Você está na página 1de 7

Revista UNIANDRADE

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

AURICULOTERAPIA COMO RECURSO TERAPÊUTICO PARA


PACIENTES COM FIBROMIALGIA QUE APRESENTAM
QUEIXAS DE DOR E INSÔNIA

Samara Maria Bettini ¹, Daniele Parisotto 2


1
Discente do Centro Universitário Campos de Andrade
2
Docente do Centro Universitário Campos de Andrade, especialista em acupuntura, Mestre em
Fisiologia pela UFPR.

E-mail: samarabettine@hotmail.com

Resumo: Pacientes acometidos por Abstract: Patients affected by fibromyalgia


fibromialgia além de apresentarem dor present chronic pain tend to develop sleep
crônica, tendem a desenvolver distúrbios do disorders, among them the most prevalent is
sono, dentre estes o que mais prevalece é a insomnia. Due to pain, the patient has
insônia. Devido a dor, o paciente tem difficulties not only to start sleep but to stay
dificuldades não só para iniciar o sono, mas in it. A therapeutic resource used to combat
permanecer neste. Um recurso terapêutico pain and improve insomnia is
utilizado para se combater a dor e melhorar auriculotherapy, which is a technique of
os quadros de insônia que, a cada ano que Traditional Chinese Medicine that normally
passa, consegue mais adeptos é a uses mustard seeds to stimulate specific
auriculoterapia, a qual é uma técnica da points in the ear. Objective: to verify the
Medicina Tradicional Chinesa que utiliza effect of auriculotherapy on pain and quality
normalmente sementes de mostarda para of life and sleep of women with
estimular pontos específicos na orelha. fibromyalgia. Methodology: descriptive
Objetivo: O objetivo deste estudo foi quantitative field research, with a sample
verificar se após 4 aplicações da técnica de composed of 7 volunteers, aged between 25
auriculoterapia, as voluntárias apresentariam and 65 years, with a diagnosis of
melhoras nos quadros de dor e insônia. fibromyalgia presenting complaints of pain
Metodologia: Pesquisa de campo do tipo and insomnia. The auriculotherapy
quantitativa descritiva, com amostra technique was applied 4 times in one month.
composta por 7 voluntárias, com idade entre Results: The volunteers showed
25 e 65 anos, com diagnóstico de improvement in both the questions observed
fibromialgia que apresentavam queixas de in the research. Conclusion: At the
dor e insônia. Foi aplicado a técnica de conclusion of this research, we can conclude
auriculoterapia 4 vezes em um mês. that auriculotherapy was effective in
Resultados: As voluntárias apresentaram improving pain and sleep in women with
melhora em ambos os quesitos observados fibromyalgia. We suggest that further
na pesquisa. Conclusão: Ao termino desta studies be performed with a larger sample.
pesquisa, podemos concluir que a
auriculoterapia foi efetiva na melhora da dor Key words: fibromyalgia; pain; insomnia;
e sono em mulheres com fibromialgia. Auriculotherapy; Chinese medicine
Sugerimos que novos estudos sejam
realizados com uma amostra maior.

Palavras-chave: fibromialgia; dor; insônia;


auriculoterapia; medicina chinesa

21
Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

pavilhão auricular existem pontos que são


correspondentes aos órgãos e tecidos do
1 INTRODUÇÃO corpo. Como o pavilhão auricular está
conectado com o sistema nervoso, uma vez
Apesar da fibromialgia ter se que pontos relacionados a determinados
tornado um assunto recorrente entre órgãos e tecidos são estimulados, respostas
profissionais de várias áreas da saúde nos neuroendócrinas são desencadeadas,
últimos anos, está síndrome, como vem estimulando a reparação do tecido e o
sendo referida por muitos, é estudada há equilíbrio energético do órgão.4
quatro décadas. Em 1977 foram descritos os A auriculoterapia, que é uma técnica
primeiros conceitos, quando descobriram da acupuntura, vem se tornando conhecida
áreas dolorosas, que mais tarde seriam entre pacientes diagnosticados com
denominadas tender points.1 fibromialgia, pois seus efeitos sobre o
Mesmo sendo estudada há tempos, sistema nervoso central fazem com que o
sua origem continua desconhecida, mas limiar de dor desses pacientes aumente,
graças a este longo tempo de estudo, foi melhorando assim a qualidade de vida dos
possível criar uma forma de realizar o mesmos 5. Demais estudos já verificaram a
diagnóstico, que seria através da palpação de eficiência da auriculoterapia nos mais
tender points, que são regiões diversos tipos de patologias, tais como, para
exageradamente dolorosas espalhadas pelo redução de ansiedade e dor em profissionais
corpo, e o paciente deve relatar dor em pelo de enfermagem6, na cessação do tabagismo 7
menos 11 dos 18 pontos distribuídos por e como recurso complementar na alteração
várias partes do corpo. Os sintomas inespecífica da pele.8
frequentemente observados são dores O objetivo deste estudo foi verificar
musculoesqueléticas difusas e crônicas e se após 4 aplicações da técnica de
regiões dolorosas, principalmente no auriculoterapia, as voluntárias apresentariam
esqueleto axial. Além disso, os pacientes melhoras nos quadros de dor e insônia.
podem queixar-se de distúrbios do sono,
fadiga, rigidez matinal, depressão e 2 METODOLOGIA
ansiedade.2 Esta pesquisa foi aprovada pelo
Segundo um estudo realizado em comitê de ética do Centro Universitário José
2010, que utiliza como base uma Campos de Andrade (UNIANDRADE), sob
classificação da fibromialgia, que foi o CAAE 59055416.0.0000.5218/2016.
desenvolvida por Wolfe em 1995, descobriu- Foi realizada uma pesquisa de
se que 75% dos pacientes com fibromialgia campo do tipo quantitativa descritiva. A
apresentaram algum distúrbio e dentre eles o amostra foi composta por 7 voluntárias, com
do sono foi um dos que sobressaiu3. Quando idade entre 25 e 65 anos, com diagnóstico de
se fala de distúrbios do sono em pacientes fibromialgia que apresentavam queixas de
fibromiálgicos, a prevalência é alta, pois está dor e insônia.
ligada diretamente a dor crônica o que Para participar da pesquisa as
dificulta até mesmo o tratamento.3 voluntárias deveriam apresentar um laudo
Além da dificuldade de adormecer, médico para confirmação do diagnóstico de
acordavam várias vezes durante a noite e fibromialgia. As voluntárias deveriam
quando conseguiam dormir o sono era relatar dor e queixas de insônia. Foram
agitado o que fazia com que levantassem excluídas voluntárias sem laudo, pessoas
menos dispostas e com mais dor.3 com alguma alteração neurológica, sujeitos
Na busca por alternativas de em uso de medicamento para insônia, e
tratamento, a auriculoterapia acabou se aquelas que apresentam alergia a sementes
tornando cada vez mais conhecida e de mostarda, agulha de auriculoterapia ou ao
utilizada, pois é um método simples de ser micropore.
aplicado, e praticamente sem As voluntárias que aceitaram fazer
contraindicações, o que o torna mais fácil de parte da pesquisa assinaram o TCLE. Após a
ser aceito pelos pacientes. Esse método teve assinatura foram realizadas algumas
início na China e parte do princípio que no perguntas em relação a qualidade de vida, de
22
Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

sono, sobre quanto tempo foi diagnosticada dados apresentaram distribuição


e sobre a intensidade da dor no dia a dia. paramétrica, foi aplicado o teste t pareado.
Foi aplicado um questionário sobre 3 RESULTADOS
qualidade de vida (WHOQOL – Como já foi mencionado, o presente
ABREVIADO), um índice de qualidade do estudo contou com a presença de 7
sono (ÍNDICE DE QUALIDADE DE voluntarias. Cada voluntaria foi submetida a
SONO DE PITTSBURGH (PSQI-BR) e um questionário sobre qualidade de vida
uma escala visual da dor. (WHOQOL – ABREVIADO), uma escala
Após responder os questionários e a visual analógica (EVA) e um índice de
escala visual da dor, as voluntárias foram qualidade do sono (ÍNDICE DE
submetidas a uma assepsia da orelha e em QUALIDADE DE SONO DE
seguida foi realizada a aplicação das agulhas PITTSBURGH (PSQI-BR) no início e ao
e das sementes de mostarda. Os pontos final do tratamento.
utilizados foram: Shen Men, rim, simpático Como o Whoqol é dividido em
e suprarrenal (nesses pontos foi aplicado domínios, o cálculo deve ser feito
agulhas), pois segundo Kurebayashi e separadamente, e como pode-se observar na
colaboradores (2012) o uso de agulhas tabela 1, o resultado dos domínios físico,
semipermanentes otimiza os resultados, pois social e qualidade de vida geral obtiveram
não há a necessidade do paciente estimular resultados significativos, p<0,05 e somente
os pontos, como acontece no caso das os domínios físico e psicológico que não
sementes, que o ponto deve ser estimulado. alcançaram esse resultado estatísticos,
Porém, o desconforto ocasionado pelas obtendo ao final do tratamento o resultado de
agulhas é maior se comparado ao uso das p>0,05.
sementes. Então, nesta pesquisa, optamos Quanto a avalição da percepção do
por utilizar as agulhas nos pontos mais nível de dor de cada paciente, no início e no
relevantes para os objetivos da pesquisa.9 final do tratamento foi aplicada a escala
Nos pontos analgesia e relaxamento visual analógica (EVA), e o grupo obteve
muscular optamos pelo uso das sementes. uma média 8,14±1,35. Ao final do
Ao final da aplicação, as voluntarias tratamento, foi aplicada novamente a EVA e
receberam orientações de como estimular os o grupo apresentou uma média de
pontos com semente diariamente, como 6,57±1,99.
fazer a higienização do local de aplicação e A EVA é dividida em 3 níveis: 0-2
sobre quando deveriam retirar as agulhas e dor leve, de 3-7 moderada e de 8-10 dor
sementes, caso elas não caíssem sozinhas. intensa. E como podemos observar os
Os dados pré e pós aplicação de valores obtidos na avaliação pré e pós, 5
auriculoterapia foram tabulados em planilha participantes tiveram redução de até 4 níveis,
excel 2016. Para análise estatística foi uma permaneceu no mesmo nível e somente
utilizado o Software GraphPad Prism 5.0. uma teve aumento de um nível na escala
Para verificar a normalidade dos dados foi (figura 1).
aplicado o teste de Shapiro-Wilk. Como os

Tabela 1: média e desvio padrão pré e pós de cada domínio do WHOQOL e valor de p.

WHOQOL Físico Psicológico Social Ambiental Q

Média / DP

Pré 34,19±13,97 43,44±13,36 42,87±22,80 49,56±11,73 42,51±11,42

Pós 54,09±13,29 52,37±9,89 60,73±16,48 54,04±13,47 55,29±9,89

p <0,05 >0,05 <0,05 >0,05 <0,05 23


Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

Mesmo sabendo que a maioria das O resultado final obteve uma


pacientes conseguiram diminuir alguns significância de p<0,05, o que mostra que a
níveis na EVA, o resultado não foi auriculoterapia teve efeito sobre a qualidade
significativo, p>0,05 como ilustrado na do sono das pacientes. (Tabela 2)
Figura 1. Tabela 2: média e desvio padrão pré e pós
da EVA e do Índice de Qualidade do Sono
EVA de Pittsburgh e valor de p.
15
10 10 EVA PITTSBURG
10 8 7 76 78 88 8 8
5 Média/
5 3 DP
0
Part 1 Part 2 Part 3 Part 4 Part 5 Part 6 Part 7 Pré 8,14±1,35 15,29±3,25
PRÉ PÓS

Pós 6,57±1,99 9,43±3,60


Figura 1: resultado da avalição pré e pós da
escala visual analógica (EVA) de cada
participante da pesquisa.

Para analisar o índice de qualidade p >0,05 <0,05


de sono (ÍNDICE DE QUALIDADE DE
SONO DE PITTSBURGH (PSQI-BR) deve-
se saber que o mesmo é dividido em 7
componentes que são: C1 qualidade Ao analisar somete o gráfico (figura
subjetiva do sono, C2 latência do sono, C3 2), o resultado pode ser tratado como
duração do sono, C4 eficiência habitual do insignificante, pois já que pontuações acima
sono, C5 alterações do sono, C6 uso de de 5 indica que o indivíduo possui disfunção
medicamentos para dormir e C7 disfunção grande em 2 componentes do índice ou
diurna do sono, cuja soma total varia entre 0 disfunção moderada em 3 componentes.
e 21, o que indica que quanto maior o escore, Porém ao analisar estatisticamente os
menor a qualidade de sono. resultados (tabela 2), vemos que, mesmo as
No início do tratamento a média pacientes tendo alguma disfunção do sono,
alcançada pelas participantes foi de houve melhora significativa nesse quesito.
15,29±3,25 e ao final do tratamento a média
4 DISCUSSÃO
caiu para 9,43±3,60. (Figura 2)
No presente estudo, foi abordado
questões referentes a qualidade de vida, de
PITTSBURG sono e o nível da dor de cada indivíduo antes
19
e depois das quatro aplicações da técnica de
20 18
15 14 16 15 16 auriculoterapia.
14
15 Em um estudo de 2016, Guerra et
8 9 9
10 7 6 7 al10 apontou que um indivíduo com dor está
5 propenso a ter disfunção do sono e que
0 quando se há melhora no quadro de dor, há
PART PART PART PART PART PART PART melhora também na qualidade do sono e por
1 2 3 4 5 6 7 consequência a qualidade de vida melhora
também.
PRÉ PÓS Um estudo de 2014, mostrou que um
Figura 2: gráfico com os resultados pré e pós do ponto auricular ao ser estimulado, consegue
Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh de fazer com que o Sistema Nervoso Autônomo
cada participante da pesquisa. (SNA) seja influenciado, ativando partes do
encéfalo que estão diretamente ligados a
órgãos e vísceras e, mediados pelo Sistema
24
Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

Nervoso Central (SNC), conseguem resolver fibromialgia, fez-se uso da técnica de


desordens por todo o corpo e faz com que o auriculoterapia como tratamento alternativo
mesmo receba energia para realizar para o alivio da dor, aplicando-a durante 10
atividades que requerem mais esforço e sessões, e ao final os resultados se
também desacelera o organismo para que mostraram satisfatórios já que 6 das 7
possa descansar.11 voluntárias tiveram melhora no quadro
Segundo Gui 2010, 3 a pessoa álgico.5
acometida por fibromialgia sofre de dores Quanto aos efeitos da
musculoesqueléticas difusas e crônicas, e auriculoterapia sobre o corpo humano,
devido a dor crônica, apresentam entre Kurebayashi relatou em 2012, que ao
outros distúrbios, a má qualidade do sono. estimular certos pontos, há a liberação de
Devido à má qualidade do sono, o indivíduo endorfina no sangue por conta de fibras
acaba alterando a qualidade de vida. nervosas que estão diretamente ligadas a
Nesta pesquisa o domínio medula espinhal, cérebro, pituitária e
psicológico do questionário WHOQOL não hipotálamo, causando assim o alivio das
apresentou melhora significativa após a dores.9
aplicação da Auriculoterapia, Junior et al 1 Em 2013, Silvério-Lopes et al 13
em 2012 relatou que uma pessoa com publicou um livro sobre a utilização da
fibromialgia apresenta distúrbios auriculoterapia para analgesia em diversas
psicológicos, pois segundo ele a pessoa patologias tais como cefaleia/enxaqueca,
tende a se cobrar excessivamente, a buscar LER/DORT, lombalgia, lombociatalgia,
obsessivamente a perfeição, e quando não artrites, artroses diversas, algias de ombro,
alcançam esse nível de perfeição, acabam se fibromialgia e dismenorreia e os resultados
sentindo culpadas, impotentes, frágeis, o que foram satisfatórios, pois em todos os estudos
explica a alta taxa de depressão nesses casos, feitos, foi apontada a eficácia na utilização
o que vem a complicar até mesmo o da técnica nos casos citados acima.
tratamento. Já sobre a utilização da técnica em
Com relação ao domínio ambiental pacientes com insônia, um estudo publicado
do questionário WHOQOL, que aborda em 2012, que abordou a qualidade do sono
entre outras questões, cuidados em relação a de profissionais obesos de um hospital
saúde e que também obteve resultado não universitário, apontou que os 37
significativo, Cavalcante et al2 relata em seu participantes obtiveram ao final das 8
estudo que, devido ao fato de não se saber a aplicações de auriculocupuntura e
origem da fibromialgia, seu tratamento eletroacupuntura, um resultado significativo
acaba sendo focado nos sintomas e não na na melhora da qualidade do sono.14
doença em si, o que faz com que seja ainda Fisiologicamente falando, se há um
mais difícil de se alcançar resultados desequilíbrio entre as substâncias:
satisfatórios, pois nem sempre a equipe melatonina, o hormônio de crescimento e o
responsável pelo tratamento tem cortisol, que fazem parte regulação do
conhecimento suficiente sobre o assunto e mecanismo de sono e vigília, o indivíduo
não saber o que se está tratando, faz com que tende a desenvolver, entre outros problemas
o paciente não receba os cuidados de saúde, a insônia. Como a auriculoterapia
necessários. e a eletroacupuntura estimulam pontos
Um estudo realizado por Martins et periféricos que possuem ligação direta com
al 12 em 2011 abordando a qualidade de vida sistema nervoso central (SNC) e favorecem
dos pacientes acometidos por fibromialgia, a liberação de neurotransmissores, esse
destacou a importância de se ter métodos de estimulo gera uma resposta que faz com que
avaliação que apontem um número mais o desequilíbrio entre as substâncias citadas
amplo de informações sobre a qualidade de acima seja reequilibrado. 14
vida, para que se possa assim traçar uma Com relação a utilização da técnica
linha de tratamento baseada em suas para melhora da qualidade de vida, um
respostas. estudo feito em 2012 com 49 profissionais
Em um estudo, realizado em 2005 de enfermagem que apresentavam queixas
com 7 mulheres que apresentam de estresse, teve como objetivo melhorar
25
Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

esse quadro de estresse e assim melhorar 2- Cavalcante AB, Sauer JF, Chalot SD,
também a qualidade de vida. Ao final do Assumpção A, Lage LV, Matsutani L,
estudo, após 8 sessões da técnica, os Marques AP. A Prevalência de
profissionais receberam a aplicação da Fibromialgia: uma Revisão de Literatura,
auriculoterapia tiveram melhora Revista Brasileira Reumatologia, v. 46, n. 1,
significativa na diminuição do estresse se p. 40-48, jan/fev, 2006
comparado ao grupo controle que não sofreu
nenhuma intervenção.15 3 - Gui M, Pedroni CR., Rossini S, Reimão
Ainda sobre a utilização da técnica R, Barbosa CMR. Distúrbios do Sono em
na qualidade de vida, uma pesquisa realizada Pacientes com Fibromialgia.
em 2015 com 175 profissionais de NEUROBIOLOGIA, 73 (1) jan. /mar. 2010
enfermagem, os quais foram divididos em 3
grupos: controle, auriculoterapia com 4- Rego PBL. Auriculoterapia no
protocolo e auriculoterapia sem protocolo. Tratamento da Insônia em Adultos: Revisão
Ao final da pesquisa, após 12 sessões da bibliográfica. São Paulo, 2011. Disponível
técnica, foi constatado que o grupo de em:
auriculoterapia sem protocolo foi quem https://www.posgraduacaoredentor.com.br/
obteve o maior resultado de melhora no hide/path_img/conteudo_542b166ba3dee.p
estresse, pois os pontos utilizados foram df Acesso em: 19/05/2016
escolhidos de acordo com a resposta deles ao
tratamento e com isso a melhora na 5- Góis RM, Rosa HL, Filho EJO, Vale
qualidade de vida foi melhor observada CHFP, Resende RM, Silva WP, Fraga RO,
nesse grupo. Os outros grupos também Peixoto JG. Estudo dos efeitos da
obtiveram melhoras, mas não tão auriculoterapia no nível de dor em mulheres
significativas. 16 portadoras da síndrome da fibromialgia
Observa-se que ao utilizar a primária medicadas. Anais do IX Econtro
auriculoterapia como recurso terapêutico, Latino Americano de Iniciação Científica e
não somente em pacientes fibromialgicos, há V Encontro Latino Americano de Pós-
a melhora no quadro de dor e um indivíduo Graduação. São José dos Campos, SP –
sem dor, tende a ter uma qualidade de sono Universidade do Vale do Paraíba, pg. 1359 a
melhor e por consequência há a melhora na 1363, 2005
qualidade de vida que é objetivo principal,
direta ou indiretamente, de vários estudos 6- Kurebayashi LFS, Turrini RNT, Souza
realizados.5,13,14,15,16 TPB, Marques CF, Rodrigues RTF,
Charlesworth K. Auriculoterapia para
5 CONCLUSÃO redução de ansiedade e dor em profissionais
de enfermagem: ensaio clínico randomizado,
Este estudo mostrou resultados Rev. Latino-Am. Enfermagem 2017;25:
significativos nos domínios físico, social e e2843
qualidade de vida geral do questionário
WHOQOL e também na qualidade de sono, 7- Silva RP, Chaves ECL, Pillon SC, Silva
mas por ser um estudo com uma amostra AM, Moreira DS, Iunes DH. Contribuições
pequena e com poucas aplicações da técnica, da auriculoterapia na cessação do tabagismo:
sugerimos que estudos futuros utilizem um estudo piloto. Rev Esc Enferm USP 2014;
número maior de voluntários, para que o 48(5):883-90
resultado apontado seja relevante.
8- Santos RS, Suliano LC. Auriculoterapia
REFERÊNCIAS como Recurso Complementar na Alteração
Inespecífica da Pele. Rev Bras Terap e
1- Junior MH, Goldenfum MA, Siena CAF. Saúde, 4(2):1-5, 2014
Fibromialgia: aspectos clínicos e
ocupacionais. Revista Associação Médica 9- Kurebayashi LFS, Gnatta JR, Borges TP,
Brasileira,2012; 58(3): 358-365 Belisse G, Coca S, Minami A, Souza TM,

26
Revista UNIANDRADE
Revista UNIANDRADE
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/1519-5694.20180003/revuniandrade.v19n1p21-27

Silva MJP. Aplicabilidade da auriculoterapia


com agulhas ou sementes para diminuição
de estresse em profissionais de enfermagem.
Rev Esc Enferm USP 2012; 46(1):89-95

10- Guerra PC, Oliveira NF, Terreri MTRA,


Len CA. Sono, qualidade de vida e humor
em profissionais de enfermagem em
Unidades de Terapia Intensiva Infantil. Rev
Esc Enferm USP. 2016;50(2):277-283.

11- Jimenez RN, Carvalho RA, Silvério-


Lopes S, Suliano LC. Análise do Efeito
Imediato da Auriculoterapia no Sistema
Nervoso Autônomo. Rev Bras Terap e
Saúde, 5(1):15-20, 2014

12- Martins MRI, Polvero LO, Rocha CE,


Foss MH, Junior RS. Uso de questionários
para avaliar a multidimensionalidade e a
qualidade de vida do fibromiálgico. Rev
Bras Reumatol 2011;52(1):16-26

13- Silverio-Lopes S, Seroiska MA.


Auriculoterapia para Analgesia. Silverio-
Lopes (Ed.) (2013)

14- Haddad ML, Medeiros M, Marcon SS.


Qualidade de sono de trabalhadores obesos
de um hospital universitário: acupuntura
como terapia complementar. Rev Esc
Enferm USP 2012; 46(1):82-8

15- Kurebayashi LFS, Gnatta JR, Borges TP,


Silva MJP. Eficácia da auriculoterapia para
estresse segundo experiência do terapeuta:
ensaio clínico. Acta Paul Enferm.
2012;25(5):694-700.

16- Kurebayashi LFS, Silva MJP.


Auriculoterapia chinesa para melhoria de
qualidade de vida de equipe de Enfermagem.
Rev Bras Enferm. 2015 jan-fev;68(1):117-
23.

27
Revista UNIANDRADE