Você está na página 1de 3

NOTAS EXPLICATIVAS

Magazine Luiza S.A

Aluna: Débora de Araújo Bierhals

Lei nº 6.404 de 15 de Dezembro de 1976

Dispõe sobre as Sociedades por Ações.

Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração
mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com
clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício:

§ 5o As notas explicativas devem: (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)

I – Apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das
práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos significativos;
(Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009)

Trecho correspondente das notas explicativas da empresa selecionada:

2. Apresentação e elaboração das demonstrações contábeis:

2.1. Bases de elaboração, apresentação e declaração de conformidade

As demonstrações contábeis individuais e consolidadas da Companhia foram elaboradas tomando como base as
práticas contábeis adotadas no Brasil, que compreendem as disposições da legislação societária, previstas na Lei
nº 6.404/76 e alterações posteriores e os padrões internacionais de contabilidade (“IFRS”) emitidos pelo
International Accounting Standards Board (“IASB”) e interpretações emitidas pelo International Financial
Reporting Interpretations Committee (“IFRIC”), implantados no Brasil por meio do Comitê de Pronunciamentos
Contábeis (“CPC”) e suas interpretações técnicas (“ICPC”) e orientações (“OCPC”), aprovados pela Comissão
de Valores Mobiliários (“CVM”).

Todas as informações relevantes próprias das demonstrações contábeis, e somente elas, estão sendo
evidenciadas, e correspondem às utilizadas pela Administração em sua gestão. Este é o primeiro conjunto de
demonstrações financeiras anuais da Companhia no qual o CPC 06 (R2)/IFRS 16 - Arrendamentos foi aplicado.
Mudanças nas principais políticas contábeis estão descritas na Nota explicativa 5. As demonstrações contábeis
foram elaboradas com base no custo histórico, exceto por determinados instrumentos financeiros mensurados
pelos seus valores justos.

II – Divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não estejam
apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras; (Incluído pela Lei nº
11.941, de 2009);

III – Fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras e
consideradas necessárias para uma apresentação adequada; e (Incluído pela Lei nº 11.941, de
2009);

IV – Indicar: (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);


a) os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente estoques, dos
cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de provisões para encargos ou
riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na realização de elementos do ativo;
(Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);

Trecho correspondente das notas explicativas da empresa selecionada:

10. Estoques

Política contábil
Os estoques são apresentados pelo menor valor entre o custo médio de aquisição e o valor líquido de realização.
O custo médio de aquisição compreende o preço de compra, os impostos e tributos não recuperáveis, como por
exemplo, o ICMS substituição tributária, bem como outros custos diretamente atribuíveis à aquisição. As
provisões para perdas nos estoques são compostas pela provisão para realização de estoques que corresponde ao
preço de venda estimado dos estoques, deduzido de todos os custos necessários para realizar a venda e provisão
para obsolescência que considera mercadorias com giro lento e aquelas encaminhadas à assistência técnica, além
da provisão para perdas em inventários físicos de lojas e centros de distribuição.

b) os investimentos em outras sociedades, quando relevantes (art. 247, parágrafo único); (Incluído
pela Lei nº 11.941, de 2009);

Trecho correspondente das notas explicativas da empresa selecionada:

14. Investimentos em controladas

a. Combinação de Negócios

Política Contábil
Combinações de negócio são registradas utilizando o método de aquisição quando o controle é transferido para a
Companhia. A contraprestação transferida é geralmente mensurada ao valor justo, assim como os ativos líquidos
identificáveis adquiridos. Qualquer ágio que surja na transação é testado anualmente para avaliação de perda por
redução ao valor recuperável. Se a contraprestação contingente é classificada como instrumento patrimonial,
então ela não é remensurada e a liquidação é registrada dentro do patrimônio líquido. As demais
contraprestações contingentes são remensuradas ao valor justo em cada data de relatório e as alterações
subsequentes ao valor justo são registradas no resultado do exercício.
Os custos da transação são registrados no resultado conforme incorridos, exceto os custos relacionados à emissão
de instrumentos de dívida ou patrimônio. A contraprestação transferida não inclui montantes referentes ao
pagamento de relações pré-existentes. Esses montantes são geralmente reconhecidos no resultado do exercício.
Qualquer contraprestação contingente a pagar é mensurada pelo seu valor justo na data de aquisição.

Grupo Softbox

Em 13 de dezembro de 2018, a Companhia adquiriu a totalidade de controle das empresas Softbox Sistemas de
Informação, Certa Administração e Kelex Tecnologia, que conjuntamente passamos a chamar de “Grupo
Softbox” ou apenas “Softbox”. A Softbox possuía na data de aquisição 256 colaboradores, sendo 174
desenvolvedores e especialistas em tecnologia, e oferece soluções para empresas de varejo e indústria de bens de
consumo que desejam vender digitalmente ao consumidor final. A grande maioria das empresas brasileiras ainda
está excluída do mundo digital, sem acesso a nenhum marketplace. Com a aquisição da Softbox, a Companhia
vai ajudar na transformação de empresas analógicas em empresas digitais.
A aquisição foi efetivada pelo montante de R$ 43.561, dividido em três formas de pagamento: i) R$ 13.950
integralmente pagos no “closing” do processo de aquisição; ii) R$ 13.950 a serem pagos ao longo de 5 anos; e
iii) R$ 15.661 a serem pagos em 5 anos mediante cessão de ações da Companhia, ou fundos imediatamente
disponíveis em caso de inviabilidade da cessão de ações, sendo a quantidade de ações calculada na data de
aquisição.

Netshoes
Em 14 de junho de 2019 a Companhia concluiu a aquisição de 100% das ações, que também compreende 100%
do capital votante das empresas do Grupo Netshoes (“Netshoes”). Fundada em 2000, a Netshoes é uma empresa
líder no varejo online de roupas, calçados e artigos esportivos, com 5,8 milhões de clientes ativos e marcas
renomadas como Netshoes, Zattini e Shoestock. A aquisição representa um passo significativo na estratégia de
crescimento exponencial da Companhia, aumentando a base de clientes online e a frequência de compra, e
representa um marco na entrada em novas categorias com alto potencial de crescimento. A aquisição foi
efetivada pelo montante de R$ 453.247, cujo desembolso foi completamente realizado na data de fechamento da
operação. A Companhia incorreu em custos com honorários de especialistas relacionados a aquisição no
montante de aproximadamente R$ 30.830, registrados na rubrica de “Outras receitas operacionais, líquidas”
(nota 27).

c) o aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações (art. 182, § 3o );


(Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);

d) os ônus reais constituídos sobre elementos do ativo, as garantias prestadas a terceiros e outras
responsabilidades eventuais ou contingentes; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);

e) a taxa de juros, as datas de vencimento e as garantias das obrigações a longo prazo; (Incluído
pela Lei nº 11.941, de 2009);

f) o número, espécies e classes das ações do capital social; (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);

Trecho correspondente das notas explicativas da empresa selecionada:

Capital Social

A Companhia aprovou em Assembleia Geral Extraordinária, no dia 31 de julho de 2019, proposta de


desdobramento de ações, na proporção de 01 (uma) ação ordinária para 08 (oito) ações ordinárias, sem qualquer
alteração no valor do capital social da Companhia. Assim, a quantidade de ações passou de 190.591.464 para
1.524.731.712, todas ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal.

g) as opções de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício; (Incluído pela Lei nº
11.941, de 2009);

h) os ajustes de exercícios anteriores (art. 186, § 1o); e (Incluído pela Lei nº 11.941, de 2009);

i) os eventos subsequentes à data de encerramento do exercício que tenham, ou possam vir a ter,
efeito relevante sobre a situação financeira e os resultados futuros da companhia. (Incluído pela
Lei nº 11.941, de 2009)

Você também pode gostar