Você está na página 1de 2

didática, para o planejamento e execução de programas de treina-

mento em trabalhos de grupos operativos.

RUTH SCHEEFFER

BACHMCH, Arthur J. Introdução à pesquisa psicológica. São


Paulo, Editõra Herder, 1969. 157 p.

Arthur J. Bachrach, atualmente trabalhando na Universidade do


Arizona, EUA, no Departamento de Psicologia, elaborou grande parte
do presente livro quando era Diretor da Divisão de Ciência do Com-
portamento na Escola de Medicina da Universidade de Virginia.
A obra faz parte da coleção Ciências do Comportamento, que a
Editõra Herder está publicando.
Como seu nome indica, ~ livro se propõe a apresentar os prin-
cípios do método científico que servem de base à pesquisa em geral,
e especialmente à I'sicologia.
Ao invés de deter-se nas especulações de natureza matemática
estatística, o autor salienta o valor de alguns aspectos básicos no
trabalho de pesquisa, apoiados em observação e experimentação, mas
sem desvalorizar a atividade humana espontânea, sustentada pela
curiosidade.
O próprio plano da obra, em sete capítulos, é de per si, elo-
qüente, a começar pela introdução, onde procurou situar as origens
da pesquisa e o valor da atitude alerta do pesquisador "de olhos
abertos" para tudo quanto se passa ao redor da experiência ou
pesquisa, sem idéias preconcebidas, ou compromisso com as hipó-
teses formuladas, e assinalando não haver resultados negativos, pois
tõda e qualquer conclusão a que se chegue é uma informação válida
para a ciência.
Os dois capítulos seguintes são, talv,ez, os mais importantes do
livro. O capítulo três trata das Características e. objetivos da ciência,
onde são encarecidos os fatos e não as opiniões, além de "com-
preender e controlar, de'screver e prever" e por finalidade "ordenar
os fatos em leis gerais e coerentes a partir das quais se tornei pos-
sível a predição mas inevitâvelmente ela começa com a observação".
Chama a atenção para o valor da mensuração em ciência e o
estabelecimento de modêlo em têrmos de operação física para não
tornar-se mera retórica.
Nos Métodos fundamentais da pesquisa, capítulo 4, salienta as
duas escolas de pensamento relacionadas com o uso da teoria em
pesquisa e enuncia:·

134 A.B.P.A. 2/71


"A metodologia pn..!dominante em ciência é a abordagem teórico-
formal envolvendo a técnica de observação (técnica empírica), a
formulação e testes de hipótese (através da experimentação) e a
construção de uma teoria, conduzindo a leis". O outro ponto de vista
é oque "assegura se'rem os dados e não as hipóteses que constituém
o conteúdo da ciência e, além disso, que a construção de teoria não
precisa servir de obstáculo para a investigação".
Explana, em conseqüência, os dois métodos:
1 Q o teórico-formal - dados, hipótese, teoria e lei.
2 Q
o teórico-informal - dados, micro-hipóteses, ordem e lei.
Nos capítulos que se seguem são considerados vários outros
aspectos do trabalho da pesquisa como o que se refere a: proble-
mas das definições, com seus três níveis diferenciais, bem como a
clareza e certeza que encerram; o trabalho nos laboratórios envol-
vendo pesquisas com animais e transferindo o mundo real para sua
"oficina"; questões de ética em p.esquisa e, por fim, se esten:de na
situação do cientista dentro do grupo social e a forma decomuni-
cação com o público e com outros cientistas.
O estilo de exposição, leve ,e atraente, adotado na obra, per-
mite apontá-la aos estudantes e iniciantes em pesquisa.

LEONILDA D'ANNIBALLE BRAGA

GREENWOOD, John M. & MCNAMARA, Walter J. Leadership


styles of strueture and consideration and managerial effective-
ness. Personnel Psychology, 22 (2): 141-52, 1969.

Os dois estilos de liderança a que o título se refere são Estrutura


e Consideração que correspondem ao que outros autores chamam
"interêsse pela produção" e "interêsse pelas pessoas".
Entre os problemas para o desenvolvimento da capacidade de
liderança são freqüentes os que tratam de fortalecer nos gerentes
uma ou outra característica, às vêzes através dos laboratórios de
sensibilidade.
Cabem então várias perguntas a que os autores tratam de res-
ponder, muitas delas formuladas por outros psicólogos: Qual dos
dois estilos é mais eficiente? Seria sua eficácia geral ou variaria
de acôrdo com o nível de chefia ou com o setor de atividade? Qual
sua relação com outros traços de personalidade? Para responder
essas perguntas os autores realizaram uma pesquisa em uma grande
emprêsa que, anualmente, submetia seu pessoal executivo ou pro-
Resenha bibliográfica 135