontro-da-tradicao-com-a-inovacao 25 1,03 %
https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-15122014-155052/publico/Carmen.pdf 25 7,49 %
https://docplayer.com.br/15812815-Se-educar-e-um-risco-o-que-significa-educar-consideracoes-pedagogicas-a-partir-de-luigi-
23 8,09 %
giussani.html
https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5611341.pdf 23 6,94 %
https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade 22 6,17 %
https://www.globuya.com/BR/S%C3%A3o-Paulo/298979283508195/Relmaq-Rel%C3%B3gios-e-Servi%C3%A7os 20 5,05 %
https://www.editorajuspodivm.com.br/clt-consolidacao-das-leis-do-trabalho-20192 20 2,12 %
https://docplayer.com.br/53770116-Ana-claudia-bernardes-guimaraes-realizacao-pessoal-na-experiencia-comunitaria-em-
20 7,24 %
alcoolicos-anonimos-uma-pesquisa-fenomenologica.html
https://www.academia.edu/4043519/Um_Guia_do_Conhecimento_Em_Gerenciamento_de_Projetos_Guia_Pmbok_4a_Ed_2012 19 0,29 %
http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx 18 1,64 %
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos 16 10,83 %
http://www.cren.org.br 15 2,65 %
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25 14 6,15 %
https://pt.scribd.com/document/51158870/Gerenciamento-de-Aquisicoes-em-Projetos 14 4,28 %
https://escritoriodeprojetos.com.br/gerenciamento-da-qualidade-do-projeto 14 3,91 %
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html 13 9,62 %
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos 13 4,7 %

Expressões com mais ocorrências

Expressões Ocorrências Nro. Pesquisas


guia do conhecimento em Gerenciamento de Projetos 64 0
guia do conhecimento em Gerenciamento de Projetos 64 0
Um guia do conhecimento em Gerenciamento de Projetos 48 0
x 19 8
na necessidade da área de Recursos Humanos do 19 26
todas as partes envolvidas no projeto 18 2
independentemente do seu segmento de atuação 17 1
CLT - Consolidação das Leis do Trabalho 16 1
ENCONTRO DA TRADIÇÃO COM A INOVAÇÃO 16 2
- Consolidação das Leis do Trabalho 16 1
- Termo de Abertura do Projeto 15 2

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Texto analisado:

SENAC – UNIDADE LAPA TITO

Adriano Teles dos Santos


Bruno Trevizam de Almeida
Dennis Pedrassoli Santos
Diego Nunes Aragão
Ismar Zito do Nascimento Filho
Thiago Massari Epiphanio Silva

EasyRh: integrando dados à gestão de pessoas

SÃO PAULO
2019

Adriano Teles dos Santos


Bruno Trevizam de Almeida
Dennis Pedrassoli Santos
Diego Nunes Aragão
Ismar Zito do Nascimento Filho
Thiago Massari Epiphanio Silva

EasyRh: integrando dados à gestão de pessoas

Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Senac – Unidade Lapa Tito, como exigência parcial para obtenção do grau de Especialista em
Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://docplayer.com.br/53770116-Ana-claudia-bernardes-guimaraes-realizacao-pessoal-na-experiencia-comunitaria-em-alcoolicos-anonimos-
uma-pesquisa-fenomenologica.html
https://docplayer.com.br/4323897-Senac-tacio-philip-sansonovski.html

Orientador: Prof. João Walter Saunders Pacheco do Vale


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Co-orientador: Prof. André Luís Fonseca Ricardi.

São Paulo
2019

Para solicitar a Ficha Catalográfica do TCC entrem no Portal da Biblioteca e acionem o link do Formulário de Solicitação disponível em:
http://www.sp.senac.br/jsp/default.jsp?template=2202.dwt&testeira=386 Informem:
● Título do trabalho: EasyRh: integrando dados à gestão de pessoas
● Nome completo dos integrantes do grupo ou autores: Adriano Teles Dos Santos, Bruno Trevizam De Almeida, Dennis Pedrassoli Santos, Diego
Nunes Aragão, Ismar Zito Do Nascimento Filho e Thiago Massari Epiphanio Silva.
● Nome do orientador: Prof. João Walter Saunders Pacheco do Vale.
● Informe se há ilustrações no trabalho (figuras, gráfico ou imagem): sim.
● Informe se as ilustrações são coloridas: sim.
● Informe cinco palavras-chave para o trabalho: 1) Gerenciamento de projetos, 2) PMI, 3) Guia PMBOK, 4) Recursos Humanos e 5) Sistema de
dados.
● Número de folhas/páginas do trabalho: 100 páginas.
● Nome da unidade do Senac: Lapa – Tito.
● Tipo de curso: pós-graduação.
● Nome do curso: Curso de Especialização (pós-graduação) em Gerenciamento de Projetos - Práticas do PMI.
● Tipo de trabalho: Trabalho de conclusão de curso.
Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca do Centro Universitário Senac

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

<Para mais informações: http://edcapistrano.blogspot.com.br/2011/03/fazendo-uma-ficha-catalografica.html >

Adriano Teles dos Santos


Bruno Trevizam de Almeida
Dennis Pedrassoli Santos
Diego Nunes Aragão
Ismar Zito do Nascimento Filho
Thiago Massari Epiphanio Silva

EasyRh: integrando dados à gestão de pessoas


Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Centro Universitário Senac São Paulo – Lapa Tito, como exigência parcial para aprovação no
curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Especialização em Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Orientador: Prof. João Walter Saunders Pacheco do Vale


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Co-orientador Prof. André Luís Fonseca Ricardi.

A banca examinadora dos Trabalhos de Conclusão, em sessão pública realizada em ____/____/____, considerou os(as) candidatos(as):
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://docplayer.com.br/4323897-Senac-tacio-philip-sansonovski.html
https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

1) Examinador (a):
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

2) Examinador (a):
https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

3) Presidente:
https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Pelegate_Dias/publication/273954624...
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

AGRADECIMENTOS

Dedicamos este trabalho ao CREN – Centro de Recuperação e Educação Nutricional que através da sua necessidade nos proporcionou a
aprender e praticar o gerenciamento de projetos com o desenvolvimento de um software que é utilizado para o apoio aos controles dos dados da

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

sua área de recursos Humanos.


http://www.cren.org.br/noticias
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/blog/2018/11/01/melhores-ongs-cren-premio
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve

Agradecemos aos nossos colegas, professores e orientadores que nos possibilitaram adquirir conhecimento para a elaboração desse projeto.
Dedicamos esse trabalho a todas as pessoas que nos apoiaram indiretamente no desenvolvimento desse projeto. São eles nossos amigos,
familiares, esposas e filhos.

“Todas as experiências da minha humanidade e da minha personalidade passam pelo crivo de uma ‘experiência original’, primordial, que constitui
o meu rosto ao confrontar-me com tudo. Aquilo que cada homem tem o direito e o dever de aprender é a possibilidade e o hábito de comparar
cada proposta com esta sua ‘experiência elementar’. Trata-se de um conjunto de exigências e evidências com as quais o homem é lançado no
confronto com tudo o que existe. A elas podem ser dados muitos nomes, através de diversas expressões, como: exigência de felicidade, exigência
de verdade, exigência de justiça.”
https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-15122014-155052/publico/Carmen.pdf
https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/viewFile/480/302
https://docplayer.com.br/15812815-Se-educar-e-um-risco-o-que-significa-educar-consideracoes-pedagogicas-a-partir-de-luigi-giussani.html
https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5611341.pdf

(Giussani, O Senso Religioso, 2000)

RESUMO
Este trabalho de conclusão de curso tem como objetivo apresentar como as ferramentas e técnicas apresentadas no Guia PMBOk (Project
Management Body of Knowledge) 6ª edição foram utilizadas para o desenvolvimento do trabalho junto a OSC (Organização da Sociedade Civil)
CREN (Centro de Recuperação e Educação Nutricional) situada no bairro da Vila Mariana na cidade de São Paulo, o propósito desse trabalho foi
de atender uma necessidade do CREN, para o entender quais eram os pontos que poderíamos agir para o desenvolvimento do nosso trabalho de
conclusão de curso entramos em contato com o CREN e identificamos que o principal problema que eles vinham enfrentando era em no controle
que tinham referente aos dados de ponto eletrônico e férias dos colaboradores, que isso gerava muito tempo e muito retrabalho, com essa
informação fizemos uma proposta que era o desenvolvimento de um software que pudesse auxilia-los no controle de ponto eletrônico dos
funcionários e também no controle das férias. Através desse estudo de caso real foi possível a aplicação dos conhecimentos adquiridos em sala
para a condução do projeto passando por todas as fases do PMBOk. Segundo o PMI (Project Management Institute) mais de 60% dos projetos de
TI tem falhas ou atraso na entrega, com esse trabalho junto ao CREN mesmo com todas as alterações de escopo que surgiram durante o seu
desenvolvimento tivemos êxito na entrega e uma aceitação muito grande pela equipe do CREN.
https://docplayer.com.br/1005637-A-utilizacao-das-diretrizes-do-guia-pmbok-nos-projetos-elaborado-pelo-instituto-mineiro-de-gestao-das-
aguas.html
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok
https://brasil.pmi.org/brazil/AboutUs/WhatIsProjectManagement.aspx
https://www.slideshare.net/ricardo2105/projeto-ninte-tcc-mba-ricardofinal

Palavras-Chave: 1. Gerenciamento de Projetos. 2. Desenvolvimento de Software. 3. Projeto social. 4. Guia PMBOK. 5. PMI.

ABSTRACT

This course completion work aims to present the tools and techniques available in the PMBOK guide (Project Management Body of Knowledge) 6ª
edition were used for the development of the work with the CSO (Civil Society Organization) CREN (Center for Recovery and Nutrition Education)
located in the neighborhood of Vila Mariana in the São Paulo city, the purpose of this work was to meet a need of CREN, to understand what were
the points that we could act for the development of our course completion work we contacted the CREN and identified that the main problem that
they were facing was in the control they had regarding the data of electronic point and vacations of employees, that this generated a lot of time and
a lot of rework, with this information we made a proposal that was the development of a software that could help them in the control of electronic
point of the employees and also in the control of the vacations. Through this real case study it was possible to apply the knowledge acquired in the
room to conduct the project through all phases of PMBOK. According to the PMI (Project Management Institute) more than 60% of IT projects have
failures or delays in delivery, with this work with CREN even with all the changes of scope that emerged during its development we were successful
in delivery and a very acceptance great by the CREN team.
https://brasil.pmi.org
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmi

Keywords: 1. Project Management. 2. Software Development. 3. Social project. 4. PMBOK Guide. 5. PMI.

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

LISTA DE ILUSTRAÇÕES
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Figura 1 – Estrutura do Trabalho 26


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Quadro 1 - Etapas do Desenvolvimento do Projeto 42


Figura 2 - Easy Life Canvas do EasyRh para o CREN 44
Figura 3 - Business Case projeto EasyRh 46
Figura 4 - Linha de Base do Cronograma 48
Figura 5 - Organograma do Projeto 50
Figura 6 - Matriz de Rastreabilidade de Requisitos 51
Figura 7 - User Story 52
Figura 8 - E-mail de Validação de Escopo 53
Figura 9 - Estratura Analítica do Projeto 54

LISTA DE TABELAS

Tabela 1 -Desafios do Gerenciamento de Projetos no Terceiro Setor 31


Tabela 2 - Grupo de Processos de Gerenciamento de Projetos (PMI, 2017) 35
https://www.euax.com.br/2019/04/processos-de-gerenciamento-de-projetos
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc
https://artia.com/blog/processos-de-gerenciamento-de-projetos-conheca-os-5-grupos

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS


CLT - Consolidação das Leis do Trabalho
https://www.editorajuspodivm.com.br/clt-consolidacao-das-leis-do-trabalho-20192

OSC - Organização de Sociedade Civil


P&D - Pesquisa e Desenvolvimento
PMBOK - Project Management Body of Knowledge
https://docplayer.com.br/1005637-A-utilizacao-das-diretrizes-do-guia-pmbok-nos-projetos-elaborado-pelo-instituto-mineiro-de-gestao-das-
aguas.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Project_Management_Body_of_Knowledge
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok
https://exame.abril.com.br/negocios/dino/o-que-e-o-guia-pmbok-guide-to-the-project-management-body-of-knowledge-shtml

PMI - Project Management Institute


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

RH - Recursos Humanos
TAP - Termo de Abertura do Projeto
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://pt.scribd.com/document/51158870/Gerenciamento-de-Aquisicoes-em-Projetos
https://pt.slideshare.net/profmarcocoghi/projeto-de-usina-de-gerao-de-energia-eltrica-solar
http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

TI - Tecnologia da Informação

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO 23
1.1 Objetivo 25
1.1.1 Objetivos Específicos 25
1.2 Estrutura 25
1.3 Metodologia 27
2 REFERENCIAL TEÓRICO 28
2.1 Tipos de Organizações 28
2.1.1 Instituições Filantrópicas 29
2.1.2 Projetos no Terceiro Setor 29
2.2 Recursos Humanos 31
2.2.1 Importância do Ponto Eletrônico 32
2.2.2 Organizando as Férias 33
2.2.3 Como Centralizar as Informações 33
2.3 Gerenciamento de Projetos 35
2.3.1 Guia PMBOK 36
2.3.2 Outras práticas em Gerenciamento de Projetos 37
3 DESENVOLVIMENTO 39
3.1 Cenário do Projeto 39
3.2 Iniciação 43
3.3 Planejamento 47
3.4 Execução, monitoramento e controle do projeto 54
3.4.1 Gerenciamento de escopo 54
3.4.2 Gerenciamento de recursos e organização da equipe 54
3.4.3 Gerenciamento de custos e financiamento do projeto 54
https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos

3.4.4 Gerenciamento da Qualidade 54


3.5 Encerramento 54
4 CONSIDERAÇÕES GERAIS OU FINAIS 55
4.1 Limitações do trabalho 55
4.2 Sugestões para estudos futuros 55
REFERÊNCIAS 56
APÊNDICES 72
APÊNDICE A – BUSINESS CASE 72
APÊNDICE B – TERMO DE ABERTURA DO PROJETO 74
APÊNDICE C – REGISTRO DE PREMISSAS 77
APÊNDICE D – REGISTRO DAS PARTES INTERESSADAS 79
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://escritoriodeprojetos.com.br/registro-das-partes-interessadas

APÊNDICE E – PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO 81


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

APÊNDICE F – PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO 83


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

APÊNDICE G – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS REQUISITOS 85


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

APÊNDICE H – PLANO DE GERENCIAMENTO DO CRONOGRAMA 87


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

APÊNDICE I – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS CUSTOS 89


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

APÊNDICE J – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES 91


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE K – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS 98


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

APÊNDICE L – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RECURSOS 100


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

APÊNDICE M – LINHA DE BASE DO ESCOPO 102


APÊNDICE N – DECLARAÇÃO DO ESCOPO DO PROJETO 104
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013

APÊNDICE O – ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO 109


https://www.euax.com.br/2018/12/eap-estrutura-analitica-projeto
https://wiki.redejuntos.org.br/busca/work-breakdown-structure-o-que-e-estrutura-analitica-do-projeto-eap-e-como-usa-la-no

APÊNDICE P – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RISCOS 111


APÊNDICE Q – DICIONÁRIO DA EAP 114
APÊNDICE R – LINHA DE BASE DO CRONOGRAMA 116
APÊNDICE S – LINHA DE BASE DE CUSTO 118
https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto

APÊNDICE T – PLANTERMO DE NOMEAÇÃO DA EQUIPE 120


APÊNDICE U – DOCUMENTAÇÃO E MATRIZ DE RASTREABILIDADE DE REQUISITOS 122
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

APÊNDICE W – CRONOGRAMA DO PROJETO, DADOS DO CRONOGRAMA E CALENDÁRIO DO PROJETO 144


https://pt.wikipedia.org/wiki/Project_Management_Body_of_Knowledge

APÊNDICE V – ESTIMATIVAS DE CUSTO 146


APÊNDICE X – REQUISITOS DE RECURSOS FINANCEIROS DO PROJETO 148
https://www.devmedia.com.br/pmbok-trabalhando-com-gerenciamento-de-custos/31158
https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos
https://escritoriodeprojetos.com.br/requisitos-de-recursos-financeiros-do-projeto
https://linksinergia.com.br/2015/08/31/gerenciamento-de-projetos-baseado-no-pmbok-gerenciamento-dos-custos-do-projeto-parte-4-2

APÊNDICE Y – DADOS DE DESEMPENHO DO TRABALHO 150


APÊNDICE Z – REGISTRO DAS LIÇÕES APRENDIDAS 153
APÊNDICE AB – REGISTRO DE QUESTÕES 154
APÊNDICE AC – SOLICITAÇÕES DE MUDANÇAS 156
APÊNDICE AD – CALENDÁRIO DOS RECURSOS 158
APÊNDICE AE – ATA DA REUNIÃO DE KICKOFF 160
APÊNDICE AF – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES 162
APÊNDICE AG – PLANILHA DE CONTROLE DAS AQUISIÇÕES 165
APÊNDICE AH – PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE 168
APÊNDICE AI – TERMO DE ACEITE DA ENTREGA 170
APÊNDICE AJ –TERMO DE ENCERAMENTO DO PROJETO 172

1 INTRODUÇÃO
No início de 2018 encorajados pela entidade Senac os alunos do curso de gerenciamento de projetos escolheram um projeto com execução viável
e com foco em atender ao terceiro setor. E assim, surge o “Projeto CREN” onde a ideia inicial era executar uma atividade para a promoção da
entidade “CREN” uma entidade voltada para área de educação nutricional, porém, a partir de uma coleta de informações realizada com membros
da entidade foi identificado que a área de Recursos Humanos estava com dificuldades para consolidar as informações de seus colaboradores,
sendo assim, o projeto teve seu objetivo alterado para o desenvolvimento de um sistema que consolida as informações dos funcionários para
resolver os problemas do setor de Recursos Humanos da organização, chamado EasyRH.
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://administradores.com.br/artigos/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-organizacionais
http://www.cren.org.br
https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59137/tde-15122014-155052/publico/Carmen.pdf

A área de recursos humanos, atualmente, é considerada uma área estratégica dentro das organizações. Deixou de ser vista como um
departamento apenas responsável por ações legais para se tornar estrategicamente fundamental na execução dos processos das demais equipes
da organização. Hoje, o panorama organizacional mudou, os profissionais passaram a ser vistos como colaboradores, o entendimento comum de
executores mudou para cooperadores do negócio, assim como os chefes, hoje considerados líderes que gerenciam estratégias, processos e
pessoas. Por isso, pode-se afirmar que administrar pessoas não é mais só um fator de visão sistemática ou uma atuação apenas burocrática e
orgânica, e sim, um desafio de como entender a relação entre as atividades técnicas entendidas como obsoletas e tradicionais com as atividades
inovadoras e modernas atuais, juntamente com a gestão da participação e do conhecimento (MILDEBERGER, 2011).
https://administradores.com.br/artigos/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-organizacionais
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/administracao/lideranca-o-desafio-na-gestao-de-pessoas/11828

Com base na nova definição sobre a área de recursos humanos e o momento atual do mercado corporativo, se faz necessário a execução da
reformulação de processos e com isso, implementação de sistemas modernos e que possam otimizar o desempenho das equipes. Além da gestão
de melhorias contínuas para garantir e sustentar esse novo panorama é importante entender e garantir que as expectativas de empreendedores e
profissionais estejam contempladas e alcançadas. Para que estas mudanças possam ser executadas de maneira organizada e eficaz é necessário
a implantação de gerenciamento de projetos.
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

Um projeto se trata de um esforço temporário para criar um produto ou serviço, e todo projeto tem um resultado único, ou seja, projetos foram
idealizados para cumprir determinados objetivos específicos através de entregas (PMI, 2017). Para que os projetos tenham êxito em seus objetivos
é importante que seja aplicado o gerenciamento de projetos. (PMI, 2017).
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://www.slideshare.net/ricardo2105/projeto-ninte-tcc-mba-ricardofinal

Este movimento de mudança organizacional realizado por meio do gerenciamento de projetos pode impactar os mais diversos posicionamentos
estratégicos do negócio, independentemente do seu segmento de atuação. Para minimizar o impacto desta aplicação, se faz necessário a atuação
de um gerente de projetos qualificado em técnicas de gerenciamento de projetos, específicos para lidar com cada etapa de um projeto. Este
profissional deve desenvolver planos para gerenciar interdependências e conflitos, entre outras soluções, para garantir o menor risco possível ao
negócio.
https://www.escolaedti.com.br/o-que-e-e-para-que-serve-o-minitab
https://blog.portaldeassinaturas.com.br/acelerar-o-crescimento-da-empresa
https://www.terraempresas.com.br/blog/criar-um-site-4-passos
https://blog.portalvmi.com.br/post-estendido-entenda-por-que-mapear-a-jornada-do-cliente-e-tao-importante

As organizações que fazem uso de gerenciamento de projetos de maneira correta, seguindo suas etapas e especificações, conseguem de forma
bastante eficaz obter o resultado desejado com seu desenvolvimento, bem como, o cumprimento de prazos estipulados e de acordo com
orçamentos pré-definidos, garantido assim a qualidade na entrega final e satisfação do empreendedor ou das partes interessadas (PMI, 2017). O
gerenciamento de projetos, como a área de Recursos Humanos, evoluiu satisfatoriamente com o decorrer do tempo. No passado, segundo
Candido (2012), quando ainda não existiam as metodologias atuais de gerenciamento de projetos, os gerentes de projetos possuíam o
conhecimento apenas baseado na experiência, sem nenhuma abordagem teórica sobre o assunto. Mas, logo foram surgindo os institutos com
seus métodos específicos para a evolução do processo de gerenciamento de projetos. Esta evolução, fez com que muitos gerentes de projetos
substituíssem, até então, uma abordagem intuitiva para exercer sua profissão com o uso de técnicas, ferramentas e métodos padronizados,
modernizados e inovadores.
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
https://administradores.com.br/artigos/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-organizacionais

A criação de novas metodologias para o gerenciamento de projetos visa o aprimoramento da performance das ações a serem realizadas pelos
gerentes de projetos. A principal metodologia utilizada atualmente por gerentes de projetos de sucesso é encontrada no Guia PMBOK, PMI -
Project Management Institute. O Guia PMBOK, apresenta as melhores práticas fundamentais para um desenvolvimento e para a execução de
projetos com excelência. Mas não foi só a criação de metodologias, como o Guia PMBOK, que contribuiu para aprimorar a performance dos
gerentes de projetos, as certificações profissionais mudaram o cenário do mercado de trabalho internacional de gerenciamento de projetos. Uma
das certificações mais conhecidas mundialmente, na área de gerenciamento de projetos, é a certificação PMP - Project Management Professional
(PMI, 2017). De acordo com Filho (2010), por meio de uma pesquisa qualitativa realizada, foi possível constatar que a certificação PMP impactou
diretamente no reconhecimento social e na valorização profissional dos gerentes de projetos. As metodologias e as certificações ricas em
conhecimento através de seus conteúdos inovadores proporcionam reconhecimento e promoções aos profissionais da área, além de novas e
melhores oportunidades de trabalho em diversos ramos do mercado.
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://www.siteware.com.br/projetos/gerenciamento-de-projetos-pmbok
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok
https://brainly.com.br/tarefa/12247527

1.1 Objetivo
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

O objetivo deste Trabalho de Conclusão de Curso foi aplicar as melhores práticas da metodologia de gerenciamento de projetos apresentados no
Guia PMBOK 6ª edição e avaliar seus benefícios. Essa aplicação e avaliação foi possível mediante ao gerenciamento de um projeto realizado para
a Instituição CREN. Este projeto teve como objetivo colaborar para os desafios da área de Recursos Humanos do CREN, através do
desenvolvimento de um sistema de dados para a gestão de informações sobre seus colaboradores. Informações estas que são fundamentais para
a execução de diversas atividades da área de Recursos Humanos, inclusive atividades baseadas em normas legais e com auto impacto de riscos.
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
http://www.redalyc.org/jatsRepo/4777/477750803010/html/index.html

No desenvolvimento deste trabalho foi possível analisar e compreender as áreas de conhecimento e os grupos de processos contemplados no
Guia PMBOK, sendo eles: Iniciação, Planejamento, Execução, Monitoramento e Controle, e Encerramento. Estes processos foram analisados e
avaliados durante sua utilização prática neste projeto de desenvolvimento sistêmico.
https://www.devmedia.com.br/grupos-de-processos-segundo-o-pmbok/27106
https://exame.abril.com.br/negocios/dino/o-que-e-o-guia-pmbok-guide-to-the-project-management-body-of-knowledge-shtml
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://discutindoeconomia.blogspot.com/2014/10/grupos-de-processos-no-gerenciamento-de.html

1.1.1 Objetivos Específicos


Os objetivos específicos deste trabalho, a criação do sistema EasyRH, abrangeram as seguintes ações:
• Solucionar os desafios da instituição CREN relacionados a gestão de dados sobre seus colaboradores;
• Analisar as áreas de conhecimento e os grupos de processos do Guia PMBOK 6ª edição;
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso

• Aplicar as melhores práticas em Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI (Project Management Institute);
https://mbauspesalq.com/wp-content/uploads/2018/09/MBA-GP-desck-ead.pdf
https://www.rankinesystems.com.br/site/gestao
https://www.slideshare.net/ricardo2105/projeto-ninte-tcc-mba-ricardofinal
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

• Aprimorar os conhecimentos dos membros do grupo realizador com relação as áreas do gerenciamento de projetos.
https://www.slideshare.net/ricardo2105/projeto-ninte-tcc-mba-ricardofinal
https://pmkb.com.br/wp-content/uploads/2016/04/a-importancia-do-gerenciamento-de-projetos-em-tempos-de-crise.pdf

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

1.2 Estrutura
Este trabalho foi criado e organizado com base no desenho estrutural da Figura 1:
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Figura 1 – Estrutura do Trabalho


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Fonte: Adaptado de GIL (2010)


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

No primeiro capítulo, de Introdução, além da estrutura são encontrados dados em relação a metodologia e os objetivos utilizados no
desenvolvimento deste trabalho. O segundo capítulo, do Referencial Teórico, apresenta a fundamentação, a base de referência sobre os temas
considerados, como: Terceiro Setor, Recursos Humanos e Gerenciamento de Projetos. No terceiro capítulo, de Desenvolvimento do Projeto do
Grupo, é relatado como foi a concepção do grupo e a elaboração dos documentos necessários para o gerenciamento deste projeto. O quarto e
último capítulo, de Considerações Gerais ou Finais, encerra este trabalho com as considerações sob a perspectiva dos membros do grupo em
relação a utilização das práticas baseadas no PMI aplicadas ao projeto.
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/15824/15824_3.PDF

1.3 Metodologia
A pesquisa realizada para o desenvolvimento deste Trabalho de Conclusão de Curso foi classificada como aplicada, pois, gerou novos e diversos
conhecimentos para a execução prática na solução de problemas específicos. Neste caso, como gerenciar o desenvolvimento de um sistema de
dados, EasyRh, para gerar indicadores de ponto eletrônico e controle de férias, baseado nas orientações de Gerenciamento de Projetos do Guia
PMBOK 6ª Edição.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://www.pontotel.com.br/controle-de-ponto-eletronico
https://blog.convenia.com.br/gestao-de-ponto-banco-de-horas

Analisando a abordagem do problema a ser solucionado através da implantação do EasyRH foi possível concluir que se trata de uma pesquisa
qualitativa, considerando a abordagem de interpretação e análise do assunto como descritiva, sem necessidade do uso de recursos e técnicas
estatísticas. Já em relação aos objetivos pretendidos, a pesquisa é exploratória, pois a intenção deste estudo é ter mais conhecimento e
proximidade sobre o assunto pesquisado.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

O desenvolvimento deste Trabalho de Conclusão de Curso apoiou-se nos seguintes procedimentos técnicos:
• Pesquisa aplicada realizada através do gerenciamento de um projeto para a criação de um Sistema de Gerenciamento de Dados, a fim de aplicar
as melhores práticas de gerenciamento de projetos, contidas no guia PMBOK 6ª Edição e pelo PMI.
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmi
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos
https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

• Estudo de caso praticado com avaliação constante durante a construção deste trabalho para que seja possível conhecer seus sucessos e
deficiências (lições aprendidas) e assim aprimorar os conhecimentos necessários para atuação na área de gerenciamento de projetos.
2 REFERENCIAL TEÓRICO
Constam neste capítulo os conceitos, os dados e os fatos sobre os objetivos principal do trabalho. Abordando assuntos como: Terceiro Setor que
está relacionado a forma de constituição da Instituição CREN; Recursos Humanos por ser a área atendida e Gerenciamento de Projetos por ser a
metodologia utilizada para a construção deste trabalho.
http://www.editorarealize.com.br/revistas/fiped/trabalhos/Trabalho_Comunicacao_oral_idinscrito_13_ea53cddbf07640fd969c118e81c34da1.pdf
http://www.sinescontabil.com.br/trabalhos/arquivos/3cbc2b0a0b028811250190b7ce342077.pdf
https://monografias.brasilescola.uol.com.br/pedagogia/africanidades-um-olhar-pedagogico-para-ensino-cultura-africana-sala-de-aula.htm

2.1 Terceiro Setor


Atualmente, na sociedade civil há a existência de três diferentes setores econômicos. O Primeiro Setor é representado pelo Estado (administração
pública) que tem como responsabilidade gerenciar todas as questões sociais de interesse público e tem o financiamento público como promotor de
suas ações. O Segundo Setor é representado pelas empresas e tem como objetivo as questões sociais da própria empresa (desenvolvimento,
competitividade e mercado). E o Terceiro Setor composto por instituições, associações comunitárias, fundações, entidades filantrópicas,
organizações não governamentais e outras, que são iniciativas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pessoas necessitadas, que
podem ser crianças, adultos, animais, meio ambiente etc. (SIGNIFICADOS, 2018)
http://www.radioculturaam1260.com.br/noticias/noticia/geral/fatima-apresenta-acoes-em-defesa-das-mulheres-e-dos-idosos/5717
https://jus.com.br/artigos/38329/a-importancia-do-terceiro-setor-e-a-ineficiencia-da-administracao-publica

O Terceiro Setor no Brasil teve início desde os tempos de império, mas o termo passou a ser mais difundido a partir da década de 60, no período
da ditadura militar. Nos últimos anos, o Terceiro Setor passou a ter mais incentivos devido às empresas do Segundo Setor estarem mais atentas e
engajadas à responsabilidade social. Este engajamento acontece através de planos e ações que auxiliam para a resolução de problemas da
sociedade, tornando-se uma alternativa eficaz com a organização de voluntários, mas não substitui os papeis de responsabilidade do Estado.
(TERCEIRO SETOR, 2014)
Segundo o Sebrae (2017), o Terceiro Setor pode ser composto, também, por empresas de iniciativas particulares, mas por não visar lucro ele se
difere do segundo setor, podendo ser qualificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). Uma OSCIP é o
reconhecimento oficial mais próximo do que se existe de uma ONG (Organização não Governamental). E, exatamente por estas características
que definem o Terceiro Setor, que também caracterizam a forma da constituição da Instituição CREN como pertencente ao Terceiro Setor.
https://www.jusbrasil.com.br/artigos/busca?q=Oscip+%28organiza%C3%A7%C3%A3o+da+sociedade+civil+de+interesse+p%C3%BAblico%29
https://pt.wikipedia.org/wiki/Organiza%C3%A7%C3%A3o_da_Sociedade_Civil_de_Interesse_P%C3%BAblico
https://biancanat23gmailcom.jusbrasil.com.br/artigos/519735047/direito-administrativo-terceiro-setor
https://jus.com.br/artigos/38329/a-importancia-do-terceiro-setor-e-a-ineficiencia-da-administracao-publica

2.1.1 Instituições Filantrópicas


O financiamento utilizado pelo Terceiro Setor para a execução de suas atividades é composto, em sua maioria, por doações oriundas de
fundações. No Brasil, há também as fundações mistas que doam para terceiros e ao mesmo tempo executam os seus próprios projetos
(FILANTROPIA, 2004). E são consideradas Instituições Filantrópicas, pois além de produzirem o bem comum suas atividades não possuem fins
lucrativos.
O aumento da quantidade de entidades classificadas como Terceiro Setor ocorre pelo fato de que o Primeiro e o Segundo Setores falham no
propósito de resolver problemas da comunidade. Questões como saúde, educação, moradia, transportes, empregos e outras deveriam ser
resolvidas pelos Governos, o Poder Público, mesmo com o auxílio da iniciativa privada (WATANABE, 2004). Logo as Instituições consideradas do
Terceiro Setor auxiliam na solução destes problemas da comunidade, problemas de uso, convivência e necessidades comuns entre toda a
população.
https://www.scribd.com/document/332264404/09-D-JOAO-VI-NO-BRASIL-1-Oliveira-Lima-pdf

O Terceiro Setor possui mais de 12 milhões de pessoas entre gestores, voluntários, doadores e entidades beneficentes, além de milhões de jovens
que têm como sua missão contribuírem para o terceiro setor. (FILANTROPIA, 2004)
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

2.1.2 Projetos no Terceiro Setor


Todas as empresas, independentemente do tipo de empresa (seja pública ou privada), possuem os recursos humanos e financeiros em sua
maioria limitados. Por conta disso, se torna essencial analisar, identificar e priorizar projetos para o terceiro setor, a fim de cooperar com a
necessidade comum da população com maior eficácia e abrangência. (PROJECT BUILDER, 2017)
As organizações do Terceiro Setor começam a se preocupar com o gerenciamento de seus projetos, impulsionadas pelas exigências das agências
reguladoras, governos e financiadores. A gestão de projetos tem uma importância fundamental para transformar o objetivo através do
planejamento em resultados em entrega realizada. Tudo isso, para otimizar a alocação de recursos necessários, diminuir o impacto com riscos e
trazer uma melhor eficiência nos resultados (BHBIT, 2016).
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos
https://www.euax.com.br/2018/12/gerenciamento-escopo-do-projeto

É possível afirmar quais são os principais desafios enfrentados pelo Terceiro Setor em relação ao gerenciamento de projetos de acordo com
Moraes (2015):

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

O Gerenciamento do Escopo é um desafio de todo profissional de projetos, mas para as instituições do terceiro setor tenho identificado desafios
maiores, motivados pelas variáveis:
https://www.euax.com.br/2018/12/gerenciamento-escopo-do-projeto
https://www.siteware.com.br/projetos/gerenciamento-de-projetos-pmbok

a) Baixa qualificação técnica de gestores de projetos no terceiro setor: muitos deles são de áreas correlatas à demanda do projeto (saúde,
educação, ecologia) sem formação técnica ou certificação na área de gestão de projetos, o que leva ao não entendimento do gerenciamento de
projetos como uma disciplina estratégica crítica.
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve
https://www.slideshare.net/ricardo2105/projeto-ninte-tcc-mba-ricardofinal
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmi
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos

b) Elevado envolvimento emocional no processo: projetos no terceiro setor estão relacionados a uma causa de melhoria social com elevada
identificação emocional dos profissionais envolvidos. O que, muitas vezes, pode dificultar uma tomada de decisão racional diante a gestão de
riscos, identificando as reais necessidades de mudanças do projeto e controle destas.
c) Problemas na definição inicial do Escopo: não ter um escopo bem definido e impactado pelos fatores citados anteriormente, torna o processo
crítico dentro do terceiro setor. Documentar com clareza o que se busca; definir suas principais entregas, premissas e restrições; avaliar o que faz
e o que não faz parte do projeto exige foco e clareza de onde se quer chegar. Tornando-se necessária a avaliação objetiva do que se pode
alcançar com os recursos disponíveis. (MORAES, 2015)
https://s3.amazonaws.com/files-s3.iesde.com.br/resolucaoq/prova/prova/29323.pdf
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

Figura 1 - Desafios do Gerenciamento de Projetos no Terceiro Setor

Fonte: Adaptado de Moraes (2015)


Nos projetos do Terceiro Setor encontra-se um alto grau de influência de partes interessadas, visto que o impacto do projeto é refletido diretamente
na sociedade e na vida das pessoas. Devido a isso, é fundamental estabelecer um relacionamento claro e próximo com os Stakeholders do projeto
(PROJECT BUILDER, 2017). Este alinhamento de expectativas e de soluções propostas é fundamental para a construção de projetos assertivos e
diminuir os impactos negativos que possam acontecer em seu decorrer.
https://pt.slideshare.net/luanildo/identificar-as-partes-interessadas-stakeholders
https://empreendendogp.wordpress.com/2011/08/02/indentificacaostakeholders
https://www.scribd.com/document/332264404/09-D-JOAO-VI-NO-BRASIL-1-Oliveira-Lima-pdf

2.2 Recursos Humanos


Segundo Marcon (2015), a área de Recursos Humanos tem como principal característica estabelecer a ligação entre as relações dos funcionários
e com a organização. Por se tratar de todas as relações humanas, esta área é um agente capaz de traçar estratégicas para manter a motivação e
objetivos da empresa, buscando a competitividade no mercado. Desta forma, o departamento tem a responsabilidade de selecionar os candidatos,
contratar e treinar funcionários, gerenciar remuneração, garantir a segurança do trabalho e comunicar atividades corporativas aos funcionários.
Atividades essas fundamentais para a gestão cíclica das atividades exigidas legalmente em qualquer empresa.
Devido ao crescimento da era digital, o setor de Recursos Humanos também vem passando por inovações, conforme Employer (2017). As áreas
de Recursos Humanos e Tecnologia da Informação se uniram para atuar de forma estratégica com o foco em atingir melhores resultados nas
relações internas. Trazendo grandes benefícios e customizações a área de Recursos Humanos, como o aumento da produtividade nos processos
que antes eram feitos de forma mais burocrática, na rotina de colaboradores devido a processos mais simples e na otimização do tempo e
recursos.
2.2.1 Importância do Ponto Eletrônico

A história do ponto começa em 1888 com a construção do primeiro equipamento, por Willard Bundy, em Nova York, Estados Unidos. Mas a sua
relação com as classes empresariais e trabalhadoras brasileiras começou apenas em 1930. Os primeiros equipamentos surgiram justamente para
suprir as necessidades oriundas do controle da jornada de trabalho – na época, estipulada por decreto sancionado pelo então presidente Getúlio
Vargas, em cujo governo foi criado um conjunto de leis trabalhistas – a CLT, que determina três formas de controle de Jornada: por ponto manual,
controle mecânico ou de ponto eletrônico. (PIMENTA, 2011)
https://administradores.com.br/artigos/relogio-de-ponto-o-encontro-da-tradicao-com-a-inovacao
https://www.globuya.com/BR/S%C3%A3o-Paulo/298979283508195/Relmaq-Rel%C3%B3gios-e-Servi%C3%A7os
http://www.creactiv.com.br/informativos/3_coisas_que_voce_nao_sabia_sobre_o_relogio_de_ponto

No Brasil, toda empresa que possuir mais de 10 funcionários fica obrigada a utilizar o ponto eletrônico, como instrumento para controlar e arquivar

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

os horários de entradas, intervalos e saídas dos colaboradores. Essa regra, porém, não se estende aos órgãos públicos, já que para este tipo de
organização o sistema de ponto eletrônico é facultativo independente do seu número de colaboradores. Atualmente, existem no mercado três
modalidades de marcação de ponto: o manual, o mecânico e eletrônico que permitem que o colaborador e o empregador consigam controlar as
horas trabalhadas, seus descansos e possíveis horas extras, facilitando o fechamento de folhas de pagamento e evitando sanções legais do
Ministério do Trabalho. (LIMA, 2014)
2.2.2 Organizando as Férias
De acordo com Marcondes (2015), o direito a férias surgiu ao trabalhador no Reino Unido, em pleno desenvolvimento da segunda revolução
industrial, no século XIX. Mas tornou-se conhecida no Brasil e apenas por algumas empresas em 1925. Porém, as férias só começaram a ser uma
prática nas empresas brasileiras em meados de 1943 devido à aprovação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), um marco no direito
trabalhista. A princípio, a legislação definiu que as férias tinham como duração apenas 15 dias e venho sofrendo alterações do decorrer dos anos.
http://www.creactiv.com.br/informativos/3_coisas_que_voce_nao_sabia_sobre_o_relogio_de_ponto
https://www.scribd.com/document/332264404/09-D-JOAO-VI-NO-BRASIL-1-Oliveira-Lima-pdf

No Brasil, as empresas devem atuar e participar diretamente na organização e promoção das férias dos seus colaboradores. Para que assim,
possam garantir qualidade de vida e demonstrar que a empresa cuida do seu bem maior o capital humano. Quando o profissional é cuidado e tem
o seu direito assegurado ele fica motivado e mais produtivo (FARIAS, 2015). Férias é um dever de todas as empresas e um direito de todos os
colaboradores registos pela CLT.
Para Furtado (2015), o controle de férias foi necessário para que o empregador pudesse atuar em conformidade com a legislação brasileira. Além
disso, obrigou o empregador a ter de maneira clara e organizada o período de gozo de cada colaborador, esse controle é importante para manter
as equipes motivadas e engajadas. O controle das informações que possibilitam a correta utilização dessa norma é de extrema importância em
todas as empresas.
https://www.engelegho.com.br/projeto-fechamento-maquinas

2.2.3 Como Centralizar as Informações


O RH passou por muitas mudanças, inclusive deixando de ser um departamento que apenas efetua os cálculos referente as remunerações de
seus colaboradores, para ter um papel fundamental e estratégico na tomada de decisões das organizações. A área de gestão de pessoas então
possui como objetivo principal o desenvolvimento organizacional por meio de seus colaboradores contemplando assim subáreas como: Cargos e
Salários, Recrutamento e Seleção, Benefícios, Departamento Pessoal, Saúde e Segurança e Treinamento e Desenvolvimento. Com essa mudança
no decorrer do tempo, houve um aumento na velocidade na tomada de decisão e na dinâmica organizacional. Fazendo-se necessários os
investimentos em profissionais capacitados a gerenciar esta nova necessidade e sistemas que organizem, gerenciem e armazenem as
informações de seus colaboradores. Implantações essas que resultam em projetos de alto valor agregado ao negócio, com prazos curtos e alta
criticidade. Exigindo assim, sistemas que mantenham todas as informações de forma centralizada e de fácil acesso para que o RH consiga exercer
um papel fundamental nas organizações (MILDEBERGER, 2011).
https://administradores.com.br/artigos/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-organizacionais
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gestão_de_valor_agregado

Sistemas que atuam no gerenciamento das informações dos colaboradores trazem inúmeros benefícios para as empresas, principalmente,
contribuindo na tomada de decisão, como por exemplo numa análise de promoção pode-se apresentar dados de tempo de trabalho, indicadores de
performance e metas alcançadas. Outro aspecto importante dessa sistemática é que agilizam os processos internos, uma vez que um sistema
integrado de ferramentas e informações impacta direta e positivamente na produtividade das equipes. Este aumento de produtividade está
diretamente relacionado ao tempo que um colaborar pode ganhar com a facilidade de encontrar informações arquivadas em um único sistema, já
que todos os dados ficam armazenado em um único local.
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

Para trazer mais segurança aos dados e sua melhor utilização, relacionando dados precisos com as estratégias da organização, a empresa pode
criar diversas pastas e alocar cada tipo de documento com a sua visualização restrita por usuário ou grupo de usuários. Esta ação torna a
centralização de dados muito mais segura, assim não só se torna possível identificar os acessos como controlá-los de acordo com as restrições de
acesso pré-estabelecidas no momento de desenvolvimento sistêmico, (MILDEBERGER, 2011). TECLÓGICA (2017), complementa este raciocínio,
afirmando que empresas que passam a ter informações centralizadas, tornam-se empresas diferenciadas, pois irão aumentar a produtividade e a
eficiência no trabalho do colaborador não ficará na dependência de outras pessoas para localizar um arquivo, documento ou informação, pois
estas informações podem ser encontradas no banco de dados do sistema.
2.3 Gerenciamento de Projetos
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
https://www.siteware.com.br/projetos/gerenciamento-de-projetos-pmbok
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve

O gerenciamento de projetos proporciona o desenvolvimento e a execução de projetos de forma organizada, eficaz, assertiva e sustentável. Para
isso, utilizasse diversas técnicas inovadoras com o objetivo de cumprir os requisitos do projeto, empregando integrações apropriadas dos
processos identificados no gerenciamento do projeto em questão (PMI, 2017). Para Candido (2012), a humanidade sempre desenvolveu projetos,
pois sempre houve a necessidade de organizar necessidades, prazos, executores e ações para obtenção de um objetivo definido. Ainda hoje, é
possível observar projetos de muito sucesso que resistem ao tempo e que foram realizados sem as inovações metodológicos de gerenciamento de
projetos atuais do mercado, como por exemplo: a Muralha da China, as pirâmides do Egito, a cidade de Machu Picchu e os Castelos Medievais.
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://www.siteware.com.br/projetos/gerenciamento-de-projetos-pmbok

Projetos são desenvolvidos para alcançar objetivos através da elaboração de estratégias e entregas aplicadas na sua execução. Uma meta
estabelecida, um produto a ser criado ou um serviço a ser realizado podem ser considerados objetivos de um projeto. Entregas são definidas como
as etapas verificáveis que possuem a finalidade de completar um processo, fase ou projeto. As entregas podem ser consideradas de maneira
quantitativa ou qualitativa de acordo com o objetivo almejado, (PMI, 2017). O gerenciamento de projetos possui cinco grupos de processos que
favorecem o alcance de seus objetivos específicos de forma prática e eficaz, representados na Tabela 2:
https://www.euax.com.br/2019/04/processos-de-gerenciamento-de-projetos
https://artia.com/blog/processos-de-gerenciamento-de-projetos-conheca-os-5-grupos
https://www.devmedia.com.br/grupos-de-processos-segundo-o-pmbok/27106
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

Tabela 2 - Grupo de Processos de Gerenciamento de Projetos (PMI, 2017)

Fonte: adaptado de PMBOK 6ª ed, 2017)


Para que o gerenciamento de projeto ocorra de forma fluída, a função do gerente de projeto é ser o responsável por liderar a equipe que executa o
projeto, todas as pessoas envolvidas nos processos estabelecidos. As relações de subordinação do gerente de projeto variam de acordo com
estrutura da organização em que o projeto está sendo realizado e, por este motivo, se faz necessário o acompanhamento do progresso e do
sucesso do projeto a cada etapa e prazo estabelecido para garantir sua perfeita execução. (PMI, 2017)
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/15824/15824_3.PDF
http://movimentoimpactoglobal.com.br/fases-do-projeto

2.3.1 Guia PMBOK


Candido (2012), apresenta que gerenciamento de projetos se tornou popular, devido ao volume, escopo, prazo e recursos necessários para novos
projetos. Projetos esses que começaram a exigir mais de seus participantes, e isso tudo teve início em 1960. Esta exigência gerou uma nova
necessidade em estabelecer processos e metodologias inovadores para um novo formato de gerenciamento de projetos com eficácia. Sendo
assim, com a expansão do gerenciamento de projetos, metodologias e livros sobre o assunto começaram a ser criados e publicados a partir deste
período. E Marcondes (2017), complementa que no ano de 1969 na Pensilvânia (EUA), um grupo de profissionais se reuniram para discutir e expor
as melhores práticas do gerenciamento de projetos, dando assim o surgimento ao PMI - Project Management Institute. Com o aumento na procura
de especializações no mercado e cada vez mais necessidades de métodos e boas práticas, o PMI cresceu com o passar dos anos, tornando-se
assim uma das maiores organizações sem fins lucrativos no campo da ciência no gerenciamento de projetos. A evolução do mercado e a busca
cada vez mais por boas práticas estimula ciclicamente a qualificação de pessoas com conhecimentos baseados nestas práticas, surgindo assim o
Guia PMBOK e as certificações da área de gerenciamento de projetos, já mencionados anteriormente.
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmi
http://www.mhavila.com.br/topicos/gestao/pmbok.html
https://www.siteware.com.br/projetos/gerenciamento-de-projetos-pmbok
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok

O Guia PMBOK é conhecido por muitos profissionais como a “bíblia do gerenciamento de projetos” e teve sua primeira edição publicada em 1996
pelo PMI. Atualmente, encontra-se em sua sexta edição que fora publicada no ano de 2017. O Guia reúne as melhores práticas recomendadas
para o gerenciamento de projetos, com o objetivo de aplicar conhecimentos, processos, habilidades, ferramentas e técnicas corretas de
gerenciamento de projetos, gerando melhorias neste segmento. Enriquecendo assim, o conhecimento e o vocabulário para que os profissionais de
gerenciamento utilizem e apliquem estes conceitos, tornando-se uma ferramenta para a orientação dos profissionais, e não apenas uma
metodologia. Permitindo ao profissional utilizar metodologias e ferramentas diferentes para prática de um projeto independente do segmento de
mercado de sua atuação. (PMI, 2017)
https://docplayer.com.br/1005637-A-utilizacao-das-diretrizes-do-guia-pmbok-nos-projetos-elaborado-pelo-instituto-mineiro-de-gestao-das-
aguas.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Project_Management_Body_of_Knowledge
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmi
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok

2.3.2 Outras práticas em Gerenciamento de Projetos


De acordo com Audy (2015), o termo ágil gera uma possível confusão em relação ao seu entendimento, pois ao ver de algumas pessoas, ágil se
refere a uma construção mais rápida. Porém, este entendimento está na verdade relacionado ao valor do projeto, das oportunidades, dos riscos,
do tempo e de quais são os resultados organizacionais esperados. Sendo assim, o método ágil é bastante utilizado no gerenciamento de projetos,
pois visa a rapidez para entrega do projeto garantido a satisfação para o cliente com excelência.
O Scrum Guide é uma metodologia utilizada em gerenciamento de projetos baseada no método ági. Segundo Audy (2015), surgiu no ano de 1995
quando Jeff Sutherland e Ken Schwaber uniram-se para a formalização do método, mas só foi consolidado em 2001 e desde seu lançamento vem
sendo atualizado constantemente. O foco do Scrum é o gerenciamento de ciclos interativos de desenvolvimento de projetos e, a verificação e a

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

adequação constantes no decorrer do seu desenvolvimento. É uma metodologia simples e prática de aprender, porém, difícil de executar.
Buscando sempre a transparência, inspeção e adaptação, para garantir que todos possam falar e ser ouvidos com realismo, educação e
cooperação permanente.
Outra prática que utiliza o método ágil de maneira simples, bastante prática e que pode ser aplicada em todos os tipos de projetos seguindo a
linguagem do Guia PMBOK, é o método Canvas. Como define Finocchio (2014), o objetivo do Canvas é permitir a ligação do plano do projeto com
o engajamento e participação da equipe e principais patrocinadores. Pode-se dizer que Canvas é uma ferramenta de planejamento estratégico que
permite desenvolver e esboçar modelos de negócios novos ou existentes. Esta metodologia apresenta de maneira visual e clara todos os
aspectos, processos e pessoas envolvidos e participantes do projeto.
https://www.oficinadanet.com.br/post/13308-canvas-business-model-generation
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/100793/308902.pdf?sequence=1

Enquanto o Canvas busca ser uma ferramenta visual estática, há também o EasyBok, outra metodologia que auxilia o gerenciamento de projetos
com base no método ágil e o Guia PMBOK. O EasyBok contempla de uma forma mais simples, organizada e prática, a utilização simplificada de
todos os processos e dados referentes ao projeto. De acordo com Ricardi (2017) criador da do EasyBok, a ferramenta é uma planilha que foi criada
com base em todos os processos e documentos do Guia PMBOK sexta edição para organizar e compilar todas as informações pertinentes ao
projeto em um só lugar. Sua missão é favorecer para que o gerente de projetos possa superar todos os desafios da construção e de
gerenciamento do seu projeto. Por sua facilidade de administração, o Easybok é indicado para todos os tipos de profissionais desde estudantes á
mais profissionais experientes no gerenciamento de projetos.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
http://simetrias.com.br/servicos.html
https://www.devmedia.com.br/guia-pmbok-gerenciamento-da-integracao/29154
http://www.cm-olhao.pt/en/municipio/comunicacao/noticias

O sucesso dos métodos ágeis, segundo Audy (2015), é o balanceamento entre as exigências do negócio, a sustentabilidade entre o valor e a
expectativa, a qualidade na entregue e podendo ter análises técnicas. Há então no mercado diversas metodologias disponíveis para contribuir nas
atividades desenvolvidas pelo gerente de projetos, baseadas no método ágil que visa uma entrega rápida com excelência. Cada gerente de projeto
identifica e escolhe qual metodologia se adequa melhor ao seu perfil e as necessidades do seu projeto, para que assim, possa de fato otimizar e
prover a produtividade do gerenciamento dos seus projetos.
https://www.euax.com.br/2018/08/o-que-e-gestao-de-projetos
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve
https://pmkb.com.br/wp-content/uploads/2016/04/a-importancia-do-gerenciamento-de-projetos-em-tempos-de-crise.pdf
http://univille.edu.br/community/biblioteca_universitaria/VirtualDisk.html/downloadDirect/498994

3 DESENVOLVIMENTO
Neste capítulo há a apresentação de como ocorreu a concepção do grupo desenvolvedor até como se deu a execução realizada neste trabalho de
conclusão, utilizando as práticas de gerenciamento de projetos. Práticas essas, obtidas pelo grupo desenvolvedor com base nos conhecimentos
adquiridos durante o curso de Pós-Graduação de “Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI”, onde utiliza-se como referência o guia PMBOK.
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos

3.1 Cenário do Projeto


O grupo desenvolvedor deste projeto composto por seis integrantes do curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Especialização em
Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI. Todos os participantes compartilharam da necessidade de aprimoramento contínuo em práticas de
gerenciamento de projetos para sua ingressão neste curso. O grupo conta com integrantes de atuação em diversos segmentos do mercado, tais
como: tecnologia da informação, moda, recursos humanos e engenharia. A escolha dos integrantes do grupo se deu por sua interação,
relacionamento, complementariedade de suas competências e objetivo em comum de atender uma necessidade de alguma instituição do Terceiro
Setor.
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/MatrizesConsolidacao/comum/15487.html
https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/envelhecimento-humano_ebook.pdf
https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/100793/308902.pdf?sequence=1

A participação de todos no curso de Especialização em Gerenciamento de Projetos – Práticas do PMI realizado pelo Centro Universitário Senac
São Paulo – Lapa Tito foi fundamental, pois muito contribuiu para o aprimoramento e crescimento profissional de seus participantes. Pois, ao
decorrer do curso, além do desenvolvimento de competências comportamentais relacionadas e exigidas a posição de Gerente de Projetos foi
possível descobrir novas e melhores técnicas que muito vem a favorecer a eficácia dos resultados de seus projetos desenvolvidos. Esta evolução
pessoal e profissional se destaca frente a atual necessidade de profissionais bem capacitados tecnicamente e qualificados em competências
comportamentais exigidas para esta função. Sem dúvidas, a estrutura pedagógica desenvolvida pelo Senac é o grande diferencial para
proporcionar esta experiência única aos integrantes tão satisfatoriamente. Este desenvolvimento tornou-se um grande diferencial para todos os
integrantes, bem como, proporcionou uma nova perspectiva de atuação e posicionamento profissional. Os conhecimentos obtidos no decorrer do
curso foram fundamentais, também, para o desenvolvimento desse projeto de conclusão de curso e sua entrega final. Pois, proporcionou novos
métodos e melhor estruturação de processos que foram fundamentais para a obtenção do sucesso na entrega do projeto.

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/15824/15824_3.PDF

Este trabalho contempla o gerenciamento de um projeto considerando seu cenário como a implantação de um sistema de dados que teve como
objetivo trazer melhorias organizacionais para o departamento de Recursos Humanos da Instituição CREN. E esta foi a ideia inicial do grupo que
tinha como premissa: desenvolver um projeto para uma instituição do Terceiro Setor, a fim de contribuir socialmente com este projeto. O
conhecimento prévio de um dos integrantes a Instituição CREN e pelo trabalho que desenvolvem atuando no combate à desnutrição infanto-
juvenil, foram os principais motivos para a escolha dessa instituição. Além da identificação de uma demanda estratégica e de alto impacto que
fosse possível contribuir com o desenvolvimento deste trabalho.
https://brasil.pmi.org/brazil/KnowledgeCenter/Articles/~/media/C1CEEAF8C9364BAA9FAB0D7F2B92203F.ashx
http://www.cren.org.br/blog/2018/11/01/melhores-ongs-cren-premio
http://www.cren.org.br

O CREN é uma OSC (Organização de Sociedade Civil) localizada em São Paulo com duas unidades nos bairros de Vila Mariana e Vila Jacuí. A
instituição fora fundada em 1993 com o objetivo de atender famílias com crianças que apresentam problemas de má nutrição (desnutrição e
obesidade). Além de assistência as famílias, o CREN desenvolve pesquisas e capacitações a profissionais da saúde sobre distúrbios nutricionais
buscando contribuir para a erradicação da desnutrição e obesidade infantil. Após o primeiro contato e visita realizada ao CREN foi realizado um
diagnóstico junto ao corpo diretivo da instituição para verificar a necessidade de organização e gestão dos dados dos funcionários para diminuir os
erros recorrentes em planejamento de férias de colaboradores e controle de ponto eletrônico para fechamento de folha de pagamento. No
momento do contato realizado com a Instituição CREN em 2018, a equipe de RH possuía todas as informações dos colaboradores relacionadas a
férias e ao ponto eletrônico em diversas planilhas manuais e sistemas distintos não integrados. Com esta organização de dados todas as
necessidades do RH que necessitavam dessas informações tornavam-se atividades extensas que demandavam grande esforço e atenção, e
causavam diversos erros e riscos, inclusive, financeiros a instituição. A apresentação da intenção desse projeto foi recebida e apreciada com muito
interesse, pois sua entrega tinha como objetivo sanar problemas e diminuir os riscos relacionados acima.
https://blog.convenia.com.br/gestao-de-ponto-banco-de-horas
http://www.cren.org.br/noticias
https://www.scribd.com/document/332264404/09-D-JOAO-VI-NO-BRASIL-1-Oliveira-Lima-pdf
https://www.pontotel.com.br/controle-de-ponto-eletronico

O desenvolvimento do projeto ocorreu desde o início do curso utilizando os conhecimentos adquiridos nas disciplinas ministradas durante todo o
curso de pós-graduação. A entrega final deste projeto foi um sistema integrado de dados, que fora criado e alimentado com informações
relacionados aos colaboradores do CREN. Para que com sua utilização o RH possa otimizar os seus processos internos de gestão de pessoas e
de folha de pagamento. Além de corrigir problemas e diminuir riscos relacionados as falhas diagnosticadas como, por exemplo: controle de férias e
ponto eletrônico, tais erros esses que geravam impactos financeiros a organização.
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve
https://www.pontotel.com.br/controle-de-ponto-eletronico

No Quadro 1 constam os documentos gerados em todas as etapas do desenvolvimento do projeto, desde a concepção inicial até a sua entrega
para a Instituição CREN.

Quadro 1 - Etapas do Desenvolvimento do Projeto


Grupo de Processo Área de Conhecimento
Apêndice Sigla Nome do Documento Iniciação Planejamento Execução Monitoramento e Controle Encerramento Integração Escopo Cronograma
Custos Qualidade Recursos Comunicação Riscos Aquisições Partes Interessadas
A BC Business Case x
B TAP Termo de Abertura do Projeto x
C RP Registro de Premissas x x
D RPI Registro das Partes Interessadas x X
http://www.xtheband.com
https://www.cbf.com.br/futebol-brasileiro/competicoes/campeonato-brasileiro-serie-a/2019/130
https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-08-2019/atletico-pr-sao-paulo.ghtml
https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/libertadores/jogo/21-08-2019/flamengo-internacional.ghtml

E PGP Plano de Gerenciamento do Projeto x x


https://www.youtube.com/watch?v=PKKq086P8rc
http://www.xtheband.com

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://www.x.org
https://www.youtube.com/watch?v=1ReRdBW1OUc

F PGE Plano de Gerenciamento de Escopo x x


https://www.euax.com.br/2018/12/gerenciamento-escopo-do-projeto

G PGRE Plano de Gerenciamento dos Requisitos x x


H PGCR Plano de Gerenciamento do Cronograma x x
http://www.xtheband.com
https://www.youtube.com/watch?v=1ReRdBW1OUc
https://www.x.org

I PGCS Plano de Gerenciamento dos Custos x x


J PGCO Plano de Gerenciamento das Comunicações x X
K PGPI Plano de Gerenciamento das Partes Interessadas x x
L PGR Plano de Gerenciamento de Recursos x x
M LBE Linha de Base do Escopo x x
http://jkolb.com.br/5-4-s1-linha-de-base-do-escopo
https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto

N DEP Declaração do Escopo do Projeto x x


https://www.youtube.com/watch?v=PKKq086P8rc
http://www.xtheband.com
https://www.x.org
https://www.youtube.com/watch?v=1ReRdBW1OUc

O EAP Estrutura Analítica do Projeto x x


Q DEAP Dicionário da EAP x x
http://www.xtheband.com
https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/libertadores/jogo/21-08-2019/flamengo-internacional.ghtml
https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-08-2019/atletico-pr-sao-paulo.ghtml
https://www.cbf.com.br/futebol-brasileiro/competicoes/campeonato-brasileiro-serie-a/2019/130

Grupo de Processo Área de Conhecimento


Apêndice Sigla Nome do Documento Iniciação Planejamento Execução Monitoramento e Controle Encerramento Integração Escopo Cronograma
Custos Qualidade Recursos Comunicação Riscos Aquisições Partes Interessadas
R LBCR Linha de Base do Cronograma x
S LBCS Linha de base de custo x
https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/libertadores/jogo/21-08-2019/flamengo-internacional.ghtml
http://www.xtheband.com
https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto
https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-08-2019/atletico-pr-sao-paulo.ghtml

T TNE Termo de Nomeação da Equipe x


https://www.x.org
http://www.xtheband.com
https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-08-2019/atletico-pr-sao-paulo.ghtml
https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/libertadores/jogo/21-08-2019/flamengo-internacional.ghtml

U DMRR Documentação e Matriz de rastreabilidade de Requisitos x


https://www.youtube.com/watch?v=PKKq086P8rc
http://www.xtheband.com
https://www.x.org
https://www.youtube.com/watch?v=1ReRdBW1OUc

W CDC Cronograma do Projeto, Dados do Cronograma e Calendário do Projeto x


https://www.youtube.com/watch?v=PKKq086P8rc

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://brasil.pmi.org/brazil/KnowledgeCenter/Articles/~/media/C1CEEAF8C9364BAA9FAB0D7F2B92203F.ashx
http://www.xtheband.com
https://www.youtube.com/watch?v=1ReRdBW1OUc

V EC Estimativas de custos x
X RRFP Requisitos de Recursos Financeiros do Projeto x
https://escritoriodeprojetos.com.br/requisitos-de-recursos-financeiros-do-projeto
https://globoesporte.globo.com/pr/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-08-2019/atletico-pr-sao-paulo.ghtml
https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/libertadores/jogo/21-08-2019/flamengo-internacional.ghtml
http://www.xtheband.com

Y DDT Dados de Desempenho do Trabalho


https://robsoncamargo.com.br/blog/Controle-de-escopo
https://linksinergia.com.br/2014/11/24/gerenciamento-de-projetos-baseados-no-pmbok-gerenciamento-da-integracao-do-projeto-parte-4
http://linksinergia.com.br/2014/12/01/gerenciamento-de-projetos-baseados-no-pmbok-gerenciamento-da-integracao-do-projeto-parte-5

Z RLA Registro das Lições Aprendidas


https://escritoriodeprojetos.com.br/registro-das-licoes-aprendidas

AB RQ Registro de Questões
AC SM Solicitações de Mudanças
AD CRS Calendário dos Recursos
AE ATA Ata reunião de kickoff
http://www.htmlhelp.com/reference/html40/entities/special.html

Fonte: elaborado pelos autores


3.2 Iniciação
Para ilustrar o processo de Iniciação do projeto EasyRh foi criado o Easy Life Canvas com o objetivo de apresentar visualmente todas as suas
etapas criadas e desenvolvidas.
https://www.devmedia.com.br/grupos-de-processos-segundo-o-pmbok/27106
https://www.euax.com.br/2019/04/processos-de-gerenciamento-de-projetos

Figura 2 - Easy Life Canvas do EasyRh para o CREN

Fonte: elaborado pelos autores


Com a criação do Canvas foi possível identificar o objetivo em comum do grupo desenvolvedor em atuar com um projeto para o Terceiro Setor,
mencionado anteriormente. E a partir da escolha da Instituição CREN iniciou-se o levantamento de ideias e possíveis necessidades para que se
construísse o objetivo desse projeto. Inicialmente, a primeira hipótese levantada foi em realizar um projeto voltado à área de marketing da
Instituição, com a intenção de criar uma corrida beneficente para a instituição. Porém, em reunião dos integrantes do grupo, realizada no dia 09 de
abril de 2018, avaliou-se se haveria alguma outra necessidade interna da instituição com maior urgência organizacional.
https://www.oficinadanet.com.br/post/13308-canvas-business-model-generation
http://www.cren.org.br
http://cren-al.org.br

O próximo passo desenvolvimento foi a realização do primeiro contato com a Instituição CREN para verificar a possibilidade de criação desse
projeto e levantar necessidades. Esta etapa ocorreu no dia 13 de abril de 2018 por meio de chamada em conferência entre os integrantes do
projeto e a equipe CREN. Neste contato, foi obtida a aprovação para a execução do projeto e definido o objetivo do projeto com base na
necessidade da área de Recursos Humanos do CREN. Bem como, qual seria o meio de comunicação entre as partes durante o projeto. Foram
definidas como meio de comunicação entre a equipe do projeto e a instituição a utilização do WhatsApp, devido a agilidade e e-mail, para a troca
de documentos e telefone para fazer conferências e esclarecimento de dúvidas. Informações estas contempladas na Ata da reunião de kickoff com
CREN (Apêndice AE).
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/blog/2018/11/01/melhores-ongs-cren-premio
http://www.cren.org.br/sobre_cren
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Apêndice AE - Ata da reunião de kickoff com CREN

Fonte: elaborado pelos autores


Após a definição da Instituição atendida CREN e do objetivo do projeto em criar um sistema de integração de dados para a área de recursos
humanos, iniciou-se criação dos primeiros documentos referentes ao projeto realizado. Estes documentos iniciais formaram a base para um
entendimento eficaz de todas as partes envolvidas no projeto. Contemplam a documentação inicial: o Business Case, o Termo de Abertura do
Projeto – TAP, Registro de Premissas e o Registro das Partes Interessadas.
https://www.slideshare.net/JoseBezerra1/profjosebezerratreinamentopmpcapmbsbrmodulo4gerintegracao
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://www.devmedia.com.br/gerenciamento-da-integracao-segundo-o-pmbok/27359
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-o-termo-de-abertura-do-projeto

O Business Case (Apêndice A) foi elaborado pelos autores em reunião do grupo onde fora definido a necessidade da área de recursos humanos
em ter e utilizar um sistema integrado de dados dos colaboradores para que seja possível elaborar indicadores de ponto eletrônico e planejamento
de férias aquisitivas de maneira assertiva e coerente. Esta necessidade foi identificada com base na análise da situação da área de recursos
humanos do CREN, pois não possuíam indicadores eficazes para controle de ponto eletrônico e o processo de planejamento de férias era
realizado manualmente com informações buscadas em diversas planilhas. A recomendação elaborada foi sobre a alocação de dados necessários
em apenas um sistema para possa ser criado indicadores e controle das férias dos colaboradores. E a avaliação proposta refere-se ao tempo e
meio de disponibilização dessas informações ao grupo para o desenvolvimento do projeto.
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/sobre_cren
https://www.pontotel.com.br/controle-de-ponto-eletronico
http://www.cren.org.br/blog/2018/11/01/melhores-ongs-cren-premio

Figura 3 - Business Case do Projeto EasyRh

Fonte: elaborado pelos autores


Após o levantamento de informações e criação do Business Case foi criado o Termo de Abertura do Projeto – TAP (Apêndice B) que contempla as
informações das atividades executadas no projeto com o objetivo de atender à necessidade levantada. Na TAP, além da finalidade do projeto em
criar um sistema para integração de informações, controle de ponto eletrônico e férias dos colaboradores do CREN, constam também os objetivos
mensuráveis, relacionados a esta ferramenta de controle e melhorias para a área de recursos humanos. Neste documento, consta-se também, os
requisitos necessários, a descrição de alto nível, risco geral do projeto, marcos do cronograma, recursos financeiros pré-aprovados, lista das partes
interessadas, requisitos para aprovação, critérios para término, papeis e responsabilidades, e patrocinador. Documento este que contempla a
validação e aprovação da Instituição CREN para este projeto.
http://movimentoimpactoglobal.com.br/fases-do-projeto
http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/subplan/gempar/manual.pdf
https://robsoncamargo.com.br/blog/Termo-de-abertura-de-projeto-saiba-tudo-sobre-ele

A etapa seguinte foi a criação do Registro de Premissas (Apêndice C), no qual apresenta as restrições do projeto referente a confiabilidade de
dados e processos analisados e utilizados da Instituição CREN. E para concluir a etapa de iniciação do projeto, houve a criação do Registro das
Partes Interessadas (Apêndice D), com objetivo de inventariar todas as pessoas que fazem parte do plano de comunicação deste projeto. Incluindo
suas informações de contato e, papel e responsabilidade no projeto. O processo de criação deste documento foi feito com a utilização do aplicativo
Trello para definir as atividades do projeto e a ferramenta Dropbox para armazenamento dos documentos do projeto. Para melhorar e facilitar o
processo de comunicação entre as partes interessados foi utilizado o aplicativo WhatsApp, com a criação de grupos com os membros
desenvolvedores do projeto e com os membros da Instituição CREN. Outra ferramenta utilizada nesse processo de comunicação entre as partes

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

foi o uso de e-mail para, não só comunicar, mas também, para enviar e receber arquivos para validações entre os envolvidos.
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://pt.slideshare.net/luanildo/identificar-as-partes-interessadas-stakeholders
http://www.pidcc.com.br/artigos/032013/ebook_04.pdf
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

3.3 Planejamento
Após o entendimento do que seria criado e entregue a Instituição CREN, no processo de iniciação, iniciou-se então o processo de planejamento do
projeto com a criação do Plano de Gerenciamento do Projeto - PGP (Apêndice E), com objetivo de registrar como o projeto foi executado,
controlado, monitorado e encerrado. Como complementações ao PGP foram elaborados os planos para cada área específica de conhecimento. O
primeiro plano criado foi o Plano de Gerenciamento de Escopo (Apêndice F), onde foram apresentadas as principais etapas para o
desenvolvimento do projeto. É no PGE que consta informações necessárias que auxiliaram na criação dos demais planos, sendo elas: descrição
do produto desenvolvido, principais entregas, critérios de aceitação e exclusões do projeto.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/62754355/Ricardo-Vargas-Pmbok-Flow-Color-Pt
https://www.slideshare.net/JoseBezerra1/profjosebezerratreinamentopmpcapmbsbrmodulo4gerintegracao
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Outro plano criado foi o Plano de Gerenciamento de Requisitos (Apêndice G) onde foi possível desenhar o processo executado para identificar
quais os requisitos necessários para o desenvolvimento do projeto, com base no PMBOK. Para que assim houvesse o melhor entendimento sobre
os requisitos necessários para o projeto, foi utilizado como referência o Modelo de Storyboard que propõem a descrição dos critérios para definir os
requisitos. Após a análise dos requisitos, houve a sua priorização das ações para organizar e cronogramar sua execução, transformando assim
requisitos em entregas efetivas. Para melhor entendimento e eficácia fora criado um fluxo representativo desses requisitos. Este plano de
Gerenciamento de Requisitos orientou a criação da Matriz de Rastreabilidade de Requisitos (Apêndice U).
https://www.devmedia.com.br/pmbok-trabalhando-com-gerenciamento-de-custos/31158
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Figura 4 - Linha de Base do Cronograma


https://www.academia.edu/22114724/Apostila_Gerenciamento_da_qualidade
https://www.academia.edu/4043519/Um_Guia_do_Conhecimento_Em_Gerenciamento_de_Projetos_Guia_Pmbok_4a_Ed_2012
https://pt.scribd.com/document/62754355/Ricardo-Vargas-Pmbok-Flow-Color-Pt

Fonte: elaborado pelos autores


Após a conclusão sobre o que deveria ser desenvolvido neste projeto, entrou-se no processo de fechamento dos prazos para conclusões de cada
atividade estabelecida, formando assim o Plano de Gerenciamento do Cronograma (Apêndice H). Para a elaboração do cronograma foram
definidos primeiramente os membros da equipe deste projeto, considerando as partes envolvidas da Instituição CREN. Tais dados estão
contemplados no Termo de Nomeação da Equipe (Apêndice T), no calendário do projeto, bem como, na Estimativa de Custos do Projeto
(Apêndice V). A linha de base do cronograma iniciou-se em 04/04/2018 e finalizou-se 19/05/20019. Tendo como, caminho crítico o período de
desenvolvimento do sistema que foi de 03/12/2018 até 09/05/2019.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.wikipedia.org/wiki/Project_Management_Body_of_Knowledge
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

O Plano de Gerenciamento de Custos (Apêndice I) criado a partir das estimativas de custos levantadas para o projeto, considerando: os custos de
mão de obra (desenvolvimento), de servidores e de equipamentos, como notebooks. Todos os custos deste projeto foram baseados em custos
reais, mas não alocados como novas aquisições, pois o projeto foi executado com recursos pré-existentes. Porém, por orientação da coordenação
do curso, utilizou-se valores reais de nova aquisição para demonstrar os custos totais do projeto se alocados por aquisição, tais informações
compreendem o documento de Requisitos de Recursos Financeiros do Projeto (Apêndice X). Para que assim, fosse possível determinar o
orçamento necessário para a criação do projeto, bem como, controlar o andamento do projeto e seus custos estipulados. Este documento é de
suma importância para garantir sua viabilidade dentro das estimativas de custos.
https://escritoriodeprojetos.com.br/requisitos-de-recursos-financeiros-do-projeto
https://www.devmedia.com.br/pmbok-trabalhando-com-gerenciamento-de-custos/31158
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/62754355/Ricardo-Vargas-Pmbok-Flow-Color-Pt

O Plano de Gerenciamento Das Comunicações (Apêndice J) mostra as informações de como haverá a comunicação e identifica quem são os

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

comunicados.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013

O Plano Comunicação mostra qual ferramenta e como a equipe de projeto comunicou-se durante o projeto desenvolvido, as principais ferramentas
utilizadas para a comunicação foram:
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve
http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/subplan/gempar/manual.pdf

• WhatsApp utilizado frequentemente pela equipe de projetos;


https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve

• Trello utilizado para controlar e distribuir as atividades entre a equipe de projetos;


• Dropbox para armazenar os documentos do projetos;
• Skype para realizar reunião com as partes interessadas;
• Telefone para realizar ligações e conferencia com todos os envolvidos no projeto;
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

• Status Report / Relatório de Desempenho para comunicar as partes interessadas, referente o andamento do projeto;
• E-mail para realizar trocas de e-mails referente o andamento do projeto.
O documento Registro das Partes Interessadas (Apêndice D) mostra todos os envolvidos no projeto, qual é a influência das pessoas e suas
expectativas com o projeto.
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://www.voy.com/88690/173.html
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

O Plano de Gerenciamento das Partes Interessadas (Apêndice K) mostra qual a classificação que o Gerente de Projetos categorizou as partes
interessadas, o GP pode identificar as pessoas como apoiador, resistente, neutro ou engajado.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

O Plano de Gerenciamento das Partes Interessadas (Apêndice K) foi elaborado com objetivo de apresentar as interações necessárias para que
cada parte atingisse sucesso. Este plano complementa o plano de gerenciamento das comunicações, pois nele é consta informações de contato
de todos os participantes do projeto e quais são suas maiores influências, documentando assim informações fundamentais para a realização dos
contatos necessários estipulados.
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso
https://www.euax.com.br/2018/08/o-que-e-gestao-de-projetos

O Plano de Gerenciamento de Recursos (Apêndice L) apresenta quais recursos foram necessários para organizar, identificar e gerenciar o projeto.
Este documento foi de suma importância para garantir a execução do planejamento do projeto, evitando falhas em seus recursos. Recursos esses
existentes, como os integrantes do grupo que foram gerentes de projetos intercalados para que todos pudessem vivenciar esta experiência; equipe
CREN para aprovação do projeto; desenvolvedor do sistema e analistas de requisitos, qualidade, testes, sistema e treinamento. Formando assim,
o organograma, as mobilizações e a liberação de pessoal do projeto, contidas neste documento.
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109

Figura 5 - Organograma do Projeto

Fonte: elaborado pelos autores

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Com base no Plano de Gerenciamento de Requisitos foi desenvolvida a Matriz de Rastreabilidade de Requisitos (Apêndice U).
Figura 6 - Matriz de Rastreabilidade de Requisitos

Fonte: elaborado pelos autores


Esta matriz é formada por “user stories” que são compostas de pequenas histórias dos usuários que contemplam: o que precisa ser realizado,
como deve ser realizado e o que se espera como entrega final. A partir desse documento, foram elaborados os documentos que compõem a linha
de base do escopo: Declaração de Escopo, Estruturação Analítica do Projeto – EAP e Dicionário da EAP. Neste projeto, a Matriz de
Rastreabilidade de Requisitos considerou quais os requisitos que a Instituição CREN levantou como necessários para a criação do novo sistema
de dados. Após este levantamento e considerando o método de priorização de requisitos foi possível definir a ordem dos requisitos executados
com base em sua ordem de prioridades. Para que assim, fosse possível focar em todos os itens fundamentais e primordiais primeiramente. Este
documento, também, foi validado pela Instituição CREN.
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://www.euax.com.br/2018/12/eap-estrutura-analitica-projeto

Figura 7 - User Story

Fonte: elaborado pelos autores


A partir da Matriz de Rastreabilidade de Requisitos foram elaborados os documentos que compõem a linha de base do escopo. É considerado
como linha de base do escopo a Estrutura Analítica do Projeto – EAP (Apêndice O), a Declaração do Escopo do Projeto – DEP (Apêndice N) e o
Dicionário da EAP – DEAP (Apêndice Q). Com a criação desses documentos, acima citados, concluiu-se o que seria desenvolvido passo-a-passo
para a equipe de Recursos Humanos do CREN. A Estrutura Analítica do Projeto apresentada claramente e em níveis detalhados estrutura o
projeto que fora executada. Já o Dicionário da EAP apresenta a atividade principal de cada pacote de trabalho considerando a linha de base do
escopo definido, validados pela Instituição CREN.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc
https://www.devmedia.com.br/pmbok-trabalhando-com-gerenciamento-de-custos/31158
https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto

Figura 8 - E-mail de Validação de Escopo

Fonte: elaborado pelos autores


Com esses documentos elaborados definiu-se a linha de base do cronograma e de seus custos. Linha de base essa que registrou o momento em
que o cronograma e os custos foram aprovados, por exemplo. Contemplando assim, as datas de início e fim do projeto, bem como, todas as
atividades necessárias para a execução do projeto e seus custos que garantiram a entrega final do projeto de acordo com o planejamento e
estipulado.
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
http://movimentoimpactoglobal.com.br/fases-do-projeto
http://www.cm-olhao.pt/en/municipio/comunicacao/noticias

Figura 9 - Estratura Analítica do Projeto

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Fonte: elaborado pelos autores


3.4 Execução, monitoramento e controle do projeto
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc

Durante a execução do projeto e com a utilização do cronograma definido pode-se verificar a sequência de atividades para desenvolvimento. No
desenvolvimento do projeto EasyRH utilizamos a troca de mensagens por WhatsApp com a equipe do CREN para o esclarecimento de dúvidas,
bem como a utilização de conference calls para entendimento das expectativas e apresentação da evolução do projeto.
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve

Para o início do desenvolvimento da Ferramenta de relatórios para o CREN, o desenvolvedor marcou uma reunião online utilizando o Skype e o
Team Viewer com a finalidade de analisar o ambiente a qual a ferramenta seria alocada. A reunião online ocorreu no dia 24/09/2018 às 17hs,
durante analise foi identificado que o sistema operacional utilizado era o Windows e que o pacote Office estava com todas suas ferramentas
instaladas, ou seja, não haveria complicações na hora de executar a ferramenta que seria desenvolvida utilizando o Access e a linguagem VBA.
Tendo concluído a análise do ambiente a ser trabalhado, o desenvolvedor solicitou que a equipe do CREN deveria separar os arquivos a serem
utilizados como ‘Base de Dados” e em seguida os encaminhar por e-mail para que os arquivos fossem analisados.
O desenvolvedor informou que quando todos os arquivos tivessem sido avaliados, um documento contendo todas as informações técnicas
relacionadas aos dados existentes em cada arquivo seria gerado e encaminhado de volta, para que a equipe do CREN apontasse quais seriam os
dados que a ferramenta de relatórios deveria conter. Desta forma os arquivos foram encaminhados pelo CREN no dia 25/09/2018 e o retorno do e-
mail contendo o documento de dados ocorreu no dia 27/09/2018.
No dia 01/10/2018, o CREN solicitou uma nova reunião com o desenvolvedor para o dia 03/10/2018 às 08:30, com o objetivo de apresentar quais
dados a ferramenta deveria conter para que os relatórios necessários fossem gerados.
A reunião ocorreu de forma simples, sendo que o CREN explicou o motivo da seleção dos dados que iriam compor a ferramenta e explicou quais
dados teriam que ter um tratamento a mais devido ao relatório. O desenvolvedor aceitou os detalhamentos da equipe do CREN, informou que
criaria outro documento a qual iria descrever todos os dados que seriam importados pela ferramenta especificando seu tipo e com que dados o
mesmo deveriam ser preenchidos.
O documento técnico contendo todas as especificações do sistema foi enviado no dia 04/10/2018 e a equipe do CREN respondeu o e-mail com o
aceite do documento no dia 06/10/2018.
Após a aceitação do documento contendo os dados que a ferramenta iria trabalhar, o desenvolvedor notificou a equipe do projeto e a equipe do
CREN que a fase de criação do design do sistema teria início em 07/10/2018. Nesta etapa, a ferramenta seria desenhada a mão, para que a
equipe do projeto pudesse participar de sua elaboração. A equipe do CREN foi notificada que a próxima reunião online seria realizada no dia
25/10/2018 às 8:30, com o objetivo de que eles pudessem visualizar o design da ferramenta e que caso fosse necessário, informassem as
melhorias que deveriam ser implementadas.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade

Durante a reunião do dia 25/10/2018, o design apresentado teve diversos apontamentos para melhoria o qual fez com que o aceite não ocorre
neste momento. Por este motivo, o desenvolvedor informou que efetuaria as mudanças solicitadas e que na próxima reunião que seria no dia
01/11/2018 o aceite poderia ser informado ao final da apresentação do design da ferramenta atualizada.
http://www.cm-olhao.pt/en/municipio/comunicacao/noticias

No dia 01/11/2018 o design da ferramenta atualizada foi apresentado e o mesmo foi aceito quase de imediato devido a todas as melhorias
apontadas terem sido implementadas. Com isso, o desenvolvedor encerrou a reunião formalizando por e-mail que a etapa de desenvolvimento do
sistema se iniciaria no dia 03/12/2018, devido a quantidade de atividades pendente que o grupo deveria organizar em relação as aulas e aos
documentos do projeto.
Com isso a equipe de projetos finalizou suas pendências e no dia 03/12/2018 o desenvolvedor iniciou a criação do Banco de dados seguindo o
cronograma. Neste momento foi acordado que o desenvolvedor deveria informar a equipe de projeto se houvesse alguma dúvida sobre o
desenvolvimento da ferramenta e que o mesmo deveria os notificar pessoalmente, via Whats App ou por e-mail sempre que uma fase do projeto
fosse concluída, para que o acompanhamento das fases fosse executado.
No dia 08/12/2018, a equipe do projeto foi informada que a diretora do RH do CREN (responsável do projeto por parte do CREN) deixou a
organização por motivos que não foram informados. Este comunicado causou várias discussões entre a equipe do CREN e a de projeto.
http://www.cren.org.br/noticias
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/sobre_cren

No dia 12/12/2018, a equipe do CREN informou que provisoriamente a analista de RH Gislei assumiria até que uma nova diretora de RH fosse
contratada. Desta forma o desenvolvedor continuou a criação das tabelas da ferramenta.
No dia 19/12/2018, o desenvolvedor encaminhou para a equipe de projetos as informações das tabelas criadas para as comparar com o que foi
solicitado pela equipe do CREN, com o objetivo de fazer uma validação de que todas as informações solicitadas foram incluídas.
A equipe do projeto encaminhou o arquivo validado para o desenvolvedor no dia 20/12/2018 e no dia 21/12/2018 o desenvolvedor enviou um e-
mail apresentando as tabelas criadas para a equipe do CREN e solicitou que as informações fossem validadas e que caso tudo estivesse correto
eles deveriam enviar um “de acordo” para que a próxima etapa pudesse ser iniciada.
A equipe do CREN retornou o e-mail no mesmo dia com o “de acordo” para as tabelas criadas e questionaram quando que haveria a próxima
reunião online. O desenvolvedor entrou em contato via telefone com a equipe do CREN e informou a próxima etapa se iniciaria no dia 23/12/2018 e
que a próxima reunião seria no dia 04/02/2019. Aproveitando a ligação, a Gislei da equipe do CREN informou ao desenvolvedor que ele poderia

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

dar continuidade com o desenvolvimento da ferramenta e que provavelmente a nova diretora entraria no acompanhamento do projeto em fevereiro
e destacou que caso a diretora não pudesse participar da reunião do dia 04/02/2018, o desenvolvimento da próxima etapa poderia ser iniciado
mesmo sem a aprovação e que a nova Diretora seria apresentada para a equipe de projetos através de uma reunião assim que possível.
http://www.cren.org.br/sobre_cren
http://www.cren.org.br

O desenvolvedor assim que finalizou a ligação com a equipe do CREN, agendou um call com toda a equipe do projeto para a noite do mesmo dia,
solicitando a presença de todos para que discutissem sobre a saída da Diretora de RH do CREN, das orientações que a Gislei repassou e para
avaliarem os possíveis impactos que o projeto poderia sofrer.
http://cren-al.org.br
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/sobre_cren
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos

Na mesma noite do dia 23/12/2018, todos os membros da equipe do projeto participaram do call e optaram em não solicitar uma nova reunião com
a equipe do CREN neste momento devido a necessidade da instituição se adaptar à nova rotina sem ter uma Diretora de RH (temporariamente).
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://pt.wikipedia.org/wiki/Project_Management_Body_of_Knowledge
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

O desenvolvedor continuou a criação da ferramenta e no dia 02/02/2019, ele contatou a Gislei para agendar uma nova reunião, porém ele foi
informado que devido a nova Diretora acabará de ter sido contratada, o desenvolvimento da ferramenta poderia ser continuado e que após a
finalização das telas de consulta dos dados do funcionário e de controle de férias. Uma reunião deveria ser agendada com a participação da nova
diretora do RH.
Após esta conversa, o desenvolvedor notificou todos os membros da equipe do projeto, pois todos deveriam participar da reunião que ocorreria,
com o objetivo de se preparem para uma possível alteração no projeto.
No dia 06/04/2019 às 14:00 horas, a equipe do Projeto e a equipe do RH CREN se reuniram online através do Skype para conversar sobre o
desenvolvimento da ferramenta e quais seriam os próximos passos. Durante a reunião foi apresentada a Camila que se tornou a nova diretora do
RH do CREN e a mesma fez suas observações sobre a ferramenta, solicitou para que a parte desenvolvida relacionada ao controle de férias
deveria ser retirada da ferramenta e que o sistema não deveria mais ter a parte de Cadastro de dados complementares do funcionário. No caso
houve uma grande discussão sobre o assunto e devido a nova estratégia do RH do CREN, a ferramenta deveria funcionar apenas baseada nos
dados do funcionário já elaborada, porém a mesma pediu que a tela de relatório deveria ser feita de uma forma a qual qualquer dado desejado
fosse selecionado e que o relatório deveria ser dinâmico, ou seja, o que for filtrado na tela de consulta e selecionado na tela de geração do
relatório deveria gerar um arquivo em Excel.
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

No final da reunião a equipe do projeto concordou com as mudanças solicitadas pela diretora do CREN, informando que as alterações seriam
realizadas e que o teste da interface da ferramenta ocorreria no dia 04/05/2019, conforme o planejado no início do projeto. A Camila aceitou os
termos sobre quando ela poderia efetuar os testes e avisou que caso ela identifica-se mais algum ponto a ser alterado no projeto ela nos avisaria.
http://www.cren.org.br/noticias

Até o dia 02/05/2019, o RH do CREN não solicitou mais nenhuma alteração no projeto, por este motivo a reunião, a equipe do projeto agendou por
e-mail uma reunião para o dia 04/05/2019 às 14:00, tendo como foco os testes da interface da ferramenta. Neste dia o desenvolvedor, o analista
de implantação e o de qualidade foram até a instituição o CREN para efetuar a ativação do protótipo da ferramenta para os testes.
Todos os testes foram realizados no mesmo dia, devido a quantidade de itens da ferramenta que permaneceu e o resultado superou as
expectativas da equipe do CREN. Assim a equipe do projeto recebeu um de acordo de forma tácita da ferramenta a reunião foi encerrada e o
desenvolvedor informou a todos que iria compilar a ferramenta para que a mesma não tivesse código aberto, que o analista de treinamento iniciaria
a criação do documento e os disponibilizaria no dia da implantação da ferramenta, sendo que o mesmo iria acompanhar também a implantação na
instituição pois o mesmo aplicaria o treinamento para a equipe do CREN assim que a ferramenta estivesse disponibilizada.
https://www.ufg.br/e/21842-evento-discute-a-politica-nacional-de-biocombustiveis
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

Conforme o acordado entre as equipes a visita para implantação do sistema contaria com todos os membros da equipe do projeto e foi agendada
para o dia 11/05/2019 através de e-mail.
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
https://artia.com/blog/processos-de-gerenciamento-de-projetos-conheca-os-5-grupos
https://bsbr.com.br/gerenciamento-de-projetos-sucesso

No dia 11/05/2019 às 14:00, todos os membros da equipe do projeto foram até a instituição CREN para acompanhar a implantação do sistema.
Tudo ocorreu conforme o planejado e assim que o sistema foi implantado, o analista de treinamento iniciou a explicação do funcionamento de toda

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

a ferramenta e disponibilizou o manual do usuário. Desta forma, concluímos a entrega do projeto em questão.
http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/subplan/gempar/manual.pdf
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/noticias

Criações de artefatos Fictícios:


Encaminhamento do arquivo pelo CREN e a devolução do arquivo contendo informações
Ata da reunião do dia 25/10/2018 contendo aceite do DESIGN
E-mail contendo de acordo do banco de dados
Ata contendo de acordo da entrega do sistema

3.4.1 Gerenciamento de escopo


Com o término da TAP – Termo de Abertura do Projeto (Apêndice B) e as definições de comunicação, o plano de gerenciamento de escopo teve
seu início. O PGE – Plano de Gerenciamento de Escopo (Apêndice F) foi criado para entendermos como seria tratado todo fluxo de trabalho a ser
realizado em seu planejamento. Já o PGRE – Plano de Gerenciamento de Requisitos (Apêndice G) foi elaborado com a função de definir critérios
para obter os requisitos do projeto de maneira mais concisa. Em conjunto com esse plano utilizamos a metodologia “User Stories”, que nada mais
é do que uma estrutura que consideramos essencial para obter esses requisitos. Com eles prontos podemos utilizá-los como apoio para
elaboração da MMR - Matriz de Rastreabilidade de Requisitos (Apêndice U) onde os transformamos em entregas, funcionalidades, pacotes e
classificamos o que é de fato imprescindível para o projeto com a metodologia “MSCW”. A partir disso elaboramos a DEP – Declaração de Escopo
do Projeto (Apêndice N) onde retiramos da MMR apenas as entregas “must have”, essenciais para realização do projeto.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25
http://www.arquivistasbahia.org/3sba/wp-content/uploads/2011/09/Oliveira-Provedel.pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Com todos esses documentos elaborados os utilizamos como apoio para criar o que consideramos o mais importante em todo planejamento do
projeto, no que se refere ao escopo. Estes são o documento EAP – Estrutura Analítica do Projeto (Apêndice O) e o DEAP – Dicionário da EAP
(Apêndice Q), este último sendo o documento de apoio para o entendimento do primeiro. EAP é um documento que possuí todas funcionalidades,
entregas e pacotes de trabalho do projeto, contendo só o que de fato é essencial para sua realização (como já havia sido citado na DEP). Porém,
nesse caso, é ilustrado em forma de organograma e auxilia no seu entendimento.
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022007000200012
https://www.euax.com.br/2018/12/eap-estrutura-analitica-projeto

Após a finalização desses documentos foi consolidado o Plano de Gerenciamento do Escopo. Com essa realização foi percebido que o
conhecimento sobre o produto que estávamos desenvolvendo foi ampliado em uma grande escala. No entanto, esses documentos foram alterados
constantemente durante o nosso projeto, devido as grandes mudanças no escopo inicial. Os documentos nos apêndices são do planejamento
inicial e os documentos atualizados se encontram em anexo.
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc

3.4.2 Gerenciamento de recursos e organização da equipe


O gerenciamento dos recursos e organização da equipe se deu de acordo com as atividades que foram designadas no momento da criação do
plano de Gerenciamento de Recursos Apendice(xxx), nesse documento foram especificadas as atividades de cada membro do grupo e quando
cada membro seria alocado ao projeto e por quanto tempo seria alocado.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://docplayer.com.br/4523737-Gerenciamento-de-escopo-em-projetos.html
http://www.pidcc.com.br/artigos/032013/ebook_04.pdf
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

O gerenciamento dos recursos está atrelado ao calendário dos recursos Apêndice (XX) e ao cronograma do projeto, com ele foi possível a
verificação de quantos recursos estavam alocados no projeto no mesmo período e poder validar os custos do projeto ao longo do período de
desenvolvimento.
https://brasil.pmi.org/brazil/KnowledgeCenter/Articles/~/media/C1CEEAF8C9364BAA9FAB0D7F2B92203F.ashx
http://univille.edu.br/community/biblioteca_universitaria/VirtualDisk.html/downloadDirect/498994
https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/envelhecimento-humano_ebook.pdf

3.4.3 Gerenciamento de custos e financiamento do projeto


https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

https://www.euax.com.br/2018/08/o-que-e-gestao-de-projetos
http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219236.pdf

O Gerenciamento das aquisições do projeto foi realizado conforme a orientação do professor em aula, seguindo as melhores praticas do guia
PMBOK Sexta Edição. O gerenciamento das aquisições do projeto é um aglomerado de processos que tem por objetivo principal obter um produto
ou serviço. O gerenciamento de aquisições é um processo que interage bastante com diversos outros processos gestão, durante a vida do projeto.
https://www.euax.com.br/2018/08/o-que-e-gestao-de-projetos
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219236.pdf
https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve

Uma das principais saídas é o Plano de Gerenciamento de Aquisições (Apêndice AG). Nele são documentadas as informações que irá instruir todo
o desenvolvimento das atividades relacionadas às aquisições. Este plano segue a descrição dos objetivos do mesmo, as responsabilidades dos
envolvidos, as normas a serem verificadas para as aquisições e as rotinas para administração do contrato.
http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219236.pdf
https://pt.scribd.com/document/51158870/Gerenciamento-de-Aquisicoes-em-Projetos
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/712
https://www.passeidireto.com/arquivo/21329153/forum-a-gerenciamento-de-projetos/3

Durante a implementação desse processo foi criado a Planilha de Controle de Aquisições (Apêndice AH), que abrange garantir o controle do
produto adquirido, seguindo os requisitos propostos pelo Plano de Gerenciamento das aquisições. Esses documentos foram criados com dados
fictícios, pois não foi necessário a aquisição de nenhum insumo para o desenvolvimento, o desenvolvimento foi feito com o Microsoft Access e
utilizamos o servidor do CREN para hospedar a aplicação.
http://www.cren.org.br

3.4.4 Gerenciamento da Qualidade


O desenvolvimento do plano de Gerenciamento da Qualidade (Apêndice AF) foi desenvolvido conforme a orientação do professor em aula,
seguindo as melhores praticas do guia PMBOK Sexta Edição. O gerenciamento da qualidade, busca assegurar que o projeto atinja as
necessidades do cliente e envolve todas atividades do projeto por todo o seu ciclo de vida, obtendo assim, satisfação do cliente e sucesso do
projeto.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://escritoriodeprojetos.com.br/gerenciamento-da-qualidade-do-projeto
https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos

Os principais processos adotados foram:


Planejar o gerenciamento da qualidade: Significa identificar os requisitos da qualidade do projeto e do produto, documentar o modo em que o
projeto atinge a conformidade.
https://brainly.com.br/tarefa/21095821
https://escritoriodeprojetos.com.br/gerenciamento-da-qualidade-do-projeto
https://escritoriodeprojetos.com.br/planejar-o-gerenciamento-da-qualidade
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013

Gerenciar a qualidade: Executar o plano de gerenciamento da qualidade para certificar que os requisitos da qualidade estão sendo utilizados.
https://escritoriodeprojetos.com.br/gerenciamento-da-qualidade-do-projeto
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos
https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://livrosdeamor.com.br/documents/prominp-tecnicas-de-planejamento-e-controle-5c2850db3a109

Controlar a qualidade: É o processo de monitorar e controlar os registros dos resultados da execução das atividades da qualidade, para avaliar a
performance e caso necessário realizar mudanças.
https://escritoriodeprojetos.com.br/gerenciamento-da-qualidade-do-projeto
https://brainly.com.br/tarefa/21095821
https://escritoriodeprojetos.com.br/planejar-o-gerenciamento-da-qualidade
https://artia.com/blog/processos-de-gerenciamento-de-projetos-conheca-os-5-grupos

3.4.5 Gerenciamento dos Riscos


Para o gerenciamento de riscos do projeto mais assertivo criamos o PGR – Plano de gerenciamento de riscos (Apêndice P), onde, tratamos de

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

como vamos registrar os riscos identificados e como vamos tratar e acompanhar esses riscos durante todo o projeto. O documento conta com uma
série de informações para os identificar, classificar, priorizar e como tratá-los durante o desenvolvimento do projeto. Já para os riscos identificados
criamos um documento chamado RR – Registro de Riscos, onde, além de registrar os eventos, denominados os riscos, fizemos análises
quantitativas e qualitativas e um plano de resposta a cada um, a fim de mitigar, escalonar ou mesmo aceitar os que foram apontados.
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://movimentoimpactoglobal.com.br/gestao-de-projetos-o-que-e
http://www.arquivistasbahia.org/3sba/wp-content/uploads/2011/09/Oliveira-Provedel.pdf
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Para identificação dos riscos utilizamos o tempo em sala de aula proporcionado para essa finalidade e fizemos reuniões semanais com duração de
meia hora. Esse mesmo tempo foi dedicado para o preenchimento do nosso registro de riscos. Após estar finalizado, recebemos algumas
informações a acrescentar ao documento, importantes na disciplina de integração, que seriam o início do seu monitoramento e a data onde se
expira, essenciais para gerar KPIS.
A área de conhecimento sobre Gerenciamento de riscos iniciou-se já em 2019, na reta final do curso. Por conta disso, a documentação gerada não
foi de fato aplicada durante o desenvolvimento do projeto. Sendo assim, vale ressaltar que o documento está preenchido somente para fins de fins
acadêmicos.
https://www.ufg.br/e/21842-evento-discute-a-politica-nacional-de-biocombustiveis

3.5 Encerramento
Após a entrega e acompanhamento do EasyHR foi documentado o encerramento do projeto utilizando o Termo de Aceite da Entrega TAE
(Apêndice AI), onde a equipe do projeto e a os responsáveis do CREN declararam que o sistema atendia as necessidades especificadas no início
do trabalho e declararam o projeto como encerrado.
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-from-home-jobs/fortune-500-work-at-home-it-runs-the-laconica-microblogging-software
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

Do ponto de vista dos processos do PMBOK todas as tarefas referentes ao monitoramento e controle todas as tarefas foram executas dentro das
especificações acordadas no detalhamento do escopo e seguindo o cronograma do projeto.
Como o projeto foi desenvolvido de forma voluntária pelo time do projeto e não houve nenhuma aquisição durante o projeto nenhum contrato
precisou ser encerrado e nenhum outro vinculo precisou ser rescindido.
http://portal.esocial.gov.br/manuais/mos-v.2.4.02-publicado.pdf

Após a conclusão do projeto o time do projeto se reuniu para realizar uma reunião de encerramento de encerramento do projeto aonde foi
concluído o documento de Lições Aprendidas LA (Apêndice Z).
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-from-home-jobs/fortune-500-work-at-home-it-runs-the-laconica-microblogging-software
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

Após o termino do projeto foi elaborado o Termo de Encerramento do Projeto TEP (Apêndice AJ), esse documento declara que todas as atividades
foram executadas e todos os integrantes da equipe do projeto foram desmobilizados, com isso todas as atividades do projeto foram encerradas.
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/subplan/gempar/manual.pdf
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://robsoncamargo.com.br/blog/Termo-de-abertura-de-projeto-saiba-tudo-sobre-ele

Gerenciamento dos Riscos

4 4 CONSIDERAÇÕES GERAIS OU FINAIS


O objetivo desse trabalho foi verificar se as melhores práticas no gerenciamento de projetos podem ser aplicadas e agregar valor aos mais
distintos projetos de diferentes áreas. Para tal o grupo do projeto propôs ao CREN uma parceria aonde foi identificado uma problema existente na
instituição e o mesmo seria abordados com o uso das praticas do Guia PMBOK 6ª Edição.
Esse trabalho foi desenvolvido com o intuito de resolver um problema que tinha um impacto direto nas atividades do RH do CREN aonde
utilizamos o Microsoft Access e a programação em VBA para o desenvolvimento, foi muito gratificante ver que pudemos desenvolver uma
aplicação que pode solucionar um problema real e teve um impacto imediato na execução das rotinas do RH. Com os conhecimentos adquiridos
no curso de pós-graduação foi possível desenvolver um projeto aplicando as melhores práticas no gerenciamento de Projetos, com o
desenvolvimento desse trabalho a equipe do projeto conseguiu abranger todos os processos do Guia PMBOK 6ª edição.

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

O desenvolvimento desse projeto possibilitou a todos os elementos do time do projeto a utilização das melhores práticas, conhecidas
mundialmente para o gerenciamento de projetos e possibilitando gerar artefatos que anteriormente não eram conhecidos por todos os integrantes.
Foi possível também conhecer quais são os objetivos e desafios do CREN, com isso aprendemos sobre os problemas que são causados pela
obesidade e desnutrição infantil.
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-pmbok
https://blogdaqualidade.com.br/o-gerenciamento-de-escopo-estrutura-analitica-de-projetos-eap

4.1 Limitações do trabalho


Esse trabalho está limitado ao desenvolvimento de um programa de extração de dados do Banco para poder elaborar relatórios e enviar dados
para a contabilidade, não foi contemplado nenhuma outra forma de input de dados que não através das planilhas com Layout já determinado e
acordado entre às partes todo o desenvolvimento foi feito por um integrante do Grupo que é especialista em desenvolvimento de software, foi
disponibilizado para o CREN o código fonte e o CREN é o responsável pela manutenção do software assim como para futuras melhorias e
customizações são de responsabilidade da instituição.

4.2 Sugestões para estudos futuros


O CREN é uma instituição que tem uma serie de necessidades de projetos que podem melhorar os seus processos e aumentar a sua capilaridade
podendo firmar parcerias com as Unidades Básicas de Saúde de diversas cidades podendo apoiar as comunidades no combate dos déficits
alimentares infantis como obesidade e desnutrição. A utilização de processos do PMBOK 6ª edição foi importante para estrutura de dar visibilidade
ao CREN na área de gerenciamento de projetos, como estudo futuro propomos que seja feito uma abordagem de metodologia podendo assim ter
mais clareza com o escopo, cronograma e riscos dos projetos, assim gerando KPIs para que o CREN possa medir a efetividade das ações que
foram desempenhadas nos projetos .

REFERÊNCIAS
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 21500: Orientações sobre gerenciamento de projeto. Rio de Janeiro: ABNT, 2012.
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-70772004000300006
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022007000200012

AUDY, J. SCRUM 360 - Um Guia Completo e Prático de Agilidade. Porto Alegre: Casa do Código, 2015.
CAJUEIRO, R. L. P. Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos: guia prático do estudante. Petrópolis: Vozes, 2012.
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-70772004000300006

DEWEY, J. Vida e educação. São Paulo: Abril Cultural, 1980. Coleção os pensadores.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2010.
KERZNER, H. Gerenciamento de Projetos: uma abordagem sistêmica para planejamento, programação e controle. São Paulo: Blucher, 2011.
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
https://pt.scribd.com/document/370889097/Analise-de-Risco-Em-Obras-de-Reabilitacao
http://www.redalyc.org/jatsRepo/4777/477750803010/html/index.html
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

MEDEIROS, J. B. Redação Cientifica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2004.
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022007000200012

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo
Hamburgo: Feevale, 2013. Disponível em: http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/E-
book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf Acesso em: 03 de dezembro de 2018.
SENAC. Centro Universitário Senac – Rede de Bibliotecas. Guia de normalização de monografias, dissertações e teses. (Versão revisada em
12/2014) Disponível em: http://www3.sp.senac.br/hotsites/campus_santoamaro/cd/arquivos/biblioteca/guia_normatizacao.pdf Acesso em: 03 de
dezembro de 2018.
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://www.escavador.com/sobre/4851353/francisco-lopes-de-aguiar
http://www.ufvjm.edu.br/biblioteca/manual-de-normalizacao.html
https://fbb.br/biblioteca/publicacoes-disponiveis

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

SEVERINO, A. C. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

BHBIT. (12 de 09 de 2016). BHBIT. Acesso em 26 de 06 de 2018, disponível em www.bhbit.com.br: https://www.bhbit.com.br/gestao/gestao-de-


projetos-do-terceiro-setor/
http://www.htmlhelp.com/reference/html40/entities/special.html

CANDIDO, R. (2012). Gerenciamento de Projetos. Curitiba: Aymará.


EMPLOYER. (2017). EMPLOYERRH. Acesso em 20 de 06 de 2018, disponível em http://employer.com.br/: http://employer.com.br/blog/ti-e-rh-
entenda-os-beneficios-dessa-uniao/
FARIAS, L. (02 de 09 de 2015). A Importância De Tirar Férias. Fonte: www.rhportal.com.bR: http://www.rhportal.com.br/artigos-rh/a-importncia-de-
tirar-frias/
FILANTROPIA. (21 de 09 de 2004). FILANTROPIA. Acesso em 17 de 06 de 2018, disponível em http://www.filantropia.org:
http://www.filantropia.org/OqueeTerceiroSetor.htm
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-from-home-jobs/fortune-500-work-at-home-it-runs-the-laconica-microblogging-software
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

FILHO, A. (2010). ERTIFICAÇÃO PMP: BENEFÍCIOS PARA OS GERENTES DE PROJETOS. Acesso em 22 de 06 de 2018, disponível em
http://fsd.edu.br: http://fsd.edu.br/revistaeletronica/arquivos/7Edicao/artigo38.pdf
FINOCCHIO, J. (17 de 02 de 2014). Project Management Canvas, com José Finocchio Jr. Acesso em 19 de 06 de 2018, disponível em
http://papogp.com: http://papogp.com/2014/02/project-canvas-finocchio/
FURTADO, M. (2015). Os principais riscos de não controlar as férias de funcionários. Acesso em 20 de 06 de 2018, disponível em
http://blog.convenia.com.br/: http://blog.convenia.com.br/os-principais-riscos-de-nao-controlar-as-ferias-de-funcionarios/
http://www.htmlhelp.com/reference/html40/entities/special.html

LIMA, A. (15 de 12 de 2014). REGISTRO DE PONTO ELETRÔNICO: MAIS VANTAGENS E SEGURANÇA. Acesso em 19 de 06 de 2018,
disponível em www.administradores.com.br: http://www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/registro-de-ponto-eletronico-mais-vantagens-e-
seguranca/83387/
http://www.htmlhelp.com/reference/html40/entities/special.html

MARCON, D. (02 de 09 de 2015). RH PORTAL. Acesso em 20 de 06 de 2018, disponível em http://www.rhportal.com.br/:


http://www.rhportal.com.br/artigos-rh/a-importncia-de-tirar-frias/
MARCONDES, A. (2017). Uma breve história de gerenciamento de projetos. Acesso em 20 de 06 de 2018, disponível em http://pmimt.org.br:
http://pmimt.org.br/site/index.php/artigo/vis/4
MARCONDES, D. (30 de 12 de 2015). Direito a férias completa 90 anos no Brasil. Acesso em 18 de 06 de 2018, disponível em
https://www1.folha.uol.com.br: https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/12/1724442-direito-a-ferias-completa-90-anos-no-brasil-veja-historico-
e-regras-atuais.shtml
MILDEBERGER, D. (23 de 03 de 2011). A EVOLUÇÃO DA ÁREA DE RECURSOS HUMANOS FRENTE AO AMBIENTE DE MUDANÇAS
ORGANIZACIONAIS. Acesso em 19 de 06 de 2018, disponível em http://www.administradores.com.b:
http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-
organizacionais/53514/
https://administradores.com.br/artigos/a-evolucao-da-area-de-recursos-humanos-frente-ao-ambiente-de-mudancas-organizacionais
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/administracao/lideranca-o-desafio-na-gestao-de-pessoas/11828
http://www.htmlhelp.com/reference/html40/entities/special.html

MORAES, M. (30 de 10 de 2015). https://pmisp.org.br. Acesso em 26 de 06 de 2018, disponível em PMISP: https://pmisp.org.br/document-


repository/artigos-e-news/131-19-gestao-de-projetos-interinstitucionais-no-terceiro-setor-o-modelo-de-sucesso-aplicado-no-conviva-educacao/file
PIMENTA, R. (01 de 11 de 2011). ELÓGIO DE PONTO: O ENCONTRO DA TRADIÇÃO COM A INOVAÇÃO. Acesso em 17 de 06 de 2018,
disponível em http:\\www.administradores.com.br: http: //www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/relogio-de-ponto-o-encontro-da-tradicao-
com-a-inovacao/59467/
https://culturaeviagem.wordpress.com/2015/07/09/viagem-cultural-europa-2016-o-encontro-da-tradicao-com-a-inovacao
http://www.rbgdr.com.br/revista/index.php/rbgdr/article/view/2127
https://administradores.com.br/artigos/relogio-de-ponto-o-encontro-da-tradicao-com-a-inovacao
https://www.porsche.com/brazil/pt/models/911/911-carrera-models-1/911-carrera-4s

PMI. (2017). Guia PMBOK: Um guia do conhecimento em Gerenciamento de Projetos. 6. ed. Pensilvania (EUA): PMI.
https://escritoriodeprojetos.com.br/profissao-de-gerenciamento-de-projetos
https://www.academia.edu/4043519/Um_Guia_do_Conhecimento_Em_Gerenciamento_de_Projetos_Guia_Pmbok_4a_Ed_2012
https://pmkb.com.br/wp-content/uploads/2016/04/a-importancia-do-gerenciamento-de-projetos-em-tempos-de-crise.pdf
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/972

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

PROJECT BUILDER. (08 de 02 de 2017). PROJECT BUILDER. Acesso em 26 de 06 de 2018, disponível em www.projectbuilder.com.br:
https://www.projectbuilder.com.br/blog/gestao-de-projetos-no-terceiro-setor-como-contornar-as-dificuldades/
RICARDI, A. (2017). EasyPMDOC - Easy Project Management Documentation - 6ª edição – 2017. Acesso em 15 de 04 de 2018, disponível em
http://www.easybok.com.br: http://www.easybok.com.br/downloads/planilha-easypmdoc-6-edic-o/
SANTIAGO, E. (s.d.). Férias. Fonte: https://www.infoescola.com: https://www.infoescola.com/direito/ferias-direito-do-trabalho/
SEBRAE. (13 de 11 de 2017). O que é Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP. Fonte: http://www.sebrae.com.br/:
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/oscip-organizacao-da-sociedade-civil-de-interesse-
publico,554a15bfd0b17410VgnVCM1000003b74010aRCRD
https://www.jusbrasil.com.br/artigos/busca?q=Oscip+%28organiza%C3%A7%C3%A3o+da+sociedade+civil+de+interesse+p%C3%BAblico%29
https://pt.wikipedia.org/wiki/Organização_não_governamental
https://pt.wikipedia.org/wiki/Organiza%C3%A7%C3%A3o_da_Sociedade_Civil_de_Interesse_P%C3%BAblico
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/oscip-organizacao-da-sociedade-civil-de-interesse-
publico,554a15bfd0b17410VgnVCM1000003b74010aRCRD

SIGNIFICADOS. (15 de 04 de 2018). www.significados.com.br. Acesso em 22 de 06 de 2018, disponível em SIGNIFICADOS:


https://www.significados.com.br/terceiro-setor/
TECLÓGICA. (14 de 11 de 2017). Vantagens de ter uma comunicação centralizada em sua empresa. Acesso em 22 de 06 de 2018, disponível em
https://blog.teclogica.com.b: https://blog.teclogica.com.br/vantagens-da-comunicacao-centralizada/
https://blog.teclogica.com.br/vantagens-da-comunicacao-centralizada

TERCEIRO SETOR. (14 de 08 de 2014). http://terceiro-setor.info. Acesso em 27 de 06 de 2018, disponível em TERCEIRO SETOR: http://terceiro-
setor.info/o-que-e-terceiro-setor.html
WATANABE. (12 de 21 de 2004). http://www.ebanataw.com.br. Acesso em 2018 de 06 de 22, disponível em EBANATAW:
http://www.ebanataw.com.br/roberto/ong/tsetor.htm
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

>

APENDICES
APÊNDICE A – BUSINESS CASE

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE A – BUSINESS CASE

APÊNDICE B – TERMO DE ABERTURA DO PROJETO


https://robsoncamargo.com.br/blog/Termo-de-abertura-de-projeto-saiba-tudo-sobre-ele
https://www.trf5.jus.br/downloads/GP02_TAP.doc
http://univille.edu.br/community/biblioteca_universitaria/VirtualDisk.html/downloadDirect/498994
https://pt.slideshare.net/profmarcocoghi/projeto-de-usina-de-gerao-de-energia-eltrica-solar

Projeto CREN - EasyRH

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE B – TERMO DE ABERTURA DO PROJETO


TAP - Termo de Abertura do Projeto
https://www.trf5.jus.br/downloads/GP02_TAP.doc
https://www.projectbuilder.com.br/blog/o-que-e-o-termo-de-abertura-do-projeto
https://robsoncamargo.com.br/blog/Termo-de-abertura-de-projeto-saiba-tudo-sobre-ele

(Project Charter)

Projeto: CREN - Melhorias RH

1. Finalidade do Projeto
Desenvolvimento de um sistema que consolide e gere relatórios dos dados dos funcionários, dados do ponto eletrônico e dados de férias.

2. Objetivos mensuráveis do projeto e critérios de sucesso relacionados


http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://docplayer.com.br/4523737-Gerenciamento-de-escopo-em-projetos.html
https://www.devmedia.com.br/guia-pmbok-gerenciamento-da-integracao/29154
https://www.devmedia.com.br/gerenciamento-da-integracao-segundo-o-pmbok/27359

2.1 Desenhar um sistema que seja auto intuitivo, simples e prático


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

2.2 Desenvolver um módulo dentro do sistema que efetue o import dos dados em txt e que consolide as informações
2.3 Montar uma tela que consiga cadastrar os dados complementares dos funcionários
2.4 Montar uma tela para consultar os dados do funcionário, ponto eletrônico e das férias
2.5 Montar uma tela que efetue o export da consulta realizada
2.6 Aplicar treinamento sobre a ferramenta desenvolvida
2.7 Implantar o sistema em dois computadores do RH CREN

3. Requisitos de alto nível


3.1 Que o sistema seja auto intuitivo
3.2 Módulo que efetue o import dos dados em txt
3.3 Tela de cadastro de dados complementares dos funcionários
3.4 Tela de consulta
3.5 Tela de relatórios
3.6 Montagem e aplicação do treinamento do sistema
3.7 Implantação do sistema

4. Descrição de alto nível do projeto, seus limites e entregas-chave


https://www.slideshare.net/JoseBezerra1/profjosebezerratreinamentopmpcapmbsbrmodulo4gerintegracao
http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

Implantar o sistema em 2 computadores do RH CREN

5. Risco geral do projeto (vide CRGP)


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

6. Resumo do cronograma de marcos


6.1 Canvas
6.2 Escopo
6.3 Planejamento
6.4 Monitoramento e controle
6.5 Execução
6.6 Entrega e encerramento do projeto

7. Recursos financeiros pré-aprovados


Inicialmente sem custo estimulado (Contrato Voluntariado)

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

8. Lista das partes interessadas chave


8.1 Adriano Teles Dos Santos
8.2 Bruno Trevizam de Almeida
8.3 Dennis Pedrassoli Santos
8.4 Diego Nunes Aragão
8.5 Ismar Zito do Nascimento Filho
8.6 Thiago Massari Epiphanio Silva
8.7 Gislei Alves Duarte (RH CREN)
8.8 Monica Curi Ventura Salle (RH CREN)

9. Requisitos para aprovação do projeto


9.1 Aprovação das partes interessadas
9.2 Informações necessárias sobre RH
9.3 Escopo

10. Critérios para término do projeto


10.1 Que o sistema desenvolvido atinja os objetivos propostos
10.2 Que o sistema seja implantando em 2 pc do RH CREN

11. Gerente do Projeto, responsabilidade e nível de autoridade


https://docplayer.com.br/4523737-Gerenciamento-de-escopo-em-projetos.html
http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx
https://www.academia.edu/4043519/Um_Guia_do_Conhecimento_Em_Gerenciamento_de_Projetos_Guia_Pmbok_4a_Ed_2012

Thiago Massari
Responsabilidades: Liderança no projeto, coordenar a equipe
Autoridade: Total

Obs. Existe Rotatividade entre os membros do grupo de TCC

12. Nome e autoridade do patrocinador ou autorizador do TAP


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

Monica Curi Ventura Salle (Diretora RH CREN)

Assinatura do responsável pela autorização do início do Projeto


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1508/easybok-template-tap-pmbok-6ed-vers_o_2017-09.docx

Nome do responsável pela autorização do início do Projeto


http://www.gestaoporprocessos.com.br/wp-content/uploads/2014/06/easypmdoc_5ed_2013_v5_13.xlsx

APÊNDICE C – REGISTRO DE PREMISSAS

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE C – REGISTRO DE PREMISSAS

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE D – REGISTRO DAS PARTES INTERESSADAS


https://escritoriodeprojetos.com.br/registro-das-partes-interessadas

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE D – REGISTRO DAS PARTES INTERESSADAS


https://escritoriodeprojetos.com.br/registro-das-partes-interessadas

ID Nome Tipo Organização Posição na Organização


1 Ismar Nascimento Interna Senac Aluno
2 Thiago Massari Epiphanio Silva Interna Senac Aluno
3 Bruno Trevizam de Almeida Interna Senac Aluno
5 Adriano Teles Dos Santos Interna Senac Aluno
6 Diego Nunes Aragão Interna Senac Aluno
7 Dennis Pedrassoli Santos Interna Senac Aluno
8 Monica Curi Ventura Salle Externa CREN Financiero
9 Gislei Alves Duarte Externa CREN Técnica Admministrativa
10 Ana Claudia do Nascimento Externa CREN Diretora
11 Gestores Externa CREN Gestores
12 Funcionários Externa CREN Operacionais
13 Comunidade Externa CREN Cliente
14 Pacientes Externa CREN Cliente

Principal papel no Projeto Principal Responsabilidade no Projeto e-mail Fone


Equipe Gerente de projeto ismar.nascimento@gmail.com
(11)981475544
Equipe Gerente de projeto thiago.massari.e@gmail.com (11)960995250
Equipe Gerente de projeto brunno_tal@hotmail.com (11)941364786
Equipe Gerente de projeto adriano_telesdossantos@hotmail.com (11)985773176
Equipe Gerente de projeto diego.jobs@outlook.com (11)940044187
Equipe Gerente de projeto dnspedrassoli@gmail.com (11)997977361
Cliente Acesso as informações financeiro@cren.org.br (11)982268716
Cliente Acesso as informações adm_vm@cren.org.br (11)992483226
Cliente Acesso as outras áreas do CREN diretoria_adm@cren.irg.br
(11)984553953
Cliente Avaliará o resultado final _ _
Cliente Avaliará o resultado final _ _
Cliente Avaliará o resultado final _ _
Cliente Avaliará o resultado final _ _

Local de Trabalho Principais Requisitos Expectativas


SENAC Obter sucesso no projeto TCC
SENAC Obter sucesso no projeto TCC
SENAC Obter sucesso no projeto TCC
SENAC Obter sucesso no projeto TCC
SENAC Obter sucesso no projeto TCC
SENAC Obter sucesso no projeto TCC
CREN Receber o produto Organização das informações
CREN Receber o produto Organização das informações
CREN Receber o produto Organização das informações
CREN _ Auxiliar nas tomadas de decisões
CREN _ Informações mais rápidas
_ _ Que a instituição sempre tenha uma quantidade de atendentes
_ _ Que a instituição sempre tenha uma quantidade de atendentes

Fase de Maior Influência ou Impacto Observações

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Escrever o trabalho _
Escrever o trabalho _
Escrever o trabalho _
Escrever o trabalho _
Escrever o trabalho _
Escrever o trabalho _
Fornecimento das informações _
Fornecimento das informações _
Facilitar o acesso as pessoas _
Validar Resultado Ainda não participaram do projeto
Avaliação do Resultado Ainda não participaram do projeto
https://www.catalao.ufg.br/n/77818-projeto-basquetebol-em-cadeiras-de-rodas-desenvolvido-na-regional-catalao-tem-destaque-em-campeonatos

Avaliação do Resultado Ainda não participaram do projeto


Avaliação do Resultado Ainda não participaram do projeto
APÊNDICE E – PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://www.catalao.ufg.br/n/77818-projeto-basquetebol-em-cadeiras-de-rodas-desenvolvido-na-regional-catalao-tem-destaque-em-campeonatos

Projeto CREN - EasyRH


https://docplayer.com.br/4523737-Gerenciamento-de-escopo-em-projetos.html

APÊNDICE E – PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO

APÊNDICE F – PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO


https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/19521/1/RodrigoXavierFerreiraDeOliveira_DISSERT.pdf

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE F – PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO


https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/19521/1/RodrigoXavierFerreiraDeOliveira_DISSERT.pdf

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE G – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS REQUISITOS


http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE G – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS REQUISITOS

APÊNDICE H – PLANO DE GERENCIAMENTO DO CRONOGRAMA


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE H – PLANO DE GERENCIAMENTO DO CRONOGRAMA

APÊNDICE I – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS CUSTOS


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

Projeto CREN - EasyRH

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE I – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS CUSTOS

APÊNDICE J – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES


https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013

Projeto CREN - EasyRH


https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013

APÊNDICE J – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

APÊNDICE K – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE K – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE L – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RECURSOS


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE L – PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RECURSOS

APÊNDICE M – LINHA DE BASE DO ESCOPO


http://jkolb.com.br/5-4-s1-linha-de-base-do-escopo
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE M – LINHA DE BASE DO ESCOPO


https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE N – DECLARAÇAO DO ESCOPO DO PROJETO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE N – DECLARAÇAO DO ESCOPO DO PROJETO


http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-from-home-jobs/fortune-500-work-at-home-it-runs-the-laconica-microblogging-software
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

DEP - Declaração do Escopo do Projeto André Ricardi


Versão 7_09
Projeto: CREN - Melhorias RH Set/2017

Descrição do escopo do Produto


O Produto final é um sistema que efetua o import de várias bases de dados, consolida estes dados, complementa os dados, exporta relatórios de
Indicadores de Ponto e de Controle de Férias, ter opções de quais dados serão exportados e que seu design seja auto intuitivo.

Entregas do Projeto
FUNCIONALIDADES ENTREGAS PACOTES DE TRABALHO
1. ANÁLISE DE IMPLANTAÇÃO 1.2 AVALIAÇÃO DE SOFTWARE 1.2.1 VERIFICAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS
1.2.2 VERIFICAÇÃO DO PACOTE OFFICE
1.3 AQUISIÇÃO NECESSÁRIAS 1.3.1 VERIFICAÇÃO DE ITENS NECESSÁRIOS
1.3.2 AQUISIÇÃO DE ITENS QUE NÃO TEMOS NO MOMENTO
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.1 IDENTIFICAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS 2.1.1 IDENTIFICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES
NECESSÁRIAS
2.3 DESIGN DO SISTEMA 2.3.9 VALIDAÇÃO DAS TELAS DO SISTEMA COM O CLIENTE
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.1 CRIAÇÃO DO BANCO DE DADOS 3.1.1 MONTAGEM DAS TABELAS DE ENTRADA
3.1.2 MOTANGEM DAS TABELAS AUXILÍARES
3.1.3 MONTAGEM DAS TABELAS DE SAÍDA
3.1.4 MONTAGEM DAS CONSULTAS AUXILÍARES
3.2 DESENVOLVIMENTO DA TELA INICIAL 3.2.1 CRIAÇÃO DE INTERFACE AUTO INTUITIVA
3.3 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE IMPORT 3.3.1 DESENVOLVIMENTO DA IMPORTAÇÃO DAS BASES
3.5 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONSULTA DE INDICADORES DE PONTO 3.5.1 FILTRO DE DADOS DE INDICADORES DE PONTO
3.5.2 VISUALIZAÇÃO DOS DADOS INDICADORES DE PONTO
3.6 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS 3.6.1 FILTRO DE DADOS DE CONTROLE DE FÉRIAS
3.6.2 CADASTRO DE FÉRIAS
3.6.3 VISUALIZAÇÃO DOS DADOS DOS CONTROLES DE FÉRIAS
3.6.4 ORDENAÇÃO DAS DATAS DE FÉRIAS
3.7 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE RELATÓRIOS 3.7.1 SELEÇÃO DE DADOS PARA O RELATÓRIO (BI)
3.7.2 EXPORTAÇÃO DOS INDICADORES DE PONTO
3.7.3 EXPORTAÇÃO DO CONTROLE DE FÉRIAS
3.8 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE DADOS COMPLEMENTARES 3.8.1 CADASTRO DOS DADOS COMPLEMENTARES DOS
FUNCIONÁRIOS
http://portal.esocial.gov.br/manuais/mos-v.2.4.02-publicado.pdf
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

3.8.2 CONSULTA DOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS


3.8.3 EXPORTAÇÃO TODOS OS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS
5. IMPLANTAÇÃO 5.1 CRIAÇÃO DA ESTRUTURA DE PASTAS 5.1.1 CRIAÇÃO DE REPOSITÓRIO DE IMPORT
5.1.2 CRIAÇÃO DE REPOSITÓRIO DE EXPORT
5.2 IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA 5.2.1 ALOCAÇÃO DO BANCO DE DADOS
5.2.2 ALOCAÇÃO DO SISTEMA
5.2.3 TESTES DE FUNCIONALIDADES DO SISTEMA

Critérios de aceitação das entregas


FUNCIONALIDADES ENTREGAS CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

1. ANÁLISE DE IMPLANTAÇÃO 1.2 AVALIAÇÃO DE SOFTWARE QUE O SISTEMA SEJA EXECUTADO SOB A PLATAFORM EM MICROSOFT
WINDOWS
QUE O SISTEMA SEJA DESENVOLVIDO EM VBA
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.1 IDENTIFICAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS DOCUMENTO COM AS INFORMAÇÕES PRINCIPAIS,
CONFORME ATA 4
2.3 DESIGN DO SISTEMA DOCUMENTO COM ACEITE DE TODAS AS TELAS DESENHADAS, CONFORME ATA 4
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.1 CRIAÇÃO DO BANCO DE DADOS TABELA DE ENTRADA CONFORME LAYOUT DE ENTRADA
TABELAS AUXILIARES CONFORME LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO
TABELAS DE SAÍDA CONFORME LAYOUT DE SAÍDA
CONSULTAS AUXILIARES CONFORME LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO
3.2 DESENVOLVIMENTO DA TELA INICIAL SISTEMA COM INTERFACE AUTO INTUITIVA
3.3 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE IMPORT SISTEMA COM FUNÇÃO DE IMPORTAR AS BASES
3.5 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONSULTA DE INDICADORES DE PONTO TELA DE INDICADOR DE PONTO CONTENDO FILTRO
TELA QUE MOSTRE OS DADOS FILTRADOS DOS INDICADORES
3.6 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS CONTENDO FILTRO
TELA DE CADASTRO DE FÉRIAS
TELA QUE MOSTRE OS DADOS FILTRADOS DOS CONTROLES DE FÉRIAS
TELA QUE MOSTRE O CONTROLE DE FÉRIAS ORDENADO
3.7 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE RELATÓRIOS TELA PARA SELECIONAR OS CAMPOS QUE IRÃO PARA O RELATÓRIO
EXPORTAÇÃO DO INDICADORES DE PONTO
EXPORTAÇÃO DO CONTROLE DE FÉRIAS
3.8 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE DADOS COMPLEMENTARES TELA DE CADASTRO DOS DADOS COMPLEMENTARES DOS
FUNCIONÁRIOS
TELA DE CONSULTA DOS DADOS COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS
EXPORTAÇÃO DOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS
5. IMPLANTAÇÃO 5.1 CRIAÇÃO DA ESTRUTURA DE PASTAS QUE O REPOSITORIO DE ARQUIVOS DE IMPORT SEJA CRIADO,
CONFORME ATA 2
QUE O REPOSITORIO DE ARQUIVOS DE EXPORT SEJA CRIADO, CONFORME ATA 2
5.2 IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA QUE O BANCO DE DADOS FIQUE NO PC CREN, CONFORME ATA 2
QUE O SISTEMA DESENVOLVIDO FIQUE NO PC CREN, CONFORME ATA 2
QUE O SISTEMA DESENVOLVIDO SEJA TESTADO NO PC CREN, CONFORME ATA 2

Exclusões do Projeto
FUNCIONALIDADES ENTREGAS PACOTES DE TRABALHO MoSCoW
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.3 DESIGN DO SISTEMA 2.3.1 DESENHO DA TELA INICIAL S
2.3.2 DESENHO DA TELA DE IMPORT S
2.3.3 DESENHO DA TELA DE DADOS COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS S
2.3.4 DESENHO DA TELA DE CONFIGURAÇÃO S
2.3.5 DESENHO DA TELA DOS INDICADORES DE PONTO S
2.3.6 DESENHO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS S
2.3.7 DESENHO DA TELA DE RELATÓRIOS S
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.3 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE IMPORT 3.3.2 NOTIFICAÇÃO DOS IMPORTS S
3.10 TESTE DA INTERFACE 3.10.1 TESTE DA TELA INICIAL S
3.10.2 TESTE DAS CONFIGURAÇOES S
3.10.3 TESTE DOS IMPORTS S
3.10.4 TESTE DA TELA DE INDICADORES DE PONTO S
3.10.5 TESTE DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS S
3.10.6 TESTE DA TELA DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS S
4. TREINAMENTO 4.1 MONTAGEM DO TREINAMENTO 4.1.1 MONTAGEM TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS S
4.1.2 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE PONTO ELETRONICO S
4.1.3 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE FÉRIAS S
4.1.4 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE INDICADORES S
4.2 APLICAÇÃO DO TREINAMENTO 4.2.1 APLICAÇÃO DO TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS S
4.2.2 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE MÓDULO DE PONTO ELETRÔNICO S
4.2.3 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE MÓDULO DE FÉRIAS S
4.2.4 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE INDICADORES S
1. ANÁLISE DE IMPLANTAÇÃO 1.1 AVALIAÇÃO DE HARDWARE 1.1.1 VERIFICAÇÃO DE ESPAÇO EM DISCO C
1.1.2 VERIFICAÇÃO DE MEMÓRIA NECESSÁRIA C
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.1 IDENTIFICAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS 2.1.2 IDENTIFICAÇÃO DAS BASES NECESSÁRIAS C
2.2 MODELAGEM DO BANCO DE DADOS 2.2.1 LAYOUT DE ENTRADA DE DADOS C
2.2.2 LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO DE DADOS C
2.2.3 LAYOUT DE SAÍDA DOS DADOS C
2.2.4 LAYOUT DE DADOS COMPLEMENTARES C
2.2.5 LAYOUT DE DADOS DE FÉRIAS C
2.2.6 TIPO DE DADOS C
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.7 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE RELATÓRIOS 3.7.4 NOTIFICAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES C
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.3 DESIGN DO SISTEMA 2.3.8 DESENHO DA TELA DE LOG W
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.2 DESENVOLVIMENTO DA TELA INICIAL 3.2.2 SISTEMA COM USUÁRIO E SENHA W
3.2.3 NOTIFICAÇÃO DE LOGIN W
3.4 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONFIGURAÇÕES 3.4.1 CAMINHO DE IMPORTAÇÃO DOS ARQUIVOS W
3.4.2 CAMINHO DE EXPORTAÇÃO DOS ARQUIVOS W
3.4.3 INCLUSÃO DE USUÁRIOS W
3.4.4 EDIÇÃO DE USUÁRIOS W
3.4.5 EXCLUSÃO DE USUÁRIOS W
3.9 DESENVOLVIMENTO DE LOG 3.9.1 TRILHA DE LOGIN W

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

3.9.2 TRILHA DE IMPORT W


3.9.3 TRILHA DE EXPORT W
APÊNDICE O – ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE O – ESTRUTURA ANALÍTICA DO PROJETO


https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/envelhecimento-humano_ebook.pdf
https://www.euax.com.br/2018/12/eap-estrutura-analitica-projeto
https://wiki.redejuntos.org.br/busca/work-breakdown-structure-o-que-e-estrutura-analitica-do-projeto-eap-e-como-usa-la-no

APÊNDICE P - PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RISCOS


http://www.easybok.com.br/downloads/categorias/14-modelos-preenchidos-projeto-exemplo-easyhome/page3

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE P - PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RISCOS

PGRI - Plano de Gerenciamento dos Riscos

Grupo05 - Projeto CREN

1. Metodologia
Para o levantamento de riscos desse projeto utilizaremos como fonte de informação RH do CREN que é o nosso cliente e o desenvolvedor do
banco de dados e do sistema.

2. Papéis e responsabilidades
O principal responsável pelos riscos do Projeto será o Thiago Massari, ele tem vasta experiência com desenvolvimento de sistemas, pois, trabalha
com isso e já participou de projetos semelhantes e também a Analista de Recursos.Humanos que irá identificar riscos em relação a legislações e
também sobre restrições das informações da entidade.

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

3. Financiamento
O orçamento será descrito no Plano de Gerenciamento de recursos.
https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

4. Prazos
Vide anexo cronograma

5. Categorias dos riscos (EAR)

7. Definições de probabilidade e impacto dos riscos


As probabilidades serão tatadas em um intervalo de 0% a 25% com intervalos de 1, 2 3 4 ou 5% entre cada uma delas. E o Impacto será
apresentado da mesma forma.

8. Matriz de probabilidade e impacto

Impacto Baixo
Impacto Médio
Impacto Alto

9. Formatos dos relatórios

Para todos os relatórios serão adotados os modelos das planilhas do easydoc com algumas adaptações

10. Acompanhamento
Toda equipe do projeto deverá ser responsável pela identificação, análise e gerenciamento dos riscos.
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

O gerenciamento e análise de novos riscos seguirão as seguintes etapas:


1 - Identificar, analizar novos riscos.
2 - Classificar os novos riscos identificados

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

3 - Monitorar os riscos.
4 - Monitorar ações de controle dos riscos ou execução de planos de ação.
5 - Monitorar condições para executar planos de contigência
6 - Monitorar as reservas de contigência de custo e cronograma e alterar se necessário.

Impacto Baixo
Impacto Médio
Impacto Alto

APÊNDICE Q – DICIONÁRIO DA EAP

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE Q – DICIONÁRIO DA EAP

APÊNDICE R – LINHA DE BASE DO CRONOGRAMA


http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://sitecampus.com.br/o-que-significa-baseline-de-um-projeto

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE R – LINHA DE BASE DO CRONOGRAMA

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE S – LINHA DE BASE DE CUSTO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE S – LINHA DE BASE DE CUSTO

APÊNDICE T – PLANTERMO DE NOMEAÇÃO DA EQUIPE

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE T – PLANTERMO DE NOMEAÇÃO DA EQUIPE

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE U – DOCUMENTAÇÃO E MATRIZ DE RASTREABILIDADE DE REQUISITOS


https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE U – DOCUMENTAÇÃO E MATRIZ DE RASTREABILIDADE DE REQUISITOS


MATRIX DE RASTREABILIDADE DE REQUISITOS

FUNCIONALIDADES ENTREGAS PACOTES DE TRABALHO USERS STORIES CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO MoSCoW


1. ANÁLISE DE IMPLANTAÇÃO 1.1 AVALIAÇÃO DE HARDWARE 1.1.1 VERIFICAÇÃO DE ESPAÇO EM DISCO EU COMO TECNOLOGIA
CREN, QUERO SABER QUANTO ESPAÇO EM DISCO SERÁ USADO, PARA COMUNICAR AS ÁREAS DE QUANTO ESPAÇO SERÁ USADO
QUE O ESPAÇO EM DISCO USADO SEJA MENOR DO QUE 10GB C
1.1.2 VERIFICAÇÃO DE MEMÓRIA NECESSÁRIA EU COMO TECNOLOGIA CREN, QUERO SABER QUANTO DE MEMÓRIA SERÁ USADO,
PARA COMUNICAR AS ÁREAS DE QUANTO DA MEMÓRIA RAM SERÁ USADO QUE O SISTEMA USE MENOS DO QUE 1GB RAM C
1.2 AVALIAÇÃO DE SOFTWARE 1.2.1 VERIFICAÇÃO DO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS EU COMO DIRETORIA CREN, QUERO
SABER SE O SISTEMA RODARÁ NO SISTEMA OPERACIONAL MICROSFOT WINDOWS, PARA QUE NÃO GERE CUSTOS COMPRANDO
LICENÇAS ADICIONAIS QUE O SISTEMA SEJA EXECUTADO SOB A PLATAFORM EM MICROSOFT WINDOWS M
1.2.2 VERIFICAÇÃO DO PACOTE OFFICE EU COMO DIRETORIA CREN, QUERO SABER SE O SISTEMA SERÁ DESENVOLVIDO EM VBA,
PARA COMUNICAR QUE NÃO SERÁ NECESSÁRIO COMPRAR LICENÇA DO PACOTE OFFICE QUE O SISTEMA SEJA DESENVOLVIDO EM
VBA M
1.3 AQUISIÇÃO NECESSÁRIAS 1.3.1 VERIFICAÇÃO DE ITENS NECESSÁRIOS EU COMO DIRETORIA CREN, QUERO SABER SE EXISTE A
NECESSIDADE DE COMPRAR ALGUM ITEM NECESSÁRIO DOCUMENTO COM A LISTA DE ITENS A SEREM ADQUIRIDOS M
1.3.2 AQUISIÇÃO DE ITENS QUE NÃO TEMOS NO MOMENTO EU COMO DIRETORIA CREN, QUERO SABER SOBRE A AQUISIÇÃO DO
ITENS QUE NÃO TEMOS NO MOMENTO DOCUMENTO COM A LISTA DE ITENS ADQUIRIDOS M
2. PLANEJAMENTO DO SISTEMA 2.1 IDENTIFICAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS 2.1.1 IDENTIFICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES
NECESSÁRIAS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA IDENTIFICADO AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS, PARA QUE SEJA
DOCUMENTADO AS INFORMAÇÕES PRINCIPAIS DOCUMENTO COM AS INFORMAÇÕES PRINCIPAIS, CONFORME ATA 4 M
2.1.2 IDENTIFICAÇÃO DAS BASES NECESSÁRIAS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA IDENTIFICADO AS BASES COM OS CAMPOS
PRINCIPAIS, PARA QUE SEJA DOCUMENTADO AS BASES NECESSÁRIAS DOCUMENTO COM AS BASES NECESSÁRIAS, CONFORME
ATA 4 C
2.2 MODELAGEM DO BANCO DE DADOS 2.2.1 LAYOUT DE ENTRADA DE DADOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO O
LAYOUT DE ENTRADA DOS DADOS, PARA QUE SEJA DOCUMENTADO O LAYOUT DOCUMENTO COM O LAYOUT DE ENTRADA,
CONFORME ATA 4 C
http://www.cm-olhao.pt/en/municipio/comunicacao/noticias

2.2.2 LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO DE DADOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO O LAYOUT DOS DADOS
CONSOLIDADOS, PARA QUE SEJA DOCUMENTADO O LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO DOCUMENTO COM O LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO,
CONFORME ATA 4 C
2.2.3 LAYOUT DE SAÍDA DOS DADOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO O LAYOUT DE SAÍDA DOS DADOS, PARA QUE
SEJA DOCUMENTADO O LAYOUT DE SAÍDA DOCUMENTO COM O LAYOUT DE SAÍDA, CONFORME ATA 4 C
2.2.4 LAYOUT DE DADOS COMPLEMENTARES EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO O LAYOUT DE DADOS
COMPLEMENTARES, PARA QUE SEJA DOCUMENTADO O LAYOUT DE DADOS COMPLEMENTARES DOCUMENTO COM O LAYOUT DE
DADOS COMPLEMENTARES, CONFORME ATA 4 C
2.2.5 LAYOUT DE DADOS DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO O LAYOUT DE DADOS DE FÉRIAS, PARA QUE
SEJA DOCUMENTADO O LAYOUT DE DADOS DE FÉRIAS DOCUMENTO COM O LAYOUT DE DADOS DE FÉRIAS, CONFORME ATA 4 C
2.2.6 TIPO DE DADOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA IDENTIFICADO OS TIPOS DE DADOS, PARA QUE SEJA DOCUMENTADO
DOCUMENTO COM OS TIPOS DE DADOS, CONFORME ATA 4 C
http://portal.esocial.gov.br/manuais/mos-v.2.4.02-publicado.pdf

2.3 DESIGN DO SISTEMA 2.3.1 DESENHO DA TELA INICIAL EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA INICIAL, PARA
AVALIAR SE A INTERFACE INICIAL É AUTO INTUITIVA DESENHO DA TELA INICIAL COM INTERFACE AUTO INTUITIVA, CONFORME ATA 4
S

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

2.3.2 DESENHO DA TELA DE IMPORT EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE IMPORT, PARA SABER OS STATUS
DAS BASES IMPORTADAS DESENHO DA TELA DE IMPORT COM STATUS, CONFORME ATA 4 S
2.3.3 DESENHO DA TELA DE DADOS COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA
DE DADOS COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS, PARA SABER OS DADOS COMPLEMENTARES DESENHO DA TELA DE DADOS
COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS, CONFORME ATA 4 S
http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

2.3.4 DESENHO DA TELA DE CONFIGURAÇÃO EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE CONFIGURAÇÃO, PARA VER
TODAS AS CONFIGURAÇÕES EXISTENTES DESENHO DA TELA DE CONFIGURAÇÃO COM CAMINHOS DE IMPORT E EXPORT,
CONFORME ATA 4 S
2.3.5 DESENHO DA TELA DOS INDICADORES DE PONTO EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE CONSULTA DE
INDICADORES, PARA SABER COMO AS INFORMAÇÕES SERÃO APRESENTADAS DESENHO DA TELA DE INDICADORES DE PONTO COM
FILTROS, CONFORME ATA 4 S
2.3.6 DESENHO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE CONTROLE DE
FÉRIAS, PARA SABER COMO AS INFORMAÇÕES SERÃO APRESENTADAS DESENHO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS COM
FILTROS, CONFORME ATA 4 S
2.3.7 DESENHO DA TELA DE RELATÓRIOS EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE RELATÓRIOS, PARA SABER
COMO SERÁ SELECIONADO OS CAMPOS QUE SERÃO EXTRAÍDOS DESENHO DA TELA DE RELATÓRIOS COM EXTRAÇÃO DE DADOS,
CONFORME ATA 4 S
2.3.8 DESENHO DA TELA DE LOG EU COMO RH CREN, QUERO VER UM ESBOÇO DA TELA DE LOG, PARA SABER COMO SERÁ
APRESENTADA A INFORMAÇÃO DE LOG DESENHO DA TELA DE LOG COM EXEMPLO DE LOG, CONFORME ATA 4 W
2.3.9 VALIDAÇÃO DAS TELAS DO SISTEMA COM O CLIENTE EU COMO RH CREN, QUERO VALIDAR TODAS AS TELA DESENHADAS,
PARA VER SE ESTÃO DE ACORDO COM AS NECESSIDADES EXISTENTES DOCUMENTO COM ACEITE DE TODAS AS TELAS
DESENHADAS, CONFORME ATA 4 M
3. DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA 3.1 CRIAÇÃO DO BANCO DE DADOS 3.1.1 MONTAGEM DAS TABELAS DE ENTRADA EU COMO RH
CREN, QUERO UMA TABELA DE ENTRADA, PARA QUE OS DADOS SEJAM ARMAZENADOS NA TABELAS DE ENTRADA TABELA DE
ENTRADA CONFORME LAYOUT DE ENTRADA M
3.1.2 MOTANGEM DAS TABELAS AUXILÍARES EU COMO RH CREN, QUERO QUE EXISTAM TABELAS AUXILIARES, PARA OS DADOS
SEJAM ALOCADADOS NAS TABELAS AUXILIARES TABELAS AUXILIARES CONFORME LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO M
3.1.3 MONTAGEM DAS TABELAS DE SAÍDA EU COMO RH CREN, QUERO UMA TABELA DE SAÍDA, PARA QUE OS DADOS DE SAÍDA
SEJAM ALOCADOS NA TABELA DE SAÍDA TABELAS DE SAÍDA CONFORME LAYOUT DE SAÍDA M
3.1.4 MONTAGEM DAS CONSULTAS AUXILÍARES EU COMO RH CREN, QUERO QUE EXISTAM CONSULTAS AUXILIARES, PARA QUE OS
DADOS SEJAM ORGANIZADOS CONSULTAS AUXILIARES CONFORME LAYOUT DE CONSOLIDAÇÃO M
3.2 DESENVOLVIMENTO DA TELA INICIAL 3.2.1 CRIAÇÃO DE INTERFACE AUTO INTUITIVA EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO UMA
INTERFACE AUTO INTUITIVA, PARA QUE SEJA UM SISTEMA DE SIMPLES USO SISTEMA COM INTERFACE AUTO INTUITIVA M
3.2.2 SISTEMA COM USUÁRIO E SENHA EU COMO RH CREN, QUERO UM SISTEMA COM USUÁRIO E SENHA, PARA QUE O SISTEMA
TENHA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SISTEMA COM USUÁRIO E SENHA W
3.2.3 NOTIFICAÇÃO DE LOGIN EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO UMA MENSAGEM DE LOGIN, PARA SABER O MOTIVO DE NÃO LOGAR
SISTEMA QUE NOTIFIQUE O LOGIN W
3.3 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE IMPORT 3.3.1 DESENVOLVIMENTO DA IMPORTAÇÃO DAS BASES EU COMO USUÁRIO FINAL,
QUERO QUE AS BASES SEJAM IMPORTADAS NO SISTEMA, PARA QUE OS DADOS ATUALIZADOS SEJAM CARREGADOS SISTEMA COM
FUNÇÃO DE IMPORTAR AS BASES M
3.3.2 NOTIFICAÇÃO DOS IMPORTS EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO UMA MENSAGEM DE IMPORT, PARA SABER SE AS BASES
FORAM IMPORTADAS SISTEMA QUE NOTIFIQUE AS IMPORTAÇÕES S
3.4 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONFIGURAÇÕES 3.4.1 CAMINHO DE IMPORTAÇÃO DOS ARQUIVOS EU COMO USUÁRIO FINAL,
QUERO QUE O CAMINHO DE IMPORT SEJA EDITAVEL, PARA ALTERAR O LOCAL DO ARQUIVO SE NECESSÁRIO SISTEMA COM
CAMINHO DE IMPORT EDITÁVEL W
3.4.2 CAMINHO DE EXPORTAÇÃO DOS ARQUIVOS EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO QUE O CAMINHO DE EXPORT SEJA EDITAVEL,
PARA ALTERAR O LOCAL DO ARQUIVO SE NECESSÁRIO SISTEMA COM CAMINHO DE EXPORT EDITÁVEL W
3.4.3 INCLUSÃO DE USUÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL INCLUIR USUÁRIOS NO SISTEMA, PARA AUMENTAR
QUANTIDADE DE PESSOAS COM ACESSO AO SISTEMA INCLUSÃO DE USUÁRIOS AO SISTEMA W
3.4.4 EDIÇÃO DE USUÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL EDITAR OS USUÁRIOS DO SISTEMA, PARA EFETUAR
MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS EDIÇÃO DE USUÁRIOS DO SISTEMA W
3.4.5 EXCLUSÃO DE USUÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL EXCLUIR USUÁRIOS DO SISTEMA, PARA RETIRAR O
ACESSO DE USUÁRIOS AO SISTEMA EXCLUSÃO DE USUÁRIOS DO SISTEMA W
3.5 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONSULTA DE INDICADORES DE PONTO 3.5.1 FILTRO DE DADOS DE INDICADORES DE PONTO
EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO QUE EXISTA UM FILTRO DE DADOS NO INDICADOR DE PONTO, PARA VER APENAS OS DADOS
QUE NECESSITO TELA DE INDICADOR DE PONTO CONTENDO FILTRO M
http://portal.esocial.gov.br/manuais/mos-v.2.4.02-publicado.pdf

3.5.2 VISUALIZAÇÃO DOS DADOS INDICADORES DE PONTO EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO VISUALIZAR OS DADOS FILTRADOS
DOS INDICADORES DE PONTO, PARA VER OS DADOS QUE NECESSITO TELA QUE MOSTRE OS DADOS FILTRADOS DOS INDICADORES
M
https://blog.convenia.com.br/gestao-de-ponto-banco-de-horas

3.6 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS 3.6.1 FILTRO DE DADOS DE CONTROLE DE FÉRIAS EU COMO USUÁRIO
FINAL, QUERO QUE EXISTA UM FILTRO DE DADOS NO CONTROLE DE FÉRIAS, PARA VER APENAS OS DADOS QUE NECESSITO TELA
DE CONTROLE DE FÉRIAS CONTENDO FILTRO M
3.6.2 CADASTRO DE FÉRIAS EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO UMA TELA DE CADASTRO DE FÉRIAS PARA IMPUTAR AS FÉRIAS DOS
FUNCIONÁRIOS, PARA VER TODAS AS FÉRIAS AGENDADAS TELA DE CADASTRO DE FÉRIAS M

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=25

3.6.3 VISUALIZAÇÃO DOS DADOS DOS CONTROLES DE FÉRIAS EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO VISUALIZAR OS DADOS FILTRADOS
DOS CONTROLES DE FÉRIAS, PARA VER OS DADOS QUE NECESSITO TELA QUE MOSTRE OS DADOS FILTRADOS DOS CONTROLES
DE FÉRIAS M
3.6.4 ORDENAÇÃO DAS DATAS DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO VER O CONTROLE DE FÉRIAS PODENDO SER ORDENADAS
CONFOME NOSSA NECESSIDADE, PARA VER OS DADOS CONFORME AS DATAS TELA QUE MOSTRE O CONTROLE DE FÉRIAS
ORDENADO M
3.7 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE RELATÓRIOS 3.7.1 SELEÇÃO DE DADOS PARA O RELATÓRIO (BI) EU COMO USUÁRIO FINAL,
QUERO SELECIONAR OS DADOS QUE PRECISO PARA SEREM EXIBIDOS NA TELA DE RELATÓRIO, PARA GERAR RELATÓRIOS
FLEXIVEIS TELA PARA SELECIONAR OS CAMPOS QUE IRÃO PARA O RELATÓRIO M
3.7.2 EXPORTAÇÃO DOS INDICADORES DE PONTO EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO EXPORTAR O RELATÓRIO DE INDICADORES DE
PONTO, PARA ENTREGAR AS OUTRAS ÁREAS EXPORTAÇÃO DO INDICADORES DE PONTO M
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-jobs-from-home/work-at-home-assembly-jobs-free-it-runs-the-laconica-microblogging-
software
https://autocarz.tumblr.com/post/154843546773/here-is-the-list-of-custom-gsa-footprints
http://onlineworkfromhomebusinessopportunity.org/work-from-home-jobs/fortune-500-work-at-home-it-runs-the-laconica-microblogging-software
https://www.youtube.com/watch?v=QhV_ZPuoti0

3.7.3 EXPORTAÇÃO DO CONTROLE DE FÉRIAS EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO EXPORTAR O RELATÓRIO DE CONTROLE DE
FÉRIAS, PARA ENTREGAR AS OUTRAS ÁREAS EXPORTAÇÃO DO CONTROLE DE FÉRIAS M
3.7.4 NOTIFICAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES EU COMO USUÁRIO FINAL, QUERO QUE SEJA GERADO AS NOTIFCAÇÕES DAS
EXPORTAÇÕES, PARA SABER SE FORAM GERADAS COM SUCESSO SISTEMA QUE NOTIFIQUE AS EXPORTAÇÕES C
3.8 DESENVOLVIMENTO DA TELA DE DADOS COMPLEMENTARES 3.8.1 CADASTRO DOS DADOS COMPLEMENTARES DOS
FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL CADASTRAR OS DADOS COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS
NO SISTEMA, PARA COMPLEMENTAR OS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS NO SISTEMA TELA DE CADASTRO DOS DADOS
COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS M
3.8.2 CONSULTA DOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL CONSULTAR OS DADOS DOS
FUNCIONÁRIOS NO SISTEMA, PARA CONSULTAR OS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS NO SISTEMA TELA DE CONSULTA DOS DADOS
COMPLEMENTARES DOS FUNCIONÁRIOS M
3.8.3 EXPORTAÇÃO TODOS OS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA POSSÍVEL EXPORTAR OS DADOS
DOS FUNCIONÁRIOS NO SISTEMA, PARA ENTREGAR AS OUTRAS ÁREAS EXPORTAÇÃO DOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS M
3.9 DESENVOLVIMENTO DE LOG 3.9.1 TRILHA DE LOGIN EU COMO RH CREN, QUERO QUE EXISTA REGISTRO DE LOG, PARA SABER
QUEM ACESSOU O SISTEMA E QUANDO TELA QUE MOSTRE A TILHA DE LOGIN W
3.9.2 TRILHA DE IMPORT EU COMO RH CREN, QUERO QUE EXISTA REGISTRO DE ARQUIVOS IMPORTADOS, PARA SABER QUANDO
HOUVE IMPORTAÇÃO TELA QUE MOSTRE A TILHA DE IMPORT W
3.9.3 TRILHA DE EXPORT EU COMO RH CREN, QUERO QUE EXISTA REGISTRO DE ARQUIVOS EXPORTADOS, PARA SABER QUANDO
HOUVE EXPORTAÇÃO TELA QUE MOSTRE A TILHA DE EXPORT W
3.10 TESTE DA INTERFACE 3.10.1 TESTE DA TELA INICIAL EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA INICIAL, PARA SABER SE TUDO
ESTA DE ACORDO QUE A TELA INICIAL SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5 S
3.10.2 TESTE DAS CONFIGURAÇOES EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA DE CONFIGURAÇÕES, PARA SABER SE TUDO ESTA
DE ACORDO QUE A TELA DE CONFIGURAÇÕES SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5 S
3.10.3 TESTE DOS IMPORTS EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA IMPORTS, PARA SABER SE TUDO ESTA DE ACORDO QUE A
TELA DE IMPORT SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5 S
3.10.4 TESTE DA TELA DE INDICADORES DE PONTO EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA INDICADORES DE PONTO, PARA
SABER SE TUDO ESTA DE ACORDO QUE A TELA ELA INDICADORES DE PONTO SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5 S
https://blog.convenia.com.br/gestao-de-ponto-banco-de-horas

3.10.5 TESTE DA TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS PARA
SABER SE TUDO ESTA DE ACORDO QUE A TELA DE CONTROLE DE FÉRIAS SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5 S
3.10.6 TESTE DA TELA DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR A TELA DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS,
PARA SABER SE TUDO ESTA DE ACORDO QUE A TESTAR A TELA DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS SEJA TESTADA, CONFORME ATA 5
S
4. TREINAMENTO 4.1 MONTAGEM DO TREINAMENTO 4.1.1 MONTAGEM TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH
CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS , PARA QUE HAJA UM TREINAMENTO SOBRE
COMO MANIPULAR OS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS MATERIAL DE TREINAMENTO DOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS S
4.1.2 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE PONTO ELETRONICO EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO
TREINAMENTO DO MÓDULO DE PONTO ELETRÔNICO, PARA QUE HAJA UM TREINAMENTO SOBRE COMO MEXER NO PONTO
ELETRÔNICO MATERIAL DE TREINAMENTO DO MÓDULO DE PONTO ELETRONICO S
4.1.3 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO TREINAMENTO DO
MÓDULO DE FÉRIAS, PARA QUE HAJA UM TREINAMENTO SOBRE COMO MEXER NO MÓDULO DE FÉRIAS MATERIAL DE TREINAMENTO
MÓDULO DE FÉRIAS S
4.1.4 MONTAGEM TREINAMENTO DE MÓDULO DE INDICADORES EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA MONTADO TREINAMENTO DO
MÓDULO DE INDICADORES PARA QUE HAJA UM TREINAMENTO SOBRE COMO MEXER NO MÓDULO DE INDICADORES MATERIAL DE
TREINAMENTO MÓDULO DE INDICADORES S
4.2 APLICAÇÃO DO TREINAMENTO 4.2.1 APLICAÇÃO DO TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS EU COMO RH CREN, QUERO
QUE SEJA APLICADO UM TREINAMENTO DE DADOS DOS FUNCIONÁRIOS, PARA APRENDER A USAR AS TELAS REFERENTE AOS
DADOS DOS FUNCIONÁRIOS APLICAÇÃO DO TREINAMENTO REFERENTE AOS DADOS DOS FUNCIONÁRIOS S
4.2.2 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE MÓDULO DE PONTO ELETRÔNICO EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA APLICADO UM
TREINAMENTO DO MÓDULO DE PONTO ELETRÔNICO, PARA APRENDER A USAR AS TELAS REFERENTE AO PONTO ELETRÔNICO

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APLICAÇÃO DO TREINAMENTO REFERENTE AO PONTO ELETRÔNICO S


4.2.3 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE MÓDULO DE FÉRIAS EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA APLICADO UM TREINAMENTO DO
MÓDULO DE FÉRIAS PARA APRENDER A USAR AS TELAS REFERENTE AS FÉRIAS APLICAÇÃO DO TREINAMENTO REFERENTE AS
FÉRIAS S
4.2.4 APLICAÇÃO TREINAMENTO DE INDICADORES EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA APLICADO UM TREINAMENTO DO MÓDULO
DE INDICADORES, PARA APRENDER A USAR A TELA REFERENTE AOS INDICADORES APLICAÇÃO DO TREINAMENTO REFERENTE AOS
INDICADORES S
5. IMPLANTAÇÃO 5.1 CRIAÇÃO DA ESTRUTURA DE PASTAS 5.1.1 CRIAÇÃO DE REPOSITÓRIO DE IMPORT EU COMO RH CREN, QUERO
QUE SEJA CRIADO UM REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS PARA IMPORT, PARA QUE AS BASES SEJAM CONCENTRADAS EM UM ÚNICO
LOCAL QUE O REPOSITORIO DE ARQUIVOS DE IMPORT SEJA CRIADO, CONFORME ATA 2 M
5.1.2 CRIAÇÃO DE REPOSITÓRIO DE EXPORT EU COMO RH CREN, QUERO QUE SEJA CRIADO UM REPOSITÓRIO DE ARQUIVOS PARA
EXPORT, PARA QUE OS ARQUIVOS EXPORTADOS SEJAM CONCENTRADOS EM UM ÚNICO LOCAL QUE O REPOSITORIO DE ARQUIVOS
DE EXPORT SEJA CRIADO, CONFORME ATA 2 M
5.2 IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA 5.2.1 ALOCAÇÃO DO BANCO DE DADOS EU COMO RH CREN, QUERO QUE O BANCO DE DADOS SEJA
ALOCADO EM MEU COMPUTADOR, PARA EVITAR RISCOS QUE O BANCO DE DADOS FIQUE NO PC CREN, CONFORME ATA 2 M
5.2.2 ALOCAÇÃO DO SISTEMA EU COMO RH CREN, QUERO QUE O SISTEMA SEJA ALOCADO EM MEU COMPUTADOR, PARA FACILITAR
NOSSO USO QUE O SISTEMA DESENVOLVIDO FIQUE NO PC CREN, CONFORME ATA 2 M
5.2.3 TESTES DE FUNCIONALIDADES DO SISTEMA EU COMO RH CREN, QUERO TESTAR O SISTEMA APÓS ALOCAÇÃO, PARA VER QUE
TUDO ESTÁ FUNCIONANDO QUE O SISTEMA DESENVOLVIDO SEJA TESTADO NO PC CREN, CONFORME ATA 2 M
APÊNDICE W – CRONOGRAMA DO PROJETO, DADOS DO CRONOGRAMA E CALENDÁRIO DO PROJETO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE W – CRONOGRAMA DO PROJETO, DADOS DO CRONOGRAMA E CALENDÁRIO DO PROJETO

APÊNDICE V – ESTIMATIVAS DE CUSTO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE V – ESTIMATIVAS DE CUSTO

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE X – REQUISITOS DE RECURSOS FINANCEIROS DO PROJETO


https://escritoriodeprojetos.com.br/requisitos-de-recursos-financeiros-do-projeto
https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos
https://www.devmedia.com.br/pmbok-trabalhando-com-gerenciamento-de-custos/31158

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE X – REQUISITOS DE RECURSOS FINANCEIROS DO PROJETO


https://escritoriodeprojetos.com.br/requisitos-de-recursos-financeiros-do-projeto
https://linksinergia.com.br/2015/08/31/gerenciamento-de-projetos-baseado-no-pmbok-gerenciamento-dos-custos-do-projeto-parte-4-2
https://www.euax.com.br/2019/02/gerenciamento-de-custos-em-projetos

APÊNDICE Y – DADOS DE DESEMPENHO DO TRABALHO

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE Y – DADOS DE DESEMPENHO DO TRABALHO

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE Z – REGISTRO DAS LIÇÕES APRENDIDAS

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE Z – REGISTRO DAS LIÇÕES APRENDIDAS

APÊNDICE AB – REGISTRO DE QUESTÕES

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE AB – REGISTRO DE QUESTÕES

APÊNDICE AC – SOLICITAÇÕES DE MUDANÇAS

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE AC – SOLICITAÇÕES DE MUDANÇAS

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE AD – CALENDÁRIO DOS RECURSOS

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE AD – CALENDÁRIO DOS RECURSOS

CALENDÁRIO DE RECURSOS

RECURSOS CARGO/FUNÇÃO PERÍODO DE DISPONIBILIDADE REQUERIDO PARA O PROJETO


INÍCIO TÉRMINO DIAS DA SEMANA HORÁRIO
Recursos Físicos
https://www.catalao.ufg.br/n/77818-projeto-basquetebol-em-cadeiras-de-rodas-desenvolvido-na-regional-catalao-tem-destaque-em-campeonatos

Espaço para Reuniões - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h


Cadeira - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Mesa redonda - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Televisão para Apresentação - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Computador para Apresentação - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Servidor de Dados - 01/06/2019 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Computador p/ Implantação - 01/06/2019 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Rede de Computadores - 01/06/2019 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h

Materiais / Equipamentos
Papel A4 - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Tinta Impressora - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Notebook - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Notebook Desenvolvedor - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Smartphone - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Ferramentas de Gerenciamento - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Ferramentas de Comunicação - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Ferramentas de Cloud Computing - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Software Desenvolvimento - 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h

Recursos humanos
PMI08-G05
Adriano Teles Gerente de Projeto mar/18 jun/19 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Bruno Almeida
Dennis Santos
Diego Nunes
Ismar Nascimento
Thiago Massari

RH - CREN
http://www.cren.org.br
http://www.cren.org.br/sobre_cren
http://cren-al.org.br

Monica Curi Ventura Salle Diretora RH 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Gislei Alves Duard Anl RH 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Danillo Anl RH 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h

Desenvolvimento do Sistema
Thiago Massari Desenvolvedor de Software 21/10/2018 04/05/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Ismar Nascimento Analista de qualidade 24/09/2018 20/10/2018 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Adriano Teles Analista de negócios 24/09/2018 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Dennis Santos Analista de testes 05/05/2019 26/05/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Bruno Almeida Analista de treinamento 27/05/2019 31/05/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h
Diego Nunes Analista de Implantação 01/06/2019 04/06/2019 Seg a Dom 20:00h às 22:00h

APÊNDICE AE – ATA DA REUNIÃO DE KICKOFF COM CREN

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE AE – ATA DA REUNIÃO DE KICKOFF COM CREN

APÊNDICE AF – PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE


https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf

Projeto CREN - EasyRH

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE AF – PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE


https://escritoriodeprojetos.com.br/plano-de-gerenciamento-da-qualidade

PGQ - Plano de Gerenciamento da Qualidade


https://pt.scribd.com/document/369460815/Negapeb-Nova-2013
http://www.easybok.com.br/downloads/categorias/14-modelos-preenchidos-projeto-exemplo-easyhome/page3
http://www.gestaoporprocessos.com.br/wp-content/uploads/2014/06/easypmdoc_5ed_2013_v5_13.xlsx
https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/19521/1/RodrigoXavierFerreiraDeOliveira_DISSERT.pdf

Projeto: CREN - Melhorias RH

1. Padrões de qualidade a serem utilizados pelo projeto


https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade

Utilizamos a política de qualidade da NESTLE, para executar as atividades relacionadas a qualidade focando em zero defeitos e com o
comprometimento de todos

2. Objetivos da qualidade do projeto


1. Executar as atividades dentro do prazo
1.1 KPI que apresente o status de cada entrega
2. Criar um sistema auto intuitivo
2.1 KPI As funcionalidades do sistema deverão ser 90% fiéis em aparência ao prótotipo
3. Evitar que o sistema seja entregue com bugs
3.1 KPI para apresentar a quantidade de bugs identificadas, resolvidos e que ainda existem durante o período de teste
4. Aplicar um treinamento teórico e prático com o maior aproveitamento possível
5.1 KPI apresentando o resultado da pesquisa de satisfação

3. Papéis e responsabilidades da qualidade


Thiago Massari - Desenvolvedor de Software, KPI de erros sistemicos e correções
Ismar Nascimento - Analista de Qualidade, KPI de entregas executadas
Adriano Teles - Analista de Negócios, KPI se o sistema está de acordo com o protótipo
Dennis Santos - Analista de Testes, KPI de erros sistemicos e correções
Diego Nunes - Analista de Implantação, KPI de entregas executadas
Bruno Almeida - Analista de Treinamento, KPI sobre a pesquisa de satisfação

4. Entregas do projeto e processos sujeitos a revisão da qualidade


https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos

1.3 Avaliação de Aquisição.


2.3 Design do sistema.
3.10 Teste da Interface
4.2 Aplicação de Treinamento

5. Atividades de controle da qualidade e gerenciamento da qualidade planejadas para o projeto


https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos

Validação do Design do Sistema


Status Report
Testes de Validação

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

6. Ferramentas da qualidade que serão usadas pelo projeto


https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade
https://www.euax.com.br/2015/12/gestao-da-qualidade-em-gestao-de-projetos

Histograma, para demonstrar as quantidades identificadas no projeto


Fluxograma, para demonstrar os fluxos que o sistema deverá seguir

7. Procedimentos importantes relevantes para o projeto


https://bsbr.com.br/gerenciamento-da-qualidade

Documentar quando cada pacote de trabalho é encerrado para manter o KPI sempre atualizado
Executar os testes de cada módulo desenvolvido e documentar as quantidades de erros identificados e como foram gerados
Efetuar novos testes para identificar se os erros foram corrigidos e efetuar novos testes com as correções feitas e documentar todos os status de
cada item
Aplicar uma presquisa de satisfação para saber como foi o treinamento

APÊNDICE AG – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES


https://pt.scribd.com/document/401722686/TCC-A-arte-de-Brincar-PMI14-G3-pdf
http://fabiocruz.com.br/guia-pmbok
http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219236.pdf

Projeto CREN - EasyRH


http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/K219236.pdf

APÊNDICE AG – PLANO DE GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES

PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1466/easybok-easyhome-projeto_exemplo-pga-plano_de_gerenciamento_das_aquisicoes-v5_03.pdf

Projeto: CREN - Melhorias RH

1. Produtos, serviços ou resultados que serão obtidos externamente à organização executora


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1466/easybok-easyhome-projeto_exemplo-pga-plano_de_gerenciamento_das_aquisicoes-v5_03.pdf
http://www.gestaoporprocessos.com.br/wp-content/uploads/2014/06/easypmdoc_5ed_2013_v5_13.xlsx

1 - Material Adquirido: 6 Notebook (Modelo Notebook Samsung E30 Intel Core i3 7020U 15,6" 4GB HD 1 TB Windows 10 7ª Geração), adquiridos
pelo fornecedor "CASAS BAHIA", devido ao custo e prazo de entrega coerente com o projeto. Contrato da equipe voluntariado.

2. Como as aquisições serão gerenciadas


As aquisições serão coordenadas de acordo com o cronograma do projeto, seguindo o orçamento definido. Apenas o Gerente do Projeto tem o
poder de aprovar qualquer aquisição. Formato de Aquisição: Após identificar a necessidade de adquirir material ou mão-de-obra, será emitido uma
requisição para o Gerente do Projeto, que irá transmitir para um membro da equipe responsável. O membro irá realizar no mínimo 3 cotações e em
seguida será encaminhada para o Gerente de Projetos aprovar a melhor proposta.
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/MatrizesConsolidacao/comum/15487.html
https://edoc.pub/marta-rocha-camargo-gerenciamento-de-projetos-fundamentos-e-pratica-integrada-pdf-free.html

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

3. Cronograma das principais atividades de aquisições


Informações disponivel no PGCR

4. Métricas de desempenho de fornecedores a serem utilizadas


http://www.easybok.com.br/site/assets/files/1466/easybok-easyhome-projeto_exemplo-pga-plano_de_gerenciamento_das_aquisicoes-v5_03.pdf

Todos fornecedores são avaliados durante o periodo de aquisição e essa avaliação estará disponivel em Planilha de Controle de Aquisições.

5. Funções e responsabilidades das partes


Gerente do Projeto irá conduzir as negociações com os patrocinadores e demais recursos envolvidos no projeto, toda atividade será realizada com
base no orçamento definido.

6. Restrições e Premissas relacionadas às aquisições


Premissa: Inflação do valor do produto

7. Jurisdição legal e moedas


REAL

8. Estimativas independentes
Não se aplica.

9. Questões relacionadas a riscos


Informações disponivel em PGRI

10. Vendedores pré-qualificados


Não se aplica

11. Estratégia da aquisição


As aquisições são coduzidas de acordo com o cronograma e necessidade do projeto.
http://www.pidcc.com.br/artigos/032013/ebook_04.pdf

APÊNDICE AH– PLANILHA DE CONTROLE DAS AQUISIÇÕES

Projeto CREN - EasyRH

APÊNDICE AH– PLANILHA DE CONTROLE DAS AQUISIÇÕES

APÊNDICE AI– TERMO DE ACEITE DA ENTREGA

Projeto CREN - EasyRH

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

APÊNDICE AI– TERMO DE ACEITE DA ENTREGA

APÊNDICE AJ– TERMO DE ENCERRAMENTO DO PROJETO


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

Projeto CREN - EasyRH


https://pt.scribd.com/document/373775399/GPPP-1602-MI-F60-TCCII-20170609-2315-FINAL-Reparado-pdf

APÊNDICE AJ2– TERMO DE ENCERRAMENTO DO PROJETO


TEP - Termo de Encerramento do Projeto

Grupo05 CREN - Projeto Melhorias de RH

1. Cliente 2. Data de encerramento do projeto


Centro de Recuperação e Educação Nutricional 19/06/2019

3. Principais mudanças aprovadas 4. Principais desvios


A principal mudança foi no escopo do projeto, onde planejamos que o sistema teria algumas funções extras, porém, depois de uma análise técnica
foi acordado que o escopo do projeto seria reduzido. Informações extras se encontram no documento de registro de mudanças. O principal desvio
também se mantém no escopo, visto que no planejamento inicial o projeto tinha requisitos muito diferentes do que o momento atual.
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/972
https://pt.slideshare.net/neyfds/gestao-de-projetosexercicio1comgabaritodoc

5. Principais lições aprendidas


A principal lição aprendida foi a gestão da comunicação entre as partes interessadas. Durante boa parte do projeto tivemos dificuldade de
interação entre os membros da equipe de desenvolvimento do projeto, então tivemos de fazer uma boa gestão de comunicação e engajamento
para que isso não afetasse o projeto. Mais informações se encontram no registro de lições aprendidas
https://bsbr.com.br/licoes-aprendidas-gerenciamento-projetos
http://www.redalyc.org/jatsRepo/4777/477750803010/html/index.html
https://escritoriodeprojetos.com.br/registro-das-licoes-aprendidas

6. Comentários do Cliente

7. Comentários do Patrocinador

Assinatura do controle da qualidade Assinatura do Cliente

Assinatura do Gerente do Projeto Assinatura do Patrocinador

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]


Resultado da análise

Aviso:
Não é recomendado utilizar percentuais para medição de plágio, os valores exibidos são apenas dados estatísticos. Apenas uma revisão manual
pode afirmar plágio. Clique aqui para saber mais.

Legenda:
▲ Endereço validado, confirmada a existência do texto no endereço marcado.

Expressão não analisada

Expressão sem suspeita de plágio

Poucas ocorrências na internet

Várias ocorrências na internet

Muitas ocorrências na internet


Poucas ocorrências na base local

Várias ocorrências na base local

Mutias ocorrências na base local

Analisado por Plagius - Detector


de Plágio 2.4.27

quinta-feira, 22 de agosto de 2019 20:22

file:///C/Users/almeida/Desktop/CURRÍCULO/_analyzed - Copia.html[22/08/2019 20:24:27]